Você está na página 1de 23

INSPER Análise Econômica do Negócio

Aula 1- Introdução à Economia


Delta = ∆

Conceito de economia

Seguir todo o esquema acima como definição

Micro:estudar árvore
Macro: estudar a floresta
Exercício usando DRE e balanço

Lucro econômico é diferente do lucro contábil

Lucro econômico 0: estou ganhando dinheiro cobrindo o custo de oportunidade, ou


seja, gera lucro contábil.

Caso Uber
 Desloca % de curva demanda (tudo que não mexe com preco)
 Expectativa do consumidor
 Desloca % de curva oferta (tudo que mexe com custo)
 Tarifa dinâmico (observa o quanto ele tem que aumentar o preco para igualar a
oferta com a demanda)

Aula 2- Oferta e demanda

Oferta: Empresas querem sempre vender por um preço maior para obter mais lucros

– Preço mais baixo menor quantidade

– Preço mais alto quantidade maior


Demanda: Consumidores querem pagar sempre menos para consumir mais

Demanda
– Preço mais baixo quantidade baixo mais quantidade

– Preço mais alto menos quantidade

Extensão geográfica de um mercado é dado pela disposição do cliente ir até o


estabelecimento

Preço x quantidade

Demanda
Q0 = f0
Q(d elevado) = a - bp
A demanda demonstra uma intenção de consumo a cada nível possível de preço

A curva da demanda mostra em forma de gráfico a quantidade de uma mercadoria que


os consumidores estão dispostos a comprar para cada preço unitário,

Oferta
Qs = fs
A oferta demonstra uma intenção do produtor a cada nível possível de preço
A curva de oferta mostra a quantidade de uma mercadoria que os produtores estão
dispostos a vender a um determinado preço
Fatores que afetam a demanda (deslocam a curva de demanda)
Os fatores que deslocam a curva são todos menos o preço do bem:
Preço de bens relacionados

Substitutos, Complementares

 Renda , População, Preferências do consumidor, gosto, moda, conhecimento


do produto, filas _ Tempo gasto para comprar vs custo do tempo do
consumidor _,Mudança nas expectativas _ , Moda e exclusividade
Exemplo:
⁃ Aumento de renda = bem normal
⁃ Aumento de preço substituto
⁃ Redução preço substituto
⁃ Aumento propaganda
⁃ aumento população (eventos)

Fatores que afetam a oferta (deslocam a curva de oferta)


Os fatores que deslocam a curva são todos menos o preço do bem:
 Custos dos fatores de produção
 Mão-de-obra , Capital _,Matérias-primas, Tecnologia _ Mudanças nas
expectativas do produtor

Preços da matéria- prima caiu

Note que com o aumento da oferta, o preço cai e a quantidade sobe!

>>Mercado Local = atende minha demanda no que eu preciso (B.K)<<

Aula 3 – Elasticidade da Demanda


Elasticidade = SENSIBILIDADE

Quanto mais vertical o gráfico menos sensível a demanda

 Ep = %∆Q / %∆P

 Ep < 0
 Ep <1 Inelástica
 Ep >1 Elástica

Elástica: Aumenta o preço diminui receita


Inelástica: Aumenta preço Aumenta Receita2
Elasticidade preço cruzada da demanda é dada por:

 EQaPb =∆Qa/Qa//////∆Pb/Pb
 Ep < 0
 Ep <1 Inelástica
 Ep >1 Elástica

A elasticidade cruzada é: Ex = %∆Q / %∆Preço outro


Ex > 0 = bens substitutos
Ex < 0 = bens complem

Positiva no caso de bens substitutos


Ex.: carne de boi x frango, álcool x gasolina, coca e pepsi, ….

Negativa no caso de bens complementares


Ex.: software x PC, veículos e combustível

Zero no caso de bens não relacionados

Elasticidade-Renda da demanda
Ei = ∆Q/Q / ∆i/i
i = renda
⁃ Bem inferior: Ei < 0
⁃ Bens normais: 0> Ei <1, primeira necessidade
⁃ Bens normais luxo: Ei > 1
Aula 4- Produção, Custos e Lucro
Produtividade do trabalho ou produto médio do trabalho
PMe = Q/L
PMg = ∆Q/∆L qtd produzida pela contratação de um funcionário a mais
Preço x PMg = ∆ Custo
Fatores variáveis:
Altera no curto prazo

Fatores Fixos:
Não consigo alterar no curto prazo mas sim no longo prazo

• Custos de oportunidade

_ Toda vez que escolhemos uma alternativa deixamos de lado outras alternativas _
Custo de oportunidade é a segunda melhor alternativa deixada de lado (custo
implícito) _ Exemplos:

_ Comprar uma loja de calçados x continuar empregado?

_ Investir em títulos públicos x comprar mais equipamentos?

Custos irreversíveis

 São despesas que já ocorreram e não podem ser recuperadas.

 Esses custos não afetam as decisões futuras da empresa pois representam


gastos ou investimentos que já foram feitos e não podem ser recuperados.

Exemplos:

_ pesquisa de novos produtos, desenvolvimento de protótipos, preço original pago por


equipamento, consertos de quebras de máquinas.

Custo no curto prazo


CTMe = CFT/q + CVT/q
Ou
CTMe =CT/q

CMg = ∆CV/∆q ou ∆CT/∆q

Custo Total = CF + CV

Lucro econômico = receita – custos explicito (contábeis) – custo oportunidade

Quando CMg < CVMe ou CMg < CTMe, CVMe & CTMe diminuem
Quando CMg > CVMe ou CMg > CTMe, CVMe & CTMe aumentam

Custo Economico
Vai ocorrer no futuro, olha para futuro. Tudo que abro mao para fazer alguma coisa.
 Custos explícitos: custos para os quais há efetivo desembolso
 Custos Implícitos (oportunidade): resultados que eu deixo de obter p/ realizar
projeto/produzir
 NÃO INCLUIR CUSTOS IRREVERSIVEIS: Itens contratados no passado e não da
pra reverter decisão

Custo Fixo
 Não varia com a produção
 Curto prazo
 Iluminacao da fabrica; aluguel, espaço fabrica (implicit., oportunidade), adm,
akugel de equipamentos

Custo vatiavel
 Varia com a produção
 Comissao de venda, uma parte energia/agua

MAXIMIZA PRODUTIVIDADE = MINIMO CUSTO CTMedio

2. Decidindo se a fábrica deve produzir ou fechar


Se P > CTMe, a empresa aufere lucros.

Se CVMe < P < CTMe, a empresa deve produzir com prejuízo (no curto
prazo) e no longo prazo fecha.

Se P < CVMe < CTMe, a empresa deve abandonar a indústria já!
Aula 5- Comparativo das estruturas de
mercado
Em qual estrutura de mercado a empresa opera?

Competição Perfeita
⁃ Mercadorias homogêneas
⁃ Livre entrada ou saída de concorrentes (barreiras de entrada baixas)
⁃ Muitas empresas concorrentes
Exemplos: mercados agrícolas, lojas de roupa de varejo sem marca, bares comuns,
lanchonetes de rua, serviços sem marca ou diferenciação, ....

Competição monopolística
⁃ Muitas empresas
⁃ Livre entrada e saída (barreiras de entrada baixas)
⁃ Produtos diferenciados, mas altamente substituíveis
Exemplos dessa estrutura de mercado bastante comum são:
⁃ Sabonetes
⁃ Roupas
⁃ Calçados etênis
⁃ Bolsas de moda
⁃ “Baladas” da moda
⁃ Academia
⁃ Salão de beleza
⁃ Restaurantes, cafés ou padaria gourmet Spa

Oligopólio
⁃ Pequeno número de empresas ação de uma empresa afeta diretamente a outra
⁃ Produtos diferenciados ou homogêneos
⁃ Grandes barreiras de entrada
⁃ Tendencia nao concorrer preço
Exemplos
⁃ Automóveis
⁃ Metais: Aço, Alumínio, ...
⁃ Petroquímicos
⁃ Equipamentos elétricos e Computadores Embraer x Bombardier
⁃ Boeing x Airbus
⁃ TIM, Vivo, Claro, Oi
⁃ Detergente em pó

Monopólio
⁃ Grande poder de mercado e altas barreiras de entrada sem concorrência
⁃ Um único fornecedor dominante no mercado
⁃ Nem todos os monopólios são absolutos (<100%)
⁃ Pode haver monopólio em mercados locais 

Ex.: cantina de escola, único
posto de combustível da cidade por falta de terreno, café no aeroporto

Monopólio Natural
⁃ Aquele que opera em indústrias onde existem fortes economias de escala.
⁃ há economia de escala quando o aumento da produção reduz o custo total
médio
Ex.: energia elétrica, refinaria de petróleo, indústria petroquímica, papel e
celulose

Receita marginal, custo marginal e maximização de lucros


Sendo ¶(q) o lucro em função da quantidade produzida, podemos dizem que o lucro é

a receita total menos o custo total,

π (q) = RT(q) - CT(q)


Maximização do lucro da empresa


O lucro é maximizado quando CMg = RMg
Dica: numa tabela devemos procurar avançar linha a linha até encontrarmos o ponto
onde a RMg for maior ou igual ao CMg. Quando chegarmos na linha onde a RMg ficar
menor do que o CMg, significa que o ponto máximo fica na linha anterior

Decidindo se a fábrica deve produzir ou fechar


Se P > CTMe, a empresa aufere lucros.
Se CVMe < P < CTMe, a empresa deve produzir com prejuízo (no curto prazo) e no
longo prazo fecha.
Se P < CVMe < CTMe, a empresa deve abandonar a indústria já!

Elasticidade da demanda da firma


Em mercados competitivos a curva de demanda individual da firma é perfeitamente
elástica

Empresa em mercado de competição perfeita


Ponto de equilíbrio do mercado será de Qd = Qs
P=RMe=RMg

Monopolista
a curva de demanda individual da firma é igual à curva de demanda do mercado.
P=Rme≠RMg

AULA 8
Macroeconomia
• Objetivo dos governos:
AUMENTO DA RENDA e REDUCAO DO DESEMPREGO/INFLACAO
- Através da boa distribuição de renda

Inflação
⁃ Aumento generalizado de preços na economia
⁃ Instabilidade de preços provoca:
dificuldade de planejamento ou formalização de contratos de longo prazo;
ineficiência econômica;
perdas salariais para aqueles que não têm acesso aos mecanismos de proteção
fornecidos pelo mercado financeiro.
• Incerteza geral 

• Aumento de impostos sem aprovação pelo congresso –
• Atinge mais fortemente a população de baixa renda

“variação de preço não necessariamente é inflação”

Determinantes da Inflação
Redução de Oferta – choque de oferta
Aumento de Custos – commodities por exemplo – clima desfavorável, mais impostos
sobre produção e comércio, aumento petróleo, ....
Aumento da taxa de câmbio, aumento de tarifas de importação
• Excesso de Demanda
• Aumenta da Oferta monetária
• Expectativa
de elevação da inflação no futuro
• Indexação:
⁃ Explica inflação alta e sua manutenção (governo usa bastante)
⁃ Exemplo – contratos de longo prazo no Brasil em especial em concessões –
telefonia, planos de saúde, alugueis, energia elétrica entre outros

Desemprego e suas medidas


Taxa de Desemprego = População Desocupada / população economicamente ativa
(PEA)

População em idade ativa = >10 e <65

Tipos de desemprego
Desemprego natural
Consiste em pessoas que estão mudando de emprego ou
que foram demitidas e estão procurando emprego. Importância do seguro
desemprego

Desemprego estrutural
decorre de pessoas desqualificadas para as novas demandas


de emprego em
aberto. Necessidade de educação, treinamento e requalificação.

Desemprego sazonal
Ocorre em certas épocas do ano em função de atividades como


agricultura e
turismo

Desemprego cíclico
Ocorre devido à recessão econômica – redução de demanda na economia

Desocupado = tem idade e tudo para ser ativo e está procurando emprego.

RENDA = TRIB. + C + S = PIB
S= poupança (renda nao consumida)

Componentes do PIB
PIB = C + I + G + X – M
Consumo (C)
bens e serviços comprados pelas famílias, incluindo bens não- duráveis, bens duráveis
e serviços.
• Investimento (I)
bens adquiridos para uso futuro, incluindo investimento fixo das empresas (formação
bruta de capital fixo) e variação de estoques.
• Despesa do Governo (G)
bens ou serviços adquiridos pelos governos federal,
estadual ou
municipal.
• Exportações (X)
bens ou serviços adquiridos junto ao país por estrangeiros.
• Importações (M)
bens ou serviços adquiridos pelo país junto a outras nações.

Renda = C +S (f elevado) + Trib

Sf = poupanças das famílias

PIB POTENCIAL vs PIB EFETIVO


Afinal de contas, haverá momentos em que o nível do PIB efetivo estará acima do PIB
potencial, indicando a existência de potencial pressão inflacionária que precisará ser
debelada. Por outro lado, haverá momentos em que o PIB efetivo estará abaixo do PIB
potencial, indicando ameaça de que a economia entre em um quadro deflacionário.

Política Fiscal x Monetária


Política Fiscal
Controle do governo federal via Ministério da Fazenda
• Determina a relação entre gastos de governo e arrecadação de tributos – déficit
orçamentário
Instrumentos (pode aplicar um
• Instrumentos (pode aplicar um ou
ou mais):
Aumentar ou reduzir impostos e alíquotas
– Criar novos impostos
– Extinguir impostos

Política Monetária
Controle do Banco Central via COPOM
Determina a quantidade de moeda em circulação e a taxa de juros de mercado
Instrumentos (pode aplicar um ou
ou mais):
mais)
Taxa de juros básica da economia
– Mercado aberto – compra e venda de
• – Depósito compulsório dos bancos 

• – Redesconto bancário 

• – Restrições e limites seletivos ao crédito 

– Autoridade moral - discurso do presidente

PRIMARIO = RESULTADO OPERACIONAL:


PIB = C+I+X-M+ G
Deve ficar: PIB = C+I+X-M+GC-J
Poupança externa = Importações (M) – Exportações (X)

Deficits NEGATIVO = superavit = -Sg

Resultado total = Resultado nominal

Aula 9 - Política monetária

Teoria quantitativa da moeda

Nível de preços

•  M x V = P x Y

Estoque da moeda

§  M = estoque de moeda em circulação § 


V = velocidade de circulação da moeda § 
P = inflação em nível de preços § 
Y = PIB real
P x Y = PIB nominal

Venda de título público = aumento da taxa de juros e do custo do dinheiro, diminui


circulação de dinheiro

Taxa de juros é o preço intertemporal do consumo


Aumento da taxa de juros gera queda da inflação

Política restritiva = aplicável em economia aquecida e com inflação alta


Fatores que afetam o balanço de pagamentos

Fatores que afetam as importações


⁃ Renda nacional
⁃ Taxa de câmbio § 
⁃ Preços externos x Preços dos produtos produzidos no Brasil § 
⁃ Barreiras tarifárias e não-tarifárias

•  Fatores que afetam as exportações

⁃ Renda do resto do mundo


⁃ Taxa de câmbio § 
⁃ Preços internos x Preços externos § 
Incentivos às exportações

•  Fatores que afetam as conta capital e financeira

§  Risco país § 
Câmbio § 
Taxa de juros interna x taxa de juros externa § 
Solidez das instituições a longo prazo § 
Oportunidades no país x oportunidades no exterior § 
Grau de aversão ao risco do investidor internacional (“fly to quality or to risk

Regimes Cambiais

•  Câmbio Fixo

§  Fixação da taxa de câmbio pelas autoridades monetárias §  Objetiva controlar


preços, barateando a entrada de produtos §  Banco Central precisa de reservas
internacionais para intervir no mercado de câmbio e com isso garantir a paridade fixa.

•  Bandas Cambiais

§  Similar ao câmbio fixo, mas com fixação de valores mínimo e máximo para
intervenção do Banco Central

•  Câmbio Flutuante

§  Taxa de câmbio determinada somente pelo mercado à mais volatilidade §  Objetiva


o equilíbrio das contas externas pelo mercado que analisa a oferta e demanda de
moeda estrangeira

•  Flutuação “Suja” (Dirty Floating)


§  Taxa de câmbio fixada pelo mercado com intervenções do quando o câmbio sai fora
das faixas de flutuação pretendidas §  Regime atual fica entre flutuação suja e
flutuante

PROVA 2
Tem uma letra de diagrama sim
Macroeconomia é uma questão com várias letras de pib e outra de taxa de câmbio
com inflação de duas letras