Você está na página 1de 2

eleições para apg-ufba em outubro

carta programa

uma chapa de oposição:


pela universidade popular
instagram.com/chapa2apgpopular/ facebook.com/chapa2APGpopular/

O que é a Associação de daquelas que são mães? Quantos casos de assédio presencia-
mos ou tivemos que sofrer? Quantas vezes sentimos que o
Pós-Graduandos(as) (APG)? ambiente da Pós não era um espaço para nós?
A universidade e a sociedade passam por um ciclo perverso
A APG é nossa entidade para a representação de todos e de redução dos já escassos direitos. Nossa autonomia univer-
todas estudantes dos programas de pós-graduação. Embo- sitária é atacada, o orçamento público foi congelado e sentimos
ra sua fundação date de 2010, ainda hoje permanece des- diversos impactos no dia-a-dia da UFBA.
conhecida da maior parte do corpo estudantil. Assim como
o DCE (Diretório Central dos Estudantes), a APG atua na Todas essas questões (e muitas outras) tornam a necessidade de uma
representação não só acadêmica quanto também política APG presente na realidade dos estudantes e pronta para a luta. Precisa-
tendo, por correspondência, direito a voto nos espaços deli- mos estar mais que nunca ativos e unidos para lutar para que a universida-
berativos da universidade. Cumpre, assim, o papel impor- de permaneça pública, para que mais estudantes LGBTQ+, mulheres, ne-
tantíssimo de ser porta-voz das demandas dos estudantes gras e negros, possam acessar e permanecer na Pós. Para que a ciência
da Pós nos espaços superiores de decisão da universidade, brasileira não seja destruída e privatizada, para resistir a cada retrocesso.
ou seja, o conselho acadêmico e o conselho universitário.

Qual a importância da APg,


especialmente, no cenário atual?
Quantos de nós não sofremos com o medo constante da ver-
ba acabar para as nossas bolsas? Ou ainda com a angústia
de não saber se o que investimos em tempo e formação para
nossas carreiras será destruído? Quantos não recebem bolsas
e têm que deixar o curso ou entrar em uma rotina exausti-
va de trabalho formal/informal somada ao trabalho de nos-
sas pesquisas? Quantas mulheres vivenciam a realidade de
programas de Pós que dificultam ao máximo a permanência

Leia nosso programa


completo online:
Se a APG é uma entidade com tamanha
importância, qual o motivo de ser pouco
conhecida?
A APG-UFBA vem passando por um ciclo de esvaziamento
crônico que praticamente a acompanha desde sua fundação,
o que evidencia que as estratégias empregadas pelas ges-
tões anteriores para dialogar com a base não foram eficientes.
A entidade que se propõe representativa do conjunto dos
estudantes foi reduzida a um pequeno grupo dirigido de for-
ma localizada principalmente na Faculdade de Educação interesses econômicos, impactando de forma direta na produ-
que acabou por perder a dimensão do conjunto da Univer- ção e secundarizando os interesses da classe trabalhadora.
sidade. Mesmo quando as gestões se iniciavam com repre- A política neoliberal instaurada no Brasil, tem inundado inclu-
sentatividade mais ampla de outros programas, a forma sive as entidades representativas de estudantes e pesquisa-
de condução não foi capaz de expandir sua área de influ- dores, como APG e ANPG. A necessidade de uma chapa de
ência, bem como de participar dos espaços deliberativos oposição se justifica no contexto de opor-se tanto às práti-
da universidade e terminaram gerando gestões esvaziadas. cas que tornaram nossa entidade local desmobilizada e sem
força política, quanto à uma entidade nacional que tem vi-
rado um apêndice conciliador de um projeto privatista, que
Qual a relação da APG-UFBA com a endossa ou tenta “mediar” interesses com o grande capital.
Nesse sentido, compreendemos que é necessá-
Associação Nacional de ria a formação de uma chapa para a condução da AP-
Pós-Graduandos (ANPG)? G-UFBA que valorize as demandas dos e das es-
tudantes e, além disso, busque cada vez mais uma
universidade para o povo e que seja construída pelo povo.
Para além do papel interno, a APG atua junto a Associação
Apesar de não abrirmos mão de um projeto de univer-
Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) levando as deman-
sidade popular, construída de modo coletivo, acredita-
das locais da UFBA para apresentar às representações de
mos que podemos traçar um outro caminho que não se
outras Pós do país e também ouvindo as demandas delas.
limite a existir ou sobreviver, mas sim a garantir uma exis-
Dessa troca nasce a pauta nacional, que é comum a todas
tência plena, que permita à pós-graduação, verdadeira-
as pessoas que estão na pós-graduação, levada para as
mente, atender os interesses do conjunto da sociedade.
disputas no campo político, na luta para que nossos direi-
Uma nova APG-UFBA deve ao mesmo tempo buscar a inde-
tos sejam garantidos independente da gestão federal. Con-
pendência frente à linha majoritária da entidade nacional e
tudo, o fato de muitos estudantes da Pós também nunca
resgatar os verdadeiros anseios do conjunto de nossa base.
terem ouvido falar da ANPG é um indício que durante as ges-
No âmbito local existem pautas urgentes que apenas o tra-
tões anteriores, essa troca foi superficial sem que o conjun-
balho coletivo organizado poderá dar conta. Nossa entidade
to dos estudantes participasse dos processos deliberativos.
precisa urgentemente de espaço físico próprio, de maior rea-
firmação enquanto entidade representativa da pós-graduação
na UFBA, ocupando seus espaços de direito nos conselhos
Por que uma chapa de oposição? universitários, por exemplo. Mas, sobretudo, a APG-UFBA
deve estar ao lado de todos os programas de pós-gradua-
A existência de tantos ataques e retrocessos pode tra- ção, servindo como motor de impulsão para o conjunto das
zer a falsa ideia que as possibilidades de vitória se esgota- e dos estudantes, buscando os diversos programas, suas re-
ram, que a vontade de construir um modelo de pós-gradu- presentações, produzindo sínteses, projetos conjuntos, ana-
ação diferente do que temos precisa ser colocada de lado lisando as demandas e encontrando formas coletivas que
e a única saída possível é sobreviver a qualquer custo. possam melhorar nossas condições de trabalho e estudo.
Mas que custo estamos preparados a pagar pela sobrevi-
vência? A elite aponta que o preço para a existência de uma Assinam:
pós-graduação no país seja entregar completamente ao setor Camila de Jesus Andrade (PPGQ)
privado toda a estrutura para a realização de pesquisas, cons- Caroline Gonçalves Birrer
truída e mantida às custas do suor da classe trabalhadora, (PPGECOTAV)
maximizando, deste modo, o lucro da elite e sem nenhuma ga- Victor Ferreira Dias Santos
rantia de retorno à sociedade. O Future-se é um exemplo bem (PPGEFHC)
atual dessa lógica, mas não é sua gênese, muitos desses ele- João Carlos Gama de Matos
mentos já apareciam em textos como o da Lei nº 13.243/2016 (PPGECOTAV)
conhecida como o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inova- Henrique Lacerda Arruda
ção, a qual, por exemplo, não foi criticada na época pela gestão (PPGEconomia)
atual ANPG (Associação Nacional de Pós-graduandos) mas Yuri Carlos dos Santos (PPGE)
recebeu duras críticas da chapa de oposição a nível nacional. Victor Montalvão Moreno
Essa posição da atual gestão nacional evidencia uma afasta- (PPGEFHC)
mento dos debates e das demandas postas pela base, ou seja, Giovani Damico (PPGCS)
pelas pessoas que desejam a ampliação da produção de uma André Figueiredo Brandão (PPGF)
ciência com caráter público e de qualidade, diminuindo assim a Murilo Cézar Carneiro Bastos
influência do setor privado que busca atender aos seus próprios (PPGQ)