Você está na página 1de 8

299

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício


ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

ANÁLISES ELETROMIOGRÁFICAS NA ATIVAÇÃO DA MUSCULATURA ABDOMINAL NOS


EXERCÍCIOS TRADICIONAIS E NÃO TRADICIONAIS
1,2
Marina Caselli Anzai ,
1
Rafaela LIberali

RESUMO ABSTRACT

Atividades que visam o fortalecimento da Electromyographic Analysis in the Activation of


musculatura abdominal são amplamente Abdominal Muscles in Traditional and
utilizados por praticantes de exercício físico, Nontraditional Abdominal Exercises
sejam atletas, os que visam a saúde, ou a
estética. Entender como esses exercícios Activities aiming the strengthening of the
agem na musculatura abdominal é abdominal muscles are widely used by
extremamente importante para profissionais da practitioners of exercises, whether they are
área da saúde que lidam com treinamento athletes, those aiming health, or aesthetics.
resistido. Existem inúmeros acessórios e Understanding how these exercises act at the
aparelhos disponíveis que, acredita-se serem abdominal muscles is extremely important for
mais efetivos na ativação da musculatura health professionals dealing with resistance
abdominal, prometendo reduzir o estresse em training. There are many accessories and
outras musculaturas, mas ainda persistem devices available that are believed to be more
dúvidas em relação aos efeitos específicos effective in activating the abdominal muscles,
dos exercícios no, desenvolvimento da promising to reduce the stress on other
musculatura e na ativação muscular. A muscles, but some doubts still remain
eletromiografia de superfície (EMG) tem sido o regarding the specific effects of exercise on the
instrumento mais utilizado para estudar a development of the muscles and muscle
ativação muscular durante os exercícios. activation. Surface electromyography (EMG)
Foram considerados relevantes dez estudos has been the most frequently used tool for
nesta revisão, publicados entre 2003 e 2011. studying muscle activation during exercise. We
Aparelhos como o Ab slide, Fit ball, Torso considered ten relevant studies in this review,
Track, Perfect Abs, Power Wheel são muito published between 2003 and 2011. Devices
eficientes no recrutamento da musculatura such as the Ab slide, Fit ball, Torso Track,
abdominal quando comparados ao crunch ou Perfect Abs, Power Wheel are very efficient in
sit-ups, mas devem ser utilizados com cautela the recruitment of the abdominal muscles
por pessoas iniciantes, com musculatura when compared to the crunch or sit-ups, but
abdominal e lombar fracas, e com patologias should be used cautiously by beginners with
na coluna. Sugere-se mais estudos com maior weak abdominal and lumbar muscles, and
controle de variáveis para a obtenção de column pathologies. It is suggested that further
resultados mais consistentes e confiáveis que studies with a greater control of variables
possam contribuir para um maior should be realized to obtain more consistent
conhecimento sobre o assunto. and reliable data that can contribute to a better
understanding of the subject.
Palavras-chave: Musculatura abdominal;
Eletromiografia de superfície; Crunch. Key Words: Abdominal muscles; Surface
electromyography; Crunch.

1 - Programa de Pós Graduação Lato Sensu


da Universidade Gama Filho em Fisiologia do Endereço para Correspondência:
Exercício
2 - Graduação em Educação Física pela Marina Caselli Anzai
Universidade Federal de Mato Grosso marinaanzai@gmail.com

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
300
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

INTRODUÇÃO modo, espera-se contribuir para a prescrição


correta e segura dos exercícios voltados para
Atletas de alto nível ou pessoas o fortalecimento da musculatura abdominal.
interessadas em saúde e estética praticam
amplamente exercícios que visam o MATERIAIS E MÉTODOS
fortalecimento da musculatura abdominal
(Monfort-Panego e colaboradores, 2009). Utilizou-se como metodologia a
Compreender o modo como esses exercícios revisão bibliográfica, analisando-se referências
agem na musculatura abdominal é teóricas que possam contribuir para responder
extremamente importante para profissionais da ao problema colocado pela pesquisa (Liberali,
área da saúde que lidam com treinamento 2011). Foram considerados relevantes dez
resistido (Escamilla e colaboradores, 2006a). estudos, publicados entre 2003 e 2011, de
A prescrição dessas atividades deve autores que estudam a temática objeto desta
ser baseada no princípio de que todo estímulo revisão.
gerado irá produzir adaptações específicas
Os artigos foram obtidos em sites
nesse sistema. Exercícios criados para
como Pubmed, Scielo, Google acadêmico e
desenvolver a força ou resistência devem ser
outros periódicos internacionais. Os termos
utilizados em grupos musculares que estão
utilizados na busca foram: eletromiografia
fracos, ou são importantes para certa atividade
abdominal, análise eletromiográfica abdominal,
que o indivíduo desempenha (Ekstrom e
e exercícios abdominais. Apenas artigos com
colaboradores, 2007).
indivíduos saudáveis (sem lesões e dores)
Os exercícios abdominais mais
foram incluídos, comparando-se apenas os
tradicionais são o sit-up, e o crunch (Bird e
exercícios que mais ativaram a musculatura
colaboradores, 2006), mas existem inúmeros
abdominal.
acessórios e aparelhos disponíveis que
acredita-se serem mais efetivos na ativação da
musculatura abdominal, prometendo reduzir o REVISÃO DE LITERATURA
estresse em outras musculaturas (Escamilla e
colaboradores, 2006b). No entanto, ainda Musculatura Abdominal: Principais
existem dúvidas em relação aos efeitos Funções
específicos dos exercícios, no O homem sofreu transformações
desenvolvimento da musculatura e na ativação gradativas com o passar do tempo, levando à
muscular (Piering e colaboradores, 1993), e o especialização de determinados grupos
aumento no número de pesquisas voltadas a musculares e também à perda ou diminuição
esta temática contribuirá para que os da função de outros (Vaz e colaboradores,
profissionais da área da saúde possam 1991).
prescrever treinamentos executados em Aos poucos, essas modificações
posições adequadas para cada indivíduo, de levaram à perda de potência dos flexores do
acordo com déficit muscular específico tronco, não tendo mais a mesma ação que os
(Ekstron e colaboradores, 2007). animais quadrúpedes necessitavam para
A eletromiografia de superfície (EMG) manter a sustentação e proteção dos órgãos
tem sido o instrumento mais utilizado para abdominais.
estudar a ativação muscular durante os Como consequência, passaram a
exercícios (Monfort-Panego e colaboradores, existir problemas como: ptose abdominal,
2009), e o aumento da atividade elétrica serviu dificuldade de elevar a cabeça a partir da
como um indicador para o aumento da posição em decúbito dorsal (debilidade do reto
atividade muscular (Piering e colaboradores, anterior), dificuldade expiratória (fraqueza dos
1993). oblíquos), dificuldade na hora de tossir,
Dada a importância do tema, o vomitar, espirrar, no momento do parto da
objetivo deste trabalho é demonstrar, por meio mulher, acentuação da hiperlordose lombar
de revisão bibliográfica, evidências científicas (iliopsoas muito mais forte que a musculatura
que demonstrem a ativação muscular quando abdominal).
realizados exercícios abdominais tradicionais e A parede abdominal anterior é
não tradicionais, por intermédio da composta por quatro músculos principais: o
eletromiografia de superfície (EMG). Desse reto do abdômen, o obliquo externo, o obliquo

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
301
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

interno e o transverso do abdômen. A porção indivíduos com patologias lombares discais


superior do reto do abdômen tem maior ênfase devido ao aumento da pressão intradiscal e da
em flexionar o tronco e sua porção inferior em compressão da espinha lombar (Escamilla e
inclinar posteriormente a pelve. Os oblíquos colaboradores, 2006a), além de indivíduos
trabalham principalmente na rotação do com osteoporose, devido ao risco de fratura
tronco, sendo que os externos rotacionam por compressão discal (Ralston e
para o lado oposto e os internos para o colaboradores, 1990).
mesmo lado. O transverso do abdômen tem Muitos exercícios abdominais quando
uma função muito importante na estabilização executados, acabam por ativar outras
da coluna e do canal inguinal (Norris, 1993). musculaturas, como os flexores do quadril e
Abdominais fortes são importantes paraespinhais lombares, o que pode não
para a estabilização do tronco, ajudam a trazer nenhum benefício (Escamilla e
diminuir o estresse na coluna lombar e colaboradores, 2006b). Um dos principais
contribuem para a manutenção de uma boa flexores do quadril é o iliopsoas, e sua função
postura (Baldissera e colaboradores, 2007), e principal é a de flexionar o quadril, com ligeira
sua resistência é necessária para manter o adução. Ativar essa musculatura resultará em
alinhamento axial do esqueleto e para suportar uma inclinação pélvica anterior, e caso esteja
movimentos das extremidades superior e encurtada, manterá a pelve nessa posição e
inferior nas atividades da vida diária aumentará a lordose lombar (Norris, 1993),
(Hildenbrand e colaboradores, 2004). aumentando muito a compressão nas
Grande parte da população sofre de vértebras lombares, principalmente L4 e L5
dores na região lombar, e uma das causas (Escamilla e colaboradores, 2006b).
dessa condição é o fato dos ligamentos Em todos os exercícios nos quais o
espinais não serem capazes de suportar indivíduo se encontra em decúbito dorsal,
cargas, mesmo que mais leves que o próprio deve-se evitar manter os membros inferiores
peso do corpo. Como as cargas externas no estendidos no chão, pois gera-se uma
sistema muscular humano são transmitidas em contração do reto femoral e iliopsoas ao se
seqüência (músculos, ligamentos, articulações hiperestender a coluna lombar, podendo
e ossos), uma musculatura enfraquecida pode ocorrer lesão em indivíduos com hiperlordose
gerar lesões durante atividades corriqueiras do (Manso e colaboradores, 2008).
dia a dia (Rutkowska e colaboradores, 2009). Exercícios com a flexão ativa do
A musculatura abdominal também é tronco ocorrem em abdominais tradicionais,
essencial para a absorção de impactos como, por exemplo, o sit-up (elevação da
gerados por saltos e quedas, compensação da cabeça e os ombros do solo a partir de uma
ação do iliopsoas, e dos músculos lombares. posição supina com o objetivo de alcançar
Também estabilizam o corpo de forma que os uma posição sentada) e o crunch, que quando
braços e pernas possam realizar qualquer realizados corretamente, ativam a flexão da
movimento, tendo como suporte uma coluna, o quadril se mantém em um ângulo
adequada cadeia cinética (Marques, 2009). constante e a pelve não gira; porém, no
exercício bent-knee sit up (joelhos flexionados
Exercícios Abdominais e com os pés fixados) ou o extended-knee sit
A musculatura abdominal é up (joelhos estendidos no solo) o quadril
comumente fortalecida pela flexão ativa do flexiona-se e a pelve gira (Ricci e
tronco com uma ação concêntrica da colaboradores, 1981).
musculatura, ou devido à resistência contra Tradicionalmente as pessoas realizam
uma extensão do tronco (devido a uma ação os exercícios crunch e sit-ups sem a utilização
externa como a força da gravidade) com uma de equipamentos, mas o grande interesse
ação isométrica ou excêntrica da musculatura geral em desenvolver a musculatura
(Escamilla e colaboradores 2006a). Embora abdominal resultou em uma explosão de
seja necessário o fortalecimento da variedades de equipamentos no mercado de
musculatura abdominal, exercícios mal fitness, prometendo uma maior ativação
executados podem ser prejudiciais, muscular comparado aos exercícios
principalmente para a coluna (Norris, 1993). tradicionais (Hildenbrand e colaboradores,
Exercícios abdominais que ativam a 2004).
flexão do tronco podem ser problemáticos para

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
302
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

Aparelhos de Musculação para Abdominais extensão lombar espinal contra a resistência


Hoje em dia é difícil encontrar do próprio peso do corpo, e na fase
aparelhos onde o design permita trabalhar concêntrica a extensão do ombro, flexão do
corretamente a musculatura abdominal. A quadril, e flexão do tronco (Hildenbrand e
maior parte dos aparelhos oferecidos pelos colaboradores, 2004).
fabricantes não possui um design adequado
para esse grupamento. Quase todos os Atividade Eletromiográfica nos Exercícios
equipamentos concentram a ação do exercício Abdominais Tradicionais e Não
sobre a musculatura flexora do quadril Tradicionais
(iliopsoas e reto femoral) em um movimento Alguns estudos mostraram que ao
muito similar ao do sit-up (sentar e levantar), contrário do que comumente se coloca, os
mas sem conseguir trabalhar de forma exercícios de flexão da coluna não ativam
especifica e localizada a musculatura mais a porção superior do reto do abdômen, e
abdominal (Manso e colaboradores, 2008). os exercícios com inclinação pélvica
Existem aparelhos com ótimo design posterior/flexão do quadril também não
que imitam a ação do crunch, no qual o necessariamente ativam mais a porção inferior
praticante fica em decúbito dorsal com um do mesmo.
apoio das pernas em flexão de 90º para a O estudo de Escamilla e
articulação do quadril e joelho. Na altura dos colaboradores (2006b) (Tabela 1) demonstrou,
ombros, a estrutura é articulada para permitir a através da porcentagem máxima de contração
tração com as mãos a partir de pegadores isométrica voluntária (MCIV), que para
especialmente colocados, e têm apoios para a ativação de toda a musculatura do reto do
cabeça para evitar dores na região cervical. abdômen, tanto os exercícios realizados com a
Dessa maneira o sujeito imita perfeitamente a flexão do tronco quanto os exercícios que
ação de crunch, com possibilidade de realizam a inclinação pélvica posterior e a
incorporar cargas elevadas. Outros acessórios flexão do quadril são eficientes para todo o
também muito utilizados são aparelhos de seu recrutamento, e que os exercícios com as
musculação específicos para abdominais, os maiores ativações da musculatura abdominal
bancos e pranchas de abdominais (Manso e também apresentaram grande ativação do reto
colaboradres, 2008). femoral. O exercício crunch mostrou-se mais
Outro equipamento requer que o eficiente na ativação do reto do abdômen do
praticante “role”, utilizando um acessório que que o bent knee sit-up, e menos ativo nos
imita uma roda, saindo da posição de joelhos oblíquos interno, externo e reto femoral.
no chão até uma posição pronada, chamado
de roller ou abslide. O movimento de roll-out
envolve na fase excêntrica a flexão dos
ombros, extensão do quadril e também

Tabela 1 Exercícios com maior ativação da musculatura abdominal % MCIV


(Escamilla e colaboraodres 2006b)
RAS RAI OI OE RF
Reverse crunch Power wheel roll-out Reverse crunch Power wheel pike Power wheel knee-
inclined 30º 81% inclined 30º 86% 96% up
77% 43%
Hanging knee-up Hanging knee-up Power Wheel knee- Power Wheel pike
Power Wheel roll-out with straps with straps up 26%
75% 85% 80%
76%
Hanging knee-up Power wheel pike e Power wheel pike Hanging knee-up Reverse crunch
with straps reverse crunch 83% with straps 79% inclined 30°
69% inclined 30º 22%
53%
Bent-knee sit-up Bent-knee sit up Bent-knee sit up Bent-knee sit up Bent-knee sit up
39% 38% 49% 50% 22%
Crunch Crunch Crunch Crunch Crunch
56% 48% 42% 27% 3%

RAS = reto do abdomen superior, RAI = reto do abdomen inferior, OI = oblíquo interno, OE = oblíquo externo e RF =
reto femoral

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
303
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

Em outro estudo, Escamilla e abdominal. Pode-se observar que assim como


colaboradores (2010) (Tabela 2) utilizou bola o estudo de Escamilla e colaboradores,
de ginástica em 8 exercícios, e concluiu que (2006b), os exercícios Pike e Rollout ativaram
os exercícios realizados na bola de ginástica as porções superior e inferior do reto do
em posição pronada foram mais eficazes que abdômen, ajudando a confirmar a hipótese de
os exercícios tradicionais no solo (crunch e que a ativação das porções do reto do
bent-knee sit-up); porém, com exceção do abdômen é realizada por completo nestes
exercício rollout, a ativação do reto femoral foi exercícios.
significativa durante os exercícios mais
eficazes na ativação da musculatura

Tabela 2 Exercícios com maior ativação da musculatura abdominal % MCIV


(Escamilla e colaboradores 2010)
RAS RAI OI OE RF
Rollout Pike Pike Pike Pike
63% 55% 56% 84% 24%
Pike Rollout Skier Skier Knee-up
47% 53% 47% 73% 23%
e
Rollout
46%
Bent-knee sit-up Bent-knee sit up Bent-knee sit up Bent-knee sit up Bent-knee sit up
40% 35% 31% 36% 23%
Crunch Crunch Crunch Crunch Crunch
53% 39% 33% 28% 6%
RAS = reto do abdomen superior, RAI = reto do abdomen inferior, OI = oblíquo interno, OE = oblíquo externo e RF =
reto femoral

Escamilla e colaboradores (2006a) excêntrica através das médias de valores


(Tabela 3) comparou a eficiência de sete integrados e encontraram recrutamentos
equipamentos para abdominais com dois diferentes em cada fase. Na fase concêntrica,
exercícios tradicionais (crunch e bent-knee sit- a porção inferior do reto do abdômen e o
up), e concluiu que os exercícios realizados obliquo externo foram mais ativados no
com os equipamentos Ab slide e Torso track exercício crunch do que no Ab slide, e sem
foram os que mais ativaram a musculatura diferença para a porção superior.
abdominal e com baixa atividade do reto Contrariamente, na fase excêntrica o oblíquo
femoral. Segundo o autor, esses exercícios externo e a porção superior e inferior do reto
recrutam a musculatura abdominal de forma do abdômen foram mais ativadas no exercício
diferente dos exercícios tradicionais com a Ab slide. Essa grande ativação excêntrica
flexão do tronco, pois durante a fase durante o exercício Ab Slide pode estar
excêntrica de “rolamento”, a musculatura se relacionada com a dor tardia relatada pelos
contrai de forma excêntrica e isométrica para participantes do estudo.
resistir à tentativa da ação da gravidade em Hildenbrand e colaboradores (2004)
estender o tronco e rodar a pelve. Durante a encontraram menor atividade elétrica
fase de volta, a musculatura se contrai utilizando o Ab slide quando comparado ao
isometricamente se o indivíduo mantiver a Fitball, Ab roller e trunk curl nas porções
pelve e a coluna em posição neutra, ou superior e inferior do reto do abdômen e maior
concentricamente se o indivíduo flexionar a ativação do oblíquo externo e reto femoral. A
coluna. atividade elétrica do exercício com rolamento
Os aparelhos que permitiam apoio da (Ab slide), quando comparada com o exercício
cabeça e pegadores para as mãos tiveram tradicional crunch não foi significativamente
atividade elétrica abdominal inferiores aos maior, contrariando os estudos de Escamilla e
demais exercícios, e com maiores ativações colaboradores (2006a, 2006b e 2010).
do reto femoral. Sternlicht e colaboradores (2003)
Utilizando também o Ab slide com (Tabela 4) compararam através da média das
posição curvada durante o exercício e medidas eletromiográficas, o exercício crunch
comparando com o crunch, Bird e com diversos equipamentos (Ab roller plus,
colaboradores (2006) analisaram a atividade torso track 2, ab doer pro, perfect abs). O
eletromiográfica na fase concêntrica e aparelho Ab roller plus, quando comparado ao

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
304
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

crunch não apresentou diferença na ativação comparada ao crunch. O equipamento Torso


da musculatura abdominal, por apenas imitar a track 2, apenas aumentou a atividade do
ação do crunch e não ter a opção de adicionar Oblíquo externo, contrariando o estudo de
carga ao exercício. Já o equipamento Escamilla e colaboradores, (2006a), que
realizado na posição supina e vertical (Perfect demonstrou um aumento significativo do reto
Abs), quando utilizados com tensão adicional do abdômen quando utilizou o Torso Track.
dos elásticos, aumentou significativamente a
ação da musculatura abdominal quando

Tabela 3 Exercícios com maior ativação da musculatura abdominal % MCIV


(Escamilla e colaboradores 2006a)
RAS RAI OI OE RF
Ab slide straight e Ab slide straight e Torso track Ab slide curved Ab rocker crunch
torso track 67% torso track 72% 58% 42% 30%
Ab slide curved Ab slide curved Ab slide straight Ab slide straight Ab twister crunch
61% 66% 53% e ab slide 40% 27%
curved
51%
Crunch normal Crunch normal e Crunch normal Crunch normal Ab doer body boogie
51% sam 50% 41% 16% 24%
Crunch oblique Crunch oblique Crunch oblique Crunch Ab twister oblique
50% 39% 40% Oblique 24%
32%
Bent-knee sit-up Bent-knee sit-up Bent-knee sit up Bent-knee sit up Bent-knee sit up
38% 44% 49% 41% 36%

RAS = reto do abdomen superior, RAI = reto do abdomen inferior, OI = oblíquo interno, OE = oblíquo externo e RF =
reto femoral

Maiores diferenças percentuais dos realização do crunch (posicionada abaixo das


Tabela 4 valores médios eletromiográficos
relativos ao crunch
escápulas ou na região lombar), sendo que
(Sternlicht e colaboradores, 2003) quando realizada a primeira posição, a
RAS RAI OE ativação do reto do abdômen superior e
Perfect Abs floor Perfect Abs Perfect Abs floor inferior foi menor que o crunch no solo em
high floor high high 21% e 29%; e quando realizada a segunda
172% 169% 188%
posição a ativação foi maior em 31% e 38%.
Perfect Abs floor Perfect Abs Perfect abs Lawson e colaboradores (2011)
medium floor medium seated high compararam a atividade elétrica do reto do
158% 149% 179% abdomen como um todo e o obliquo externo,
Perfect Abs floor Perfect Abs Torso Track high
realizando os exercícios sitting crunch e o
low floor low 176% sitting reverse utilizando o equipamento 6
158% 119% seconds abs (SAM) com o crunch tradicional
no solo. Chegaram à conclusão de que o
Crunch Crunch Crunch sitting crunch realizado com o SAM ativou 39%
100% 100% 100%
RAS = reto do abdomen superior, RAI = reto do abdômen a mais o reto do abdômen e 37% o oblíquo
inferior e OE = oblíquo externo externo; e o sitting reverse realizado com o
SAM ativou 78% a mais o reto do abdômen e
Comparando o crunch tradicional 113% a mais o oblíquo externo em relação ao
realizado com e sem bola de ginástica, Lizardo crunch.
e colaboradores (2007) encontraram ativação Lizardo e colaboradores (2009)
similar das porções superior e inferior do reto (Tabela 5) compararam o exercício crunch no
do abdômen (48,5% e 40,1%, solo com o abdominal realizado no aparelho
respectivamente) no exercício crunch no solo Ab swing (flexão do tronco e do quadril
e no exercício com bola (54,4% e 43,8% simultaneamente) em dois níveis (iniciante e
respectivamente). intermediário), e concluíram que o exercício
No entanto, Sternlicht e colaboradores crunch é mais eficaz que o Ab swing nos
(2007) encontraram valores interessantes de níveis iniciante e intermediário no
acordo com a posição da bola durante a

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
305
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

recrutamento do reto do abdômen como um exercício crunch, mas há necessidade de mais


todo, e sem uma alta ativação do reto femoral. estudos que analisem tanto a fase concêntrica
quanto a excêntrica, e há que se ter cautela ao
Exercícios com maior ativação da utilizá-lo com indivíduos iniciantes e com
Tabela 5 musculatura abdominal % MCIV
(Lizardo e colaboradores, 2009)
patologias lombares, por ser um exercício
RAS RAI RF complexo, e por estimular a extensão do
Crunch Crunch Crunch tronco.
48,6% 40,1% 5,8% O músculo transverso do abdômen e o
iliopsoas são músculos profundos e difíceis de
Ab swing Ab swing Ab swing
iniciante iniciante iniciante
serem analisados através da eletromiografia
21,8% 19,5% 21,9% de superfície, portanto utiliza-se a ativação do
oblíquo interno e do reto femoral,
Ab swing Ab swing Ab swing respectivamente, para predizer suas
intermediário intermediário intermediário
36,1% 38,1% 38,2%
atividades eletromiográficas.
A análise dos dados tornou-se
RAS = reto do abdomen superior, RAI = reto do abdomen complexa devido à diferença de terminologia
inferior e RF = reto femoral utilizada pelos autores, pelo número pequeno
de voluntários nas pesquisas, pela falta de
informação sobre o nível de prática de
CONCLUSÃO exercício físico dos voluntários (baixa ou alta,
quanto tempo praticam, e quais exercícios),
Entender as diferenças biomecânicas composição corporal, se houve prévio
entre os exercícios abdominais é treinamento dos exercícios, diferença nos
extremamente importante. De acordo com os métodos de colocação dos eletrodos, análises
autores analisados, pode-se concluir que os eletromiográficas e a diferença da cadência
exercícios com flexão ativa do quadril ou com dos exercícios durante os testes.
os pés presos devem ser utilizados com Sugere-se mais estudos com maior
precauções para pessoas que tenham controle nas variáveis citadas acima para
musculatura abdominal fraca e/ou problemas resultados mais consistentes e confiáveis, e
na região lombar, devido à grande ativação da que possam contribuir para um maior
musculatura flexora do quadril, o que poderia conhecimento sobre o assunto.
causar sérios danos à coluna lombar devido
ao aumento da pressão intradiscal. REFERÊNCIAS
Alguns dos exercícios que mais
ativaram a musculatura abdominal também 1- Baldissera, V. e colaboradores.
ativaram o reto femoral através da flexão ativa Comparação dos exercícios abdominais
do quadril, o que pode ser problemático para convencionais através da eletromiografia no
indivíduos com patologias na coluna, por domínio do tempo. Anais 25th International
inclinar anteriormente o quadril e Symposium on Biomechanics in Sports. Ouro
hiperestender a coluna lombar. Portanto, Preto, p. 660-662. 2007.
quando comparado aos exercícios com flexão 2- Bird, M. e colaboradores Electromyographic
ativa do quadril ou flexão do tronco com os comparison of the ab-slide and crunch
pés presos ou estendidos no chão (ex: bent- exercises. Journal of strength and conditioning
knee sit-up e o reverse crunch inclined 30º), research. Vol. 20, Núm. 2, 2006.
pode-se considerar o crunch como o exercício
mais seguro e eficaz na ativação da 3- Ekstrom, R.A. e colaboradores.
musculatura abdominal sem uma alta ativação Electromyographic analysis of core trunk, hip,
dos flexores do quadril. and thigh muscles during 9 rehabilitation
Alguns dos equipamentos analisados exercises. Journal of orthopaedic & sports
nos estudos revisados são bastante eficazes physical theraphy. Vol. 37, Núm. 12, 2007.
na ativação da musculatura abdominal, mas
devem ser utilizados com cautela em 4- Escamilla, R.F. e colaboradores.
indivíduos iniciantes, e devem ser indicados de Electromyographic analysis of traditional and
acordo com a necessidade de cada pessoa. nontraditional abdominal exercises:
Os rollers mostraram ser excelentes
equipamentos e mais eficientes do que o

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.
306
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

implications for rehabilitation and training. exercises: a literature synthesis. Journal of


Physical Therapy. Vol. 86, Núm. 5, 2006. manipulative and physiological therapeutics.
Vol. 32, Núm. 3, 2009.
5- Escamilla, R.F. e colaboradores. An
electromyographic analysis of commercial and 14- Marques, B.M. Comparação da Eficácia de
commom abdominal exercises: Implications for Dois Exercícios de Treino Abdominal Através
rehabilitation and training. Journal of da Analise Electromiográfica. Coimbra,
orthopaedic & sports physical theraphy. Vol. 2008/2009.
36, Núm. 2, 2006.
15- Norris, C.M. Abdominal muscle training in
6- Escamilla, R.F. e colaboradores. Core sport. Br J Sp Med, Vol. 21, Núm.1, 1993.
muscle activation during swiss ball and
tradicional abdominal exercises. Journal of 16- Piering, A.W. e colaboradores.
orthopaedic & sports physical therapy. Vol. 40, Electromyographic analysis of four popular
Núm. 5, 2010. abdominal exercises. Journal of athletic
training. Vol. 28, Núm. 2,1993.
7- Hildenbrand, K. e colaboradores. Abdominal
muscle activity while performing trunk-flexion 17- Ralston, S.H. e colaboradores. Prevalence
exercises using the ab roller, abslide, fitball, of vertebral compression fractures due to
and conventionally performed trunk curls. osteoporosis in ankylosing spondylitis. BMJ,
Journal of Athletic Training. Vol. 39, Núm. 1, p Vol. 300, 1990.
37-43, 2004.
18- Ricci, B. e colaboradores. Biomechanics of
8- Lawson, D. e coloaboradres. Comparison of sit-up exercises. Med Sci Sports Exerc. Vol.
a standard abdominal curl and six different 13, Núm. 1, 1981.
exercises using a portable abdominal machine.
The Journal of Applied Research. Vol. 11, 19- Rutkoska-Kucharska, A. e colaboradores.
Núm. 1, 2011. Symmetry of muscle activity during abdominal
exercises. Acta of bioengineering and
9- Lizardo, F.B. e colaboradores. Análise biomechanics. Vol. 11, Núm. 1, 2009.
eletromiográfica da atividade elétrica dos
músculos reto do abdome e reto femoral em 20- Sternlicht, E. e colaborodres.
exercícios abdominais com e sem bola de Electromyographic Analysis of Abdominal
ginástica. Coleção Pesquisa em Educação Muscle Activity Using Portable Abdominal
Física, Vol. 6, p. 87-94, 2007. Exercise Devices and a Traditional Crunch.
Journal of strength and conditioning research,
10- Lizardo, F.B. colaboradores. Análise Vol. 17, Núm. 3, 463-468, 2003.
Eletromiográfica Comparativa Dos Músculos
Reto Do Abdome E Reto Femoral Em 21- Sternlicht, E. e colaboradores.
Exercícios Abdominais Com E Sem A Electromyographic comparison of a stability
Utilização Do Aparelho Ab Swing. Biosci. J, ball crunch with a traditional crunch. Journal of
Vol. 25, Núm. 3, p. 92-103, 2009. strnght and conditioning research. Vol. 21,
Núm. 2, 2007.
11- Liberali, R. Metodologia Científica Prática:
um saber-fazer competente da saúde à 22- Vaz, M.A. e colaboradoresl. Análise de
educação. 2ª edição revisada e ampliada, exercícios abdominais: um estudo
Florianópolis: Postmix, 2011. biomecânico e eletromiográfico. Revista
Brasileira de Ciência e Movimento. Vol 5,
12- Manso, J.M.G. e colaboradores. Núm. 4,1991.
Treinamento dos músculos abdominais e
lombares. Phorte Editora, p. 35, 37, 57, São
Paulo, 2008.
Recebido 17/07/2011
13- Monfort-Panego, M. e colaboradores. Aceito 23/07/2012
Electromyographic studies in abdominal

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.5, n.28, p.299-307. Jul/Ago. 2011. ISSN 1981-9900.