Você está na página 1de 2

Relação jurídica

Relação jurídica = ligação entre sujeitos.

Mas e nas relações sem sujeito? [Ex: relação com um nascituro (doação para o filho do meu
irmão que nem sequer fora concebido) ou relação do cinema com o ingresso perdido].

—> Relação jurídica = ligação entre centros de interesse.

Centro de interesse ativo = direitos = credor.


Centro de interesse passivo = obrigações = devedor.

—> A diferença se baseava na qualidade do interesse que havia em cada um. [A


justiça era qualitativa]

Hoje isto está superado.

A diferença assumida atualmente é quantitativa, baseada na diferença de


quantidade entre situações ativas e passivas de cada lado. Ou devedor, tem menos
situações ativas que o credor, mas ainda assim as tem.

Ou seja, o centro de interesse aglutina situações jurídicas diversas.

Situações jurídicas subjetivas

Situações jurídicas ativas

Direito subjetivo = o poder de exigir do devedor a execução de um comportamento


afim de atender ao seu interesse. [Seja espontâneamente seja através da
interferência, eu preciso deste comportamento do Daniel para que o meu direito seja
satisfeito.]

Caio Mário fala do “direito subjetivo púbico”.

Direito potestativo = o poder de interferir na esfera jurídica alheia em seu próprio


benefício sem que a pessoa em cuja esfera se intervêm possa se opôr.

Ex: divórcio = mesmo que o parceiro não queria, é um direito se


divorciar.

Ex: anular um contrato no qual há um vício do consentimento (=


alguém que coage a assinar um contrato que eu não queria).

O titular é auto-suficiente porque consegue satisfazer seu interesse


independente da outra parte.

O binômio era poder/direito — dever. Aqui, trata-se de poder/direito —


sujeição.

Poder = o poder de interferir na esfera jurídica alheia em favor dessa pessoa sem
que ela possa se opôr. [—> Poder familiar].

Ônus = poder de impôr um comportamento em seu próprio benefício, mas caso não
seja executado o ônus é dele // impõe a seu títular um direito de executar ou não um
comportamento, mas se ele não executar as consequências negativas serão dele.
[Ônus da prova]

Estado = posição jurídica que o sujeito ocupa no âmbito de certa estrutura.


[Exemplo: na família, o sujeito ocupa o estado de pai // no estado nação, o sujeito
pode estar no estadao de cidãdão, estrangeiro, elegível, não-elegível // em relação
aos atos da vida civil, o sujeito pode ter o estado de capaz, incapaz.]

Situações que visem alterar o estado de uma pessoa são impescritíveis, ou


seja, podem ser ajuizadas a qualquer momento.

Situações jurídicas passivas

Dever = posição daquele sujeito que está obrigado a executar um comportamento


em benefício do credor de modo a promover o seu interesse. [Posição contrário ao
direito subjetivo].

Sujeição = posição do sujeito que deve tolerar a interferência em sua esfera jurídica.