Você está na página 1de 1

Brigadeiro

O brigadeiro, um dos doces mais famosos do Brasil, teve origem brasileira e a sua criação
resultou de circunstâncias bastante originais.
Em mil novecentos e cuarenta e cinco, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, o Brasil
estava em época de campanha para eleição de um novo presidente. O candidato Eduardo Gomes,
cuja patente militar era Brigadeiro, tinha enorme sucesso entre as mulheres, o que aliás era
comprovado pelo seu slogan da campanha que era “Vote no brigadeiro que é bonito e solteiro”.
Assim, as suas eleitoras mais devotas decidiram tentar promover a sua campanha
organizando festas para angariar fundos e para dar ainda mais visibilidade ao seu candidato.
Contrariamente a venderem o habitual merchandising eleitoral, decidiram elaborar um doce para ser
vendido nesses encontros. Havia no entanto um problema. Como se estava em tempo de pós guerra
havia imensa falta de leite fresco e de açúcar, o que complicava a tarefa de se fazer qualquer doce.
Assim, decidiram recorrer ao leite condensado, misturando-o com manteiga e chocolate.
Estava assim criado o que ficou na altura conhecido como “o doce do brigadeiro” e que era
vendido durante a campanha, tentando conquistar votos através do paladar do eleitorado. O doce foi
um sucesso, mas o candidato acabou por não ser eleito.
Durante a década de cinquenta o nome foi abreviado e o doce espalhou-se por todo o país,
sempre com uma excelente recepção.
Ingredientes
1 lata de leite condensado
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de manteiga
1 xícara (chá) de chocolate granulado
Modo de Preparo
Em uma panela, coloque o leite condensado com o chocolate em pó dois frades e a manteiga.
misture bem e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até desprender do fundo da panela (que
corresponde a cerca de dez minutos). retire do fogo, passe para um prato untado com manteiga e
deixe esfriar. Com as mãos untadas, enrole em bolinhas e passe-as no chocolate granulado. sirva em
forminhas de papel.

Telenovelas Brasileiras
A Telenovela, surgida no Brasil em mil novecentos e cincuentaum (Sua vida me pertenece),
consagrou-se ao longo do tempo como um dos produtos culturais mais importantes da televisão
nacional, a partir das décadas de 70 e de otenta ganham o “status de produto mais rentável da
indústria cultural brasileira”
Indútria cultural são empresas que trabalham com produção de novelas, seriados, filmes, programas,
revistas, músicas e etc. Originada do capitalismo, essa indústria visa o lucro transformando a cultura
num produto industrializado, tendo a televisão como o principal veículo difusor.
As telenovelas são muito utilizadas para movimentar essa indústria; bonecas baseadas em
personagens, cd's com a trilha sonora, roupas e adereços utilizados pelos personagens, entre outros,
viram moda e acabam movimentando cada vez mais o comércio. Telenovelas de maior sucesso são
exportadas para outros países, expandindo a cultura local e aumentando as riquezas das empresas.
Temas polêmicos como drogas, preconceitos, violência e ética são assuntos de interesse
público, e assim, quando retratados nas tramas televisivas, atingem grande parte dos
telespectadores, pois são semelhantes ao cotidiano do povo.
Assim, as telenovelas influenciam na padronização da vida das pessoas, como a maioria das
novelas da Globo que mostram uma vida urbana e moderna como o melhor modo de viver.
A Escrava Isaura, Pantanal, O Clone, Xica da Silva, Esperança (o Terra Speranza), Os dez
mandamentos, Avenida Brasil são telenovelas que eram populares no exterior, especialmente no
Chile.