Você está na página 1de 52

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

CADERNO PEDAGÓGICO
ENSINO RELIGIOSO

CADERNOS PEDAGÓGICOS DE ENSINO FUNDAMENTAL 2

CURITIBA — PARANÁ
2008

Secretaria da Educação
APRESENTAÇÃO

Prezados professores e professoras

Nas sociedades em que as transformações culturais ocorrem intensivamente,


os processos educativos têm papel fundamental na atualização das condições
dos cidadãos de participar ativa e criticamente dos novos modos produtivos e
de convivência. Essa atualização depende de diferentes iniciativas das
instituições que se voltam para a formação continuada de seus profissionais e
do empenho destes no aperfeiçoamento de suas ações.

Por entendermos a importância da ação docente na educação básica da


população e a necessidade de apoio à busca autônoma dos profissionais da
educação pelo aperfeiçoamento das ações didáticas, elaboramos estes
Cadernos Pedagógicos. Trata-se de um instrumento paradidático, que vem
compor o conjunto de recursos de que dispõem as equipes de nossas escolas
para o planejamento de processos de ensino.

Desejamos que este material, mais do que uma amostra de possibilidades


didáticas para as diferentes áreas do conhecimento, seja motivo para estudo e
aprimoramento de metodologias e práticas pedagógicas compatíveis com as
necessidades de nosso tempo.

Bom estudo a todos.

Eleonora Bonato Fruet


Secretária da Educação
Curitiba. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal da
Educação.
Caderno pedagógico: ensino religioso/Secretaria
Municipal da Educação. – Curitiba: SME, 2008. – 101 p.
(Cadernos pedagógicos de Ensino Fundamental 2)

il. color.

1. Ensino Religioso (Ensino Fundamental). I. Título.

CDD-377.1

Bibliotecária responsável: Josiane Maria Voi Silva CRB – 9/484

Sem autorização prévia e formal do editor, esta publicação não poderá ser gravada,
fotocopiada, reproduzida por meios mecânicos ou outros quaisquer. Excetua-se a utilização de
trechos, imagens ou citações para fins didáticos, desde que mencionada a fonte.
CICLO I
PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA
Beto Richa

SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO


Eleonora Bonato Fruet

SUPERINTENDÊNCIA EXECUTIVA
Jorge Eduardo Wekerlin

SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO EDUCACIONAL


Meroujy Giacomassi Cavet

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL


Ida Regina Moro Milléo de Mendonça

DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL


Nara Luz Chierighini Salamunes

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL


Maria Marilda Confortin Guiraud

COORDENADORIA DE ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES ESPECIAIS


Iaskara Maria Abrão
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.............................................................................................................................. 09
UNIDADE 1................................................................................................................................... 11
TEMA 1: CADA PESSOA TEM O SEU JEITO DE SER E DE ACREDITAR............................. 11
TEMA 2: A RELIGIÃO NA VIDA DAS PESSOAS..................................................................... 15
TEMA 3: O QUE SÃO SÍMBOLOS RELIGIOSOS................................................................... 19
TEMA 4: EU E OS OUTROS SOMOS NÓS............................................................................ 23
TEMA 5: AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS DE NOSSA COMUNIDADE.................................... 27
TEMA 6: SÍMBOLOS RELIGIOSOS NA VIDA DAS PESSOAS............................................... 31
TEMA 7: AS DIFERENÇAS RELIGIOSAS............................................................................... 33
TEMA 8: AS RELIGIÕES E A PRÁTICA DO BEM.................................................................... 37
TEMA 9: PRINCIPAIS SÍMBOLOS RELIGIOSOS DE ALGUMAS RELIGIÕES...................... 41
TEMA 10: ESPAÇOS SAGRADOS DA COMUNIDADE........................................................... 49

UNIDADE 2................................................................................................................................. 53
TEMA 1: A VALORIZAÇÃO DE SI MESMO E DO OUTRO..................................................... 53
TEMA 2: A RELIGIÃO NO COTIDIANO DAS PESSOAS........................................................ 57
TEMA 3: A PLURALIDADE RELIGIOSA EM NOSSA COMUNIDADE.................................... 61
TEMA 4: O QUE SÃO TEXTOS SAGRADOS.......................................................................... 63
TEMA 5: AS PRÁTICAS RELIGIOSAS NO COTIDIANO DAS PESSOAS.............................. 65
TEMA 6: O SIGNIFICADO DOS RITOS DAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS............................. 69
TEMA 7: A DIVERSIDADE DAS OPÇÕES RELIGIOSAS....................................................... 71
TEMA 8: VALORES QUE APROXIMAM AS PESSOAS DE DIFERENTES RELIGIÕES........ 75
TEMA 9: A DIVERSIDADE RELIGIOSA NO BRASIL............................................................... 79
TEMA 10: TEXTOS SAGRADOS: ORAIS, ESCRITOS, DANÇADOS, CANTADOS,
DESENHADOS, MODELADOS, PINTADOS........................................................................... 81
TEMA 11: MITOS DA CRIAÇÃO DO MUNDO E DO HOMEM................................................. 85
TEMA 12: ESPIRITUALIDADES DAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS......................................... 89
TEMA 13: RITUAIS DE PASSAGEM, CELEBRATIVOS E LITÚRGICOS................................ 93
TEMA 14: ESPAÇOS SAGRADOS DA COMUNIDADE........................................................... 95

CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................... 98

REFERÊNCIAS....................................................................................................................... 99
CICLO I
INTRODUÇÃO

Todas as sugestões deste caderno servem de inspiração para o processo do


desenvolvimento criativo de aulas no Ensino Religioso.

Em nosso país, o Ensino Religioso passou por diferentes modelos – indo do


confessional ao interconfessional – e, atualmente, tem caráter inter-religioso.

A Lei n.° 9.475/97, que dá nova redação ao art. 33 da Lei de Diretrizes e


Bases da Educação Nacional n.o 9.394/96, redimensiona o Ensino
Religioso no contexto escolar, ressalta o respeito à diversidade cultural
religiosa do Brasil e veda qualquer forma de proselitismo, isto é, proíbe
a prática da doutrinação, evangelização ou catequese.

O Ensino Religioso como área do conhecimento deve trabalhar seus conteúdos


de forma sistemática e em articulação com as demais áreas. Tem como objeto
de estudo o fenômeno religioso, que compreende as diferentes manifestações
do sagrado. Essas manifestações constituem o conhecimento religioso histórica
e culturalmente produzido pela humanidade. Esse objeto de estudo deve ser o
referencial na seleção e organização dos conteúdos a serem trabalhados em
uma rede de relações com os demais conhecimentos e saberes.

Por meio de uma metodologia que propicie uma interação dialógica no processo
de construção e socialização do conhecimento, juntos, professor e estudantes
(re)significam esse conhecimento. A prática do Ensino Religioso se atém à
decodificação e à análise das manifestações do sagrado, possibilitando aos
estudantes a compreensão do fenômeno religioso como fato cultural e social,
uma visão global de mundo e de pessoa, assim como o respeito às diferenças no
convívio social.

09
CICLO I
UNIDADE 1

TEMA 1: CADA PESSOA TEM O SEU JEITO DE SER E DE ACREDITAR

OBJETIVO

Reconhecer o direito de cada pessoa de ser diferente e de possuir ou não uma crença religiosa.
?

CONTEÚDO
Alteridade: cada pessoa tem o seu jeito de ser e de acreditar.
<

CONVERSANDO SOBRE
Este conteúdo tem por finalidade levar o estudante a perceber que todas as pessoas, além de suas
diferenças físicas, têm também diferenças cultural-religiosas, que devem ser respeitadas para que
haja uma convivência harmoniosa.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

Aparelho de som.
=

Música “ Dancinha para descontrair”, do CD Tra-lá-lá (SANTANA, 2001).


=

Cartolinas.
=

Giz-de-cera.
=

Revistas.
=

Cola.
=

ATIVIDADE 1

Pesquise
= uma música que possibilite o trabalho com a expressão corporal e uma vivência de
integração entre os estudantes. Como sugestão, segue a música “Dancinha para descontrair”. Leia e
comente o conteúdo com os estudantes e, depois, trabalhe com o aprendizado da canção e da
criação de coreografia. Fique atento para que todos estejam incluídos na brincadeira. Junto com os
estudantes, marque, no texto, todas as palavras que indicam partes do corpo para desenvolver
atividades da área de Língua Portuguesa ou de Ciências.

11
I
CICLOI
CICLO

ATIVIDADE 2

Trabalhe um dos textos sugeridos a seguir.


=

VOCÊ E AS DIFERENÇAS
Diná Raquel Daudt da Costa

Você é único
Não existe outra pessoa como você
Com seu rosto e jeito próprio de ser
Sua maneira de acreditar e sonhar
Importante é você saber conviver com todos
Nas diferenças pessoais, culturais e religiosas
Respeitando e reconhecendo a riqueza das diferenças

12
CICLO I
RIQUEZA DAS DIFERENÇAS
Iris Boff

Só ou em dois
Antes ou depois
Tua presença
Faz diferença

Esquerdo direito
Verso ou reverso
Cada um tem seu jeito
Nesse Universo

Abra seu peito


Aceite o diferente
Tratar tudo com respeito
É ser lindo e inteligente

No Universo eu vivo
Porque há diferenças
Posso ser criativo
Convivendo com tantas crenças

Conduza
= a interpretação do texto levando os estudantes a uma reflexão sobre as diferenças.

Divida a turma em 4 equipes para posterior


= montagem de painel com recortes de figuras.

Grupo 1 – figuras de plantas e de flores diversas.


Grupo 2 – figuras de animais diversos.
Grupo 3 – figuras de pessoas de diferentes religiões.
Grupo 4 – figuras de recursos naturais e/ou fenômenos da natureza.

ATIVIDADE 3

Inicie a aula
= com a música “Dancinha para descontrair” ou outra de sua escolha. Proponha que os
estudantes criem passos de dança para ela.

Em seguida, monte um painel com as figuras coletadas na aula anterior.


=

Com os estudantes
= sentados em círculo, converse sobre a beleza das diferenças e sobre como
devemos agir para respeitar nas pessoas essas diferenças, sejam elas físicas, religiosas ou outras.

Liste com
= os estudantes palavras ou ações que devemos cultivar para a prática do respeito no
convívio social.

Como tarefa
= para a aula seguinte, peça que cada estudante informe, por meio do questionário que
segue, qual é a religião de sua família ou igreja que freqüenta.
13
I
CICLOI
CICLO

Nome do estudante:
Idade:
Turma:
A família pertence a alguma tradição religiosa?
Em caso afirmativo, qual o nome da tradição ou igreja?
A família costuma participar com regularidade das atividades religiosas de sua tradição ou igreja? Com que
freqüência?

AVALIAÇÃO

- As atividades são formas de avaliação que podem apontar novos percursos e sugerir novos
desenvolvimentos para essa mesma temática.

- Na composição dos cartazes, questione os estudantes quanto às diferenças que eles percebem
entre as palavras, entre os animais, entre as pessoas. Observe se eles demonstram perceber a
importância dessa atividade.

- Observe também se os estudantes percebem diferenças entre eles e se estão construindo um


relacionamento de respeito entre si.

- Faça registros dessas avaliações durante o desenvolvimento de todo o trabalho com Ensino
Religioso, anotando os avanços alcançados pelos estudantes, bem como as dificuldades
demonstradas. Esses registros auxiliam no planejamento das necessárias retomadas de
conteúdos e das intervenções pedagógicas mais adequadas à situação da turma.

14
CICLO I
TEMA 2: A RELIGIÃO NA VIDA DAS PESSOAS

OBJETIVO
Reconhecer a diversidade religiosa presente na
< classe, construindo um referencial de respeito às
diferenças.

CONTEÚDO
Tradições religiosas: a religião na vida das pessoas.
?

CONVERSANDO SOBRE
As religiões fazem parte da estruturação das sociedades. Nossa cultura está impregnada da
influência de diferentes tradições religiosas de matrizes indígena, africana, ocidental e oriental.
Detenha o olhar sobre o que cada uma delas ensina para a convivência pacífica.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
RECURSOS NECESSÁRIOS

CD com música ambiental (tranqüila).


=

Folhas para desenho.


=

Lápis de cor ou giz-de-cera.


=

Papel para o painel.


=

ATIVIDADE 1

Peça aos estudantes que fechem os olhos. Leia a poesia “Religião” e oriente-os para que, durante a
=
leitura, pensem, por meio de imagens, no significado do que estão ouvindo.

Coloque uma música orquestrada e calma de fundo.


=

RELIGIÃO
Diná Raquel Daudt da Costa

Religião depende de cada um


É a crença, a fé e o amor
Que as pessoas cultivam
Nas suas casas, nas igrejas,
Nos templos, na natureza.
Boa é a religião
Do índio, do branco,
Do amarelo e do negro
Que ensina o respeito e o amor
Por todos os seres.

15
CICLO I

Em seguida,
= peça que os estudantes desenhem o que sentiram ou imaginaram durante a leitura
do poema.

Sentados
= em círculo, cada um por sua vez mostrará seu desenho, fazendo um comentário a
respeito.

AVALIAÇÃO
Os trabalhos deverão ser recolhidos e guardados para a aula seguinte. Por meio desses desenhos, o
professor pode ter uma visão avaliativa das diferentes concepções e compreensões que os
estudantes estão conseguindo elaborar sobre a importância da religião na vida das pessoas.

ATIVIDADE 2

Tendo em
= mãos as respostas do questionário proposto anteriormente, conduza uma conversa
sobre a religião de cada um e sobre a importância de se ter uma religião para si.

Depois que
= todos tiverem falado, leia novamente a poesia “Religião” e converse sobre seu
conteúdo.

Em seguida,
= explique para os estudantes que existem muitas religiões no mundo e que todas
ensinam pequenos segredos que nos ajudam a conviver bem com as pessoas.

Cristianismo – “Tudo aquilo, portanto, que quereis que os outros vos façam, fazei-o vós a eles.”
(Jesus – Mat. 7,12)

Islamismo – “Nenhum de vós sois um crente até devotar pelo próximo o amor que devotais a vós
mesmos.” (Maomé)

Budismo – “Não firais os outros com o que vos fere.” (Buda)

Hinduísmo – “Não façais aos outros aquilo que, se a você fosse feito, causar-lhe-ia dor.”
(Mahabharata, grande épico hindu)
16
CICLO I
Judaísmo – “O que é odioso a vós, não façais aos outros.” (Hillel, um mestre judeu).

Mostre para os estudantes que, apesar das palavras diferentes, os ensinamentos dessas tradições
=

religiosas são parecidos.

Peça a eles que desenhem o que entenderam dessas mensagens. Junte os desenhos aos trabalhos
=

da aula anterior e monte um grande painel com o título “A religião na vida das pessoas”.

DICAS DA ÁREA

Procure, sempre que possível, trabalhar com os estudantes sentados em círculo para que
haja maior interação entre eles.

17
CICLO I
TEMA 3: O QUE SÃO SÍMBOLOS RELIGIOSOS

OBJETIVO

Perceber a existência de diferentes símbolos religiosos, identificando-os e estabelecendo relações


<

de significado.

CONTEÚDO

Símbolos religiosos: o que são símbolos religiosos.


?

CONVERSANDO SOBRE

Os símbolos nos rodeiam e não há cultura sem a presença deles. Mesmo um professor pode se tornar
um símbolo para seus estudantes. Por exemplo: um símbolo de dedicação.

Os símbolos estão presentes em nosso dia-a-dia e representam idéias ou transmitem mensagens.


Em se tratando dos símbolos religiosos, estes representam idéias sobre o Transcendente (Deus) ou
um conhecimento de ordem espiritual. Este conteúdo tem a função de mostrar ao estudante que, em
praticamente todas as culturas e tradições religiosas, encontramos uma grande variedade de
linguagens simbólicas.

Neste Ciclo, o processo de aprendizagem envolve a decodificação dos símbolos religiosos e a


comunicação de idéias por eles representadas.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

CD com música calma.


=

Objetos simbólicos.
=

Cartolinas.
=

ATIVIDADE 1

Conduza os estudantes a um momento de introspecção, levando-os


= a visualizar algumas imagens.

Se possível,
= coloque os estudantes deitados em tapetes ou com a cabeça repousada na sua
carteira.

Solicite que
= fechem os olhos e procurem imaginar situações relacionadas ao que for dito. Coloque
música suave de fundo, mantenha o ambiente calmo e fale com voz pausada:
19
CICLO I

Crianças, agora nós vamos fazer um passeio imaginário. Peguemos nossas bicicletas e vamos
embora! (pausa) Estamos indo para um bonito parque. Vamos, pedalem! Opa! chegamos! (pausa)
Que lugar lindo! Vejam, lá adiante tem um rio e também uma ponte. Na beira da ponte há um mastro
onde estão duas bandeiras. De onde serão essas bandeiras? Vamos chegar mais perto para olhar.
Uma é verde, amarela, azul e branca. Ah! É a bandeira do Brasil! A outra, verde e branca, é a bandeira
do Paraná. Agora, nós vamos sentar na grama e descansar! (pausa) Pronto! Já podemos voltar. Foi
um lindo passeio. Devagarinho, vamos abrir os olhos e dar uma espreguiçada.

Em seguida, distribua folhas de papel e peça que os estudantes reproduzam o passeio imaginário.
=

Depois, sente-os em círculo e cada um por sua vez


= mostrará o seu desenho e falará sobre ele.

Explique que, nos desenhos, há símbolos que representam o nosso país, o nosso estado e a nossa
=

cidade. Mostre outros símbolos que tenham significados religiosos. Exemplos: vela, sino, flor, água,
crucifixo, etc. É necessário escrever abaixo deles o seu significado.

Sugira, então,
= um passeio pela escola, ou ainda pelo quarteirão, para que observem e apontem o
significado de todos os símbolos que encontrarem.

ATIVIDADE 2

Para esta
= aula, prepare um cartaz com desenhos de símbolos religiosos e não religiosos, como os
exemplos abaixo.

Explique aos estudantes quais são os símbolos que representam religiões.


= Acrescente que existem
outros símbolos de outras religiões e que todos são muito importantes.
20
CICLO I
Questione-os se há desses símbolos ou outros em sua casa e peça que os apresentem na aula
seguinte. Para isso, envie um bilhete explicativo à família.

ATIVIDADE 3

Cante com os estudantes, em pares, uma cantiga de roda que propicie uma vivência de integração.
=

A canção “Ai bota aqui o seu pezinho” é uma sugestão. Oriente coreografias condizentes com a letra
da canção.

Ai bota aqui, ai bota aqui o seu pezinho,


O seu pezinho bem juntinho com o meu,
E depois não vá dizer que você se arrependeu!
E depois não vá dizer que você se arrependeu!
(Domínio público)

Peça aos estudantes


= que sentem no chão, em círculo.

Coloque
= no centro uma toalha branca, ou uma folha de papel grande, e sobre ela faça uma
exposição dos símbolos que eles trouxeram. Contribua também com alguns, inclusive com os não
religiosos.

Peça que
= os estudantes identifiquem o que é símbolo religioso e o que não é, dando oportunidade
para que exponham suas idéias. Complemente as explicações, se achar necessário.

Converse com os estudantes mostrando a importância do respeito aos objetos simbólico-religiosos,


=

visto que representam idéias e ensinamentos de uma determinada religião.

Proponha aos estudantes a criação de um símbolo que os identifique enquanto turma. Esse símbolo
=

poderá ser confeccionado em tamanho grande e fixado na parede da sala ou até no material escolar
de cada um deles.

AVALIAÇÃO
- Se quiser, reproduza vários símbolos em papel A4 e entregue para os estudantes a fim de que
reconheçam a origem desses símbolos. Dessa forma, será possível avaliar se os estudantes estão
estabelecendo relações e atribuindo significado para os símbolos trabalhados, bem como
identificando a religião que representam.

21
CICLO I
TEMA 4: EU E OS OUTROS SOMOS NÓS

OBJETIVO
Reconhecer o direito à diferença, aceitando a si mesmo e aos outros com respeito.
<

CONTEÚDO
Alteridade: eu e os outros somos nós.
?

CONVERSANDO SOBRE
Um dos propósitos do trabalho com este conteúdo é promover uma reflexão com os estudantes para
que percebam que, apesar das diferenças individuais, sejam elas físicas, sociais ou étnicas, somos
todos seres humanos, iguais. Temos as mesmas necessidades de ser saudáveis e felizes, de nos
alimentar e de viver bem em comunidade, como qualquer pessoa no mundo.

Podemos ir mais longe no entendimento de que essas necessidades, uma vez supridas, garantem
qualidade de vida. Cabe notar que não se restringem apenas à espécie humana, mas envolvem toda
a biodiversidade. Por exemplo: percebemos que, na natureza, os diferentes seres vivos tendem a se
agrupar, como os peixes em cardumes, os gansos em bandos, as árvores em florestas, etc. Todos
buscam a manutenção da vida com qualidade.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
RECURSOS NECESSÁRIOS

Globo terrestre.
=

Mapa-múndi.
=

Papel-bobina ou outro.
=

CD com música sobre o tema felicidade.


=

ATIVIDADE 1

Coloque uma música que aborde o tema felicidade, ou ainda sonhos, paz, natureza.
=

Escreva
= no quadro-de-giz frases que evoquem temas relacionados a uma vida de qualidade,
ressaltando a beleza e a harmonia que existem na natureza, da qual fazemos parte.

Sugestões:
Eu e a natureza somos um.
Conviver é saber acolher o outro com carinho e atenção.
A felicidade consiste na vida em harmonia com todos os seres.

Leia e comente o significado das frases com os estudantes.


=
23
CICLO I

Apresente o globo terrestre e sua divisão geográfica, apontando os diversos continentes e as etnias
=

que deles fazem parte.

Peça para
= os estudantes que desenhem a parte visível do globo e pintem os continentes e os
oceanos com cores diferentes. Esse trabalho pode ser feito também com bolas de isopor fixadas em
palitos.

DICAS DA ÁREA

Verifique, com a área de Geografia, as cores adequadas para o desenvolvimento desse trabalho.

ATIVIDADE 2

Inicie a aula
= com uma música cuja temática aborde as cores. Converse sobre ela por alguns
momentos.

Depois, conte, na forma de narrativa oral, a história “O vendedor de balões”, que segue abaixo.
= Para
contar a história, prepare-a com antecedência.

O VENDEDOR DE BALÕES
Anthony de Mello

Um vendedor oferecia balões numa quermesse. Evidentemente,


o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho
soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma
multidão de jovens compradores.
Havia ali perto um menino negro. Estava observando o vendedor
e, é claro, apreciando os balões.
Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou o azul,
depois o amarelo e, finalmente, um branco. Todos foram subindo
até sumirem de vista.
O menino, de olhar atento, seguia cada um. Ficava imaginando
mil coisas. Todavia, uma coisa o intrigava. O homem não soltava
o balão preto. Por isso, aproximou-se do vendedor e perguntou:
– Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto
quanto os outros?
O vendedor sorriu compreensivamente para o menino,
arrebentou a linha que prendia o balão preto e, enquanto ele se
elevava nos ares, falou amavelmente:
– Não é a cor do balão, filho, mas o que está dentro dele que o faz
subir.

(Disponível em: <http:// www.otimismoemrede.com/baloes.htm>.


Acesso em: 20 jul. 2006.)

24
CICLO I
Converse
= com os estudantes sobre o significado da história.

Apresente
= para eles um grande balão confeccionado em papel-bobina, ou outro, para que, em
grupo, pintem-no usando cores variadas.

ATIVIDADE 3

Com o auxílio
= do mapa-múndi, explique para os estudantes que todas as pessoas têm
sentimentos, como os de alegria, prazer e dor; possuem necessidades, como as de comer, brincar e
dormir. Entretanto, apresentam características físicas diferentes, como a cor da pele, do cabelo, dos
olhos, e características culturais também diferentes, como o modo de vestir, de falar e de crer. Não
importa em quem acreditamos, como oramos, como cultuamos. O importante é saber que o “eu” e os
“outros” somos nós: a humanidade!

Peça aos
= estudantes que confeccionem, pintem e colem bonecos de papel, um junto ao outro,
abraçando o mundo feito na 1.ª aula. Acrescente a frase: “Somos todos iguais, mas com
características diferentes”.

Com os
= estudantes, faça uma lista de atitudes que favoreçam a convivência pacífica entre as
pessoas de diferentes culturas e tradições religiosas. Depois, peça que eles transcrevam as
palavras para o caderno e ilustrem-nas.

AVALIAÇÃO

- Como sugestão avaliativa, direcione a realização de desenhos sobre pessoas de diferentes


religiões trabalhando juntas para a construção de um mundo solidário.

- As produções dos estudantes podem ser expostas no interior da própria escola.

25
CICLO I
TEMA 5: AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS DE NOSSA COMUNIDADE

OBJETIVO
Conhecer
< os diferentes grupos religiosos presentes na comunidade, refletindo sobre as diferenças
e o respeito ao outro.

CONTEÚDO

Tradições religiosas: as tradições religiosas de nossa comunidade.


?

CONVERSANDO SOBRE

A intenção do trabalho com este conteúdo é explicar aos estudantes que existem diferentes religiões e
igrejas porque existem distintas concepções religiosas e, conseqüentemente, diferentes maneiras de
cultuar o sagrado e de praticar ou viver a fé.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
RECURSOS NECESSÁRIOS

Folhas para desenho e para um painel.


=

Questionário para uma pesquisa.


=

ATIVIDADE 1

Cante com
= os estudantes uma canção de roda, por exemplo “Peixe vivo”, usando dinâmicas de
modo a propiciar momentos de integração e de relacionamento afetivo.

PEIXE VIVO

Como pode o peixe vivo


Viver fora da água fria
Como poderei viver (bis)
Sem a tua, sem a tua, sem a tua companhia (bis)
(Domínio público)

27
CICLO I

Explique
= para os estudantes que existe uma diversidade de tradições religiosas. Para tanto, utilize
as imagens acima. Enfatize que todas essas crianças gostam de brincar, estudar. Entre as coisas que
as diferenciam estão a religião a que pertencem e o modo que usam para se relacionar com o
Sagrado.

Transcreva
= o texto abaixo no quadro-de-giz, cartaz ou transparência e oriente os estudantes para
uma leitura interpretativa.

A RELIGIÃO
Diná Raquel Daudt da Costa

A religião é formada por um grande número de pessoas que compartilham as mesmas crenças e
seguem as mesmas normas de conduta.
Para muitas pessoas, participar de uma religião ou igreja é algo muito importante, pois é aí que buscam
apoio para uma vida melhor.
Na comunidade religiosa ou comunidade de fé, os adeptos se preocupam também em construir a paz e
vivenciar a solidariedade.

28
CICLO I
Elabore coletivamente uma lista com o nome de religiões ou de igrejas dos estudantes da turma.
=

Proponha
= que cada estudante represente, com desenhos, o que mais gosta na sua religião ou
igreja.

Dê oportunidade para que falem sobre o que representaram.


=

ATIVIDADE 2

Ouça com os estudantes uma música que fale sobre a paz. Na seqüência, converse sobre a letra da
=

música e, se possível, cante-a com eles.

Divida a turma em 3 equipes para que ilustrem, com criatividade, as frases que compõem a música
=

e, depois, peça que apresentem as ilustrações para o grande grupo.

Monte um painel com os trabalhos, com o título “Para viver bem com as diferenças”.
=

Elabore roteiro
= para pesquisa com os familiares sobre as religiões que seguem ou igrejas que
freqüentam. Se os entrevistados não pertencerem a nenhuma religião ou igreja, o estudante poderá
realizar a pesquisa da mesma maneira registrando opiniões, ou entrevistando um parente próximo
ou um amigo. Marque a data para a entrega da pesquisa.

MODELO

Nome:
Idade:
Profissão:
Religião ou igreja a que pertence:
Por que é importante ou não, para você, participar de uma religião ou igreja?

Por meio
= dessa pesquisa, avalie a participação dos estudantes e a sua compreensão sobre como
realizar uma entrevista.

ATIVIDADE 3

Retome a música “Peixe vivo” e


= deixe que os estudantes inventem passos coreográficos para ela.

Colete os
= dados da pesquisa sobre as tradições religiosas e, junto com os estudantes, faça um
levantamento gráfico.

Solicite que
= eles registrem, por meio de desenho, o trajeto escola – casa, localizando, se houver,
igrejas, templos, casas de oração, etc.

Construa
= com os estudantes o mapa dos arredores da escola, localizando todos os espaços
sagrados encontrados.

29
CICLO I

Peça para eles que façam, para a aula seguinte, uma pesquisa em igrejas, ou na comunidade, sobre
=

qual a contribuição que elas têm dado para o bairro.

ATIVIDADE 4

Coloque no quadro-de-giz a frase:


=

Para termos um ambiente harmonioso, gostoso de se viver, cada um deve compreender e respeitar as
pessoas que pensam e agem diferente. Cada um tem o seu jeito de ser.

Converse com os estudantes sobre essa frase enfocando particularmente a questão da diversidade
=

religiosa presente na turma. Enfatize sempre que as pessoas podem ou não possuir uma religião e
que isso não desqualifica ninguém.

Faça o levantamento
= da pesquisa realizada sobre o papel social das igrejas ou comunidades no
bairro. Socialize o resultado da pesquisa em um painel criativo.

Peça que,
= em equipe, os estudantes elaborem um painel com figuras ou desenhos em que
apareçam diversas pessoas com características diferentes (cor, religião, classe social) convivendo
bem.

Crie com
= os estudantes uma frase que sirva de título para o painel e que, ao mesmo tempo,
represente um compromisso de respeito às diferenças.

30
CICLO I
TEMA 6: SÍMBOLOS RELIGIOSOS NA VIDA DAS PESSOAS

OBJETIVO

Identificar os símbolos religiosos, estabelecendo a relação entre seus significados.


<

CONTEÚDO
Símbolos religiosos: símbolos religiosos na vida das pessoas.
?

CONVERSANDO SOBRE

No trabalho com este conteúdo, mostre aos estudantes que símbolos são uma forma de linguagem,
que eles representam e comunicam idéias. Assim, os símbolos religiosos são aqueles que
representam idéias e ensinamentos sobre determinada religião.

As religiões usam muitos símbolos para falar de seus ensinamentos e de seus líderes e também
muitos gestos simbólicos para realizar suas práticas, tais como: orações, cantos, saudações,
celebrações, etc.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

Papel kraft.
=

Papéis coloridos.
=

Papel A4.
=

Cola.
=

Galho seco em forma de árvore.


=

ATIVIDADE 1

Leia a história que segue sobre um objeto da casa


= da avó Dinéia.

O COCAR
Diná Raquel Daudt da Costa

Quando eu era pequena, gostava de ir à casa de minha avó Dinéia e ficar olhando para a parede da sala repleta
de quadros e outros objetos. Mas o que eu achava lindo mesmo era um cocar, feito de lindas penas de diferentes
aves e que ficava pendurado na parede, perto da foto de um garboso índio. Vovó me contou que aquele cocar
pertencera àquele índio, do qual nossa família era descendente.

31
CICLO I

O cocar hoje já está em minha casa e deverá passar mais tarde para meu filho mais velho e assim sucessivamente,
de geração em geração, para lembrarmos que nossa família tem em suas veias o sangue dos primeiros guardiães
desta terra, os indígenas!

Perceba que um simples objeto passou a ter um significado todo especial para uma família, pois traz
à lembrança a sua origem. Lembrança é a recordação de fatos que a gente guarda na memória e que
podem ser identificados por símbolos, ou seja, por objetos que os representam. As religiões usam
muitos símbolos para falar de seus ensinamentos, de seus líderes e usam também gestos simbólicos
para orar, celebrar, fazer uma saudação.

Liste, com a ajuda dos estudantes, alguns gestos simbólicos que eles conheçam.
=

Em papel
= A4, peça que eles desenhem símbolos que lembram ter visto em sua igreja ou
comunidade religiosa.

Monte uma árvore com galhos secos, onde serão fixados os desenhos.
=

ATIVIDADE 2

Oriente os
= estudantes para que pesquisem símbolos de diferentes tradições religiosas. Indique
livros, revistas, jornais, material da internet e outros como fontes de pesquisa.

AVALIAÇÃO

- Para avaliação e registro da atividade, sugerimos que, com papel kraft e papéis coloridos, os
estudantes reproduzam os símbolos religiosos que pesquisaram.

- Peça que dêem um título sugestivo para o trabalho. Se possível, faça uma exposição na escola para
que os outros estudantes apreciem o material elaborado.
32
CICLO I
TEMA 7: AS DIFERENÇAS RELIGIOSAS

OBJETIVO

Identificar
< as diferenças religiosas, vivenciando o respeito e o diálogo no convívio social dos
estudantes.

CONTEÚDO

Alteridade: as diferenças religiosas.


?

CONVERSANDO SOBRE

Por meio de uma relação alteritária, é possível estabelecer um relacionamento respeitoso, solidário
e dialógico com o outro que possui uma crença ou uma visão de mundo diferente da nossa.

Proponha que os estudantes relatem o que eles sabem sobre as religiões e as igrejas existentes em
sua comunidade e sobre como as pessoas do seu convívio vivenciam a religiosidade: participando
de cultos, celebrações festivas, missas, novenas, reuniões de prece, meditação, entre outros.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

Fotos com diferentes expressões religiosas.


=

Revistas usadas.
=

Cartolinas.
=

Giz-de-cera.
=

Cola.
=

Tesouras.
=

ATIVIDADE 1

Com os estudantes
= dispostos em círculo, oriente a realização de uma atividade de sensibilização
com a canção sugerida ou outra que propicie integração e acolhimento entre os participantes.

Conduza a realização das coreografias, conforme sugere a canção.


=

33
CICLO I

PÕE A MÃO

Põe a mão no ombro


Na cabeça, no joelho e no dedão do pé
Dá uma voltinha, um pulinho
E um cutucão no seu vizinho

Põe a mão no ombro, no pescoço


Na cintura e no dedão do pé
Dá uma voltinha, um pulinho
E uma cosquinha no seu vizinho

Põe a mão pra cima, para frente


Para trás e no dedão do pé
Dá uma voltinha, um pulinho
E um abração no seu vizinho
(Domínio público)

ATIVIDADE 2

Reflita com
= os estudantes sobre a importância de saber acolher as pessoas respeitando suas
diferenças religiosas.

Casamento na Igreja Evangélica Ritual Religioso Indígena – Itatiaia – RJ


Fonte: Arquivo SME Fonte: Arquivo SME

Primeira Comunhão na Igreja Católica Apostólica Ritual de Candomblé – Itatiaia – RJ


Romana. Fonte: Arquivo SME Fonte: Arquivo SME
34
CICLO I
Oriente a
= observação e a análise de fotos que contenham ritualizações e práticas religiosas
indígenas, evangélicas, católicas, afro-brasileiras, budistas, espíritas, entre outras.

ATIVIDADE 3

Realize leituras
= coletivas e individuais do texto “As diferenças religiosas”, fazendo a interpretação
e finalmente propondo aos estudantes que ilustrem criativamente o texto.

AS DIFERENÇAS RELIGIOSAS
Iris Boff

Se existem tantas nações O modo diversificado


Também muitas religiões De cultuar o sagrado
Em toda a humanidade Não é feio e nem pecado
Em qualquer comunidade Deve sim ser respeitado
Escola, bairro ou cidade

O sentido de pertença As mensagens religiosas


Que cada religião tem De fé, amor e devoção
Faz a bela diferença São como jóias preciosas
E a riqueza também Guardadas no coração

A liberdade de escolher
Esta ou outra religião
Que ajude melhor viver
É direito do cidadão

ATIVIDADE 4

A título avaliativo, oriente os estudantes para a elaboração de uma lista de atitudes que favoreçam
=

a convivência harmoniosa com pessoas de diferentes crenças. Essas atitudes poderão ser
transcritas em cartazes e ilustradas pelos estudantes com recortes de gravuras ou desenhos.
Organize uma exposição, na escola, com os cartazes.

35
CICLO I
TEMA 8: AS RELIGIÕES E A PRÁTICA DO BEM

OBJETIVO

Identificar
< contribuições dos diferentes grupos religiosos presentes na comunidade para a
construção de uma sociedade mais humana e solidária por meio da prática do bem.

CONTEÚDO

Tradições religiosas: as religiões e a prática do bem.


„

CONVERSANDO SOBRE

É importante considerar que muitas religiões, pelo menos no plano ideal, contribuem com o processo
civilizatório da humanidade por meio de seus ensinamentos e princípios éticos, mas também têm sido
usadas paradoxalmente como instrumento de opressão e dominação. Conforme BERGER (2004, p.
112), “.... a religião aparece na história quer como força que sustenta, quer como força que abala o
mundo. Nessas duas manifestações, ela tem sido tanto alienante quanto desalienante. É mais
comum verificar-se o primeiro caso, devido a características intrínsecas da religião como tal, mas há
exemplos importantes do segundo”. Contudo, diversas religiões e igrejas promovem a prática do
bem, e essa iniciativa comum propicia o diálogo e a aproximação das pessoas de diferentes
concepções religiosas num espírito de compromisso com o bem comum.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

Aparelho de som.
=

CD com a música sugerida.


=

Cópias da canção e do texto.


=

Folhas A4.
=

Cartolinas.
=

Giz-de-cera.
=

ATIVIDADE 1

Num círculo e de mãos dadas, oriente uma dança ao ritmo de uma música clássica.
=

Conclua a atividade de movimentação convidando os estudantes para formarem um abraço grupal,


=

simbolizando a união das pessoas de todas as religiões na construção de um mundo melhor. Então,
recite com eles o poema a seguir.
37
CICLO I

DEPENDE DE NÓS
Serrob

Depende de mim, de você e de todos nós Depende de mim, de você e de todos nós
Que a construção de um mundo melhor Que as mudanças aconteçam dentro e fora de nós!
seja uma realidade!
Depende de mim, de você e de todos nós
Depende de mim, de você e de todos nós Que o respeito e a ternura para com os outros
Que a força da paz prevaleça em nossas mentes permeiem nossas ações!
e corações
Depende de mim, de você e de todos nós
Depende de mim, de você e de todos nós Que o ambiente onde vivo, estudo ou trabalho
Que a vida floresça plena de alegria e bem-querer! seja “um mundo melhor”!

Depende de mim, de você e de todos nós


que o amor alcance a todos os seres,
sem excluir ninguém!

ATIVIDADE 2

Conduza
= um momento de reflexão sobre o conteúdo do poema com a seguinte problematização:
Muitas religiões e igrejas ensinam as pessoas a fazerem o bem aos outros. O que fazem as religiões e
as igrejas de nossa comunidade para ajudar as pessoas a serem mais felizes? De quem depende a
construção de um mundo melhor?

Escreva as
= questões no quadro-de-giz e anote as respostas dos estudantes. Eles poderão copiá-
las em seu caderno.

ATIVIDADE 3

Faça com os estudantes leituras coletivas e individuais e a interpretação do texto que segue.
=

AS RELIGIÕES E A PRÁTICA DO BEM


Borres Guilouski

Fazer o bem É compartilhar com alguém


Sem olhar a quem Um gesto, o tempo
Praticar caridade Algo de bom que se tem
Vivenciar a solidariedade Caridade e solidariedade
São ensinamentos sagrados São valores que podem aproximar
De muitas religiões As pessoas de todas as crenças
Caridade significa doar-se É o sonho de muitos
Em amor ao próximo Transformar em realidade
Sem esperar retribuições Um mundo onde prevaleçam
Solidariedade é apoiar e defender A paz e a liberdade!

38
CICLO I
ATIVIDADE 4

Oriente a realização de entrevistas, a fim de


= que os estudantes conheçam as iniciativas de algumas
tradições religiosas da comunidade para promover a prática do bem.

Os estudantes poderão entrevistar pessoas ligadas a diferentes religiões e igrejas existentes na


comunidade: familiares, vizinhos, professores, entre outros.

Elabore coletivamente um roteiro de entrevista.


=

MODELO

Nome do entrevistado:
Religião ou igreja a que pertence:
O que a sua comunidade religiosa faz para ajudar as pessoas a serem mais felizes?

ATIVIDADE 5

De posse
= dos dados obtidos nas entrevistas, oriente os estudantes para a construção de gráficos
sobre as iniciativas das religiões e igrejas para promover a prática do bem na sociedade.

Faça uma exposição dos gráficos para socializar os resultados da pesquisa.


=

AVALIAÇÃO
- Após as atividades sugeridas e a conversa com os estudantes sobre os resultados da pesquisa,
solicite a eles que, individualmente ou em duplas, escolham a contribuição das igrejas que
consideram mais importante para promover o bem entre as pessoas e registrem-na em uma tira de
papel. Fixe as tiras num mural e peça que os estudantes argumentem perante os colegas em favor da
sua escolha.

39
CICLO I
TEMA 9: PRINCIPAIS SÍMBOLOS RELIGIOSOS DE ALGUMAS RELIGIÕES

OBJETIVO

Conhecer
< e identificar símbolos de algumas tradições religiosas, estabelecendo a relação entre
seus significados.

CONTEÚDO

Símbolos religiosos: principais símbolos religiosos de algumas religiões.


?

CONVERSANDO SOBRE

A linguagem dos símbolos religiosos está na arquitetura, pintura e escultura dos templos, nas vestes
dos monges e sacerdotes, nos objetos e elementos usados nos cultos, na forma gestual e sonora dos
cânticos litúrgicos, entre muitos outros exemplos.

Na seqüência, apresentamos alguns exemplos de símbolos com significados religiosos.

A pomba é o símbolo da paz e, para muitos cristãos, é também o símbolo do


Espírito Santo.

O sol pode ser o símbolo do poder da vida para algumas tradições nativas.

Na Umbanda, uma das tradições afro-brasileiras, a chave é usada para


representar a abertura dos caminhos da felicidade.

As flores usadas nas cerimônias religiosas de muitas tradições


podem representar diferentes significados: amor, gratidão,
devoção, homenagem, etc.

41
CICLO I

Na tradição da Ordem Rosacruz, a rosa aparece no centro de uma cruz,


simbolizando o potencial latente do ser humano a ser trabalhado para que se
desabroche em consciência, amor e sabedoria.

Para alguns grupos cristãos, a cruz simboliza a vitória, a ressurreição de Cristo.

O som do sino pode representar o chamado para a oração e a adoração para alguns
grupos cristãos, ou a sabedoria de Buda para os budistas.

Entre muitos outros significados, a vela simboliza para algumas religiões a fé. Acender
uma vela pode representar, para algumas pessoas, um pedido a Deus, a um santo ou a
um anjo com a intenção de obter um favor divino.

As vestimentas cerimoniais ou os paramentos usados nas cerimônias


religiosas são vestes simbólicas para distinguir os oficiantes na
cerimônia. Entre algumas tradições cristãs, como a católica, a
ortodoxa e a anglicana, representam a ordem ou o grau do sacerdócio
dos oficiantes do ritual. A cor das vestes está relacionada ao tempo
litúrgico ou ao tipo de cerimônia. Os paramentos roxos são usados na
quaresma, no advento ou em ocasiões fúnebres; o branco e o
dourado, em ocasiões festivas, como a Páscoa; o vermelho simboliza
o sangue e é usado em cerimônias que celebram os mártires – o
vermelho e o amarelo são também símbolos do Espírito Santo e cores
usadas na festa de Pentecostes. Para o tempo litúrgico comum, os
paramentos são verdes.

42
CICLO I
O incenso, usado em diversas religiões, tem múltiplos significados, como
meio de purificação dos ambientes, homenagem à divindade ou
adoração. Algumas tradições cristãs, como a católica, a ortodoxa e a
anglicana, usam o incenso em cerimônias solenes. Nessas celebrações,
o incenso é trazido em um turíbulo e representa adoração e ascensão
das preces a Deus.

Os ícones são imagens simbólicas presentes principalmente nas


igrejas ortodoxas. Essas imagens sagradas são consideradas
como pontes ou janelas para Deus e são usadas nas práticas
devocionais.

A imagem de Yemanjá é um símbolo usado nos cultos das tradições afro-


brasileiras. Yemanjá é o Orixá feminino, venerada no Candomblé como
divindade das águas salgadas, protetora da vida, do amor e das famílias.
Na Umbanda, é a rainha do mar e mãe de todos os Orixás. Na forma de
uma linda mulher que emerge das águas, Yemanjá é símbolo da
maternidade para os adeptos das tradições afro-brasileiras.

O símbolo do yin e yang, no Taoísmo, uma religião da China, representa o


movimento de duas energias presentes no Universo, de duas polaridades:
masculino/feminino, positivo/negativo, razão/intuição. O Taoísmo busca o
equilíbrio e a paz entre todos os seres.

43
CICLO I

A Roda da Lei, símbolo do Budismo, simboliza o ciclo de renascimento,


chamado dharma. Segundo os seguidores dessa religião, Buda a colocou
em movimento. O Budismo ensina que devemos ter compaixão por todos
os seres.

A estrela de Davi, de seis pontas, ou selo de Salomão, é um dos símbolos do


Judaísmo. Ela fulgura na bandeira do Estado de Israel. O Judaísmo enfatiza
a necessidade de cumprir a justiça, a qual deve estar vinculada à prática da
caridade.

O hilal, lua crescente, símbolo do Islamismo, tem relação com o calendário


lunar, que ordena a vida religiosa dos muçulmanos. O Islamismo é uma
religião que propaga uma irrestrita submissão e fidelidade a Deus.

O OM é um mantra que representa a perfeição. Ele é o som sagrado para


os seguidores do Hinduísmo. Assim como a cor branca é a reunião de
todas as cores, o OM é a reunião de todos os sons, é a semente de todas
as preces. Muitas pessoas buscam a união com o “todo” através do yoga.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS

RECURSOS NECESSÁRIOS

Fotos de símbolos de algumas


= religiões.
Alguns símbolos
= com significados religiosos, como vela, pão, vinho, uma rosa, cruz, um livro
sagrado.
Cópias de texto.
=

Cartolinas.
=

Folhas A4.
=

Giz-de-cera.
=

44
CICLO I
ATIVIDADE 1

O abraço
= grupal, uma eficiente vivência de sensibilização, faz as pessoas sentirem-se acolhidas e
aceitas no grupo. Como formar um abraço grupal?

- Oriente os estudantes a se posicionarem em círculo, o mais próximo possível, braços nos ombros
ou cintura, estreitando o círculo.

- Durante o abraço, pode-se falar brevemente sobre o seu significado e sobre os sentimentos que
se pretende vivenciar por meio dele, tais como: aceitação, respeito, união, companheirismo, entre
outros.

- Pode-se concluir a vivência cantando e se movimentando ao ritmo de uma canção. A canção que
segue é uma boa sugestão.

CANÇÃO DO ABRAÇO

Um abraço dado Um abraço dado


Muito amor nos traz De bom coração
Desarma a violência É como uma bênção
E constrói a paz Uma devoção
(Domínio público)

ATIVIDADE 2

Promova a reflexão sobre o significado dos diferentes tipos de abraço.


=

Como sugestão, aprofunde a reflexão apresentando aos estudantes as informações e os desenhos


=

do livro “A terapia do abraço”( KEATING, 1997).

Explique
= que, além do abraço, é costume, em diversas culturas, usar outros gestos (ritos) para
cumprimentar ou saudar as pessoas.

Apresente
= as seguintes questões: Como as pessoas se cumprimentam em nossa cultura? Quem
sabe como é o cumprimento no Japão, na Índia, etc.? Nas tradições religiosas de nossa comunidade,
como é realizado esse gesto? Esclareça que o abraço da paz faz parte também do culto religioso em
algumas tradições cristãs.

Explique
= que os diferentes modos de cumprimento são linguagens simbólicas e que, além dos
gestos, existem objetos e elementos diversos usados como símbolos para representar e comunicar
idéias religiosas e não religiosas.

ATIVIDADE 3

Organize,
= sobre uma mesa, uma exposição com diversos símbolos de algumas religiões para os
45
CICLO I

estudantes observarem e depois explique o significado de cada um.

ATIVIDADE 4

Oriente a
= leitura e a interpretação do texto “Os símbolos religiosos”. Depois, transcreva, em
cartolinas, estrofes do texto para serem ilustradas com desenhos pelos estudantes.

Exponha as produções num varal didático.


=

OS SÍMBOLOS RELIGIOSOS
Iris Boff

Tudo o que existe Imagens, cores, formas são


É bom e sagrado De mostrar pelos sinais
A vida é triste A mensagem da religião
Sem o cuidado. De amor, esperança e paz.

A Terra dá para a gente Todo o símbolo que é sinal


Tudo o que ela contém Do Mistério e do Sagrado
Assim todo o ser vivente É riqueza universal
É Divino também. Merece ser respeitado.

Animais, vegetais minerais


De riqueza escondida
São símbolos e sinais
Do mistério da vida.

46
CICLO I
ATIVIDADE 5

Pesquise
= o significado de símbolos usados em algumas tradições religiosas da comunidade.
Exemplos: o significado da água, vela, óleo, vestimenta de culto, estampas, palavras e frases em
camisetas, alianças do casamento, flores, pão, vinho, etc.

Organize
= álbuns do conhecimento sobre os símbolos pesquisados para compartilhar o
conhecimento construído com outras turmas e familiares.

AVALIAÇÃO
- Organize a turma em equipes. Solicite que cada equipe escolha um símbolo religioso e busque mais
informações sobre ele. Solicite que façam os registros por escrito ou com desenhos e os apresentem
à turma.

- Cabe lembrar que todas as atividades são processos pelos quais se podem avaliar a metodologia
adotada e o desempenho dos estudantes, a fim de sanar as dificuldades evidenciadas.

47
CICLO I
TEMA 10: ESPAÇOS SAGRADOS DA COMUNIDADE

OBJETIVO

Conhecer alguns espaços sagrados da comunidade, identificando seu significado e sua função.
<

CONTEÚDO

Espaços sagrados: espaços sagrados da comunidade.


?

CONVERSANDO SOBRE

Muitos espaços sagrados são destinados ao culto religioso propriamente dito, tais como igrejas,
mesquitas, sinagogas, catedrais, templos, terreiros, santuários, etc. Outros são destinados à
formação e à vivência espiritual, como os conventos, mosteiros, casas de retiro, noviciados e
seminários. Porém, observe que há também montanhas, rios, grutas, lagos e cidades tidos como
espaços sagrados, para onde muitas pessoas afluem em peregrinações ou romarias. Os cemitérios e
as catacumbas também são considerados lugares sagrados.

As diversas tradições religiosas privilegiam uma forma ou outra de espaço sagrado. A arquitetura
religiosa possui uma rica significação simbólica, com características que se diferenciam de acordo
com a época, a cultura, os lugares e as crenças.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
RECURSOS NECESSÁRIOS

Fotos de espaços sagrados de diferentes tradições religiosas.


=

Cópias do texto informativo, uma para cada estudante.


=

Cartolinas
=

Giz-de-cera.
=

Cola.
=

Tesoura.
=

Revistas usadas com fotos de igrejas e templos de diferentes religiões.


=

Poema “Cidadão da Terra”.


=

ATIVIDADE 1

Se possível,
= crie com os estudantes uma melodia para o poema sugerido e cantem-na
acompanhando o ritmo com palmas, estalos de dedos ou batida de pés. Outra sugestão é recitar
ritmicamente o poema sugerido.
49
CICLO I

CIDADÃO DA TERRA
Equipe da Assintec

Meu endereço é o planeta Terra Brasil, país da diversidade de povos e culturas


Eu vivo em Curitiba. Coré etiba Tiba, tiba, tiba...
Terra, Terra, Terra... Terra da gente! Terra dos pinheirais!
Eu vivo na Terra, eu sou da Terra Curitiba. Coré etiba. Tiba, tiba, tiba...
E da Terra cidadão eu sou!
Terra, Terra, Terra... Terra, Terra, Terra...
Azul, azul, azul...
A Terra se move no espaço Brasil, Brasil, Brasil..
É como uma imensa bola azul Curitiba. Coré etiba. Tiba, tiba, tiba...
Azul, azul, azul... Terra da gente! Terra dos pinheirais!
É formada de continentes e oceanos
Azul, azul, azul...

No continente da América do Sul


Localiza-se o Brasil
Brasil, Brasil, Brasil...
O Brasil é o meu país
Tem florestas, rios, montanhas e belas cidades. Meu Brasil!
Brasil, Brasil, Brasil...

ATIVIDADE 2

Inicie a reflexão explicando que os homens organizam diferentes espaços nas florestas, nas cidades
=

e nas vilas de acordo com as suas necessidades. Existem espaços destinados à educação, ao
comércio, à moradia, aos esportes, ao lazer e também às práticas religiosas, chamados de espaços
sagrados.

Reflita com
= os estudantes sobre a existência e a finalidade dos espaços sagrados existentes na
comunidade.

Com a participação dos estudantes, liste o nome de templos e igrejas.


=

ATIVIDADE 3

Apresente
= fotos de espaços sagrados de algumas tradições religiosas e oriente a observação e a
análise do material.

ATIVIDADE 4

Faça com os estudantes a leitura e a interpretação do texto “Espaços sagrados”.


=
50
I
CICLOI
CICLO
Igreja Messiânica Ordem Rosa Cruz
Centro Cívico – Curitiba – PR Bacacheri – Curitiba – PR
Fonte: Arquivo SME Fonte: Arquivo SME

ESPAÇOS SAGRADOS
Borres Guilouski

Os espaços sagrados
São locais de prece, de ensino e pregação
São lugares consagrados à prática da devoção
A casa de reza e as grandes florestas
São espaços sagrados dos povos indígenas
Da umbanda e do candomblé é o terreiro
Do judaísmo é a sinagoga
E a mesquita com altos minaretes do islamismo
Os suntuosos templos do hinduísmo e do budismo
Há também os bonitos templos da fé bahá'í
A imponente catedral, os templos e as tendas
As casas de oração e o belo salão do reino
São espaços sagrados
Das diversas igrejas e grupos cristãos

Catedral Nossa Senhora da Luz – Praça Tiradentes Mesquita – Largo de São Francisco
Centro – Curitiba – PR Centro – Curitiba – PR
Fonte:<http://www.curitiba.pr.gov.br> Fonte: Arquivo SME
51
I CICLO
CICLO I

Sinagoga Francisco Frischmann Federação Espírita do Paraná


Curitiba – PR Curitiba – PR
Fonte: Arquivo SME Fonte: Arquivo SME

Igreja Luterana: Comunidade Martin Luther Igreja Ortodoxa


Boa Vista – Curitiba – PR Curitiba – PR
Fonte: Arquivo SME Fonte: Arquivo SME

ATIVIDADE 5

Oriente os
= estudantes para que confeccionem cartazes usando fotos e desenhos feitos por eles
sobre espaços sagrados.

Depois, encaminhe
= a produção coletiva de um texto sobre o tema.

AVALIAÇÃO

- É importante que se processem também formas de auto-avaliação, pelas quais o estudante verifique
seu próprio progresso, localize suas dificuldades e atinja a autonomia para buscar saná-las. Não nos
referimos ao processo de ele simplesmente dar-se uma nota, mas um trabalho mais detalhado de
observação e reflexão sobre suas próprias produções para que desenvolva a autoconsciência.

- O portfólio constitui excelente instrumento para a auto-avaliação.

52