Você está na página 1de 11

Os padrões da natureza expressos no comportamento humano

Nós podemos aprender muito sobre nós mesmos observando a


vida das células, o crescimento das árvores, as ondas do oceano,
juntamente com os outros padrões universais e biológicos do
crescimento e da própria criação. A natureza é a nossa grande
professora. Como os seres humanos fazem parte da natureza e o
nosso universo tem 15 bilhões de anos, parece óbvio que exista
algum tipo de conexão entre os padrões externos e os padrões
inconscientes que residem dentro de nós.

Eu venho observando a natureza e estudando as leis do nosso


universo nos últimos 16 anos com a mesma pergunta na cabeça:
"Como a nossa realidade interna está relacionada com a nossa
realidade externa e como cada uma afeta a outra?" Isso me
conduziu a uma longa jornada que incluiu o estudo da
cibernética, das ciências da complexidade, da teoria do caos,
dos campos morfogenéticos, da mecânica quântica e da teoria
das cadeias dos caracteres ligada com a PNL e muitos outros
modelos psicológicos e espirituais. Devido a essa contínua
pesquisa e de diversas discussões com meu marido Tim Hallbom,
nós desenvolvemos um modelo chamado de ciclos universais de
mudança para ajudá-lo a criar conscientemente o que você quer
na vida.

Os ciclos universais de mudança são um processo contínuo que


acontece no nosso universo por cerca de 15 bilhões de anos,
sendo por isso um modelo realmente antigo. Nós observamos sete
ciclos universais de mudança que ocorrem em todos os sistemas
vivos como as plantas, as árvores, as estrelas, as células e os
animais. Você também pode ver esses mesmos ciclos ocorrendo
na maioria dos sistemas inanimados como carros, casas,
computadores e a economia.
Os ciclos universais de mudança também podem ser encontrados
dentro de todos os aspectos da vida e do comportamento
humano. Eles acontecem nos casamentos, nos negócios, com a
saúde, com as famílias, com vários estados da mente e assim por
diante. Nós passamos por esses ciclos a cada dia e a cada ano da
nossa vida. Estar atento a esses ciclos pode nos ajudar a criar
conscientemente o tipo de experiência que nós queremos da
vida, e criar também a realidade da nossa escolha. As pessoas
prósperas na vida estão harmonizadas naturalmente com esses
ciclos de mudança.

Abaixo está uma breve descrição dos sete ciclos universais de


mudança que foram identificados (mais adiante faremos uma
descrição mais detalhada):

Criação – esse ciclo é sobre novos começos. Todos os sistemas


devem ter um ponto inicial do mesmo tipo.

Crescimento – quando um sistema vivo começa a crescer e a se


desenvolver, ele se torna "auto-organizado."

Complexidade para maturidade – quando um sistema começa a


tomar contorno e forma através do crescimento constante, ele se
torna mais complexo até o ponto em que atinge o que se chama
de "estado estabilizado." Um sistema opera na sua melhor forma
quando está num estado estabilizado.

Turbulência – quando o sistema se torna muito complexo no seu


crescimento, os problemas começam a se desenvolver e começa
a turbulência. A turbulência é considerada como o feedback do
ambiente dizendo que o estado complexo do sistema não
consegue mais ser suportado. Algo precisa ser mudado para que
ele vá para o próximo nível de criação e crescimento. Se não
ocorrer essa troca, então começa o caos.
Caos – quando o sistema começa a se soltar é porque ele se
tornou muito complexo, e o caos se inicia. O sistema não consegue
mais manter tudo junto.

Jogando fora – uma vez iniciado o caos, precisa existir algum tipo
de partilha ou deve se jogar algo fora para trazer o sistema de
volta ao equilíbrio.

Meditação e dormência – esse é o ciclo final no qual o sistema


recupera o seu equilíbrio, o que permite que ele se recicle de volta
para a...

Criação – o sistema agora tem menos massa, porém mais energia


porque contém toda a aprendizagem dos ciclos anteriores.

Tudo no nosso universo evolui e cresce, e isso está ocorrendo assim


por bilhões de anos. Parte desse processo evolucionário natural
inclui passar por diferentes estados de mudança. Vamos tomar
como exemplo uma árvore que foi a metáfora mais fácil que
encontrei para descrever os ciclos universais de mudança.

O primeiro ciclo pelo qual a árvore passa é o da criação que


acontece quando a semente é plantada. Depois a árvore cresce
- desde que abastecida com água suficiente e raios solares. Com
o tempo a árvore atinge o estado da maturidade no qual as folhas
florescem em toda a sua beleza. Então chega o outono - as folhas
começam a mudar de cor. Elas ficam marrons e caem. Depois
disso acontecer, a árvore permanece numa dormência sem
folhas. Mas quando chega a primavera, brotam novas folhas e
todo o processo de criação acontece de novo. Como todos os
sistemas vivos se tornam muito complexos no seu crescimento e
desenvolvimento, eles têm que jogar fora alguma coisa para
recuperar o seu equilíbrio. As árvores fazem isso o tempo todo com
as folhas. Nós podemos aprender muito ao modelar as árvores. Por
acaso, alguma vez já lhe aconteceu de estar caminhando perto
de uma árvore vendo as folhas caindo e de repente ouvir a árvore
chorando: "Por favooor, não deixem as minhas folhas caírem!"

Isso nunca aconteceu. A árvore tornou-se perita na arte de jogar


fora as folhas e em reciclar a criação de volta. As cobras são iguais
quando trocam de pele. Eu nunca soube de uma cobra que tenha
resistido a esse processo. Até os computadores têm as lixeiras para
onde o excesso de informações é jogado fora para esvaziar o
disco rígido e com isso permitir que o computador opere mais
ligeiro e com mais produtividade.

Existe somente um sistema vivo que não se permite passar


naturalmente por esse processo de 15 bilhões de anos. Esse mesmo
sistema permite que ele permaneça preso na turbulência e no
caos por longos períodos de tempo. Esse mesmo sistema muitas
vezes resiste em jogar fora o que precisa ser jogado fora. Você
consegue adivinhar que sistema é esse?

Seres humanos, é lógico.

As pessoas representam o único sistema vivo que se permite


permanecer preso na turbulência e no caos. Elas são o único
sistema vivo que não irá jogar fora o que precisa ser jogado fora
na sua vida. Nós vemos essa resistência acontecendo em muitos
relacionamentos, nas carreiras e na saúde.

Por exemplo, meu marido e eu estávamos dando uma aula na


Austrália no ano passado, quando um homem no grupo
compartilhou com todos a surpreendente compreensão que ele
teve dos ciclos universais de mudança e como os ciclos se
relacionaram com ele. Esse homem tem uma filha adolescente
com quem ele foi incapaz de se comunicar por muitos anos.
Depois de aprender os ciclos universais de mudança, ele levantou
a mão e disse: "Agora eu entendi porque tenho tido tantos
problemas com a minha filha de 17 anos. Na minha cabeça eu
ainda penso nela como uma criança. Agora estou me dando
conta que eu preciso 'jogar fora' a minha percepção dela como
criança e começar a tratá-la como adulta. Realmente agora faz
sentido para mim porque o nosso relacionamento teve tanta
turbulência e caos nesses últimos anos."

Uma outra mulher que estava assistindo o nosso treinamento em


Londres, me contou sobre uma experiência surpreendente que
tinha tido com seus filhos e com o modelo dos ciclos universais de
mudança. "Kris, eu tenho que te contar sobre a coisa mais
engraçada que me aconteceu ontem a noite. Depois de
aprender o modelo dos ciclos universais de mudança, eu tomei a
decisão de 'jogar fora' a relação codependente que eu tenho
com meus cinco filhos adultos," disse ela muito entusiasmada.

"Apesar dos meus filhos estarem crescidos, todos são carentes. Eu


sentia como se a minha vida fosse toda em volta deles e não
houvesse espaço para mim. Quando estava dirigindo de volta
para casa ontem à noite, eu tomei a resolução de me soltar da
codependência que me manteve enredada com meus filhos por
tantos anos. Depois que cheguei em casa, o 'caos' explodiu. Um
por um, cada um dos filhos me telefonou com alguma grande
crise. O carro de um quebrou, outra tinha recém brigado com o
namorado, a outra tinha tido um péssimo dia e assim por diante. O
telefone não parava de tocar com os problemas deles. Eu disse
para cada um que, de agora em diante, eles seriam responsáveis
por eles mesmos e que precisavam resolver seus próprios
problemas," ela disse. Nesse ponto da história, ela irradiava alegria
quando continuou a falar: "Eu só quero lhes dizer que hoje é o início
do resto da minha vida. Eu não sou mais codependente dos meus
filhos e posso ter a minha própria vida de volta! Vou voltar a estudar
e começar a pintar de novo, e a fazer as coisas que me fazem feliz.
A partir de agora vou começar a viver a minha vida para mim, ao
invés de viver para os outros."

Muitas vezes as pessoas têm medo de fazer mudanças porque elas


estão preocupadas que ao fazer isso vão jogar a sua vida para a
turbulência e o caos. No caso da mulher inglesa, ela estava
preocupada porque seus filhos crescidos iam ficar ressentidos se
ela não estivesse sempre totalmente disponível para eles. Ao invés
de estar disponível para os filhos, ela acabava ficando ressentida
com eles porque não estava conseguindo viver a vida que ela
queria. Uma vez liberada do emaranhado dos laços da
codependência, ela poderia evoluir para uma nova maneira de
interagir com os filhos. E ao fazer isso, ela descobriu que podia estar
mais presente porque se sentia mais preenchida espiritualmente
na sua vida.

Como já mencionamos, os ciclos universais de mudança


influenciam todas as áreas da nossa vida. As principais são:

Romantismo e amor

Carreira

Saúde

Família

Questões de dinheiro

Amigos

Espiritualidade

Estado mental atual

Quando você avalia cada uma das áreas da sua vida, qual é o
ciclo universal de mudança que você está experimentando neste
contexto? Se alguma das suas áreas está em turbulência ou no
caos, você pode se perguntar "O que é que eu preciso jogar fora
para trazer a minha vida de volta ao equilíbrio?"

O jogar fora nem sempre precisa ser dramático. Você pode jogar
fora algo simples como a leitura do jornal da manhã ou tomar
coca diet todos os dias. Alguns exemplos de coisas que podem ser
jogadas fora são: comportamentos, crenças, atitudes, maneiras
de pensar, percepções, hábitos, emprego e relacionamentos.
Outros exemplos específicos podem incluir: fumar, beber muito,
peso, televisão, café, negócios estressantes, antigas relações que
precisam ser atualizadas, um empregado problemático, um amigo
toxicômano, confusão, desorganização, rancor, raiva, inveja,
dívidas desnecessárias e negócios inacabados com pessoas.

Abaixo temos uma descrição mais detalhada dos ciclos universais


de mudança para ajudá-lo a identificar em que ciclo você pode
estar:

Criação — esse ciclo é sobre novos começos. Tudo tem um ponto


de partida, e tipicamente esse ponto começa com uma ideia,
uma ação ou um projeto. Os exemplos são começar um negócio,
ter um filho, investir no seu primeiro fundo de ações, criar a ideia
sobre um livro ou uma pintura, construir sua primeira casa, casar,
comprar um carro novo, plantar as sementes para uma horta, etc.

Crescimento — quando o sistema começa a crescer e se


desenvolver, ele também se torna "auto-organizado." Isso significa
que a criação inicial começa a tomar contorno e forma. Novos
padrões de comportamento começam a se desenvolver, e o
sistema se auto-organiza em torno da criação original. Por
exemplo, um novo negócio desenvolve um ótimo plano de
marketing, a ação que você investiu começa a subir de preço, a
pequena muda que você plantou começa a mostrar sinais de
crescimento, você instalou calotas extravagantes e novas capas
no assento do seu carro ou o seu filho fala pela primeira vez e dá
seus primeiros passos.

Complexidade para a maturidade — quando um sistema toma


contorno e forma através de crescimento contínuo, ele se torna
mais complexo até o ponto onde atinge o "estado estabilizado."
Um sistema opera na sua plenitude quando está num estado
estabilizado. Como exemplo de estado estabilizado podemos citar
quando as coisas estão excepcionalmente bem no seu trabalho,
quando um atleta entra no circuito profissional, quando a árvore
que você plantou começa a brotar suas folhas, quando o seu
casamento está transcorrendo muito bem, o carro que você
comprou está funcionando as mil maravilhas, a ação que você
investiu deu um grande salto na direção certa ou quando você
está se sentindo bem com você mesmo e com tudo na sua vida.

Turbulência–feedback — quando o sistema se torna muito


complexo no seu crescimento e desenvolvimento, os problemas
começam a se desenvolver e a turbulência aparece. A
turbulência é considerada como o feedback do ambiente de que
o estado complexo do sistema não pode ser mais sustentado - e
que algo precisa ser reorganizado, mudado ou jogado fora. Por
exemplo: você pode ter contratado alguém para trabalhar com
você e essa pessoa não está correspondendo, você nota alguns
problemas sérios de comunicação no seu casamento que estão
afetando a sua saúde pessoal e seu bem-estar, as folhas da árvore
que você plantou começaram a mudar de cor, você pode ter
investido numa ação e o preço dela começou a cair, apareceu
um pequeno sintoma físico que o está perturbando, você notou
sinais de depressão ou de insatisfação na sua vida, seu carro
começou a fazer uns barulhos estranhos.

Caos — isso é quando o sistema começa a se despedaçar e o


caos se inicia. Por exemplo: as folhas da árvore ficaram marrons e
secas, o empregado problemático age de tal modo que o bem
estar de toda a organização fica ameaçada, o preço da ação
que você comprou despenca, o seu casamento está
desmoronando, você fica seriamente doente ou o estranho
barulho que o seu carro estava fazendo se transforma num
problema de combustão e uma fumaça escura começa a sair
pelo escapamento.

Jogando fora e reorganizando — algumas vezes a vida se torna


tão complexa que o caos começa e você tem que jogar fora
alguma coisa para ajudar o sistema a recuperar o seu equilíbrio
total. Por exemplo, quando a cobra troca a pele ou as folhas caem
da árvore – essas coisas são consideradas como jogar fora. Mesmo
trocar uma peça no seu carro é uma forma de jogar fora ou uma
forma de reorganização. A fim de se mover para frente por causa
de um desafio difícil na vida, você muitas vezes precisa abandonar
uma crença limitante, uma relação disfuncional, mudar um
comportamento ou reorganizar como você enxerga o mundo,
fazendo assim espaço na sua vida para criar algo novo e
fantástico. Todas as formas de vida no universo como as árvores,
as cobras e mesmo as estrelas permitem que ocorra esse ciclo
natural de jogar fora, bem como as formas inanimadas como os
computadores e suas lixeiras. O propósito da lixeira é liberar
espaço no disco rígido com informações que estão na máquina
sem necessidade. Os seres humanos são os únicos que resistem a
esse ciclo natural de mudança.

Meditação e dormência — a maneira de um sistema recuperar o


seu equilíbrio é jogar fora alguma coisa. Então durante a fase da
dormência ele pode se rejuvenescer, permitindo que ele mesmo
se recicle de volta para um novo ciclo evolucionário de criação.
Do mesmo modo que a árvore permanece sem folhas durante o
inverno, nós às vezes precisamos ir para um local de meditação e
de silêncio interior. Pode ser desconfortável por um tempo, mas
pode ser muito saudável para alguém aquietar a mente ou se
acalmar por um tempo. Antes de você conseguir se mover para
frente, você precisa se dar um tempo para se renovar e
rejuvenescer. Uma vez feito isso, você pode se tornar criativo de
novo. Você terá jogado fora tudo aquilo que o estava segurando.
Porém você ainda tem todo o conhecimento e a sabedoria que
obteve de toda a experiência. Isso estabelece a melodia de todo
um novo ciclo de criatividade e crescimento.

Meu marido Tim e eu descobrimos que é proveitoso quando as


pessoas examinam diferentes áreas da vida, e identificam onde
elas estão nos ciclos universais de mudança. Como exemplo,
podemos mencionar o caso de uma mulher que assistia ao nosso
seminário em Dallas, Texas, no último novembro, e que sozinha fez
a análise da sua vida através dos ciclos universais de mudança. Ao
fazer isso, ela descobriu que existiam três áreas principais da sua
vida que estavam num caos total. Essas áreas eram o seu trabalho,
o seu casamento e sua saúde. Fazia cinco anos que ela estava
infeliz com o casamento e já tinha tentado tudo que era possível.
Ela e seu marido não dormiam na mesma cama há cerca de três
anos. Ela também tinha se tornado extremamente infeliz com o seu
trabalho e ainda estava vinte quilos acima do peso ideal. Ela
decidiu que ela precisava ‘jogar fora’ o casamento, o trabalho e
os vinte quilos que carregava.

Essa mesma mulher reapareceu quatro meses depois para assistir


ao mesmo seminário em Omaha, Nebrasca. Tinha perdido
dezesseis quilos e parecia ótima. Eu lhe perguntei como ia a sua
vida. Ela disse que tinha pedido o divórcio e que estava numa
transição entre seu velho emprego e começando um novo
negócio. Ela também tinha jogado fora algumas das suas crenças
limitantes sobre dinheiro, o que tinha lhe dado coragem para
começar o negócio. Ela admitiu que todas essas mudanças
tinham criado um caos na sua vida, porém estava tão feliz como
nunca tinha estado antes e aguardava com interesse a sua nova
aventura.

Nós certamente não recomendamos jogar fora relacionamento


ou trabalho. Isso é o último recurso. Nós sempre encorajamos os
nossos estudantes e clientes a começarem tentando se livrar de
uma atitude, uma percepção ou de qualquer comportamento ou
crença que está relacionado à desarmonia. Se jogar fora essas
coisas não funcionar, então talvez seja preciso jogar fora o
relacionamento ou o trabalho, especialmente se isso for altamente
disfuncional, tóxico ou abusivo. Felizmente nós temos a PNL como
recurso para ajudar a transição das pessoas através desses ciclos
universais de mudança.

No caso do homem que estava tendo problemas com a sua filha


adolescente, não tinha como ele simplesmente ‘jogar fora’ a
relação com a filha. Sua única opção era reorganizar quem ele
era dentro do contexto do relacionamento. Logo que ele parou
de tratar a filha como criança, e começou a tratá-la como adulto,
seu relacionamento ficou melhor. A magia do que ele fez com a
filha pode ser encontrada na estrutura da sua experiência interna.
Ele tinha a representação interna dela como de uma criança.
Quando ele trocou esta representação, aos olhos dele, ela
começou a agir como adulta. Ao fazer isso, ele foi capaz de criar
uma experiência inteiramente nova com a sua filha.

O que aconteceu com o homem e a sua filha me conduz à


pergunta original que eu coloquei no início desse artigo: "Como a
nossa realidade interna está relacionada com a nossa realidade
externa e como cada uma afeta a outra?"

A nossa realidade externa é uma reflexão da nossa realidade


interna. O que a natureza pode fazer por nós é servir como um
perfeito modelo para criar a vida que nós queremos, bem como
evoluir para níveis mais elevados de realização pessoal e espiritual.
As respostas para criar o que nós queremos na vida podem ser
encontradas ao nos tornarmos conscientes dos ciclos universais de
mudança e aplicá-los em todas as áreas da vida. Não existe
nenhuma razão pela qual não podemos aproveitar o mesmo tipo
de potencial criativo que existe dentro da semente da planta ou
da estrela na galáxia.

Barbara Walters estava entrevistando o bilionário Bill Gates e lhe


perguntou: "Agora que você é o homem mais rico do mundo e
pode desejar qualquer coisa que quiser, o que mais você poderia
desejar?"

Gates respondeu: "Nunca parar de mudar. Qualquer coisa que eu


faça hoje, amanhã será considerado história. Eu preciso ter
certeza de nunca parar de criar e de que eu estou sempre
mudando."
Fonte: http://golfinho.com.br/artigo/os-ciclos-universais-de-mudanca.htm