Você está na página 1de 2

Direito penal e sua abrangência

Desde a gênese humana, o homem é visto como algo destrutor e


corruptível, tendo como égide os grandes sociólogos conhecidos, Durkheim ``As
relações humanas são contaminadas pela violência e por isso precisamos de
normas que regulem essas relações.`` E também ``Todo fato social que contraria
o ordenamento jurídico constitui um ilícito jurídico. A modalidade mais grave do
ilícito jurídico é o ilícito penal, que lesa os bens mais importantes dos membros
da sociedade. `` Portanto facilmente podemos Alencar filósofos que tratam da
natureza humana como algo toxico.
Portanto a sociedade baseada na necessidade, da origem ao Direito
penal, meio de controle social altamente formalizado exercido sob o monopólio
do Estado de acordo com normas preestabelecidas legisladas de acordo com as
regras de um sistema democrático. Esta é calcada por um conjunto de normas
jurídicas que visa determinar as infrações de natureza penal e as sanções
correspondentes. Tendo presente um conjunto de valorações e princípios que
orientam a aplicação e a interpretação das próprias normas penais que tem por
objetivo tornar possível a convivência humana de acordo com os princípios de
justiça.
Contudo, podemos encontrar uma vasta abrangência que o seu conjunto
se denomina o que chamamos de direito penal, dentre elas podemos encontrar
a Ciência do Direito Penal, Criminologia e a Política Criminal.
Porquanto, a Ciência do Direito Penal é considerada inicialmente a
disciplina que estuda o crime como fato jurídico, para determinar as
características do fato punível e suas formas especiais de aparecimento. Este
possui como objetivo o estudo normativo ou jurídico do crime, para que se possa
encontrar maneiras de interpretar as normas penais de maneira mais adequada.
Entretanto, este não se limita a apenas esse fato, em sentido ‘’lato’’ esta
disciplina estuda as manifestações sociais da conduta criminosa e às condições
pessoais do autor.
Por conseguinte, nos deparamos com a política criminal que se baseia na
atividade que tem pôr fim a pesquisa dos meios mais adequados para o controle
da criminalidade, valendo-se dos resultados que proporciona a criminologia, por
meio de analise e crítica do sistema punitivo vigente. Pode-se dizer que a política
criminal é disciplina de meios e fins, que sugere e orienta reformas à legislação
positivada.
Portanto, entende-se por criminologia a ciência que estuda o crime como
fato social, o delinquente e a delinquência, bem como, em geral, o surgimento
das normas de comportamento social e a conduta que as viola ou delas se desvia
e o processo de reação social. A criminologia não se limita ao estudo do crime
como realidade fenomênica, cabendo-lhe, de forma mais ampla, o estudo da
conduta desviante que constitui fato social grave. A criminologia por sua vez
abarca todo um contexto científico, onde podemos encontrar a psicologia e
psiquiatria criminais, antropologia criminal entre outros.
Por isso, no livro manual do direito penal parte geral, de Rogerio Sanches
Cunha, observasse que o direito penal é um emaranhado de normas no qual
juntas visam o ordenamento jurídico de maneira complementar na organização
social de um país, na qual determina sanções para aqueles que praticam atos
infracionais. De maneira clara, objetiva e explicativa, o autor pontua todos esses
elementos com maestria elencando suas ciências, objetivos e reflexos no mundo
jurídico social.