Você está na página 1de 2

1) O

2) contexto “tardo-antigo”
Turbulências do Império Romano – conversão de Constantino, Teodósio – consolidação
do cristianismo enquanto religião imbrincada nas estruturas de poder
Conversão as elites romanas – formada a partir de referências intelectuais específicas
Questão da identidade – o que é ser cristão? O que seria o cristianismo correto?
Questão do paganismo – como lidar com o que havia de herança do passado?

Interesse das elites – buscar no discurso cristão elementos que legitimem sua posição
social
Ascese como marca distintiva do cristão – valores, condutas
Debates intelectuais – algumas questões tem efeitos práticos no entendimento da
comunidade cristã e de sua elite
Ex.: Pelágio

Culto aos santos, fenômeno monástico – ideais de perfeição – e o homem comum?


Valor atribuído às Escrituras – livro de complexidade, como lidar?

410 – saque de Roma pelos godos – cristianismo culpabilizado pela queda

3) Vida de Agostinho
354 – 430
Norte Africano
Educação clássica, acesso à filosofia
Teve uma filha com uma concubina
Passagem pelo maniqueísmo e atração pelo neoplatonismo
Conversão – papel importante de Ambrósio de Milão
Torna-se bispo de Hipona no meio do cisma donatista – não reconhecimento da
legitimidade dos sacerdotes pecadores ou que não se mantiveram na fé durante as
perseguições

4) Contribuição de Agostinho para a formação do mundo medieval


Dá respostas ás perguntas do momento que se tornam consenso posterior
Temas
Queda de Roma – realidade terrestre – teria um fim – oportunidade para a salvação

O texto

Capítulo “Populus Dei”

Mundo como agon – mundo como ringue, inimigo = Diabo e seus agentes – Igreja
como formadora para obtenção de uma glória
A ideia já existia, mas agora se torna interior – o coração
Influências de Plotino
Problema do mundo – efêmero, transitório, instável, múltiplo x contrário da perspectiva
de eternidade, unidade – unidade é algo que transcendente, que remete a Deus

Barreiras – perspectiva cristã era referente ao outro mundo – mas e esse? Como lidar
com advinhos, curandeiros, etc?
Ideias tradicionais a respeito da família
Distanciamento entre os “perfeitos” e o homem comum – “especialização moral”
perigosa
p. 312-313- faltaram!
Não condenava os ricos e era condescendente com os pequenos desvios

Bíblia – necessária leitura exegética – texto repleto de sinais, alegorias que “escondem”
a voz de Deus

Capítulo Doctrina Christiana


Necessidade da alegoria – limitação da inteligência humana decorrente da Queda
Conhecimento direto torna-se um indireto, intermediado por sinais
Comunicação apenas por linguagem e gestos
Tensão literatura clássica divinizada x demonizada
“Secularizador do passado” (discordo”)