Você está na página 1de 8

31/10/2017 Albert Fish

Albert Fish
Hamilton Howard " Albert " Fish [1] (19 de maio de
1870 - 16 de janeiro de 1936) foi um assassino em
Salvar /
série americano . Ele também era conhecido como Feedback
o Homem Grey , o Lobisomem da Wysteria , o Brooklyn Vampire,
o Moon Maniac e The Boogey Man . [2] Uma criança
estupradora e canibal , ele se vangloriou de que ele "teve filhos em todos os
estados" [2] e, ao mesmo tempo, afirmou que o número era de cerca de 100.
No entanto, não se sabe se ele estava se referindo a estupros ou
canibalização, nem se sabe se a afirmação era verdadeira. [3]Ele era um
suspeito em pelo menos cinco assassinatos durante sua vida. Fish
confessou três assassinatos que a polícia conseguiu rastrear a
um homicídio conhecido , e ele confessou esfaquear pelo menos outras duas pessoas. Ele foi julgado
pelo seqüestro e assassinato de Grace Budd, e foi condenado e executado por uma cadeira elétrica . [4] [5] Seus
crimes foram dramatizados no filme The Gray Man de2007 , estrelado por Patrick Bauchau como Fish.
Vida pregressa
Nascimento e infância
Fish nasceu em Washington, DC , em 19 de maio de 1870, para Randall (1795 - 16 de outubro de 1875) e Ellen
(née Howell, 1838-c. 1903 [6] ) Peixe. O pai de Fish era americano, de ascendência inglesa, e sua mãe
era escocesa-irlandesa americana . [7] Seu pai tinha 43 anos de idade do que sua mãe [8] e 75 anos no momento
do nascimento. O peixe era o filho mais novo e tinha três irmãos vivos: Walter, Annie e Edwin. Ele queria ser
conhecido como "Albert" depois de um irmão morto e escapar do apelido de "Presunto e ovos" que ele recebeu
em um orfanato no qual ele passou grande parte da infância.
A família de peixes teve uma história de doença mental . Seu tio sofria de mania . Um irmão estava confinado em
um hospital mental estadual . Sua irmã foi diagnosticada com uma "aflição mental". Três outros parentes foram
diagnosticados com doenças mentais, e sua mãe teve "alucinações auditivas e auditivas". [9] [10]
Seu pai era um capitão do barco do rio e, em 1870, era um fabricante de fertilizantes. [8] O peixe idoso morreu em
1875 na estação da Sexta Rua da Estrada de Ferro da Pensilvânia em Washington, DC, de um ataque
cardíaco . Os registros do Cemitério do Congresso mostram que Randall morreu em 16 de outubro de 1875 e foi
enterrado em 19 de outubro de 1875, na sepultura R96 / 89. A mãe do peixe então colocou seu filho no orfanato
de São João em Washington, onde ele foi freqüentemente abusado. Começou a apreciar a dor física que as
vítimas trouxeram. [11]Do seu tempo no orfanato, Fish observou: "Eu estava lá até eu tinha quase nove, e é aí que
eu comecei errado. Nós fomos inutilmente chicoteados. Eu vi meninos fazendo muitas coisas que não deveriam
ter feito".
Em 1880, sua mãe tinha um emprego no governo e conseguiu remover o Peixe do orfanato. Em 1882, aos 12
anos, ele começou um relacionamento com um garoto telégrafo. A juventude introduziu peixes em práticas
como urolagnia (urina potável) e coprofagia (comendo fezes). Peixe começou a visitar os banhos públicos onde
ele podia assistir outros meninos se despir e gastar uma boa parte dos fins de semana nessas visitas. [11] Ao
longo de sua vida, ele escrevia cartas obscenas para mulheres cujos nomes ele adquiriu de agências
de publicidade classificada e matrimonial . [9]
1890-1918: início da idade adulta e história criminal
Em 1890, Fish chegou à cidade de Nova York , e ele disse que nesse momento ele se tornou uma prostituta e
começou a violar jovens. Em 1898, sua mãe organizou um casamento para ele com Anna Mary Hoffman, que
tinha nove anos de idade. [10][12] [13] [14] Eles tiveram seis filhos: Albert, Anna, Gertrude, Eugene, John e Henry
Fish. [10]
Ao longo de 1898, ele trabalhou como pintor de casas. Ele disse que continuou molestando crianças,
principalmente meninos menores de seis anos. Mais tarde, ele relatou um incidente no qual um amante masculino
o levou a um museu de cera, onde Fish estava fascinado com uma bisecão de um pénis . Depois disso, ele ficou
obcecado com a mutilação sexual. [12] [15] Em 1903, ele foi preso por grande roubo e foi condenado a prisão
em Sing Sing .
Por volta de 1910, enquanto trabalhava em Wilmington, Delaware , Fish encontrou um homem de 19 anos
chamado Thomas Kedden. Ele levou Kedden para onde ele estava hospedado, e os dois começaram um
relacionamento sadomasoquista; Não está claro se Fish forçou Kedden a fazer essas coisas, mas em sua
confissão ele implica que o homem estava intelectualmente incapacitado. Depois de dez dias, Fish tomou Kedden
para "uma velha fazenda", onde começou a torturá-lo. A tortura ocorreu durante duas semanas. Peixe
eventualmente amarrou Kedden e cortou a metade de seu pênis. "Nunca vou esquecer o seu grito, nem o olhar
que ele me deu", recordou mais tarde Fish. Ele originalmente pretendia matar Kedden, cortar seu corpo e levá-lo
para casa, mas temia que o clima quente chamasse a atenção para ele; Em vez disso, o peixe peróxidosobre a
ferida, envolveu-o em um lenço coberto de vaselina , deixou uma conta de US $ 10, beijou o tchau de Kedden e
partiu. "Peguei o primeiro trem, eu poderia voltar para casa. Nunca ouvi o que se tornou dele, nem tentei
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 1/8
descobrir", disse Fish. [16]
31/10/2017 Albert Fish

Em janeiro de 1917, a esposa de Fish deixou-o para John Straube, um trabalhador manual que embarcou na
família Fish. Peixe então teve que criar seus filhos como pai solteiro . Após sua prisão, Fish contou a um jornal
que, quando sua esposa o deixava, ela tomava quase todas as possessões da família. [17] Ele começou a
ter alucinações auditivas . Uma vez envolveu-se em um tapete , dizendo que seguia as instruções de João
Apóstolo . [11]
Foi sobre esse tempo que o peixe começou a se auto-prejudicar . Ele encaixavaagulhas em sua virilha e
abdômen. [10] Após sua prisão, os raios-X revelaram que o peixe tinha pelo menos 29 agulhas alojadas
na região pélvica . [10] Ele também bateu repetidamente com uma pá de pregos e inseriu a lã molhada com um
fluido mais leve no ânus e a acendeu. [17] Embora nunca tenha sido pensado para ter atacado ou abusado
fisicamente de seus filhos, encorajou-os e seus amigos a remar suas nádegas com a mesma palha de pregos que
costumava abusar. Ele logo desenvolveu uma crescente obsessão com o canibalismo, muitas vezes preparando-
se um jantar composto unicamente de carne crua e às vezes servindo a seus filhos.
1919-1930: Escalação
Em 1919, ele esfaqueou um menino de deficiência intelectual em Georgetown, Washington, DC . [18] Fish
escolheu pessoas que eram deficientes mentais ou afro-americanas como suas vítimas, explicando que ele
assumiu que essas pessoas não seriam desperdiçadas quando morriam. [19] Os peixes torturaram, mutilaram e
assassinaram crianças pequenas com seus "implementos do inferno": um talhador de carne, uma faca de
açougue e um serralheiro pequeno. [20]
Em 11 de julho de 1924, Fish encontrou Beatriz Kiel, oito anos de idade, jogando sozinha na fazenda Staten
Island dos pais . Ele ofereceu seu dinheiro para vir e ajudá-lo a procurar o ruibarbo . Ela estava prestes a deixar a
fazenda quando sua mãe perseguiu Fish. O peixe deixou, mas voltou mais tarde para o celeiro dos Kiels, onde
tentou dormir, mas foi descoberto por Hans Kiel e obrigado a sair. Durante 1924, o peixe de 54 anos, que sofria
de psicose , sentiu que Deus o ordenava para torturar e mutilar sexualmente crianças. [10]
Pouco antes do seqüestro de Grace Budd, Fish tentou testar seus "implementos do inferno" sobre uma criança
que ele estava molestando chamado Cyril Quinn. Quinn e seu amigo estavam jogando bola de caixa em uma
calçada quando Fish perguntou se eles tinham comido o almoço. Quando eles disseram que não tinham, ele os
convidou para o seu apartamento para sanduiches. Enquanto os dois meninos lutaram na cama de Fish, eles
desalojaram o colchão; embaixo havia uma faca, um serralheiro pequeno e uma talhadeira de carne. Eles ficaram
assustados e fugiram do apartamento. [21]
Bigamia
Fish se casou novamente em 6 de fevereiro de 1930, em Waterloo, Nova York , com Estella Wilcox, mas
divorciou-se após apenas uma semana. [22] Fish foi preso em maio de 1930 por "enviar uma carta obscena a uma
mulher que respondeu um anúncio para uma empregada doméstica". [23] Após essa prisão e uma em 1931, foi
enviado ao hospital psiquiátrico Bellevue para observação. [24]
Assassinato de Grace Budd
Em 25 de maio de 1928, Fish viu um anúncio classificado na edição de domingo
do New York Worldque dizia: "Jovem, 18 anos, deseja posição no país. Edward
Budd, 406 West 15th Street". Em 28 de maio de 1928, Fish, de 58 anos, visitou a
família Budd em Manhattan sob a pretensão de contratar Edward; mais tarde ele
confessou que planejava amarrar Edward, mutilá-lo e deixá-lo sangrar até a
morte. Ele se apresentou como Frank Howard, um fazendeiro de Farmingdale, Nova
York. Fish prometeu contratar Budd e seu amigo Willie, e disse que enviaria para
eles em alguns dias. Ele não conseguiu aparecer, mas enviou um telégrafo para a
família Budd se desculpar e marcar uma data posterior. Quando Fish retornou,
conheceu Grace Budd. Ele aparentemente mudou a vítima de Edward Budd para
Grace Budd e rapidamente inventou uma história sobre ter que comparecer à festa
de aniversário da sua sobrinha. Ele convenceu os pais, Delia Flanagan e Albert Budd
I, para deixar Grace acompanhá-lo na festa naquela noite. O maior Albert Budd era
um porteiro da Sociedade de Garantia de Equidade dos Estados Unidos . Grace
Grace Budd (1918-1928) tinha uma irmã mais nova, Beatrice, dois irmãos mais velhos, Edward e George
Budd, e um irmão mais novo, Albert Budd II. Graça deixou com Fish esse dia, mas
nunca voltou. [25]
A polícia prendeu o superintendente Charles Edward Pope, de 66 anos, em 5 de setembro de 1930, como
suspeito, acusado pela esposa separada do papa. [5] Ele passou 108 dias na prisão entre sua prisão e julgamento
em 22 de dezembro de 1930. [26] Ele foi considerado não culpado.
Carta à mãe de Grace Budd
Em novembro de 1934, uma carta anônima foi enviada aos pais da menina, que finalmente levou a polícia a
Fish. A Sra. Budd era analfabeta e não conseguia ler a carta, então ela mandou o filho lê-la. [27] A letra inalterada
(com erros ortográficos e erros gramaticais de Fish) lê: [10]
"Minha querida Sra. Budd,
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish
Em 1894, um amigo meu foi transportado 2/8
como uma mão de plataforma no vapor Tacoma,
o capitão John Davis. Navegaram de São Francisco para Hong Kong, China. Ao chegar
31/10/2017 Albert Fish

lá, ele e outros dois desceram a terra e ficaram bêbados. Quando eles voltaram, o
barco foi embora. Naquela época, houve uma fome na China. A carne de qualquer tipo
era de US $ 1 a 3 Dólares por libra. Tão genial foi o sofrimento entre os muito
pobres que todas as crianças com menos de 12 anos foram vendidas aos açougueiros
para serem cortadas e vendidas para alimentos, a fim de impedir que outras pessoas
fome. Um menino ou garota com menos de 14 anos não estava seguro na rua. Você
poderia entrar em qualquer loja e pedir guisados de bife - ou assar carne. Parte
do corpo nu de um menino ou uma garota seria trazida e exatamente o que você
queria cortar. Um menino ou raparigas atrás do qual é a parte mais doce do corpo e
vendido como costeleta de vitela trouxe o preço mais alto. John ficou tão tempo
que adquiriu um gosto pela carne humana. Ao retornar a NY ele roubou dois meninos
um 7 um. Pegou-os para sua casa, desnudou-os nus, amarrando-os em um armário e
queimando tudo sobre eles. Muitas vezes, todos os dias e as noites, ele os
espancou - os torturou - para tornar sua carne boa e macia. Primeiro, ele matou o
garoto de 11 anos, porque ele tinha o bicho mais gordo e, claro, a mais carne
nele. Cada parte de seu corpo foi cozida e comida, exceto Cabeças e coragem. Ele
foi assado no forno, (todo seu traseiro) cozido, grelhado, frito, cozido. O menino
foi o próximo, foi do mesmo jeito. Naquela época eu estava morando em 409 E 100
St, traseira - lado direito. Ele me contou com tanta frequência a boa carne humana
que fiz na minha cabeça para provar isso. No domingo, junho 3 a 1928, liguei para
você em 406 W 15 St. Trazou você queijo de pote - morangos. Nós almoçamos. Grace
sentou no meu colo e me beijou. Eu decidi que a comesse, com a pretensão de levá-
la a uma festa. Você disse que sim poderia ir. Peguei-a em uma casa vazia em
Westchester, eu já havia escolhido. Quando chegamos lá, eu disse a ela para
permanecer lá fora. Ela escolheu flores selvagens. Eu subi as escadas e tirei
todas as roupas. Eu sabia que se eu não fizesse eu pegaria seu sangue sobre
eles. Quando tudo estava pronto, fui até a janela e liguei para ela. Então me
escondi em um armário até ela estar no quarto. Quando ela me viu nua, ela começou
a chorar e tentou escavar as escadas. Peguei ela e ela disse que iria contar a sua
mãe. Primeiro, eu a tirei nua. Como ela bateu - morda e arranhe. Eu a engasgou
contra a morte, depois cortei-a em pequenos pedaços para poder levar minha carne
aos meus quartos, cozinhar e comê-la. Quão doce e macio seu pequeno burro foi
assado no forno. Demorou 9 dias para comer todo o seu corpo. Eu não foda-se, no
entanto, eu poderia ter desejado. Ela morreu virgem. "

A polícia investigou a carta. A história sobre "Capt. Davis" e a "fome" em Hong Kong não podem ser verificadas. A
parte da carta relativa ao assassinato de Grace Budd, no entanto, foi considerada precisa em sua descrição do
seqüestro e eventos subseqüentes, embora fosse impossível confirmar se o Peixe realmente havia comido partes
do corpo de Grace. [28] [29] [30]
Capturar
A carta foi entregue em um envelope que tinha um pequeno emblema hexagonalcom as letras "NYPCBA" que
representam a "Associação Benevolente do Condutor Privado de Nova York". Um zelador da empresa disse à
polícia que havia levado alguns dos artigos de papelaria para casa, mas o deixou em sua casa de residências no
200 East 52nd Streetquando ele se mudou. A senhoria da casa do quarto disse que o Peixe ficou fora desse
quarto poucos dias antes. Ela disse que o filho de Fish enviou-lhe dinheiro e ele pediu-lhe para manter seu
próximo cheque para ele. William F. King foi o principal investigador do caso. Ele esperou do lado de fora da sala
até que Fish retornasse. Fish concordou em ir à sede para questionar, depois brandiu uma lâmina de
barbear. King desarmou Fish e levou-o para a sede da polícia. Fish não fez nenhuma tentativa de negar o
assassinato de Grace Budd, dizendo que ele queria ir a casa para matar Edward Budd, o irmão de Grace. [31] Fish
disse que "nunca entrou [a sua] cabeça" para estuprar a menina, [32]mas depois afirmou ao advogado que,
enquanto se ajoelhava no peito de Grace e a estrangulava, ele tinha duas ejaculações involuntárias. Esta
informação foi usada no julgamento para reivindicar o seqüestro sexualmente motivado, evitando qualquer
menção ao canibalismo. [33]
Outros crimes descobertos após a prisão de Peixe
Francis McDonnell
Durante a noite de 14 de julho de 1924, Francisco McDonnell, de 9 anos, faleceu por seus pais. Ele não
conseguiu voltar para casa depois de jogar com amigos no bairro de Port Richmond de Staten Island . Uma busca
foi organizada e seu corpo foi encontrado - pendurado por uma árvore - em uma área arborizada perto de sua
casa. Ele havia sido agredido sexualmente, depois estrangulado com os tirantes. [9]De acordo com uma autópsia,
McDonnell também sofreu extensas lacerações nas pernas e no abdômen, e seu isquiotibito esquerdo foi quase
totalmente despojado de sua carne. Peixe recusou-se a reivindicar a responsabilidade por isso, embora ele tenha
declarado mais tarde que pretendia castrar o menino, mas fugiu quando ouviu alguém se aproximando da área.
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 3/8
31/10/2017 Albert Fish

Os amigos de McDonnell disseram à polícia que ele era levado por um homem idoso com bigode cinza. Um
vizinho também disse à polícia que ele observou o menino com um homem de aparência semelhante caminhando
por um caminho gramado para as florestas próximas. [9] A mãe de Francis, Anna McDonnell, disse que viu o
mesmo homem no início daquele dia. Ela disse aos repórteres: "Ele veio baralhando a rua murmurando para si
mesmo e fazendo movimentos estranhos com as mãos ... Eu vi seus grossos cabelos grisalhos e seu bigode
cinza caído. Tudo sobre ele parecia desbotado e cinza". [9]
Esta descrição resultou no misterioso estranho se tornar conhecido como "O Homem Cinzento". O assassinato de
McDonnell permaneceu sem solução até o assassinato de Grace Budd. [9] Quando várias testemunhas oculares,
entre elas, o fazendeiro da Ilha Staten, Hans Kiel, identificaram positivamente Albert Fish como o estranho
estranho visto em torno de Port Richmond no dia do desaparecimento de Francis McDonnell, advogado do distrito
de Richmond , Thomas J. Walshanunciou sua intenção de buscar uma acusação contra o peixe pelo assassinato
do menino. Em primeiro lugar, a Fish negou as cobranças. Foi apenas em março de 1935, após a conclusão de
seu julgamento pelo assassinato de Budd e sua confissão para o assassinato de Billy Gaffney, que Fish confirmou
aos investigadores que também estuprou e assassinou Francis McDonnell. Quando a confissão de McDonnell foi
tornada pública, o New York Daily Mirror escreveu que a divulgação solidificava a reputação de Fish como "o
assassino infantil mais vicioso na história criminal". [9]
Billy Gaffney
Em 11 de fevereiro de 1927, Billy Beaton, de 3 anos e seu irmão de 12 anos, estavam jogando no corredor do
apartamento em Brooklyn com Billy Gaffney, de 4 anos. Quando o filho de 12 anos partiu para o apartamento
dele, ambos meninos mais jovens desapareceram; Beaton foi encontrado mais tarde no telhado dos
apartamentos. Quando perguntado o que aconteceu com Gaffney, Beaton disse "o bicho - papão o levou". O
corpo de Gaffney nunca foi recuperado. [34] Inicialmente, o assassino serial Peter Kudzinowski era um suspeito no
assassinato do menino. Então, Joseph Meehan, um motorista em um carrinho de Brooklyn , viu uma foto de Peixe
em um jornal e identificou-o como o velho que ele viu em 11 de fevereiro de 1927; o velho estava tentando
silenciar um garoto sentado com ele no carrinho. O menino não estava vestindo uma jaqueta, estava chorando
por sua mãe e foi arrastado pelo homem dentro e fora do bonde. A descrição de Beaton do "bogeyman"
corresponde ao peixe. [35] A polícia comparou a descrição da criança com Billy Gaffney. Os detetives do Manhattan
Missing Persons Bureau puderam estabelecer que o Fish era empregado como pintor de casa por uma empresa
imobiliária do Brooklyn durante fevereiro de 1927 e que, no dia do desaparecimento de Billy Gaffney, ele estava
trabalhando em um local a poucos quilômetros de distância de onde O menino foi seqüestrado. [36] O peixe
reivindicou o seguinte em uma carta a seu advogado:[10]
Eu o trouxe para a Riker Ave. lixões. Há uma casa que fica sozinha, não muito
longe de onde o levei ... Peguei o menino G lá. Despiu-o nu e amarrou as mãos e os
pés e amassou-o com um pedaço de pano sujo que eu coloquei fora do despejo. Então
eu queitei suas roupas. Lançou os sapatos no depósito. Então voltei e peguei o
carrinho para 59 St. às 2 da manhã e cheguei a casa de lá. No dia seguinte, cerca
de 2 da tarde, peguei ferramentas, uma boa e pesada cauda de nove
caudas . Caseiro. Punho curto. Corte uma das minhas cintas ao meio, corte esta
metade em seis tiras de cerca de 8 polegadas. Abaixei-o para trás até o sangue
escorrer de suas pernas. Eu cortei suas orelhas - nariz - corte sua boca de orelha
a orelha. Gouged os olhos dele. Ele estava morto então. Coloquei a faca em sua
barriga e segurei minha boca em seu corpo e tomei o sangue dele. Peguei quatro
sacos de batata velhos e reuni uma pilha de pedras. Então eu o cortei. Eu tinha um
aperto comigo. Coloquei o nariz, as orelhas e algumas fatias de sua barriga na
garganta. Então eu o cortei no meio do corpo dele. Logo abaixo do seu
barriga. Então, através de suas pernas cerca de 2 polegadas abaixo do seu
traseiro. Coloquei isso no meu controle com muito papel. Eu cortei a cabeça - pés
- braços - mãos e as pernas abaixo do joelho. Isso eu coloquei sacos pesados com
pedras, amarrei as pontas e joguei-os nas piscinas de água viscosa, você verá ao
longo da estrada indo para North Beach. A água é de 3 a 4 pés de
profundidade. Eles afundaram imediatamente. Cheguei em casa com minha carne. Eu
tinha a frente de seu corpo, eu gostava melhor. Suas ervas de macaco e xixi e uma
gordinha agradável atrás para assar no forno e comer. Eu fiz um cozido fora de
seus ouvidos - nariz - pedaços de seu rosto e barriga. Coloquei cebolas, cenouras,
nabos, aipo, sal e pimenta. Foi bom. Então eu dividi as bochechas do seu traseiro
aberto, cortou suas ervas de macaco e xixi e as lavei primeiro. Eu coloquei tiras
de bacon em cada bochecha dele atrás e coloquei no forno. Então eu coloquei 4
cebolas e, quando a carne tinha roasted cerca de 1/4 horas, eu derramei cerca de
uma pinta de água sobre o molho e coloquei as cebolas. Em intervalos freqüentes,
bastei seu traseiro com uma colher de pau. Então, a carne seria agradável e
suculenta. Em cerca de 2 horas, foi bom e marrom, cozido. Eu nunca comi qualquer
peru assado que provei a metade tão bom quanto o pouco de gordura dele. Comi um
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish
pouco da carne em cerca de quatro dias. Seu pequeno macaco era tão doce como uma 4/8
31/10/2017 Albert Fish

porca, mas as suas feridas de xixi que eu não conseguia mastigar. Os jogou no
banheiro.

Elizabeth Gaffney visitou Fish in Sing Sing, acompanhada pelo detetive King e outros dois homens. Ela queria
perguntar-lhe sobre a morte de seu filho, mas Fish se recusou a falar com ela. Peixe começou a chorar e pediu
para ficar sozinho. Depois de duas horas depois de lhe fazer perguntas através de seu advogado, James
Dempsey, a Sra. Gaffney desistiu. Ela ainda não estava convencida de que Albert Fish era o assassino de seu
filho.
Julgamento e execução
O julgamento de Albert Fish pelo assassinato de Grace Budd começou em 11 de março de 1935, em White
Plains, Nova York . Frederick P. Close presidiu como juiz e o procurador-chefe adjunto do condado de
Westchester , Elbert F. Gallagher, era procurador da promotoria. O advogado de defesa do peixe foi James
Dempsey, um ex-promotor e o único prefeito de Peekskill, Nova York . O julgamento durou 10 dias. O peixe
implorou a insanidade e alegou ter ouvido vozes de Deus, dizendo-lhe para matar
crianças. Vários psiquiatras testemunharam sobre os fetiches sexuais de Fish , que
incluíram sadismo , masoquismo , cunnilingus , anilingus, fellatio , flagelação , exibicionismo , voyeurismo , piquerismo ,
em seu somatório observou que o peixe era um "fenômeno psiquiátrico" e que em nenhum lugar nos registros
legais ou médicos havia outro indivíduo que possuía tantas anormalidades sexuais. [9]
O especialista em peritos da defesa foi Fredric Wertham , um psiquiatra com ênfase no desenvolvimento infantil
que realizou exames psiquiátricos para os tribunais criminais de Nova York. Durante dois dias de testemunho,
Wertham explicou a obsessão de Fish com a religião e, especificamente, sua preocupação com a história bíblica
de Abraão e Isaque (Gênesis 22: 1-24). Wertham disse que Fish acreditava que, de forma semelhante, "sacrificar"
um menino seria penitênciapor seus próprios pecados e que, mesmo que o ato em si fosse errado, os anjos o
impediriam se Deus não aprovasse. Peixe tentou o sacrifício uma vez antes, mas foi frustrado quando um carro
passou. Edward Budd foi a próxima vítima pretendida, mas ele resultou ser maior do que o esperado, então ele se
estabeleceu em Grace. Embora ele soubesse que Grace era do sexo feminino, acredita-se que o peixe a
percebeu como um menino. [9] Wertham então detalhou o canibalismo de Fish , que em sua mente ele associou
com a comunhão . A última pergunta que Dempsey perguntou a Wertham foi de 15.000 palavras, detalhou a vida
de Fish e terminou com a pergunta sobre como o médico considerou sua condição mental com base nesta
vida. Wertham simplesmente respondeu "Ele está louco". [9]Gallagher interrogou Wertham sobre se o peixe sabia
a diferença entre certo e errado. Ele respondeu que sabia, mas que era um conhecimento pervertido baseado em
suas opiniões de pecado, expiação e religião e, portanto, era um "conhecimento insano". [9] A defesa chamou dois
mais psiquiatras para apoiar as descobertas de Wertham. [37]
A primeira das quatro testemunhas de refutação foi Menas Gregory, ex-gerente do hospital psiquiátrico de
Bellevue , onde Fish foi tratado durante 1930. Ele testemunhou que Fish era anormal, mas sano. Em contra-
interrogatório, Dempsey perguntou se coprofilia, urofilia e pedofilia indicavam uma pessoa sã ou insana. Gregory
respondeu que essa pessoa não estava "mentalmente doente" e que essas eram perversões comuns que eram
"socialmente perfeitamente perfeitas" e que Fish não era "diferente de milhões de outras pessoas", muito
proeminente e bem sucedido, que sofria do " muito mesmo "perversões. A próxima testemunha foi o médico
residente em The Tombs, Perry Lichtenstein. Dempsey se opôs a um médico sem treinamento em psiquiatria que
ateste sobre a questão da sanidade, mas a Justiça Close anulou com base no fato de que o júri poderia decidir o
peso para dar um médico de prisão. Quando perguntado se a dor de Peixe causando dor indicava uma condição
mental, Lichtenstein respondeu: "Isso não é masoquismo", pois ele estava apenas "punindo-se para obter
gratificação sexual". A próxima testemunha, Charles Lambert, declarou que a coprofilia era uma prática comum e
que o canibalismo religioso pode ser psicopático, mas "foi uma questão de gosto" e não evidência de uma
psicose. A última testemunha, James Vavasour, repetiu a opinião de Lambert. [9]Outra testemunha de defesa foi
Mary Nicholas, a fazendeira de 17 anos de Fish. Ela descreveu como Fish ensinou a ela e a seus irmãos e irmãs
vários jogos envolvendo maus-tratos de masoquismo e abuso de crianças. [10]
Nenhum dos jurados duvidava que Fish estivesse louco, mas finalmente, como se explicou mais tarde, eles
sentiram que ele deveria ser executado de qualquer maneira. [9] [38] Eles acharam que ele era sano e culpado, e o
juiz ordenou a sentença de morte . Peixe chegou à prisão março 1935, e foi executado em 16 de Janeiro de 1936,
na cadeira elétrica em Sing Sing . Ele entrou na câmara às 11h06 e foi declarado morto três minutos
depois. [4] Ele foi enterrado no cemitério da cantar Sing Sing. É dito que o peixe ajudou o executor a posicionar os
eletrodos em seu corpo. Suas últimas palavras foram relatadas: "Eu nem sei por que estou aqui". [20]De acordo
com um testemunho presente, tomou duas sacudidas antes que Fish morresse, criando o rumor de que o
aparelho estava em curto-circuito pelas agulhas que Fish inseriu em seu corpo. [32] Estes rumores foram
considerados mais recentes como falsos, como o Fish teria morrido da mesma forma e do mesmo tempo que
outros na cadeira elétrica. [20]
Em uma reunião com repórteres após a execução, o advogado de Fish, James Dempsey, revelou que ele estava
na posse da "declaração final" de seu cliente. Isso equivale a várias páginas de notas manuscritas que Fish,
aparentemente, escreveu nas horas imediatamente anteriores à sua morte. Quando pressionado pelos jornalistas
reunidos para revelar o conteúdo do documento, Dempsey se recusou, afirmando: "Nunca vou mostrar a
ninguém. Era a série mais suja de obscenidades que eu já li". [20]
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 5/8
31/10/2017 Albert Fish

Vítimas
Conhecido
Francis X. McDonnell, 8 anos, 15 de julho de 1924
Billy Gaffney, 4 anos, 11 de fevereiro de 1927 [23]
Grace Budd, 10 anos, 3 de junho de 1928 [5]

Suspeita
Emma Richardson, 5 anos, 3 de outubro de 1926 [39]
Yetta Abramowitz, 12 anos, 1927. [40]
Robin Jane Liu, 6 anos, 2 de maio de 1931
Mary Ellen O'Connor, 16 anos, 15 de fevereiro de 1932. [23]
Benjamin Collings, 17 anos, 15 de dezembro de 1932. [23]
Veja também
Ed Gein
HH Holmes
Andrei Chikatilo
Peter Kudzinowski
Lista de indivíduos executados em Nova York
Killer dos corações solitários

Referências
1. Casos de assassinato do século XX - Biografias e bibliografias de 280 assassinos condenados ou
acusados; David K. Frasier - McFarland & Company (Editora), Copyright September, 1996; ISBN 0-7864-
3031-1
2. Kray, Kate. Os 20 piores crimes do mundo: histórias verdadeiras de 20 assassinos e suas 1000 vítimas.
3. Doidge, Christina (2012). Perfil de Serial Killers . Plataforma de publicação independente do
CreateSpace. ISBN 978-1475050905 .
4. "Albert Fish, 65, paga penalização em Sing Sing" . New York Times . 17 de janeiro de
1936 . Recuperado 2010-03-29 . "Albert Fish, 65 anos, de 55 East 128th Street, Manhattan, um pintor de casa
que assassinou Grace Budd, 6, depois de atacá-la em uma fazenda de Westchester em 1928, foi morto hoje à
noite na cadeira elétrica da prisão de Sing Sing."
5. "A esposa acusa o guarda como o Abductor que desapareceu com a rapariga há dois anos" . New York
Times . 5 de setembro de 1930 . Recuperado 2010-03-29 . "O seqüestro de Grace Budd, de 10 anos, um
mistério que desconcertou a polícia por mais de dois anos desde que a menina foi atraída da casa de seus
pais, em 406 West Seventieth Street, em 3 de junho de 1928, foi acreditado para ser resolvido ontem,
disseram os detetives, com a primeira prisão real sobre a acusação de seqüestro."
6. O capturador de recepção de Sing Sing Prison indica que Fish tinha 33 anos quando sua mãe
morreu. Disponível em Ancestry.com sob Albert H. Fish.
7. "Ancestry of Albert Fish" . wargs.com. William Addams Reitwiesner . Retirado em 14 de abril de 2016 .
8. Media: 1870 census Fish.jpg | Albert Fish no Censo dos EUA de 1870 para Washington, DC
9. Schechter, Harold (1990). Deranged: The Shocking True Story of The America's Most Fiendish Killer . Simon
& Schuster . ISBN 0-671-67875-2 .
10. "Albert Fish" . Crime Library . Arquivado no original em 16 de dezembro de 2008 . Recuperado 2008-12-16 .
11. Wilson, Colin ; Seaman, Donald (2004). The Serers Killers . Virgin Publishing . ISBN 978-0-7535-1321-7 .
12. Berry-Dee, Christopher (2011). Assassinos em série de canibal: perfis de assassinos comendo carne
devorados. Berkeley, CA: Ulysses Press. p. 157. ISBN 1569759022 .
13. "New York, New York City Marriage Records, 1829-1940" . Recuperado 2017-07-22 .
14. "Casamentos de Nova York, 1686-1980" . Recuperado 2017-07-22 .
15. Capo, Fran (2011). Mitos e mistérios de Nova York. Guilford, CT: Morris Book Publishing,
LLC. p. 114. ISBN 978-0-7627-6107-4 .
16. Borowski, John (5 de setembro de 2014). Albert Fish: Em Suas Próprias Palavras . Waterfront
Productions. p. 314. ISBN 0692263756 .
17. Taylor, Troy. Albert Fish: A vida e os crimes de um dos assassinos mais destruídos da América. " Dead Men
Do Tell Tales. 2004. Recuperado em 14 de fevereiro de 2007.
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 6/8
31/10/2017 Albert Fish

18. "Peixe é sentenciado. Admite novos crimes, morte em cadeira elétrica corrigida para a semana de 29 de abril
de 1935. Mova-se para confirmar o Veredicto negado" . New York Times . 26 de março de
1935 . Recuperado 2010-03-29 . "Como Albert H. Fish foi condenado a morrer na cadeira elétrica em Sing
Sing , as autoridades Westchester revelou hoje que ele tinha confessado a uma série de outros crimes em
várias partes do país."
19. "Albert Fish: vida real Hannibal Lecter" . Crime Library . Arquivado no original em 24 de outubro de
2008 . Recuperado 2008-11-07 .
20. Taylor, Troy (2004). "Albert Fish: A vida e os crimes de um dos assassinos mais destruídos da
América" . Prairieghosts.com . Recuperado 2011-03-30 .
21. Borowski, John (5 de setembro de 2014). Albert Fish: Em Suas Próprias Palavras. Waterfront
Productions. ISBN 0692263756 .
22. "Ex-Wife Unconcerned" . New York Times . 15 de dezembro de 1934. p. 3 . Recuperado 2010-03-29 . "A Sra.
Estella Wilcox, de Waterloo, ex-esposa de Albert Fish, disse hoje que não se preocupava com o que
acontecia com seu ex-marido."
23. "A polícia tenta vincular o assassino de Budd Girl a 3 outros crimes. Peixe questionado em O'Connor, Collings
e Gaffney Cases. Ele nega parte neles" . New York Times . 15 de dezembro de 1934 . Recuperado 2010-03-
29 . "Albert H. Fish, pintor de casa de 65 anos que confessou ter sequestrado e matado Grace Budd em 1928,
será entregue ao condado de Westchester para julgamento sobre acusações de homicídio assim que as
evidências contra ele estiverem concluídas, foi anunciado ontem ."
24. "O Sr. e a Sra. Buddie o nomeam no suporte como um que tirou a criança antes do assassinato" . New York
Times . 13 de março de 1935 . Recuperado 2010-03-29 . "Os pais de Grace Budd, de 10 anos de idade,
identificaram Albert Fish hoje como o homem ... Ele criticou psiquiatras dos Hospitais de Bellevue e Kings
County por ..."
25. Grace Budd no Censo dos EUA de 1920 para Manhattan
26. "CE Pope Accused in Disappearance of Child From Her Home em 3 de junho de 1928" . New York Times . 22
de dezembro de 1930 . Recuperado 2010-03-29 . "Charles Edward Pope, que passou os últimos 108 dias na
prisão após sua prisão em conexão com o desaparecimento de Grace Budd, 10 anos, que foi visto pela última
vez na casa dos pais, 406 West Fifteenth Street, em 3 de junho de 1928, vai ser julgado hoje antes do juiz
Allen nas sessões gerais sobre uma acusação de seqüestro da menina desaparecida."
27. Schechter, Harold ; Everitt, David (2006). A enciclopédia de A-Z de Serial Killers . Livros de
bolso . p. 163. ISBN 978-1-4165-2174-7 .
28. Schechter, Harold (1998). Deranged: The Shocking True Story of the America's Most Fiendish Killer !. Livros
de Galeria.
29. Heimer, Mel (1971). Canibal; O caso de Albert Fish. Lyle Stuart.
30. Martingale, Moira (1993). Canibal Killers: The Impossible Monsters. Robert Hale Ltd.
31. O peixe forneceu as seguintes informações biográficas em cativeiro: "Nasci em 19 de maio de 1870,
em Washington, DC . Moramos na Rua B, NE, entre o Segundo eo Terceiro. Meu pai era o Capitão Randall
Fish, Mason de 32º grau e ele está enterrado nas terras do Grand Lodge do Cemitério do Congresso . Ele era
um capitão de barco do rio Potomac, que passava de DC para Marshall Hall , Virginia [ sic ]. Meu pai caiu
morto em 15 de outubro de 1875, na antiga estação da Pensilvânia, onde o presidente Garfieldfoi baleado e
fui colocado no Orfanato de São João em Washington. Eu estava lá até eu ter quase nove, e é aí que comecei
errado. Nós fomos chicoteados sem piedade. Eu vi meninos fazendo muitas coisas que não deveriam ter
feito. Eu cantei no coro de 1880 a 1884, soprano , em St. John's. Eu vim para Nova York. Eu era um bom
pintor, interiores ou qualquer coisa. Eu consegui um apartamento e levantei minha mãe de
Washington. Vivemos no 76 West 101st Street, e é aí que conheci minha esposa. Depois que nossos seis
filhos nasceram, ela me deixou. Ela pegou todos os móveis e nem deixou um colchão para as crianças
dormirem. Eu ainda estou preocupado com meus filhos, você pensaria que eles iriam visitar seu pai na prisão,
mas eles não têm ".
32. Wilson, Colin e Donald Seaman. The Serers Killers. Virgin Publishing Ltd. 2004. p. 70.
33. Wilson, Colin e Donald Seaman. The Serers Killers. Virgin Publishing Ltd. 2004, página 69.
34. Os pais de Billy Gaffney eram Edward e Elizabeth Gaffney.
35. A página do projeto Charley em Billy Gaffney . Recuperado em 26 de janeiro de 2010
36. "Albert Fish". A vida de um canibal. Recuperado 14 de fevereiro de 2007
https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 7/8
31/10/2017 Albert Fish

37. "Fish Held Insane By Three Experts. Os alienígenas de defesa dizem que o assassino de Budd foi e é
mentalmente irresponsável" . New York Times . 21 de maio de 1935 . Recuperado 2010-03-29 . "Três
psiquiatras testemunharam no Supremo Tribunal hoje que Albert H. Fish, em julgamento pelo assassinato de
Grace Budd em junho de 1928, foi legalmente insano quando cometeu o assassinato e ficou louco desde
essa data."
38. Scott, Gini Graham (2007). Assassinato americano: volume 1: homicídio no início do século XX . Westport,
CT: Praeger. p. 85. ISBN 978-0-275-999-77-3 .
39. Assassinos em série de canibal: perfis de assassinos comendo carne de carne depravada ISBN 978-1-569-
75902-8 p. 160
40. Howard, Amanda; Smith, Martin (1 de agosto de 2004). Rio de Sangue: Seriados e Suas Vítimas, Volume
1 . Editores universais. ISBN 1-58112-518-6 .

https://www.revolvy.com/main/index.php?s=Albert%20Fish 8/8

Interesses relacionados