Você está na página 1de 10

Sumário

1. O que são minerais? 3

2. Minério x Mineral 3

3. Minerais Argilosos 4

4. Argila e Minerais Argilosos 4

5. Características Principais das Argilas 6

6. Propriedades Principais 6

7. Os solos argilosos 7

8. Na Engenharia 8

9. A Vila do Pan 9

10. Bibliografia 10

2
1. O que são minerais?
Os minerais são compostos inorgânicos que dão origem aos diversos tipos de
rochas existentes. Podem ser formados na Terra ou serem trazidos por meteoritos de
outros lugares do universo. Eles originam os diferentes tipos de solo quando sofrem
influência do clima e a vegetação de onde se encontram.

De acordo com suas composições químicas, os minerais se dividem em três


grupos principais, os ​minerais metálicos​, que contém em sua composição elementos
físicos e químicos de metal, que possibilitam uma razoável condução de calor e
eletricidade, como por exemplo o ferro, alumínio e cobre, os ​minerais não metálicos​,
que não contém em sua composição propriedades de metal, como o diamante, calcário e
areia e ​os recursos fósseis​, que são tipos de minerais que contém em sua composição
elementos de origem orgânica, como o petróleo, gás natural e carvão.

Figura 1 - Ferro, exemplo de mineral metálico

2. Minério x Mineral
Apesar dos termos serem similares e erroneamente intercambiados
constantemente, os minérios são definidos como agregados de minerais, sendo ricos em
um determinado tipo de mineral principal que possui interesse econômico e/ou
tecnológico. Alguns exemplos de minérios são listados a seguir:

● Argentita: Ag2S - para a extração de prata


● Barita: BaSO4 - para a extração de bário (Figura 2)
● Bauxita: Al2O3 - para a extração de alumínio
● Calaverita: AuTe2 - para a extração de ouro
● Hematita: Fe2O3 - para a extração de ferro
● Magnetita: Fe3O4 - para a extração de ferro (Figura 2)

3
Figura 2 - Da direita para a esquerda: Barita e Magnetita

3. Minerais Argilosos

Quando referimo-nos à minerais, comumente vem-nos à mente a imagem de


substâncias sólidas, duras, algumas de brilho metálico como os minérios de chumbo,
prata, ferro ou manganês, ou também as pedras preciosas, de exuberante beleza por suas
cores, brilho e transparência.

Porém, há um importante grupo de minerais que não se encontram nessa noção


comum e os quais quase não são recordados. Tratam-se dos ​minerais argilosos​, um
importante e complexo grupo de pelo menos 41 tipos de silicatos, principalmente de
alumínio, magnésio ou ferro. Não são formados por processos vulcânicos, nem pelas
altas pressões e temperaturas comuns na formação das rochas metamórficas, mas sim
pelo efeito do intemperismo sobre diversos tipos de rochas, fenômeno que resume-se ao
conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração
e a decomposição das rochas, sendo esses tipos de minerais produtos finais desse
processo e suas derivações geradas através da variação desses processos.

4. Argila e Minerais Argilosos

Argila é o nome dado aos tipos de sedimentos resultantes do processo de


intemperismo, formado por partículas de dimensões muito pequenas, abaixo de 4
micrômetros de diâmetro. Pode ser formada por apenas um mineral argiloso entretanto,
é comum ser formada por uma mistura deles, com predomínio de um. Todos os tipos,
porém, são filossilicatos - ou seja, silicatos que formam lâminas -, de baixa dureza,
densidade relativamente baixa e boa clivagem em uma direção. Rochas argilosas como
folhelho e siltito são também incluídas nesse conceito.

4
Os principais grupos de minerais argilosos são divididos nos grupos da
Caulinite, da Ilite, da Montmorillonite, da clorite, da Vermiculite e dos
interestratificados.

● Caulinite: é formado pela alteração meteórica das rochas ricas em micas e


feldspatos e de transformação de outros minerais argilosos. Sua estrutura não
expande com a água. É visada no mercado, principalmente em uso de cerâmicas
e na indústria do papel, deixando-o mais brilhoso;

Figura 3 - Caulinite
● Ilite: é composta por xisto e outras rochas argilosas. Apresentam ligações
químicas mais fracas e irregularidade em sua composição. Utilizado na
fabricação de cerâmica vermelha e em lamas de perfuração;
● Montmorillonite: decompõem-se nas variedades sódicas e cálcicas. As partículas
são lamelares. Tem propriedade de absorção e adsorção. Utilizado em talcos,
tintas, borrachas, lamas de perfuração e materiais de moldagem.
● Clorite: resultante de rochas ígneas ou metamórficas;
● Vermiculite: é um silicato hidratado de magnésio, alumínio e ferro. Apresenta
maior expansão em contato com água. Utilizado em tintas, plásticos, como
fertilizante, lamas de soldagem, entre outros usos.

Figura 4 - Vermiculite

● Interestratificadas: são modelos estruturais variados de outros grupos de argila.

5
5. Características Principais das Argilas
Os minerais argilosos têm como principal característica as dimensões
extremamente pequenas de seus cristais. Além disso, os apresentam diversas cores, que
variam devido a sua composição química. Assim, exige-se, para identificá-los, métodos
especiais como:

a) análise química quantitativa por fluorescência de raios X ou absorção


atômica;
b) análise mineralógica por difração de raios X ou microscopia eletrônica de
varredura. Em que o método mais usado é a difração de raios X, que fornece um gráfico
chamado difratograma.
A cor das rochas argilosas pode ser bastante variada, como branco, preto,
vermelho, roxo, amarelo, verde, cinza e marrom. Ela depende principalmente da
composição química, mas é influenciada também pelas condições físico-químicas do
ambiente de deposição dos sedimentos. Entretanto, ao analisar-se a cor de uma rocha
sedimentar é preciso antes de tudo verificar se essa cor é primária ou se decorre de
transformações sofridas pela rocha nos milhões de anos após sua formação.

De um modo geral pode-se assim traduzir as diferentes cores:


a) branca – ausência de compostos de ferro, manganês e titânio bem como de
matéria orgânica;
b) cinza e preto – presença de matéria orgânica, às vezes de óxidos de manganês
ou de magnetita;
c) vermelho, laranja e amarelo – presença de óxidos e hidróxidos de ferro;
d) roxa – origem não muito bem esclarecida, parecendo estar ligada a óxidos de
ferro e manganês;
e) verde – compostos de ferro na forma reduzida, presentes em minerais como
clorita, montmorillonite e glauconita. Em alguns casos, a cor pode ocorrer devido a
minerais de cobre ou olivinas.

6. Propriedades Principais
A aplicação industrial das argilas baseia-se fundamentalmente nas suas
propriedades físico-químicas, as quais, por sua vez, derivam de três fatores: o reduzido
tamanho das partículas (inferior a 2 micrômetros); a morfologia dos cristais (em
lâminas) e as substituições isomórficas que ocorrem nesses minerais.

Estes minerais possuem uma elevada área superficial com ligações químicas não
saturadas, o que lhes permite interagir com diversas substâncias. Por isso, possuem um
comportamento plástico quando misturadas com água e, em alguns casos, são capazes
de inchar, aumentando muito de volume.

6
A título de exemplo, observa-se que a área superficial de um tipo de argila, cerca
de 1 grama de sepiolita pode possuir de 100 a 240 metros quadrados de superfície. A
caulinita bem cristalizada, uma das argilas com menor superfície, tem, mesmo assim, 15
metros quadrados por grama de material.

Destacam-se também as por uma enorme capacidade de absorção. Os tipos mais


absorventes chegam a reter água numa proporção de mais de 100% do seu próprio peso.

A hidratação e o inchamento são outras importantes propriedades, sobretudo das


argilas do grupo da montmorillonite. A água pode se acumular entre as camadas e, à
medida que isso ocorre, as folhas vão se separando e o volume total aumenta.

Plasticidade é outro exemplo de característica fundamental das argilas. Como


são formadas de lâminas, a água, ao introduzir-se entre elas, funciona como um
lubrificante, permitindo que essas lâminas deslizem-se entre si. Isso explica a grande
dificuldade que têm os motoristas para dirigir em solo argiloso nos dias de chuva. O
solo torna-se extremamente liso e fica muito difícil manter o veículo alinhado na
estrada.

7. Os solos argilosos
Os solos argilosos são compostos de argila (superior a 35%), alumínio e ferro.
Esses solos apresentam pouca acidez, grande retenção de água e nutrientes, alta
porosidade e são resistentes à erosão. Eles são muito utilizados na agricultura e como
argamassa e na preparação de tijolo.

A terra roxa é um solo argiloso muito importante para a agricultura e eram muito
utilizados na produção de café nos séculos XIX e XX no Brasil. Outro tipo de solo
argiloso é a terra preta que é rica em húmus, tendo como vantagem a porosidade e boa
aeração. Além desses, no Nordeste do país, existe o solo de massapé que é muito fértil,
sendo utilizado na época colonial para cultivo de cana de açúcar

7
.

Figura 5 - Terra roxa


8. Na Engenharia
Embora não primem pela beleza e sejam difíceis de ver e de identificar, os
minerais argilosos estão entre os minerais economicamente mais importantes, não só em
razão do volume produzido como também pelo valor dessa produção.

Cerca de 90% do total produzido destinam-se à fabricação de agregados e


materiais de construção. Os 10% restantes têm variada aplicação, que inclui
absorventes, tintas, papel, borracha, descorantes e produtos químicos e farmacêuticos,
sendo úteis ainda na indústria do petróleo e na agricultura. Essas argilas são chamadas
de argilas especiais e, embora constituam apenas 10% do volume produzido, respondem
por 70% do valor. Os outros 90% são chamados de argilas comuns, argilas cerâmicas ou
argilas vermelhas. Este último nome provém do fato de, quando levadas ao forno,
adquirirem cor de vermelha a marrom.

A título de exemplo, os produtos cerâmicos, os mais associados à argilas, são


compostos de qualquer material inorgânico, não metálico, que foi submetido a um
tratamento térmico em temperatura elevada como parte essencial de sua fabricação
(Kirsch, 1972). Além das argilas, as matérias-primas mais importantes para a cerâmica
incluem quartzo e feldspato.

8
As argilas comuns (argilas cerâmicas) são constituídas geralmente de dois
minerais argilosos, a esmectita e a illite, podendo haver outras espécies associadas. Seu
uso vem sendo feito há milênios, na forma de tijolos, telhas, urnas funerárias, vasos etc.
São também usadas como fonte de alumina e na fabricação de cimento e agregados
leves ou argilas expandidas.

Na fabricação de tijolos, telhas e manilhas utiliza-se praticamente todo tipo de


argila. Preferem-se, porém, aquelas com no máximo 30% de caulinita e com 25-50% de
minerais não argilosos de granulação fina. Se o material for excessivamente plástico,
adiciona-se areia.

No contexto da engenharia de fundações, a presença de argila nos solos deve ser


observada com muita atenção, visto que muitas vezes os solos argilosos, se ignorados,
podem implicar em diversos riscos à construção. Essa preocupação ocorre devido às
propriedades dos minerais argilosos, caracterizados pela má distribuição de tensões no
solos e quando em contato com a água, que pode gerar uma instabilidade nos elementos
de fundação e o deslocamento do terreno.

Sendo assim, os tipos de fundações recomendados são direta ou em estaca, que


devem ser dimensionados corretamente, pois podem gerar problemas de recalque e de
capacidade de carga ou radier, que apresenta alta área de contato com o solo, resultando
em uma boa distribuição de tensões, outras alternativas comuns são a utilização de
fundações profundas, como estacas pré-moldadas ou moldadas in loco e estacas hélice..
Como material de barramento é recomendável devido a sua alta impermeabilidade e
estabilidade.

9. A Vila do Pan
O condomínio Vila do Pan foi lançado em 2005 para hospedar os atletas dos
jogos Pan-Americanos de 2007 e teve sucesso de venda. Construído em um solo
argiloso o condomínio começou a apresentar problemas em sua estrutura pouco tempo
depois da construção. O primeiro registro de problema foi em fevereiro de 2007, alguns
meses antes dos jogos.

“Esse terreno é “fraco” para engenharia. Qualquer aterro em cima dele, faz com
que ele seja comprimido e começa a haver um afundamento’, explica Antonio Eulalio
Pedrosa Araújo, conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio
(Crea-RJ).” – Trecho da reportagem postada no site Terra, de Marcelle Ribeiro em 21
de abril de 2014.

9
10. Bibliografia
Sites consultados em 28 de abril de 2018

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/minerais.htm

https://www.resumoescolar.com.br/quimica/mineracao-e-minerios-ferro-aco-e-aluminio
/

http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas---Rede-Am
etista/Canal-Escola/Minerais-Argilosos-1255.html

Sites consultados em 02 de maio de 2018

https://www.todamateria.com.br/solo-argiloso/

http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=9&Cod=59

https://run.unl.pt/bitstream/10362/9361/1/Santos_2011.pdf

http://proedu.ifce.edu.br/bitstream/handle/123456789/586/Aula_03.pdf?sequence=3&is
Allowed=y

Sites consultados em 04 de maio de 2018

https://www.estudokids.com.br/minerais/

http://geoanalisys.com/noticias-sobre-geofisica/conhec%CC%A7a-os-principais-tipos-d
e-solo-e-suas-fundac%CC%A7o%CC%83es-mais-aconselhaveis/

https://www.mistersabido.com/solo-argiloso/

https://oglobo.globo.com/rio/bairros/dez-anos-sem-uma-solucao-para-vila-do-pan-2078
8254

https://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/moradores-da-vila-do-pan-fazem-protesto-na
-barra-zona-oeste-do-rio.ghtml

https://odia.ig.com.br/_conteudo/rio-de-janeiro/2017-03-17/prefeitura-promete-retomar-
obras-de-infraestrutura-da-vila-do-pan-neste-semestre.html

https://www.terra.com.br/esportes/jogos-olimpicos/2016/rj-moradores-da-vila-do-pan-2
007-sofrem-com-afundamento,e0bcab7f55175410VgnVCM3000009af154d0RCRD.htm
l

https://globoplay.globo.com/v/4071925/

https://oglobo.globo.com/rio/vila-do-pan-acumula-problemas-apos-ter-sido-um-sucesso-
de-vendas-21487157

10