Você está na página 1de 6

Bilinguismo: Revisão de Teorias e Análise de Dados

Abril: 10, 17, 24 Início: 10 de abril de 2019


Maio: 08, 15, 22, 29 Término: 19 de junho de 2019
Junho: 05, 12, 19 Dia da semana: quarta-feira
Horário: das 18h30 às 21h30

Professor Tópico
10 Marcello Marcelino Aquisição de 1ª e 2ª línguas (L1 e L2)
17 Marcello Marcelino Aquisição de 1ª e 2ª línguas (L1 e L2)
24 Marcello Marcelino Considerações fonológicas e aquisição da escrita
Maio
08 Sandra Madureira Bilinguismo e características de fala
15 Terry Aranda CLIL e Educação Bilingue
22 Marcelo Rangel Origem e conceituação de bilinguismo
29 Marcelo Rangel Interlíngua e Bilinguismo

Junho
05 Antonieta Megale Educação Bilíngue: aportes teóricos
12 Antonieta Megale Educação Bilíngue na Educação Infantil
19 Antonieta Megale Biletramento
Bilinguismo: Revisão de Teorias e Análise de Dados

Verifique abaixo a programação do curso por professor:

Antonieta Megale
Educação bilíngue: aportes teóricos
Geral: Esta aula pretende problematizar os conceitos educação bilíngue e escola bilíngue a
partir das noções de heteroglossia e monoglossia. Além disso, discutirá as modalidades
organizativas de programas bilíngues, sua fundamentação e resultados.

Conceitos abordados: heteroglossia e monoglossia, programas bilíngues

Biletramento

Geral:O objetivo é discutir como ocorre o processo simultâneo ou consecutivo da


construção da escrita e leitura em duas ou mais línguas. Para tanto, abordaremos o conceito
de letramento e biletramento e discutiremos estratégias didáticas que auxiliam o aluno nesse
processo.

Conceitos abordados: letramento, biletramento, transferência, inferência, consciência


fonológica, whole language and phonics.

Bibliografia de Apoio
HORNBERGER, N.H. (1989) Continua of biliteracy. Review of Educational Research 59
(3), 271–296.
HORNBERGER, N.H. (1990) Creating successful learning contexts for bilingual literacy.
Teachers College Record 92 (2), 212–229.
HORNBERGER, N. H. (Ed.). (2003). Continua of biliteracy: An ecological framework for
educational policy, research and practice in multilingual settings. Clevedon, England:
Multilingual Matters.

GARCÍA, O. (2009). Bilingual Education in the 21st Century: a global perspective: Bilingual
Education for All. Estados Unidos: Blackwell Publishing.

TEBEROSKY, Ana & GALLART, Marta S. Contextos de alfabetização inicial. Ed.


Artmed, 2004.

KLEIMAN, Angela B. Preciso “ensinar” letramento? Ministério da Educação, Unicamp,


2005.
KLEIMAN, Angela B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova pespectiva sobre a
prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995.
Marcello Marcelino
Aquisição de 1ª e 2ª línguas (L1 e L2)
Geral: Para entendermos como se dá a aquisição de L2 (seja em adultos ou em crianças),
bem como uma caracterização do que é um bilíngue do ponto de vista da aquisição da
linguagem, é necessário se entender como uma criança desenvolve sua língua nativa (L1).
Após isso, podemos investigar o que é língua 2 e como ela se desenvolve: as semelhanças e
as diferenças.
Conceitos abordados: Aquisição de L1/L2, Teoria de Princípios e Parâmetros,
Interlíngua (menção do termo e reedição com base no gerativismo), cluster de propriedades
linguísticas,input e PLD (PrimaryLinguistic Data), período crítico (menção), o papel do input
linguístico no contexto bilíngue, tipos de bilinguismo (não em detalhes, como em Li Wei –
mas com base na aquisição apenas)
Phonics em aquisição da escrita
Geral: uma breve apresentação dos sons da língua inglesa e sua relação com o processo
inicial de aquisição da escrita por crianças em contexto de educação bilíngue.
Conceitos abordados: fonemas do inglês, relação entre grafema e fonema,
conscientização fonológica, phonics.

Bibliografia de Apoio
CHOMSKY, Noam. (1986) Knowledge of Language: its nature, origin and use. New York.
Praeger.
GROSJEAN, François. (1982) Life with Two Languages: an Introduction to Bilingualism. Harvard
University Press. Cambridge, Mass.
HERSCHENSOHN, Julia. (2000)The Second Time Around: Minimalism and L2 Acquisition.
Language Acquisition and Language Disorders 21. John Benjamins. Philadelphia.
MARCELINO, Marcello. (2009) Bilinguismo no Brasil: Significado e expectativas. Revista
Intercâmbio, volume XIX: 1-22.
MARCELINO, Marcello (2017). Aquisição de segunda língua e bilinguismo. Revista
Intercâmbio, v. XXXV: 38-67, São Paulo: LAEL/PUCSP. ISNN 2237-759X.
MARCELINO, Marcello (2017) The Compounding Parameter and L2 Acquisition. In: K,
Bellamy, M. Child, P. González, A. G. Muntendam, & M. C. Parafita Couto (eds.),
Multidisciplinary Approaches to Bilingualism in the Hispanic and Lusophone World. Amsterdam:
John Benjamins.
MARCELINO, Marcello (2018) Considerations on the role of input in L2 acquisition: ELT
and bilingual contexts. Revista Intercâmbio, v. XXXVII: 76-97, 2018. São Paulo:
LAEL/PUCSP. ISNN 2237-759X.
WHITE, Lydia. (2003)Second Language Acquisition and Universal Grammar. Cambridge, UK.

Marcelo Rangel
Origem e conceituação de bilinguismo /Interlíngua e bilínguismo
Geral: A abordagem dos tópicos sugeridos para essas aulas se justifica na medida em que
trata de conceitos centrais para as discussões sobre bilinguismo e o uso de uma segunda
língua. Sendo o bilinguismo uma área profícua para os estudos linguísticos, o objetivo geral
dessas aulas é apresentar uma introdução às análises de fenômenos observáveis no uso de
uma segunda língua, isoladamente ou de forma alternada (code-switching), discutir as
consequências da hipótese do período crítico para a aquisição de L2 (o conceito de
interlíngua, a hipótese do monitor, de Krashen) e diferenciar gramática prescritiva de
gramaticalidade.

Conceitos abordados:
• Tipos de bilinguismo
- Tipologia apresentada em Li Wei
- O bilíngue de infância e o bilíngue tardio
• A hipótese do período crítico
- Experimentos com pássaros
- Pidgins e línguas crioulas
• Gramática prescritiva vs. gramaticalidade
- Língua vs. dialeto
• A hipótese do monitor (Krashen, 1981)
• Interlíngua
• Code-switching
- Restrições extra-linguísticas e intralinguísticas
- The Matrix Language Frame
Bibliografia de apoio
KATO, Mary A. (1994) Metalinguistic Reflections on Code-switching. In L. Barbra and M.
Scott (eds) Reflections on Language Learning (122-137). Clevendon, UK: Multilingual
Matters.
LIGHTBOWN, Patsy M. & SPADA, Nina (2006) How Languages are Learned. 3ed.
Oxford: Oxford University Press. (Capítulos 1 e 2)
WEI, Li (2000) The Bilingualism Reader. London: Routledge. (Introdução, capítulos 1, 9, 10 e
13)

Sandra Madureira

A fala do bilíngue
Geral: Para entendermos como se dá a aquisição dos sons da fala em L2 é necessário se
considerar como se desenvolve a percepção e produção dos sons da fala. Conceitos
abordados: a cadeia da fala; os vínculos entre a percepção e a produção dos sons e a
relevância de se considerar o nível fonético acústico como o meio integrador entre esses
dois níveis; a aquisição dos sons por bilíngues; as características da fala do bilíngue;
o desenvolvimento da percepção dos sons em bebês bilíngues; a produção e a percepção
de sons em falantes bilíngues; o Speech Learning Model e o Perceptual AssimilationModel e suas
contribuições para o entendimento de como se dá a aquisição de sons por falantes
bilíngues.
Bibliografia de apoio

François Grosjean
Speech Discrimination in Bilingual Infants
Research findings on bilingual infants are fascinating
Posted Apr 16, 2012
Link: https://www.psychologytoday.com/blog/life-bilingual/201204/speech-
discrimination-in-bilingual-infants
Best, C.T.; Tyler, M.,D. (2007).Nonnative and second-language speech perception:
Commonalities and complementarities. In: M.J. Munro; O.-S. Bohn (eds.) (Second
language speech learning: The role of language experience in speech perception and
production, Amsterdam: John Benjamins.
Flege, J. E. 1995) Second Language Speech Learning: Theory, findings, and problems. In:
W. Strange (ed.). Speech perception and linguistic experience: Issues in cross-language
research, Timonium, MD York Press.
Flege, J. E. (2002). Interactions between the native and second-language
phonetic systems. In: P. Burmeister, T. Piske & A. Rhode (eds) . An integrated view of
Language Development: papers in honor of Henning Wood. Trier: Wissenschaftlicher Verlag, p.
217-244.
Kuhl, P. ;Conboy, B. T.; Coffey-Corina, S.; Padden, D. ; Rivera-Gaxiola, M. & Tobey, N.
(2008) Phonetic learning as a pathway to language: new data and native language magnet
theory expanded (NLM-e). Philosophical Transactions B, The Royal Society PublishingLond
B Biological Sciences, Mar 12; 363(1493): 979–1000. doi: 10.1098/rstb.2007.2154

Maria Teresa de la Torre Aranda


Explorando os 4 C’s em CLIL (Content and Language Integrated Learning)

Geral: Na educação bilíngue, os alunos aprendem uma língua enquanto usam essa mesma
língua para aprender conteúdo acadêmico relevante. Uma progressão equilibrada entre as
demandas cognitivas e o desempenho linguístico dos alunos está no centro de uma
aprendizagem significativa e estimulante. Esta aula examinará os conceitos teóricos que
sustentam a abordagem CLIL e explorará alternativas de integrá-la à nossa prática.
Conceitos abordados: conteúdo, comunicação, cognição, e cultura; tríptico linguístico:
language of, for and through learning; interdisciplinaridade; solução de problemas; higher-order
thinking; taxonomia de Bloom.
Bibliografia de apoio:
Coyle, D., Hood, P. and Marsh, D. (2010) CLIL: Content and Language Integrated Learning.
Cambridge: Cambridge University Press.
Coyle, D. (2005) CLIL: Planning Tools for Teachers. University of Nottingham
http://www.unifg.it/sites/default/files/allegatiparagrafo/20-01-
2014/coyle_clil_planningtool_kit.pdf
Cummins, Jim. BICS and CALP: Empirical and Theoretical Status of the Distinction. IN:
Street, B. & Hornberger, N. H. (Eds.). (2008). Encyclopedia of Language and Education,
2nd Edition, Volume 2: Literacy. (pp. 71-83). New York: Springer Science + Business
Media LLC. Disponível em:
https://www.researchgate.net/publication/226699482_BICS_and_CALP_Empirical_and_
theoretical_status_of_the_distinction
Mehisto, P. (2008) ‘CLIL counterweights: Recognising and decreasing disjuncture in CLIL’,
International CLIL Research Journal, (Online). Disponível em:
http://www.icrj.eu/11/article8.html
Met. M. (1999) Content-based instruction: Defining terms, making decisions. NFLC Reports.
Washington, DC: The National Foreign Language Center. Disponível em:
http://carla.umn.edu/cobaltt/modules/principles/decisions.html