Você está na página 1de 56

Análise de sistemas em

Agricultura
Sumário
• O que se entende por Agricultura?
Que dimensão tem? Qual o seu domínio?
• A agricultura vista como um sistema complexo
• O ecossistema agrícola
• Relações da agricultura com o ambiente que a
rodeia
• Sustentabilidade da agricultura
1. Objectivos da Agricultura
• Agricultura
– é uma actividade humana, levada a cabo com o objectivo
principal de produzir alimentos e fibra
(e combustível, tal como muitos outros materiais)
pelo uso deliberado e controlado de plantas e animais
(Spedding
Spedding,, 1988).
• Significado da agricultura à escala
global
– Uso do espaço
– Uso do trabalho humano
– Desenho da paisagem
– Desempenho da agricultura
Uso do solo à escala global

Área
(Mha)
Terra arável 1375
Culturas permanentes 128 4936 38%
Prados permanentes 3433
Florestas 4157
Prados permanentes Florestas
Outros usos 3955 26% 32%

Total 13048
Águas interiores 339 Culturas permanentes
1%
Terra arável Outros usos
Área total 13387 11% 30%

FAOSTAT Agricultural data (2000) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture


Números recentes

5º Inventário florestal nacional


FAOSTAT Agricultural data (1998) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture Evolução do uso solo
5000000

Agricultura
4750000 Floresta
Outros usos

4500000
Área (kha)

4250000

4000000

3750000

3500000
1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000
FAOSTAT Agricultural data (1998) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture

Área agrícola / Área total (%)

35%
40%
45%
50%

1960
1965
1970
1975
1980
1985
1990
1995
Evolução da fracção de área agrícola

2000
FAOSTAT Agricultural data (1998) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture Evolução da população agrícola

70%

60%

50%

y = -0,0038x + 8,0621
R² = 0,999
40%

30%

20%

y = -0,0079x + 15,902
R² = 0,9899
10%
y = -0,0039x + 7,9143
R² = 0,9618

y = -0,0011x + 2,264
0%
R² = 0,9425
1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000
Desempenho da
agricultura
O objectivo de produção de alimentos
é adequadamente cumprido?

Balanço entre requisitos alimentares e


produção de alimentos
População mundial

FAOSTAT Agricultural data (1998) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture


População mundial
6000000

5000000

4000000

3000000

2000000
1920 1940 1960 1980 2000

FAOSTAT Agricultural data (1998) - http://apps.fao.org/page/collections?subset=agriculture


Requisitos alimentares (RDA’s)

• Diários • Anuais
– Energia: 10,5 MJ – Energia:
(2500 kcal) • 3,8 GJ.ano-1
energia digestível

– Proteína: – Proteína:
50 g prot. dig. • 18,2 kg.ano-1
(8g N = 50/6,25) (2,9 kg N)
O arroz - o cereal mais pobre em proteína - tem 8% de
proteína.
224 kg de matéria seca digestível de arroz cobrem as
necessidades energéticas e têm aproximadamente 17,9
kg de proteína, ligeiramente menos que o requisito anual
per capita.
capita.
Produção de alimentos Outras
34%
Cereais
48%

Oleaginosas
6% Leguminosas
8% Raízes e tubérculos
4%

Energia Capacidade População


Cultura Área Produção Produtividade
bruta sustentação potencial
(x1000 ha) (*1 000 t) (kg/ha) MJ/ha (pessoas/ha) (x 1 000 000)
Trigo 214886 585145 2723 69534 18 3 932
Arroz 155736 602266 3867 87768 23 3 597
Milho 139173 604572 4344 75905 20 2 780
Cevada 55570 129408 2329 59274 16 867
Sorgo 42373 60274 1422 22370 6 249
Milho painço 36113 26952 746 13041 3 124
Aveia 14381 24480 1702 38995 10 148
Batata 19150 305147 15935 102080 27 514
Mandioca 16638 168339 10118 58335 15 255
Evolução histórica da
produtividade
8000
Evolução histórica da
7000 produtividade do arroz, no
Japão e do trigo, no Reino
6000 Unido.
Unido
Outras produtividades
Produção (t/ha)

5000
nacionais referentes a 1968
(Evans, 1982)
4000 Formosa

Actualização de alguns casos França


México
3000 a 1999 (FAO, 2000)
Ceilão Itália
Tailândia Indonésia
USA
2000 Índia
Filipinas
Canadá
1000 Arroz, Japão URSS
Paquistão Austrália
Índia
Trigo, Reino Unido
0
800 1000 1200 1400 1600 1800 2000
Anos
Evolução histórica da
produtividade
Reino Unido, 99
8000
Evolução histórica da França, 99
7000 produtividade do arroz, no
Japão e do trigo, no Reino Japão, 99
6000 Unido.
Unido
Outras produtividades
Produção (t/ha)

5000
nacionais referentes a 1968
(Evans, 1982)
4000 Formosa

Actualização de alguns casos França


México
3000 a 1999 (FAO, 2000)
Ceilão Itália
Tailândia Indonésia Tailândia, 99
USA
2000 Índia
Filipinas URSS, 99
Canadá
1000 Arroz, Japão URSS
Paquistão Austrália
Índia
Trigo, Reino Unido
0
800 1000 1200 1400 1600 1800 2000
Anos
2. A agricultura como um sistema
• Teoria Geral dos Sistemas
3 questões inseparáveis:
– "Ciência dos Sistemas"
• reducionismo vs. integração
– "Tecnologia dos Sistemas"
• novos conceitos e princípios como resultado de
resolução de problemas colocados pelo desenvolvimento
tecnológico
– "Filosofia dos sistemas"
• SISTEMA - novo paradigma - perspectiva organísmica
“do mundo como uma gigantesca organização” vs. “lei
cega” de um mundo mecanístico
O que é um sistema?

• Sistemas reais vs. sistemas


conceptuais
• Sistema
– conjunto de elementos inter-relacionados
• Características
– aditivas
– constitutivas (emergentes).
• Princípio da propriedade emergente
Sistema aberto
CO2, H2O

H2O, O2

Calor

Alimentos

Excreções
Representação simbólica de um sistema
∂Q1 sistema de equações diferenciais
= f 1 Q1, Q 2, Q 3,...Qn  simultâneas,
∂t
onde Qi é uma qualquer medida dos elementos pi
∂Q 2
= f 1 Q1, Q 2, Q 3,...Qn  (i = 1, 2, …,n)
∂t uma mudança em qualquer elemento Qi é,
...... assim, uma função de todos os Q's
∂Qn
= f 1 Q1, Q 2, Q 3,...Qn  ∆Q Qt=Qt-1+f.∆ t
∂t
=f
∆t
1: Q t
1: 1.00

1: 0.50
∆t 1
∆Q
Qt-1
1 f

1
Qt
1: 0.00
0.00 0.25 0.50 0.75 1.00
Graph 1 Time 15:19 94/04/19
Representação gráfica de um sistema
Variável Representação simbólica de Forrester
exterior
(1968)
Q - grandeza constante
mensurável • Propriedades significativas
fluxo – Competição entre
material
componentes
– Finalidade
∂Q (dependência do futuro)
∂t fluxo de
controlo
fronteira

• Um sistema é um grupo de componentes interactuantes que operam


em conjunto para um objectivo comum;
– é capaz de reagir como um todo aos estímulos externos;
– não é directamente afectado pelo resultado da sua acção;
– e tem uma fronteira que contem todos os mecanismos de retroacção
significativos (Spedding, 1996)
Níveis de organização
moléculas

células

tecidos

órgãos folha de cultura

organismos
rícola
ag
loração
populações exp

comunidades
Região
A Agricultura
actua
predominantemente
a estes níveis
Operacionalização do conceito de
Sistema em Agricultura
• Sistema de cultura
– uma cultura ou pastagem quando consideradas
em conjunto com as práticas culturais seguidas
(sistema de mobilização, rotações,etc.)….
folha de cultura
• Sistema de produção
– integra e articula as principais culturas e práticas
culturais seguidas numa exploração agrícola
• Sistema de agricultura
– organização regional de sistemas de produção
Montado

Há marcadas
características físicas e
ambientais
reconhecíveis e
determinantes dos
sistemas de agricultura
que encontramos
Policultura do Noroeste Atlântico
3. Os ecossistemas agrícolas
Radiação
solar Espaço físico

Reserva
de
nutrientes

Modelo de um Energia

ecossistema Produtores Nutrientes

Consumidores

Decompositores

De outros Para outros


ecossistemas ecossistemas
Calor
Características de um ecossistema

• Transferências de massa /
energia
– Relações tróficas e fluxos de energia
– Ciclos biogeoquímicos / de nutrientes

• Diversidade/Dominância e estabilidade
• Distribuição espacial dos elementos
• Autoregulação
Fluxo de energia num ecossistema natural
Radiação
solar
Ambiente aéreo

Metano
Reflexão

Produtos
vegetais

Plantas
Animais

Produtos
animais

Dejecções
Senescência

Solo
Fluxo de energia num ecossistema agrícola
Radiação
solar
Ambiente aéreo

Metano
Reflexão
Processamento Produtos
Combustível vegetais
Colheita

Máquinas Conservação

Cultura
Animais

Produtos
Pesticidas animais

Dejecções
Irrigação
Senescência, doenças e pragas

Solo Exportação
Fertilização

Subsídio de energia
Fluxo de energia na produção de uma
cultura

Energia radiante Fotossíntese


disponível líquida
(1674) Radiação Utilizada (44)
fotossinteticamente pela
cultura Fotossíntese
activa
(652) bruta (66)
(837)

108J.ha-1.dia-1

50% 78% 10% 66%


2,6%
Cadeias tróficas básicas em Agricultura

Cultura Cultura Pastagem Cultura Pastagem

Animal Animal Animal

Homem Homem Homem Homem

18 4 7
(trigo) (milho-porco) (leite)

Capacidade de sustentação (pessoas/ha)

Adaptado de Loomis e Connor (1992)


Ciclos biogeoquímicos

Produção
Estrume
N2

Cultura MO fresca

NH3 Biomassa
Húmus activo
- bacteriana
NO3

Húmus
NH4+ estável

Lexiviação Fertilizante
4. Agricultura e ambiente
• Principais agentes de impacte ambiental
• Dimensão da actividade
• Trabalho do solo e pastoreio

• Uso de fertilizantes

• Irrigação

• Uso de pesticidas
4. Agricultura e ambiente
• Principais agentes de impacte ambiental
• Dimensão da actividade
• Trabalho do solo e pastoreio
Trabalho do solo Solo

• Uso de fertilizantes
Fertilização Água

• Irrigação Irrigação Ar

Recursos
• Uso de pesticidas
Pesticidas
Dependência da Agricultura de
recursos não renováveis

Consumo de energia fóssil

Alteração significativa dos ciclos


de elementos solúveis
Balanço de energia da produção de milho
(MJ.ha-1)
Consumo de energia 1945 1959 1970
Trabalho 129 79 51
Máquinas 7483 11114 12588
Adubos 772 4437 10921
Sementes 352 378 652
Irrigação 197 321 352
Fitofármacos 0 109 228
Fonte: Pimentel et al., 1973

Electricidade 538 2069 3931


Transportes 207 621 724
Total 9574 19241 29964
Energia produzida 35450 56300 84450
Eficiência energética 3.70 2.92 2.82
Variação da eficiência do uso de
6
energia subsidiada
Adaptado de Heichel, 1975

Sorgo

5
Energia no alimento/Energia subsidiada

Cana-do-açúcar
Milho
4

Trigo
3
Soja
Aveia

2
Batata
Amendoim
Beterraba
Arroz
Maçã
1 Uva
Tomate
Pêssego Feijão verde
Pera
Alface
Bróculos Couve-flor
0
0 50 100 150 200 250 300
Subsídio de energia (GJ/ha/ano)
1.46
Consumo de energia na fileira
alimentar
17.9%
Agricultura
(0.30)

(4.13) (4.36) (5.67) (2.49)


(1.16)
30.6%
Uso doméstico
(3.83) Transportes Comércio grossista e
retalhista

0.23 2.8% 1.31 16.0%

2.67 Alimentos

32.7%
8.16 x 106 kcal per capita / ano
Processamento de alimentos 34 GJ per capita / ano
Adaptado de Hirst (1974) ≈10 vezes > 3,8 GJ
1.46
Consumo de energia na fileira
alimentar
17.9%
Agricultura
(0.30)

(4.13) (4.36) (5.67) (2.49)


(1.16) Uso de energia na fileira alimentar nos
EUA. 30.6%
Uso doméstico
Adaptado deTransportes
Steinhart (1974) Comércio grossista e
(3.83)
9 retalhista
10 MJ/ano

0.23 2.8% 1.31 16.0%

2.67 Alimentos
1947 1960 1970
32.7%
Agricultura 1138 15648.16 x 106 kcal per2201
capita / ano
Indústria Agroalimentar 1705 2391 3523/ ano
34 GJ per capita
Adaptado de Hirst (1974)Uso comercial e doméstico 4304 6026 ≈10 vezes > 9088
3,8 GJ
Evolução do ciclo do N numa
pastagem (Holanda)
181
2 Entradas-saídas
234
67 Perdas
72
19 Produção animal
126
50 Feno
Saídas
169
49 Desnitrificação
39
11 Lixiviação
26
7 Volatilização
450
158 Absorção de N
Extracção de N do solo
400
Adubo N
327
46 Estrume e chorume
0
120 Fixação de N
1972 180
1937 26 Resíduos vegetais
Fornecimento de N ao solo

500 400 300 200 100 0 100 200 300 400 500
kg N / ha /ano
Vacas leiteiras em pastagem:
1937 - trevo x azevém
1972 - azevém (400N); capacidade de carga: 2,9 x; produção: 3,8x; perdas 3x
181
2 Entradas-saídas
234
67 Perdas
72
19 Produção animal
126
50 Feno
Saídas
169
49 Desnitrificação
39
11 Lixiviação
26
7 Volatilização
450
158 Absorção de N
Extracção de N do solo
400
Adubo N
327
46 Estrume e chorume
0
120 Fixação de N
1972 180
1937 26 Resíduos vegetais
Fornecimento de N ao solo

500 400 300 200 100 0 100 200 300 400 500
kg N / ha /ano
Vacas leiteiras em pastagem:
1937 - trevo x azevém
1972 - azevém (400N); capacidade de carga: 2,9 x; produção: 3,8x; perdas 3x
5. Sustentabilidade

• Uma característica dos sistemas resultante


da propriedade da finalidade é a sua
perpetuação (auto-
(auto-regulação).
• No ecossistema agrícola, em que a sua
regulação é assegurada pelo controlo do
homem é lícito perguntar:
• É possível assegurar a manutenção em
funcionamento adequado dos ecossistemas
agrícolas?
Algumas propriedades dos
ecossistemas agrícolas
i Produtividade
quantidade produzida (alimento ou fibra) por
nidade de factor (terra, trabalho, energia,
azoto,..)
(multi--dimensional)
(multi

i Estabilidade
grau de variabilidade inter-
inter-anual ou inter-
inter-
sazonal da produtividade

i Sustentabilidade
capacidade de manutenção de um dado nível
de produtividade a longo prazo e no mesmo
local
Algumas propriedades dos
ecossistemas agrícolas

Natureza multidimensional da
produtividade --->
---> estabilidade
---> sustentabilidade
Algumas propriedades dos
ecossistemas agrícolas
SUSTENTÁVEL INSUSTENTÁVEL
ESTÁVEL

produtividade
produtividade

tempo tempo
INSTÁVEL

produtividade
produtividade

tempo tempo
Agricultura sustentável
Sustentável e suficiente
Uma Agricultura Sustentável deve ser capaz de manter a sua
produtividade e utilidade indefinidamente
(Ikerd, 1990)

Preocupações da Agricultura Sustentável


• Eficiência de produção
• Qualidade percebida das produções
• Conservação de Recursos
• Protecção ambiental
• Competitividade comercial
• Segurança alimentar
• Qualidade de vida do agricultor
Desafios futuros

• Enquanto há unanimidade no enunciado


destes objectivos, existem divergências
acentuadas na definição de
sustentabilidade e nos meios para lá
chegar.
• A análise sistemática de qualquer
realidade tem implicações técnicas,
científicas e filosóficas
4 sub-
sub-sistemas de Agricultura

Adaptado de Raeburn (1983)


4 sub-
sub-sistemas de Agricultura

• plantas • preços de produtos


• animais • preços de factores
• meio físico • plano de produção
• técnica cultural • risco e incerteza

• operações • mercados agrícolas


agrícolas • mercado fundiário
• trabalho • políticas e legislação
• máquinas agrícolas • investigação e
• energia educação

Adaptado de Raeburn (1983)


4 sub-
sub-sistemas de Agricultura

• plantas • preços de produtos


• animais
Sub--sistema
Sub • Sub--sistema
Sub
preços de factores
• meio físico
biológico • empresa
plano de produção
• técnica cultural • risco e incerteza

• operações • mercados agrícolas


agrícolas
Sub--sistema
Sub • Sub--sistema
Sub
mercado fundiário
• trabalho
trabalho • sócio-
sócio
políticas -
e legislação
• máquinas agrícolas •
económico
investigação e
• energia educação

Adaptado de Raeburn (1983)


Conclusões
• A Agricultura é uma actividade de enorme
dimensão ocupando 38% da terra emersa e
a que se dedicam 40% da população
• O objectivo de produção de alimentos
suficientes para os actuais 6x109
habitantes da Terra é hoje largamente
ultrapassado
• O problema da fome no mundo tem uma
solução técnica; não tem ainda uma
solução política
Conclusões
• A Teoria Geral dos Sistemas fornece um
instrumento de análise que pode ser
utilizado vantajosamente no estudo da
realidade agrícola a vários níveis
• O ecossistema agrícola difere do
ecossistema natural, principalmente
porque a sua produtividade é exportada
• Para que isto seja possível, o ecossistema
agrícola é controlado pelo homem que o
subsidia com energia, nutrientes e gestão
Conclusões

• Os subsídios crescentes de energia e


nutrientes levantam a questão da
sustentabilidade
• A sustentabilidade é multidimensional
• Uma agricultura sustentável tem que ser
capaz de também ser suficiente, rentável,
segura, eficiente, fiável, atractiva, limpa, ...
Conclusões

• A complexidade da “tarefa” exige um estudo


sistemático, propondo-
propondo-se a consideração de
quatro sub-
sub-sistemas - biológico, trabalho,
empresa, sócio
sócio--económico - interdependentes
que descrevem as principais perspectivas da
realidade agrícola
Notas finais
A Agricultura pratica-
pratica-se, mas também pode ser
ensinada e estudada

A complexidade da matéria exige


conhecimentos de múltiplas áreas científicas e é
nesta complexa multidisciplinaridade que está a
sua atractividade.
atractividade.

A análise de sistemas é o instrumento capaz de


integrar este conhecimento multidisciplinar.