Você está na página 1de 13

Índice

Introdução ..................................................................................................................................................... 1
Objectivo Geral ............................................................................................................................................. 3
Objectivo Específico ..................................................................................................................................... 3
Metodologia .................................................................................................................................................. 3
ELABORAÇÃO DE UM TRABALHO DE PESQUISA ............................................................................ 4
Estrutura do trabalho de investigação ........................................................................................................... 4
Título ............................................................................................................................................................. 5
Resumo (ou sumário) .................................................................................................................................... 5
Escolha e contextualizado do tema ............................................................................................................... 5
Objecto e objectivos da investigação ............................................................................................................ 6
Revisão bibliográfica .................................................................................................................................... 7
Formulação do problema e enunciado das hipóteses .................................................................................... 7
O questionário ............................................................................................................................................... 8
Análise dos Resultados ................................................................................................................................. 9
Asserções da Investigação ............................................................................................................................ 9
A tese ............................................................................................................................................................ 9
O axioma ....................................................................................................................................................... 9
O postulado ................................................................................................................................................. 10
Referências e citações Bibliográficas ......................................................................................................... 10
Conclusão.................................................................................................................................................... 12
Referências Bibliográficas .......................................................................................................................... 13

1
Introdução
O trabalho escolar é documento que representa o resultado de um estudo ou pesquisa sobre um
assunto. Sua produção pode envolver um ou mais alunos e, necessariamente deverá ter a
coordenação de um orientador. Onde esse conhecimento é o critério de mérito e acesso. Assim,
existem as provas, concursos e diversos outros processo de avaliação pelos quais se constata a
construção ou transmissão do saber. Difundir o conhecimento às esferas externas à comunidade
académica é actividade cada vez mais presente nas instituições de ensino, pesquisa e extensão, e
o texto correspondente a essa prática tem característica própria sem abandonar a maior parte do
critério de cientificidade. A recuperação de conhecimento é outra finalidade do texto académico.
As diversas finalidades do trabalho académico podem se resumir em apresentar, demonstrar,
difundir, recuperar ou contestar o conhecimento produzido, acumulado ou transmitido. Ao
apresentar resultados, o texto académico atende à necessidade de publicidade relativa ao
processo de conhecimento. A pesquisa realizada, a ideia concebida ou a dedução feita perecem
se não vierem ao público; por esse motivo existem diversos canais de publicidade adequados aos
diferentes trabalhos: as defesas públicas, os periódicos, as comunicações e a multimédia virtual
são alguns desses. Com bastante frequência, parcelas significativas do conhecimento caem no
esquecimento das comunidades e das pessoas; a recuperação e manutenção activada maior
diversidade de saberes é finalidade importante da actividades científicas objecto da produção de
texto. No processo de elaboração de um trabalho de pesquisa iremos encontrar as suas estruturas,
bem como a sua organização e os elementos da sua estrutura.

2
Objectivo Geral:

Análise do processo de elaboração de um trabalho de pesquisa.

Objectivo Específico:

Contextualizar a estrutura de um trabalho de pesquisa.

Metodologia:

Pesquisa bibliográfica, consulta de livros e artigos da internet

3
ELABORAÇÃO DE UM TRABALHO DE PESQUISA
Antes da elaboração de um trabalho é necessário consultar várias obras que abordam a respeito
do assunto, pois assim teremos as noções básicas a respeito do assunto para depois tentar
harmonizar as ideias e formar o trabalho de pesquisa.

Investigar significa encontrar vestígios racionalmente observados e fundamentados. Assim, a


primeira tarefa do investigador na elaboração do seu trabalho é demonstrar que o mesmo mostra
regras científicas na sua formulação. Há fundamentalmente, três conduções científicas a observar
na formulação de um trabalho de pesquisa:

 Ter uma terminologia própria, isto é, ter um corpo de conceitos próprios;


 Ter um campo de estudo específico, isto é, ter um objectivo (linha de perspectiva a
desenvolver);
 Utilizar um método científico de pesquisa, percorrer, no mínimo, quatro etapas:
 Observação explícita;
 Formulação do problema e das hipóteses exploratórias;
 Experimentação (em ciências naturais) ou nova observação através da
transformação; de dados quantitativos (em áreas de conhecimento humano);
 Apresentação de asserções (de conhecimento e de valor).

Estrutura do trabalho de investigação


A investigação envolve um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para
problemas ainda não seleccionados. A planificação e a execução da investigação fazem parte de
um processo sistematizado que compreende, estruturalmente, as seguintes componentes.

 Titulo (natureza da investigação)


 Resumo (sumario da dissertação ou tese)
 Escolha e contextualização do tema ( o que fez e porquê?)
 Revisão bibliográfica (o que já foi estudado escrito sobre o tema?)
 Formulação do problema e enunciado das hipóteses (os pressuposto)
 Metodologia aplicada (como? Onde? Com quê?)
 Analise dos resultados (como os objectivos foram atingidos)

4
 Asserções da investigação ( qual é a contribuição da investigação?

Título
O título deve indicar, de forma precisa, a natureza do tema a investigar. Assim, é importante
verificar se o título indica a área sobre versa o tema e o sentido da tese. É de evitar escolher um
título que possa gerar expectativas sobre valorizadas face ao resultado cinético do trabalho.

Resumo (ou sumário)


O resumo deve ser breve sobre o que se fez, o método utilizado e o que se encontrou. Na lista de
questões haverá que se verificar se o resumo está elaborado restringindo-se ao essencial e com
extensão. Fundamentalmente, o sumário da dissertação ou tese deverá convencer, quem o ler, da
importância e da relevância da investigação desenvolvida. Deve pôr em evidência:

 Justificação do tema escolhido e sua importância em relação a outros temas;


 Objecto e objectivo da investigação, com os pontos positivos da abordagem proposta;
 Problemas e hipóteses exploradas;
 Metodologia aplicada, com mínimo de informação sobre o percurso da investigação;
 Resultados obtidos com referências aos dados mais importantes;
 Explicitação das asserções, isto é, as implicações dos resultados face às hipóteses
exploradas;
 Vantagens e benefícios que a investigação pode proporcionar para a ciência e tecnologia.

Escolha e contextualizado do tema


Contextualizar significa abordar o tema de forma a identificar a situação ou o contexto no qual o
problema a seguir será inserido. Corresponde a designar a área de conhecimento a ser
investigada. Corresponde a uma dificuldade, ainda sem solução, que é mister determinar com
precisão para intentar, de seguida, o seu exame, avaliação crítica e solução. O tema não precisa,
necessariamente, ser original. O importante é focar o seu contexto e a atitude a seguir pelo
investigador.

5
Dado que o tema de uma dissertação ou tese requer tratamento científico, deve ser especializado.
Não sendo possível dominar a totalidade de uma ciência específica, faz-se necessário seleccionar
um tema que possa ser tratado em profundidade. As vantagens da especialização são:

 Possibilidade de investigar, em profundidade, uma parte da ciência, chegando a


conclusões e deduções mais concretas;
 Facilidade de encontrar um método mais adequado, que leve ao conhecimento
aprofundado através de técnicas e instrumentos de trabalho;
 Viabilidade na consulta de monografias e artigos especializados, o que será impossível,
dado a sua quantidade, se o campo não for restrito.
 Metodologia do trabalho de investigação (saber - fazer da investigação para dissertações
e teses)

Objecto e objectivos da investigação


A lógica científica ultrapassa a lógica de “isto ou aquilo”, para ser a lógica do “isto e aquilo”. Por
isso, toda a investigação começa pela explicitação do objectivo para os quais se pretende dirigir a
investigação:

 O objecto é a delimitação da problemática a trata, de forma reflexiva, na qual exista


suficiente massa crítica. Neste ponto, deve-se evitar a formulação de grandes temas e os
aspectos distantes das experiências pessoal e dos níveis de informações;
 O Objectivo define as linhas de prospectiva a desenvolver que proporcione valor
acrescentado à situação de partida.

O objectivo tem duas vertentes:

O objectivo geral que indica, de forma genérica, o que se pretende, que metas a alcançar;

Os objectivos específicos que apresentam carácter mais concreto; tem função intermédia e
instrumental, permitindo, de um lado, atingir o objectivo geral e, de outro, aplicar a este a
situações particulares.

6
Revisão bibliográfica
Este ponto põe em evidência o estado de arte sobre a temática do objecto da investigação.
Corresponde ao trabalho da pesquisa bibliográfica, permitindo saber o que tem sido feito na
área temática da investigação escolhida. Diz respeito à fundamentação teórica a adoptar para
tratar o tema e o problema da investigação. Por meio da análise da literatura publicada traça-se
um quadro teórico que permite a estruturação conceitual que dará sustentação ao
desenvolvimento da investigação. Permitirá um mapeamento de que já escreveu e o que já foi
escrito sobre o tema e o problema da investigação.

Para Luna (1997), a revisão bibliográfica tem, fundamentalmente, os seguintes objectivos:

 Determinação do “estado de arte” e o que já sabe sobre o tema, quais as lacunas


existentes e onde se encontram os principais fundamentos teóricos ou metodológicos;
 Revisão teórica, para inserir o problema de investigação dentro de um quadro de
referência teórica a explicá-lo;
 Revisão empírica, procurando explicar como o problema vem sendo investigado do ponto
de vista metodológico e, assim, conhecer quais os procedimentos normalmente
empregados no estudo desse problema e as propostas que têm sido feitas para explicá-los;
 Revisão histórica permitindo recuperar a evolução de um conceito, tema, abordagem ou
outros aspectos fazendo a inserção dessa evolução dentro de um quadro teórico de
referência que explique os factores determinantes e as implicações das mudanças.

Formulação do problema e enunciado das hipóteses


A finalidade da pesquisa científica não é apenas uma descrição de factos levantados
empiricamente, mas o desenvolvimento de um carácter interpretativo, no que se refere aos dados
obtidos. Para tal, é imprescindível correlacionar a pesquisa com o universo teórico, optando-se
por um modelo teórico que sirva de enquadramento à interpretação do significado dos dados e
factos colhidos ou levantados.

Todo o projecto de pesquisa deve conter as premissas ou pressupostos teóricos sobre os quais o
investigador fundamenta sua interpretação. Geralmente, as questões que se colocam à
investigação são:

7
 Qual a razão desta investigação?
 Qual é a natureza do problema?
 O que já disse sobre o problema, que resultados suscitam dúvidas?
 Qual a hipótese experimental?

Por problema entende-se o facto ou fenómeno que ainda não possui respostas ou explicações. A
sua formulação visa identificar a questão a partir da qual a investigação será desenvolvida. Este
ponto é essencial, pois da compreensão do problema depende as fases seguintes. É necessário
que se identifique a incógnita (aquilo que é o problema).

O questionário
O questionário é um instrumento, frequentemente, utilizado na investigação no campo das
ciências sociais e humanos. Trata-se de uma série ordenada de perguntas que devem ser
respondida pelos elementos da amostra a inquerir. O questionário deve ser objectivo, limitado
em extensão e estar acompanhado de instruções, esclarecendo o propósito de sua aplicação, a
importância da colaboração dos inqueridos, facilitar o preenchimento. As perguntas do
questionário podem ser:

 Abertas: qual é a sua opinião?


 Fechadas: duas escolhas: sim ou não?
 De múltiplas escolhas: fechadas com uma série de respostas possíveis.

Young e Lundberg ( in Pessoa, 1998) sugerem um conjunto de recomendações na construção de


um questionário:

 O questionário deverá ser construído em blocos temáticos obedecendo a uma ordem


lógica na elaboração das perguntas;
 A redacção das perguntas deverá ser feita em linguagem compreensível, evitando a
possibilidade de interpretação dúbia e sugerir ou induzir a resposta;
 Cada pergunta deverá focar apenas uma questão para ser analisada pelo inquerido;
 O questionário deverá conter apenas as perguntas relacionadas aos objectivos da pesquisa
e evitar perguntas que, de antemão, se sabe que não serão respondidas com honestidade.

8
Análise dos Resultados
A dissertação ou tese culmina sintetizando os resultados obtidos com a investigação,
explicitando se os objectivos foram antigidos e se as hipóteses foram confirmadas ou rejeitadas.
Este ponto permite desenvolver a capacidade de reconsiderar e de reexaminar o resultado final e
o caminho que se percorreu para atingir, de descobrir novos elementos, de propor alternativas de
resolução. Permite, portanto, verificar se houver falhas durante a resolução, se a solução é ou não
correcta e se obedece às condicionantes.
A apresentação dos resultados deve ser precisa, sucinta, transparente, devendo conter uma versão
condensada dos dados obtidos, no sentido de possibilitar uma leitura rápida e compreensão do
que aconteceu na investigação. Deve incluir apenas os dados tratados, com resumos descritivos e
quadros estatísticos. Os dados originais ou brutos trabalhados devem ser incluídos como
apêndices.

Asserções da Investigação
É com as asserções que o relatório de investigação ganha maior relevância apresentado as
proposições induzidas pelos resultados da pesquisa. Entende-se por asserções a proposição de
um juízo. A asserção pode assumir três formulações: tese, axioma e postulado.

A tese
O termo tese tem origem grega e significa posição. Designa a proposição clara e
terminantemente formulada como hipótese que se submete à discussão ou prova. Corresponde ao
valor da tese que se submete à condição da realização da hipótese (no juízo se A é B é, a
primeira parte - se A é – corresponde à hipóteses e a seguinte – B é – corresponde à tese). Assim
a hipótese, contem a posição do sujeito e a tese contem a posição do predicado.

O axioma
É a proposição de evidencia imediata que não tem necessidade de demonstração, nem pode tê-la,
porque é mais clara que qualquer demonstração.

9
O postulado
É um princípio ou facto reconhecido que, não sendo demonstrado nem evidente, se toma como
ponto de partida de um raciocínio dedutivo. Trata-se, portanto, de uma proposição que não é por
se evidente, mas que, eventualmente, somos levado a admitir porque não vemos outro principio
com legitimidade para a contestar.

É assim, um termo que diz mais respeito à lógica do assentimento e não a lógica da implicação.
Pode dizer-se que o postulado está entre o axioma e a tese. O postulado difere da hipótese de tese
por exprimir um grau maior de assentimento.

Tendo presente esta diferenciação conceptual, o capítulo das asserções deve começar por reiterar
os principais resultados, omitindo os pormenores da formulação estatística. As primeiras
questões a colocar são as seguintes:

 Em que mediada os resultados apoiam a hipótese experimental?


 Os resultados sugerem outras hipóteses que possam ser investigadas experimentalmente?
 Verificam-se falhas no plano da investigação que possa ser eliminadas?

Devem ser indicadas as razoes que tenham contribuído para o facto da experiencia não ter
funcionado como se previu e, assim, sugerir experiencias futuras que possam clarificar o
problema. É importante ressaltar a contribuição da investigação para o meio académico ou para o
desenvolvimento da ciência e da tecnologia.

Referências e citações Bibliográficas


Referência é o conjunto de elementos que permitem a identificação, no todo ou em partes, de
documentos impressos ou registados com diversos suportes matérias. Existem varias formas de
apresentar as referencias bibliográficas, mas, escolhida uma, importa respeita-la no mesmo
trabalho, quer para os livros quer para os artigos. A forma como as referências bibliográficas
deve ser indicadas no texto está especificada em normas. As formas mais utilizadas são:

 Norma portuguesa NP 405, harmonizada com a norma ISSO 690;


 Formato APA – American Psychogical Association;
 Norma portuguesa

10
a) Referência de livro

A referência bibliográfica de um livro fornece seis informações:

 Apelido do Autor; em letras maiúsculas;


 Inicias do nome próprio ou o nome por extenso;
 Título exacto da obra, em itálico ou em entre aspas;
 Local de edição.

11
Conclusão
O processo de elaboração de um trabalho escolar é uma vivência que precisa ser criativa
possibilitando uma interacção rica com pessoas, fontes e recursos diversos, a fim de atingir maior
autonomia com relação à forma de aprender e construir conhecimentos, desenvolvendo uma
visão mais crítica e ampliada. Essa estrutura é aplicada em diversos tipos de trabalho de pesquisa
tal como a monografia, dissertação, trabalho de conclusão de curso e outros. O grupo concluiu
que a existência da estrutura elaboração do trabalho é para facilitar a compreensão do leitor. A
síntese do trabalho de pesquisa é feita de modo a não haver nenhuma dissertação por parte do
leitor. Em suma dizer que a elaboração de um trabalho de pesquisa exige muitos procedimentos e
técnicas de modo que seja feito de uma forma boa e seja perceptível para o leitor.

12
Referências Bibliográficas
BOAVENTURA, E.M. Metodologia da pesquisa. São Paulo, Editora Atlas S.A, 2004

13