Você está na página 1de 14

PROEDUCADOR

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE EDUCADORES


CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO - PROGRAMA

DESIGN

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de São Paulo - Ano 2012
PROEDUCADOR – Programa de Formação de Educadores do SENAI-SP – Curso
de Especialização – Design – Programa – 16 h

SENAI-SP, 2012

Diretoria Técnica Ricardo Figueiredo Terra

Gerência de Educação João Ricardo Santa Rosa

Supervisão Paulo Rogério Borges

Coordenação dos Programas Eliana Misko Soler

Margarida Maria Scavone Ferrari

Elaboração Raquel Gomes dos Santos

Sheila Cristiane Penitente Gonçalez (Brabo)

Teresa Cristina Vannucci Gouvêa

1
2
SUMÁRIO

I. OBJETIVO..............................................................................................................5
II. REQUISITOS DE ACESSO ...................................................................................5
III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO ................................................................................5
a) Modalidade e carga horária do curso ....................................................... 5
b) Organização de Turmas ........................................................................... 6
c) Desenvolvimento Metodológico do Curso ................................................ 6
d) Conteúdo Formativo ................................................................................. 7
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS ..............................................................................8
V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA......................................................................8
VI. CERTIFICADOS.....................................................................................................9

3
4
I. OBJETIVO

O curso de Design tem por objetivo o conhecimento do Design – ferramenta


estratégica utilizada pelas empresas – como diferencial competitivo, bem como sua
aplicabilidade nos mais variados processos produtivos.

II. REQUISITOS DE ACESSO

Para realizar o curso é necessário exercer uma das funções:


 Docente do quadro:
– instrutor de práticas profissionais – atividades básicas, intermediárias e
avançadas,
– instrutor de aperfeiçoamento profissional – áreas básicas,
intermediárias e avançadas,
– professor,
 Coordenador de Atividades Pedagógicas,
 Coordenador de Atividades Técnicas,
 Orientador de Prática Profissional,
 Orientador Educacional,
 Agente de Qualidade de Vida.

III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO

a) Modalidade e carga horária do curso

O curso de Design é desenvolvido na modalidade presencial com 16 horas.

5
b) Organização de Turmas

As turmas são organizadas com um número máximo de 40 participantes.

c) Desenvolvimento Metodológico do Curso

A proposta metodológica adotada para o curso possibilitará ao docente, aplicar


em situações de planejamento e desenvolvimento de aulas os conceitos de
design adquiridos neste curso, realizando uma prática pedagógica que permita
aos alunos familiarizar-se com esses conceitos primordiais e buscar aplicá-los de
maneira eficiente no desenvolvimento de projetos e processos.

As atividades durante o curso serão desenvolvidas por meio de aulas expositivas


dialogadas para introdução e contextualização dos conceitos de design,
apresentação de casos de sucesso, análise de casos práticos em dinâmicas de
grupo e exercícios práticos.

O participante terá seu desempenho avaliado pelo docente do curso, durante o


desenvolvimento de cada uma das atividades de aplicação, permitindo a solução
de possíveis dificuldades encontradas.

6
d) Conteúdo Formativo

O conteúdo formativo é composto de capacidades técnicas, sociais,


organizativas, metodológicas e conhecimentos a estas relacionados.

Curso: Design: 16 horas


Capacidades Técnicas Conhecimentos
1. Identificar a inserção do design em um produto ou processo. 1 Design:
1.1. Definição
2. Identificar situações, durante os processos de ensino e
1.2. Contexto histórico
aprendizagem, em que o conceito de design possa ser 1.3. Competências em design (segmentos,
aplicado. especialidades)
1.4. O profissional de design
3. Aplicar o conceito de design em diferentes situações dos 2. Design integrado ao processo produtivo
processos de ensino e aprendizagem, considerando, 2.1. Etapas de um projeto de design – Metodologia
3. Design estratégico
principalmente, as atividades que se caracterizem em
3.1. Como atividade transversal
processos ou gerem produtos. 3.2. Inovação orientada pelo design
4. Identificar a transversalidade do design, tendo em vista sua 3.3. Stakeholders
3.4. Resultados gerados pela implementação nas
aplicação em situações adequadas. empresas
5. Identificar possibilidades de colaboração para a construção 3.5. Design sustentável
4. Branding:
de uma cultura do design na instituição.
4.1. Definição
4.2. A importância da “marca” no cenário competitivo
4.3. Interação entre consumidor e
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
marca/posicionamento de mercado/a marca
como patrimônio/valores intangíveis
a. Trabalhar em equipe 4.4. A importância da marca institucional como
resposta à demanda por responsabilidade social
b. Manter-se atualizado com as tendências e sustentabilidade da empresa
c. Ter visão sistêmica
d. Estabelecer interface com outros profissionais
e. Ser criativo

7
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS

SALA DE AULA CONVENCIONAL

PC com pacote Office, acrobat, DVD, som, entradas USB, Internet; 


- rede wireless
- projetor de multimídia (data-show/telão);
- lousa e marcadores;
- flip-chart e canetas;
- fotocópia para programa de aula e textos para discussão;
- papel sulfite A4 e A3;
- caneta hidrocor (12 cores)
- caixa de lápis de cor (12 cores);
- lápis preto e caneta.

V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA

1. ANAIS / 1. Fórum ICSID Design no Mercosul. _ Florianópolis: SENAI/LBDI, 1996.


258 p.

2. BAXTER, Max. Projeto de produto. São Paulo: Edgard Blücher, 1998. 260 p.

3. BONSIEPE, Gui. Design: do material ao digital. Florianópolis: FIESC/IEL, 1997.


192 p. il.

4. GOMES FILHO, João: Design do objeto: bases conceituais. São Paulo:


Escrituras Editora, 2006.

5. KOTLER, Philip: Administração de marketing: a edição do novo milênio/Philip


Kotler; tradução Bazán Tecnologia e Linguística; revisão técnica Arão Sapiro. São
Paulo: Prentice Hall, 2000.

6. MAGALHÃES, Claudio F. de. Design estratégico; integração e ação do design


industrial dentro das empresas. Rio de Janeiro: SENAI/DN, SENAI/CETIQT,
CNPq, IBICT, PADCT, TIB, 1997. 32p.

7. Malaguti, Cyntia. Requisitos ambientais para o desenvolvimento de produtos.


São Paulo: CSPD – Centro São Paulo Design, 2005.

8
8. MELO, Chico Homem de. Design gráfico caso a caso. São Paulo: Associação
dos Designers Gráficos, 2000. 104 p.

9. PETERS, Tom. O círculo da inovação.

10. PHILLIPS, Peter L. Briefing: A Gestão do Design de Projeto. São Paulo: Editora
Blucher, 2008

11. SOUSA, C. S. M. ; GOUVEA, T. C. V. . ABC do Design - 313 termos técnicos


em design. 01. ed. São Paulo: Sebrae, 2004.

12. STRUNK, Gilberto. Como criar identidades visuais para marcas de sucesso.
Rio de Janeiro: Rio Books, 2001. 160 p.

13. TEIXEIRA, Maria Bernadete Santos. O que é design / Maria Bernadete Santos
Teixeira. - Belo Horizonte : SEBRAE/MG, 2009. 16 p. : il. Color.

VI. CERTIFICADOS

O aluno que concluir o curso, demonstrando desempenho de acordo com as


capacidades prescritas como conteúdo formativo, recebe um certificado de
Design.

9
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO


00 Junho/2011 Emissão do documento

10
Programa de Formação de Educadores
SENAI-SP

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial


Departamento Regional de São Paulo
www.sp.senai.br