Você está na página 1de 306

Vem, e Segue-­Me

Escola Dominical 2017


Recursos de Aprendizado para os Jovens
ensinar e aprender para a conversão

Escola Dominical 2017

Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
© 2016 Intellectual Reserve, Inc.
Todos os direitos reservados

Aprovação do inglês: 5/16


Aprovação da tradução: 5/16
Tradução de Come, Follow Me: Learning Resources for Youth, Sunday School 2017
Portuguese
13570 059
Sobre Este Manual
As lições deste manual são organizadas em uni- citações, histórias ou exemplos que sejam especial-
dades que abordam fundamentos doutrinários do mente relevantes ou inspiradores para os jovens.
evangelho restaurado de Jesus Cristo. Cada lição se Planeje maneiras de ajudá-­los a descobrir esses prin-
centraliza em perguntas que os jovens possam ter e cípios por si mesmos, obter um testemunho deles e
em princípios doutrinários que podem ajudá-­los a aplicá-­los em seus esforços para aprender e ensinar
encontrar respostas. As lições são planejadas para o evangelho.
ajudá-­lo a preparar-­se espiritualmente, a aprender
a doutrina por si mesmo e, em seguida, a planejar Aconselhamento
maneiras de envolver os jovens em experiências
Aconselhe-­se com outros professores e líderes a
eficazes de aprendizado.
respeito dos jovens de sua classe. O que estão apren-

Esboços de aprendizado dendo em outros locais e situações — em casa, no


Seminário, em outras aulas da Igreja? Quais oportu-
Para cada um dos pontos doutrinários listados no nidades eles poderiam ter para ensinar? (Se infor-
sumário, há mais esboços de aprendizado do que mações delicadas forem reveladas nessas conversas,
você conseguirá ensinar durante o mês. Deixe que a mantenha a confidencialidade.)
orientação do Espírito, as perguntas e os interesses
dos jovens o guiem enquanto você decide qual esboço Mais na Internet
ensinará e quanto tempo gastará em cada tópico.
Você pode encontrar recursos adicionais e ideias de
Estes esboços de aprendizado não são feitos para ensino para cada uma dessas lições no endereço LDS.
determinar o que você vai dizer e fazer em classe. org/youth/learn. As lições online contêm:
Seu propósito é ajudá-­lo a aprender a doutrina por
• Links para os ensinamentos mais recentes dos
si mesmo e a preparar experiências de aprendizado
profetas vivos, apóstolos e outros líderes da Igreja.
adaptadas às necessidades dos jovens que você
Esses links são atualizados regularmente, por isso,
ensina.
consulte-­os com frequência.

Preparar-­se espiritualmente • Links para vídeos, imagens e outras mídias que


você pode usar para se preparar espiritualmente e
Para ajudar os jovens a compreender os princípios ensinar os jovens.
contidos nesses esboços, você precisa compreender e • Vídeos que mostram exemplos de ensino eficaz
viver esses princípios por si mesmo. Estude as escri- para melhorar sua capacidade de ajudar os jovens
turas e os outros recursos sugeridos, procurando a se converter.

iii
Sumário

1 Janeiro: A Trindade
3 Como o Espírito Santo me ajuda a aprender?

7 Como o estudo das escrituras pode me ajudar a aprender sobre o Pai Celestial?

11 Como posso ajudar as pessoas a aprenderem sobre o Pai Celestial?

15 Como posso aprender a reconhecer a mão do Pai Celestial em todas as coisas?

19 Como o Espírito Santo me ajuda a ensinar o evangelho?

23 Fevereiro: O Plano de Salvação


25 Por que o aprendizado é parte importante do plano do Pai Celestial?

29 Por que o ensino do evangelho é importante no Plano de Salvação?

32 Qual é o papel do arbítrio no aprendizado do evangelho?

36 Como posso ajudar outras pessoas a se engajarem no aprendizado?

40 Como posso usar a música da Igreja para aprender sobre o Plano de Salvação?

45 Como posso ajudar outras pessoas a entender a doutrina de Cristo?

47 Março: A Expiação de Jesus Cristo


49 Como posso usar as palavras dos profetas e apóstolos vivos para
fortalecer minha fé na Expiação de Jesus Cristo?

53 O que as escrituras podem me ensinar sobre a Expiação de Jesus Cristo?

57 Como o Livro de Mórmon pode me ajudar a fortalecer minha fé na Expiação de Jesus Cristo?

61 De que modo a confiança na graça do Salvador pode tornar-­me um professor melhor?

65 Como posso usar comparações para ensinar a respeito da Expiação?

69 Abril: A Apostasia e a Restauração


71 Páscoa: Como posso prestar meu testemunho da Ressurreição de Jesus Cristo?

74 O que o exemplo de Joseph Smith me ensina sobre o aprendizado do evangelho?

v
79 Como posso reconhecer a diferença entre a verdade e o erro?

83 Por que é importante ensinar a pura doutrina?

86 Como posso aplicar os eventos da Apostasia e da Restauração em minha vida?

90 Como posso explicar a Apostasia e a Restauração a outras pessoas?

95 Maio: Os Profetas e a Revelação


97 O que posso aprender com os profetas e apóstolos vivos?

101 Como posso melhorar meu estudo das escrituras?

105 Como a reverência me ajuda a receber revelação?

108 O que significa prestar testemunho?

112 O que posso aprender com o Presidente Monson sobre seguir o Espírito?

117 Junho: O Sacerdócio e as Chaves do Sacerdócio


119 Como posso participar com eficiência nos conselhos da Igreja?

123 Como os portadores do sacerdócio e as mulheres trabalham


juntos para edificar o reino de Deus?

127 Por que é importante seguir os conselhos dados pelos líderes do sacerdócio?

129 Como o uso das habilidades de estudo das escrituras pode


ajudar-­me a saber mais sobre o sacerdócio?

133 Como posso usar histórias para ensinar outras pessoas sobre o sacerdócio?

137 Julho: As Ordenanças e os Convênios


139 Que verdades espirituais posso aprender com as ordenanças do evangelho?

143 Como posso tornar mais profunda a minha compreensão dos convênios?

147 Como posso tornar o sacramento mais significativo para mim?

152 Como guardo meu convênio de sempre me lembrar do Salvador?

156 Como posso preparar-­me para receber as ordenanças do templo?

161 Agosto: O Casamento e a Família


163 Como manter um diário pessoal abençoará a mim e a minha família?

167 Por que é importante aprender sobre minha história da família?

vi
171 Como posso ensinar outras pessoas a fazer o trabalho de história da família?

175 Como posso explicar a importância do casamento e da família para outras pessoas?

179 Que oportunidades existem para o aprendizado e o ensino no lar?

183 Setembro: Os Mandamentos


185 Como os mandamentos me ajudam a aprender a ser mais semelhante ao Pai Celestial?

189 Como posso ajudar as pessoas a compreenderem meus padrões?

194 Como o cumprimento dos mandamentos afeta minha capacidade de aprender o evangelho?

198 Como posso inspirar outras pessoas a obedecerem aos mandamentos?

202 Que bênçãos o Pai Celestial promete se eu obedecer aos mandamentos?

207 Outubro: Tornar-­se Mais Semelhante a Cristo


209 Como posso convidar as pessoas a se tornarem mais semelhantes ao Salvador?

213 Como posso demonstrar amor por meus alunos?

217 Como o Salvador comparou as verdades do evangelho com objetos e experiências familiares?

222 Como posso usar as escrituras para ajudar as pessoas a se tornarem mais semelhantes a Cristo?

227 Como posso usar perguntas com eficiência ao ensinar?

231 O que posso aprender com o exemplo do Salvador sobre o aprendizado do evangelho?

235 Novembro: Autossuficiência Espiritual e Material


237 Como posso me tornar autossuficiente espiritualmente?

241 Como posso encontrar respostas para minhas próprias perguntas do evangelho?

245 Como posso vencer a dúvida por meio da fé?

249 Como posso aprender a tomar minhas próprias decisões?

253 Como estabelecer metas pode me ajudar a ser autossuficiente?

256 Como posso me preparar para ser financeiramente autossuficiente?

260 Como posso servir de testemunha de Deus?

263 Dezembro: A Edificação do Reino de Deus nos Últimos Dias


265 Natal: Como posso prestar meu testemunho de que Jesus Cristo é o Filho de Deus?

268 Como posso aprender a servir de modo mais eficaz na Igreja?

vii
272 Como posso me tornar um líder melhor?

276 Como posso me tornar um professor melhor?

280 Quais são algumas maneiras eficazes de compartilhar o evangelho com outras pessoas?

284 Como posso compreender os símbolos usados para ensinar a respeito da Segunda Vinda?

287 O que posso aprender nas escrituras que me ajuda na preparação para a Segunda Vinda?

291 APÊNDICE

viii
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Janeiro: A Trindade

”Cremos em Deus, o Pai Eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo, e no Espírito Santo”
(Regras de Fé 1:1).

O conteúdo desta unidade vai ajudar os jovens a aprender a fortalecer a fé dos mem-
bros na Trindade, ao estudar as escrituras e compartilhar seu testemunho com outras
pessoas. Eles vão adquirir experiência de seguir a orientação do Espírito Santo em
seus esforços para aprender e ensinar o evangelho. Incentive-­os a fazer perguntas
sobre o que estão aprendendo, a buscar mais conhecimento e a ensinar suas descober-
tas a outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


Como o Espírito Santo me ajuda a aprender?
Como o estudo das escrituras pode me ajudar a aprender sobre o Pai Celestial?
Como posso ajudar as pessoas a aprenderem sobre o Pai Celestial?
Como posso aprender a reconhecer a mão do Pai Celestial em todas as coisas?
Como o Espírito Santo me ajuda a ensinar o evangelho?

Observação para o professor


Ao longo desta unidade, talvez você queira lembrar
aos jovens que os nomes da Trindade são sagrados
(ver D&C 63:61 ). Incentive-­os a usar esses nomes
com reverência e respeito.

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

1
JANEIRO: A TRINDADE

Como o Espírito Santo


me ajuda a aprender?
O Salvador prometeu que o Espírito Santo vai ensinar-­nos todas as coisas e
vai trazer todas as coisas a nossa lembrança (ver João 14:26). Parte de nossa
responsabilidade como aprendizes do evangelho é buscar a companhia do
Espírito Santo para inspirar-­nos ao estudar o evangelho: em sala de aula, em
nosso estudo pessoal e em outras circunstâncias relacionadas ao evangelho.
Aprender pelo Espírito envolve orar por Sua influência e ouvir Seus sussurros
para iluminar nosso entendimento (ver Alma 32:28).

Preparar-­se espiritualmente
Como o Espírito Santo tem Leia em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que você sente que inspi-
ajudado você a aprender o rará os jovens a procurar aprender pelo Espírito?
evangelho? Que experiên-
João 16:13 (O Espírito Santo nos D&C 11:12–14 (O Espírito ilumina
cias você poderia contar
guiará à verdade) nossa mente)
aos jovens?
I Coríntios 2:9–14 (As coisas de Deus Donald L. Hallstrom, “Convertidos a
Os jovens vêm à aula espiri-
são compreendidas somente pelo Seu Evangelho por Intermédio de Sua
tualmente preparados para
Espírito Santo) Igreja”, A Liahona, maio de 2012, pp.
aprender? Como o apren-
13–15
dizado deles aumentará ao 1 Néfi 10:19 (Se procurarmos diligen-
buscarem o Espírito? temente, o Espírito Santo revelará os A. Roger Merrill, “Receber pelo Espí-
mistérios de Deus) rito”, A Liahona, novembro de 2006,
pp. 92–94
Alma 5:45–46; Morôni 10:3–5 (Por
meio do Espírito Santo podemos “Aprender pelo Espírito Santo”, Pre-
adquirir um testemunho da verdade) gar Meu Evangelho, 2004, p. 18

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

3
• Convide os jovens a compartilhar a Seu Evangelho por Intermédio de
uma experiência, em suas respectivas Sua Igreja”). Por que o Presidente
famílias, de algo que eles tenham Kimball disse que nunca esteve em
aprendido sobre Deus. uma reunião sacramental assim? Peça
aos jovens que compartilhem expe-
• Convide os jovens a lerem sobre
riências nas quais sentiram o Espírito
a resposta do Presidente Spencer W.
durante a reunião sacramental ou em
Kimball à pergunta: “O que você faz
uma aula da Igreja. O que fizeram
quando está numa reunião sacramen-
para preparar-­se espiritualmente para
tal entediante?” (no discurso do Élder
essas experiências? Convide-­os a rela-
Donald L. Hallstrom “Convertidos
cionar suas respostas no quadro.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender o que significa apren-
der pelo Espírito. Seguindo a inspiração do Espírito Santo, selecione uma ou mais delas
“O Espírito deve estar
que melhor funcionem em sua classe:
presente para que uma
mensagem do evangelho • Peça a cada membro da classe suas ideias sobre como podem aplicar
seja levada ao coração para ler uma das escrituras sugeridas os conselhos do irmão Merrill em seu
dos alunos (ver 2 Néfi neste esboço e identificar os papéis do estudo pessoal, na Escola Dominical
33:1; D&C 42:14). Por- Espírito Santo em ajudar-­nos a apren- e em outras circunstâncias em que
tanto, utilize métodos que der o evangelho. Quais são algumas aprendam o evangelho.
proporcionem um clima possíveis consequências de se estu-
• Convide os jovens a ler “Aprender
adequado à aula e convi- dar o evangelho sem a influência do
pelo Espírito Santo” em Pregar Meu
dem o Espírito.” (Ensino, Espírito? Considere a possibilidade de
Evangelho (página 18) e a identificar
Não Há Maior Chamado, compartilhar uma experiência pes-
as bênçãos que recebemos quando
1999, p. 91). soal em que você sentiu a influência
aprendemos pelo Espírito. Com
do Espírito Santo enquanto estava
a permissão do bispo, convide os
aprendendo o evangelho. Convide os
missionários de tempo integral (ou
jovens a compartilhar experiências
um ex-­missionário que regressou
semelhantes.
recentemente) para compartilhar com
• Convide os jovens a ler a lista de a classe como viram essas bênçãos se
A. Roger Merrill de três coisas que cumprir ao procurarem aprender pelo
devemos fazer para receber pelo Espí- Espírito. Peça aos jovens que compar-
rito (em seu discurso “Receber pelo tilhem maneiras específicas em que
Espírito”). Peça a cada membro da aprender pelo Espírito pode abençoar
classe que escolha uma das três coisas a vida deles agora. O que vão fazer
e compartilhe uma escritura ou expe- para convidar o Espírito para seu
riência pessoal que se relaciona com aprendizado do evangelho?
ela. Convide os jovens a compartilhar

4
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou Ensinar à maneira
as impressões que eles têm? Eles compreendem o que significa aprender pelo Espírito? do Salvador
Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?
O Salvador confiava em
Seus discípulos. Ele deu-­
lhes responsabilidades
Convidar a agir para ensinar, abençoar e
servir ao próximo. Que
Pergunte aos jovens o que se sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam
oportunidades você
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar,
pode dar aos jovens de
em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.
compartilhar com outras
pessoas o que eles estão
aprendendo?

5
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder A. Roger Merrill, “Receber perguntas para todos nós. Deixam transparecer o
pelo Espírito”, A Liahona, novembro de 2006, p. 92 desejo de receber.

Em nossas reuniões da Igreja, em nosso estudo Em terceiro lugar, aqueles que recebem pelo Espírito
pessoal e familiar das escrituras e mesmo hoje ao estão dispostos a agir. Conforme ensinou o profeta
ouvirmos os profetas e apóstolos do Senhor, alguns Morôni, a fim de recebermos um testemunho do
de nós “receberão” mais do que outros. Por quê? Livro de Mórmon, precisamos pedir “com real
Estou aprendendo que aqueles que verdadeiramente intenção” (Morôni 10:4). O Espírito ensina quando
recebem fazem pelo menos três coisas que os outros demonstramos o desejo sincero de pôr em prática o
talvez não façam. que aprendermos.

Primeiro, eles buscam. Vivemos num mundo de


entretenimento, num mundo de espectadores. Sem Extraído de “Aprender pelo Espírito Santo”, Pregar Meu
nos darmos conta, podemos acabar vindo à con- Evangelho, 2004, p. 18
ferência ou indo à Igreja com a atitude de: “Aqui
Seu estudo do evangelho será mais eficaz quando
estou, agora me inspirem”. Tornamo-nos espiritual-
você for ensinado pelo Espírito Santo. Sempre
mente passivos.
comece seu estudo do evangelho orando para que o
Quando, em vez disso, nos concentramos em Espírito Santo o ajude a aprender. Ele proporcionará
buscar e receber o Espírito, não esperamos que os conhecimento e convicção que abençoarão sua vida
professores ou oradores conquistem nossa atenção; e permitirão que você abençoe a vida de outras pes-
empenhamo-nos para dar nossa atenção ao Espírito. soas. Sua fé em Jesus Cristo aumentará. Seu desejo
Recordem que “receber” é um verbo. É um princípio de arrepender-se e de melhorar aumentará.
de ação. É uma expressão fundamental de fé.
Esse tipo de estudo irá prepará-lo para o trabalho,
Em segundo lugar, aqueles que recebem, sentem. proporcionará consolo, resolverá problemas e lhe dará
Embora a revelação chegue à mente e ao coração, forças para perseverar até o fim. O estudo bem-suce-
na maioria das vezes ela é sentida. Enquanto não dido do evangelho exige desejo e ação. “Pois aquele
aprendermos a prestar atenção a esses sentimentos que procurar diligentemente, achará; e os mistérios de
espirituais, nem sequer reconheceremos o Espírito. Deus ser-lhe-ão desvendados pelo poder do Espírito
Santo, tanto agora como no pas­sado” (1 Néfi 10:19).
Ao conversar recentemente com uma de nossas Tal como Enos, se você tiver um grande desejo de
noras, ela sugeriu que podemos ajudar até mesmo conhecer as palavras de vida eterna e permitir que
as crianças pequenas a tomarem consciência des- essas palavras “[penetrem] profundamente em [seu]
ses sentimentos do Espírito. Podemos fazer-lhes coração” (Enos 1:3), o Espírito Santo abrirá sua mente
as seguintes perguntas: “Como vocês se sentem ao e seu coração para maior luz e compreensão.
lermos estas escrituras juntos? O que você sente
que o Espírito está inspirando-o a fazer?” São boas

6
JANEIRO: A TRINDADE

Como o estudo das escrituras


pode me ajudar a aprender
sobre o Pai Celestial?
Ao longo das eras, os profetas têm revelado verdades sobre a natureza de
Deus. Ao estudarmos diligentemente o testemunho das escrituras, podemos
aprender sobre os atributos do Pai Celestial e aumentar nossa fé e testemunho.
Quanto mais compreendemos a natureza de nosso Pai Celestial, melhor com-
preendemos nosso próprio potencial divino, como Seus filhos espirituais.

Preparar-­se espiritualmente
Como seu estudo pessoal Ao estudar fervorosamente as escrituras e os outros recursos, procure passagens ou
das escrituras fortaleceu declarações que os jovens podem usar para aprender mais sobre a natureza do Pai
sua fé no Pai Celestial e Celestial.
seu testemunho Dele? Que
Ômni 1:17; Mosias 1:3–7; Alma 37:8–9 Guia para Estudo das Escrituras,
métodos você usou para
(as escrituras nos ajudam a compreen- “Deus”
estudar as escrituras que
der a natureza de Deus)
podem ser benéficos para D. Todd Christofferson, “A Bênção
os jovens? D&C 1:37–39; 18:34–36 (Nas escritu- das Escrituras”, A Liahona, de maio de
ras podemos ouvir a voz de Deus) 2010, p. 32; Ver também o vídeo ”A
Por que é importante que
Bênção das Escrituras”
os jovens conheçam e com-
preendam a natureza do
Pai Celestial? Que escritu-
ras você acha seriam mais Fazer associações
úteis para eles?
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Convide um dos rapazes na classe Sacerdócio Aarônico. Em seguida,


a compartilhar com as moças algo convide uma moça para compartilhar
que aprendeu sobre a Trindade em com os rapazes algo que aprendeu em
uma recente reunião de quórum do sua classe das Moças.

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

7
• Peça aos jovens para refletir sobre esboço ou a seção intitulada “As
a questão “O que acontece com Escrituras Ampliam Nossa Memória”,
aqueles que não têm ou não usam as no discurso do Élder D. Todd Chris-
escrituras?” Convide-­os a procurar tofferson, “A Bênção das Escrituras.”
as respostas para essa pergunta ao Convide-­os a compartilhar o que
lerem as escrituras sugeridas neste encontraram.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender como usar as escritu-
ras para aprofundar sua compreensão da Trindade. Seguindo a orientação do Espírito,
“Muitas vezes uma lição
selecione uma ou mais que melhor funcionem em sua classe:
conterá mais material do
que você será capaz de • Convide os jovens a listarem no das escrituras e tomem nota de qual-
ensinar no tempo que lhe quadro algumas verdades que eles quer coisa que aprenderem sobre o
é dado. Nesses casos, você sabem sobre Deus. Pergunte-­lhes Pai Celestial quando lerem. Você pode
deve selecionar o material como aprenderam essas verdades. sugerir as seguintes passagens: Isaías
que será mais útil para Mostre-­lhes como usar o Guia para 55; 2 Néfi 26:23–33; Mosias 2:19–25;
os alunos” (Ensino, Não Estudo das Escrituras para encontrar Doutrina e Convênios 1:17–39. Eles
Há Maior Chamado, 1999, escrituras que ensinam as verdades podem fazer isso individualmente,
pp. 98–99). sobre Deus que tenham listado (por em grupos, ou como uma classe
exemplo, podem Pesquisar “Trindade, inteira. Convide os jovens a comparti-
Deus, o Pai” ou “Trindade, Deus, o lhar com os outros o que escreveram.
Filho”). Convide-­os a escrever no
• Convide os jovens a lerem indivi-
quadro as referências que encontra-
dualmente o verbete “Trindade” no
rem. Incentive os jovens a comparti-
Guia para Estudo das Escrituras e
lhar quaisquer outras verdades que
a escreverem uma coisa que apren-
aprenderem sobre o Pai Celestial ao
derem sobre Deus, o Pai, naquilo
ler estas escrituras e escrevê-­las no
que leram. Incentive-­os a procurar
quadro. Por que as escrituras são
escrituras relacionadas a esse verbete.
importantes para ajudar a compreen-
Quando todos tiverem terminado,
der Deus?
peça a cada membro da classe para
• Selecione um capítulo ou uma encontrar alguém da classe que tenha
passagem das escrituras e demonstre escrito algo diferente e peça-­lhes
aos jovens o que eles podem aprender para compartilhar com os outros o
sobre o Pai Celestial com esse capí- que aprenderam (inclusive quaisquer
tulo. Por exemplo, você pode mostrar-­ escrituras que tenham encontrado).
lhes como 1 Néfi 1 ensina a respeito Compartilhe como você veio a conhe-
de Sua glória (ver versículos 8–9) e cer o Pai Celestial por meio da leitura
Sua misericórdia (ver versículos 14 e das escrituras e convide alguns dos
20). Dê tempo ao jovens na classe para jovens para compartilhar suas pró-
lerem um capítulo ou uma passagem prias experiências.

8
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou Ensinar à maneira
as impressões que eles têm? Eles entendem como estudar as escrituras pode ajudá-­los a do Salvador
aprender sobre o Pai Celestial? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despen-
O Salvador usava as escri-
der mais tempo nesse assunto?
turas para ensinar e testi-
ficar sobre Sua missão no
plano do Pai. Como você
Convidar a agir pode ajudar os jovens a
aprender a usar as escritu-
Incentive os jovens a usar o que aprenderam hoje para melhorar seu estudo pessoal das
ras para saber mais sobre o
escrituras. Em futuras lições, convide-­os a compartilhar qualquer conhecimento que
Pai Celestial?
adquirirem em seu estudo sobre o Pai Celestial.

9
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder D. Todd Christofferson, “A As escrituras também ampliam nossa memória
Bênção das Escrituras”, A Liahona, maio de 2010, p. 32 ajudando-nos a não esquecer o que nós e as gera-
ções anteriores aprendemos. Aqueles que não têm
As escrituras ampliam nossa memória ajudando-nos
ou que ignoram a palavra escrita de Deus acabam
a lembrar sempre do Senhor, de nosso relaciona-
deixando de acreditar Nele e esquecem o propósito
mento com Ele e com o Pai. Lembram-nos do que
de sua existência. Vocês devem lembrar como foi
sabíamos em nossa vida pré-mortal. Ampliam nossa
importante para o povo de Leí levar consigo as pla-
memória em outro sentido ensinando-nos sobre
cas de latão quando deixaram Jerusalém. Aquelas
épocas, povos e acontecimentos que não vivencia-
escrituras foram essenciais para o seu conhecimento
mos pessoalmente. Nenhum de nós estava presente
de Deus e da Redenção de Cristo que estava por
para ver o Mar Vermelho se abrir nem o cruzou
vir. O outro grupo que “saíra de Jerusalém” pouco
com Moisés, em meio a paredes de água, até a outra
depois de Leí não tinha as escrituras, e, quando os
margem. Não estávamos lá para ouvir o Sermão da
descendentes de Leí os encontraram, cerca de 300 ou
Montanha, para ver Lázaro ser levantado de entre
400 anos mais tarde, lemos que “seu idioma corrom-
os mortos, para ver o sofrimento do Salvador no
pera-se; (…) e negavam a existência de seu Criador”
Getsêmani e na cruz, nem estávamos com Maria,
(Ômni 1:15, 17).
para ouvir os dois anjos testificar no sepulcro vazio
que Jesus havia ressuscitado. Não nos aproximamos, Na época de Tyndale, a ignorância em relação às
um a um, com a multidão na terra de Abundância, escrituras era abundante porque o povo não tinha
a convite do Salvador ressuscitado, para tocar as acesso à Bíblia, principalmente em um idioma que
marcas dos cravos e banhar Seus pés com nossas pudessem compreender. Hoje em dia, a Bíblia e
lágrimas. Não nos ajoelhamos ao lado de Joseph outras escrituras estão prontamente disponíveis,
Smith no Bosque Sagrado e nem contemplamos o mas há um crescente desconhecimento das escritu-
Pai e o Filho lá. Mas sabemos de todas essas coisas e ras, porque as pessoas não abrem os livros e con-
muitíssimo mais porque temos o registro das escri- sequentemente esquecem as coisas que seus avós
turas para ampliar-nos a memória, para ensinarmos sabiam.
o que não sabíamos. E à medida que essas coisas nos
penetram a mente e o coração, a fé que temos em
Deus e em Seu Filho Amado cria raízes.

10
JANEIRO: A TRINDADE

Como posso ajudar as


pessoas a aprenderem
sobre o Pai Celestial?
Muitas pessoas no mundo de hoje não têm nenhum conceito de Deus ou têm
uma percepção da divindade que é muito diferente da Sua verdadeira natureza.
Por termos a plenitude do evangelho, podemos ajudar outras pessoas a com-
preender a verdadeira natureza do Pai Celestial e seu relacionamento com Ele.

Preparar-­se espiritualmente
Que experiências você teve Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e recursos. A seu ver, o que será
ao ensinar outras pessoas mais proveitoso para os jovens a quem ensina?
ou ao ser ensinado sobre
Alma 18:24–40; 22:4–23 (Amon e Aarão “Compreender os Alunos”, Ensino,
Deus, o Pai? Por que você
ensinam os reis lamanitas sobre Deus) Não Há Maior Chamado, 1999,
acha que seria útil enten-
pp. 33–34
der as crenças das pessoas Alma 30:12–15, 37–53 (Corior con-
que você está ensinando? tende com Alma sobre a existência “Deus, o Pai”, Sempre Fiéis, 2004,
de Deus) pp. 52–54
Que oportunidades os
jovens têm de explicar “Deus É Nosso Amoroso Pai Celes-
a outras pessoas suas tial”, Pregar Meu Evangelho, 2004,
crenças sobre Deus, o Pai? pp. 31–32
Como você pode ajudá-­los
a preparar-­se para essas
oportunidades?
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Peça aos jovens para compartilhar têm? Como podem ajudar uns aos
algo que aprenderam recentemente outros a encontrar respostas para suas
sobre a Trindade. Que perguntas eles perguntas?

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

11
• Convide os jovens a passar cerca para compartilhar o que escreveram.
de um minuto escrevendo as coi- Peça aos jovens para compartilhar
sas em que acreditamos sobre o quaisquer experiências que tiveram
Pai Celestial (caso seja necessário, na qual discutiram suas crenças sobre
indique-­lhes “Deus É Nosso Amoroso Deus com a pessoa que tem crenças
Pai Celestial”, Pregar Meu Evangelho, diferentes (ou você poderia comparti-
31–32; ou “Deus, o Pai”, Sempre Fiéis, lhar uma experiência própria). O que
52–54). Convide alguns dos jovens aprenderam com essa experiência?

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a aprenderem a explicar seus
padrões para os outros. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais que
“Receba as respostas incor-
melhor funcionem em sua classe:
retas de forma respeitosa
e educada. Certifique-­se • Em turma ou em pequenos grupos, Amon e Aarão? O que Amon e Aarão
de que a pessoa conti- analisem Alma 30:12–15, 37–53. Peça fizeram para ajudar Lamôni e seu pai
nue a sentir-­se à vontade a alguns dos jovens para identificar a compreender a natureza de Deus?
para participar”. Você os motivos pelos quais Corior não Por que Amon e Aarão começaram
pode optar por assumir a acreditava em Deus e peça aos outros ambos perguntando a Lamôni e a seu
responsabilidade, dizendo para procurar motivos pelos quais pai sobre suas crenças sobre Deus?
algo como: ‘Desculpe-­me. Alma acreditava. Os jovens conhecem Peça aos jovens para compartilhar o
Acho que não fiz essa pessoas que têm opiniões semelhan- que aprenderam e debata com eles
pergunta muito clara- tes às de Corior? Convide os jovens a como poderiam aplicá-­lo quando tive-
mente. Deixe-­me a tentar considerar como poderiam ajudar um rem a oportunidade de explicar suas
de novo’ ” (Ensino, Não Há amigo ou amiga que não sabe sobre a crenças sobre Deus a outras pessoas.
Maior Chamado, 1999, p. 69). existência de Deus. Use algum tempo
• Com a permissão do bispo, convide
ajudando os jovens a planejar o que
um ou mais conversos para a aula
poderiam fazer nessa situação. Quais
para compartilharem o que acredita-
escrituras poderiam compartilhar?
vam sobre Deus antes de filiar-­se à
Como podem devidamente prestar
Igreja e como aprender o evangelho
testemunho?
restaurado mudou ou influenciou
• Convide metade da classe a ler suas crenças. Convide os jovens a
Alma 18:24–40 e a outra metade a ler procurar escrituras que dão suporte à
Alma 22:4–23. O que eles aprendem nova compreensão que os conversos
sobre o ensino com o exemplo de adquiriram sobre o Pai Celestial.

12
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou Ensinar à maneira
as impressões que eles têm? Eles compreendem como ajudar outros a aprender sobre o do Salvador
Pai Celestial? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo
O Salvador conhecia e
nesse assunto?
compreendia aqueles
a quem ensinava. Ele
encontrou meios incom-
Convidar a agir paráveis de ajudá-­los a
aprender e crescer. O que
Pergunte aos jovens o que se sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam
você sabe sobre os jovens a
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar,
quem ensina? Como você
em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.
pode vir a compreendê-­los
melhor? Como isso afetará
a maneira de ensinar-­lhes?

13
Recursos Selecionados

“Deus, o Pai”, Sempre Fiéis, 2004, pp. 52–54 O Supremo Criador

Deus, o Pai, é o Ser Supremo no qual acreditamos O Pai Celestial é o Supremo Criador. Por meio de
e a quem adoramos; é o supremo Criador, Legis- Jesus Cristo, Ele criou os céus e a Terra e todas as coi-
lador e Preservador de todas as coisas; é perfeito, sas que neles há (ver Moisés 2:1). Alma disse: “Todas
Todo-Poderoso e conhece todas as coisas e “tem as coisas mostram que existe um Deus; sim, até
um corpo de carne e ossos tão tangível como o do mesmo a Terra e tudo que existe sobre a sua face, sim,
homem” (D&C 130:22). e seu movimento, sim, e também todos os planetas
que se movem em sua ordem regular testemunham
Nosso Pai Celestial é um Deus de justiça, força,
que existe um Criador Supremo” (Alma 30:44).
conhecimento e poder, mas Ele é também um Deus
de misericórdia, bondade e caridade perfeitas. De vez em quando, pondere sobre as belezas da
Mesmo que nós não conheçamos “o significado de criação: árvores, flores, animais, montanhas, as
todas as coisas”, encontramos paz no conhecimento ondas do mar, um recém-nascido. Reserve algum
inquestionável de que Ele nos ama (ver 1 Néfi 11:17). tempo para contemplar o céu, onde o curso das
estrelas e dos planetas são a evidência de “Deus
O Pai de Nosso Espírito
movendo-se em sua majestade e poder” (D&C
Uma das grandes questões da vida é “Quem sou 88:41–47).
eu?” Uma das músicas preferidas da Primária ajuda
O Autor do Plano de Salvação
até os pequeninos a responder a essa pergunta. Can-
tamos “Sou um filho de Deus, por Ele estou aqui”. O Nosso Pai Celestial deseja que vivamos com Ele
conhecimento de que somos filhos de Deus dá-nos eternamente. Sua obra e Sua glória é “levar a efeito a
força, consolo e esperança. imortalidade e vida eterna do homem” (Moisés 1:39).
Para tornar isso possível, Ele preparou o Plano de Sal-
Você é filho literal de Deus, gerado espiritualmente
vação. Ele enviou Seu Filho Amado, Jesus Cristo, para
na vida pré-mortal. Como filho Dele, você pode ter
que Ele afrouxasse os laços da morte e expiasse pelos
certeza de ter em si um potencial divino e eterno e
pecados do mundo. “Porque Deus amou o mundo de
que Ele o ajudará em seus esforços sinceros de atin-
tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que
gir esse potencial.
todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida
eterna” (João 3:16). Esse sacrifício é a maior expressão
do amor que nosso Pai tem por nós.

14
JANEIRO: A TRINDADE

Como posso aprender a


reconhecer a mão do Pai
Celestial em todas as coisas?
O Profeta Alma ensinou: “Todas as coisas mostram que existe um Deus” (Alma
30:44). O Pai Celestial nos ama e nos abençoa todos os dias. Se formos obser-
vadores, podemos ver a evidência de Seu poder e de Sua influência em nossa
vida e no mundo ao nosso redor. Apesar de não podermos vê-­Lo pessoalmente,
reconhecer Sua mão em todas as coisas pode fortalecer nosso testemunho de
que Ele vive.

Preparar-­se espiritualmente
Quando você já percebeu a Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que vai ajudar os
influência do Pai Celestial jovens a reconhecer a mão de Deus em sua vida?
em sua vida? O que você
Salmos 145:9; 1 Néfi 1:20 (As ternas Henry B. Eyring, “Oh! Lembrai-­vos,
faz para reconhecer Suas
misericórdias do Senhor estão sobre Lembrai-­vos”, A Liahona, novem-
ternas misericórdias?
todas as Suas obras) bro de 2007, pp. 66 — 69; ver tam-
De que maneiras você já bém o vídeo “Oh! Lembrai-­vos,
Alma 30:44; Moisés 6:63 (Todas as
viu a mão do Pai Celestial Lembrai-­vos”
coisas testificam que existe um Deus)
na vida dos jovens? O que
David A. Bednar, “As Ternas Miseri-
pode impedir os jovens de D&C 59:21 (Deus Se ofende quando
córdias do Senhor”, A Liahona, maio
reconhecerem a influência deixamos de reconhecer Sua mão em
de 2005, p. 99; Ver também o vídeo
do Pai Celestial em sua todas as coisas)
“As Ternas Misericórdias do Senhor”
vida? Como aprender a
reconhecer Sua influência Kim B. Clark, “Ter Olhos para Ver
Vídeos: “Deus É Nosso Pai”, “Vivía-
vai abençoá-­los agora e no e Ouvidos para Ouvir”, A Liahona,
mos com Deus” “A Vontade de Deus”
futuro? novembro de 2015, p. 124
Grandioso És Tu, Hinos, nº 43

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):
Veja o apêndice para
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

15
• Peça aos jovens para compartilhar • Compartilhe uma experiência
experiências que tiveram na semana pessoal de quando você tenha reco-
anterior que fortaleceram seu teste- nhecido provas de que Deus guia sua
munho do evangelho. vida, protege-­o ou o tenha abençoado.
Preste testemunho do Pai Celestial.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender como reconhecer a
mão de Deus em sua vida. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais
“Quando alguém lê em
que melhor funcionem em sua classe:
voz alta, você deve incenti-
var os demais a seguirem a • A fim de ajudar os jovens a apren- procurou ver a mão de Deus em sua
leitura em suas respectivas der a ver a mão de Deus na vida vida? Convide os jovens a pensar
escrituras. Convide-­os a deles, convide-­os para ler o discurso sobre as experiências que eles estão
ouvir e procurar princí- “Ter Olhos para Ver e Ouvidos para tendo e a responder por si mesmos às
pios específicos ou ideias. Ouvir”, do Élder Kim B. Clark. O perguntas sugeridas pelo Presidente
Reserve tempo para que que eles aprenderam nesse discurso Eyring: “Deus enviou uma mensagem
possam voltar para cada a respeito de como ver a mão do Pai que era só para mim? Vi Sua mão agir
passagem das escritu- Celestial e ouvir Sua voz? Como parte em minha vida?” Incentive-­os a com-
ras, antes que seja lida” do debate, você poderia falar sobre partilhar suas respostas em duplas
(Ensino, Não Há Maior os benefícios da visão e da audição ou em pequenos grupos. Convide os
Chamado, 1999, p. 56). físicas e também sobre as dificulda- jovens a determinar o que farão para
des de não ser capaz de ver ou ouvir. “encontrar maneiras de reconhecer e
Como você poderia demonstrar a recordar a bondade de Deus”.
importância de ver e ouvir espiri-
• Convide os jovens a cantar, ouvir ou
tualmente? Que exemplos você e os
ler o hino “Grandioso És Tu”. Peça-­lhes
jovens podem compartilhar a respeito
para fazer uma lista ou desenhar no
de ver e ouvir espiritualmente?
quadro coisas nesse hino que indicam a
• Mostre um dos vídeos (ou os dois) grandeza de Deus (eles podem tam-
sugeridos neste esboço. Peça aos jovens bém ler as escrituras citadas no final do
para prestar atenção às razões pelas hino). Quais são algumas outras coisas
quais as pessoas no vídeo acreditam que os jovens poderiam acrescentar a
em Deus. Que evidência de Sua mão essa lista que lhes testificam do poder
essas pessoas veem no mundo ao seu e do amor de Deus? Convide os jovens
redor? Que evidência adicional os a pensar em maneiras criativas de
jovens veem? Convide os jovens a com- poderem expressar seu testemunho do
partilhar seu testemunho da influência Pai Celestial. Por exemplo, poderiam
do Pai Celestial em sua vida. usar suas listas para escrever um breve
hino de sua própria autoria ou pode-
• Convide os jovens a ler o discurso
riam tirar fotografias e preparar uma
do Presidente Henry B. Eyring “Oh
apresentação de slides. Incentive-­os a
Lembrai-­vos, Lembrai-­vos” ou a assis-
compartilharem, nas aulas futuras, as
tir ao vídeo relacionado. Que bênçãos
coisas que aprenderem.
recebeu o Presidente Eyring porque

16
• Escreva as seguintes sentenças “As Ternas Misericórdias do Senhor” Ensinar à maneira
incompletas no quadro: “Eu defi- (ou assistam ao vídeo do mesmo do Salvador
niria uma terna misericórdia como título). Peça que eles compartilhem
O Salvador comparti-
_________. Um exemplo de uma suas ideias. Que exemplos das ternas
lhou histórias simples e
terna misericórdia é ________. Uma misericórdias os jovens perceberam
exemplos da vida real. Ele
terna misericórdia pode passar-­me em sua vida? Como essas experiên-
ajudou seus seguidores a
despercebida se __________”. Con- cias fortaleceram seu testemunho do
descobrirem as lições do
vide os jovens a pensar em como Pai Celestial? Convide-­os a pensar em
evangelho em sua vida
completariam essas frases ao lerem a alguém com quem podem comparti-
diária e no mundo ao seu
seção intitulada “Quais são as ter- lhar suas experiências para ajudar a
redor. Há exemplos ou
nas misericórdias do Senhor?” no fortalecer sua fé.
experiências em sua vida
discurso do Élder David A. Bednar
que poderiam ajudar os
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou jovens a ver como todas as
as impressões que eles têm? Eles compreendem como reconhecer a mão do Pai Celestial coisas testificam que existe
em sua vida? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo um Deus? Os jovens têm
nesse assunto? alguma experiência que
possam compartilhar uns
com os outros?

Convidar a agir
Incentive os jovens a procurar reconhecer a mão de Deus em sua vida durante a
semana que vem. No início da aula na semana seguinte, convide-­os a compartilhar suas
experiências.

17
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder David A. Bednar, “As designação militar que recebera. Mas para essa irmã,
Ternas Misericórdias do Senhor”, A Liahona, maio de como uma voz vinda do pó, de um companheiro
2005, p. 99 eterno e pai que se fora, chegara uma garantia e um
testemunho espirituais tão necessários. Como disse
Em uma recente conferência de estaca, as ternas
antes, as ternas misericórdias do Senhor não ocorrem
misericórdias do Senhor eram claras no testemu-
ao acaso ou por mera coincidência. A fidelidade, a
nho tocante de uma jovem esposa e mãe de quatro
obediência e a humildade convidam as ternas mise-
crianças cujo marido foi morto no Iraque em dezem-
ricórdias a virem a nossa vida e é frequentemente o
bro de 2003. Essa irmã resoluta narrou como, após
sincronismo do Senhor, que nos permite reconhecer e
ter sido notificada da morte do marido, recebeu o
guardar na lembrança essas importantes bênçãos. (...)
cartão de Natal e a mensagem que ele enviara. Em
meio à inesperada realidade de uma vida alterada Não devemos subestimar nem deixar as ternas
dramaticamente, essa boa irmã recebeu um lembrete misericórdias do Senhor passar em branco. A
doce e no momento exato de que, de fato, as famí- simplicidade, a doçura e a constância das ternas mise-
lias podem ser eternas. Com sua permissão, lerei a ricórdias do Senhor muito farão para fortalecer-nos e
mensagem daquele cartão de Natal. proteger-nos nos tempos difíceis em que hoje vivemos
e que ainda virão. Quando as palavras não podem
“À melhor família do mundo! Divirtam-se muito
oferecer o consolo de que necessitamos nem expressar
juntos e lembrem-se do verdadeiro significado do
a alegria que sentimos, quando é simplesmente fútil
Natal! O Senhor fez com que fosse possível viver-
tentar explicar o que é inexplicável, quando a lógica e
mos juntos para sempre. Então, mesmo quando
a razão não conseguem fornecer aplicações adequadas
estamos separados, ainda estamos juntos como
sobre as injustiças e as desigualdades da vida, quando
família.
a experiência mortal e a estimativa forem insuficientes
Deus os abençoe e proteja e permita que este Natal para gerar o resultado desejado e quando parecer que
seja nosso presente de amor para Ele no céu!!! estamos completamente sozinhos, verdadeiramente
seremos abençoados pelas ternas misericórdias do
Com todo meu amor, Papai e seu esposo amoroso!” Senhor e elas nos tornarão fortes com o poder de
libertação (ver 1 Néfi 1:20).
Nitidamente, a observação do marido em seu car-
tão de Natal referia-se à separação causada pela

18
JANEIRO: A TRINDADE

Como o Espírito Santo me


ajuda a ensinar o evangelho?
Ao ensinarmos o evangelho, devemos reconhecer humildemente que o Espírito
Santo é o verdadeiro professor. Nosso privilégio é servir como instrumentos
por meio de quem o Espírito Santo pode ensinar, testificar, consolar e inspirar
outras pessoas. Devemos viver dignos de receber o Espírito, orar por Sua orien-
tação ao preparar e ensinar e criar uma atmosfera em que aqueles que ensina-
mos possam sentir Sua influência.

Preparar-­se espiritualmente
Como você sabe que está Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que você se sente inspi-
ensinando pelo Espírito? rado a compartilhar com os jovens?
Você teve alguma expe-
João 15:26; D&C 50:13–22 ; 52:9 D&C 42:11–17 (Se não tivermos o
riência espiritual no ensino
(O Consolador é enviado para ensi- Espírito, não devemos ensinar)
que poderia compartilhar
nar a verdade)
adequadamente com os Dallin H. Oaks, “Ensinar e Aprender
jovens? 2 Néfi 33:1–2 (O Espírito Santo leva pelo Espírito”, A Liahona, março de
nossas palavras ao coração dos filhos 1997, pp. 6–14
Que oportunidades os
dos homens)
jovens têm de ensinar Matthew O. Richardson, “Ensinar
sobre o evangelho a outras Alma 17:3 (Os filhos de Mosias à Maneira do Espírito”, A Liahona,
pessoas? Eles compreen- prepararam-­se para ensinar com novembro de 2011, p. 94
dem o que significa ensi- poder e autoridade)
nar pelo Espírito? Como “O Poder do Espírito na Conversão”,
você pode ajudá-­los a sen- D&C 11:21; 84:85 (O Espírito vai nos Pregar Meu Evangelho, 2004, pp. 94–95
tir a importância de seguir ajudar a saber o que dizer se buscar-
“Ensinar pelo Espírito”, Ensino, Não
o Espírito ao ensinar? mos obter a palavra de Deus)
Há Maior Chamado, 1999, pp. 40–48

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Peça aos jovens para pensar em Seminário ou em uma noite familiar.


Veja o apêndice para uma ocasião em que sentiram o Espí- O que o professor fez para convidar o
encontrar outras ideias de rito durante uma aula da Igreja, no Espírito?
ensino e aprendizado.

19
• Convide os jovens a listar as opor- pelo Espírito?” Convide os jovens a
tunidades que tiverem para ensinar ponderar, durante a aula, sobre como
o evangelho aos outros. Ajude-­os a podem responder a essa pergunta,
incluir momentos de ensino informal, no tocante às oportunidades de
não planejado, bem como designa- ensino que têm listadas. No final da
ções de ensino formal. Escreva no lição, convide-­os a compartilhar seus
quadro, “O que significa ensinar pensamentos.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender o que significa apren-
der pelo Espírito. Seguindo a inspiração do Espírito Santo, selecione uma ou mais delas
“Não tenha medo do
que melhor funcionem em sua classe:
silêncio. As pessoas muitas
vezes precisam de tempo • Peça aos jovens que selecionem acrescentar à sua lista ao ouvir os
para pensar e responder às uma das seguintes perguntas: por outros grupos. Peça-­lhes para refle-
perguntas ou para expres- que é importante ensinar pelo Espí- tir sobre como podem aplicar o que
sar o que estão sentindo. rito? Como o Espírito nos abençoa aprenderam em uma oportunidade de
Você pode pausar depois como professores? Como o espírito ensino futura.
de fazer uma pergunta, abençoa aqueles que ensinamos? O
• Convide os jovens a ler o discurso
depois de uma experiência que devemos fazer para convidar
de Matthew O. Richardson “Ensinar
espiritual ter sido compar- o Espírito em nosso ensino? Peça a
à Maneira do Espírito”, à procura de
tilhada, ou quando uma cada membro da classe para ler uma
respostas para as perguntas “Como o
pessoa estiver tendo difi- escritura sobre o ensino pelo Espírito
Espírito ensina?” e “Como podemos
culdade para expressar-­se” (como as sugeridas neste esboço) e
fazer o mesmo em nosso ensino?”
(Ensino, Não Há Maior encontre nas escrituras uma resposta
Incentive-­os a relatar uns aos outros
Chamado, 1999, p. 67). para a pergunta que selecionou. Dê
o que aprenderem. Que experiências
aos alunos a oportunidade de com-
tiveram em que um professor ensinou
partilhar suas escrituras e as respostas
“à maneira do Espírito”? Como eles
que encontraram.
podem seguir o exemplo do professor
• Em espírito de oração, selecione da próxima vez que ensinarem?
seções do discurso do Élder Dallin
• Como classe, leiam a experiência
H. Oaks “Ensinar e Aprender pelo
do Élder Richard G. Scott nas pági-
Espírito” ou de Ensino, Não Há Maior
nas 41 e 42 de Ensino, Não Há Maior
Chamado, páginas 40–48, que você
Chamado. Peça aos jovens para com-
sinta que ajudaria os jovens a com-
parar as duas experiências. Por que o
preender o que significa ensinar pelo
Espírito Santo esteve presente durante
espírito. Divida a classe em pequenos
a primeira lição? O que foi diferente
grupos e peça a cada grupo que leia
na segunda lição? Convide os jovens a
uma das seções juntos e faça uma
compartilhar como planejam aplicar o
lista das coisas que podem fazer para
que aprenderam com essas experiên-
ensinar pelo Espírito. Convide os gru-
cias na próxima vez que eles tiverem
pos a compartilhar uns com os outros
a oportunidade de ensinar.
o que aprenderam e incentive-­os a

20
• Entregue a cada aluno uma cópia agora, antes que sirvam uma mis- Ensinar à maneira
de “O Poder do Espírito na Con- são de tempo integral. Incentive-­os do Salvador
versão”, de Pregar Meu Evangelho a completar as atividades “Estudo
O Salvador fazia perguntas
(páginas 94–95). Peça-­lhes para lê-­la pessoal” e “Estudo das Escrituras”
que levavam Seus ouvin-
individualmente em busca de respos- por conta própria (se possível, dê-­lhes
tes à reflexão profunda.
tas para a pergunta “O que significa tempo na sala de aula para começar).
Deu-­lhes oportunidades
ensinar pelo Espírito?” Convide-­os Convide-­os a tomar notas de qual-
de fazer suas próprias per-
a compartilhar o que encontraram. quer coisa que os inspire ao ler essas
guntas e compartilhar suas
Pergunte aos jovens por que sentem escrituras e ao compartilhá-­las com a
próprias ideias. Porque
que é importante saber sobre isso classe em uma aula futura.
ele os amava, sentiram-­se
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou seguros de compartilhar
as impressões que eles têm? Eles compreendem como ensinar pelo Espírito? Têm mais seus pensamentos e sen-
alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto? timentos pessoais. Como
você pode ajudar os jovens
a se sentirem seguros em
compartilhar seus pen-
Convidar a agir samentos e sentimentos
Pergunte aos jovens o que se sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam pessoais?
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar,
em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.

21
Recursos Selecionados

“O Poder do Espírito na Conversão”, Pregar Meu • Siga a orientação do Espírito ao adaptar a


Evangelho, 2004, pp. 94–95 mensagem às necessidades de cada pessoa.

O poder do Espírito Santo é essencial para a conver- • Convide as pessoas a agirem. A fé que elas
são. Procure compreender a doutrina da conversão tiverem irá crescer se elas se arrependerem,
e também o processo da conversão. O Élder Boyd K. obedecerem aos mandamentos, fizerem convê-
Packer explicou o papel fundamental do Espírito na nios e cumprirem esses convênios.
conversão:
O Élder M. Russell Ballard disse o seguinte sobre o
“Quando acontece a conversão, ela vem por meio do poder do Espírito: “A verdadeira conversão acontece
poder do Espírito. Para termos sucesso no trabalho pelo poder do Espírito. Quando o Espírito toca o
missionário, é preciso que aconteçam estas três coisas: coração, o coração sofre uma mudança. Quando o
indivíduo (…) sente o Espírito trabalhando nele, ou
Temos que compreender o que o pesquisador pre­
quando vê uma evidência do amor e da misericór-
cisa sentir para receber a conversão.
dia do Senhor em sua vida, ele é edificado e forta-
Temos que compreender o que o missionário precisa lecido espiritualmente e sua fé Nele aumenta. Essas
sentir para ensinar com o poder de conversão do experiências com o Espírito são uma consequência
Espírito. natural da disposição mostrada pela pessoa de pôr a
palavra à prova. É assim que chegamos a sentir que
E depois disso, temos que compreender o que o mem- o evangelho é verdadeiro”(“Agora É o Momento”, A
bro precisa sentir para ter sucesso em sua participação Liahona, janeiro de 2001, p. 88).
no processo da conversão” (Conferência de presiden-
tes de missão, 3 de abril de 1985). O Espírito Santo age no coração das pessoas para
fazer com que aconteçam essas mudanças. À
Quanto mais você compreender o que os pesqui- medida que as pessoas decidem cumprir os com-
sadores, missionários e membros sentem quando promissos, elas sentem o poder do Espírito Santo
recebem o testemunho do Espírito, melhor você com mais força e desenvolvem a fé para obedecer
compreenderá o seu próprio papel, que é: a Cristo. Por isso, você deve ajudar as pessoas com
quem estiver trabalhando a aumentarem sua fé,
• Ser edificado e ter sua mente iluminada ao
convidando-as a se arrependerem e a assumirem e
pesquisar as escrituras e ensinar a doutrina.
cumprirem compromissos.
• Ao ensinar, criar um ambiente no qual o
Espírito Santo possa prestar testemunho. Você
pode fazer isso ensinando a mensagem da Res-
tauração e prestando testemunho dela. Ensine
conforme for guiado pelo Espírito e testifique
que sabe pelo poder do Espírito Santo que o
que você está ensinando é verdadeiro.

22
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Fevereiro: O Plano de Salvação

Os esboços desta unidade ajudarão os jovens a compreender a importância que o


aprendizado e o ensino têm no Plano de Salvação. O Élder David A. Bednar, do Quó-
rum dos Doze Apóstolos, ensinou que “aprender pela fé e pela experiência são duas
características centrais do plano de felicidade estabelecido pelo Pai” (“Aprender pela
Fé”, A Liahona, setembro de 2007, p. 17). Você terá a oportunidade de ajudar os jovens
a obterem um testemunho mais forte do Plano de Salvação e a desenvolverem maior
confiança na habilidade de ensiná-­lo a outras pessoas. Incentive-­os a fazer perguntas
sobre o que estão aprendendo, a buscar mais conhecimento e ensinar suas descobertas
a outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


Por que o aprendizado é parte importante do plano do Pai Celestial?
Por que o ensino do evangelho é importante no Plano de Salvação?
Qual é o papel do arbítrio no aprendizado do evangelho?
Como posso ajudar outras pessoas a se engajarem no aprendizado?
Como posso usar a música da Igreja para aprender sobre o Plano de Salvação?
Como posso ajudar outras pessoas a entender a doutrina de Cristo?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

23
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Por que o aprendizado


é parte importante do
plano do Pai Celestial?
Um dos principais motivos pelos quais o Pai Celestial nos enviou à Terra foi
dar-­nos experiências que nos ajudariam a aprender e a tornar-­nos mais seme-
lhantes a Ele. Se formos obedientes e doutrináveis, Ele nos ajudará a aprender
o que precisamos saber, linha sobre linha, ao longo da vida. O Pai Celestial
espera que usemos o conhecimento que adquirimos para abençoar o próximo e
edificar Seu Reino.

Preparar-­se espiritualmente
Que oportunidades você Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que o inspira a ser um
tem de aprender conti- aprendiz por toda a vida?
nuamente? Como isso
2 Néfi 28:27–30; D&C 98:11–12 (O Dieter F. Uchtdorf, “Porventura Sou
tem abençoado sua vida?
Senhor prometeu ensinar-­nos “linha Eu, Senhor?”, A Liahona, novembro de
Como você pode ajudar sobre linha” ao estudarmos e viver- 2014, p. 56
os jovens a compreen- mos o que aprendemos)
Dallin H. Oaks e Kristen M. Oaks, “O
derem a importância de
Alma 12:9–11; D&C 50:40 (Se formos Aprendizado e os Santos dos Últimos
continuar a aprender ao
obedientes e doutrináveis, aprendere- Dias”, A Liahona, abril de 2009, p. 22
longo da vida? O que você
mos continuamente ao longo da vida)
pode fazer para ajudá-­ “Educação”, Para o Vigor da Juventude,
los a perceber o valor do D&C 88:77–80 (O Senhor deseja 2011, p. 9
aprendizado secular e do que aprendamos a fim de estarmos
evangelho? “Plano de Salvação”, Sempre Fiéis,
preparados para magnificar nossos
2004, pp. 134–137
chamados)
Vídeo: “Você Sabe o Suficiente” (Élder
Neil L. Andersen ensina que o apren-
dizado se dá linha sobre linha)

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
Veja o apêndice para
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

25
• Que aspectos do Plano de Salva- plano do Pai Celestial?” Dê tempo aos
ção os jovens têm aprendido (como jovens durante a aula para refletirem
convênios, obediência, a Expiação ou sobre essa pergunta e escreverem
a vida após a morte)? O que podem algumas possíveis respostas. No final
compartilhar uns com os outros? da aula, convide-­os a compartilhar o
que escreveram.
• Escreva no quadro: “Por que o
aprendizado é parte importante do

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo ajudará a inspirar os jovens a buscar o aprendizado ao
longo de toda a vida. Seguindo a orientação do Espírito, selecione as mais adequadas
“Quando alguém fizer
para sua classe:
uma pergunta, pense na
possibilidade de pedir • Escreva no quadro: “Por que o apren- que procure coisas que o Pai Celestial
que outro aluno responda, dizado é parte importante do plano do Pai deseja que façamos e peça à outra
em vez de fazê-­lo você Celestial?” Peça aos jovens que pon- metade para identificar as bênçãos que
mesmo. Você pode, por derem sobre essa pergunta enquanto Ele prometeu. Convide-­os a contar o
exemplo, dizer: ‘Essa per- leem a seção intitulada “Uma Vida que encontrarem e escolham algo no
gunta é interessante. O que Examinada” no discurso do Presi- qual sentem que precisam melhorar.
o restante da turma acha?’ dente Dieter F. Uchtdorf “Porventura Discuta com a classe as maneiras de se
ou ‘Alguém poderia ajudar Sou Eu, Senhor?” Dê-­lhes tempo para aperfeiçoarem nessas áreas e incentive
a responder?’ ” (Ensino, compartilhar suas ideias. Peça-­lhes os jovens a traçar metas pessoais para
Não Há Maior Chamado, que contem sobre as mudanças que aplicarem o conselho do Senhor.
2009, p. 64). têm feito em sua vida como resultado
• Mostre o vídeo “Você Sabe o Sufi-
de seu estudo dos ensinamentos dos
ciente”, e convide os jovens a relatar o
profetas vivos.
que aprenderam com o Élder Neil L.
• Peça a todos os jovens que leiam Andersen sobre o modo de adquirir
uma das escrituras do esboço à conhecimento. O que eles diriam a um
procura de princípios de aprendi- amigo que está passando por dificul-
zado. Convide todos a fazerem um dades por não entender tudo sobre
desenho ou diagrama que represente o evangelho? Como eles ajudariam
os princípios contidos nas passagens seu amigo a compreender o papel do
das escrituras. Peça aos jovens que aprendizado no plano do Pai Celestial?
usem os desenhos para ensinar uns
• Peça aos jovens que leiam o “Plano
aos outros sobre o que leram. O que
de Salvação” em Sempre Fiéis (páginas
essas escrituras lhes ensinam sobre a
134–137) e encontrem algo que ainda
importância do aprendizado no plano
não sabiam. Convide-­os a relatar o
do Pai Celestial?
que aprenderam e a discutir por que
• Convide os jovens a ler a seção o Pai Celestial deseja que aprendamos
“Educação” em Para o Vigor da Juven- continuamente.
tude, inclusive as referências das
escrituras. Peça à metade da classe

26
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem a importância Ensinar à maneira
do aprendizado no plano do Pai Celestial? Quais são os sentimentos ou as impressões do Salvador
que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo
O Salvador foi o exemplo
essa doutrina?
perfeito de tudo o que
ensinou. Ele ensinou Seus
discípulos a orar orando
Convidar a agir com eles. Ensinou-­os a
amar e a servir pelo modo
• Peça aos jovens que pensem numa • Preste testemunho das bênçãos
como os amou e serviu
parte do Plano de Salvação que gosta- que recebemos quando procuramos
a eles. O que você pode
riam de ensinar a um amigo ou fami- aprender ao longo da vida.
fazer para dar aos jovens a
liar. O que podem fazer para aprender
quem ensina um exemplo
sobre esse assunto?
de amor ao aprendizado?

27
Recursos Selecionados

“Educação”, Para o Vigor da Juventude, 2011, pp. 9–10 Planeje agora a educação que vai adquirir. Tenha
disposição para trabalhar diligentemente e para fazer
A educação é uma parte importante do plano do Pai
sacrifícios, se necessário. Compartilhe as metas edu-
Celestial para ajudar você a tornar-se mais semelhante
cacionais com sua família, seus amigos e líderes para
a Ele. Ele quer que você eduque a mente e desenvolva
que eles possam apoiar e incentivar você.
seus talentos e suas aptidões, sua habilidade de agir
bem em suas responsabilidades e sua capacidade de Mantenha o entusiasmo pelo aprendizado, por toda
apreciar a vida. A educação que adquirir será valiosa a vida. Sinta alegria em continuar aprendendo e
para você na mortalidade e no mundo vindouro. expandindo seus interesses. Participe ativamente
das oportunidades de aprendizado a seu alcance.
A educação vai preparar você para prestar maior
serviço no mundo e na Igreja. Ela vai ajudar você Sua educação inclui o aprendizado espiritual. Estude
a prover melhor o seu sustento, o de sua família as escrituras e as palavras dos profetas modernos.
e dos necessitados. Também vai ajudar você a ser Participe do Seminário e do Instituto. Continue por
um(a) conselheiro(a) e companheiro(a) sábio(a) toda a vida a aprender a respeito do plano do Pai
para seu futuro cônjuge e um(a) professor(a) bem- Celestial. Esse aprendizado espiritual vai ajudar você
informado(a) e eficaz para seus futuros filhos. a encontrar respostas para os desafios da vida e vai
convidar a companhia do Espírito Santo.
A educação é um investimento que proporciona gran­
des recompensas e abre as portas da oportunidade Alma 37:35; Doutrina e Convênios 88:77–80
que, sem ela, permaneceriam fechadas para você.

28
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Por que o ensino do


evangelho é importante
no Plano de Salvação?
A fim de cumprir os propósitos do plano de felicidade, os filhos do Pai Celes-
tial precisam aprender sobre o evangelho. Por esse motivo, Deus precisa que
cada um de nós ensine o evangelho a nossa família, aos demais membros da
Igreja e àqueles que ainda não receberam o evangelho.

Preparar-­se espiritualmente
Como você foi influen- Estude estas escrituras e estes recursos em espírito de oração. O que você se sente inspi-
ciado por um professor rado a compartilhar com os jovens?
do evangelho? Qual é sua
Lucas 2:46–52 (Quando jovem, o D&C 43:8; 88:77–80 (O Senhor ordena
influência sobre aqueles a
Salvador ensinou as verdades do que ensinemos uns aos outros)
quem ensina?
evangelho para outras pessoas); ver
Ensino, Não Há Maior Chamado, 2009,
Quem são os outros pro- também o vídeo da Bíblia “O Jovem
pp. 3–4
fessores dos jovens de sua Jesus Ensina no Templo”
classe? De que maneira Vídeo: “O Ensino Ajuda a Salvar
2 Néfi 2:8 (A importância de tornar
esses professores têm Vidas”
essas coisas conhecidas é grande)
influenciado a vida dos
jovens?

Que oportunidades os
Fazer associações
jovens tiveram para ensi-
nar? Como eles ajudaram Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
outras pessoas? as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Faça um acompanhamento sobre o também pode contar uma experiência


que os jovens aprenderam na Escola pessoal.
Dominical semana passada. De que
• Peça aos jovens que relatem oca-
modo eles continuaram seu aprendi-
siões em que ensinaram o evangelho
zado durante a semana?
(por exemplo, em casa, a um amigo
• Peça aos jovens que relatem uma ou na igreja). Por que o ensino é
experiência em que alguém os tenha importante no plano de Deus para
Veja o apêndice para ensinado de modo marcante. Você Seus filhos?
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

29
Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir pode ajudar os jovens a compreender a importância
do ensino do evangelho no plano do Pai Celestial. Seguindo a orientação do Espírito,
“Sua principal preocupa-
selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
ção deve ser ajudar as
pessoas a aprenderem o • Mostre uma gravura do Salvador que pensem em bons professores do
evangelho e não fazer uma ensinando no templo (ver Livro de evangelho que tiveram, inclusive os
apresentação de impacto. Gravuras do Evangelho, p. 34) e con- pais e outros familiares. Divida-­os
Parte disso inclui dar aos vide os jovens a ler Lucas 2:46–52 (ou em duplas e peça-­lhes que debatam
alunos a oportunidade de mostre o vídeo “O Jovem Jesus Ensina entre si sobre os professores em quem
ensinar uns aos outros” no Templo”). O que o Salvador sentia pensaram. O que fez deles professores
(Ensino, Não Há Maior desde pequeno sobre a importância eficientes? Como esses professores
­Chamado, 2009, p. 64). do ensino? O que essa história nos ajudaram a cumprir o plano do Pai
ensina sobre a importância do ensino Celestial? O que os jovens podem
no plano do Pai Celestial? Peça aos fazer para seguir o exemplo deles?
jovens que pensem e façam uma lista
• Peça aos jovens que leiam as
de todas as oportunidades de ensino
páginas 3 e 4 de Ensino, Não Há Maior
que eles têm atualmente (incentive-­os
Chamado e procurem uma frase que
a incluir ambientes informais, como as
responda à pergunta “Por que o ensino
conversas com os amigos). Convide os
do evangelho é importante no Plano
jovens a escolher algo da lista e refletir
de Salvação?” Peça-­lhes que escrevam
sobre esta pergunta: “Como posso aju-
suas frases em cartões e, em seguida,
dar a cumprir o plano do Pai Celestial
recolha-­os. Leia um dos cartões e con-
aproveitando essa oportunidade de
vide o aluno, que escreveu a frase, a
ensino?” Peça-­lhes que compartilhem
vir para frente da classe e explicar por
suas ideias.
que a escolheu. Incentive-­os a com-
• Mostre o vídeo “O Ensino Ajuda partilhar uma experiência que tiveram
a Salvar Vidas”, e peça aos jovens que ilustra a frase que escolheram.
Ensinar à maneira
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem o papel do
do Salvador
ensino do evangelho no Plano de Salvação? Quais são os sentimentos ou as impressões
O Salvador preparava-­Se que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo
para ensinar o evangelho às esse assunto?
pessoas. Ele passava muito
tempo sozinho em oração
e jejum. Em momentos de
Convidar a agir
solidão, buscava a orienta-
ção do Pai Celestial. Como • Pergunte aos jovens quais foram as • Preste testemunho da importância
você pode se preparar espi- impressões que receberam hoje a res- do ensino.
ritualmente para ensinar os peito do ensino. O que podem fazer
jovens? para pô-­las em prática?

30
Recursos Selecionados

Extraído de Ensino, Não Há Maior Chamado, 2009, Cada Membro, um Professor


pp. 3–4
Quando o Salvador ressurreto ensinou os nefitas,
O Papel do Ensino no Plano do Pai Celestial disse: “Levantai vossa luz para que brilhe perante
o mundo. Eis que eu sou a luz que levantareis —
Para podermos exercer plenamente nosso arbítrio
aquilo que me vistes fazer” (3 Néfi 18:24). Nessa
em retidão, precisamos aprender a respeito do
instrução, o Senhor não fez distinção entre os que
Salvador e das doutrinas de Seu evangelho. Assim,
ouviram Sua voz: todos receberam o mandamento
o ensino do evangelho sempre desempenhou um
de ensinar.
papel primordial no plano do Pai Celestial para
Seus filhos. O mesmo é válido hoje em dia. A responsabili­
dade de ensinar o evangelho não se restringe aos
No mundo espiritual pré-mortal, “[recebemos nos-
que tenham o chamado formal de professor. Na
sas] primeiras lições (. . .) e [fomos] preparados para
condição de membro de A Igreja de Jesus Cristo
nascer no devido tempo do Senhor, a fim de [traba-
dos Santos dos Últimos Dias, você tem a responsa-
lharmos] em sua vinha para a salvação da alma dos
bilidade de ensinar o evangelho. Como pai, filho,
homens” (D&C 138:56). Depois de expulsar Adão
filha, marido, esposa, irmão, irmã, líder da Igreja,
e Eva do Jardim do Éden, o Senhor enviou anjos
professor de uma classe, mestre familiar, professora
para ensinar-lhes o plano de redenção (ver Alma
visitante, colega de trabalho, vizinho ou amigo, você
12:27–32). Posteriormente, ordenou a Adão e Eva
depara-se com a oportunidade de ensinar. Às vezes,
que “[ensinassem] estas coisas liberalmente” a seus
poderá ensinar de forma aberta e direta por meio do
filhos (ver Moisés 6:57–59).
que disser e do testemunho que prestar. E sempre
Em todas as dispensações do evangelho, o Senhor ensinará pelo exemplo.
dirige pessoalmente o ensino do plano de redenção.
O Senhor disse: “Esta é minha obra e minha gló­
Ele envia anjos (ver Mosias 3:1–4; Morôni 7:29–32;
ria: Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do
Joseph Smith—História 1:30–47), chama profetas
homem” (Moisés 1:39). Ao pensar no papel do
(ver Amós 3:7), fornece escrituras (ver D&C 33:16)
ensino do evangelho na salvação e exaltação dos
e ajuda as pessoas a conhecer a verdade pelo poder
filhos de Deus, você pode conceber um dever mais
do Espírito Santo (ver 1 Néfi 10:19; Morôni 10:5). Ele
nobre ou sagrado? Ele exige seus mais diligentes
deu a Seus seguidores o mandamento de ensinar
esforços para conseguir aumentar sua compreensão
o evangelho à família (ver Deuteronômio 6:5–7,
e melhorar suas técnicas, sabendo que o Senhor o
Mosias 4:14–15, D&C 68:25–28), aos demais mem-
magnificará caso ensine da forma ordenada por Ele.
bros da Igreja (ver D&C 88:77–78, 122) e às pessoas
É um trabalho de amor, uma oportunidade de ajudar
que ainda não receberam a plenitude do evangelho
as pessoas a exercerem seu arbítrio em retidão, virem
(ver Mateus 28:19–20; D&C 88:81). (. . .)
a Cristo e receberem as bênçãos da vida eterna.

31
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Qual é o papel do arbítrio no


aprendizado do evangelho?
O Pai Celestial nos criou como pessoas que agem e não como objetos que recebem
a ação (ver 2 Néfi 2:26). Esse princípio se aplica a todos os aspectos de nossa vida
mortal, inclusive nossos esforços para aprender o evangelho. Cada um de nós
precisa aprender o evangelho por nós mesmos — ninguém pode aprendê-­lo por
nós. Aprender o evangelho deve ser uma experiência ativa, não passiva. Quando
exercemos nosso arbítrio para buscar a verdade diligentemente, o Senhor nos
abençoa com conhecimento e luz maiores.

Preparar-­se espiritualmente
Pense em algo que tenha Estude os recursos a seguir. Que passagens ou exemplos podem ser usados para ajudar
aprendido recentemente. os jovens a entender o que significa participar ativamente do aprendizado?
O que você fez para apren-
João 7:17 (Precisamos fazer a vontade 2 Néfi 2:26 (Devemos agir e não rece-
der? Como se sentiu?
do Pai Celestial para conhecer Sua ber a ação)
De que maneiras diferen- doutrina)
D&C 50:24 (Quando recebemos a
tes os jovens podem ser
Tiago 1:22 (Ser cumpridores da pala- verdade e agimos de acordo com ela,
envolvidos com o aprendi-
vra, não somente ouvintes) recebemos mais verdade)
zado do evangelho?
1 Néfi 10:19 (Se procurarmos dili- D&C 88:118 (Devemos procurar
Quem em sua classe
gentemente a verdade, vamos conhecimento pelo estudo e pela fé)
parece estar ativamente
encontrá-­la)
envolvido no aprendi- David A. Bednar, “Aprender pela Fé”,
zado? Quem parece que A Liahona, setembro de 2007, pp. 17–24
não? Como você pode
trabalhar em conjunto
com outros professores
para incentivar os jovens
Fazer associações
a participarem ativamente Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
do aprendizado em classe as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
e individualmente? outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Convide os jovens a fazer uma lista Discuta em classe como todas essas
do que têm aprendido no Seminário, coisas se relacionam ao Plano de
nas reuniões sacramentais, em seu Salvação.
estudo pessoal e em outras situações.
Veja o apêndice para
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

32
• Convide os jovens a falarem sobre os ajudou a aprender melhor? Quais
uma lição marcante da qual partici- são algumas outras maneiras de
param ativamente (por exemplo, uma se engajar no aprendizado? (Você
noite familiar, uma visita de mestre pode salientar que fazer comentários
familiar, uma aula na Escola Domi- em classe não é a única maneira de
nical ou na Primária). O que fizeram participar.)
para participar? Como a participação

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo ajudará a inspirar os jovens a envolver-­se ativamente Dica de ensino
no aprendizado do evangelho. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais
“Faça perguntas que
delas que melhor funcionem em sua classe:
obriguem os alunos a
• Incentive os jovens a compartilhar esforços para aprender sobre o Plano encontrar respostas nas
alguns exemplos nas escrituras de de Salvação? escrituras e nos ensi-
pessoas que procuravam ativamente namentos dos profetas
• Escreva no quadro as referências
aprender sobre o evangelho (ver, por modernos”(Ensino, Não
das escrituras deste esboço. Peça a
exemplo, 1 Néfi 2:14–16 [Néfi], Dou- Há Maior Chamado, 1999,
cada aluno que selecione uma passa-
trina e Convênios 138:1–11 [Joseph p. 62).
gem para ler, procurando respostas
F. Smith,] e Joseph Smith—História
para esta pergunta: Quais são as bên-
1:10–18 [Joseph Smith]). Que padrões
çãos resultantes da participação ativa
sobre o aprendizado do evangelho
no aprendizado? Peça aos jovens que
os jovens podem descobrir ao lerem
relatem o que acharam. Convide-­os
sobre tais exemplos? (Néfi, por exem-
a individualmente, completar a
plo, deu ouvidos aos ensinamentos de
seguinte frase: “Planejo envolver-­me
seu pai, sentiu o desejo de saber por si
mais ativamente no aprendizado
mesmo e agiu conforme esse desejo.)
do evangelho ao …”. Peça a alguns
O que os jovens querem aprender
jovens que compartilhem seus planos
sobre o Plano de Salvação? Como eles
com a classe.
podem aplicar esses princípios para
guiar seu aprendizado? • Convidar os jovens a ler Doutrina
e Convênios 58:26–28, à procura de
• Convide os jovens a ler a seção
maneiras pelas quais o conselho do
intitulada “Aprender pela Fé: Agir,
Senhor pode ser aplicado a seu papel
e Não Somente Receber a Ação”,
de aprendizes do evangelho. Peça-­
do artigo do Élder David A. Bednar
lhes que façam uma lista de algumas
“Aprender pela Fé”. Peça-­lhes que
escolhas que devem fazer como
procurem sugestões do Élder Bednar
alunos (fazer ou não comentários na
sobre o que podem fazer para ter
sala de aula ou como preparar-­se espi-
mais responsabilidade com relação
ritualmente para a aula). Quais são
ao aprendizado do evangelho. O que
algumas das consequências dessas
eles vão fazer para aplicar os conse-
escolhas?
lhos do Élder Bednar a seus próprios

33
Ensinar à maneira Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem o papel do
do Salvador arbítrio no aprendizado do evangelho? Quais são os sentimentos ou as impressões que
eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nessa
Ao ensinar, o Salvador
doutrina?
usava histórias simples,
parábolas e exemplos da
vida real. Ele ajudava
outras pessoas a desco- Convidar a agir
brirem lições do evan-
• O que os jovens podem fazer para • Preste testemunho das bênçãos que
gelho com suas próprias
aplicar o que aprenderam ao estudar recebemos ao procurarmos diligente-
experiências. Como você
o Plano de Salvação nas outras aulas mente aprender.
ajudará os jovens a per-
da Igreja? Como você pode apoiá-­los
ceberem, em sua própria
em seus esforços para se tornarem
vida, exemplos do que está
aprendizes ativos?
ensinando?

34
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder David A. Bednar, “Apren- envolve o exercício do arbítrio moral para agirmos
der pela Fé”, A Liahona, setembro de 2007, p. 17. com a certeza das coisas que esperamos e convi-
darmos o único professor verdadeiro, o Espírito do
De que modo a fé, como princípio de ação em todos
Senhor, a dar-nos a prova das coisas que não vemos.
os seres inteligentes, relaciona-se ao aprendizado do
evangelho? E o que significa procurar aprender pela fé? Ponderem como os missionários ajudam os pes­
quisadores a aprender pela fé. Assumir e cumprir
Na grande divisão de todas as criações de Deus, há
compromissos espirituais, como estudar o Livro
coisas que existem para agir e coisas que existem
de Mórmon e orar a respeito dele, frequentar as
para receber a ação (ver 2 Néfi 2:13–14). Como filhos
reuniões da Igreja e cumprir os mandamentos, são
e filhas de nosso Pai Celestial, fomos abençoados
coisas que exigem que o pesquisador exerça sua fé
com o dom do arbítrio, isto é, a capacidade e o poder
e aja. Um dos papéis fundamentais do missionário
de agir independentemente. Investidos com o arbí-
é ajudar o pesquisador a assumir e honrar compro-
trio, somos agentes, e devemos principalmente agir e
missos, ou seja, a agir e aprender pela fé. Ensinar,
não só receber a ação, especialmente ao buscar obter
exortar e explicar, por mais importantes que sejam,
e colocar em prática o conhecimento espiritual.
não podem proporcionar ao pesquisador um tes-
Aprender pela fé e pela experiência são duas carac- temunho da veracidade do evangelho restaurado.
terísticas centrais do plano de felicidade do Pai. O Somente quando a fé do pesquisador inicia a ação e
Salvador preservou o arbítrio moral por meio da abre o caminho para o seu coração é que o Espírito
Expiação, possibilitando-nos agir e aprender pela Santo pode conceder-lhe um testemunho confirma-
fé. A rebelião de Lúcifer contra o plano buscava dor. É óbvio que os missionários precisam apren­
destruir o arbítrio do homem, e seu intento era de der a ensinar pelo poder do Espírito. Mas de igual
que nós, como aprendizes, apenas recebêssemos a importância é a responsabilidade que os missio-
ação. (. . .) nários têm de ajudar os pesquisadores a aprender
pela fé. (. . .)
Um aprendiz que exerce seu arbítrio agindo de
acordo com princípios corretos, abre seu coração ao Finalmente, a responsabilidade de aprender pela
Espírito Santo e convida-O a ensinar, a testificar com fé e colocar em prática a verdade espiritual está
poder e a confirmar o testemunho. O aprendizado sobre nossos ombros, individualmente. Essa é uma
pela fé exige esforço físico, mental e espiritual e não responsabilidade cada vez mais séria e importante
apenas uma receptividade passiva. É na sinceridade no mundo em que vivemos e em que ainda vivere-
e na constância de nossa ação inspirada pela fé mos. O que, como e quando aprendemos têm por
que mostramos ao Pai Celestial e a Seu Filho, Jesus apoio um instrutor, um método de apresentação ou
Cristo, a nossa disposição de aprender e receber um tópico ou formato de aula específico, mas não
instrução do Espírito Santo. Assim, aprender pela fé dependem disso.

35
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Como posso ajudar outras


pessoas a se engajarem
no aprendizado?
Somos todos responsáveis por aprender as doutrinas do evangelho por meio
de nosso próprio empenho diligente. Como professores do evangelho, pode-
mos ajudar aqueles a quem ensinamos a ser responsáveis por seu próprio
aprendizado. Nós podemos despertar o desejo de outras pessoas de estudar,
compreender e viver o evangelho. Somos mais bem-­sucedidos como professo-
res quando ajudamos a quem ensinamos a descobrir por si mesmos os princí-
pios do evangelho e a buscar sua força em Deus.

Preparar-­se espiritualmente
Que experiências você já Em espírito de oração, estude as escrituras e os recursos abaixo. A seu ver, o que será
teve como aluno ao parti- mais proveitoso para os jovens a quem ensina?
cipar ativamente de aulas?
Mateus 16:13–16 (O Salvador convida 3 Néfi 17:1–3 (O Salvador convida os
O que é diferente quando
Pedro a testificar) que Ele ensina a se prepararem para
você não participa?
aprender mais)
Mateus 28:18–19; Lucas 10:1–9 (O Sal-
Quais são algumas manei-
vador dá a Seus discípulos responsabi- D&C 88:122 (Os que aprendem são
ras pelas quais uma pessoa
lidades de ensinar e servir ao próximo) edificados ao externarem pensamen-
pode participar de modo
tos e impressões e ao ouvirem uns aos
significativo no aprendi- Marcos 10:17–21 (O Salvador convida
outros)
zado, além de fazer comen- todos os que Ele ensina a agir com fé)
tários? O que você faz para David A. Bednar, “Vigiar com Toda
incentivar a participação? Lucas 7:36–43 (O Salvador faz per-
a Perseverança”, A Liahona, maio de
guntas e convida as pessoas a quem
2010, pp. 40–43.
Que experiências de ensina a refletir sobre Sua mensagem)
ensino os jovens já tive- “Incentivar o Aprendizado Diligente”,
ram? Como convidaram João 3:1–13 (O Salvador responde as
Ensino, Não Há Maior Chamado, 1999,
aqueles a quem ensinaram perguntas das pessoas a quem ensina)
pp. 60–74, 208–212
a participar do aprendi-
3 Néfi 11:13–15 (O Salvador convida
zado? Como você pode “Incentivar a Diligênica em Apren-
todos os que Ele ensina a conhecê-­Lo
acrescentar algo a suas der” no site LDS.org
por si mesmos)
experiências?

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

36
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Peça aos jovens que relatem uma onde só o professor fala e os alunos
experiência recente de ensino ou não são incentivados a participar.
aprendizado que tiveram fora da Ajude-­os a fazer uma lista com as
classe. De que maneira os princípios diferentes maneiras de participar
ensinados nas últimas semanas os do aprendizado (tanto dentro como
ajudaram? fora da sala de aula). Como o pro-
fessor pode incentivar esse tipo de
• Convide os jovens a debaterem
participação?
as desvantagens de estar numa aula

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a entender como ajudar aqueles a Dica de ensino
quem ensinam a participar do aprendizado. Seguindo a orientação do Espírito, selecione
“Ouvir é uma demons-
uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
tração de amor. Em geral,
• Convide os jovens a buscar nas importante envolver aqueles a quem exige sacrifícios. Quando
páginas 4–5 de Ensinar o Evangelho está ensinando dessa forma? verdadeiramente ouvimos
à Maneira do Salvador e fazer uma as pessoas, costumamos
• Antes da aula, dê a vários alunos
lista no quadro das maneiras pelas abdicar do que que-
a atribuição de escolher um princípio
quais o Salvador convidava aqueles a remos dizer para dar-­
das páginas 63–74 de Ensino, Não Há
quem ensinava a envolver-­se em seu lhes a oportunidade de
Maior Chamado para estudar. Peça-­lhes
próprio aprendizado. Peça aos jovens expressarem-­se” (Ensino,
que venham para a aula preparados
para selecionar um item da lista e Não Há Maior Chamado,
para ensinar ao restante dos jovens
trabalhar em duplas para encontrar 1999, p. 66).
o princípio escolhido. Peça-­lhes para
um exemplo nas escrituras quando
explicar, como parte de sua apresenta-
o Salvador ensinou dessa maneira
ção, como o princípio que escolheram
(como as sugeridas neste esboço).
incentiva os alunos a participar ativa-
Você também poderia convidá-­los a
mente em seu próprio aprendizado.
pensar em uma experiência própria,
Incentive-­os também a aplicar os prin-
em que um professor ensinou-­lhes
cípios enquanto ensinam.
algo de modo semelhante. Peça a cada
dupla que compartilhe com a classe o • Convide os jovens a ler a seção
que acharam. Discuta como os jovens intitulada “Convidar os Filhos a Agir”
podem imitar os métodos do Salva- no discurso do Élder David A. Bednar
dor quando eles ensinam. Por que é “Vigiar com Toda a Perseverança.”
Convide os jovens a procurar e

37
Ensinar à maneira compartilhar motivos para os profes- discutir exemplos de vezes em que os
do Salvador sores do evangelho incentivarem as professores que já tiveram ensinaram
pessoas a quem ensinam a ser ati- das formas que o Élder David A. Bed-
O Salvador usava histó-
vamente envolvidas em seu próprio nar descreve. Que efeito teve esse tipo
rias simples, parábolas
aprendizado. Convide os jovens a de ensino em seu aprendizado?
e exemplos da vida real
para ajudar as pessoas Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como aju-
a compreenderem o que dar as pessoas a participar no aprendizado? Quais são os sentimentos ou as impressões
Ele ensinava. Ajudava-­as que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo
a descobrir lições do nesse assunto?
evangelho em suas pró-
prias experiências. Como
os jovens podem ajudar
outras pessoas a participa-
Convidar a agir
rem ativamente do apren- Convide os jovens a pensar nas oportunidades que têm de ensinar outras pessoas sobre
dizado do evangelho? o Plano de Salvação. Incentive-­os a planejar maneiras pelas quais podem ajudar aqueles
a quem ensinam a participar de forma significativa. Em uma aula futura, convide-­os a
compartilhar o que fizeram.

38
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder David A. Bednar, “Vigiar no lar. Imaginem uma reunião de noite familiar em
com Toda a Perseverança”, A Liahona, maio de 2010, que, por exemplo, tivesse sido pedido aos filhos
p. 40 que se preparassem para fazer perguntas sobre as
coisas que estivessem lendo e aprendendo no Livro
Sendo pessoas que aprendem o evangelho, deve­
de Mórmon ou sobre uma questão que tivesse sido
mos ser “cumpridores da palavra, e não somente
recentemente enfatizada numa conversa sobre o
ouvintes” (Tiago 1:22). Nosso coração se abre para a
evangelho, ou num testemunho espontâneo no lar.
influência do Espírito Santo quando exercemos devi-
E imaginem ainda que os filhos fizessem perguntas
damente o arbítrio e agimos de acordo com princípios
às quais os pais não estivessem adequadamente pre-
corretos — e assim permitimos que Ele nos ensine e
parados para responder. Alguns pais poderiam ficar
testifique para nós. Os pais têm a sagrada responsabi-
apreensivos em relação a uma abordagem tão pouco
lidade de ajudar os filhos a agir e a procurar aprender
estruturada para a noite familiar. Mas as melhores
pela fé. E o filho nunca é jovem demais para participar
noites familiares não são obrigatoriamente resul­
desse padrão de aprendizado.
tado de pacotes prontos, comprados ou baixados da
Quando damos um peixe a um homem, nós lhe pro- Internet contendo roteiros e auxílios visuais. Que
porcionamos uma refeição. Quando ensinamos um gloriosa oportunidade para os membros da família
homem a pescar, nós o alimentamos por toda a vida. pesquisarem juntos as escrituras e serem ensinados
Como pais e professores do evangelho, não estamos pelo Espírito Santo! “Porque o pregador não era
no negócio de distribuição de peixes, mas nosso tra- melhor do que o ouvinte nem o mestre melhor que
balho é o de ajudar os filhos a aprenderem a “pes- o discípulo; (. . .) e todos trabalhavam, cada um de
car” e a tornarem-se espiritualmente inabaláveis. acordo com suas forças” (Alma 1:26).
Esse objetivo vital é mais bem cumprido quando
Será que estamos ajudando nossos filhos a torna-
incentivamos os filhos a agir de acordo com princí-
rem-se agentes que atuam e buscam conhecimento
pios corretos, à medida que os ajudamos a aprender
pelo estudo e pela fé, ou estamos treinando nossos
na prática. “Se alguém quiser fazer a vontade dele,
filhos a esperar que sejam ensinados e recebam a
pela mesma doutrina conhecerá, se ela é de Deus”
ação? Será que, como pais, estamos basicamente
(João 7:17). Esse aprendizado exige esforço espiri-
dando a nossos filhos o equivalente a um peixe
tual, mental e físico, e não apenas aceitação passiva.
espiritual para comer, ou estamos constantemente
Quando convidamos os filhos a agir e não apenas a ajudando-os a agir, a aprender por si mesmos e a
receber a ação, edificamos sobre o alicerce da leitura permanecer firmes e inamovíveis? Estamos aju-
do Livro de Mórmon e das conversas a respeito dando nossos filhos a engajarem-se avidamente no
dele, e dos testemunhos prestados espontaneamente empenho de pedir, buscar e bater? (Ver 3 Néfi 14:7.)

39
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Como posso usar a música


da Igreja para aprender
sobre o Plano de Salvação?
A Primeira Presidência ensinou: “Alguns dos maiores sermões são pregados
através do cântico de hinos. Os hinos induzem-­nos ao arrependimento e às
boas obras, fortalecem o testemunho e a fé, confortam os deprimidos, consolam
os que choram, e inspiram-­nos a perseverar até o fim” (Hinos, p. ix). A maioria
dos princípios do evangelho, inclusive aqueles relacionados ao Plano de Salva-
ção, é ensinada vigorosamente por meio de hinos e outras músicas da Igreja.

Preparar-­se espiritualmente
Quais verdades do evan- Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e outros recursos. O que você se
gelho você aprendeu com sente inspirado a compartilhar com os jovens?
os hinos e outras músicas
Colossenses 3:16 (Ensinar uns aos “Música e Dança”, Para o Vigor da
da Igreja? Como a música
outros por meio de hinos ou música) Juventude, 2011, pp. 22–23
influenciou seu testemu-
nho e sua fé? Que expe- D&C 25:12 (O canto dos justos é uma “Prefácio da Primeira Presidência”,
riências lhe ensinaram o prece ao Senhor) Hinos, ix–x
poder da música?
Dallin H. Oaks, “Adoração por Meio “Enriquecer as Aulas com Música”,
Como a música influencia da Música”, A Liahona, janeiro de Ensino, Não Há Maior Chamado, 1999,
a vida dos jovens que você 1995, pp. 9–12. pp. 172– 73
ensina? Qual jovem seria
capaz de ajudá-­lo a ensinar
outros jovens sobre o poder
edificante da música?
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Peça aos jovens que contem algo • Leia com a classe o “Prefácio da
que gostariam de dizer a um amigo Primeira Presidência” no hinário
sobre o Plano de Salvação. O que eles (páginas ix–x). Convide os jovens a
podem fazer para ajudar o amigo a fazer uma lista das coisas que a Pri-
aprender? meira Presidência pede que façamos e
Veja o apêndice para as bênçãos que eles prometem.
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

40
Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a usar a música da Igreja para Dica de ensino
aprender mais sobre o Plano de Salvação. Seguindo a orientação do Espírito, selecione
“A fim de ajudar seus
uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
alunos a prepararem-­se
• Mostre aos jovens como usar o pequenos grupos. Quando tiverem para responder a pergun-
índice por assunto do hinário ou terminado, peça-­lhes para comparti- tas, informe-­lhes, antes de
músicas para crianças para encon- lhar com a classe o que aprenderam iniciarem a leitura ou apre-
trar músicas relacionadas ao Plano e explicar como seguiriam a sugestão sentação de algo, que vai
de Salvação. Convide cada jovem a de ensinar as pessoas sobre o Plano de pedir a participação deles
escolher um hino ou uma música e Salvação. Que hinos ou canções eles ao final. Você pode dizer,
estudar a letra e as escrituras rela- usariam? por exemplo: ‘Enquanto
cionadas (que se encontram no final leio esta passagem, ouçam
• Escreva os seguintes cabeçalhos no
de cada hino). Que impressões eles com atenção para pode-
quadro-­negro: “A Vida Pré-­Mortal”,
tiveram sobre o Plano de Salvação rem relatar o que mais
“A Vida Mortal” e “A Vida após a
nas palavras dos hinos? lhes chamar a atenção’ ou
Morte”. Convidar os jovens a cantar
‘durante a leitura desta
• Peça aos jovens para comparti- ou ouvir “Ó Meu Pai” (Hinos, n º 177).
passagem, procurem com-
lhar uma experiência espiritual que Peça-­lhes para identificar o que esse
preender o que o Senhor
tiveram com a música da Igreja. O hino ensina sobre as três fases do
está ensinando-­nos sobre a
que tornou a experiência significa- Plano de Salvação e escrever o que
fé’ ” (Ensino, Não Há Maior
tiva para eles? Como a música pode acham sob o cabeçalho apropriado no
Chamado, p. 69).
ajudar você a ensinar aos outros uma quadro. O que mais eles aprenderam
verdade do evangelho? Peça aos com esse hino sobre o plano do Pai
jovens para ir para a seção intitulada Celestial para nós? De quais outros
“Enriquecer as Aulas com Música” hinos ou músicas para crianças eles se
em Ensino, Não Há Maior Chamado lembram que ensinam sobre o Plano
(páginas 172–173), que sugere cinco de Salvação? Incentive-­os a comparti-
maneiras de usar música no ensino. lhar seus pensamentos e sentimentos
Convide os jovens a selecionar uma a respeito de como o Espírito pode
sugestão que interesse a eles e estudar ensinar-­nos por meio da música.
essa seção individualmente ou em

Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como usar
a música da Igreja para ensinar e aprender sobre o Plano de Salvação? Quais são os
sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a
pena despender mais tempo nesse assunto?

41
Ensinar à maneira
do Salvador
Convidar a agir
O Salvador confiava
naqueles a quem ensinava. Peça aos jovens que reflitam sobre o que aprenderam hoje sobre ensinar e aprender com
Preparava-­os e dava-­lhes a música. O que se sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam? Como isso
responsabilidades impor- afetará seu estudo do evangelho? E o que pensam sobre a música? E suas oportunidades
tantes de ensinar, abençoar futuras de ensino?
e servir a outras pessoas.
De que maneira seu
chamado para ensinar os
jovens é uma evidência da
confiança que o Salvador
tem em você? Como você
pode mostrar aos jovens
que confia na capacidade
deles de ensinar?

42
Recursos Selecionados

Extraído de “Enriquecer as Aulas com Música”, Ensino, Hinos, pp. 273–276). A maioria das músicas de
Não Há Maior Chamado, 2009, pp. 172–173 Músicas para Crianças também contém referências
escriturísticas. Você pode consultar essas referên-
Ensinar ou Recapitular um Princípio do Evangelho
cias para encontrar músicas que sejam proveitosas
A maioria dos hinos pode ajudá-lo a ensinar prin- para determinada aula. Se estiver ensinando João
cípios do evangelho ou recapitular princípios já 13:34–35, por exemplo, pode pedir que os alunos
estudados. cantem “Amai-vos Uns aos Outros” (Hinos, nº 197;
Músicas para Crianças, p. 74), um dos hinos que tem
Ao usar uma música para ensinar determinado princí- por base esses versículos.
pio, faça perguntas aos alunos para ajudá-los a refletir
sobre a mensagem da música ou incentivar uma dis- Ajudar os Alunos a Fortalecer e Prestar Seu
cussão. Antes de cantar “Guarda os Mandamentos” Testemunho
(Hinos, nº 194; Músicas para Crianças, pp. 68–69), por
Quando os alunos cantam hinos e outras músicas
exemplo, você pode perguntar: “Por que vocês acham
da Igreja, o Espírito pode prestar-lhes testemunho
que sentimos segurança e paz quando obedecemos
da veracidade dos princípios que lhes estão sendo
aos mandamentos?” Você pode utilizar “No Céu eu
ensinados. Há algumas músicas cuja própria letra é
Vivi” (Músicas para Crianças, p. 140) para ensinar a res-
uma expressão de testemunho; assim, ao cantá-las,
peito do Plano de Salvação às crianças. Pode utilizar
as pessoas podem prestar o testemunho juntas.
“Que Firme Alicerce” (Hinos, nº 42) para ajudar seus
Entre esses hinos, estão “Eu Sei Que Vive Meu
alunos a compreenderem que o Salvador nos ajuda a
Senhor” (Hinos, nº 70); “Sou um Filho de Deus”
enfrentar as adversidades. Para ensinar a respeito do
(Hinos, nº 193); Músicas para Crianças, pp. 2–3); “Gra-
consolo que podemos alcançar por ocasião da morte
ças Damos, Ó Deus, por um Profeta” (Hinos, nº 9); e
de um ente querido, você pode utilizar “Onde Encon-
“Jesus da Morte Ressurgiu?” (Músicas para Crianças,
trar a Paz?” (Hinos, nº 73)
p. 45). (. . .)
Depois de ensinar um princípio do evangelho, você
Encerrar uma Aula e Incentivar os Alunos a
pode perguntar a seus alunos: “Que hino pode ajudar-
­Aplicarem um Princípio do Evangelho
nos a lembrar desse princípio?” Em seguida, cante um
dos hinos que eles sugerirem. Com as crianças você Ao término de uma aula, um hino ou uma canção
pode cantar uma música e depois perguntar como ela pode sintetizar o princípio ensinado e transmitir
se aplica à aula. Em seguida, peça-lhes que cantem a uma mensagem motivadora. Ao fim de uma aula
música com você. sobre obediência aos mandamentos, por exemplo,
você pode pedir aos alunos que cantem “Faze o Bem,
Esclarecer Passagens das Escrituras
Escolhendo o Que É Certo” (Hinos, nº 148); “Guarda
Todos os hinos do hinário da Igreja são acompa- os Mandamentos” (Hinos, nº 194; Músicas para
nhados de referências das escrituras, que estão Crianças, pp. 68–69); “Ouse Ser Bom” (Músicas para
organizadas em um índice no final do livro (ver Crianças, p. 80) ou “Néfi Era Valente” (Músicas para
Crianças, pp. 64–65).

43
Recursos Selecionados

Cultivar Sentimentos de Reverência família. Na sala de aula, você pode trazer fitas com
gravações de hinos ou pedir que alguém toque
Você e sua família podem cantar hinos e outras
piano enquanto os alunos entram. Isso ajudará a
músicas em noites familiares, conselhos de família
criar uma atmosfera reverente e a preparar os alu-
e outras reuniões a fim de cultivar sentimentos de
nos para a aula.
reverência e melhorar o estudo do evangelho em

44
FEVEREIRO: O PLANO DE SALVAÇÃO

Como posso ajudar outras


pessoas a entender a
doutrina de Cristo?
A “doutrina de Cristo” é que todos os homens, em todos os lugares, devem ter
fé em Jesus Cristo, arrepender-­se de seus pecados, ser batizados, receber o dom
do Espírito Santo e perseverar até o fim. A doutrina de Cristo é a única maneira
de sermos salvos no reino de Deus. Ela é o alicerce da Igreja e a mensagem
central de seus missionários.

Preparar-­se espiritualmente
Enquanto estuda a dou- Ao preparar-­se, estude estas escrituras e estes recursos em espírito de oração. O que
trina de Cristo em 2 Néfi você se sente inspirado a compartilhar com os jovens?
31 e em outros locais das
2 Néfi 25:26 (Ensinamos sobre Cristo) Regras de Fé 1:4 (Os primeiros princí-
escrituras, quais pensamen-
pios e ordenanças do evangelho)
tos ou impressões lhe vêm 2 Néfi 31 (Néfi descreve a doutrina
à mente? Como a doutrina de Cristo) “O Evangelho de Jesus Cristo”, Pregar
Dele tem orientado e aben- Meu Evangelho, 2004, p. 60
çoado a sua vida? 3 Néfi 11:32–41; 27:13–21 (Cristo
declara Sua doutrina) D. Todd Christofferson, “A Doutrina
Por que os jovens pre- de Cristo”, A Liahona, maio de 2012,
cisam aprender sobre a p. 86
doutrina de Cristo? Como
esse entendimento pode
prepará-­los melhor para
compartilhar a mensagem
Fazer associações
central da Restauração Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
com outras pessoas? as coisas que estão aprendendo em várias situações (estudo pessoal, Seminário, outras
aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver a
importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir podem ajudá-­lo:

• Peça aos jovens que compartilhem • Escreva no quadro: “O que é a dou-


uma experiência pessoal que tiveram trina de Cristo?” Dê a cada membro
recentemente, a qual os fez se lembrar da classe uma cópia do parágrafo que
de algo que estão aprendendo nas está no início da lição e peça a eles
aulas da Igreja. que o leiam, procurando respostas

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

45
para a pergunta do quadro. Peça a página 1 do manual Pregar Meu Evan-
eles que compartilhem suas respostas gelho. De acordo com essas fontes,
com a classe. Peça à metade da classe por que é importante que os jovens
que leia 3 Néfi 11:39–41, e à outra entendam a doutrina de Cristo?
metade que leia “Seu Propósito” na

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir pode ajudar os jovens a aprender sobre a doutrina
de Cristo, a fim de que estejam preparados para compartilhá-­la com outras pessoas.
“Se quisermos influenciar
Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais atividades que melhor funcio-
os alunos para o bem, deve-
nem em sua classe:
mos não apenas amar o
ensino, mas a cada pessoa a • Designe cada membro de classe a de duas ou três pessoas, e dê-­lhes
quem ensinamos” (Ensino, ler uma das seguintes seções da lição 3 tempo para planejar maneiras pelas
Não Há Maior Chamado, de Pregar Meu Evangelho: “Fé em Jesus quais podem ensinar a doutrina de
2009, p. 31). Cristo”, “Arrependimento”, “Batismo, Cristo a alguém que não a conheça.
Nosso Primeiro Convênio”, “O Dom Peça a cada grupo que pratique ensi-
do Espírito Santo” e “Perseverar até nando uns aos outros.
o Fim”. Peça a eles que ensinem ao
• Peça aos jovens que leiam 2 Néfi 31
restante da classe o que aprenderam,
e façam um desenho ou diagrama que
usando uma escritura e um exemplo
possam usar para ensinar a alguém
ou uma experiência pessoal.
sobre a doutrina de Cristo. Peça a eles
• Peça a cada membro da classe que que formem duplas e ensinem uns
leia 2 Néfi 31 e procure o que Néfi aos outros, usando seus desenhos.
Ensinar à maneira ensinou sobre a doutrina de Cristo (fé, Depois que todos tenham tido a opor-
do Salvador arrependimento, batismo, receber o tunidade de ensinar sobre a doutrina
Espírito Santo e perseverar até o fim). de Cristo, convide-­os a compartilhar
O Salvador usava as
Divida a classe em pequenos grupos suas experiências.
escrituras para ensinar
e testificar a respeito de Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles sabem como ajudar
Sua missão. Ele ensinava outras pessoas a entender a doutrina de Cristo? Quais sentimentos ou impressões eles
as pessoas a ponderar as têm sobre a responsabilidade de compartilhar essa doutrina com outras pessoas? Eles
escrituras por si mesmas e têm mais alguma pergunta?
a usá-­las a fim de encon-
trar respostas para dúvi-
das que tinham. Como
Convidar a agir
você pode usar as escritu-
ras para ajudar os jovens Pergunte aos jovens o que se sentem inspirados a fazer devido ao que aprenderam hoje.
a entender a doutrina de Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas quais
Cristo? você pode fazer o acompanhamento.

46
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Março: A Expiação de Jesus Cristo

“Eis que vos digo que deveis ter esperança (…) por intermédio da expiação de Cristo”
(Morôni 7:41).

Os esboços desta unidade vão ajudar os jovens a aprender como examinar as escri-
turas e as palavras dos profetas vivos para fortalecer sua fé em Jesus Cristo e em Sua
Expiação. Você terá a oportunidade de ajudar os jovens a adquirir um forte testemu-
nho da Expiação e a ter mais confiança na capacidade deles de ensinar essas coisas a
outras pessoas. Incentive-­os a fazer perguntas sobre o que estão ouvindo, a procurar
conhecer mais e a compartilhar com as outras pessoas o que descobrirem.

Opções de esboços para este mês:


Como posso usar as palavras dos profetas e apóstolos vivos para fortalecer minha fé na Expiação de Jesus Cristo?
O que as escrituras podem me ensinar sobre a Expiação de Jesus Cristo?
Como o Livro de Mórmon pode me ajudar a fortalecer minha fé na Expiação de Jesus Cristo?
De que modo a confiança na graça do Salvador pode tornar-­me um professor melhor?
Como posso usar comparações para ensinar a respeito da Expiação?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

47
MARÇO: A EXPIAÇÃO DE JESUS CRISTO

Como posso usar as palavras


dos profetas e apóstolos vivos
para fortalecer minha fé na
Expiação de Jesus Cristo?
Tal como os profetas do passado, os profetas e apóstolos de hoje prestam teste-
munho de Jesus Cristo e convidam todos a partilhar de Sua Expiação. Eles são
chamados para ser “testemunhas especiais” de Jesus Cristo. O Espírito Santo
presta testemunho quando os profetas e apóstolos vivos testificam a respeito de
Cristo, e somos abençoados quando colocamos em prática os seus ensinamentos.

Preparar-­se espiritualmente
Como as palavras dos Ao estudar em espírito de oração as palavras dos profetas e apóstolos, o que você sente
profetas e apóstolos vivos que vai fortalecer a fé que têm os jovens que você ensina?
fortaleceram sua fé em
Jacó 7:11–12; Mosias 13:33–35; 15:11–12 David A. Bednar, “Escolhidos para
Jesus Cristo? Que dis-
(Todos os profetas prestam testemu- Prestar Testemunho de Meu Nome”,
cursos, livros ou artigos
nho de Jesus Cristo) A Liahona, novembro de 2015, p. 128
escritos pelos profetas e
apóstolos o(a) ajudaram a D&C 27:12; 107:23 (Os apóstolos são Jeffrey R. Holland, “Perdão, Justiça e
conhecê-­Lo melhor? testemunhas especiais de Jesus Cristo) Redenção,” A Liahona, maio de 2015,
p. 104
Que discursos recentes de D&C 76:22–24 (Testemunho de Joseph
conferência geral ajuda- Smith sobre Jesus Cristo) Quentin L. Cook, “Seguimos Jesus
riam os jovens a fortalecer Cristo”, A Liahona, maio de 2010, p. 83
sua fé em Jesus Cristo? Guia para Estudo das Escrituras,
Como você incentivaria os “Apóstolo” “O Cristo Vivo: Testemunho dos Após-
jovens a examinar as pala- tolos”, A Liahona, abril de 2000, p. 2
vras dos profetas vivos e
Vídeo: “Aliviar Fardos”
aplicá-­las na vida deles?

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a relevância do evangelho na vida diária? As ideias
Veja o apêndice para
abaixo podem ajudá-­lo(a).
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

49
• Peça aos jovens que relatem uma descrevam o papel de um apóstolo.
experiência recente de ensino ou Em classe, encontrem e leiam escritu-
aprendizado que tiveram fora da ras (como as sugeridas neste esboço)
classe. que mostrem que os profetas e após-
tolos são testemunhas especiais de
• Convide os jovens a ler o verbete
Jesus Cristo. O que impressionou os
“Apóstolo” no Guia para Estudo
jovens nessas escrituras?
das Escrituras e procurar frases que

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a compreender como as palavras
dos profetas e apóstolos vivos podem fortalecer sua fé em Jesus Cristo. Seguindo a orien-
“Caso reaja de forma
tação do Espírito, selecione uma ou mais delas serão mais adequadas em sua classe:
positiva [aos] comentários
[deles], você pode ajudar • Providencie aos membros da classe • Escreva no quadro: “A Expiação
seus alunos a sentirem-­se cópias da seção intitulada “Uma de Jesus Cristo”. Dê a cada aluno
mais confiantes em sua Lição Adicional”, do discurso do uma cópia do discurso do Élder
capacidade de participar Élder David A. Bednar, “Escolhidos Jeffrey R. Holland, “Perdão, Justiça e
de uma discussão. Você para Prestar Testemunho de Meu Redenção”, ou do discurso do Élder
pode dizer, por exemplo: Nome”. Peça a eles que selecionem Quentin L. Cook, “Seguimos Jesus
“Obrigado por sua res- e leiam uma citação de um profeta Cristo”. Peça aos jovens que façam
posta. Uma observação ou apóstolo moderno que os ajudem uma lista das coisas que aprenderam
muito pertinente…’ ou a entender a Expiação do Salvador. sobre a Expiação do Salvador com os
‘Esse exemplo é muito Ao compartilharem as citações que discursos. Peça a eles que escrevam
bom’ ou ‘Obrigado pelo encontraram, incentive-­os a planejar no quadro, em uma única frase um
que disseram hoje’ ” maneiras de compartilharem seus resumo do que aprenderam, e per-
(Ensino, Não Há Maior pensamentos com alguém que conhe- gunte a cada jovem por que achou
­Chamado, 1999, p. 64). çam, por exemplo: por meio de uma aquele ensinamento significativo. 
carta, uma mensagem de texto, ou
• Mostre um ou mais dos vídeos
uma publicação em redes sociais.
sugeridos no esboço, ou peça aos
• Como classe, examinem os dis- alunos que se revezem na leitura de
cursos mais recentes da conferência trechos de “O Cristo Vivo: O Testemu-
geral, à procura de trechos em que os nho dos Apóstolos”. Peça aos jovens
membros da Primeira Presidência e que procurem identificar declarações
do Quórum dos Doze Apóstolos ensi- que fortaleçam sua fé em Jesus Cristo.
nam ou prestam testemunho de Jesus Incentive os jovens a contar como
Cristo e Sua Expiação (você pode essas mensagens poderiam ajudar
usar o índice por tópico da edição seus amigos e familiares a fortalecer
da revista A Liahona da conferência sua fé.
geral). O que impressionou os jovens
• Incentive os jovens a decorar uma
em relação ao testemunho dos pro-
frase que considerem significativa
fetas e apóstolos? Você pode contar
em “O Cristo Vivo: Testemunho dos
como esses testemunhos fortaleceram
Apóstolos”. Peça aos jovens que
sua própria fé no Salvador.

50
escrevam como sua fé em Jesus Cristo vivos. Dê-­lhes tempo para comparti- Ensinar à Maneira
seria diferente se eles não tivessem os lhar o que escreveram. do Salvador
ensinamentos dos profetas e apóstolos
Jesus conhecia aqueles que
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como as pala- Ele ensinava e sabia em
vras dos profetas vivos podem fortalecer sua fé na Expiação? Eles têm mais alguma quem se tornariam. Ele
pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto? encontrou meios incom-
paráveis de ajudá-­los a
aprender e crescer. Que
experiências pessoais você
Convidar a agir pode ajudar os jovens a
• Convide os jovens a compartilhar incentivá-­los a colocar em prática o ter que vão inspirá-­los a
quaisquer impressões que tiveram que aprenderam? entesourar e lembrar as
durante a aula. Como sua fé em palavras dos profetas e
• Preste seu testemunho de que os apóstolos vivos?
Jesus Cristo foi fortalecida ao estu-
profetas e apóstolos vivos são teste-
darem as palavras dos profetas e
munhas especiais de Cristo.
apóstolos vivos? Como você pode

51
Recursos Selecionados

O CRISTO VIVO
O T ESTEMUNHO DOS A PÓSTOLOS
A I GREJA DE J ESUS C RISTO DOS S ANTOS DOS Ú LTIMOS D IAS

A
o comemorarmos o nascimento de Jesus Cristo, ceram ao menino Joseph Smith, dando início à prometida
ocorrido há dois mil anos, oferecemos nosso teste- “dispensação da plenitude dos tempos”. (Efésios 1:10)
munho da realidade de Sua vida incomparável e o A respeito do Cristo Vivo, o Profeta Joseph escreveu:
infinito poder de Seu grande sacrifício expiatório. Ninguém “Seus olhos eram como uma labareda de fogo; os cabelos de
mais exerceu uma influência tão profunda sobre todos os sua cabeça eram brancos como a pura neve; seu semblante
que já viveram e ainda viverão sobre a face da Terra. resplandecia mais do que o brilho do sol; e sua voz era como
Ele foi o Grande Jeová do Velho Testamento e o Messias o ruído de muitas águas, sim, a voz de Jeová, que dizia:
do Novo Testamento. Sob a direção de Seu Pai, Ele foi o Eu sou o primeiro e o último; sou o que vive, sou o que foi
criador da Terra. “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem morto; eu sou vosso advogado junto ao Pai”. (D&C 110:3–4)
ele nada do que foi feito se fez.” (João 1:3) Embora jamais A respeito Dele, o Profeta também declarou: “E agora,
tivesse cometido pecado, Ele foi batizado para cumprir toda depois dos muitos testemunhos que se prestaram dele, este
a justiça. Ele “andou fazendo bem” (Atos 10:38), mas foi é o testemunho, último de todos, que nós damos dele:
desprezado por isso. Seu evangelho era uma mensagem de Que ele vive!
paz e boa vontade. Ele pediu a todos que seguissem Seu Porque o vimos, sim, à direita de Deus; e ouvimos a voz
exemplo. Ele caminhou pelas estradas da Palestina, curando testificando que ele é o Unigênito do Pai—
os enfermos, fazendo com que os cegos vissem e levantando Que por ele e por meio dele e dele os mundos são e foram
os mortos. Ele ensinou as verdades da eternidade, a realida- criados; e seus habitantes são filhos e filhas gerados para
de de nossa existência pré-mortal, o propósito de nossa vida Deus”. (D&C 76:22–24)
na Terra e o potencial que os filhos e filhas de Deus têm em Declaramos solenemente que Seu sacerdócio e Sua Igreja
relação à vida futura. foram restaurados na Terra, “edificados sobre o fundamento
Ele instituiu o sacramento como lembrança de Seu gran- dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a princi-
de sacrifício expiatório. Foi preso e condenado por falsas pal pedra da esquina”. (Efésios 2:20)
acusações, para satisfazer uma multidão enfurecida, e sen- Testificamos que Ele voltará um dia à Terra. “E a glória do
tenciado a morrer na cruz do Calvário. Ele deu Sua vida para Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente a verá…”
expiar os pecados de toda a humanidade. Seu sacrifício foi (Isaías 40:5) Ele governará como Rei dos Reis e reinará
uma grandiosa dádiva vicária em favor de todos os que vive- como Senhor dos Senhores, e todo joelho se dobrará e toda
riam sobre a face da Terra. língua confessará em adoração perante Ele. Cada um de nós
Prestamos solene testemunho de que Sua vida, que é o será julgado por Ele de acordo com nossas obras e os desejos
ponto central de toda a história humana, não começou em de nosso coração.
Belém nem se encerrou no Calvário. Ele foi o Primogênito Prestamos testemunho, como Apóstolos Seus, devida-
do Pai, o Filho Unigênito na carne, o Redentor do mundo. mente ordenados, de que Jesus é o Cristo Vivo, o Filho imor-
Ele levantou-Se do sepulcro para ser “feito as primícias tal de Deus. Ele é o grande Rei Emanuel, que hoje Se encon-
dos que dormem”. (I Coríntios 15:20) Como Senhor tra à direita de Seu Pai. Ele é a luz, a vida e a esperança do
Ressuscitado, Ele visitou aqueles que havia amado em vida. mundo. Seu caminho é aquele que conduz à felicidade nesta
Ele também ministrou a Suas “outras ovelhas” (João 10:16) vida e à vida eterna no mundo vindouro. Graças damos a
na antiga América. No mundo moderno, Ele e Seu Pai apare- Deus pela incomparável dádiva de Seu Filho divino.

A PRIMEIRA PRESIDÊNCIA O QUÓRUM DOS DOZE

1º de janeiro de 2000

52
MARÇO: A EXPIAÇÃO DE JESUS CRISTO

O que as escrituras podem


me ensinar sobre a Expiação
de Jesus Cristo?
O principal propósito das escrituras é prestar testemunho de Jesus Cristo,
ajudar-­nos a achegar-­nos a Ele e a partilharmos de Sua Expiação. Ao examinar-
mos as escrituras diligentemente, aprenderemos sobre o Salvador por meio de
ensinamentos, histórias e símbolos.

Que escrituras sobre Jesus Preparar-­se espiritualmente


Cristo são significativas
para você? Que símbo- Em espírito de oração, estude as escrituras e outros recursos da Igreja. O que você se
los de Jesus Cristo você sente inspirado a compartilhar com os jovens?
encontrou nas escrituras? Gênesis 22:1–14 (Abraão oferece seu Mosias 13:33–35 (Todos os profetas
Que escrituras o ajudaram filho Isaque em sacrifício, o que seria prestam testemunho de Jesus Cristo)
a compreender melhor a semelhante ao sacrifício do Filho de
Expiação? Boyd K. Packer, “A Razão de Nossa
Deus, ver Jacó 4:5)
Esperança”, A Liahona, novembro de
Como os jovens que você 2 Néfi 11:4; Moisés 6:63 (Todas as 2014, p. 6
ensina encontraram Jesus coisas que Deus nos dá ensinam sobre
Cristo nas escrituras? Que Seu Filho)
símbolos de Jesus Cristo
você pode ajudá-­los a
encontrar?
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a relevância do evangelho na vida diária? As ideias
abaixo podem ajudá-­lo.

• Faça um acompanhamento do • Convide os jovens a compartilhar


que os jovens aprenderam na Escola uma escritura que leram recentemente
Dominical na semana anterior. Como sobre Jesus Cristo e Sua Expiação.
eles aplicaram durante a semana o
que aprenderam?

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

53
Aprender juntos
Dica de ensino As atividades abaixo podem ajudar os jovens a aprender como encontrar Jesus Cristo
nas escrituras. Seguindo a orientação do Espírito, selecione as mais adequadas para sua
“Não tenha medo do
classe:
silêncio. As pessoas muitas
vezes precisam de tempo • Leia com a classe os cinco primei- Gravuras do Evangelho). Convide os
para pensar nas pergun- ros parágrafos do discurso “A Razão jovens a descobrir como essa história
tas, responder a elas ou de Nossa Esperança”, do Presidente ou esse acontecimento simboliza a
externar seus sentimentos. Boyd K. Packer. Peça aos alunos que missão do Salvador. Dê aos jovens
Você pode pausar depois consultem o Guia para Estudo das a oportunidade de encontrar outras
de fazer uma pergunta, Escrituras e contem o número de histórias das escrituras que ensinem
depois de uma experiência verbetes que começam com “Jesus simbolicamente sobre a Expiação de
espiritual ter sido compar- Cristo”. Convide-­os a ler algumas Jesus Cristo.
tilhada, ou quando uma escrituras sobre os tópicos que lhes
• Convide-­os a folhear o Livro de Gra-
pessoa estiver tendo difi- interessam e peça a eles que compar-
vuras do Evangelho e encontrar gravuras
culdade para expressar-­se” tilhem o que puderam aprender a
de histórias das escrituras que pode-
(Ensino, Não Há Maior respeito da Expiação e dos papéis do
riam ser usadas para ensinar a respeito
Chamado, 2009, p. 67). Salvador. Como parte dessa atividade,
da Expiação. A história da arca de Noé,
eles podem estudar as escrituras sobre
por exemplo, poderia simbolizar como
Jesus Cristo citadas no discurso do
a Expiação proporciona segurança
Presidente Packer.
para o dilúvio do pecado. Incentive-­os
• Convide cada jovem a trazer para a ler as escrituras relacionadas com as
a aula uma escritura preferida sobre gravuras que encontrarem (as referên-
Jesus Cristo e Sua Expiação. Peça aos cias estão no início do livro) e a contar
alunos que anotem as referências no o que aprenderam sobre a Expiação.
quadro e as leiam em classe. Peça a eles
• Convide os jovens a ler Moisés 6:63
que digam por que essas passagens são
e fazer uma lista de coisas “nos céus”,
significativas para eles. Ajude-­os a criar
“na Terra” e “dentro da terra” que
uma corrente de escrituras com essas
prestam testemunho de Jesus Cristo.
referências (ver Ensino, Não Há Maior
Ajude-­os a encontrar escrituras nas
Chamado, 2009, p. 58).
quais Jesus Cristo seja comparado
• Estudem juntos uma história ou um com alguma dessas coisas (por exem-
acontecimento nas escrituras que sim- plo, Ele é comparado com uma rocha
bolize o Salvador. Se possível, mostre em Helamã 5:12).
gravuras da história (ver Livro de

54
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como aprender a Ensinar à maneira
respeito de Jesus Cristo e Sua Expiação nas escrituras? Quais são os sentimentos ou as do Salvador
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo
Jesus usou as escrituras
debatendo esse assunto?
para ensinar e testificar a
respeito de Sua missão.
Ele ensinou as pessoas
Convidar a agir a pensar por si mesmas
sobre as escrituras. Como
• Compartilhe algo que você apren- durante a aula. O que eles farão em
você pode usar as escritu-
deu recentemente sobre Jesus Cristo seu estudo pessoal das escrituras para
ras para ajudar os jovens
nas escrituras. concentrar-­se mais em aprender a
a compreender melhor o
respeito de Jesus Cristo? Incentive-­os
• Convide os jovens a compartilhar Salvador e Sua missão?
a compartilhar nas aulas futuras o que
quaisquer impressões que tiveram
encontraram.

55
Recursos Selecionados

Extraído de “Ensinar a Partir das Escrituras”, Ensino, À margem de cada passagem, escreva a referência
Não Há Maior Chamado, 2009, pp. 55–59 da próxima escritura da lista. Continue a fazer isso
até chegar à última passagem. Ao lado dela, escreva
Encadeamento de Escrituras
a referência da primeira escritura da lista. Assim,
Os princípios do evangelho em geral aparecem em você pode começar de qualquer ponto da lista e
muitas passagens diferentes das escrituras, e cada continuar na corrente até ler todas as passagens.
uma delas aborda um aspecto distinto. Você adqui­
Crie algumas listas que precisem ser colocadas
rirá uma compreensão mais completa de determi­
em certa sequência para propiciar uma compreen-
nado princípio se estudar várias passagens que
são mais completa do assunto. A fim de sempre
versem sobre ele. Uma forma de fazer isso é elaborar
saber onde iniciar uma sequência dessas, escreva
uma lista de passagens sobre certo tema e registrá-la
a referência da primeira passagem entre parênte-
em suas escrituras. Dependendo do assunto, a lista
ses embaixo de cada uma das outras referências.
será longa ou se limitará a dois ou três versículos.
Você pode também escrever apenas a referência da
Esse método, às vezes chamado de encadeamento
primeira passagem ao lado de cada uma das outras
de escrituras, pode ser um instrumento valioso para
passagens e, na página em que a primeira passagem
estudar as escrituras e ensinar a partir delas. Você
aparece, escrever a lista inteira.
pode encadear uma lista de passagens das escrituras
da seguinte maneira:

56
MARÇO: A EXPIAÇÃO DE JESUS CRISTO

Como o Livro de Mórmon pode


me ajudar a fortalecer minha fé
na Expiação de Jesus Cristo?
O principal propósito do Livro de Mórmon é o de convencer todas as pessoas de
que Jesus é o Cristo. Ele ensina que todos os homens “devem vir a [Cristo], pois
do contrário não poderão ser salvos” (1 Néfi 13:40). Contém muitos exemplos
de discípulos fiéis que tiveram fé em Jesus Cristo e receberam as bênçãos de Sua
Expiação. Os profetas do Livro de Mórmon prestaram um vigoroso testemunho
do Salvador, para que nós “[soubéssemos] em que fonte procurar a remissão de
[nossos] pecados” (2 Néfi 25:26).

Preparar-­se espiritualmente
Como o Livro de Mórmon Ao estudar em espírito de oração as escrituras, especialmente o Livro de Mórmon, o que
o(a) aproximou mais de você sente que vai ajudar os jovens a fortalecer sua fé em Jesus Cristo?
Jesus Cristo? Quais são
Página de rosto e Introdução do Livro Neil L. Andersen, “O Livro de Mór-
algumas escrituras do
de Mórmon mon: Fortalecer Nossa Fé em Jesus
Livro de Mórmon que for-
Cristo”, A Liahona, outubro de 2011,
taleceram seu testemunho 2 Néfi 25:26 (Os nefitas pregam e
p. 38
do Salvador? escrevem sobre Cristo para fortalecer
a fé dos filhos deles) Vídeo: “Introdução ao Livro de
Como o Livro de Mórmon
Mórmon”
fortaleceu a fé que têm os 3 Néfi 27:13–14 (O Salvador testifica
jovens que você ensina? aos nefitas sobre Sua missão divina)
Com eles podem ajudar
uns aos outros a fortale-
cer a fé que têm em Jesus
Cristo usando o Livro de
Fazer associações
Mórmon? Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a relevância do evangelho na vida diária? As ideias
abaixo podem ajudá-­lo(a).

• Que experiências pessoais eles tive- que estão aprendendo sobre Jesus
ram que parecem confirmar as coisas Cristo e a Expiação?

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

57
• Peça que os jovens imaginem que (por exemplo, as escrituras sugeridas
um amigo lhes perguntou se os mór- neste esboço) para responder a essa
mons são cristãos. Convide-­os a usar pergunta.
as escrituras do Livro de Mórmon

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a compreender como o Livro
de Mórmon pode fortalecer sua fé em Jesus Cristo. Seguindo a orientação do Espírito,
“Testifique sempre que o
selecione uma ou mais delas que serão mais adequadas em sua classe:
Espírito o inspirar a fazê-­lo
e não só no fim das aulas. • Escreva no quadro: “Como o Livro • Com permissão do bispo, convide
Crie oportunidades para de Mórmon pode me ajudar a forta- um recém-­converso a contar como
seus alunos prestarem lecer minha fé na Expiação de Jesus adquiriu um testemunho do Livro de
testemunho” (Ensino, Não Cristo?” Divida a classe em pequenos Mórmon. Peça que venha preparado
Há Maior Chamado, 1999, grupos e designe cada grupo a ler para compartilhar algumas escrituras
p. 45). uma seção do artigo do Élder Neil L. preferidas do Livro de Mórmon sobre
Andersen “O Livro de Mórmon: Forta- a Expiação de Jesus Cristo. Como o
lecer a Fé em Nossos Dias”. Peça que Livro de Mórmon aproximou mais
procurem respostas para a pergunta o recém-­converso de Jesus Cristo?
do quadro. Incentive cada grupo Como ele o ajudou a entender melhor
a apresentar suas respostas para a a missão do Salvador? Peça aos
classe, juntamente com uma referência alunos que prestem seu testemunho
das escrituras que eles consideraram e compartilhem sua escritura favo-
significativa para sua seção designada. rita do Livro de Mórmon sobre Jesus
Cristo.
• Mostre o vídeo “Introdução ao
Livro de Mórmon”. Convide os jovens • Em classe, pensem em exemplos de
a trabalhar em duplas para planejar pessoas do Livro de Mórmon que se
um breve vídeo feito por eles mes- arrependeram e receberam o perdão
mos no qual dizem como o Livro de de seus pecados (como Alma, o filho,
Mórmon tem influenciado o testemu- Enos ou o rei Lamôni). Leia algumas
nho que eles têm do Salvador. Como das histórias do Livro de Mórmon. O
eles explicariam o que é o Livro de que essas histórias nos ensinam sobre
Mórmon? Que versículos ou histórias a Expiação?
compartilhariam? Incentive-­os a pen-
sar em maneiras pelas quais poderiam
compartilhar o vídeo com outros.

Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como o Livro de
Mórmon pode fortalecer sua fé na Expiação? Quais são os sentimentos ou as impressões
que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo
nesse assunto?

58
Ensinar à Maneira
do Salvador
Convidar a agir
Em todas as situações,
• Convide os jovens a usar o Livro • Preste testemunho do Livro de Jesus foi um exemplo e
de Mórmon para fortalecer sua fé em Mórmon como outro testamento de mentor daqueles a quem
Jesus Cristo. Dê-­lhes oportunidades Jesus Cristo. Ele ensinava. Ele os ensi-
nas aulas futuras para que compar- nou a orar, a ensinar, a
tilhem as escrituras encontradas no amar e a servir pelo modo
Livro de Mórmon que testifiquem como Ele vivia. Como seu
a respeito de Jesus Cristo e Sua exemplo pode inspirar os
Expiação. jovens que você ensina?
Que experiências pessoais
você poderia compartilhar
que ajudariam os jovens
a saber como o Livro de
Mórmon fortaleceu a fé
que você tem em Jesus
Cristo?

59
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Neil L. Andersen, Alma dá vida às belas doutrinas da Expiação, justiça
“O Livro de Mórmon: Fortalecer Nossa Fé em Jesus e misericórdia: “[O] plano de misericórdia não pode-
Cristo”, A Liahona, outubro de 2011, p. 38 ria ser levado a efeito se não fosse feita uma Expia-
ção; portanto o próprio Deus expia os pecados do
O Testemunho de Jesus Cristo
mundo, para efetuar o plano de misericórdia, para
Ao lermos e ponderarmos os grandiosos sermões satisfazer os requisitos da justiça, a fim de que Deus
de Jesus Cristo no Livro de Mórmon, sob o poder seja um Deus perfeito, justo e também um Deus
do Espírito Santo, teremos um testemunho seguro misericordioso” (Alma 42:15).
de sua veracidade. Adoro ler o Livro de Mórmon
Chegamos então à maravilhosa visita do Salvador
banqueteando-me com as doutrinas marcantes de
aos filhos de Leí. Nós também sentimos Seu amor,
Cristo: a visão de Néfi da árvore da vida, com a
Sua compaixão, Seus ensinamentos e Seu próprio
pergunta do anjo: “Conheces tu a condescendência
testemunho.
de Deus?” (1 Néfi 11:16); o testemunho de Leí que “a
redenção nos vem por intermédio do Santo Messias; “Este é o evangelho que vos dei — que vim ao
porque ele é cheio de graça e verdade”(2 Néfi 2:6); o mundo para fazer a vontade de meu Pai. (…)
ensinamento de Jacó que Ele é o “guardião da porta
E meu Pai enviou-me para que eu fosse levantado
(…) e ele ali não usa servo algum” (2 Néfi 9:41).
na cruz; e depois que eu fosse levantado na cruz,
Em seguida passamos aos ensinamentos do rei pudesse atrair a mim todos os homens, a fim de que,
Benjamim sobre as qualidades dos discípulos, com assim como fui levantado pelos homens, assim sejam
sua firme declaração de que “nenhum outro nome os homens levantados pelo Pai, para comparecerem
se dará, nenhum outro caminho ou meio pelo qual a perante mim a fim de serem julgados por suas obras,
salvação seja concedida aos filhos dos homens, a não sejam elas boas ou más” (3 Néfi 27:13–14).
ser em nome e pelo nome de Cristo” (Mosias 3:17).
Por fim, o convite final de Mórmon e Morôni: “Sabei
Logo estamos com Abinádi, prestes a dar a vida por que deveis (…) arrepender-vos de todos os vossos
suas crenças. pecados e iniquidades e crer em Jesus Cristo, que
ele é o Filho de Deus” (Mórmon 7:5). “Sim, vinde a
“Há, porém, uma ressurreição; portanto a sepultura
Cristo, sede aperfeiçoados nele e negai-vos a toda
não tem vitória e o aguilhão da morte é desfeito em
iniquidade; e se vos negardes a toda iniquidade e
Cristo.
amardes a Deus com todo o vosso poder, mente e
Ele é a luz e a vida do mundo; sim, uma luz sem força, então sua graça vos será suficiente; e por sua
fim, que nunca poderá ser obscurecida” (Mosias graça podeis ser perfeitos em Cristo” (Morôni 10:32).
16:8–9).

60
MARÇO: A EXPIAÇÃO DE JESUS CRISTO

De que modo a confiança


na graça do Salvador pode
tornar-­me um professor melhor?
Em nosso empenho de ensinar o evangelho, às vezes nos sentimos inadequa-
dos. Mas podemos adquirir coragem na promessa feita pelo Senhor de que Sua
“graça basta [para] que as coisas fracas se tornem fortes” (Éter 12:27). Se nos
humilharmos, reconhecermos nossas fraquezas e exercermos fé em Jesus Cristo,
Ele nos fortalecerá para que ensinemos Seu evangelho de modo agradável a Ele.

Preparar-­se espiritualmente
Como você encontrou res- Jeremias 1:5–9; Moisés 6:31–34 (Profe- David A. Bednar, “Na Força do
postas para suas dúvidas tas que se sentiram inadequados mas Senhor”, A Liahona, novembro de
a respeito do evangelho? receberam forças do Senhor) 2004, p. 76
Que métodos de estudo
I Coríntios 1:27–31; D&C 1:19–23 (O “Não Há Maior Chamado”, Ensino,
o(a) ajudaram?
evangelho é proclamado pelos fracos Não Há Maior Chamado, 1999, pp. 3–4
Que métodos de estudo e simples)
David M. McConkie, “Aprender e
os jovens conhecem? Há
Jacó 4:7; Éter 12:23–29 (A graça do Sal- Ensinar o Evangelho”, A Liahona,
algum outro método de
vador basta para fortalecer o humilde) novembro de 2010, p. 13
estudo que um dos jovens
poderiam ensinar para a Alma 17:9–11; 29:9 (Podemos tornar-­
classe? nos instrumentos nas mãos do Senhor
para levar outros a Cristo)

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a relevância do evangelho na vida diária? As ideias
abaixo podem ajudá-­lo.

• Peça aos jovens que compartilhem • Peça aos jovens que leiam a seção
o que aprenderam sobre a Expiação intitulada “Cada Membro um Pro-
e que perguntas eles têm sobre o que fessor” em Ensino, Não Há Maior
Veja o apêndice para aprenderam. Chamado, p. 3. Convide os jovens a
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

61
compartilhar seus sentimentos sobre a outras pessoas? Como o Senhor nos
a responsabilidade que eles têm de ajuda a cumprir nossa responsabili-
ensinar o evangelho. Que oportunida- dade de ensinar?
des eles têm de ensinar o evangelho

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a confiar na graça do Salvador
para ajudá-­los a tornar-­se melhores professores. Seguindo a orientação do Espírito,
“Nunca ridicularize ou cri-
selecione uma ou mais delas que serão mais adequadas em sua classe:
tique perguntas ou comen-
tários, mas demonstre • Peça aos jovens que compartilhem Alma 17:9–11 e descreva como alguém
cortesia e amor ao acolhê-­ experiências pessoais em que rece- que toca um instrumento musical
los da melhor forma pos- beram uma designação que parecia se assemelha ao Senhor nos usando
sível. Quando as pessoas difícil ou demasiadamente pesada. como instrumentos para ensinar Seu
sentem que seus comen- Que designações futuras eles podem evangelho. O que os filhos de Mosias
tários são valorizados, as receber que os faria sentir-­se sobrecar- fizeram a fim de prepararem-­se para
pessoas predispõem-­se a regados? Como classe, leia os pri- ser instrumentos eficazes nas mãos
contar experiências, senti- meiros 11 parágrafos do discurso do do Senhor? Como os jovens podem
mentos e testemunhos com Élder David A. Bednar “Na Força do seguir o exemplo deles ao ensinar?
mais liberdade” (Ensino, Senhor” e peça aos jovens que ergam
• Convide os jovens a ler o discurso
Não Há Maior Chamado, a mão quando ouvirem ou lerem algo
de David M. McConkie “Aprender e
1999, p. 64). que poderia fortalecê-­los ou incentivá-­
Ensinar o Evangelho”. Incentive-­os a
los quando recebessem essas designa-
fazer uma lista no quadro de coisas
ções e peça que compartilhem o que
que o irmão McConkie disse serem
aprenderam com a classe. Como eles
importantes no ensino do evangelho
podem aplicar o que aprenderam às
e de coisas que ele disse não serem
oportunidades que têm de ensinar
importantes. Incentive-­os a contar
o evangelho a outras pessoas? Você
como as histórias do irmão McConkie
pode contar uma experiência pessoal
ilustram os pontos alistados no
em que recebeu forças do Senhor para
quadro. Convide os jovens a planejar
cumprir uma designação que parecia
maneiras pelas quais poderiam usar
difícil.
o que aprenderam no discurso para
• Antes da aula, convide um dos obter forças do Senhor ao ensinar
jovens que saiba tocar um instru- outras pessoas.
mento musical para que traga seu
• Peça aos jovens que imaginem que
instrumento para a aula (ou mostre
um amigo seu recebeu uma desig-
uma gravura do instrumento). Peça
nação do bispo de dar uma aula ou
aos jovens que discutam o que aquele
fazer um discurso, e esse amigo se
jovem faz para certificar-­se de que o
sente inadequado e não quer aceitar
instrumento musical funcione ade-
a designação. Como os jovens incen-
quadamente. Peça à classe que leia
tivariam seu amigo? Que escrituras

62
poderiam usar para ajudar o amigo? uma dramatização usando essas Ensinar à Maneira
(Ver, por exemplo, as escrituras suge- escrituras para ajudar alguém nessa do Salvador
ridas neste esboço.) Peça que façam situação.
O Salvador preparou-­Se
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como a graça para ensinar passando um
do Salvador pode ajudá-­los a tornarem-­se professores melhores? Eles têm mais alguma tempo sozinho em oração,
pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto? jejuando e buscando orien-
tação do Pai. Como você
pode seguir Seu exemplo
ao preparar-­se para ensi-
Convidar a agir nar os jovens?
• Pergunte aos jovens o que eles se • Preste testemunho da força e ajuda
sentem inspirados a fazer por causa que o Senhor lhe deu em sua designa-
do que aprenderam hoje. Incentive-­os ção de ensinar.
a colocar em prática esses sentimen-
tos. Pondere maneiras de fazer um
acompanhamento.

63
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder David A. Bednar, “Na filhos dos homens que temos poder para fazer estas
Força do Senhor”, A Liahona, novembro de 2004, p. 76 coisas” (Jacó 4:6–7).

Irmãos e irmãs, meu coração está a ponto de trans- Irmãos e irmãs, peço-lhes que prestem especial
bordar de emoção, minha mente está girando, meus atenção à palavra graça, como é usada no versículo
joelhos estão frágeis e trêmulos e as palavras são que acabei de ler. No Dicionário Bíblico aprendemos
totalmente inadequadas para expressar eficazmente que a palavra “graça”, frequentemente é usada nas
os sentimentos e pensamentos que gostaria de escrituras para denotar um fortalecimento ou poder
comunicar-lhes. Oro pela companhia do Espírito capacitador:
Santo e peço que Ele esteja comigo e com vocês,
“A ideia principal da palavra são os meios divinos
ao falar-lhes brevemente nesta manhã do Dia do
de ajuda ou fortalecimento concedidos pela abun-
Senhor.
dante misericórdia e amor de Jesus Cristo.
Nas horas que se passaram desde que o Presidente
(…) Também é pela graça do Senhor que as pessoas,
Hinckley me fez este novo chamado para servir, segui
por meio da fé na Expiação de Jesus Cristo e pelo
a admoestação de Néfi de “[aplicar] todas as escri-
arrependimento de seus pecados, recebem forças
turas a nós” (1 Néfi 19:23) com uma intensidade e
e auxílio para praticarem as boas obras que não
sentimento de propósito maiores do que nunca. (…)
seriam capazes de praticar se tivessem que fazê-lo
Ponderei a instrução de Jacó contida no Livro de por seus próprios meios. Essa graça é o que possibi-
Mórmon: lita que homens e mulheres alcancem a vida eterna
e a exaltação, depois de terem realizado o máximo
“Portanto estudamos os profetas e temos muitas
que podiam com seu próprio esforço” (Bible Dictio-
revelações e o espírito de profecia; e com todos estes
nary, p. 697).
testemunhos obtemos uma esperança e nossa fé
torna-se inabalável, de sorte que podemos verda- Portanto, o aspecto capacitador e fortalecedor da
deiramente ordenar em nome de Jesus e as próprias Expiação ajuda-nos a ver e a fazer e a tornar-nos
árvores ou as montanhas ou as ondas do mar nos bons de maneiras que jamais teríamos reconhecido
obedecem. ou realizado com nossa limitada capacidade mor-
tal. Testifico que o poder capacitador da Expiação
Não obstante, o Senhor Deus mostra-nos as nossas
do Salvador é real. Sem o poder fortalecedor da
fraquezas a fim de que saibamos que é por Sua
Expiação, eu não poderia estar diante de vocês
graça e Sua grande condescendência para com os
nesta manhã.

64
MARÇO: A EXPIAÇÃO DE JESUS CRISTO

Como posso usar


comparações para ensinar
a respeito da Expiação?
Para ajudar as pessoas a compreender um conceito intangível e espiritual como
a Expiação, é útil compará-­la com algo tangível e conhecido. O Senhor e Seus
profetas frequentemente referem-­se a objetos ou experiências conhecidas para
ajudar as pessoas a entender princípios espirituais. Ao estudarmos essas com-
parações, poderemos compreender melhor a Expiação e podemos tornar-­nos
mais eficazes ao ensiná-­la a outras pessoas.

Preparar-­se espiritualmente
Que comparações ou lições Isaías 1:18 (Isaías se refere à Jeffrey R. Holland, “Perdão, Justiça e
com uso de objetos o(a) neve e à lã para ensinar sobre o Redenção,” A Liahona, maio de 2015,
ajudaram a compreender arrependimento) p. 104
melhor a Expiação?
Mateus 11:28–30 (O Salvador compara D. Todd Christofferson, “Redenção”,
Que oportunidades os a ajuda que Ele nos dá com um jugo) A Liahona , maio de 2013, p. 109
jovens têm de ensinar a
Lucas 15:11–32 (Parábola do filho Dallin H. Oaks, “A Expiação e Fé”,
Expiação a outras pessoas?
pródigo) A Liahona, abril de 2008, p. 8
Como o uso de compara-
ções ajuda os jovens a ensi- 2 Néfi 1:15 (Leí compara a redenção “Comparações e Atividades com
nar de modo mais eficaz? com os braços do amor de Deus que Objetos”, Ensino, Não Há Maior
nos envolvem) ­Chamado, 1999, p. 163

Vídeo: “O Mediador”; ver também


Apresentações do Livro de Mórmon

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a estabelecer relações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a relevância do evangelho na vida diária? As ideias
abaixo podem ajudá-­lo.

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

65
• Pergunte aos jovens o que seus pro- Chamado , p. 163. Por que os professo-
fessores, líderes e pais fizeram para res usam comparações para ensinar
ajudá-­los a compreender a Expiação. verdades do evangelho? Convide os
jovens a compartilhar exemplos de
• Como classe, leiam “Compa-
comparações que os ajudaram a com-
rações”, em Ensino, Não Há Maior
preender melhor o evangelho.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a aprender a usar comparações
para ensinar sobre a Expiação. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou
“O bom professor não
mais delas que serão mais adequadas em sua classe:
pensa: ‘O que farei na aula
hoje?’, mas pergunta: ‘O • Convide os jovens a examinar as esboço) e compartilhem esse exemplo.
que meus alunos farão na histórias sobre Jean Valjean e Sara do O que eles podem aprender sobre
aula hoje?’ Não: ‘O que discurso do Élder Christofferson inti- a Expiação com essa comparação?
vou ensinar hoje?’, e sim: tulado “Redenção”. O que eles podem Escreva no quadro: “__________ é
‘Como vou ajudar meus aprender sobre a Expiação com essas como __________.” Convide os jovens
alunos a descobrirem o que histórias? Como poderiam utilizá-­las a preencher o primeiro espaço em
precisam saber?” (Virginia para ensinar outras pessoas? Que branco com um princípio relacionado
H. Pearce, Ensino, Não Há experiências pessoais semelhantes à Expiação (como arrependimento,
Maior Chamado, 1999, p. 61). eles poderiam usar para ensinar perdão ou ressurreição) e o segundo
outras pessoas sobre a Expiação? espaço em branco com algo conhecido
que usariam para ensinar esse prin-
• Mostre o vídeo “O Mediador”.
cípio a outras pessoas. Dê aos jovens
Peça aos jovens que trabalhem
várias oportunidades de praticar esse
individualmente alistando os vários
método de ensino.
componentes da comparação usada
pelo Presidente Boyd K. Packer (como • Divida a classe em dois grupos.
o credor, o devedor, a dívida, etc.) Designe um grupo para ler e debater
e que anotem o que cada um deles a história do Élder Jeffrey R. Hol-
representa. Divida a classe em duplas land sobre os irmãos que escalaram
e peça-­lhes que ensinem um ao outro um desfiladeiro (em seu discurso
a respeito da Expiação, usando a com- “Perdão, Justiça e Redenção”). Peça
paração do Presidente Packer. Como ao outro grupo que leia e debata o
essa comparação ajuda os jovens a exemplo do Élder Dallin H. Oaks de
compreender melhor a Expiação? uma árvore que se dobra facilmente
ao vento (em seu artigo “A Expiação e
• Peça aos jovens que pensem num
Fé”). Peça a cada grupo que ensine o
exemplo de comparação encontrado
outro grupo o que aprenderam sobre
nas escrituras que poderia ser usado
a Expiação, com a comparação que
para ensinar a Expiação (ver, por
estudaram. 
exemplo, as escrituras sugeridas neste

66
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como usar com- Ensinar à Maneira
parações para ensinar a Expiação a outras pessoas? Eles têm mais alguma pergunta? do Salvador
Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?
O Salvador contou his-
tórias simples, parábolas
e exemplos da vida real
Convidar a agir que ajudaram as pessoas
a quem Ele ensinou a des-
• Peça aos jovens que pensem no • Preste seu testemunho das bênçãos
cobrir lições do evangelho
que aprenderam hoje sobre o ensino. que os jovens podem proporcionar
no mundo a seu redor.
O que eles se sentem inspirados a a outros ao ensinar a respeito da
Como você pode ajudar os
fazer para ensinar a Expiação a outras Expiação.
jovens a ensinar à maneira
pessoas? Se possível, permita que
do Salvador? (Ver Ensinar
ensinem uns aos outros durante a
o Evangelho à Maneira do
aula, ou tome as providências para
Salvador, pp. 4–5.)
que ensinem em outra situação.

67
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do Élder Dallin H. Oaks, “A Expiação de ser libertado após 19 anos de prisão por ter
e Fé”, A Liahona, abril de 2008, p. 12 roubado um pão para alimentar os filhos famintos
de sua irmã. Endurecido e amargurado, Valjean
Por que é necessário sofrermos para arrepender-­
retribuiu a bondade do bispo Bienvenu roubando-­
nos de transgressões graves? Temos a tendência de
lhe objetos de prata. Mais tarde, detido por policiais
achar que a consequência do arrependimento é sim-
que dele suspeitavam, Valjean declara falsamente
plesmente a purificação do pecado, mas essa é uma
que a prataria lhe foi dada de presente. Quando os
visão incompleta. A pessoa que peca é como uma
policiais o arrastaram de volta para a casa do bispo,
árvore que se dobra facilmente ao vento. Num dia
para surpresa de Valjean, o bispo confirma sua his-
de muito vento e chuva, a árvore se dobra tanto em
tória e para comprová-­la exclama: “ ‘Ora! Eu lhe dei
direção ao solo que fica suja de lama, como acontece
também os castiçais, que também são de prata, e que
em relação ao pecado. Se enfocarmos somente a
lhe renderiam uns duzentos francos. Por que você
limpeza das folhas, então a fraqueza da árvore, que
não os levou também junto com os pratos?’ (…)
permitiu que ela se dobrasse e sujasse suas folhas,
permanecerá inalterada. De modo semelhante, O bispo se aproximou dele e lhe disse baixinho:
uma pessoa que simplesmente fica triste por ter
‘Não se esqueça, não se esqueça de que você me
sido manchada pelo pecado pecará novamente na
prometeu usar essa prataria para se tornar um
próxima vez que o vento soprar forte. A suscepti-
homem honesto’.
bilidade à repetição continuará existindo até que a
árvore seja fortalecida. Jean Valjean, que não tinha lembrança de ter feito
essa promessa, continuou confuso. O bispo (…)
Se uma pessoa passou pelo processo que resulta no
prosseguiu, solenemente:
que as escrituras chamam de “um coração quebran-
tado e um espírito contrito”, o Salvador faz mais do ‘Jean Valjean, meu irmão: você já não pertence ao
que purificá-­la do pecado. Ele lhe dá novas forças. mal, mas ao bem. É sua alma que estou comprando
para você. Eu a tiro dos pensamentos tenebrosos e
Trecho do discurso do Élder D. Todd Christofferson, do espírito de perdição e a entrego a Deus!’ ”
“Redenção”, A Liahona, maio de 2013, p. 110
Jean Valjean realmente se tornou um novo homem,
Um exemplo do romance de Vitor Hugo, Os Mise- um homem honesto e benfeitor de muitos. Durante
ráveis, embora fictício, sempre me tocou e inspirou. toda a sua vida, ele guardou os dois castiçais de
Quase no início da história, o bispo Bienvenu dá prata, como lembrete de que sua vida havia sido
comida e abrigo ao sem-­teto Jean Valjean, que acaba redimida por Deus (ver Os Miseráveis de Victor
Hugo, 1992, pp. 91–92).

68
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Abril: A Apostasia e a Restauração

“E enviei a plenitude do meu evangelho pela mão de meu servo Joseph” (D&C 35:17).

Os eventos da Apostasia e da Restauração contêm lições importantes que os jovens


podem aplicar em seus esforços para aprender e ensinar o evangelho. Incentive-­os a
fazer perguntas sobre o que estão aprendendo, a buscar mais conhecimento e ensinar
suas descobertas a outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


O que o exemplo de Joseph Smith me ensina sobre o aprendizado do evangelho?
Como posso reconhecer a diferença entre a verdade e o erro?
Por que é importante ensinar a doutrina pura?
Como posso aplicar os eventos da Apostasia e da Restauração a minha vida?
Como posso explicar a Apostasia e a Restauração a outras pessoas?
Páscoa: Como posso prestar meu testemunho da Ressurreição de Jesus Cristo?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

69
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

Páscoa: Como posso


prestar meu testemunho da
Ressurreição de Jesus Cristo?
No domingo de Páscoa nós, junto com outros cristãos, celebramos o evento
mais significativo da história do mundo — a Ressurreição de Jesus Cristo. Ele
rompeu as “ligaduras da morte, para que a sepultura não seja vitoriosa e para
que o aguilhão da morte seja consumido na esperança de glória” (Alma 22:14).
Sua Ressurreição foi o ápice de Seu Sacrifício Expiatório, pelo qual Ele venceu o
pecado e a morte para toda a humanidade. Quando prestamos nosso testemu-
nho da Ressurreição do Salvador, podemos ajudar outras pessoas a encontrar
paz e esperança.

Que escrituras ou ensina- Preparar-­se espiritualmente


mentos dos profetas dos
Estude em espírito de oração os recursos abaixo. O que você sente que vai inspirar os
últimos dias fortaleceram
jovens a prestar testemunho da Ressurreição do Salvador?
seu testemunho da Res-
surreição de Jesus Cristo? Lucas 24; João 20 (Jesus Cristo D. Todd Christofferson, “A Ressurrei-
Como esse testemunho ressuscitou) ção de Jesus Cristo”, A Liahona, maio
influenciou sua vida? de 2014, p. 111
3 Néfi 11:1–17 (O Salvador ressusci-
Quando você usou essas
tado aparece aos nefitas) “O Cristo Vivo: O Testemunho dos
escrituras e esses ensina-
Apóstolos”, A Liahona, abril de 2000,
mentos para ajudar outras D&C 76:22–24; Joseph Smith—His-
p. 2
pessoas a fortalecer o teste- tória 1:16–17 (Testemunho de Joseph
munho delas? Smith sobre o Salvador ressuscitado) mormon.org/graçasaele

Quando você ouviu os Thomas S. Monson, “Ele Ressusci- Vídeos: “Graças a Ele”,“Seu Nome
jovens testificarem do Sal- tou!” A Liahona, maio de 2010, p. 87 Sagrado — Uma Declaração da
vador? O que você pode Páscoa”. “Ele Vive — Comemore a
fazer para inspirá-­los a Páscoa Porque Jesus Cristo Vive”
compartilhar o testemu-
nho deles com outras
pessoas?
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
Veja o apêndice para a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo:
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

71
• Convide os jovens a compartilhar • Peça aos jovens que compartilhem
como aplicaram o que aprenderam uma experiência em que foram forta-
na aula da semana passada durante a lecidos pelo testemunho de alguém
semana. sobre Jesus Cristo.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada atividade a seguir pode ajudar a inspirar os jovens a prestar seu testemunho da
Ressurreição a outras pessoas. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou
“As discussões em peque-
mais atividades que melhor se adaptem a sua classe:
nos grupos, por exemplo,
podem envolver ime- • Mostre os vídeos sugeridos nesse considerem prestar um testemunho
diatamente os alunos esboço e convide os jovens a com- poderoso da Ressurreição do Salva-
que estejam perdendo o partilhar, uns com os outros, seus dor. Peça-­lhes que compartilhem as
interesse ou a concentra- pensamentos e sentimentos sobre declarações que encontraram uns com
ção” (Ensino, Não Há Maior o Salvador. Incentive os jovens a os outros e expliquem porque são sig-
Chamado, 2009, p. 72). compartilhar um desses vídeos com nificativas para eles. Peça aos jovens
os membros de sua família, ami- que debatam porque eles acham
gos e outras pessoas. Em uma aula importante ter profetas e apóstolos
posterior convide-­os a contar suas vivos que prestam testemunho da
experiências ao compartilhar essas Ressurreição. Preste seu próprio teste-
mensagens, inclusive as respostas munho da Ressurreição e convide os
que receberam. jovens a fazer o mesmo.

• Convide os jovens a encontrar e • Dê algum tempo aos jovens para


compartilhar escrituras (tais como que escrevam três ou mais manei-
as listadas nesse esboço) que podem ras de como a Ressurreição de Jesus
usar para ajudar outras pessoas a Cristo faz diferença em sua vida.
fortalecer seu testemunho da Ressur- Peça-­lhes que compartilhem o que
reição de Jesus Cristo. Incentive os escreveram. Dê-­lhes uma cópia do
jovens a fazer uma lista das escri- discurso do Élder D. Todd Chris-
turas que são compartilhadas na tofferson “A Ressurreição de Jesus
aula para que possam consultá-­las Cristo”, e peça-­lhes que procurem
posteriormente. outras coisas que poderiam adicionar
em sua lista. Peça-­lhes que pensem
• Convide os jovens a ler “O Cristo
em alguém que precise conhecer
Vivo” ou um dos discursos da confe-
sobre a Ressurreição do Salvador e
rência geral sugeridos nesse esboço,
incentive-­os a definir como vão pres-
e procurarem por declarações que
tar testemunho a essa pessoa.

72
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles sentem-­se inspirados Ensinar à maneira
a compartilhar seu testemunho da Ressurreição com outras pessoas? Quais são os do Salvador
sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil
O Salvador usou as
passar mais tempo debatendo esse assunto?
escrituras para ensinar e
testificar a respeito de Sua
missão. Ensinou as pes-
Convidar a agir soas a ponderarem sobre
as escrituras por si mes-
Pergunte aos jovens o que sentem inspirados a fazer depois do que aprenderam hoje.
mas e a usá-­las a fim de
Incentive-­os a agir de acordo com essa inspiração. Pense em maneiras de acompanhar
encontrar respostas para
os compromissos assumidos.
suas próprias dúvidas.
Como você pode ajudar
os jovens a reconhecer os
testemunhos poderosos
contidos nas escrituras?

73
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

O que o exemplo de Joseph


Smith me ensina sobre o
aprendizado do evangelho?
Joseph Smith buscou conhecimento espiritual ao agir como o instrumento do
Senhor na restauração do evangelho. Ele ponderou sobre as escrituras, fez per-
guntas inspiradas e agiu de acordo com o que aprendeu. Ao seguir o exemplo
do Profeta, podemos receber respostas a nossas perguntas e inspiração para
guiar nossa vida.

Preparar-­se espiritualmente
Pense nas experiências que Estude a vida de Joseph Smith. O que o exemplo dele lhe ensina sobre o aprendizado do
teve ao estudar o evange- evangelho? O que você pode compartilhar com os jovens?
lho. Como o exemplo de
D&C 76:15–21 (Joseph Smith refletiu Craig C. Christensen, “Sei Destas
Joseph Smith o(a) inspira a
sobre as escrituras) Coisas por Mim Mesmo”, A Liahona,
aprender o evangelho?
novembro de 2014, p. 50
Joseph Smith—História (Joseph Smith
Qual é a abordagem dos
aplicou as escrituras a si mesmo, fez “Adquirir Conhecimento de Verdades
jovens de sua classe no
perguntas inspiradas e agiu de acordo Eternas”, Ensinamentos dos Presi-
tocante ao aprendizado?
com o que aprendeu) dentes da Igreja: Joseph Smith, 2007,
Como o exemplo de
pp. 273–283
Joseph Smith pode enri- Jairo Mazzagardi, “O Sagrado Local
quecer o aprendizado do da Restauração”, A Liahona, maio de “Que Manhã Maravilhosa!”, Hinos,
evangelho deles? 2016, p. 56 nº 12

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Convide os jovens a fazer pergun- • Peça a cada jovem que faça um


tas sobre uma doutrina que estejam desenho simples no quadro que repre-
estudando. sente alguma coisa que sabe sobre

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

74
a vida de Joseph Smith (ou exibir de Joseph Smith me ensina sobre o
e conversar sobre as gravuras de aprendizado do evangelho?” Peça aos
acontecimentos de sua vida; ver Livro jovens para sugerir algumas respos-
de Gravuras do Evangelho, pp. 89–97). tas e continuar a pensar sobre essa
Escreva no quadro: “O que o exemplo pergunta durante a aula.

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a aprender com o exemplo de Técnicas de estudo
Joseph Smith como aluno do evangelho. Seguindo a orientação do Espírito, selecione as do evangelho
mais adequadas para sua classe:
Procurar Princípios. Um
• Durante a semana, peça a um dos Joseph Smith—História1:5–17 à pro- princípio é uma verdade
jovens de sua classe que releia Joseph cura de respostas para essa pergunta. que dirige nossas ações.
Smith—História 1:5–17 e que venha Às vezes, os princípios são
• Ajude os jovens a fazer uma lista declarados claramente nas
preparado para compartilhar o que
de princípios e atributos que nos aju- escrituras ou nas palavras
Joseph Smith fez para encontrar
dam a aprender o evangelho (como dos profetas, e outras
respostas a suas perguntas. Em classe,
ter humildade, ponderar, aplicar as vezes eles estão implíci-
analisem o discurso do Élder Jairo
escrituras e fazer perguntas inspi- tos em uma história. Na
Mazzagardi “O Sagrado Local da
radas). Designe a cada jovem, uma primeira atividade desta
Restauração” e descubram como o
das seguintes passagens de Joseph seção, é pedido aos jovens
Élder Mazzagardi buscou a resposta
Smith—História: versículos 10–20, que façam uma lista dos
para sua pergunta. Como a experiên-
21–26, 28–33, 34–47, 48–54, 68–75. princípios de aprendi-
cia do Élder Mazzagardi é semelhante
Peça para os jovens pesquisar esses zagem. Ao pesquisar as
à de Joseph Smith? Que perguntas os
versículos para ver outros princípios escrituras, as seguintes
jovens têm a respeito do evangelho?
de aprendizado e exemplos de Joseph perguntas podem ajudá-­
Como eles podem aceitar o convite do
Smith ao aplicar esses princípios. los: Quais princípios posso
Élder Mazzagardi de “seguir o exem-
Como os jovens podem aplicar esses aprender com essa passa-
plo do Profeta Joseph Smith” quando
princípios em seus próprios esforços gem? Eles são diferentes
tiverem perguntas? 
para aprender o evangelho? do que eu pensava ou
• Peça aos alunos que leiam a seção aprendi no passado? Eles
• Leiam juntos a letra de “Que
intitulada “Peça a Deus”, no discurso me inspiram a mudar
Manhã Maravilhosa!”, (Hinos, nº 12) e
do Élder Craig C. Christensen “Sei algo em minha vida?
encontrem as palavras que descrevam
Destas Coisas por Mim Mesmo”. Incentive-­os a procurar
a atitude de Joseph Smith ao buscar
Peça-­lhes que façam uma lista no qua- princípios em seu estudo
a verdade. Ajude os jovens com a
dro de possíveis respostas à pergunta pessoal e familiar do
definição das palavras desconheci-
do Élder Christensen “Vocês veem evangelho.
das. Como os jovens podem aplicar o
um padrão que há na experiência de
exemplo de Joseph Smith a sua busca
Joseph que podem aplicar para obter
da verdade? 
ou fortalecer seu próprio testemu-
nho?” Peça aos alunos que leiam

75
Ensinar à maneira • Divida a classe em grupos e dê a jovens a desenhar algo que represente
do Salvador cada um deles uma seção do capítulo os ensinamentos de Joseph Smith
“Adquirir Conhecimento de Verdades sobre como melhorar seu estudo do
Em Sua preparação para
Eternas” de Ensinamentos dos Presiden- evangelho.
ensinar, o Salvador buscou
tes da Igreja: Joseph Smith. Convide os
a solidão para orar e
jejuar. Procurou a orienta- Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem o que as
ção de Seu Pai Celestial. experiências de Joseph Smith ensinam sobre o aprendizado do evangelho? Quais são os
O que você pode fazer sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil
para seguir o exemplo de passar mais tempo debatendo esse assunto?
ensino do Salvador?

Convidar a agir
Convide cada jovem a escrever uma coisa que fará para ser um melhor aprendiz do
evangelho com base no exemplo de Joseph Smith. Convide os jovens a contar uns aos
outros o que escreveram.

76
Recursos Selecionados

Extraído de “Adquirir Conhecimento de Verdades Ele sabe sujeitar todos os seres a Ele: Ele tem poder
Eternas”, Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: sobre todos.” (History of the Church, volume 5, p. 340;
Joseph Smith, 2007, pp. 273–283 utilização de maiúsculas modernizada; divisão
de parágrafos alterada; extraído de um discurso
“Quando os homens abrem a boca contra [a ver-
proferido por Joseph Smith em 8 de abril de 1843,
dade], eles não me prejudicam, mas, sim, a si mes-
em Nauvoo, Illinois; relatado por Willard Richards
mos. (…) Quando coisas extremamente importantes
e William Clayton.)
são desprezadas pelos homens de mente fraca sem
ao menos ser levadas em consideração, quero ver “À medida que nos afastamos de Deus, descemos
a verdade em todas as suas correlações e aceitá-la para o diabo e perdemos conhecimento, e sem
do fundo do coração. Creio em tudo o que Deus já conhecimento não podemos ser salvos, e enquanto
revelou e nunca ouvi falar que um homem tivesse nosso coração está cheio de mal e estamos estu-
sido condenado por acreditar demais; mas eles são dando o mal, não há lugar em nosso coração para o
condenados pela descrença.” (History of the Church, bem, ou para estudar o bem. Deus não é bom? Então
volume 6, p. 477; extraído de um discurso proferido sejam bons; se Ele é fiel, então sejam fiéis. Acres-
por Joseph Smith em 16 de junho de 1844, em Nau- centem à sua fé virtude, à virtude, conhecimento,
voo, Illinois; relatado por Thomas Bullock. ) e busquem todas as coisas boas (ver II Pedro 1:5).”
(History of the Church, volume 4, p. 588; extraído
“Quando Deus oferece uma bênção ou conheci-
de um discurso proferido por Joseph Smith em 10
mento a um homem, e ele se recusa a aceitá-lo, ele
de abril de 1842, em Nauvoo, Illinois; relatado por
será condenado. Os israelitas oraram para que Deus
Wilford Woodruff.)
falasse a Moisés e não para eles; consequentemente,
Ele os amaldiçoou com uma lei carnal.” (History of George A. Smith, enquanto servia na Primeira Presi-
the Church, volume 5, p. 555; extraído de um dis- dência, relatou: “Joseph Smith ensinou que todo
curso proferido por Joseph Smith em 27 de agosto homem ou mulher deve buscar o Senhor para obter
de 1843, em Nauvoo, Illinois; relatado por Willard sabedoria, a fim de poderem adquirir conheci-
Richards e William Clayton.) mento Daquele que é a fonte do conhecimento; e
as promessas do evangelho, conforme reveladas,
“Sempre tive a satisfação de ver a verdade triunfar
autorizam-nos a acreditar que, seguindo esse pro-
sobre o erro, e as trevas se afastarem na presença
cedimento, devemos alcançar o objetivo de nossa
da luz.” (…) (Carta de Joseph Smith para Oliver
busca”. (George A. Smith, Deseret News: Semi-Weekly,
Cowdery, 24 de setembro de 1834, Kirtland, Ohio,
29 de novembro de 1870, p. 2.)
publicado em Evening and Morning Star, setembro de
1834, p. 192.) “Não é sábio recebermos todo o conhecimento de
uma só vez; mas devemos receber um pouco de
“O conhecimento afasta as trevas, o suspense e a
cada vez; então poderemos compreendê-lo.” (His-
dúvida, porque essas coisas não podem existir onde
tory of the Church, volume 5, p. 387; extraído de um
houver conhecimento. (…) Há poder no conheci-
discurso proferido por Joseph Smith em 14 de maio
mento. Deus tem mais poder do que todos os seres,
de 1843, Yelrome, Illinois; relatado por Wilford
porque Ele tem conhecimento maior; e portanto
Woodruff.)

77
Recursos Selecionados

“Quando subimos uma escada, somos obrigados “Deus nada revelou a Joseph que não dará a conhe-
a começar de baixo e subir degrau por degrau, até cer aos Doze, e até o menor dos santos pode conhe-
chegar ao alto; o mesmo acontece com os princípios cer todas as coisas na proporção em que puder
do Evangelho – devemos começar com o primeiro, suportá-las, porque dia virá em que ninguém dirá
e continuar subindo até que tenhamos aprendido a seu próximo, Conheça o Senhor; porque todos O
todos os princípios de exaltação. Mas só muito conhecerão (…) desde o menor até o maior (ver Jere-
tempo depois de termos passado pelo véu é que mias 31:34).” (History of the Church, volume 3, p. 380;
os aprenderemos. Não compreenderemos tudo extraído de um discurso proferido por Joseph Smith
neste mundo; teremos muito trabalho para apren- em 27 de junho de 1839, em Commerce, Illinois;
der nossa salvação e exaltação, mesmo depois da relatado por Willard Richards.)
morte.” (History of the Church, volume 6, pp. 306–
307; extraído de um discurso proferido por Joseph
Smith em 7 de abril de 1844, em Nauvoo, Illinois;
relatado por Wilford Woodruff, Willard Richards,
Thomas Bullock e William Clayton.)

78
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

Como posso reconhecer


a diferença entre a
verdade e o erro?
Durante a Grande Apostasia, muitas verdades do evangelho foram mudadas
ou se perderam. Essas verdades foram restauradas em nossos dias por meio do
Profeta Joseph Smith. Estudar a palavra de Deus e ouvir o Espírito Santo pode
ajudar-­nos a reconhecer a diferença entre as verdades do evangelho restaurado
e as falsidades ensinadas pelo mundo.

Preparar-­se espiritualmente
Como discernir entre a Use os recursos a seguir para compreender por si mesmo como reconhecer a diferença
verdade e o erro? Que entre a verdade e o erro. Suas próprias experiências ao viver esse princípio também o
bênçãos você já recebeu ajudarão a ensinar de modo eficaz. Depois, avalie como as atividades do restante deste
em sua vida por conseguir esboço podem ajudá-­lo a planejar maneiras de envolver os jovens no aprendizado.
distinguir a verdade do
João 8:31–32; Joseph Smith—Mateus Joseph Smith—História 1:8–20
erro?
1:37 (O estudo da palavra de Deus (Joseph Smith ora para saber a
Quais são algumas das fal- nos ajuda a reconhecer a verdade) verdade)
sidades às quais os jovens
Isaías 5:20; Moisés 4:3–4 (Satanás Boyd K. Packer, “Estas Coisas Eu Sei”,
estão expostos? Como
tenta enganar) A Liahona, maio de 2013, p. 6
você pode incentivá-­los a
determinar a veracidade Morôni 7:12–19 (Tudo o que nos per- Neil L. Andersen, “Joseph Smith”, A
das informações que rece- suade a fazer o bem e a acreditar em Liahona, novembro de 2014, p. 28
bem? Por que é importante Cristo é de Deus)
que eles saibam como Marcos A. Aidukaitis, “Se Tendes
fazê-­lo? Morôni 10:5; D&C 46:7–8 (O Espírito Falta de Sabedoria”, A Liahona, maio
Santo testifica da verdade) de 2014, p. 108

Vídeo: “Sereis Libertados”

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):
Veja o apêndice para
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

79
• Debata as perguntas que os alunos parte do vídeo, o Élder M. Russell
tiverem depois de aprender sobre a Ballard adverte contra a forma astuta
Apostasia e a Restauração em suas que Satanás usa para nos enganar.
outras aulas. Como você pode ajudá-­ Peça aos jovens que debatam o que
los a encontrar as respostas? aprenderam sobre não ceder aos
enganos de Satanás.
• Mostre o primeiro minuto e meio
do vídeo “Sereis Libertados”. Nessa

Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a aprender a reconhecer a
do evangelho diferença entre a verdade e o erro. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou
mais delas que melhor funcionem em sua classe:
Discernir entre a doutrina
verdadeira e a falsa. Às • Dê a cada aluno uma cópia dos quando querem saber se algo é
vezes, quando descobri- últimos nove parágrafos do discurso verdadeiro?
mos ou adquirimos novas do Presidente Boyd K. Packer “Estas
informações, podemos • Peça aos jovens que leiam Morôni
Coisas Eu Sei”. Convide os jovens
determinar sua veracidade 7:12–19 à procura dos critérios que
a procurar palavras-­chave que os
respondendo a perguntas podem usar para discernir entre o
ajudem a reconhecer a diferença entre
como as seguintes: Essa bem e o mal. Convide cada jovem a
a verdade e o erro. Peça a eles que
ideia é ensinada mais de fazer uma lista de escolhas com que
escrevam no quadro as palavras que
uma vez nas escrituras? estão se deparando e a usar esses
encontrarem e expliquem por que as
Os profetas e apóstolos critérios para guiar sua decisão. Peça
escolheram.
vivos a ensinam? Está em a eles que compartilhem itens da lista
harmonia com as práti- • Divida a classe em dois grupos caso se sintam à vontade.
cas atuais e as normas e dê a cada um deles uma cópia do
• Convide os jovens a imaginar uma
aprovadas da Igreja? O discurso do Élder Neil L. Andersen
situação em que encontrem infor-
Espírito me testifica de “Joseph Smith”. Peça a um dos gru-
mações que podem causar o ques-
sua veracidade? pos que leia a história sobre a carta
tionamento de seu testemunho do
falsificada que enganou alguns mem-
evangelho. O que podem fazer para
bros da Igreja. Peça ao outro grupo
reconhecer a diferença entre a verdade
que leia a história sobre a fotografia
e o erro nessa situação? Para ajudá-­los
do Élder Russell M. Nelson. Peça que
a encontrar respostas para essa per-
cada grupo compartilhe o que apren-
gunta, convide-­os a estudar as escritu-
deu com a sua história sobre discernir
ras neste esboço ou as três etapas que
entre a verdade e o erro.
o Élder Marcos A. Aidukaitis sugere
• Peça aos jovens que estudem em seu discurso “Se Tendes Falta de
Joseph Smith—História 1:8–20 e Sabedoria”. Convide-­os a comparti-
façam uma lista dos passos seguidos lhar o que encontraram. Convide-­os
por Joseph Smith para distinguir a também a compartilhar experiências
verdade do erro. Como os jovens que tiveram em que foram capazes de
podem seguir o exemplo de Joseph discernir a verdade do erro.

80
Convide os jovens a dizer o que aprenderam hoje. Eles compreendem como reconhecer Ensinar à maneira
a diferença entre a verdade e o erro? Quais são os sentimentos ou as impressões que do Salvador
eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo esse
O Salvador não desistia
assunto?
quando aqueles a quem
ensinava vacilavam. Ele
continuava a amá-­los e a
Convidar a agir ministrar a eles. Mesmo
quando Pedro O negou,
Convide os jovens a compartilhar quaisquer impressões que tiveram durante a aula. O
por exemplo, o Salvador
que eles sentiram inspirados a fazer? O que você pode fazer para incentivá-­los a viver o
continuou a ministrar a
que aprenderam?
ele e a ajudá-­lo a tornar-­se
digno de liderar a Igreja.
De que maneiras você
pode ministrar àqueles a
quem ensina e que estão
com dificuldades para
viver o evangelho?

81
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do Presidente Boyd K. Packer, “Estas Todos nascemos com a Luz de Cristo, uma influên-
Coisas Eu Sei”, A Liahona, maio de 2013, p. 8 cia orientadora que permite que toda pessoa consiga
distinguir o certo do errado. O que fazemos com
O arbítrio é definido nas escrituras como um “arbí-
essa luz e como reagimos à inspiração de viver
trio moral”, o que significa que podemos escolher
em retidão são coisas que fazem parte do teste da
entre o bem e o mal. O adversário procura tentar-­
mortalidade.
nos a utilizar indevidamente o nosso arbítrio moral.
“Pois eis que o Espírito de Cristo é concedido a
As escrituras ensinam “que todo homem [pode
todos os homens, para que eles possam distinguir
agir], em doutrina e princípio relativos ao futuro,
o bem do mal; portanto vos mostro o modo de
de acordo com o arbítrio moral que lhe dei, para
julgar; pois tudo o que impele à prática do bem e
que todo homem seja responsável por seus próprios
persuade a crer em Cristo é enviado pelo poder
pecados no dia do juízo” (Doutrina e Convênios
e dom de Cristo; por conseguinte podeis saber,
101:78).
com um conhecimento perfeito, que é de Deus”
Alma ensinou que “o Senhor não pode encarar o (Morôni 7:16).
pecado com o mínimo grau de tolerância” (Alma
Cada um de nós precisa estar em condições de aten-
45:16). Para compreender isso, precisamos separar
der à inspiração e aos sussurros do Espírito Santo. O
o pecado do pecador.
Senhor tem um meio de derramar inteligência pura
Quando, por exemplo, uma mulher apanhada em nossa mente a fim de inspirar-­nos, guiar-­nos,
em adultério, evidentemente culpada, foi levada ensinar-­nos e alertar-­nos. Todo filho e toda filha de
perante o Salvador, Ele dispensou o caso com seis Deus pode descobrir instantaneamente as coisas
palavras: “Vai-­te, e não peques mais” (João 8:11). que precisa saber. Aprendam a receber e a seguir a
Esse é o espírito de Seu ministério. inspiração e a revelação.

A tolerância é uma virtude, mas como todas as Dentre tudo que li, ensinei e aprendi, uma das
virtudes, quando exagerada se transforma em mal. verdades mais preciosas e sagradas que tenho a
Precisamos tomar cuidado com a “armadilha da oferecer é meu testemunho especial do Salvador
tolerância” para não sermos tragados por ela. A Jesus Cristo. Ele vive. Sei que Ele vive. Sou Sua
permissividade possibilitada pelo enfraquecimento testemunha. Disso posso prestar testemunho. Ele é
de leis do país que toleram atos legalizados de imo- nosso Salvador, nosso Redentor. Disso tenho certeza.
ralidade não diminui a grave consequência espiri- Disso presto testemunho, em nome de Jesus Cristo.
tual resultante da violação da lei da castidade dada Amém.
por Deus.

82
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

Por que é importante


ensinar a pura doutrina?
Após a morte dos Doze Apóstolos originais, o povo começou a confiar em
sua própria sabedoria para interpretar as escrituras. Como resultado, foram
ensinadas doutrinas falsas e a Igreja caiu em Apostasia. Como professores do
evangelho, temos a responsabilidade de ensinar as verdades do evangelho
restaurado em sua pureza para que ninguém se desencaminhe. Quando as
pessoas a quem ensinamos compreendem a doutrina verdadeira, seu coração é
tocado e elas mudam suas atitudes e seu comportamento (ver Boyd K. Packer,
“Não Temais”, A Liahona, maio de 2004, p. 77).

Preparar-­se espiritualmente
Como você, professor(a), Estude as escrituras e os recursos abaixo. O que você sente inspirado a compartilhar
assegura-­se de estar ensi- com os jovens?
nando a pura doutrina?
Lucas 24:32; Joseph Smith — História Alma 4:19; 31:5 (A palavra de Deus é
Quando você sentiu o
1:11–12 (O ensino das escrituras toca o poderosa)
poder que advém de ensi-
coração das pessoas)
nar a pura doutrina? Morôni 10:5 (O Espírito Santo testifica
II Timóteo 4:3–4 (Paulo profetiza da verdade)
Os jovens a quem ensina
sobre o ensino de falsas doutrinas)
reconhecem o poder da Ensino, Não Há Maior Chamado, 1999,
pura doutrina? Como Mosias 18:19 (As escrituras e as pala- pp. 52–53, 203–207
você pode ajudá-­los a vras dos profetas são a fonte da pura
sentirem-­se mais confian- D. Todd Christofferson, “A Doutrina
doutrina)
tes em sua capacidade de de Cristo”, A Liahona, maio de 2012,
ensinar a pura doutrina? p. 86

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

83
• Peça aos jovens que compartilhem pessoas. Se a água potável representa o
uma experiência em que sentiram o puro evangelho, o que poderia a água
Espírito enquanto ensinavam o evan- suja representar? Quais são algumas
gelho a alguém. coisas que podem contaminar as puras
doutrinas do evangelho? (Ver Ensino,
• Levar um copo de água potável e
Não Há Maior Chamado, pp. 52–53).
um copo de água suja para a classe.
Como essa analogia ajuda os jovens a
Sugerir que a água poderia representar
compreender a importância de ensinar
o evangelho que ensinamos a outras
pura a doutrina?

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a aprender sobre a importância
de ensinar a pura doutrina. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais
“Não devemos atribuir
delas que melhor funcionem em sua classe:
declarações a líderes da
Igreja sem ter certeza da • Peça aos jovens que façam uma lista • Convide os jovens a ler II Timóteo
autoria. Quando cita- das maneiras pelas quais o mundo 3:2–4 e 2 Néfi 9:28–29. Como essas
mos escrituras, devemos tenta mudar o comportamento das pes- escrituras foram cumpridas em nos-
assegurar-­nos de que soas. Em seguida, peça-­lhes que leiam sos dias? Quais são alguns dos efeitos
nosso uso delas esteja de Alma 4:19 e 31:5 procurando identificar das falsas doutrinas que temos visto a
acordo com seu contexto” a maneira do Senhor de influenciar as nosso redor? (para alguns exemplos,
(Ensino, Não Há Maior Cha- pessoas. Depois de compartilhar o que ver II Timóteo 3:1–5). Quais princípios
mado, 1999, p. 53). encontraram, convide-­os a procurar do evangelho restaurado poderiam
nas escrituras exemplos de pessoas ajudar a superar esses efeitos?
cujo coração foi mudado por terem
• Dê à metade da classe a atribuição
sido ensinadas com a doutrina ver-
de estudar “Suas Responsabilidades
dadeira. Peça para os jovens com-
Como Professor” em Ensino, Não Há
partilharem exemplos de princípios
Maior Chamado (página 52) e à outra
do evangelho que aprenderam e que
metade, “Advertências para os Profes-
influenciaram suas ações.
sores do Evangelho” (páginas 52–53).
• Ajude os jovens a procurar nas Peça a cada grupo que pense em uma
escrituras exemplos de pessoas que maneira criativa de ensinar ao outro
ensinaram doutrina falsa (por exem- grupo o que aprendeu. Peça a cada
plo, Serém [ver Jacó 7], Corior [ver jovem para selecionar uma das ideias
Alma 30] ou os zoramitas [ver Alma apresentadas e compartilhar por que
31]). Que efeito seus ensinamentos esse conceito é importante para ensi-
tiveram nas pessoas? Quais doutri- nar a pura doutrina.
nas os servos do Senhor ensinaram
naquelas situações? Quais semelhan-
tes falsos ensinamentos os jovens
encontram no mundo de hoje? Como
os jovens podem responder e ensinar
a pura doutrina?

84
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles entendem a importância Ensinar à maneira
de ensinar a pura doutrina? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles têm? do Salvador
Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?
O Salvador usou as
escrituras para ensinar e
testificar a respeito de Sua
Convidar a agir missão. Enfatizou e ensi-
nou repetidamente a pura
Convide os jovens a pensar numa oportunidade futura de ensino. Incentive-­os a pensar
doutrina. Como você pode
no que vão fazer para assegurar-­se de ensinar a pura doutrina.
ajudar os jovens a usar as
escrituras para identificar
a pura doutrina e ensiná-­la
a outras pessoas?

85
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

Como posso aplicar os


eventos da Apostasia e da
Restauração em minha vida?
Nós devemos “aplicar todas as escrituras a nós, para nosso proveito e instru-
ção” (1 Néfi 19:23). Aplicar as escrituras significa ver como os acontecimentos
e as circunstâncias das escrituras se relacionam com os acontecimentos e as
circunstâncias de nossa vida. Embora os acontecimentos da Apostasia e da
Restauração tenham ocorrido há muito tempo, podemos encontrar maneiras de
aprender com esses acontecimentos e relacioná-­los a nós hoje em dia.

Preparar-­se espiritualmente
Como aplicar as escrituras Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que vai ajudar os
a sua vida abençoou você? jovens a aplicar os eventos da Apostasia e da Restauração a sua vida?
Que estratégias ajudaram
1 Néfi 19:23–24 (Devemos aplicar as M. Russell Ballard, “Aprender as
a aplicar as escrituras a sua
escrituras a nós mesmos) Lições do Passado”, A Liahona, maio
vida? Que acontecimentos
de 2009, p. 31
da Apostasia e da Res- D&C 61:36 (O que o Senhor diz a um
tauração têm importância diz a todos) “Aplicação das Escrituras”, Ensino,
especial em sua vida? Não Há Maior Chamado, 1999, pp.
Joseph Smith — História 1:5–20
170–171
Como aprender a aplicar (Joseph Smith aplica Tiago 1:5 a si
as escrituras abençoará mesmo) Vídeo: “O Que a Restauração Signi-
os jovens? Que conexões fica para Mim”
você pode ver entre a vida “Apostasia”, Sempre Fiéis, 2004,
deles e as coisas que estão pp. 16 –17
aprendendo sobre a apos-
tasia e a restauração?
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Convide as moças a compartilhar a compartilhar com as moças algo


com os rapazes algo que aprenderam que aprenderam em seus quóruns do
em suas classes das Moças recente- Sacerdócio Aarônico sobre a restaura-
Veja o apêndice para
mente sobre a apostasia ou a restaura- ção ou a apostasia.
encontrar outras ideias de
ção. Em seguida, convide os rapazes
ensino e aprendizado.

86
• Convide os jovens a ler 1 Néfi 19:23 Restauração Significa para Mim”, e
e discutam o que Néfi queria dizer convide os alunos a procurar manei-
com “aplicar todas as escrituras a ras pelas quais os jovens no vídeo
nós” (se necessário, compartilhar com relacionam os acontecimentos da
os jovens o parágrafo no início deste restauração a sua própria vida.
esboço). Mostre o vídeo “O Que a

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a entender como aplicar os Dica de ensino
eventos da apostasia e da restauração a sua vida. Seguindo a orientação do Espírito,
“A quantidade de infor-
selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
mações que você conse-
• Convide os jovens a ler Joseph jovens poderiam aplicar a si mesmos guir transmitir é menos
Smith — História 1:5–10 para apren- usando essas estratégias? importante do que a
der sobre o que estava acontecendo influência delas na vida
• No quadro, escreva os títulos
na vida de Joseph Smith quando de seus alunos. Uma vez
“Grande Apostasia” e “Apostasia
ele tinha 14 anos de idade. Depois, que o ensino de conceitos
Pessoal”. Peça aos jovens para ler
convide-­os a ler os versículos 11 a 20 demais ao mesmo tempo
o verbete “Apostasia” em Sempre
e identificar o que Joseph fez para pode confundir ou cansar
Fiéis e listarem no quadro as coisas
aplicar as escrituras que leu a suas os alunos, é mais produ-
que levaram à ou resultaram da
experiências. Como o exemplo de tivo concentrar-­se em um
Grande Apostasia. Ajude-­os a aplicar
Joseph Smith pode ajudar os jovens ou dois princípios-­chave”
a grande apostasia a si mesmos, e
a melhorar seu próprio estudo das (Ensino, Não Há Maior Cha-
discutam como as coisas em sua lista
escrituras? Dê-­lhes tempo para escre- mado, 1999, p. 99).
podem levar à apostasia pessoal. Por
ver as maneiras pelas quais podem
exemplo, semelhantes às pessoas que
aplicar as experiências de Joseph
mataram os apóstolos após a morte
Smith a sua própria vida. Convide os
de Cristo, uma pessoa hoje que rejeita
jovens a partilhar com outro membro
ou critica os apóstolos vivos está em
da classe o que escreveram.
perigo de apostasia pessoal. O que os
• Convide os jovens a ler a seção inti- jovens podem fazer para se protege-
tulada “Aplicação das Escrituras” nas rem contra a apostasia pessoal?
páginas 170–171 de Ensino, Não Há
• Pergunte aos jovens como reagiriam
Maior Chamado e procure as estraté-
se um amigo dissesse: “Não gosto de
gias que eles podem usar para aplicar
ler as escrituras; elas falam sobre coisas
as escrituras a si mesmos. Incentive-­os
que aconteceram tanto tempo atrás. O
a relatar à classe o que aprenderam.
que elas têm a ver com a minha vida
Convide os jovens a escolher uma
agora?” Divida o discurso do Élder M.
das escrituras citadas nessa seção de
Russell Ballard “Aprender as Lições do
Ensino, Não Há Maior Chamado e siga
Passado” entre os jovens e convide-­os
as diretrizes para aplicá-­la em sua
a ler suas seções e procurar maneiras
própria vida. Que outras escrituras os
pelas quais eles podem responder a
seu amigo.

87
Ensinar à maneira Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles entendem como aplicar
do Salvador os eventos da Apostasia e da Restauração a si mesmos? Quais são os sentimentos ou
as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender
O Salvador ensinava as
mais tempo nesse assunto?
pessoas a ponderar as
escrituras por si mesmas e
a usá-­las a fim de encon-
trar respostas para suas Convidar a agir
próprias dúvidas. Como
Pergunte aos jovens o que eles sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam
você pode ajudar os jovens
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas
a compreender como apli-
quais que você pode fazer o acompanhamento.
car o que leram nas escri-
turas a seus problemas?

88
Recursos Selecionados

Extraído de “Aplicação das Escrituras”, Ensino, Não no texto das escrituras. Se uma pessoa tentar, por
Há Maior Chamado, 2009, pp. 170–171 exemplo, colocar-se em Tiago 1:5–6, o ensinamento
sobre a oração se aplicará a ela da mesma forma que
Devemos “[aplicar] todas as escrituras a nós, para
a Joseph Smith:
nosso proveito e instrução” (1 Néfi 19:23). Aplicar
as escrituras significa ver como as histórias nelas “Se (me) falta (…) sabedoria, (peço-a) a Deus, que
contidas são semelhantes às circunstâncias atuais e a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e
mostrar como os princípios que ensinam são rele- (ser-me-á) dada. (Peço-a), porém, com fé, em nada
vantes em nossa vida. Em uma aula sobre defender duvidando”.
a verdade, por exemplo, você pode aplicar a história
Muitas vezes, podemos aplicar as escrituras em
de Abinádi na corte do rei Noé a seus alunos (ver
nossa vida dizendo: “O profeta que escreveu essa
Mosias 11–17). Para ensinar sobre a cegueira espiri-
passagem queria que aprendêssemos o quê com ela?
tual e o poder que o Salvador tem para curar-nos e
Por que ele fez questão de inserir esses detalhes?”
conceder-nos visão espiritual, você pode utilizar a
Quando fazemos essas perguntas a respeito da
história de quando Cristo curou o cego (ver João 9).
história de Enos, por exemplo, podemos descobrir
Você poderá utilizar esse método com mais eficácia aplicações para nossas próprias experiências com
se der aos familiares ou alunos a oportunidade de a oração. Podemos aprender que a oração às vezes
ponderar o que lerem. Depois de ensinar, por exem- exige um grande esforço e que o Pai Celestial res-
plo, sobre a reação de Joseph Smith quando quase foi ponde a nossas súplicas. Também podemos consta-
dominado pelo adversário no Bosque Sagrado (ver tar que os pais influenciam os filhos, ainda que em
Joseph Smith—História 1:15–16), peça aos alunos que alguns casos sejam necessários muitos anos para
tentem recordar ou mesmo descrever uma experiên- que os filhos sigam os ensinamentos recebidos.
cia na qual foram provados e testados. Em seguida,
Ao aplicarmos as escrituras a nós mesmos e ajudar-
pode convidá-los para refletir sobre a importância
mos as pessoas a fazerem-no também, conseguire-
de, em momentos de tribulação, “[usarmos] todas as
mos ver o poder de Deus em todos os aspectos de
forças para clamar a Deus” (versículo 16). (…)
nossa vida.
Outra forma de ajudar as pessoas a aplicarem as
escrituras a si mesmas é pedir-lhes que se incluam

89
ABRIL: A APOSTASIA E A RESTAURAÇÃO

Como posso explicar a


Apostasia e a Restauração
a outras pessoas?
A maioria de nós terá a oportunidade de compartilhar as verdades do evan-
gelho com outras pessoas. Porque a Apostasia e a Restauração são princípios
essenciais do evangelho restaurado, é importante que saibamos como explicar
essas verdades a outras pessoas. Devemos testificar de modo que não pareça
ofensivo, mas expresse o significado da restauração do evangelho.

Preparar-­se espiritualmente
Que oportunidades você Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que vai ajudar os
teve de ensinar outras pes- jovens a aprender a explicar a Apostasia e a Restauração a outras pessoas?
soas sobre a Apostasia e a
Amós 8:11–12; Atos 3:20–21; II – Tes- “Preste Testemunho Frequente-
Restauração? Que méto-
salonicenses 2:1–3 (A Apostasia e a mente”, Pregar Meu Evangelho ,
dos eficazes já viu outras
Restauração preditas) 2004, pp. 215–216
pessoas usarem quando
ensinaram sobre esses Efésios 2:20 (a Igreja está edificada “Atividades com Objetos”, Ensino,
conceitos? sobre o fundamento dos apóstolos e Não Há Maior Chamado, 1999, p. 164
profetas)
O que os alunos já sabem Para mais informações sobre a Apos-
sobre a Apostasia e a Res- Dallin H. Oaks, “A Única Igreja Verda- tasia e a Restauração, talvez queira
tauração? Que oportunida- deira e Viva”, A Liahona, agosto de estudar “A Grande Apostasia”, “A
des eles têm de ensinar os 2011, p. 48 Restauração do Evangelho de Jesus
outros sobre essas verda- Cristo por Intermédio de Joseph
des, agora e no futuro? Smith”, Pregar Meu Evangelho, 2004,
pp. 35–38

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

90
• Convide os jovens a compartilhar • Convide os jovens a compartilhar
perguntas que lhes foram feitas sobre experiências nas quais aprenderam
a Igreja ou suas crenças. Como eles sobre a Apostasia e a Restauração. O
responderam a essas perguntas? que as pessoas que lhes ensinaram
fizeram para ajudá-­los a compreender
as verdades do evangelho restaurado?

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo pode ajudar os jovens a compreender como falar sobre Dica de ensino
a Apostasia e a Restauração com os outros. Seguindo a orientação do Espírito, selecione
“Quando você usa ati-
uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
vidades diversificadas,
• Peça aos jovens para compartilhar Frequentemente” nas páginas 215–216 os alunos conseguem
quaisquer escrituras que conheçam de Pregar Meu Evangelho. Em classe, compreender melhor os
que profetizem a respeito da grande façam uma lista de motivos pelos princípios do evangelho
apostasia e da restauração. Se precisa- quais é importante prestar testemu- e fixá-­los. Um método
rem de ajuda, sugira que usem o Guia nho quando ensinamos e as diretrizes cuidadosamente escolhido
para Estudo das Escrituras ou peça para prestar testemunho. Para ilustrar pode tornar um princípio
que procurem as escrituras relaciona- a importância de prestar testemu- mais claro, interessante e
das nesse esboço. Deixe que os jovens nho ao ensinar sobre a restauração, memorável” (Ensino, Não
pratiquem o uso dessas escrituras e convide um recém-­converso para Há Maior Chamado, 1999,
outras que conseguirem encontrar compartilhar com a classe como ele p. 89).
para explicar a apostasia e a restaura- ou ela adquiriu um testemunho da
ção uns aos outros. Primeira Visão de Joseph Smith (obter
permissão do bispo com antecedên-
• Leiam juntos em classe os seis pri-
cia). Peça ao converso para comparti-
meiros parágrafos do artigo de Dallin
lhar o papel do testemunho de outras
H. Oaks “A Única Igreja Verdadeira
pessoas em sua própria conversão.
e Viva”. Pergunte aos jovens como
Você pode compartilhar seu testemu-
podemos testificar da única igreja
nho da restauração do evangelho e
verdadeira de modo que não ofenda
convidar os jovens a compartilhar seu
os outros. Divida as seções restantes
testemunho.
do discurso entre os jovens e peça-­
lhes que leiam suas seções e procurem • Peça aos jovens que estudem a
como o Élder Oaks poderosamente seção intitulada “Atividades com
testifica sobre o evangelho restau- Objetos” na página 164 de Ensino, Não
rado mostrando-­se respeitoso com Há Maior Chamado. Peça-­lhes que pen-
as crenças de outras pessoas. Divida sem nas atividades com objetos que
a classe em duplas e peça-­lhes que podem ajudá-­los a explicar a outras
se revezem para prestar testemunho pessoas os aspectos da apostasia e da
da verdadeira Igreja usando o que restauração. Por exemplo, para expli-
aprenderam. car a apostasia eles poderiam cons-
truir uma igreja com blocos, etiquetar
• Convide os jovens a ler a seção
os blocos na parte inferior “Apóstolos
intitulada “Preste Testemunho

91
Ensinar à maneira e Profetas”, então demonstrar como a de atividades com objetos uns com os
do Salvador Igreja não pode ficar sem o alicerce de outros. Que oportunidades eles têm
apóstolos e profetas (ver Efésios 2:20). que ensinar outras pessoas sobre a
O Salvador convidava as
Convide-­os a compartilhar suas ideias apostasia e a restauração?
pessoas a quem ensinava
a testificar e, quando o Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como
faziam, o Espírito tocava-­ explicar sobre a apostasia e a restauração a outras pessoas? Quais são os sentimentos ou
lhes o coração. Como você as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender
vai ajudar os jovens a mais tempo nesse assunto?
entender como prestar tes-
temunho aos outros sobre
a apostasia e a restauração?
Convidar os jovens a agir
Pergunte aos jovens o que sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam hoje.
Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar, em
espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.

92
Recursos Selecionados

“Preste Testemunho Frequentemente”, Pregar Meu vida dos pesquisadores, se eles o cumprirem. Fale
Evangelho, 2004, pp. 215–216 sobre como o cumprimento de um princípio aben-
çoou sua vida.
O testemunho é uma confirmação espiritual dada
pelo Espírito Santo. Prestar testemunho é fazer uma As pessoas podem, às vezes, questionar intelectual-
declaração simples e direta de uma crença — um mente o que você ensinar, mas é difícil questionar
sentimento, uma certeza, uma convicção. Prestar um testemunho sincero do fundo do coração. Ao
testemunho geralmente é uma das formas mais testificar, ore para que aqueles com quem você está
vigorosas de ajudar outras pessoas a sentirem o compartilhando suas crenças sintam o testemunho
Espírito. Você estará acrescentando um testemunho confirmador do Espírito Santo. Ao testificar, você
pessoal e atual ao que você ensinou das escrituras. ajuda a criar um ambiente propício para que os
Um missionário eficaz está sempre testificando e pesquisadores sintam o Espírito Santo confirmar o
convidando outros a fazerem coisas que fortalecerão testemunho que você prestou da verdade. Isso irá
sua fé em Jesus Cristo. Isso inclui promessas pelo prepará-los para aceitarem os compromissos que
cumprimento de princípios verdadeiros. Por exem- você irá propor-lhes.
plo: “Sei que se santificarem o Dia do Senhor, terão
Brigham Young não foi batizado na Igreja de Jesus
mais paz no coração”.
Cristo dos Santos dos Últimos Dias no primeiro ano
Para que seu testemunho tenha o poder de con- em que aprendeu sobre o evangelho restaurado.
vencer as pessoas, você precisa ser sincero. Um Mas ele disse o seguinte sobre sua conversão: “Se
testemunho vigoroso não depende da eloquência todo o talento, tato, sabedoria e refinamento do
ou do volume de sua voz, mas, sim, da convicção mundo tivessem sido enviados para mim com o
do coração. Esforce-se diariamente para fortalecer Livro de Mórmon e declarado com a mais sublime
sua compreensão das doutrinas e princípios que irá eloquência do mundo a sua veracidade, tentando
ensinar. Preste testemunho frequentemente para prová-lo pelo conhecimento e sabedoria do mundo,
selar a veracidade dos princípios e doutrinas que teriam sido apenas fumaça que se eleva e se dissipa.
está ensinando. Sempre que possível, ensine, depois Mas quando ouvi um homem pouco eloquente e
testifique, e testifique enquanto ensina. sem talento para falar em público, que apenas con-
seguia dizer: ‘Eu sei, pelo poder do Espírito Santo,
Seu testemunho pode ser tão simples quanto “Jesus
que o Livro de Mórmon é verdadeiro e que Joseph
Cristo é o Filho de Deus” ou “Descobri por mim
Smith é um Profeta do Senhor’, o Espírito Santo que
mesmo que o Livro de Mórmon é verdadeiro”. Você
emanava daquele indivíduo iluminou minha com-
também pode contar uma breve experiência sobre
preensão, revelando-me luz, glória e imortalidade.
como adquiriu esse conhecimento. Preste testemunho
Fui envolvido por essas coisas, senti todo o meu
diversas vezes em cada lição, não apenas no final.
ser encher-se delas e soube por mim mesmo que o
Preste testemunho de que aquilo que seu compa-
testemunho era verdadeiro” (Journal of Discourses,
nheiro ensinou provém de Deus. Preste testemunho
volume 1, p. 90).
de que o princípio que você irá ensinar abençoará a

93
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Maio: Os Profetas e a Revelação

“Cremos em tudo o que Deus revelou, em tudo o que Ele revela agora e cremos que Ele ainda
revelará muitas coisas grandiosas e importantes relativas ao Reino de Deus” (Regras de Fé 1:9).

Os esboços desta unidade ajudarão os jovens a melhorar a capacidade de aprender e


ensinar por meio de revelações do Senhor: tanto revelações encontradas nas escrituras
e nas palavras dos profetas vivos quanto revelações pessoais que os jovens receberem
por meio do Espírito Santo. Incentive os jovens de sua classe a fazer perguntas sobre
o que estão aprendendo, a buscar mais conhecimento e ensinar suas descobertas a
outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


O que podemos aprender com os apóstolos e profetas vivos?
Como posso melhorar meu estudo das escrituras?
Como a reverência me ajuda a receber revelação?
O que significa prestar um testemunho?
O que podemos aprender com o Presidente Monson sobre seguir o Espírito?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

95
MAIO: OS PROFETAS E A REVELAÇÃO

O que posso aprender com os


profetas e apóstolos vivos?
Os profetas e apóstolos vivos recebem revelação para guiar a Igreja e seus
conselhos refletem a vontade do Senhor, que nos conhece perfeitamente e
compreende nossas dificuldades. Seus ensinamentos podem ajudar-­nos com
as dificuldades que enfrentamos hoje. Somos abençoados por ser guiados por
profetas e apóstolos vivos e por receber seus conselhos a cada seis meses na
conferência geral.

Preparar-­se espiritualmente
Como os ensinamentos Ao estudar esses recursos, procure verdades que ajudem os jovens a aprender o valor
dos profetas e apóstolos dos ensinamentos dos profetas vivos em sua vida.
o ajudaram a superar
Mosias 8:16–18 (Um vidente pode Gary E. Stevenson, “Verdades Simples
desafios? Que experiências
ser uma grande bênção para seus e Preciosas”, A Liahona, novembro de
você pode contar que forta-
semelhantes) 2015, p. 91
lecerão os jovens a quem
ensina? D&C 1:38; 68:3–4 (Quando os servos Dale G. Renlund, “Pelos Olhos de
do Senhor falam pelo Espírito, o que Deus”, A Liahona, novembro de 2015,
Quais são alguns dos desa-
dizem é escritura) p. 93
fios que os jovens enfren-
tam hoje em dia? Como os Henry B. Eyring, “Onde Dois ou Três Discursos recentes da conferência
ensinamentos dos profetas Estiverem Reunidos”, A Liahona, maio geral proferidos pelos membros da
e apóstolos os ajudam a de 2016, p. 19 Primeira Presidência e do Quórum
enfrentar esses desafios? dos Doze
Ronald A. Rasband, “Assombro Me
Causa”, A Liahona, novembro de 2015, “Profetas”, Sempre Fiéis, 2004,
p. 89 pp. 140–141

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem
ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

97
• Convide os jovens a contar uma • Peça aos jovens que falem de um
experiência recente em que alguém discurso da última conferência geral
lhes fez uma pergunta sobre o evan- que os tenha marcado. Pergunte-­lhes
gelho. Como eles responderam? por que foi significativo para eles.

Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a encontrar respostas para seus desa-
do evangelho fios nas palavras dos profetas vivos. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma
ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
Estudar os discursos da confe-
rência geral e outros discur- Em seu discurso intitulado “Onde para sua faixa etária e preparem um
sos. Nessa lição, os jovens Dois ou Três Estiverem Reunidos”, discurso de cinco minutos utilizando as
são convidados a pesquisar o Presidente Henry B. Eyring usa a orientações encontradas. Deixe que eles
discursos de conferência parábola do semeador para explicar a façam os discursos na classe.
geral. As seguintes ideias importância de preparar nosso cora-
podem ajudá-­los a estudar: • Com a classe inteira, assistam a um
ção para receber a palavra de Deus.
Incentive-­os a resumirem discurso de conferência geral que seja
Convide os jovens a examinarem par-
as ideias principais com significativo para os jovens. Peça-­lhes
tes do discurso do Presidente Eyring
suas próprias palavras. que identifiquem verdades eternas,
em que ele compartilha a parábola e
Eles podem se pergun- escrituras, convites à ação e bênçãos
faça um desenho que represente o que
tar: O que o Senhor quer prometidas no discurso. (Se não
eles aprenderam. Que “sementes” eles
que eu aprenda com esse tiverem muito tempo, podem assistir
poderiam plantar em seus corações da
discurso? O que Ele quer apenas a alguns trechos do discurso).
conferência geral mais recente? Você
que eu faça? Há alguma pode trazer cópias de um discurso • Convide os alunos a ler juntos
coisa nesse discurso que que você sinta ser relevante para os a seção “Profetas” do livro Sempre
me ajuda em um desafio jovens que ensina e pedir a eles para Fiéis. Peça a eles que procurem nessa
atual em minha vida? ler e encontrar sementes da verdade seção os papéis desempenhados
Lembre aos jovens de que que eles poderiam colocar em prática. pelos profetas e escreva-­os no qua-
eles podem usar perguntas
dro. Entregue a cada jovem um dos
como essas quando estu- • Ajude a classe a fazer uma lista
seguintes discursos: “Assombro Me
dam discursos durante seu dos desafios que os jovens enfrentam
Causa”, do Élder Ronald A. Rasband,
estudo pessoal e familiar hoje em dia. Convide cada jovem a
“Verdades Claras e Preciosas”, do
do evangelho. escolher um desses desafios e estudar
Élder Gary E. Stevenson, e “Por Meio
os discursos da última conferência
dos Olhos de Deus”, do Élder Dale
para encontrar conselhos que pode-
G. Renlund. Convide-­os a procurar e
riam ajudar alguém a vencer esse
compartilhar os exemplos em que o
desafio. Sugiro que use o “Índice por
Élder Rasband, o Élder Stevenson e
Assunto” na edição de conferência
o Élder Renlund estejam cumprindo
mais recente de A Liahona.
esses papéis, assim como quaisquer
• Assista a um discurso de uma con- outros papéis que encontrarem que
ferência geral recente feito pelo Pre- são desempenhados pelos profetas.
sidente Thomas S. Monson. Peça aos Como os jovens foram abençoados
jovens que prestem atenção a conselhos pelo fato de os profetas desempenha-
que sejam particularmente relevantes rem seu papel?

98
Peça aos jovens que falem sobre o que aprenderam hoje. Eles compreenderam o que Ensinar à maneira
podem aprender com os apóstolos e profetas vivos? Quais são os sentimentos ou as do Salvador
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo
Pouco antes de Sua morte
discutindo esse tópico?
e Ressurreição, o Salvador
ensinou a Seus discípulos
que enviaria o Espírito
Convidar a agir Santo: “Ele vos guiará
em toda a verdade e vos
Peça aos jovens que estudem os discursos da última conferência geral como parte de seu
anunciará o que há de vir”
estudo do evangelho. Incentive-­os a relatar à classe o que aprenderem.
(João 16:13). O Espírito
À medida que se aproximar a data da conferência geral, incentive os jovens a Santo pode mostrar-­lhe a
prepararem-­se fazendo uma lista de perguntas que eles tenham e convide-­os para assis- melhor maneira de ensinar
tir aos discursos em espírito de oração, em busca das respostas desejadas. e ajudar os jovens.

99
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do Presidente Henry B. Eyring, que inchava em nosso peito, e tivemos alegria à
“Onde Dois ou Três Estiverem Reunidos”, A Liahona, medida que nosso coração e nossa mente pareciam
maio de 2016, p. 20 se expandir.

Em Seu ministério mortal, o Senhor contou a pará- Todos sentimos nossa fé ser posta à prova por pre-
bola da semente e do semeador. A semente era a ciosas bênçãos que tardaram a chegar, por violentos
palavra de Deus. O semeador era o Senhor. A sobre- ataques de pessoas que queriam destruir nossa fé,
vivência da semente e o seu crescimento dependiam pela tentação de pecar e por interesses egoístas que
das condições do solo. Vocês devem se lembrar de diminuíram nosso empenho em cultivar e em enter-
Suas palavras: necer as profundezas espirituais de nosso coração.

“E quando semeava, uma parte da semente caiu ao Aqueles que se entristecem com a perda da alegria
pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-­na; que um dia tiveram são abençoados. Alguns não
percebem o definhamento da fé dentro de si. Satanás
E outra parte caiu em pedregais, onde não havia
é esperto. Àqueles que ele deseja que sejam miserá-
terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra
veis, declara que a alegria que outrora sentiam era
funda;
uma ilusão infantil.
Mas, vindo o sol, queimou-­se, e secou-­se, porque
A mensagem que quero deixar hoje a todos nós é
não tinha raiz.
a de que teremos uma preciosa oportunidade nos
E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresce- próximos dias de escolher enternecer o coração e de
ram, e sufocaram-­na. receber e nutrir a semente. A semente é a palavra
de Deus, e ela será derramada sobre todos os que
E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um grão pro- ouvirem, verem e lerem o que acontecerá nesta con-
duziu cem, outro sessenta e outro trinta. ferência. A música, os discursos e os testemunhos
foram preparados por servos de Deus que buscaram
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Mateus 13:4–9).
diligentemente o Espírito Santo para guiá-­los em
Repetindo, a semente era a palavra de Deus. O solo sua preparação. Eles oraram por mais tempo e com
é o coração da pessoa que recebe a semente. maior humildade à medida que os dias da conferên-
cia se aproximavam.
(…) Todos recebemos a semente, ou seja, a palavra
de Deus, que foi plantada em nosso coração um dia. Oraram para ter a capacidade de incentivá-­los a
Para alguns, foi em nossa infância, quando nossos fazer as escolhas que vão criar em seu coração um
pais nos convidaram a ser batizados e confirmados solo mais fértil para que a boa palavra de Deus
por alguém que tinha autoridade. Outros de nós cresça e seja frutífera. Se escutarem com o Espírito,
foram ensinados por servos chamados por Deus. seu coração será enternecido; sua fé, fortalecida; e
Cada um de nós sentiu que a semente era boa, sim, sua capacidade de amar o Senhor, aumentada.

100
MAIO: OS PROFETAS E A REVELAÇÃO

Como posso melhorar meu


estudo das escrituras?
O mandamento das escrituras de “[banquetear-­se] com as palavras de Cristo”
(2 Néfi 32:3) envolve muito mais do que apenas ler as escrituras casualmente.
Devemos examiná-­las com diligência, ponderar o que ensinam e aplicar esses
ensinamentos a nós mesmos. Devemos orar pedindo compreensão e seguir
qualquer inspiração que recebermos do Espírito Santo. O estudo significa-
tivo das escrituras pode edificar nossa fé, fortalecer-­nos contra as tentações e
ajudar-­nos a aproximarmo-­nos mais do Pai Celestial.

Preparar-­se espiritualmente
Como as escrituras já Estude, em espírito de oração, estas escrituras e estes recursos. A seu ver, o que ajudará
influenciaram sua vida? os jovens a melhorar seu estudo das escrituras?
O que você pode fazer
1 Néfi 10:19; D&C 88:63, 118 (Se bus- Devin G. Durrant, “Meu Coração
para tornar seu estudo
carmos, encontraremos) Nelas Medita Continuamente”, A
das escrituras mais
Liahona, novembro de 2015, p. 112
significativo? 1 Néfi 19:23 (Devemos aplicar as
escrituras a nós mesmos) Henry B. Eyring, “Uma Conversa a
Os jovens de sua classe
Respeito do Estudo das Escrituras”,
estão tendo experiências 2 Néfi 4:15–16; D&C 138:1–11; Joseph
A Liahona, julho de 2005, p. 8
significativas com as escri- Smith — História 1:11–13 (Ponderar
turas? Como você pode as escrituras traz revelação) David A. Bednar, “Um Reservatório
ajudá-­los a melhorar seu de Água Viva”, serão do SEI para
estudo das escrituras? 2 Néfi 32:3 (Devemos banquetear-­nos
jovens adultos, 4 de fevereiro de 2007
com as palavras de Cristo)

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em várias outras situações (como no estudo pessoal, no
Seminário, em outras aulas da Igreja ou em experiências pessoais com seus amigos).
Como você pode ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias
a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

101
• Peça aos jovens que relatem algo sustento espiritual” (Quentin L.
que estudaram nas escrituras em seu Cook “Podeis Agora Sentir Isso?”, A
estudo pessoal esta semana. Qual é Liahona, novembro de 2012). Pergunte
seu plano para o estudo das escritu- aos jovens o que acham que significa
ras? A seu ver, como eles poderiam imergir nas escrituras. Como isso é
melhorar seu estudo das escrituras? diferente de simplesmente lê-­las?
Incentive-­os a pensar nessa decla-
• Escreva no quadro, “A imersão
ração enquanto aprendem sobre o
nas escrituras é essencial para o
estudo das escrituras durante a aula.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a melhorar seu estudo das escrituras.
Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem
“Disponha as cadeiras na
em sua classe:
sala de modo a ver o rosto
de cada pessoa e ser visto • Uma maneira de melhorar o estudo conseguem citar? Eles conhecem
por todas elas” (Ensino, das escrituras é encontrar um versí- alguma escritura que ilustre esses
Não Há Maior Chamado, culo durante o estudo pessoal e se princípios?
1999, p. 71). concentrar nele durante a semana
• Escreva no quadro as perguntas do
(ver o discurso de Devin G. Durrant,
artigo do Presidente Henry B. Eyring
“Meu Coração Nelas Medita Conti-
“Uma Conversa a Respeito do Estudo
nuamente”). Uma semana antes da
das Escrituras” que seriam mais
aula, peça a vários alunos que leiam o
relevantes para os jovens que você
discurso do irmão Durrant e “ponde-
ensina. Convide os jovens a comparti-
rizem” uma escritura. Durante a aula,
lhar as respostas para essas perguntas
dê tempo aos alunos para que contem
e depois lhes dê tempo para ler a
suas experiências. Escreva no quadro:
resposta do Presidente Eyring. O que
“Como podemos melhorar nosso
eles aprenderam com as respostas do
estudo das escrituras?” e peça aos
Presidente Eyring que pode ajudá-­los
jovens que compartilhem sugestões
a melhorar seu estudo das escrituras?
do discurso do irmão Durrant e de
seu próprio estudo pessoal e familiar.  • Apresente aos jovens os auxílios
de estudo disponíveis nas escrituras
• Escreva no quadro as palavras
(como as notas de rodapé, cabeçalhos
procurar, ponderar e orar. Convide
de capítulo e o Guia para Estudo das
todos os jovens a ler as escrituras
Escrituras). Ajude-­os a ver como esses
sugeridas neste esboço e compartilhar
auxílios de estudo podem ajudá-­los
com a classe o que ele ou ela aprende
a melhorar seu estudo das escrituras.
com as escrituras. Peça que os jovens
(Ver Ensino, Não Há Maior Chamado,
escrevam as referências das escri-
pp. 56–59.) Com a permissão do
turas no quadro ao lado da palavra
bispo, convide membros da ala para
que descreve os princípios que elas
virem à classe e serem entrevistados
ensinam. Quais outros princípios do
pelos jovens sobre como tornam seu
estudo eficaz das escrituras os jovens
estudo das escrituras significativo.

102
• Peça aos jovens que escolham um das escrituras que aprenderam hoje. Ensinar à maneira
capítulo das escrituras e convide-­os Convide-­os a externar as ideias que do Salvador
a passar alguns minutos lendo-­o, lhes ocorreram durante o estudo.
O Salvador utilizava as
aplicando os princípios de estudo
escrituras para ensinar
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles entenderam como e testificar. Ensinava as
melhorar o estudo das escrituras? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles pessoas a refletir sobre as
têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse escrituras e usá-­las para
assunto? encontrar respostas. Como
você pode ajudar os jovens
a usar as escrituras para
encontrar respostas para
Convidar a agir suas perguntas?
Convide os jovens a pensar em seu plano de estudo pessoal das escrituras. O que eles
aprenderam hoje que pode ajudá-­los a melhorar seu plano?

103
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Presidente Henry B. Eyring, Élder Eyring: A única maneira pela qual você pode
“Uma Conversa a Respeito do Estudo das Escrituras”, garantir que um dia atarefado não o impeça de estu-
A Liahona, julho de 2005, p. 8 dar as escrituras é determinar um horário regular
para estudar as escrituras. Descobri que o início do
O que você fez para tornar seu próprio estudo das escritu-
dia e o fim do dia são meus. Esses são momentos que
ras mais significativo?
geralmente posso controlar. Portanto, desde menino,
Élder Eyring: Quando entrei para o Quórum dos estabeleci o padrão de ler as escrituras no início e no
Doze Apóstolos, o Élder Richard G. Scott sugeriu fim do dia. Li o Livro de Mórmon muitas vezes antes
que eu comprasse um conjunto simples de escri- de completar 18 anos graças a esse padrão.
turas e marcasse as inspirações e revelações que
Quando estou em situações que me fazem quebrar
receberia em meu novo chamado. Eu fiz isso. Mas
esse padrão, sinto-me muito mal. Depois que você
fui um pouco além.
se acostuma a estudar as escrituras regularmente,
Perguntei ao Pai Celestial o que Ele gostaria que eu sente muita falta quando não o faz. É como o ali-
fizesse como apóstolo. Escrevi o que senti que foram mento, você precisa dele. Sei que preciso das escritu-
Suas respostas. Datilografei, criei um código de cores ras como preciso de alimento. Nunca deixo de
e colei as respostas na parte da frente das minhas comer uma refeição regular, e não deixo de estudar
escrituras. A primeira, por exemplo, foi: “Devo ser as escrituras regularmente.
uma testemunha de que Cristo é o Filho de Deus”. E
Que papel têm o jejum e a oração no estudo das escrituras?
então, li as escrituras procurando ideias que me ensi-
nassem como testificar que Cristo é o Filho de Deus. Élder Eyring: Precisamos começar um jejum
Toda vez que encontrei algo, marquei em azul. Em pedindo para sermos ensinados; devemos ser
pouco tempo, elaborei meu próprio guia de tópicos humildes e ávidos para aprender como uma criança.
a respeito do que achei que o Senhor queria que eu Essa é a maneira certa de se jejuar. Se apenas deixar-
fizesse. Aprendi muito nesse processo. mos de comer, não será a mesma coisa.

Ler as escrituras para aprender o que fazer torna Da mesma forma, precisamos ler as escrituras com
a leitura muito mais significativa. O Senhor pode humildade e avidez, tal como fazemos quando jejua-
ensinar-nos. Quando surge um momento de crise mos. Quando leio as escrituras pedindo para ser
em nossa vida, como a perda de um filho ou do ensinado, então o acréscimo do jejum ajuda imensa-
cônjuge, devemos ler as escrituras procurando ajuda mente. (. . .)
específica. Encontraremos respostas nas escrituras. O
Qual é o papel do Espírito Santo no estudo das escrituras?
Senhor parece ter previsto todos os nossos problemas
e necessidades, e colocou nas escrituras coisas que Élder Eyring: O Espírito Santo nos confirma a
irão ajudar-nos, se simplesmente as procurarmos. palavra de Deus quando a lemos. Essa confirmação,
repetida frequentemente, fortalece nossa fé. E é pela
Como os santos dos últimos dias podem tornar o estudo
fé que vencemos obstáculos e resistimos às tentações.
das escrituras uma prioridade?

104
MAIO: OS PROFETAS E A REVELAÇÃO

Como a reverência me ajuda


a receber revelação?
Quando somos reverentes, demonstramos nosso amor a Deus e conseguimos
receber revelação pessoal mais facilmente. Uma atitude reverente ajuda a
tornar-­nos mais sensíveis à voz mansa e delicada do Espírito. Se tratarmos as
coisas sagradas com reverência, o Pai Celestial confiará em nós e nos revelará
verdades adicionais.

Preparar-­se espiritualmente
O que a reverência sig- Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. A seu ver, o que ajudará
nifica para você? Como os jovens a desenvolver um sentimento de reverência?
a reverência ajudou você
I Reis 19:12; 3 Néfi 11:1–7 (Deus Se Boyd K. Packer, “A Reverência Con-
a sentir o Espírito? Que
comunica por meio de uma voz vida à Revelação”, A Liahona, janeiro
experiências você pode
mansa e delicada) de 1992, p. 23
relatar aos jovens?
Salmos 46:10 (“Aquietai-­vos, e sabei Paulo B. Pieper, “Considerar Sagrado”,
O que a reverência signi-
que eu sou Deus”) A Liahona, maio de 2012, p. 109
fica para os jovens de sua
classe? Como você pode D&C 63:64; 84:54–57 (Tratar as coisas “Reverência”, Sempre Fiéis, 2003,
ajudá-­los a ver a relação sagradas com reverência) pp. 159–160
entre a reverência e a
revelação? “Revelação”, Sempre Fiéis, 2003,
pp. 155–159

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

• Convide os jovens a compartilhar irem ao quadro e escreverem sua


dúvidas sobre o que têm aprendido definição de reverência. Convide os
em outras classes. jovens a adicionar definições poste-
riormente enquanto aprendem sobre
• Escreva no quadro: “Reverência
reverência na aula de hoje.
é__________”. Peça para os alunos
Veja o apêndice para
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

105
Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a compreender a relação existente
entre a reverência e a revelação. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou
“Quando nos reunimos
mais delas que melhor funcionem em sua classe:
para aprender as doutrinas
do evangelho, devemos • Peça aos jovens para ler sobre sobre a relação entre a reverência e
fazê-­lo com reverência. “Reverência” em Sempre Fiéis ou revelação. Peça a cada grupo para
(…) A irreverência vai ao trechos do discurso do Élder Paul B. compartilhar com o restante da classe
encontro aos propósitos do Pieper “Considerar Sagrado”, pro- o que aprenderam.
adversário, obstruindo os curando respostas à pergunta “Como
• Convide os jovens a encontrar
delicados canais da revela- a reverência me ajuda a receber reve-
o discurso do Presidente Boyd K.
ção tanto da mente como lação?” Convide os jovens a compar-
Packer “A Reverência Convida à
do espírito. (…) A reverên- tilhar o que encontraram. O que os
Revelação” e procurar as coisas que
cia é um convite à reve- jovens sentem que podem fazer para
devemos fazer para convidar a reve-
lação” (Boyd K. Packer, tornarem-­se mais reverentes?
lação em nossas reuniões da Igreja.
Ensino, Não Há Maior
• Divida a classe em pequenos gru- Peça-­lhes que compartilhem o que
Chamado, 1999, p. 82).
pos e peça a cada grupo para estuda- pensam e sugiram maneiras de apli-
Ensinar à maneira rem juntos uma ou duas escrituras car os conselhos do Presidente Packer
do Salvador sugeridas neste esboço. Convide os sobre reverência a outros ambientes
grupos para conversar sobre o que ou coisas sagradas (como o templo, as
Em todas as situações, o
aprenderam com essas escrituras escrituras e assim por diante).
Salvador foi o exemplo e o
mentor de Seus discípulos. Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreenderam como a
Em Sua preparação para reverência está relacionada à revelação? Quais são os sentimentos ou as impressões que
ensinar, buscou a solidão eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse
para orar e jejuar. Diga aos assunto?
jovens como a reverência
ajuda você a preparar-­se
para receber revelação
Convidar a agir
pessoal. Como você pode
incentivar os jovens a mos- Pergunte aos jovens o que aprenderam hoje sobre a importância da reverência para
trar respeito pelas coisas receber revelação. Como eles podem mudar seu comportamento ou seu ambiente a fim
sagradas? de melhor receber revelação pessoal?

106
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Boyd K. Packer, “A Reve- Um organista que tem a sensibilidade de tocar baixi-
rência Convida à Revelação”, A Liahona, janeiro nho o prelúdio musical equilibra nossos sentimentos
de 1992, p. 23 e faz com que reflitamos na letra da música, que
ensina as coisas pacíficas do reino. Se atentarmos
Nossas reuniões sacramentais e outras reuniões pre-
para elas, perceberemos que ensinam o evangelho,
cisam de atenção renovada, para que sejam verda-
pois os hinos da Restauração, na verdade, são um
deiros serviços de adoração, nos quais os membros
curso de doutrina!
sejam espiritualmente alimentados, tenham o teste-
munho fortalecido, e onde os pesquisadores sintam Tenho observado que um número cada vez maior de
a inspiração essencial à conversão espiritual. (. . .) nossos líderes e membros não cantam os hinos com a
congregação. Talvez os desconheçam ou não haja hiná-
Ao irmos às reuniões dominicais, a música, o
rios suficientes. Devemos entoar os cânticos de Sião —
vestuário e a conduta devem ser compatíveis com
eles são uma parte essencial da nossa adoração. Não
a adoração. Há saguões em nossas capelas, cons-
devemos negligenciar os hinos nem os nobres cânticos
truídos com o fim de permitir cumprimentos e
da Restauração. Leiam a introdução da Primeira Pre-
conversas, o que é típico entre pessoas que se amam.
sidência, no hinário. O Senhor disse: “Minha alma se
Todavia, ao entrarmos no salão sacramental deve-
deleita com o canto do coração; sim, o canto dos justos
mos — cada um de nós deve — tomar cuidado para
é uma prece a mim e será respondido com uma bênção
não perturbar os que se esforçam por receber sutis
sobre sua cabeça”. (D&C 25:12.) Não deixem que a
comunicações espirituais. (. . .)
influência de nossa música sacra se afaste de nós nem
A conduta irreverente em nossas capelas é digna de que a música secular a substitua. (. . .)
menção, até mesmo de censura. Os líderes devem
E mais ainda: Estamos deixando de usar palavras
ensinar que a reverência convida à revelação. (. . .)
reverentes em nossas orações. Nelas, termos familia-
A música é de fundamental importância em nossos res como você e seu estão substituindo tu e teus nas
serviços de adoração. Acho que os que escolhem, orações. Ensinem às crianças, e gentilmente orien-
dirigem, apresentam e acompanham a música podem tem os membros novos, que usamos termos reveren-
influenciar mais o espírito de reverência de nossas tes quando nos dirigimos ao Pai Celestial em oração.
reuniões que um orador. Que Deus os abençoe.
Sem inspiração pessoal, nenhum de nós pode
A música pode criar uma atmosfera de adoração, que sobreviver no mundo de hoje, quanto mais no que
atrai o espírito de revelação, de testemunho. (. . .) em breve ele se tornará. A reverência pode e deve
ser evidente em todas as organizações da Igreja e na
vida dos membros em geral.

107
MAIO: OS PROFETAS E A REVELAÇÃO

O que significa prestar


testemunho?
O testemunho é a certeza espiritual da veracidade do evangelho dada pelo
Espírito Santo. Quando prestamos testemunho, declaramos às outras pessoas o
que sabemos ser verdade pelo poder do Espírito. O alicerce de um testemunho
é o conhecimento de que o Pai Celestial vive e nos ama, de que Jesus Cristo é
nosso Salvador, de que Seu evangelho foi restaurado por intermédio do Profeta
Joseph Smith e de que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a
Igreja verdadeira do Salvador.

Preparar-­se espiritualmente
Como você já foi influen- Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que ajudará os jovens a
ciado pelo testemunho de entender o significado de prestar testemunho?
outras pessoas? Como o
Mateus 16:13–19; Mosias 3:17; Alma Dallin H. Oaks, “Testemunho”, A Lia-
fato de prestar testemunho
5:45–48; 7:13; D&C 76:22–24 (Exem- hona, maio de 2008, p. 26
— formal ou informal-
plos de testemunhos das escrituras)
mente — o fortaleceu? Que “Preste Testemunho Frequentemente”,
experiências você poderia Alma 4:18–20 (O poder de prestar Pregar Meu Evangelho , 2004, pp.
contar aos jovens? testemunho) 215–216

Quando você já presen- Alma 11:39–41; 12:1; 15:12 (O testemu- “Ensinar com o Testemunho”, Ensino,
ciou os jovens prestar nho de Amuleque exerce uma influên- Não Há Maior Chamado , 2009, pp. 43–44
testemunho — formal ou cia vigorosa em Zeezrom)
informalmente? Que opor- Vídeo: “Um Homem Pouco Elo-
tunidades você pode dar Henry B. Eyring, “Testemunhas de quente”, “Testemunho de Thomas
aos jovens para testificar? Deus”, A Liahona, janeiro de 1997, p. 32 S. Monson”, ver também Doutrina e
Convênios e História da Igreja Recursos
Dieter F. Uchtdorf, “O Poder de um
Visuais (DVD)
Testemunho Pessoal”, A Liahona,
novembro de 2006, p. 37

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem
Veja o apêndice para
ajudá-­lo(a):
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

108
• Convide os jovens a contar uma seu testemunho. Como eles respon-
experiência recente que lhes tenha deriam se seu amigo perguntasse: “O
fortalecido o testemunho. que significa prestar testemunho?” Se
necessário, peça aos jovens para ver a
• Peça para os jovens imaginar que
seção intitulada “O Que É um Teste-
convidaram um amigo para a Igreja
munho?” em Ensino, Não Há Maior
no domingo de jejum, e o bispo con-
Chamado, páginas 43–44.
vida os membros da ala para prestar

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a entender o que significa prestar Dica de ensino
testemunho. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor
“Os testemunhos costu-
funcionem em sua classe:
mam ser mais eficazes
• Convide os jovens a ler a seção inti- pelas quais eles podem prestar teste- e vigorosos quando são
tulada “O Que É um Testemunho?”, munho (inclusive maneiras formais breves, concisos e diretos”
do discurso do Presidente Dieter F. e informais). Assista ao vídeo “O (Ensino, Não Há Maior Cha-
Uchtdorf, “O Poder de um Testemu- Testemunho de Thomas S. Monson”. mado, 2009, p. 43).
nho Pessoal.”. Peça aos jovens que Peça aos jovens que compartilhem
façam uma lista do que é e do que o que aprenderam com o Presidente
não é um testemunho, com base no Monson sobre prestar testemunho.
que lerem. Convide-­os a compar-
• Peça aos jovens que leiam “Preste
tilhar experiências nas quais eles
Testemunho Frequentemente” e façam
ouviram alguém prestar testemunho
a respectiva atividade de estudo pes-
de modo que fortaleceu sua fé e seu
soal em Pregar Meu Evangelho, páginas
testemunho.
215–216. Peça-­lhes que exponham
• Convide os jovens a ler a seção II à classe as ideias que lhes tiverem
do discurso do Élder Dallin H. Oaks ocorrido. Como podem aplicar o
“Testemunho”, procurando semelhan- que aprenderam na próxima vez que
ças e diferenças entre o testemunho e prestarem testemunho (como em uma
outros tipos de conhecimento. O que reunião da Igreja ou uma conversa
os jovens podem fazer para fortale- com um amigo)?
cer seu conhecimento da verdade do
• Mostre o vídeo “Um Homem
evangelho?
Pouco Eloquente”. Peça aos jovens
• Peça aos jovens que encontrem nas que compartilhem uma experiência
escrituras exemplos de pessoas que em que foram tocados pelo testemu-
tenham prestado testemunho (como nho simples e sincero de alguém. O
os sugeridos neste esboço). À medida que havia de especial nesse testemu-
que eles falarem do que encontraram, nho que lhes tocou o coração?
conversem sobre diferentes maneiras

109
Ensinar à maneira Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreenderam como
do Salvador prestar testemunho? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm
mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?
O Salvador convidava as
pessoas a quem ensinava
a testificar e, quando o
faziam, o Espírito tocava-­ Convidar a agir
lhes o coração. Como você
Peça aos jovens que procurem oportunidades de prestar testemunho — formal e infor-
pode dar oportunidades
malmente — na próxima semana. Incentive-­os a contar suas experiências numa aula
aos jovens para testificar e
futura.
sentir o testemunho confir-
mador do Espírito? Incentive os jovens a escrever seu testemunho no diário.

110
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Dieter F. Uchtdorf, “O não é muito popular nem parece politicamente cor-
Poder de um Testemunho Pessoal”, A Liahona, novem- reta nem oportuna. O testemunho das “coisas como
bro de 2006, p. 37 realmente são” (Jacó 4:13) é destemido, verdadeiro
e vital porque tem consequências eternas para a
Uma definição de testemunho é “declaração solene
humanidade. Satanás não se importaria se decla-
quanto à verdade de um assunto”, originário da
rássemos a mensagem de nossa fé e da doutrina do
palavra latina testemonium, sendo que a palavra
evangelho como algo que variasse de acordo com as
testis significa “testemunho” (“testimony”, http://
circunstâncias. Nossa firme convicção da veracidade
www.reference.com/browse/wiki/ Testimony;
do evangelho é uma âncora em nossa vida, tão firme
Merriam-Webster’s Collegiate Dictionary, 11ª edi-
e confiável quanto uma estrela-guia. O testemunho
ção, 2003, “testimony”, p. 1291).
é muito pessoal e pode ser um pouco diferente para
Para os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos cada pessoa, porque toda pessoa é única. Contudo,
dos Últimos Dias, o termo testemunho é uma palavra o testemunho do evangelho restaurado de Jesus
familiar e bastante utilizada em nosso vocabulário Cristo sempre inclui estas verdades claras e simples:
religioso. É uma palavra terna e agradável, sem-
• Deus vive. Ele é nosso amado Pai Celestial e
pre associada a algo sagrado. Quando falamos de
somos Seus filhos.
testemunho, referimo-nos ao sentimento que temos
no coração e na mente, em vez do acúmulo de fatos • Jesus Cristo é o Filho do Deus vivo e Salvador
lógicos e sem proveito. É um dom do Espírito, uma do mundo.
confirmação do Espírito Santo de que certos concei-
• Joseph Smith é o profeta de Deus por intermé-
tos são verdadeiros.
dio de quem o evangelho de Jesus Cristo foi
O testemunho é o conhecimento seguro ou a cer- restaurado nos últimos dias.
teza, proveniente do Espírito Santo, da veracidade
• O Livro de Mórmon é a palavra de Deus.
e divindade da obra do Senhor nestes últimos dias.
O testemunho é “a convicção firme, viva e motiva- • O Presidente Gordon B. Hinckley, seus Con-
dora das verdades reveladas do evangelho de Jesus selheiros e os membros do Quórum dos Doze
Cristo” (Marion G. Romney, “How to Gain a Testi- Apóstolos são profetas, videntes e reveladores
mony”, New Era, maio de 1976, p. 8, grifo do autor). em nossos dias.

Quando prestamos testemunho, declaramos a vera- Ao adquirirmos um conhecimento mais profundo


cidade absoluta da mensagem do evangelho. Numa dessas verdades e do Plano de Salvação pelo poder
época em que muitos veem a verdade como uma e dom do Espírito Santo, poderemos “conhecer a
coisa relativa, uma declaração de verdade absoluta verdade de todas as coisas” (Morôni 10:5).

111
MAIO: OS PROFETAS E A REVELAÇÃO

O que posso aprender


com o Presidente Monson
sobre seguir o Espírito?
O Presidente Thomas S. Monson disse: “Não se passou um só dia sem que eu me
comunicasse com meu Pai Celestial por meio da oração. É um relacionamento
que valorizo muito e literalmente ficaria perdido sem ele. Se vocês não têm esse
tipo de relacionamento com seu Pai Celestial, peço que se empenhem em atingir
esse objetivo. Ao fazer isso, terão direito a Sua inspiração e orientação na vida
— algo de que todos necessitamos, se quisermos sobreviver espiritualmente em
nossa peregrinação na Terra. Tal inspiração e orientação são dádivas que Ele nos
concede livremente, se apenas as buscarmos. Que tesouros elas são! Sempre me
Como seguir os sussurros
sinto humilde e grato quando meu Pai Celestial Se comunica comigo por meio
do Espírito Santo aben-
de Sua inspiração. Aprendi a reconhecê-­la, a confiar nela e segui-­la” (“Permane-
çoou sua vida? Como
cer em Lugares Santos”, A Liahona, novembro de 2011, p. 82).
vocês foram inspirados
pelo exemplo do Presi-
dente Monson sobre esse
assunto? Preparar-­se espiritualmente

Os jovens a quem ensina Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que vai ajudar os
sabem como receber e jovens a aprender com o exemplo do Presidente Monson sobre agir de acordo com os
seguir os sussurros do sussurros do Espírito Santo?
Espírito? Como aprender a
Provérbios 3:5–6 (Se confiarmos de 2011, p. 82 (História sobre a rea-
seguir os sussurros do Espí-
no Senhor, Ele endireitará nossos lização da dedicação do Templo de
rito Santo ajuda os jovens
caminhos) Frankfurt Alemanha)
agora e no futuro? Como
o exemplo do Presidente 1 Néfi 3:7 (O Senhor prepara um Thomas S. Monson, “Lembranças
Monson pode inspirá-­los? caminho para realizar as coisas que do Tabernáculo”, A Liahona, maio de
Ele nos manda fazer) 2007, p. 41 (História sobre sentir-­se
inspirado a fazer observações em um
2 Néfi 32:1–5 (O Espírito Santo nos
discurso de conferência a uma moça
mostra as coisas que devemos fazer)
no mezanino)
D&C 8:2–3 (O Espírito Santo fala a
Jeffrey R. Holland, “Presidente
nosso coração e nossa mente)
Thomas S. Monson: Nos Passos do
Thomas S. Monson, “Pensem nas Mestre”, A Liahona, junho de 2008 –
Bênçãos”, A Liahona, novembro de Suplemento (ver a sessão intitulada
2012, p. 86 “Lealdade aos Amigos e ao Senhor”)

Veja o apêndice para Thomas S. Monson, “Permanecer em Vídeos: “Seguir os Sussurros do Espí-
encontrar outras ideias de Lugares Santos”, A Liahona, novembro rito”, “Sempre Siga os Sussurros do
ensino e aprendizado. Espírito”.

112
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem
ajudá-­lo(a):

• Convide todos os jovens a encon- • Compartilhe com os jovens a


trar uma escritura que tenham lido declaração do Presidente Thomas S.
ou assinalado recentemente e a Monson no início deste esboço. O que
compartilhá-­la com a classe. Peça a os impressionou em sua declaração?
cada um que exponha o que o impres- De que histórias os jovens se lembram
sionou no versículo. nas quais o Presidente Monson rece-
beu e agiu de acordo com os sussur-
ros do Espírito Santo?

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a aprender com o exemplo do Pre- Técnicas de estudo
sidente Monson de seguir os sussurros do Espírito. Seguindo a orientação do Espírito do evangelho
Santo, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
Resumir. Nas primeiras
• Atribua a cada jovem uma história Presidente Monson exemplificou as duas atividades dessa
sobre o Presidente Monson receber e escrituras que leem. O que os jovens sessão os jovens são con-
seguir os sussurros do Espírito Santo podem fazer para ser mais receptivos vidados a escrever breves
(como sugerido neste esboço). Peça aos sussurros do Espírito? resumos do que apren-
para os jovens ler e resumir a histó- deram com um discurso
• Peça aos jovens que reflitam sobre de conferência ou uma
ria e o que aprenderam sobre agir
as seguintes perguntas ao lerem as passagem das escritu-
sob inspiração. Peça para os jovens
histórias sobre o Presidente Monson ras. Você pode ajudá-­los
compartilhar experiências em que eles
sugeridas nesse esboço: Por que às incentivando-­os a fazer
agiram de acordo com os sussurros e
vezes é difícil seguir os sussurros anotações sobre suas
foram abençoados.
do Espírito Santo? Como podemos impressões, a doutrina que
• Convide os jovens a ler as escritu- superar essas dificuldades? Quais é ensinada, os eventos que
ras citadas nesse esboço e escrever são as bênçãos advindas de seguir os aconteceram, as pessoas
uma breve declaração resumindo o sussurros? Convide-­os a compartilhar que estavam envolvidas
que cada escritura ensina sobre seguir quaisquer ideias que aprenderam e assim por diante. Eles
os sussurros do Espírito. Ler junto no exemplo do Presidente Monson. podem se perguntar: “O
uma ou mais das histórias sobre o O que podem fazer para seguir esse que o Senhor está ten-
Presidente Monson sugeridas nesse exemplo? tando enfatizar e por quê?
esboço e pedir aos jovens para prestar Existe alguma coisa que
atenção nas maneiras pelas quais o li e que se aplica a mim
pessoalmente?”

113
Ensinar à maneira Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou
do Salvador as impressões que eles têm? Eles entendem por que é importante agir de acordo com os
sussurros do Espírito Santo? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais
Jesus Cristo ensinou: “A
tempo discutindo esse tópico?
minha doutrina não é
minha, mas daquele que
me enviou. Se alguém
quiser fazer a vontade Convidar a agir
dele, pela mesma dou-
Pergunte aos jovens o que sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam hoje.
trina conhecerá se ela é
Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar, em
de Deus, ou se eu falo
espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.
de mim mesmo” (João
7:16–17). Como seu grau
de obediência o ajuda a
conhecer a verdade da
doutrina que você ensina?

114
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Jeffrey R. Holland, “Pre- Quórum dos Doze Apóstolos, participou de uma
sidente Thomas S. Monson: “Nos Passos do Mestre”, conferência de estaca que fugiu à normalidade.
suplemento de A Liahona, junho de 2008. Inicialmente, fora escalado para visitar outra estaca
naquele fim de semana, mas foi necessária uma troca
Isso nos traz à mente outro tipo de lealdade tão
de designação. O Élder Monson não viu nenhum
característico de Thomas S. Monson: a lealdade à
significado especial quando o Presidente Ezra Taft
voz do Espírito. Quando ainda era um jovem bispo,
Benson (1899–1994), na época presidente do Quórum
recebeu um telefonema certa noite informando que
dos Doze, anunciou: “Irmão Monson, sinto-me inspi-
um membro idoso da ala fora internado no hospital
rado a mandá-lo à Estaca Shreveport Louisiana”.
de veteranos de Salt Lake City. Perguntaram-lhe se
poderia ir até lá para dar-lhe uma bênção. O Bispo Ao chegar a Shreveport, o Élder Monson tomou
Monson explicou que estava de saída para uma conhecimento de Christal Methvin, uma menina
reunião da estaca, mas passaria pelo hospital logo de dez anos de idade em estado terminal de câncer
depois. Durante a reunião de liderança, sentiu-se e que desejava receber uma bênção de uma Auto-
inquieto e perturbado. Sentiu a forte inspiração: saia ridade Geral em particular: ele. Ao examinar o
da reunião agora e vá diretamente ao hospital. Mas programa das reuniões da conferência, viu que não
seria uma indelicadeza retirar-se durante o discurso teria tempo para fazer a viagem de 130 quilômetros
do presidente de estaca, não é mesmo? Esperou o até a casa de Christal. Pediu ao presidente da estaca
fim de suas palavras e então se dirigiu à porta, antes que Christal fosse lembrada nas orações públi-
mesmo da oração de encerramento. No hospital, cas nas sessões da conferência. A família Methvin
pôs-se a correr pelos corredores. Havia certo tumulto compreendeu a impossibilidade da visita devido à
à saída do quarto do irmão enfermo, e a enfermeira distância, mas ainda assim orou para que o desejo
tentou barrar a nova visita. “O senhor é o Bispo Mon- da filha se realizasse. O Élder Monson estava-se
son?” perguntou ela. “Sou”, respondeu ele, aflito. preparando para discursar na reunião de liderança
“Lamento muito”, replicou a enfermeira. “O paciente de sábado à noite quando, conta ele: “Ouvi uma voz
estava chamando seu nome pouco antes de falecer.” falar ao meu espírito. A mensagem foi breve, mas as
palavras eram familiares: ‘Deixai vir os meninos a
Ao sair do hospital naquela noite, o jovem bispo
mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de
prometeu nunca mais deixar de seguir as inspira-
Deus’ (Marcos 10:14). Com a ajuda do presidente da
ções do Senhor. Nenhum homem poderia ter sido
estaca, foram rapidamente tomadas as providências
mais fiel a essa promessa. De fato, sua vida inteira é
para a visita à família Methvin na manhã seguinte.
marcada por uma sucessão de milagres resultantes
Foi uma experiência solene e sagrada para os par-
de sua obediência fiel aos sussurros do Espírito.
ticipantes. Apenas quatro dias depois de receber a
Talvez ele tivesse em mente essa experiência do bênção desejada, Christal voltou para a presença do
hospital quando anos depois, como membro do Pai Celestial.

115
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Junho: O Sacerdócio e as
Chaves do Sacerdócio

“As chaves do reino de Deus foram confiadas ao homem na Terra” (D&C 65:2).

Os esboços desta unidade ajudarão os jovens a compreender o papel do sacerdócio e


as chaves do sacerdócio em seu aprendizado do evangelho e em seu serviço na Igreja.
Incentive os jovens de sua classe a fazer perguntas sobre o que estão aprendendo, a
buscar mais conhecimento e ensinar suas descobertas a outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


Como posso participar com eficiência nos conselhos da Igreja?
Como os portadores do sacerdócio e as mulheres trabalham juntos para edificar o reino de Deus?
Por que é importante seguir os conselhos dados pelos líderes do sacerdócio?
Como o uso das habilidades de estudo das escrituras pode ajudar-­me a saber mais sobre o sacerdócio?
Como posso usar histórias para ensinar outras pessoas sobre o sacerdócio?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

117
JUNHO: O SACERDÓCIO E AS CHAVES DO SACERDÓCIO

Como posso participar


com eficiência nos
conselhos da Igreja?
A Igreja do Senhor é governada por meio de conselhos. Sob a direção da lide-
rança do sacerdócio, os líderes deliberam juntos para o benefício das pessoas,
das famílias e da Igreja. Conselhos eficazes convidam à plena expressão de
todos os membros do conselho, que desejam ser unidos e guiados pelo Espírito
Santo, para edificar o reino de Deus. Aprender como a revelação é recebida em
conselhos pode ajudar-­nos a participar com eficácia nas reuniões de conselho,
inclusive as reuniões de presidência, as reuniões do comitê de juventude do
bispado e conselhos de família.

Preparar-­se espiritualmente
Quando você participou Use os recursos a seguir para compreender por si próprio os princípios de conselhos
de um conselho? Quais eficientes na Igreja. Depois, avalie como as atividades do restante deste esboço podem
experiências o ajudaram a ajudá-­lo a planejar maneiras de envolver os jovens no aprendizado. Suas experiências
compreender a importân- pessoais na participação de conselhos também vão ajudá-­lo a ensinar com eficácia.
cia dos conselhos na obra
Mateus 18:20 (O Senhor estará no Henry B. Eyring, “Aprendizado no
do Senhor?
meio daqueles que estiverem reuni- Sacerdócio”, A Liahona, maio de 2011,
Em quais conselhos os dos em Seu nome) p. 62
jovens participaram (por
Morôni 6:4–5 (Os membros da Dieter F. Uchtdorf, “Agir de Acordo
exemplo, de presidências
Igreja reúnem-se para falar a com as Verdades do Evangelho de
de classe e quórum ou do
respeito do bem-estar da alma) Jesus Cristo” Reunião Mundial de
comitê da juventude do
Treinamento de Liderança de feve-
bispado)? Os jovens enten- D&C 38:27 (Recebemos o manda-
reiro de 2012
deram bem os propósitos mento de nos unirmos)
dos conselhos? Vídeo: “Participar de Conselhos”,
D&C 88:122 (A edificação acontece
Biblioteca de Treinamento de
quando todos têm a oportunidade
Liderança 
de falar e ouvir)

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as
Veja o apêndice para coisas que estão aprendendo em vários locais e várias situações (estudo pessoal, Semi-
encontrar outras ideias de nário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los
ensino e aprendizado.

119
a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir podem
ajudá-­lo(a):

• Peça aos jovens que compartilhem • Convide os jovens a compartilhar


uma experiência em que aprenderam experiências de quando participaram
algo sobre o evangelho de modo sig- de conselhos da Igreja, como em presi-
nificativo. Eles podem incluir expe- dências de classe e quóruns ou durante
riências na Igreja, no Seminário, nas reuniões do comitê da juventude do
noites familiares, no estudo pessoal bispado. O que eles fizeram para se
das escrituras ou na vida cotidiana. preparar para a reunião? O que fize-
ram para participar? Como o conselho
ajudou a realizar a obra do Senhor?

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a compreender os princípios de
conselhos eficientes na Igreja. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais
“Perguntas escritas no
delas que melhor funcionem em sua classe. Reserve tempo para os jovens participarem
quadro-­negro antes do
da simulação de um conselho que se encontra no final desta seção.
início da aula ajudarão os
alunos a pensar nos assun- • Escreva no quadro as referências outros. O que aprenderam com o Pre-
tos da aula mesmo antes de escrituras sugeridas neste esboço. sidente Uchtdorf que podem aplicar
do início dela” (Ensino, Peça a cada aluno que selecione uma ao participar dos conselhos de família
Não Há Maior Chamado, escritura para estudar e depois pense e da Igreja?
1999, p. 93). sobre por que o Senhor usa conselhos
• Mostre o vídeo “Participar de
para realizar Sua obra. Por que seria
Conselhos”. Convide os jovens a
menos eficaz se uma pessoa tomasse
procurar elementos-­chave de um
todas as decisões sem se aconselhar
conselho bem-­sucedido e anotá-­los
com outras pessoas? Como os jovens
(alguns exemplos podem ser: seguir
podem aplicar esses princípios em seu
o Espírito, ouvir um ao outro e fazer
relacionamento com sua família?
e receber designações). Convide-­os a
• Divida o discurso do Presidente compartilhar experiências nas quais
Dieter F. Uchtdorf “Agir de Acordo eles viram esses princípios em um
com as Verdades do Evangelho de conselho ou em outras ocasiões.
Jesus Cristo” em seções e dê a cada
• Peça a alguns dos jovens que leiam
jovem uma seção para ler. Peça aos
a experiência do Presidente Henry B.
jovens que escrevam uma pergunta
Eyring quando era jovem em seu quó-
sobre a participação em conselhos que
rum de sacerdotes (em seu discurso
poderia ser respondida com a seção
“Aprendizado no Sacerdócio”) e con-
que ele leu. Convide-­os a trocar as
videm outros a lerem sua experiência
perguntas e seções do discurso com
20 anos mais tarde, como bispo (no
outro membro da classe e procurar
mesmo discurso). Peça-­lhes para
respostas para as perguntas uns dos
recontar as histórias uns aos outros.

120
O que aprenderam nessas histórias obra do Senhor? Quais são algumas Ensinar à maneira
sobre conselhos? O que torna os con- oportunidades que os jovens têm para do Salvador
selhos uma forma eficiente de fazer a aconselhar-­se?
O Salvador deu aos que Ele
A próxima atividade dá aos jovens uma oportunidade de participar da simulação de um ensinava a oportunidade
conselho. Isso vai aprofundar a compreensão e prepará-­los para aplicar o que aprende- de fazer suas próprias per-
ram fora da sala de aula. guntas e compartilhar suas
ideias (ver Lucas 10:25–37).
• Depois de completar uma das e peça-­lhes que escolham um tópico Ele respondeu às perguntas
atividades acima, convide os jovens a em que poderiam aconselhar-­se, como deles e ouviu suas expe-
aplicar os princípios que aprenderam forma de ajudar os membros da ala a riências. Como você pode
na encenação de participar de um compreender a importância da reve- incentivar os jovens a fazer
conselho. Designe a cada membro da rência ou do recato. perguntas e compartilhar
classe um papel para desempenhar seu ponto de vista?

Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como efe-
tivamente participar de conselhos da Igreja? Quais são os sentimentos ou as impressões
que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender mais tempo
nesse assunto?

Convidar a agir
Convide os jovens a aplicar o que aprenderam e praticaram hoje ao participar de conselhos
(relacionados a seus chamados, sua família ou seu papel na liderança do Seminário). No
início da aula seguinte, convide alguns para compartilhar suas experiências.

121
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Presidente Henry B. Eyring, sábios do mundo. Ele esperava até que todos tives-
“Aprendizado no Sacerdócio”, A Liahona, maio de sem terminado de falar. Ele ouvia. E quando decidia
2011, p. 62 o que devia ser feito, parecia-me que o Espírito
confirmava as decisões para nós e para ele.
Enquanto eu ainda era diácono, minha família
mudou-se para Utah. Aqui, encontrei três coisas Dou-me conta hoje de que senti o que significa a
maravilhosas que aceleraram meu crescimento escritura que diz que o presidente deve sentar-se
no sacerdócio. A primeira foi um presidente que em conselho com os membros de seu quórum. (Ver
sabia como se sentar em conselho com os membros Doutrina e Convênios 107:87.) E anos mais tarde,
de seu quórum. A segunda era uma grande fé em com meu quórum de sacerdotes, quando eu era
Jesus Cristo que nos levou a ter o grande amor de bispo, tanto eles quanto eu fomos ensinados pelo
que ouvíramos falar — amor uns pelos outros. E a que eu havia aprendido quando era um jovem
terceira foi a convicção compartilhada por todos, de sacerdote.
que o propósito global do sacerdócio era o de traba-
Vinte anos depois, também como bispo, tive a
lhar pela salvação dos homens.
oportunidade de ver a eficácia de um conselho,
Não foi a ala bem estabelecida que fez a diferença. não apenas na capela, mas também nas montanhas.
O que havia naquela ala pode existir em qualquer Numa atividade de sábado, um membro de nosso
lugar, em qualquer unidade da Igreja em que vocês quórum passou a noite perdido na floresta. Pelo que
estejam. sabíamos, estava sozinho e sem agasalho, comida ou
abrigo. Nós o procuramos sem ter sucesso.
Essas três coisas podem ser uma parte tão cons-
tante do que vivenciam no sacerdócio, que talvez Lembro-me de que oramos juntos, o quórum dos
mal a tenham percebido. Outros talvez não tenham sacerdotes e eu, e então pedi que cada um falasse.
sentido essa necessidade de crescimento, de modo Ouvi atentamente e pareceu-me que eles também
a tornar esses auxílios invisíveis a vocês. Seja como o fizeram. Depois de algum tempo, tivemos um
for, oro para que o Espírito me ajude a torná-las sentimento de paz. Senti que o membro perdido de
claras e atraentes para vocês. (…) nosso quórum estava seguro e protegido da chuva
em algum lugar.
Descobri a primeira quando fui recebido caloro-
samente no quórum de sacerdotes, tendo o bispo Ficou claro para mim o que o quórum devia fazer
como nosso presidente. Pode parecer uma coisa e o que não devia. Quando as pessoas que o encon-
pequena e comum para vocês, mas isso deu-me uma traram descreveram o lugar no bosque em que ele
sensação de poder no sacerdócio e mudou meu ser- se abrigara, senti que o reconheci. Mas, para mim, o
viço no sacerdócio desde aquele momento. Come- maior milagre foi ver a fé em Jesus Cristo demons-
çou pelo modo como ele nos liderava. trada por um conselho do sacerdócio unido, tra-
zendo revelação ao homem que possuía as chaves
Pelo que posso lembrar, ele tratava a opinião dos
do sacerdócio. Todos crescemos em poder no sacer-
jovens sacerdotes como se fosse a dos homens mais
dócio naquele dia.

122
JUNHO: O SACERDÓCIO E AS CHAVES DO SACERDÓCIO

Como os portadores do
sacerdócio e as mulheres
trabalham juntos para
edificar o reino de Deus?
Em parceria com os portadores do sacerdócio de Deus, as mulheres são essen-
ciais para ajudar o Pai Celestial a levar a efeito a imortalidade e vida eterna do
homem. Sob a orientação daqueles que possuem as chaves do sacerdócio, os
portadores do sacerdócio e as mulheres aconselham-­se para abençoar a vida
dos filhos de Deus. Isso pode acontecer em reuniões de conselho na ala e na
estaca, na família e em muitas outras ocasiões.

Preparar-­se espiritualmente
Quando você viu os por- Ao preparar-­se, estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. A seu ver,
tadores do sacerdócio e as o que será mais proveitoso para os jovens a quem ensina?
irmãs trabalharem juntos
“A Família: Proclamação ao Mundo”, “Bênçãos do Sacerdócio para Todos:
para edificar o reino de
A Liahona, novembro de 2010, última Um Vínculo Inseparável com o Sacer-
Deus? Que experiências
contracapa (Marido e mulher traba- dócio”, Filhas em Meu Reino: A História
você poderia contar aos
lham juntos como parceiros iguais ao e o Trabalho da Sociedade de Socorro,
jovens?
cuidarem de sua família; ver parágra- 2011, pp. 137–155
Por que seria importante fos 6 e 7)
Vídeo: “Missão Qual dos Anjos”,
para os jovens saber como
Russell M. Nelson, “Um Apelo às Biblioteca de Treinamento de
as mulheres e os portado-
Minhas Irmãs”, A Liahona, novembro Liderança
res de sacerdócio traba-
de 2015, p. 95
lham juntos na Igreja do Video: “Apoiar Um ao Outro no Lar”
Senhor? Que oportunida- Quentin L. Cook, “As Mulheres da
des os rapazes e as moças Igreja São Incríveis!”, A Liahona, maio
têm de servir juntos? O de 2011, p. 18
que precisam entender ao
servir ao próximo agora e
preparar-­se para servir no
futuro?
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as
coisas que estão aprendendo em vários locais e várias situações (estudo pessoal, Seminá-
rio, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a
Veja o apêndice para ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

123
• Convide os jovens a compartilhar classe a escrever uma resposta para
uma experiência que tiveram recente- a pergunta. Em seguida, peça-­lhes
mente que reafirmou a veracidade de que formem duplas e combinem
algo que tinham estudado na Igreja suas respostas em uma frase apenas.
ou sozinhos. Convide-­os a compartilhar suas fra-
ses com a classe.
• Escreva o título da lição no qua-
dro. Convide cada membro da

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a entender como as mulheres e os
portadores do sacerdócio trabalham juntos para edificar o reino de Deus. Seguindo a
“Sua própria preparação
orientação do Espírito, selecione uma atividade ou mais que melhor funcionem em sua
espiritual contribui em
classe:
muito para a atmosfera de
aprendizado. Quando está • Convide os jovens a examinar o com a classe. Que histórias semelhan-
espiritualmente prepa- discurso do Presidente Nelson, come- tes os jovens podem compartilhar
rado, você transmite um çando pelo décimo parágrafo. Que com suas próprias experiências?
espírito de paz, amor e evidências eles veem do cumprimento
• Com a autorização do bispo, peça
reverência. Seus alunos da profecia do Presidente Kimball?
a algumas irmãs e alguns portadores
sentem-­se mais confiantes O que os jovens, tanto rapazes como
do sacerdócio que possuem chamados
para ponderar e discutir moças, podem fazer para ajudar a
da ala para compartilhar suas expe-
assuntos de valor eterno” cumprir essa profecia? Incentivem
riências, trabalhando juntos na Igreja,
(Ensino, Não Há Maior os jovens a examinar o restante do
com a classe. Como eles se beneficiam
­Chamado, 1999, p. 79). discurso do Presidente Nelson, pro-
das experiências e dos pontos de vista
curando maneiras em que as mulhe-
uns dos outros? Convide os jovens a
res e os portadores do sacerdócio
compartilhar quaisquer experiências
trabalham juntos. Considere a possibi-
que tiveram relacionadas ao assunto.
lidade de convidar membros da classe
para compartilhar seus sentimentos • Convide os jovens a ler a seção inti-
sobre a influência de mulheres justas, tulada “O Papel das Irmãs na Igreja”,
escrevendo cartas de agradecimento a discurso do Élder Quentin L. Cook
mulheres de seu convívio ou criando “As Mulheres da Igreja São Incríveis!”
um post em uma mídia social.  Depois, peça-­lhes que compartilhem
entre si o que encontraram. Como
• Divida o capítulo 8 de Filhas em
os jovens podem usar a mensagem
Meu Reino em seções menores para
do Élder Cook para ajudar outras
que os jovens possam ler durante a
pessoas a entender a importância das
aula. Designe uma seção a cada um
mulheres na Igreja?
deles. Convide-­os a procurar uma
citação ou história que mostre como • Mostrar o vídeo “Missão Qual dos
as mulheres e os portadores do sacer- Anjos”  ou os primeiros minutos de
dócio trabalham juntos para edificar o “Exemplo de Conselho da Ala”, e
reino de Deus. Convide os jovens para pedir aos jovens para compartilhar
compartilhar sua citação ou história

124
quaisquer pontos de vista que adqui- Família: Proclamação ao Mundo” Ensinar à maneira
rirem sobre como as mulheres e os e identificar maneiras em que os do Salvador
portadores do sacerdócio trabalham homens e as mulheres trabalham
O Salvador convidou Seus
juntos. Incentive os jovens a com- juntos para realizar o plano eterno
seguidores a testificar e,
partilhar maneiras de como viram as de Deus. Peça aos jovens que rela-
quando o faziam, o Espí-
mulheres e os homens de sua família e tem o que acharam. Quando viram
rito tocava-­lhes o coração.
ala edificarem o reino de Deus. Como exemplos de maridos e mulheres que
Como você pode incen-
os rapazes e as moças podem aplicar o seguem os princípios da proclamação
tivar os jovens que você
que aprenderam com esses vídeos ao à família? O que podem fazer para
ensina a prestar testemu-
servirem lado a lado na Igreja? preparar-­se para ter o tipo de relacio-
nho uns aos outros sobre a
namento familiar descrito na procla-
• Convide cada jovem a ler silen- veracidade do evangelho?
mação da família?
ciosamente os parágrafos 6 e 7 de “A

Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles entendem como os
homens e as mulheres trabalham lado a lado na Igreja? Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender
mais tempo nesse assunto?

Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar,
em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.

125
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Quentin L. Cook, “As ter decepcionado seus bispos e líderes do sacerdócio,
Mulheres da Igreja São Incríveis!” A Liahona, maio de que fortemente os incentivaram a servir missão, e
2011, p. 18 agora se sentiam como membros de segunda classe
da Igreja. Ela salientou que aqueles jovens tinham
Nos últimos três anos, a Primeira Presidência e o
passado da idade de ser missionários. Expressou seu
Quórum dos Doze buscaram orientação, inspira-
amor e preocupação por eles. Explicou que todas as
ção e revelação ao reunirem-se em conselho com
ordenanças de salvação ainda estavam disponíveis
líderes do sacerdócio e das auxiliares para elaborar
para eles, e que o enfoque deveria ser a ordenação ao
os novos manuais da Igreja. Nesse processo, senti
sacerdócio e as ordenanças do templo. Ela observou
imensa gratidão pelo papel essencial que as irmãs,
que, embora alguns daqueles jovens ainda fos-
tanto casadas quanto solteiras, desempenharam his-
sem solteiros, a maioria deles havia-se casado com
toricamente e hoje em dia, tanto na família quanto
mulheres maravilhosas — algumas ativas, algumas
na Igreja. (…)
inativas e algumas que não eram membros.
Há vários anos, assisti a uma conferência de estaca
Após trocarem ideias no conselho da estaca, foi deci-
em Tonga. No domingo pela manhã, as três fileiras
dido que os homens do sacerdócio e as mulheres da
da frente da capela estavam repletas de homens
Sociedade de Socorro procurariam resgatar aqueles
entre 26 e 35 anos de idade. Presumi que fizessem
homens e as esposas, enquanto os bispos passariam
parte de um coro de homens. Mas quando foram
mais de seu tempo com os rapazes e as moças nas
tratados os assuntos da conferência, todos aqueles
alas. Os envolvidos no resgate enfocaram principal-
homens, 63 no total, levantaram-se quando seus
mente a preparação para o sacerdócio, o casamento
nomes foram lidos e foram apoiados para serem
eterno e as ordenanças de salvação realizadas no
ordenados ao Sacerdócio de Melquisedeque. Fiquei
templo. Nos dois anos subsequentes, quase todos os
feliz e surpreso.
63 homens que haviam sido apoiados para receber
Após a sessão, perguntei ao presidente Mateaki, o Sacerdócio de Melquisedeque na conferência da
o presidente da estaca, como aquele milagre tinha qual participei receberam a investidura no templo e
acontecido. Ele me disse que, em uma reunião de foram selados ao cônjuge. Esse relato é apenas um
conselho da estaca, foi abordada a reativação. A exemplo de como nossas irmãs são essenciais para
presidente da Sociedade de Socorro da estaca, a irmã o trabalho de salvação em nossas alas e estacas e
Leinata Va’enuku, perguntou se seria adequado ela como elas facilitam a revelação, especialmente na
dizer alguma coisa. Enquanto ela falava, o Espí- família e nos conselhos da Igreja. (De conversas com
rito confirmou ao presidente que o que ela estava o Presidente da Estaca Nuku’alofa Tonga Ha’akame,
sugerindo era verdade. Ela explicou que havia na Presidente Lehonitai Mateaki (que posteriormente
estaca um grande número de maravilhosos jovens serviu como presidente da Missão Papua-Nova
na faixa dos 20 e 30 anos de idade que não tinham Guiné Port Moresby) e da presidente da Sociedade
servido missão. Ela disse que muitos deles sabiam de Socorro Leinata Va’enuku.)

126
JUNHO: O SACERDÓCIO E AS CHAVES DO SACERDÓCIO

Por que é importante seguir


os conselhos dados pelos
líderes do sacerdócio?
Os líderes do sacerdócio recebem inspiração do Espírito Santo para aconselhar
aqueles que são chamados para liderar. Aprender a ouvir e seguir os conselhos
dados por nossos líderes do sacerdócio vai ajudar-­nos a nos proteger de peri-
gos físicos e espirituais e a fazer escolhas sábias.

Preparar-­se espiritualmente
Como a observância dos Use os recursos a seguir para compreender por si mesmo por que é importante seguir os
conselhos dos líderes do conselhos dos líderes do sacerdócio. Depois, avalie como as atividades do restante deste
sacerdócio o abençoou esboço podem ajudá-­lo a planejar maneiras de envolver os jovens no aprendizado. Suas
em sua vida pessoal? Em próprias experiências ao seguir conselhos vão ajudá-­lo a ensinar com eficiência.
seus chamados? Em sua
Efésios 4:11–14 (Bênçãos que advêm D&C 124:45–46 (Dar ouvidos aos
família?
de líderes da Igreja) servos do Senhor)
Quais são as oportuni-
D&C 1:38; D&C 21:4–5 (O Senhor fala Dallin H. Oaks, “Duas Linhas de
dades que os jovens têm
por meio de Seus servos) Comunicação”, A Liahona, novembro
de buscar conselhos do
de 2010, p. 83
sacerdócio? Como você
pode incentivar os jovens
a seguir os conselhos dos
líderes do sacerdócio, Fazer associações
inclusive os líderes da ala
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as
e estaca?
coisas que estão aprendendo em vários locais e várias situações (estudo pessoal, Semi-
nário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­
los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir podem
ajudá-­lo(a):

• Convide os rapazes da classe para recentemente dos líderes locais do


ensinar as moças sobre algo que sacerdócio (por exemplo, do bispo ou
aprenderam a respeito do sacerdócio do presidente da estaca). Que bênçãos
em seu quórum do Sacerdócio Aarô- receberam por seguir esses conselhos?
nico. Em seguida, convide as moças Caso se sinta inspirado(a) durante a
para ensinar o que aprenderam sobre aula, preste testemunho das bênçãos
o sacerdócio em suas aulas. que advêm de seguir os líderes do
Veja o apêndice para
sacerdócio.
encontrar outras ideias de • Convide os jovens a fazer uma
ensino e aprendizado. lista de conselhos que receberam

127
Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a compreender a importância de
seguir os conselhos dos líderes do sacerdócio. Seguindo a orientação do Espírito, sele-
“Os professores que usam
cione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
aulas expositivas o tempo
todo ou respondem eles • Peça aos jovens que compartilhem compartilhar experiências em que
mesmos a todas as pergun- exemplos encontrados nas escrituras seguiram o conselho de um líder do
tas tendem a desestimular de alguém que buscou e seguiu o sacerdócio e foram abençoados.
a participação dos alunos” conselho de um líder do sacerdó-
• Distribua cópias do discurso do
(Ensino, Não Há Maior Cha- cio (como em II Reis 5:1–14, Mosias
Élder Dallin H. Oaks “Duas Linhas
mado, 1999, p. 64). 28:1–8, ou Alma 16:5–8). Convide os
de Comunicação”. Peça à metade da
jovens a discutir o que eles aprende-
classe que leia a seção 1, “A Linha
ram com esses exemplos a respeito de
Pessoal” e trabalhe em conjunto para
receber conselhos. Como os líderes
desenhar um gráfico que represente o
dessas histórias receberam inspiração
que o Élder Oaks ensina. Peça a outra
para guiar aqueles a quem serviram?
metade da classe para fazer o mesmo
Convide os jovens a compartilhar
com a seção 2, “A Linha do Sacerdó-
experiências que fortaleceram seu
cio”. Depois que os dois grupos com-
testemunho de que nossos líderes do
partilharem seus gráficos uns com
sacerdócio são inspirados.
os outros, leiam juntos a seção III, “A
• Convide os jovens a ler Efésios Necessidade de Ambas as Linhas”, e
4:11–14 e Doutrina e Convênios 1:38; pergunte aos jovens como eles e sua
21:4–5; 124:45–46 e a responder a família foram abençoados pela revela-
seguinte pergunta: por que é impor- ção pessoal e pela revelação por meio
tante seguir o conselho dos líderes dos líderes do sacerdócio.
Ensinar à maneira do sacerdócio? Peça aos jovens para
do Salvador
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles entendem por que é
O Salvador compartilhou importante seguir o conselho dos líderes do sacerdócio? Quais são os sentimentos ou
frequentemente histórias, as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender
parábolas e exemplos mais tempo nesse assunto?
verídicos para ilustrar a
doutrina e os princípios.
Quais histórias ou situa-
Convidar a agir
ções em que você seguiu
os líderes do sacerdócio O que os jovens aprenderam hoje sobre procurar aconselhamento com os líderes do
você pode compartilhar sacerdócio? Convide-­os a registrar no diário os conselhos que recebem e as bênçãos que
com os jovens? lhes são dadas quando os seguem.

128
JUNHO: O SACERDÓCIO E AS CHAVES DO SACERDÓCIO

Como o uso das habilidades


de estudo das escrituras
pode ajudar-­me a saber
mais sobre o sacerdócio?
Uma das melhores maneiras de aprender sobre o sacerdócio é estudar as escri-
turas. O estudo das escrituras envolve mais do que apenas ler. Para entender
o que as escrituras ensinam sobre o sacerdócio, podemos aprender e aplicar as
habilidades de estudo das escrituras como definir palavras difíceis e usar as
notas de rodapé e outros auxílios de estudo.

Preparar-­se espiritualmente
Que escrituras ajudaram Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que você sente inspi-
você a compreender o rado a compartilhar com os jovens?
sacerdócio? Como as
D&C 20:46–59 (Deveres do Sacerdócio Boyd K. Packer “O Que Todo Élder
habilidades de estudo
Aarônico) Deveria Saber — e Toda Irmã Tam-
das escrituras o ajuda-
bém”, A Liahona, novembro de 1994,
ram a compreender as D&C 121:34–46 (O poder do sacerdó-
p. 14
escrituras? cio depende dos princípios de retidão)
“Ensinar a Partir das Escrituras”,
Que perguntas os jovens D&C 84:33–44 (O juramento e convê-
Ensino, Não Há Maior Chamado,
têm sobre o sacerdócio? nio do sacerdócio)
pp. 54–59
Que habilidades de estudo
das escrituras pode ajudá-­ “Sacerdócio de Melquisedeque”, Guia
“Sacerdócio”, Sempre Fiéis, 2004,
los a usar as escrituras para Estudo das Escrituras
pp. 160–167
para aprender mais sobre
o sacerdócio?

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as
coisas que estão aprendendo em vários locais e várias situações (estudo pessoal, Seminá-
rio, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a
ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

129
• Convide os jovens a fazer quais- escritura que eles não entendem.
quer perguntas que tenham sobre Quais auxílios de estudo das escri-
o sacerdócio ou as chaves do turas estão à disposição para ajudá-­
sacerdócio. los? Que outra coisa eles fazem para
aprofundar seu entendimento das
• Pergunte aos jovens o que fazem
escrituras?
quando se deparam com uma

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a entender como usar as habilida-
des de estudo das escrituras para aprender mais sobre o sacerdócio. Seguindo a orienta-
“Use o contato visual
ção do Espírito Santo, selecione uma ou mais delas que funcionem melhor em sua classe:
como forma de envolver os
alunos nas aulas. Quando • Convide os jovens a ler Doutrina e Convênios 20:46–59 ou 84:33–44.
você ensina olhando dire- e Convênios 121:34–46 e identificar Convide-­os a usar as notas de rodapé
tamente para os alunos, palavras que não compreendem, tais desses versículos para encontrar
sua atenção volta-­se para como domínio, prontamente, persuasão, ideias adicionais sobre o sacerdó-
eles, não para o manual ou aguilhões, não fingidos, e assim por cio. Convide-­os a compartilhar o
outros recursos da lição. diante. Peça aos jovens para procurar que aprenderem. Como as notas
Manter o contato visual ao em um dicionário as definições das de rodapé ajudam a compreender
ouvir os comentários e as palavras que identificaram, e lerem os melhor as escrituras?
perguntas de seus alunos versículos novamente. Que ideias adi-
• Convide os jovens a se imaginarem
ajuda-­os a saber que você cionais os jovens ganham depois da
contando a um amigo que um parente
está interessado no que definição dessas palavras? Convide os
recentemente recebeu o Sacerdócio de
eles têm a dizer” (Ensino, jovens a escolher uma escritura adi-
Melquisedeque. Como eles explica-
Não Há Maior Chamado, cional sobre o sacerdócio para estudar
riam o Sacerdócio de Melquisedeque
1999, p. 71). e definir palavras desconhecidas (por
a seu amigo se ele ou ela não estiver
exemplo, eles podem procurar escri-
familiarizado(a) com a Igreja? Que
turas encontradas na seção intitulada
escrituras eles podem compartilhar se
“Sacerdócio” em Sempre Fiéis ou o
o(a) amigo(a) tiver perguntas? Peça
artigo do Presidente Boyd K. Packer
aos jovens que leiam “Sacerdócio de
“O Que Todo Élder Deveria Saber
Melquisedeque” no Guia para Estudo
— e Toda Irmã Também”). Peça-­lhes
das Escrituras e identifiquem as escri-
que compartilhem com a classe o que
turas que podem usar ao falarem com
descobrirem.
o(a) amigo(a).
• Designe cada jovem a estudar
alguns dos versículos de Doutrina

130
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos Ensinar à maneira
ou as impressões que eles têm? Eles entendem como usar as habilidades de estudo das do Salvador
escrituras para ajudá-­los a aprender mais sobre o sacerdócio? Eles têm mais alguma
O Salvador ensinou e
pergunta? Valeria a pena despender mais tempo nesse assunto?
preparou Seus discípulos
e confiava neles para com-
partilhar Seu evangelho
Convidar a agir com outras pessoas. Como
você pode inspirar os
Incentive os jovens a usar as habilidades que aprenderam hoje ao estudarem sobre o
jovens a querer saber mais
sacerdócio e as chaves do sacerdócio e outros assuntos do evangelho. Em aulas futuras,
sobre o sacerdócio e a com-
convide-­os a compartilhar as coisas que estão aprendendo.
partilhar com outras pes-
Fale aos jovens sobre as bênçãos que você recebeu ao estudar o evangelho. soas o que aprenderam?

131
Recursos Selecionados

Extraído de “Sacerdócio”, Tópicos do Evangelho, Chaves do Sacerdócio


LDS.org
O exercício da autoridade de sacerdócio na Igreja é
Sacerdócio governado por aqueles que têm as chaves do sacer-
dócio (ver D&C 65:2; 124:123). Aqueles que possuem
O sacerdócio é o poder e a autoridade eternos de
as chaves do sacerdócio têm o direito de presidir e
Deus. Por meio do sacerdócio, Deus criou e governa
dirigir a Igreja dentro de uma jurisdição específica.
os céus e a Terra. Com esse poder Ele redime e exalta
Por exemplo, um bispo tem as chaves do sacerdó-
Seus filhos, levando a efeito “a imortalidade e vida
cio que o habilitam a presidir a sua ala. Portanto,
eterna do homem” (Moisés 1:39). Deus concede a
quando uma criança dessa ala está sendo preparada
autoridade do sacerdócio aos homens que são mem-
para o batismo, a pessoa que fará o batismo deve
bros da Igreja para que possam agir em Seu nome
receber autorização do bispo.
para a salvação de Seus filhos. Os portadores do
sacerdócio podem ser autorizados a pregar o evange- Jesus Cristo possui todas as chaves do sacerdócio.
lho, ministrar as ordenanças de salvação e governar Ele conferiu a Seus apóstolos as chaves que são
o reino de Deus na Terra. necessárias para o governo da Igreja. Apenas o
apóstolo sênior, o Presidente da Igreja, pode utilizar
Os homens da Igreja podem começar a servir no
(ou autorizar outra pessoa a usar) essas chaves para
sacerdócio quando completam 12 anos de idade.
governar toda a Igreja (ver D&C 43:1–4; 81:2; 132:7).
Eles começam recebendo o Sacerdócio Aarônico e
preparam-se para, mais tarde, receber o Sacerdócio O Presidente da Igreja delega as chaves do sacer-
de Melquisedeque. Em diferentes etapas de sua vida dócio a outros líderes do sacerdócio para que eles
e em preparação para receber diversas responsabili- presidam em suas áreas de responsabilidade. As
dades, eles recebem diferentes ofícios no sacerdócio, chaves do sacerdócio são conferidas aos presidentes
tais como diácono, mestre ou sacerdote no Sacerdó- dos templos, das missões, das estacas e dos distritos,
cio Aarônico e élder ou sumo sacerdote no Sacerdó- aos bispos e presidentes de ramo e aos presiden-
cio de Melquisedeque. tes de quórum. A pessoa que serve em um desses
cargos possui as chaves apenas até ser desobrigada.
Para que um homem na Igreja possa receber o
Os conselheiros não recebem chaves, mas recebem
sacerdócio, um portador autorizado deve conferi-lo
autoridade por chamado e designação. (…)
a ele e ordená-lo a um ofício naquele sacerdócio (ver
Hebreus 5:4; D&C 42:11; Regras de Fé 1:5). Referências das escrituras: João 15:16; Atos 8:14–20;
Tiago 5:14–15; D&C 13; 20; 84; 107; Joseph Smith—
Embora a autoridade do sacerdócio seja conferida
História 1:68–73
apenas aos homens dignos da Igreja, as bênçãos do
sacerdócio estão à disposição de todos — homens,
mulheres e crianças. Todos nos beneficiamos da
influência da liderança digna do sacerdócio e todos
temos o privilégio de receber suas ordenanças salva-
doras. (…)

132
JUNHO: O SACERDÓCIO E AS CHAVES DO SACERDÓCIO

Como posso usar histórias


para ensinar outras pessoas
sobre o sacerdócio?
Histórias podem enriquecer o ensino e captar o interesse das pessoas que ensi-
namos. Histórias nos fornecem exemplos de retidão e demonstram as bênçãos
que advêm de seguir os ensinamentos de Jesus Cristo. Há muitas histórias nas
escrituras, nas palavras dos profetas vivos e em nossa própria vida que pode-
mos usar para ensinar outras pessoas a respeito do sacerdócio.

Preparar-­se espiritualmente
Quais experiências fortale- Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que ajudará os jovens
ceram seu testemunho do a entender como usar as histórias para ensinar outras pessoas sobre o sacerdócio?
sacerdócio? Quais histórias
Lucas 10:1 (O Salvador ordena os David A. Bednar, “Os Poderes do
das escrituras e das pala-
setenta) Céu”, A Liahona, maio de 2012, p. 48.
vras dos profetas vivos o
ajudaram a compreender o Atos 3:1–9 (Pedro cura um paralítico) L. Tom Perry, “O Sacerdócio de Aarão”,
poder do sacerdócio? A Liahona, novembro de 2010, p. 91
Atos 8:14–24 (Simão tenta obter o
Quais experiências os sacerdócio com dinheiro) “Histórias”, Ensino, Não Há Maior
jovens tiveram com o Chamado, 1999, pp. 179–182
sacerdócio? Quais histórias 3 Néfi 18:1–9 (Jesus administra o
sobre o sacerdócio ajuda- sacramento) Vídeos: “Santificai-­vos”, “Um Milagre
riam a fortalecer o teste- Durante a Guerra”
Dieter F. Uchtdorf, “Ser Genuínos”,
munho deles?
A Liahona, maio de 2015, p. 80

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem
ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

133
• Convide os jovens a compartilhar testemunho do sacerdócio. Considere
como estão aplicando o que apren- a possibilidade de compartilhar uma
dem em seu estudo pessoal, familiar, experiência própria. Pedir aos jovens
no Seminário ou outras classes da que compartilhem histórias é uma boa
Igreja. maneira de ensinar aos outros sobre o
sacerdócio.
• Peça aos jovens para compartilhar
experiências que fortaleceram seu

Aprender juntos
Técnicas de Estudo Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender como usar as his-
do Evangelho tórias para ensinar outras pessoas a respeito do sacerdócio. Seguindo a orientação do
Espírito Santo, selecione uma ou mais das que melhor funcionem em sua classe.
Encontrar princípios. Um
princípio é uma verdade • Convide os jovens a imaginar do testemunho de um consultor do
eterna que orienta nossas que lhes foi pedido que fizessem Sacerdócio Aarônico no discurso
ações. Às vezes, os prin- um discurso sobre o sacerdócio, na “O Sacerdócio de Aarão”, do Élder
cípios são declarados cla- reunião sacramental. Peça-­lhes que L. Tom Perry). Peça aos jovens que
ramente nas escrituras ou encontrem uma história das escrituras resumam a história lida e expliquem
nas palavras dos profetas, que ensine sobre o sacerdócio e que o que ela ensina sobre o sacerdócio.
e outras vezes eles estão possam incluir em seu discurso (como Utilizando essas histórias, quais
implícitos nas histórias ou exemplos de cura e administração oportunidades os jovens podem ter
nos exemplos. Na primeira de ordenanças). Se necessário, eles para ensinar outras pessoas sobre o
atividade desta seção, os podem usar as escrituras sugeridas sacerdócio?
jovens são convidados a neste esboço. Incentive-­os a contar
encontrar uma história que • Mostre um dos vídeos (ou os dois)
para o restante da classe a história que
ilustra princípios rela- sugeridos neste esboço. Pergunte aos
encontraram e a explicar o que ela nos
cionados ao sacerdócio. jovens o que as histórias nos ensi-
ensina sobre o sacerdócio e como eles
Ajude-­os a aprender como nam sobre o sacerdócio. Convide os
podem usá-­la em seu discurso.
identificar esses princípios jovens a compartilhar o vídeo com
fazendo as seguintes per- • Peça a cada jovem que leia uma alguém que poderia ser fortalecido
guntas: “O que aprende- história da conferência geral sobre pela mensagem. Incentive-­os a sugerir
mos com essas escrituras o sacerdócio (como a história sobre maneiras pelas quais poderiam com-
que nos ajuda a entender a Aldeia Potemkin no discurso “Ser partilhar os vídeos com um amigo
esse princípio? Há alguma Genuínos”, do Presidente Dieter F. ou um membro da família e dê aos
coisa aqui que nos ensina Uchtdorf, ou a história do pai do jovens uma oportunidade de compar-
a ser mais semelhantes ao Élder David A. Bednar, no discurso tilhar suas experiências em uma aula
Salvador?” Incentive-­os a “Os Poderes do Céu”, ou as histórias futura.
procurar princípios em seu
estudo pessoal e familiar
do evangelho.

134
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou Ensinar à maneira
as impressões que eles têm? Eles compreendem como podem usar histórias para ensinar do Salvador
outras pessoas a respeito do sacerdócio? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a
O Salvador compartilhava
pena despender mais tempo nesse assunto?
histórias simples, pará-
bolas e exemplos da vida
real compreensíveis a Seus
Convidar a agir discípulos. Quais histó-
rias você pode comparti-
Pergunte aos jovens o que eles sentem inspirados a fazer por causa do que aprenderam
lhar com os jovens para
hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espírito ao pensar,
ajudá-­los a compreender o
em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um acompanhamento.
poder do sacerdócio? Que
histórias os jovens conhe-
cem que vão ajudá-­los a
ensinar outras pessoas a
respeito do sacerdócio?

135
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder L. Tom Perry, “O Sacerdó- ministro de Jesus Cristo, sendo literalmente um
cio de Aarão”, A Liahona, novembro de 2010, p. 91 anjo ministrador. O jovem sacerdote que passava
a água para a congregação chegou a um homem
Rapazes do Sacerdócio Aarônico, testifico a vocês
que parecia ter Síndrome de Down. O homem não
que o Senhor está obrigado — por convênio solene
tinha condições de, por si mesmo, pegar o copo da
— a abençoá-los de acordo com sua fidelidade.
bandeja e beber. O jovem sacerdote imediatamente
Se vocês derem ouvidos à voz de advertência do
cuidou da situação: com a mão esquerda, apoiou
Espírito Santo e seguirem Sua orientação, serão
a parte de trás da cabeça do homem para que ele
abençoados com o ministério de anjos. Essa bênção
pudesse beber e, com a direita, pegou um copinho
acrescentará a sua vida sabedoria, conhecimento,
da bandeja e, gentil e lentamente, levou-o a seus
poder e glória. Essa é uma bênção garantida que
lábios. Uma expressão de gratidão surgiu no rosto
lhes foi prometida pelo Senhor.
daquele homem — a expressão que se vê no rosto
Há alguns meses, tive a oportunidade de assistir daqueles a quem alguém ministrou. Depois, aquele
à reunião de jejum e testemunho de certa ala. Um excelente jovem sacerdote prosseguiu com sua
dos que se levantaram para prestar testemunho era tarefa de passar a água abençoada aos demais mem-
consultor do Sacerdócio Aarônico. Seu testemunho bros da congregação.
renovou minha compreensão do que significa, para
Em seu testemunho, o consultor expressou os sen-
os portadores do Sacerdócio Aarônico, ter as chaves
timentos que lhe vieram ao coração naquele terno
do ministério de anjos.
momento. Disse que verteu lágrimas de alegria, pois
Aquele consultor contou algumas coisas que acon- sabia que a Igreja estava em boas mãos, nas mãos
teceram naquela manhã com o Sacerdócio Aarônico de jovens atenciosos e obedientes que portavam o
da ala. Indo a pé para a Igreja, ele viu dois diáconos Sacerdócio Aarônico.
que iam de casa em casa dos membros, levando os
O Presidente Ezra Taft Benson disse, certa vez:
envelopes de ofertas de jejum. Ficou impressionado
Mostrem-me um rapaz que se conservou moral-
com o fato de estarem usando suas melhores roupas
mente puro e que frequenta fielmente as reuniões
de domingo e pela dignidade e reverência com que
da Igreja; mostrem-me um rapaz que magnificou
cumpriam aquela tarefa. Mais tarde, acompanhou
seu sacerdócio e conquistou o Reconhecimento
dois sacerdotes que foram ministrar o sacramento
Dever para com Deus e é um Escoteiro da Pátria;
na casa de um homem com deficiência física e men-
mostrem-me um rapaz que se formou no seminário
tal. Era a primeira vez que aqueles dois rapazes iam
e tem um testemunho ardente do Livro de Mórmon;
àquela casa, e o consultor observou o quanto foram
mostrem-me um jovem assim, e eu lhes mostrarei
respeitosos e atenciosos no cumprimento daquela
um jovem capaz de realizar milagres para o Senhor
responsabilidade do sacerdócio.
no campo missionário e durante toda a sua vida (ver
Depois, o consultor narrou um acontecimento que “Aos ‘Jovens de Nobre Estirpe’ ”, A Liahona, julho de
o tocou profundamente, pois um dos sacerdotes 1986, p. 43).
lembrou-lhe do significado de ser um verdadeiro

136
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Julho: As Ordenanças e os Convênios

“[Nas] ordenanças manifesta-­se o poder da divindade” (D&C 84:20).

Nosso Pai Celestial usa as ordenanças e os convênios do evangelho para ensinar-­nos e


preparar-­nos para viver com Ele. Nesta unidade, você terá a oportunidade de ajudar
os jovens a aumentar a capacidade de estudar e ensinar o evangelho ao aprenderem
sobre as ordenanças e os convênios. Incentive-­os a fazer perguntas sobre o que estão
aprendendo, a buscar mais conhecimento e ensinar suas descobertas a outras pessoas.

Opções de esboços para este mês:


Que verdades espirituais posso aprender com as ordenanças do evangelho?
Como posso tornar mais profunda minha compreensão dos convênios?
Como posso tornar o sacramento mais significativo para mim?
Como guardo meu convênio de sempre me lembrar do Salvador?
Como posso preparar-­me para receber as ordenanças do templo?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

137
JULHO: AS ORDENANÇAS E OS CONVÊNIOS

Que verdades espirituais


posso aprender com as
ordenanças do evangelho?
As ordenanças são atos formais e sagrados realizados sob a autoridade do
sacerdócio. As ordenanças simbolizam as verdades do evangelho e nos ensi-
nam sobre o Plano de Salvação estabelecido pelo Pai Celestial e a Expiação
de Jesus Cristo. As ordenanças também nos ensinam sobre quem somos e
lembram-­nos de nosso dever para com Deus. Aprender sobre o simbolismo
das ordenanças ajuda-­nos a compreender o evangelho mais completamente e
fortalece nossa fé em Jesus Cristo.

Preparar-­se espiritualmente
Reflita sobre as orde- Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que os jovens podem
nanças que você e sua aprender com o simbolismo das ordenanças do evangelho?
família receberam (como
Lucas 22:19–20; 3 Néfi 18:1–11 Dennis B. Neuenschwander, “Orde-
o batismo, o sacramento e
(O sacramento representa o corpo nanças e Convênios”, A Liahona,
as ordenanças do templo).
e o sangue do Salvador) novembro de 2001, p. 16
Que verdades do evan-
gelho você aprende com Romanos 6:3–6; D&C 76:51 (O “Lembrar-­se do Salvador e de
essas ordenanças? batismo por imersão simboliza a Sua Expiação”, Sempre Fiéis, 2004,
morte e a Ressurreição de Cristo pp. 168–169
Os jovens de sua classe
e nosso próprio renascimento
são gratos pelo significado “Ordenanças”, Sempre Fiéis, 2004,
espiritual)
das ordenanças do evan- pp. 125–126
gelho? Eles compreendem D&C 84:19–22 (O poder da divindade
o simbolismo do batismo e “Comparações e Atividades com
é manifestado por meio das ordenan-
do sacramento? Objetos”, em Ensino, Não Há Maior
ças do sacerdócio)
Chamado, pp. 163–164
Boyd K. Packer, “O Templo Sagrado”,
A Liahona, outubro de 2010, p. 29

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Veja o apêndice para Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
encontrar outras ideias de ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
ensino e aprendizado. podem ajudá-­lo(a):

139
• Convide qualquer jovem que teve recebeu recentemente uma orde-
a oportunidade de explicar uma nança (como o batismo, ordenação ao
verdade doutrinária para um amigo sacerdócio ou ordenanças do templo).
para compartilhar a experiência com Peça-­lhes que compartilhem essas
a classe. experiências. O que chamou a atenção
delas com relação à ordenança?
• Pergunte aos jovens se algum
deles ou se algum de seus familiares

Aprender juntos
Técnicas de Estudo Cada atividade a seguir vai ajudar os jovens a encontrar verdades espirituais nas orde-
do Evangelho nanças do evangelho. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas
que melhor funcionem em sua classe:
Compreender símbolos. Para
compreender parábolas e • Divida a classe em dois grupos. que encontraram. Incentive-­os a fazer
símbolos das escrituras, Designe um grupo para estudar a si mesmos essa pergunta na pró-
os jovens precisam ser sobre o que o batismo simboliza e o xima vez em que forem testemunhas
capazes de reconhecer outro grupo para estudar sobre o que ou participarem de uma ordenança,
símbolos, de identificar o sacramento simboliza, usando as anotando seus pensamentos e suas
partes dos símbolos e de escrituras e outros recursos (como as impressões para compartilhar em
interpretá-­los. Um modo sugeridas neste esboço). O que essas uma aula futura.
de reconhecer um símbolo ordenanças os ensinam sobre a Expia-
é procurar palavras como • Leia com a classe “Comparações e
ção? Peça a cada grupo que ensine o
semelhante a, ser como ou Atividades com Objetos”, em Ensino,
que aprendeu para o restante da classe.
comparar com. Os jovens Não Há Maior Chamado, pp. 163–164.
Eles poderiam usar as gravuras 103–
podem então fazer uma Peça aos jovens que procurem os
104 e 107–108 do Livro de Gravuras do
lista das partes do símbolo motivos pelos quais o Senhor nos
Evangelho. Pergunte aos jovens como
(como o pão ou a água). ensina por meio de símbolos. Quais
a compreensão do simbolismo dessas
Para interpretar os símbo- são algumas das realidades ou alguns
ordenanças vai afetar seus pensamen-
los, eles podem consultar dos princípios eternos que o Senhor
tos e sentimentos na próxima vez em
outros recursos da Igreja nos ensina por meio das ordenanças
que participarem das ordenanças.
(como as revistas da Igreja, do batismo e do sacramento? Incen-
os discursos de conferên- • Convide os jovens a ler a seção tive os jovens a procurar respostas
cias ou outras escrituras) e intitulada “Uma Forma de Conhecer para essa pergunta nas escrituras
ponderar como o símbolo a Deus” do discurso do Élder Dennis  listadas neste esboço ou nos verbetes
os ajuda a compreender B. Neuenschwander “Ordenanças e sobre batismo e sacramento no livro
um princípio do evange- Convênios”, procurando respostas Sempre Fiéis.
lho. Incentive-­os a fazer para a pergunta: “O que as ordenan-
isso sempre que encontra- ças do evangelho nos ensinam sobre
rem uma parábola ou um Deus?” Convide-­os a compartilhar o
símbolo em seu estudo
pessoal das escrituras.

140
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos Ensinar à maneira
ou as impressões que eles têm? Eles compreendem como encontrar verdades espirituais do Salvador
nas ordenanças do evangelho? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais
O Salvador convidou
tempo discutindo essa doutrina?
todas as pessoas a agir
com fé e viver as verda-
des que Ele ensinou. Ele
Convidar a agir proporcionou oportuni-
dades a Seus seguidores
• Sugira que os jovens participem • Preste seu testemunho sobre o
de aprender por meio de
de um batismo e uma confirmação. poder das ordenanças do evangelho.
experiências marcantes.
Como as coisas que aprenderam
Como você pode ajudar os
hoje vão afetar o que pensam sobre o
jovens a aprender sobre a
batismo? Sobre tomar o sacramento?
Expiação com as ordenan-
ças de que participaram?

141
Recursos Selecionados

Trechos de Dennis B. Neuenschwander, “Ordenanças e poder e bondade. A única maneira de verdadeira-


Convênios”, A Liahona, novembro de 2001, p. 16 mente saber essas coisas é por meio da participação
digna na própria ordenança do batismo.
Nossa participação em ordenanças sagradas ensina
muito acerca da ordem no reino de Deus e sobre O batismo abre as portas do reino de Deus, por
Ele. Por exemplo, parece estranho que alguém possa meio das quais precisamos passar, não apenas em
entrar no templo para realizar algumas das orde- estado de pureza, mas também com a certeza de que
nanças mais sagradas antes de receber o batismo, Deus perdoa. Pode-se dizer o mesmo a respeito de
que é uma das ordenanças iniciais do evangelho. todas as outras ordenanças sagradas do evangelho.
Existe ordem no reino de Deus, e existe ordem na Depois de algum tempo e, por meio da obediên-
maneira como aprendemos a respeito dele. (…) cia, progredimos até chegarmos às ordenanças do
templo, onde nossas convicções se fortalecem para
Não recebemos tudo de uma vez, mas adquirimos
que nossos relacionamentos mais preciosos não
conhecimento das coisas sagradas gradual e pro-
sejam afetados pela morte. Esse conhecimento nós
gressivamente, à medida que formos dignos de tal
recebemos ao participarmos das ordenanças que
conhecimento e obedientes a ele. Da primeira orde-
têm por objetivo ensinar-nos tais coisas. Não é pos-
nança do reino — o batismo — progredimos por
sível conhecê-las de outra forma. O Profeta Joseph
meio de outras ordenanças, como a confirmação e a
Smith ensinou o seguinte acerca de conhecermos
ordenação ao sacerdócio. Nossa participação nessas
a verdade sagrada e essencial por meio de nossa
ordenanças sagradas do evangelho disciplina nosso
participação nas ordenanças sagradas: “A leitura das
conhecimento do reino e assim revela a natureza de
experiências alheias, ou as revelações dadas a outras
Deus para nós.
pessoas, jamais poderão dar a nós um entendimento
As ordenanças sagradas e o conhecimento de Deus de nosso estado e de nossa verdadeira relação com
estão intimamente relacionados. Portanto, quais são Deus. O conhecimento dessas coisas tão somente
algumas coisas que aprendemos sobre Deus ao par- se pode obter pela experiência, mediante as orde-
ticiparmos das ordenanças que Ele instituiu? Tome- nanças que Deus estabeleceu para esse propósito”
mos o exemplo do batismo. O batismo por imersão (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith,
é para a remissão dos pecados. Alguém que tenha p. 441; grifo no original).
se arrependido sinceramente de seus erros e que,
Como as ordenanças sagradas revelam a ordem
com toda sinceridade de coração, receber o batismo,
existente no reino de Deus de maneira progressiva,
saberá que Deus não só tem o poder de perdoar e
nossa participação nelas nos proporciona um conhe-
retirar o peso da culpa ligada ao pecado, mas que
cimento da personalidade e do caráter de Deus que
efetivamente o faz. Essa pessoa sabe, por experiên-
não pode ser adquirido de nenhuma outra forma.
cia própria, algo a respeito de Deus e Seu magnífico

142
JULHO: AS ORDENANÇAS E OS CONVÊNIOS

Como posso tornar


mais profunda a minha
compreensão dos convênios?
Fazemos convênios com o Pai Celestial quando participamos das ordenanças
do evangelho. Quando fazemos convênios, Deus estabelece condições especí-
ficas e promete abençoar-­nos se obedecermos a essas condições. À medida que
compreendermos melhor os nossos convênios, seremos capazes de honrá-­los e
de receber as bênçãos prometidas por nosso Pai Celestial.

Preparar-­se espiritualmente
Como você veio a com- Em espírito de oração, estude as escrituras e recursos abaixo, refletindo como pode aju-
preender os convênios dar os jovens a compreender os convênios que fizeram e que farão um dia.
que fez? Que escrituras
Mosias 18:8–10; D&C 20:37 (Os con- Abraão 2:8–11 (Promessas feitas a
ou outros recursos o
vênios que fazemos quando somos Abraão como parte do convênio
ajudaram?
batizados) abraâmico)
Quão bem os jovens de
D&C 20:77, 79 (As orações Russell M. Nelson, “Convênios”, A
sua classe compreendem
sacramentais) Liahona, novembro de 2011, p. 86
os convênios — os que já
fizeram ou os que farão D&C 84:33–44 (O juramento e convê- “O Novo e Eterno Convênio do Casa-
no futuro? Eles sabem nio do sacerdócio) mento”, Sempre Fiéis, 2004, pp. 34–35
como estudar as escritu-
ras e outros recursos para Pregar Meu Evangelho, 2004,
aprender a respeito desses pp. 63–65, 86
convênios?

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

143
• Convide os jovens a compartilhar convênios (ver Livro de Gravuras
quaisquer tópicos do evangelho que do Evangelho). Convide os jovens a
tenham debatido recentemente em explicar o que é um convênio, por que
casa ou com amigos. os fazemos e as bênçãos que recebe-
mos por cumpri-­los. Se precisarem de
• Mostre gravuras de pessoas
ajuda, peça que consultem “Convê-
fazendo, guardando ou quebrando
nio”, Sempre Fiéis, pp. 45–46.

Aprender juntos
Técnicas de Estudo Cada atividade a seguir vai ajudar os jovens a aprender a aprofundar sua compreensão
do Evangelho dos convênios. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas que
melhor funcionem em sua classe:
Fazer listas. Nesta lição,
os jovens são convidados • Convide cada aluno a ler (em • Em classe, leia uma das passagens
a estudar as escrituras e duplas ou individualmente) uma pas- de escritura sugeridas neste esboço e
listar as promessas que sagem das escrituras que descreva um peça aos jovens que façam uma lista
encontrarem relacionadas convênio (como as escrituras listadas das promessas descritas nas escritu-
aos convênios do evange- neste esboço). Enquanto leem, peça ras. Peça aos alunos que selecionem
lho. A elaboração de listas que façam uma lista das promessas uma dessas promessas para estudar
pode ajudar os jovens a que fazemos e das promessas que com mais profundidade. Eles podem
identificar pontos impor- Deus faz em relação ao convênio. Dê a procurar outras escrituras que ensi-
tantes para que possam cada jovem a oportunidade de ensinar nem sobre essa promessa (usando
estudá-­los com mais pro- ao restante da classe o que ele apren- as notas de rodapé ou o Guia para
fundidade. Incentive-­os a deu sobre esse convênio. Que expe- Estudo das Escrituras) ou podem
fazer listas quando estuda- riências pessoais os jovens podem procurar informações no livreto Sem-
rem as escrituras por conta compartilhar que mostrem como as pre Fiéis ou em outros recursos. Peça
própria. promessas de Deus são cumpridas? que compartilhem com a classe o que
aprenderam e como isso afetará seu
• Peça aos jovens que escolham
modo de vida.
um convênio (como o batismo, o
sacramento ou o casamento eterno) • Convide um membro do bispado
e que falem tudo o que sabem sobre ou os missionários de tempo inte-
esse convênio. Convide um aluno a gral a visitar a classe e a explicar o
escrever no quadro o que eles disse- que fazem para ajudar as pessoas a
rem. Convide-­os a aprofundar sua prepararem-­se para fazer convênios.
compreensão sobre esse convênio Como os missionários ajudam as
examinando as escrituras (como as pessoas a entender os convênios?
sugeridas neste esboço), o livreto Sem- Como eles incentivam as pessoas a
pre Féis ou Pregar Meu Evangelho. guardarem seus convênios? Incentive
os jovens a fazer qualquer pergunta
que tenham.

144
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como tornar Ensinar à maneira
mais profunda a sua compreensão dos convênios? Quais são os sentimentos ou as do Salvador
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo
Em todas as situações, o
discutindo essa doutrina?
Salvador foi um exemplo
e um mentor. Ele ensinou
Seus discípulos a orar,
Convidar a agir amar e servir da maneira
como Ele viveu. O que
Incentive os jovens a estar preparados para compartilhar algo na próxima semana que
você pode fazer para ser
aprenderam sobre as ordenanças e os convênios durante seu estudo pessoal.
um bom exemplo para os
Preste testemunho das bênçãos que advêm do estudo diligente do evangelho. jovens a quem ensina?

145
Recursos Selecionados

Trechos de “O Novo e Eterno Convênio do Casamento”, fizer, não poderá obtê-lo. Poderá entrar em outro,
Sempre Fiéis, 2004, pp. 34–35 mas esse será o fim de seu reino; ele não poderá ter
descendência” (D&C 131:1–4).
O Novo e Eterno Convênio do Casamento.
Após receber a ordenança do selamento e fazer con-
No plano de felicidade de nosso Pai Celestial, um
vênios sagrados do templo, o casal precisa continuar
homem e uma mulher podem ser selados um ao
fiel para receber as bênçãos do casamento eterno e
outro para esta vida e por toda a eternidade. Os que
da exaltação. O Senhor disse:
são selados no templo têm a certeza de que seu rela-
cionamento continuará para sempre, se forem fiéis a “Se um homem se casar com uma mulher pela
seus convênios. Eles sabem que nada, nem mesmo a minha palavra, que é a minha lei, e pelo novo e
morte, poderá separá-los permanentemente. eterno convênio e for selado pelo Santo Espírito da
promessa por aquele que foi ungido, a quem conferi
O convênio do casamento eterno é necessário para
esse poder e as chaves desse sacerdócio; (…) e se
a exaltação. O Senhor revelou por intermédio de
[eles] guardarem meu convênio, (…) ser-lhes-á feito
Joseph Smith: “Na glória celestial há três céus ou
de acordo com todas as coisas que meu servo disse,
graus; e para obter o mais elevado, um homem pre-
nesta vida e por toda a eternidade; e estará em pleno
cisa entrar nesta ordem do sacerdócio [que significa
vigor quando estiverem fora do mundo”
o novo e eterno convênio do casamento]; e se não o
(D&C 132:19).

146
JULHO: AS ORDENANÇAS E OS CONVÊNIOS

Como posso tornar o sacramento


mais significativo para mim?
Todas as semanas durante o sacramento, devemos examinar nossa vida,
refletir sobre a Expiação do Salvador e considerar o que precisamos fazer para
arrepender-­nos de nossos pecados. Não precisamos ser perfeitos para partilhar
do sacramento, mas devemos ter um espírito de humildade e de arrependi-
mento no coração. O sacramento pode tornar-­se uma fonte de força e uma
oportunidade de renovarmos nossa dedicação para viver o evangelho.

Preparar-­se espiritualmente
O que você faz para tornar Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que você pode com-
o sacramento mais sig- partilhar com os jovens para ajudá-­los a ter uma experiência mais significativa com o
nificativo? Você já teve sacramento?
alguma experiência com
Mateus 26:26–28; 3 Néfi 18:1–13 Dale G. Renlund, “Para Que Eu
o sacramento que pode-
(O Salvador institui o sacramento) (…) Pudesse Atrair a Mim Todos
ria compartilhar com os
os Homens”, A Liahona, maio de
jovens? I Coríntios 11:23–29; 3 Néfi 9:20; D&C
2016, p. 39
20:37; 59:8–12 (Como se preparar para
Que bênçãos os jovens
partilhar do sacramento dignamente) “Sacramento”, Sempre Fiéis, 2004,
podem receber ao com-
pp. 168–170
preender a natureza Dallin H. Oaks, “A Reunião Sacra-
sagrada do sacramento? mental e o Sacramento”, A Liahona, Vídeo: “O Sacramento Nos Ajuda a
Quais são algumas pos- novembro de 2008, p. 17 Aproximar-­nos de Jesus Cristo”
síveis distrações para os
jovens antes e durante Cheryl A. Esplin, “O Sacramento:
o sacramento? Como Renovação para a Alma”, A Liahona,
eles podem vencer essas novembro de 2014, p. 12.
distrações?

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo(a):

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

147
• Peça aos jovens que compartilhem • Peça aos jovens que completem
uma ocasião na qual um professor a frase “Posso tornar o sacramento
ensinou um princípio do evangelho mais significativo para mim ao
de maneira eficaz. ___________.” Convide-­os a listar
suas respostas no quadro e acrescentá-­
las à lista durante a aula.

Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada atividade abaixo vai ajudar os jovens a aprender como tornar o sacramento mais
do evangelho significativo para eles. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais que
serão mais adequadas para sua classe:
Visualizar os acontecimentos
das escrituras. Na primeira • Peça aos jovens que pensem em sido estar lá. Conte como o sacra-
atividade desta seção, os uma ocasião em que alguém que mento tem fortalecido seu amor pelo
jovens são incentivados a conheçam fez algo especial para eles. Salvador e seu testemunho da Expia-
imaginar como se senti- Como eles se sentiram? Para ajudar ção. Convide os jovens a prestarem
riam ou o que teriam feito os jovens a entender que o Salvador seu testemunho. Incentive os jovens
se estivessem presentes completou a Expiação por cada um a refletirem sobre o que debateram
em um acontecimento deles individualmente, você pode hoje na próxima vez em que toma-
descrito nas escrituras. pedir que leiam juntos o parágrafo rem o sacramento. Em que outros
Visualizar os acontecimen- que começa com “Seja qual for a acontecimentos da vida do Salva-
tos das escrituras pode direção que estivermos seguindo” do dor eles poderiam pensar durante o
ajudar os jovens a aplicar discurso do Élder Dale G. Renlund sacramento?
as histórias a sua própria “Para Que Eu (…) Pudesse Atrair
vida. Incentive-­os a fazer • Convide os jovens a dizer qual
a Mim Todos os Homens”. O que a
isso com frequência em é o hino sacramental favorito deles
mulher citada no discurso descobriu?
seu estudo pessoal das (se necessário, eles podem olhar o
O que os jovens podem fazer para
escrituras. índice por assunto na parte de trás
tornar o sacramento uma experiência
do hinário) e explicar por que ele é
mais sagrada? Você pode dar a cada
importante para eles. Cante, ouça ou
membro da classe um pequeno cartão.
leia um ou mais desses hinos e leia as
Depois peça que listem as coisas que
escrituras alistadas no final de cada
pensaram na última vez que tomaram
um deles. O que os hinos nos ensinam
o sacramento. Eles também podem
sobre o sacramento? Como os hinos
fazer uma lista de coisas que gosta-
nos ajudam a preparar-­nos para o
riam de pensar para ajudá-­los a se
sacramento?
concentrar no Salvador na próxima
vez que partilharem do sacramento.  • Convide cada jovem a escolher e
ler uma das escrituras neste esboço,
• Mostre uma gravura que retrate o
procurando as coisas que o Senhor
Salvador ministrando o sacramento
pede que façamos para preparar-­nos
(ver Livro de Gravuras do Evangelho,
para o sacramento. Peça aos jovens
p. 54). Enquanto lê Mateus 26:26–28,
que relatem o que acharam. Por que
peça aos jovens que olhem para a
o Senhor deseja que nos preparemos
gravura e imaginem como deve ter
para o sacramento dessas maneiras?

148
Convide-­os a compartilhar outras para mim?” Peça que escrevam suas Ensinar à maneira
coisas que fazem para tornar o sacra- respostas no quadro e contem algo do Salvador
mento uma experiência mais signifi- que planejam fazer para aplicar o con-
Jesus Cristo ajudou aqueles
cativa. Peça aos jovens que escolham selho dado nos discursos que leram.
a quem ensinava a desco-
algo que farão ao se prepararem
• Se possível, visite a sala de prepa- brir as lições do evangelho
para tomar o sacramento na semana
ração e a mesa do sacramento com em suas próprias experiên-
seguinte.
a classe. Convide os portadores do cias e no mundo ao seu
• Convide os jovens a ler as seções Sacerdócio Aarônico (mestres ou redor. Ele falou sobre pes-
II e III do discurso do Élder Dallin sacerdotes) ou o bispo para explicar caria, parto e trabalho no
H. Oaks “A Reunião Sacramental e como o sacramento é preparado e campo. Como você pode
o Sacramento” ou a história da líder a prestar testemunho da santidade usar experiências familia-
das Moças no discurso da irmã Cheryl dessa ordenança. Peça a outros alunos res para ajudar os jovens a
A. Esplin “O Sacramento: Renovação que prestem seu testemunho e com- compreender os princípios
para a Alma”. Peça que procurem res- partilhem seus pensamentos sobre o do evangelho?
postas para a pergunta: “Como posso que podem fazer para tratar o sacra-
tornar o sacramento mais significativo mento com mais reverência.

Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles compreendem como tornar o sacramento mais significa-
tivo para eles? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo deba-
tendo esse assunto?

Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que apren-
deram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espí-
rito ao pensar, em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um
acompanhamento.

149
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do Élder Dallin H. Oaks, “A Reunião Em seus escritos relativos às doutrinas de salvação, o
Sacramental e o Sacramento”, A Liahona, novembro de Presidente Joseph Fielding Smith ensina que tomamos
2008, p. 17 o sacramento em lembrança da morte e do sofrimento
do Salvador para redimir o mundo. Essa ordenança
I.
nos foi dada para que possamos renovar nossos con-
A ordenança do sacramento torna a reunião sacra- vênios de servi-­Lo, obedecer a Ele e lembrar-­nos sem-
mental a mais sagrada e importante reunião da pre Dele. (…)(Doutrinas de Salvação, comp. Bruce R.
Igreja. É a única reunião de domingo da qual a famí- McConkie, 3 vols., 1954–1956, vol. 2, p. 335).
lia pode participar reunida. Seu conteúdo, além do
III.
sacramento, sempre deve ser planejado e apresen-
tado de modo a concentrar nossa atenção na Expia- A maneira como nos vestimos é um importante
ção e nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo. (…) indicador de nossa atitude e preparação para qual-
quer atividade de que participamos. (…) É como ir
II.
ao templo: nossa maneira de vestir indica até que
Começarei pelo modo como os membros da Igreja ponto compreendemos e honramos a ordenança da
devem preparar-­se para participar da ordenança do qual participaremos.
sacramento. (…)
Durante a reunião sacramental, particularmente
Devemos estar sentados bem antes do início da durante o sacramento, devemos concentrar-­nos em
reunião. “Durante esse intervalo de quietude, o adorar a Deus e abster-­nos de todas as outras ativi-
prelúdio musical deve prevalecer. Esse não é um dades, especialmente as que interfiram na adoração
momento de conversar ou de transmitir mensa- dos outros. Ao menos a pessoa que adormece silen-
gens, mas um período de meditação em espírito de ciosamente não interfere com os outros. A reunião
oração, em que os líderes e os membros se prepa- sacramental não é uma ocasião para ler livros ou
ram espiritualmente para o sacramento” (Russell revistas. Jovens, essa não é uma ocasião para con-
M. Nelson, “Adoração na Reunião Sacramental”, versas sussurradas ao celular nem para o envio de
A Liahona, agosto de 2004, p. 13; mensagens de texto a pessoas que estejam em outros
lugares. Quando tomamos o sacramento, fazemos o
Quando o Salvador apareceu aos nefitas, após a sagrado convênio de que sempre nos lembraremos
Ressurreição, ensinou a eles que deviam parar de do Salvador. Como é triste ver as pessoas violarem
praticar o sacrifício por derramamento de sangue. explicitamente esse convênio na própria reunião em
Em vez disso, “oferecer-­me-­eis como sacrifício um que o fazem!
coração quebrantado e um espírito contrito” (3 Néfi
9:20). Esse mandamento, repetido na revelação A música da reunião sacramental é uma parte fun-
moderna que nos ensina a tomar o sacramento todas damental da adoração. As escrituras ensinam que
as semanas, diz como devemos preparar-­nos. Con- o canto dos justos é uma prece ao Senhor (ver D&C
forme ensinou o Élder Nelson: “Cada membro da 25:12). A Primeira Presidência declarou que “alguns
Igreja é responsável pelo crescimento espiritual que dos maiores sermões são pregados por meio do
advém da reunião sacramental” (A Liahona, agosto cântico de hinos” (Hinos, p. ix). Que maravilha é ver
de 2004, p. 14). todas as pessoas presentes participarem da adoração

150
Recursos Selecionados

por meio do canto, especialmente do hino que nos O Presidente Joseph Fielding Smith ensinou: “Essa
ajuda a preparar-­nos para tomar o sacramento. Toda [é] uma ocasião na qual o evangelho deve ser exposto,
música da reunião sacramental exige planejamento na qual devemos ser exortados a exercer fé e a refletir na
cuidadoso, sempre lembrando que essa música é missão de nosso Redentor, e a dedicar tempo à considera-
para adoração, e não para exibição. ção dos princípios salvadores do evangelho (…)” (Doutri-
nas de Salvação, vol. 2, p. 337).

151
JULHO: AS ORDENANÇAS E OS CONVÊNIOS

Como guardo meu convênio de


sempre me lembrar do Salvador?
Quando tomamos o sacramento, prometemos sempre nos lembrar do Salvador.
Isso significa que buscamos constantemente o exemplo e os ensinamentos Dele
para guiar as escolhas que fazemos. Nós O colocamos em primeiro lugar em
nossa vida e procuramos conhecê-­Lo e seguir Sua vontade. Quando enfrenta-
mos provações, buscamos consolo e forças Nele. O Pai Celestial prometeu que,
se guardarmos esse convênio, sempre teremos Seu Espírito conosco.

Preparar-­se espiritualmente
O que você faz para se Ao preparar-­se, estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que
lembrar sempre do Salva- você sente inspirado a compartilhar com os jovens?
dor? Como a lembrança
João 8:29 (Jesus Cristo deu-­nos o D&C 6:36 (Buscar o Senhor em todo
Dele abençoou sua vida?
exemplo, lembrando-­Se sempre do pensamento)
Por que os jovens preci- Pai e sempre procurando ser seme-
D&C 20:77, 79 (As orações
sam aprender a lembrar-­se lhante a Ele)
sacramentais)
do Salvador em tudo o
João 14:26; 3 Néfi 11:32 (O Espírito
que fazem? Como isso Gerrit W. Gong, “Recordá-­Lo Sem-
Santo pode ajudar-­nos a lembrar do
pode ajudá-­los a evitar a pre”, A Liahona, maio de 2016, p. 108
Salvador)
tentação e a enfrentar as
provações? Claudio R. M. Costa, “Para Que
Alma 37:36–37 (Devemos fazer com
Sempre Se Lembrem Dele”, A Liahona,
que todos os nossos pensamentos
novembro de 2015, p. 101
e nossas ações sejam dirigidas ao
Senhor) D. Todd Christofferson, “Recordá-­Lo
Sempre”, A Liahona, abril de 2011,
Helamã 12:1–5 (Os homens com fre-
p. 21
quência são lentos em lembrar-­se do
Senhor)

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
Veja o apêndice para podem ajudá-­lo(a):
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

152
• Peça aos jovens que compartilhem (ver Livro de Gravuras do Evangelho,
uma experiência pessoal que tiveram p. 54). Peça aos jovens que leiam as
recentemente, a qual os fez lembrar-­se orações sacramentais em Doutrina e
de algo que estão aprendendo nas Convênios 20:77, 79 e faça no quadro
aulas da Igreja. uma lista das promessas que fazemos
quando tomamos o sacramento. O
• Mostre uma gravura que retrate o
que os jovens fazem para se lembra-
Salvador ministrando o sacramento
rem sempre do Salvador?

Aprender juntos
Cada atividade a seguir pode ajudar os jovens a aprender a ser mais bem-­sucedidos em Técnicas de Estudo
seu empenho de lembrar-­se do Salvador em tudo o que fizerem. Seguindo a orientação do Evangelho
do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
Procurar ensinamentos sobre
• Peça a cada aluno que leia uma das respostas para a pergunta no qua- Cristo. Incentive os jovens
escrituras sugeridas neste esboço e dro. Peça a eles que compartilhem a procurar ensinamentos
compartilhe o que ela lhe ensina sobre pensamentos e histórias desses sobre Jesus Cristo sempre
sempre nos lembrar do Salvador. Por discursos que ensinem maneiras de que estudarem as escritu-
que é importante que sempre nos lem- nos lembrarmos de Jesus Cristo. O ras. Seja o que estiverem
bremos Dele? Como a lembrança Dele que eles aprenderam que vai ajudá-­ lendo, eles podem fazer
afeta nossa vida cotidiana (por exem- los a melhor cumprir o convênio de a si mesmos perguntas
plo: nas escolhas que fazemos ou nas “recordá-­Lo sempre”? como esta: “O que posso
provações que enfrentamos)? Convide aprender nesta passagem a
• Peça aos jovens que leiam sobre respeito de Jesus Cristo, de
os jovens a compartilhar experiências
o padrão descrito pelo Presidente Sua natureza e Seu cará-
pessoais nas quais foram abençoados
Henry B. Eyring para que recebamos ter, de Sua vida ou de Sua
por seu empenho em lembrar-­se de
o Santo Espírito (em seu discurso Expiação?”
Jesus Cristo.
“Oh! Lembrai-­vos, Lembrai-­vos”).
• Peça aos jovens que leiam Helamã Como o Espírito Santo nos ajuda a
12:1–5 e compartilhem os moti- cumprir nossa promessa de lembrar-­
vos pelos quais geralmente é fácil nos sempre do Salvador? (Como parte
os jovens esquecerem do Senhor. do debate, incentive os jovens a ler
Como podemos evitar a tentação de João 14:26 e 3 Néfi 28:11). Comparti-
esquecer-­nos do Senhor? Peça aos lhe uma experiência pessoal em que
jovens que compartilhem coisas que o Espírito Santo o ajudou a sentir-­se
fazem para garantir que o Salvador mais próximo do Salvador e convide
faça parte de seu cotidiano? os jovens a compartilharem suas pró-
prias experiências pessoais.
• Escreva no quadro: “Como posso
me lembrar sempre do Salvador?” • Peça aos jovens que reservem
Peça a cada aluno que leia uma das alguns minutos para relembrar as
seções do artigo de D. Todd Chris- histórias que conhecem nas escrituras
tofferson, “Recordá-­Lo Sempre”, ou a respeito do Salvador. (Você pode
do discurso do Élder Gerrit W. Gong, pedir a eles que observem as gravu-
“Recordá-­Lo Sempre”, procurando ras de 30 a 61 do Livro de Gravuras do

153
Ensinar à maneira Evangelho ou examinem o início do das maneiras pelas quais podemos
do Salvador discurso “Para Que Sempre Se Lem- nos lembrar do Salvador (ver a lista
brem Dele”, do Élder Claudio R. M. próxima do final do discurso). Peça
Reflita por um momento
Costa, para obter ideias.) Convide-­os a eles que compartilhem algo que os
sobre o que sabe a respeito
a pensar em como a lembrança des- impressionou e expliquem por que
do Salvador. Como Ele
sas histórias pode ajudá-­los em seu consideram isso importante. Sugira
mostrou que sempre Se
cotidiano e peça a eles que compar- que os jovens tenham consigo sua
lembrava do Pai? Como
tilhem seus pensamentos. Dê aos cópia do discurso para ajudá-­los a
você pode seguir o exemplo
jovens cópias do discurso do Élder pensar no Salvador na próxima vez
Dele ao ajudar os jovens
Costa e peça a eles que leiam a lista em que tomarem o sacramento. 
a aprender como adquirir
forças decorrentes de sem- Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como cumprir
pre se lembrar do Salvador? seu convênio de sempre se lembrarem do Salvador? Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Seria útil passar mais tempo discutindo essa doutrina?

Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que apren-
deram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Busque o Espí-
rito ao pensar, em espírito de oração, em maneiras pelas quais você pode fazer um
acompanhamento.

154
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do Élder D. Todd Christofferson, “Por algum tempo, o Senhor tirou o Urim e o
“Recordá-­lo Sempre”, A Liahona, abril de 2011, p. 27 Tumim e as placas de Joseph. Mas essas coisas logo
lhe foram devolvidas. O Profeta relembrou: ‘O
Em junho de 1828, Joseph deixou Martin Harris
anjo regozijou-­se quando me devolveu o Urim e
levar as primeiras 116 páginas do manuscrito do
o Tumim, dizendo que Deus estava satisfeito com
Livro de Mórmon de Harmony, Pensilvânia, para
minha fidelidade e humildade e que me amava
mostrar a familiares em Palmyra, Nova York. Como
por minha penitência e diligência na oração, nas
Martin não voltou no prazo prometido, Joseph ficou
quais eu desempenhara meu dever tão bem a ponto
angustiado e foi de carruagem até a casa de seus
de (…) poder voltar ao trabalho de tradução’. Ao
pais em Manchester, Nova York. O Profeta pediu
prosseguir na grande tarefa que tinha para realizar,
imediatamente notícias de Martin. Quando Martin
Joseph sentiu-­se fortalecido pelos doces sentimentos
chegou, admitiu não estar mais em posse do manus-
de ter recebido o perdão do Senhor e renovou sua
crito e desconhecer seu paradeiro.
determinação em fazer a vontade Dele” (Ensinamen-
Joseph exclamou: “Oh! Meu Deus, meu Deus. (…) tos: Joseph Smith, p. 76).
Está tudo perdido! O que farei? Pequei. Fui eu que
A determinação do Profeta de confiar no Senhor e
tentei a ira de Deus pedindo o que não estava cor-
não temer o que os homens pudessem fazer se forta-
reto pedir. (…) Que repreensão não mereço do anjo
leceu após esse ocorrido. Sua vida a partir daquele
do Altíssimo?”
momento foi um exemplo brilhante do que significa
No dia seguinte, o Profeta voltou para Harmony. Ao recordar Cristo confiando em Seu poder e Sua mise-
chegar, disse: “Comecei a humilhar-­me em vigorosa ricórdia. (…)
oração perante o Senhor (…) para que se fosse pos-
Em suma, “recordá-­Lo sempre” significa que não
sível eu obtivesse misericórdia de Suas mãos e fosse
precisamos viver amedrontados. Sabemos que cada
perdoado de tudo o que havia feito de modo contrá-
um de nós enfrentará, das mais diversas maneiras,
rio à vontade Dele” (ver Ensinamentos dos Presidentes
desafios, decepções e tristezas, mas sabemos tam-
da Igreja: Joseph Smith, 2007, pp. 75–76).
bém que, no fim, graças a nosso Advogado divino,
Depois de repreender Joseph por temer mais os tudo poderá se reverter para nosso bem (ver D&C
homens do que a Deus, o Senhor lhe disse: 90:24; 98:3). (…)

“Eis que tu és Joseph e foste escolhido para fazer a (…) Todos nós podemos pôr Cristo no centro de
obra do Senhor, mas por causa de transgressão, se nossa vida e tornar-­nos um com Ele, assim como Ele
não ficares atento, cairás. o é com o Pai. Podemos começar despojando-­nos de
todas as coisas de nossa vida e depois pondo-­as de
Lembra-­te, porém, de que Deus é misericordioso; volta em ordem de prioridade, com o Salvador no
portanto arrepende-­te do que fizeste contrário ao centro.
mandamento que te dei e és ainda escolhido; e és
chamado à obra outra vez” (D&C 3:9–10).

155
JULHO: AS ORDENANÇAS E OS CONVÊNIOS

Como posso preparar-­me


para receber as ordenanças
do templo?
Mesmo antes de receber as ordenanças do templo, podemos preparar-­nos
vivendo de forma digna de entrar no templo, guardando os convênios que já
fizemos e fazendo com que o templo faça parte de nossa vida. Podemos tam-
bém estudar as escrituras e as palavras dos profetas para aprender mais sobre
as ordenanças do templo.

Preparar-­se espiritualmente
Se tiver recebido as orde- Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que acha que vai aju-
nanças do templo, como se dar os jovens a preparar-­se para receber as ordenanças do templo?
preparou para fazê-­lo?
Salmos 24:3–4; D&C 97:15–17 (Deve- Linda K. Burton, “Preparadas de uma
O que você ouviu ou mos ser limpos para entrarmos na Forma Nunca Antes Vista”, A Liahona
observou nos jovens que o casa do Senhor) novembro de 2014, p. 111
ajuda a entender como eles
Quentin L. Cook, “Veja a Si Mesmo “O Templo Como Parte Integrante
se sentem em relação ao
no Templo”,​ A Liahona, maio de 2016, de Sua Vida”, A Liahona, outubro de
templo? O que eles estão
p. 97 2010, p. 77
fazendo para preparar-­se
para receber as ordenanças Quentin L. Cook, “Firmes Como os “Perguntas Frequentes”, A Liahona,
do templo? Navios de Bristol: Dignos de Entrar outubro de 2010, p. 79
no Templo — Nos Bons e nos Maus
Observação: Você pode “Mensagem da Primeira Presidência
Momentos”, A Liahona, novembro de
sugerir ao bispo que a ala para os Jovens”, Para o Vigor da Juven-
2015, p. 39
adquira exemplares do tude, 2011, pp. ii–iii
livreto Templos de A Igreja Russell M. Nelson, “Preparar-­se para
de Jesus Cristo dos Santos Vídeo: “Sempre à Vista”
as Bênçãos do Templo”, A Liahona,
dos Últimos Dias (09339 outubro de 2010, p. 41
059) para os jovens, a fim
de prepará-­los para entrar
no templo.
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
Veja o apêndice para ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
encontrar outras ideias de podem ajudá-­lo(a):
ensino e aprendizado.

156
• Convide os jovens a compartilhar • Convide os jovens a ler a “Mensa-
quaisquer ideias que tiveram recente- gem da Primeira Presidência para os
mente ao aprenderem sobre as orde- Jovens”, em Para o Vigor da Juventude
nanças e os convênios em suas outras (pp. ii e iii). Depois de lerem a men-
aulas ou no estudo pessoal. sagem, peça-­lhes que compartilhem
porque acham que uma gravura do
templo foi escolhida para a capa.

Aprender juntos
Cada uma das seguintes atividades vai ajudar os jovens a preparar-­se para participar Técnicas de estudo
das ordenanças do templo. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais do evangelho
que serão mais adequadas para sua classe:
Usar o Guia para Estudo
• Uma das maneiras importantes a preparação para entrar no templo. das Escrituras. A primeira
pelas quais os jovens podem se pre- Ajude os jovens a pensar em maneiras atividade desta seção
parar para entrar no templo é viver de “[verem] a si mesmos no templo” incentiva os jovens a loca-
de maneira justa agora. Mostre o como o Élder Quentin L. Cook sugere lizar escrituras utilizando
vídeo dos primeiros três minutos do em seu discurso “Veja a Si Mesmo no o Guia para Estudo das
discurso do Élder Quentin L. Cook, Templo”. Eles podem fazer cartões Escrituras (ver Ensino, Não
“Firmes Como os Navios de Bristol: decorativos com as escrituras que Há Maior Chamado, página
Dignos de Entrar no Templo — Nos encontraram e colocar os cartões no 56). Ajude-­os a se familia-
Bons e nos Maus Momentos”. Peça espelho ou em um lugar de desta- rizarem com o Guia para
aos jovens que comentem como a que na casa deles para lembrá-­los de Estudo das Escrituras e
comparação do Élder Cook se rela- sua meta de receber as bênçãos do outros auxílios didáticos
ciona com ser digno de entrar no tem- templo. Que promessas e convites os disponíveis para que sai-
plo. Separe os jovens em três grupos jovens podem encontrar no discurso bam usá-­los com frequên-
e convide cada grupo a examinar um do Élder Cook? cia em seu estudo pessoal
dos três princípios citados pelo Élder do evangelho.
• Leia Salmos 24:3–4 com a classe e
Cook para se viver dignamente. Em
pergunte aos jovens o que acham que
seguida, peça a cada grupo que ensine
significa ser limpo de mãos e puro de
o que aprendeu para o restante da
coração. Por que a pureza espiritual
classe. Dê tempo para que os jovens
é um requisito para entrar no tem-
estabeleçam metas de viver os princí-
plo? (ver D&C 97:15–17). Convide
pios que o Élder Cook sugere. 
um membro do bispado para visitar
• Mostre o vídeo “Sempre à Vista” e a classe a fim de debater o que uma
convide cada aluno a pensar em pessoa precisa fazer para ser digna de
uma escritura que ele sente que uma recomendação para o templo. O
se relaciona com a mensagem do que ele recomendaria que os jovens
vídeo (mostre a eles como encontrar fizessem para preparar-­se para rece-
escrituras no Guia para Estudo das ber as ordenanças do templo? Incen-
Escrituras). Peça aos jovens que com- tive os jovens a fazer perguntas.
partilhem as escrituras que encontra-
• Designe cada jovem a ler uma
ram e expliquem o que ensinam sobre
seção do artigo do Presidente Russell

157
Ensinar à maneira M. Nelson, “Preparar-­se para as a contar quaisquer novos pontos de
do Salvador Bênçãos do Templo”. Convide os vista que encontrarem.
jovens a contar o que aprenderam em
O Salvador viu potencial • Em seu discurso intitulado “Pre-
suas seções sobre a preparação para
em Seus discípulos. Ele paradas de uma Forma Nunca Antes
frequentar o templo. O que mais os
confiava neles e os prepa- Vista”, a irmã Linda K. Burton nos
impressionou na mensagem do Presi-
rou para servir e abençoar incentiva a nos prepararmos para
dente Nelson? 
outras pessoas. O que você o templo “gota a gota”. Por que é
pode fazer para ajudar • Escolha perguntas do artigo “Per- mais eficaz nos prepararmos para as
os jovens de sua classe guntas Frequentes” que acha que são ordenanças do templo “gota a gota”
a se prepararem para as mais relevantes para os jovens da sua do que de uma vez só? Convide os
oportunidades e bênçãos classe e escreva essas perguntas no jovens a relacionarem algumas ações
futuras? quadro. Prepare tiras de papel com as consistentes que vão ajudá-­los a
respostas do artigo. Deixe cada jovem se prepararem para o templo. Eles
escolher uma pergunta do quadro e podem rever o discurso da irmã Bur-
encontrar a resposta entre os papéis ton para ter mais ideias.
que você preparou. Convide os jovens

Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles compreendem como se preparar para as ordenanças do
templo? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo esse
assunto?

Convidar a agir
• Convide os jovens a refletir sobre • Preste seu testemunho sobre a
o que ouviram e sentiram hoje e importância das ordenanças do
escolha algo que possam fazer para templo.
preparar-­se para receber as ordenan-
ças do templo.

158
Recursos Selecionados

Extraído do discurso do Élder Russell M. Nelson, “Prepa- fora do templo sobre o que acontece lá dentro.
rar-se para as Bênçãos do Templo”, A Liahona, outubro Assuntos sagrados merecem consideração sagrada.
de 2010, p. 40
Nessa casa de aprendizado, somos instruídos nos
Como o templo é sagrado, o Senhor pede que seja caminhos do Senhor. Seus caminhos não são nos-
protegido da profanação. Qualquer pessoa disposta sos caminhos. (Ver Isaías 55:8–9.) Não devemos
a se preparar bem para esse privilégio poderá entrar. estranhar se as técnicas de ensino diferirem das que
O conceito de preparação também é primordial são empregadas em situações educacionais a que
em outras áreas de atuação. Recordo que, quando estamos habituados. As ordenanças e os convênios
menino, disse a meus pais que queria frequentar do templo fazem parte do evangelho desde os dias
a universidade. Responderam que eu poderia, de Adão e Eva. No passado, foram usados símbolos
mas somente se antes fosse bom aluno na escola e para ensinar verdades profundas, e esse método de
cumprisse todos os requisitos para a admissão no instrução é usado no templo até hoje.
ensino superior. Da mesma forma, precisamos nos
Portanto, é necessário que ponderemos sobre os
qualificar para entrar no templo. Preparamo-nos
símbolos apresentados no templo e identifiquemos
física, intelectual e espiritualmente. A qualificação é
as realidades vigorosas que cada um deles repre-
determinada individualmente para cada pessoa que
senta. (Ver John A. Widtsoe, “Temple Worship”
deseja receber uma recomendação.
[Dignidade para Entrar no Templo], Utah Genealo-
Os homens que possuem as chaves da autoridade gical and Historical Magazine, abril de 1921, p. 62.)
e responsabilidade do sacerdócio nos ajudam na “As ordenanças do templo são tão carregadas de
preparação, realizando entrevistas de recomen- simbolismo que dão margem a uma vida de reflexão
dação para o templo. Esses líderes se preocupam e aprendizado produtivos” (Richard G. Scott, “Rece-
conosco e ajudam-nos a determinar se estamos ber as Bênçãos do Templo”, A Liahona, julho de 1999,
preparados para frequentar o templo. Eles também p. 29). Os ensinamentos do templo são lindamente
amam o Senhor e asseguram-se de que nenhuma simples e simplesmente lindos. São compreendidos
“coisa imunda entre em Sua casa” (D&C 109:20). por quem teve pouca oportunidade de estudos for-
Assim, essas entrevistas são feitas num espírito de mais, mas ainda assim podem estimular o intelecto
responsabilidade. dos mais instruídos.

Como vocês podem preparar-se para receber a reco- Recomendo aos membros que forem ao templo pela
mendação para o templo? Podem conversar com primeira vez que leiam os verbetes do Guia para
o bispo, assim como com os pais, os familiares, o Estudo das Escrituras relacionados ao templo, como
presidente da estaca, os professores ou os consulto- “Unção, Ungir”, “Convênio”, “Sacrifício” e “Tem-
res no quórum. Os requisitos são simples. Em suma, plo”. Podem também ler Êxodo, capítulos 26–29,
a pessoa precisa guardar os mandamentos Daquele e Levítico, capítulo 8. O Velho Testamento, assim
que é o Dono da casa. Ele estabeleceu os padrões. como os livros de Moisés e de Abraão, em Pérola de
Entramos no templo como Seus convidados. (…) Grande Valor, ressalta o caráter antigo das ordenan-
ças do templo e sua natureza contínua.
Como as ordenanças e os convênios do templo são
sagrados, temos a obrigação absoluta de não falar

159
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Agosto: O Casamento e a Família

Os esboços desta unidade vão ajudar os jovens a compreender a importância que o


aprendizado e o ensino têm no ambiente familiar. Eles vão se preparar para compar-
tilhar com seus familiares e outras pessoas as verdades eternas que estão aprendendo
sobre a importância do casamento e da família no plano do Pai Celestial. Eles também
terão oportunidades de aprender mais sobre suas próprias famílias, incluindo a histó-
ria da família.

Opções de esboços para este mês:


Como manter um diário pessoal abençoará a mim e a minha família?
Por que é importante aprender sobre minha história da família?
Como posso ensinar outras pessoas a fazer o trabalho de história da família?
Como posso explicar a importância do casamento e da família para outras pessoas?
Que oportunidades existem para o aprendizado e o ensino no lar?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

161
AGOSTO: CASAMENTO E FAMÍLIA

Como manter um diário


pessoal abençoará a mim
e a minha família?
O Senhor e Seus profetas têm enfatizado a importância de mantermos registros.
Escrever um diário pessoal nos dá uma oportunidade de refletir sobre a vida e
reconhecer as muitas bênçãos que Deus nos tem dado. Nosso diário também pode
ser uma fonte de inspiração e força para as futuras gerações de nossas famílias.

Preparar-­se espiritualmente
Quais experiências o ensi- Em espírito de oração, estude as escrituras e os recursos a seguir. O que vai inspirar os
naram sobre a importância jovens que você ensina?
de manter um diário?
1 Néfi 1:1–3; Alma 37:8–9; Moisés 6:5, 3 Néfi 23:6–13 (O Salvador repreende
Existe algo escrito em seu
45–46 (Exemplos de manter registros os nefitas por seus registros estarem
diário ou no diário de um
nas escrituras) incompletos)
antepassado seu que pode-
ria ser inspirador para os 1 Néfi 6:3–6 (O que incluir em um Henry B. Eyring, “Oh! Lembrai-­vos,
jovens? registro pessoal) Lembrai-­vos”, A Liahona, novembro
de 2007, p. 66; ver também o vídeo
Como os jovens serão
“Oh! Lembrai-­vos, Lembrai-­vos”
abençoados por manterem
um diário pessoal? Quais
motivos podem ter para
não escrever um diário Fazer associações
pessoal? Como você pode
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
ajudá-­los a ver os motivos
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
espirituais para manter
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
um registro?
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
podem ajudá-­lo:

• Convide os jovens a relatar expe- de um antepassado (ou convide um


riências recentes que tiveram ao membro da classe ou da ala para fazer
testificar sobre uma verdade do isso). Por que é importante registrar
evangelho. essa experiência? Como outras pes-
soas são abençoadas porque alguém
• Se possível, compartilhe um trecho
escreveu um diário?
de seu diário pessoal ou do diário
Veja o apêndice para
encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

163
Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a entender a importância de escrever
do evangelho um diário. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais das atividades que
melhor funcionem em sua classe:
Ponderar. Nesta lição, os
jovens são incentivados a • Convide os jovens a ler os primei- • Peça aos jovens que façam uma
ponderar sobre as expe- ros oito parágrafos do discurso do lista de coisas que se deve escrever em
riências que estão tendo Presidente Henry B. Eyring: “Oh! um diário pessoal. Em classe, leiam
e a registrá-­las em seus Lembrai-­vos, Lembrai-­vos” (ou mos- Mosias 6:3–6. Peça aos jovens que
diários pessoais. Pon- tre o vídeo que se baseia no discurso), encontrem o que Néfi queria incluir
derar significa refletir e e peça que procurem bênçãos que vie- em seu registro e adicione essas coisas
pensar em alguma coisa ram porque o Presidente Eyring escre- à lista. Convide os jovens a ponderar
profundamente. Convide veu suas experiências diariamente. sobre o que sentem que devem escre-
os jovens a fazerem a si O que mais eles aprenderam com a ver em seus diários e dê-­lhes tempo
mesmos perguntas do tipo: mensagem do Presidente Eyring sobre para escrever alguns parágrafos em
“O que Deus quer que eu escrever um diário pessoal? Leia o seus diários.
aprenda com a experiência último parágrafo desse discurso com
que estou tendo?” A pon- • Convide os jovens a ler 3 Néfi
os alunos e compartilhe uma expe-
deração convida a revela- 23:6–13. Como essa escritura pode se
riência recente de sua vida em que
ção. Incentive os jovens a aplicar aos nossos esforços de manter
você viu a mão de Deus ou em que
fazer da ponderação uma um diário pessoal? Peça aos jovens
Ele parecia ter uma mensagem para
parte constante do estudo que pensem em quaisquer experiên-
você. Convide os jovens a ponderar
pessoal do evangelho. cias espirituais ou significativas que
suas respostas para as perguntas
tiveram e que sentem que devem
sugeridas pelo Presidente Eyring e a
registrar. Como eles ou outras pes-
registrar as ideias que tiverem.
soas podem ser abençoadas por ler
• Peça a cada jovem que leia uma das sobre essa experiência? Dê-­lhes tempo
escrituras a seguir: 1 Néfi 1:1–3; Alma em classe para escrever sobre essas
37:8–9; Moisés 6:5, 45–46. Peça aos experiências.
jovens que pensem em algumas das
• Selecione um discurso ou artigo
bênçãos que as pessoas nessas escritu-
feito por uma Autoridade Geral sobre
ras receberam por manter um regis-
manter um diário ou uma história
tro e as compartilhem com a classe.
pessoal. Convide os jovens a lerem as
Quais são alguns motivos pelos quais
seções desse discurso e, em seguida,
as pessoas não mantêm um registro
escreverem em um papel um ou dois
pessoal? O que os jovens aprendem
pensamentos ou ideias do discurso
com esses versículos que os ajuda a ver
que acham inspiradores ou úteis.
a importância de escrever um diário?
Depois que todos terminarem, peça
Incentive-­os a ler um diário de um
aos jovens que passem seus papéis
antepassado (se possível) ou entrevis-
para a pessoa que estiver sentada a
tar o pai, a mãe ou um dos avós e escre-
seu lado. Convide-­os a acrescentar aos
ver os seus testemunhos, a história de
papéis uns dos outros as ideias que
sua conversão, experiências de vida
encontraram e a continuar a passar
significativas e lembranças favoritas.

164
seus papéis até que todos tenham papéis para casa e consultá-­los para Ensinar à maneira
compartilhado suas ideias com todos orientação quando forem escrever em do Salvador
na classe. Incentive-­os a levar os seus diários.
O Salvador fez perguntas
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem as às pessoas a quem Ele ensi-
bênçãos de escrever um diário? Quais são os sentimentos ou as impressões que eles nava, essas perguntas as
têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo discutindo essa levaram à reflexão e ponde-
doutrina? ração profundas. Por causa
de Seu amor, elas sentiam
segurança para dizer o que
pensavam e falar do que
Convidar a agir sentiam. Como você pode
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que aprende- criar um ambiente na sala
ram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas de aula em que os jovens
quais você pode fazer o acompanhamento. se sintam à vontade para
responder a perguntas?

165
Recursos Selecionados

Trechos de Henry B. Eyring, “Oh! Lembrai-vos, Lembrai- Escrevi algumas linhas diariamente durante anos.
vos”, A Liahona, novembro de 2007, p. 66 Não falhei um único dia, por mais cansado que
estivesse nem por mais cedo que precisasse acordar
Quando nossos filhos ainda eram pequenos, passei
no dia seguinte. Antes de redigir, refletia sobre a
a anotar alguns acontecimentos do nosso cotidiano.
pergunta: “Vi hoje a mão de Deus se estender sobre
Deixem-me contar como isso começou. Eu voltava
nós, nossos filhos ou sobre a família?” Com a con-
para casa tarde, após uma designação da Igreja.
tinuidade, algo começou a acontecer. Ao relembrar
Já estava escuro e eu me dirigia à porta da frente,
o dia, via evidências do que Deus fizera por algum
quando, surpreso, avistei meu sogro, que morava
de nós e que eu não reconhecera nos momentos
perto de nós. Ele carregava nos ombros um feixe
mais atarefados. À medida que isso ocorria — e era
de canos e andava a passos largos, com roupas de
frequente — percebi que esse esforço de memória
trabalho. Eu sabia que ele estava construindo um
permitiria a Deus mostrar-me o que Ele realizara.
sistema para bombear água de um riacho perto de
casa até a nossa propriedade. Algo mais do que a simples gratidão começou a
crescer em meu coração: meu testemunho aumen-
Ele sorriu, cumprimentou-me em voz baixa e, apres-
tou; adquiri uma certeza ainda maior de que o Pai
sado, seguiu caminho no escuro para continuar o
Celestial ouve e responde a nossas orações; senti
trabalho. Andei em direção a nossa casa, pensando
maior gratidão pelo efeito enternecedor e purifica-
no que ele estava fazendo por nós e, assim que che-
dor da Expiação do Salvador Jesus Cristo, e fiquei
guei à porta, ouvi na mente as seguintes palavras:
mais confiante de que o Espírito Santo pode fazer-
“Essas experiências não são só para você. Anote-as.
nos lembrar de tudo, mesmo coisas que não nota-
Anote-as”.
mos ou que não nos chamaram a atenção quando
Entrei. Não fui me deitar, embora estivesse can- aconteceram. (. . .)
sado. Peguei algumas folhas e comecei a escrever.
Meu objetivo é exortá-los a achar maneiras de reco-
Ao fazê-lo, compreendi a mensagem que ouvira na
nhecer e recordar a bondade de Deus. Isso fortale-
mente. Eu devia escrever para que meus filhos les-
cerá nosso testemunho. Talvez vocês não tenham
sem no futuro como eu vira a mão de Deus abençoar
um diário ou costumem mostrar às pessoas a quem
nossa família. Vovô não precisava fazer o que estava
amam e servem os registros que guardam, mas tanto
fazendo por nós. Ele poderia ter delegado a tarefa
vocês como elas serão abençoados se recordarem
para outra pessoa, ou simplesmente não ter feito
das obras do Senhor. Vocês devem estar lembrados
nada. Mas ele estava servindo a nós, sua família,
daquele hino que às vezes cantamos: “Conta as
como sempre fazem os discípulos de Jesus Cristo
bênçãos (. . .), dize-as de uma vez, E verás, surpreso,
que assumem convênios. Eu sabia que isso era
quanto Deus já fez”.
verdade. Assim, registrei essas coisas para que meus
filhos se lembrassem um dia, quando precisassem.

166
AGOSTO: CASAMENTO E FAMÍLIA

Por que é importante aprender


sobre minha história da família?
O plano de felicidade estabelecido pelo Pai Celestial possibilita que os rela-
cionamentos familiares continuem por toda eternidade. Por meio do trabalho
de história da família, podemos aprender mais acerca de nossos antepassa-
dos, identificar e preparar o nome daqueles que precisam das ordenanças do
evangelho e realizar trabalhos de ordenanças para eles nos templos sagrados. A
Igreja fornece muitos recursos para nos ajudar a aprender sobre nossa história
da família e participar do trabalho do templo em favor dos mortos.

Preparar-­se espiritualmente
Como você aprendeu Use os recursos abaixo para saber mais sobre o trabalho de história da família. Sua pró-
sobre sua história da famí- pria experiência com o trabalho de história da família, incluindo experimentar as ativi-
lia? Que experiências você dades neste esboço, o ajudará a ensinar de modo mais eficaz. Avalie como as atividades
teve que fortaleceram seu neste esboço podem ajudá-­lo a planejar maneiras de envolver os jovens no trabalho de
testemunho do trabalho de história da família. O que ajudará os jovens a entender a importância de conhecer a
história da família? história da família deles?

Como você pode incenti- I Coríntios 15:29 (Os membros nos David A. Bednar, “O Coração dos
var os jovens a participar tempos antigos realizavam batismos Filhos Voltar-­se-­á”, A Liahona,
do trabalho de história pelos mortos) novembro de 2011, pp. 24–27
da família? Que recur-
I Pedro 3:18–20; 4:6 (O evangelho é Allan F. Packer, “O Livro”, A Liahona,
sos estão disponíveis em
pregado no mundo espiritual) novembro de 2014, pp. 99–101
sua área para ajudá-­los a
aprender sobre seus ante- Malaquias 4:5–6; D&C 2:1–3 (O coração “História da Família e Genealogia,
passados e realizar orde- dos filhos voltar-­se-­á para seus pais) O Trabalho de”, Sempre Fiéis, 2004,
nanças para os membros pp. 94–98
falecidos da família? D&C 110:13–16 (Elias restaura as cha-
ves seladoras) Site: “Os Jovens e a História da
Família”
D&C 128:16–18 (As ordenanças para
os mortos criam um elo entre as Vídeos: “O Élder Bednar Fala aos
gerações) Jovens”, “O Espírito de Elias”
“#MeetMyGrandma”
Richard G. Scott, “A Alegria de Redi-
mir os Mortos”, A Liahona, novembro
de 2012, pp. 93–95

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

167
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver a
importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo:

• Convide vários jovens a comparti- trabalho de história da família (como,


lhar um princípio do evangelho que por exemplo, ser batizado em favor
aprenderam recentemente com os de um antepassado, participar da
pais, irmãos ou com outro membro da indexação ou preparar o nome de um
família. antepassado para as ordenanças do
templo). Debata com a classe por que
• Convide os jovens a compartilhar
o Pai Celestial quer que façamos o
experiências que tiveram ao fazer o
trabalho de história da família.

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a aprender como participar do
trabalho de história da família. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais
“Não tenha medo do
das que serão mais adequadas em sua classe:
silêncio. As pessoas muitas
vezes precisam de tempo • Em classe, leiam a seção intitulada: Richard G. Scott “A Alegria de Redimir
para pensar nas perguntas, “Um Convite para a Nova Geração”, os Mortos”, começando com a frase
responder a elas ou exter- no discurso do Élder David A. Bednar: “Todo trabalho que vocês fazem no
nar seus sentimentos. Você “O Coração dos Filhos Voltar-­se-­á”. templo”. Convide-­os a procurar e a
pode fazer uma pausa Convide os jovens a encontrar coisas compartilhar os motivos pelos quais
depois de lançar uma que podem fazer para participar do é importante realizar o trabalho de
pergunta, após o relato de trabalho de história da família. Se história da família. Peça que leiam os
uma experiência espiritual, possível, mostre aos jovens como usar dois últimos parágrafos do discurso
ou quando uma pessoa o site FamilySearch.org para encontrar e debatam as coisas que poderiam
estiver tendo dificuldade antepassados que precisam de orde- “[deixar] de lado” para pesquisar
para expressar-­se” (Ensino, nanças. Incentive-­os a ir ao templo e seus antepassados.
Não Há Maior Chamado, ser batizados e confirmados em favor
• Convide metade dos jovens para
2009, p. 67). dos antepassados que encontrarem.
ler a seção “Redenção dos Mortos”
Com a permissão do bispo, talvez você
(páginas 95–96) do verbete “História
queira convidar o consultor de história
da Família e Genealogia, O Traba-
da família da ala (ou alguém que tenha
lho de”, em Sempre Fiéis, e peça a
experiência em realizar o trabalho de
outra metade que leia a seção “Suas
história da família) para ajudar nessa
Responsabilidades no Trabalho de
atividade.
História da Família” (páginas 96–98).
• Peça aos jovens que leiam os três Peça que relatem uns com os outros
parágrafos do discurso do Élder o que aprenderam. Ajude os jovens a

168
começar a preencher um gráfico de ponderando a pergunta: “Por que Ensinar à maneira
linhagem. Incentive-­os a continuar a fazemos o trabalho de história da do Salvador
trabalhar no gráfico de linhagem em família?” Peça a eles que comparti-
O Salvador confiava em
casa. Convide-­os a pedir ajuda aos lhem seus pensamentos. Convide-­os
Seus discípulos. Ele os
pais ou a outros membros da família. a listar meios pelos quais podem
preparou e depois lhes deu
participar do trabalho de história da
• Alguns dias antes da aula, peça a responsabilidades impor-
família (algumas ideias podem incluir
um membro da classe que examine tantes de ensinar, abençoar
aprender sobre seus antepassados,
o site “Os Jovens e a História da Famí- e servir ao próximo. Como
ensinar outras pessoas a usar o site
lia” e venha preparado para ensinar à você pode preparar os
FamilySearch.org ou fazer a indexa-
classe como iniciar a história da famí- jovens para cumprir as
ção). Convide-­os a escolher algum
lia. Esse jovem pode mostrar o vídeo responsabilidades que têm
tema da lista em que eles queiram tra-
“Élder Bednar Fala aos Jovens”. de aprender a própria his-
balhar durante a semana. Incentive-­os
tória da família e realizar
• Convide os jovens a ler as escri- a contar suas experiências em uma
as ordenanças por seus
turas sugeridas neste esboço, aula futura.
antepassados?

Convide os jovens a relatar o que aprenderam hoje. Eles entendem a importância de


aprender a história da família deles? Quais são os sentimentos ou as impressões que
eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo essa
doutrina?

Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que aprende-
ram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas
quais você pode fazer o acompanhamento.

169
Recursos Selecionados

Trechos de Richard G. Scott, “A Alegria de Redimir os eles recebam as ordenanças do batismo e do dom do
Mortos”, A Liahona, novembro de 2012, p. 93 Espírito Santo. Quando ficarem mais velhos, pode-
rão participar do recebimento de outras ordenanças
Todo trabalho que vocês fazem no templo é um
também. Não conheço nenhuma proteção maior
tempo bem utilizado, mas o recebimento das
contra a influência do adversário em sua vida.
ordenanças vicárias por um de seus próprios ante-
passados tornará o tempo despendido no templo Na Missão Rússia Rostov-na-Donu, os jovens foram
ainda mais sagrado, e bênçãos ainda maiores serão convidados a indexar 2.000 nomes, e depois a qua-
recebidas. A Primeira Presidência declarou: “Nossa lificar pelo menos um nome de sua própria família
obrigação mais preeminente é a de buscar e identifi- para as ordenanças do templo. Os que atingiram
car nossos próprios antepassados” (Carta da Primeira essa meta foram convidados para uma longa via-
Presidência, 29 de fevereiro de 2012; grifo do autor). gem até o novo Templo de Kiev Ucrânia. Um rapaz
contou sua experiência pessoal: “Eu passava muito
Será que vocês, jovens, querem um modo seguro de
tempo com jogos no computador. Quando comecei a
eliminar a influência do adversário em sua vida?
indexar, não tive mais tempo para os jogos. A princí-
Dediquem-se à pesquisa de seus antepassados,
pio, pensei: ‘Oh, não! Como pode ser!’ Mas quando
preparem o nome deles para as ordenanças vicárias
esse projeto terminou, até perdi o interesse pelos
que podem ser realizadas no templo, e depois vão
jogos. O trabalho genealógico é algo que podemos
ao templo para servir de procuradores, a fim de que
fazer aqui na Terra e que tem continuidade no céu”.

170
AGOSTO: CASAMENTO E FAMÍLIA

Como posso ensinar outras


pessoas a fazer o trabalho
de história da família?
O Senhor preparou tecnologias notáveis em nossos dias que nos possibilitam
aprender sobre nossos antepassados e realizar ordenanças por eles no templo.
De modo semelhante, Ele preparou os jovens desta geração com a habilidade
de aprender a usar essas tecnologias para que possam contribuir nessa impor-
tante obra. Além de pesquisar nossa própria história da família, podemos aju-
dar outras pessoas que estão menos familiarizadas com os recursos de história
da família. Desse modo, podemos ajudá-­las a sentir o espírito dessa importante
obra e podemos ajudar a trazer salvação para seus antepassados falecidos.

Preparar-­se espiritualmente
Quais oportunidades você Estude os recursos abaixo em espírito de oração. O que você sente que vai inspirar os
teve de ajudar outras pes- jovens a ajudar outras pessoas a aprender sobre a história da família delas?
soas a aprender a respeito
D&C 128:16–18 (As ordenanças pelos David A. Bednar, “O Coração dos
da história da família?
mortos criam um elo entre as gerações) Filhos Voltar-­se-­á”, A Liahona, novem-
Quais experiências você
bro de 2011, p. 24
teve em que alguém o D&C 138:46–48 (Uma grande obra
ensinou a fazer o trabalho deve ser feita nos templos em nossos Vídeos na seção “Servir” do site Os
de história da família? dias) Jovens e a História da Família

Quais habilidades você Russell M. Nelson, “Um Elo de Amor Vídeo: “Compartilhar o Desafio do
viu nos jovens que eles Que Une Gerações”, A Liahona, maio Templo”
poderiam usar para ajudar de 2010, p. 91
outras pessoas a apren-
der a fazer o trabalho de
história da família? Quais
evidências você viu que
Fazer associações
o Senhor preparou para Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
eles, para esse importante as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
trabalho? Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
podem ajudá-­lo:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

171
• Convide os jovens a compartilhar Bednar: “Seus dedos foram treinados
experiências que tiveram ao apli- para digitar textos e tweetar, a fim de
car algo que aprenderam na lição acelerar e impulsionar o trabalho do
anterior. Senhor — não apenas para se comu-
nicarem rapidamente com os amigos”
• Convide os jovens a compartilhar
(“O Coração dos Filhos Voltar-­se-­á”,
experiências nas quais eles ajuda-
A Liahona, novembro de 2011, p. 26).
ram alguém a aprender como usar
Pergunte aos jovens quais são algu-
a tecnologia (como um computador,
mas maneiras em que eles podem
um telefone celular ou um dispo-
usar sua familiaridade com a tecnolo-
sitivo semelhante). Compartilhe a
gia para ajudar outras pessoas a reali-
declaração a seguir do Élder David A.
zar o trabalho de história da família?

Aprender juntos
Dica de ensino Cada atividade abaixo ajudará os jovens a aprender como ajudar outras pessoas a par-
ticipar no trabalho de história da família. Seguindo a orientação do Espírito, selecione
“Não tenha medo do
uma ou mais das sugestões que melhor funcionem em sua classe:
silêncio. As pessoas muitas
vezes precisam de tempo • Mostre o vídeo “Compartilhar o e os convide a escolher algo dessa
para pensar nas perguntas, Desafio do Templo”. Peça aos jovens lista para fazer como classe.
responder a elas ou exter- que pensem em um amigo com quem
• Mostre ao jovens a lista de títulos
nar seus sentimentos. Você gostariam de compartilhar esse desa-
dos vídeos na seção “Servir” do site
pode fazer uma pausa fio. Como classe, façam uma lista das
Os Jovens e a História da Família.
depois de lançar uma maneiras de compartilhar o desafio.
Peça a eles que selecionem um vídeo
pergunta, após o relato de Você também pode convidar os jovens
que gostariam de ver para aprender
uma experiência espiritual, a escolherem uma atividade de histó-
a ajudar outras pessoas a fazer o tra-
ou quando uma pessoa ria da família que poderiam compar-
balho de história da família. Assista
estiver tendo dificuldade tilhar com sua família durante a noite
ao vídeo na sala de aula e peça aos
para expressar-­se” (Ensino, familiar. Ver FamilyHistoryFHE.lds.
jovens que pensem em pessoas que
Não Há Maior Chamado, org para mais ideias.
eles poderiam ajudar nas maneiras
2009, p. 67).
• Convide os jovens a ler a seção descritas no vídeo. Incentive-­os a
intitulada: “Um Convite para a Nova fazer planos para ajudar essas pessoas
Geração” no discurso do Élder David e debata os planos deles como classe.
A. Bednar, “O Coração dos Filhos
• Convide os jovens a imaginar
Voltar-­se-­á”. Peça a eles que encon-
que eles estão ajudando alguém que
trem partes do discurso em que o
nunca fez o trabalho de história da
Élder Bednar convida os jovens a
família. Divida o discurso do Élder
ajudar outras pessoas no trabalho de
Russell M. Nelson, “Um Elo de Amor
história da família. O que impres-
Que Une Gerações”, entre os jovens
sionou os jovens a respeito desses
e peça a eles que leiam cada qual sua
convites? Como classe, faça uma lista
seção do discurso, procurando coisas
das maneiras como os jovens podem
que eles poderiam compartilhar
atender aos convites do Élder Bednar
com a pessoa que estão ajudando a

172
aprender sobre o trabalho de história que relatem o que encontraram e pen- Ensinar à maneira
da família. Que escrituras poderiam sem em alguém que poderiam ajudar do Salvador
compartilhar? (Para exemplos, veja as a começar o trabalho de história da
Em todas as situações, o
escrituras listadas nesse esboço.) Peça família.
Salvador foi nosso exem-
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem o que plo e mentor. Ele ensinou
fazer para ajudar outras pessoas a realizar o trabalho de história da família? Quais são Seus discípulos a ensinar
os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria pelo modo que Ele os ensi-
útil passar mais tempo discutindo essa doutrina? nou. Como o seu exemplo
pode ajudar os jovens a
se preparar para ensinar
outras pessoas?
Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que aprende-
ram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas
quais você pode fazer o acompanhamento.

173
Recursos Selecionados

Trechos de David A. Bednar, “O Coração dos Filhos Vol- Não é coincidência que o FamilySearch e outras
tar-se-á”, A Liahona, novembro de 2011, p. 24 ferramentas tenham surgido numa época em que os
jovens estejam tão familiarizados com amplo leque
Agora peço a atenção dos rapazes, das moças e
de informações e tecnologias de comunicação. Seus
crianças da nova geração ao salientar a importân-
dedos foram treinados para digitar textos e tweetar,
cia do Espírito de Elias em nossa vida atual. Minha
a fim de acelerar e impulsionar o trabalho do Senhor
mensagem se dirige à Igreja inteira em geral — mas
— não apenas para se comunicarem rapidamente
particularmente a vocês.
com os amigos. As habilidades e aptidões que mui-
Muitos de vocês acham que o trabalho de história tos jovens têm hoje são uma preparação para que
da família é para ser realizado principalmente por contribuam neste trabalho de salvação.
pessoas mais velhas. Mas não sei de nenhum limite
Convido os jovens da Igreja a aprenderem a respeito
de idade determinado nas escrituras ou nas diretri-
do Espírito de Elias e a vivenciarem-no. Incentivo-os
zes anunciadas pelos líderes da Igreja que restrinja
a estudarem, a pesquisarem seus antepassados e a
esse importante serviço aos adultos. Vocês são filhos
prepararem-se para realizar batismos vicários na
e filhas de Deus, filhos do convênio e edificadores do
casa do Senhor por seus próprios parentes falecidos
reino. Não precisam esperar até atingir uma deter-
(ver D&C 124:28–36). E peço que ajudem outras
minada idade para cumprir sua responsabilidade de
pessoas a identificar a história da família delas.
ajudar no trabalho de salvação da família humana.
Ao atenderem com fé a este convite, seu coração
O Senhor providenciou-nos, em nossos dias, alguns
se voltará aos pais. As promessas feitas a Abraão,
recursos extraordinários que nos permitem apren-
Isaque e Jacó serão implantadas em seu coração. Sua
der e amar esse trabalho que é vivificado pelo
bênção patriarcal, com sua declaração de linhagem,
Espírito de Elias. O FamilySearch, por exemplo, é
vai ligá-los a esses pais e será mais significativa para
uma coletânea de registros, recursos e serviços, de
vocês. Seu amor e sua gratidão por seus antepassa-
fácil acesso por computadores pessoais ou vários
dos vão aumentar. Seu testemunho do Salvador e
dispositivos portáteis, que visa a ajudar as pessoas
sua conversão a Ele se tornarão mais profundos e
a descobrir e documentar sua história da família.
duradouros. E prometo-lhes que serão protegidos
Esses recursos também podem ser encontrados nos
da crescente influência do adversário. Ao partici-
centros de história da família localizados em muitos
parem desse trabalho sagrado e amarem-no, serão
de nossos edifícios da Igreja no mundo inteiro.
protegidos em sua juventude e por toda a vida.

174
AGOSTO: CASAMENTO E FAMÍLIA

Como posso explicar a


importância do casamento e da
família para outras pessoas?
A maioria de nós terá a oportunidade de compartilhar as verdades do evan-
gelho com outras pessoas. Devido aos muitos pontos de vista conflitantes a
respeito do casamento no mundo atual, é particularmente importante saber-
mos como explicar a importância do casamento e da família no plano do Pai
Celestial. Ao fazermos isso, devemos certificar-­nos de explicar nossas crenças
de modo breve e simples, com a orientação do Espírito, para que outras pes-
soas possam entender as verdades do evangelho.

Preparar-­se espiritualmente
Como você ajudou outras Use os recursos abaixo para entender mais sobre como explicar a importância do
pessoas a entender suas casamento e da família. Suas próprias experiências explicando a doutrina para outras
crenças sobre o casamento pessoas o ajudarão a ensiná-­la de modo mais eficaz. Pense em como as atividades neste
e a família? De que maneira esboço podem ajudar os jovens a aprender como ensinar.
você explicou conceitos
“A Família: Proclamação ao Mundo”, D. Todd Christofferson, “Por Que
como casamento eterno
A Liahona, novembro de 2010, última Casar, Por Que Ter uma Família”,
para amigos que não são
contracapa. A Liahona, maio de 2015, pp. 50–53
membros da Igreja?
Neil L. Andersen, “Redemoinhos “Casamento”, Sempre Fiéis, 2004,
Quais experiências e ideias
Espirituais”, A Liahona, maio de 2014, pp. 34–37
estão influenciando a
pp. 18–21
percepção dos jovens sobre “Casamento Eterno” e “Templos e
o casamento e a família? História da Família”, Pregar Meu
Como você pode prepará-­ Evangelho, 2004, pp. 86–88
los para explicar as verda-
des relativas ao casamento
e à família para outras
pessoas?
Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
podem ajudá-­lo:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

175
• Convide os jovens a compartilhar explicarem como o fato de ouvir um
como um membro da família exem- idioma que eles não conhecem pode
plificou um princípio do evangelho ser como ouvir os membros da Igreja
para eles. explicando as verdades do evangelho
para outras pessoas, usando palavras
• Convide alguém que fale outro
com as quais não estão familiarizados,
idioma (se possível, um membro
como casamento eterno, selamento ou
da classe) para vir à classe e falar
reino celestial.
naquele idioma. Convide os jovens a

Aprender juntos
Dica de ensino Cada atividade abaixo vai ajudar os jovens a aprender como explicar a outras pessoas
a importância do casamento e da família. Seguindo a orientação do Espírito, selecione
“As discussões em peque-
uma ou mais que serão mais adequadas para sua classe:
nos grupos, por exemplo,
podem envolver ime- • Pergunte aos jovens se já lhes foi de escrituras utilizadas nas seções
diatamente os alunos pedido que explicassem a opinião “Casamento” e “Família” de Sempre
que estejam perdendo o da Igreja a respeito do casamento Fiéis e em “A Família: Proclamação
interesse ou a concentra- entre pessoas do mesmo sexo. Como ao Mundo”). Incentive os jovens a
ção” (Ensino, Não Há Maior eles responderam? Convide-­os a ler preparar uma resposta de um minuto
Chamado, 2009, p. 72). parágrafos selecionados do discurso para as perguntas que escolherem,
do Élder D. Todd Christofferson “Por evitando palavras ou frases que sejam
Que Casar, Por Que Ter uma Família” difíceis de ser entendidas por outras
ou partes do discurso do Élder Neil L. pessoas, como casamento celestial ou
Andersen “Redemoinhos Espirituais”. selamento. Dê-­lhes tempo para com-
O que os jovens aprenderam sobre a partilhar suas respostas.
importância do casamento entre um
• Peça aos jovens que escrevam
homem e uma mulher? Incentive os
uma notícia sobre a importância do
jovens a planejar ou encenar o que
casamento e da família. A notícia
eles vão dizer na próxima vez que
pode ser uma pequena matéria que
tiverem a oportunidade de expressar
pode aparecer no jornal da escola ou
as suas crenças sobre o casamento.
ser escrita em um blog. Convide os
• Convide os jovens a pensar e fazer jovens a compartilhar com a classe o
no quadro uma lista de perguntas que prepararam.
que outras pessoas, que não são da
• Com toda a classe, leia “Família”
nossa religião, possam ter sobre o
em Para o Vigor da Juventude. Convide
casamento e a família. Alguns exem-
os jovens a preparar-­se para ensinar
plos de perguntas são: “Por que devo
às crianças da Primária algumas das
me casar e ter filhos?” ou “Por que o
doutrinas que aprenderam sobre as
casamento deve ser entre um homem
famílias. Por exemplo, eles podem
e uma mulher?” Peça aos jovens que
ensinar as crianças usando a per-
selecionem algumas das perguntas
gunta: “Por que a família é impor-
da lista e encontrem as respostas
tante?” Convide-­os a criar um esboço
nas escrituras (veja as referências

176
que os ajude a explicar o conceito de eles explicam as doutrinas do casa- Ensinar à maneira
modo simples e breve. Com a per- mento e da família para as pessoas. do Salvador
missão do bispo e da presidência da Divida a classe em dois grupos e
Jesus convidou aqueles a
Primária, organize para que os jovens peça a um grupo que se prepare para
quem Ele ensinou a agir
ensinem as lições que prepararam. ensinar sobre o casamento eterno e
com fé e viver as ver-
Depois de terem tido a oportunidade o outro grupo, sobre os templos e a
dades que Ele ensinou.
de ensinar, peça que falem sobre história da família, usando os recur-
Sempre que ensinava,
como ensinaram esse princípio do sos sugeridos neste esboço (ou outros
concentrava-­se em ajudar
evangelho. recursos que desejarem). Depois de os
Seus seguidores a viver
jovens terem preparado explicações
• Com a permissão do bispo, convide o evangelho de todo o
simples e breves sobre seus tópicos,
os missionários de tempo integral coração. Como você pode
convide-­os a ensinar a doutrina que
para compartilhar com a classe como incentivar os jovens a agir
estudaram a alguém do outro grupo.
com fé naquilo que estão
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles sabem explicar a impor- aprendendo?
tância do casamento e da família para outras pessoas? Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo
debatendo esse assunto?

Convidar a agir
Pergunte aos jovens o que eles se sentem inspirados a fazer por causa do que aprende-
ram hoje. Incentive-­os a agir de acordo com esses sentimentos. Pense em maneiras pelas
quais você pode fazer o acompanhamento.

177
Recursos Selecionados

Trechos de “Casamento no Templo” O conceito de famílias eternas tem origem nas


(saladeimprensamormon.org.br/ artigo) escrituras e na revelação moderna. Por exemplo, a
referência do Novo Testamento em Mateus 16:19
Os membros da Igreja acreditam que os casamentos
registra Jesus Cristo dizendo ao Apóstolo Pedro: “E
realizados nos templos são “selados”, ou abençoados
eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que
para durar eternamente. O conceito de que a uni-
ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que
dade familiar pode continuar além desta vida como
desligares na terra será desligado nos céus”. A Igreja
uma entidade consciente e amorosa, com a parceria
equipara a palavra “ligar” a “selar”.
do casamento e as relações entre pais e filhos intac-
tas é uma crença básica dos membros de A Igreja de De acordo com uma pesquisa citada em um artigo
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. do Los Angeles Times, em 2000, “nesta era de divór-
cio, os casamentos nos templos mórmons são feitos
Assim que um homem e uma mulher se casam e são
para durar”, com uma taxa de divórcio de apenas
selados no templo, todos os filhos que tiverem serão
6%. Outro estudo, publicado em 1993 na Demo-
automaticamente selados a eles no nascimento. Se os
graphy Magazine, concluiu que membros de A Igreja
filhos tiverem nascido antes do selamento do casal,
de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que se
eles podem mais tarde participar do selamento a
casam nos templos da Igreja são provavelmente os
seus pais no templo. Os filhos adotivos também têm
que menos se divorciam entre todos os americanos.
a oportunidade de ser selados a seus pais adotivos.

178
AGOSTO: CASAMENTO E FAMÍLIA

Que oportunidades existem para


o aprendizado e o ensino no lar?
O lar é o lugar ideal para se aprender, ensinar e aplicar os princípios do evan-
gelho. Os profetas modernos exortam as famílias a darem o máximo de prio-
ridade à oração familiar, à noite familiar, ao estudo e ensino do evangelho e a
atividades familiares salutares.

Preparar-­se espiritualmente
Quais experiências você Use os recursos abaixo para preparar os jovens para ensinar e aprender as verdades
teve ao aprender e ensinar do evangelho no lar. Suas próprias experiências vão ajudá-­lo a ensinar os jovens com
o evangelho em seu lar? O eficiência. Avalie como as atividades neste esboço podem ajudá-­lo a planejar maneiras
que você poderia compar- de incentivar os jovens.
tilhar com os jovens?
Mosias 4:14–15; D&C 68:25–28 (Os Filhos”, A Liahona novembro de 2014,
Como você pode inspirar pais têm a responsabilidade de ensi- pp. 32–34
os jovens a incentivar o nar o evangelho aos filhos)
“Noite Familiar”, Sempre Fiéis, 2004,
aprendizado do evan-
M. Russell Ballard, “Conselhos de pp. 115–117
gelho no lar? Que bên-
Família”, A Liahona, maio de 2016,
çãos prometidas podem “Oração Familiar”, Sempre Fiéis, p. 124
pp. 63–65
inspirá-­los?
“A Importância do Estudo Diário das
Quentin L. Cook, “O Senhor É
Escrituras”, Sempre Fiéis, pp. 67–68
Minha Luz”, A Liahona, maio de
2015, pp. 62–66 “O Lar e a Igreja”, Manual 2: Adminis-
tração da Igreja, 2010, 1.4
Tad R. Callister, “Pais: Os Melhores
Professores do Evangelho de Seus Vídeo: “Programa Divinamente
Inspirado”

Fazer associações
Durante os primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre
as coisas que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal,
Seminário, outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode
ajudá-­los a ver a importância do evangelho em seu cotidiano? As sugestões a seguir
podem ajudá-­lo:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

179
• Convide os jovens a compartilhar responsabilidades no quadro e convide
como aplicaram o que aprenderam os jovens a procurarem por responsabi-
na aula da semana passada durante a lidades adicionais em Mosias 4:14–15 e
semana. Doutrina e Convênios 68:25–28. Quais
oportunidades os pais têm de cumprir
• Peça que imaginem que são pais.
com as responsabilidades descritas nes-
Quais responsabilidades eles têm
ses versículos? O que os jovens podem
para com os filhos deles? Peça a
fazer para ajudar?
um membro da classe que liste as

Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada atividade abaixo vai ajudar os jovens a se preparar e a buscar oportunidades para
do evangelho aprender e ensinar o evangelho no lar. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma
ou mais das que serão mais adequadas em sua classe:
Estudar as escrituras não
acontece naturalmente • Convide os alunos a ler o discurso Filhos”, A Liahona novembro de 2014,
para a maioria das pes- do Élder M. Russell Ballard, “Conse- pp. 32–34). Compartilhe suas próprias
soas, assim como tocar lhos de Família”, procurando e assina- histórias e convide os jovens a com-
piano ou fazer pinturas. lando conselhos que se aplicam a eles partilhar as lições que aprenderam
Aprender a estudar as como filhos em uma família. Convide com os pais. Por que os pais são consi-
escrituras de modo eficaz os jovens a compartilhar o que se derados “os melhores professores do
geralmente requer o destacou para eles ao lerem. Qual foi o evangelho” dos filhos?
desenvolvimento de habi- conselho dado pelo Élder Ballard em
lidades. As habilidades • Mostre o vídeo “Um Programa
relação à tecnologia? Como os jovens
de estudo do evangelho Divinamente Inspirado”, e peça aos
podem apoiar os pais e irmãos nos
descritas neste esboço de jovens que procurem de quais perigos
conselhos de família? Você pode con-
aprendizado podem aju- do mundo eles podem ser protegidos e
vidar os jovens a encenar um conselho
dar os jovens a se tornar como indivíduos e famílias podem ser
de família para exemplificar como são
mais diligentes no estudo fortalecidos ao estudarem o evangelho
esses conselhos.
do evangelho. Aponte juntos. Convide os jovens a ler “Noite
essas habilidades para os • Convide os jovens a ler a seção Familiar” em Sempre Fiéis e a preparar
jovens e os incentive a usá-­ intitulada “A Hora Certa em Casa” um esboço simples para uma lição de
las ao estudarem o evange- no discurso “O Senhor É Minha noite familiar sobre um tópico à esco-
lho por si mesmos. Luz”, do Élder Quentin L. Cook. lha deles. Convide os jovens a ensi-
O que os jovens aprendem com o narem uns aos outros, em uma aula
exemplo de Vaughn Kimball e sua futura, as lições que vão preparar.
família na história? O que os jovens
• Com toda a classe, leia o sétimo
aprenderam com seus pais? Como
parágrafo de “A Família: Proclama-
vão aprender e ensinar no lar deles?
ção ao Mundo”. Convide os jovens
• Convide os jovens a ler as histórias a fazerem no quadro uma lista dos
que o irmão Tad R. Callister conta princípios sobre os quais as famílias
sobre as lições que ele aprendeu com de sucesso são alicerçadas. Peça aos
os pais dele (ver “Pais: Os Melhores jovens que falem sobre algumas ati-
Professores do Evangelho de Seus vidades recreativas de que gostam de

180
participar com a família. Convide-­os para incentivar a família a participar Ensinar à maneira
a contar quais verdades ou princípios da oração e do estudo das escrituras do Salvador
do evangelho aprenderam ao partici- em família. Debata as bênçãos que
Jesus convidou aqueles a
par dessas atividades. Por exemplo, as famílias recebem por meio des-
quem Ele ensinou a agir
preparar uma refeição juntos pode sas atividades. Os jovens podem ler
com fé e viver as verdades
ensinar serviço e amor, ou praticar um “Oração Familiar” e “A Importância
que Ele ensinou. Como
esporte juntos pode ensinar paciência do Estudo Diário das Escrituras” em
você pode inspirar os
e perseverança. Incentive os jovens Sempre Fiéis para sugestões. Encene
jovens a desejarem parti-
a planejar uma atividade recreativa como um jovem pode falar com o pai
cipar do aprendizado do
para a família deles e debata com eles ou a mãe e incentivar a oração e o
evangelho com suas famí-
como essas atividades se relacionam estudo familiar regular. Convide os
lias agora e no futuro?
com o evangelho. jovens a contar quaisquer experiên-
cias que tiveram com a oração e com o
• Peça aos jovens que pensem em
estudo das escrituras em família.
ideias que as pessoas possam usar

Convide os jovens a contar o que aprenderam hoje. Eles entendem como se preparar e
buscar oportunidades para aprender e ensinar no lar? Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo
debatendo esse assunto?

Convidar a agir
Convide os membros da classe a procurarem as bênçãos que vêm quando participam do
aprendizado do evangelho com seus familiares por meio da oração, do estudo das escri-
turas, da noite familiar ou de atividades recreativas.

181
Recursos Selecionados

Trecho do discurso do irmão Tad R. Callister, “Pais: Os sucesso, cujas casas ela limpava, tinham bibliotecas
Melhores Professores do Evangelho de Seus Filhos”, A — elas liam. Depois do trabalho, ela foi para casa e
Liahona novembro de 2014, p. 32 desligou a televisão que Ben e seu irmão estavam
vendo. Basicamente, ela disse o seguinte: Meninos,
Ben Carson disse sobre si mesmo: “Eu fui o pior
vocês estão assistindo à televisão demais. Daqui por
aluno da minha classe na quinta série”. Um dia, Ben
diante, vão assistir a três programas por semana. No
fez uma prova de matemática com 30 problemas.
tempo livre, vão para a biblioteca, vão ler dois livros
O aluno sentado atrás dele corrigiu sua prova e a
por semana e me trazer um relatório.
devolveu. A professora, a Sra. Williamson, começou
a chamar o nome de cada aluno para saber quanto Os meninos ficaram chocados. Ben disse que
tinha acertado. Por fim, chamou o Ben. Todo cons- nunca tinha lido um livro em toda a sua vida,
trangido, ele murmurou a resposta. A Sra. William- exceto quando exigido pela escola. Eles protesta-
son, achando que ele tinha dito “9”, respondeu que ram, reclamaram, brigaram, mas em vão. Depois,
para ele, ter acertado 9 de 30, era um progresso e Ben refletiu: “Ela instituiu a lei. Não gostei da
tanto. O aluno sentado atrás dele gritou: “Nove, regra, mas sua determinação de ver nosso pro-
não! (…) Ele não acertou nenhum”. Ben disse que gresso mudou o curso da minha vida”.
queria que o chão se abrisse.
E que mudança! Na sétima série, ele era um dos pri-
Ao mesmo tempo, sua mãe, Sonya, enfrentava seus meiros da classe. Depois, entrou para a Universidade
próprios obstáculos. Ela vinha de uma família de 24 de Yale com uma bolsa de estudos; em seguida, estu-
filhos, tinha só o terceiro ano primário e não sabia dou na Escola de Medicina Johns Hopkins; e lá, aos 33
ler. Casou-­se aos 13 anos de idade, divorciou-­se, teve anos, tornou-­se diretor da neurocirurgia pediátrica e
dois filhos e estava criando os meninos num bairro um cirurgião renomado. Como isso foi possível? Prin-
pobre de Detroit. Apesar disso, ela era muito auto- cipalmente porque uma mulher que não teve muitas
confiante e tinha uma crença firme de que Deus a das oportunidades que a vida oferece magnificou seu
ajudaria, bem como aos filhos se fizessem sua parte. chamado de mãe (ver Ben Carson, Gifted Hands: The
Ben Carson Story, 1990).
Um dia, aconteceu algo que mudaria sua vida e
a deles. De repente, ela percebeu que pessoas de

182
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Setembro: Os Mandamentos

“Considerásseis o estado abençoado e feliz daqueles que guardam os mandamentos de Deus”


(Mosias 2:41).

Os esboços nesta unidade ajudarão os jovens a compreender como a obediência aos


mandamentos do Pai Celestial afeta sua felicidade nesta vida e seu progresso rumo
à vida eterna no mundo vindouro. Nesta unidade, os jovens também aprenderão a
incentivar as pessoas a entender os mandamentos e obedecer a eles.

Opções de esboços para este mês:


Como os mandamentos me ajudam a aprender a ser mais semelhantes ao Pai Celestial?
Como posso ajudar outras pessoas a compreenderem meus padrões?
Como o cumprimento dos mandamentos afeta minha capacidade de aprender o evangelho?
Como posso inspirar outras pessoas a obedecerem aos mandamentos?
Que bênçãos o Pai Celestial promete se eu obedecer aos mandamentos?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

183
SETEMBRO: OS MANDAMENTOS

Como os mandamentos me
ajudam a aprender a ser mais
semelhante ao Pai Celestial?
Os mandamentos são instruções de um amoroso Pai Celestial para ajudar-­nos
a nos tornar mais semelhantes a Ele. Por meio dos mandamentos, o Pai Celes-
tial nos ensina Sua vontade e nos mostra como amar uns aos outros e vencer
o homem natural. A obediência aos mandamentos prepara-­nos para voltar
à presença de Deus e alcançar a vida eterna. Quando compreendemos isso,
vemos os mandamentos como uma bênção e não como um fardo.

Preparar-­se espiritualmente
Como sua compreensão Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que vai ajudar os
dos mandamentos cres- jovens a entender os propósitos dos mandamentos de Deus?
ceu ao longo de sua vida?
Deuteronômio 10:12–13; D&C 82:8–10 D&C 93:20 (Se guardarmos os man-
Que mudanças você já
(Os mandamentos ajudam-­nos a com- damentos, receberemos, por fim, a
reparou em si mesmo ao
preender a vontade de Deus para nós) plenitude de Deus)
se esforçar para viver os
mandamentos? Mateus 22:34–40 (Recebemos o man- Dieter F. Uchtdorf, “Não Te Esqueças
damento de amar) de Mim”, A Liahona, novembro de
Que desafios os jovens
2011, p. 120
enfrentam quando se esfor- João 14:15; I João 5:1–3 (Obedecemos
çam para guardar os man- aos mandamentos porque amamos a D. Todd Christofferson, “Eu Repreendo
damentos? Como eles serão Deus) e Castigo a Todos Quantos Amo”, A
abençoados por entender Liahona, maio de 2011, p. 97
os propósitos dos manda- D&C 88:22 (Para receber a glória
mentos de Deus? Como celestial, precisamos viver a lei “Obediência”, Sempre Fiéis, 2004,
eles podem aprender sobre celestial) pp. 117–118
o Pai Celestial ao estuda-
rem Seus mandamentos?
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudar:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

185
• Convide os jovens a procurarem em uma montanha, perto de um
um hino relacionado a algo que penhasco íngreme, com uma proteção
aprenderam recentemente (sugira que ao lado da estrada. Peça-­lhes que dis-
usem o índice de “Assunto”, na parte cutam com outro membro da classe
de trás do hinário). Peça-­lhes que as seguintes perguntas: De que modo
compartilhem uma linha do hino e os mandamentos do Senhor são como
expliquem como ele os ajuda a enten- a proteção? De que modo eles são
der um princípio do evangelho. como a estrada? Convide-­os a com-
partilharem suas ideias com a classe.
• Convide os jovens a imaginarem
que estão andando por uma estrada

Aprender juntos
Técnicas de estudo Cada uma das seguintes atividades vai ajudar os jovens a compreender como os manda-
do evangelho mentos ajudam a nos tornarmos mais semelhantes ao Pai Celestial. Seguindo a orienta-
ção do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua classe:
Cruzar referências. Na pri-
meira atividade nesta seção, • No quadro, escreva várias refe- ‘porquês’ do evangelho” do discurso
os jovens são convidados a rências das escrituras que ajudem a do Presidente Dieter F. Uchtdorf,
cruzar referências em suas explicar por que temos mandamen- “Não Te Esqueças de Mim”.
escrituras ou escrever nas tos (inclusive as deste esboço e de
margens de suas escritu- • Peça à metade da classe que leia
outros de que se lembre). Leiam as
ras as referências a outros o primeiro parágrafo do discurso do
escrituras em classe e discutam o que
versículos que ensinem Élder D. Todd Christofferson “Eu
o Pai Celestial deseja que aprenda-
princípios semelhantes. Repreendo e Castigo a Todos Quan-
mos com os mandamentos. Convide
Essa técnica de estudo do tos Amo” e peça à outra metade que
os jovens a marcar esses versículos
evangelho pode ajudá-­los leia o segundo parágrafo. Convide-­os
em suas escrituras e, nas margens,
a ver conexões entre várias a procurarem em seus parágrafos
escrever um resumo do que o versí-
passagens das escritu- respostas para a pergunta “Por que
culo lhes ensina. Mostre aos jovens
ras. Incentive os jovens a Deus nos deu mandamentos?” Debata
como relacionar os versículos em suas
fazerem isso em seu estudo o que eles encontrarem. Convide os
escrituras (ver Ensino, Não Há Maior
pessoal das escrituras para jovens a fazerem uma lista dos atribu-
Chamado, p. 58).
aprofundar sua compreen- tos que Deus tem. Em seguida, peça-­
são de outros tópicos do • Escreva no quadro “Por que Deus lhes que pensem nos mandamentos
evangelho. nos deu mandamentos?” Convide os que podem ajudá-­los a desenvolver
jovens a lerem Doutrina e Convênios esses atributos e a se tornarem mais
82:8–10 e compartilhe as possíveis semelhantes ao Pai Celestial.
respostas para as perguntas. Pergunte
• Peça aos alunos que escrevam no
aos jovens por que eles acham que é
quadro os Dez Mandamentos (ver
importante conhecer os propósitos
Êxodo 20:3–17) e outros manda-
por trás dos mandamentos do Pai
mentos de que consigam se lembrar.
Celestial. Como parte desse debate,
Convide os jovens a discutirem, em
compartilhe o parágrafo no início
duplas ou pequenos grupos, por que
deste esboço ou leia a seção intitu-
acham que o Pai Celestial nos deu
lada “Quarto: não se esqueçam dos

186
cada um desses mandamentos. Em mandamentos listados no quadro Ensinar à maneira
seguida, peça-­lhes para ler Mateus pode ajudar-­nos a desenvolver nosso do Salvador
22:34–40 e debata como cada um dos amor por Deus e pelo próximo.
Quando o Salvador con-
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como vidou Seus discípulos a
guardar os mandamentos nos ajuda a tornar-­nos mais semelhantes ao Pai Celestial? guardarem os manda-
Quais são os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma per- mentos, Ele fez isso com
gunta? Seria útil passar mais tempo discutindo essa doutrina? amor não fingido. De que
maneira você pode ensi-
nar os jovens, com amor,
a respeito de guardar os
Convidar a agir mandamentos?
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Como isso afeta a maneira
que pensam sobre os mandamentos de Deus? Como isso pode afetar sua atitude em
relação à obediência aos mandamentos? Como pode influenciar as escolhas que fazem?
Incentive-­os a escreverem seus pensamentos num diário.

187
Recursos Selecionados

Trechos de D. Todd Christofferson, “Eu Repreendo e determinou que nós, seus filhos espirituais, rece-
Castigo a Todos Quantos Amo”, A Liahona, maio de beríamos mandamentos pelos quais viveríamos
2011, p. 97 durante nossa vida mortal. Jeová, o filho primogê-
nito de Nosso Pai Celestial, disse: “Desceremos, pois
Nosso Pai Celestial é um Deus de grandes expec-
há espaço lá, (…) e faremos uma terra onde estes [os
tativas. Suas expectativas a nosso respeito foram
outros filhos espirituais de Deus] possam habitar,
expressas por Seu Filho, Jesus Cristo, com estas
palavras: “Quisera que fôsseis perfeitos, assim como E assim os provaremos para ver se farão todas as
eu ou como o vosso Pai que está nos céus é perfeito” coisas que o Senhor seu Deus lhes ordenar;
(3 Néfi 12:48). Ele Se propõe a tornar-nos santos,
E os que guardarem seu primeiro estado receberão
para que possamos “suportar uma glória celestial”
um acréscimo” (Abraão 3:24–26).
(D&C 88:22) e “habitar em Sua presença” (Moisés
6:57). Ele sabe o que é necessário e, por isso, a fim de Esses mandamentos são instruções de amor forneci-
tornar possível essa transformação, oferece-nos Seus das por Deus, nosso Pai, para nosso bem-estar físico
mandamentos e convênios, o dom do Espírito Santo e espiritual e felicidade enquanto estamos na mor-
e, o mais importante, a Expiação e a Ressurreição de talidade. Os mandamentos nos permitem conhecer
Seu Filho Amado. a mente e desejo de Deus sobre nosso progresso
eterno. E testam nosso desejo de ser obedientes à
Em tudo isso, o propósito de Deus é que nós, Seus
Sua vontade.
filhos, sintamos a alegria suprema, estejamos com
Ele eternamente e nos tornemos como Ele é. Há Os mandamentos não são um fardo ou uma res-
alguns anos, o Élder Dallin H. Oaks explicou: “O trição. Todo mandamento do Senhor é dado para
julgamento final não é apenas um balanço do total nosso desenvolvimento, progresso e crescimento. O
de atos bons e ruins, ou seja, do que fizemos. É a Profeta Joseph Smith ensinou: “Deus planejou nossa
constatação do efeito final de nossos atos e pensa- felicidade. (…) Ele nunca vai instituir uma orde-
mentos, ou seja, do que nos tornamos. Não basta nança ou dar um mandamento a Seu povo que não
fazer tudo mecanicamente. Os mandamentos, tenha sido planejado para promover a felicidade
ordenanças e convênios do evangelho não são uma que Ele programou” (Ensinamentos do Profeta Joseph
lista de depósitos que precisamos fazer numa conta Smith, sel. por Joseph Fielding Smith 1976, p. 250
bancária celestial. O evangelho de Jesus Cristo é um [tradução atualizada]).
plano que nos mostra como podemos tornar-nos o
que nosso Pai Celestial deseja que nos tornemos” Como eu amo os mandamentos do Senhor! Eles nos
(Dallin H. Oaks, “O Desafio de Tornar-se”, A Lia- guiam, protegem e permitem nosso retorno à pre-
hona, janeiro de 2001, p. 40). sença de nosso Pai Celestial. Obedecendo fielmente
os mandamentos, temos a promessa das bênçãos da
Trechos de Robert D. Hales, “Se Queres (…) Entrar na vida eterna. Vida eterna, “o maior de todos os dons
Vida, Guarda os Mandamentos”, A Liahona, julho de de Deus” (D&C 14:7), é ser exaltado e viver com o Pai
1996, p. 35 Celestial e Seu Filho Jesus Cristo em todas as eterni-
dades futuras. Ele nos ama e deseja o nosso retorno.
Alguns podem perguntar: “Por que o Senhor nos
dá mandamentos?” No conselho pré-mortal, Ele

188
SETEMBRO: OS MANDAMENTOS

Como posso ajudar as pessoas a


compreenderem meus padrões?
As pessoas com frequência nos perguntarão sobre nossos padrões. Podemos
estar preparados para responder suas perguntas e prestar testemunho das bên-
çãos que advêm de obedecer aos mandamentos de Deus. Dessa forma, pode-
mos ser uma luz para o mundo.

Preparar-­se espiritualmente
Quais perguntas outras Em espírito de oração, estude estas escrituras e estes recursos. O que ajudará os jovens
pessoas lhe fizeram sobre a entenderem como responder a perguntas sobre os padrões da Igreja?
seus padrões? Como as
Romanos 1:16; II Timóteo 1:7–8; 2 Néfi Thomas S. Monson, “A Preparação
ajudou a compreender por
8:7 (Não se envergonhe do evangelho Traz Bênçãos”, A Liahona, maio de
que você vive de acordo
de Jesus Cristo) 2010, p. 64.
com esses padrões?
I Timóteo 4:12 (Ser o exemplo dos fiéis) “Obediência,” Sempre Fiéis, 2004,
Que situações os jovens
pp. 117–118
enfrentam nas quais preci- 3 Néfi 11:29 (O espírito de discórdia é
sam explicar seus padrões do diabo) Responder a Perguntas sobre o
a outras pessoas? Por que Evangelho
isso às vezes pode ser difí- D&C 11:21; 84:85; 100:5–8 (O Senhor
cil para eles? O que você nos ajudará a saber o que dizer)
pode fazer para ajudá-­los
a prepararem-­se para essas
situações? Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudar:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

189
• Peça aos jovens que compartilhem membros da família lhes fizeram
uma experiência recente que reforçou sobre os padrões ou mandamentos do
algo que estão aprendendo sobre o Senhor. Como os jovens explicaram
evangelho. seus padrões? O que desejariam ter
feito diferentemente?
• Convide os jovens a fazerem uma
lista de perguntas que amigos ou

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a aprenderem a explicar seus
padrões para os outros. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas
“Sua principal preocupa-
que melhor funcionem em sua classe. Dê tempo aos jovens para praticarem como expli-
ção deve ser ajudar as
car seus padrões uns aos outros.
pessoas a aprenderem o
evangelho e não fazer uma • Traga para a aula vários exemplares selecionar um dessess padrões, ler o
apresentação de impacto. da A Liahona. Convide os jovens a pro- que o Presidente Monson diz a res-
Parte disso inclui dar aos curarem nessas revistas histórias que peito do padrão e compartilhar com
alunos a oportunidade de falem sobre pessoas que tiveram que a classe como o Presidente Monson
ensinar uns aos outros” defender ou explicar seus padrões explica aquele padrão e qualquer
(Ensino, Não Há Maior Cha- para os outros. Peça a eles que com- outra coisa que eles poderiam usar
mado, 2009, p. 64). partilhem o que aprenderam com para ajudar os outros a entender
essas histórias. (Durante a semana melhor esse padrão.
que antecede a aula, você poderá
• Peça a cada membro da classe que
pesquisar algumas edições das revis-
leia uma das escrituras deste esboço.
tas da Igreja e trazer exemplares que
Convide-­os a encontrarem palavras
tenham artigos que pareçam especial-
e frases que indiquem qual deve ser
mente relevantes para os jovens que
nossa atitude quando explicamos nos-
você ensina.) Eles têm alguma expe-
sos padrões aos outros. Certifique-­se
riência semelhante de sua própria
de que cada jovem tenha um exem-
vida que poderiam compartilhar? O
plar de Para o Vigor da Juventude. Peça-­
que eles aprendem com essas expe-
lhes que escolham um dos padrões
riências que pode ajudá-­los a explicar
no livreto, leiam sobre o assunto e
seus padrões para outras pessoas?
planejem o que devem dizer, caso um
• Entregue uma cópia do discurso: amigo lhes peça que façam algo que
“A Preparação Traz Bênçãos”, do viole esse padrão. Como os jovens
Presidente Monson. Peça aos alunos podem ajudar seus amigos a entender
que façam uma leitura rápida do dis- por que escolhem viver de acordo
curso, procurando padrões da Igreja com os padrões do Senhor?
(como modéstia, honestidade, Palavra
• Convide os jovens a ler o segundo
de Sabedoria), conforme explicados
parágrafo de “Obediência” em Sempre
pelo Profeta. Convide cada jovem a
Fiéis (páginas 117–118). Como eles

190
usariam as informações desse pará- poderiam compartilhar com seu Ensinar à maneira
grafo para responder a um amigo amigo ou sua amiga para ajudá-­los a do Salvador
que diz que os mandamentos são entender os propósitos dos manda-
O Salvador conhecia Seus
muito restritivos? Quais escrituras, mentos de Deus?
seguidores, seus interes-
exemplos ou experiências pessoais
ses, suas esperanças e
Depois de os jovens terem participado de uma ou mais dessas atividades, dê-­lhes tempo seus desejos. Como você
para praticarem como explicar seus padrões. Por exemplo, eles podem representar as pode conhecer os jovens a
situações que encontrarem ou podem escrever como ajudariam seus amigos a entender quem ensina? Como isso
por que escolhem viver os padrões do Senhor. afetará a maneira como os
ensinar?
Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles sabem como ajudar
outras pessoas a entender seus padrões? Quais são os sentimentos ou as impressões que
eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo discutindo
essa doutrina?

Convidar a agir
Convide os jovens a pensarem numa situação que enfrentarão, na qual terão a oportu-
nidade de explicar seus padrões a outras pessoas. Como suas experiências na lição de
hoje os ajudarão a fazer isso com eficiência?

191
Recursos Selecionados

Trechos de Thomas S. Monson, “A Preparação Traz Bên- pensar e sua conduta, e vice-versa. Se vocês e seus
çãos”, A Liahona, maio de 2010, p. 64 amigos tiverem valores em comum, poderão forta-
lecer e incentivar uns aos outros. Tratem todos com
Comecem a preparar-se para casar no templo e tam-
bondade e dignidade. Muitos não membros vêm
bém para a missão. Sair com uma pessoa do sexo
para a Igreja por causa de amigos que os envolve-
oposto faz parte dessa preparação. Nas culturas em
ram nas atividades da Igreja. (…)
que isso é adequado, os jovens não devem fazê-lo
antes de ter 16 anos. Nem todos os adolescentes Quando vocês falam, as palavras que utilizam dizem
fazem isso ou querem fazê-lo. Quando começarem muito a respeito da imagem que desejam passar.
a sair com alguém do sexo oposto, saiam em grupo Usem uma linguagem que edifique e eleve as pessoas
ou com outro casal. Nunca deixem de apresentar a seu redor. Uma linguagem profana, vulgar ou rude
seu par a seus pais, para que eles conheçam a pessoa e piadas impróprias ou indecentes são ofensivas ao
com quem vão sair. Como isso é uma preparação Senhor. Jamais tomem em vão o nome de Deus ou de
para o casamento, “saiam apenas com aqueles que Jesus Cristo. O Senhor disse: “Não tomarás o nome
tenham altos padrões” (Para o Vigor da Juventude, do Senhor teu Deus em vão” (Êxodo 20:7).
livreto, 2001, pp. 24–25).
Nosso Pai Celestial nos aconselhou a procurar “qual-
Tomem o cuidado de ir a lugares em que haja um quer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável”
bom ambiente, onde não tenham que enfrentar (Regras de Fé 1:13). Tudo o que vocês leem, ouvem e
tentações. veem deixa uma impressão em vocês.

Um pai sábio disse ao filho: “Se você perceber que A pornografia é especialmente perigosa e viciante.
está num lugar em que não deveria estar, saia imedia- A curiosidade pela pornografia pode tornar-se um
tamente dali!” É um bom conselho para todos nós. hábito dominador, que leva a materiais ainda mais
indecentes e à transgressão sexual. Fujam da porno-
Os servos do Senhor sempre nos aconselharam
grafia a todo custo.
a vestir-nos adequadamente para mostrar nosso
respeito pelo Pai Celestial e por nós mesmos. A Não tenham receio de sair do cinema, de desligar
maneira como nos vestimos transmite mensagens a televisão ou de mudar a estação de rádio, se o
a nosso respeito para os outros e muitas vezes que estiver sendo apresentado não for condizente
influencia o modo de agir que nós e as outras pes- com os padrões do Pai Celestial. Em resumo, se não
soas adotamos. Vistam-se de modo a fazer aflorar o tiverem certeza de que determinado filme, livro ou
melhor que há em vocês e nas pessoas a seu redor. outro entretenimento seja apropriado, não vejam,
Não sejam extravagantes nas roupas nem na aparên- não leiam, não participem. (…)
cia; não façam tatuagens nem usem piercings.
As drogas pesadas, o uso indevido de medica-
Todos precisam de bons amigos. Seu círculo de mentos, as bebidas alcoólicas, o café, o chá preto
amizade vai influenciar enormemente seu modo de e o fumo destroem seu bem-estar físico, mental e

192
Recursos Selecionados

espiritual. Toda forma de bebida alcoólica é pre- inspirar e unir. No entanto, o ritmo, o compasso,
judicial ao espírito e ao corpo. O fumo escraviza, o volume e a letra da música podem embotar sua
enfraquece os pulmões e encurta a vida. sensibilidade espiritual. Vocês não podem permitir
que sua mente se encha de música impura.
A música pode ajudá-los a aproximarem-se do
Pai Celestial. Pode ser usada para educar, edificar,

193
SETEMBRO: OS MANDAMENTOS

Como o cumprimento
dos mandamentos afeta
minha capacidade de
aprender o evangelho?
Aprender o evangelho requer a inspiração do Espírito Santo. O Espírito Santo
pode iluminar nosso entendimento e prestar testemunho das verdades do
evangelho. Para sermos dignos de Sua influência, precisamos ser obedientes
aos mandamentos. Quando obedecemos aos princípios que aprendemos, nos
preparamos para receber verdades adicionais do Senhor.

Preparar-­se espiritualmente
Como o cumprimento dos Estude em espírito de oração estas escrituras e estes recursos. O que ajudará os jovens a
mandamentos ajudou você compreender como o cumprimento dos mandamentos afeta sua capacidade de aprender
como aluno do evangelho? o evangelho?
Que experiências você
Daniel 1 (Daniel e seus companhei- D&C 76:5–10 (O Senhor honra aqueles
teve com a obediência que
ros são abençoados com sabedoria e que O servem)
poderia compartilhar com
entendimento em virtude de sua obe-
os jovens em sua classe? Thomas S. Monson, “A Obediência
diência); ver também o vídeo “Deus
Traz Bênçãos”, A Liahona, maio de 2013
Como você pode ajudar Lhes Deu Conhecimento”
os jovens a reconhecer a Henry B. Eyring, “Um Testemunho
João 7:17 (Se fizermos a vontade de
relação entre obediência e Vivo”, A Liahona, maio de 2011, p. 125
Deus, conheceremos a doutrina)
a inspiração do Espírito?
Richard G. Scott, “Como Obter Reve-
2 Néfi 28:30; D&C 42:61; 50:24 (Se der-
lação e Inspiração para a Vida Pes-
mos ouvidos ao Senhor, receberemos
soal”, A Liahona, maio de 2012, p. 45
mais luz e conhecimento)

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo:

Veja o apêndice para • Pergunte aos jovens se têm per- aulas. Convide-­os a compartilhar
encontrar outras ideias de guntas ou comentários sobre o que experiências pessoais ou impressões
ensino e aprendizado. estão aprendendo em suas outras

194
que receberam como resultado de seu alguns minutos para ponderar essa
aprendizado. pergunta e então peça a eles que com-
partilhem o que pensaram. Incentive-­os
• Escreva no quadro: “Como a obe-
a continuar pensando a respeito dessa
diência afeta minha capacidade de
pergunta durante a lição.
aprender o evangelho?” Dê aos jovens

Aprender juntos
Cada uma das atividades abaixo vai ajudar os jovens a compreender como sua obe- Técnicas de estudo
diência aos mandamentos lhes afeta a capacidade de aprender o evangelho. Seguindo do evangelho
a orientação do Espírito, selecione uma ou mais delas que melhor funcionem em sua
Resumir. Na primeira
classe:
atividade nesta seção, os
• Forneça aos alunos uma cópia dos • Convide cada jovem a escolher jovens são convidados a
primeiros 11 parágrafos do discurso uma das seguintes passagens das escrever um resumo de
“A Obediência Traz Bênçãos”, do escrituras: João 7:17; 2 Néfi 28:30; uma história das escrituras
Presidente Thomas S. Monson, e D&C 50:24. Peça aos jovens que leiam que leram. Incentive os
convide-­os a escrever algumas frases suas passagens e ponderem o que jovens a fazer isso também
que resumem a mensagem princi- elas lhes ensinam sobre a obediência durante seu estudo pessoal
pal do Presidente Monson. Peça aos e o aprendizado do evangelho. Em das escrituras. Eles podem
alunos que compartilhem suas frases, seguida, convide-­os a encontrarem fazer anotações sobre suas
incentive-­os a dizer por que sentem alguém da classe que selecionou uma impressões, as doutrinas
que essa mensagem é importante para escritura diferente e a compartilharem ensinadas, os eventos que
os jovens hoje. uns com os outros o que aprenderam. aconteceram, os povos
envolvidos e assim por
• Em classe, leiam Daniel 1 ou • Dê aos jovens uma lanterna diante. Eles podem se per-
assistam ao vídeo “Deus Lhes Deu que não funciona e convide-­os a guntar: “O que o Senhor
Conhecimento”. Como Daniel e seus examiná-­la para descobrir por que ela está tentando enfatizar e
amigos demonstraram obediência? não acende. Compartilhe a seguinte por quê? Há alguma coisa
Como foram abençoados? Que situa- declaração do discurso do Élder nestes versículos que se
ções os jovens enfrentam que podem Richard G. Scott “Como Obter Revela- aplica a mim?”
assemelhar-­se à de Daniel? Convide ção e Inspiração para a Vida Pessoal”:
cada jovem a ler sobre outra pessoa “A pessoa deve estar sempre limpa
nas escrituras que foi abençoada mental e fisicamente e ter pureza de
com conhecimento e compreensão, intenção, para que o Senhor a inspire.
por causa de sua obediência (como Aquele que é obediente aos Seus
Néfi em 1 Néfi 4 ou Joseph Smith mandamentos tem a confiança do
em Joseph Smith—História 1:11–17). Senhor. Tal pessoa tem acesso a Sua
Peça-­lhes que escrevam um breve inspiração para saber o que fazer e,
resumo do que leram e ensinem ao se necessário, o poder de fazê-­lo. (…)
restante da classe a respeito de como Nossa obediência garante que, se for
a pessoa que escolheram foi aben- necessário, nos qualifiquemos a ter o
çoada com conhecimento devido à poder divino, para realizar um obje-
obediência. tivo inspirado” (página 47). Como a
lanterna estragada ilustra o princípio

195
Ensinar à maneira que o Élder Scott ensina nessa decla- parágrafo que começa “Portanto, uma
do Salvador ração? Convide os jovens a refletirem semente de fé já está plantada (…)”até
sobre o que devem fazer, para “ter a o parágrafo que começa “O senti-
O Salvador contava his-
confiança do Senhor” e receber reve- mento que tive da alegria deles veio
tórias e parábolas simples
lação Dele. Peça a alguns deles que (…)”. Como a obediência do Presi-
e dava exemplos da vida
compartilhem seus pensamentos. dente Eyring ajudou a fortalecer seu
real que faziam sentido
testemunho? Que coisas específicas
para Seus discípulos. Que • Convide os jovens a lerem parte
os jovens podem fazer para seguir o
histórias das escrituras, da do discurso do Presidente Henry B.
exemplo do Presidente Eyring?
história da Igreja ou de sua Eyring “Um Testemunho Vivo”, do
vida você poderia compar-
tilhar com os jovens para Peça aos jovens que compartilhem o que aprenderam hoje. Eles compreendem como
ilustrar como a obediência guardar os mandamentos afeta a capacidade que têm de aprender o evangelho? Quais
aos mandamentos pode são os sentimentos ou as impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta?
ajudá-­los a aumentar Seria útil passar mais tempo discutindo essa doutrina?
seu entendimento do
evangelho?
Convidar a agir
Peça a alguns dos jovens que façam um resumo do que aprenderam hoje sobre a relação
entre guardar os mandamentos e o aprendizado do evangelho. Convide-­os a ponderar o
que poderiam fazer ou parar de fazer para ajudá-­los a melhorar sua capacidade de serem
ensinados pelo Espírito Santo. Incentive-­os a escreverem seus pensamentos em seu
diário pessoal.

196
Recursos Selecionados

Trechos de Henry B. Eyring, “Um Testemunho Vivo”, A a vida eterna. Mas em meio aos desafios desta vida,
Liahona, maio de 2011, p. 125 tive apenas um vislumbre do que minha família
pode ser no céu. A partir dessas experiências de
Portanto, uma semente de fé já está plantada em seu
vida, meu testemunho da realidade do poder sela-
coração. Vocês podem até ter sentido parte do cresci-
dor exercido nos templos cresceu e foi fortalecido.
mento da semente no coração, conforme prometido
em Alma. Eu senti. Ao ver minhas duas filhas serem batizadas no tem-
plo em favor de seus antepassados, senti meu cora-
Mas, como uma planta em crescimento, ela precisa
ção se voltar a elas e aos antepassados cujos nomes
ser nutrida ou vai murchar. Orações fervorosas,
encontramos. A promessa de Elias de que os cora-
frequentes e sinceras são nutrientes vitais e neces-
ções se voltariam uns aos outros nas famílias foi-nos
sários. A obediência à verdade que receberam vai
concedida. (Ver Malaquias 4:5–6; Joseph Smith—
manter seu testemunho vivo e fortalecê-lo. A obe-
História 1:38–39.) E assim, a fé para mim tornou-se
diência aos mandamentos faz parte da nutrição que
um conhecimento seguro, conforme prometido no
vocês precisam oferecer a seu testemunho.
livro de Alma.
Lembrem-se da promessa do Salvador: “Se alguém
Vivenciei ao menos parte da alegria que meus ante-
quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina
passados sentiram quando o Salvador foi ao mundo
conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim
espiritual após Seu ministério mortal. Eis a descri-
mesmo” (João 7:17).
ção que lemos em Doutrina e Convênios:
Isso aconteceu comigo, e vai acontecer com vocês.
“E os santos regozijaram-se em sua redenção e
Uma das doutrinas do evangelho que aprendi
dobraram os joelhos e reconheceram o Filho de
quando jovem é a de que a maior de todas as dádi-
Deus como seu Redentor e Libertador da morte e
vas de Deus é a vida eterna (ver D&C 14:7). Aprendi
das cadeias do inferno.
que parte da vida eterna é vivermos juntos com
amor e como família para sempre. Seus semblantes brilhavam e a resplandecência da
presença do Senhor repousou sobre eles e cantaram
Desde a primeira vez que ouvi essas verdades, e
louvores a seu santo nome” (D&C 138:23–24).
elas foram confirmadas em meu coração, senti-me
obrigado a fazer todas as escolhas que pudesse para O sentimento que tive da alegria deles veio a mim
evitar contendas e promover a paz em minha famí- ao colocar em prática meu testemunho de que a
lia e no meu lar. promessa de vida eterna do Senhor é real. Esse
testemunho foi fortalecido por minha decisão de
Agora, somente depois desta vida poderei desfrutar
colocá-lo em prática, como o Salvador prometeu
a plenitude dessa que é a maior de todas as bênçãos,
que aconteceria.

197
SETEMBRO: OS MANDAMENTOS

Como posso inspirar outras


pessoas a obedecerem
aos mandamentos?
Como santos dos últimos dias — e como professores do evangelho — devemos
ser exemplos de viver o evangelho. Nossos exemplos podem inspirar outras
pessoas a obedecerem aos mandamentos. O Salvador disse a Seus discípulos:
“Vós sois a luz do mundo” (Mateus 5:14). A paz e felicidade que sentimos ao
viver o evangelho aparecerão em nossas ações, em nossas palavras e no poder
de nosso testemunho.

Preparar-­se espiritualmente
Como você tem sido Estude estas escrituras e estes recursos em espírito de oração. O que vai ajudar os
influenciado pelo exem- jovens a compreender como o exemplo e o testemunho deles podem inspirar outras
plo de outras pessoas pessoas a obedecer aos mandamentos?
que foram obedientes aos
Mateus 5:14–16; I Timóteo 4:12; Alma L. Tom Perry, “O Perfeito Amor Lança
mandamentos? Como seus
17:11; 39:11 (A importância de ser um Fora o Temor”, A Liahona, novembro
esforços para viver os man-
bom exemplo) de 2011, p. 41
damentos ajudaram você a
tornar-­se um professor do Alma 4:19 (O poder do testemunho Ann M. Dibb, “Erguei-­vos e Brilhai”,
evangelho mais eficaz? puro) A Liahona, maio de 2012, p. 117

Que oportunidades os Thomas S. Monson, “Ser um Exemplo “Viver o Que Ensina”, Ensino, Não Há
jovens têm de ser um exem- e uma Luz”, A Liahona, novembro de Maior Chamado 2009, pp. 18–19
plo para outras pessoas? O 2015, p. 86
que você pode fazer para Vídeos: “Assim Resplandeça a Vossa
ajudá-­los a aproveitar essas Luz”
oportunidades, a fim de
inspirar as pessoas a obede-
cerem aos mandamentos? Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudar:

• Pergunte aos jovens sobre quais mandamentos estão sendo enfatiza-


mandamentos eles ouvem falar com dos? O que eles estão aprendendo?
Veja o apêndice para
frequência nas reuniões ou aulas da Que perguntas eles têm?
encontrar outras ideias de
Igreja. Por que eles acham que esses
ensino e aprendizado.

198
• Convide os jovens a pensarem sobre o que inspira as pessoas a vive-
sobre alguém (mas não compartilhar rem o evangelho. Como o exemplo,
a identidade) que conhecem e que as experiências e os testemunhos dos
gostariam de inspirar a obedecer aos jovens podem ajudá-­los a tocar o cora-
mandamentos. Na classe, converse ção das pessoas que eles amam?

Aprender juntos
Cada uma das atividades a seguir pode ajudar os jovens a entender como inspirar Dica de ensino
outras pessoas a obedecer aos mandamentos. Seguindo a orientação do Espírito, sele-
“Ouvir com sinceridade os
cione uma ou mais atividades que melhor se adaptem a sua classe:
comentários dos alunos.
• Peça aos jovens que leiam Mateus Chamado e leiam juntos a lista das Seu exemplo os motivará
5:16  e 1 Timóteo 4:12, as escrituras bênçãos que advêm aos professores a ouvir atenciosamente
que inspiraram o discurso do Presi- que se esforçam para ser obediente uns aos outros. Se você
dente Thomas S. Monson intitulado ao evangelho. Como essas bênçãos não entender o comentá-
“Ser um Exemplo e uma Luz”. O podem ajudar os jovens a serem mais rio de alguém, faça uma
que esses versículos ensinam sobre eficazes nas oportunidades de ensino pergunta do tipo: ‘Talvez
o poder do exemplo deles? Peça aos que eles listaram no quadro? eu não tenha compreen-
jovens que examinem o discurso do dido. Poderia explicar
• Compartilhe a seguinte declaração
Presidente Monson e encontrem um novamente?’ ou ‘Pode-
do discurso do Élder L. Tom Perry “O
atributo do qual ele pede que sejamos ria dar-­me um exemplo
Perfeito Amor Lança Fora o Temor”:
um exemplo. Peça a eles que relatem do que está dizendo?’ ”
“Nossa vida deve ser um exemplo de
uma ocasião em que alguém foi um (Ensino, Não Há Maior
bondade e virtude, ao procurarmos
exemplo dessa característica e deba- ­Chamado, 2009, p. 64).
imitar Seu exemplo diante do mundo.
tam o efeito que essa experiência teve
As boas obras de cada um de nós dão
sobre eles. O que os jovens podem
crédito tanto ao Salvador quanto a
fazer para ser melhores exemplos no
Sua Igreja. Ao empenhar-­nos em fazer
lar, ao acessar a Internet, na escola e
o bem, em ser homens e mulheres
em sua comunidade?
honrados e íntegros, a Luz de Cristo
• Peça a cada jovem que leia uma se refletirá em nossa vida”. Peça aos
escritura sobre exemplo nesse esboço jovens que compartilhem experiências
e depois escolha alguém da classe nas quais o bom exemplo de alguém
para ler um versículo diferente e com- os inspirou a viver o evangelho, ou
partilhar com os outros o que apren- mostre o vídeo “Assim Resplandeça
deu. Continue com essa atividade até a Vossa Luz”. Convide-­os a refletir
que os jovens tenham ouvido todas as sobre a influência que o exemplo
escrituras. Por que ser um exemplo é deles pode estar exercendo sobre
tão importante no ensino do evange- outras pessoas e incentive-­os a esta-
lho? Peça aos jovens que façam uma belecer metas pessoais de inspirar as
lista no quadro de algumas oportuni- pessoas a guardar os mandamentos
dades de ensino que eles têm — for- ao darem um bom exemplo.
mais e informais. Em seguida, abram
• Conte uma experiência pessoal
a página 19 de Ensino, Não Há Maior
sobre uma época em que você

199
Ensinar à maneira escolheu obedecer a um dos manda- Peça aos jovens que pensem em
do Salvador mentos de Deus. Enquanto faz isso, exemplos de testemunhos das escri-
siga as diretrizes de “Experiências turas (por exemplo, Mateus 16:13–19;
O Salvador convidava
Pessoais” na página 180 de Ensino, Mosias 3:17; Alma 5:45–48; 7:13; D&C
Seus discípulos a agir com
Não Há Maior Chamado. Debata essas 76:22–24). Leiam juntos e convide os
fé e a viver as verdades
diretrizes com os jovens e convide-­os jovens a dizer por que eles acham que
que Ele ensinava. Que
a seguir as diretrizes enquanto eles esses testemunhos são inspiradores.
oportunidades você pode
compartilham suas experiências (Observação: Essa atividade é uma
fornecer em seu ensino
pessoais sobre a obediência aos oportunidade de ensinar os jovens
para ajudar os jovens a
mandamentos. Pergunte aos jovens a prestarem testemunho enquanto
compreender que viver o
por que eles acham que as experiên- ensinam o evangelho a outras pes-
evangelho é uma forma
cias pessoais são uma forma eficiente soas. Para obter mais informações
poderosa de ensinar o
de ensinar outras pessoas sobre os sobre este tópico, veja “Ensinar com
evangelho?
mandamentos. o Testemunho” em Ensino, Não Há
Maior Chamado, pp. 43–44.)
• Convide a classe a resumir o
contexto de Alma 4:19 (se eles preci- • Convide os jovens a ler uma das
sarem de ajuda, sugira que leiam o histórias do discurso da irmã Ann.
cabeçalho do capítulo 4). Leiam juntos M. Dibb “Erguei-­vos e Brilhai” (as
o versículo 19 e pergunte aos jovens histórias de Sansão, Daniel, Joanna e
o que eles acham que a “força de um Karen). Peça-­lhes que debatam o que
grande testemunho” pode signifi- aprenderam sobre o poder do exem-
car e como isso poderia inspirar os plo para influenciar outras pessoas a
membros da Igreja a obedecerem aos obedecerem ou desobedecerem aos
mandamentos. Como os jovens foram mandamentos. Que experiências os
influenciados pelo testemunho de jovens tiveram em que influenciaram
outras pessoas (como dos pais, pro- alguém ou foram influenciados por
fessores, líderes ou de outros jovens)? outra pessoa a serem obedientes?

Peça aos jovens que contem o que aprenderam hoje. Eles entendem como inspirar outras
pessoas a obedecerem aos mandamentos? Quais são os sentimentos ou as impressões
que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Seria útil passar mais tempo debatendo
esse assunto?

Convidar a agir
Convide os jovens a pensar em algo que podem fazer para inspirar outra pessoa a saber
como obedecer aos mandamentos. Convide-­os a contar suas experiências na próxima
aula.

200
Recursos Selecionados

Trechos de Ann M. Dibb, “Erguei-vos e Brilhai”, A Lia- por sua obediência. Quando o rei Dario retirou
hona, maio de 2012, p. 117 Daniel da cova dos leões, no dia seguinte, pro-
mulgou um decreto de que todos deviam temer o
As escrituras fornecem muitos bons exemplos para
Deus de Daniel e seguir o exemplo de fidelidade
ilustrar esse conceito. No livro de Juízes, no Velho
de Daniel. Realmente, Daniel mostrou-nos o que
Testamento, aprendemos a respeito de Sansão. Ele
significa ser um estandarte para as nações e jamais
nasceu com grande potencial. Foi prometido à mãe
rebaixar nossos padrões ao enfrentar as tentações
dele: “Ele começará a livrar a Israel da mão dos
mundanas.
filisteus” (Juízes 13:5). Mas quando cresceu, Sansão
olhou mais para as tentações do mundo do que para Tive a bênção de ouvir muitos exemplos modernos
a orientação de Deus. Ele tomava uma decisão “por- de jovens, iguais a vocês, que não têm medo de
que ela [agradava] aos [seus] olhos” (Juízes 14:3), erguer-se e brilhar, permitindo que sua luz seja um
e não porque era o certo. Repetidas vezes, as escri- estandarte entre suas colegas. Joanna era uma das
turas usam a expressão “E desceu” (Juízes 14:7) ao três únicas pessoas membros da Igreja em sua escola
relatar as jornadas, ações e escolhas de Sansão. Em do Ensino Médio e a única moça de sua ala. Ela
vez de erguer-se e brilhar para cumprir seu grande comprometeu-se consigo mesma e com o Senhor de
potencial, Sansão se deixou vencer pelo mundo, per- que jamais diria palavrões. Em um projeto da escola,
deu o poder que recebera de Deus e teve uma morte ao fazer par com um rapaz que não tinha assumido
trágica e precoce. esse mesmo compromisso, ela não rebaixou seus
padrões. Pediu a ele que respeitasse e honrasse os
Por outro lado, as escrituras nos dão o exemplo de
valores dela. Com o tempo, e após muitos lembre-
Daniel. Ele também nasceu com grande potencial.
tes gentis e nem tão gentis, o amigo dela adquiriu
No livro de Daniel, capítulo seis, lemos: “Daniel
novos hábitos e passou a usar uma linguagem mais
sobrepujou a estes presidentes e príncipes; por-
limpa. Muitas pessoas notaram a diferença, inclu-
que nele havia um espírito excelente” (Daniel 6:3).
sive o pai do rapaz, que agradeceu a Joanna por ser
Quando enfrentou desafios mundanos, Daniel não
uma boa influência na vida do filho.
olhou para o mundo — ergueu-se e olhou para o
céu. Em vez de seguir o decreto mundano do rei de Em uma recente designação nas Filipinas, conheci
que ninguém devia orar a não ser para o rei por 30 Karen, que me contou o que lhe aconteceu quando
dias, Daniel “entrou em sua casa (ora havia no seu era uma Laurel e fazia um curso universitário de
quarto janelas abertas, do lado de Jerusalém), e três administração de hotéis e restaurantes. Um profes-
vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava sor exigiu que cada aluno aprendesse a preparar e
graças diante do seu Deus, como também antes que provasse várias bebidas que seriam servidas
costumava fazer” (Daniel 6:10). em seus restaurantes. Algumas bebidas eram alcoó-
licas e Karen sabia que se as provasse estaria que-
Daniel não teve medo de erguer-se e brilhar para
brando os mandamentos do Senhor. Desafiando
seguir os mandamentos de Deus. Embora passasse
sérias consequências, Karen teve a coragem de
uma noite desconfortável na cova dos leões por
erguer-se e brilhar, e não provou aquelas bebidas.
defender o que era certo, foi protegido e abençoado

201
SETEMBRO: OS MANDAMENTOS

Que bênçãos o Pai Celestial


promete se eu obedecer
aos mandamentos?
Quase todos os mandamentos que recebemos do Pai Celestial são acompanha-
dos por uma bênção prometida. A obediência aos mandamentos traz liberdade,
crescimento pessoal, proteção contra o perigo e muitas outras bênçãos tem-
porais e espirituais. Por fim, nossa obediência pode levar-­nos à vida eterna na
presença do Pai Celestial. Identificar essas bênçãos pode inspirar-­nos e a outras
pessoas a obedecer aos mandamentos.

Preparar-­se espiritualmente
Por que é importante iden- Quais escrituras e discursos ajudarão os jovens a aprender a identificar as bênçãos que
tificar as bênçãos prometi- Deus promete aos que são obedientes?
das — como um aprendiz
Isaías 58:6–11 (As bênçãos prometidas Jeffrey R. Holland, “Amanhã Fará
do evangelho e um profes-
pela obediência à lei do jejum) o Senhor Maravilhas no Meio de
sor do evangelho? Como o
Vós”, A Liahona, maio de 2016, p. 124
seu desejo de viver o evan- Jeremias 7:23–24; D&C 1:14–15;
gelho é influenciado pelas 58:29–33 (Consequências da Von G. Keetch, “Abençoados e Felizes
bênçãos que o Pai Celestial desobediência) São os Que Guardam os Mandamen-
lhe prometeu? tos de Deus”, A Liahona, novembro de
Malaquias 3:10–12 (As bênçãos pro-
2015, p. 115
Como os jovens serão metidas por pagar o dízimo)
abençoados ao apren- Robert D. Hales, “Se Me Amais, Guar-
derem a identificar as D&C 14:7; 82:10; 130:20–21 (As bên-
dai os Meus Mandamentos”, A Lia-
promessas de Deus nas çãos da obediência)
hona, maio de 2014
escrituras e nas palavras
D&C 20:77, 79 (As orações
dos profetas? “Obediência”, Sempre Fiéis, 2004,
sacramentais)
pp. 117–118
D & C 59:9–20 (As bênçãos prometi-
“Prometa-­Lhes Bênçãos”, Pregar Meu
das por santificar o Dia do Senhor)
Evangelho, 2004, p. 214
D&C 89:18–21 (As bênçãos prome-
tidas pela obediência à Palavra de
Sabedoria)

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

202
Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudar:

• Peça aos jovens que compartilhem para aqueles a quem ensinamos vai
quaisquer experiências que tiveram inspirar-­nos e a outras pessoas a guar-
durante a semana passada que os aju- dar os mandamentos. Demonstre aos
daram a compreender a importância jovens como identificar as bênçãos
de obedecer aos mandamentos. prometidas lendo na classe a “Men-
sagem da Primeira Presidência aos
• Ajude os jovens a compreender que
Jovens” em Para o Vigor da Juventude
os mandamentos nas escrituras e nas
(páginas ii–iii). Convide os jovens a
palavras dos profetas vivos são, com
levantarem a mão cada vez que ouvi-
frequência, acompanhados de bênçãos
rem uma bênção prometida. Por que
prometidas ou advertências; ser capaz
essas promessas são importantes para
de identificá-­las por nós mesmos e
os jovens?

Técnicas de estudo
do evangelho
Aprender juntos
Usar o Guia para Estudo
Cada uma das atividades abaixo ajudará os jovens a identificar as bênçãos da obe- das Escrituras. Na primeira
diência. Seguindo a orientação do Espírito, selecione uma ou mais das que serão mais atividade nesta seção, os
adequadas em sua classe: jovens são convidados a
usar o Guia para Estudo
• Convide os jovens a pensar em um discurso com um amigo ou postá-­los
das Escrituras para encon-
amigo que esteja com dificuldades de na mídia social. 
trar escrituras sobre um
sentir-­se “à altura”. Talvez esse amigo
• Mostre um dos vídeos sugeridos mandamento. Ajude os
sinta que os padrões do evangelho
neste esboço. Peça aos jovens que jovens a se familiarizar
parecem muito altos e que ele nunca
resumam em uma frase o que apren- com o Guia para Estudo
vai alcançar a perfeição. Que conselho
deram com o vídeo sobre as bênçãos das Escrituras para que
o Élder Holland dá em seu discurso
da obediência. Convide os jovens a se sintam à vontade para
“Amanhã Fará o Senhor Maravilhas
compartilhar sua frase com a classe usá-­lo no estudo pessoal.
no Meio de Vós” que eles poderiam
e a debater as partes do vídeo que os Mostre-­os como encontrar
compartilhar com esse amigo? Que
inspiraram a obedecer aos mandamen- um tópico na lista alfabé-
bênçãos o Élder Holland promete
tos. Convide-­os a pensar em alguém tica de verbetes e ver o que
àqueles que estão tentando dar seu
com quem poderiam compartilhar o está escrito em cada tópico
melhor para obedecer aos manda-
vídeo e façam uma meta de fazê-­lo.  para encontrar escrituras
mentos?  Convide os membros da
relevantes. Incentive-­os
classe a compartilhar o que encontra- • Peça a alguns alunos que dese-
a procurar e estudar as
ram uns com os outros. Eles também nhem no quadro uma barreira ou
referências para obter
podem compartilhar os conselhos do contenção que nos proteja de danos
um conhecimento mais
e peça aos outros membros da classe
completo.

203
Ensinar à maneira que descubram o que os desenhos fim de encontrar escrituras sobre um
do Salvador representam. De que maneira essas mandamento. Convide-­os a escrever
barreiras são como os mandamentos? no quadro os mandamentos sobre os
O Salvador foi um
Peça a um aluno que venha para a quais leram e as bênçãos prometidas
exemplo e um mentor
aula preparado para comentar uma que encontraram. Como ler a respeito
em todas as situações
história sobre a barreira na praia, dessas bênçãos os faz sentir com rela-
para as pessoas às quais
conforme mencionado pelo Élder Von ção aos mandamentos?
ensinou. Ensinou-­lhes a
G. Keetch em seu discurso “Abençoa-
orar, orando com elas. • Convide os jovens a selecionar
dos e Felizes São os Que Guardam os
Ensinou-­os a amar e a aleatoriamente um discurso recente
Mandamentos de Deus” (ou mostre a
servir pelo modo como da Conferência Geral (como aqueles
parte do discurso em que o Élder Kee-
os amou e serviu a eles. sugeridos neste esboço) ou uma seção
tch conta a história). Peça aos jovens
Como seu exemplo de de Para o Vigor da Juventude e a lê-­lo,
que trabalhem juntos em duplas para
amor e obediência aos a fim de encontrar as bênçãos que os
fazer outras comparações que possam
mandamentos de Deus servos do Senhor nos prometem, se
ajudá-­los a entender como os manda-
pode influenciar os jovens obedecermos aos mandamentos. Dê
mentos nos mantêm em segurança.
que você ensina? a cada jovem uma oportunidade de
De que maneira eles foram aben-
compartilhar o que ele ou ela encon-
çoados e protegidos por guardar os
trar. Incentive-­os a compartilhar
mandamentos?
experiências nas quais receberam uma
• De um lado do quadro-­negro, dessas bênçãos prometidas.
escreva “Mandamentos”, e do outro
• Em grupo, leiam “Prometa-­Lhes
lado, escreva “Bênçãos Prometidas”.
Bênçãos”, em Pregar Meu Evangelho
Convide os jovens a procurar luga-
(página 214). Peça aos jovens que
res nas escrituras em que o Senhor
pensem em um mandamento que
promete bênçãos para aqueles que
poderiam precisar ensinar a alguém
obedecem a Seus mandamentos. Por
e convide-­os a praticar com alguém
exemplo, eles poderiam pensar nas
da classe sobre esse mandamento,
escrituras sugeridas neste esboço. Ou,
seguindo as diretrizes de “Prometa-­
se necessário, mostre a eles como usar
Lhes Bênçãos”. Convide alguns jovens
o Guia para Estudo das Escrituras a
para falar sobre experiência deles.

Convide os jovens a dizer o que aprenderam hoje. Eles sabem como identificar as
bênçãos que o Pai Celestial promete aos obedientes? Quais são os sentimentos ou as
impressões que eles têm? Eles têm mais alguma pergunta? Valeria a pena despender
mais tempo nesse assunto?

Convidar a agir
Convide os jovens a procurar as bênçãos prometidas em seu estudo pessoal do evange-
lho. Incentive-­os a compartilhar em uma aula futura as coisas que aprenderem.

204
Recursos Selecionados

“Prometa-lhes Bênçãos”, Pregar Meu Evangelho, 2004, • Elas demonstram sua confiança em Deus ao
p. 214 obedecerem aos mandamentos.

As pessoas precisam de um motivo para mudarem • Como resultado disso, elas receberão as bênçãos
seus pensamentos e suas ações. As bênçãos prome- que Ele prometeu.
tidas frequentemente proporcionam uma vigorosa
Ao prestar testemunho de um mandamento, fale das
motivação para que as pessoas obedeçam a Deus.
bênçãos que recebeu por viver aquele mandamento.
Quando o Senhor nos dá um mandamento, frequen-
Prometa às pessoas que você estiver ensinando que
temente promete bênçãos pelo cumprimento daquele
elas poderão receber bênçãos semelhantes.
mandamento (ver D&C 130:20–21). Ao preparar as
pessoas para que obedeçam a um mandamento espe- À medida que as pessoas se esforçam para cumprir
cífico, ensine-lhes o seguinte: um compromisso, peça que falem das bênçãos que o
Pai Celestial lhes deu. Assegure-as de que mesmo que
• O cumprimento dos mandamentos demonstra
haja dificuldades em sua vida, continuarão recebendo
amor a Deus e a Seu Filho.
as bênçãos do Senhor se obedecerem à vontade Dele.

205
VISÃO GERAL DA UNIDADE

Outubro: Tornar-­se Mais


Semelhante a Cristo

“Disse-­lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida” (João 14:6).

Os esboços nesta unidade vão ajudar os jovens a compreender como aprender e ensi-
nar o evangelho, como o Salvador o fez. Os jovens se tornarão melhores aprendizes
do evangelho ao procurarem desenvolver atributos como os de Cristo como obediên-
cia e humildade. Eles se tornarão melhores professores ao aprenderem sobre como
Jesus Cristo ensinou as pessoas e buscarem imitar Seu exemplo.

Opções de esboços para este mês:


Como posso convidar as pessoas a se tornarem mais semelhantes ao Salvador?
Como posso demonstrar amor por meus alunos?
Como o Salvador comparou as verdades do evangelho com objetos e experiências familiares?
Como posso usar as escrituras para ajudar as pessoas a se tornarem mais semelhantes a Cristo?
Como posso usar perguntas com eficiência ao ensinar?
O que posso aprender com o exemplo do Salvador sobre o aprendizado do evangelho?

Visite o site LDS.org/youth/learn para ver esta unidade online.

207
OUTUBRO: TORNAR-SE MAIS SEMELHANTE A CRISTO

Como posso convidar as


pessoas a se tornarem mais
semelhantes ao Salvador?
Jesus Cristo convidou Seus discípulos a segui-­Lo, guardar Seus mandamentos
e tornarem-­se semelhantes a Ele. Como membros da Igreja, temos a respon-
sabilidade de seguir Seu exemplo e convidar as pessoas a aprender sobre Ele.
Podemos todos melhorar nossa capacidade de convidar as pessoas a virem a
Cristo e ser aperfeiçoadas Nele.

Preparar-­se espiritualmente
Que convites de outras pes- Estude estas escrituras e estes recursos em espírito de oração. O que vai ajudar os
soas o ajudaram a tornar-­se jovens a entender como convidar as pessoas a virem a Cristo?
mais semelhante a Cristo?
Marcos 10:17–22; Lucas 10:25–37; Henry B. Eyring, “Ergamos Nossa Voz
Como você convidou as
(exemplos de Jesus convidando as de Advertência”, A Liahona, janeiro de
pessoas a fazerem mudan-
pessoas a viver os princípios do 2009, p. 3
ças na vida que vão ajudá-­
evangelho)
las a tornarem-­se mais “Como Posso Ajudar as Pessoas a
semelhante ao Salvador? Mateus 11:28–30; Morôni 10:32 (convi- Assumirem e Cumprirem Compro-
tes para virem a Cristo) missos?” Pregar Meu Evangelho, 2004,
Quais oportunidades os
pp. 211–220
jovens têm de convidar as Bradley D. Foster, “Nunca É Cedo
pessoas a fazerem mudan- Demais e Nunca É Tarde Demais”, Vídeos: “Convidar Todos a Virem a
ças na vida? Como você A Liahona, novembro de 2015, p. 50 Cristo: Compartilhar o Evangelho”,
pode ajudar-­lhes a ganhar “Exemplos de Ministração”, “Mem-
a capacidade de fazer Henry B. Eyring, “Vinde a Cristo”,
bros e Missionários Trabalhando em
convites para as pessoas A Liahona, março de 2008, p. 49
União”
tornarem-­se mais seme-
lhantes a Cristo?

Fazer associações
Nos primeiros minutos de cada aula, ajude os jovens a fazer associações entre as coisas
que estão aprendendo em vários locais e em várias situações (estudo pessoal, Seminário,
outras aulas da Igreja ou experiências com os amigos). Como você pode ajudá-­los a ver
a importância do evangelho em seu cotidiano? As ideias a seguir podem ajudá-­lo:

Veja o apêndice para


encontrar outras ideias de
ensino e aprendizado.

209
• Peça aos jovens que contem uma • Peça aos jovens que leiam exemplos
experiência recente de quando foram nas escrituras em que o Salvador con-
convidados a viver um princípio do vidou as pessoas a viver um princípio
evangelho. Como esse convite os aju- do evangelho (para alguns exemplos,
dou a melhorar sua vida e a tornar-­se ver as escrituras neste esboço). O que
mais semelhantes ao Salvador? podemos aprender com o exemplo
do Salvador sobre convidar outras
pessoas a viverem o evangelho?

Aprender juntos
Dica de ensino Cada uma das atividades a seguir vai ajudar os jovens a entender como convidar as
pessoas a virem a Cristo e ganharem confiança ao fazê-­lo. Seguindo a orientação do
“Se quisermos influenciar
Espírito, selecione uma ou mais das que serão mais adequadas em sua classe:
os alunos para o bem,
devemos não apenas • Peça aos alunos que leiam a his- nessas situações? Como podem fazer
amar o ensino, mas a cada tória de Pablo e seu pai no discurso essas perguntas? Quando devem fazê-­
pessoa a quem ensinamos” do Élder Bradley D. Foster intitulado las? Considere a possibilidade de dis-
(Ensino, Não Há Maior Cha- “Nunca É Cedo Demais e Nunca É cutir outras seções do capítulo “Como
mado, 2009, p. 31). Tarde Demais”. Como o pai de Pablo Posso Ajudar as Pessoas a Assumirem
o ajudou a tornar-­se mais semelhante e Cumprirem Compromissos”? em
a Cristo? Como os jovens podem Pregar Meu Evangelho, páginas 211–220.
aplicar o que aprenderam com essa
• Convide os jovens a pensar em
história ao convidar outras pessoas
alguém que gostariam de convidar a
a se tornarem mais semelhantes a
viver um princípio do evangelho. Peça
Cristo? Por exemplo, convide os
a eles que leiam a seção intitulada “O
jovens a encenar como podem seguir
Amor Vem em Primeiro Lugar” do
o padrão que o pai de Pablo usou
artigo do Presidente Henry B. Eyring
para ajudar um amigo ou membro da
“Ergamos Nossa Voz de Advertência”
família a viver um princípio do evan-
ou assistir ao vídeo “Exemplos de
gelho com o qual esteja enfrentando
Ministração”. Peça a eles que escrevam
dificuldades. 
no quadro os princípios ensinados pelo
• Como classe, leiam a seção intitulada Presidente Eyring que vão ajudá-­los a
“Fazer Perguntas Diretas”, em Pregar fazer o convite para a pessoa em quem
Meu Evangelho, P. 213. Peça aos jovens estão pensando. Como eles fariam o
que pensem em situações em que eles convite? O que eles diriam?
poderiam usar perguntas para aju-
• Convide os jovens a ler as escritu-
dar um amigo ou membro da família
ras deste esboço que contêm convites
a fazer mudanças positivas na vida
para vir a Cristo. Quais bênçãos são
(alguns exemplos podem incluir ajudar
prometidas nessas escrituras aos
um amigo a vencer o hábito de dizer
que vêm a Cristo? Mostre um dos
palavrões ou incentivar um membro da
vídeos sugeridos no esboço e convide
família a ir à Igreja). Quais são algumas
os jovens a compartilhar como as
perguntas diretas que eles podem fazer
pessoas no vídeo foram abençoadas

210
por convites simples de seus amigos familiares? Como os amigos e familia- Ensinar à maneira
e familiares. Quais convites simples res deles serão abençoados ao aceitar do Salvador
eles podem fazer para seus amigos e o convite?
Quando Jesus Cristo
Peça aos jovens que relatem o que aprenderam hoje. Eles entenderam como podem con-