Você está na página 1de 12

Rio de Janeiro | R$4,00 www.folhadirigida.com.br

11 A 17 DE SETEMBRO DE 2018

FOLHA DIRIGIDA

O

MAIS

COMPLETO

JORNAL

ESPECIALIZADO

E M

E DUCAÇÃO ,

T RABALHO

Publicação bissemanal | Ano XXXIII | Número 2.696

E

C IDADANIA

bissemanal | Ano XXXIII | Número 2.696 E C IDADANIA Eduardo Paes: conheça propostas para o
Eduardo Paes: conheça propostas para o Estado Maricá tem 76 mil inscritos. Veja concorrência por
Eduardo Paes: conheça
propostas para o Estado
Maricá tem 76 mil inscritos.
Veja concorrência por cargo
Dando sequência à série de entrevistas com os candidatos ao governo do Estado
do Rio de Janeiro, FOLHA DIRIGIDA publica agora as propostas de Eduardo
Paes para diversas áreas, tais como Saúde, Educação e Segurança. Página 12
Concurso para a Prefeitura de Maricá reúne 76.577 inscritos para 603
vagas. Maior número de candidatos é para agente administrativo. Página 8

EEEEEDUCAÇÃODUCAÇÃODUCAÇÃODUCAÇÃODUCAÇÃO

Colégio Militar inscreve só até sexta, dia 14

O

Colégio Militar do Rio de Janei-

ro, uma das melhores escolas do

estado, está com inscrições aber- tas em seu concurso de admissão. São 45 vagas para ingresso no 6º ano do fundamental e 14 para o

ano do ensino médio. Página11

Clin abre concurso para a

área de Saúde. Até R$4.774

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) abre concurso para auxiliar de enfermagem do trabalho, técnico de

segurança do trabalho e médico do trabalho. Vencimentos variam de R$1.709 a R$4.774. Inscrições começam na quinta, 13. PÁGINA 9

SÃO 105 VAGAS PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO

LIQUIGÁS: SAIU CONCURSO. 1.275 VAGAS. 1º, 2º E 3º GRAUS

INSCRIÇÕES PARA VÁRIOS CARGOS. ATÉ R$6.309

Empresa subsidiária da Petrobrás, a Liquigás abriu novo concurso. Desta vez, são oferecidas 1.275 vagas em cargos dos níveis fundamental, médio, médio/técnico e superior. Deste total, 74 são imediatas e 1.201 em cadastro de reserva. Para o Estado do Rio de Janeiro são 105 vagas (sete imediatas e 98 em cadastro). Até R$6.309. Empresa oferece vários benefícios. Inscrições abrem nesta terça, 11. PÁGINA 7

 

CCCCCONCURSOSONCURSOSONCURSOSONCURSOSONCURSOS

Viva Rio:

117 vagas até esta terça, 11

Encerram-se nesta terça-feira,

dia 11, as inscrições do proces- so seletivo da organização soci-

al

Viva Rio, que oferece 117 va-

gas em unidades de pronto aten- dimento (UPAs) do Estado do RJ. São 117 vagas para cargos de 1º

e

2º graus. Página 9

UFF: concurso para assistente e outros cargos

Universidade Federal Fluminen- se (UFF) prepara concurso para assistente em administração (nível médio. R$2.904) e vári- os outros cargos dos níveis mé- dio/técnico e superior. Edital está previsto para sair ainda este mês. Página 5

OOOOOPINIÃOPINIÃOPINIÃOPINIÃOPINIÃO

Lamentável!

Das duas uma: ou estamos no fun- do do poço ou estamos num poço sem fundo. É lamentável! Os nú- meros divulgados pelo Ministério da Educação sobre a falta de conhe- cimentos mínimos dos estudantes brasileiros a respeito de operações básicas e elementares da Matemá- tica e da dificuldade na língua pá- tria, o bom Português, inclusive na questão da interpretação e do en- tendimento do que está sendo lido, são lastimáveis.

en- tendimento do que está sendo lido, são lastimáveis. Técnico do MPU: teste especial FOLHA DIRIGIDA

Técnico do MPU: teste especial

FOLHA DIRIGIDA publica teste especial para ajudar na preparação dos candidatos do concurso para técnico do MPU. PÁGINA 3

CONCURSO OPFERECE 120 VAGAS

UERJ: INSCRIÇÕES PARA TÉCNICO DE ENFERMAGEM

REMUNERAÇÃO DE R$3.550 MENSAIS

Já estão abertas as inscrições do concurso para 120 vagas de técnico de enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Estabilidade e remuneração de R$3.550 são os atrativos da seleção. Aprovados serão lotados no Hospital Pedro Ernesto (Hupe), na Policlínica Piquet Carneiro e unidades acadêmicas. PÁGINA 10

Pedro II: inicial de até R$4.638

Seguem abertas as inscrições do concurso para a área de apoio do Colégio Pedro II. Níveis médio/técnico e superior. PÁGINA 2

2
2

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

ÁREA FEDERAL

ÁÁÁÁÁREAREAREAREAREA DEDEDEDEDE APOIOAPOIOAPOIOAPOIOAPOIO | Oferta é de 26 vagas, mas até 120 aprovados serão contratados

Pedro II: prazo até 2 de outubro para os níveis técnico e superior

Inscrições devem ser feitas no site do colégio. Taxas de R$105 e R$125

Uma das instituições educaci- onais mais importantes do país está com inscrições abertas em seu concurso para a área de apoio. Trata-se do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, que oferece 26 vagas imediatas em diversos car- gos dos níveis níveis médio/téc- nico e superior. No entanto, será formado um cadastro de reserva com mais 94 aprovados, que poderão ser chamados durante o prazo de validade da seleção, de um ano, podendo dobrar. Dessa forma até 120 contratações po- derão ser realizadas. Para quem tem nível médio técnico e/ou profissionalizante, há oportunidades n os cargos de técnico em laboratório/biologia

(1), contabilidade (1), enfer- magem (1) e nutrição e dieté- tica (3). Para todos eles, a remu- neração é de R$2.904,96, valor que considera o salário-base de R$2.446,96 e o auxílio alimen- tação de R$458. Já para o nível superior, são ofe- recidas vagas nos cargos de ana- lista de tecnologia da informação (2), bibliotecário documentalista (1), economista (1), enfermeiro- área (1), médico/área (5), psiqui- atra (1), nutricionista (1), peda- gogo (1), produtor cultural (1) e técnico em assuntos educacionais (6). A remuneração é de R$4.638,66 para todos, valor que também já inclui o auxílio-ali- mentação. Além do auxílio-alimenta- ção, todos terão direito a auxí- lio-transporte; assistência pré- Escolar de R$ 321 por depen- dente (até cinco anos de idade; assistência à saúde per capita:

reembolso parcial do Plano de

Saúde, variável de acordo com faixa salarial e faixa etária do ti- tular do cargo e a faixa etária dos respectivos dependentes. Os interessados devem se inscrever no site do Colégio Pedro II até o dia 2 de outubro. Será preciso preencher o cadas- tro, imprimir o boleto e pagar a taxa, de R$105 (cargos de ní- vel médio/técnico) ou R$125 (nível superior). Os contratados cumprirão carga de 40 horas semanais, exceto os médicos, que farão 20 horas por semana. O horário de trabalho do servidor, conforme a necessida- de do Colégio Pedro II, deverá compreender dois turnos, entre manhã, tarde e noite, As admis- sões ocorrerão pelo regime esta- tutário, que assegura estabilida- de no emprego. Os aprovados serão lotados de acordo com a necessidade e a conveniência do Colégio Pedro II, com a possibilidade de exer-

cício nos campi do Engenho Novo, Humaitá, Realengo, São Cristó- vão, Tijuca, Centro, Duque de Caxias, Niterói, no Centro de Referência em Educação Infantil ou na Reitoria. Todos os candidatos serão ava- liados por meio de uma prova objetiva. Os exames serão apli- cados nas datas prováveis de 4 ou 11 de novembro, nos municípi- os do Rio de Janeiro, Niterói e Duque de Caxias. Os concorrentes terão quatro horas para responder a 70 ques- tões, que serão distribuídas pe- las disciplinas de Língua Portu- guesa (20), Raciocínio Lógico e Quantitativo (dez), Informática (dez), Legislação (dez) e Conhe- cimentos Específicos (20). As duas últimas terão peso 2, já as demais, peso 1.

SERVIÇO Edital: www.folhadirigida.com.br Inscrições: http://dhui.cp2.g12.br/

Quadro de vagas

     

Vagas

     

Reservadas

Carga

Total

de Vagas

Ampla

Concorrência

   

Vencimento

Básico

Taxa

de Inscrição

Cargo

Pessoas

Cota

Horária

Com

Étnico

Semanal

   

Deficiência

Racial

   
 

CLASSE D

Técnico em Laboratório/Biologia

1

1

-

-

40h

R$ 2,446,96

R$ 105,00

Requisitos

Nível Médio Profissionalizante ou Nível Médio completo + curso Técnico na área

 

Técnico em Contabilidade

1

1

-

-

40h

R$ 2,446,96

R$ 105,00

Requisitos

Profissionalizante ou Médio Completo + Curso Técnico. Registro no Conselho competente.

 

Técnico em Enfermagem

1

1

-

-

40h

R$ 2,446,96

R$ 105,00

Requisitos

Nível Superior completo na área realizado em instituição reconhecida pelo MEC.

 

Técnico em Nutrição e Dietética

3

2

-

1

40h

R$ 2,446,96

R$ 105,00

Requisitos

Nível Médio Profissionalizante ou Nível Médio completo + curso Técnico na área.

 
 

CLASSE E

Analista de Tecnologia da Informação

2

2

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Nível Superior completo na área realizado em instituição reconhecida pelo MEC

 

Bibliotecário-Documentalista

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Curso superior em Biblioteconomia, realizado em instituição reconhecida pelo MEC. Registro no Conselho competente. Lei nº 9.674, de 26 de junho de 1998 dispõe sobre o exercício da profissão de Bibliotecário.

Economista

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Curso superior em Ciências Econômicas, realizado em instituição reconhecida pelo MEC. Registro no Conselho competente. Lei nº 1.411, de 13 de agosto de 1951, alterada pelas Leis nº 6.021, de 03 de janeiro de 1974, nº 6.537, de 19 de junho de 1978 e regulamentada pelo Decreto nº 31.794, de 17 de novembro de 1952 disciplina a profissão de Economista.

Enfermeiro-Área

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Curso superior de Enfermagem, realizado em instituição reconhecida pelo MEC. Registro no Conselho competente. Decreto nº 94.406, de 08 de junho 1987, regulamenta a profissão de Enfermeiro.

Médico Área

5

3

1

1

20h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Diploma, devidamente registrado, de curso de graduação em Medicina, fornecido por instituição de ensino superior, reconhecido pelo Ministério da Educação; e registro profissional no Conselho Regional de Medicina ativo.

Médico/Psiquiatra

1

1

-

-

20h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Diploma, devidamente registrado, de curso de graduação em Medicina, fornecido por instituição de ensino superior, reconhecido pelo Ministério da Educação E Certificado de conclusão de Residência Médica em Psiquiatria, reconhecido pela Comissão Nacional de Residência Médica; ou Título de especialista em Psiquiatria, reconhecido pela Associação Médica Brasileira e registrado no Conselho Regional de Medicina; e registro profissional no Conselho Regional de Medicina ativo.

Nutricionista

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Nível Superior completo em Nutrição, realizado em instituição reconhecida pelo MEC e Registro no conselho competente

Pedagogo

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Curso Superior em Pedagogia realizado em instituição reconhecida pelo MEC

 

Produtor Cultural

1

1

-

-

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Curso superior em Comunicação Social ou em produção Cultural, devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Técnico em Assuntos Educacionais

6

4

1

1

40h

R$ 4,180,66

R$ 125,00

Requisitos

Nível Superior completo em Pedagogia ou Licenciaturas realizado em instituição reconhecida pelo MEC

 

ESTÁGIOS E

TRAINEE

ESTÁGIOS E TRAINEE Ambev abre Programa de Estágio 2019 para vários cursos e diversas áreas A
ESTÁGIOS E TRAINEE Ambev abre Programa de Estágio 2019 para vários cursos e diversas áreas A
ESTÁGIOS E TRAINEE Ambev abre Programa de Estágio 2019 para vários cursos e diversas áreas A

Ambev abre Programa de Estágio 2019 para vários cursos e diversas áreas

A Cervejaria Ambev abriu inscrições para o Programa de Estágio 2019, que busca jovens de todo o País, dos mais variados cursos de formação. Há vagas disponíveis para praticamente todas as áreas da empresa em todos os estados, incluindo o Rio de Janeiro. As inscri- ções vão até 1º de outubro. Os interessados devem ter previsão de se formar até o segundo semestre de 2020. O estágio tem duração de até dois anos. O programa busca candidatos com nível de Inglês intermediário, com vontade de empreender e crescer na carreira. Além da bolsa-auxílio, a empresa também oferece benefícios como refei- ção, vale-transporte e possibilidade de efetivação. As inscrições devem ser feitas pelo site <www.ambev.com.br/carreiras/trabalhe-conos- co/estagio/>.

Programa Trainee Lojas Americanas:

prazo termina no dia 16 de setembro

Estão abertas, até dia 16 de setembro, as inscrições para o Pro- grama Trainee Lojas Americanas. As vagas são para atuação no Rio de Janeiro, e o programa tem duração de um ano. Os interessados devem ser formados entre julho de 2016 e dezembro de 2018 nos cursos de Administração, Análise & Desenvolvimento de Sistemas, Ciências Contábeis, Ciência da Computação, Ciências Econômicas, Comunicação Social (Publicidade e Propaganda), Marketing, Direito, Física, Engenharias, Estatística, Matemática, Relações Internacio- nais, Sistemas de Informação e Tecnologia da Informação. Pós-gra- duação será um diferencial. As inscrições para o Programa Trainee Lojas Americanas devem ser feitas no endereço eletrônico <trainees.lasa.com.br>.

Ericsson abre as inscrições para o Programa de Estágio e Trainee 2019

Estão abertas até dia 28 de setembro as inscrições para o Pro- grama Talentos 2019 da Ericsson Brasil. Com 50 vagas disponíveis para estágio e cinco para trainees, o programa busca atrair os me- lhores jovens talentos do País, com potencial para serem líderes de negócios e contribuírem com os planos de expansão da empresa no mercado. Para tentar uma vaga de trainee, cujo programa tem dura- ção de um ano, o estudante deve ter formação acadêmica entre dezembro de 2017 e dezembro de 2018, e idade de até 28 anos. Ter disponi- bilidade para viagens nacionais e internacionais, além de Inglês flu- ente, são requisitos fundamentais. Espanhol será considerado um diferencial. Para o programa de estágio, de até dois anos, é neces- sário também ter Inglês avançado (Espanhol será um diferencial) e bons conhecimentos do pacote Office. Os interessados devem se inscrever através do link <https://career2.successfactors.eu/sfca- reer/>

Inscrições para Programa de Estágio do Google: qualquer curso superior

Estão abertas as inscrições para o Business Internship Program 2019, a oitava edição do programa de estágio do Google. Voltado para estudantes de ensino superior com graduação prevista para dezembro de 2019, o programa de seis meses é uma oportunidade para que os estagiários possam conhecer e vivenciar o Google, além de desenvol- ver competências técnicas e comportamentais. As inscrições vão até o dia 5 de outubro de 2018 e podem se candidatar estudantes de qualquer curso, universidade e região do Brasil. Para participar, é necessário cumprir os seguintes requisitos: estar cursando o último semestre da graduação no período do programa, ter um nível de Inglês que permita leitura de e-mails e conversação com colegas de traba- lho, além de estar disponível para trabalhar no escritório do Google em São Paulo, de julho a dezembro de 2019. As inscrições devem ser feitas por meio do site <careers.google.com/Jobs>.

Paulo, de julho a dezembro de 2019. As inscrições devem ser feitas por meio do site

ÁREA FEDERAL

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

3
3

VVVVVALORALORALORALORALOR|A quantia é de R$55 para o cargo de técnico e de R$60 para os que se inscreverem no cargo de analista

MPU: taxa deve ser paga até 1º de outubro

Guia para pagamento da taxa deve ser impressa no site do Cebraspe, organizador

Candidatos que fizeram a ins- crição no concurso para o Mi- nistério Público da União (MPU) mas, até agora, não pa- garam a taxa de inscrição, pre- cisam quitar o valor até o dia 1º de outubro. Os valores são de R$55 para os que disputarem uma vaga de técnico e de R$60

para os que se inscreverem no cargo de analista. A Guia de Recolhimento à União, neces- sária para quitar o valor, pode ser impressa no site do Cebraspe (antigo Cespe-UnB), organiza- dor da seleção. Nesta terça-feira, dia 11, a co- ordenação do concurso deverá disponibilizar um link para que os candidatos possam verificar se a foto inserida ao fazer a ins- crição estava de acordo com as instruções contidas no sistema e, dessa forma, foi aceita. Caso não tenha sido reconhecida, o

candidato poderá fazer, das 9h desta terça, dia 11, até as 18h de quarta, dia 12, (horário oficial de Brasília/DF), novo envio de uma foto que atenda às determi- nações do sistema. A realização da prova objeti- va, etapa única do concurso MPU, está marcada para o dia 21 de outubro, em todas as ca- pitais brasileiras e no Distrito Federal. Os candidatos deverão responder a 120 questões, dis- tribuídas por duas áreas. Na de Conhecimentos Básicos, have- rá itens de Língua Portuguesa,

Acessibilidade, Ética no serviço público, Legislação aplicada ao MPU e ao CNMP, Promoção da Igualdade Racional.

A segunda parte da prova ob-

jetiva terá questões de Conhe- cimentos Específicos. Para o cargo de técnicos, serão cobra-

dos tópicos de Noções de Direi- to Administrativo; Noções de Direito Constitucional; Noções de Administração; Noções de Arquivologia; Noções de Admi- nistração Orçamentária, finan- ceira e orçamento.

Já para o cargo de analista de

Direito, as questões específicas são de Direito Administrativo, Direito Constitucional, Direito do Trabalho, Direito Processu-

al do Trabalho, Direito Civil, Direito Processual Civil, Direi- to Penal, Direito Processual Pe- nal, Direito Penal Militar, Direi- to Processual Penal Militar. A prova objetiva terá valor máximo de 120 pontos. Será desclassificado quem obtiver nota inferior a 10 pontos em Conhecimentos Básicos, inferi- or a 21 pontos na parte especí-

fica e nota inferior a 36 pontos

no conjunto das provas objeti- vas. Apenas os candidatos a ana- lista em Direito também reali- zarão provas discursivas. Eles terão que elaborar um texto dis- sertativo com, no máximo, 30 linhas, sobre o tema Legislação aplicada ao MPU e ao CNMP. Somente serão corrigidas as re- dações dos concorrentes que conseguirem os critérios para aprovação na prova objetiva.

SERVIÇO www.cespe.unb.br/concursos/

MPU_18/

Ficha de Exercícios Professores especialistas em concursos são unânimes: resolver exercícios é uma ótima
Ficha de Exercícios
Professores especialistas em concursos são unânimes: resolver exercícios é uma ótima
estratégia de estudo. Por isso, vale a pena fazer as questões de mais esse teste especial
TÉCNICO DO MPU

Veja teste de Português e Direito Constitucional

Abaixo, candidatos podem testar seus conhe- cimentos com mais um teste especial, elaborado pela equipe do Curso Superprofessores. O gaba- rito comentado pode ser acessado no final.

Português e Direito Constitucional

LÍNGUAPORTUGUESA

(ProfessoresTiagoCésar,PedroHenriqueeTatianaRodrigue)

TEXTOI

A sustentabilidade entrou, de forma definitiva, na agenda de debates da socieda-

de. Um exemplo significativo diz respeito à importância que a sustentabilidade cor- porativa ganhou nos últimos anos. De conceito vago, tornou-se imperativo para o su-

cessodasempresas,queprecisam,cadavezmais,entregarvalor,enãoapenasmer-

cadorias,àsociedade.

A sustentabilidade, apesar de intangível, sem existência física, é hoje valor es-

sencial, que se converte em ativo e vantagem competitiva no mundo dos negócios. Asustentabilidade corporativa requer negócios amparados emboas práticas de go- vernança e em benefícios sociais e ambientais, o que influencia os ganhos econômi- cos,acompetitividadeeosucessodasorganizações.

O interesse pela sustentabilidade fortalece-se na medida em que a sociedade se

dá conta dos limites domodelo de desenvolvimento dependente de recursos nãore- nováveis, no contexto de mudança paulatina dos anseios da sociedade, da busca de segurançaenergéticaedenovaspossibilidadesdeprodução.Comoapopulaçãocresce em número e em capacidade de consumo, também aumenta o desejo de que a eco-

nomia utilize mais recursos de base biológica, recicláveis e renováveis, logo, mais sustentáveis - e essa é a base da bioeconomia.

Mauricio Antônio Lopes. O Brasil na bioeconomia, In: Correio Braziliense. Caderno Política, 14/6/2015, p. 13 (com adaptações).

01 O vocábulo “logo”, por indicar conclusão de ideia anterior, poderia ser subs- tituídopelaexpressão porconseguinte,oquemanteriaacorreçãograma- ticaleacoerênciatextual.

(

) Certo

( )Errado

02 Infere-se do texto que o paradigma estabelecido pela bioeconomia vai ao encontro do modelo de desenvolvimento econômico dependente de recur- sosnãorenováveis.

(

) Certo

( )Errado

03 Na linha 6, o termo “mercadorias” foi empregado em substituição ao ter- mo “valor” como recurso coesivo para que se evitea repetição de termos

e

se mantenha o sistema de referências da oração que integram.

(

) Certo

( )Errado

04 No segmento “isso então nem se fala”, a posição do pronome “se” justifica- se pela presença de palavra de sentido negativo.

(

) Certo

( )Errado

05 “Há gente no Brasil interessada em importar dos Estados Unidos

O

termo “gente” exerce a função de sujeito da oração em que se insere.

(

) Certo

( )Errado

06 Considerando-seapenasotrecho“Viveremambientesemgravidadefazcoisas

curiosas com o corpo”, não se pode determinar, do ponto de vista sintático,

o sujeito da forma verbal “faz”.

( ) Certo

( )Errado

07 Na oração “Segue anexa a nota editorial”, foi atendida regra de concordân- cia nominal, visto que o adjetivo “anexa” está no feminino para concordar

com a expressão no feminino “a nota editorial”, que exerce a função de su- jeito da oração.

(

) Certo

( )Errado

08 Na oração “Há vinte meses que o Decreto foi revogado”, a forma verbal “Há” poderia ser corretamente substituída por Faziam.

(

) Certo

( )Errado

09 Se o verbo da oração “mas a maioria dos analistas aposta” estivesse fle- xionadonoplural- apostam -,operíodoestariaincorreto,vistoque,deacordo com a prescrição gramatical, a concordância verbal, em estrutura dessa natureza, deve ser feita com o termo “maioria”.

(

) Certo

( )Errado

10 Seriamantidaaconcordânciaverbalnotrecho“Asmulheres,emtodoomundo,

têm de passar por muitos obstáculos” retirando-se o acento circunflexo da

forma verbal “têm”.

(

11

O uso do sinal indicativo de crase no trecho “os dilemas inerentes à convi-

) Certo

( )Errado

vência” não é obrigatório.

(

) Certo

( )Errado

12 As palavras “preparatórias”, “Conferência” e “angústia” recebem acento gráfico com base na mesma justificativa gramatical.

(

) Certo

( )Errado

13 Sem prejuízo para a correção gramatical, a forma verbal “encontram”, em “encontram-se os direitos econômicos”, poderia ser flexionada no singular:

encontra-se os direitos econômicos.

( ) Certo

14 Atualmente, há tantos computadores e dispositivos ligados à internet

( )Errado

Seriammantidososentidoeacorreçãogramaticaldotexto,seaformaverbal

“há” fosse substituída por existe.

 

( ) Certo

( )Errado

15

A correção gramatical do trecho “Entre as bebidas alcoólicas, cervejas e

vinhos são as mais comuns em todo o mundo” seria prejudicada, caso se

inserisse uma vírgula logo após a palavra “vinhos”.

(

) Certo

( )Errado

16

No trecho “a habitação em cidades é essencialmente antinatural, associa- se a manifestações do espírito e da vontade, na medida em que esses se

opõemànatureza”,osujeitodasformasverbais“ser”,“associar-se”e“opor-

se” é a expressão “habitação em cidades”.

(

) Certo

( )Errado

17

forma de tratamento “Digníssimo” pode ser utilizada, mas apenas para parlamentares,comodeputadosfederais,estaduais,distritaisesenadores.

A

(

) Certo

( )Errado

18

O

ofício é expedido exclusivamente por ministros de Estado.

(

) Certo

( )Errado

19 Segundo o Manual de Redação Oficial, o fecho “Atenciosamente” poderá ser utilizado em qualquer documento, independentemente do cargo ocupado pelo destinatário.

(

) Certo

( )Errado

20 Embaixadores, Secretários de Estado dos governos estaduais e auditores da justiça militar estão entre as autoridades que devem ser tratadas por Vossa Excelência.

(

) Certo

( )Errado

21 “Chegou à casa de José.” A crase é obrigatória, pois a casa está determinada. Sendo assim, ocorreu a contração da preposição “a” com o artigo “a”.

(

“Necessita-se de professores de matemática.” A partícula “se” indetermina

22

) Certo

( )Errado

o

sujeito e a voz verbal é ativa.

(

) Certo

( )Errado

23 “Haveráreuniõesimportantesamanhã.”Overbo“haver”,nalínguaportuguesa,

é

impessoal, por isso está no singular.

(

) Certo

( )Errado

24 Na frase: “O resultado lhe foi favorável”, o termo sublinhado é um objeto indi- reto.

(

) Certo

( )Errado

25 No trecho: “Choveu, pois as ruas estão molhadas”, temos um “pois” causal, logo a vírgula é facultativa.

(

) Certo

( )Errado

26 “Renata, José, Camila, Fábio, todos chegaram ao parque.” O verbo chegar con- cordoucomoapostoresumitivo“todos”.Sendoassimafraseestácorretaquanto

à

norma culta.

(

) Certo

( )Errado

27 Analisando a pontuação da frase: “Como ia de olhos fechados, não via o cami- nho” notamos que o emprego da vírgula é facultativo, podendo, portanto, ser retirada sem que haja um prejuízo gramatical.

(

A frase: “Ela comeu a comida” pode ser reescrita sem prejuízo gramatical e

sem alteração semântica da seguinte forma: “A comida fora comida por ela”

(

28

) Certo

) Certo

( )Errado

( )Errado

29 “A redação do aluno ganhou o prêmio” e “A redação da carta foi feita a lápis” Os termos sublinhados possuem a mesma função sintática.

( ) Certo

30 “Os Estados Unidos venceram a guerra.” Se retirarmos o artigo “os” o verbo terá que ficar no singular, ou seja,

( )Errado

( ) Certo

( )Errado

DireitoConstitucional

(professorAndréGarcia)

31 luz do disposto na Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o item a seguir,

acercadosprincípiosconstitucionaisedosdireitosfundamentais. Conforme a CF, o poder emana do povo e é exercido por meio de representantes eleitos, não havendo previsão do exercício do poder diretamente pelo povo.

À

(

) Certo

( )Errado

32 Acercadosprincípios,fundamentoseobjetivosdaConstituiçãoFederalde1988

(CF), julgue o item a seguir. Erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais constituem objetivos da República Federativa do Brasil expressos na CF.

 

( ) Certo

( )Errado

33

Segundo a Constituição Federal de 1988, Independentemente de aviso prévio ou autorização do poder público, todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local.

(

) Certo

( )Errado

34

Acercadosdireitosegarantiasfundamentais,deacordocomodispostonaCons-

tituição Federal de 1988 (CF), julgue o próximo item.

A expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação é livre, mas

a lei pode prever casos de censura ou de exigência de licença do poder público para o seu exercício.

 

(

) Certo

( )Errado

35

O

artigo 5º da Constituição Federal de 1988 trata de direitos e garantias fun-

damentais, dentre os quais se pode observar que: A casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo entrar sem consentimento do morador, sen- do que, por determinação judicial, fica autorizado o ingresso na casa sem o con- sentimento do morador em qualquer horário.

(

) Certo

( )Errado

 

GABARITOCOMENTADO

LÍNGUAPORTUGUESA

01

Certo. Trata-se de dois conectivos de valor conclusivo.

02

Errado. Na verdade, a bioeconomia vai de encontro ao modelo de desenvolvi- mento econômico dependente de recursos não renováveis.

03

Errado. O termo “mercadorias” refere-se ao produto final entregue pelas empresas. Segundo o texto, somente a mercadoria não é suficiente, sendo necessáriaaexistênciadevalor,comoaquestãodasustentabilidade,porexemplo.

04

Certo. Trata-se de caso obrigatório de próclise, isto é, o pronome obliquo sendo

atraídoporpalavranegativa(não,nunca,jamais,nem

)

05

Errado. O verbo “haver” foi empregado com sentido de existir, o que caracte- rizasuaimpessoalidade.Verbosimpessoaisnãoadmitempessoas(logo,não admitem sujeito). Trata-se de uma oração sem sujeito.

06

Errado. Ocorre aqui um caso de sujeito oracional, ou seja, uma oração a exer- cer a função de sujeito (Viver em ambiente sem gravidade).

07

Certo. Concordância correta entre o adjetivo e o substantivo ao qual faz refe- rência.

entre o adjetivo e o substantivo ao qual faz refe- rência. 08 Errado. Por indicar ideia

08 Errado. Por indicar ideia de tempo, ocorre impessoalidade dos verbos Haver

e Fazer. Nessa situação, é obrigatório o emprego dos verbos no singular.

09 Errado.Operíodonãoestariaincorreto,umavezqueoverbopoderáconcordar com “maioria” ou com “analistas”. (Regra de concordância bastante cobrada peloCESPE).

10 Errado. O acento empregado aqui serve para diferenciar a formal verbal sin- gular “tem” da forma verbal plural “têm”.

11 Errado. É obrigatório para atender à regência do adjetivo “inerentes” (a algo

/ a alguém). Nesse caso, a preposição a soma-se ao artigo feminino a, tornan- do o emprego do acento grave obrigatório.

12 Certo. Em regra, todas elas são paroxítonas terminadas em ditongo crescen- te.

Errado. Temos aqui um caso de voz passiva pronominal. Portanto, o verbo deve con- cordar com o sujeito paciente “os direitos econômicos”. Tal concordância só

é permitida no plural.

13 Errado. Temos aqui um caso de voz passiva pronominal. Portanto, o verbo deve concordarcomosujeitopaciente“osdireitoseconômicos”.Talconcordância só é permitida no plural.

14 Errado.Overboexistirnãoéimpessoal.Portanto,asubstituiçãoporelefazcom que“computadoresedispositivosligadosàinternet”exerçaafunçãodesujeito. Por estar no plural, o correto é a substituição por “existem”.

15 Certo. O emprego da vírgula separaria o sujeito do verbo, algo que contraria as regras de pontuação.

16 Errado. A forma verbal “opõem” refere-se ao sujeito composto “espírito e vontade”.

17 Errado.Digníssimo,IlustríssimoeDoutor(quandonãofizerreferênciaatítulo

acadêmico)foramabolidosdascomunicaçõesoficiais.

18 Errado. O Aviso é expedido por ministros para ministros. Já o Ofício é expedido para comunicação entre órgãos diferentes ou da Administração Pública para particulares.

19 Errado. O fecho “Atenciosamente” será utilizado em documentos endereça- dos a pessoas de mesmo cargo ou cargo inferior. Já o fecho “Respeitosamen- te”, em comunicações endereçadas a pessoas de cargo superior.

20 Certo. O pronome Vossa Excelência é dispensado às altas autoridades do país.

21 Errado. O erro está na palavra “CONTRAÇÃO” que, para o CESPE, deve ser uti- lizadaquandohouverumamudançadefonemanajunçãodeduaspalavras(ex.:

de + a = da). Quando não há perda de fonema, temos uma fusão (ex.: a + a = à).

22 Certo.Quando a partícula “se” aparece ligada a um V.T.I (verbo transitivo in- direto), recebe a classificação de P.I.S (partícula indeterminadora do sujeito). Assim,temosumavozativacomsujeitoindeterminadoequedeveteroverbo flexionado sempre na terceira pessoa do singular.

23 Errado.Naverdade,aquestãoafirmouqueoverbohaversempreseráimpessoal,

poisdisse“nalínguaportuguesa”.Issonãoéverdade,poisoverbo“haver” será impessoal apenas em algumas situações (ex.: quando utilizamos no sentido de “existir”).

24 Errado.O pronome “lhe”, na frase, está completando a ideia do adjetivo “fa- vorável”, ou seja, exerce a função de Complemento Nominal.

25 Errado.A ideia de causa, pensando em uma linha do tempo, acontece antes

do fato. Como as ruas ficam molhadas depois da chuva, não podemos pen- sar em ideia de causa. Assim, o “pois” possui ideia de explicação e introduz

umaoraçãocoordenadasindéticaexplicativaquedevepossuirumavírgula

(obrigatória)antesdele.

26 Certo.Mesmotendoosujeitocomposto“Renata,José,Camila,Fábio”,o

verbo concordará obrigatoriamente com o aposto resumitivo/resumidor “todos”.

27 Errado.A oração “Como ia de olhos fechados” é classifica como ORAÇÃO SU-

BORDINADAADVERBIALCAUSALDESLOCADA.Assim,avírgulaéOBRIGA- TÓRIA.

28 Errado. O verbo “comeu” está no pretérito perfeito do modo indicativo; o verbo “fora” está no pretérito mais-que-perfeito do modo indicativo. Sendo assim,houvealteraçãosemântica.

29 Errado. Em “A redação do aluno ganhou o prêmio”, o termo do aluno funciona com o agente da ação. Assim, exerce a função sintática de “ADJUNTO ADNOMINAL”. Em “A redação da carta foi feita a lápis”, o termo da carta

30 Certo.Aafirmativaestácorreta,pois,nessecaso,overboconcordarácom

o artigo ou, na ausência dele, ficará no singular.

DIREITOCONSTITUCIONAL

31 Errado.OBrasiladotaaDemocraciasemidireta(ouParticipativa),ondeamai-

oriadasdecisõespolíticasétomadapelosnossosrepresentantes,contu-

do,existeminstrumentosquepermitemqueopovoparticipediretamente

de algumas decisões como por exemplo o plebiscito, referendo e iniciativa popular, previstos no artigo 14 da Constituição Federal.

32 Certo. Pois é exatamente o disposto no artigo 3º da Constituição Federal que trata dos objetivos fundamentais

33 Errado. Pois conforme o art. 5º XVI, é exigido (depende) o aviso prévio.

Art. 5º XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos

aopúblico,independentementedeautorização,desdequenãofrustremoutra

reuniãoanteriormenteconvocadaparaomesmolocal,SENDOAPENASEXIGIDO

prévioavisoàautoridadecompetente;

34 Errado.Conformeocomoart.5,IX,daCFde88,élivreaexpressãodaatividade

intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

35 Errado. Pois o artigo 5º inciso XI determina que apenas durante o dia: XI -

a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem

consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial;

salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia,
4
4

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

SERVIDOR

IIIIINDEFINIÇÃONDEFINIÇÃONDEFINIÇÃONDEFINIÇÃONDEFINIÇÃO | Vale a pena pedir exoneração quando o servidor não de identifica com as atribuições da carreira ou com a cultura do órgão?

O que fazer quando se escolhe o cargo errado?

Para especialistas, há opções antes de se decidir pela exoneração do cargo

Tomar posse em um cargo pú- blico é o sonho de milhares de pessoas. No entanto, algumas vezes, ao ingressar no órgão em

que foi aprovado no concurso, o servidor descobre que a ativida- de que desempenhará não é aquilo que imagina ou, então, acaba não se identificando com as atribui- ções do cargo ou até mesmo com

a cultura do órgão. E o que fazer

quando isso acontece? Pedir exo- neração? Manter-se na função e ir estudando para um novo proces- so seletivo? Tentar negociar com

a chefia uma outra atividade?

Para responder a essas e outras questões, FOLHA DIRIGIDA en- trevistou Alexandre Prado, coa- ch e especialista em carreiras, e Antonio Batist, mestre em Admi- nistração Pública, que também possui largo conhecimento na área de Gestão de Pessoas. Para ambos, pedir a exoneração não

é o melhor caminho para o ser-

vidor que não se identificou com

a atividades que desempenha ou

com o órgão em que trabalha. “Muitas vezes, a aprovação em um concurso veio após um rele- vante investimento de recursos, sejam eles de tempo ou financeiro. Pedir a exoneração pode ser jo- gar por água abaixo tudo isso. Exceto se for algo extremamen- te incongruente com suas carac- terísticas pessoais, o servidor deve manter-se no cargo, até para seu próprio sustento. Se for possível, tente negociar com a chefia para realizar outras tarefas, distintas das atuais, como tentativa de en- contrar algo mais adequado ao seu perfil”, disse Alexandre Prado. Antonio Batist compartilha do

mesmo pensamento. “Em cada caso, poderá haver uma solução diferente. Em princípio, é reco- mendável interagir com a chefia e buscar mudanças de atividades dentro do próprio setor de traba- lho ou, se for o caso, tentar uma mudança de setor dentro da mes- ma entidade. Manter-se na fun- ção e, em paralelo, estudar para outro concurso é também uma opção em alguns casos”, orientou.

O QUE FAZER ENTÃO PARA MANTER-SE MOTIVADO?

Mas como manter-se motivado,

mesmo realizando atividades que não são as que esperava desempe- nhar ou que não lhe agradam? Para Antonio Batist, isso dependerá da realidade de cada servidor. Segun-

do ele, o simples fato de ter um trabalho em um momento de ta- xas tão elevadas de desemprego já poderia ser uma forma de motiva- ção. “A estabilidade, a remunera- ção e a relevância social são outros fatores possíveis para motivação.” Batist destaca, inclusive, que mesmo não gostando das atri- buições, um bom desempenho

no cargo poderá abrir novas portas para este servidor. “Cer-

tamente, um dos pontos mais importantes é fazer o melhor possível na realidade que se tem e entender que, apesar das dificuldades, o trabalho atual pode alavancar seu futuro, ou para você crescer onde está ou para te ajudar a encontrar outras oportunidades melhores. Isso pode ser decisivo”, enfatizou. Alexandre Prado afirma que manter-se desmotivado, chatea- do, frustrado e infeliz não é bom para ninguém, principalmente para o servidor. Segundo ele, é preciso buscar a motivação neces- sária para continuar o dia a dia da melhor maneira possível. “É im- portante ter a percepção de que

tudopodegeraraprendizados,que

seu trabalho, apesar de aparente-

mente menos motivador ou rele- vante, pode contribuir sistemica- mente com algo maior e com as atividades tidas como mais notá- veis. Além disso, um dos aspec- tos mais importantes que o ser-

vidor pode ter é manter-se equi- librado emocionalmente. De nada adiantará fazer corpo mole, nutrir- se de sentimentos e emoções ne- gativos e desmotivadores. A mente deve ser alimentada com senti- mentos bons e positivos.” No entanto, se ainda assim o servidor achar que é melhor pe- dir exoneração do cargo, por não encontrar a motivação necessária para exercê-lo, e que utilizará o tempo para estudar para outro concurso, os especialistas dão algumas orientações. Para Antonio Batist, convém a esta pessoa, antes de prestar um novo concurso público, conhecer

as instituições para quais pretende

trabalhar, bem como ler atenta- mente os editais, as descrições dos cargos e o plano de carreira. “Recomendo também conver- sar com pessoas que trabalham

na função e órgão pretendidos e também fazer uma autoanálise sincera. Não adianta conhecer cargos, instituições, leis e editais

e não conhecer a si mesmo. Es-

sas são algumas das providências cruciais para que o problema não se repita em um novo endereço.” O coach Alexandre Prado con- corda com Antonio Batist e faz ain-

da mais uma recomendação para aqueles que optam deixar o órgão atual para fazer novos concurso. “Não crie expectativas de que to- das as atribuições e tarefas que de- verá realizar são interessantes, mo- tivadoras e por aí vai. Sempre há alguma tarefa que é menos agra- dável. Desenvolva a maturidade

e a resiliência para saber lidar com estas situações”, pontuou.

Artigo

O servidor é um parceiro para a boa gestão

* Professor Barragan

Atualmente, estamos na corrida eleitoral majori- tária nos estados e na União Federal. Neste cenário

o

que mais tem preocupado a maioria dos eleitores

é

a

ausência de capacidade técnica dos próximos

governantes que poderão gerir a Administração Pública.As possibilidades se apresentam limitadas,

haja vista a falta de candidatos com real capacidade de gestão, pois, praticamente todos os candidatos conhecem bem uma determinada área de atuação da Administração Pública, mas não demonstram conhecimento técnico em relação às demais.

O Presidente da República, por exemplo, não pre-

cisará ser um exímio conhecedor de todos os assun- tos relacionados à gestão pública, desde que tenha

uma boa noção geral sobre eles e atue com servi- dores públicos que sejam especialistas nos mais variados setores da Administração Pública. Por isso,

o governante deve ver o servidor como um grande

parceiro para a gestão pública. Assim, se o gover- nante enxergar aquele que se dispôs a servir ao povo (e por isso, corretamente denominado servidor pú- blico) como uma mera despesa para os cofres pú- blicos, estará fadado a uma má gestão pública. Nesta linha de raciocínio, o servidor público é um parceiro que deve ser aproximado cada vez mais das decisões administrativas a serem tomadas no setor público. Os servidores, especialmente os de carrei- ra (efetivos), possuem inúmeras boas ideias para tornar a gestão pública mais eficiente e eficaz. Mas, infelizmente, suas ideias e opiniões, na maioria das vezes, não são levadas em consideração pelo gestor público. Isso é um equívoco grave, não só na gestão pública como na gestão privada. Ouvir os subordina- dos é um ato de coesão e inteligência, porquanto aqueles que estão no front de trabalho têm mais condições de apontar melhorias e falhas na presta- ção do serviço público do que aquele que apenas observa na posição de gestor. Não se trata de transportar as decisões para os seus subordinados, mas sim, de ouvi-los e de aco- lher as boas ideias e sugestões. O governante tem um período de gestão de quatro anos, que poderá ser de oito anos, caso seja reeleito. Entretanto, quando

Professor Barragan: “a boa gestão pública é um trabalho conjunto do governante e de seus
Professor
Barragan: “a boa
gestão pública é
um trabalho
conjunto do
governante e de
seus servidores”

ingressa na estrutura estatal ele se depara com ser- vidores públicos que estão naquele serviço público há mais do que aqueles oito anos, e, portanto, de- monstram mais vivência nas atividades a serem re- alizadas pelo respectivo ente federativo. Por outro lado, também não se deve desconsiderar as visões, ideias e opiniões que os novos governantes podem ter, afinal, quem vem de fora pode ter uma visão interessante que, até então, os que estão dentro da máquina pública não tinham percebido. Por isso, a boa gestão pública é um trabalho conjunto do governante e de seus servidores, com troca de infor- mações e ideias. Por concluir, em meio àquela parceria gestor/servidor,destaca-sequeoingredientequejamais poderá se ausentar é a transparência. Logo, gestores e servidores,mãosàobraevamosmelhoraronossopaís!

Professor Barragan é advogado, contador, gestor público, professor de Gestão Pública, Direito e Contabilidade, Presidente do Centro de Estudos Políticos do Brasil, mestre em Direito Econômico e Desenvolvimento e pós-graduado em Direito Público.

DIVULGAÇÃO/SINAIT Representantes do Sinait têm realizado reuniões com o Ministério do Planejamento para discutir a
DIVULGAÇÃO/SINAIT
DIVULGAÇÃO/SINAIT

Representantes do Sinait têm realizado reuniões com o Ministério do Planejamento para discutir a questão do bônus eficiência para os servidores do Ministério do Trabalho, entre outros assuntos

Para Sinait, orçamento

de 2019 tem recursos para o Bônus de Eficiência

Ao longo deste ano, uma das principais pautas do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) tem sido a regulamentação do Bônus Efici- ência, um adicional, atualmen- te de R$3 mil, pago aos servido- res em função do cumprimento de metas estabelecidas. No fi- nal de agosto, rumores davam conta de que recursos para o pagamento do bônus não seriam incluídos no Orçamento de 2019, mas uma análise feita por espe- cialistas do Sinait identificou que, pela Proposta de Lei Orçamen- tária, as verbas destinadas ao Ministério do Trabalho são sufi- cientes para manter o benefício. Um grupo de técnicos do Si- nait analisaram a peça orçamen- tária do governo para 2019, em especial a parte que trazia a previsão de recursos para paga- mento de pessoal no Ministério do Trabalho. Os analistas sali- entam que não há, no texto do orçamento, não há uma rubrica

específica que indique destina- ção de recursos para o Bônus Permanência mas que isso não significa que o pagamento não será feito. Eles ressaltam que o mesmo aconteceu nas LOAs de 2016 e 2017 e que é praxe do Ministério do Planejamento não fazer esse tipo de distinção no texto orçamentário. A conclusão que o grupo téc- nico do Sinait chegou é que a despesa de pessoal é apresen- tada, no orçamento, de forma global e que, por isso, não se podeafirmarqueotextonãoprevê o pagamento do bônus. Um dos pontos a favor da manutenção do benefício, no entanto, é o fato de que seu pagamento é previs- to em lei, ou seja, trata-se de uma despesa obrigatória. Com isso, mesmo que, em algum momento, falte recursos para arcar com o adicional, o governo precisará fazer uma suplemen- tação para não contrariar a le- gislação vigente.

A consultoria técnica do Sinait que analisou a peça orçamentá- ria também identificou que, di- ante do volume de recursos pre- vistos para o Ministério do Tra- balho e do custo que o Bônus Eficiência possui, há totais con- dições de se pagar o benefício. Para Carlos Silva, presidente do Sinait, as conclusões do grupo técnico permitem um prognósti- co ainda mais favorável. “A aná- lise conclui ainda pela existên- cia, como nos anos anteriores, de espaço até para a ampliação prevista com a regulamentação do Bônus”, disse o sindicalista. O Sinait está alerta e conti- nua suas articulações com o governo, Ministério do Trabalho

e Congresso Nacional. A Nota

Técnica será mais um documento

utilizado nas interlocuções com

a área técnica do MTb que cuida

do orçamento de pessoal e tam- bém com a relatoria do orçamento

na área do Trabalho no Congres- so Nacional.

Sepe-RJ realiza dois dias de greve de advertência na rede de ensino do Rio

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe-RJ) realiza, nesta sema- na, dois dias de paralisação na rede municipal de ensino do Rio de Janeiro. A greve de advertência ocorrerá nesta quarta-feira, dia 12, e na quinta-feira, dia 13. No dia 12, serão realizadas visitas às es- colas e atividades nas regio- nais com assembleias locais. Segundo o Sepe-RJ, os pro- fessores da rede municipal de ensino do Rio encontram-se em estado de greve. Na quinta, dia 13, uma assembleia marca- da para as 9h na quadra da

Escola de Samba São Clemen- te, no Centro, pode decidir por uma paralisação por tempo in- determinado. Entre as principais reivindi- cações que fazem parte da pauta do Sepe-RJ para os pro- fissionais da rede municipal de ensino está a concessão de re- ajuste salarial de 13%. Além disso, sindicato pede a volta do pagamento do salário até o 2º dia útil do mês (Crivella mudou o pagamento para o 5º útil) e a Implementação ime- diata do 1/3 da jornada de atividade extra-classe na rede. Também integram a pauta de

reivindicações os seguintes pon- tos: convocação imediata dos concursados; respeito à parida- de e integralidade de aposenta-

das,aposentadosepensionistas;

jornada de 30 horas das funcio- nárias e funcionários da educa- ção; correção da escolaridade e enquadramento dos agentes de

educação infantil no grupo do magistério do plano de carreira como professor; o fim das per- seguições políticas na Rede Municipal; e ações que fortale- çam a democracia nas escolas.

Serviço: Avenida Presidente Var- gas, 3102, Cidade Nova

e ações que fortale- çam a democracia nas escolas. Serviço: Avenida Presidente Var- gas, 3102, Cidade

ÁREA FEDERAL

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

5
5
Cláudia Barbosa* * Professora, mestre e doutora em Filosofia da Linguagem, além de consultora especialista
Cláudia Barbosa* * Professora, mestre e doutora em Filosofia da Linguagem, além de consultora especialista

Cláudia Barbosa*

* Professora, mestre e doutora em Filosofia da Linguagem, além de consultora especialista em aprovação em provas e concursos

Como começar a estudar para concurso público do zero

Estudar para um concurso público não é fácil, pois é necessário foco, concentração, disciplina, material adequado e a elaboração de um ótimo plano de estudos. Tempo é muito curto e é muito conteúdo para estudar se você quiser estar pronto para as provas. Revisar a matéria é algo indispensável, logo elaborar bons ma- pas mentais facilitará o processo. Os resumos anotados tomam muito tempo. Outra dica importante é estudar de maneira antecipada em re- lação aos concorrentes, pois isso lhe dará uma vantagem enor- me, uma vez que todo conteúdo, por mais extenso que seja, estará didaticamente armazenado em seu cérebro, bastando um olhar na matéria estudada para a memória responde ao estímulo. Não importa se consegue estudar apenas uma ou cinco horas ao dia, sempre acredite na qualidade do aprendizado. Defina uma meta. A definição clara dos seus objetivos na pre- paração será fundamental para uma motivação duradoura, já que uma pessoa está mais propensa a tomar a iniciativa quando sabe exatamente o que quer fazer. Portanto, tome um momento para colocar seus objetivos no papel, e seja o mais específico possível. Estabelecendo objetivos específicos, mensuráveis, possíveis e realistas, e determinando um prazo para cada um deles. Manten- do isso em mente, você poderia definir a meta de ler, fazer anota- ções e criar um guia de estudos para finalizar a análise de um de- terminado tópico em seu processo de estudo. Acrescente recompensas atrativas. Depois de definir suas me- tas, pense em recompensas que poderão incentivá-lo a estudar — isso funcionará melhor se os objetivos maiores forem divididos em etapas mais viáveis. Sempre que conseguir finalizar uma des- sas etapas, recompense-se com um mimo que estimule ainda mais sua motivação. Deixe tudo que você precisa para estudar por perto. Seus lápis, canetas, marcadores de texto e livros devem estar ao seu alcance para que você não se distraia no meio dos estudos. Organize o local, se necessário, para que a bagunça não afete sua concentra- ção. Não deve haver qualquer motivo para se levantar e interrom- per seu momento de concentração. Mesmo que você não saiba se vai precisar de um determinado item, deixe-o no seu “local de estudos”. Todos os cadernos, livros e papéis (como as anotações e ementas de estudo) devem estar por perto. Esse é um dos segredos para o sucesso. Use seu compu- tador somente se necessário. Se não for precisar dele, não o deixe por perto. Um último argumento importante é que ao estudar todas as matérias ao mesmo tempo podemos avançar de forma equilibra- da, também de forma a concluir todas as matérias do programa simultaneamente. É importante destacar que a cada revisão se conhece um novo conceito que ficou esquecido no momento an- terior devido a uma falta da contextualização, isso é fundamental.

Contato: Site: www.claudiabarbosa.com.br E-mail: edu.cbpletras@gmail.com Facebook:www.facebook.com/claudiaidiomaInstagram:https://www.instagram.com/ edu.cbpletras/ LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/claudiabarbosa

CCCCCONCORRÊNCIAONCORRÊNCIAONCORRÊNCIAONCORRÊNCIAONCORRÊNCIA | Inscritos nos próximos dias

Polícia Federal: liberada consulta a locais de prova

Os candidatos do concurso da Polícia Federal (PF) já po- dem consultar os locais em que

realizarão as provas objetiva e discursiva do concurso, marca- das para o próximo domingo, dia 16. As avaliações ocorre- rão em turnos diferentes, de acordo com o cargo.

copista farão as provas no turno da tarde, a partir das 14h, com cinco horas de duração. Já os can- didatos ao cargo de delegado re- alizarão a prova objetiva pela manhã, às 8h, e a discursiva à tar- de, às 15h, com quatro horas de duração cada. O resultado final da prova objetiva e o provisório

SSSSSOLICITOLICITOLICITOLICITOLICITAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃO | Pedido de concurso para 7.888 vagas está no Planejamento

INSS: aposentadorias devem se intenficar no início de 2019

Cerca de 16 mil servidores poderão deixar o INSS, segundo Fenasps

Dados da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhado- res em Saúde, Trabalho, Previ- dência e Assistência Social (Fe- nasps) apontam que, a partir de janeiro de 2019, quando está prevista a integralização de 100% da Gratificação de Desem- penho de Atividades do Seguro Social (GDASS), mais metade dos 32 mil servidores do Insti- tuto Nacional do Seguro Social (INSS) já estejam em condições de se aposentar. Nota técnica do INSS, encami- nhada ao Ministério do Planeja- mento, comprova a informação da Fenasps, que poderá levar a autarquia a um colapso. Dos 20.633 técnicos do seguro soci- al, 10.635 podem se aposentar a qualquer momento. No caso dos

analistas, dos 5.391 servidores,

921 têm condições de se aposen-

tar. Para peritos médicos, a situ-

ação não é diferente. No total, faltam 1.717 profissionais. Em virtude do grande número

de aposentadorias previstas, além da enorme carência de pessoal, torna-seurgenteaaberturadenovo concursoparaoINSS.Aautarquia

já encaminhou ao Ministério do

AGÊNCIA BRASIL
AGÊNCIA BRASIL

INSS tem urgência na contratação de novos servidores para suas agências

Planejamento um pedido para a

abertura de 7.888 vagas, sendo

3.984paratécnico(nívelmédio),

1.692 para analista (nível superi- or - áreas ainda serão informadas)

e perito (nível superior em Medi-

cina)

mitesburocráticostiverambastan-

te avanços, mas o governo ainda

nãoconfirmouseessaseleçãoserá

ou não autorizada este ano. Enquanto o presidente Mi- chel Temer mostra-se insensí- vel às necessidades do INSS, a autarquia paralisou seu plano de expansão de agências por não ter pessoal suficiente para alo- car nas unidades que seriam

abertas. Além disso, as que exis-

Nasúltimassemanas,ostrâ-

tem estão funcionando precari- amente, não dando conta das demandas do segurados. Em virtude disso, a Defenso- ria Pública da União (DPU)

ajuizou, na Justiça Federal, um pedido de tutela de urgência perante o INSS. O objetivo é atenuar as dificuldades no aten- dimento da população. Segundo a DPU, um dos fato- res para o mau atendimento é a falta de servidores do INSS em relação ao grande número de pessoas que vão à autarquia. A DPU chega a mencionar que o INSS Digital não resolve os pro- blemas do instituto, tendo em vista que grande parte do seu

público-alvoé“excluídodigital”.

O próprio Tribunal de Con-

tas da União (TCU) também já alertou o governo para um co- lapso no INSS, devido à falta de servidores. A expectativa é que

o presidente Michel Temer se

sensibilize com essa situação e

possa, ao menos, autorizar a

abertura do concurso este ano.

Se o atual governo não acolher

os apelos do INSS, acredita-se que

uma das prioridades do novo pre- sidente, que assumirá em janeiro,

será a convocação do concurso,

poisasituaçãosemostrainsusten-

tável. Várias agências do país in-

teiro estão trabalhando no limite

de pessoal, muitas delas correndo

o risco de serem fechadas.

No orçamento da União para 2019, o governo federal alocou um total de R$411 milhões (con- siderados um reserva de seguran- ça) para a realização de eventu- ais concursos que o novo presi- dente julgar necessários.

O prazo de validade do últi-

mo concurso do INSS, aberto em 2015, terminou em agosto deste ano, após ter sido prorro- gado. Agora, não há outra pos- sibilidade de contratação de pessoal que não seja por meio de uma nova seleção. Atualmente, as remunerações oferecidas para técnicos, analis- tas e peritos são de R$5.186,79, R$7.659,87 e R$12.683,79, res- pectivamente.

EEEEESCOLARIDADESCOLARIDADESCOLARIDADESCOLARIDADESCOLARIDADE | Níveis médio e superior

UFF : cronograma do concurso sairá em breve

O cronograma do concurso para cargos técnico-administra- tivos da Universidade Federal Fluminense (UFF) está em ela- boração e nos próximos dias

deverá ser anunciado pela Co- seac/UFF, organizadora da sele- ção. A previsão inicial é que o edital seja divulgado ainda nes-

te mês de setembro.

Um fator que será decisivo para a definição sobre quando será divulgado o edital do con- curso é a definição do número exato de vagas. O professor An- tonio Claudio de Nóbrega – que assumirá a reitoria da universi- dade em novembro – já adian-

tou que serão oferecidas cerca de

100 oportunidades para carrei-

ras dos níveis médio, médio/ técnico e superior. Por mais que o número de va- gas esteja em definição, o rei-

incluem o auxílio-alimentação de R$458.

VAGAS PARA NITERÓI E VÁRIAS OUTRAS CIDADES

O professor Antonio de Nó-

brega também afirmou que o concurso UFF terá vagas para

diversos campi da instituição de ensino. De acordo com ele,

a maior oferta será para Nite-

rói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Os campi de Nova Friburgo, Petrópolis,

Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras, Angra dos Reis, Volta Redonda e Santo Antô-

nio de Pádua também terão oportunidades. O número de vagas por lotação, entretanto, ainda não foi divulgado.

CCCCCRONOGRAMARONOGRAMARONOGRAMARONOGRAMARONOGRAMA | Recursos até esta terça, 11

TRT-RJ divulga resultado preliminar da discursiva

O organizador do concurso do Tribunal Regional do Tra- balho do Rio de Janeiro (TRT- RJ), o Instituto AOCP, divulgou na última quinta-feira, 6, o re- sultado preliminar da prova

discursiva, que ocorreu no mesmo dia da avaliação obje- tiva, em 10 de junho. A lista- gem pode ser conferida na FOLHA DIRIGIDA Online.

Além dos pontos de cada con- corrente, estão disponíveis para consulta os espelhos de corre- ção da avaliação. Quantoaoresultadodivulgado da prova discursiva, serão aceitos recursos até as 23h59 desta terça, dia 11. Vale lembrar que, na ava- liaçãodiscursiva,ocandidatodeve obter 15 pontos ou mais, do total

da prova, para não ser eliminado do concurso TRT-RJ. A próxima etapa será a apli- cação do exame físico, para os candidatos ao cargo de técni-

co de segurança. Realizarão essa avaliação os 200 aprovados na objetiva e no estudo de caso (prova discursiva).

As datas do resultado final da

discursiva e dos exames fisicos

ainda serão informados pelo

Instituto AOCP. O concurso para o TRT-RJ oferece 16 vagas mais formação de cadastro de reserva nos cargos de técnico

e analista judiciários

SERVIÇO Resultado: www.folhadirigida.com.br Recursos: www.institutoaocp.org.br/

A expectativa é que, além de O candidato deverá, obriga- toriamente, acessar o site do
A
expectativa é que, além de
O
candidato deverá, obriga-
toriamente, acessar o site do Ce-
braspe (antigo Cespe/UnB), or-
ganizador do concurso, para ve-
rificar o seu local de realização
das provas, por meio de consul-
ta individual. Ainda nesta se-
mana, deverá sair o número de
inscritos na seleção.
da discursiva serão divulgados no
dia 10 de outubro, pelo Cebras-
pe, conforme a retificação do cro-
nograma inicial do concurso.
Além das provas objetiva e
discursiva, os candidatos às va-
gas da PF serão avaliados por
meio de: exame de aptidão fí-
sica, prova prática de digitação,
avaliação médica, avaliação psi-
cológica e prova de títulos, que
ocorrerão em todas as capitais,
além do Distrito Federal.
O resultado final da prova
discursiva e a convocação
para o exame de aptidão fí-
sica serão publicados na data
provável de 26 de outubro.
De acordo com a Polícia Fe-
deral, o exame de aptidão
física será realizado nas da-
tas prováveis de 2, 3 e 4 de
novembro deste ano.
tor eleito da UFF já adiantou que
assistente em administração, o
concurso da UFF contemple os
a
maior parte das vagas será
para assistente em Administra-
cargos de técnicos de laborató-
rio, técnico em contabilidade,
ção. As informações foram pas-
sadas em entrevista concedida
técnico em enfermagem e téc-
nico em edificações, adminis-
à
FOLHA DIRIGIDA, realizada
no dia 12 de julho. O cargo de
assistente em administração
tem como pré-requisitos o en-
trador, assistente social, enfer-
meiro, engenheiro, jornalista
psicólogo.
Ainda que a data para publi-
cação do concurso para a UFF
esteja em discussão, a Coseac já
informou à FOLHA DIRIGIDA
que as provas objetivas serão re-
alizadas apenas em março ou
abril de 2019. Com isso, os in-
teressados na seleção para área
de apoio da universidade já po-
dem planejar seus estudos. O
reitor também recomendou, na
entrevista que concedeu à FO-
LHA DIRIGIDA, que os candi-
e
As
provas, que têm caráter eli-
minatório e classificatório, se-
rão a primeira etapa do concur-
so para a Polícia Federal. Haverá
locais de realização em todas as
26 capitais do país, além do Dis-
trito Federal. A parte objetiva
trará 120 questões, distribuídas
por disciplinas de Conhecimen-
tos Gerais e Específicos. Com ex-
ceção dos inscritos para delega-
do, os demais produzirão um
texto dissertativo como prova
discursiva. Para o delegado, se-
rão cobradas três questões dis-
sertativas.
Os concorrentes aos cargos de
perito, agente, escrivão e papilos-
sino médio completo, além de
experiência de um ano na área
administrativa - UFF ainda es-
tuda se esta última exigência
constará no edital.
Um dos principais atrativos de
ser servidor da UFF é a remune-
ração bruta inicial. Os ganhos
são de R$2.904,96 para os car-
gos que exigem nível médio ou
médio/técnico e de R$4.638,66
para os que têm como requisi-
SERVIÇO
Locais de prova: www.cespe.unb.br/
to
o ensino superior, em ambos
concursos/pf_18/
os casos, para jornada de 40
horas semanais. Tais valores já
datos comecem a preparação
com base no conteúdo progra-
mático do último concurso.
semanais. Tais valores já datos comecem a preparação com base no conteúdo progra- mático do último
6
6

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

GERAL

editorial

Lamentável!

D as duas uma: ou estamos no fundo do poço ou estamos num poço sem fundo. É lamentável! Os números divul-

gados pelo Ministério da Educação sobre a falta de conheci-

mentos mínimos dos estudantes brasileiros a respeito de ope- rações básicas e elementares da Matemática e da dificuldade na língua pátria, o bom Português, inclusive na questão da inter- pretação e do entendimento do que está sendo lido, são lasti- máveis. E não dá para ficar culpando o aluno. Ele é a maior vítima.

E os professores? Infelizmente - estamos falando de um país

continental -, alguns deles não têm o preparo adequado. Há casos, inclusive, de vários que colocam na pauta, como se ti- vesse sido ensinado, um tópico da matéria que não foi dado, simplesmente porque eles não sabem abordar aquele tópico. Mas vai constar como se aquele conteúdo tivesse sido dado. E

o aluno segue o curso sem saber da matéria. Mas não dá para culpar o professor. Ele é o elo mais fraco dessa corrente. Ele já foi aluno e também não teve a devida formação. O salário é aviltante, ridículo, inaceitável. Então, com parcos recursos, não tem como fazer um aperfeiçoamen- to, uma atualização, enfim, uma formação continuada. E o

que fazem as autoridades “competentes” para amenizar o pro- blema? Nada, absolutamente nada. Só mesmo discursos.

E o que, governo após governo, é feito para corrigir essas

distorções? Quando teremos educação de qualidade para to-

dos? Quando teremos escolas em tempo integral? E quais são

as

condições das nossas escolas? O que elas oferecem de novo,

de

motivador que prenda o aluno? Quantas de nossas escolas

oferecem atividades extracurriculares que fomentem no aluno

a vontade de aprender? Quantas dispõem de computadores,

têm acesso à Internet, biblioteca? Parece luxo? Quantas têm uma quadra de esportes - um simples espaço para uma prática desportiva -, merenda de qualidade, mobiliário e banheiros em condições?

A todo instante tomamos conhecimento de dependências

escolares - e, mais uma vez, é preciso frisar que estamos falando

de um país de dimensões continentais - que não têm a menor

condição de oferecer respeito e dignidade ao aluno. E isso começa

com o transporte escolar. Faltam carteiras, refrigeração ade- quada, isolamento acústico, bebedouro e até água. Em várias

escolas,principalmentenaslocalidadesmaisafastadasdascapitais,

alunos e professores são obrigados a conviver com condições insalubres. Uma vergonha! E, aí, nos pegamos analisando números, índices negativos.

O que podem fazer professores e alunos se os principais res-

ponsáveis por esse caos não fazem nada, absolutamente nada - tirando os discursos de campanha -, para solucionar esses problemas? De ambas as partes é preciso mais disposição, mais criatividade, porque o futuro do País depende do sucesso desse processo. O que nós, população, podemos fazer? Podemos dar o pontapé inicial do jogo que começa no próximo dia 7

de outubro, primeiro dia das eleições. Então, na hora de votar,

faça a sua parte. Você pode!

colunista convidado

A meditação e os concursos públicos

Jorge Carrano *

Os jovens do nosso tempo são obrigados a tomar decisões im- portantes muito cedo. Não é fácil decidir que profissão supostamente deverá se- guir pelo resto da vida. E não é raro, depois de um ou dois anos de curso,

o estudante se dar con-

ta de que não era o que

imaginava. Mas, além da dúvida natural, há outra exigência: passar numa prova para concurso ou Enem. São meses de estudo e dedicação, em muitos casos abandonando a vida social, os amigos, a praia, cinema e até a(o) namorada(o). Claro, é uma fase. É o que os pais e amigos dizem. E é verdade. Só que a frustração de não passar é igualmente proporcional ao tempo dedicado ao estudo. E só resta recomeçar, estudar mais, e tentar de novo no ano seguinte. Há vários aprendizados que podemos tirar dessa situação. O primeiro é que não apenas o tempo de estudo é uma fase. Toda a

vida é uma sucessão de fases, pois depois de passar na prova, outras fases começam: a de profissional no início de carreira, depois a de profissional mais experiente, de gestor de equipe e por aí vai.

E uma coisa que muitos não se atentam é para um aspecto que

não tem nada a ver com o estudar em si. Trata-se da forma como você se comporta na hora da prova. Muitas vezes, os alunos estão em uma sala cheia de “concorrentes”, em uma prova exaustiva que dura várias horas e esgota mentalmente e fisicamente os alunos. Mas o maior concorrente não está na mesa ao lado. Está do lado de dentro. Na sua própria mente. Isso porque é muito co- mum os alunos estudarem o ano inteiro, dedicarem-se com vontade e na hora da prova “dar um branco”. Ou bater um pâni- co quando você lê uma questão depois da outra e não tem ideia de como vai responder. O pior é quando você lembra que estu- dou a matéria, sabe a resposta, mas ela simplesmente desapare- ce da sua memória. Nessas situações, há um aliado mais poderoso do que as horas adicionais de estudo: a meditação. Sim, a meditação, se pratica- da como um hábito rotineiro é uma ferramenta poderosa para que você tenha a serenidade necessária para enfrentar a prova. Vamos dar três motivos:

• CONCENTRAÇÃO: a meditação treina nossa mente para ser

mais focada, e isso é indispensável quando fazemos uma prova

com tempo para concluir. Manter a mente objetiva na questão da vez, sem perder-se no medo do que tem pela frente.

• CALMA: a meditação nos acalma. Principalmente quando pra-

ticada em conjunto com alguns exercícios respiratórios, nossa

mente tende a ficar mais quieta, o batimento cardíaco diminui

a absorção do oxigênio fica mais eficiente. Lembre-se, a ansi- edade é péssima conselheira. Portanto, calma é fundamental.

e

• MATURIDADE: a meditação desenvolve maturidade para a

mente. Voltamos àquele ponto de “ser uma fase”. No fundo, você sabe (porque é verdade) que o mundo não vai acabar se não con- seguir ser aprovado. E isso te dá uma segurança. Achamos que segurança é estar certo do sucesso. Na verdade, nada nos dá mais segurança do que não ter medo do fracasso. Não é passar ou não que definirá quem você é, mas sim a for- ma como você reage ao resultado. Portanto, estude, medite, te- nha confiança e autoestima, e boa sorte!

* Jorge Carrano é publicitário e idealizador e coordenador do espaço de Yoga e Meditação Dharma Bhûmi (em Niterói). Site: www.dharmabhumi.com.br E-mail: dharmabhumi@globo.com

Site: www.dharmabhumi.com.br E-mail: dharmabhumi@globo.com PPPPP

PPPPPREPREPREPREPREPARAARAARAARAARATIVTIVTIVTIVTIVOSOSOSOSOS | Coordenação da PRF levanta e analisa informações das bancas

PRF: corporação diz que analisa as propostas das organizadoras

Concurso terá oferta de 500 vagas para policial rodoviário. Iniciais de R$9.931

A divulgação do edital do con- curso para a Polícia Rodoviária Federal (PRF) depende apenas da escolha da organizadora. Na última segunda-feira, 10, a cor- poração confirmou à reporta- gem de FOLHA DIRIGIDA que a comissão analisa as propostas das instituições interessadas e, em breve, definirá a banca que aplicará as provas. A Divisão de Concursos da PRF não quis precisar uma data de quando anunciará a organi- zadora. Esta fase, segundo a cor- poração, é de levantamento e análise das bancas interessadas. Perguntado sobre quais seriam as instituições que encaminharam propostas, o setor responsável pela seleção não especificou. Vale lembrar que em maio a PRF informou que Cebraspe e Iades estavam entre os interes- sados pela organização do con- curso. Na época, apenas três con- correriam (a terceira instituição não foi divulgada na época). No entanto, após a repercussão,

mais organizadoras surgiram na disputa. A PRF não deu detalhes sobre a modalidade a ser esco- lhida para a contratação da ban- ca organizadora, mas possivel- mente adotará dispensa de lici- tação. Assim que acontecer a de- finição, o nome da escolhida será publicada no Diário Ofici- al da União. Em seguida sairá o extrato do contrato, oficializan- do a escolha. Outra informação passada pela corporação nesta segun- da, dia 10, é que o edital do con- curso poderá sofrer um novo atraso. A princípio, ele sairia em setembro, mas é possível que fique para outubro. Isso porque, embora a comissão trabalhe com agilidade, o pro- cesso de escolha da banca não deve ser concluído nos próxi- mos dias. De acordo com a PRF, a con- clusão de todo o trâmite ainda deve demorar um pouco mais, pois não depende apenas da cor- poração. Após a conclusão das análises e escolha da melhor banca, o processo passará pela Consultoria Jurídica do Minis- tério da Justiça. Mesmo sem confirmar prazos de publicação do edital, a corporação estima que todo o processo deve demo-

rar de 20 a 30 dias, por isso a divulgação deverá ficar para ou- tubro. A expectativa era a divul- gação das regras em setembro, conforme o próprio ministro da Segurança Pública, Raul Jung- mann, havia informado à FO- LHA DIRIGIDA.

PARA SINPRF-RJ, NÃO HÁ RAZÕES PARA UM NOVO ATRASO

Na última quarta-feira, 5, a reportagem de FOLHA DIRIGI- DA entrevistou com o o dire- tor jurídico do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado do Rio de Janeiro (SinPRF-RJ), Márcio Luiz, so- bre a expectativa pela divulga- ção do edital do próximo con- curso público. O representante

da categoria ressaltou a impor- tância do edital ser publicado dentro da previsão atual (se- tembro) e disse ainda que todo

o sistema sindical, junto com

a FenaPRF, apoiam esse prazo,

tendo em vista a necessidade de recompor o efetivo. De acordo com o sindicalis- ta, não há mais motivos que justifiquem um novo atraso na divulgação desse edital. Segun- do ele, quando as primeiras pre- visões não se concretizaram o

motivo foi a luta pelo aumento do número de vagas. Isso, no entanto, já não é mais justifica- tiva, uma vez que a portaria con- firmando as 500 oportunidades já foi publicada. No início do mês, a reporta- gem de FOLHA DIRIGIDA falou também com o assessor do di- retor-geral da Polícia Rodoviá- ria Federal, Renato Dias. O re- presentante do chefe da corpo- raçãodissequeoeditalaindaestá sendo preparado e a escolha da banca organizadora ainda en- contra-se em andamento.

O concurso para a PRF será

uma ótima oportunidade para candidatos com ensino supe- rior completo em qualquer área de formação. Homens e mulheres podem concorrer e,

além da exigência de escolari- dade, é preciso ter carteira nacional de habilitação, na categoria B ou superior.

A remuneração inicial do

cargo é um dos principais atra- tivos de ser um policial rodo- viário federal. Aqueles que con- quistarem uma das 500 vagas que serão ofertadas terão gan- hos iniciais de R$9.931,57 mensais. Os valores já inclu- em o auxílio-alimentação, que atualmente é de R$458.

em o auxílio-alimentação, que atualmente é de R$458. casos de sucesso A história de um alagoano

casos de sucesso

A história de um alagoano que estudou, se preparou e, no final, escolheu onde trabalhar

RENATO DECCACHE renato.deccache@folhadirigida.com.br

O alagoano Adriel Gael trabalha atualmente em um dos órgãos mais desejados por quem deseja ser servidor. Técnico do Ministério Pú-

blico da União (MPU), que realiza novo con- curso para este cargo e também para analista de Direito, tem uma trajetória que é uma verda- deira lição para quem deseja trabalhar nesse ou em qualquer outro órgão do Executivo, Legis- lativo ou Judiciário. Adriel começou a se preparar para concursos públicos em 2010. Com disciplina e planeja- mento nos estudos, os resultados começaram a chegar dois anos depois. Em 2012, ele passou para as seleções do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) e da Câmara Muni- cipal de Guarulhos, onde tomou posse, já que, nessa época, ele morava em São Paulo. Três meses depois, no entanto, foi convoca- do para ocupar uma vaga de técnico do MPU, cargo que ocupa até hoje. “E quando eu já esta- va no MPU, o Ministério do Desenvolvimento

e Comércio Exterior (Mdic) - hoje denomina-

do Ministério da Indústria, Comércio Exterior

e Serviços - me chamou para um concurso que

eu tinha prestado em 2012. Abri mão e conti- nuei no MPU, que é onde eu queria estar e onde eu pretendo continuar”, relembra. Osucessoemváriosconcursosnãofoiporacaso. Isso geralmente acontece com quem tem foco na hora de se preparar e consegue fazer do estudo para cada seleção um meio de fortalecer uma base de conhecimentos que deixará o candidato ain-

da mais pronto para as seleções seguintes. “Cos- tumo dizer que o concurseiro não estuda para um único concurso”, ressalta. A explicação é sim- ples: por mais que haja diferenças entre bancas

e, em menor grau, entre programas, muitos con-

teúdos são comuns, principalmente nas matéri-

as presentes com maior frequência em seleções públicas, como Português, Direito Administra- tivo e Direito Constitucional. “Quando saiu o edital do MPU, por exem-

plo, eu estava estudando para outros concursos.

Vi o edital e identifiquei o que eu não sabia ainda,

o que eu poderia focar”, destaca Ariel, ressaltando

que, na época, decidiu priorizar os assuntos com os quais não teve muito contato ao longo de

sua trajetória de concurseiro, até então. “Por exemplo, Di- reito Constitucional, isso eu já vinha estudando há bastan- te tempo, assim como Portu- guês. Então, deixei de lado e

priorizeiconteúdoscomoAd-

ministração de Materiais, Ar-

quivologia, legislação Aplica- da ao MPU, entre outras.” Adiel Gael trabalha há cin-

coanosnoMPU.Boapartedes-

se período ele atuou em Cu- ritiba, onde teve a oportuni- dade de trabalhar com procu- radores que fazem parte da

equipe da Operação Lava Jato. “Fiquei três anos. Foi um pe- ríodo muito gostoso, em que aprendi muito”, diz que, con-

seguiutransferênciaparaoMi-

nistério Público Federal (MPF), um dos ramos do MPU, do Rio de Janeiro, onde atualmente está lotado. Essa possibilidade de mudança, por sinal, é um dos pontos que ele considera mais positivos na instituição e que certamente atrai muitos participantes para os concursos do MPU. “O órgão é muito grande e por ter lotações em vários estados, há possibilidade de morar em vários lugares.” O técnico destaca também como atrativo a ótima remuneração (atualmente é de R$7.772,80, já incluído aí o auxílio-alimenta- ção de R$910,08) e os benefícios, entre os quais estão o vale alimentação, o auxílio creche, um plano de carreira que tem treze níveis e a jorna- da diária de trabalho de sete horas. “Além dis- so, o MPU é muito dinâmico, tem ótima infra- estrutura de equipamentos, de computadores; tudo muito novo, não tem nada caindo aos pedaços. Costumo dizer que sou um Adriel antes que entrei no MPU e um depois”, lembra. Adriel Gael trabalha no gabinete de um dos membros do MPF-RJ. O setor em que foi aloca- do não poderia ter sido melhor escolhido, pois ele pode lidar com atividades que trazem a ele muita satisfação, como produzir textos, minu- tar portaria, ofício, memorando, o contato di- reto com procuradores. Segundo o técnico, há

DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Adriel Gael, técnico do Minisério Público da União: ‘Costumo dizer que o concurseiro não estuda para um único concurso’

várias possibilidades de inserção na rotina do órgão, como a de Gestão de Pessoas, a que cui- da dos planos de saúde, a de protocolo, entre outras. E, em geral, a escolha de onde o novo servidor será alocado é feita considerando a área com a qual ele tenha mais afinidade. “Eles ou- vem o servidor recém-contratado e para tentar colocá-lo onde ele pode querer ficar.” Com o intuito de ajudar outros que, assim como ele há cerca de oito anos, pretendem con- quistar uma vaga no serviço público, em espe- cial no MPU, o técnico criou o canal Para Todos Adriel Gael, no Youtube. Inici- almente, o objetivo era falar de política, mas um vídeo sobre o órgão em que trabalhava fez tanto sucesso entre os internautas que ele voltou suas atenções para o público concur- seiro. E deu certo. “Estamos com quase 20 mil inscritos. às vezes vou dormir as duas horas da manhã tirando dúvidas do pessoal do Ins- tagram”, comenta. Ariel já tem novos objetivos a perseguir. Es- tudante de Direito, ele pretende fazer concur- sos para analista e, até mesmo, para o cargo de procurador. Aos milhares que tentarão, esse ano, fazer parte dos quadros do MPU, o técnico dei- xa um recado: “se esse é seu sonho, siga em frente, não desanime.”

Se você também conquistou sua vaga no serviço público e é um exemplo de superação, envie seus contatos para o e-mail casosdesucesso@folhadirigida. com.br. Em breve, sua história poderá ser contada nesta coluna

FOLHA DIRIGIDA

DESDE1985

Rua do Riachuelo, 114 - Centro- Rio de Janeiro - RJ - CEP 20.230-014 ISSN 1980-3893

PresidentePresidentePresidentePresidentePresidente

ADOLFO

MARTINS

ViceViceViceViceVice PresidentPresidentPresidentPresidentPresidenteeeee MARIZETE RIBEIRO CASTANHEIRA

DiretorDiretorDiretorDiretorDiretor dedededede RedaçãoRedaçãoRedaçãoRedaçãoRedação LUIZ FERNANDO CALDEIRA

DiretoraDiretoraDiretoraDiretoraDiretora

Contábil/FinanceiraContábil/FinanceiraContábil/FinanceiraContábil/FinanceiraContábil/Financeira

LÚCIA

HELENA

DE

OLIVEIRA

EditoriaEditoriaEditoriaEditoriaEditoria

dedededede

EducaçãoEducaçãoEducaçãoEducaçãoEducação

DÉBORA

THOMÉ

GerenteGerenteGerenteGerenteGerente

IndustrialIndustrialIndustrialIndustrialIndustrial

CRISTIANO

FORTI

CirculaçãoCirculaçãoCirculaçãoCirculaçãoCirculação EDUARDO LOPES

Carga tributária federal aproximada de 20%

www.folhadirigida.com.br

FFFFFOLHAOLHAOLHAOLHAOLHA

DDDDDIRIGIDAIRIGIDAIRIGIDAIRIGIDAIRIGIDA

OOOOONLINENLINENLINENLINENLINE

www.folhadirigida.com.br/assine

RRRRREDAÇÃOEDAÇÃOEDAÇÃOEDAÇÃOEDAÇÃO

TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 21-3233-6200 |

3233-6201|3233-6202

E-mail:E-mail:E-mail:E-mail:E-mail: atendimento@folhadirigida.com.br

PPPPPUBLICIDADEUBLICIDADEUBLICIDADEUBLICIDADEUBLICIDADE

TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 21-3233-6307

E-mail:E-mail:E-mail:E-mail:E-mail: publicidade.rj@folhadirigida.com.br

OOOOOUTROSUTROSUTROSUTROSUTROS

TTTTTELEFONESELEFONESELEFONESELEFONESELEFONES

ObrasObrasObrasObrasObras gráfgráfgráfgráfgráficasicasicasicasicas ----- TTTTTel.:el.:el.:el.:el.:

21-3233-6363

AAAAAdministraçãodministraçãodministraçãodministraçãodministração ----- TTTTTel.:el.:el.:el.:el.:

21-3233-6246

CirCirCirCirCirculaçãoculaçãoculaçãoculaçãoculação - TTTTTel.:el.:el.:el.:el.:

21-3233-6240 e

3233-6237

CCCCCLASSIFICADOSLASSIFICADOSLASSIFICADOSLASSIFICADOSLASSIFICADOS

TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 21-3233-6343

AtendimentoAtendimentoAtendimentoAtendimentoAtendimento

De segunda a sexta: das 9h às 19 horas

AAAAATENDIMENTTENDIMENTTENDIMENTTENDIMENTTENDIMENTOOOOO/A/A/A/A/ASSINASSINASSINASSINASSINATURASTURASTURASTURASTURAS

-----

FFFFFOLHAOLHAOLHAOLHAOLHA

DIRIGIDADIRIGIDADIRIGIDADIRIGIDADIRIGIDA

TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 21-3500-6645 De segunda a sexta: das 8h às 19 horas

ONLINEONLINEONLINEONLINEONLINE

SSSSSUCURSAISUCURSAISUCURSAISUCURSAISUCURSAIS

SãoSãoSãoSãoSão

Rua Barão de Itapetininga, 151 - Térreo CepCepCepCepCep ::::: 01042-001 - SÃO PAULO-SP

TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 11 3123-2222 FaxFaxFaxFaxFax ::::: 11 3129-9095

PauloPauloPauloPauloPaulo

RepresentanteRepresentanteRepresentanteRepresentanteRepresentante

CPM Consultoria Planejamento Midia Ltda. ( marcio@marketingcpm.com.br ) * TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 55-

613034.7448-SHNQuadra2-15ºandar-salas

1514 e 1515 *Executive Office Tower - Brasília - DF - CEP 70702-905

ememememem

Brasília:Brasília:Brasília:Brasília:Brasília:

DDDDDISTRIBUIÇÃOISTRIBUIÇÃOISTRIBUIÇÃOISTRIBUIÇÃOISTRIBUIÇÃO

RioRioRioRioRio dedededede JaneiroJaneiroJaneiroJaneiroJaneiro Distribuidora Dirigida Rua Riachuelo, 114 - Centro CepCepCepCepCep.:.:.:.:.: 20.230-014 TTTTTel.:el.:el.:el.:el.: 21-3233-6238

ÁREA FEDERAL

FOLHA DIRIGIDA

11 a 17 de setembro de 2018

7
7

EEEEEMPRESAMPRESAMPRESAMPRESAMPRESA DDDDDAAAAA PPPPPETRETRETRETRETROBRÁSOBRÁSOBRÁSOBRÁSOBRÁS | No Estado do RJ, Liquigás oferece 105 vagas (sete imediatas e 98 em cadastro) em cargos de 1º, 2º e 3º graus

Liquigás abre concurso para 1.275 vagas

Inscrições têm início nesta terça, 11, pelo site da Fundação Cesgranrio

Empresa subsidiária da Petro- brás, a Liquigás abriu novo con- curso. Desta vez, são oferecidas 1.275 vagas em cargos dos ní- veis fundamental, médio, mé- dio/técnico e superior. Deste total, 74 são imediatas e 1.201 em cadastro de reserva, para serem preenchidas durante o prazo de validade da seeção, de seis meses, podendo dobrar. Os vencimentos iniciais variam de R$1.321,09 a R$6.309,26. As inscrições começam nesta ter-

ça-feira, dia 11. Para o Estado do Rio de Ja- neiro são oferecidas, inicial- mente, 105 vagas em cargos dos níveis fundamental, mé- dio e superior, sendo sete ime- diatas e 98 em cadastro de re- serva. As oportunidades estão distribuídas pela capital, Du- que de Caxias e Macaé (veja distribuição na tabela abaixo). O Estado do Rio de Janeiro conta com vagas para as funções de ajudante de carga e descarga (nível fundamental; R$1.321,09), oficial de produção (nível funda- mental; R$1.691,10), assistente de logísitica (nível médio; R$1.961,14), operador de gás (nível médio e curso de Treina- mento de Segurança na Operação

Quadro de requisitos e remunerações

 

CARGO DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO

CARGO: AJUDANTE DE CARGA/DESCARGA I

Requisito: certificado de conclusão ou diploma expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação comprovando a conclusão do 5º ano do Ensino Fundamental

-

(correspondente à 4ª série do 1º grau ou conclusão do antigo primário).

Remuneração: salário básico de R$ 1.321,09

 

CARGO DE NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

CARGO: OFICIAL DE PRODUÇÃO I

Requisito: certificado de conclusão ou diploma de curso de Ensino Fundamental completo (antigo 1º grau), expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Remuneração: salário básico de R$ 1.691,10

 

CARGOS DE NÍVEL MÉDIO

CARGO: AJUDANTE DE MOTORISTA GRANEL I

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação; certificado de conclusão de curso específico de Movimentação de Produtos Perigosos – MOPP e certificado de conclusão de Treinamento de Segurança na Operação de Unidade de Processo - curso NR-13.

Remuneração: salário básico de R$1.321,09.

CARGO: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO(A) I

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Remuneração: salário básico de R$ 1.866,66

CARGO: ASSISTENTE DE LOGÍSTICA I

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Remuneração: salário básico de R$ 1.961,14

CARGO: OFICIAL DE MANUTENÇÃO I - ELÉTRICA

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos

Estaduais de Educação, acrescido de curso profissionalizante em Elétrica, com carga horária mínima de 180 horas; certificado de conclusão de curso de Segurança em Instalações

Serviços em Eletricidade - curso NR-10 e certificado de conclusão de Treinamento de Segurança na Operação de Unidade de Processo - curso NR-13.

e

Remuneração: salário básico de R$ 1.733,36

CARGO: OFICIAL DE MANUTENÇÃO I - MECÂNICA

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação, acrescido de curso profissionalizante em Mecânica, com carga horária mínima de 180 horas; certificado de conclusão de Treinamento de Segurança na Operação de Unidade de Processo - curso NR-13 e Curso NR 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade.

Remuneração: salário básico de R$ 1.733,36

CARGO: OPERADOR(A) DE GÁS I

Requisito: certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação e certificado de conclusão de Treinamento de Segurança na Operação de Unidade de Processo - curso NR-13.

Salário básico: R$ 1.733,36

CARGO: TÉCNICO(A) DE INSTALAÇÕES I

Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Elétrica ou Mecatrônica ou Mecânica ou Edificações, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Carteira Nacional de Habilitação Categoria “B”; Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico. Disponibilidade para viagens.

Remuneração: salário básico de R$ 2.984,14.

CARGO: TÉCNICO(A) DE SEGURANÇA DO TRABALHO I

Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Segurança do Trabalho, ou de curso de nível médio acrescido de certificado de conclusão ou diploma de curso de Supervisor de Segurança do Trabalho, expedidos por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no Ministério do Trabalho e Emprego.

Remuneração: salário básico de R$ 2.510,41

 

CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

CARGO: PROFISSIONAL DE VENDAS - JÚNIOR

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior, bacharelado, em Administração, Ciências Contábeis, Economia ou Marketing, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselho Estaduais de Educação. Carteira Nacional de Habilitação (CNH), definitiva, no mínimo categoria B. Experiência mínima de 6 meses em atividades comerciais. Disponibilidade para viagens.

Remuneração: salário básico de R$ 3.583,26

OBS.: nos termos do Plano de Cargos e Salários vigente, o(a) Profissional de Vendas poderá receber comissão condicionada obrigatoriamente ao cumprimento de metas, conforme normas internas, vigentes.

De acordo com o Plano de Cargos e Salários e norma vigentes, o valor da comissão, desde que alcançadas as metas, pode variar de R$ 200,00 a R$ 2.726,00, podendo sofrer

a

qualquer tempo alteração nos termos do subitem 15.1 deste Edital.

CARGO: PROFISSIONAL JÚNIOR - COMUNICAÇÃO SOCIAL

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior em Jornalismo, ou em Propaganda, ou em Publicidade, ou em Relações Públicas, com essa ou equivalente denominação, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho.

Remuneração: salário básico de R$ 4.894,08

CARGO: PROFISSIONAL JÚNIOR - DIREITO

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior em Ciências Jurídicas, com essa ou equivalente denominação, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro na OAB.

Remuneração: salário básico de R$ 4.894,08

CARGO: PROFISSIONAL JÚNIOR - ECONOMIA

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, curso de graduação de nível superior, bacharelado, em Economia ou em Ciências Econômicas, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no CORECON.

Remuneração: salário básico de R$ 4.894,08

CARGO: PROFISSIONAL JÚNIOR - TI - ANÁLISE DE SISTEMAS

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior, bacharelado, em Computação e Informática, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação; ou certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior, tecnólogo, com carga horária mínima de 2.000 (duas mil) horas, em Análise de Sistemas, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Remuneração: salário básico de R$ 4.894,08

CARGO: PROFISSIONAL JÚNIOR - TI - ARQUITETO DE SOLUÇÕES

Requisitos: certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior, bacharelado, em Computação e Informática, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação; ou certificado de conclusão ou diploma, devidamente registrado, de curso de graduação de nível superior, tecnólogo, com carga horária mínima de 2.000 horas, em Administração de Banco de Dados, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho.

Remuneração: salário básico de R$ 4.894,08

de Unidade de Processo - NR13; R$1.733,36) e profissional de vendas júnior (nível superior; inicial de R$3.583,56, mas com gratificações pode chegar a

R$6.309,26).

A Liquigás oferece aos seus funcionários os seguintes bene- fícios: assistência médica para os empregados e seus depen- dentes legais; tíquete-refeição para quem trabalha nos escri- tórios comerciais fora das uni- dades operacionais (com refeitório)e na sede; vale-ali- mentação para compras em su- permercados; convênio farmá- cia; auxílio a dependentes com deficiência; auxílio-funeral; seguro de vida; auxílio-creche; adicional por tempo de servi-

ço; licença maternidade de 180 dias; e plano de previdência. As inscrições devem ser fei- tas, até 1º de outubro, no site da Fundação Cesgranrio, orga- nizadora. Após preencher o ca- dastro, é preciso imprimir o boleto e pagar a taxa, de R$37 para cargos de nível funda- mental, R$47 para os de nível médio e R$67 para os de ní- vel superior, em qualquer agência bancária e até o últi- mo dia do prazo. Quem for inscritos no CadÚ- nico (programa social do gover- no federal) e membros de famí- lia baixa renda poderão solici- tar isenção do valor da taxa. Os interessados terão de 11 a 18 de setembro para preencher o re-

querimento e enviar a documen- tação comprobatória, especifi- cada no edital, disponível para consulta gratuita na FOLHA DI- RIGIDA Online. Os candidatos serão avaliados por meio de provas objetivas, de caráter eliminatório e classifica- tório, no dia 18 de novembro. No Estado do Rio, os exames serão aplicados na capital ou Macaé. Para cargos do nível funda- mental, além do ajudante de motorista e operador serão co- bradas 30 questões de Conhe- cimentos Básicos, divididas por meio de várias disciplinas. Já os interessados nas demais carrei- ras de nível médio serão avali- ados com 40 questões, sendo 20 de Conhecimentos Básicos e

20 de Específicos. Já a prova dos candidatos de nível superior contarão com 60 perguntas, sen- do 40 de conteúdos específicos. Os concorrentes aos cargos de ajudante de carga e descarga e oficial de produção serão ava- liados, também, por meio de uma segunda etapa, que será o exame de capacidade física, so- mente para os classifcados na primeira fase. A etapa está pre- vista para acontecer nos dias 12 e 12 de janeiro. As contratações ocorrerão pelo regime celetista. Este é o segundo edital que a Liquigás divulga este ano.

SERVIÇO Edital: www.folhadirigida.com.br Inscrições: www.cesgranrio.org.br

Quadro de vagas

 

Nível Fundamental Incompleto

 
 

Ajudante de Carga e Descarga I

 

POLO DE TRABALHO

LOCALIDADE

CIDADES DE PROVA

 

VAGAS

   

CADASTRO ESPERADO

 

AC(1)

PPP(2)

PCD(3)

TOTAL

AC(1)

PPP(2)

PCD(3)

TOTAL

Minas Gerais - MG

Uberlândia

Belo Horizonte - MG

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

Paraná - PR

Araucária

Curitiba - PR

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

Ponta Grossa

Curitiba - PR

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

Pernambuco - PE

Ipojuca (Suape)

Recife - PE

 

1 0

0

   

1 10

37

 

3

50

Rio de Janeiro RJ

Duque de Caxias

Rio de Janeiro - RJ

 

1 0

0

   

18

1 5

 

2

25

 

Canoas

Porto Alegre - RS

 

1 0

0

   

18

1 5

 

2

25

Rio Grande do Sul - RS

Caxias do Sul

Porto Alegre - RS

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

Passo Fundo

Porto Alegre - RS

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

 

Pelotas

Porto Alegre - RS

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

 

Itajaí

Florianópolis - SC

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

Santa Catarina - SC

Joinville

Florianópolis - SC

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

São José

Florianópolis - SC

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

 

Barueri

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

26

1 7

 

2

35

Bauru

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

Mauá (Capuava)

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

18

1 5

 

2

25

São Paulo SP

Paulínia

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

18

1 5

 

2

25

Santos

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

São José dos Campos

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

1 3

11

 

1

15

São José do Rio Preto

São Paulo - SP

 

1 0

0

   

1 2

7

 

1

10

 

Nível Fundamental Completo

 
 

Oficial de Produção I

 

POLO DE TRABALHO

LOCALIDADE

CIDADES DE PROVA

 

VAGAS

   

CADASTRO ESPERADO

 

AC(1)

PPP(2)

PCD(3)

TOTAL

AC(1)

PPP(2)

PCD(3)

TOTAL

Bahia -BA

Mataripe

Salvador – BA

1

0

0

 

1 20

75

 

5

100

Ceará - CE

Fortaleza

Fortaleza - CE

1

0

0

 

26

1 7

 

2

35

Distrito Federal DF

Brasília

Brasília - DF

1

0

0

 

1 3

11

 

1

15

Goiás - GO

Goiânia

Goiânia - GO

1

0

0

 

26

1 7

 

2

35

Maranhão - MA

São Luís

São Luís - MA

1

0

0

 

1 10

37

 

3

50

Mato Grosso - MT

Cuiabá

Cuiabá - MT

1

0

0

 

18

1 5

 

2

25

Minas Gerais - MG

Betim

Belo Horizonte - MG

1

0

0

 

1 10

37

 

3

50

Uberlândia

Belo Horizonte - MG

1

0

0

 

1 3

11

 

1

15

Pará - PA

Belém

Belém - PA

1

0

0

 

26

1 7

 

2

35

Paraná - PR

Araucária

Curitiba - PR

1

0

0

 

26

1 7

 

2

35

Cascavel

Curitiba - PR

1

0

0

 

18

1 5

 

2

25

Pernambuco - PE

Ipojuca (Suape)

Recife - PE

1

0

0

 

1 9

33

 

3

45

 

Duque de Caxias

Rio de Janeiro - RJ

1

0

0

 

26

1 7

 

2

35

Rio de Janeiro - RJ

Macaé

Macaé - RJ e ou Rio de Janeiro - RJ

1

0

0

 

11

1 3

 

1

15

Rio Grande do Norte - RN

Natal

Natal - RN

1

0

0

 

1 3

11

 

1

15

 

Canoas

Porto Alegre - RS

1

0

0

 

1 9

33

 

3

45

Rio Grande do Sul - RS

Passo Fundo

Porto Alegre - RS

1

0

0

 

1 2

7

 

1

10

Pelotas

Porto Alegre - RS

1

0

0

 

1 3

11

 

1

15

 

Barueri

São Paulo - SP

1

0

0

 

18

1 5

 

2

25

São Paulo - SP

Mauá (Capuava)

São Paulo - SP

1

0

0

 

18

1 5

 

2

25

Paulínia