Você está na página 1de 3

Vidrarias e Materiais de Laboratório

1. Almofariz e pistilo: Usado na trituração e pulverização de sólidos.


2. Anel de Ferro com Mufa: Argola metálica que se adapta ao suporte universal,
servindo como suporte para tela de fibra cerâmica refratária, funil de separação
de líquidos não miscíveis entre si, funil simples, etc.;
3. Balão de fundo chato: Utilizado como recipiente para conter líquidos ou
soluções, ou mesmo, fazer reações com desprendimento de gases. Pode ser
aquecido sobre o TRIPÉ com TELA DE AMIANTO.
4. Balão de fundo redondo: Utilizado principalmente em sistemas de refluxo e
evaporação a vácuo, acoplado a ROTAEVAPORADOR.
5. Balão volumétrico: Possui volume definido e é utilizado para o preparo de
soluções em laboratório.
6. Barrilete: São destinados ao armazenamento de água purificada ou reagentes
em laboratórios.
7. Béquer: É de uso geral em laboratório. Serve para fazer reações entre soluções,
dissolver substâncias sólidas, efetuar reações de precipitação e aquecer
líquidos. Pode ser aquecido sobre a TELA DE AMIANTO.
8. Bico de Bunsen: É a fonte de aquecimento mais utilizada em laboratório.
Mas contemporaneamente tem sido substituído pelas MANTAS E CHAPAS
DE AQUECIMENTO.
9. Bureta: Aparelho utilizado em análises volumétricas.
10. Cadinho de porcelana: Peça geralmente de porcelana cuja utilidade é
aquecer substâncias a seco e com grande intensidade, por isto pode ser
levado diretamente ao BICO DE BUNSEN.
11. Cadinho de vidro de placa porosa: Possui a função de um pequeno
recipiente podendo ser aquecido a altas temperaturas, utilizado em
procedimentos de filtração, o cadinho com placa porosa ou de Gooch é
aquecido em forno mufla com placas de diferente porosidade.
12. Cápsula de porcelana: Peça de porcelana usada para evaporar líquidos das
soluções.
13. Coluna de Vigreaux: é parte de um aparelho de destilação fracionada. Ela
provê uma superfície externa para troca de calor, de modo que o vapor que
sai do líquido em ebulição no frasco destilador condensa e evapora diversas
vezes ao longo do caminho entre o líquido em ebulição e a cabeça de
destilação, fazendo que um gradiente de temperatura se estenda ao longo
desse caminho, desde a temperatura mais alta no frasco destilador até a
temperatura mais baixa na cabeça de destilação.
14. Coluna para cromatografia: A cromatografia é uma técnica praticada em
laboratórios de análises em geral. É uma técnica quantitativa, seu processo
de cromatografia é a identificação de substâncias e de separação-purificação
de misturas. A Coluna cromatográfica é um tubo cilíndrico de vidro com
medidas variáveis e com uma válvula de dosagem em uma das
extremidades.
15. Condensador: Utilizado na destilação, tem como finalidade condensar
vapores gerados pelo aquecimento de líquidos.
16. Dessecador: Usado para guardar substâncias em atmosfera com baixo
índice de umidade.
17. Erlenmeyer: Utilizado em titulações, aquecimento de líquidos e para
dissolver substâncias e proceder reações entre soluções.
18. Espátula: Utilizadas para transferência de sólidos, são encontradas em aço
inox, porcelana, níquel, osso e pp.
19. Estante para tubos de ensaio: É usada para suporte de os TUBOS DE
ENSAIO.
20. Extrator de Soxhlet e condensador: indicado para extração de lipídeos, o
aparelho de soxhler possui 3 partes: o condensador, o balão de fundo chato
ou redondo e a corneta.
21. Fio de platina: São usadas para transferir materiais contendo
microorganismos, como bactérias ou leveduras, de um meio de cultura ou
material em análise para outro meio.
22. Frasco Ambar : Permitem guardar as soluções para armazenamento. Nos
frascos de cor âmbar são colocadas as substâncias que se decompõem em
presença da luz.
23. Frasco para DBO : utilizado para determinação da Demanda de Oxigênio
Bioquímico em água, esgoto e resíduos industriais.
24. Frasco para reativos: Permitem guardar as soluções para armazenamento.
Nos frascos brancos são colocadas as soluções que não se decompõem em
presença da luz.
25. Funil: Usado na filtração e para retenção de partículas sólidas. Não deve ser
aquecido.
26. Funil de Buchner: Utilizado em filtrações a vácuo. Pode ser usado com a
função de FILTRO em conjunto com o KITASSATO.
27. Funil de Buchner de vidro com placa porosa e Funil de Buchner de vidro
com placa porosa a vácuo: Utilizado principalmente na filtração a vacuo de
produtos químicos.
28. Funil de separação: Utilizado na separação de líquidos não miscíveis e na
extração líquido/líquido.
29. Kitassato: Utilizado em conjunto com o FUNIL DE BUCHNER em
FILTRAÇÕES a vácuo.
30. Lamparina
31. Mufa Dupla Simples e Pinça para Bureta com garra reta
32. Pera: Acoplado a uma pipeta ajuda a “puxar” e a “expelir” pequenos volumes
de líquidos.
33. Picnômetro: Ideal para determinar a densidade de uma substância.
34. Pinça: Instrumentos utilizados para evitar contato direto com a vidraria ou
outro material de laboratório.
35. Pinça de madeira: Usada para prender o TUBO DE ENSAIO durante o
aquecimento.
36. Pinça Metálica: Usada para manipular objetos aquecidos.
37. Pinça para Bureta: Usada para prender a bureta à haste do suporte.
38. Pinça para condensador: Usada para prender o condensador à haste do
suporte ou outras peças como balões, erlenmeyers etc.
39. Pinça para Termômetro com Cabo: Usada para prender o termômetro.
40. Pipeta Graduada: Utilizada para medir pequenos volumes. Mede volumes
variáveis. Não pode ser aquecida.
41. Pipeta pasteur: A Pipeta de Pasteur é um utensílio utilizado para a
realização de transferências de líquidos, e não medida de volumes.
42. Pipeta Volumétrica: Usada para medir e transferir volume de líquidos. Não
pode ser aquecida pois possui grande precisão de medida.
43. Pipetador: função principal é transportar quantidades precisas de material
líquido.
44. Pipetador automático: função principal é transportar quantidades precisas
de material líquido.
45. Pisseta: Usada para lavagens de materiais ou recipientes através de jatos
de água, álcool ou outros solventes.
46. Placa de petri: São mais usadas em laboratórios de Biologia para
desenvolver meios de cultura bacteriológicos, para observar a germinação
das plantas e de grãos de pólen ou o comportamento de pequenos animais.
Na Química, são utilizadas para reações em escala reduzida e também para
deixar repousar cristais e filtrados.
47. Placa de toque: utilizada em reações químicas que apresentem produção
de gases, salpicos ou até mesmo explosões.
48. Proveta: Serve para medir e transferir volumes de líquidos. Não pode ser
aquecida.
49. Suporte Universal: Utilizado em operações como: Filtração, Suporte para
Condensador, Bureta, Sistemas de Destilação etc. Serve também para
sustentar peças em geral.
50. Termômetro: Mede a temperatura de substâncias ou do ambiente.
51. Tripé e triângulo de arame com tubo de porcelana: serve como suporte
em aquecimento de cadinhos.
52. Tripé e tela de amianto: Sustentáculo para efetuar aquecimentos de
soluções em vidrarias diversas de laboratório é utilizado em conjunto com a
TELA DE AMIANTO que tem por função o suporte para as peças a serem
aquecidas. A função do amianto é distribuir uniformemente o calor recebido
pelo BICO DE BUNSEN.
53. Tubo de ensaio: Empregado para fazer reações em pequena escala,
principalmente em testes de reação em geral. Pode ser aquecido com
movimentos circulares e com cuidado diretamente sob a chama do BICO DE
BÜNSEN.
54. Tubo de Nessler: são tubos de vidro incolor de secção transversal uniforme
e com fundos chatos. Utilizados na função de selecionar determinadas faixas
de comprimento de onda.
55. Tubo em “U” : Estudar por meio de procedimentos experimentais, a Lei de
Stevin, o princípio dos vasos comunicantes e o cálculo de densidade de
líquidos utilizando um tubo em U.
56. Vidro de relógio: Peça de Vidro de forma côncava, é usada em análises e
evaporações. Não pode ser aquecida diretamente.