Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

HISTOLOGIA BLOCO 3 DE BASES I: Transcrição aula 2: Sistema Respiratório

Julia Ximenes

No sistema respiratório, quais estruturas estão relacionadas com a passagem do ar? O ar vai entrar pela cavidade nasal, vai
atravessar a região da porção da cavidade em si, vai ser conduzido pela laringe, passa pela traqueia, da traqueia vem os brônquios
para então se dividir em pulmão direito e esquerdo. Oq acontece aqui nessa porção inicial que é de condução, que não é de
respiração propriamente dita, mas que envolve a passagem do ar? A voz (Que é uma função assessoria da condução)

Alem disso, tem outras funções assessoras à troca gasosa, como umedecer, filtrar esse ar e geralmente, aquecer o ar que esta
estrando para que fique na msm temp. dos órgãos internos. A filtração é uma barreira física, ou seja, evitar que alguns
microorganismos entrem quando a gnt faz a inspiração. Para isso a gnt tem umas estruturas especiais que falaremos mais para
frente. A manutenção do ar é para manter a temp do corpo

1. Fossas nasais, cavidade nasal, porção pequena da faringe que é comum, laringe, traqueia e brônquios. Brônquios principais
extra e intrapulmonares. Até a gnt chegar nos bronquíolos que são de menos calibre. Quando a gnt chega nessa região dos
bronquíolos, a gnt já ta falando da estrutura que vai acontecer a troca gasosa.
2. O pulmão é uma estrutura formada por várias estruturas de bronquíolos e de brônquios de maior calibre. Então quando a
gnt for falar dessas estruturas já estamos falando do pulmão.

Então logo na cavidade nasal a gnt tem a umidificação,


filtração e aquecimento do ar. Na cavidade nasal é dividido
em 3 porções: a gnt tem o vestíbulo (que é a abertura do
canal), e dps tem a parte envolvida com condução do ar e a
olfatória, que está associado a essa porção.

O vestíbulo nasal é uma região de pele. Então a primeira


dobrinha que temos logo na bordinha, ainda é pele delgada
não queratinizado. E nessa região a gnt vai encontrar os
folículos pilosos (importante para filtração) esses folículos
dentro da cavidade nasal são chamados de vibrissas são
chamados assim pq eles têm uma estrutura mais rígida do
que os pelos na pele. Eles tem capacidade de ficarem mais
eretos para poderem impedir sujeira e tal.. Ainda temos
órgãos anexos da pele associados a essa porção da cavidade
nasal. Tanto glândula sebácea quanto sudorípara. As
sebáceas produzem muco ou meleca. E a sudorípara é para
umedecer o ar que está entrando. Isso tudo no vestíbulo.

Na porção olfatória, a gnt tem neurônios bipolares


(receptores específicos) que identificam partículas olfatórias.
Independente do cheiro, a gnt ta falando de uma partícula
odorífera em um receptor específicos e será conduzido esse
sinal através de neurônios para o SNC e identificar o odor. Para
existir a estrutura de neurônio bipolar, tem outro conjunto de
célula que fazem parte do epitélio olfatório. A parte principal
é o neurônio, mas junto dele tem algumas células de
sustentação que vão manter o neurônio, e além dessas, tem
as células menores, que são as células basais. Então a região
olfatória, tem o epitélio olfatório, que é classificado como
neuroepitélio, colunar e pseudoestratificado. Ainda, acima do
epitélio, tem uma glândula que ta na porção chamada de
lâmina própria. Essa glândula é chamada de glândula de
bowman e o ducto dela atravessa o epitélio olfatório e libera
secreção na superfície que serve para ajudar a limpar as
partículas que não estão sendo ligadas aos receptores.
Resumindo as estruturas: epitélio olfatório,
pseudoestratificado cilindroco; tem uma lamina
propria que tem tec. Conjuntivo e gandula
serosa/Bowman e tem as fibras nervosas que
são os conjuntos dos neurônios bipolares que
irão pro SNC. Se olhar em cima, existem um
monte de cílios bem fininhos que ajudam a
movimentar as partículas. (famosa superfície
em escova-serve pra todas as questoes). Mais
perto do osso da concha nasal tem um conj de
neurônios bipolares, na parte mais rosinha
claro.

Oq acontece na lamina propria? Tem tec


conjuntivo, vasos sanguíneos, nervos, glândulas
serosas ou de bowman, e nessas porções de tec
conjuntivo eu posso ter células que produzem
anticorpos que serão lierados pelos ductos das
glândulas serosas. Então temos na porção de
proteção da cavidade nasal n so barreira física
mas tbm barreira imunológica que produzem
anticorpos e que ficam em solução na secreção
aquosa da glândula serosa que vai ser liberado
dentro da cavidade nasal. NOVAMENTE: essas
células pseudoestratificadas, conseguimos ver
o neuroepitélio direitinho, uma porçãozinha de
cílios das células de sustentação na superfície,
um conduto que ta abrindo aqui embaixo que
vem la de cima da glândula serosa que vai
liberar a secreção serosa e junto libera
moléculas de imunoglobulina que é produzida
na lamina própria!

Então ao longo do trato respiratório todo a gnt vai ter o


epitélio mais comum no trato respiratório todo, que é o
EPITELIO RESPIRATÓRIO e que tem essas características
aqui: ELE NÃO RESPIRA, PELAMOR NÉ, A TROCA GASOSA
ACONTECE NO PULMÃO.

Então, o epitélio respiratório está localizado AO LONGO do trato respiratório. É um epitélio colunar pseudoestratificado, ciliado; e
além dessas células, tem uma outra que é a célula caliciforme (que tem acúmulo de mucina, que é um tipo de lipídio, e quando vai
colar com HE, o tecido fica ou rosinha claro/roxo por fora e dentro ele fica claro). Então a gnt tem essas células que são as principais
do epitélio das células colunares ciliadas, essas células aqui que são bem presentes e abundantes que são as caliciformes, mas ainda
temos as células tronco que são células pequenininhas que vão se diferenciar em células ciliadas colunares ou caliciformes. E ainda
temos as células que tem bordas em escova que possuem vários receptores que identificam várias modificações de pressão,
temperatura, umidade do ar. ainda temos (pouco presentes e difícil de identificar) as células granulares neuroendócrinas que vão
liberar moléculas componentes que vão regular o sistema respiratório. Na traqueia eles são mais presentes, mas msm assim é difícil
de achar. TRANQUILO? FECHOU.

Então na cav nasal, vms ter tudo isso. Tanto a região do vestíbulo quanto o epitélio respiratório que começa na cav nasal e vai
continuar pra frente e aí chegamos na porção que é na LARINGE.

LARINGE: Temos uma estrutura que separa o aparelho


respiratório e digestório que é a EPIGLOTE. Feita de tecido
cartilaginoso elástico. Oq vai acontecer? A epiglote fecha a
glote, se tiver fechado, o bolo alimentar é conduzido para o
esôfago. Se não fechar totalmente a gnt vai engasgar. Caso se
engasgar n funcionar, haverá uma resposta inflamatória para
expulsar o liquido ou alimento. Se no caso, for em grande
quantidade, haverá um derrame. Pode ser derrame sanguíneo
ou outra coisa. Características histológicas da epiglote: dobra
de tecido revestida por um epitélio estratificado escamoso (de
revestimento tipo mucosa) mas que no centro é tecido
cartilaginoso elástico.

Logo abaixo da epiglote a gnt tem outras


dobras de tecido. Então logo abaixo tem uma
região de dobra cheio de epitélio glandular ja
na laringe. E outra região que não tem tantas
glândulas associadas. Essas primeira dobra é
de corda vocal falsa (vestibular) [tem
glândulas] e a segunda corda vocal verdadeira
(epitélio estratificado escamoso/pavimentoso)
[não tem glândulas] pq um ta relacionado a
emitir som? Pq tem esse epitélio estratificado
escamoso mas isso esta associado a uma
região de ligamento e de musculatura. Então
essa estrutura é mais estruturada da laringe.
Por isso quando o som passa por essa região,
faz esse tecido vibrar e a isso chamamos de
VOZ/SOM/FONAÇÃO. Se a gnt for olhar um
pouquinho mais em detalhe a gnt ve que essa
região da CVFalsa é a mucosa respiratória e a
CVVerdadeira é epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado que e o epitélio de revestimento de mucosa. Além do epitélio a
gnt encontra uma porção de ligamento e abaixo, vários feixes e tendões de musculo.

Quando o ar passa pela laringe, a gnt vai encontrar a TRAQUEIA


TRAQUEIA: tubo formado por 10 a 12 aneis cartilaginosos. A porção
anterior é o C de cartilagem e atrás é a abertura. As camadas da traqueia
tem uma porção de mucosa, submucosa e adventícia. A primeira regi~~ao é
a mucosa, no lumem que é formada por um epitélio respiratório (epitelio
pseudoestratificado colunar ciliado com células caliciformes) e abaixo desse
epitelio uma lamina propria (tec conjuntivo com vasos, fibras nervosas, e
varias fibras elasticasm que são estruturas bem organuzadinhas.), abaixo
dessa região temos a região submucosa (varias glândulas com característica
mucosa, serosa e mistas, vasos linfáticos, regiões de células linfoides de
resposta imunologica) abaixo disso, região adventícia, teci conjuntivo
fribroelastico, que vai terminar essa região desses anéis de cartilagem C com
essa musculatura.

Celula caliciforme aqui em cima, tec conjuntivo na


porção de lamina propria e dps glândula serosa ou
seromucosa que vai produzir uma secreção que esta
relacionada com remoção de partículas que entrou
na traqueia, e se tiver um acumulo de partícula
associado a um estreitamento do lumen da traqueia
a gnt vai tossir para expelir as partículas. E abaixo
dessa região glandular a cartilagem hialina. Então a
gnt tem região de transição de tec conjuntivo com o
inicio da cartilagem, que chama PERICONDRIO, que
é o limite da cartilagem e da cartilagem
propriamente dita

Terminando a traqueia, ela se divide em BRONQUIOS. Inicialmente broquios extrapulmonares (mais curtos) e intrapulmonares
(lobar e segmentar) no pulmão, que tem várias ramificaçõeszinhas:
<- Arvore brônquica: a medida que vou passando nessa arvore brônquica
algumas estruturas vão se modificando.

A primeira que a gnt vai ver é em relação com a estrutura cartilaginosa.

Os brônquios têm cartilagem, mas não esta na msm


organização que tem na traqueia. Se for observar, os
brônquios tbm tem camada mucosa, submucosa e camada
adventícia. No brônquio temos epitélio respiratório e as
regiões de cartilagem organizadas em placas, placas de
cartilagem hialina. E a medida que a gnt for entrando mais
nos brônquios, essa quantidade de cartilagem vai diminuir

<- No brônquio intrapulmonar eu vou ter


isso que ta no slide. Se eu for olhas as placas
de cartilagem hialina eu vou ter as placas
independentes
Dps esse segmento de brônquio que vem pra dentro do pulmão vai se modificando ate chegar na estrutura que chamamos de
bronquíolo, que tem menos espessura que um brônquio, e não tem cartilagem. Quanto mais adentrando o pulmão e quanto mais
se torna estreito, vai haver uma diminuição da placa cartilaginosa. Quando não houver mais placa cartilaginosa, chama-se de
bronquíolo. E vms dividir esses bronquíolo em terminal e respiratorio. O terminal é oq não tem mais cartilagem mas que não é a
região de troca gasosa em si. Ate um ponto que esse bronquíolo vai ser associado a oq chamamos de sacos alveolares ou alvéolos
pulmonares. La dentro do pulmão, que é onde vai
acontecer a troca gasosa. Então, o bronquiolo respiratório
é a região de troca gasosa, propriamente dita.

BRONQUIOLO: um epitélio recobrindo o lumen, 1mm de


diâmetro, abaixo dessa mucosa não tem cartilagem mas
tem musculatura lisa. Essa musculatura ta no tec
conjuntivo, que é a lamina propria. Da pra falar que logo
abaixo do epitélio tem região de camada muscular lisa.

DESCREVENDO O BRONQUIOLO: 1 camada de epitélio


cilidrico cubico simples, ciliado, com raras células
caliciformes. Começa a aparecer uma células de clara, que
estão relacionadas a proteção, detoxificação, regeneração
do epitélio e a produção de substancia surfactante
(mantem a tensão superficial) essas células são menos
coradas e aparecem ai no meio aí.

Se eu for olhar no HE essa célula tem essa característica de ser toda pontilhadinha. Quanto mais a gnt tiver no bronquíolo mais na
pontinha, mais a gnt ve celula de clara. Como elas produzem uma secreção fluida, a gnt tem mt REGranular E REAgranular e por isso
elas tem mts pontinhos nas células.

➔ Porção final: sacos alveolares ou alvéolos


pulmonares que onde vai acontecer as trocas gasosas. As
placas cartilaginosas desaparecem nos bronquíolos, já
nos alvéolos quem desaparece são as fibras musculares.
Eu fico só com as fibras em verde que são as fibras
elásticas. Então o tecido vai ficando com essa estrutura
de sustentação mais frouxa, mais tênue.
➔ Como é essa porção final que a gnt chama de ácino
pulmonar? Vem o ar por ali e vai chagar ate o saco
alveolar. No finalzinho o ar chega na porção de parede de
fundo arredondado e aqui vai acontecer a troca gasosa.
➔ Então eu tenho o bronquíolo terminal, que vai passar
bronquíolo respiratório e vai terminar numa paredezinha
que chamo de saco alveolar.

ENTÃO QUANDO EU OLHO ISSO NO PULMÃO, É DIFÍCIL DE IDENTIFICAR. ENTAO FAZ OQ? Observa as estruturas:
➔ Tem cartilagem? BRONQUIO
➔ Tem cartilagem em placas cada vez menores: to chagando no bronquíolo
➔ Tem musculo abaixo do epitélio? BRONQUIOLO
➔ Acabou o musculo? BRONQUIOLO RESPIRATORIO bem na beiradinha chegando no suco alveolar
➔ UMA COISA É CONTINUIDADE DA OUTRA
O sáculo alveolar é formado por uma estrutura que delimita o sáculo é formado por um epitélio simples, plano e um tec conjuntivo
froxo. Então se eu for organizar direitinho, eu tenho parede, parede, parede, e um espaço vazio.

E ao a gnt vai ver que uma parte da parede de um vai ser parte do outro alvéolo. Então entre esses sacos alveolares a gnt vai ter tec
conjuntivo que da o mínimo de sustentação e no tec conjuntivo, vários capilares que estão permitindo a passagem do sangue.

TROCA GASOSA: entre uma quantidade de ar ou um tipo de molécula que ta neste ar que veio nessa região do alvéolo (ou saculo) e
outro gas que ta vindo dentro do capilar sanguíneo. Entao a troca e entre o alvéolo e o capilar sanguíneo que ta na parede do saculo
(ou alveolo).

ENTÃO QUEM SÃO ESSAS CELULAS?? Tem o pneumocito tipo 1 que é a célula da parede do alvéolo em si. E tem outra célula que ta
smp nas esquinas que é o pneumocito tipo 2.

São bem achatadinhos. Quase n da pra ver o citoplasma. E


esta bem pertinho do capilar sanguíneo.

Fica no cantinho, cubica e volumosa, e como esta


bem na esquininha, tem em menor quantidade do
que o tipo 1. É a célula que vai produzir a substancia
surfactante.

Oq vai acontecer pra ter essa troca? A gnt tem um


capilar e um espaço alveolar. A minha célula de
pneumocito tipo 1 ta na parede e o capilar ta
passando por aqui. Esse conjuntinho aqui é oq a gnt
chama de barreira hematoaerea. Então é o limite
entre o sangue e o pulmão. Oq vai acontecer é uma
difusão entre oq ta aqui dentro do capilar e oq veio e
chegou do espaço alveolar. Esse sangue aqui tem
grande quantidade de CO2 e o gas no alvéolo tem
grande quantidade de O2. Ou seja, a barreira de
troca em si é: uma parte do citoplasma do
pneumocito tipo 1, uma partezinha de lamina basal
do pneumocito, uma parte lamina basal da célula endotelial e a célula endotelial.

Entao o CO2 e o O2 vao passar por difusão, mas isso só será feita numa região de barreira bem fininha, que é la no limitezinho
dos sacos alveolares.