Você está na página 1de 11
 

Ergoespirometria

Princípios gerais, variáveis medidas e aplicações

Ergoespirometria Princípios gerais, variáveis medidas e aplicações Mauricio de Mello Martinho

Mauricio de Mello Martinho

Vantagem da medida de trocas gasosas durante teste de esforço

Importante prognóstico durante teste de esforço é a avaliação e quantificação do trabalho realizado .

Em humanos o gasto energético (kcal) tem comportamento similar ao consumo de oxigênio

Importância na avaliação do grau de incapacidade física.

Teste de esforço com medidas de trocas gasosas são utilizados desde o final da segunda guerra mundial.

Uso restrito pelo tempo consumido e técnicas empregadas.

Teste de esforço com medidas de trocas gasosas são utilizados desde o final da segunda guerra
Teste de esforço com medidas de trocas gasosas são utilizados desde o final da segunda guerra

Atualmente

Analisadores elétricos com tempo de resposta inferior substituíram os métodos químicos para análise de gases.

+

Desenvolvimento de sensores de fluxo

Atualmente Analisadores elétricos com tempo de resposta inferior substituíram os métodos químicos para análise de gases.

Análises em cada respiração

Medidas durante o teste e interpretações mais rápidas dos resultados

Aplicações

Determinar a fisiopatologia da limitação ao exercício

Avaliar a incapacidade física Determinar risco pré-cirúrgico

Individualizar a prescrição de exercícios em programas de reabilitação

Estimar potencial de sobrevivência em candidatos a transplante cardíaco

Determinar a eficácia de modalidades de tratamentos para doenças cardiovasculares e pulmonares.

Atividade física
Atividade
física
Atividade física Qualidade de vida Doenças cardiovasculares Doenças pulmonares Obesidade Hipertensão Limitação ao exercício
Qualidade de vida
Qualidade
de vida

Doenças cardiovasculares Doenças pulmonares Obesidade Hipertensão

Atividade física Qualidade de vida Doenças cardiovasculares Doenças pulmonares Obesidade Hipertensão Limitação ao exercício

Limitação ao exercício

Como avaliar um paciente que relata dispnéia ou alta fadigabilidade durante esforço físico?

Vantagens da avaliação durante o exercício

 

Deficiências funcionais cardiovasculares e respiratórias podem não ser detectadas por exames em repouso

 

O paciente consegue realizar o exercício no mesmo nível predito para um indivíduo normal com características físicas similares?

Se a capacidade de exercício está reduzida, qual é o motivo?

Análise de trocas gasosas VO 2 máx Anaeróbio VEmáx Limar
Análise de trocas gasosas
VO 2
máx
Anaeróbio
VEmáx
Limar
Uma alteração funcional em qualquer sistema será refletida em alterações na medida de trocas gasosas. Existem

Uma alteração funcional em qualquer sistema será refletida em alterações na medida de trocas gasosas.

Existem alterações específicas nas trocas gasosas que refletem desordem em um determinado sistema.

Base para interpretação de um teste de esforço cardiopulmonar

Base para interpretação de um teste de esforço cardiopulmonar

• A capacidade de realizar exercício está reduzida? • A demanda metabólica para o exercício está aumentada? • O exercício é limitado por redução de fluxo de O 2 ? • O exercício é limitado por capacidade ventilatória reduzida? • Existe uma relação anormal de ventilação- perfusão?

• A capacidade de realizar exercício está reduzida? • A demanda metabólica para o exercício está
Limitação cardiovascular 7

Limitação cardiovascular

Limitação cardiovascular
Limitação cardiovascular

Limitação Ventilatória

Limitação Ventilatória

Relação ventilação perfusão alterada

Relação ventilação perfusão alterada
Relação ventilação perfusão alterada
Relação ventilação perfusão alterada

Pouco esforço do avaliado

Pouco esforço do avaliado
Pouco esforço do avaliado
VENTILAÇÃO PULMONAR Exercício Progressivo . LAV 1 . VO 2 L / min V E L
VENTILAÇÃO PULMONAR
Exercício Progressivo
.
LAV 1
.
VO 2 L / min
V E
L / min
VENTILAÇÃO PULMONAR Exercício Progressivo LAV 2 . LAV 1 . VO 2 L / min ácido
VENTILAÇÃO PULMONAR
Exercício Progressivo
LAV 2
.
LAV 1
.
VO 2 L / min
ácido lático
C 3 H 6 O 3 + H 2 O
Na + + HCO 3 -
C 3 H 5 O 3 - + H +
lactato
CO 3
H 2 O + CO 2
H 2
bicarbonato
V E
L / min
VENTILAÇÃO PULMONAR Exercício Progressivo . V E max LAV 2 . LAV 1 . VO 2
VENTILAÇÃO PULMONAR
Exercício Progressivo
.
V
E max
LAV 2
.
LAV 1
.
VO 2 max
.
VO 2 L / min
C 3 H 6 O 3 + H 2 O
Na + + HCO 3 -
C 3 H 5 O 3 - + H +
ácido lático
lactato
CO 3
H 2 O + CO 2
H 2
bicarbonato
V E
L / min
VENTILAÇÃO PULMONAR Domínios de Intensidade de Exercício . 1 2 3 LAV 1 LAV 2 .
VENTILAÇÃO PULMONAR
Domínios de Intensidade de Exercício
.
1
2
3
LAV 1
LAV 2
.
VO 2 L / min
V E
L / min