Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

Mateus Pessanha de Araujo RA: 819162224


Giovana de Oliveira Araújo RA: 819145674
Lucas Gabriel de Melo Vicente RA: 819117809
Nicolas Locosque da Costa Zapelão RA: 819157690
Bruna Ignácio Faccio RA: 81912236

Entrevista
Laboratório de Aprendizagem Integrada
LAI

São Paulo – SP
2019
UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

Mateus Pessanha de Araujo


Giovana de Oliveira Araújo
Lucas Gabriel de Melo Vicente
Nicolas Locosque da Costa Zapelão
Bruna Ignácio Faccio

Entrevista
Laboratório de Aprendizagem Integrada
LAI

Atividade final de semestre apresentado


para avaliação do Curso de Engenharia,
Nível Superior, da Universidade São
Judas Tadeu
São Paulo, SP

São Paulo - SP
2019
Mateus Pessanha de Araujo
2
Giovana de Oliveira Araújo
Lucas Gabriel de Melo Vicente
Nicolas Locosque da Costa Zapelão
Bruna Ignácio Faccio

Pré relatório de Laboratório de Praticas Integradas


LPI

Trabalho apresentado ao curso de


Engenharia como requisito para obtenção
de nota.

Aprovado em: __/__/___


Nota: ______

BANCA EXAMINADORA

________________________________________
Prof.

3
RESUMO

O presente trabalho visa um estudo sobre o dia a dia de um engenheiro de


automação em uma empresa, com isso o grupo resolveu fazer uma entrevista com
um profissional do ramo com perguntas selecionadas. O Profissional que
entrevistamos foi o Mateus Antoneli, que é Técnico I de simulador de Voou na
empresa CAE South América Flight Training.

4
Sumário
Resumo................................................................................................................................................. 4

Perguntas e respostas......................................................................................................................... 6

Conclusão............................................................................................................................................. 8

5
Perguntas e respostas
1. Como é a comunicação entre você e seus colegas de trabalho? E como isso
influencia na qualidade do trabalho?

“No caso do nosso trabalho a comunicação ela é verbal e escrita, pois nós temos
uma divisão por turnos, então entre a nossa equipe, nos comunicamos verbalmente
como transmitindo uma falha ou analisando juntos alguma situação que envolva uma
ação de correção imediata; mas tudo que é trabalhado é realizado um registro para
que os outros turnos possam ficar a par do que ocorreu então estávamos
trabalhando e eles estavam ausentes.”

2. Como é a comunicação entre prestador de serviço e cliente? Como o


prestador explica termos técnicos para o cliente?

“No caso especifico da nossa empresa que trabalhamos com simulador de voos e
treinamento para piloto tanto de aviões, tanto de helicópteros, nosso público utiliza
de fato uma linguagem muito especifica, então o desafio maior é nos como
profissional que não somos necessariamente da área da aviação, mas de áreas
correlatas, é de identificamos os termos e estudarmos para conseguirmos de uma
forma análoga traduzi – los para o nosso conhecimento. Mas buscamos traduzir
para o cliente por exemplo algumas coisas que envolvem conhecimentos na área de
informática avançada e de robótica, buscando utilizar de analogias com o mundo da
aviação, então isso ajuda muito para que a comunicação aconteça com muita
fluência.”

3. Ter mais contatos profissionais é melhor do que ter um bom currículo, na hora
de procurar novas oportunidades?

“Nesse caso é muito importante ter um bom currículo, pois é o histórico do seu
desenvolvimento, mas também é importante ter um bom network, até porque quando
vamos abrir vagas essas vagas são divulgadas internamente, então nós realmente
damos preferência para indicações”

4. Na sua profissão, é importante saber argumentar? Por quê?

“Precisamos porque estamos em contato direto com os clientes que são os pilotos e
precisamos dialogar para conseguir uma disponibilidade de tempo, quando à falhas
no simulador, temos que sempre que estar argumentando parar entrar em um
acordo tendo em vista que o tempo a cada hora no simulador de voo é muito caro. E
dependendo da falhas envolve mais tempo e precisamos de contato direto com a
gerencia da companhia. Por isso é muito importante saber argumentar”

5. Quais são as fontes que você usa para embasar seu argumento?

6
“São várias as fontes, mas buscamos priorizar consultar o manual do fabricante, e
se for algo que ocasiona o problema de um fornecedor externo, entramos em
contato com o próprio fornecedor pra embasar essas informações já tivemos casos
de precisar de contatar em especialista da Airbus, devido a uma dúvida de um
cliente”

6. Quais são seus critérios para construir um bom argumento?

“São vários os critérios, ter uma base solida em relação de informações fornecidas
pelo fabricante do sistema em questão, temos também que levar em consideração o
histórico da companhia, por que muitas vezes o problema afeta uma única
companhia então eu preciso ter um conhecimento de como essa companhia reage
quando á uma intervenção, que pode levar um pouco mais de tempo e é preciso
analisar como levar essa informação. Além de buscar ter um embasamento da sede
que fica em Montreal então buscamos nos informar com eles para ter um argumento
maior.”

7. Você sabe se a sua empresa tem alguma política de inclusão? Se sim, qual?

“Nós temos uma política de inclusão que buscamos dentro do possível, possibilitar a
inclusão de pessoas com deficiência, mesmo que não seja especificamente dentro
da área da engenharia, mas em áreas correlatas ou áreas de suporte.”

8. O seu gênero e raça, influenciaram para obter seu emprego?

“Buscamos ter uma imparcialidade de gênero e raça, porem na questão do gênero


nós temos bastante iniciativa por parte da nossa sede de ter mulheres na liderança
da empresa, nós temos hoje na frente da direção da empresa uma mulher. E temos
também mulheres que integram na área da engenharia, e em uma das sedes do
Brasil temos uma mulher como gerente, temos mulheres trabalhando também em
outros setores.”

9. Você já presenciou ou sofreu algum preconceito no ambiente de trabalho ou


em casa?

“Nunca sofri preconceito no trabalho ou em casa, nunca tive nenhum evento de


preconceito no qual eu tenha percebido”

7
Conclusão

Após a entrevista observamos como é importante desenvolver ainda mais


nossas competências como a comunicação e argumentação, que foram alguns dos
temas estudados em aula, pois eles são fundamentais para um profissional em seu
ambiente de trabalho.