Você está na página 1de 1549

1

MANUAL
PRÁTICO DE
ACUPUNTURA
2

SAULO WANDERLEY

SAULO WANDERLEY

MANUAL PRÁTICO DE ACUPUNTURA

João Pessoa - Paraíba


2004
3

APRESENTAÇÃO

RECOMENDAÇÕES PARA AQUELES QUE TRAÇAM ESTE


CAMINHO DA ARTE DA CURA.

Aula da saudade proferida pelo Dr. Evaldo Martins Leite,

em 31 de julho de 2004.

EVITAR OS 6 (SEIS) VÍCIOS:

1. Evitar a procura de honrarias e favores.

2. Evitar a paixão pela beleza física.

3. Evitar o desejo desmedido de dinheiro.

4. Evitar a gula.

5. Evitar as idéias perturbadoras.

6. Evitar o ciúme.

SEGUIR AS DEZ MODERAÇÕES:

1. Moderações nas idéias (BP).

2. Moderação na memorização.

3. Moderação no riso (C).

4. Moderação na palavra.
4

5. Moderação no beber (qualquer líquido).

6. Moderação na cólera.

7. Moderação na alegria.

8. Moderação na tristeza.

9. Moderação no desejo.

10. Moderação na astúcia.

CONSELHOS PRÁTICOS AOS ACUPUNTURISTAS:

1. AGIR COMO RECOMENDA

“ Faço o que digo, faço o que faço”

2. CUIDAR DA SAÚDE

 Procurar o equilíbrio físico, vital, emocional e mental.

 Fazer os exercícios respiratórios.

 Fazer os estímulos dos meridianos principais, bater ou torcer.


Batendo com a outra mão, seguindo o trajeto dos 12 meridianos.
Começa pelo lado esquerdo: P – IG, etc.

 Alimentação correta, dormir na hora certa, etc.

3. AMAR-SE A SI MESMO.

3. TRABALHAR COM AS DUAS MÃOS.


5

Melhora a intuição, trabalha os dois lados do cérebro.

3. MEDITAÇÃO DIÁRIA.

3. CUIDAR DO AMBIENTE DE TRABALHO

3. PRATICAR O JIN SHIN JIUTSU

Abraçar cada dedo com a outra mão, começando com a esquerda.


Demorando no mínimo 1 minuto para cada dedo e depois faz com
a direita. A pessoa fica mais relaxada, etc. Isso pode ser feito em
qualquer ambiente e a qualquer hora.

Outra técnica:

Yin – Azul

Yang – Vermelho

Yin + Yang = Púrpura

Começa da mão esquerda (palma da mão) – pensando na cor azul


e segue até a outra mão. Depois vai no dorso da mão (cor
vermelha) e segue para a outra mão. Depois une as duas cores em
púrpura e leva no pensamento ao órgão doente. Isso pode ser feito
para você mesmo ou pra o seu paciente.

3. FUNÇÃO DO ACUPUNTURISTA NO EXERCÍCIO DA


MEDICINA TRADICIONAL CHINESA :

1. Curar

2. Melhorar
6

3. Aliviar

4. Consolar

ÍNDICE

Página

1. Contra-Indicações da Acupuntura 09

2. Acidentes com Acupuntura 13

3. Roteiro de Tratamento 25

4. Ficha de Anamnese 27

5. Pulsologia Chinesa 29

6. Vasos Maravilhosos 32

7. Ponto Aberto da hora do nascimento 40

8. Sinais e Sintomas de Excesso ou 43


Insuficiência
7

1. Yin e Yang 43

2. Meridianos Principais 44

3. Principais Sinais e Sintomas 53


Psíquicos

4. Índice Geral dos Sinais e 54


Sintomas

9. Correspondência dos cinco 60


elementos

10.Horário de Circulação de Energia de 60


cada Meridiano

11. Circulação Geral de Energia 62

11. Pontos de Comando 63

11. Cálculos das Estações e 64


Calendário de 2004 / 2005

11. Tabelas de Tonificação e 67


Sedação

11. Regras de Tonificação e 68


Sedação com Agulhas

11. Pentagramas 69

1. Geral: Yin e Yang 69

2. Pontos Su na Função Yin 70

3. Pontos Su na Função Yang 71

4. Pentagrama, Ciclo de 72
8

Produção e de Inibição

11. Meridianos Secundários 78

1. Meridianos Ligamentário ou 78
Tendino-Muscular

2. Meridianos de passagem (Lo) 80


Transversal

3. Meridianos de Passagem (Lo) 81


Longitudinal

4. Meridianos Distintos ou 83
Colaterais

11. Grandes Meridianos 87

11. Analgesia 88

1. Regras 88

2. Pontos Usados (Receitas) 90

11. As Oito Reuniões 92

11. Microssistemas 93

1. Língua 93

2. Rosto 94

3. Orelha (auriculoterapia) 97

4. Mãos 100

5. Pés (Reflexologia) 105


9

6. Craneopuntura 108

11. Pontos de Ma Tang Yang 114

11. Os Pontos psíquicos de Dr. La 120


Fuye

11. Pontos Indicados e Contra- 121


Indicados na Gravidez

11. Receitas de Acupuntura 122

Funções de alguns pontos 122


importantes – Dicas importantes

Pontos Especiais 129

Pontos Circunstanciais 130

Pontos de Urgências 131

Diversos 132

Dermatologia 132

Dores 134

Endocrinologia 136

Ginecologia 137

Imunologia 137

Neurologia 138

Obstetrícia 138
10

Ósteo-Articulares 139

Problemas na área da Cabeça 141

Face 141

Laringe / Faringe / Traquéia 142

Nariz 142

Pescoço 143

Psiquismo 143

Sexualidade 145

Sistema Circulatório 146

Sistema Digestivo 148

Sistema Linfático 149

Sistema Respiratório 149

Sistema Urinário 151

11. Estética 153

11. Fitoterapia 164

11. Localização de Pontos e Atlas 168


de acupuntura
11

1. CONTRA-INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA

Contra-indicação absoluta a acupuntura não tem. Mas há algumas


contra-indicações em determinadas circunstâncias e contra-
indicações de alguns pontos em determinados casos.

a) ESTADOS DE CÓLERA OU PAVOR

As contra-indicações mais evidentes são aquelas que estão


relacionadas com os estados de cólera ou de pavor. E estas contra-
indicações são para o equilíbrio energético. O indivíduo estando
numa situação encolerizado ou apavorado, você não vai ter
possibilidade de ajuda-lo no sentido do equilíbrio das energias.
Pode, porém, fazer um ou outro pontinho para tranqüilizá-lo. Fazer
o IT – VG20 – VC17. Esses pontos para tranqüilizar o paciente
podem ser feitos, mas para você restabelecer o equilíbrio, a saúde,
não.

Tem que ele se acalmar, ficar tranqüilo. Ele tem que ficar o mais
sossegado possível. Por isso inclusive que a gente recomenda, que
o indivíduo que chega apressado, etc. relaxe um pouco, espera um
pouco, não vá colocar as agulhas imediatamente. Deixe-o relaxar
um pouquinho. Tranqüilize, converse sobre assuntos gerais que não
vai agravar o estado do paciente. Então é uma contra-indicação
relativa a uma determinada situação.

b) ESTADO DE EMBRIAGUEZ OU DE JEJUM PROLONGADO

Não tem nenhuma vantagem de você fazer um tratamento de


acupuntura em um paciente, que esteja em estado de embriaguez.
Ele tem quer sair do estado de embriaguez para tratá-lo. Embora
que existem recursos dentro da acupuntura para tratamento da
embriaguez.
12

Para o tratamento da embriaguez, o recurso que você faz é um


recurso muito simples e muito eficiente. Que é o seguinte: Você
coloca uma agulha na ponta do nariz, na posição oblíqua em
relação à estrutura do nariz. Entrando no próprio septo nasal
(dentro da cartilagem) e aprofunda de 2 a 3 cm (lá dentro
mesmo). Este ponto chama-se Pi tchoun. E deixa a agulha durante
15-20 min.e seguramente o estado de embriaguez passa. O
indivíduo pode espirrar e vomitar também.

Este ponto não só serve para álcool como também já foi usado para
coma barbiturico. Se estiver num estado semicomatoso, sai do
coma. É um ponto altamente eficiente. Este ponto também é usado
para tratamento de rinites, só que neste caso é bem superficial
(2mm) e para o tratamento da embriaguez é 2-3 cm.

c) ESTADO DE EMPANTURRAMENTO

Quando o indivíduo come demais, fica empanturrado, cheio.


Naquele momento para fazer um tratamento de acupuntura com
finalidades terapêuticas, não se faz. Mas você pode ajudar o
empanturrado a melhorar as condições digestivas dele, fazendo o
ponto E45 (ponto ting do estômago, que fica situado junto ao ângulo
ungueal externo do 2º artelho). Só que este ponto você penetra pelo
menos 3mm. Para o ponto ting é profundo e dói.

d) ESTADO DE EXTENUAÇÃO FÍSICA (ESFORÇO FÍSICO, ETC).

Após esforços físicos violentos, esforço físico muito prolongado, etc.


O indivíduo vai correr a maratona, então depois da maratona você
não vai fazer acupuntura para o equilíbrio energético. Agora pode
fazer algum ponto energético geral: E36 – VC6 – B38 (os dois
primeiros são os mais importantes).
13

e) NA GRAVIDEZ

Existem alguns pontos que são contra-indicados, mas não a


acupuntura que é contra-indicada. Porque na gravidez existem
pontos que são recomendados. Os pontos contra-indicados durante
a gravidez, aqueles mais importantes... Existem outros que são
menos importantes que se você fizer uma ou duas vezes não tem
problema nenhum. Mas existem alguns pontos que são mais
complicados, não porque interrompem a gravidez, mas porque
interferem no desenvolvimento do feto. São os seguintes:

Contra-indicados:

 Todos os pontos abdominais abaixo do umbigo, até o 5º mês.

 Abaixo do fundo do útero, a partir do 5º mês.

 Outros: IG4 – BP6 – B60 – E36.

Recomendados:

 R9 – B38 (T e M)

R9  Proteção do feto. É o ponto que protege a criança contra a


má energia ancestral. É uma proteção contra a fixação, que protege
até certo ponto, contra a fixação da energia ancestral de má
qualidade. Então é um ponto que protege a criança. De um modo
geral, a criança cuja mãe fez acupuntura no decorrer da sua
gestação, pelo menos uma vez em cada mês, é uma criança mais
saudável.

B38  Proteção da mãe. É aquele que faz com que a qualidade


do trabalho da gestação não interfira na saúde materna. Melhora as
condições energéticas da mãe de um modo geral

Freqüência das aplicações: Fazer pelo menos uma vez por mês
com o pré-natal. Principalmente no período entre a lua nova e o dia
anterior da lua cheia. Não entre a lua cheia e a lua nova, mas no
14

período da lua nova até o início do dia anterior da lua cheia,


preferivelmente. Pode fazer noutros períodos, mas o ideal é neste.
Durante aproximadamente 15min.

Obs: Existe algum ponto abortivo? Classicamente se diz não. Mas


segundo o grande acupunturista Guyen Van Nghi, (que é
considerado um dos maiores acupunturistas do mundo ocidental,
apesar dele ser vietnamita, mora na França desde que praticamente
nasceu e é um grande acupunturista no sentido de qualidade de
serviço) ele diz que tem um ponto sim. E que esse ponto é tão
eficiente, segundo ele, que se você consegue acerta-lo bem,
desenvolver o Qi com freqüência, você consegue fazer com que
esse ponto seja ponto de anticoncepção. É o VC5.

f) CUIDADOS NA DEBILIDADE E NO MAL-ESTAR GERAL

O indivíduo que tem mal-estar geral com facilidade, indivíduo que


está muito débil, muito debilitado, use para experimentar a sua
resistência nas primeiras aplicações, poucas agulhas. Quatro
agulhas, cinco agulhas e só. Se ele suportar bem, se ele respondeu
bem aquela primeira abordagem que você faz, então vai
estendendo a aplicação para conseguir o equilíbrio satisfatório.

A acupuntura, ela por si não cura ninguém. Quem cura é o próprio


indivíduo. O indivíduo é que se cura. A acupuntura estimula o
indivíduo as suas forças, as suas energias a se curar. Porque nós
em noventa e tantos por cento dos casos, nenhum procedimento
terapêutico cura o indivíduo. Ele se cura.

Nós temos uma capacidade de autocura muito grande. Só que esta


capacidade de autocura é principalmente mais manifesta durante o
período do sono. Por isso é que se recomenda dormir bem. Passar
a noite tranqüilo, sossegado, num sono reparador. O sono é
reparador se ele tem ação curativa. O indivíduo se cura a si mesmo.
E qual é o momento em que a cura é mais apropriada? Durante o
período máximo de energia daquela função. Então é bom se
acostumar a dormir antes da onze horas da noite.
15

g) INFECÇÃO LOCAL

Aqui existe também um cuidado. Não fazer o ponto de acupuntura


em um local infectado, mas pode fazer a cerclagem. Se você vai
usar um ponto que esteja com uma infecção local, você está
cometendo um risco grande para o paciente, inclusive para levar a
infecção lá para dentro.

No local da infecção você faz a cerclagem, usando os


procedimentos que vimos anteriormente. Faz a cerclagem não só
em infecção local, mas também nos processos localizados: uma
úlcera, uma tendinite, etc.

h) DESIDRATAÇÃO

Durante a desidratação não fazer acupuntura. Não tem ponto


nenhum, tem que reidratar a pessoa. A desidratação mata
principalmente crianças que são muito sensíveis.
16

2. ACIDENTES COM ACUPUNTURA

Para que se pratique a acupuntura com absoluta segurança, própria


e do paciente, nós insistimos em que fiquem atentos para a
possibilidade de incidentes ou acidentes com acupuntura.

Os acidentes são absolutamente raros, mas podem acontecer. E


alguns desses acidentes podem ser potencialmente graves. É
insignificante o número de acidentes que tem seriedade além da
mínima. É raro, mas como podem acontecer e se acontecer em
nossas mãos toma uma dimensão muito séria, temos a
necessidade de estudá-los o mais cedo possível.

a) “MAL ESTAR” COM ACUPUNTURA

Isso é relativamente freqüente. É uma relação que


surge nas deficiências de energias, e isto ocorre mais nos
indivíduos que apresentamdistonias neurovegetativas. As
distonias neurovegetativas podem muito freqüentemente
desencadear quadros aparentemente sérios, mas de um modo
geral são quadros benignos. Nos portadores de mal estar
geral (um mal estar meio indefinido) e isto acontece
geralmente nas primeiras aplicações (mas pode acontecer em
pessoas muito sensíveis e que já tenha tido experiências com
acupunturas, não sendo a primeira vez). E mais comum quando o
indivíduo está numa situação de jejum.

Quadro Clínico:

O quadro clínico é benigno, mas ele pode ser impressionante.


Aparentemente pode parecer uma situação grave, mas não é. Os
mais comuns são:
17

 Lipotimia (leve desmaio);

 Palidez;

 Náuseas (muito freqüente);

 Cefaléias (durante a aplicação da acupuntura);

 Síncope (desmaio) com perda dos sentidos (raro);

 Suores profusos (mais freqüentes);

 Extremidades frias;

 Pulso imperceptível.

O que fazer:

 Colocar o paciente em decúbito dorsal (deitado) tendo o


cuidado de colocar a cabeça do paciente mais baixo que o
corpo, quanto mais baixo melhor para fazer o retorno
sanguíneo (muitas vezes só isto e a sua conversa
tranqüilizadora com o paciente resolve o problema). Mas
também você pode levantar as pernas do paciente e em
seguida empurrar para frente a fim de comprimir o abdômen
com as pernas Porque isso acontece muitas vezes quando o
paciente está sentado ou em pé (nunca coloque as agulhas
com o paciente em pé, mesmo que seja uma simples dor de
dente e o paciente se queixe, não faça com o paciente em
pé!). Lembre-se que o ideal é sempre fazer acupuntura com o
paciente deitado.

 Tranqüilize-se e procure conversar com o paciente a fim de


tranqüilizá-lo. Mostre-se que está seguro do que faz.

 Imediatamente interrompa o tratamento.

 Retire as agulhas que já foram colocadas.


18

 Pode-se colocar agulhas em alguns pontos (se estavam


podem até conservá-los e se não podem colocá-los). O
melhor ponto para estes estados de desmaios, síncopes, mal
estar geral, etc. são: VG26 (principal), CS9, E36 (manipula um
pouco), VG20.

Obs1: Se o indivíduo está bem, está tranqüilo, você pode


recomeçar o tratamento na mesma seção.

Obs2: Quando se vai tratar o paciente o ideal é que ele fique sem
roupa (só com as roupas íntimas, sutiã, calcinha, cueca). Embora
que, mais comum, e o fato de que a maioria dos pontos utilizados
(pontos Su) se localize do cotovelo para a ponta dos dedos e dos
joelhos para as pontas dos pés, então freqüentemente se faz o
seguinte: Levanta a saia ou a calça até a altura do joelho, levanta a
blusa até o cotovelo, abre a blusa na barriga para eventualmente
colocar nos pontos do vaso governador, estômago (pontos
abdominais e torácicos) e nas costas tira a blusa ou camisa.

b) RESISTÊNCIAS (do ponto):

b.1) À introdução da agulha – É como se houvesse uma


barreira energética que impede (dificulta) a penetração da
agulha. Você coloca a agulha, ela entorta mas não entra. Isso é
muito freqüente.

O que fazer: Você vai introduzir a agulha por debaixo do


ponto, porque a resistência energética é localizada. Na região
vizinha do ponto este bloqueio energético não existe. Então
você pega o ponto por baixo.
19

b.2) Às manipulações – Com acupuntura às vezes você


manipula a agulha para sedar, tonificar, estimular para
desenvolver o Qi, etc.

O que fazer: Se houver resistência a esta manipulação,


procure girar suavemente a agulha nos dois sentidos (horário
e anti-horário) e aos pouquinhos você provavelmente
consegue. Se não conseguir, aguarde o tempo necessário a
fim de que o processo terapêutico se complete.

b.3) À retirada – Esse é o mais comum. Você coloca agulha,


mas ela fica como que abraçada pelo tecido e para retirá-la tem
que forçar. Se você forçar para retirar a agulha incomoda
bastante, dói.

O que fazer: Gire a agulha suavemente no sentido horário e


anti-horário e vai puxando-a lentamente. Se continuar, demore
mais um pouco e repita a operação, sem forçar porque senão
dói. Porque você só deve retirar a agulha no momento em que
tiver frouxo. Mas em algumas condições isso não resolve,
então se deve fazer o seguinte: Massageia com a unha ao
longo do meridiano, e isso muitas vezes é o suficiente. Caso
não seja suficiente então você faz uma cerclagem em torno da
agulha (coloca umas três agulhas em redor do ponto que está
a agulha) e aguarda um pouco.

Obs: A cerclagem é um procedimento muito interessante


quando você, por exemplo, tem uma úlcera (traumática, de
decúbito, varicosa, etc) e um procedimento simples para
ajudar a cicatrização da úlcera é fazer em torno dela uma
cerclagem com agulhas. Dependendo do tamanho o espaço
entre as agulhas pode variar de 2-3 cm.
20

A cerclagem pode ser feito introduzindo a agulha


perpendicularmente ou tangencialmente à lesão, por um tempo em
torno de 15min. Quando elas estiverem frouxas.

Tenham paciência, não tenham pressa em


relação à retirada da agulha, porque se você tira a agulha muito
rápido que ainda se encontra presa, vai acontecer que vai doer. E
para retirar a agulha você tem que esperar que o estímulo
terapêutico se complete.

O que acontece quando a agulha penetra na pele:

Quando a agulha penetra na pele, a agulha se comporta como se


fosse um corpo estranho ao organismo. O que ocorre quando um
corpo estranho penetra no organismo? Ocorre uma reação de rejeição
àquele corpo estranho e esse é o grande problema dos transplantes.
Localmente o que o ocorre no local da introdução da agulha?
Acontece uma liberação de substâncias químicas responsáveis pela
inflamação. O processo de inflamação é uma etapa do processo de
rejeição. Rejeição do germe, da bactéria, do espinho que penetrou na
pele, etc.

O processo de inflamação se caracteriza por quatro sinais:

Calor – Aumento da temperatura no local da inflamação e na área


vizinha não.

 Rubor - O local fica avermelhado.


21

 Tumor

 Dor

Porque acontece isto? O corpo estranho é rejeitado e ocorre


a liberação local de certas substâncias químicas que facilitem a
retirada daquele corpo estranho.

 Então ocorre um aumento do teor


de: histamina, capsicina, prostaglandinas, peptídeos diver
sos, etc.

 A presença dessas substâncias vai acontecer um aumento da


permeabilidade capilar. Em torno da agulha vai aumentar a
dilatação dos capilares. Se aumenta a dilatação dos capilares,
chega mais sangue. Se chega mais sangue, fica
avermelhado.

 Aumento do aporte de leucócitos / histiócitos no local da


picada.

 Aumento do teor de linfa no local (líquidos). No local fica um


botãozinho, uma saliência.

 E outras coisas que poderão aparecer. A dor pode acontecer


porque no ponto de acupuntura existe grande quantidade de
terminações nervosas e se esse aporte de histiócitos,
leucócitos, etc. comprimir essas terminações nervosas, mais a
compressão causada pela agulha, vão estimular essas
terminações nervosas a causar dor.

c) RUPTURA DA AGULHA (Agulha quebrar)

Geralmente acontece por um descuido do acupunturista ou do


paciente. Se você coloca a agulha sem a atenção, pode acontecer que
a agulha já estando torta, ela entorte ainda mais e possa até quebrar.
Então quando você colocar a agulha, você tem quer colocar com
atenção e que a força de penetração da agulha seja acompanhando a
lâmina da agulha. Pode acontecer também da agulha quebrar por ela
22

estar um pouco dobrada e aquela área ficar mais frágil. Nunca utilize
agulhas que foi muito manipulada (amassada, entortadas, etc).

Recomendação: Nunca deixe a agulha totalmente introduzida até o


cabo, porque vai dificultar a retirada da agulha se porventura ela
quebrar. Porque se ela quebra, na maior parte das vezes, você com
uma pinça facilmente retira. Mas se só tiver uma pontinha do lado de
fora, então você comprime lateralmente com a unha, geralmente
expõe mais a agulha e aí retira com a ajuda de uma pinça. Nunca
tente tirar com a unha, pois pode ser que ela entre mais ainda. Se não
conseguir de nenhuma dessas formas, aí então terá que ser retirada
cirurgicamente.

d) MÁCULAS, PÁPULAS, HEMATOMAS, SANGRAMENTOS,


EXSUDAÇÃO DE PLASMA OU SORO, EQUIMOSE.

Isso aqui às vezes não depende da nossa intenção, depende da


reação do paciente.

Máculas, Pápulas: Aquela mancha avermelhada, rosada que ocorre


em certos pontos e em certos indivíduos, isso é muito comum. É muito
freqüente, fica vermelho como se fosse uma picada de inseto. É uma
reação causada pela liberação de substâncias que vimos acima, que
causa um aumento da dilatação capilar e saem este plasma, soro,
leucócitos ou então chegam leucócitos e formam um verdadeiro monte
que às vezes coça. Porque estas substâncias têm uma ação
pruriginosa também. Por exemplo, a histamina faz coçar, como se
fosse uma picada de inseto. Qual é o significado disto? Nenhum, sob
o ponto de vista de prejuízo. Embora que geralmente isso acontece
como indicativo de boa resposta terapêutica. Indivíduos que
respondem marcando máculas e pápulas no local da picada, e às
vezes você tira a agulha e demora horas para sumir, não tem
significado negativo nenhum. Isso acontece em alguns pontos, não em
todos. Acontecem nas pessoas que tem um certo fundo alérgico.

Quando você coloca uma agulha dentro da pele, está causando uma
micro-lesão. Esta micro-lesão vai ser responsável por todo aquele
processo de reação inflamatória e para desaparecer na totalidade,
leva cerca de uma semana (5 a 10 dias) para se recuperar. Então a
23

agulhada, para voltar a integridade total (antes da agulhada) leva esse


tempo. Durante esse tempo, o estímulo está se fazendo, está se
continuando naquele ponto.

Hematomas, exsudação: Se porventura você pega um vaso (mesmo


que você não veja, às vezes ele está subjacente ao ponto, ele fica
abaixo do ponto) e você tira a agulha e nem percebe e ele depois fica
roxo. Fica um hematoma (vermelho-roxo com elevação da pele) ou às
vezes uma equimose (fica vermelho-roxo sem elevação da pele). Não
tem significado clínico nenhuma, mas tem significado estético. O
hematoma e a equimose são conseqüências de uma hemorragia que
não extravasou para a pele.

Sangramentos: Se o sangue passa pelo orifício de penetração da


agulha, vai haver um sangramento maior ou menor, dependendo do
vaso que foi atingido. Não tem significado nenhum. O que fazer?
Sangrou, passe um algodão seco e comprime um pouco. A própria
elasticidade dos vasos e dos tecidos se encarrega de fazer a
hemostasia. Inclusive existem pontos que é recomendado sangrar o
ponto (deixar sair uma gotícula de sangue). Portanto se sangrar
tranqüilize o paciente que não tem ação negativa nenhuma. Para os
pontos que você vai querer que sangre, avise ao paciente primeiro
que vai tentar que saia uma gotícula de sangue.

Exsudação de plasma ou soro: É uma coisa chata, porque às vezes


não coagula fácil (principalmente o soro). Se não coagula, você só
pode parar quando a elasticidade dos tecidos conseguir retrair e evitar
a passagem do soro. Geralmente acontece nos casos de edemas
linfáticos ou então acontece quando você coloca a agulha, forma uma
pápula muito grande e quando retira sai uma gotícula de plasma.
Neste caso não tem significado nenhum. Agora naquelas pessoas que
tem edema, está com a perna inchada porque a circulação de retorno
não está boa, há uma retenção de plasma, ou edema linfático, etc.
Vamos evitar colocar a agulha nestes locais? Não. Vamos colocar a
agulha para melhorar o edema. Sabendo que pode ficar gotejando.
Pernas inchadas às vezes goteja muito tempo. O que se recomenda?
Colocar a perna para cima, comprimir com algodão seco e depois de
algum tempo passa. Não tem significado.
24

A cirurgia de esvaziamento ganglionar depois de uma mastectomia (é


importante porque é muito comum), se você tira os gânglios linfáticos
o que vai acontecer? Os vasos linfáticos não estão suficientes para
fazer a circulação linfática acontecer. Aí chega o cirurgião e diz: não
mexa neste braço, não deixe colocar agulhas, etc.etc. (ele ignorante
quanto à acupuntura, não sabe que o uso de acupuntura no pós-
operatório da cirurgia de mama, evita a instalação do edema. Em vez
de ser proibido, como muitos proíbem veementes, deveria ser
recomendado. A agulha da acupuntura é lisa, é limpa, é seca, é fina,
não causa dano absolutamente nenhum neste tipo de coisa. Façam
nos pontos que forem indicados.

Obs: Indivíduos que tem hemofilia fazem acupuntura? Sim. Se


sangrar, comprime com algodão seco e pronto.

e) DOR PERSISTENTE PÓS-PUNTURA

Isso acontece, raramente, mas pode acontecer. De um modo geral, o


ponto de acupuntura tem terminações nervosas maiores que o
adjacente. A picada em si pode eventualmente doer um pouquinho.
Geralmente as pessoas toleram muito bem, a não ser aquelas
hipersensíveis, etc. A dor geralmente é da picada. Mínima, mas pode
acontecer em grande número de pessoas.

Agora a dor que persiste depois da agulha está introduzida,


geralmente significa que a ponta da agulha está atingindo uma fibra
nervosa de maior calibre. Então o que fazer se está incomodando,
doendo? Puxe a agulha para fora (não retire a agulha) um pouquinho
e geralmente isso é suficiente para libertar o contato da agulha com a
fibra mais calibrosa. Mas há casos em que você retira a agulha
totalmente e dor persiste. O que fazer? O cliente reclamou da dor,
você faz uma leve massagem ao longo do meridiano. Melhorou? Não.
Então você faz moxa ao redor do ponto ou se houver irradiação você
faz moxa ao longo da irradiação da dor. É muito simples, tranqüilize a
pessoa e se a dor levezinha continuar, diga para a pessoa não ficar
tentando fazer doer.

f) NEURITE PÓS-PUNTURA (lesão no nervo)


25

É mais raro e mais sério. Fica a neurite ao longo da fibra


nervosa que você atingiu. Isto pode demorar meses para cura
espontânea, se não usar a acupuntura, que no caso e moxa. Aplica-se
moxas ao longo do trajeto da dor. Com poucas aplicações fica curado.
Pontos mais comuns de serem acometidos: B52, IG4, E36, B60,
VB34. Com o desenvolvimento do Qi é mais fácil desenvolver uma
neurite, principalmente no E36.

g) QUEIMADURAS POR MOXA

É interessante ver a sensibilidade do paciente para ver se está


normal, para não causar queimadura. Deve-se recomendar ao
paciente para ele não tolerar a queimadura, pois se tolerar muito vai
casar queimadura. E isso não deve jamais acontecer.

h) ELETRÓLISE – NA ELETROESTIMULAÇÃO

Você faz a estimulação e se não tiver cuidado necessário pode


causar eletrólise, e em conseqüência disso a queimadura.

Você coloca as agulhas na pele do


paciente e faz o estímulo elétrico. Liga a
bateria, aparelho, etc. conectando este
aparelho a agulha e prende o fio,
geralmente com a garra (jacaré) na área
da agulha (depois do cabo), porque o
cabo pode ter resistência elétrica
diferente.

Uma agulha está recebendo carga elétrica negativa e a outra carga


elétrica positiva. Ora, a agulha está dentro da pele e em contato
com os líquidos orgânicos. Você sabe que os líquidos orgânicos são
ricos em íons positivos e negativos (sódio, potássio, hidrogênio,
cloro, fosfato, etc).
26

Estas cargas positivas que estão chegando aqui na agulha, sendo


positivas atrai os íons negativos. Então em torno da agulha fica, por
exemplo, cloreto, iodeto, fosfato, sulfato, etc. Eles ficam em torno da
agulha numa atmosfera de íons envolvendo a agulha. E na outra
agulha, uma outra atmosfera iônica de natureza positiva, por
exemplo, cálcio, potássio, sódio, magnésio, etc.

O que é que vai acontecer se você mantiver essas correntes


elétricas? Esses íons vão ser cada vez mais atraídos, que eles vão
se fixandos, grudandos, em torno da agulha positiva e da agulha
negativa, de modo que forma um verdadeiro bloco prendendo-se na
agulha. Então ficam as duas agulhas que receberam muita carga
elétrica, grudadas na pele. E que você tenta tirar as agulhas e elas
ficam presas na pele.

Este fenômeno chama-se eletrólise, que pode além de grudar na


pele, fazem a temperatura capilar aumentar, causando a
queimadura elétrica. Então você tem, portanto um dano muito sério
no tecido e para retirar a agulha vai ter quer tirar na força. E fica um
buracão porque lesou a pele de uma maneira muito intensa.
Portanto a eletrólise é um acidente muito chato e tem quer ter
cuidado quando você faz a eletroestimulação.

Como é que você atenua, diminui a possibilidade, como é que você


faz a prevenção disso? De uma maneira muito fácil. Isso acontece
depois que você faz o estímulo elétrico durante um período de 8-10
minutos aproximadamente. Se você interrompe a cada 5-6 minutos
e troca de pólo, ou seja, a carga que estava vindo para um lado,
troca pelo a outra (inverte as polaridades). E nesta inversão de
polaridade o que é que vai acontecer? As cargas de um lado que
eram positivas, agora vão atrair as inversas e no outro pólo do
mesmo jeito. Então fica, portanto uma movimentação iônica com os
estímulos elétricos que não vão causar a eletrólise. A cada
determinado tempo você inverte a polaridade, trocando as garras ou
então, hoje em dia os aparelhos estão construídos de tal modo que
basta você virar uma chave, que a polarização é invertida.

Existe aparelho mais moderno, que já fazem esta mudança


automaticamente. Você não fica com a preocupação nenhuma de
cuidar disso, porque o aparelho já faz e essa possibilidade de
eletrólise desaparece. Esta é uma ação que pode ser feita mesmo
em aparelhos modernos, que não tenham esta variação de
polaridade automática. Alguns aparelhos modernos têm, outros não.
Neste que não tem a variação automática, você tem quer fazer a
27

mudança do pólo ou com uma chave que muda de um para o outro


e vice-versa, ou então você desliga (zera) o aparelho e inverte a
posição das garras.

Como é que você vai calcular este tempo? Você coloca as agulhas,
coloca as garras na agulha, liga o aparelho e aí você começa a
aumentar a intensidade da corrente e o paciente vai sentir os
choquinhos. Só que esse choquinho é tolerável e você vai
aumentando, chega a um ponto que fica desagradável, dolorido.
Quando o paciente diz que está doendo, está incomodando, você
diminui um pouquinho e deixa o estímulo um pouco abaixo do limiar
da dor. Depois de algum tempo o paciente vai se adaptando por
causa dessa couraça eletrônica, que impede que o estímulo
atravesse, é como se fosse uma barreira eletrônica. Aí o paciente
começa a não sentir e quando ele começa a não sentir, está na
hora de trocar a polaridade.

A eletroestimulação é muito boa, por exemplo, em casos de dores


localizadas, dor de ombro, dor de articulação, etc. Ombro: você
coloca as agulhas, faz o estímulo elétrico durante 10-15 minutos e,
além disso, você pode fazer também a moxa. Aí você usou três
estímulos para tratar o problema no ombro. Você usou eletricidade,
fogo e agulha.

Contra-indicação da eletroestimulação:

 Não fazer estímulos elétricos no crânio;

 Procurar evitar fazer estímulos elétricos passando ao nível da


coluna, porque a pessoa pode ter algum defeito anatômico e
causar um eletrochoque.

 No rosto, cuidado, vá devagarzinho. Coloque as agulhas só


do mesmo lado, para evitar a passagem lá por cima. Por
exemplo, está com paralisia facial, então coloco os pontos do
meridiano do estômago, mas só de um lado.

 Pessoas que tem marcapasso não faz na área do tronco. Faz


na perna, mas com cuidado, sempre os eletrodos pertos um
do outro e sempre no mesmo nível, para evitar a passagem
28

para cima. O melhor é não usar estímulo elétrico quando o


paciente tem marcapasso. Usa o estímulo da agulha e do
fogo.

 Pessoas que tem próteses metálicas, fazer longe da prótese.

i) LESÃO DE ÓRGÃOS

Esse é um problema grave que pode acontecer. Lesar o pulmão,


lesar o coração, penetrou muito topou no coração, no fígado, nas
vísceras. Cuidado quando for colocar agulhas na face e a pessoa
pode mexer a cabeça e lesar o olho. Quando for trabalhar próximo
de mucosas, cuidado para não lesar a mucosa.

Mas o caso mais freqüente é a lesão de pulmão, quando se coloca


a agulha no tórax e o paciente inadvertidamente se mexe, bate e
enterra a agulha. Então quando você for trabalhar no tórax, cuidado
na colocação das agulhas, principalmente no tórax lateral em que a
musculatura é menos presente. Porque nas costas na altura da
lombar tem bastante músculo, mas lateralmente tem menos, a
parede é mais delgada e você pode fazer uma lesão torácica que
pode ser grave. Na área do pescoço devido às artérias calibrosas
não se recomenda colocar agulhas nem moxas, só massagem.
Também não deve usar moxa na região poplítea, porque a artéria
femural passa perto, nem também em mucosas não se deve fazer
moxa. Não deve usar moxa na virilha, na vizinhança dos olhos e até
mesmo na face para evitar cicatriz.

A lesão de órgãos internos é o cuidado máximo que devemos ter.

j) CONTAMINAÇÃO

Hoje em dia a maioria dos acupunturistas só usam agulhas de aço


inoxidável, porque são fáceis de serem conservadas, são baratas e
fáceis de serem construídas. E conseqüentemente se encontra com
preços baixos e repõe facilmente o seu estoque.
29

As agulhas são descartáveis, porém é desnecessário joga-las fora.


Não precisam ser descartáveis, você pode reaproveitá-las. Agora
hoje em dia, por essa questão de contaminação, se usa muito os
pacientes cada um deles terem as suas próprias agulhas. Isso é
uma coisa boa no sentido mais psicológico, porque no sentido da
realidade, as agulhas de acupuntura sendo lisas, maciças,
pontiagudas e secas, estão esterilizadas.

Se a agulha cair aqui no chão, cair um pouquinho de poeira, você


pega um algodão com álcool, tira a poeira, secou, essa agulha está
esterilizada. Não precisa mais nada. A agulha de injeção é que é
oca. Quando você penetra a agulha, lá dentro ficam retidas células,
plasma, sangue, restos tissulares, etc. que pode servir de meio de
cultura para bactérias, vírus, protozoários, etc. Para a agulha de
acupuntura não, você não faz acupuntura com agulha de injeção.
Você faz acupuntura com agulha própria.

A agulha tem que está limpa, lisa e seca. Para limpar usa álcool,
álcool iodado, etc. O vírus da aids ou bactéria que quiser suicidar-se
grude na agulha de acupuntura. Porque que morre? Explicação: O
contato de um germe qualquer (vírus, bactéria, etc) numa superfície
metálica ele morre. Por quê? Se você tem uma agulha de
acupuntura...

Aqui é uma agulha de acupuntura (ver desenho acima), e o germe


presente na parede. A proporção não é esta, é muito maior. Uma
bactéria tem em torno de 2 micros de dimensão, uma grande tem
10 micros e a agulha é milímetro. É como se fosse 1m em 1 Km.

Ora, nós sabemos que as células vivas têm a sua membrana


externa polarizada eletricamente. Isso significa que a camada de
30

fora da célula é dotada de cargas elétricas positivas em maior


número do que a camada interna. E inversamente, dentro da célula,
as cargas negativas predominam. A carga positiva o que é? É a
carga positiva dos íons que estão presentes nos tecidos vivos
(sódio, potássio, cálcio, magnésio, hidrogênio, etc.). As cargas
negativas estão do lado de dentro, são causadas pelas cargas
iônicas negativas que estão presentes nos tecidos vivos (cloreto,
iodeto, sulfato, fosfato, bicarbonato, etc.).

Se esta célula está eletricamente carregada e está em contato com


o metal (só vale para as agulha metálicas, objetos de madeiras,
espinhos, etc. não serve). O contato de uma superfície
eletricamente carregada com um metal, faz com que o metal sendo
condutor elétrico (os metais são condutores elétricos), estas cargas
positivas vão se escoar ao longo do corpo da agulha.

Se vão se escoar as cargas positivas, aí fica numa outra etapa


assim: cargas negativas dentro da célula (mas também tem cargas
positivas dentro) e do lado de fora sem cargas negativas e
negativas. Para manter a vida, precisa as cargas positivas irem para
fora. Então do lado de fora vão ficar o sódio, potássio, cálcio, etc. A
célula continua presa em contato com o metal da agulha. Se
continua o contato, a carga elétrica que chega vai se escoando ao
longo da agulha. Ao fim de poucos segundos, a célula entra numa
depleção elétrica, depleção iônica e morre. Não há risco de você
reutilizar as agulhas. Contanto que elas estejam limpas, lisas e
secas.

E porque se recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas?


Porque existe uma coisa chamada paciente. Este paciente que leu
no jornal que a acupuntura é responsável por todos os males do
mundo. No passado era assim, a acupuntura era responsável pela
lepra, pela sífilis, pela aids. Durante muito tempo era assim, no
tempo em que se procurava destruir a acupuntura. Porque a
acupuntura estava ameaçando a entrar no Brasil, foi depois que o
Nixon chegou aos Estados Unidos e viu os resultados...

A campanha aqui no ocidente foi terrível, colocavam tudo que era


de ruim. E o medo da contaminação ficou. E a aids veio então
mostrar o problema que é da agulha de injeção e não da agulha de
acupuntura. Mas por extensão, este medo foi colocado na agulha
de acupuntura também.
31

Por você tem que respeitar o medo (receio) do paciente. Lembre-se


que o trabalho nosso é para o nosso paciente. Ele tem que está
tranqüilo. Porque ele vem atrás de nosso auxílio, então você tem
que tranqüilizá-lo psicologicamente, deixá-lo sossegado e em paz,
sem medo de contaminação de nenhuma espécie. Porque se
acontecer de colocar uma agulha nele e ele não saiba a
procedência, ele pode ter medo. E além do trauma psicológico, ele
não volta mais para o tratamento. Então você tem que respeita-lo.

Como é que você respeita o paciente? Se ele tiver as suas agulhas


próprias (ele diz se tiver germe, é germe meu não vai fazer mal).
Então você usa e coloca em tudo de ensaio. (...) Por isso é que se
recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas.

Uma coisa importante é a assepsia da pele. Geralmente na pele


não tem bactérias patogênicas, então você passa álcool, álcool
iodado, etc. para evitar a contaminação. Evita que se empurre
bactéria para dentro da pele.

Uso de luvas: A tradição chinesa não recomenda usar luvas. Por


quê? Por que existe a idéia de que colocar agulha não é só o ato
mecânico da introdução do corpo estranho. Fazer moxa não é só o
estímulo térmico. Acupuntura é também trocas energéticas. Quando
você toca no paciente, você está estabelecendo com o paciente
uma troca energética benéfica para ele e sobrecarga para você. As
respostas segundo toda a tradição chinesa são de que o toque
favorece os resultados. Se você faz acupuntura tocando no
paciente, as respostas são melhores. E esse toque tem que ser
direto, sem interferência de luva, que segundo eles, as respostas
terapêuticas diminuem significativamente. Então trabalhar sempre
com as mãos livre de luvas.

Entre um cliente e outro, segundo a tradição chinesa, para que as


energias sutis do paciente que ficam um pouco na cama, mexam no
lençol, mexam na cama, modifiquem a posição, ajeitem o lençol,
façam qualquer coisa. E lavem as mãos com água, em benefício do
próximo paciente que virá e de você. Para você não absolver as
eventuais energias negativas que o paciente tenha deixado.

Portanto a tradição chinesa recomenda:


32

 Não usar luvas;

 Lavar as mãos no i’ntervalo de um paciente para o outro;

 Rearrumar, fazer uma pequena mexida na cama em que o


paciente deitou.

3. ROTEIRO DE TRATAMENTO

1. Anamnese com investigação de microssistemas: língua, olho,


pulso, orelha, etc.

2. Listar sinais e sintomas indicando excesso e/ou insuficiência


(por Meridiano Principal – MP).

3. Montagem do Tratamento:

1. Indicação do Vaso Maravilhoso (Analisar a queixa


principal).

 Somente alterar o VM quando a queixa principal tornar-se


insignificante.

2. Identificar na lista de Sinais e Sintomas o(s) Meridiano(s)


Principal(ais) em desequilíbrio (Fisiopatologia por excesso
e/ou insuficiência).
33

AÇÃO:

 Classificar os MP por excesso e/ou insuficiência.

 Avaliar quantitativamente os excessos e insuficiências.

 Considerar aqueles com 2 ou mais sintomas / sinais em


desequilíbrio.

 Desconsiderar aqueles com menos de 2 sintomas.

1. Definição do Diagnóstico (Excesso / Insuficiência).

 Quando não fechar o diagnóstico de  ou , tratar o Ponto Fonte


do MP.

 Mais de 2 MP em desequilíbrio, fazer a interação das funções.

 Tratar inicialmente o MP com maior número de sinais e sintomas


alterados.

4. Tratamento:

1. Elaborar o Pentagrama dos MP em desequilíbrio


(estação):

Yin Yang

Obs: Se necessário fazer a interação das funções.

1. MERIDIANOS SECUNDÁRIOS (MS): Sinais e Sintomas


com indicação de MS em desequilíbrio.

 Meridianos Tendino-Muscular ou Ligamentares.

 Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Longitudinais.


34

 Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Transversais.

 Meridianos Distintos ou Colaterais.

 Grandes meridianos.

5. Intervenção Prática:

 Relacionar todos os pontos a serem punturados.

 Abrir tratamento com Vaso Maravilhoso.

 Meridianos Principais, Meridianos secundários, Microssistemas.

 Fechar com vaso maravilhoso.

 Aguardar o tempo necessário e iniciar a retirada das agulhas


obedecendo à regra do Vaso Maravilhoso.

4. FICHA DE ANAMNESE

Nome:
_______________________________________________________________
_
35

Data de Nascimento: ______/______/________ hora: ________ Sexo:


___________

Idade: __________________ Ponto Aberto:


_______________________________

Estado Civil: ______________________ Filhos: ( ) Sim ( ) Não


_________________

Profissão:
_____________________________________________________________

Endereço:
_____________________________________________________________

___________________________ Fone:
_____________________________________

INTERROGATORIO:

 Aspecto Local

1. Qual é o seu problema?


_____________________________________________

2. O que você sente?


_________________________________________________

3. Quando começou o problema?


_______________________________________

4. Aonde se localiza sua doença?


_______________________________________

5. O que melhora (frio, calor, vento, etc)?


_________________________________

6. O que piora?
_____________________________________________________

7. Toma algum medicamento? Qual?


____________________________________
36

8. O queis alguma coisa incomoda?


_____________________________________

9. Quais doenças você já teve?


_________________________________________

10. Quais cirurgias já fez?


______________________________________________

11. Como é sua respiração?


____________________________________________

12. Tem tosse, catarro, expectoração?


____________________________________

13. Algum problema de pele, mucosa, nos cabelos, unhas, ossos e


dentes?______

14. E sua digestão? Intestino?


___________________________________________

15. Como são as fezes? Freqüência de evacuação?


_________________________

16. Algum problema circulatório?


________________________________________

17. Como é a urina (volume, cor e freqüência)?


_____________________________

18. Tem algum incômodo na cabeça, olhos (F), nariz (P), ouvidos ®,
boca (BP), garganta (BP e F) ?
________________________________________________

19. Tem algum incômodo nas pernas, braços, articulações, coluna?


____________

 Aspecto Geral

20. Como se sente no frio? E no calor?


____________________________________

21. Como é a sua sede?


_______________________________________________
37

22. Como é a febre (se tiver)?


___________________________________________

23. Como é sua transpiração? Quando transpira mais e em que local?


__________

24. Hábitos alimentares? Desejos e aversões alimentares.


____________________

25. Hábitos bebidas? Outros hábitos?


____________________________________

26. Como é seu sono? A que horas desperta durante o sono? Sonhos
repetitivos? _

27. Como é a menstruação?


____________________________________________

28. Como é a disposição durante o dia e a noite?


____________________________

 No caso de dor

29. Local da dor :


_____________________________________________________

30. Classificar o tipo de dor em Yin / Yang

YIN DOR YIN DOR YANG YANG

Crônica Aguda

Fixa Móvel

Profunda Superficial
38

Agrava pelo frio Agrava pelo calor

Agrava pelo repouso Agrava pelo movimento

Agrava com aplicação Agrava com aplicação


fria quente

Tipo surda Tipo latejante

 TOTAL TOTAL 

Conclusão: Dor tipo ( ) Yin () ( ) Yang ()

31. Avaliar o(s) Meridianos que passam pelo local da dor:


________________

 Aspecto Psíquico

32. Como é o seu gênio, sua personalidade, seu modo de ser?


_________________

33. Como você se ofende, como fica?


_____________________________________

34. Como enfrenta as situações difíceis?


__________________________________

35. Quais são os seus medos?


__________________________________________

36. Como você fica ao ser contrariado(a)?


_________________________________

37. Como você é em relação à imposição das idéias?


________________________

38. O que mais gostaria de dizer?


________________________________________

39. Observações:
_____________________________________________________
39

 Exame do Pulso Radial

Nílvel I ____________ Nível III

P. Direito __________ P. Esquerdo

P. Superficial _______ P. Profundo

Tipologia:

( ) Tipo Yin

( )Tipo Yang

5. PULSOLOGIA CHINESA
40

RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO PELOS PULSOS:

 Autoconfiança; Não duvide de sua capacidade.

 Preferência sempre para a informação detectada no pulso;

 Preferencialmente tomar o pulso em jejum pela manhã. Porque


a energia nutridora ainda não deu a mobilidade diferenciada que
ele dar quando o indivíduo se alimenta. A energia defensiva ou
wei ela nos vem através do ar, mas a energia nutridora ela vem
através dos alimentos. Então de manhã enquanto o indivíduo
está em jejum, está tudo estável. Mas na hora em que ele se
alimenta, modifica o padrão daquela realidade. Mas na realidade
esse procedimento normalmente não é viável, pois nem sempre
poderemos contar com o paciente em jejum;

 Devemos tomar os pulsos em todas as sessões. Fazer o


tratamento de fundo (causas maiores) e o tratamento pelos
pulsos do dia. Isso é muito importante;

 É natural que no horário e na estação da função, perceba-se


algum excesso de energia:

 Inverno  R e B são mais fortes e profundos (requerendo mais


força para detectar);
41

 Primavera  F e VB mais tensos;

 Verão  C-ID-CS-TR mais cheios (maior volume da energia


sangue);

 5a. Estação  É natural a transformação / mudança nos pulsos


de E e BP;

 Outono  P e IG apresentam pulsos ligeiros;

 Se quadro e pulso não “concordam”, o prognóstico é grave.

 A posição do paciente em relação ao terapeuta: Em que posição


que a gente toma o pulso? Se o indivíduo chega ao nosso
consultório e eu tenho uma linda mesa e tem uma cadeira minha
e mais duas cadeiras em frente, clássico do consultório. Se eu
tenho um consultório tipo clássico, eu sentado do lado de cá e o
paciente sentado do lado de lá e por cima da mesa com o ponto
de apoio, que é a mesa, eu tomo o pulso do paciente. Mas e se
eu encontro o paciente no corredor? Toma o pulso em pé. E se o
paciente estiver deitado? Muitas vezes quando o paciente está
deitado se torna difícil pegar o pulso. O que a gente faz é: o
paciente poderá colocar os dois braços do mesmo lado do
terapeuta, e ele pega os dois pulsos. Se não der para fazer isso,
poderá pegar um pulso de um lado depois vai no outro lado e
pega o outro.

 Paciente e terapeuta não devem está sentindo muito frio ou


muito calor, porque isso altera a percepção ou altera o pulso.

ELEMENTOS PARTICULARES OU VARIAÇÕES INDIVIDUAIS:

Os pulsos além das características que ele tem para aquele indivíduo,
aquele indivíduo ele pode realçar por ter um elemento diferenciador. O
homem alto, a criança, o obeso. Estas pessoas têm pulsos
particulares ou variações individuais.

 O homem tem pulso mais duro e forte do que a mulher;


42

 O adulto tem o pulso cheio, amplo (um pulso mais fino no


adolescente é perfeitamente normal);

 O ancião tem pulso mais débil;

 A criança tem pulso mais rápido, isto é, Freqüência Cardíaca x


Freqüência Respiratória > 6;

 O homem tem o pulso mais longo que o da mulher;

 A pessoa magra tem pulso ligeiro e superficial;

 O obeso tem pulso discretamente profundo (tem fazer uma


pressão maior para chegar até a pele);

 Intelectuais tem pulso mais débil;

 Após exercícios o pulso é grande e rápido;

 Após viagem longa, o pulso é mais rápido (é mais devido à


distância percorrida do que ao tempo de viagem);

 Após refeição, o pulso é grande e lento;

 Após ingestão de álcool, o pulso se torna mais rápido.

EXCESSOS GENERALIZADOS

Polaridad Excessos Generalizados Pulsos


e Relacionado
s
Puls Posição Segment
o o

Superficia Duro e
l Rápido (“vai”
Yang D>E I > III e “volta”
> rapidamente).

Profundo Também
amplo; mais
forte.
43

Superficia Mole ou
l Macio e Lento
Yin D<E I < III (“vai”/”fica” e
< “volta”).

Profundo Mais fraco;


fluxo mais
baixo.

* Pulso D > E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente, batem


mais fortes que os do lado esquerdo.

Pulso D < E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente batem mais
fracos que os do lado direito.

Tratamento: Excesso Generalizado

 YANG  CS6 (T), VC6 (T), TR5 (D).

 YIN  E36 (T), VC12 (T), VC13 (T).

5. VASOS MARAVILHOSOS

CAPTADORES

(Os captadores (os dois) servem para ALERGIAS)

 Traz para frente e frente para trás (Qualquer desequilíbrio que


haja entre a parte da frente e a parte de trás. Ex. costas
quente. (serve para os dois vasos captadores)).
44

P7 R6 – JENN MO - VC
 Problemas respiratórios e qualquer tipo de cefaléia.

Sintomas:

Abscesso de Dores (cabeça Meningite em


mama e nuca) crianças

Afonia Enfisema Ondas de calor

Asma / Equisemas Pleurisias


Bronquite

Astenia Gripe Pneumonia

Coqueluche Hemoptise Rinites /


Sinusite

Coriza Intoxicação Tosse


alimentar

Diabetes Laringite Tuberculose


pulmonar

Dispnéia Medo nas


crianças

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.
45
46

ID3 B62 – TOU MO


 Excelente Ação Psíquica.

Sintomas:

Alucinações Dor nos olhos

Amidalite Excitação

Angina de garganta Lacrimejamento

Boca (qualquer Lumbago


afecção)

Calor nas costas Nevralgias (testa e


sobrancelhas)

Conjuntivite Problema nas


extremidades
(dormências)

Contraturas (nuca, Ranger de dentes


maxilar e garganta).

Distúrbios motores das Surdez


extremidades

Dor de dente Tétano

Dor na 7a. cervical Tosse com catarro

Dor nas costas / Nuca Vertigens


47

ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-


falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a
pele muda de cor.

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a pele


muda de cor.
48
49

DISTRIBUIDORES

(Os Distribuidores tem um trabalho BÁSICO PARA TR)

Eles tratam problemas:

 Profundo  Superficial

 Superficial  Profundo

BP4 CS6 – TCHRONG MO – Vasos dos ataques.


 Problemas digestivos e problemas musculares.

Sintomas:

Angina de peito Dores superficiais


(abdômen e flancos)

Anorexia/ Inapetência Febre palustre

Arritmias Hipercloridria

Atonia gástrica Icterícia

Bradicardia Miocardite

Colecistite Palpitações

Diarréia Pericardite

Distúrbio do aparelho Soluços


50

digestivo

Dores no coração Úlceras

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1 o. metatarsiano


com o 1o. cuneiforme, diante e debaixo da extremidade proximal do 1o.
metatarsiano.

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca, entre


os tendões palmar maior e palmar menor.

.
51
52

VB41 TR5 – TAE MO – Vaso Cintura.


 Problema Ósteo-Artculares.

Sintomas:

Amenorréia Espasmo geral

Anemia Fraqueza / Fadiga

Artrite em geral Mamite

Contratura (pé e mão) Plenitude (inchaço no


ventre)

Dores (joelho, costas, Reumatismo articular


ombro, braços, pernas,
pés e tornozelo).

Dores internas (ventre) Tremores em geral

Dores menstruais para Vermelhidão de pulsos


não virgens e joelho

Esgotamento geral Vômitos

B41  No espaço formado pelo 4o. e 5o. metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40 (Diante e
debaixo do maléolo externo, sobre a articulação calcâneo-cuboidea).
53

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço, em um buraco estando a mão
apoiada sobre o ombro oposto.

REGULADORES
54

 De um lado para o outro.

R6 P7 – INN TSIAO MO – Acelerador do Inn.


 Problemas gênito-urinários.

Sintomas:

Abortos Edemas em Metrite


repetidos geral

Albuminúria Enurese Nefrite

Anúria Esgotamento Orquite


para mulheres
e idosos

Ausência de Esterilidade e Ovarite


prazer sexual Frigidez

Cistite Hemorragia Prostatite


pós-parto

Constipação Impotência Retenção


para mulheres urinária
55

Dores do pós- Insônia Sonolência


parto

Dores nas Leucorréia


regras (só para
virgens)

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.
56

B62 ID3 – IANG TSIAO MO

 Transtornos com prevalência de um dos lados.

 Decorrências do AVC (seqüelas).

Sintomas:

Abscessos em geral Dores lombares

Afazia Furunculoses

Apoplexia Hemiplegia

Ciática (+++) – Obsessões (vícios)


Excelente
57

Congestão cerebral Paralisia facial

Contraturas (torcicolo e Paraplegia


câimbras)

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a


pele muda de cor.
ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-
falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a
pele muda de cor.
58
59

PRODUTORES

(MAIOR AGILIDADE E FORÇA – INDICADO PARA IDOSOS)

 De cima para baixo.

 De baixo para cima.

Ex. Pés gelados e cabeça quente, etc.

CS6 BP4 – INN WEI

 Transtornos Emocionais Circulatórios; AVC (Prevenção para não


ter mais).

Sintomas:

Agitação Epilepsia Plenitude


interna

Angústia / Hemorróidas Riso nervoso


Apreensão

Constipação Hipertensão Timidez


espasmódica

Convulsão / Indigestão Úlceras


60

Delírio (Todos os varicosa


tipos)

Depressão Inquietude Varizes


mental

Emotividade Medos e
Pesadelos

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca, entre


os tendões de palmar maior e de palmar menor.

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1º metatarsiano


com o 1º cuneiforme; diante e debaixo da extremidade proximal do 1º
metatarsiano.
61

TR5 VB41 – IANG WEI

 Energização em casos de esgotamento pela idade ou evolução


patológica.

Sintomas:

Abscessos na cabeça Epistaxes

Acne Febres em geral

Afecções da língua Inchaço no calcanhar

Artrite de dedos e Nevralgias em geral


joelhos

Barulho nos ouvido Otites

Cefaléias Parotidite

Dores (Braço, pescoço, Pruridos (P5)


molares inferiores e
orelhas).
62

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço estando a mão apoiada sobre o
ombro oposto.

VB41  No espaço formado pelo 4º e 5º metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40.
63

7. PONTO ABERTO DA HORA DO NASCIMENTO

TRONCOS EM 1o. DE JANEIRO

1920 1934  1948  1962 1976  1990  2004 


T5 T9 T2  T6 T9 T3 T5

1921 1935  1949  1963 1977  1991  2005 


 T1 T4 T8  T1 T5 T8 T1

1922 1936  1950  1964 1978  1992  2006 


 T6 T9 T3  T6 T10 T3 T6

1923 1937  1951  1965 1979  1993  2007 


 T1 T5 T8  T2 T5 T9 T1

1924 1938  1952  1966 1980  1994  2008 


 T6 T10 T3  T7 T10 T4 T6

1925 1939  1953  1967 1981  1995  2009 


 T2 T5 T9  T2 T6 T9 T2

1926 1940  1954  1968 1982  1996  2010 


 T7 T10 T4  T7 T1 T4 T7

1927 1941  1955  1969 1983  1997  2011 


 T2 T6 T9  T3 T6 T10 T2

1928 1942  1956  1970 1984  1998  2012 


 T7 T1 T4  T8 T1 T5 T7
64

1929 1943  1957  1971 1985  1999  2013 


 T3 T6 T10  T3 T7 T10 T3

1930 1944  1958  1972 1986  2000  2014 


 T8 T1 T5  T8 T2 T5 T8

1931 1945  1959  1973 1987  2001  2015 


 T3 T7 T10  T4 T7 T1 T3

1932 1946  1960  1974 1988  2002  2016 


 T8 T2 T5  T9 T2 T6 T8

1933 1947  1961  1975 1989  2003  2017 


 T4 T7 T1  T4 T8 T1 T4

+
JA
N FE MA AB M JU JU AG SE O NO DE
V R R AI N L O T UT V Z

-1 + -2 -1 -1 + + +1 + +2 +3 +
0 0 0 2 3

Data do dia

Somar 1 (um) de 1o. de março a 31 de dezembro


quando o ano for *bissexto

*Obs: Divide o ano por 4, se o resultado for exato é bissexto.

O tronco do dia é o algarismo da unidade (zero significa tronco 10)


PONTOS ABERTOS
65

HO T1 T2 T3 T4 T5 T6 T7 T8 T9 T1
RA 0

23/ ID2 E3 IG3 TR VB ID2 E3 IG3 TR VB


01 6 1 38 6 1 38

01/ C3 BP CS R7 R1 C3 BP CS R7 R1
03 3 3 3 3

03/ E4 TR B6 B6 ID8 E4 TR B6 B6 ID8


05 3 10 0 7 3 10 0 7

05/ CS P8 P1 F8 F2 CS P8 P1 F8 F2
07 5 1 5 1

07/ IG5 IG1 VB VB TR IG5 IG1 VB VB TR


09 34 43 6 34 43 6

09/ BP R1 R2 CS C7 BP R1 R2 CS C7
11 1 0 7 1 0 7

11/ B5 B6 TR ID3 E4 B5 B6 TR ID3 E4


13 4 6 3 5 4 6 3 5

13/ P1 CS F3 C9 BP P1 CS F3 C9 BP
15 0 8 5 0 8 5

15/ TR VB ID1 E4 IG2 TR VB ID1 E4 IG2


17 2 41 1 2 41 1

17/ R3 F1 C4 BP P5 R3 F1 C4 BP P5
19 2 2

19/ VB ID5 E4 IG1 B6 VB ID5 E4 IG1 B6


21 44 4 1 5 44 4 1 5

21/ F4 C8 BP P9 CS F4 C8 BP P9 CS
23 9 9 9 9
66

HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL

ANO PERÍODO ABRANGÊNCIA

1931 / 11hs de Todo o Território Nacional


1932 03/10/1931 até
24hs de
31/03/1932

1932 / 00h de Todo o Território Nacional


1933 03/10/1932 até
24hs de
31/03/1933

1949 / 00h de Todo o Território Nacional


1950 01/12/1949 até
00h de
16/04/1950

1950 / 00h de Todo o Território Nacional


1951 01/12/1950 até
00h de
16/04/1951

1951 / 00h de Todo o Território Nacional


1952 01/12/1951 até
00h de
31/03/1952

1952 / 00h de Todo o Território Nacional


1953 01/12/1952 até
00h de
28/02/1953

1963 00h de SP, RJ, GB, MG, ES


23/10/1963 até
00h de
09/12/1963

1963 / 00h de Todo o Território Nacional


1964 09/12/1963 até
00h de
01/03/1964

1965 00h de Todo o Território Nacional


31/01/1965 até
67

00h de
31/03/1965

1965 / 00h de Todo o Território Nacional


1966 30/11/1965 até
00h de
01/03/1966

1966 / 00h de Todo o Território Nacional


1967 01/11/1966 até
00h de
01/03/1967

1967 / 00h de Todo o Território Nacional


1968 10/11/1967 até
00h de
01/03/1968

1985 / 00h de Todo o Território Nacional


1986 02/11/1985 até
00h de
15/03/1986

1986 / 00h de Todo o Território Nacional


1987 25/10/1986 até
00h de
14/02/1987

1987 / 00h de Todo o Território Nacional


1988 25/10/1987 até
00h de
07/02/1988

1988 / 00h de Todo o Território Nacional, exceto


1989 16/10/1988 até para: AC, AM, PA, RR, RO e ter AP
00h de
29/01/1989

1989 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
1990 15/10/1989 até TO, MS, MT, BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, DF e Ilhas
11/02/1990 oceânicas

1990 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
1991 21/10/1990 até BA, MS, MT, DF
00h de
17/02/1991
68

1991 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1992 20/10/1991 até GO, MT, MS, DF
00h de
09/02/1992

1992 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1993 25/10/1992 até GO, MT, MS, DF
00h de
31/01/1993

1993 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1994 17/10/1993 até GO, MT, MS, DF, AM
00h de
20/02/1994

1994 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1995 16/10/1994 até GO, MT, MS, DF
00h de
19/02/1995

1995 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1996 15/10/1995 até GO, MT, MS, DF, TO, AL, SE
00h de
11/02/1996

1996 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1997 16/10/1996 até GO, MT, MS, DF, TO
00h de
16/02/1997

1997 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1998 16/10/1997 até GO, MT, MS, DF, TO
00h de
01/03/1998

ANO PERÍODO ABRANGÊNCIA


69

1998 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1999 11/10/1998 até GO, MT, MS, DF, TO
00h de
21/02/1999

1999 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
2000 03/10/1999 até GO, MT, MS, DF, TO, SE, AL, PE,
00h de PB, RN, CE, PI, MA, RR
27/02/2000

2000 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
08/10/2000 até MT, MS, TO,BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, RR, DF
15/10/2000

2000 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
15/10/2000 até MT, MS, TO,
00h de BA,SE, AL, PB, RN, CE, PI, MA,
22/10/2000 DF

2000 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
2001 22/10/2000 até MT, MS, TO, BA, DF
00h de
18/02/2001

2001 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
2002 14/10/2001 até MT, MS, TO, BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, DF
17/02/2002

2002 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
2003 03/11/2002 até MT, MS, TO, BA, DF
00h de
16/02/2003

8. SINAIS E SINTOMAS DE EXCESSO OU INSUFICIÊNCIA

1. Yin e Yang
70

 YIN

 Excesso Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto sólido, bem nutrido; Edema; Frio


interno; Tendências às congestões, inflamações e abscessos;
Tez vermelha.

Pulso: Pulsos esquerdos mais fortes e duros que os direitos –


Pulsos profundos e médios mais duros que os superficiais –
Pulsos I amplos, fortes e pulsos III igualmente fortes.

 Insuficiência Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto balofo, inchado, flácido; Aspecto


magro; Falta de resistência; Fraqueza física; Lassitude;
Preguiça; Rosto levemente azulado, escuro;

Tendência à vertigem; Tez sem cor.

Pulso: Pulsos esquerdos menos fortes que os direitos –


Pulsos médios e profundos menos fortes, duros e amplos que
os superficiais – Pulsos I miúdos, delgados e pulsos III pouco
perceptível – Todos os pulsos miúdos, pequenos.

 YANG

 Excesso geral:
71

Aspecto Psíquico: Agitação; Calor externo; Excesso de


alegria, cantos, risos; Gestos rápidos; Olhos muito brilhantes e
vivos; Palavra muito excitada; Voz muito sonora e timbrada.

Aspectos Gerais: Contrações; Convulsões; Dores locais;


Espasmos; Pontos dolorosos à pressão.

Pulso: Pulsos direitos mais fortes que os esquerdos – Pulsos


superficiais mais tensos, amplos e duros que os pulsos
médios e profundos – Pulso I (IG-P-ID-C) amplos e fortes e
pulsos III (B-R-TR-CS) normais – Todos os pulsos adiante de
sua localização

 Insuficiência Geral:

Aspecto Psíquico: Dificuldade de palavra; Gestos lentos;


Lágrima; Olhos ternos; Tristeza; Voz sem timbre.

Aspectos Gerais: Forma sem firmeza, flácida, branca; Pontos


adormecidos sob pressão; Prurido.

Pulso: Pulsos direitos mais fracos e moles que os esquerdos


– Pulsos superficiais mais fracos que os médios e profundos –
Pulso I (IG-P-ID-C) fracos e pulsos III (B-R-TR-CS) fortes ––
Todos os pulsos antes de sua localização

b. MERIDIANOS PRINCIPAIS

 Meridiano do Baço-Pâncreas

 Dor e distúrbios ao longo do meridiano do Baço, do Pâncreas


e dos órgãos: baço e pâncreas;

 Distúrbios digestivos, genitais, cutâneos e do tecido mole


(conjuntivo, lábio e boca). Déficit imunitário. Edema;

 Agravação: das 9-11 hs. Da manhã; manhã; primavera;

 Melhoria: após as 12:00 hs; outono.


72

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Grandes suspiros; Hiper-reflexão; Idéias


fixas; Memória difícil; Obsessão; Obstinação; Pesadelos;
Tristeza.

Aspectos Gerais: Articulações dolorosas; Artralgia;


Constipação intestinal; Distensão e dor abdominal; Doenças e
dor nos lábios; Dor T.M; Edema; Eliminações pouco
abundantes (salivas, urina, transpiração, lágrimas, etc);
Formas excessivas; Mialgia da face; Mialgia; Obesidade;
Sensação de ardor no corpo; Ventre grande, porém fraco;

Língua: ventre lingual, com saburra amarelada e seca.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Dificuldade de concentração;


Sonambulismo.

Aspectos Gerais: Abdômen doloroso (melhora com a


pressão); Abdômen tenso e distendido (aerocolia);
Aerogastria; Aftas bucais; Anorexia; Astenia; Debilidade;
Diarréia; Digestão lenta (má digestão); Edemas; Eliminações
abundantes; Fácies amareladas; Fadiga matinal que pode se
prolongar até as 5 horas da tarde; Fadiga; Falta de sede;
Flatulência; Frio e fraqueza dos pés; Insuficiência de forma;
Sialorréia; Vômitos.

Língua: Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão


dos dentes nos bordos.

Pulso: Pulso mole, fraco.

 Meridiano da Bexiga
73

 Dor ao longo do Meridiano da Bexiga e da víscera bexiga, vias


urinárias;

 Dor e distúrbio: região dorsal, cabeça, nuca;

 Agravação: das 15-17 hs, verão;

 Melhoria: após as 3 e 5 hs, na primavera.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Calorento; Insônia; Plenitude;


Sonolência sem comer; Voluntarioso.

Aspectos Gerais: Cálculos renais; Dermatose; Dermatoses


infectadas; Desejos freqüentes e urgentes de urinar;
Distúrbios digestivos; Disúria e ardor durante a micção; Dor de
cabeça ao defecar; Dor na coluna vertebral, em região dorsal;
Ereção peniana excessiva; Erosões excessivas, prostáticas;
Febre; Furúnculos; Obstrução nasal; Oligúria de coloração
escura e odor forte; Pouca urina; Prostatite ciática; Retenção
de urina.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Cérebro transtornado; Confusão mental;


Falta de vontade; Friorento; Insegurança; Sonolência.

Aspectos Gerais: Anemia; Diurese intensa ou pouco


freqüente; Dor intercostal irradiada para a região lombar;
Epistaxe; Espermatorréia; Falta de vigor sexual; Incontinência
urinária; Levanta-se a noite para urinar; Parasitose intestinal;
Urina abundante e incolor.

Pulso: Pulso vazio, fraco.


74

 Meridiano da Circulação e Sexualidade

 Dor e distúrbios ao longo do Meridiano do CS e das funções


gonádicas, circulatória e geniturinária;

 Agravação: das 19-21 hs., inverno;

 Melhoria: Interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Caráter forte; Cólera;


Irritabilidade; Opressão; Preocupações sexuais; Sem piedade.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Convulsão; Coração agitado; Dor


de cabeça congestiva; Dores surdas (difusa, ao contrario da
dor aguda); Fertilidade; Halitose; Hemorróidas; Hipertensão
arterial; Mau hálito; Ofegação rápida por riso ou alegria; Rubor
facial; Sensação de calor no coração e de coração agitado;
Urina pouco freqüente, rara ou difícil.

Língua: Glossite.

Pulso: Pulso cheio, largo e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Ausência de alegria; Depressão moral;


Descontentamento; Emotividade; Fadiga, com alegria;
Histeria; Idealiza o amor; Insônia; Medo; Neuroses;
Passividade; Tristeza.

Aspectos Gerais: Agrava no escuro, à noite, no frio; Astenia;


Esterilidade; Fadiga; Febre (por nervoso ou fadiga); Frigidez;
Hipertensão arterial; Impotência; Indiferença sexual;
Infertilidade; Insuficiência do vigor sexual; Laringe
entorpecida; Rigidez de cabeça e nuca; Surdez; Vertigens.

Pulso: Pulso profundo, fino e fraco.

 Meridiano do Coração
75

 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Coração e do órgão


coração;

 Distúrbios do coração, neurovegetativos, estresse;

 Doenças mentais, parkinsonismo, epilepsia, insônia;

 Doenças bucais (língua);

 Agravação: das 11-13 hs., 24:00 hs., 12:00 hs., inverno;

 Melhoria: diurna, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação do espírito; Audácia; Coragem;


Emotividade; Excesso de alegria; Excitação mental; Riso fácil;
Voz sonora.,

Aspectos Gerais: Angina pectoris; Dores no coração e


braços; Epistaxe; Fortes palpitações dolorosas; Hipertensão
arterial; Menstruação abundante; Não se resfria; Odontalgia
que se irradia para o tórax; Olhos brilhantes; Precordialgia;
Pressão arterial elevada; Pulso rápido; Rubor facial (cara
vermelha); Sede; Sensação de calor torácico; Soluços;
Taquicardia; Úlceras bucais.

Língua: Glossite; Língua seca.

Pulso: Pulso cheio, forte e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angustia; Depressão; Falta de alegria;


Medo; Neuroses e falsas idéias fóbicas; Sonhos com incêndio,
fogo; Sono agitado; Timidez; Tristeza, nunca ri; Voz fraca.

Aspectos Gerais: Alteração no ritmo cardíaco; Angina


pectoris; Bronquite; Dor abdominal e lombar; Dor e inflamação
bucal; Dor na ponta do coração; Fácies pálida; Lipotimia;
76

Menstruação escassa; Micção intensa com urina incolor;


Odontalgia; Respiração acelerada; Rosto pálido; Síncope;
Sudorese fria; Sufocamento ao esforço; Taquicardia.

Língua: Língua mole e pálida.

Pulso: Pulso pequeno, mole e fraco.

 Meridiano do Estômago

 Dor e distúrbios no meridiano do Estômago e da víscera


Estômago;

 Agravação: das 7-9 hs. Da manhã; manhã; primavera;

 Melhoria: após as 19:00 horas; outono.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Calorento; Excitação emocional;


Pesadelos.

Aspectos Gerais: abdômen doloroso; Acnes; Aftas; Ardor


bucal; Artralgia; Azia; Boca seca; Câimbras; Calor no tórax e
abdômen; Cárie dentária; Dermatoses; Digestão rápida; Dor e
inflamação bucal; Dores de estômago; Edema no pescoço;
Enjôos; Epilepsia; Erupções cutâneas; Esofagia; Espasmos da
musculatura facial; Gastralgia; Gastrite; Herpes; Inflamação
gengivais; Nevralgias do trigêmeo; Ressecamento labial; Sede
de líquidos frios; Trismo; Úlcera gástrica; Vômitos.

Língua: Língua saburrosa, espessa e amarelada.

Pulso: Pulso pleno, duro e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Desânimo; Emotividade, lágrimas;


Friorento; Prefere solidão; Tristezas.
77

Aspectos Gerais: Anorexia; Diarréia de alimentos não


digeridos; Digestão lenta; Dor no epigástrio e tórax; Halitose;
Indigestão; Meteorismo; Neurite (ao longo do canal);
Parestesia ou hipersensibilidade dos membros inferiores; Pés
frios; Rosto vermelho; Sobrancelhas dolorosas; Tórax e
abdômen frios; Vômito aquoso depois de comer.

Língua: Língua e lábios brancos.

Pulso: Pulso profundo, mole e pequeno.

 Meridiano do Fígado

 Dor e distúrbios ao longo do canal do Fígado e do órgão


fígado;

 Dor e distúrbios oculares, musculares, nos tendões, da função


geniturinária e digestiva.

 Cefaléia, distúrbio do sono e do psiquismo;

 Agravação: da 1-3 hs., outono;

 Melhoria: manhã, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Ciúmes; Cólera; Delirante;


Descontentamento; Irritabilidade; Transtornos após cólera.

Aspectos Gerais: Afecções do escroto; Alergias; Câimbra nas


pernas e braços; Cefaléias; Constipação e dores
espasmódicas; Dermatoses; Dismenorréia; Dor cardíaca; Dor
torácica; Dores lombares e no aparelho genital; Edema
peniano; Enxaqueca; Ereção prolongada (priapismo);
Gastralgia com vômitos de bile; Gengivite; Herpes;
Hipertensão arterial; Incontinência urinária; Micção difícil e
dolorosa; Nevralgia do trigêmeo; Odontalgia; Oligúria;
Periodontite; Rubor na face; Sensação de opressão torácica;
Tez escura, cinzenta ou amarelada; Tosse; Transtornos nas
regras.
78

Língua: Glossite; Língua vermelho-escura e nos bordos


coloração vermelho intensa.

Pulso: Pulso tenso, cheio e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão;


Descontentamento; Desejos e medo da morte; Irritabilidade;
Medo; Raiva reprimida; Sonha com florestas, árvores;
Sonolência.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Constipação; Contratura;


Convulsão; Dermatite; Diurese intensa; Dor ATM; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dores nas coxas, pélvis,
garganta; Eczemas; Ejaculação precoce; Espasmos
intestinais; Esquimoses freqüentes; Fezes amarelas,
cinzentas; Frigidez; Gengivite; Hipoacusia; Impotência;
Menstruação abundante e longa; Mialgia facial; Nevralgia do
trigêmeo; Odontalgia; Olho seco; Palidez; Paralisia facial;
Perda de sensibilidade (parestesia, paralisia); Periodontite;
Prurido; Redução da acuidade visual; Sangue coagulando
lentamente; Tez branca, corosa; Unhas quebradiças,
irregulares, esverdeada; Urticária; Vertigens; Zumbido no
ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.

 Meridiano do Intestino Delgado

 Dor e distúrbio ao longo do meridiano do Intestino Delgado e


da víscera ID;

 Agravação: das 13-15 hs., inverno;

 Melhoria: 1-3 hs., interestação.

 Excesso:
79

Aspecto Psíquico: Agressividade; Alegria; Calorento; Cólera;


Ofende-se fácil; Risos; Superexcitação das emoções.

Aspectos Gerais: Abscessos na boca e faringe; Boca


amarga; Boca seca; Contratura do cotovelo; Diarréia;
Dilatação dolorosa do abdômen; Dor escrotal, na coluna
vertebral, renal; Fácil recuperação física; Febre com sensação
de frio; Halitose; Odontalgias; Pouca transpiração; Pouca
urina e de coloração vermelha; Redução das secreções
(salivar, sudorese e Láctea); Retenção hídrica; Rosto
escarlate; Rubor facial; Síndrome oclusiva;

Pulso: Pulso rápido, cheio, forte, “pérolas que rolam”.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Caráter débil; Emotividade; Friorento;


Mágoa; Ressentimento; Sensibilidade emocional.

Aspectos Gerais: Aumento das secreções (salivar,


sudorípara e Láctea); Desperta para urinar; Diarréia; Digestão
difícil; Diminuição da resistência física; Dor abdominal; Dor no
baixo ventre; Dor ocular; Epilepsia (pequeno mal); Epistaxe;
Febre com transpiração; Flatulência; Formação de tumefação
e nódulos; Hipoacusia; Lábios azulados com bordos brancos;
Magreza; Micção freqüente, abundante; Redução do vigor
sexual; Suores noturnos; Surdez; Transpiração violenta;

Pulso: Pulso fraco, lento e pequeno.

 Meridiano do Intestino Grosso


 Dor e distúrbios ao longo do meridiano do IG e da víscera;

 Doenças digestivas, cutâneas;

 Agravação: das 5-7 hs. Da manhã; noturna; verão;


80

 Melhoria: após as 5 horas da manhã; inverno.

 Excesso:

Aspectos Gerais: Acne; Boca seca; Constipação; Corpo


quente; Doenças dermatológicas; Dor abdominal; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dor ocular; Epistaxe;
Erupções na pele; Gengivite; Hemorróidas; Hipertensão
arterial; Hipertonia do IG (constipação espasmódica ou
diarréia mucopurulenta); Lábios gretados; Melhora com
amargo; Odontalgia; Parasitose intestinal; Pruridos; Sede.

Língua: Glossite com saburra amarela e expressa no centro e


dorso lingual.

Pulso: Pulso duro e pleno.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Falta de entusiasmo;


Friorento.

Aspectos Gerais: Aerocolia; Amenorréia; Dermatoses;


Diarréia ou constipação hipotônica (poucas fezes e dura); Dor
orofacial; Erupção; Flatulência; Frio, esquenta-se com
dificuldade; Melhora com acidez; Prolapso do reto; Prurido;
Ptose anal.

Pulso: Pulso profundo, fraco e fino.

 Meridiano do Pulmão
 Dor e distúrbios no trajeto do Meridiano do Pulmão e do órgão
Pulmão;

 Doenças respiratórias (nariz, sinus, faringe, laringe, traquéia,


brônquios, pulmão);

 Doenças cutâneas e das mucosas;


81

 Agravação: das 3-5 hs. Da manhã; noturna; verão;

 Melhoria: após as 15:00 hs.; inverno.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão; Insônia


com agitação; Risos extravagantes; Superexitação; Tristeza.

Aspectos Gerais: Amigdalite aguda; Arquejamento; Astenia;


Bocejos, espirros; Dor intercostal dorsal e dos ombros; Dores
nos ombros, costas e costelas; Eliminações abundantes;
Espasmos dos músculos faciais e da cabeça; Micção
freqüente; Odontalgia com sensação de calor; Respiração
espasmódica e forte; Rubor facial lado direito; Tosse seca ou
mucopurulenta com sudorese e poliúria; Transpiração;
Transtornos congestivos.

Língua: Língua saburrosa e úmida.

Pulso: Pulso cheio, duro e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Aversão ao frio; Idéias de suicídio;


Insônia; Não pode dormir.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Astenia; Diarréia após a


refeição; Dor intercostal, dorsal e do ombro; Dores no oco
supra-clavicular; Edema da face; Fácies pálida; Falta de ar;
Falta de energia; Gengivite; Obstrução nasal; Odontalgia;
Ombros e costas frias; Paralisia facial; Perda do automotismo;
Queda de cabelos; Respiração difícil; Secura da garganta;
Sensação de frio; Tez inconstante; Tosse.

Língua: Língua esbranquiçada.

Pulso: Pulso mole, pequeno e fraco.

 Meridiano do Rim
 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Rim e do órgão rim;
82

 Distúrbios renais, geniturinários.

 Dor lombar, edema, convulsão, dores ósseas, dentárias, da


cabeça, ouvido e das glândulas endócrinas;

 Agravação: das 17-19 hs., verão;

 Melhoria: às 12:00 hs., primavera.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Autoritarismo; Excesso de decisão; Sonha


que é difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Anúria; Barulho no ouvido;


Câimbra; Cefaléia; Cefaléias; Constipação intestinal;
Convulsão; Faringite; Hemorróidas; Hipertensão arterial;
Paralisia facial; Paralisia; Pés pesados, quentes, dolorosos;
Urina colorida, rara (urina pouco freqüente e escura);
Vertigens.

Língua: Língua seca.

Pulso: Pulso forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Complexo de inferioridade; Deseja


solidão; Falta de autoridade; Falta de vontade; Indecisão;
Insegurança; Irritabilidade antes das regras; Neurose fóbica;
Palavra confusa; Sonha com água, Inundação, à beira do
abismo; Sonha com árvores inundadas.

Aspectos Gerais: Cárie dental; Cefaléias (vértex); Ciática;


Distúrbios osteodentários; Diurese intensa e freqüente; Dor
cardíaca; Dor e debilidade nas pernas; Dor escrotal, que se
irradia para a região renal; Dor na coluna vertebral; Edemas;
Eliminações abundantes: Urina incolor, Sudorese, Sialorréia,
Diarréia, agravam à noite; Espermatorréia; Fadiga;
Impotência; Lipotimia; Lombociatalgia; Lumbago; Micção
freqüente, odor estranho, incolor; Nefrose; Palidez;
83

Periodontite; Pés e pernas frias; Surdez; Transpiração


abundante; Zumbido no ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.

 Meridiano do Triplo Reaquecedor


 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do TR e das funções
cardiovascular, pulmonar, digestiva e geniturinária;

 Doenças e dor do ouvido e febre;

 Como o TR (San Tsiao) abrange todas as funções orgânicas,


averiguar a fisiopatologia dos demais meridianos quando o TR
se mostrar alterado;

 Agravação: das 21-23 hs., inverno;

 Melhoria: interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Desejo de dormir; Insônia; Irritável; Sem


alegria; Triste.

Aspectos Gerais: Dificuldade para falar; Dores por ventos


(qualquer vento, externo (ar) ou interno (gases intestinais)
sem saber onde); Excesso de urina; Inapetência; Respiração
curta.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Lassidão moral e física; Tédio; Tristeza;


Tudo é esforço.
84

Aspectos Gerais: Frio; Insuficiência urinária; Membros não


obedecem.

TR Superior

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação,

Aspectos Gerais: Febre; Respiração difícil e rápida; Rubor


facial; Sede.

Língua: Glossite; Língua seca e vermelha sem saburra.

Pulso: Cheio, rápido e forte.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: Língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco e lento.

TR Médio

 Excesso:

Aspectos Gerais: Boca seca com sede de líquidos frios;


Constipação; Flatulência; Gastralgia; Má digestão; Odontalgia;
Respiração difícil; Sensação de calor interno; Urina pouca.

Língua: Língua amarela.


85

Pulso: Pulso radial rápido e forte, “pérolas que rolam”.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco, lento.

TR Inferior

 Excesso:

Aspectos Gerais: Ascite; Constipação; Edema; Sensação de


plenitude no baixo ventre; Urina escassa.

Pulso: Cheio, forte e largo.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Astenia; Diarréia; Frigidez; Impotência;


Sensação de frio no abdômen e extremidade inferior; Urina
clara e abundante.

Pulso: Pulso mole.

 Meridiano da Vesícula Biliar


 Dor e distúrbio no trajeto do Meridiano da VB e da vesícula
biliar;

 Dor e distúrbios dos olhos, ouvido, na nuca, ciática;

 Agravação: das 23-1 h., outono;

 Melhoria: manhã, verão.


86

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agressividade; Audácia; Autocrático;


Ciúmes; Descontentamento; Irritabilidade; Sonolência; Suspira
muito.

Aspectos Gerais: Boca amarga (pela manhã) ou seca;


Cefaléia frontotemporal, frontoparietal e occipital; Constipação
intestinal; Distúrbios circulatórios de membros inferiores; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dor facial; Dor nos olhos; Dor
ocular; Dores articulares; Dores em todo o corpo; Enxaqueca;
Espasmos abdominais; Inchaço sob o joelho; Joelho e perna
adormecidos; Náuseas; Odontalgia; Otalgia; Pele muito seca;
Surdez intermitente; Tremores; Vômitos de líquido amargo.

Língua: Língua amarelada ou avermelhada

Pulso: Pulso rápido, tenso e cheio.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Agitação; Apreensão; Distúrbios após:


humilhação, insultos e brigas; Falta de entusiasmo, sem
audácia; Insegurança; Insônia por insegurança; Medo;
Suspiros; Timidez.

Aspectos Gerais: Ausência de transpiração; Bochecha e


queixo inchados; Debilidade nas pernas; Dificuldade para
marchar; Distúrbios visuais; Dores erráticas; Dores no peito e
nas costas; Edema mentoniano, julgal e lombar; Hipoacusia;
Mastoidite; Náuseas; Opressão torácica; Seios inchados;
Vertigem; Vômitos.

Pulso: Lento, fraco, vazio, pequeno.

c. PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS PSÍQUICOS

FÍGADO
87

  Fígado  Irritabilidade e Cólera.

  Fígado  Falta de imaginação e coordenação das idéias.

Obs: Pesadelos indicam que a energia do Fígado está perturbada.

CORAÇÃO

  Coração  Excitação mental, alegria, riso exagerado.

  Coração  Há abatimento, muitas queixas, incapacidade de


esforço físico e mental, falta de alegria.

PULMÃO

  Pulmão  Agressividade, obsessão do futuro, tristeza,


romantismo.

  Pulmão  Há perda do reflexo e do instinto de conservação


(suicidas) e desinteresse pelas coisas. Depressão, falta força de
vontade.

RIM

  Rim  Temor e Autoritarismo.

  Rim  Indecisão, angústia, medo, ausência de propósitos e


fraqueza de caráter.

BAÇO

  Baço  Obsessões voltadas para o passado, idéias fixas,


repetições, pessoas que reflete muito.

  Baço  Esquecimento, memória fraca, ausência de desejo,


desgosto e ansiedade.

d. ÍNDICE GERAL DOS SINAIS E SINTOMAS


88

Abdomen doloroso ( E)

Abdômen doloroso (melhora com a pressão) ( BP)

Abdômen tenso e distendido (aerocolia) ( BP)

Abscessos na boca e faringe ( ID)

Acne ( IG)

Acnes ( E)

Aerocolia ( IG)

Aerogastria ( BP)

Afecções do escroto ( F)

Aftas ( E)

Aftas bucais ( BP)

Agitação ( B)

Agitação ( CS)

Agitação ( TRs)

Agitação ( VB)

Agitação do espírito ( C)

Agrava no escuro, à noite, no frio ( CS)

Agressividade ( ID)

Agressividade ( VB)

Alegria ( ID)

Alergias ( F)
89

Alteração no ritmo cardíaco ( C)

Amenorréia ( IG)

Amigdalite ( P)

Amigdalite ( R)

Amigdalite aguda ( P)

Anemia ( B)

Angina pectoris ( C)

Angina pectoris ( C)

Angustia ( C)

Angústia ( F)

Angústia ( P)

Anorexia ( BP)

Anorexia ( E)

Ansiedade ( F)

Ansiedade ( P)

Anúria ( R)

Apreensão ( VB)

Ardor bucal ( E)

Arquejamento ( P)

Articulações dolorosas ( BP)

Artralgia ( BP)

Artralgia ( E)

Ascite ( Tri)

Astenia ( BP)
90

Astenia ( CS)

Astenia ( P)

Astenia ( P)

Astenia ( Tri)

Audácia ( C)

Audácia ( VB)

Aumento das secreções (salivar, sudorípara e Láctea) ( ID)

Ausência de alegria ( CS)

Ausência de transpiração ( VB)

Autocrático ( VB)

Autoritarismo ( R)

Aversão ao frio ( P)

Azia ( E)

Barulho no ouvido ( R)

Boca amarga ( ID)

Boca amarga (pela manhã) ou seca ( VB)

Boca seca ( E)

Boca seca ( ID)

Boca seca ( IG)

Boca seca com sede de líquidos frios ( TRm)

Bocejos, espirros ( P)

Bochecha e queixo inchados ( VB)


91

Bronquite ( C)

Câimbra ( R)

Câimbra nas pernas e braços ( F)

Câimbras ( E)

Cálculos renais ( B)

Calor no tórax e abdômen ( E)

Calorento ( B)

Calorento ( E)

Calorento ( ID)

Caráter débil ( ID)

Caráter forte ( CS)

Cárie dental ( R)

Cárie dentária ( E)

Cefaléia ( CS)

Cefaléia ( F)

Cefaléia ( R)

Cefaléia frontotemporal, frontoparietal e occipital ( VB)

Cefaléias ( F)

Cefaléias ( R)

Cefaléias (vértex) ( R)

Cérebro transtornado ( B)

Ciática ( R)
92

Ciúmes ( F)

Ciúmes ( VB)

Cólera ( CS)

Cólera ( F)

Cólera ( ID)

Complexo de inferioridade ( R)

Confusão mental ( B)

Constipação ( F)

Constipação ( IG)

Constipação ( Tri)

Constipação ( TRm)

Constipação e dores espasmódicas ( F)

Constipação intestinal ( BP)

Constipação intestinal ( R)

Constipação intestinal ( VB)

Contratura ( F)

Contratura do cotovelo ( ID)

Convulsão ( CS)

Convulsão ( F)

Convulsão ( R)

Coração agitado ( CS)

Coragem ( C)

Corpo quente ( IG)


93

Debilidade ( BP)

Debilidade nas pernas ( VB)

Delirante ( F)

Depressão ( BP)

Depressão ( C)

Depressão ( F)

Depressão ( IG)

Depressão ( P)

Depressão moral ( CS)

Dermatite ( F)

Dermatose ( B)

Dermatoses ( E)

Dermatoses ( F)

Dermatoses ( IG)

Dermatoses infectadas ( B)

Desânimo ( E)

Descontentamento ( CS)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( VB)

Deseja solidão ( R)

Desejo de dormir ( TR)

Desejos e medo da morte ( F)


94

Desejos freqüentes e urgentes de urinar ( B)

Desperta para urinar ( ID)

Diarréia ( BP)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( Tri)

Diarréia ( TRm)

Diarréia ( TRs)

Diarréia após a refeição ( P)

Diarréia de alimentos não digeridos ( E)

Diarréia ou constipação hipotônica (poucas fezes e dura) ( IG)

Dificuldade de concentração ( BP)

Dificuldade para falar ( TR)

Dificuldade para marchar ( VB)

Digestão difícil ( ID)

Digestão lenta ( E)

Digestão lenta (má digestão) ( BP)

Digestão rápida ( E)

Dilatação dolorosa do abdômen ( ID)

Diminuição da resistência física ( ID)

Dismenorréia ( F)

Distensão e dor abdominal ( BP)

Distúrbios após: humilhação, insultos e brigas ( VB)

Distúrbios circulatórios de membros inferiores ( VB)


95

Distúrbios digestivos ( B)

Distúrbios osteodentários ( R)

Distúrbios visuais ( VB)

Disúria e ardor durante a micção ( B)

Diurese intensa ( F)

Diurese intensa e freqüente ( R)

Diurese intensa ou pouco freqüente ( B)

Doenças dermatológicas ( IG)

Doenças e dor nos lábios ( BP)

Dor abdominal ( ID)

Dor abdominal ( IG)

Dor abdominal ( TRm)

Dor abdominal ( TRs)

Dor abdominal e lombar ( C)

Dor ATM ( F)

Dor cardíaca ( F)

Dor cardíaca ( R)

Dor de cabeça ao defecar ( B)

Dor de cabeça congestiva ( CS)

Dor e debilidade nas pernas ( R)

Dor e inflamação bucal ( C)

Dor e inflamação bucal ( E)

Dor e processos inflamatórios bucais ( F)

Dor e processos inflamatórios bucais ( IG)


96

Dor e processos inflamatórios bucais ( VB)

Dor escrotal, na coluna vertebral, renal ( ID)

Dor escrotal, que se irradia para a região renal ( R)

Dor facial ( VB)

Dor intercostal dorsal e dos ombros ( P)

Dor intercostal irradiada para a região lombar ( B)

Dor intercostal, dorsal e do ombro ( P)

Dor na coluna vertebral ( R)

Dor na coluna vertebral, em região dorsal ( B)

Dor na ponta do coração ( C)

Dor no baixo ventre ( ID)

Dor no epigástrio e tórax ( E)

Dor nos olhos ( VB)

Dor ocular ( ID)

Dor ocular ( IG)

Dor ocular ( VB)

Dor orofacial ( IG)

Dor T.M ( BP)

Dor torácica ( F)

Dores articulares ( VB)

Dores de estômago ( E)

Dores em todo o corpo ( VB)

Dores erráticas ( VB)

Dores lombares e no aparelho genital ( F)


97

Dores nas coxas, pélvis e garganta ( F)

Dores no coração e braços ( C)

Dores no oco supra-clavicular ( P)

Dores no peito e nas costas ( VB)

Dores nos ombros, costas e costelas ( P)

Dores por ventos (qualquer vento, externo (ar) ou interno (gases intestinais)
sem saber onde ( TR)

Dores surdas (difusa, ao contrario da dor aguda) ( CS)

Eczemas ( F)

Edema ( BP)

Edema ( Tri)

Edema da face ( P)

Edema mentoniano, julgal e lombar ( VB)

Edema no pescoço ( E)

Edema peniano ( F)

Edemas ( BP)

Edemas ( R)

Ejaculação precoce ( F)

Eliminações abundantes ( BP)

Eliminações abundantes ( P)

Eliminações abundantes: Urina incolor, Sudorese, Sialorréia, Diarréia, agravam


à noite ( R)

Eliminações pouco abundantes (salivas, urina, transpiração, lágrimas,


etc) ( BP)
98

Emotividade ( C)

Emotividade ( CS)

Emotividade ( E)

Emotividade ( ID)

Enjôos ( E)

Enxaqueca ( F)

Enxaqueca ( VB)

Epilepsia ( E)

Epilepsia (pequeno mal) ( ID)

Epistaxe ( B)

Epistaxe ( C)

Epistaxe ( ID)

Epistaxe ( IG)

Ereção peniana excessiva ( B)

Ereção prolongada (priapismo) ( F)

Erosões excessivas prostáticas ( B)

Erupção ( IG)

Erupções cutâneas ( E)

Erupções na pele ( IG)

Esofagia ( E)

Espasmos abdominais ( VB)

Espasmos da musculatura facial ( E)

Espasmos dos músculos faciais e da cabeça ( P)

Espasmos intestinais ( F)
99

Espermatorréia ( B)

Espermatorréia ( R)

Esquimoses freqüentes ( F)

Esterilidade ( CS)

Excesso de alegria ( C)

Excesso de decisão ( R)

Excesso de urina ( TR)

Excitação emocional ( E)

Excitação mental ( C)

Fácies amarelada ( BP)

Fácies pálida ( C)

Fácies pálida ( P)

Fácil recuperação física ( ID)

Fadiga ( BP)

Fadiga ( CS)

Fadiga ( R)

Fadiga matinal que pode se prolongar até as 5 horas da tarde ( BP)

Fadiga, com alegria ( CS)

Falta de alegria ( C)

Falta de ar ( P)

Falta de autoridade ( R)

Falta de energia ( P)
100

Falta de entusiasmo ( IG)

Falta de entusiasmo, sem audácia ( VB)

Falta de sede ( BP)

Falta de vigor sexual ( B)

Falta de vontade ( B)

Falta de vontade ( R)

Faringite ( R)

Febre ( B)

Febre ( TRs)

Febre (por nervoso ou fadiga) ( CS)

Febre com sensação de frio ( ID)

Febre com transpiração ( ID)

Fertilidade ( CS)

Fezes amarelas, cinzentas ( F)

Flatulência ( BP)

Flatulência ( ID)

Flatulência ( IG)

Flatulência ( TRm)

Formação de tumefação e nódulos ( ID)

Formas excessivas ( BP)

Fortes palpitações dolorosas ( C)

Frigidez ( CS)

Frigidez ( F)

Frigidez ( Tri)
101

Frio ( TR)

Frio e fraqueza dos pés ( BP)

Frio, esquenta-se com dificuldade ( IG)

Friorento ( B)

Friorento ( E)

Friorento ( ID)

Friorento ( IG)

Furúnculos ( B)

Gastralgia ( E)

Gastralgia ( TRm)

Gastralgia com vômitos de bile ( F)

Gastrite ( E)

Gengivite ( F)

Gengivite ( F)

Gengivite ( IG)

Gengivite ( P)

Glossite ( C)

Glossite ( CS)

Glossite ( F)

Glossite ( TRs)

Glossite com saburra amarela e expressa no centro e dorso lingual ( IG)

Grandes suspiros ( BP)


102

Halitose ( CS)

Halitose ( E)

Halitose ( ID)

Hemorróidas ( CS)

Hemorróidas ( IG)

Hemorróidas ( R)

Herpes ( E)

Herpes ( F)

Hiper-reflexão ( BP)

Hipertensão arterial ( C)

Hipertensão arterial ( CS)

Hipertensão arterial ( CS)

Hipertensão arterial ( F)

Hipertensão arterial ( IG)

Hipertensão arterial ( R)

Hipertonia do IG (constipação espasmódica ou diarréia mucopurulenta) ( IG)

Hipoacusia ( F)

Hipoacusia ( ID)

Hipoacusia ( VB)

Histeria ( CS)

I
103

Idealiza o amor ( CS)

Idéias de suicídio ( P)

Idéias fixas ( BP)

Impotência ( CS)

Impotência ( F)

Impotência ( R)

Impotência ( Tri)

Inapetência ( TR)

Inchaço sob o joelho ( VB)

Incontinência urinária ( B)

Incontinência urinária ( F)

Indecisão ( R)

Indiferença sexual ( CS)

Indigestão ( E)

Infertilidade ( CS)

Inflamações gengivais ( E)

Insegurança ( B)

Insegurança ( R)

Insegurança ( VB)

Insônia ( B)

Insônia ( CS)

Insônia ( P)

Insônia ( TR)

Insônia com agitação ( P)


104

Insônia por insegurança ( VB)

Insuficiência de forma ( BP)

Insuficiência do vigor sexual ( CS)

Insuficiência urinária ( TR)

Irritabilidade ( CS)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( VB)

Irritabilidade antes das regras ( R)

Irritável ( TR)

Joelho e perna adormecidos ( VB)

Lábios azulados com bordos brancos ( ID)

Lábios gretados ( IG)


105

Laringe entorpecida ( CS)

Lassidão moral e física ( TR)

Levanta-se a noite para urinar ( B)

Língua amarela ( TRm)

Língua amarelada ou avermelhada ( VB)

Língua e lábios brancos ( E)

Língua esbranquiçada ( P)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRm)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRs)

Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão dos dentes nos


bordos ( BP)

Língua mole e pálida ( C)

Língua saburrosa e úmida ( P)

Língua saburrosa, espessa e amarelada ( E)

Língua seca ( C)

Língua seca ( R)

Língua seca e vermelha sem saburra ( TRs)

Língua vermelho-escura e nos bordos coloração vermelho intensa ( F)

Lipotimia ( C)

Lipotimia ( R)

Lombociatalgia ( R)

Lumbago ( R)

Má digestão ( TRm)

Má digestão ( TRm)
106

Má digestão ( TRs)

Mágoa ( ID)

Magreza ( ID)

Mastoidite ( VB)

Mau hálito ( CS)

Medo ( C)

Medo ( CS)

Medo ( F)

Medo ( VB)

Melhora com acidez ( IG)

Melhora com amargo ( IG)

Membros não obedecem ( TR)

Memória difícil ( BP)

Menstruação abundante ( C)

Menstruação abundante e longa ( F)

Menstruação escassa ( C)

Meteorismo ( E)

Mialgia ( BP)

Mialgia da face ( BP)

Mialgia facial ( F)

Micção difícil e dolorosa ( F)

Micção freqüente ( P)

Micção freqüente, abundante ( ID)

Micção freqüente, odor estranho, incolor ( R)


107

Micção intensa com urina incolor ( C)

Não pode dormir ( P)

Não se resfria ( C)

Náuseas ( VB)

Náuseas ( VB)

Nefrose ( R)

Neurite (ao longo do canal) ( E)

Neurose fóbica ( R)

Neuroses ( CS)

Neuroses e falsas idéias fóbicas ( C)

Nevralgia do trigêmeo ( F)

Nevralgia do trigêmeo ( F)

Nevralgias do trigêmeo ( E)

Obesidade ( BP)

Obsessão ( BP)

Obstinação ( BP)

Obstrução nasal ( B)

Obstrução nasal ( P)

Odontalgia ( C)

Odontalgia ( F)
108

Odontalgia ( F)

Odontalgia ( IG)

Odontalgia ( P)

Odontalgia ( TRm)

Odontalgia ( VB)

Odontalgia com sensação de calor ( P)

Odontalgia que se irradia para o tórax ( C)

Odontalgias ( ID)

Ofegação rápida por riso ou alegria ( CS)

Ofende-se fácil ( ID)

Olho seco ( F)

Olhos brilhantes ( C)

Oligúria ( F)

Oligúria de coloração escura e odor forte ( B)

Ombros e costas frias ( P)

Opressão ( CS)

Opressão torácica ( VB)

Otalgia ( VB)

Palavra confusa ( R)

Palidez ( F)
109

Palidez ( R)

Paralisia ( R)

Paralisia facial ( F)

Paralisia facial ( P)

Paralisia facial ( R)

Parasitose intestinal ( B)

Parasitose intestinal ( IG)

Parestesia ou hipersensibilidade dos membros inferiores ( E)

Passividade ( CS)

Pele muito seca ( VB)

Perda de sensibilidade (parestesia, paralisia) ( F)

Perda do automotismo ( P)

Periodontite ( F)

Periodontite ( F)

Periodontite ( R)

Pés e pernas frias ( R)

Pés frios ( E)

Pés pesados, quentes, dolorosos ( R)

Pesadelos ( BP)

Pesadelos ( E)

Plenitude ( B)

Pouca transpiração ( ID)

Pouca urina ( B)

Pouca urina e de coloração vermelha ( ID)


110

Precordialgia ( C)

Prefere solidão ( E)

Preocupações sexuais ( CS)

Pressão arterial elevada ( C)

Prolapso do reto ( IG)

Prostatite ciática ( B)

Prurido ( F)

Prurido ( IG)

Pruridos ( IG)

Ptose anal ( IG)

Pulso rápido ( C)

Queda de cabelos ( P)

Raiva reprimida ( F)

Redução da acuidade visual ( F)

Redução das secreções (salivar, sudorese e Láctea) ( ID)

Redução do vigor sexual ( ID)

Respiração acelerada ( C)

Respiração curta ( TR)

Respiração difícil ( P)

Respiração difícil ( TRm)


111

Respiração difícil e rápida ( TRs)

Respiração espasmódica e forte ( P)

Ressecamento labial ( E)

Ressentimento ( ID)

Retenção de urina ( B)

Retenção hídrica ( ID)

Rigidez de cabeça e nuca ( CS)

Riso fácil ( C)

Risos ( ID)

Risos extravagantes ( P)

Rosto escarlate ( ID)

Rosto pálido ( C)

Rosto vermelho ( E)

Rubor facial ( CS)

Rubor facial ( ID)

Rubor facial ( TRs)

Rubor facial (cara vermelha) ( C)

Rubor facial lado direito ( P)

Rubor na face ( F)

Sangue coagulando lentamente ( F)

Secura da garganta ( P)
112

Sede ( C)

Sede ( IG)

Sede ( TRs)

Sede de líquidos frios ( E)

Seios inchados ( VB)

Sem alegria ( TR)

Sem piedade ( CS)

Sensação de ardor no corpo ( BP)

Sensação de calor interno ( TRm)

Sensação de calor no coração e de coração agitado ( CS)

Sensação de calor torácico ( C)

Sensação de frio ( P)

Sensação de frio no abdômen e extremidade inferior ( Tri)

Sensação de opressão torácica ( F)

Sensação de plenitude no baixo ventre ( Tri)

Sensibilidade emocional ( ID)

Sialorréia ( BP)

Síncope ( C)

Síndrome oclusiva ( ID)

Sobrancelhas dolorosas ( E)

Soluços ( C)

Sonambulismo ( BP)

Sonha com água, Inundação, à beira do abismo ( R)

Sonha com árvores inundadas ( R)


113

Sonha com florestas, árvores ( F)

Sonha que é difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura ( R)

Sonhos com incêndio, fogo ( C)

Sono agitado ( C)

Sonolência ( B)

Sonolência ( F)

Sonolência ( VB)

Sonolência sem comer ( B)

Sudorese fria ( C)

Sufocamento ao esforço ( C)

Suores noturnos ( ID)

Superexcitação das emoções ( ID)

Superexitação ( P)

Surdez ( CS)

Surdez ( ID)

Surdez ( R)

Surdez intermitente ( VB)

Suspira muito ( VB)

Suspiros ( VB)

Taquicardia ( C)

Taquicardia ( C)
114

Tédio ( TR)

Tez branca, corosa ( F)

Tez escura, cinzenta ou amarelada ( F)

Tez inconstante ( P)

Timidez ( C)

Timidez ( VB)

Tórax e abdômen frios ( E)

Tosse ( F)

Tosse ( P)

Tosse seca ou mucopurulenta com sudorese e poliúria ( P)

Transpiração ( P)

Transpiração abundante ( R)

Transpiração violenta ( ID)

Transtornos após cólera ( F)

Transtornos congestivos ( P)

Transtornos nas regras ( F)

Tremores ( VB)

Trismo ( E)

Triste ( TR)

Tristeza ( BP)

Tristeza ( CS)

Tristeza ( P)

Tristeza ( TR)

Tristeza, nunca ri ( C)
115

Tristezas ( E)

Tudo é esforço ( TR)

Úlcera gástrica ( E)

Úlceras bucais ( C)

Unhas quebradiças, irregulares, esverdeada ( F)

Urina abundante e incolor ( B)

Urina clara e abundante ( Tri)

Urina colorida, rara (urina pouco freqüente e escura) ( R).

Urina escassa ( Tri)

Urina pouca ( TRm)

Urina pouco freqüente, rara ou difícil ( CS).

Urticária ( F)

Ventre grande, porém fraco ( BP).

Ventre lingual, com saburra amarelada e seca ( BP).

Vertigem ( VB)

Vertigens ( CS)

Vertigens ( F)

Vertigens ( R)

Voluntarioso ( B)

Vômito aquoso depois de comer ( E)


116

Vômitos ( BP)

Vômitos ( E)

Vômitos ( VB)

Vômitos de líquido amargo ( VB)

Voz fraca ( C)

Voz sonora ( C)

Zumbido no ouvido ( F)

Zumbido no ouvido ( R)

9. CORRESPONDÊNCIA DOS CINCO ELEMENTOS


117

CARACT MADEI FOGO TERRA METAL ÁGUA


ERIST. RA

Função F Imperial:C/ BP P R
YIN ministro CS

Função VB Imperial: E IG B
YANG ID/ministro
TR

Caracterí Olho, Língua, Boca, Nariz,P Orelha,


sticas Múscul Vasos, Lábios, ele, Ossos
o,
Fisiológic Unha, Coloração Tec.Conj Pêlos, e
as Lágrim da pele, unt., Muco Dentes,
as. Suor.
Saliva Cabelo,
Urina.

Função Criativi Razão Cognição Instinto Vontade


Psíquica dade de
Preserv
ação

Sentimen Raiva Alegria - C Reflexão Tristeza Medo -


to F - BP - P R
Matricial

Expressã Grito Riso Canto Lament Gemido


o o

Tempo Primav Verão Interesta Outono Inverno


era ção

Espaço Leste Sul Centro Oeste Norte

Energia Vento Calor Umidade Secura Frio

Cor Verde Vermelho Amarelo Branco Preto

Odor Ranço Queimado Perfuma De Pútrido


so do carne

Sabor Ácido - Amargo – T Doce – T Picante Salgado


118

Tonific Salgado - S Ácido - S – T –T


a
Amargo Doce - S
Picante -S
- Seda

Nota Dó Lá Mi Ré Sol
Musical

Planeta Júpter Marte Saturno Vênus Mercúrio

Animal Frango Carneiro Boi Cavalo Porco


(Ave)

Vegetal Trigo Milho Centeio / Arroz Feijão


Aveia

Fruta Ameixa Abricó Jujuba/T Pêsseg Castanh


âmara o a

10. HORÁRIO DE CIRCULAÇÃO DE ENERGIA DE CADA


MERIDIANO

Na circulação de energia existe uma ordem, uma seqüência que


deve ser obedecida por uma onda energética que passa de um
meridiano para outro, sucessivamente, e que completa todo o
circuito dos 12 meridianos no final de 24 horas. Paralelamente a
esta circulação dos 12 meridianos que chamamos de grande
circulação de energia, existe uma outra que passa do vaso
governador para o vaso de concepção, de uma maneira contínua e
que também se completa em 24 horas. Para aplicações de natureza
prática é importante que saibamos qual é a seqüência da circulação
de energia do meridiano nos meridianos principais, ou seja, da
grande circulação.

Atribui-se que o início da circulação de energia, comece quando


esta onda energética está no meridiano do pulmão, porque o
primeiro ato autônomo que a criança manifesta logo depois do
nascimento é o ato de respirar. Então por uma questão de
obediência a esta situação, costuma-se entender que a grande
circulação de energia começa no meridiano do pulmão.
119

Existe um período do dia em que cada um dos meridianos tem a


sua energia normalmente num ponto mais alto, para que haja um
gradiente que permita um fluxo energético. O início da circulação
começa pelo meridiano do pulmão. Esse momento em o meridiano
do pulmão apresenta um fluxo máximo de energia é aquele das 3-5
horas da manhã.

E esse fluxo é seguido das 5-7 hs da manhã pelo Intestino Grosso.


Das 7-9 é o Estômago e assim sucessivamente conforme mostra os
gráficos.

Então conforme os gráficos, o melhor período para se fazer a


melhor refeição seria das 7-9 hs da manhã e o intestino funcionar
antes da primeira refeição, ou seja, das 5-7 hs da manhã. O ideal
para se fazer o exercício respiratório matinal é de 3-5 hs (Pulmão)
da manhã, depois de 5-7hs (Intestino Grosso) fazer a exoneração
do intestino, a melhor refeição deveria ser de 7-9hs (Estômago)
para a digestão começar das 9-11hs (Baço-Pâncreas). O coração
que vai dinamizar tudo (11-13 hs), a absorção (13-15 hs), a bexiga
(15-17 hs), das 19-21 hs (a prática sexual). Das 21-23 hs (Triplo-
Aquecedor) é a vez do meridiano controlador, coordenador, que
organiza tudo, é essa a hora para dormir. É no período do sono
onde temos o melhor aproveitamento da chamada auto-cura. Por
exemplo, se um indivíduo é portador de uma patologia respiratória,
que no período do pulmão ele durma, se é cardíaco, dar uma
dormida entre 11-13 hs, nem que seja por 15-30 minutos.

O horário também é importante porque, como é um fluxo


energético, o momento do fluxo máximo é também um momento
que o órgão se torna mais frágil e neste período pode acontecer
certas manifestações patológicas com mais facilidade. Por exemplo,
é no período matutino que os problemas de asma brônquica
acontecem, a incidência de problemas cardiovasculares no período
120

da manhã ou que antecede é máxima, as crises de vesículas no


horário de meia-noite, etc.

Podemos observar o seguinte: o meridiano yin e em seguida o


meridiano yang, esse par de meridiano são acoplados. Cada um
desses pares são funções acopladas e essas funções estão
relacionadas com o mesmo elemento.

Em conseqüência deste relógio, existem momentos idéias para o


tratamento. O momento ideal para o tratamento, usando o ponto
para sedação no dado meridiano para diminuir o fluxo energético é
o momento do seu horário.

Sedação: Na hora do meridiano

Tonificação: Na hora seguinte ao da sua função (ou no horário


anterior).

11. CIRCULAÇÃO GERAL DE ENERGIA

12. PONTOS DE COMANDO

FUNÇ TO DIS FON PASSA ARAU ASSENTAM


ÃO NIF P TE GEM TO ENTO
121

C C9 C7 C7 C5 VC14 B15

ID ID3 ID8 ID4 ID7 VC4 B27

P P9 P5 P9 P7 P1 B13

IG IG1 IG2 IG4 IG6 E25 B25


1

F F8 F2 F3 F5 F14 B18

VB VB VB VB4 VB37 VB24 B19


43 38 0

BP BP BP BP3 BP4 F13 B20


2 5

E E4 E4 E42 E40 VC12 B21


1 5

R R7 R1 R3 R4 VB25 B23

B B6 B6 B64 B58 VC3 B28


7 5

CS CS CS CS7 CS6 VC6 B14


9 7 –
Circ.

VC13

Sexu
al

VC5

TR TR TR TR4 TR5 Geral B22
3 10
VC17
122

– 1a.
TR

VC12
– 2a.
TR

VC7
– 3a.
TR

PONTO DE TONIFICAÇÃO: é aquele que estimulado, utilizado


aumenta o teor de energia daquele meridiano.

PONTO DE DISPERSÃO OU SEDAÇÃO: É usado quando existe


excesso de energia num determinado meridiano, ou seja, ele irá
dispersar a energia para outro local ou sedar no sentido de diminuir
a quantidade de energia.

PONTO FONTE: São aqueles cujo estímulo serve tanto para tonificar
como para dispersar.

PONTO DE PASSAGEM: Chamados também de Pontos Lo (lô). São


pontos que unem diretamente um meridiano com o seu acoplado.

PONTO ARAUTO: Também chamado Ponto de alarme ou Ponto Lo.


É aquele ponto que apresenta uma sensibilidade dolorosa mais
acentuada, quando o meridiano correspondente está com a sua
energia perturbada.

PONTO DE ASSENTAMENTO (ASSENTIMENTO): Também chamado


de Iu e de pontos vesicais. São pontos que ligam diretamente o
123

meridiano da Bexiga ao meridiano correspondente e serve para


substituir até certo ponto os demais pontos de comando.

13. CÁLCULOS DAS ESTAÇÕES E CALENDÁRIO 2004 / 2005


124

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2004


125

AGOSTO

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6 7

0 0 1 1 1 1 1
8 9 0 1 2 3 4

1 1 1 1 1 2 2
5 6 7 8 9 0 1

2 2 2 2 2 2 2
2 3 4 5 6 7 8

2 3 3
9 0 1

SETEMBRO

D S T Q Q S S

0 0 0 0
1 2 3 4

0 0 0 0 0 1 1
5 6 7 8 9 0 1

1 1 1 1 1 1 1
2OUTUBRO
3 4 5 6 7 8

1 2S 2T 2Q 2
Q 2
S 2
S
9 0 1 2 3 4 5
0 0
2 2 2 2 3 1 2
6 7 8 9 0
0 0 0 0 0 0 0
3 4 5 6 7 8 9

1 1 1 1 1 1 1
126

0 1 2 3 4 5 6

1 1 1 2 2 2 2
7 8 9 0 1 2 3

2 2 2 2 2 2 3
4 5 6 7 8 9 0

3
1

NOVEMBRO

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6

VERÃO
0 0 0 1 1 1 1
7 8 9 0 1 2 3
INTERESTAÇÃO
1DEZEMBRO
1 1 1 1 1 2
4 5 6 7 8 9 0
DS T QQS S
2 2 2 2 2 2 2
1 2 3 4 5 6 7
0 0 0 OUTON
1 2 3 O
2 2 3
8 9 0
PRIM
AVER
A
04

0 0 0 0 0 1 11
5 6 7 8 9 0

1 1 1 1 1 1 18
2 3 4 5 6 7
127

1 2 2 2 2 2 INVER
9 0 1 2 3 4 NO
25

2 2 2 2 3 3
6 7 8 9 0 1

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2005

2005 JANEIRO

D S T Q Q S S

0
1

02 03 0 0 0 0 0
4 5 6 7 8

09 10 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5

16 17 1 1 2 2 2
8 9 0 1 2
2005 FEVEREIRO
23
/ 24/ 2 2 2 2 2
30 S31 T 5 Q6 Q7 S
D 8 S9

0 0 0 0 0
1 2 3 4 5

0 0 0 0 1 1 1
6 7 8 9 0 1 2

1 1 1 1 1 1 1
3 4 5 6 7 8 9

2 2 2 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6

2 2
7 8
128

ABRIL
2005 MARÇO
D S T Q Q S S
D S T Q Q S S
0 0
1 2 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5
0 0 0 0 0 0 0
3 4 5 6 7 8 9 0 0 0 0 1 1 1
6 7 8 9 0 1 2
1 1 1 1 1 1 1
0 1 2 3 4 5 6 1 1 1 1 1 1 1
3 4 5 6 7 8 9
1 1 1 2 2 2 2
7 8 9 0 1 2 3 2 2 2 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6
2 2 2 2 2 2 3
4 5 6 7 8 9 0 2 2 2 3 3
7 8 9 0 1

MAIO

D S T Q Q S S

01 02 03 04 05 06 07

08 09 10 11 12 13 14

15 16 17 18 19 20 21

22 23 24 25 26 27 28

29 30 31
129

JUNHO

D S T Q Q S S

0 0 0 0
1 2 3 4

0 0 0 0 0 1 1
5 6 7 8 9 0 1

1 1 1 1 1 1 1
22005
3 JULHO
4 5 6 7 8

1D 2S 2T 2Q 2Q 2S 2S
9 0 1 2 3 4 5
0 0
2 2 2 2 3 1 2
6 7 8 9 0
03 0 0 0 0 0 0
4 5 6 7 8 9

10 1 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5 6

17 1 1 2 2 2 2
8 9 0 1 2 3

24
/3 2 2 2 2 2 3
5 6 7 8 9 0
AGOSTO
1

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6

0 0 0 1 1 1 1
7 8 9 0 1 2 3

1 1 1 1 1 1 2
4 5 6 7 8 9 0

2 2 2 2 2 2 2
1 2 3 4 5 6 7

2 2 3 3
8 9 0 1
130

SETEMBRO

D S T Q Q S S

0 0 0
1 2 3

0 0 0 0 0 0 1
4 5 6 7 8 9 0

1 1 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5 6 7

1 1 2 2 2 2 2
8 9 0 1 2 3 4

2 2 2 2 2 3
5 6 7 8 9 0

OUTUBRO

D S T Q Q S S

0
1

02 03 0 0 0 0 0
4 5 6 7 8

09 10 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5

NOVEMBRO
16 17 1 1 2 2 2
8 9 0 1 2
D S T Q Q S S
23 24
/3 /3 2 2 2 2 2
0 1 05 06 07 0
8 90
1 2 3 4 5
131

0 0 0 0 1 1 1
6 7 8 9 0 1 2

1 1 1 1 1 1 1
3 4 5 6 7 8 9

2 2 2 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6

2 2 2 3
7 8 9 0

DEZEMBRO

D S T Q Q S S

0 0 0
1 2 3

0 0 0 0 0 0 1
4 5 6 7 8 9 0
VERÃO
1 1 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5 6 7 INTERESTAÇÃO

1 1 2 2 2 2 2
OUTONO
8 9 0 1 2 3 4

INVERNO
2 2 2 2 2 3 3
5 6 7 8 9 0 1
PRIMAVERA

4. TABELAS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO


132

Funç Primav Verão Interesta Outo Inver


ão era ção no no
Yin

F T He F8 Ting F Yong F2 Yu F3 Jing F


1 4

S Yong F2 Yu F3 Jing F4 He F8 Ting F


1

C T He C3 Ting C Yong C8 Yu C7 Jing C


9 4

S Yong C8 Yu C7 Jing C4 He C3 Ting C


9

C T He CS3 Ting C Yong CS8 Yu C Jing C


S S9 S7 S5

S Yong CS Yu CS Jing CS5 He C Ting C


8 7 S3 S9

B T He BP9 Ting B Yong BP2 Yu B Jing B


P P1 P3 P5

S Yong BP Yu BP Jing BP5 He B Ting B


2 3 P9 P1

P T He P5 Ting P Yong P10 Yu P9 Jing P


11 8

S Yong P1 Yu P9 Jing P8 He P5 Ting P


0 11

R T He R10 Ting R Yong R2 Yu R3 Jing R


1 7

S Yong R2 Yu R3 Jing R7 He R Ting R


133

10 11

Funç Primav Verã Interesta Outon Invern


ão era o ção o o
Yang

V T Yong V Yu VB Jing VB3 He VB3 Ting V


B B43 41 8 4 B44

S Jing VB He V Ting VB4 Yong V Yu VB


38 B34 4 B43 41

ID T Yong ID Yu ID Jing ID5 He ID8 Ting ID


2 3 1

S Jing ID5 He ID Ting ID1 Yong ID Yu ID3


8 2

T T Yong T Yu TR Jing TR6 He TR1 Ting T


R R2 3 0 R1

S Jing TR He TR Ting TR1 Yong T Yu TR


6 10 R2 3
134

E T Yong E Yu E4 Jing E41 He E36 Ting E


44 3 45

S Jing E4 He E3 Ting E45 Yong E Yu E43


1 6 44

IG T Yong IG Yu IG Jing IG5 He IG1 Ting IG


2 3 1 1

S Jing IG He IG Ting IG1 Yong IG Yu IG3


5 11 2

B T Yong B Yu B6 Jing B60 He B54 Ting B


66 5 67

S Jing B6 He B5 Ting B67 Yong B Yu B65


0 4 66
135

15. REGRAS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO COM AS


AGULHAS

PARA TONIFICAR – YANG

1. Agir no meridiano nas 2hs. Após o máximo da onda energética.

2. Puntura superficial.

3. Massagear no ponto antes da picada.

4. Punturar lentamente, retirar rapidamente.

5. Picar no fim da expiração e retirar no fim da inspiração.

6. Inclinar a agulha no sentido da corrente energética.

7. Girar a agulha no sentido horário (1 giro é suficiente).

8. Tampar rapidamente o ponto e massagear com a mão direita.

9. Deixar por  7 min. (5-10).

PARA SEDAR – YIN

1. Agir no meridiano nas 2hs. máxima da onda energética.


136

2. Puntura profunda.

3. Punturar rapidamente e retirar lentamente.

4. Picar no fim da inspiração e retirar no início da expiração.

5. Inclinar a agulha no sentido contra a corrente energética.

6. Girar a agulha no sentido anti-horário.

7. Espremer rapidamente o ponto com a mão esquerda.

8. Deixar a agulha por  20 min.

9. Piparote no cabo da agulha para a vibração da agulha, de vez


em quando.

16. PENTAGRAMA GERAL

a. Yin e Yang
137

FUNÇÃO YIN

FUNÇÃO YANG
138

b. Pontos Su na Função YIN

c. Pontos Su na Função YANG


139

Pentagrama, Ciclo de Produção e de Inibição

 Pentagrama:

O pentagrama é um símbolo que nos permite visualizar a posição dos


cinco elementos e a interação que existe entre esses cinco elementos.
Essa interação obedece a uma dinâmica constante, na qual é
primordial a movimentação para a direita e acima. Não há um
retrocesso, como condição para a saúde e o desenvolvimento positivo.
140

 Ciclo de Produção ou Engendramento

No ciclo de produção ou de engendramento, ele é a base na qual


estabelecemos a regra mãe-filho: Fígado é mãe de Coração, Coração
é mãe de Baço-Pâncreas, etc. E cada ponto Su antigo corresponde a
um elemento. E cada elemento produz ou engendra o próximo
elemento à sua direita como no pentagrama e por isso sendo
chamado de mãe. Isto é, além de F produzir o C, C produz BP, BP
produz P, P produz R e R produz F, eu também tenho dentro de cada
função a sua própria regra de engendramento. Por exemplo:
R1 R2  R3  R7  R10  R1...

A cada elemento corresponde a uma função, temos que, por exemplo,


fígado é mãe do coração, pulmão é mãe de rim, etc. Por outro lado,
141

coração é filho do fígado, rim é filho de pulmão, valendo a regra: mãe


é a função que antecede e filho é a função que sucede no
pentagrama. Também no relógio orgânico

 Quando mãe e filho estão


com insuficiência energética  tonifico somente a mãe e
automaticamente o filho será tonificado.

 Se mãe e filho estão em plenitude


(excesso) energética  disperso a energia do filho e
automaticamente a mãe será também sedada.

 Ciclo de Inibição ou de Dominância (Ciclo Ko).

Então eu tenho Rim dominando Coração, Coração dominando


Pulmão, Pulmão dominando Fígado, Fígado dominando Baço-
Pâncreas e Baço-Pâncreas dominando Rim (veja as setas no meio do
pentagrama).
142

O ciclo de inibição ou de dominância ou ainda, o ciclo Ko é aquele em


cada função inibe a função que sucede o seu filho, isto é, inibe o seu
neto (vem depois do seu filho, que é o neto). Assim temos que F inibe
BP, R domina ou inibe C-CS, etc. No entanto essa inibição
considerada natural e saudável, pode se tornar excessiva, patológica.
Quando o avô exerce uma inibição exagerada sobre o neto. Ex. Rim
em excesso inibindo demasiadamente o coração.

Para corrigir a situação:

Por exemplo, do Rim dominando demais o Coração, e isso faz com


que o Coração fique fraco demais.
143

Quem está atacando? O Rim. A vítima quem é? Coração. E quem é


que está atacando em termos de elemento? É a água. A água está
apagando o fogo demais e o fogo tem que existir. Quem é o ponto
água do coração?

Pontos Su Antigo do Coração

Então no pentagrama só do coração, o ponto água é o C3. Então o


que é que eu faça? Eu pontuo o C3 e fecho a porta da casa do
coração. O coração tem cinco portas e uma delas está sendo invadida
pela a água. E então eu fecho a porta do elemento atacante, do
elemento água. E assim coração volta ao normal. Portanto, assim,
resolvi o problema.
144

Ponto de proteção da função contra os excessos do avô


(dominância excessiva):

 Yin  F4, C3, CS3, BP1, P10, R3.

 Yang  IG5, B54, VB44, ID2, TR2, E43.

 Contra-dominância

A contra-dominância é uma situação chamada de insulto. É o neto se


voltando contra o avô. Ocorre quando o avô está com insuficiência
energética e o neto com excesso de energia. Então, em vez do avô
dominar o neto, este neto se insurge e insulta o avô. Ele agride o avô.
Esta situação é principalmente perigosa quando acontece na estação
do dominante, isto é, na época do ano em que o avô deveria está mais
forte do que nunca. Por exemplo, Rim fraquinho no inverno e o
coração alto. Coração que deveria ser o dominado se torna
dominante, ele se volta contra o avô (Rim), no inverno. E aí o caso fica
muito grave.

Contra-dominância é sinônimo de involução, isto é, a dinâmica do


pentagrama sendo invertida, forçando-se a movimentação para o lado
anti-horário. Exemplo: Rim domina naturalmente o coração. Se
coração (dominado - neto) estiver com grande excesso energético e
rim (dominante - avô) em grande insuficiência, o neto pode se voltar
contra o avô. C contra R, e estabelece-se a contra-dominância e será
extremamente grave se for na estação do rim. Avô insultado ou
dominado.

Para corrigir esta situação:

Exemplo: Coração contra-dominando o Rim. Vamos supor a estação


inverno e o rim está muito fraco e coração lá em cima:
145

Coração é o neto e o rim é o avô. Neste caso o coração está


agredindo, insultando o avô. Quem é que está agredindo quem?

 Vítima: Rim

 Atacante: Coração

 Elemento atacante: Fogo

O fogo está vindo secar a água. Então eu traço a casa da vítima, no


caso o rim: No pentagrama do rim, temos R1, R2, R3, R7 e R10.

Qual é a porta do fogo? R2. Então se coração está atacando o rim, eu


fecho a porta do atacante. Portanto o ponto de proteção do rim da
contra-dominância é R2.
146

Exercício:

 Faça um esquema em que fique clara a contra-dominância de B


sobre E, explicando a razão de ser indicado o E44 para resolver
o problema.

Água é o neto e a Terra é o avô. Neste caso a água está agredindo,


insultando o avô. Quem é que está agredindo quem?

 Vítima: Estômago

 Atacante: Bexiga

 Elemento atacante: Água


147

Fazendo a casa da vítima no pentagrama, temos:

Portanto, para solucionar o problema, fecha-se a porta do atacante,


que neste caso é o E44.
148

17. MERIDIANOS SECUNDÁRIOS

a.Ligamentários – Tendino-Musculares. Ligados a E Wei


(defensiva) – superficiais. Iniciam-se antes da capa energética
(antes da pele).

b. De Passagem (Lo)Transversais e Longitudinais

c. De Passagem (Lo) Longitudinais

d. Meridianos Distintos ou Colaterais – leva E Wei para a


profundidade. “Como que um escudo da cabeça aos pés”.

a. MERIDIANOS LIGAMENTÁRIOS OU TENDINO MUSCULARES

 São eles que nos protege de qualquer tipo de agressão


(energia perversa, acidentes, etc). São de natureza Yang e,
portanto, os mais superficiais, não tendo ligação com o interior
(órgãos e vísceras).

 Os meridianos ligamentários possuem um sistema de união


onde são agrupados de três em três, separadamente, os
meridianos das mãos e dos pés: Para saber que meridiano
está afetado, no mínimo dois devem está no mesmo
sentido  ou .
149

VB13
ID TR IG Yang das mãos
VB22
P CS C Yin das mãos
VC3
R F BP Yin dos pés
E5
B E VB Yang dos pés

1. TRAJETO

Iniciam seus trajetos em cada um dos pontos Ting dos Meridianos


Principais, aos quais acompanham seguindo os sulcos entre os
músculos.

2. SINAIS E SINTOMAS DA ENERGIA WEI:

 Excesso ()  Hipersensibilidade, dor espontânea e/ou na


palpação superficial, rubor, calor, espasmos, contrações,
edemas, formigamentos.

 Insuficiência () ou Vazio  Hipossensibilidade, frio, paresia


ou paralisia motriz, palidez dos tegumentos, atonia ou atrofia
muscular, palpação dolorosa em profundidade.
150

3. REGRAS DE TRATAMENTOS:

1. Segundo o Nei-King, não deve haver preocupação em


saber se há excesso ou insuficiência  Puntura-se os
pontos dolorosos até que o paciente esteja aliviado,
acrescentando-se os pontos de ação fisiologia: ex. IG4
para o rosto, B54 para as costas.

2. Segundo o So-Quenn: No Excesso ()  Dispesar o


meridiano ligamentário com agulhas nos pontos dolorosos
e tonificar o meridiano principal com moxas. Na
insuficiência ()  Usar moxa nos pontos dolorosos do
meridiano ligamentário e dispersar o meridiano principal
com agulhas.

3. Outra técnica:   Dispersar os pontos de união e


tonificar os meridianos principais correspondentes (ao
ponto união).   Tonificar os pontos de união – moxar os
pontos dolorosos; Dispersar os meridianos principais
correspondentes.

4. A coisa mais importante é conseguir localizar em que fase


do processo o paciente está. Veja tabela abaixo.

FASE AÇÃO TRATAMENTO

Um agente agressor Punturar os pontos


esterno  M. L., mas doloridos
1a. estes estão suportando
há apenas uma +
sensibilidade local por
onde a doença está Pontos de ação
penetrando. fisiológica.

A barreira dos Meridianos Excesso de M.


Ligamentários (M. L.) está Ligamentario
sendo seriamente
atingida e está quase se  Dispersar
a
2. rompendo. pontos de união.
151

Insuficiência de
M. Principal

 Tonificar M.
Principal
correspondente

A agressão já rompeu a Insuficiência de


barreira. A Energia M. L. Tonificar
3ª. Perversa já invadiu M. ponto união.
Principal. ou órgãos e
vísceras. Excesso de M.
P.  Dispersar
Meridiano Principal
(M. P.)

Obs: Afecções comuns nos meridianos ligamentários:

 Reumatismos agudo, algias e contratura, contusões, lesões


musculares ou ligamentárias;

 Neurites, algias, tendinites;

 Afecções cutâneas: urticárias, eczemas, pruridos, acne, úlceras;

 Afecções cefálicas: nevralgias, paresias ou paralisias faciais,


tiques nervosos, rinites, sinusites, conjuntivites, afonia, catarros.

4. FLUXO DA ENERGIA DEFENSIVA

(Para Meridianos Ligamentares e Distintos)

 Dia: B  VB  E  ID  TR  IG 

 Noite: BP  F  R  P  CS  C 
152

b. MERIDIANO DE PASSAGEM (LO) TRANSVERSAL

Meridiano de passagem porque a sua origem é no Ponto de


Passagem (Lo).

1. TRAJETO

São em número de 15: 12 nos Meridianos Principais, 2 nos


Meridianos Curiosos (VG e VC), e 1 no ponto BP21 chamado de
grande Lo.

Grande Lo  BP21 - Ponto de equilíbrio e união de todos os


meridianos Inn e Iang. Função harmonizadora.

Obs: Quando às vezes você põe agulha pela primeira vez (ou já faz
muito tempo que não faz acupuntura), pela passagem rápida de
energia, no dia seguinte dar uma dor no corpo. Então usa o BP21.
Portanto quando der uma dor muito forte no corpo inteiro, seja por
gripe, seja por excesso de energia ou qualquer coisa que der dor no
corpo inteiro, então usa o ponto BP21. Porque ele vai acionar a
drenagem de todos os meridianos do corpo e vai tirar o dolorido.

Excesso: Corpo todo dolorido.

BP21

Insuficiência: Todas as articulações relaxadas (não consegue ficar


em pé).
153

 P7 vai para IG4

 IG6 vai para P9

 E40 vai para BP3

 BP4 vai para E42

 C5 vai para ID4

 ID7 vai para C7

 B58 vai para R3

 R4 vai para B64

 CS6 vai para TR4

 TR5 vai para CS7

 VB37 vai para F3

 F5 vai para VB40

2. SINAIS E SINTOMAS

Não possuem sintomatologia própria porque tem por função


única transferir o excesso de energia de um meridiano principal
para o outro que lhe éacoplado. Assim basta verificar os sintomas
de excesso ou insuficiência nos meridianos principais para poder
regularizar a energia usando estes vasos.

3. REGRA DE TRATAMENTO: Sedar o ponto Lo do meridiano em


excesso e Tonificar o ponto fonte do meridiano em insuficiência. (ver
tabela)
154

Ponto
Pares de conexão Ponto de Fonte
Passagem Tonificar
(Lo) Sedar

P IG P7 IG4
P - IG
P IG IG6 P9

E BP E40 BP3


E - BP
E BP BP4 E42

C ID C5 ID4

C - ID
C ID ID7 C7

B R B58 R3

B-R
B R R4 B64

CS TR CS6 TR4

CS - TR
CS TR TR5 CS7

VB F VB37 F3

VB - F
VB F F5 VB40

c. MERIDIANO DE PASSAGEM (LO) LONGITUDINAL

Se o desequilíbrio tem origem em fatores externos, usa-se a


técnica dos Lo longitudinais.
155

1. TRAJETO

São em número de 15: 12 nos Meridianos Principais, 2 nos


Meridianos Curiosos (VG e VC), e 1 no ponto BP21 chamado de
grande Lo.

 P7  Meridiano Principal IG em IG11.

 IG6  Braço  Ombro  IG15  Maxilar Inferior  Pulmão.

 E40  Segue Meridiano Principal até a cabeça  Garganta.

 BP4  Segue Meridiano Principal BP até o


abdômen  Intestino Grosso e Estômago.

 C5  Segue Meridiano Principal C até o peito  Região do


CS  Língua  Olhos  Canto interno do Olho  Meridiano
Principal IG.

 ID7  Segue Meridiano Principal IG (parte póstero externa do


braço)  Meridiano principal do C. Outro ramo vai ao IG15.

 B58  Segue Meridiano principal da B até a cabeça.

 R4  Segue meridiano Principal do R até o abdômen  Região


do CS  Coluna.

 CS6  Segue Meridiano Principal até o peito região do


CS  Meridiano principal do TR.

 TR5  Segue Meridiano Principal TR até o peito  Região


CS  Meridiano Principal TR.

 VB37  Segue Meridiano Principal VB até os artelhos.

 F5  Segue Meridiano Principal até as partes genitais.


156

 VG1  Segue Meridiano VG  Sobe a cabeça  Meridiano da


Bexiga  Desce aos Rins  Genitais  Se comunica com o
VC.

 VC15 ou VC12  Segue ao Chong MO, considerado Xu Li.

2. SINAIS E SINTOMAS DE EXCESSO OU INSUFICIÊNCIA

1. Pulmão:   Palma da mão muito quente.

  Bocejos exagerados, urina freqüente e cada vez mais em


maior quantidade.

2. Coração:   Contrações no diafragma.

  O doente não pode falar.

3. C.S:   Dores no coração.

  Pescoço contraído, enrijecido.

4. Intestino Delgado:   Dificuldade de articular o cotovelo e o


ombro.

  Excrecências (crostas) nos membros superiores.

5. Intestino Grosso:   Surdez e cáries.

  Frio nos dentes e contrações no diafragma.

6. T.R:   Contraturas no cotovelo

  Impossibilidade de segurar objetos.


157

7. Bexiga:   Nariz obstruído, cabeça e costas dolorosas.

  Epistaxes.

8. Vesícula Biliar:   Frio nas extremidades.

  Membros inferiores sem força.

9. Estômago:   Dificuldade de deglutição, afonia, espasmos.

  Músculos das pernas atrofiados e desvitalizados.

10. Baço-Pâncreas:   Dores constantes no intestino.

  Inchaço abdominal (como um tambor).

11. Rins:   Pouca urina.

  Dores na região lombar.

12. Fígado:   Crispação muscular.

  Pruridos fortes.

3. REGRA DE TRATAMENTO

 Se excesso () Sedar Lo correspondente.

P  P7 (D)

 Insuficiência ()  Tonificar Lo da Função Acoplada; Sedar o


fonte da função insuficiente.

Ex. P  IG6 (T) P9 (D)


158

d. MERIDIANOS DISTINTOS OU COLATERAIS

 Vão partes superficiais e parte profundo. Começa sempre


numa grande articulação, num Meridiano Principal.

 Sistema próprio de união a partir dos acoplados.

Característica Principal:

 Intermitência intensidade. Os meridianos distintos têm uma


característica peculiar para você saber se é ou não
meridianos distintos. É uma coisa de intermitência e
intensidade. Não tendo nem intermitência nem intensidade,
não é problema de meridiano distinto. Que intermitência é
essa e que intensidade? Ex. A pessoa está com uma dor de
cabeça que parece que vai morrer. Vai explodir a cabeça. E
de repente ela passa como se nada tivesse acontecido. Daqui
a umas seis horas acontece de novo. Do nada ela vem muito
forte, parece que vai explodir e depois ela some como se
nada tivesse acontecido.

 Função Principal: Levar energia defensiva às partes internas


do organismo.

AS 6 FUNÇÕES PONTO ONDE A


FUNÇÕES ACOPLADAS ORIGEM UNIÃO É
FEITA

1a. B/R B54 / R10 B54 e B10


159

2a. VB / F VB30 / F5 VC2 e


VB1

3a. E / BP E30 / E30 e B1


BP12

4a. ID / C ID8 / C1 B1 e ID18

5a. TR / CS TR10 / TR16


CS1

6a. IG / P IG15 / P1 IG18

Circulação dos Meridianos Distintos:

Ela é em espiral começando das pernas. Primeiro a energia circula


pelos meridianos das pernas e depois dos braços e sobe
novamente. Isso acontece varias vezes ao dia a energia circula.
Pelo menos umas dez vezes ela passa pelo corpo.

_____________________________
___________________________

Primeiro circula Em seguida vai p/os

pelos meridianos das pernas meridianos dos braços


160

1. TRAJETO

 Bexiga  Inicia em B54  Face posterior da


coxa  Nádegas  Cóccix  Ânus  Bexiga  Rins  Bordo
lateral da coluna  Coração  Coluna Nuca  B10.

 Rins  Inicia em R10  B54  Meridiano Distinto da Bexiga


até os Rins  B23  Trajeto circular de Tae-Mo  Parede
abdominal anterior até a base da língua  Nuca  B10.

 Vesícula Biliar  Inicia em VB30  VC2  MD do


Fígado  Bordo inferior das costelas
falsas  Vesícula  Fígado  Coração  Pescoço Face,
onde se ramifica para o MD do Fígado e ao MP de VB em VB1.

 Fígado  Inicia em F5  Parte interna do membro inferior até a


virilha  VC2  MD
VB  Vesícula  Fígado  Diafragma  Pescoço  Face M
D VB  MP VB  VB1.

 Estômago  Inicia em
E30  Estômago  Baço  Coração  Garganta  Cavidade
bucal  Bordo do nariz  B1.

 Baço-Pâncreas  Inicia em BP12  MD do


Estômago  Estômago  Baço  Coração  Garganta  Líng
ua  B1.

 Intestino Delgado  Inicia em IG8  Axila  Caixa


torácica  Coração  Diafragma  Intestino Delgado  B1.

 Coração  Inicia em
C1  Vb22  Coração  Pescoço  Face  B1  IG19.

 Triplo Reaquecedor  De TR10 parte um vaso secundário que


vai até o VB20 onde inicia o MD do TR  TR16  Depressão
sob a clavícula Peito  Se ramifica no abdômen na região TR.
161

 Circulação-Sexualidade  Inicia em CS1  Peito  Região do


TR  Pescoço  TR16  MP do TR e MD do TR.

 Intestino Grosso  Inicia em IG15  Um ramo vai a parte


anterior do tórax e a região mamaria e outro passando pela
região torácica posterior vai ao VG14. Do primeiro ramo nascem
outros 2 ramos: um descendente e profundo vai ao Intestino
Grosso e outro vai aos Pulmões  Região sub-
clavicular Garganta  IG18 (onde se une ao MP do IG e ao
MD do Pulmão).

 Pulmão  Inicia em P1  VB22  Pulmão  Intestino


Grosso  IG18 (onde se une ao MD e ao MP do Intestino
Grosso.).

2. SINAIS E SINTOMAS

Perturbação do Meridiano Distinto do(a):

1. Bexiga  Dores de cabeça e no pescoço; Contrações e


espasmos das costas e da região lombar.

2. Rins  Dores súbitas no coração, plenitude no peito e nas


costelas; Dores na garganta com dificuldade de deglutir, cólera
sem motivo, sensação que a energia sobe até o diafragma;
Garganta inchada impedindo de engolir saliva e de cuspir.

3. Vesícula Biliar  Dores vivas dos lados impedindo a


respiração. Transpiração; Dores vivas em VB30 impedindo de
levantar a perna.

4. Fígado  Dores violentas nas partes genitais.

5. Estômago  Epistaxes; Frio nos lábios e dentes.

6. Baço-Pâncreas  Dores na região renal irradiando ao baixo


ventre e as costelas, impossibilidade de deitar de costas.
162

7. TR  Dores na garganta, língua retraída, boca seca, mal estar


no coração, dores na parte externa do braço, a mão não pode ir
à cabeça.

8. Intestino Grosso  Plenitude de energia: dispnéia ou asma,


caixa torácica aumentada, calor no peito; Surdez intermitente;
Odontalgia.

9. CS, ID, P, C, CS  Os trajetos desses meridianos são internos e


por isso não tem sintomatologia própria.

3. REGRA DE TRATAMENTO

 Ponto Ting do lado oposto ao que está sofrendo o transtorno


(MP correspondente).

 Picar sem preocupação com tonificação ou dispersão. Se não


estiver nítido o lado do transtorno, picam-se os dois lados
(Pontos Ting).

18. GRANDES MERIDIANOS


163

Superficial:

 B (água) – ID (fogo) → Tai Yang (Grande yang) = Frio

 TR (fogo) – VB (madeira) → Shao Yang (Pequeno Yang)


= Calor moderado

 IG (metal) – E (terra) → Yang Ming = Secura

Profundo:

 P (metal) – BP (terra) → Tai Yin (Grande Yin) = Umidade

 CS (fogo) – F (madeira) → Jue Yin (Yin do meio) = Vento

 R (água) – C (fogo) → Shao Yin = Calor exagerado

Regra de Tratamento:

P BP1 BP (umidad B (frio) B67 ID


e)

C F1 F (vento) VB (calor T
S moderado) VB4 R
4

C R1 R (calor E (secura) E45 IG


excessivo)

Os pontos “raízes” dos Grandes Meridianos

 A sedação do R1 envia calor combatendo o frio na superfície.


164

 A sedação do F1 combate o calor excessivo.

 A sedação do BP1 envia umidade na secura profunda.

 A sedação do E45 envia o seco para a umidade na superfície.

 A sedação do VB44 combate o vento.

 A sedação do B67 envia o frio para o calor moderado profundo.

19. ANALGESIA

a. REGRAS

 Dor Unilateral

 Distúrbio em um meridiano

o Somente 1 ramo afetado

Regra da grande puntura  “Picada do ponto Lo (passagem)


contra-lateral à região dolorida + pontos álgicos locais”.
165

FUNÇ PASSA
ÃO GEM

C C5

ID ID7

P P7

IG IG6

F F5

VB VB37

BP BP4

E E40

R R4

B B58

CS CS6

TR TR5

 Dor unilateral

 Distúrbio em mais de um meridiano


166

Regra da grande puntura com Pontos Lo (passagem) grupo yang +


Pontos de dor local.

Pontos Lo de grupo

GRUPO DE PONTOS LO DE
MERIDIANOS GRUPO

Yang do Yang dos membros


braço: IG, ID, TR. superiores: TR8

Yang da Yang dos membros


perna: VB, B e E. inferiores: VB39

Yin do Yin dos membros


braço: P, CS e C. superiores: CS5

Yin da Yin dos membros


perna: F, BP e R. inferiores: BP6

 Dor Bilateral

 Distúrbio em um meridiano

o Os 2 ramos afetados (a causa é o excesso ou a


insuficiência do meridiano afetado)

Regra: Tonificar ou Sedar o meridiano afetado + .Pontos locais


167

Classificação da dor pela teoria Yin / Yang

YIN DOR YIN DOR YANG YANG

Crônica Aguda

Fixa Móvel

Profunda Superficial

Agrava pelo frio Agrava pelo calor

Agrava pelo repouso Agrava pelo


movimento

Agrava com Agrava com


aplicação fria aplicação quente

Tipo surda Tipo latejante

 TOTAL TOTAL 

Conclusão: Dor tipo ( ) Yin () ( ) Yang ()

Yang (↑) → Doença recente, aguda, diurna; agravada pelo calor,


pressão, movimento. Dores erráticas, fulgurantes. Dores por
descargas elétricas, principalmente na parte alta do corpo. Dor
posterior, externa e superficial; com pele seca, contraturas, edema,
pele vermelha, quente. Dor não difusa.

Yin (↓) → Doença antiga ou crônica, agravação noturna, frio, água fria,
repouso, choques, imobilidade. Dores fixas, difusas, profundas,
principalmente: no baixo ventre, anteriores, internas, com pele úmida,
edema, varizes frias.
168

 Dor Bilateral

 Vários meridianos afetados

Regra dos Pontos Lo de Grupo (Tonificar ou Sedar), picados


bilateralmente +Pontos locais da dor.

Obs: Usar a tabela de classificação da dor pela teoria Yin / Yang


(vista acima) para identificar se é um distúrbio por excesso ou
insuficiência.

Procedimentos para se obter um bom efeito analgésico:

1. Picar exatamente o ponto da dor ou o ponto de acupuntura.


Na analgesia você tem picar exatamente no ponto.

2. Picar em profundidade.

3. Se necessário, manipular a agulha.

4. Usar o menor número de agulhas possíveis.

b. PONTOS USADOS (RECEITAS)


169

PONTOS DE ANALGESIA PARA CIRURGIA

 Operação de crânio  F43 – VB41 – F3 – ID18 – VG20 –


TR21.

 Cirurgia ocular:

o Descolamento de retina  IG4 – ID3 (do mesmo lado


do olho). Pode-se acrescentar os pontos
auriculares  Olho 1 e 2; Lóbulo.

o Estrabismo  IG4 – TR6 – Pontos perioculares (VB1 –


E1 – yu yao (no meio da sobrancelha) transfixar
até  yin tang).

o Outras cirurgias  IG4 – ID3 – Pontos perioculares.

 Boca e dentes  E44 – IG4 – CS6.

Anterior  VG26 – IG20 – E3.

Maxila

o Locais Posterior  ID18 – E7.

Mandíbula Anterior  VC23 – VC24

Posterior  E5 – E6.

 Sinusectomia maxilar  IG4 – TR6 – Pontos locais – E3


contra-lateral.

 Tireoidectomia  IG4 – CS6 – IG18.

 Tonsilectomia (amídalas)  IG4 – E44 – IG18.


170

 Pneumonectomia  *CS6 Transf.  TR5 – P3 – IG4.


* Cuidado nessa transfixação (penetrar devagarzinho, ir perguntando se o paciente
sente alguma coisa, volta, modifica. É trabalhoso, não pode ir de uma vez porque pode
lesar os tecidos.).

 Herniorragia  F3 – BP4 (bilateral) – E36 – E30 – VB27.

 Cesárea  VB36 – BP6 – Nei Ma (fica entre o E35 e o


maléolo externo) – Wei Ma (fica entre o maléolo interno e o
BP9). Obs: Para induzir o parto usa-se o VB21 – BP6 – IG4 –
E36.

 Histerectomia  BP6 – B22 – B23 – VG24.

 Nefrectomia  IG4 – CS6 – E36 – BP6 – F3.

 Enterectomia  IG4 – CS6 – E36 – BP4. Agulhas colocadas


obliquamente com o cabo da agulha para cima e a ponta para
baixo e prendida com esparadrapo.

 Circuncisão  BP6 – F3 – VC2 – VC3.

 Redução de fraturas:

o Articulação do ombro  IG4 – ID10 – ID12.

o Úmero  IG4 – P3 – R3.

o Rádio e ulna  IG4 – IG11 – TR5 transf.  CS6.

o Fêmur  E40 – BP6 – VB34.

o Tíbia e fíbula  BP6 – VB39.

Pontos para consolidação de fraturas  R3 – BP2 – Triangulo dos ossos.


171

20. AS OITO REUNIÕES

Pontos de Reunião: Apresentam influência especial sobre determinados


tecidos, sistemas, Qi ou Sangue (Xue).

 F13  É utilizado para afetar todos os sistemas Yin, em particular


o Baço. É utilizado para a deficiência do Baço, especialmente se
acompanhada de estagnação do Qi.

 VC12  Influencia todos os sistemas yang. É o ponto de comando


do TR Médio (aparelho digestivo). É muito freqüentemente usado
para tonificar o Estômago (e o Baço).

 VC17  Ponto de Reunião da Força vital. Útil para a função Yin e


Yang. Utilizado para tonificar o Pulmão e o Coração, sendo
freqüentemente combinado com outros pontos para tonificar o Qi.
Ele pode ser também utilizado para movimentar o Qi no tórax,
especialmente nas alterações emocionais, principalmente
ansiedade e preocupação. O VC17 forma com o R27 a Triângulo
da Ansiedade ou das Emoções (Martiny).
172

 VB34  Ponto de Reunião dos Músculos. É útil para debilidade ou


rigidez das articulações e artrite. Ação trófica sobre os músculos,
além de relaxante muscular.

 P9  Ponto de Reunião dos Vasos Sanguíneos. É útil para


tonificação do Qi do Pulmão, particularmente quando todos os
pulsos estão profundos e finos. Também estimula a circulação já
que influencia as artérias.

 B17  Ponto de Reunião do sangue. É utilizado tanto para


tonificar o Sangue se utilizado somente a Moxa, como para
movimentar o sangue nos arredores para aliviar dores no dorso
superior.

 B11  Ponto de Reunião dos Ossos. Pode ser utilizado para


artrite crônica para afetar os ossos e para todas as patologias
ósseas (osteoporose, artrite, artrose, etc).

 VB39  Ponto de Reunião da Medula. É útil para nutrir a medula e


o Yin no caso de AVC. Também é útil com Moxa para prevenir o
AVC.

21. MICROSSISTEMAS

a. LÍNGUA
173
174

ROSTO
175

Então nós temos a face, que é um dos microssistemas, onde o


interessante de nós sabermos e conhecermos o microssistema é que
nos auxilia muito na acupuntura sistêmica. Porque para nós fecharmos
um diagnóstico, precisamos avaliar vários detalhes. Um acupunturista
ele é detalhista. Ele olha os pequenos detalhes: como a pessoa fala,
anda, se veste, etc. Enfim, sobre detalhes que para nós é muito
importante. Então todo acupunturista ele tem que desenvolver o
detalhe.

A avaliação do microssistema da face, ela expressa o Shen, ou


seja, a emoção da pessoa através da face e assim nós vamos
saber quem é que é essa pessoa. Muitas vezes na chegada dessa
pessoa no seu gabinete, você já bate o olho no rosto dele e assim
já vai dar o primeiro sinal do diagnóstico.

Nós vamos está vendo a coloração da face:

 Coloração verde... parece que é esverdeada, claro que não é


um verdão. Mas você percebe a diferença, um tom mais
esverdeado. Nós já vamos pensar no elemento madeira, que
deve está um pouco debilitada. Então vamos pensar no que
podemos fazer com esta madeira.
176

 Aquela coloração avermelhada, o paciente que tem uma face


avermelhada. O fogo dele deve está alto e provavelmente é um
hipertenso... alguma coisa neste sentido.

 Amarelada, elemento terra, estômago, baço-pâncreas


relacionado a alguma coisa alimentar dele.

 A cor esbranquiçada, que é o metal, intestino - pulmão. Lógico


que o pulmão é o que oxigena o nosso corpo e esta face de cor
esbranquiçada, nós podemos está pensando neste elemento
pulmonar dele.

 A cor escurecida, não a cor morena, mas uma cor que dar um
distúrbio renal. Quem trabalha com insuficiente renal sabe disso.
É uma cor mais escurecida, diferente do moreno.

Então tudo isso vai nos dar uma primeira impressão, quando nós
vamos está vendo, analisando este paciente, vamos está percebendo
a condição logo no visual em relação à face que pode está
acontecendo.

O outro item que a literatura nos fala, é em relação à plenitude ou o


vazio das funções. Alguns sinais clínicos que poderão estar
apresentando:

 Uma cor pálida é sinal de frio, sangue e insuficiência energética.


Numa insuficiência energética, qual o ponto que você vai usar
aqui? De uma forma geral o E36.

 A cor amarela é indicativa de plenitude de energia e aí temos


que ver a razão disso para sedar.

 A cor vermelha e congesta indica excesso de sangue e


energia. Tem pessoas que chegam com a face de uma forma
avermelhada e congesta, que até para falar parece que tem
alguma coisa apertando o gogó dele. Você olha na rua e tem
pessoas vermelhas só na face, olha para baixo e não tem nada,
mas é só a face vermelha.

 A cor vermelha sem congesta: calor excessivo, plenitude


energética. Isso aqui acontece muito em mulheres, faz parte da
menopausa e o desequilíbrio de energia nesta fase é muito
177

interessante porque a acupuntura tem ajudado a muitas


mulheres neste sentido.

Os sinais clínicos de cor da face são indicativos de:

 Fácies pálida  Vazio de Coração e Rim;

 Fácies branco  Vazio de Pulmão;

 Fácies amarelo-alaranjado  Baço-Pâncreas alto, plenitude;

 Fácies amarelo-escuro  Frio do BP. Aí o BP21 lhe


acompanha nos dois sentidos;

 Fácies escuro, amarelado  Vazio de Fígado.

A face foi dividida em regiões: Norte, Sul, Leste e Oeste. São áreas
onde você ver a face como um todo, depois vai concentrando numa
parte para poder fechar o diagnóstico. Aonde ele dividiu o pulmão,
baço-pâncreas no nariz. Estes pontos ao redor do nariz vamos está
vendo bexiga, intestino grosso, intestino delgado.

São pequenas áreas que eles vão analisando e tem estudos


específicos para essas áreas, aonde se vai analisando item por item,
parte por parte para poder fechar um diagnóstico energético. Onde
poderá está usando a técnica da acupuntura baseado no
microssistema da face.
178

c. ORELHA (Auriculoterapia)
179
180

De modo geral, pode-se estabelecer que:

 Os pontos avermelhados ou avermelhados com escamas, pápulas


avermelhadas com secreção sebácea com cor brilhante
traduzem processos inflamatórios;

 Pontos brancos isolados ou com escamas, depressões, inchaço e


pápulas brancas sem secreção sebácea com cor brilhante traduzem
uma enfermidade orgânica cronica;

 Os pontos com inchaço em forma de tubérculo, pontos com escamas


cinzentas de cor opaca são significativos de tumores;

 Os pontos com cicatriz linear, ou arredondada, ou em forma de meia lua,


de cor branca ou cinza opaca aparecem após uma cirurgia ou
agressao externa.

Diagnóstico Auricular:

Coloração:

( ) Palidez = Rins

( ) Eritrose = C, hipertensão

( ) Verde = F

( ) Cinza = P

( ) Amarelada = BP

( ) Azulada = F ou algias

Lesões Fundamentais:
181

( ) Manchas esbranquiçadas = Doença de polaridade yang;

( ) descamações, seborréia = Superficial, recente;

( ) Eritema = patologia yang, aguda, inflamatória;

( ) Hiperpigmentos acastanhados = Doença yin, degenerativa;

( ) Hipercromia escura = Doenças proliferativas, litíase, tumores;

( ) Marrons = Ausência de estrutura ou órgão congênito ou devido a retirada;

( ) Pápula, placa, descamação epitelial = Alterações da função do meridiano


e/ou estrutura contida no microssistema.

 Útero: Pontos e Zonas brancas opacas, zonas


escamosas.  Algomenorréia.

 Área do apêndice: Ponto injetado (sangue) ou pápula  Apendicite


aguda.

 Zonas de correspondência: Pontos ou áreas brancas  Bronquite


aguda.

 Brônquios: Pontos e áreas esbranquiçadas opacas com contorno mais


claro  Bronquite crônica.

 Brônquios: Pontos e áreas esbranquiçadas, erupções brilhantes e com


contorno avermelhado  Bronquite crônica agudizada.

 Cérebro frontal,subcórtex: Pontos muito avermelhados ou brancos


brilhantes com contorno avermelhado forte  Cefaléia.

 Pulmão: Área pequena e conjunto de pontos com contorno


avermelhado  Congestão pulmonar.

 Intestino grosso e delgado: Áreas brancas ou áreas escamosas


opacas  Constipação.

 Área correspondente: Inchaço furunculóide ou


protuberância  Deformação da coluna pulmonar.

 Pulmão: Descamação branca ou descamação formada por pontos


densos sem borda definida, brilhante no início  Enfisema pulmonar.
182

 Intestino grosso e intestino delgado: Descamação branca,


protuberância sebácea  Enterite.

 Baço: Descamação branca com borda avermelhada, às vezes,


inchada  Esplenomegalia.

 Estômago: Ponto avermelhado brilhante ou descamação  Gastrite


aguda.

 Estômago: Descamação branca sem borda definida com pele


engrossada  Gastrite crônica.

 Fígado: Pontos e Áreas brancas, pequenas, brilhantes, com contorno


avermelhado  Hepatite aguda.

 Fígado: Protuberâncias esbranquiçadas bem delimitadas. A orelha


direita corresponde ao lóbulo D e a esquerda ao lóbulo
E  Hepatomegalia.

 Útero: Áreas brancas ou avermelhadas  Hipomenorragia.

 Útero: Pontos e protuberâncias com maior afluxo de sangue.

 Entre os dois Pulmões: Pontos ou erupções avermelhadas ou


manchas brancas, brilhantes, com contorno avermelhado  Pneumonia
aguda.

 Coração: Descamação branca, sem borda definida, às vezes,


brilhante  Sonhos excessivos, insônias, arritmias, (extra-sístoles).

 Área correspondente: Pontos avermelhados  Torções.

 Pulmão: Erupção brilhante com maior afluência sanguínea e pele muito


sensível  Tuberculose ativa.

 Pulmão: Cavidades pequenas e profundas  Tuberculose calcificada.

 Área correspondente: Abcesso debaixo da pele, móvel. com borda


definida, indolor a pressão  Tumor Benigno.

 Área correspondente: Protuberância cartilaginosa, com borda


indefinida, imóvel  Tumor maligno.

 Duodeno: Pontos esbranquiçados com zonas mais claras ou cinza


opaco com borda vermelha  Úlcera duodenal.
183

 Estômago: Pontos esbranquiçados com zonas mais claras ou cinza


opaco com borda vermelha  Úlcera gástrica.

d. MÃOS
184
185
186
187
188
189

e. PÉS (Reflexologia)

Pé Direito
190

01 - cabeça {cérebro), lado esquerdo (os 1 dedos grandes dos pés


correspondem à cabeça, o lado direito está relacionado no pé
esquerdo, o lado esquerdo no pé direito).

02 - seios da face, lado esquento.

03 - cerebelo, tronco encefálico

04 - hipófise

05 - região temporal, nervo trigêmeo

06 – nariz

07 – nuca

08 - olho esquerdo

09 - ouvido esquerdo

10 - ombro direito

11 - trapézio direito

12 – tireóide

13 – paratireóide

14 - pulmões e brônquios, lado direito

15 – estômago

16 – duodeno

17 – pâncreas

18 – fígado

19 - vesícula biliar

20 - plexo solar

21 - supra-renal, direito

22 - rim direito

23 - ureter direito
191

24 – bexiga

25 - intestino delgado

26 - apêndice vermiforme

27 - jejuno-íleo

28 - cólon ascendente

29 - cólon transversal

35 - joelho direito

36 - gônadas, lado direito

37 - área ciática
192

Pé Esquerdo
193

01- cabeça (cérebro), lado direito


02 - seios da face, lado direito
03 - cerebelo, tronco encefálico
04 - hipófise
05 - região temporal, nervo trigêmeo
06 - nariz
07 - nuca
08 - olho direito
09 - ouvido direito
10 - ombro esquerdo
11 - trapézio esquerdo
12 - tireóide
13 - paratireóide
14 - pulmões e brônquios, lado esquerdo
15 – estômago
16 – duodeno
17 – pâncreas
20 - plexo solar
21 - supra-renal, esquerdo
22 - rim esquerdo
23 - ureter esquerdo
24 – bexiga
25 - intestino delgado
29 - cólon transversal
30 - cólon descendente
31 - cólon sigmóide
32 – reto
33 – coração
34 – baço
35 - joelho esquerdo
36 - gônadas, lado esquerdo
37 - área ciática
194

Pé —
Parte
Interna

6 - nariz

13 – paratireóide

24 – bexiga

38 - área quadril

40 - área linfática inferior


49 – virilha

50 - útero ou próstata

51 - pênis, vagina, uretra

52 - reto

53 - região cervical

54 - região torácica
195

55 - região lombar

56 - região sacra e cóccix

Pé –
Parte
Externa

5 – Região temporal

10 – ombro

35 – joelho

36 - ovário ou testículos

37 – útero

38 - área quadril

39 - área linfática superior

42 – labirinto

43 - tórax
196

44 - diafragma

Pé – Dorso

39 - área linfática superior


40 - área linfática inferior
41 - drenagem linfática
42 – labirinto
43 – tórax
44-45 – amígdala
46 - maxilar inferior
197

47 - maxilar superior
48 - laringe, traquéia

f. CRANEOPUNTURA
198
199
200
201
202

 Área Motor(a)  O 1o. Ponto da linha se localiza a 0,5 cm atrás


do VG20 e daí desce até o início da implantação do cabelo. É
dividido em 5 partes: 1/5 corresponde aos membros inferiores e
tronco; 2/5 e 3/5 correspondem aos membros superiores; 4/5 e
5/5 correspondem a área da face.

Sintomatologia  Usada para qualquer distúrbio da Área


Motora: Paralisias; Paresias; Dores nos membros, tronco, face;
Músculo esquelético; Dependendo da área afetada.

 Área Sensorial  O 1o. Ponto da linha se localiza a 1,5 cm


atrás do ponto inicial da Área Motora ou a 2 cm do VG20. O
ponto final da Área Sensorial se encontra a 1,5 cm do ponto final
da Área Motora. É dividido em 5 partes: 1 corresponde aos
membros inferiores e tronco; 2 e 3 correspondem aos membros
superiores; 4 e 5 correspondem a área da face.

Sintomatologia  Distúrbios sensoriais superficiais como:


temperatura, tato, dor; Distúrbios sensoriais profundos
(procepção). Parestesias (formigamento, adormecimento).

 Área do Tremor ou Corea  O 1o. Ponto da linha se localiza a


1,5 cm na frente do VG20 ou a 2 cm na frente do 1 o. ponto da
Área Motora.

Sintomatologia  Distúrbios do movimento: Parkinson, corea,


ataxia, apraxia, tiques nervosos.

 Área Vasomotor(a)  O 1o. Ponto da linha se localiza a 1,5 cm


na frente da Área do Tremor.

Sintomatologia  Pós-operatórios cerebrais; controle de


edemas, hemorragias; hipertensão e hipotensão; Edemas
generalizados (nos membros, grávidas); Estimula a drenagem
linfática.
203

 Área do Uso  O 1o. Ponto da linha central se localiza em cima


da Protuberância Parietal e é composta de 3 linhas com 3 cm de
comprimento cada uma e separada entre elas com 3 cm de
distância paralelamente. Nesta área se coloca 7 agulhas
distribuídas nas 3 linhas ou apenas uma na protuberância.

Sintomatologia  Para todas as alterações motoras.

 Linguagem 2  Se localiza a mais ou menos 2 cm abaixo e


posterior da protuberância Parietal (difícil de localizar).

Sintomatologia  Área da linguagem.

 Área Vertigem – Auditiva e Linguagem 3  Se localiza a 1,5


cm acima do ápice da orelha e traça uma linha com 4 cm (2 cm
para frente e 2 para trás). Divide -se esta linha em 3 partes:
Parte 1 (anterior, para vertigem e auditiva); Parte 2 (para ambos
– central) e Parte 3 (posterior para linguagem).

Sintomatologia  Vertigem, auditiva e linguagem.

 Área Sensorial Motora do Pé  Se localiza a 1 cm de


distância, paralela a linha média. Começa paralelamente ao
ponto inicial da Área Motora e termina paralelamente ao ponto
inicial da Área Sensorial. Tem mais ou menos 2 a 3 cm de
comprimento.
Sintomatologia  Distúrbios Motores e Sensoriais da região
dos Pés.

 Área Cavidade Torácica  Se localiza bem no centro a Área


Gástrica e a Linha Média. Mede 4 cm (2 cm para baixo e 2 cm
para cima da linha de implantação do cabelo).

Sintomatologia  Alterações cardíacas e respiratórias.


204

Área Gástrica  Se localiza no início da implantação dos


cabelos, na direção da linha da pupila. Possui 2 cm de
comprimento.

Sintomatologia  Qualquer distúrbio digestivo.

Área Genital  Mesma distância entre as linhas das Áreas


Torácica e Gástrica (varia de pessoa para pessoa). Geralmente
fica no início do ângulo da linha da implantação do cabelo. Mede
2 cm para cima.

Sintomatologia  Distúrbio da área genital.

Área Visual  Se localiza a 1 cm paralelamente a Linha


Mediana. Tem início na Linha Imaginária da base do Occipital.
Mede 4 cm de comprimento.

Sintomatologia  Distúrbios da visão.

Área Equilíbrio  Se localiza a 3 cm paralelamente a Linha


Mediana. Tem início na Linha Imaginária da base do Occipital.
Mede 4 cm de comprimento.

Sintomatologia  Equilíbrio do corpo.


205

22. PONTOS DE MA TANG YANG

(...) Esse Ma Tang Yang, ele escreveu algumas obras, publicou


algumas coisas e tinha uma destreza prática tamanha, que repetia
aquilo que o Hua Tou fazia, isto é, tratar o general ou o imperador
que tinha sido ferido na batalha, enquanto o imperador despachava
sem interferir no trabalho do imperador. Ele operava, digamos, o
braço do general ou imperador, enquanto ele despachava com os
seus súditos. Então o Ma Tang Yang era capaz de repetir essa
proeza.

Dentre os trabalhos de Ma Tang Yang, aquele que vai mais prático


para nós é essa relação de doze
pontos: E36 – IG11 – E44 – IG4 – B57 – BP6– F3 – B60 – VB30 –
VB34 – C5 e P7. Segundo o Ma Tang Yang, todo e qualquer
tratamento de acupuntura, deve ter obrigatoriamente pelo
menos um desses doze pontos. E devido a essa importância
desses pontos, que nós seguimos na prática é que gostaríamos que
vocês aprendessem a localização e usem. Chamo a atenção,
porém, de que alguns desses pontos são contra-indicados durante
a gravidez. Como por exemplo, o E36, IG4, BP6, B60.

PONTOS DE MA TANG YANG


* Copiado da apostila dada em sala de aula

Como sabemos, Ma Tang Yang escreveu o “Tien Hsin Shi Ar Hsue”,


destacando o efeito dos doze pontos mais importantes. Isto
aconteceu durante as dinastias Chin e Yuan (1279-1365). Na
dinastia Ming (1366-1644) Yang Chi-Chow escreveu o “Chen Chiu
Ta Cheng”, recompilando todo o conhecimento dos clássicos. Neste
tratado refere-se aos mesmos doze pontos.
206

TZU SAN LI – E36

Função: Reajusta a função do Intestino Grosso e do Estômago.


Tonifica Chi e Shue.

Indicações: Todos os problemas do estômago; Vômitos; Prisão de


ventre; Hérnia escrotal; Garganta inchada; Paralisia (com ou sem
derrame); Febre; Poliúria; Fortalece o corpo (Ponto de longevidade
e do “homem”); Acalma convulsões e dores; Alergias; AVC;
Edemas; Inflamações do tórax e abdômen; Borborigmos; Todas as
afecções do tubo digestivo; Miopia; Alterações oculares;
Reumatismo por humidade; Úlcera gástrica; Soluço; Hipotensão
com vertigens; Inquietude; Angústia; Palpitações; Hesitação;
Epilepsia; Mania; Furor; Grito histérico; Riso excessivo.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulhas: 5 funs – 10 funs (1 tsun).

Moxa: 3-5 cones.

TCHU TCHI – IG11

Função: Elimina o vento e o fogo, água, circulação de Shue;


Elimina o calor do sangue; Regulariza intestinos e estômago.

Indicações: Dor de ouvido; Olhos embaçados; Odontalgias;


Impossibilidade de esticar o braço; Hemiplegia; Hipertensão;
Amenorréia; Inflamação nas costelas; Impetigo; Dedos rígidos;
Coceira; Dor de garganta; Paralisia; Febre em crianças; Renovação
de mulher (manutenção da juventude); Mania; Asma; Amnésia;
Angústia; Peito obstruído; Convulsões; Anginas; Problemas na pele;
Dor de cotovelo; Dor clavicular; Rinite; Colo irritável; Problemas
pulmonares; Epilepsia; Depressão; Imunidade.

Agulhas: 5 funs.
207

Moxa: 3-10 cones.

NEI TING – E44

Tradução: Salão interno

Função: Reorganiza o aparelho digestivo. Expulsa o vento.


Desbloqueia os meridianos. Depura o calor. Elimina dores.

Indicações: Derrame com repuchamento; Coriza; Dor no peito do


pé; Problemas nos braços e pernas; Tristeza; Odontalgias; Má
digestão; Tranqüiliza a mente; Diarréia; Urticárias alimentares;
Amidalites; Câimbras em braços e pernas; Pesadelos; Estimula o
apetite; Epistaxe; Prisão de ventre; Inflamação da garganta;
Gagueira.

Agulha: 3 funs no máximo.

Moxa: 3 cones.

RO KUO – IG4

Tradução: Vale do encontro

Função: Reorganiza o aparelho digestivo; Expulsa o vento; Depura


o calor do yang-Ming; Desbloqueia os meridianos; Abre os orifícios;
Induz a reanimação.

Indicações: Hemorragia cerebral; Problemas nos olhos; Surdez;


Garganta inchada; Câimbras nos dedos; Sudorese; Dificuldade para
abrir a boca; Escabiose; Sarampo; Acelera o parto; Regula a
menstruação; Dor de cabeça; Face inchada; Odontalgias; Epistaxe;
Paralisia bucal; Rouquidão; Síncope; Epilepsia; Depressão; Mania;
208

Edemas na face; Falta de suor; Paralisia nos braços; Problemas na


pele; Problemas na gengiva; Ótimo ponto cosmético; Problemas
nos ouvidos; Tiques nervosos.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5 funs.

Moxa: 3 cones.

CHENG SHANG – B57

Tradução: Junto a montanha (ou ainda ventre do peixe).

Função: Favorece todos os ligamentos e articulações.

Indicações: Dor de barriga; Hérnia escrotal; Hemorróidas; Fezes


com sangue; Dores no joelho; Dores nas costas; Cólera; Câimbras
nas pernas; Dores no calcanhar; Dores na cintura; Prisão de ventre;
Dores e cólicas; Diarréia; Prolapso retal; Ciática; Mau odor dos pés;
Coceira nos pés; Lombalgias; Tremores com náuseas e vômitos;
Dor na perna.

Agulha: Em ângulo reto 5-10 funs.

Moxa: 5-10 cones.

SAN YIN CHIAO – BP6

Tradução: Encontro dos três yin.


209

Função: Fortalece o baço; Beneficia o chi; Alimenta o shue; Tonifica


e regulariza fígado e rins; Acalma o ânimo.

Indicações: Insônia; Má digestão; Barriga inchada; Estômago fraco;


Dificuldade para urinar; Ejaculação precoce e/ou noturna;
Hemorragia interna na mulher; Parto difícil; Menstruação com dores;
Corrimento; Problema nas pernas; Paralisia; Esterilidade feminina;
Desmaio; Palpitações; Desconfiança; Preocupação; Tristeza com
vontade de chorar; Amnésia; Letargia; Anorexia; Diarréia; Prisão de
ventre; Icterícia; Impotência; Esterilidade: Sensação de punção na
região lombar e joelhos; atrofia do pé; Angústia; Irritabilidade. (Este
ponto é obrigatório para problemas ginecológico + E30).

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5-8 funs até 1,5 tsun.

Moxa: 3-8 cones.

TAI CHUNG – F3

Tradução: Energia superior ou sublime despertador.

Função: Desbloquear e reorganizar o chi do fígado; Regula os


meridianos: Estabiliza o chue; Despeja o vento e o susto.

Indicações: Vômito de sangue; Peito e/ou costelas inchadas;


Tristeza; Prisão de ventre; Incontinência urinária; amenorréia; Dores
no calcanhar; Problemas nas artérias; Loucura; Dores no coração;
Pernas fracas; Problemas nos testículos; Visão ruim; Dores de
coluna; Dores na cintura; Paralisia facial; Hipertensão arterial;
Dificuldade para urinar; diarréia; Hérnia escrotal; Epilepsia;
Corrimento vaginal; Excesso de sonhos; Vertigem; Hemorragia
uterina; cefaléias: Irritabilidade; Convulsão infantil; (F3 +
IG4  Insônia).
210

Agulha: 3-4 funs.

Moxa: 3-5 cones.

KUN LUN – B60

Tradução: Nome de uma montanha no sudoeste da China.

Função: Elimina o calor; Seda o fogo; Regula a circulação dos


meridianos e seus colaterais.

Indicações: Dores no sacro; Cefaléias; Epistaxe; Câimbras no


ombro e/ou costas; Tosse em crise de asma; Tornozelo inchado;
Vagina com dor e inchada; Parto difícil; Loucura em crianças;
Retenção da placenta após o parto; Câimbras na perna; Dores na
cintura; Asma; Problemas para caminhar; Dores nas pernas;
Convulsões; Rigidez na nuca; Vertigens; Esquizofrenia; Ciática;
Dores e inchaço nos genitais; Paralisia nas pernas; Dores em geral.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5 funs.

Moxa: 3 cones.

HUAN TIAO – VB30

Tradução: Mola do pulso.

Função: Expulsar o vento e o frio; Favorece as articulações.


211

Indicações: Dores reumáticas; Dores no peito e/ou nas costas;


Rigidez no joelho; Catapora; Problemas crônicos no joelho, coluna,
cintura; Atrofia na perna; Paralisia cerebral; Ciática; Lombalgias;
Artrite femural; Urticária; Dor ciática; Cansaço; Problemas nas
pernas; Celulites.

Agulha: 1-3 tsun.

Moxa: 5-15 cones.

YANG LIN CHUAN – VB34

Tradução: Nascente da fonte yang.

Função: Depurar e sedar fígado e vesícula biliar; Favorece as


articulações; Controla os tendões de todo o corpo.

Indicações: Paralisia; Frio nos joelhos e/ou pernas e sem


sensibilidade; Rosto e cabeça inchados; Febre por icterícia; Dores
nas costelas e/ou axilas; Problemas no joelho; Perna sem
sensibilidade; Dificuldade para caminhar; problemas na coluna e/ou
braços; Dores no peito; Icterícia; Vômito; Câimbras em todo corpo;
Hepatite; Colecistite; Vermes no canal da Vesícula Biliar (exemplo:
lombriga); Hemiplegia; Paralisia infantil; Hipertensão arterial;
Lombalgia; Ciática; Mania persecutória; Palpitações; temor;
Sobressalto; Problemas musculares.

Agulha: 6-10 funs.

Moxa: 3-7 cones.

TUNG LI – C5

Tradução: Lugar para fluir; Abertura; Abrir.


212

Função: reorganiza o chi do coração; Estimula o coração; Pacifica


o coração; desperta o espírito.

Indicações: Cefaléias; Tonteira; Língua com problemas; Dor de


garganta; Dor no braço, no cotovelo; Pulso com problemas; Cisto
sinovial; Problemas menstruais; Braço pesado; Rosto inchado;
Corpo enfraquecido com dificuldade para comer; Taquicardia; Dor
no coração; tensão nervosa; Insônia; Epilepsia; Convulsões; Afonia
aguda; Perda de consciência; Dores e inchaço na garganta; Dores
no antebraço e/ou dedos; Mania; Depressão; Angústia; Preguiça;
Tristeza; fadiga fácil. (chamado de ponto do artista ou do
vestibulando, pois é bom para tensões que os artistas tem antes de
entrar no palco ou fazer provas).

Agulha: Parada. 3 funs.

Moxa: 3-5 cones.

LIE CHIUE – P7

Tradução: Buraco no canal ou Canal no buraco.

Função: Dispersar o vento, o pulmão e regular o Vaso de


Concepção.

Indicações: Problemas no pênis; Ejaculação precoce ou com


sangue; Laringite; Hemiplegia; derrame facial; Dor ao urinar;
Cefaléias; Qualquer problema de frio no corpo; Formigamento no
braço, peito, perna; Catarro; Dificuldade para falar; Tosse; Desmaio;
Trismos; riso sem parar; Amnésia; Convulsão infantil; Transtornos
mentais, maníacos e/ou depressivos; Síncope; asma; Odontalgia;
Rigidez e dor no pescoço e nas costas; Epilepsia; Dispnéia; Dor e
inchaço na garganta; Palidez; Paralisia facial; Dor no pulso;
Alucinações.

Agulha: 3 funs.

Moxa: 3-5 cones. Máximo 7 cones.


213

23. OS PONTOS PSÍQUICOS DE DR. LA FUYE

Na maioria dos casos é necessário primeiro restabelecer o equilíbrio


psicológico do paciente, para depois atuar com maior ênfase sobre o
problema físico.

Os acupunturistas da escola de Dr. La Fuye preferem somente atuar


sobre pontos de ação psíquica numa primeira consulta, pois partem do
principio de que todo paciente é um "angustiado” com o seu problema.

Dr. Roger de La Fuye (1890-1961), legendário Acupunturista


francês, fundador das “Société Française d’Acupunture” e da “Société
Internacionale d’Acupunture”, indicava os seguintes pontos para o
tratamento das enfermidades psíquicas ( as descrições dos pontos já dão
idéia do seu uso ):

P5  "O rechaço do espírito do mal "

P7  "A memória vigilante "

P9  "A absorção do espirito do bem "

IG2 e IG3  "A calma abdominal "

IG4  " O grande eliminador "

IG6  "O tônus mental "

IG11  "A precisão mental "

E36  "A divina indiferença "

E40  "A palavra tranqüila "

E41  "A força e a alegria "

E42  "A calma perfeita "

E45  "O pagamento cruel"

BP2  "A força intelectual "


214

BP3  Em tonif. "O equilíbrio da alegria". Em dispersão: "A calma


cerebral "

BP5  "O sono calmo"

BP6  "O mestre do Sangue "

C3  "A alegria de viver "

C5  "A audácia "

C7  "A coragem "

C9  "O Tônus "

ID3  "A vitalidade "

ID4  "A segurança "

ID7  "O equilíbrio "

B15  "A confiança em si mesmo "

B17  "O despertar "

B23  "A decisão "

B31  "A última Juventude "

B38  "A alegre confiança "

B58  "A infatigabilidade "

B62  "O sono calmo "

B64  "O bom apetite "

B65  "A consolação "

B67  "O equilíbrio geral "

R1  "A coragem "

R2  "A calma "

R3  "O despertar "


215

R4  "A simpatia sorridente "

R6  "O sono alegre "

R8  "O mestre do sangue" ( para La fuye o ponto R8 é o que


consideramos o BP6, por isso usamos a mesma denominação).

CS6  "O amor perfeito "

CS7  "A calma sexual "

CS9  "A amizade equilibrada "

TR3  "A alegria Cálida "

TR4  "O retorno da calma "

TR10  "A tranqüilidade serena "

VB34  "A coragem tranqüila "

VB38  "A alegria atuante "

VB40  " A calma inquebrável "

F2  "A calma feliz "

F3  "O relaxamento total "

F5  "O mestre do sangue " ( La Fuye também considera este ponto


como o BP 6)

F6  "A alegria sem inquietude "

F9  "A doçura de viver "

( OS PONTOS 6 E 9 DE LA FUYE CORRESPONDEM AOS PONTOS 5


E 8 DO ORDENAMENTO CLÁSSICO )
216

24. PONTOS INDICADOS E CONTRA-INDICADOS NA GRAVIDEZ

Existem alguns pontos que são contra-indicados, mas não a


acupuntura que é contra-indicada. Porque na gravidez existem
pontos que são recomendados. Os pontos contra-indicados durante
a gravidez, aqueles mais importantes... Existem outros que são
menos importantes que se você fizer uma ou duas vezes não tem
problema nenhum. Mas existem alguns pontos que são mais
complicados, não porque interrompem a gravidez, mas porque
interferem no desenvolvimento do feto. São os seguintes:

Contra-indicados:

 Todos os pontos abdominais abaixo do umbigo, até o 5º mês.

 Abaixo do fundo do útero, a partir do 5º mês.

 Outros: IG4 – BP6 – B60 – E36.

Recomendados:

 R9 – B38 (T e M)

R9  Proteção do feto. É o ponto que protege a criança contra a


má energia ancestral. É uma proteção contra a fixação, que protege
até certo ponto, contra a fixação da energia ancestral de má
qualidade. Então é um ponto que protege a criança. De um modo
geral, a criança cuja mãe fez acupuntura no decorrer da sua
gestação, pelo menos uma vez em cada mês, é uma criança mais
saudável.

B38  Proteção da mãe. É aquele que faz com que a qualidade


do trabalho da gestação não interfira na saúde materna. Melhora as
condições energéticas da mãe de um modo geral.
217

Freqüência das aplicações: Fazer pelo menos uma vez por mês
com o pré-natal. Principalmente no período entre a lua nova e o dia
anterior da lua cheia. Não entre a lua cheia e a lua nova, mas no
período da lua nova até o início do dia anterior da lua cheia,
preferivelmente. Pode fazer noutros períodos, mas o ideal é neste.
Durante aproximadamente 15min.

Obs: Existe algum ponto abortivo? Classicamente se diz não. Mas


segundo o grande acupunturista Guyen Van Nghi, (que é
considerado um dos maiores acupunturistas do mundo ocidental,
apesar dele ser vietnamita, mora na França desde de que
praticamente nasceu e é um grande acupunturista no sentido de
qualidade de serviço) ele diz que tem um ponto sim. E que esse
ponto é tão eficiente, segundo ele, que se você consegue acerta-lo
bem, desenvolver o Qi com freqüência, você consegue fazer com
que esse ponto seja ponto de anticoncepção. É o VC5.

25. RECEITAS DE ACUPUNTURA

FUNÇÕES DE ALGUNS PONTOS – DICAS IMPORTANTES

Para dar um efeito maior em qualquer aplicação → VG20 –


VB39.

B1 e B2  Esses dois pontos têm indicação para qualquer


problema da visão. Geralmente esse ponto B1 se pega de cima
para baixo, não pega ele diretamente porque ele sangra com muita
facilidade e muitas vezes esse sangramento não exterioriza e fica
aquele hematoma, o que é muito comum. Para evitar isso nós
218

pegamos o ponto B2 e com uma só agulhada penetra até o ponto


B1, de cima para baixo.

B10 + VB20  Estes dois pontos são muito interessantes para se


fazer em cefaléias de um modo geral (tá com dor de cabeça, tá no
cinema, na aula, etc. uma dor de cabeça chata...se não for muito
intensa, basta fazer uma massagem nestes dois pontos para dar um
alívio significativo.

B13  Indicado para problemas respiratórios, gripes e também


pele.

B54  Dores lombares.

B60 – Ponto aspirina (para dor)

B67  Indicado para problemas de visão e também para


verminoses intestinais, aumentando a resistência.

BP2  Importante nos casos de dificuldade de aprendizado ou nas


pessoas que fizeram esplenectomia.

BP4  Indicado para problemas digestivos.

BP5  Indicado para artrites, artroses, bico de papagaio, etc.

BP6  Ponto ginecológico por excelência (dismenorréia, atraso


menstrual, etc.).

BP9  Dores nos joelhos e circulação venosa.

C3  Importante nos processos depressivos.

C9 + CS9  Melhora a circulação arterial da coronária.

CS6  Importante para problemas emocionais.

CS7  Indicado para hipertensão arterial.

E30  Para qualquer problema ginecológico o E30 é indispensável.

E36 – Dar mais vitalidade, energia.

E36 Um ponto muito importante que pode ser usado até para
eliminar pequenos erros que se cometa numa aplicação de
219

acupuntura, por isso é importante usar este ponto em quase todas


as aplicações de acupuntura, com exceção durante a gravidez que
é contra-indicada.

E40  É usado para crises de apendicite.

E45  Este ponto é indicado para excessos alimentares, mal-está,


etc e pode massagear profundamente este ponto que se tem um
grande alivio imediato, no caso de agulha a profundidade é em
torno de 5mm de profundidade. É um ponto que dói e por este
motivo é chamado de pagamento cruel).

E9 e E10  Problemas de tireóide.

F2 + BP3  Diabetes (melhora as funções metabólicas).

F3 – Ponto buscopam (para dor – antiespasmódico).

F3 + IG4  Relaxante (insônia).

F4  Ácido úrico

ID19, TR23, VB2  Estes três pontos são muito interessantes para
se ensinar as mães que estão com crianças com dor de ouvido,
otites, etc. ensina a massagear com a unha, ponta de uma caneta,
etc.

IG1 + IG4  Problemas odontológicos.

IG11  Dores de ombro (bursite, calcificações, etc.).

IG2  Para a boca de um modo geral (língua, gengiva, aftas, etc).

IG4  Qualquer problema do pescoço para cima (dor de cabeça,


dente, etc.).

IT + VG20  Ação relaxante.

P10  Importante para as patologias de mama.

P11  Úteis para amidalite, faringites, rouquidão, etc.


220

P9  Indicado para os distúrbios arteriais, como obstruções


coronarianas, diminuição da circulação periférica causada por
diabetes, etc.

R17 e VC17  Aplicar vick e friccionar nestes dois pontos para a


criança melhorar a respiração noturna.

R27  Indicado para asma brônquica, bronquites, etc.

R7 + R3 = Consolidação de fraturas.

R9  Dá proteção ao feto.

TR3  Indicado também para tristeza e melhorar o apetite sexual.

VB30  Muito bom para a região coxa-femural (dor, artrose, artrite,


bursites, etc. e para tratamento de celulites.

VB34  É excelente para as patologias musculares (trismos,


traumatismos, contraturas, etc.). principalmente músculo estriado
(voluntários), desde traumatismos até infecções, estiramentos, etc.
e usa também o E36 e ambos são usados para preparar atletas
antes de competições, etc.

VC4  Importante para problemas ginecológicos.

VC3  B

VC4  ID

VC5  TR (TR está ligado ao ritmo da pessoa e o VC5 é o ponto da


esterelidade).

VC6  Comando das funções Inn (Atua sobre os hormônios).

VC10  E

VC11  VB

VC12  TR médio (Primo-irmão do E36). Quando a pessoa tem


problema de enjôo ou sente mal na ora em que se está colocando as
221

agulhas, então você coloca uma agulha no VC12 e no E36 e


normalmente passa.

VC13  BP

VC14  C

VC15  CS (Ansiedade e Angustia).

VC17  TR superior (*Ponto de reunião da absorção Iang). O VC17


está ligado a comunicação. A pessoa que está com bloqueio nesta
região ela não está conseguindo se comunicar. (Neste ponto se coloca
a agulha com profundidade bem superficial, pois a pessoa pode ter um
defeito anatômico e a ponta do coração fica bem nesta região).

Cistite. Qual o vaso que vamos usar? R6 e aí você coloca o fonte da


bexiga (B64) e coloca mais VC6 (tem a ver com o TR inferior e
funções gênito-urinários). VC3 tem a ver com a Bexiga. Tudo o que
possa melhorar do que a gente quer tratar. O E36 está ligado a
vitalidade, dar mais energia. Tem dor usa o B60 (ponto aspirina) e
fecha com o P7.

R6 – B64 – VC6 – VC3 – E36 – B60 – P7

E36 – Dar mais vitalidade, energia.

B60 – Ponto aspirina (para dor)

F3 – Ponto buscopam (para dor – antiespasmódico).

Ação psíquica VC15  Ansiedade e Angustia

(STRESS) IT Descongestiona a cabeça

VG20

VG1  Anus e reto. Obs: Não se usa picada em VC1 nem VG1 (não é
lugar para se por agulha, devido a localização). Tem um ponto na
222

parte de cima da mão que substitui estes pontos. Por exemplo, para
tratar hemorróidas então põem na mão.

VG4 (Entre a lombar L2-3)  Vitalidade geral; Vigor sexual. Obs: Este
é um ponto de ajuda divina. É aquele assim, por exemplo, se você
está trabalhando tem um local aqui que dói quando você “passa do
ponto”. Sabe aquela dorzinha que dá e você se estica para passar, é
sinal de que você está passando do ponto. Então quando você sentir
esta dorzinha bem no meio (não é aquela dor lombar lateral não), é
uma dor bem específica que fica neste ponto. Quando ele doer, pare,
senta um pouco, toma alguma coisa, muda de atividade nem que seja
por 10 minutos. Na hora que passar a dor pode voltar as atividades.
Relaxa, gire um pouco para o lado e para o outro, muda de idéia,
conversa um outro assunto. Então é um aviso de que você está
começando a passar do ponto.

VG11-VG13 (entre a torácica T1-5)  Ação psíquica tranqüilizante,


neuroses, insônia, ansiedade, depressão.

VG25  Rigidez, dormência, epilepsia, alucinações, dor na 7a. cervical


e olhos.

Receita: “Amansa louco” – Usado quando a pessoa chega agitada,


falademais, perde a razão, não consegue raciocinar mais, fica “louca”.

ID3 – IG4 – F3 – VC15 – IT – VG20 – C7 – B62

VM Relaxante VM

físico Somatizações

IT – se coloca a agulha de cima para baixo.

Ex.: Dores nos ombros (bursite):


223

VB41 / IG4 – B60 – F3 – R3 – IG11 – IG13 – IG15 / TR5

Bilateral Unilateral

F4  Ácido úrico

VB39  Herpes, alergia, etc.; Ponto de reunião da medula;


Antiinfeccioso.

Obs: Em particular, se for em mulher que esteja muito debilitada e


muita depressão é bom na primeira consulta fazer com o R6 P7.
Depois que ela ganhar energia aí você vai tratar com um outro vaso
para tratar depressão que é o CS6 BP4.

R9  Este é o ponto que a gente usa para a gestante ao longo da


gestação, para limpar o sistema hereditário, a genética que passa
para a criança. Então todas as vezes que a gestante vai para o
consultório você tem que fazer este aqui.

Existem alguns pontos em que você procura desenvolver uma


sensação de choque. Essa sensação o chinês interpreta como
sendo a passagem de energia. Mas nós podemos interpretar como
sendo o estímulo na própria fibra nervosa e dar um choque elétrico
como se fosse uma estimulação nervosa direta. Chama-se esta
sensação de Qi Ke (pronuncia-se tchi quê). O Qi Ke, isto é, o
despertar do Qi ou o desenvolver do Qi, é uma sensação que o
paciente tem e que de acordo com certos textos é necessário para
que certos pontos respondam adequadamente. A resposta
224

adequada e os resultados melhores são obtidos em certos


indivíduos, desenvolvendo o Qi Ke.

Eu vou dar um exemplo para vocês: se o indivíduo é portador de


uma dor lombar, um ponto interessante para ser feito é o B54, que
fica situado exatamente na altura do meio da prega poplítea
(joelho). Este ponto, se você desenvolve o Qi Ke (choquinho), dar
melhores resultados notratamento de dores lombo-sacros e uma
forma muito interessante de pegar o Qi Ke é com o indivíduo em pé
(aproxima-se a ponta dos pés). Nesta posição você desenvolve o Qi
Ke com muita facilidade e as dores lombares aliviam na hora.
Coloca uma agulha profunda. Porém para evitar que o indivíduo
desmaie, se faz com ele deitado.

Este ponto (B54), também tem uma indicação muito boa no


tratamento das doenças da pele, só que neste segundo caso o B54
você deve sangrar. Penetra 3-4mm e procura fazer sair uma
gotícula de sangue.

Para tratamento da dor lombar outro ponto que usa é o B60 e


o R3 (o R3 fica na mesma altura do lado de dentro e o B60 do lado
de fora). Neste caso você pode enfiar uma agulha só até o outro
lado, porém não deixa sair do outro lado, quando estiver perto de
sair, para.

Qualquer problema de ombro se usa o VB41 do lado oposto ao da


dor. Aí pega os pontos em redor do ombro que sejam mais
sensíveis, coloca uma agulha aqui outra ali, profundo. Faz também
o TR10. O mais importante é o IG15, bem no meio da articulação,
profundo e procura desenvolver o Qi Ke e aí pára. Faz moxa ainda
com as agulhas enfiadas no ombro. Para retirar as agulhas (na
sedação a retirada da agulha por etapas e lentamente é melhor).

Importante: Crie uma coisa dentro de você  Confiança na


acupuntura e confiança em vocês.

MOXA:

Como é que você faz a moxa, segundo a técnica mais apropriada,


de duas maneiras: Se você faz a moxa com um bastão ou charuto,
você queima o charuto, aproxima do ponto 2-3mm e espera que o
paciente revele a sensação de queimar. Mas o paciente tem que ter
225

a sensação de queimar, porque esta sensação vem antes da


queimadura. E só o aquecer nem sempre é suficiente para dar o
estímulo eficaz. Isso pode ser feito com a agulha ainda no ponto.

Você faz e repete, só que para repetir o estímulo da moxa (porque


você tem faz um maior número de vezes: 3,4,5,6 ) você deve
esperar que o ponto fique frio novamente, porque senão seria um
estímulo só.

Existe um tipo de agulha que tem como um copinho no cabo e você


coloca o pó da Artemísia, toca fogo e essa agulha aquecida leva o
calor mais profundamente. É a chamada técnica da agulha
aquecida que pode ser feita em grandes articulações . Pode ser
feito também com uma agulha comum, só que uma agulha que se
aquece muito ela perde a têmpera e assim pode quebrar com
facilidade.

A tradição manda você fazer moxa com um tamanho de um grão de


arroz. Faz o cone, se não grudar passe um pouco de álcool na pele
e assim o cone não cai. Depois acende com fósforo e quando sentir
a sensação de queimar retire imediatamente com a caixa ou outra
coisa.

Você também pode fazer a moxa contínua: se você tem uma


inflamação no joelho, uma fratura, etc. então você faz uma moxa
contínua, numa espécie de cerclagem. Vai passando, vai
passando... Estes tipos de moxas são diretas, ou seja, entre a fonte
térmica e a pele não existe interposição de nada.

No umbigo é feito a moxa indireta, ou seja, é interposta entre a


fonte de calor e a pele, um disco de aipo, gengibre ou alho. Retira
um disco fino e coloca no ponto e em cima do disco coloca o cone
de Artemísia, ou então com o bastão eu aproximo. Pode-se colocar
também para fazer a moxa indireta no umbigo o sal de cozinha. Se
a pessoa está com diarréia e não melhora, então faz esse
ponto VC8 (umbigo) com moxa indireta. Enche o umbigo com sal e
com o bastão ou o cone, aplica-se a moxa.

O paciente tem que ter a sensação da queimadura, mas não pode


queimar o ponto. Porque se você queima, vai destruir o tecido e se
isso acontece a defesa contra infecção de fora some. Então fica
muito mais fácil contaminar a posteriore. Além disso, você destrói o
ponto e o ponto destruído não se pode usar mais. Então tem que ter
226

cuidado para não destruir o ponto e depois quando se precisar dele


não poder usar.

Na visão da acupuntura tradicional chinesa o número par é de


natureza yin, ou seja, aquilo que estabiliza, dar equilíbrio, aquilo
quer dar o assentamento. E mudanças, alterações, dinamismo, etc.
é ímpar, é o que meche a roda, que faz a roda girar, é o yang. Ora,
para se fazer um tratamento com acupuntura, qual o objetivo que se
tem? É de alterar a situação patológica do indivíduo, para alcançar
uma situação de normalidade. Então o que é que vai facilitar essa
mudança de patológica para normal? É o yang, que é a mudança. E
você quer a mudança do patológico para o normal. Então o estímulo
de moxa deve ser sempre que possível de número ímpar: 3, 5, 7,
etc. com exceção do número 4 (porque é o padrão atual,
quaternário).

Existe a preferência de se usar Artemísia, primeiro porque a


Artemísia dar uma temperatura ideal, segundo porque a fumaça da
Artemísia tem uma ação estimulante também. Se você faz a moxa
direta com o pó da Artemísia que queima, você pode notar em
muitas vezes, que fica uma mancha amarelada causada pela
liberação de substâncias aromática que fazem parte da folha,
aromas próprios da Artemísia. Esse aroma tem substâncias como
terpanos, terpenos, etc. que são substâncias aromáticas que tem
ação estimulante sobre o ponto.

Porque também você pode estimular um ponto de acupuntura,


usando substâncias químicas. Ou substâncias irritantes ou até
mesmo substâncias cáusticas. Se você colocar uma gota de ácido
sulfúrico no ponto, você está estimulando o ponto. Claro que você
não vai usar ácido sulfúrico porque destrói a pele. Mas se você usar
um ácido fraco, o limão, estimula o ponto. Uma substância do tipo
salicilato de metila, esses que se usam para contusões, etc. você
pode estimular o ponto com uma gotinha de salicilato, friccionar e
penetra na pele. Ou então você pode estimular o ponto de
acupuntura com pimenta. Está lá no meio do mato e não tem nada,
pega um fragmento de pimenta e fricciona na pele.

A fumaça da moxa de Artemísia tem ação terapêutica. Por exemplo,


se você pegar a fumaça da Artemísia e der um banho em uma úlcera,
227

ferida, etc. ela tem uma ação de cicatrização. Portanto usar a moxa de
Artemísia é o ideal. Se não tiver a Artemísia então pode-se usar o
incenso comum, ou até mesmo uma ponta de cigarro ou madeira. O
mais importante é que seja um estímulo térmico e que a pessoa tenha
a sensação de queimar. O ideal é a Artemísia pelo fato de dar a
temperatura ideal.

Tratamento local para dores na coluna:

Se você tiver um problema de dor localizada, por exemplo,


problema na coluna, “está doendo aqui, a minha coluna não está
boa...”. Vamos ver um tratamento simples e fácil que vocês já
podem fazer já!!!

Vamos supor que aqui está as apófises das vértebras:

Tem uma área que está doendo, como é que eu faço para
ajudar esse paciente? O meridiano que passa ao longo das
vértebras é o Vaso Governador e ao lado a Bexiga. Coloca a agulha
no VG, na região da dor e no meridiano da bexiga correspondente.
Aí deixa por 10-15-20 minutos e aí o que você faz? Ainda com a
agulha presente, você pega o bastão de incenso e faz moxas uma
228

vez, duas vezes, três vezes, quatro vezes, cinco vezes e pára. Sete
vezes, nove vezes e para. Se você tiver um estimulador elétrico
você coloca o positivo e o negativo no meridiano da bexiga do
mesmo lado e depois faz do outro lado. Enquanto as agulhas estão
presentes você faz o estímulo elétrico, no tempo em que as agulhas
estão presentes.

E para ficar um tratamento duradouro, ou seja, com


bastante eficácia, você tira as agulhas e passa no buraquinho uma
substância tipo salicilato (gelol, cânfora, vick, etc.) e aí você fez o
estímulo químico. Então você fez o estímulo elétrico, fez o estímulo
térmico, fez o estímulo mecânico e você deixa aquela ardência do
estímulo químico.

Se está doendo o joelho, faz isso no joelho. Não tem


estímulo elétrico? Usa agulha, moxa, estímulo químico.

PONTOS ESPECIAIS:

 Afecções Auriculares  IG4. O IG4 é um ponto geral que


serva para qualquer tipo de problema do pescoço para cima.
Inclusive problemas neurológicos ligados ao encéfalo.

 Afecções das Artérias. Qualquer tipo de artéria: artéria


coronariana, carótida, etc.  CS9 – P9.

 Afecções do Coração. Qualquer tipo de problema


cardíaco  B17 – CS7.

 Afecções Cutâneas  B54.

 Afecções Digestivas  E30. É também um ponto ginecológico


por excelência,

 Afecções Musculares. Qualquer tipo de problema muscular


estriado ou liso, principalmente estriado.  VB34.
229

 Afecções Neurológicas. Qualquer tipo de problema


neurológico, necessariamente você tem quer fazer este
ponto.  B60.

 Afecções Neurológicas da Medula Espinhal  B60 – VB39.

 Afecções Ósseas. Qualquer tipo de afecção óssea (desde uma


artrose, artrite, etc. até um traumatismo, uma fratura,
osteoporose).  B11.

 Afecções Respiratórias  B13 – VC17. (B13 é o ponto de


assentamento do Pulmão e o VC17 é o TR Superior. Os três
pontos relaxantes mais importantes são: VC17 – IT – VG20).

 Afecções do Sangue. Qualquer tipo de problema no sangue.


Anemia, diminuição da taxa de glóbulos brancos, leucopenia,
etc.  B17.

 Afecções das Veias. Safena, umeral, poplítea, etc.  B31 –


VB38.

 Anorexia em geral  VM: BP4-CS6 + E36-25-41 – VC8-12 –


VG4-6 – B18-38 – IG4.

 Ansiedade  C7 – VC15 – IT. O IT serve para qualquer coisa


neste gênero de quadro emocional.

 Cefaléias  VM TR5-VB41 + VB20 – B10 – B60 – IG4 – F8 –


E36 – B67 – VB38-40-43 – IT – VC17 – VG20. Pode usar
também os pontos ting dos meridianos da área da dor.

 Depressão Psíquica (Simplificadamente)  C3 – Tchrong-


Tchrou. O C3 é chamado de “Alegria de Viver” porque ele tem
uma ação antidepressiva. O Tchrong-Tchrou fica no trajeto do
meridiano do VG entre a 10o. e a 11o. vértebras torácicas (mais
ou menos na altura da omoplata. Esses dois pontos têm uma
ação muito boa nestes casos de depressão circunstancial, em
casos de perdas, luto (emprego, namorada, parentes, etc.)).

 Distúrbios Neurovegetativos  B10 – VB20 – R2.

 Dores em Geral. Em qualquer parte do corpo.  B60 – F8 –


IG4. O IG4 é mais indicado para a parte superior do corpo e o
B60 para a parte inferior do corpo. Embora que se possa fazer
os dois independentemente que eles vão se potencializar.
230

 Dores Neurológicas (Nevrite, neurite, dor de um problema do


SNC, etc.). Além dos pontos gerais:  B60 – P9.

 Dores nos 4 membros. Às vezes o indivíduo amanhece com


dor nos braços, nas pernas. Além dos pontos gerais, usa-
se:  F3 – IG11. (é uma associação muito boa).

 Fraqueza Geral  E36*(M) – VC4*(M) – VC6*(M) – VC15 –


VG11. (B38) * Pode-se fazer também Moxa.

 Fibromialgia  VM CS6-BP4 alternando com VM TR5-VB41 +


C3 – Tchrong-Tchrou – B60 – IG4 – F8 – E36 – B67 – VB38-40-
43 – IT – VC17 – VG20. Podendo acrescentar IG11 – C9 – P11
– E44 – VC15 – VB34. As respostas são rápidas e muito boas.

 Problema de Coluna  VM: VB41-TR5 + F3 – VB34-38 – BP5-


2 – IG5 – E36 – R7 + Triângulo dos Ossos + Pontos Locais.

PONTOS CIRCUNSTANCIAIS:

 Agravação pelo Calor  E36.

 Agravação pelo Calor do Fogo. Gente que trabalha como


foguista, cozinheiro, temperaturas altas, caldeiras, etc.  E42.

 Agravação por Cheiro de Comida  E36.

 Agravação pelas Emoções  E36 – C5.

 Agravação pela Fadiga  B38 (A e M) – B62.

 Agravação pelo Frio Seco  TR5 – E36.


231

 Agravação pelo Frio Úmido  VC3.

 Agravação pelo Frio e Vento  P1. O P1 pode-se usar quando


a pessoa tosse quando se descobre na cama à noite. Então
você ensina ao paciente para ele massagear o ponto antes de
deitar e se porventura se descobrir também fazer a massagem
neste ponto.

 Agravação pelo Frio Vigoroso  B62.

 Agravação por Ingestão de Alimentos  BP9.

 Agravação por Ingestão de Bebidas Alcoólicas  CS6 –


BP6.

 Agravação por Ingestão de Carnes  E36.

 Agravação pela Menstruação  B62 – R6.

 Agravação pelo Movimento (Atividade)  B60.

 Agravação por Mudança de Tempo  TR5 – TR15.

 Agravação Noturna. Qualquer tipo de problema de qualquer


natureza, que a pessoa indique que ela piora a noite. Ex.
Insuficiência renal e piora a noite.  CS9 – VG20.

 Agravação pelas Relações Sexuais  B38.

 Agravação pelo Repouso  VC3.

 Agravação por Ruídos e Gritos  E45 – VG20.

 Agravação por Temperaturas Extremas. Quando esfria muito


ou esquenta muito.  R1.

 Agravação pela Umidade  B21 – E15 – TR5 – TR15.

 Agravação pelo Vento  VB30.

 Agravação pelo Vento Quente  R1.

 Melhora pelo Calor  C7.


232

 Melhora pela Menopausa  B31 – R4. O B31 é o ponto que


toda mulher depois dos 40 anos deve fazer. A mulher que se
aproxima dos 40 (38, 39, 40 até cessarem as menstruações, até
surgir a menopausa, neste período de climatério) deve fazer.
Porque é um ponto que vai proteger a energia ancestral da
mulher, ligada a estrutura do ovário. É um ponto que retarda o
surgimento da menopausa. Este ponto é chamado de “A última
mocidade”.

 Melhora pelo Repouso. Uma doença que melhora pelo


repouso, você vai ajudar a essa melhora a melhorar a
melhora.  F2.

PONTOS DE URGÊNCIAS:

 Baço-Pâncreas  BP5.

 Bexiga  B63.

 Circulação – Sexualidade. Quadro agudo desta natureza


(Acidente vascular de qualquer natureza, etc.).  CS4.

 Coração. Qualquer tipo de problema ligado ao coração, desde


um infarto do miocárdio até um ataque cardíaco coronariano. O
C5 é mais ou menos 1 tsun de distância da prega, que é um
ponto psíquico muito bom. C7 é bem na prega e o C6 é no
meio.  C6.

 Estômago  E34.

 Fígado  F6.

 Intestino Delgado  ID6.

 Intestino Grosso  IG7.

 Pulmão  P6.

 Rim  R5.
233

 Triplo Reaquecedor  TR6-7.

 Vesícula Biliar  VB46.

DIVERSOS

 Celulite  IG1-4 – E32 – VB30-37 – BP11 – R3 + Pontos locais.


A celulite tem um componente reumático, então usa: VM VB41-
TR5 + BP2-5 – F3 – VB34 – IG5 – R3 – E36 + Triangulo dos
Ossos. (Alterna estes dois tratamentos).

 Distúrbios do Crescimento  VM: BP4-CS6 + R7 – B38


(moxa) – BP3 – VG20 – VG4 – IG11-4.

 Flacidez  VB34 – F3-8 – R3-7 – P7-9. Nas áreas de maior


flacidez você fazem alguns pontos locais na área da flacidez e
deixa por uns 10 minutos.

 Insolação  VG13.

 Lipotimia. O indivíduo ficou em pé durante muito tempo e


desmaia, não se alimentou direito pela manhã e desmaia,
etc.  Baixa a cabeça da pessoa e com as pontas dos dedos,
bater suavemente nas vértebras C7; 1a., 2a. e 3a. dorsais.

 Obesidade  VM CS6-BP4 + IT – VC17 – VC15 – VG20 – C5 –


ID7 – BP5-9 – P11 – VC9-12 – VB26-27-41 – E44.

Auriculo: Pulmão – Sistema Neurovegetativos – Chen men –


Ponto Fome – Ponto sede – Ponto Boca – Estômago –
Endócrinos. Coloca parte dos pontos numa orelha, completa os
outros pontos na outra orelha, tampa com esparadrapo e deixa
uma semana.

 Obesidade → VM: CS6-BP4 + E36 (s) – E25 (t) – E42 – IG11 (t)
– C7 – VC17 – VG20 – IT.

 Pancada no Plexo Solar  VC14 – VC15. (Bater suavemente


com a ponta dos dedos).

 Reanimar um Afogado  VG4.


234

DERMATOLOGIA: P – IG

Todo o problema relacionado com pele tem relação com o elemento


metal (P e IG). Levando em conta a idéia de escolher o vaso
maravilhoso em função do quadro clínico, para qualquer problema
dermatológico existem dois vãos maravilhosos de eleição. Temos
o P7-R6 que é o vaso maravilhoso mais freqüente e tem o outro TR5-
VB41. Se você está em presença de um problema dermatológico, um
desses dois VM é empregado. E o mais comum, mais freqüente, mais
eficaz globalmente é o P7R6.

VM  P7-R6 e TR5-VB41.

 Todas as doenças de Pele  B54 (sangrar) – R24 (lado


esquerdo principalmente) – IG4 – IG11. Sempre que possível
utilizando o B54 para tratamento de pele, procure fazer sangrar
uma gotícula de sangue. Neste caso, diminui o teor de sangue
do meridiano e os resultados sobre a pele são melhores. Este
ponto B54 é também um ponto muito útil para tratamento das
dores lombares, lombo-sacras, ciática, etc. e neste caso de dor,
procurar desencadear aquele choquezinho que o procedimento
fica mais eficiente. Deita a pessoa de bruços, e se você virar um
pouco o pé para dentro, fica mais fácil desenvolver o
choque. Outros Pontos Gerais  R2 – VB31 – VB38-39-43.

 Acne  VM: TR5-VB41 alternando com P7-R6 + B54-62-65 –


VC12 – F8 – IG1-4-6-11 – R24 – E44 (Se for no Rosto) – E5 +
Pontos Locais. Nas áreas locais (rosto, costas, etc) se a acne for
grande ou até mesmo pequeno se possível, fazer uma
cerclagem ao redor da acne com agulhas ting. Se houver pus
evidente, no B62 faz moxa. Fazer moxa com bastão de
Artemísia (com cuidado) ao redor da área da lesão, tendo
cuidado para não queimar o rosto. Moxa nos seios, se for
preciso, pode fazer.

 Alopecias (Queda de Cabelo)  Pontos Gerais + ID7 – F8 –


B54 + Pontos Locais (fazer na cabeça toda com um martelo de 7
235

pontas, ou com agulhas (levemente), ou com escovas de cerdas


pontiagudas, e estimula todo o couro cabeludo dando pequenas
batidas por 2-3 minutos, repetindo durante o dia 3-4 vezes ou
mais).

 Caspa  Pontos Gerais + Pontos Anti-Infecciosos + Pontos


Locais (Escova).

 Equimoses  IG15 – ID3 – VB30.

 Equizemas  VM: P7-R6 + Pontos Gerais + B13-54 – IG4-11 –


R24 + Pontos Locais ou Cerclagem.

 Erupções da Face  P5 – IG4-11 – E45.

 Escaras, Ulcerações  VB38 – BP5 – B60 – P9 – CS9. Fazer


cerclagem ao redor da lesão e também uma agulha no centro da
lesão, e Banho de fumaça de Artemísia.

 Exantemas, Equimoses  IG15 – ID3 – VB30.

 Herpes Simplex (Genital e Labial)  Equilíbrio. Pontos Anti-


Infecciosos + VB39 – B11 – BP2 – B60 + Cerclagem quando
possível. Fazer banho de Laser ou Fumaça de Artemísia.

 Herpes Zoster (Cobreiro)  Fazer ao longo da lesão um


cerclagem com agulhas.

 Intertrigo (Lesões entre os Dedos)  C9 – F2 + Pontos Gerais.

 Nevus (Sinais )  Cerclagem com Moxa.

 Nevus Acuminado (sinal que tem um pedúnculo)  Amarra


com um fio (enforca) e deixa ata cair. Ele fica preto por falta de
nutrição e cai. (Dói na hora de amarrar).

 Pele Seca  IG4 – VC13 – IG11 – B54 (Sangrar).

 Prurido  Pontos Gerais + F2 – E11 – VC2 – B13 – F5. O


ponto antipruriginoso por excelência é o F5. Porque ele tem a
partir daí, ramos que vão se distribuir para os núcleos do SNC
medulares. Responsáveis pela sensação de prurido.
Freqüentemente prurido se acompanha de excesso de energia
do fígado. Se houver excesso de energia do fígado, seda-se.
236

o Prurido Anal  C9 – F2 + Pontos Gerais.

o Prurido Auricular  VB43.

o Prurido Palpebral  B2 – Inn Iao (No centro da


sobrancelha) – VB1 – E4 - VB37 – IG4. O Inn Iao e o
VB37 servem também para qualquer tipo de problema
ocular. Pode-se fazer também o B1, só que é um ponto
que sangra com facilidade. Então se faz colocando uma
agulha do B2 até o B1 ao mesmo tempo.

o Prurido Vulvar  C8-9 – R2-6-7-10 – CS5-6 – F2-3-5 –


VC7. Prurido vulvar é muito mais freqüente quando a
pessoa é portadora de diabete. Eventualmente pode não
ser nada, uma coisa corriqueira, banal, uma candidíase
que o sistema imunológico da mulher resolve. Mas os
pruridos vulvares de repetição, ou aqueles que se
demoram a serem solucionados e permanece. Melhora
hoje, mas permanece um pouquinho e amanhã piora
novamente. Nestes casos precisa ser verificado se a
mulher não é portadora de diabete.

 Psoríase  VM: TR5-VB41 Alternando com P7-R6 + Pontos


Gerais + VB34 – BP3 – IG5-4-11 – B11-13.

 Urticária  VM: P7-R6 ou TR5-VB41 + VB39 – BP3.

 Verrugas  VM: P7-R6 + Pontos Gerais. Fazer cerclagem com


agulhas e moxas. A cerclagem pode ser só com moxa, ao redor
e também no centro. E pode colocar também depois de ter feito
a moxa, cobre com um pedaço da casca da banana e fecha com
esparadrapo.

 Vitiligo  Pontos Gerais + Locais (ao redor).

DORES
237

B54  Dores lombares.

B60 – Ponto aspirina (para dor)

B10 + VB20  Estes dois pontos são muito interessantes para se


fazer em cefaléias de um modo geral (tá com dor de cabeça, tá no
cinema, na aula, etc. uma dor de cabeça chata...se não for muito
intensa, basta fazer uma massagem nestes dois pontos para dar um
alívio significativo.

BP9  Dores nos joelhos e circulação venosa.

ID19, TR23, VB2  Estes três pontos são muito interessantes para
se ensinar as mães que estão com crianças com dor de ouvido,
otites, etc. ensina a massagear com a unha, ponta de uma caneta,
etc.

 Dores em Geral. Em qualquer parte do corpo.  B60 – F8 –


IG4. O IG4 é mais indicado para a parte superior do corpo e o
B60 para a parte inferior do corpo. Embora que se possa fazer
os dois independentemente que eles vão se potencializar.

 Cefaléias  VM TR5-VB41 + VB20 – B10 – B60 – IG4 – F8 –


E36 – B67 – VB38-40-43 – IT – VC17 – VG20. Pode usar
também os pontos ting dos meridianos da área da dor.

 Cefaléia agravada por ingestão de alimentos ou


álcool  CS6 – VB20 – VG20 – VB8 – BP3.

 Cefaléia agravada pela mudança do tempo (vento


noroeste)  TR5-15.

o C/ Vertigem  B6 – F2 – TR3.

o C / Náuseas e Vômitos  P7 – E42 – VG12 – VC12.

o C / Comprometimento Vascular  CS6-7-9 – P9 –


VB38.

 Cefaléia agravada por problemas de ouvido  TR17-23 – B7


– ID19 – P9 – CS9.

 Cefaléia com dor ocular (no globo)  VM: ID3-B62 + TR1-21 –


E1 – R6 – BP11 – IG4 – B67-65 (os dois homolaterais) – E41
(Contra-lateral) – B60-10 – VB20 + Pontos locais.
238

 Cefaléia Occipital  Coluna Cervical / Tratamento


Osteoarticular.

o a) BP3-5 – F3 – VB34 – IG5 – Triangulo dos osso e


articulações – R7.

o b) B7 – TR12 – VG12-16-17-18 – VB20 – B10-58.

 Cefaléia Pós-Parto  C7 – VG20.

 Cefaléia sobre a sobrancelha  ID3 – TR10 – VB43 – VC15 +


Pontos Locais.

 Cabeça pesada  BP3.

 Dores de Cabeça (Esquema Geral)  VM: TR5-VB41 + IG4 –


B60 – B67 – B10 – F8 – VB38 – VG20 – E36 – VB40 – VB43 –
VB20.

 Dores nos 4 membros. Às vezes o indivíduo amanhece com


dor nos braços, nas pernas. Além dos pontos gerais (B60 – F8 –
IG4) , usa-se:  F3 – IG11. (é uma associação muito boa).

 Dores Neurológicas (Neurite, neurite, dor de um problema do


SNC, etc.). Além dos pontos gerais:  B60 – P9.

 Dores Vesicais  VM: R6-P7 + B31-54-60-67 – R6-12 – F8-9


BP4-5 – VC2 (B64-65 – Espasmos Vesicais).

 Enxaqueca (Orley)  VM: TR5 – VB41 + VB37 – B67 – IG4 –


IG11 – P7 – IU-IAO (no meio da sobrancelha, coloca a agulha
de cima para baixo) – TAI-YANG (final da sobrancelha, na
tempora, coloca a agulha em direção à cabeça ou orelha) – B3
(implantação do cabelo, paramediano).

 Enxaqueca  VM: TR5-VB41 + E41 (Contra-lateral) – B67 –


B60 – B65 – TR4 (Homolateral os 4 pontos) – E36 – BP5 – B60
– IG4 – B10 – VB20 + Pontos Locais.

o Se Relacionado com a Menstruação  BP6 – E30 –


B38.

 Enxaqueca na Crise – Dor (Orley)  VM: TR5 – VB41 + VB37


– B67 – IU-IAO (no meio da sobrancelha) – VB14 (na linha da
pupila, no meio da testa) – VB20.
239

 Fibromialgia  VM CS6-BP4 alternando com VM TR5-VB41 +


C3 – Tchrong-Tchrou – B60 – IG4 – F8 – E36 – B67 – VB38-40-
43 – IT – VC17 – VG20. Podendo acrescentar IG11 – C9 – P11
– E44 – VC15 – VB34. As respostas são rápidas e muito boas.

 Problema de Coluna  VM: VB41-TR5 + F3 – VB34-38 – BP5-


2 – IG5 – E36 – R7 + Triângulo dos Ossos + Pontos Locais.

ENDOCRINOLOGIA

 Geral  B38.

 Hipersupradrenalismo (causa o isultismo – aumento do


hormônio masculino)  VM: R6-P7 + BP6 – CS7 – R2-3 – E36 –
B23-47.

 Hipófise  VG15-16-19-20 – um ponto entre a 6 a. e 7a. vértebra


cervical.

o Lóbulo Anterior  B11 – BP2-3 – VB38 – R11-13.

o Lóbulo Posterior  BP5 – VB34 – B60.

 Ovário  VM: R6-P7.

o Insuficiência  BP6 – R6-11-13 – B26-31-60-67 – E30(1


vez por mês) – F2.

o Hiperfunção  R2-13 – B28-30-31 – VC4 – TR5 – BP6 –


F3.

 Pâncreas:

o Diabetes  VM: P7-R6 + BP4-3-2 – VB34 – B38-21.


240

o Complicações na diabete: Parestesias, formigamento,


problema de olho, problema de rim, microcirculação.

 a) VB38(s) – BP5(s) – B60(s) – BP9(s).

 b) P9(t) – C9(t) – VB34(t) – E36(t) – Iu-Iao –


VB37(visão).

 Paratireóide  E9-10 – VC22-23 – B38 - ∆ ossos e art.

o Suprarenais  R8-2 – VG14-15 – B47 – achar o


equilíbrio energético do Rim. Outros pontos  VG9 – BP6
– VC6-16 – VB34.

 Testículo  B38.

o a) R11 – VG3-4 – VC2-6 – B47.

o b) E30 – BP10 – VG4 – BP12.

o c) Hiperfunção  E30 – VC3-4 – B60.

 Tireóide  E9-10 – VC22-23.

o Hipotireoidismo  TR20 – VB20 – VC15-17-6 – B11 –


IG4. Tonificar deixando menos tempo (no máximo 10
min.).

o Hipertireoidismo  E9-10 (no min. 30 min.) – VC13-15 –


VC22 e 23 (20 min.) – VG20 – B15 – C7 – F2 – IG4.

GINECOLOGIA

 Geral  E30 – BP6 – VC4 (Contra-indicado na gravidez).

 Abortivo e Esterelizante  VC5.


241

 Câimbras em Geral  VB40 – BP3.

 Dismenorréia  R6-P7 + B15-60 – R2-5 – CS1-7 – F5 – E29-


30 – BP5-6-9 – VC4 – CS9 – R6 (Seve para dismenorréia antes
do fluxo menstrual) – F3 (Quando a dismenorréia for acompanha
de câimbras).

 Dor em qualquer órgão  BP9.

 Dor no órgão  VC3 – VC4.

 Dor Pélvica  BP9 – ID8 – F5-8 – VC4 (Frigidez).

 Dores Pélvicas por Cisto  B20 – R13 – E36 – BP6-9 – VC4 –


E30.

o Espasmos Pélvicos  F5 – VC4-6.

o Sensação de Peso  BP4.

 Endometriose  VM: R6-P7 + E30-29 – R6 – B60 – VC4 – B23


– R5-11 – F5 – BP6-8. Outros  B15 – R2 – CS7 – C7 – VB38 –
BP5.

 Espasmo Uterino  R3-4-6 – E26 – VC4-6 – F3.

 Hipermenorréia  VM: R6-P7.

o a) R8 – F2-3 – IG4 – BP6-9-10 – VC4-6.

o b) CS6 – TR4 – F9-13 – VC3-4-5.

 Hormonal  VC6.

 Irregularidade menstrual  VM: R6-P7 + R2-14-15 – F5 –


IG11 – BP6.

 Mamas Dolorosas – Pré-Menstruação  B54 – R6 – IG10 –


P10 – VC17 – B14 – E30.

 Menstruação com pouco fluxo  VM: R6-P7 alternado


com VB41-TR5 + B31-60 – TR3 e 4 (Frigidez) – VB26 – F2-3 –
IG4 – E29-30-36 – R14 (Dores no baixo ventre) – VC4 – BP6.
Obs: Se o frio interrompe o frio  CS9 com moxa.
242

 Quando as dores aumentam no decorrer da


menstruação  B62.

 Retroflexão Uterina  B31 – BP3 – VC4-6.

IMUNOLOGIA

 Pontos Anti-Infecciosos  VB39 (Infecções Virais) – B62


(Infecções Bacterianas, e quando houver pus fazer Moxa
nele.) – BP2 – B11 – B17 – IG11. Se o indivíduo for portador de
um processo purulento, mesmo mais grave, por exemplo, um
abscesso, tumores, etc. Você pode fazer o B62 em Moxa, até 3-
4 vezes por dia. Pode ensinar ao paciente.

 Abcessos  Pontos Anti-infecciosos: BP2 – VB39 – B11-62 +


Pontos da 100 doenças.

o Obs: Pontos Auxiliares Imunológicos  E32 – B17 – R24


e V17 (Linfócitos T).

 Caxumba  Pontos Anti-Infecciosos + TR5 – TR23 – IG4 –


IG19 – E5. A caxumba tem uma resolução muito rápida e se
você faz cedo, ela não ameaça descer para o testículo ou
ovário. Porque as pessoas pensam muito que ela pode afetar o
testículo, mas pode afetar também o ovário.

 Febre Tifóide  Pontos Anti-Infecciosos + CS6 – IG2-4-11 –


VC4 –VC6-9.

 Gripe → R6 – P7-9-11 – IG4-20 – BP3 (Sist. Imunológico) –


BP13 – VB20-39 – VG14 – E36.
243

 Rubéola  Pontos Anti-Infecciosos + R1 – VB30 – IG4.

 Sífilis  Pontos Anti-Infecciosos + B54 – R24.

 Tétano → VM: B62-ID3 ou CS6-BP4 + TR5-15-23 – P7 – IG4-10


– BP5 – E36 – VB34-39-40. Depois faz os pontos
antiinfecciosos.

NEUROLOGIA

 Convulsão em geral  VM: P7-R6 ou CS6-BP4 + IG4-10 –


B60-62 – TR10 – VB20 – F3 – VG14-20-25 – VC12-15 – IT.

 Convulsão na Infância  VM: CS6-BP4 + E36 – P5 – R2 –


BP1-2 – VG20 – F2-3 – VC12-15 – B60.

 Epilepsia  VM: P7-R6 ou CS6-BP4 + IG4-6 – E36-40 – C7 –


ID3-4-5-8 – B58-60-61 – R1-3-6 – BP4 – TR10 – VG6-18-20-25
– F2-3 – VC12-13-15.

 Mielite e Encefalite → VM: ID3-B62 + B62 – VB39-34-37-38-41


– R7 – F5-13 – VC14 – VG3-6-14 – B11-51-60 – E28 – VG20 –
BP3 – IG9.

OBSTETRÍCIA

 Ameaça de Aborto  VM: R6-P7 + B27-62 – BP6-3 (Diminui a


contratividade).

 Ativar a eliminação da placenta  B60 – E30 – BP4-6.

 Ativar o Parto  B22-23-60-67 – E30-36 – R6-14 – IG4 – BP6.


244

 Dor de Parto  B60 – CS5 – IG4 – BP4 – R6 – BP6.

 Insuficiência de Leite  ID1 – E17 – VC17 – B14.

 Inversão do Bebê  A partir do 7º - 8º mês – B66 – B67.

 Metrorragia Pós-Parto  TR6 – BP6 – VC2-6 – VB21 (Indicado


também para metrorragia pós-aborto).

 Pontos interditados na Gestação  IG4 – P11 – F1 – BP6 –


B60 – E36 – BP2 – E45 e outros.

ÓSTEO-ARTICULARES

 Geral  VM: VB41-TR5 / TR5-VB41 + B60 – VB38 – BP2 – BP5


(sempre) – BP9.

BP5  Indicado para artrites, artroses, bico de papagaio, etc.

BP9  Dores nos joelhos e circulação venosa.

IG11  Dores de ombro (bursite, calcificações, etc.).

R7 + R3 = Consolidação de fraturas.

VB30  Muito bom para a região coxa-femural (dor, artrose, artrite,


bursites, etc. e para tratamento de celulites.

VB34  É excelente para as patologias musculares (trismos,


traumatismos, contraturas, etc.). principalmente músculo estriado
(voluntários), desde traumatismos até infecções, estiramentos, etc.
e usa também o E36 e ambos são usados para preparar atletas
antes de competições, etc.

Pontos para consolidação de fraturas  R3 – BP2 – Triangulo


dos ossos.

 Articulações (Esquema Articular)  BP2-3-5 – VB34 – F3 – R7


– IG5.
245

 Artrite (excelente) VB41-TR5 + F3 – BP2-5 – VB34 – B60 –


IG5 – E36 - ∆ ossos e articulações + Pontos locais com
manipulação (analgesia).

o Ombro  IG15.

o Bursite  Fazer com o braço pendido, agulha longa


introduzir de 4 a 5 cm até o “Qi” (choque). Moxar nº ímpar
(3-5 vezes) para sedar 15 min. Para retirar: fechar a mão
contra-lateral, inspira e retira na expiração.

o Coxo-femural  A mesma coisa.

o Joelho  Punturar os olhos dos joelhos 4 a 6 pontos.

o Fazer o equilíbrio geral pelo diagnóstico do pulso e


anmenese.

o Outros pontos para Artrite em geral (caso o anterior não


funcione): VM: BP4-CS6 + ID3 – R1-2-7 – B23-62 – VG1
(lombar, hérnia discal – 4cm manipular 1 min. e deixar por
15 min.) – B54 (dor lombar – até obter o “Qi”) para
dermatoses superficiais fazer sangrar o B54). Coluna R1 –
F1.

 Bursite (Dr. Evaldo) → VB41 (contra-lateral) – BP5 – VB34 –


IG5 – IG15 (Profundo) + Colocar agulhas próximas da dor.

 Câimbra  VM: ID3-B62 + TR5 – VB34-40 – E41 – BP3 – F2 –


R6.

o Câimbra de origem circulatória  VB40 – BP3-5-9 –


E36 – B60 – P9.

 Contraturas  P5 – BP3.(F2 – P5 – BP9).

 Dores  E42.

 Edemas  P5.

 Entorses  VM: ID3-B62 + R1 – VB40 – E44 – R6 – BP5 –


VB34-39 + Moxa no local.

 Gota  B54 – B60 – TR10 – F3 – E44.


246

 Hemiplegia  VM: P7-R6 + VB34 – CS3-6 – C5 – ID3 – BP4 –


TR10-15 – IG4-5-9-10-11-15 – E7-35-36-42 – VG16-20.

 Hérnia Discal  VM: VB41-TR5 ou BP4-CS6 + R3 – B54 – R7 –


B60 – BP4 + Pontos Locais.

 LER  TR5-VB41 alternado com ID3-B62. 1) No início do


tratamento que não ultrapasse 30 minutos de digitação ou
esforço e descançar de 5 a 10 min. fazendo alongamentos. 2)
Melhorar a circulação da área afetada.

o Pontos de Circulação  P9 (Qualquer problema de


circulação da cintura para cima) – CS9 – B60 – E32 – BP5
– VB34 – E36 – IG4-10-11-15 – TR10-5.

o Pontos Locais  Pontos ting dos meridianos que passam


na região + Pontos Sap Sun (ponta dos dedos) fazer
estímulos ou usar o bastão.

 Osteoporose  R7 – R6 (Tonificar o Rim) - ∆ osos – B23


(Assentamento do Rim) – B38 (Glândulas endócrinas) – E30 e
VC4 (estimulação de estrógeno).

o Masculina  B28 – B30.

o Feminina  B31 (Para melhorar a produção de


estrógeno) + BP6.

 Paralisias  VM: 1º) P7-R6; 2º) CS6-BP4; 3º) ID3-B64 + ID4 –


C3 – B17-54 – R1-7 – VB34-38 – F10 – VG11-19-20.

o Se a Paralesia for no Membro Inferior  VB30-34 –


B54-60 – E36.

o Se a Paralesia for no Membro Superior  IG4-10-11-15


– TR10-15 – E36.

 Problemas de Coluna  VB41-TR5 alternado com B62-ID3 +


Pontos da bexiga (passar por dentro subcutânea,
tangencionando a coluna. Para úlceras fazer cerclagem).

 Problema de Coluna (Dr. Evaldo)  VM: VB41-TR5 + F3 –


VB34-38 – BP5-2 – IG5 – E36 – R7 + Triângulo dos Ossos +
Pontos Locais.
247

 Reumatismo  TR5-VB41 alternado com VB41-TR5.

PROBLEMAS NA ÁREA DA CABEÇA:

FACE:

 Afalcia em Geral  VM: TR5-VB41 Alternar com ID3-B62 + B60


– C3-7 – ID4-7-8 – B10-13-58-62-65-67 – CS7 – TR1-4 – VB4-
10-11-20 – F8 – P7 – IG4-11 – E36 – VG21 – IT + Cruz (VG20)
no topo da cabeça + Pontos Locais + Pontos ting dos
meridianos afetados.

 Cabeça pesada  BP3.

 Cefaléia agravada pela mudança do tempo (vento


noroeste)  TR5-15.

o C/ Vertigem  B6 – F2 – TR3.

o C / Náuseas e Vômitos  P7 – E42 – VG12 – VC12.

o C / Comprometimento Vascular  CS6-7-9 – P9 –


VB38.

 Cefaléia agravada por ingestão de alimentos ou


álcool  CS6 – VB20 – VG20 – VB8 – BP3.

 Cefaléia agravada por problemas de ouvido  TR17-23 – B7


– ID19 – P9 – CS9.
248

 Cefaléia com dor ocular (no globo)  VM: ID3-B62 + TR1-21 –


E1 – R6 – BP11 – IG4 – B67-65 (os dois homolaterais) – E41
(Contra-lateral) – B60-10 – VB20 + Pontos locais.

 Cefaléia Occipital  Coluna Cervical / Tratamento


Osteoarticular.

o a) BP3-5 – F3 – VB34 – IG5 – Triangulo dos osso e


articulações – R7.

o b) B7 – TR12 – VG12-16-17-18 – VB20 – B10-58.

 Cefaléia Pós-Parto  C7 – VG20.

 Cefaléia sobre a sobrancelha  ID3 – TR10 – VB43 – VC15 +


Pontos Locais.

 Congestão de Face  ID7 – B64 – VB5-6.

 Dor na Bocheça  E6.

 Edema de Face  TR16 – VB34 – E41-42-43.

 Embriagues  O mesmo + VB8 – Pi Tchoun – F3 – E36.

 Enxaqueca  O mesmo da sinusite.

 Espasmos de Face  IG18 – TR22 – VB1 – F2-3 – P7-9 – E2-


5-7-36 – VG25.

 Inflamação na Bocheça  TR17 – IG10-20 – E3 – TR1.

 Inflamação do Queixo  TR17 – IG1-10-20 – VG25.

 Labirintite + Problemas na Coluna Cervical  VM: TR5-


VB41 + ∆ ossos – IG5 – P9 – CS9 – B60 – BPR(s) – BP2(t) –
BP3 – VB34 – TR17 – B2 – ID18 + Pontos locais. Se o BP
estiver com a energia baixa, não faz o BP5.

 Nelvragia Facial e Trigêmeo  VM: TR5-VB41.

o a) C3 – ID8 – B1-3-8 – TR21-22 – VB15-43 – IG4-10-11-


14 – P7 – E3-6-7 – VG23 – IT – B60.
249

o b) Unilateral (Lado da dor) B67 – E45 – VB44 – TR4 –


B65.

Bilateral  B60-10 – IG4 – VB20.

Contra-Lateral  E41 – VB43 + Pontos Locais.

 Paralisia Facial  VM: ID3-B62. Começar o tratamento pelo


lado sadio. B2-3 – TR17-21-23 – VB2-3-10 – F3 – P7 – IG2-4-
10-11 – IG20 – E3-4-5-6-7-36-42-44-45 – VB34 – VB40 (contra-
lateral) – CV24 – VG20-25 – B20-60.

 Zumbido (Vazio de TR e ID)  E36(s) – B62(s) – CS7(s) –


TR17(t) – VC17(t) – IG4(t) – ID4 – ID3(t).

LARINGE (ite) / FARINGE (ite) / TRAQUEIA (ite)  IG4 (M)


– P11 (M) – VC22 – E44 – B12 – VB39.

NARIZ:
 Nariz  VM: P7-R6

 Pontos Gerais  B12 (Ponto de assentamento das vias áreas


superior) – IG4 -20.

 Adenóides  B5 – TR25 – IG4-19-20 – VG19-20 – VG19-20-


22-23 + Pontos Locais (Consegue resolver até sumir).

 Anosmia – Incapacidade da percepção olfativa.

o a) Por seqüela de acidente (Problema neurológico).

o b) Por sinusite (Funcional)

o  IG2-3 - B8-9-67 – R22-23 – IG4-19-20 – E45 – B60 –


VG19-20-23-25.

 Coriza em Si  IG4-19-20 – VG20-22-23 – TR17-22 – P5-7-9 –


E3 – TR15 (Ponto higrométrico para problemas climáticos) –
B67-10 – VB20.
250

 Epistaxe  C6-7 – ID1 – B3-6-60-62-66-67 – CS4-7 – VB14-20


– P3-5-10 – IG1-2-4-6-20 – E45 (Não recomendado na
gravidez).

 Espirro  P5 – IG4-20.

 Obstrução Nasal  B5-9-67 – R22-23 – VG22-27 + Pontos


locais.

o Obstrução Nasal + Obstrução da


Tuba (Ouvido)  IG19-20 –TR3-21 + Pontos do TR ao
redor do ouvido.

 Ozena (Necrose na mucosa nasal – odor nauseante)  B3-


12 – VB8-12 – IG4-5-20 – E5 – VG20-22-23 – B66-67 + Pontos
locais + Pontos de Circulação  P9 (Arterial – Ponto de
reunião dos vasos) – CS6-9 – VB38 – BP5 – B60
(Microcirculação).

 Rinite Alérgica ou Crônica  Reeq. Energético + IT para


chamar o Qi + B6-3 – TR21-22 – IG20 – VG20-22-23-24 – E45
(agudas) – VB8-9 – B10 – VB20.

Obs: O agravamento do meridiano do Pulmão se dar da


seguinte maneira: Dermatite (Pele – Superficial)  Rinite (Nariz –
Médio)  Asma (Pulmões – Grave).

 Secura da Mucosa nasal  B64 – VB38 + Pontos Locais.

 Sinusite  Receita muito eficiente (+++):

o a) B12 – IG4-6-19-20 – E5-6 – VG20-22-23;

o b) IG6 – E2-3-5 – VG20-23 – B67-10 – VB20 – B2 – Yu-


Yao (Dor frontal) + Imunidade  BP2-3 – B11 – VB39 –
VB19-34 + Ponto das 100 Doenças (ver desenho) +
Inalação com vapor d´água (alecrim) ou nebulização.
Pode moxar as agulhas. Para saber se a pessoa tem
sinusite, massageiei o rosto próximo do nariz para ver se
tem dor.
251

PESCOÇO

 Fibromialgia do Trapézio  Tem um componente emocional


muito grande. VM: ID3-B62 + IG4-5-10-15 – TR15 – B11-12-15 –
VG13 – VB34-4 – F3 – B60 – VG20 – VC15-17 – IT + Pontos
Locais.

PSIQUÍSMOS: VM: CS6-BP4.

 Alucinações. Para a visão da acupuntura as alucinações são


reais para o indivíduo que ver, ouve, sente cheiro,
etc.  VM: ID3-B62 + C7 – IG5 – E40 – VG25. (IG4 – IT – VG20
– C5).

 Amnésia  VM: CS6-BP4 + C3-9 – P7 – CS9 - VG18-20 – E36.

 Ansiedade  VM: CS6-BP4 + C3 – Tch-Tch – C5-7-9 – ID3 –


R1-4 – VB34-43 – VC15-16-17 – IT – VG20.

 Apatia (Indiferença).  VM: CS6-BP4 + C5 – VG19-20.(R4 –


E36).

 Delirius Tremis  VM: CS6-BP4 + F3 – IG4 – B62 – IT – VG20.


(VC17 – E45).

 Depressão. Depressão é uma situação que acupuntura pode


ajudar bem. A não ser aquelas depressões endógenas,
graves.  VM: CS6-BP4. Ponto Especial  C3 (alegria de
viver). Outros  C5-9 – ID3 – B64 – P5 – VG18-20 – VB40 –
E41 – Tchrong-Tchrou (Ponto ligado ao VG entre a T10 e T11).
252

Nestes casos de depressão é bom associar com a homeopatia,


muito eficiente. Usa os dois:

Homeopatia  a) Natrum muriaticum – CH30. Tomar 5 gotas 3-4


vezes ao dia. b) Ignatia amara – CH5. Tomar 5 gotas 3-4 vezes ao
dia.

o C / Tristeza  TR3. Este ponto tem também uma ação


sobre a sexualidade.

o C / Desejo de Dormir  R3 – B17.

o C / Desejo de Ficar Calado  R1.

o  o apetite  E45.

 Distúrbio de Comportamento (Na criança – inquietude,


agitação (VC15)  Estimular com carretilha sobre: VM: CS6-
BP4 + B38 – E36 – VG20 – VG21 – VC15 – IT.

 Distúrbio Neurovegetativo  VM: CS6-BP4 + B10 – R2 –


VG20.

 Emotividade  VM: CS6-BP4 + C3-5 – Tch-Tch – ID7 – CS7 –


P10 – IG1-2-3 – BP6 – VC14-15 – B13-64 – VG20. Não precisa
fazer todos ao mesmo tempo.

o C / Inquietude  C7.

o C / Hipersensibilidade  CS6.

o C / Irritabilidade  E36.

o C / Angustia  F3 – VG20 – C5.

 Insônia  Um destes três:

o a) VM: CS6-BP4 + B62 (8 minutos) + R6 (mais ou menos 2


minutos) + IG4 + F3.

o b) VM: CS6-BP4 + C7 – B54 – F8 – IG5 – E40 – BP2 –


VC15-12.
253

o c) VM: CS6-BP4 + BP1 – B67-54 – C7 – IT – E1 – B10 –


VB20 – VG20.

 Insônia Noturna c / Sonolência Diurna  P9.

 Insônia c / Depressão  C3 – VG20 ou o esquema


de depressão.

 Irritabilidade  VM: ID3-B62 + B65 – C7 – VG20 – VB37.

o C / Dificuldade de Dormir  F3 – IG4.

o C / Negligência (Não liga para nada)  VG10 – VG20 –


B38.

 Logorréia (Fala demais)  VM: CS6-BP4 + VG20-19-16 – R7.

 Pesadelos  VM: CS6-BP4 + E45 – BP5 – VC14-15-16 – IT –


VG20.

 Sonhos Excessivos. Todo mundo sonha e pelo menos 30% do


nosso período de sono é de sonhos. Tem pessoas que lembram
e tem pessoas que não lembram. Geralmente as pessoas que
dizem que sonham muito é porque lembram muito. Não é que
sonha mais, é que lembra mais. Este tratamento faz a pessoa
diminuir a memória dos sonhos. VM: CS6-BP4 + CS4 – P10 –
IG5-6 – VG7.

 Stress  VM: CS6-BP4 + C3-5-9 – ID3 – R1-4 – VG20 – VC15-


17 – IT – VB34 – VB43 + ∆ da calma.

 Terrores Noturnos em Criança. A


criança não consegue acordar e sofre
bastante. Resolve o
problema.  VM: CS6-BP4 + CS5-9 –
P5 – IT – VG20.

 Timidez  VM: CS6-BP4 + C3 – Tch-Tch – C5 – R7 – E36 –


VC6.
254

 “Trac” dos Artistas. Aquela sensação de medo, tensão,


ansiedade, angústia, esperança, expectativa. Aquela sensação
de uma mescla de otimismo e pessimismo junto, numa
expectativa de interrogação de resultado. O vestibulando tem
muito isso e os artistas.  VM: CS6-BP4 + C5-7 – B15 – IT –
VG20.

 Tristeza  VM: CS6-BP4 + TR3 – BP5 – C5-7 – P3. Qualquer


problema emocional o ponto C5 pode ser útil.

SEXUALIDADE  VM: R6-P7.

 VC5  TR (TR está ligado ao ritmo da pessoa e o VC5 é o


ponto da esterelidade).

 Adenoma Prostático  VC4 + Ponto Vesical + Remédio


homeopático (Sabal Serrulata – CH5-CH6).

 Ausência de prazer sexual  TR3-4 (Com moxa e número par


de vezes).

 Câimbras durante o ato sexual  F3 – BP3 – VB40.

 Distúrbio de Excesso Sexual  F8 – VC15-16 – R3-9.

 Dor nos Testículos  F5.

o Se houver espasmos  F8

o Se houver Edema  Usa os mesmo pontos.

 Eretismo Sexual  Alternar com B62-ID3 + R3 – CS6 – TR4-10


– VC5.

 Espasmos Pélvicos  B60-22-23 – R10 – F1 – E29-30 – BP6.

 Frigidez  R7-10 – TR3-4 – IG5 – E30-45 – BP6-9 – VC4-6-7-9


– VG3-4.
255

 Infertilidade  B16-31 – R1-14 – VC15 – VG3 – BP6 – B38 –


VG4 .

o No homem  Acrescentar E30 – R7.

o Na mulher  Acrescentar E30 – VC4 – BP9.

o Fazer antes pontos de ansiedade.

 Impotência  ID5 – R7-10 – TR3-4-23 – F8 – IG4 – E30-20 –


BP6-15 – VG3-4 – VC4-6.

o C / Componentes Circulatórios  P9 – BP5 – VB38 –


CS9.

o Outros Pontos  B23 – R12 – F3 – BP8-9.

o Pontos Auriculares  Órgãos Genitais Externo – Chen


Mem – Endócrino – Matéria Cinzenta (Córtex Cerebral) –
Próstata – Rim – Pulmão.

o Picar 5 pontos ao longo da virilha de ambos os lados.

 Ninfomania  Alternar com B62-ID3 + F5 – VC7 – VG3 –


VC15.

 Obcessões Sexuais  Alternar com B62-ID3 + CS7 – VG3-20


IT.

 Orquite  B31-33-48 – R2-7-12 – VB27 – F3-5 – E29-30 – B6 –


VC4.

 Pancada nos Testículos  BP4 – E30 – B23 – VG4. Primeiro


você faz BP4 batendo com a ponta dos dedos. Depois quando
começa a melhorar, então você também começa a bater com a
ponta dos dedos o E30 (no púbis). Depois você faz com
massagem ou preferencialmente agulha no B23 e VG4.

 Poluições Noturnas  BP6-9 – VC5 – VG20 – B21.

 Prostatite (Hipertrofia benigna prostática)  B31-33-54 – R7 –


TR4 – VB28 – F1 – BP6 – VC3-4 – VG1 – E42 (Aprofundar a
agulha até desenvolver o Qi). Para cistitite usar E42-43.

 Vaginismo  C8 – R2-3 – VC4 – VB1.


256

SISTEMA CIRCULATÓRIO

 Afecções do Coração em geral  VM: BP4-CS6 + C5-7-9 –


B15-17 – CS6-7.

 Afecções dos Vasos em Geral  CS7-9 – VB38-40 – P9 –


E32.

 Angina Pectoris  B17-CS7 – C7-9 – R1-3-23-24-25-27 – CS9


– E36-37 – VC6-14. Melhora as condições circulatórias das
coronárias. P9 (Todo e qualquer problema em que ocorra
dificuldade arterial, que envolva artérias. Ex. parestesia,
diabetes, traumatismo). B14 (Ponto de assentamento do CS –
quando ocorre irradiação p/outros locais).

 Arritmias em geral (extrassístoles)  VM: BP4-CS6 + B17 –


CS7 – C7-9 – P9 – R11 – R2 (se hipertensão) – B15.

 Arteriosclerose  (receita de excelente eficácia): CS6–BP4 +


P9 – C5-7 – B17-60-62 – R3 – CS8-9 – VB30-34-38 – F3 – IG4-
15 – E36 – BP6 – VC8 – VG20.

 Arterites (inflamação das artérias)  CS6-BP4 + CS9 – P9 –


F3-2 – E32 – BP6-9 – B60.

 Bradicardias  BP4-CS6 + C9 – BP3 – E36 – B60 – CS9.

 Dispnéia Cardíaca e Angústia  VM: BP4-CS6 + C7-9 – ID7 –


R2-3 – B42 – VB16 – P2-5-7 – E15-19 – F3. ( O Rim-água
apaga o C-fogo).

 Dores Precordiais  VM: BP4-CS6 + B64 – TR10 – F3 – BP4 –


VC4-14-17 – R11 – B17 (Tem ação no diafragma – na dor pós-
prandial, após a refeição) – E37 (Tira o excesso de energia – dor
precordial, e joga ao longo do meridiano para elimina-la) – B60
(Quando a dor se irradia para as costas).

o Dor Precordial com Constricção Torácica  + E36 –


E40.
257

 Endo / Mio / Peri cardite (apresenta resposta muito


favorável)  B17 – CS7 – C7 – CS9 – VC14 – B14-15 – R11 –
BP21 – P4-5-7-10.

 Flebite (Inflamação das veias)  VM: CS6-BP4 + B17 – BP5 –


BP7.

 Hemorróida  Além do esquema anterior (ver varizes) + B21-


23-54.

o Se houver dor  B65-67 – R3 – F13 – IG4-11.

 Hipertensão (Yin Wei)  1º Esquema: CS6-BP4 + C7 – R2


- R3 (Plus) - R4-23 – CS7-8 – F13 – IG15 – E36 – BP6 – VC15 –
VG15.

o 2º Esquema  VM: CS6-BP4 + BP1 – B54 – C7 – CS1-7


– IG4 – F3 – R3 (Plus).

o Hipertensão com Cefaléia  + VG20 – VG16.

o Hipertensão onde a Mínima está Alta  a) + C7 – R2 –


CS1 – R1 – B54; b) + R1 – R3 – E36 – C7 – CS1 – B14 –
B15.

o Urgência na Hipertensão  Sangrar os pontos C9 e


CS9. Aurículo: Sulco hipotensor da orelha (sulco
localizado atrás da orelha).

 Hipertrofia Cardíaca  VM: CS6-BP4 + Pontos Especiais (C7 –


VC14-17 – VB34 – E36).

 Hipotensão (Yang Wei)  TR5 -VB41 + C7-9 – B38 – R7 – CS9


– VB20 – P9 – E36 – BP6 (5). Hipotensão Osteostática
(Labilidade), trata como hipotensão.

 Insuficiência Cardíaca  VM: BP4-CS6 + CS7 – B14-15-17-60


– C3-5-7-9 – P4-9 – R17-21 – P9 – VB34.

o Com Edema generalisado (Anasarca)  R3-20-21 –


BP3-9. Edema em geral usa o BP.

 Obstrução Coronariana  P9. Com ou sem angina, na crise


ou fora dela.
258

 Palpitação (Sensação desagradável da contração, da batida do


coração)  VM: BP4-CS6 + B14-15-17 – CS7 – C5-9 – C7 – R2-
3-13 – VB19 – P4-10 – ID7 – E19-45 – VC12-13-14-15.

 Taquicardias  BP4–CS6 + B17 – CS7 – C5-7 – B15 – E45-36.

 Úlcera Varicosa  O mesmo esquema anterior (ver varizes) +


fazer cerclagem com agulhas na ferida e dar um banho com a
fumaça de Artemísia.

 Varizes  CS6-BP4 + Pontos usados em “veias em geral” +


Memb. Inf : BP5-9.

o Para diminuir o peso e as parestesias  E36 – P9 – CS9.

 Vasos sangüíneos (muito eficiente) → VM: CS6-BP4 + P9 –


B60 – CS9 – VB38 – BP5-9 – VB34 + pontos próprios de cada
caso.

 Veias em Geral  B31 – VB38 – B17-60-67 – VB40 – BP3-5.

SISTEMA DIGESTIVO

B60 – Ponto aspirina (para dor)

B67  Indicado para problemas de visão e também para


verminoses intestinais, aumentando a resistência.

BP4  Indicado para problemas digestivos.

E40  É usado para crises de apendicite.

E45  Este ponto é indicado para excessos alimentares, mal-está,


etc e pode massagear profundamente este ponto que se tem um
grande alivio imediato, no caso de agulha a profundidade é em
torno de 5mm de profundidade. É um ponto que dói e por este
motivo é chamado de pagamento cruel).

F3 – Ponto buscopam (para dor – antiespasmódico).


259

VC10  E

VC11  VB

VC12  TR médio (Primo-irmão do E36). Quando a pessoa tem


problema de enjôo ou sente mal na ora em que se está colocando as
agulhas, então você coloca uma agulha no VC12 e no E36 e
normalmente passa.

VC13  BP

VC4  ID

Receita dada pelo Dr. Evaldo p/ Saulo: BP4 – CS6 + IG4 – E36 – F3
– BP6 – VC4 – VC12 – E25

 Afecções Digestivas  E30. É também um ponto ginecológico


por excelência.

 Agravação por Cheiro de Comida  E36.

 Agravação por Ingestão de Alimentos  BP9.

 Agravação por Ingestão de Bebidas Alcoólicas  CS6 –


BP6.

 Agravação por Ingestão de Carnes  E36.

 Anemia  VM: BP4-CS6 + VB39 – VB38 – C9 – B38 (glóbulos


vermelhos – moxa) – B17 – E36.

 Anorexia em geral  VM: BP4-CS6 + E36-25-41 – VC8-12 –


VG4-6 – B18-38 – IG4.

 Elevar o HDL (Pesquisa nova)  IG4 em associação com o


E36. Também o IG11 + B60.

 Embriagues  Introduzir na ponta do nariz (Pi-Tchoun) 3 cm de


agulha acompanhando o septo e deixa por 15 min.). Se estiver
com a face congestionada: P10 – VG20 – VG21.

 Embriagues  O mesmo + VB8 – Pi Tchoun – F3 – E36.


260

 Esofagite  VM: BP4-CS6 + E23-24-25-44-45 – VC12-15 – F3


– IG4 – E36 – B17-18-19.

 Gases Intestinais  E45 – VC12 – VC15.

 Gastrite (Orley)  VM: BP4 – CS6 + E36 (s) – E45 – VC12 (s) –
E22 – E23 – B21 (ponto de assentamento do Estômago).

 Ressaca → IG4 – F8 – VB8 – R7.

SISTEMA LINFÁTICO: VM  CS6-BP4.

 Adenite  ID3-B62 + C3 – B60 – F3 – VB38-39 – BP3 +


Cerclagem do gânglio infartado.

 Axilar  B17 – CS1-7 – VB37-43.

 Cervical  Ponto entre escaleno e trapézio + C7 – TR3 – IG10-


11-13 – E12 + Anteriores.

 Edema Linfático Crônico  VB38 – B60 – BP5 – F3 – BP9 –


P9 – VB34 – CS9.

 Inguinal  BP9-11 + Ponto atrás do BP9 ( 1 tsun) – Edema


geral de MMII.

 Linfangite  F3 – E36 – BP9 + Cerclagem da região.

o C / edema  B60 – VB38 – BP5 (MMII) – P9 (MMSS).

 Mastectomia  VB38 – B60 – BP5 – F3 – BP9 – P9 – VB34 –


CS9 – VC17. Obs: Útil no tratamento preventivo nas pessoas
que vão fazer mastectomia com esvaziamento ganglionar. Se
feito depois, também ajuda a impedir o surgimento de edema
pela cirurgia. O ideal é começar o tratamento antes da cirurgia.

 Vasos linfáticos(muito eficiente) → VM: CS6-BP4 + P9 – B60 –


CS9 – VB38 – BP5-9 – VB34 + pontos próprios de cada caso.

SISTEMA RESPIRATÓRIO  VM: P7-R6


261

No Outono os Problemas Respiratórios aumentam.

 Pontos Gerais  B13 (Assentimento do Pulmão) – VC17 (TR


Superior) – P9 – IG6 (Lo do Pulmão).

 Asma Brônquica  VM: P7-R6 + B13 – VC17. A asma


brônquica é muito bem tratada pela acupuntura antes de
alcançar a enfisema. Em crianças há quase 100% de cura.

o Em crise  B10-12-60 – R27 – P5-9 – VC21 (por 30


min.).

o Sem crise  C9 – ID15 – B10-12-17-18-31-37-38-39-60 –


R1-2-4-19-25-26-27 – TR19 – VB14-20- TR34 (mm lisos –
bronquíolos) – F3-13-14-8 – P1-2-5-9 – IG4-18-20 – E10-
12-36 – BP21 – VC15-18-23.

o Crise com dor (na dispnéia)  TR4 – VC5.

o Agravamento com umidade  TR15 (ponto higrométrico


por excelência).

 Dispnéia  C9 – B11-13 – R2-22-25-27 – CS6 – TR3-5 – VB43


– F8-13-14 – P1-5-7-9.

o Dispnéia Vespertina  VC17.

o C / Tosse  VC6.

o C / Dores, aperto, constricção  VC12 – B60.

o C / Problemas Digestivos  R26 – E14.

o C / Angústia  B22.

 Enfisema  (É o mais difícil de tratar, mas em alguns casos


ajuda significamente – pesquisar a causa) – P7-R6 + B13 –
VC17 – B12-14-17-38 – R4-19 – CS7 – P1-5-9 – E13-15 – BP21
– VC6.

 Enfisema Pulmonar  VM: P7-R6 + B13 – VC17 – B6-12-14 –


R4-19 – CS7 – E13-15-21 – P1-5-7-9 – VB34 – E36 – VC6.
262

 Opressão Respiratória  TR3 – R6.

o C / Sensação de queimação no peito  CS6 – TR5 –


VC17.

o C / Efisema  CS7 – P7-9.

 Pleurites e Pleurisias (inflamação na pleura – menbrana que


envolve o pulmão) → VM: P7-R6 + B13 – VC17.

 Pneumonia / Bronquite  B11-17 – BP2 – VB39 – pontos da


imunidade.

 Sensação de Plenitude Torácica  B14 – E37 (dor no peito,


angina, dor precordial) – R25-26 – BP9.

 Tosse  VM: P7-R6 + B13 – VC17 – ID2 – R1-2-3-4 – TR10-23


– VB16-18-28 – P1-2-5-9 – IG1-18 – E11-13-15 – BP14-17 –
VC21 – B38.

o Tosse Quitosa (coqueluxe)  P7-R6 + B13 – VC17 – B60


– R3 – F2 – P11 – BP5.

o Tosse Seca  VC16 – C3 – P5 – IG2-3 – VG20.

o Tosse com agravamento após ingestão de líquidos ou


alimentos  P9.

o Tosse quando a pessoa se descobre a noite  P1.

o Tosse Dolorosa  TR5.

o Tosse produtiva com expectoração  P7-R6 alternando


com ID3-B62 + B13 – VC17 – TR22 – E36 – VC5 – E40 –
VB40. Quando usar o VM ID3-B62 acrescentar o P7.

 Tuberculose Pulmonar  VM: P7-R6 + B13 – VC17 – C3


(minimizar a tristeza) – B11-22 – B38(moxa) ação direta sobre o
equilíbrio do Pulmão – R1-3 – TR5 – TR3 – VB19 – F3-10 – P1-
5 – VC19 – VG13 – E36. Medicamentos acelera a cura em 50%.

SISTEMA URINÁRIO
263

 Anúria  VM: R6-P7 + B23-27-28-39-67 – R1-3-4-7-8 – F3-8 –


BP9.

 Bexiga Atônica  VM: R6-P7 + a) B67 – TR5 – P7 – B27; b)


B21-23 – P5-9 – E25-28 – VC3-4-6.

 Cistite  VM: R6-P7 + B18 (infecção) – B23 (sempre) – B19-29-


32-49-64-65 – R2-3-4-12 – F4 – E28 – BP5 – VC2-4-5. VC6
(cistite com espasmos). R1 (com dor intensa). Ponto
Vesical  Introduzir a agulha entre o E41 e E42 e deixa por 15
min. e retira em 4 tempos.

 Cólica Nefrética  VM: TR5-VB41 (p/dor) + B23-47-60-64 –


R2-3-4-12-25 – VB25-43 – F3-8 – VC4 + Pontos no trajeto da
dor. A fragmentação do cálculo renal leva a hipertensão arterial
alguns meses depois.

 Congestão Renal  VM: R6-P7 + R1-2-3-4-14-27 – CS7 – B23-


28.

 Disúria (dificuldade em urinar) – Milagroso  B21-23-25-28-54


– R13 – F2-13 – P5-7-9 – IG9 – E30-36-40 – BP21 – VC3 –
VG13.

 Dor nos Rins  VM: R6-P7 + VB4-25=26-28 – B60 – F3.

 Enurese (Inc. urinária)  VM: R6-P7 + B21-28-62 – R2-4 – F2-3


– P9 – E36 – BP6-9 – R20 – VC3-4-5-6. Massagear a criança
entre a 1a. e 2a. falange bilateral do dedo médio.

 Hidronefrose  VM: R6-P7 + R14 – VB26.

 Incontinência Urinária  VM: R6-P6 + C5-7-9 – B21-22-28-31-


38-54-58-64-67 – R2-7 – TR5 – P9 – F2-3-8 – IG11 – E36 –
BP6-9 – VC3-4-6.

 Insuficiência Renal  VM: R6-P7 + B23 – F3-8 – E36 – IG4-11


– R3 – R7.

 Insuficiência Supra-Renal → R7.

 Litíase Renal (Cálculo Renal)  VM: R6-P7 + B27 – R3-7-11-


12-23-25 – F8-13 – BP9 – BP11.
264

 Nefrite  VM: R6-P7 + C9 – B21-23 – R2-15-16-23 – TR9 –


VB25-26-28-38 – VC4 – VG15 – F14 – E25.

 Pielonefrite  Pontos da Nefrite + B23-24 – R3 – F13-14 –


VC4.

 Retenção Urinária  VM: VB41-TR5 + B23-30-65 – R2-7-8 –


F2-8 – E28-40 – BP9 – R1 (Quando tem dor e sem coordenação
motora da B).

 Tenesmo Desejo de defecar ou de urinar acompanhado de


sensação dolorosa no reto ou na bexiga, respectivamente, e de
impossibilidade de defecar ou urinar. (Contração constante ao
nível da Bexiga)  C3 – VC3-4 – B11-16-18-19-20-23-64.

 Uretrite  VM: R6-P7 + B23-28-64 – R2-4-6-7-11-16-18 –


VB37-39 – E10 – BP6-9 – VC1-4.

ENERGIA DEFENSIVA

I B En
D ergia
defensiva

T V 
R B

I E 
G

P B 
P

C F 
S

C R Ene
rgia
Nutridora
265

 TR5  Barreira Externa.

 CS6  Barreira Interna.

 Ver também Meridiano Ligamentário.

26. ESTÉTICA

CAUSAS ORGÂNICAS

 Pele  Oleosidade, acne e rugas (P, IG, F).

 Pálpebras  Edema (R, BP, E).

 Raiz do nariz, testa e canto dos olhos  Manchas, rugas e


vincos (F); se houver problema hormonal (BP, R, P).

 Celulite  Deficiência no transporte hídrico (BP).

 Obesidade  BP e P.

 Fazer reequilíbrio energético.

Tratamento de Rugas
266

 Atuar no plano muscular.

 Verificar:

1. Estado de hidratação da derme e tecido subcutâneo;

2. Diferença de tônus entre dois ou mais músculos.

Obs:

o Todos os músculos tem uma inserção fixa  Origem.

o Todos os músculos tem uma inserção mole  Inserção.

o Cada músculo possui uma ação específica, e dentro


dessa ação temos a ação de mais de um músculo:

1. Músculo com a mesma ação  Antagonistas;

2. Músculos com ação específica contraria  Antagonistas.

 Na acupuntura vamos usar Pontos de Comando:

1. Tonificação  Para aumentar o tônus muscular;

2. Sedação  Para diminuir o tônus muscular.

PONTOS DE COMANDO

A – Yu Yao ou Hm4  “Ventre do peixe”.

Localização  Bordo orbital superior, no meio da sombrancelha.

B – Tsyoan Tchou (B2) – “Bambus tensos”.

Localização  Pálpebra superior, por dentro do bordo orbital.


267

C – Inn Trang (IT) ou VG23a

Localização  Sobre a glabela.

D – Choe Keou.

Localização  Calha nasolabial.

E – Tchreng Tsri (E4)

Localização  Bordo inferior da cavidade orbicular (abaixo do


olho).

F – Se Pa (E5) – “Quádrupla função” – Atua sobre olhos, ouvido,


nariz e boca.

Localização  Situa-se a 1 distância de E4.

G – Tsiu Tsiao (E6)

Localização  Sobre o malar na mesma direção do IG20, na


mesma altura.

H – Ing Siang (IG20) – “Recepção dos perfumes”.

Localização  Sobre a fossa canina e sulco nasogênico.

I – Ro Tsiao (IG19) – “Cavidade para os cereias”.

Localização  Sobre a fossa mistiforme (bigode de gato).


268

J – Ti Tsrang (E7) – “Celeiro para os alimentos da terra”.

Localização  Nas extremidades dos lábios – canto da boca.


Refere-se a boca internamente à arcada.

K – Tchrong Tsian (VC24) – “Onde se acumula a saliva”.

Localização  Vestíbulo inferior (abaixo dos lábios, no meio).

TIPOS DE RUGAS E LOCALIZAÇÃO


269
270

1. Ruga Gepteriana ou da obstinação  No queixo.

2. Ruga do sorriso ou Social – tensão  Ao lado da boca.

3. Ruga marciana ou da falsidade  Atrás do sulco nasogênico.

4. Ruga da dentadura – Tristeza  Acima do lábio superior.

5. Ruga mercuriana ou do desânimo  Vinco da bochecha –


trajeto até o canto interno do olho

6. Ruga Lunar – Não está ligada ao canto externo do olho –


tensão.

7. Rugas venusianas – da ansiedade  Pé de galinha.

8. Ruga sexual  Pálpebra inferior ou da mágoa.

9. Ruga da dispersão  Pálpebra superior.

10. Ruga saturnina ou da preocupação  Entre os olhos,


estende-se para cima.

11. Ruga das aventuras ou da surpresa  Na testa.

TÉCNICAS DE TRATAMENTO

Fazer a Sedação na face junto com o reequilibrio energético geral


do corpo (20 minutos) e depois de retirada todas as agulhas, fazer a
tonificação por 7 minutos.
271

1. Sedação ou Dispersão (usar uma dessas):

 Posição das agulhas  Com agulhas inseridas contra o


sentido do meridiano, num ângulo de 30º. No caso do IT a
inserção é sempre feita de cima para baixo.

 Manipulação das agulhas  Girar a agulha no sentido anti-


horário.

 Tempo de permanência das agulhas  Deixar as agulhas


por por um tempo de 15 a 30 minutos (em torno de
20minutos)

 Massagem  a) Com pressão forte e lenta durante a


expiração profunda, contra o sentido do meridiano (com esfer
de marfim); b) Ponta do indicador ou bastão de terflon.

 Eletroestimulação  Fazer eletroestimulação sobre as


agulhas, de 10 a 30 minutos com freqüência superior a 40 hz.

 Laser  Aplicar laser de 20 a 45 segundos em cada ponto.

2. Tonificação (usar uma dessas):

 Posição das agulhas  Com agulhas inseridas no sentido


do meridiano, num ângulo de 30º. No caso do IT a inserção é
sempre feita de cima para baixo.
272

 Manipulação das agulhas  Girar a agulha no sentido


horário.

 Tempo de permanência das agulhas  Deixar as agulhas


por pelo menos 5 minutos e não mais que 10 minutos (em
torno de 7minutos).

 Massagem  a) Micromassagem, batidas rápidas e leves


com a unha do indicador. 30 segundos em cada ponto.
Respirar de forma ampla e as batidas devem ser feitas
durante a inspiração; b) Martelo de 7 pontas, bem suave e
leve; c) Com o polegar fazer massagem leve no sentido do
meridiano.

 Moxa  Moxa lenta: 3, 5 até 7 vezes (com ou sem agulha).

 Eletroestimulação  Fazer eletroestimulação sobre as


agulhas, de 5 a 10 minutos com freqüência inferior a 30 hz.

 Laser  Aplicar laser de 10 a 15 segundos em cada ponto.

PONTOS USADOS PARA CADA TRATAMENTO

Vaso maravilhoso: Uasr de preferência o vaso maravilhoso do


sintoma principal do paciente ou no caso específico das rugas, usar
o B62-ID3 ouBP4-CS6.

Pontos especiais: IG4 (face)+ VB34 (músculos).

Nome da Ruga Músculo Ponto


envolvido utilizado

 Mentoniano VC24(s)

JUPTERIANA
 Orbicular dos IG19(t)
Lábios
273

 Depressor E7(s)
Angular da Boca
SOCIAL
 Grande -
Zigomático (E7)

 Zigomático e E7(s)
Elevador Próprio
MARCIANA do Lábio Superior E6(s)

Depressor IG19(t)
Angular da Boca e
Orbicular dos VC24(t)
Lábios

 Orbicular dos IG19(s),


Lábios VC24(s)
DENTADURA
 Bucinador, E7(t),
EPLS e ECLS E6(t),
IG20(t),
E5(t)

 Bucinador e E7(s)
Zigomático
MERCURIANA
 Orbicular dos VC24(t)
Lábios e
Depressor IG19(t)
Angular da Boca

 Bucinador E7(s)

LUNAR
 Orbicular dos VC24(t),
Lábios IG19(t)

 Orbicular das B2(s),


Pálpebras e E5(s),
274

VENUSIANA Zigomático E4(s),


E7(s)

 Frontal Yu Yao (t)

 Dist. Dos tec. E4(t)


q/formam a
SEXUAL pálpebra inf, E5(t)
formando a bolsa

Obs: Só existe
insuficiência.

 Distenção dos
tecidos que
DISPERSÃO formam a Yu Yao (t)
pálpebra superior

 Piramidal IT(s)

PREOCUPAÇÃO
 Frontal Yu Yao (t)

 Frontal Yu Yao (s)

AVENTURAS
 Piramidal IT (t)

Outros tratamentos

1 - Acne

Infecção das glândulas sebáceas e dos folículos pilosos por


estafilococos; começa com uma pequena pápula irritativa e aos
poucos transforma-se empústula. Quando existem várias numa
mesma região podem coalescer entre si. Sua consistência é dura,
principalmente na base; apresenta-se dolorosa e sua cor
pode danar do vermelho ao arroxeado.
Localizam-se preferentemente em regiões oleosas da face, no tórax à
altura dos mamilos, nas costas na mesma altura e nas porções
proximais dos membros superiores e inferiores.
275

E uma afecção cutânea relacionada com: distúrbios hormonais e/ou


problemas fisiológicos (respiração, digestão) e/ou problemas
psicossomáticos.Energeticamente a pele se relaciona com o
funcionamento do meridiano do pulmão P.

Tratamento:

Regulagem energética - prestar especial atenção aos meridianos do P


(pulmão), CS (circulação e sexualidade), BP (baço-pâncreas) e R
(rim).

Pontos de ação fisiológica:

Sempre -> B54, IG4, B60, B13, VC6, VC15, VC17, B38

Outros pontos: B62, R2, CS7, TR8, VB1O, V612, E36

Pontos Locais: fazer uma cerclagem em cada acne (com 3 agulhas)


ou da região quando elas forem muitas (com número impar de
agulhas), deixando por pelo menos 15 minutos e dar banho de fumaça
da moxa. Se estiver com secreção purulenta, mantendo condições
antissépticas, coloque uma agulha no centro e depois limpe bem.

Cosmética: é importante o uso de sabonete neutro ou adstringente


pela manhã e a noite todos os dias e enxágüe com muita água fresca
ou preferencialmente com água gelada. A limpeza de pele com
máscaras é muito eficiente, principalmente o uso da argila.

2 - Bolsas Suboculares

Coleção hídrica localizada nas pálpebras oculares inferiores, ocorre


neste caso uma distenção dos músculos da região.

Energeticamente estão ligadas ao desequilíbrio do meridiano do R


(rim) e BP (baço-pâncreas).

Tratamento:

Reequilíbrio energético: observar R, BP, VB e F.


Pontos de ação fisiológica: R3, F3, IG4, VB34, BP3.
276

Pontos locais: tonificar E5, E4 e Yu Yao

São recomendadas massagens tonificantes todos os dias e gelo ou


compressa fria.

3 - Flacidez Facial
Perda do "tonus" ou firmeza da pele (tecidos cutâneos: derme,
hipoderme e musculatura facial) acompanhada da diminuição da
espessura do tecido adiposoou até mesmo o surgimento de lacunas
deste tecido em algumas regiões.

Tratamento:

Vaso Maravilhoso: BP4-CS6

Reequilíbrio energético: dar especial atenção aos meridianos do F


(fígado), VB (vesícula-biliar), BP (baço-pâncreas).

Pontos de ação fisiológica: IG4, VB34.

Pontos locais - pontos de tonificação dos músculos afetados.

A massagem tonificante com óleos estimulantes é fundamental,


sempre lavar ou borrifar no rosto água fria; passar gelo ou compressas
frias.

4 - Flacidez de Pescoço

Perda de "tônus" e tecido adiposo da região do pescoço.

Tratamento:

Vaso maravilhoso BP4-CS6

Reequilíbrio energético: observar os meridianos de E (estômago) e IG


(intestino Grosso) além dos observados no item 3.

Pontos de ação fisiológica: IG4 - 17 - 18, E9 - 10 - 11, ID 16 - 17, VB


21 - 34, VC22- 23.
Local: tonificar E8

Massagear de forma tonificante, de baixo para cima todos os dias,


compressas frias e óleos estimulantes.
277

5 - Manchas na pele ou Hipercromias cutâneas

Aumento da pigmentação em áreas da face ou do corpo, que


frequentemente se relacionam com problemas hormonais, hepáticos
e/ou renais.

Energeticamente estão ligadas ao desequilíbrio dos meridianos do F


fígado), P (pulmão) e R (rim).

Tratamento:

Reequilíbrio energético: atenção ao F, P e R.

Pontos de ação fisiológica: B54, P9, CS9, R6, VC6, F5.

Local: ir aos poucos fazendo cerclagem dos locais com excesso ou


falta de pigmentação.

Cosmética: raspagem ou desgastes com mascaras de argila.

6 - Olheiras

Hiperpigmentações temporárias que variam na intensidade e


extensão, variando em cor desde o azul-arroxeado ao cinza-
esverdeado.

Energeticamente refere-se a desequilíbrio nos meridianos do F e/ou P


e/ou BP.

Tratamento:

Reequilíbrio energético: atenção ao F, P e BP.

Pontos de ação fisiológica: IG4, B54, F3, P9.

Cosmética: massagem tonificante, compressas frias ou gelo.

7 - "Couperose"
Dilatação dos vasos capilares na região nasal e paranasal por
inflamação das glândulas cutâneas acarretando vermelhidão difusa
das áreas afetadas.
278

Energeticamente ligada ao desequilíbrio do CS (circulação -


sexualidade) ao IG e P.
Tratamento:

Reequilíbrio energético: atenção ao CS, P e IG.

Pontos de ação fisiológica: IG4, CS6, F5, B60

Locais: IG20.

Fazer frequentemente compressa fria ou aplicação de gelo local.

8 - Celulite
Infiltração hídrica do tecido conjuntivo por embebição da substância
fundamental. Em geral é um processo localizado que distende a
derme e a hipoderme causando lacunas cujo tamanho é limitado pelos
feixes de colágeno e pelos nódulos do próprio tecido adiposo.

Energeticamente está ligada a desequilíbrio dos meridianos VB


(vesícula biliar) BP (baço-pâncreas), CS (circulação-sexualidade) e R
(rim).

Tratamento:

Vaso maravilhoso CS6BP4.

Reequilíbrio energético: atenção ao VB, BP, CS e R.

Pontos de ação fisiológica: VB30, CS6, BP6, R3, P9.

Pontos locais: fazer de modo criterioso *a cerclagem dos locais


afetados e aplicar moxa em número impar de vezes ( 3, 5, 7).

As aplicações de acupuntura devem ser sempre alternadas com


massagem e se possível drenagem linfática manual.

Recomenda-se também compressas frias ou aplicação local de gelo,


além de aplicações de argila.

9 - Mamas

A ptose mamaria é o posicionamento das mamas abaixo dos padrões


prévios, isto aflinge muito as pacientes.
279

Anatomicamente as mamas são constituídas pelas glândulas


mamarias, glândulas sudoríparas apócrinas modificadas, com
desenvolvimento e diferenciaçãocaracterísticas, são agrupadas em 8
a 25 lóbulos, possuindo cada um um ducto excretor próprio - dueto
galactóforo - um se abre independente do outro noápice da papila
mamaria ou mamilo.

Cada um destes lóbulos encontra-se envolto por tecido conjuntivo,


tecido adiposo, tecidos fibrosos e outros, o que lhe confere sua forma.

As mamas são pares e simétricas, localizadas na parede anterior do


tórax, no subcutâneo e apoiadas pelos músculos peitorais, que se
apresentam de formaconvexa, estendendo-se desde a borda lateral
do esterno até a linha axilar anterior.

Elas são órgãos que recebem estímulos e repressões hormonais,


alguns
constantes e outros periódicos ou cíclicos. Estes estímulos são
responsáveis por modificações em sua forma, tamanho, volume,
localização,etc.

Estes estímulos com o decorrer do tempo acabam por provocar


distorções importantes.

A ptose mamaria portanto é o resultado de uma múltipla falência


anatômica devido a estes estímulos sucessivos.

Tratamento:

A acupuntura pode auxiliar na prevenção, enquanto esta falência não


se estabeleceu, ou em desvios leves e moderados.
Vaso maravilhoso BP4-CS6.

Reequilíbrio energético: verificar meridianos de E (estômago) R (rim)


BP (baço-pâncreas) F (fígado) e VB (vesícula biliar) e P (pulmão).

Pontos de ação fisiológicos: VB34 E36.

Locais: P1,2 - E13,14 - R26,27 - E15,16,18 - VC16,17,18,19,20,21,22


- R 23,24.

Nas costas: ID10,11,13,14 - B13,14,15 e VB21.


280

Recomenda-se massagem tonificante com óleos estimulantes


( colágeno e

vitaminas) e compressa de água fria ou gelo.

10 - Obesidade
Peso em KG / altura ao
quadrado.
Até 25 - está dentro do peso.
De 25 a 29 – sobrepeso.
Acima de 30 – obeso.
Acima de 40 - obesidade
mórbida.

A obesidade precisa de um tratamento mais complexo e lento do que


a maioria dos tratamentos propõem.

Na Acupuntura segundo a MTC, temos de devolver o equilíbrio a essa


pessoa e este equilíbrio não se refere só aos hábitos alimentares ou
físicos, masprincipalmente aos hábitos mentais, é necessário que haja
uma reeducação global do indivíduo, detectando a causa principal e
tendo ajuda física, emocional e intelectual, se tudo não entrar no jogo
a pessoa retornará à estaca zero em breve.

Tratamento:

1°. etapa - reequilíbrio energético e diminuição da ansiedade - de 3 a 6


meses mantendo o equilíbrio, partir para as etapas seguintes.

2°- etapa - modificação dos hábitos alimentares e exercícios físicos de


3 a 6 meses para haver integração.

3a- etapa - junto da 2a- etapa - inserção de novos hábitos físicos,


emocionais e intelectuais Ex.: massagem 1x/semana, ouvir música
1x/semana, aprender uma língua nova 1x/ semana.

Pontos do microssistema auricular auxiliam muito na 2a- e 3a- etapas

Depois de um ano será uma nova pessoa que deverá ser reavaliada.
281

27. FITOTERAPIA

PREPARAÇÃO:

Para uso interno :

 Com água.

 Com álcool de cereais – vodka.

1. Infusão → Chás.

 Ferver a água e despejar sobre as ervas previamente


arrumadas numa vasilha de barro ou porcelana (não usar
panela de alumínio).

 Ferver a 90ºC e abafr por 15 minutos.

 Usar folhas e flores.

 Tomar as xícaras (150-200 ml) – 3 a 5 vezes ao dia.

2. Decocção → Occore maior aproveitamento das plantas


(fórmulas).
282

 Cozinhar com cuidado para não entrar em ebulição (uasar as


partes mais duras → raiz, caule, casca) de 15 a 30 minutos.

 Posologia → 1 xícara de café 3 a 5 vezes ao dia.

3. Sucos (refrescantes).

 Trituração das plantas frescas – usadas para excesso de


yang.

 Depois realiza a filtração.

4. Garrafadas ou “vinho medicinal”.

 Na China se usa (pinga de arroz) saquê.

 Doenças do frio e insuficiências energéticas, dependendo da


parte da planta utilizada.

 D

100g de erva --------------------------------- 200 ml do veículo


(fórmulas)

40g de erva (isolada) ------------------------ 200 ml do veículo

eixar descansar por 21 dias.

 Coar e completar com mais veículo (vodka de boa qualidade).

5. Pó

 Bater as ervas secas no liquidificador varias vezes e peneirar.

6. Xarope

Extrato:
283

Extrato de ervas com vodka ou tintura mãe Ø

20g uva -------------- 100 ml do veículo → 10 dias

 Agitar 2 vezes ao dia.

 Coar e completar.

Xarope:
 Usar 3 partes do extrato para 7 partes do veículo (mel) →
Deixar descançar por 2 horas.

Para uso externo:

1. Banho → Infusão com mais água.

2. Inalação → Infusão ou água evaporando com tintura.

3. Compressas → Usar com infusão ou tinturas.

4. Emplastos → Cozidos em gaze.

5. Ungüentos → Azeite.

o Erva picada ou pó 10g / 20 ml do azeite.

o Deixar cozinhando por 2 horas em banho-maria.

o Ex. Camomila (flor) para dor de ouvido.

6. Pós em lesões.

ORDENANÇA DAS FÓRMULAS


284

 Maior (Da Fang) → Ação forte, purgativa.

 Menor (Xiao Fang) → Faz descer, eliminar energias


perversas.

 Lenta (Huang) → Tonificante para doenças crônicas.

 Rápida (Gi) → Para urgências.

 Impar (Qi) → 1 só substância (Imperador).

 Par (Du) → 2 substâncias.

 Complexa (Fu) → Substância derivada, a principal vai dirigir.

A fórmula maior tem:

 1 Soberano ou Imperador – Dirige a energia dos outros.

 3 Ministros.

 9 Assistentes.

Numa fórmula como esta deve haver dois harmonizantes.

Ex. Si Jun Zi Tang

Decocção com 4 ingrediente nobres para tonificar a energia geral.

Jinseng + Guaraná + Catuaba + Marapuama.

Receitas:

 Ansiedade
285

1. Estagnação da energia do fígado, digestão difícil.

Fórmula: Ling Fu He Tang (Decocção 2 vezes ao dia).

 Açafrão – 5 a 8g.

 Hortelã – 2 a 4g.

 Colônia – 4 a 7g.

 Tiririca – 4 a 7g.

 Valeriana – 6 a 9g.

 Camomila – 3 a 5g.

 Erva Cidreira – 3 a 5g.

 Alcaçuz – 2 a 4g.

2. Agitação do yang do coração:

Agitada, fala muito, não dorme bem, pode ter muitos pesadelos,
calor no corpo, ↑suor nas axilas, taquicardia.

Fórmula: Dang Shen Um Li Tang (Decocção 2 vezes ao dia).

 Salvia – 8 a 10g.

 Valeriana – 6 a 10g.

 Raiz de Ruibarbo – 3 a 5g.

 Camomila – 4 a 7g.

 Rosa Vermelha – 2 a 4g.

 Ostra em Pó – 20 a 30g.

 Mulungu – 3 a 6g.
286

 Alcaçuz – 3 a 6g.

DOCE – BP-E

 Movimento energético → Para cima e fixante.

 Tonificação → ↑ Energia.

 Fixação → Reter peso.

 Suavisação → Diminui efeitos colaterais.

 Harmonização → Facilita a integração.

 Exemplos: Arroz, malua, manacá, raiz de lótus, erva-doce,


alcaçuz, camomila.

PICANTE – P-IG

 Movimento energético → Centrífugo e de baixo para cima.

 Sudorificação → ↓ temperatura e limpeza.

 Mobilização → Melhora absorção dos alimentos.

 Carminativa → Expulsa gazes.

 Exemplos: Gengibre, hortelã, canela, alho, cebola, cravo.

SALGADO – R-B

 Movimento energético → Para cima e reforça a energia


ancestral.

 Ascenção → ↑ PA e ↑ energia do corpo.

 Tonificação.

 Consolidação → Reforça a força vital (Rins).

 Exemplos: Ostra, peixe marinhos, alga marinha.


287

ÁCIDO – F-VB

 Movimento energético → Transformação de energia.

 Transformação → Modifica sua essência.

 Harmonização.

 Carminativa → Expulsa gases.

 Exemplos: Maracujá, trevo ou azedinha, limão.

AMARGO – C-ID

 Movimento energético → Para baixo e centrípeto.

 Concentrção → Movimento para o centro.

 Eliminação por via baixa → Laxante e diurético.

 Tonificação.

 Exemplos: Hera, macela, quebra-pedra, rúcula, jiló.


288

28. LOCALIZAÇÃO DE PONTOS E ATLAS DE ACUPUNTURA

BAÇO-PÂNCREAS

 BP - 1 ( Yinbai ) Situa-se na margem ungueal medial do hálux.

 BP - 2 ( Dadu ) Situa-se sobre a margem medial do hálux, numa


reentrância localizada distalmente à articulação
metatarsofalangiana, na linha da mudança da coloração da pele,
entre a pele das regiões plantar e dorsal.

 BP - 3 ( Taibai ) Situa-se sobre a margem medial do pé, numa


reentrância localizada, proximal à cabeça do 1º metatarsiano, na
linha da mudança de cor da pele, entre a pele da região plantar
e do dorso do pé.

 BP - 4 ( Gongsun ) Situa-se na face medial do pé, numa


depressão óssea distal à base do 1º metatarsiano, onde acorre
a mudança da cor da pele entre a região plantar e dorsal do pé.

 BP - 5 ( Shangqiu ) O ponto situa-se na intersecção de duas


linhas: trançando-se uma vertical ao longo da margem anterior
do maléolo medial e uma horizontal pela margem inferior do
mesmo.

 BP - 6 ( Sanyinjiao ) Situa-se a três tsun proximal à extremidade


do maléolo medial, na margem distal da tíbia.

 BP - 7 ( Lougu ) Situa-se a três tsun proximal ao BP-6


( Sanyinjiao ), na margem medial da tíbia.

 BP - 8 ( Diji ) Situa-se a cinco tsun distal à interlinha articular do


joelho, sobre a margem medial da tíbia, ou a três tsun distal ao
BP-9 ( Yinlingquan ).

 BP - 9 ( Yinlingquan ) Situa-se numa reentrância óssea que se


encontra sob a margem inferior do côndilo tibial medial e o
músculo gastrocnêmio da perna.
289

 BP - 10 ( Xuehai ) Situa-se numa reentrância muscular, no meio


do músculo vasto medial, localizado a dois tsun proximal à base
da patela. Um modo simples de reconhecer este ponto de
Acupuntura é fletir o joelho do paciente e espalmar com a mão
direita do examinador o joelho esquerdo do paciente: este ponto
de Acupuntura localiza-se no lugar onde se situa a extremidade
do polegar.

 BP - 11 ( Jimen ) Situa-se a seis tsun proximal ao BP-10


( Xuehai ), na face medial do músculo sartório, que se localiza
numa linha que liga o BP-10 ( Xuehai ) à cabeça do fêmur, onde
se palpa a artéria femoral.

 BP - 12 ( Chongmen ) Situa-se na face anterior da articulação


coxofemoral, a três e meio tsun lateral à linha média, onde se
localiza o ponto de Acupuntura VC-2 ( Qugu ).

 BP - 13 ( Fushe ) Situa-se a três e meio tsun lateral ao VC-3


( Zhongji ), sobre a linha horizontal que passa por este ponto de
Acupuntura.

 BP - 14 ( Fujie ) Situa-se na face ântero-lateral do abdome, a


quatro tsun lateral à linha média, numa horizontal que passa
pelo VC-7 ( Yinjiao ).

 BP - 15 ( Daheng ) Situa-se na parede ântero-lateral do abdome,


quatro tsun lateral à cicatriz umbilical, na margem lateral do
músculo reto do abdome.

 BP - 16 ( Fuai ) Situa-se a quatro tsun lateral à linha média, na


horizontal que passa pelo ponto de Acupuntura VC-12
( Zhongwan ), ou se localiza a três tsun proximal ao BP-15
( Daheng ).

 BP - 17 ( Shidou ) Situa-se no 5º espaço intercostal, a seis tsun


da linha média, na horizontal que passa pelo ponto de
Acupuntura VC-16 ( Zhongting ).

 BP - 18 ( Tianxi ) Situa-se numa reentrância muscular do 4º


espaço intercostal, dois tsun lateral ao ponto central do mamilo e
a seis tsun da linha média, pela horizontal que passa pelo ponto
VC-17 ( Shanzhon ).
290

 BP - 19 ( Xiongxiang ) Situa-se no 3º espaço intercostal, a seis


tsun da linha média, na horizontal que passa pelo ponto VC-18
( Yutang ).

 BP - 20 ( Zhourong ) Situa-se na reentrância muscular do 2º


espaço intercostal, a seis tsun da linha média, na horizontal que
passa pelo ponto VC-19 ( Zigong ).

 BP - 21 ( Dabao ) Situa-se na linha axilar média, no 7º espaço


intercostal, a seis tsun abaixo da margem inferior do músculo
peitoral maior.

BAÇO-PÂNCREAS
291
292
293

BEXIGA

 B - 1 ( Jingming ) Situa-se no canto interno do olho, um fen


acima e para fora do epicanto medial do olho.

 B - 2 ( Zanzhu ) Situa-se na extremidade medial da sobrancelha,


onde existe uma pequena reentrância óssea.

 B - 3 ( Neichong ) Situa-se na fronte, um e meio tsun abaixo da


linha de implantação do cabelo, dois tsun acima do B-2 ( Zanzhu
), um e meio tsun lateral à linha média.

 B - 4 ( Quchai ) Situa-se na fronte, no couro cabeludo, a um e


meio tsun lateral à linha média anterior, na altura do VG-24
( Shenting ), e a um tsun acima do B-3 ( Neichong ).

 B - 5 ( Wuchu ) Situa-se a um tsun proximal ao B-4 ( Quchai ),


na horizontal que passa pelo VG-23 ( Sangxing ).

 B - 6 ( Chengguang ) Situa-se a um e meio tsun acima do B-5


( Wuchu ) e a um e meio tsun para fora da linha média.

 B - 7 ( Tongtian ) Situa-se a um tsun para frente e a um e meio


tsun lateralmente ao VG-20 ( Baihui ).

 B - 8 ( Luoque ) Situa-se a um e meio tsun posterior ao B-7


( Tongtian ), no topo da cabeça, e a um e meio tsun lateral à
linha média.

 B - 9 ( Yuzhen ) Situa-se na protuberância occipital externa e a


um e meio tsun lateral à linha média, na altura do VG-17
( Naoshu ).

 B - 10 ( Tianzhu ) Situa-se na nuca, abaixo da protuberância


occipital externa, sobre a borda externa da inserção do músculo
trapézio, e a um e meio tsun para fora do VG-15 ( Yamen ).

 B - 11 ( Dazhu ) Situa-se a um e meio tsun lateral ao processo


espinhoso da 1º vértebra dorsal, onde se localiza o VG-13
( Taodao ).
294

 B - 12 ( Fengmen ) Situa-se a um e meio tsun lateral a margem


inferior do processo espinhoso da 2º vértebra torácica.

 B - 13 ( Feishu ) Situa-se a um e meio tsun para fora da margem


inferior do processo espinhoso da 3º vértebra torácica.

 B - 14 ( Jueyingshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à


margem inferior do processo espinhoso da 4º vértebra torácica.

 B - 15 ( Xinshu ) Situa-se a um e meio tsun para fora da margem


inferior do processo espinhoso da 5º vértebra torácica.

 B - 16 ( Dushu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à margem


inferior do processo espinhoso da 6º vértebra torácica.

 B - 17 ( Geshu ) Situa-se a um e meio tsun à linha média,


horizontalmente à margem inferior do processo espinhoso da 7º
vértebra torácica.

 B - 18 ( Ganshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, horizontalmente à margem inferior do processo
espinhoso da 9º vértebra torácica.

 B - 19 ( Danshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, horizontalmente à margem inferior do processo
espinhoso da 10º vértebra torácica.

 B - 20 ( Pishu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha média,


horizontalmente à margem inferior do processo espinhoso da
11º vértebra torácica.

 B - 21 ( Weishu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha média


na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 12º
vértebra torácica.

 B - 22 ( Sanjiaoshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da
1º vértebra lombar.

 B - 23 ( Shenshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da
2º vértebra lombar.
295

 B - 24 ( Qihaishu ) Situa-se a um e meio tsun à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 3º vértebra
lombar.

 B - 25 ( Dachangshu ) Situa-se a um e meio tsun à linha média,


na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 4º
vértebra lombar.

 B - 26 ( Guanyuanshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da
5º vértebra lombar.

 B - 27 ( Xiaochangshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada pelo primeiro forame do osso
sacro.

 B - 28 ( Pangguangshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à


linha média, na horizontal traçada pelo 2º forame do osso sacro.

 B - 29 ( Zhonglushu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada pelo 3º forame sacro.

 B - 30 ( Baihuanshu ) Situa-se a um e meio tsun lateral à linha


média, na horizontal traçada pelo 4º forame sacro.

 B - 31 ( Shangliao ) Situa-se no 1º forame do osso sacro.

 B - 32 ( Ciliao ) Situa-se no 2º forame do osso sacro.

 B - 33 ( Zhongliao ) Situa-se no 3º forame do osso sacro.

 B - 34 ( Xialiao ) Situa-se no 4º forame do osso sacro.

 B - 35 ( Huiyang ) Situa-se a meio tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada pela ponta do cóccix.

 B - 36 ( Fufen ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal que passa pela margem inferior do processo
espinhoso da 2º vértebra torácica.

 B - 37 ( Pohu ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada pela borda inferior do processo espinhoso da
5º vértebra torácica.
296

 B - 38 ( Gaohuangshu ) Situa-se a três tsun lateral à margem


inferior do processo espinhoso da 4º vértebra torácica.

 B - 39 ( Shentang ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 5º vértebra
torácica.

 B - 40 ( Yixi ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 6º vértebra
torácica.

 B - 41 ( Geguan ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 7º vértebra
torácica.

 B - 42 ( Hunmen ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 9º vértebra
torácica.

 B - 43 ( Yanggang ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 10º vértebra
torácica.

 B - 44 ( Yishe ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 11º vértebra
torácica.

 B - 45 ( Weicang ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 12º vértebra
torácica.

 B - 46 ( Huangmen ) Situa-se a três tsun lateral à linha média,


na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 1º
vértebra lombar.

 B - 47 ( Zhishi ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 2º vértebra
lombar, um e meio tsun lateral ao B-23 ( Shenshu ).

 B - 48 ( Baohuang ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada pelo 2º forame do osso sacro.

 B - 49 ( Zhibian ) Situa-se a três tsun lateral à linha média, na


horizontal traçada abaixo da 4º vértebra sacra.
297

 B - 50 ( Chengfu ) Situa-se no meio da prega glútea.

 B - 51 ( Yinmen ) Situa-se a seis tsun distal ao B-50 ( Chengfu ),


na linha mediana posterior da coxa, e a sete tsun proximal à
prega de flexão do joelho.

 B - 52 ( Fuxi ) Situa-se a um tsun proximal ao B-53 ( Weiyang ).

 B - 53 ( Weiyang ) Situa-se na fossa poplítea, sobre a interlinha


articular do joelho na margem interna do tendão do músculo
bíceps crural, ou a um tsun lateralmente ao B-54 ( Weizhong ).

 B - 54 ( Weizhong ) Situa-se no meio da fossa poplítea, numa


reentrância das partes moles localizada na prega de flexão do
joelho.

 B - 55 ( Heyang ) Situa-se a dois tsun distal ao B-54


( Weizhong ), sobre a vertical que passa pelo meio da fossa
poplítea, ou entre as duas cabeças do músculo gastrocnêmio.

 B - 56 ( Chengjin ) Situa-se a meia distância entre o B-55


( Heyang ) e o B-57 ( Chengshan ), no meio da panturrilha.

 B - 57 ( Chengshan ) Situa-se a meia distância entre o B-54


( Weizhong ) e o B-60 ( Kunlun ).

 B - 58 ( Feiyang ) Situa-se a sete tsun proximal ao maléolo


lateral, sobre a linha vertical que passa pelo B-60 ( Kunlun ), ou
a um tsun distal e lateral ao B-57 ( Chengshan ).

 B - 59 ( Fuyang ) Situa-se a três tsun proximal ao B-60


( Kunlun ), na face lateral do músculo gastrocnêmio.

 B - 60 ( Kunlun ) Situa-se a meia distância entre o maléolo


lateral e o tendão do calcâneo.

 B - 61 ( Pushen ) Situa-se distal ao B-60 ( Kulun ), sobre a face


lateral do câlcaneo, numa reentrância óssea onde ocorre a
mudança de cor da pele, entre a região plantar e a dorsal do pé.

 B - 62 ( Shenmai ) Situa-se a meio tsun distal ao maléolo lateral,


numa reentrância ósssea do calcâneo, na linha onde muda a cor
da pele, entre as regiões plantar e dorsal do pé.
298

 B - 63 ( Jinmen ) Situa-se numa reentrância localizada na


articulação calcaneocubóide, distal e anteriormente ao maléolo
lateral.

 B - 64 ( Jinggu ) Situa-se na margem lateral do pé, atrás da


tuberosidade do 5º metatarsiano, numa reentrância óssea, na
linha onde muda a cor da pele, entre as regiões plantar e dorsal
do pé.

 B - 65 ( Shugu ) Situa-se sobre a face lateral do pé, proximal à


articulação do 5º metatarsofalangiano, numa reentrância óssea,
na linha onde muda a cor da pele, entre as regiões plantar e
dorsal do pé.

 B - 66 ( Zutonggu ) Situa-se distal à articulação do 5º


metatarsofalangiano, na face lateral do pé, numa reentrância
óssea, na linha onde muda a cor da pele, entre as regiões
plantar e dorsal do pé.

 B - 67 ( Zhiyin ) Situa-se na margem ungueal lateral do 5º dedo


do pé.

BEXIGA

BEXIGA
299

CIRCULAÇÃO-SEXUALIDADE
300

 CS - 1 ( Tianchi ) Situa-se a um tsun lateral ao mamilo, no 4º


espaço intercostal.

 CS - 2 ( Tianquan ) Situa-se a dois tsun distal à extremidade


anterior da prega axilar, entre os músculos bíceps e
braquiorradial.

 CS - 3 ( Quze ) Situa-se no meio da prega anterior do cotovelo,


sobre a margem ulnar do tendão do músculo bíceps braquial.

 CS - 4 ( Ximen ) Situa-se a cinco tsun proximal à prega de flexão


do punho, no meio da face anterior, entre os dois tendões dos
músculos palmar longo e flexor radial do carpo.

 CS - 5 ( Jianshi ) Situa-se três tsun proximal à prega do punho,


no meio da face anterior do antebraço, entre os tendões dos
músculos palmar longo e flexor radial do carpo, ou a um tsun
proximal ao CS-6 ( Neiguan ).

 CS - 6 ( Neiguan ) Situa-se a dois tsun proximal à prega de


flexão do punho, no meio da face anterior do antebraço, entre os
tendões dos músculos palmar longo e flexor radial do carpo.

 CS - 7 ( Daling ) Situa-se no meio da prega transversal do


punho, entre os tendões dos músculos palmar longo e flexor
radial do carpo.

 CS - 8 ( Laogong ) Situa-se na palma da mão, no meio da prega


horizontal média, entre os 3º e 4º dedos, estando os mesmos
fletidos.

 CS - 9 ( Zhongchong ) Situa-se na margem ungueal radial do


dedo médio da mão.
301

CIRCULAÇÃO - SEXUALIDADE
302

CORAÇÃO
303

 C - 1 ( Jiquan ) Situa-se no centro do cavo axilar, sobre a


margem medial da artéria axilar.

 C - 2 ( Qingling ) Situa-se a três tsun proximal à prega do


cotovelo, no sulco formado pelos músculos bíceps braquial e
braquial radial.

 C - 3 ( Shaohai ) Situa-se numa reentrância muscular localizada


a meia distância entre a epitróclea do úmero e a extremidade
medial da prega do cotovelo.

 C - 4 ( Lingdao ) Situa-se a um e meio tsun proximal à prega de


flexão do punho, sobre a artéria cubital e sobre a margem radial
do tendão do músculo flexor ulnar do carpo, proximal ao osso
pisiforme.

 C - 5 ( Tongli ) Situa-se na face cubital do punho, na margem


lateral do tendão do músculo flexor ulnar do carpo, a um tsun
proximal à prega de flexão do punho.

 C - 6 ( Yinxi ) Situa-se um e meio tsun proximal à prega de


flexão do punho, sobre a margem radial do tendão do músculo
flexor ulnar do carpo.

 C - 7 ( Shenmen ) Situa-se na prega de flexão ventral do punho,


sobre a margem posterior do osso pisiforme e sobre a margem
radial do tendão do músculo flexor ulnar do carpo.

 C - 8 ( Shaofu ) Situa-se na palma da mão, entre o 4º e o 5º


metacarpianos, onde o dedo anular toca a palma da mão
quando os dedos da mão são fletidos.

 C - 9 ( Shaochong ) Situa-se na margem ungueal radial do 5º


dedo da mão.
304

CORAÇÃO
305

ESTÔMAGO
306

 E - 1 ( Chengqi ) Situa-se entre o globo ocular e o meio da crista


inferior da cavidade orbitária.

 E - 2 ( Sibai ) Situa-se a três décimos de tsun ou a três fen distal


ao E-1 ( Chengqi ), numa depressão óssea infra-orbitária.

 E - 3 ( Juliao ) Situa-se abaixo do E-2 ( Sibai ), lateral ao sulco


nasolabial, no cruzamento da linha horizontal que passa pela
margem inferior da narina com a linha vertical traçada ao nível
da pupila.

 E - 4 ( Dicang ) Situa-se a quatro décimos de tsun ou a quatro


fen lateral ao canto da boca, na linha perpendicular da pupila.

 E - 5 ( Daying ) Situa-se medialmente ao músculo masseter,


onde se palpa a artéria mentoneira.

 E - 6 ( Jiache ) Situa-se a um tsun distal à orelha, sobre a


saliência do músculo masseter, perto do ângulo da mandíbula
onde se encontra uma pequena reentrância.

 E - 7 ( Xiaguan ) Situa-se distalmente ao osso zigomático, numa


reentrância que se forma quando se fecha a boca, na incisura
da mandíbula.

 E - 8 ( Touwei ) Situa-se ao nível do ângulo frontal, a quatro tsun


lateral ao VG-24 ( Shenting ).

 E - 9 ( Renying ) Situa-se na região ântero-lateral do pescoço,


na margem medial do músculo esternocleidomastóideo, sobre a
artéria carótica, a meio tsun do VC-23 ( Lianquan ), na altura da
cartilagem tireóidea.

 E - 10 ( Shuitu ) Situa-se sobre a margem medial do músculo


esternocleidomastóideo, levemente distal à cartilagem tireóidea,
ou situa-se a meia distância entre o E-9 ( Renying ) e o E-11
( Qishe ).

 E - 11 ( Qishe ) Situa-se na base do pescoço, ao nível da


articulação esternoclavicular, numa pequena reentrância,
perpendicularmente ao E-9 ( Renying ).
307

 E - 12 ( Quepen ) Situa-se numa depressão na margem superior


da clavícula, um tsun para fora do E-11 ( Qishe ).

 E - 13 ( Qihu ) Situa-se na margem superior da 1º costela, sobre


a linha traçada entre o E-12 ( Quepen ) e o mamilo, na 1º
costela, ou na linha horizontal do VC-21 ( Xuanji ).

 E - 14 ( Kufang ) Situa-se no tórax, no 1º espaço intercostal,


numa reentrância sobre a margem superior da 2º costela, ou
sobre o cruzamento da linha que passa entre o E-12 ( Quepen )
e o mamilo com a linha horizontal que passa pela VC-20
( Huagai ).

 E - 15 ( Wuyi ) Situa-se no tórax, no 2º espaço intercostal, sobre


a margem superior da 3º costela, sobre o cruzamento da linha
que passa do E-12 ( Quepen ) ao mamilo com a horizontal que
passa pelo VC-19 ( Zigong ).

 E - 16 ( Yingchuang ) Situa-se no 3º espaço intercostal, sobre a


margem superior da 4º costela, sobre o cruzamento da linha que
passa entre o E-12 ( Quepen ) e o mamilo com a linha horizontal
que passa pelo VC-18 ( Yutang ).

 E - 17 ( Ruzhong ) Situa-se no centro do mamilo, no 4º espaço


intercostal. Não se pode usar agulha, nem moxa.

 E - 18 ( Rugen ) Situa-se no 5º espaço intercostal, sobre a


margem superior da 5º costela e sobre a vertical que passa pelo
mamilo.

 E - 19 ( Burong ) Situa-se no tórax, no ângulo formado pela


reunião da 7º e 8º cartilagens costais, na linha horizontal que
passa pelo processo xifóide do esterno, a dois tsun do VC-14
( Juque ).

 E - 20 ( Chengman ) Situa-se a cinco tsun acima da cicatriz


umbilical a dois tsun lateral à linha mediana, sobre a linha
horizontal que passa pelo VC-13 ( Shangwan ).

 E - 21 ( Liangmen ) Situa-se a quatro tsun para cima da cicatriz


umbilical e dois tsun lateral ao VC-12 ( Zhongwan ).
308

 E - 22 ( Guanmen ) Situa-se a três tsun proximal à cicatriz


umbilical, sobre a linha horizontal que passa pelo VC-11
( Jianli ), a dois tsun lateral a este ponto de Acupuntura.

 E - 23 ( Taiyi ) Situa-se a dois tsun proximal à cicatriz umbilical e


sobre a linha horizontal que passa pelo VC-10 ( Xiawan ), a dois
tsun lateral a este ponto de Acupuntura.

 E - 24 ( Huaroumen ) Situa-se a um tsun proximal à cicatriz


umbilical, sobre a linha horizontal que passa pelo VC-9 ( Shuifen
), a dois tsun lateral a este ponto.

 E - 25 ( Tianshu ) Situa-se sobre a linha horizontal que passa


pela cicatriz umbilical, a dois tsun lateral à cicatriz umbilical.

 E - 26 ( Wailing ) Situa-se a um tsun distal ao E-25 ( Tianshu ) ou


na linha horizontal que passa pelo VC-7 ( Yinjiao ), a dois tsun
lateralmente.

 E - 27 ( Daju ) Situa-se a dois tsun distal a cicatriz umbilical,


sobre a linha horizontal que passa pelo VC-5 ( Shimen ), a dois
tsun lateralmente.

 E - 28 ( Shuidao ) Situa-se a três tsun distal à cicatriz umbilical e


a dois tsun lateral à linha média sobre a linha horizontal que
passa pelo VC-4 ( Guanyuan ).

 E - 29 ( Guilai ) Situa-se a um tsun distal ao E-28 ( Shuidao ) ou


sobre a linha horizontal que passa pelo VC-3 ( Zhongji ), a dois
tsun lateralmente a este ponto.

 E - 30 ( Qichong ) Situa-se a um tsun distal ao E-29 ( Guilai ), ou a


dois tsun lateral sobre a linha horizontal que passa pelo VC-2
( Qugu ).

 E - 31 ( Biguan ) Situa-se no ponto de encontro entre a


perpendicular traçada a partir da espinha ilíaca ântero-superior e a
horizontal que passa sobre a margem inferior da sínfise púbica.

 E - 32 ( Futu ) Situa-se a seis tsun proximal à base da patela ou na


extremidade do dedo médio, quando se espalma a rótula,
colocando o meio da prega do punho sobre o meio do joelho, com
os dedos juntos.
309

 E - 33 ( Yinshi ) Situa-se numa depressão a três tsun do ângulo


lateral da base da patela, entre os músculos retofemoral e vasto
lateral.

 E - 34 ( Liangqiu ) Situa-se a dois tsun proximal à vertical que


passa no ângulo lateral da base da patela.

 E - 35 ( Dubai ) Com o joelho fletido, o ponto situa-se numa


depressão lateral ao ápice da patela, ao lado do ligamento
rotuliano.

 E - 36 ( Zusanli ) Situa-se a três tsun distal ao E-35 ( Dubai ) e a


um tsun lateral à margem anterior da tíbia, entre os músculos tibial
anterior e extensor comum dos dedos.

 E - 37 ( Shangjuxu ) Situa-se a seis tsun distal ao E-35 ( Dubai ) ou


a três tsun distal ao E-36 ( Zusanli ), sobre a mesma vertical.

 E - 38 ( Tiaokou ) Situa-se a dois tsun distal ao E-37 ( Shangjuxu ).

 E - 39 ( Xiajuxu ) Situa-se a seis tesun distal ao E-36 ( Zusanli )

 E - 40 ( Fenglong ) Situa-se a oito tsun distal à interlinha do joelho


e a um tsun lateral ao do E-38 ( Tiaokou ). Este ponto situa-se a
meia distância entre a interlinha do tornozelo e do joelho.

 E - 41 ( Jiexi ) Situa-se na prega dorsal transversal do tornozelo,


entre o tendão extensor comum dos dedos e o tendão extensor
próprio do hálux.

 E - 42 ( Chongyang ) Situa-se a um e meio tsun distal ao E-41


( Jiexi ), sobre o ponto mais alto do dorso do pé, onde se palpa a
artéria pediosa.

 E - 43 ( Xiangu ) Situa-se numa reentrância que se acha entre a


junção dos 2º e 3º metatarsianos.

 E - 44 ( Neiting ) Situa-se numa reentrância entre as cabeças dos


2º e 3º metacarpianos.

 E - 45 ( Lidui ) Situa-se na margem ungueal lateral do 2º dedo do


pé.
310

ESTÔMAGO
311
312

FÍGADO

 F - 1 ( Dadun ) Situa-se na margem ungueal lateral do hálux.

 F - 2 ( Xingjian ) Situa-se no dorso do pé, no espaço localizado


entre as cabeças dos 1º e 2º metatarsianos.

 F - 3 ( Taichong ) Situa-se no dorso do pé, no espaço interósseo


entre o 1º e o 2º metatarsianos e a um e meio tsun posterior ao F-2
( Xingjian ).

 F - 4 ( Zhongfeng ) Situa-se no dorso do pé, a um tsun lateral ao


maléolo medial, numa reentrância interóssea um pouco abaixo da
interlinha articular do tornozelo, entre a margem lateral do tendão
do músculo tibial anterior e a margem medial do músculo extensor
próprio do hálux, ou a meia distância entre o E-41 ( Jiexi ) e o BP-5
( Shangqiu ).

 F - 5 ( Ligou ) Situa-se na face medial da perna, a cinco tsun


proximal ao maléolo medial, na margem medial da tíbia.

 F - 6 ( Zhongdu ) Situa-se na face medial da perna. a sete tsun


acima do ponto mais saliente do maléolo medial, sobre a margem
medial da tíbia, ou a dois tsun proximal ao F-5 ( Ligou ).

 F - 7 ( Xiquan ) Situa-se na face medial do joelho, sobre a margem


pôstero-inferior da tuberosidade interna da tíbia, a um tsun
posterior do BP-9 ( Yinlingquan ).

 F - 8 ( Ququan ) Situa-se na face medial do joelho, na extremidade


interna da prega do joelho, numa reentrância intermuscular entre
os músculos gracil e sartório. Para localizar o ponto, deve-se fletir
o joelho e abduzir o membro inferior.

 F - 9 ( Yinbao ) Situa-se na face medial da coxa, a quatro tsun


proximal ao côndilo medial do fêmur, entre os músculos vasto
medial e sartório, ou a cinco tsun proximal à prega de flexão do
joelho, na face medial, ou a quatro tsun proximal ao ponto F-8
( Ququan ).

 F - 10 ( Zuwuli ) Situa-se na face ântero-medial da coxa, um tsun


distal ao F-11 ( Yinlian ), ou a três tsun distal ao E-30 ( Qichong ).

 F - 11 ( Yinlian ) Situa-se na face anterior do quadril, um tsun


abaixo da borda externa da artéria femoral, na prega femoral,
313

quando o paciente está em decúbito horizontal, ou a dois tsun para


baixo do ponto E-30 ( Qichong ).

 F - 12 ( Jimai ) Situa-se na região inguinal, a dois e meio tsun


lateral e a um tsun distal à sínfise púbica, ou a dois e meio tsun
lateral à raiz do pênis.

 F - 13 ( Zhangmen ) Situa-se na parede abdominal, na


extremidade livre da 11º costela. Com o paciente em decúbito
lateral, braço estendido e cotovelo fletido em 90 graus, o ponto
situa-se na altura do olécrano.

 F - 14 ( Qimen ) Situa-se no tórax, no 6º espaço intercostal e na


linha vertical traçada do mamilo, ou no cruzamento da linha
horizontal que passa pelo VC-14 ( Juque ) com a vertical traçada
do mamilo, a seis tsun lateral à da linha média.

FÍGADO
314
315

INTESTINO DELGADO

 ID - 1 ( Shaoze ) Situa-se na margem ungueal ulnar do 5º dedo


da mão.

 ID - 2 ( Qiangu ) Situa-se numa reentrância interóssea localizada


na face ulnar da mão, distal à articulação metacarpofalangiana
do 5º dedo. Fechando-se a mão, o ponto localiza-se na
extremidade da prega distal da articulação metacarpofalangiana,
onde ocorre a mudança da cor da pele.

 ID - 3 ( Houxi ) Situa-se na extremidade da prega da flexão


ventral, próximo à articulação metacarpofalangiana, quando se
fecha a mão, e onde ocorre a mudança de cor da pele entre a
região palmar e dorsal da mão.

 ID - 4 ( Wangu ) Situa-se na reentrância interóssea formada pela


base do 5º metacarpo e osso hamato.

 ID - 5 ( Yanggu ) Situa-se na face ulnar do punho, numa


reentrância interóssea localizada entre o processo estilóide da
ulna e o osso pisiforme.

 ID - 6 ( Yanglao ) Para determinar o ponto, deve-se fletir o


cotovelo e a mão; o ponto encontra-se no sulco formado pela
margem radial do osso ulna, um tsun proximal ao processo
estilóide da ulna.

 ID - 7 ( Zhizheng ) Situa-se na margem posterior da ulna, cinco


tsun proximal ao ID-6 ( Yanglao ), sobre a linha que une este
ponto ao ID-8 ( Xiaohai ).

 ID - 8 ( Xiaohai ) Situa-se numa reentrância óssea localizada na


face posteromedial do cotovelo, na incisura do nervo cubital, e a
meia distância entre o olécrano e a epitróclea do úmero.

 ID - 9 ( Jianzhen ) Com o braço estendido ao longo do corpo, o


ponto situa-se na parte posterior do ombro, a um tsun cranial à
prega axilar posterior.
316

 ID - 10 ( Naoshu ) Com o braço estendido ao longo do corpo, o


ponto situa-se na margem inferior da espinha da escápula, na
vertical que passa pela prega axilar posterior.

 ID - 11 ( Tianzong ) Situa-se no centro da fossa infra-espinhosa


da escápula, formando um triângulo isósceles com o ID-9
( Jianzhen ) e o ID-10 ( Naoshu ).

 ID - 12 ( Bingfeng ) Situa-se no centro da fossa supra-


espinhosa, onde se forma uma depressão quando se eleva o
braço; diretamente acima ao ID-11 ( Tianzong ).

 ID - 13 ( Quyuan ) Situa-se na extremidade interna da fossa


supra-espinhosa, a meia distância entre o ID-10 ( Naoshu ) e o
processo espinhoso da 2º vértebra dorsal.

 ID - 14 ( Jianwaishu ) Situa-se na junção da linha traçada pela


margem medial da escápula e a três tsun da horizontal que
passa pelo processo espinhoso da 1º vértebra dorsal.

 ID - 15 ( Jianzhongshu ) Situa-se a dois tsun lateral ao processo


espinhoso da 7º vértebra cervical, onde se localiza o VG-14
( Dazhui ).

 ID - 16 ( Tianchuang ) Situa-se sobre a margem lateral do


músculo esternocleidomastóideo, na altura do ângulo da
mandíbula, a dois tsun caudal à orelha e sobre a horizontal que
passa pelo VC-23 ( Lianquan ).

 ID - 17 ( Tianrong ) Situa-se logo abaixo do ângulo da


mandíbula, na margem medial do músculo
esternocleidomastóideo.

 ID - 18 ( Quanliao ) Situa-se na vertical que passa pelo canto


externo do olho, numa reentrância muscular da margem inferior
do arco do osso zigomático.

 ID - 19 ( Tinggong ) Situa-se numa depressão anatômica que se


localiza na região anterior ao trago da orelha e que se forma
quando se abre a boca.
317

INTESTINO DELGADO
318
319

INTESTINO GROSSO

 IG - 1 ( Shangyang ) Situa-se na margem ungueal radial do dedo


indicador.

 IG - 2 ( Erjian ) Situa-se numa concavidade distal à articulação


metacarpofalangiana, na margem radial; fechar a mão para
localizar. Situa-se no prolongamento da dobra de flexão
metacarpofalangiana.

 IG - 3 ( Sanjian ) Situa-se na margem radial do indicador, numa


reentrância proximal à articulação metacarpofalangiana; fechar a
mão para localizar. O ponto situa-se no prolongamento da dobra
da flexão proximal da articulação metacarpofalangiana.

 IG - 4 ( Hegu ) Situa-se na metade do 2º metacarpo, entre o 1º e


o 2º ossos metacarpianos, ou sobre a saliência muscular,
quando se faz a adução do polegar.

 IG - 5 ( Yangxi ) Situa-se numa reentrância no fundo da


tabaqueira anatômica, na prega dorsal do punho.

 IG - 6 ( Pianli ) Situa-se na margem posterolateral do antebraço,


a três tsun da prega dorsal do punho, sobre uma linha traçada
entre o IG-5 ( Yangxi ) e o IG-11 ( Quchi ), no cotovelo.

 IG - 7 ( Wenliu ) Situa-se a dois tsun proximal ao IG-6 ( Pianli ),


na linha traçada entre o IG-5 ( Yangxi ) e o IG-11 ( Quchi ).

 IG - 8 ( Xialian ) Situa-se a quatro tsun distal ao IG-11 ( Quchi ),


na linha traçada entre o IG-5 ( Yangxi ) e o IG-11 ( Quchi ).

 IG - 9 ( Shanglian ) Situa-se a três tsun distal ao IG-11 ( Quchi ),


na linha traçada entre o IG-5 ( Yangxi ) e o IG-11 ( Quchi ).

 IG - 10 ( Shousanli ) Situa-se a dois tsun distal ao IG-11


( Quchi ), na linha traçada entre o IG-5 ( Yangxi ) e o IG-11
( Quchi ).

 IG - 11 ( Quchi ) Situa-se numa reentrância na extremidade


externa da prega de flexão do cotovelo, ou a meia distância
entre o P-5 ( Chize ) e o epicôndilo lateral, com cotovelo em
320

flexão de 90 graus. A agulha deve ser direcionada para o


epicôndilo medial.

 IG - 12 ( Zhouliao ) Situa-se proximal ao epicôndilo lateral, sobre


a margem radial do úmero

 IG - 13 ( Wuli ) Situa-se sobre a margem ântero-lateral do


úmero, a três tsun proximal à prega do cotovelo

 IG - 14 ( Binao ) Situa-se na extremidade inferior do músculo


deltóide.

 IG - 15 ( Jiangu ) Situa-se numa reentrância da articulação


acromioclavicular quando se abduz o braço. O ponto está
situado a um tsun para fora do acrômio.

 IG - 16 ( Jugu ) Situa-se numa reentrância entre a articulação


acromioclavicular e a espinha da escápula.

 IG - 17 ( Tianding ) Situa-se na região ântero-lateral do pescoço,


sobre a margem posterior do músculo esternocleidomastóideo,
sobre a linha horizontal, passando pela margem inferior da
cartilagem tireóidea e a três tsun da mesma, quando a cabeça
está em extensão e em rotação lateral.

 IG - 18 ( Futu ) Situa-se a três tsun lateral à margem superior da


cartilagem tireóidea e na margem posterior do músculo
esternocleidomastóideo, lateralmente ao E-9 ( Renyin ).

 IG - 19 ( Heliao ) Situa-se a meio tsun lateral ao ponto de


Acupuntura VG-26 ( Renzhong ), situado no filtrum nasal.

 IG - 20 ( Yingxiang ) Situa-se entre o sulco nasolabial e a meio


tsun da asa do nariz.
321

INTESTINO GROSSO
322
323

PULMÃO

 P - 1 ( Zhongfu ) Situa-se na regiao antero lateral do torax, na


parte externa da 2a costela, a 6 tsun da linha media.

 P - 2 ( Yunmen ) Situa-se na concavidade subclavicular, onde se


palpa a artéria subclávia.

 P - 3 ( Tianfu ) Situa-se na face ântero-lateral do braço, na


margem radial do bíceps braquial, a três tsun distal à prega
axilar e a seis tsun proximal à prega do cotovelo.

 P - 4 ( Xiabaí ) Situa-se a um tsun distal do P-3 ( Tianfu ).

 P - 5 ( Chize ) Situa-se numa depressão do lado externo do


tendão do músculo bíceps braquial, ao nível da prega do
cotovelo, estando o mesmo estendido.

 P - 6 ( Kongzui ) Situa-se a três tsun distal ao P-5 ( Chize ), na


linha que une este ponto ao P-7 ( Lieque ), ou a sete tsun
proximal à prega do punho.

 P - 7 ( Lieque ) Situa-se a um e meio tsun proximal à prega do


punho, lateralmente à artéria radial.

 P - 8 ( Jingqu ) Situa-se a um tsun proximal à prega do punho,


na goteira radial, onde se palpa o pulso, lateralmente à artéria
radial.

 P - 9 ( Taiyuan ) Situa-se na face anterior do punho, na prega da


flexão mais distal do punho e na margem lateral da artéria radial.

 P - 10 ( Yuji ) Situa-se na margem lateral da eminência tenar da


mão, no meio do 1º metacarpiano, na linha onde existe a
mudança de cor da pele da palma e do dorso da mão.

 P - 11 ( Shaoshang ) Situa-se na margem ungueal radial do


polegar.
324

PULMÃO
325

RIM
326

 R - 1 ( Yongquan ) Situa-se no meio da planta do pé, na altura


correspondente à articulação metatarsofalangiana dos 2º e 3º
dedos do pé.

 R - 2 ( Rangu ) Situa-se em frente e abaixo do maléolo interno,


numa reentrância intra-articular entre a borda inferior dos ossos
escafóide e cuneiforme medial.

 R - 3 ( Taixi ) Situa-se a meia distância entre a parte mais


saliente do maléolo interno e o tendão do calcâneo, no local
onde se percebe o batimento da artéria tibial posterior.

 R - 4 ( Dazhong ) Situa-se atrás e distal ao maléolo medial,


numa reentrância formada na inserção do tendão calcâneo no
osso calcâneo, ou a meio tsun distal e posterior ao ponto R-3
( Taixi ).

 R - 5 ( Shuiquan ) Situa-se a um tsun distal ao R-3 ( Taixi ),


numa reentrância óssea localizada proximal à face interna da
tuberosidade do osso calcâneo.

 R - 6 ( Zhaohai ) Situa-se numa reentrância óssea localizada um


tsun distal à margem inferior do maléolo medial.

 R - 7 ( Fuliu ) Situa-se a dois tsun proximal ao R-3 ( Taixi ).

 R - 8 ( Jiaoxin ) Situa-se a dois tsun proximal ao R-3 ( Taixi ),


atrás da margem medial da tíbia, a meio tsun anterior do R-7
( Fuliu ) e a um tsun distal ao BP-6 ( Sanyinjiao ).

 R - 9 ( Zhubin ) Situa-se a cinco tsun proximal ao R-3 ( Taixi ) e a


um tsun lateral à margem medial da tíbia.

 R - 10 ( Yingu ) Situa-se na margem medial da fossa poplítea, na


interlinha articular medial localizada entre os tendões dos
músculos semitendíneo e semimembranáceo.

 R - 11 ( Henggu ) Situa-se no abdome inferior, sobre a margem


superior do púbis e a meio tsun lateral à linha média, na
horizontal traçada pelo VC-2 ( Qugu ).
327

 R - 12 ( Dahe ) Situa-se um tsun proximal ao R-11 ( Henggu ) e


a meio tsun lateral ao ponto VC-3 ( Zhongji ).

 R - 13 ( Qixue ) Situa-se a dois tsun proximal ao R-11 ( Henggu )


e a meio tsun lateral ao ponto VC-4 ( Guanyuan ).

 R - 14 ( Siaman ) Situa-se a três tsun proximal ao R-11 ( Henggu


) e a meio tsun lateral ao ponto VC-5 ( Shimen ).

 R - 15 ( Zhongzhu ) Situa-se um tsun distal à cicatriz umbilical e


a meio tsun lateral ao VC-7 ( Yinjiao ).

 R - 16 ( Huangshu ) Situa-se meio tsun lateral à cicatriz


umbilical.

 R - 17 ( Shanggu ) Situa-se a dois tsun proximal ao R-16


( Huangshu ) e a meio tsun lateral ao VC-10 ( Xiawan ).

 R - 18 ( Shiguan ) Situa-se a três tsun proximal ao R-16


( Huangshu ) e a meio tsun lateral ao VC-11 ( Jianli ).

 R - 19 ( Yindu ) Situa-se meio tsun distal ao VC-12 ( Zhongwan )


e a quatro tsun proximal ao ponto R-16 ( Huangshu ).

 R - 20 ( Futonggu ) Situa-se a cinco tsun proximal ao R-16


( Huangshu ) e a meio tsun lateral ao ponto VC-13
( Shangwan ).

 R - 21 ( Youmen ) Situa-se a seis tsun proximal ao R-16


( Huangshu ) e a meio tsun lateral ao VC-14 ( Juque ).

 R - 22 ( Bulang ) Situa-se no 5º espaço intercostal, a dois tsun


lateral à linha média, na horizontal traçada pelo ponto VC-16
( Zhongting ).

 R - 23 ( Shenfeng ) Situa-se no 4º espaço intercostal, a dois tsun


lateral à linha média, na horizontal traçada pelo ponto VC-17
( Shanzhong ).

 R - 24 ( Lingxu ) Situa-se no 3º espaço intercostal, dois tsun


lateral à linha média, na horizontal traçada pelo ponto VC-18
( Yutang ).
328

 R - 25 ( Shencang ) Situa-se no 2º espaço intercostal, dois tsun


lateral à linha média, na horizontal traçada pelo ponto VC-19
( Zigong ).

 R - 26 ( Yuzhong ) Situa-se no 1º espaço intercostal, dois tsun


lateral à linha média, na horizontal traçada pelo ponto VC-20
( Huagai ).

 R - 27 ( Shufu ) Situa-se numa depressão entre a primeira


costela e a margem inferior da clávicula, dois tsun lateral à linha
média, na altura do VC-21 ( Xuanji ).

RIM
329
330
331

TRIPLO-REAQUECEDOR

 TR - 1 ( Guanchong ) Situa-se na margem ungueal ulnar do 4º


dedo da mão.

 TR - 2 ( Yemen ) Situa-se na face dorsal da mão, entre as


cabeças dos 4º e 5º metacarpianos.

 TR - 3 ( Zhongzhu ) Situa-se no dorso da mão, numa depressão


de partes moles localizada entre os 4º e 5º metacarpianos.

 TR - 4 ( Yangchi ) Situa-se na face dorsal do punho, numa


reentrância que se localiza no meio da prega dorsal do punho,
entre os tendões do músculo extensor próprio do 5º dedo e do
extensor comum dos dedos.

 TR - 5 ( Waiguan ) Situa-se a dois tsun acima da prega dorsal do


punho, entre os ossos rádio e ulna. Exatamente oposto ao CS-6
( Neiguan ).

 TR - 6 ( Zhigou ) Situa-se na face dorsal do antebraço, um tsun


proximal ao TA-5 ( Waiguan ), três tsun proximal à prega dorsal
do punho, entre os ossos rádio e ulna.

 TR - 7 ( Huizong ) Situa-se na face dorsal do antebraço, a um


tsun lateral ao TA-6 ( Zhigou ).

 TR - 8 ( Sanyangluo ) Situa-se um tsun proximal ao TA-6


( Zhigou ), na face dorsal do antebraço, entre os ossos rádio e
ulna.

 TR - 9 ( Sidu ) Situa-se cinco tsun distal ao olécrano, na face


dorsal do antebraço, entre os ossos rádio e ulna.

 TR - 10 ( Tianjing ) Situa-se a um tsun proximal ao olécrano, no


meio do tendão do músculo tríceps braquial. Fletir o cotovelo
para localizar o ponto.

 TR - 11 ( Qinglengyuan ) Situa-se no tendão do músculo tríceps


braquial, a um tsun proximal ao TA-10 ( Tianjing ).
332

 TR - 12 ( Xiaoluo ) Situa-se no músculo tríceps braquial, a três


tsun do TA-11 ( Qinglengyuan ), ou a cinco tsun proximal ao
olécrano.

 TR - 13 ( Naohui ) Situa-se na margem posterior do músculo


deltóide e três tsun distal ao TA-14 ( Jianliao ).

 TR - 14 ( Jianliao ) Posicionando-se o braço em abdução, forma-


se uma depressão entre o acrônio e a tuberosidade maior do
úmero. O ponto situa-se nesta depressão interóssea.

 TR - 15 ( Tianliao ) Situa-se no ombro, a quatro tsun da linha


média posterior da coluna, na linha horizontal traçada pelo ponto
VG-13 ( Taodao ), situado abaixo da 1º vértebra dorsal, ou a um
tsun lateral ao ID-14 ( Jianwaishi ). Os três pontos, VG-13
( Taodao ), ID-14 ( Jianwaishi ) e TA-15 ( Tianliao ), encontram-
se na mesma linha horizontal.

 TR - 16 ( Tianyou ) Situa-se na face interna do pescoço, um tsun


distal ao VB-20 ( Fengchi ), ou abaixo e atrás do processo
mastóideo, na margem posterior do músculo
esternocleidomastóideo, onde se inseri no osso.

 TR - 17 ( Yifeng ) Situa-se atrás do lóbulo da orelha, numa


depressão interóssea localizada antes do processo mastóideo.

 TR - 18 ( Qimai ) Situa-se atrás do pavilhão da orelha, um tsun


proximal ao TA-17 ( Yifeng ).

 TR - 19 ( Luxi ) Situa-se atrás do pavilhão auricular, um tsun


proximal ao TA-18 ( Qimai ).

 TR - 20 ( Jiaosun ) Situa-se na face lateral do crânio, numa


pequena depressão óssea, na altura onde se localiza a
extremidade superior da orelha.

 TR - 21 ( Ermen ) O ponto situa-se na parte superior da


cavidade interóssea localizada antes do trago e acima do
côndilo mandibular, quando se abre a boca, ou a cinco fen
acima do ID-19 ( Tinggong ).

 TR - 22 ( Heliao ) Situa-se acima a para frente do ponto TA-21


( Ermen ), na horizontal traçada a partir da raiz superior do
pavilhão auricular, atrás da artéria temporal superficial.
333

 TR - 23 ( Sizhukong ) Situa-se na extremidade externa da


sobrancelha, numa depressão óssea.

TRIPLO-REAQUECEDOR
334
335

VESÍCULA BILIAR

 VB - 1 ( Tongziliao ) Situa-se meio tsun lateral ao canto externo


do olho; fechar os olhos do paciente para localizar o ponto.

 VB - 2 ( Tinghui ) Situa-se numa depressão interóssea que se


forma quando se abre a boca, adiante e para baixo do trágus, ou
a meio tsun para baixo do ponto ID-9 ( Tinggong ).

 VB - 3 ( Shangguan ) Situa-se na região pré-auricular, acima da


margem superior da arcada zigomática e acima do ponto E-7
( Xiaguan ).

 VB - 4 ( Hanyan ) Situa-se na face lateral do crânio, a um tsun


abaixo do E-8 ( Touwei ), na linha dos cabelos, sobre a sutura
frontoparietal, ou a 1/4 tsun entre o E-8 ( Touwei ) e o VB-7
( Qubin ).

 VB - 5 ( Xuanlu ) Situa-se no meio da região temporal, a meio


tsun para baixo do VB-4 ( Hanyan ) ou a meia distância entre os
pontos de Acupuntura E-8 ( Touwei ) e VB-7 ( Qubin ).

 VB - 6 ( Xuanli ) Situa-se a meio tsun lateral ao ponto VB-5


( Xuanlu ), ou a sete fen abaixo do ponto E-8 ( Touwei ), em
direção ao ponto VB-7 ( Qubin ).

 VB - 7 ( Qubin ) Situa-se na região pré-auricular, no cruzamento


da linha horizontal que passa pelo vértice da orelha e a vertical
que passa pela região anterior da inserção da orelha.

 VB - 8 ( Shuaigu ) Pressionando-se a orelha sobre o crânio, o


ponto situa-se a um e meio tsun acima do vértice da orelha.

 VB - 9 ( Tianchong ) Situa-se a meio tsun posterior do ponto VB-


8 ( Shuaigu ), acima e atrás do pavilhão auricular, a dois tsun
para cima da linha de inserção dos cabelos.

 VB - 10 ( Fubai ) Situa-se a um tsun para baixo do VB-9


( Tianchong ), na horizontal traçada pela raiz superior da orelha.

 VB - 11 ( Qiaoyin ) Situa-se a um tsun para baixo do ponto VB-


10 ( Fubai ) ou se localiza a meia distância entre o VB-10 ( Fubai
) e o VB-12 ( Wangu ); na base do processo mastóideo.
336

 VB - 12 ( Wangu ) Situa-se numa reentrância óssea localizada


atrás e abaixo do processo mastóideo. Fletir o pescoço para a
sua determinação.

 VB - 13 ( Benshen ) Situa-se na região frontal, a três tsun da


linha média, na horizontal que passa pelo ponto VG-24
( Shenting ) e que corresponde à linha de inserção dos cabelos.

 VB - 14 ( Yangbai ) Situa-se na região frontal, a um tsun acima


do meio da sobrancelha.

 VB - 15 ( Linqi ) Situa-se na região parietal, três e meio tsun


lateral à linha média, na horizontal que passa pelo ponto VG-23
( Shangxing ), ou se localiza a meia distância entre o VG-24
( Shenting ) e o E-8 ( Touwei ).

 VB - 16 ( Muchuang ) Situa-se na região parietal, a um tsun,


posteriormente, do ponto VB-15 ( Linqi ) e a três e meio tsun
lateral à linha média do crânio.

 VB - 17 ( Zhengying ) Situa-se na região parietal, a um tsun,


posteriormente, do ponto VB-16 ( Muchuang ) e a três e meio
tsun lateral à linha média do crânio.

 VB - 18 ( Chengling ) Situa-se na região parietal, a um e meio


tsun, posteriormente, do ponto VB-17 ( Zhengying ) e a três e
meio tsun lateral à linha média do crânio.

 VB - 19 ( Naokong ) Situa-se na região occipital, a um e meio


tsun acima do ponto VB-20 ( Fengchi ) e a três e meio tsun
lateral à linha média do crânio, sobre o lado externo da
tuberosidade do osso occipital.

 VB - 20 ( Fengchi ) Situa-se numa reentrância óssea localizada


entre o músculo esternocleidomastóideo e a inserção superior
do músculo trapézio, ou na reentrância óssea localizada entre a
tuberosidade occipital externa e o processo mastóideo.

 VB - 21 ( Jianjing ) Situa-se na face lateral do pescoço, a meia


distância, entre o VG-14 ( Dazhui ) e o acrômio, ou a um e meio
tsun acima ao E-12 ( Quepen ).
337

 VB - 22 ( Yuanye ) Elevando-se o braço, o ponto situa-se no 4º


espaço intercostal, na linha axilar anterior a três tsun distal à
prega axilar.

 VB - 23 ( Zhejin ) Situa-se no 5º espaço intercostal, a um tsun


para frente do VB-22 ( Yuanye ).

 VB - 24 ( Riyue ) Situa-se no 7º espaço intercostal, a um tsun


abaixo do F-14 ( Qimen ), que se situa a dois e meio tsun lateral
à linha média, na horizontal traçada que passa pelo ponto VC-14
( Juque ).

 VB - 25 ( Jingmen ) Situa-se na face externa do abdome, na


extremidade da 12º costela.

 VB - 26 ( Daimai ) Situa-se a meia distância entre as


extremidades livres das 11º e 12º costelas e na horizontal que
passa pela cicatriz umbilical.

 VB - 27 ( Wushu ) Situa-se três tsun abaixo e para frente do VB-


26 ( Daimai ), lateral à espinha ilíaca ântero-superior, na
horizontal que passa pelo ponto VC-4 ( Guanyuan ).

 VB - 28 ( Weidao ) Situa-se medial à espinha ilíaca ântero-


superior a meio tsun em frente e abaixo do VB-27 ( Wushu ).

 VB - 29 ( Juliao ) Situa-se na face ântero-lateral da coxa, a meia


distância entre a espinha ilíaca ântero-superior e a parte mais
elevada do trocanter maior do fêmur.

 VB - 30 ( Huantiao ) Situa-se na face posterior do quadril, na


união do terço médio com o externo, na linha traçada que passa
pelo trocanter maior do fêmur e a articulação sacrococcígea.

 VB - 31 ( Fengshi ) Situa-se na face lateral da coxa, a sete tsun


proximal à prega do joelho, entre os músculos vasto lateral e
bíceps femoral; estando o paciente em pé, com a mão estendida
na face lateral da coxa, o ponto situa-se na extremidade do 3º
dedo.

 VB - 32 ( Zhongdu ) Situa-se na face lateral da coxa, dois tsun


distal ao VB-31 ( Fengshi ), ou a cinco tsun acima do joelho, na
face lateral da coxa entre os músculos vasto lateral e bíceps
femoral.
338

 VB - 33 ( Xiyangguan ) Situa-se numa reentrância intermuscular,


localizada proximal ao côndilo femoral externo, e a três tsun
proximal ao VB-34 ( Yanglingquan ).

 VB - 34 ( Yanglingquan ) Situa-se no terço superior da face


lateral da perna, numa reentrância muscular localizada abaixo e
em frente da cabeça da fíbula.

 VB - 35 ( Yangjiao ) Situa-se na margem anterior da fíbula, a


sete tsun proximal ao ponto mais saliente do maléolo lateral,
sobre a linha que liga o VB-34 ( Yanglingquan ) ao maléolo
lateral.

 VB - 36 ( Waiqiu ) Situa-se a um tsun para trás do ponto VB-35


( Yangjiao ), sobre a margem posterior da fíbula.

 VB - 37 ( Guangming ) Situa-se na margem anterior da fíbula,


cinco tsun proximal à ponta do maléolo lateral.

 VB - 38 ( Yangfu ) Situa-se na margem anterior da fíbula, quatro


tsun proximal à ponta do maléolo lateral.

 VB - 39 ( Xuanzhong ) Situa-se entre a margem posterior da


fíbula e os tendões dos músculos fibulares curto e longo, três
tsun proximal ao maléolo lateral.

 VB - 40 ( Qiuxu ) Situa-se na face lateral do tornozelo, antes e


abaixo do maléolo lateral, numa reentrância interóssea lateral ao
tendão do músculo extensor comum dos dedos.

 VB - 41 ( Zulinqi ) Situa-se na face dorsal do pé, numa


reentrância interóssea localizada na base do 4º e 5º
metatarsianos.

 VB - 42 ( Diwuhui ) Situa-se na face dorsolateral do pé, no


espaço intermetatarsiano dos 4º e 5º metatarsos, ou a meio tsun
para frente do VB-41 ( Zulinqi ).

 VB - 43 ( Xiaxi ) Situa-se na face dorsolateral do pé, entre as


cabeças dos 4º e 5º metatarsianos.

 VB - 44 ( Zuquiaoyin ) Situa-se na borda ungueal lateral do 4º


dedo do pé.
339

 VESÍCULA BILIAR
340
341

VASO GOVERNADOR

 VG - 1 ( Changqiang ) Situa-se na região perineal, a meia


distância, entre o ponto do cóccix e o ânus. Colocar o paciente
em decúbito ventral ou em posição genupeitoral.

 VG - 2 ( Yaoshu ) Situa-se no osso sacro, no hiato sacral, abaixo


da 4º vértebra sacral.

 VG - 3 ( Yaoyangquan ) Situa-se na região lombar, abaixo do


processo espinhoso da 4º vértebra lombar.

 VG - 4 ( Mingmen ) Situa-se na região lombar, entre os


processos espinhosos das 2º e 3º vértebras lombares, ou se
localiza no ponto oposto à cicatriz umbilical.

 VG - 5 ( Xuanshu ) Situa-se na região lombar, entre os


processos espinhosos da 1º e 2º vértebras lombares.

 VG - 6 ( Jizhong ) Situa-se na região torácica baixa, entre os


processos espinhosos da 11º e 12º vértebras torácicas.

 VG - 7 ( Zhongshu ) Situa-se na região torácica baixa, entre os


processos espinhosos das 10º e 11º vértebras torácicas.

 VG - 8 ( Jinsuo ) Situa-se na região torácica, entre os processos


espinhosos das 9º e 10º vértebras torácicas.

 VG - 9 ( Zhiyang ) Situa-se na região torácica, entre os


processos espinhosos das 7º e 8º vértebras torácicas.

 VG - 10 ( Lingtai ) Situa-se na região dorsal média, entre os


processos espinhosos das 6º e 7º vértebras torácias.

 VG - 11 ( Shendao ) Situa-se no dorso, entre os processos


espinhosos das 5º e 6º vértebras torácicas.

 VG - 12 ( Shenzhu ) Situa-se na região torácica alta, entre os


processos espinhosos das 3º e 4º vértebras torácicas.

 VG - 13 ( Taodao ) Situa-se na região torácica alta, entre os


processos espinhosos das 1º e 2º vértebras torácicas.
342

 VG - 14 ( Dazhui ) Situa-se na transição entre o pescoço e o


tórax, entre os processos espinhosos da 7º vértebra cervical e
da 1º vértebra torácica.

 VG - 15 ( Yamen ) Situa-se na região da nuca, entre os


processos espinhosos dos ossos atlas e do osso áxis, ou se
localiza na linha média do corpo, a meio tsun acima da linha de
inserção do cabelo.

 VG - 16 ( Fengfu ) Situa-se na região occipital, sob a


protuberância occipital, na linha média do corpo, ou a um tsun
acima da linha de inserção dos cabelos.

 VG - 17 ( Naohu ) Situa-se na região occipital, a um e meio tsun


acima do VG-16 ( Fengfu ) ou na margem superior da
protuberância occipital, na linha média do corpo.

 VG - 18 ( Qiangjian ) Situa-se na região occipital, a um e meio


tsun acima do VG-17 ( Naohu ) ou a meia distância entre o VG-
20 ( Baihui ) e o VG-16 ( Fengfu ), na linha média do corpo.

 VG - 19 ( Houding ) Situa-se na região occipital, a um e meio


tsun acima do VG-18 ( Qiangjian ) ou a um e meio tsun posterior
ao VG-20 ( Baihui ).

 VG - 20 ( Baihui ) Situa-se no meio do crânio, no topo da


cabeça, na intersecção da linha mediana do corpo com a linha
que parte do eixo vertical das duas orelhas, ou na linha média, a
sete tsun acima da linha de inserção dos cabelos da nuca.

 VG - 21 ( Qianding ) Situa-se no topo da cabeça, a um e meio


tsun para frente do VG-20 ( Baihui ) na linha média do corpo.

 VG - 22 ( Xinhui ) Situa-se a três tsun anterior ao VG-20


( Baihui ), na linha média do corpo.

 VG - 23 ( Shangxing ) Situa-se na região frontal, a quatro tsun


anterior ao VG-20 ( Baihui ) ou a um tsun posterior à linha
anterior de inserção dos cabelos, na linha média do corpo.

 VG - 24 ( Shenting ) Situa-se na região frontal, na linha média do


corpo, a meio tsun abaixo da linha de inserção dos cabelos.

 VG - 25 ( Suliao ) Situa-se no meio da ponta do nariz.


343

 VG - 26 ( Renzhong ) Situa-se no filtrum do lábio superior, na


união do um terço superior com os dois terços inferiores.

 VG - 27 ( Duiduan ) Situa-se no tubérculo medial do lábio


superior, na linha média, na junção cutaneomucosa da pele.

 VG - 28 ( Yinjiao ) Situa-se sobre a face interna do lábio


superior, na junção com a gengiva, na linha média do corpo,
sobre o freio do lábio.

VASO GOVERNADOR
344
345

VASO CONCEPÇÃO

 VC - 1 ( Huiyin ) Situa-se no centro do períneo, na linha média


do corpo, entre o ânus e o escroto ou na comissura posterior
dos lábios dos genitais externos da mulher. Colocar o paciente
em posição genupeitoral.

 VC - 2 ( Qugu ) Situa-se na região púbis, na margem superior da


sínfise púbica, na linha média do corpo.

 VC - 3 ( Zhongji ) Situa-se no ventre, na sua linha média, a


quatro tsun distal à cicatriz umbilical.

 VC - 4 ( Guanyuan ) Situa-se no ventre, na sua linha média, a


três tsun distal à cicatriz umbilical.

 VC - 5 ( Shimen ) Situa-se no ventre, na sua linha média, a dois


tsun distal à cicatriz umbilical.

 VC - 6 ( Qihai ) Situa-se no ventre, na sua linha média, a um e


meio tsun distal à cicatriz umbilical.

 VC - 7 ( Yinjiao ) Situa-se no ventre, na sua linha média, a um


tsun distal à cicatriz umbilical.

 VC - 8 ( Qizhong ) Situa-se no abdome, no centro da cicatriz


umbilical.

 VC - 9 ( Shuifen ) Situa-se no abdome, na sua linha média, a um


tsun proximal à cicatriz umbilical.

 VC - 10 ( Xiawan ) Situa-se no abdome, na linha mediana, a dois


tsun proximal à cicatriz umbilical.

 VC - 11 ( Jianli ) Situa-se no abdome, na linha mediana, a três


tsun proximal à cicatriz umbilical.

 VC - 12 ( Zhongwan ) Situa-se no abdome, na linha mediana,


entre o processo xifóide do osso esterno e a cicatriz umbilical.

 VC - 13 ( Shangwan ) Situa-se no abdome, na linha mediana, a


cinco tsun proximal à cicatriz umbilical.
346

 VC - 14 ( Juque ) Situa-se no abdome, na linha mediana, a seis


tsun proximal à cicatriz umbilical, ou a um e meio tsun distal ao
processo xifóide do osso esterno.

 VC - 15 ( Jiuwei ) Situa-se na região toracoabdominal, na linha


mediana, a sete tsun proximal à cicatriz umbilical, ou a meio
tsun distal ao processo xifóide do osso esterno.

 VC - 16 ( Zhongting ) Situa-se na linha mediana do tórax, a oito


tsun proximal à cicatriz umbilical ou a um e meio tsun distal ao
VC-17 ( Shanzhong ), que se situa na linha intermamilar.

 VC - 17 ( Shanzhong ) Situa-se na linha mediana do tórax, sobre


o osso esterno, a meia distância entre os mamilos, ou no
cruzamento da linha mediana com a horizontal traçada entre as
articulações esternocostais da 5º costela.

 VC - 18 ( Yutang ) Situa-se na linha mediana do tórax, sobre o


osso esterno, a meio tsun proximal ao VC-17 ( Shanzhong ), ao
nível do 3º espaço intercostal.

 VC - 19 ( Zigong ) Situa-se na linha média do tórax, no osso


esterno, a um e meio tsun proximal ao ponto VC-18 ( Yutang ),
ao nível do 2º espaço intercostal.

 VC - 20 ( Huagai ) Situa-se na linha média do tórax, na junção


do manúbrio com o corpo do osso esterno, ao nível do 1º
espaço intercostal.

 VC - 21 ( Xuanji ) Situa-se na linha média do tórax, no osso


esterno, a um tsun distal à fúrcula esternal.

 VC - 22 ( Tiantu ) Situa-se na fossa supra-esternal, no pescoço,


meio tsun proximal à fúrcula esternal.

 VC - 23 ( Lianquan ) Situa-se na face anterior da garganta, na


linha mediana, acima da margem superior do osso hióide.

 VC - 24 ( Chengjiang ) Situa-se na mandíbula, na linha mediana,


numa depressão óssea situada entre o queixo e o lábio inferior.
347

VASO CONCEPÇÃO
348
349

PONTOS EXTRAS OU PONTOS MARAVILHOSOS

São os pontos situados em ramos dos meridianos principais.

Á SHU XUÉ  Pontos álgicos

Vantagem:

Ação para finalidade sintomática. Localizam-se em qualquer parte


do corpo (em toda superfície) – Não são “físicos”, aparecem de
acordo com a patologia.

1. ÃN MIAN

AN  Paz, tranquilo, calmo.

MIAN  Dormir, sono.

Localização  A ½ distância entre o TR17 e VB20. (atrás da


orelha_.

Indicação  Cefaléia, vertigens, nervosismo, taquicardia,


hipertensão, histeria, epilepsia, psicoses.

Uso  Agulha e moxa.

* Para insônia  Ãn Mian + CS6, B62, R6, IT, IG4, F3.

2. INN TRANG  Palácio lacrado, ponto glabela.


350

Localização  Na linha mediana entre as sobrancelhas.

Indicação  Ansiolítico, olhos, seios paranasais, cefaléia,


vertigens, dor ocular, excesso de yang no alto, conjuntivite, sinusite,
insônia, relaxamento geral.

Modo de picar  Na covinha de cima para baixo (2 a 3mm).

3. TAI YANG  Supremo, extremamente grande = Sol.

Localização  Região ponto-temporal, numa depressão acima da


têmpora.

Indicação  Cefaléias, inflamação e dores oculares, nelvragias do


trigêmeo.

4. SI SHÉN CONG

SI  Quatro.

SHÉN  Espírito, Deus, vitalidade, gênio.

CONG  Inteligentes.

Localização  4 pontops situados a 1 distância bilaterais a frente e


atrás do VG20 (a 5 dist. Da implantação do cabelo) (Bai Hui) –
Estrelas polares conciência clara, o desabrochar da flor de lótus.

Indicação  Cefaléias, vertigens, epilepsia, perda de memória,


depressão, psicoses (manias).
351

5. HUI FA WU CHU

HUI  Completar o ciclo – retornar.

FA  Lançar uma flexa, emitir raios.

WU  Curso.

CHU  Habitar, morar, se fixar em.

Localização  São 5 pontos, 1 ao centro do occipício onde os


cabelos fazem implantação capilar, os 4 ao redor a 1 distância (no
redemoinho, na parte de trás da cabeça).

Indicação  Vertigens (vento na cabeça), cefaléias, tontura.

Outros nomes para o ponto do centro  Ding Trang Hui Mao,


Ding Shang Xuan Mao, Luo Wen (desenho de concha).

6. DING TRANG HUI MAO ou DING SHANG XUAN MAO ou LUO


WEN (desenho de concha). (Ponto central do ponto anterior nº 5).

Indicação  Epilepsia, prolapso retal, hemorróidas sangrantes.

7. FA JI
352

FA  Cabelo, cabeleira.

JI  Junção limite.

Localização  3 distâncias acima do supercílio, no meio da


implantação frontal do cabelo.

Indicação  Vertigens, cefaléia, epilepsia para crianças,


convulsão, enxaqueca.

8. JU QUAN

JU  Recolher, reunir.

QUAN  Fonte, origem.

Indicação  Asma, tosse crônica, língua saburrosa, dor lingual,


icterícia.
353

9. SHE XIA

SHE  Língua.

XIA  Debaixo, inferior.

Indicação  Asma, tossecrônica, língua saburrosa, dor lingual,


icterícia.

10. YU YE + JIN JIN = Fonte do mar

Indicação  Edema, dor na língua, obstrução da garganta.

11. SHE SHU


354

Indicação  Afonia, vômitos, diarréia, sede, úlceras bucais,


amigdalite, gastroenterite aguda.

12. HAI QUAN

Indicação  Polidipsia, língua pesada, inchada, calor, dificuldade


para falar, diabetes.

13. JIA SHANG XING

JIA  Dos 2 lados, pinças.

SHANG  Alto.

XING  Estrela, planeta, astro.

Indicação  Pólipo nasal.

Localização  A 1 distância acima da linha de implantação anterior


do cabelo.

14. DANG YANG

DANG  Ter o corpo de, equivalente.

YANG

Localização  A ½ distância atrás do VB15. A 1 distância p/dentro


da linha de implantação do cabelo, sobre a linha pupilar.

Indicação  Dor ocular brutal com impossibilidade de enxergar à


distância, vertigem, obstrução nasal.

15. QIU HOU

QIU  Esfera, globo, bola.

HOU  Descendente, em seguida.


355

Localização  Na junção do ¼ lateral com os ¾ mediais do bordo


orbital inferior.

Indicação  Atrofia do nervo óptico, neurite óptica, glaucoma,


miopia, patologia do cristalino, retinite pigmentar, estrabismo
convergente.

16. YU YAO

Localização  No meio do peixe (sobrancelhas).

Indicação  Doença dos olhos, espasmos das palpebras,


nevralgias do nervo oftálmico, ptoses palpebral, rugas.

17. YAN KOU – “Fala tranqüila”

Localização  Nas comissuras labiais (pele / mucosa).

Indicação  Desvio da boca e olho, convulsão, constipação,


retenção urinária, nevralgia facial, ataques de loucura.

18. HU KOU – “Boca do tigre”

Localização  No maio da comissura do 1º espaço interdigital (a


frente do IG4).

Indicação  Cefaléia, vertigens, trismos, faringite, amigdalite, dor


cardíaca, odontalgia, febre, dor nos ombros.
356

19. WU HU – Os 5 tigres.

Localização  Face dorsal da mão, sobre a articulação do


metacarpo falangeana (I a V dedo).

Indicação  Cãimbra nos dedos.

20. SHI XIAN – “Dez convidados” – muralhas do demônio.

Localização  Extremidades dos 10 dedos.

Indicação  Sícope, coma, febre elevada, histeria, convulsão,


parestesia dos dedos, hipertensão, vômitos e diarréia.

21. BA XIE

Localização  Dorso da mão, entre as comissuras dos dedos das


mãos.

Indicação  Cefaleia, dor (dente, nuca, garganta), doenças


oculares, dor e inflamação dos dedos e dorso da mão.
357

22. XI SHAN – “Olho do joelho” ou “Olho do demônio”.

Localização  4 pontos: 2 superiores e 2 inferiores ao redor do


joelho.

Indicação  Dor e artrose do joelho em direção à articulação e


profunda.

23. BA FENG – 8 ventos.

Localização  Dorso do pé, nas comissuras dos 5 artelhos.

Indicação  Cefaléia, odontalgia, dor e inflamação do pé.

24. LAN WEI

Localização  À 2 distâncias abaixo do E36.

Indicação  Apendicite, atrofia muscular, distúrbios motores, dor e


debilidade dos músculos dos membros inferiores.

25. DAN NANG

Localização  À 1 distância abaixo do VB34 e atrás do E34.

Indicação  Atrofia muscular, dor nos membros inferiores, dor na


região do hipocôndrio, cálculo biliar e dores agudas.
358

PONTOS FORA DE MERIDIANOS

 M-CP-3 ( Yintang ) Situa-se na linha média anterior da face, a


meia distância entre as sobrancelhas.

 M-CP-6 ( Yuyao ) Situa-se numa reentrância óssea localizada no


meio da sobrancelha, na vertical que passa pela pupila dos
olhos.

 M-CP-8 ( Qiuhou ) Situa-se na margem inferior da cavidade


orbitária, aproximadamente a um quarto de tsun lateral à vertical
que passa na pupila.

 M-CP-9 ( Taiyang ) Situa-se na têmpora, aproximadamente a um


tsun para trás do ponto médio, entre o extremo lateral da
sobrancelha e do epicanto lateral do olho.

 M-CP-10 ( Erjian ) Dobrando-se a orelha para frente, este ponto


de Acupuntura situa-se no topo da mesma.

 M-CP-13 ( Yiming ) Situa-se um tsun posterior ao ponto VB-17


( Yifeng ) do Canal de Energia Principal da Vesícula Biliar, atrás
da orelha.

 M-CP-14 ( Bitong ) Situa-se numa reentrância óssea localizada


ao lado do osso nasal, na extremidade superior do sulco
nasolabial.

 M-CP-18 ( Jiachengjiang ) Situa-se a um e meio tsun,


lateralmente ao ponto VC-24 ( Chengjiang ), passando pelo
ponto E-4 ( Dicang ) onde se encontra o forâmen mental.

 M-CP-21 ( Shanglianquan ) Situa-se a um tsun acima da


proeminência da cartilagem tireóidea, numa depressão muscular
localizada entre a mandíbula e o osso hióide.

 M-CP-24 ( Panglianquan ) Situa-se a meio tsun, lateralmente, do


ponto VC-23 ( Lianquan ) do Canal de Energia Curioso Ren Mai.

 M-CP-41 ( Jingbi ) Situa-se a um terço de distância da


extremidade medial da clavícula e a um tsun para cima;
359

localizado na margem lateral do músculo


esternocleidomastóideo.

 N-CP-1 ( Shangjingming ) Situa-se na parte medial da cavidade


orbitária, a dois fen acima do B-1 ( Jingming ).

 N-CP-2 ( Xiajingming ) Situa-se na parte medial da cavidade


orbitária, a dois Fen abaixo do B-1 ( Jingming ) do Canal de
Energia Principal da Bexiga.

 N-CP-3 ( Jianming ) Situa-se na margem inferior da cavidade


orbitária, a dois fen, abaixo e lateralmente, do N-CP-2
( Xiajingming ).

 N-CP-3 (B) ( Jianming B ) Situa-se na margem inferior da


cavidade orbitária, entre os pontos E-1 ( Chengqi ) e M-CP-8
( Qiuhou ).

 N-CP-3 (C) ( Jianming C ) Situa-se na margem lateral da


cavidade orbitária, a três fen, acima e lateralmente, do ponto M-
CP-8
( Qiuhou ).

 N-CP-4 ( Shangming ) Situa-se abaixo do ponto médio da


sobrancelha e sobre a margem superior da cavidade orbitária.

 N-CP-6 ( Waiming ) Situa-se na cavidade orbitária, a três fen


acima do epicantolateral do olho.

 N-CP-11 ( Tingmin ) Situa-se na inserção inferior do lóbulo da


orelha.

 N-CP-15 ( Yilong ) Situa-se numa reentrância localizada entre a


inserção posterior da orelha e o osso mastóide, a meio tsun
acima do ponto TA-17 ( Yifeng ) do Canal de Energia Principal
do Triplo Aquecedor.

 N-CP-17 ( Chiqian ) Situa-se atrás do processo do osso


mastóide, a meio tsun para frente do ponto VB-20 ( Fengchi ) do
Canal de Energia Principal da Vesícula Biliar.

 N-CP-20 ( Qianzheng ) Situa-se na região pré-auricular, a meio


tsun anterior ao lóbulo da orelha.
360

 N-CP-23 ( Xingfen ) Situa-se na região da nuca, na margem


posterior do processo do osso mastóide.

 N-CP-54 ( Anmian ) Situa-se atrás da orelha, a meia distância


entre o VB-20 ( Fengchi ) e o TA-17 ( Yifeng ).

 M-DC-1 ( Dingchuan ) Situa-se na região dorsal, a meio tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 7º
vértebra torácica.

 M-DC-12 ( Yishu ) Situa-se na região dorsal, a um e meio tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 8º
vértebra torácica.

 M-DC-19 ( Xuefu ) Situa-se na região lombar, a quatro tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 2º
vértebra lombar.

 M-DC-24 ( Yaoyan ) Situa-se na região lombar, numa depressão


muscular situada a quatro tsun, lateralmente, da borda inferior
do processo espinhoso da 3º vértebra lombar.

 M-DC-25 ( Shiqizhuixia ) Situa-se na linha média dorsal, abaixo


do processo espinhoso da 5º vértebra lombar.

 M-DC-35 ( Jiaji ) Conjunto de 48 pontos de Acupuntura


localizados, lateralmente, de meio a um tsun da extremidade
inferior do processo espinhoso das vértebras cervicais, torácicas
e lombares. Tem por finalidade circular a Energia do Du Mai e do
Canal de Energia Principal da Bexiga.

 N-DC-2 ( Xueyadian ) Situa-se na região cervical, a dois tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 6º
vértebra cervical.

 N-DC-8 ( Ganrexue ) Situa-se na região dorsal, a meio tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 5º
vértebra torácica. É um dos pontos do M-DC-35 ( Jiaji ).

 N-DC-10 ( Pirexue ) Situa-se na região dorsal, a meio tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 6º
vértebra torácica. É um dos pontos do M-DC-35 ( Jiaji ).
361

 N-DC-11 ( Shenrexue ) Situa-se na região dorsal, a meio tsun,


lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso da 7º
vértebra torácica. É um dos pontos do M-DC-35 ( Jiaji ).

 N-DC-13 ( Kuiyangxue ) Situa-se na região dorsolombar, a dois


tsun, lateralmente, do ponto B-45 ( Weicang ) que está a três
tsun, lateralmente, da margem inferior do processo espinhoso
da 12º vértebra torácica.

 M-MS-1 ( Shixuan ) Conjunto de 10 pontos de Acupuntura


situados na polpa digital dos dedos da mão, um fen distante da
unha.

 M-MS-9 ( Sifeng ) Situa-se na face palmar do 2º ao 5º dedos, na


1º articulação interfalangiana.

 M-MS-22 ( Baxie ) Com os dedos da mão fechados, o conjunto


de quatro pontos de Acupuntura que constitui o M-MS-22 ( Baxie
) localiza-se entre a cabeça dos metacarpos.

 M-MS-24 ( Luozhen ) Situa-se no dorso da mão, a meio tsun da


extremidade distal dos 2º e 3º metacarpos e entre estes dois
ossos.

 M-MS-30 ( Bizhong ) Situa-se na face ventral do antebraço, a


meia distância entre as pregas transversais do punho e do
cotovelo e entre os ossos ulnar e rádio.

 M-MS-42 ( Jianqian ) Situa-se a um tsun acima da prega axilar


anterior.

 M-MS-48 ( Jianneiling ) Colocar o braço ao longo do tórax; este


ponto de Acupuntura situa-se a meia distância entre o ponto IG-
15 ( Jianyu ), localizado na parte superior, e a prega axilar
anterior.

 M-MS-50 ( Shangbaxie ) Constitui um conjunto de quatro pontos


de Acupuntura; situa-se no dorso da mão, numa pequena
depressão de partes moles localizadas antes da cabeça dos
metacarpianos. Três dos pontos Shangbaxie correspondem ao
IG-4 ( Hegu ), ao M-MS-24 ( Luozhen ) e ao TA-3 ( Zhongzhu ).
362

 N-MS-9 ( Gongzhong ) Situa-se na face anterior do braço, no


meio do bíceps braquial, a dois e meio tsun distal ao CS-2
( Tianquan ).

 N-MS-12 ( Yingshang ) Situa-se na região posterior, a quatro e


meio tsun acima do osso olécrano, no meio do músculo tríceps.

 N-MS-14 ( Naoshang ) Situa-se na face lateral do braço, no


meio do músculo deltóide.

 M-MI-8 ( Bafeng ) É um conjunto de quatro pontos de


Acupuntura situados no dorso do pé, entre os dedos do pé, na
altura da cabeça dos ossos metatarsianos. Três destes pontos
de Acupuntura correspondem a: F-2 ( Xingjian ), E-44 ( Neiting )
e VB-43 ( Xiaxi ).

 M-MI-13 ( Lanweixue ) Situa-se na face ântero-lateral da perna,


a dois tsun abaixo do ponto E-36 ( Zusanli ) do Canal de Energia
Principal do Estômago.

 M-MI-15 ( Xixia ) Situa-se no joelho, no ápice da patela, no meio


do ligamento patelar.

 M-MI-16 ( Xiyan ) Situa-se no joelho, e, com o joelho fletido, os


pontos são simétricos e se localizam lateral e medialmente ao
ligamento patelar, na gordura parapatelar.

 M-MI-23 ( Dannangxue ) Situa-se na face lateral da perna, de


um a dois tsun abaixo do ponto VB-34 ( Yanglingquan ) do Canal
de Energia Principal da Vesícula Biliar.

 M-MI-24 ( Linghou ) Situa-se no terço proximal e lateral da


perna, atrás da cabeça da fíbula.

 M-MI-27 ( Heding ) Situa-se no joelho, na base da patela, no


meio do tendão do quadríceps.

 N-MI-3 ( Genping ) Situa-se na região posterior do tornozelo, a


dois tsun acima do osso calcâneo, no meio do tendão do
calcâneo.

 N-MI-4 ( Naoqing ) Situa-se no tornozelo, na margem anterior da


tíbia, a um e meio tsun acima do ponto E-41 ( Jiexi ) do Canal de
Energia Principal do Estômago.
363

 M-TA-1 ( Chixue ) Situa-se na face anterior do tórax, a um tsun,


lateralmente, do ponto VC-21 ( Xuanji ) do Canal de Energia
Curioso Ren Mai.

 M-TA-14 ( Yijing ) Situa-se na face anterior da pelve, a um tsun,


lateralmente, do ponto VC-4 ( Guanyuan ).

 M-TA-15 ( Qimen ) Situa-se na parede ântero-lateral da pelve, a


três tsun, lateralmente, do ponto VC-4 ( Guanyuan ) do Canal de
Energia Curioso Ren Mai.

 M-TA-16 ( Weibao ) Situa-se numa depressão óssea localizada


abaixo e medialmente à espinha ilíaca ântero-superior, na linha
horizontal que passa pelo ponto VC-4 ( Guanyuan ) do Canal de
Energia Curioso Ren Mai.

 M-TA-17 ( Changyi ) Situa-se na parede ântero-lateral da pelve,


a dois e meio tsun, lateralmente, do ponto VC-3 ( Zhongji ) do
Canal de Energia Curioso Ren Mai.

 M-TA-18 ( Zigong ) Situa-se na parede ântero-lateral da pelve, a


quatro tsun abaixo da cicatriz umbilical e a três tsun,
lateralmente, do VC-3 ( Zhongji ) do Canal de Energia Curioso
Ren Mai.

 M-TA-20 ( Xinleitou ) Conjunto de dois pontos situados


bilateralmente nos 1º e 2º espaços intercostais, ao lado do
esterno.

 M-TA-24 ( Longmen ) Situa-se na região pubiana, na margem


inferior da sínfise púbica.

 N-TA-4 ( Tituoxue ) Situa-se na face ântero-lateral da pelve, a


quatro tsun, lateralmente, do ponto VC-4 ( Guanyuan ).

 N-TA-12 ( Xinqixue ) Situa-se na parede ântero-lateral do


abdome. Para localizar este ponto, deve-se tomar a cicatriz
umbilical como ápice de um triângulo isósceles de três tsun de
cada lado. Os pontos Xinqixue localizam-se em cada lado da
base que forma o triângulo.

 N-TA-18 ( Weishangxue ) Situa-se na parede ântero-lateral do


abdome, dois tsun proximal à cicatriz umbilical e a quatro tsun,
lateralmente, do ponto VC-10 ( Xiawan ).
364

ATLAS DE ACUPUNTURA

 Pontos dos ângulos ungueais da mão

 Pontos dos ângulos ungueais do pé.


365
366
367
368
369
370
371
372
373
374
375
376
377
378
379
380
381
382
383
384
385
386
387
388
389
390
391

 Indigestão → VC12 – E25 – E36 – VC6 – IG10 – BP6 – E34.

 Cólica com diarréia aguda → E27 – E34 – VC6 – BP6 – B25 –


B14 – VB33 – B60.

 Inapetência → VC12 – E36 – VC6 – VG12 – B20 – B32.

 Prisão de ventre crônica → E25 – VC12 – VC6 – VG12 – VC4


– E36 – B25 – B32.

 Ciática → B47 – B23 – B25 – B22 – B60 – VC3 – B54 – R1 –


B50.

 Dor de Lumbago e disco → VC3 – B23 – B51 – B54 – B57 –


VB34.

 Reumatismo → IG4 – VC4 – B47 – E36 – B21 – B18.

 Paralisia → B10 – VC12 – VG20 – VB21 – B25 – B18 – B15 –


B23 – E25 – VC4 – B57 – B60 – B51 – E36 – VB34.

 Dor de Ombro → IG11 – P1 – TR15 – B11 – ID10 – IG15 –


VB34.

 Dor de flanco → VC17 – VG12 – VG9 – B15 – B17 – E36.

 Impotência → VC12 – VC6 – VC4 – B15 – B18 – B20 – B23 –


B47 – BP6 – E36.

 Tosse → VC22 – VC12 – VC4 – P1 – B38.

 Ejaculação de esperma → VC4 – VC3 – VG12 – B21 – B47 –


BP6.

 Para saúde de energia → VC12 – VC4 – E25 – B18 – B20 –


B23 – B47 – E36.

 Pressão Alta – Prevenção e Tratamento → F8 – VC4 – VC12


– E25 – VB21 – B15 – B18 – VB31 – R1 – IG11 – BP6.
392

 Insônia → VC12 – C7 – VG20 – VG16 – R1.

 Diabético → VG16 – B23 – VC4 – VC12 – B20 – R3 – R1 –


E26.

 Obesidade → VC17 – VC12 – VC4 – B18 – B47 – B23 – BP6 –


E36.

 Cistite e Uretrite → B10 – VC4 – B23 – VC3 – B32 – VB34 –


B28.

33

MANUAL PRÁTICO DE ACUPUNTURA


393

SAULO WANDERLEY
394

SAULO WANDERLEY
395

MANUAL PRÁTICO DE ACUPUNTURA


396

João Pessoa - Paraíba

2004
397
398

APRESENTAÇÃO

RECOMENDAÇÕES PARA AQUELES QUE TRAÇAM ESTE


CAMINHO DA ARTE DA CURA.

Aula da saudade proferida pelo Dr. Evaldo Martins Leite,

em 31 de julho de 2004.

EVITAR OS 6 (SEIS) VÍCIOS:

Evitar a procura de honrarias e favores.

Evitar a paixão pela beleza física.

Evitar o desejo desmedido de dinheiro.

Evitar a gula.

Evitar as idéias perturbadoras.

Evitar o ciúme.

SEGUIR AS DEZ MODERAÇÕES:

Moderações nas idéias (BP).


399

Moderação na memorização.

Moderação no riso (C).

Moderação na palavra.

Moderação no beber (qualquer líquido).

Moderação na cólera.

Moderação na alegria.

Moderação na tristeza.

Moderação no desejo.

Moderação na astúcia.

CONSELHOS PRÁTICOS AOS ACUPUNTURISTAS:

1. AGIR COMO RECOMENDA

“ Faço o que digo, faço o que faço”

2. CUIDAR DA SAÚDE

Procurar o equilíbrio físico, vital, emocional e mental.

Fazer os exercícios respiratórios.

Fazer os estímulos dos meridianos principais, bater ou torcer.


Batendo com a outra mão, seguindo o trajeto dos 12 meridianos.
Começa pelo lado esquerdo: P – IG, etc.

Alimentação correta, dormir na hora certa, etc.


400

AMAR-SE A SI MESMO.

TRABALHAR COM AS DUAS MÃOS.

Melhora a intuição, trabalha os dois lados do cérebro.

MEDITAÇÃO DIÁRIA.

CUIDAR DO AMBIENTE DE TRABALHO

PRATICAR O JIN SHIN JIUTSU

Abraçar cada dedo com a outra mão, começando com a esquerda.


Demorando no mínimo 1 minuto para cada dedo e depois faz com a
direita. A pessoa fica mais relaxada, etc. Isso pode ser feito em
qualquer ambiente e a qualquer hora.

Outra técnica:

Yin – Azul

Yang – Vermelho

Yin + Yang = Púrpura

Começa da mão esquerda (palma da mão) – pensando na cor azul


e segue até a outra mão. Depois vai no dorso da mão (cor
vermelha) e segue para a outra mão. Depois une as duas cores em
púrpura e leva no pensamento ao órgão doente. Isso pode ser feito
para você mesmo ou pra o seu paciente.

FUNÇÃO DO ACUPUNTURISTA NO EXERCÍCIO DA MEDICINA


TRADICIONAL CHINESA :
401

Curar

Melhorar

Aliviar

Consolar

ÍNDICE
402

Página

Contra-Indicações da Acupuntura

09

Acidentes com Acupuntura

13

Roteiro de Tratamento

25

Ficha de Anamnese

27

Pulsologia Chinesa

29

Vasos Maravilhosos

32

Ponto Aberto da hora do nascimento

40

Sinais e Sintomas de Excesso ou Insuficiência

43

Yin e Yang

43

Meridianos Principais

44

Principais Sinais e Sintomas Psíquicos


403

53

Índice Geral dos Sinais e Sintomas

54

9. Correspondência dos cinco elementos

60

10.Horário de Circulação de Energia de cada Meridiano

60

Circulação Geral de Energia

62

Pontos de Comando

63

Cálculos das Estações e Calendário de 2004 / 2005

64

Tabelas de Tonificação e Sedação

67

Regras de Tonificação e Sedação com Agulhas

68

Pentagramas

69

Geral: Yin e Yang

69

Pontos Su na Função Yin

70
404

Pontos Su na Função Yang

71

Pentagrama, Ciclo de Produção e de Inibição

72

Meridianos Secundários

78

Meridianos Ligamentário ou Tendino-Muscular

78

Meridianos de passagem (Lo) Transversal

80

Meridianos de Passagem (Lo) Longitudinal

81

Meridianos Distintos ou Colaterais

83

Grandes Meridianos

87

Analgesia

88

Regras

88

Pontos Usados (Receitas)

90

As Oito Reuniões
405

92

Microssistemas

93

Língua

93

Rosto

94

Orelha (auriculoterapia)

97

Mãos

100

Pés (Reflexologia)

105

Craneopuntura

108

Pontos de Ma Tang Yang

114

Os Pontos psíquicos de Dr. La Fuye

120

Pontos Indicados e Contra-Indicados na Gravidez

121

Receitas de Acupuntura

122
406

Funções de alguns pontos importantes – Dicas importantes

122

Pontos Especiais

129

Pontos Circunstanciais

130

Pontos de Urgências

131

Diversos

132

Dermatologia

132

Dores

134

Endocrinologia

136

Ginecologia

137

Imunologia

137

Neurologia

138

Obstetrícia
407

138

Ósteo-Articulares

139

Problemas na área da Cabeça

141

Face

141

Laringe / Faringe / Traquéia

142

Nariz

142

Pescoço

143

Psiquismo

143

Sexualidade

145

Sistema Circulatório

146

Sistema Digestivo

148

Sistema Linfático

149
408

Sistema Respiratório

149

Sistema Urinário

151

Estética

153

Fitoterapia

164

Localização de Pontos e Atlas de acupuntura

168

CONTRA-INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA
409

Contra-indicação absoluta a acupuntura não tem. Mas há algumas


contra-indicações em determinadas circunstâncias e contra-
indicações de alguns pontos em determinados casos.

a) ESTADOS DE CÓLERA OU PAVOR

As contra-indicações mais evidentes são aquelas que estão


relacionadas com os estados de cólera ou de pavor. E estas contra-
indicações são para o equilíbrio energético. O indivíduo estando
numa situação encolerizado ou apavorado, você não vai ter
possibilidade de ajuda-lo no sentido do equilíbrio das energias.
Pode, porém, fazer um ou outro pontinho para tranqüilizá-lo. Fazer
o IT – VG20 – VC17. Esses pontos para tranqüilizar o paciente
podem ser feitos, mas para você restabelecer o equilíbrio, a saúde,
não.

Tem que ele se acalmar, ficar tranqüilo. Ele tem que ficar o mais
sossegado possível. Por isso inclusive que a gente recomenda, que
o indivíduo que chega apressado, etc. relaxe um pouco, espera um
pouco, não vá colocar as agulhas imediatamente. Deixe-o relaxar
um pouquinho. Tranqüilize, converse sobre assuntos gerais que não
vai agravar o estado do paciente. Então é uma contra-indicação
relativa a uma determinada situação.

b) ESTADO DE EMBRIAGUEZ OU DE JEJUM PROLONGADO

Não tem nenhuma vantagem de você fazer um tratamento de


acupuntura em um paciente, que esteja em estado de embriaguez.
Ele tem quer sair do estado de embriaguez para tratá-lo. Embora
que existem recursos dentro da acupuntura para tratamento da
embriaguez.

Para o tratamento da embriaguez, o recurso que você faz é um


recurso muito simples e muito eficiente. Que é o seguinte: Você
410

coloca uma agulha na ponta do nariz, na posição oblíqua em


relação à estrutura do nariz. Entrando no próprio septo nasal
(dentro da cartilagem) e aprofunda de 2 a 3 cm (lá dentro mesmo).
Este ponto chama-se Pi tchoun. E deixa a agulha durante 15-20
min.e seguramente o estado de embriaguez passa. O indivíduo
pode espirrar e vomitar também.

Este ponto não só serve para álcool como também já foi usado para
coma barbiturico. Se estiver num estado semicomatoso, sai do
coma. É um ponto altamente eficiente. Este ponto também é usado
para tratamento de rinites, só que neste caso é bem superficial
(2mm) e para o tratamento da embriaguez é 2-3 cm.

c) ESTADO DE EMPANTURRAMENTO

Quando o indivíduo come demais, fica empanturrado, cheio.


Naquele momento para fazer um tratamento de acupuntura com
finalidades terapêuticas, não se faz. Mas você pode ajudar o
empanturrado a melhorar as condições digestivas dele, fazendo o
ponto E45 (ponto ting do estômago, que fica situado junto ao ângulo
ungueal externo do 2º artelho). Só que este ponto você penetra pelo
menos 3mm. Para o ponto ting é profundo e dói.

d) ESTADO DE EXTENUAÇÃO FÍSICA (ESFORÇO FÍSICO, ETC).

Após esforços físicos violentos, esforço físico muito prolongado, etc.


O indivíduo vai correr a maratona, então depois da maratona você
não vai fazer acupuntura para o equilíbrio energético. Agora pode
fazer algum ponto energético geral: E36 – VC6 – B38 (os dois
primeiros são os mais importantes).
411

e) NA GRAVIDEZ

Existem alguns pontos que são contra-indicados, mas não a


acupuntura que é contra-indicada. Porque na gravidez existem
pontos que são recomendados. Os pontos contra-indicados durante
a gravidez, aqueles mais importantes... Existem outros que são
menos importantes que se você fizer uma ou duas vezes não tem
problema nenhum. Mas existem alguns pontos que são mais
complicados, não porque interrompem a gravidez, mas porque
interferem no desenvolvimento do feto. São os seguintes:

Contra-indicados:

Todos os pontos abdominais abaixo do umbigo, até o 5º mês.

Abaixo do fundo do útero, a partir do 5º mês.

Outros: IG4 – BP6 – B60 – E36.

Recomendados:

R9 – B38 (T e M)

R9  Proteção do feto. É o ponto que protege a criança contra a má


energia ancestral. É uma proteção contra a fixação, que protege até
certo ponto, contra a fixação da energia ancestral de má qualidade.
Então é um ponto que protege a criança. De um modo geral, a
criança cuja mãe fez acupuntura no decorrer da sua gestação, pelo
menos uma vez em cada mês, é uma criança mais saudável.

B38  Proteção da mãe. É aquele que faz com que a qualidade do


trabalho da gestação não interfira na saúde materna. Melhora as
condições energéticas da mãe de um modo geral

Freqüência das aplicações: Fazer pelo menos uma vez por mês
com o pré-natal. Principalmente no período entre a lua nova e o dia
anterior da lua cheia. Não entre a lua cheia e a lua nova, mas no
período da lua nova até o início do dia anterior da lua cheia,
preferivelmente. Pode fazer noutros períodos, mas o ideal é neste.
Durante aproximadamente 15min.
412

Obs: Existe algum ponto abortivo? Classicamente se diz não. Mas


segundo o grande acupunturista Guyen Van Nghi, (que é
considerado um dos maiores acupunturistas do mundo ocidental,
apesar dele ser vietnamita, mora na França desde que praticamente
nasceu e é um grande acupunturista no sentido de qualidade de
serviço) ele diz que tem um ponto sim. E que esse ponto é tão
eficiente, segundo ele, que se você consegue acerta-lo bem,
desenvolver o Qi com freqüência, você consegue fazer com que
esse ponto seja ponto de anticoncepção. É o VC5.

f) CUIDADOS NA DEBILIDADE E NO MAL-ESTAR GERAL

O indivíduo que tem mal-estar geral com facilidade, indivíduo que


está muito débil, muito debilitado, use para experimentar a sua
resistência nas primeiras aplicações, poucas agulhas. Quatro
agulhas, cinco agulhas e só. Se ele suportar bem, se ele respondeu
bem aquela primeira abordagem que você faz, então vai
estendendo a aplicação para conseguir o equilíbrio satisfatório.

A acupuntura, ela por si não cura ninguém. Quem cura é o próprio


indivíduo. O indivíduo é que se cura. A acupuntura estimula o
indivíduo as suas forças, as suas energias a se curar. Porque nós
em noventa e tantos por cento dos casos, nenhum procedimento
terapêutico cura o indivíduo. Ele se cura.

Nós temos uma capacidade de autocura muito grande. Só que esta


capacidade de autocura é principalmente mais manifesta durante o
período do sono. Por isso é que se recomenda dormir bem. Passar
a noite tranqüilo, sossegado, num sono reparador. O sono é
reparador se ele tem ação curativa. O indivíduo se cura a si mesmo.
E qual é o momento em que a cura é mais apropriada? Durante o
período máximo de energia daquela função. Então é bom se
acostumar a dormir antes da onze horas da noite.
413

g) INFECÇÃO LOCAL

Aqui existe também um cuidado. Não fazer o ponto de acupuntura


em um local infectado, mas pode fazer a cerclagem. Se você vai
usar um ponto que esteja com uma infecção local, você está
cometendo um risco grande para o paciente, inclusive para levar a
infecção lá para dentro.

No local da infecção você faz a cerclagem, usando os


procedimentos que vimos anteriormente. Faz a cerclagem não só
em infecção local, mas também nos processos localizados: uma
úlcera, uma tendinite, etc.

h) DESIDRATAÇÃO

Durante a desidratação não fazer acupuntura. Não tem ponto


nenhum, tem que reidratar a pessoa. A desidratação mata
principalmente crianças que são muito sensíveis.
414
415

2. ACIDENTES COM ACUPUNTURA

Para que se pratique a acupuntura com absoluta segurança, própria


e do paciente, nós insistimos em que fiquem atentos para a
possibilidade de incidentes ou acidentes com acupuntura.

Os acidentes são absolutamente raros, mas podem acontecer. E


alguns desses acidentes podem ser potencialmente graves. É
insignificante o número de acidentes que tem seriedade além da
mínima. É raro, mas como podem acontecer e se acontecer em
nossas mãos toma uma dimensão muito séria, temos a
necessidade de estudá-los o mais cedo possível.

a) “MAL ESTAR” COM ACUPUNTURA

Isso é relativamente freqüente. É uma relação que surge nas


deficiências de energias, e isto ocorre mais nos indivíduos que
apresentam distonias neurovegetativas. As distonias
neurovegetativas podem muito freqüentemente desencadear
quadros aparentemente sérios, mas de um modo geral são quadros
benignos. Nos portadores de mal estar geral (um mal estar meio
indefinido) e isto acontece geralmente nas primeiras aplicações
(mas pode acontecer em pessoas muito sensíveis e que já tenha
tido experiências com acupunturas, não sendo a primeira vez). E
mais comum quando o indivíduo está numa situação de jejum.

Quadro Clínico:
416

O quadro clínico é benigno, mas ele pode ser impressionante.


Aparentemente pode parecer uma situação grave, mas não é. Os
mais comuns são:

Lipotimia (leve desmaio);

Palidez;

Náuseas (muito freqüente);

Cefaléias (durante a aplicação da acupuntura);

Síncope (desmaio) com perda dos sentidos (raro);

Suores profusos (mais freqüentes);

Extremidades frias;

Pulso imperceptível.

O que fazer:

Colocar o paciente em decúbito dorsal (deitado) tendo o cuidado de


colocar a cabeça do paciente mais baixo que o corpo, quanto mais
baixo melhor para fazer o retorno sanguíneo (muitas vezes só isto e
a sua conversa tranqüilizadora com o paciente resolve o problema).
Mas também você pode levantar as pernas do paciente e em
seguida empurrar para frente a fim de comprimir o abdômen com as
pernas Porque isso acontece muitas vezes quando o paciente está
sentado ou em pé (nunca coloque as agulhas com o paciente em
pé, mesmo que seja uma simples dor de dente e o paciente se
queixe, não faça com o paciente em pé!). Lembre-se que o ideal é
sempre fazer acupuntura com o paciente deitado.

Tranqüilize-se e procure conversar com o paciente a fim de


tranqüilizá-lo. Mostre-se que está seguro do que faz.

Imediatamente interrompa o tratamento.

Retire as agulhas que já foram colocadas.


417

Pode-se colocar agulhas em alguns pontos (se estavam podem até


conservá-los e se não podem colocá-los). O melhor ponto para
estes estados de desmaios, síncopes, mal estar geral, etc. são:
VG26 (principal), CS9, E36 (manipula um pouco), VG20.

Obs1: Se o indivíduo está bem, está tranqüilo, você pode


recomeçar o tratamento na mesma seção.

Obs2: Quando se vai tratar o paciente o ideal é que ele fique sem
roupa (só com as roupas íntimas, sutiã, calcinha, cueca). Embora
que, mais comum, e o fato de que a maioria dos pontos utilizados
(pontos Su) se localize do cotovelo para a ponta dos dedos e dos
joelhos para as pontas dos pés, então freqüentemente se faz o
seguinte: Levanta a saia ou a calça até a altura do joelho, levanta a
blusa até o cotovelo, abre a blusa na barriga para eventualmente
colocar nos pontos do vaso governador, estômago (pontos
abdominais e torácicos) e nas costas tira a blusa ou camisa.

b) RESISTÊNCIAS (do ponto):

b.1) À introdução da agulha – É como se houvesse uma barreira


energética que impede (dificulta) a penetração da agulha. Você
coloca a agulha, ela entorta mas não entra. Isso é muito freqüente.

O que fazer: Você vai introduzir a agulha por debaixo do ponto,


porque a resistência energética é localizada. Na região vizinha do
ponto este bloqueio energético não existe. Então você pega o ponto
por baixo.

b.2) Às manipulações – Com acupuntura às vezes você manipula a


agulha para sedar, tonificar, estimular para desenvolver o Qi, etc.
418

O que fazer: Se houver resistência a esta manipulação, procure


girar suavemente a agulha nos dois sentidos (horário e anti-horário)
e aos pouquinhos você provavelmente consegue. Se não conseguir,
aguarde o tempo necessário a fim de que o processo terapêutico se
complete.

b.3) À retirada – Esse é o mais comum. Você coloca agulha, mas


ela fica como que abraçada pelo tecido e para retirá-la tem que
forçar. Se você forçar para retirar a agulha incomoda bastante, dói.

O que fazer: Gire a agulha suavemente no sentido horário e anti-


horário e vai puxando-a lentamente. Se continuar, demore mais um
pouco e repita a operação, sem forçar porque senão dói. Porque
você só deve retirar a agulha no momento em que tiver frouxo. Mas
em algumas condições isso não resolve, então se deve fazer o
seguinte: Massageia com a unha ao longo do meridiano, e isso
muitas vezes é o suficiente. Caso não seja suficiente então você faz
uma cerclagem em torno da agulha (coloca umas três agulhas em
redor do ponto que está a agulha) e aguarda um pouco.

Obs: A cerclagem é um procedimento muito interessante quando


você, por exemplo, tem uma úlcera (traumática, de decúbito,
varicosa, etc) e um procedimento simples para ajudar a cicatrização
da úlcera é fazer em torno dela uma cerclagem com agulhas.
Dependendo do tamanho o espaço entre as agulhas pode variar de
2-3 cm.

A cerclagem pode ser feito introduzindo a agulha


perpendicularmente ou tangencialmente à lesão, por um tempo em
torno de 15min. Quando elas estiverem frouxas.
419

Tenham paciência, não tenham pressa em relação à retirada da


agulha, porque se você tira a agulha muito rápido que ainda se
encontra presa, vai acontecer que vai doer. E para retirar a agulha
você tem que esperar que o estímulo terapêutico se complete.

O que acontece quando a agulha penetra na pele:

Quando a agulha penetra na pele, a agulha se comporta como se


fosse um corpo estranho ao organismo. O que ocorre quando um
corpo estranho penetra no organismo? Ocorre uma reação de
rejeição àquele corpo estranho e esse é o grande problema dos
transplantes. Localmente o que o ocorre no local da introdução da
agulha? Acontece uma liberação de substâncias químicas
responsáveis pela inflamação. O processo de inflamação é uma
etapa do processo de rejeição. Rejeição do germe, da bactéria, do
espinho que penetrou na pele, etc.

O processo de inflamação se caracteriza por quatro sinais:

Calor – Aumento da temperatura no local da inflamação e na área


vizinha não.

Rubor - O local fica avermelhado.

Tumor

Dor

Porque acontece isto? O corpo estranho é rejeitado e ocorre a


liberação local de certas substâncias químicas que facilitem a
retirada daquele corpo estranho.

Então ocorre um aumento do teor de: histamina, capsicina,


prostaglandinas, peptídeos diversos, etc.

A presença dessas substâncias vai acontecer um aumento da


permeabilidade capilar. Em torno da agulha vai aumentar a
dilatação dos capilares. Se aumenta a dilatação dos capilares,
chega mais sangue. Se chega mais sangue, fica avermelhado.

Aumento do aporte de leucócitos / histiócitos no local da picada.


420

Aumento do teor de linfa no local (líquidos). No local fica um


botãozinho, uma saliência.

E outras coisas que poderão aparecer. A dor pode acontecer porque


no ponto de acupuntura existe grande quantidade de terminações
nervosas e se esse aporte de histiócitos, leucócitos, etc. comprimir
essas terminações nervosas, mais a compressão causada pela
agulha, vão estimular essas terminações nervosas a causar dor.

c) RUPTURA DA AGULHA (Agulha quebrar)

Geralmente acontece por um descuido do acupunturista ou do


paciente. Se você coloca a agulha sem a atenção, pode acontecer
que a agulha já estando torta, ela entorte ainda mais e possa até
quebrar. Então quando você colocar a agulha, você tem quer
colocar com atenção e que a força de penetração da agulha seja
acompanhando a lâmina da agulha. Pode acontecer também da
agulha quebrar por ela estar um pouco dobrada e aquela área ficar
mais frágil. Nunca utilize agulhas que foi muito manipulada
(amassada, entortadas, etc).

Recomendação: Nunca deixe a agulha totalmente introduzida até o


cabo, porque vai dificultar a retirada da agulha se porventura ela
quebrar. Porque se ela quebra, na maior parte das vezes, você com
uma pinça facilmente retira. Mas se só tiver uma pontinha do lado
de fora, então você comprime lateralmente com a unha, geralmente
expõe mais a agulha e aí retira com a ajuda de uma pinça. Nunca
tente tirar com a unha, pois pode ser que ela entre mais ainda. Se
não conseguir de nenhuma dessas formas, aí então terá que ser
retirada cirurgicamente.

d) MÁCULAS, PÁPULAS, HEMATOMAS, SANGRAMENTOS,


EXSUDAÇÃO DE PLASMA OU SORO, EQUIMOSE.

Isso aqui às vezes não depende da nossa intenção, depende da


reação do paciente.
421

Máculas, Pápulas: Aquela mancha avermelhada, rosada que ocorre


em certos pontos e em certos indivíduos, isso é muito comum. É
muito freqüente, fica vermelho como se fosse uma picada de inseto.
É uma reação causada pela liberação de substâncias que vimos
acima, que causa um aumento da dilatação capilar e saem este
plasma, soro, leucócitos ou então chegam leucócitos e formam um
verdadeiro monte que às vezes coça. Porque estas substâncias têm
uma ação pruriginosa também. Por exemplo, a histamina faz coçar,
como se fosse uma picada de inseto. Qual é o significado disto?
Nenhum, sob o ponto de vista de prejuízo. Embora que geralmente
isso acontece como indicativo de boa resposta terapêutica.
Indivíduos que respondem marcando máculas e pápulas no local da
picada, e às vezes você tira a agulha e demora horas para sumir,
não tem significado negativo nenhum. Isso acontece em alguns
pontos, não em todos. Acontecem nas pessoas que tem um certo
fundo alérgico.

Quando você coloca uma agulha dentro da pele, está causando


uma micro-lesão. Esta micro-lesão vai ser responsável por todo
aquele processo de reação inflamatória e para desaparecer na
totalidade, leva cerca de uma semana (5 a 10 dias) para se
recuperar. Então a agulhada, para voltar a integridade total (antes
da agulhada) leva esse tempo. Durante esse tempo, o estímulo está
se fazendo, está se continuando naquele ponto.

Hematomas, exsudação: Se porventura você pega um vaso


(mesmo que você não veja, às vezes ele está subjacente ao ponto,
ele fica abaixo do ponto) e você tira a agulha e nem percebe e ele
depois fica roxo. Fica um hematoma (vermelho-roxo com elevação
da pele) ou às vezes uma equimose (fica vermelho-roxo sem
elevação da pele). Não tem significado clínico nenhuma, mas tem
significado estético. O hematoma e a equimose são conseqüências
de uma hemorragia que não extravasou para a pele.

Sangramentos: Se o sangue passa pelo orifício de penetração da


agulha, vai haver um sangramento maior ou menor, dependendo do
vaso que foi atingido. Não tem significado nenhum. O que fazer?
Sangrou, passe um algodão seco e comprime um pouco. A própria
422

elasticidade dos vasos e dos tecidos se encarrega de fazer a


hemostasia. Inclusive existem pontos que é recomendado sangrar o
ponto (deixar sair uma gotícula de sangue). Portanto se sangrar
tranqüilize o paciente que não tem ação negativa nenhuma. Para os
pontos que você vai querer que sangre, avise ao paciente primeiro
que vai tentar que saia uma gotícula de sangue.

Exsudação de plasma ou soro: É uma coisa chata, porque às vezes


não coagula fácil (principalmente o soro). Se não coagula, você só
pode parar quando a elasticidade dos tecidos conseguir retrair e
evitar a passagem do soro. Geralmente acontece nos casos de
edemas linfáticos ou então acontece quando você coloca a agulha,
forma uma pápula muito grande e quando retira sai uma gotícula de
plasma. Neste caso não tem significado nenhum. Agora naquelas
pessoas que tem edema, está com a perna inchada porque a
circulação de retorno não está boa, há uma retenção de plasma, ou
edema linfático, etc. Vamos evitar colocar a agulha nestes locais?
Não. Vamos colocar a agulha para melhorar o edema. Sabendo que
pode ficar gotejando. Pernas inchadas às vezes goteja muito tempo.
O que se recomenda? Colocar a perna para cima, comprimir com
algodão seco e depois de algum tempo passa. Não tem significado.

A cirurgia de esvaziamento ganglionar depois de uma mastectomia


(é importante porque é muito comum), se você tira os gânglios
linfáticos o que vai acontecer? Os vasos linfáticos não estão
suficientes para fazer a circulação linfática acontecer. Aí chega o
cirurgião e diz: não mexa neste braço, não deixe colocar agulhas,
etc.etc. (ele ignorante quanto à acupuntura, não sabe que o uso
de acupuntura no pós-operatório da cirurgia de mama, evita a
instalação do edema. Em vez de ser proibido, como muitos proíbem
veementes, deveria ser recomendado. A agulha da acupuntura é
lisa, é limpa, é seca, é fina, não causa dano absolutamente nenhum
neste tipo de coisa. Façam nos pontos que forem indicados.

Obs: Indivíduos que tem hemofilia fazem acupuntura? Sim. Se


sangrar, comprime com algodão seco e pronto.

e) DOR PERSISTENTE PÓS-PUNTURA


423

Isso acontece, raramente, mas pode acontecer. De um modo geral,


o ponto de acupuntura tem terminações nervosas maiores que o
adjacente. A picada em si pode eventualmente doer um pouquinho.
Geralmente as pessoas toleram muito bem, a não ser aquelas
hipersensíveis, etc. A dor geralmente é da picada. Mínima, mas
pode acontecer em grande número de pessoas.

Agora a dor que persiste depois da agulha está introduzida,


geralmente significa que a ponta da agulha está atingindo uma fibra
nervosa de maior calibre. Então o que fazer se está incomodando,
doendo? Puxe a agulha para fora (não retire a agulha) um
pouquinho e geralmente isso é suficiente para libertar o contato da
agulha com a fibra mais calibrosa. Mas há casos em que você retira
a agulha totalmente e dor persiste. O que fazer? O cliente reclamou
da dor, você faz uma leve massagem ao longo do meridiano.
Melhorou? Não. Então você faz moxa ao redor do ponto ou se
houver irradiação você faz moxa ao longo da irradiação da dor. É
muito simples, tranqüilize a pessoa e se a dor levezinha continuar,
diga para a pessoa não ficar tentando fazer doer.

f) NEURITE PÓS-PUNTURA (lesão no nervo)

É mais raro e mais sério. Fica a neurite ao longo da fibra nervosa


que você atingiu. Isto pode demorar meses para cura espontânea,
se não usar a acupuntura, que no caso e moxa. Aplica-se moxas ao
longo do trajeto da dor. Com poucas aplicações fica curado. Pontos
mais comuns de serem acometidos: B52, IG4, E36, B60, VB34.
Com o desenvolvimento do Qi é mais fácil desenvolver uma neurite,
principalmente no E36.

g) QUEIMADURAS POR MOXA

É interessante ver a sensibilidade do paciente para ver se está


normal, para não causar queimadura. Deve-se recomendar ao
paciente para ele não tolerar a queimadura, pois se tolerar muito vai
casar queimadura. E isso não deve jamais acontecer.
424

h) ELETRÓLISE – NA ELETROESTIMULAÇÃO

Você faz a estimulação e se não tiver cuidado necessário pode


causar eletrólise, e em conseqüência disso a queimadura.

Você coloca as agulhas na pele do paciente e faz o estímulo


elétrico. Liga a bateria, aparelho, etc. conectando este aparelho a
agulha e prende o fio, geralmente com a garra (jacaré) na área da
agulha (depois do cabo), porque o cabo pode ter resistência elétrica
diferente.

Uma agulha está recebendo carga elétrica negativa e a outra carga


elétrica positiva. Ora, a agulha está dentro da pele e em contato
com os líquidos orgânicos. Você sabe que os líquidos orgânicos são
ricos em íons positivos e negativos (sódio, potássio, hidrogênio,
cloro, fosfato, etc).

Estas cargas positivas que estão chegando aqui na agulha, sendo


positivas atrai os íons negativos. Então em torno da agulha fica, por
exemplo, cloreto, iodeto, fosfato, sulfato, etc. Eles ficam em torno da
agulha numa atmosfera de íons envolvendo a agulha. E na outra
agulha, uma outra atmosfera iônica de natureza positiva, por
exemplo, cálcio, potássio, sódio, magnésio, etc.

O que é que vai acontecer se você mantiver essas correntes


elétricas? Esses íons vão ser cada vez mais atraídos, que eles vão
se fixandos, grudandos, em torno da agulha positiva e da agulha
negativa, de modo que forma um verdadeiro bloco prendendo-se na
agulha. Então ficam as duas agulhas que receberam muita carga
elétrica, grudadas na pele. E que você tenta tirar as agulhas e elas
ficam presas na pele.

Este fenômeno chama-se eletrólise, que pode além de grudar na


pele, fazem a temperatura capilar aumentar, causando a
queimadura elétrica. Então você tem, portanto um dano muito sério
no tecido e para retirar a agulha vai ter quer tirar na força. E fica um
buracão porque lesou a pele de uma maneira muito intensa.
Portanto a eletrólise é um acidente muito chato e tem quer ter
cuidado quando você faz a eletroestimulação.
425

Como é que você atenua, diminui a possibilidade, como é que você


faz a prevenção disso? De uma maneira muito fácil. Isso acontece
depois que você faz o estímulo elétrico durante um período de 8-10
minutos aproximadamente. Se você interrompe a cada 5-6 minutos
e troca de pólo, ou seja, a carga que estava vindo para um lado,
troca pelo a outra (inverte as polaridades). E nesta inversão de
polaridade o que é que vai acontecer? As cargas de um lado que
eram positivas, agora vão atrair as inversas e no outro pólo do
mesmo jeito. Então fica, portanto uma movimentação iônica com os
estímulos elétricos que não vão causar a eletrólise. A cada
determinado tempo você inverte a polaridade, trocando as garras ou
então, hoje em dia os aparelhos estão construídos de tal modo que
basta você virar uma chave, que a polarização é invertida.

Existe aparelho mais moderno, que já fazem esta mudança


automaticamente. Você não fica com a preocupação nenhuma de
cuidar disso, porque o aparelho já faz e essa possibilidade de
eletrólise desaparece. Esta é uma ação que pode ser feita mesmo
em aparelhos modernos, que não tenham esta variação de
polaridade automática. Alguns aparelhos modernos têm, outros não.
Neste que não tem a variação automática, você tem quer fazer a
mudança do pólo ou com uma chave que muda de um para o outro
e vice-versa, ou então você desliga (zera) o aparelho e inverte a
posição das garras.

Como é que você vai calcular este tempo? Você coloca as agulhas,
coloca as garras na agulha, liga o aparelho e aí você começa a
aumentar a intensidade da corrente e o paciente vai sentir os
choquinhos. Só que esse choquinho é tolerável e você vai
aumentando, chega a um ponto que fica desagradável, dolorido.
Quando o paciente diz que está doendo, está incomodando, você
diminui um pouquinho e deixa o estímulo um pouco abaixo do limiar
da dor. Depois de algum tempo o paciente vai se adaptando por
causa dessa couraça eletrônica, que impede que o estímulo
atravesse, é como se fosse uma barreira eletrônica. Aí o paciente
começa a não sentir e quando ele começa a não sentir, está na
hora de trocar a polaridade.

A eletroestimulação é muito boa, por exemplo, em casos de dores


localizadas, dor de ombro, dor de articulação, etc. Ombro: você
coloca as agulhas, faz o estímulo elétrico durante 10-15 minutos e,
além disso, você pode fazer também a moxa. Aí você usou três
426

estímulos para tratar o problema no ombro. Você usou eletricidade,


fogo e agulha.

Contra-indicação da eletroestimulação:

Não fazer estímulos elétricos no crânio;

Procurar evitar fazer estímulos elétricos passando ao nível da


coluna, porque a pessoa pode ter algum defeito anatômico e causar
um eletrochoque.

No rosto, cuidado, vá devagarzinho. Coloque as agulhas só do


mesmo lado, para evitar a passagem lá por cima. Por exemplo, está
com paralisia facial, então coloco os pontos do meridiano do
estômago, mas só de um lado.

Pessoas que tem marcapasso não faz na área do tronco. Faz na


perna, mas com cuidado, sempre os eletrodos pertos um do outro e
sempre no mesmo nível, para evitar a passagem para cima. O
melhor é não usar estímulo elétrico quando o paciente tem
marcapasso. Usa o estímulo da agulha e do fogo.

Pessoas que tem próteses metálicas, fazer longe da prótese.

i) LESÃO DE ÓRGÃOS

Esse é um problema grave que pode acontecer. Lesar o pulmão,


lesar o coração, penetrou muito topou no coração, no fígado, nas
vísceras. Cuidado quando for colocar agulhas na face e a pessoa
pode mexer a cabeça e lesar o olho. Quando for trabalhar próximo
de mucosas, cuidado para não lesar a mucosa.

Mas o caso mais freqüente é a lesão de pulmão, quando se coloca


a agulha no tórax e o paciente inadvertidamente se mexe, bate e
enterra a agulha. Então quando você for trabalhar no tórax, cuidado
na colocação das agulhas, principalmente no tórax lateral em que a
musculatura é menos presente. Porque nas costas na altura da
427

lombar tem bastante músculo, mas lateralmente tem menos, a


parede é mais delgada e você pode fazer uma lesão torácica que
pode ser grave. Na área do pescoço devido às artérias calibrosas
não se recomenda colocar agulhas nem moxas, só massagem.
Também não deve usar moxa na região poplítea, porque a artéria
femural passa perto, nem também em mucosas não se deve fazer
moxa. Não deve usar moxa na virilha, na vizinhança dos olhos e até
mesmo na face para evitar cicatriz.

A lesão de órgãos internos é o cuidado máximo que devemos ter.

j) CONTAMINAÇÃO

Hoje em dia a maioria dos acupunturistas só usam agulhas de aço


inoxidável, porque são fáceis de serem conservadas, são baratas e
fáceis de serem construídas. E conseqüentemente se encontra com
preços baixos e repõe facilmente o seu estoque.

As agulhas são descartáveis, porém é desnecessário joga-las fora.


Não precisam ser descartáveis, você pode reaproveitá-las. Agora
hoje em dia, por essa questão de contaminação, se usa muito os
pacientes cada um deles terem as suas próprias agulhas. Isso é
uma coisa boa no sentido mais psicológico, porque no sentido da
realidade, as agulhas de acupuntura sendo lisas, maciças,
pontiagudas e secas, estão esterilizadas.

Se a agulha cair aqui no chão, cair um pouquinho de poeira, você


pega um algodão com álcool, tira a poeira, secou, essa agulha está
esterilizada. Não precisa mais nada. A agulha de injeção é que é
oca. Quando você penetra a agulha, lá dentro ficam retidas células,
plasma, sangue, restos tissulares, etc. que pode servir de meio de
cultura para bactérias, vírus, protozoários, etc. Para a agulha de
acupuntura não, você não faz acupuntura com agulha de injeção.
Você faz acupuntura com agulha própria.

A agulha tem que está limpa, lisa e seca. Para limpar usa álcool,
álcool iodado, etc. O vírus da aids ou bactéria que quiser suicidar-se
grude na agulha de acupuntura. Porque que morre? Explicação: O
contato de um germe qualquer (vírus, bactéria, etc) numa superfície
428

metálica ele morre. Por quê? Se você tem uma agulha de


acupuntura...

Aqui é uma agulha de acupuntura (ver desenho acima), e o germe


presente na parede. A proporção não é esta, é muito maior. Uma
bactéria tem em torno de 2 micros de dimensão, uma grande tem
10 micros e a agulha é milímetro. É como se fosse 1m em 1 Km.

Ora, nós sabemos que as células vivas têm a sua membrana


externa polarizada eletricamente. Isso significa que a camada de
fora da célula é dotada de cargas elétricas positivas em maior
número do que a camada interna. E inversamente, dentro da célula,
as cargas negativas predominam. A carga positiva o que é? É a
carga positiva dos íons que estão presentes nos tecidos vivos
(sódio, potássio, cálcio, magnésio, hidrogênio, etc.). As cargas
negativas estão do lado de dentro, são causadas pelas cargas
iônicas negativas que estão presentes nos tecidos vivos (cloreto,
iodeto, sulfato, fosfato, bicarbonato, etc.).

Se esta célula está eletricamente carregada e está em contato com


o metal (só vale para as agulha metálicas, objetos de madeiras,
espinhos, etc. não serve). O contato de uma superfície
eletricamente carregada com um metal, faz com que o metal sendo
condutor elétrico (os metais são condutores elétricos), estas cargas
positivas vão se escoar ao longo do corpo da agulha.

Se vão se escoar as cargas positivas, aí fica numa outra etapa


assim: cargas negativas dentro da célula (mas também tem cargas
positivas dentro) e do lado de fora sem cargas negativas e
negativas. Para manter a vida, precisa as cargas positivas irem para
fora. Então do lado de fora vão ficar o sódio, potássio, cálcio, etc. A
célula continua presa em contato com o metal da agulha. Se
continua o contato, a carga elétrica que chega vai se escoando ao
longo da agulha. Ao fim de poucos segundos, a célula entra numa
depleção elétrica, depleção iônica e morre. Não há risco de você
reutilizar as agulhas. Contanto que elas estejam limpas, lisas e
secas.

E porque se recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas?


Porque existe uma coisa chamada paciente. Este paciente que leu
no jornal que a acupuntura é responsável por todos os males do
mundo. No passado era assim, a acupuntura era responsável pela
429

lepra, pela sífilis, pela aids. Durante muito tempo era assim, no
tempo em que se procurava destruir a acupuntura. Porque a
acupuntura estava ameaçando a entrar no Brasil, foi depois que o
Nixon chegou aos Estados Unidos e viu os resultados...

A campanha aqui no ocidente foi terrível, colocavam tudo que era


de ruim. E o medo da contaminação ficou. E a aids veio então
mostrar o problema que é da agulha de injeção e não da agulha de
acupuntura. Mas por extensão, este medo foi colocado na agulha
de acupuntura também.

Por você tem que respeitar o medo (receio) do paciente. Lembre-se


que o trabalho nosso é para o nosso paciente. Ele tem que está
tranqüilo. Porque ele vem atrás de nosso auxílio, então você tem
que tranqüilizá-lo psicologicamente, deixá-lo sossegado e em paz,
sem medo de contaminação de nenhuma espécie. Porque se
acontecer de colocar uma agulha nele e ele não saiba a
procedência, ele pode ter medo. E além do trauma psicológico, ele
não volta mais para o tratamento. Então você tem que respeita-lo.

Como é que você respeita o paciente? Se ele tiver as suas agulhas


próprias (ele diz se tiver germe, é germe meu não vai fazer mal).
Então você usa e coloca em tudo de ensaio. (...) Por isso é que se
recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas.

Uma coisa importante é a assepsia da pele. Geralmente na pele


não tem bactérias patogênicas, então você passa álcool, álcool
iodado, etc. para evitar a contaminação. Evita que se empurre
bactéria para dentro da pele.

Uso de luvas: A tradição chinesa não recomenda usar luvas. Por


quê? Por que existe a idéia de que colocar agulha não é só o ato
mecânico da introdução do corpo estranho. Fazer moxa não é só o
estímulo térmico. Acupuntura é também trocas energéticas. Quando
você toca no paciente, você está estabelecendo com o paciente
uma troca energética benéfica para ele e sobrecarga para você. As
respostas segundo toda a tradição chinesa são de que o toque
favorece os resultados. Se você faz acupuntura tocando no
paciente, as respostas são melhores. E esse toque tem que ser
direto, sem interferência de luva, que segundo eles, as respostas
terapêuticas diminuem significativamente. Então trabalhar sempre
com as mãos livre de luvas.
430

Entre um cliente e outro, segundo a tradição chinesa, para que as


energias sutis do paciente que ficam um pouco na cama, mexam no
lençol, mexam na cama, modifiquem a posição, ajeitem o lençol,
façam qualquer coisa. E lavem as mãos com água, em benefício do
próximo paciente que virá e de você. Para você não absolver as
eventuais energias negativas que o paciente tenha deixado.

Portanto a tradição chinesa recomenda:

Não usar luvas;

Lavar as mãos no i’ntervalo de um paciente para o outro;

Rearrumar, fazer uma pequena mexida na cama em que o paciente


deitou.

3. ROTEIRO DE TRATAMENTO
431

Anamnese com investigação de microssistemas: língua, olho, pulso,


orelha, etc.

Listar sinais e sintomas indicando excesso e/ou insuficiência (por


Meridiano Principal – MP).

Montagem do Tratamento:

Indicação do Vaso Maravilhoso (Analisar a queixa principal).

Somente alterar o VM quando a queixa principal tornar-se


insignificante.

Identificar na lista de Sinais e Sintomas o(s) Meridiano(s)


Principal(ais) em desequilíbrio (Fisiopatologia por excesso e/ou
insuficiência).

AÇÃO:

Classificar os MP por excesso e/ou insuficiência.

Avaliar quantitativamente os excessos e insuficiências.

Considerar aqueles com 2 ou mais sintomas / sinais em


desequilíbrio.

Desconsiderar aqueles com menos de 2 sintomas.

Definição do Diagnóstico (Excesso / Insuficiência).

Quando não fechar o diagnóstico de  ou , tratar o Ponto Fonte


do MP.

Mais de 2 MP em desequilíbrio, fazer a interação das funções.

Tratar inicialmente o MP com maior número de sinais e sintomas


alterados.

Tratamento:

Elaborar o Pentagrama dos MP em desequilíbrio (estação):


432

Yin Yang

Obs: Se necessário fazer a interação das funções.

MERIDIANOS SECUNDÁRIOS (MS): Sinais e Sintomas com


indicação de MS em desequilíbrio.

Meridianos Tendino-Muscular ou Ligamentares.

Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Longitudinais.

Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Transversais.

Meridianos Distintos ou Colaterais.

Grandes meridianos.

Intervenção Prática:

Relacionar todos os pontos a serem punturados.

Abrir tratamento com Vaso Maravilhoso.

Meridianos Principais, Meridianos secundários, Microssistemas.

Fechar com vaso maravilhoso.

Aguardar o tempo necessário e iniciar a retirada das agulhas


obedecendo à regra do Vaso Maravilhoso.
433
434

4. FICHA DE ANAMNESE

Nome:
______________________________________________________
__________

Data de Nascimento: ______/______/________ hora: ________


Sexo: ___________

Idade: __________________ Ponto Aberto:


_______________________________

Estado Civil: ______________________ Filhos: ( ) Sim ( ) Não


_________________

Profissão:
______________________________________________________
_______
435

Endereço:
______________________________________________________
_______

___________________________ Fone:
_____________________________________

INTERROGATORIO:

Aspecto Local

Qual é o seu problema?


_____________________________________________

O que você sente?


_________________________________________________

Quando começou o problema?


_______________________________________

Aonde se localiza sua doença?


_______________________________________

O que melhora (frio, calor, vento, etc)?


_________________________________

O que piora?
_____________________________________________________

Toma algum medicamento? Qual?


____________________________________

O queis alguma coisa incomoda?


_____________________________________

Quais doenças você já teve?


_________________________________________

Quais cirurgias já fez?


______________________________________________
436

Como é sua respiração?


____________________________________________

Tem tosse, catarro, expectoração?


____________________________________

Algum problema de pele, mucosa, nos cabelos, unhas, ossos e


dentes?______

E sua digestão? Intestino?


___________________________________________

Como são as fezes? Freqüência de evacuação?


_________________________

Algum problema circulatório?


________________________________________

Como é a urina (volume, cor e freqüência)?


_____________________________

Tem algum incômodo na cabeça, olhos (F), nariz (P), ouvidos ®,


boca (BP), garganta (BP e F) ?
________________________________________________

Tem algum incômodo nas pernas, braços, articulações, coluna?


____________

Aspecto Geral

Como se sente no frio? E no calor?


____________________________________

Como é a sua sede?


_______________________________________________

Como é a febre (se tiver)?


___________________________________________

Como é sua transpiração? Quando transpira mais e em que local?


__________
437

Hábitos alimentares? Desejos e aversões alimentares.


____________________

Hábitos bebidas? Outros hábitos?


____________________________________

Como é seu sono? A que horas desperta durante o sono? Sonhos


repetitivos? _

Como é a menstruação?
____________________________________________

Como é a disposição durante o dia e a noite?


____________________________

No caso de dor

Local da dor :
_____________________________________________________

Classificar o tipo de dor em Yin / Yang

YIN

DOR YIN

DOR YANG

YANG
438

Crônica

Aguda

Fixa

Móvel

Profunda

Superficial

Agrava pelo frio

Agrava pelo calor

Agrava pelo repouso

Agrava pelo movimento

Agrava com aplicação fria

Agrava com aplicação quente


439

Tipo surda

Tipo latejante

 TOTAL

TOTAL 

Conclusão: Dor tipo ( ) Yin () ( ) Yang ()

Avaliar o(s) Meridianos que passam pelo local da dor:


________________

Aspecto Psíquico

Como é o seu gênio, sua personalidade, seu modo de ser?


_________________

Como você se ofende, como fica?


_____________________________________

Como enfrenta as situações difíceis?


__________________________________

Quais são os seus medos?


__________________________________________

Como você fica ao ser contrariado(a)?


_________________________________

Como você é em relação à imposição das idéias?


________________________

O que mais gostaria de dizer?


________________________________________
440

Observações:
_____________________________________________________

Exame do Pulso Radial

Nílvel I ____________ Nível III

P. Direito __________ P. Esquerdo

P. Superficial _______ P. Profundo

Tipologia:

( ) Tipo Yin

( )Tipo Yang
441

PULSOLOGIA CHINESA

RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO PELOS PULSOS:

Autoconfiança; Não duvide de sua capacidade.

Preferência sempre para a informação detectada no pulso;

Preferencialmente tomar o pulso em jejum pela manhã. Porque a


energia nutridora ainda não deu a mobilidade diferenciada que ele
442

dar quando o indivíduo se alimenta. A energia defensiva ou wei ela


nos vem através do ar, mas a energia nutridora ela vem através dos
alimentos. Então de manhã enquanto o indivíduo está em jejum,
está tudo estável. Mas na hora em que ele se alimenta, modifica o
padrão daquela realidade. Mas na realidade esse procedimento
normalmente não é viável, pois nem sempre poderemos contar com
o paciente em jejum;

Devemos tomar os pulsos em todas as sessões. Fazer o tratamento


de fundo (causas maiores) e o tratamento pelos pulsos do dia. Isso
é muito importante;

É natural que no horário e na estação da função, perceba-se algum


excesso de energia:

Inverno  R e B são mais fortes e profundos (requerendo mais força


para detectar);

Primavera  F e VB mais tensos;

Verão  C-ID-CS-TR mais cheios (maior volume da energia


sangue);

5a. Estação  É natural a transformação / mudança nos pulsos de


E e BP;

Outono  P e IG apresentam pulsos ligeiros;

Se quadro e pulso não “concordam”, o prognóstico é grave.

A posição do paciente em relação ao terapeuta: Em que posição


que a gente toma o pulso? Se o indivíduo chega ao nosso
consultório e eu tenho uma linda mesa e tem uma cadeira minha e
mais duas cadeiras em frente, clássico do consultório. Se eu tenho
um consultório tipo clássico, eu sentado do lado de cá e o paciente
sentado do lado de lá e por cima da mesa com o ponto de apoio,
que é a mesa, eu tomo o pulso do paciente. Mas e se eu encontro o
paciente no corredor? Toma o pulso em pé. E se o paciente estiver
deitado? Muitas vezes quando o paciente está deitado se torna
difícil pegar o pulso. O que a gente faz é: o paciente poderá colocar
os dois braços do mesmo lado do terapeuta, e ele pega os dois
443

pulsos. Se não der para fazer isso, poderá pegar um pulso de um


lado depois vai no outro lado e pega o outro.

Paciente e terapeuta não devem está sentindo muito frio ou muito


calor, porque isso altera a percepção ou altera o pulso.

ELEMENTOS PARTICULARES OU VARIAÇÕES INDIVIDUAIS:

Os pulsos além das características que ele tem para aquele


indivíduo, aquele indivíduo ele pode realçar por ter um elemento
diferenciador. O homem alto, a criança, o obeso. Estas pessoas têm
pulsos particulares ou variações individuais.

O homem tem pulso mais duro e forte do que a mulher;

O adulto tem o pulso cheio, amplo (um pulso mais fino no


adolescente é perfeitamente normal);

O ancião tem pulso mais débil;

A criança tem pulso mais rápido, isto é, Freqüência Cardíaca x


Freqüência Respiratória > 6;

O homem tem o pulso mais longo que o da mulher;

A pessoa magra tem pulso ligeiro e superficial;

O obeso tem pulso discretamente profundo (tem fazer uma pressão


maior para chegar até a pele);

Intelectuais tem pulso mais débil;

Após exercícios o pulso é grande e rápido;

Após viagem longa, o pulso é mais rápido (é mais devido à


distância percorrida do que ao tempo de viagem);
444

Após refeição, o pulso é grande e lento;

Após ingestão de álcool, o pulso se torna mais rápido.

EXCESSOS GENERALIZADOS

Polaridade

Excessos Generalizados

Pulsos Relacionados

Pulso

Posição

Segmento

Yang

D>E

Superficial

>

Profundo
445

I > III

Duro e Rápido (“vai” e “volta” rapidamente).

Também amplo; mais forte.

Yin

D<E

Superficial

<

Profundo

I < III

Mole ou Macio e Lento (“vai”/”fica” e “volta”).

Mais fraco; fluxo mais baixo.

* Pulso D > E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente,


batem mais fortes que os do lado esquerdo.

Pulso D < E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente


batem mais fracos que os do lado direito.

Tratamento: Excesso Generalizado

YANG  CS6 (T), VC6 (T), TR5 (D).

YIN  E36 (T), VC12 (T), VC13 (T).


446
447

VASOS MARAVILHOSOS

CAPTADORES

(Os captadores (os dois) servem para ALERGIAS)

Traz para frente e frente para trás (Qualquer desequilíbrio que haja
entre a parte da frente e a parte de trás. Ex. costas quente. (serve
para os dois vasos captadores)).

P7 R6 – JENN MO - VC

 Problemas respiratórios e qualquer tipo de cefaléia.

Sintomas:

Abscesso de mama

Dores (cabeça e nuca)

Meningite em crianças

Afonia

Enfisema

Ondas de calor
448

Asma / Bronquite

Equisemas

Pleurisias

Astenia

Gripe

Pneumonia

Coqueluche

Hemoptise

Rinites / Sinusite

Coriza

Intoxicação alimentar

Tosse

Diabetes

Laringite

Tuberculose pulmonar

Dispnéia

Medo nas crianças

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.
449

ID3 B62 – TOU MO

 Excelente Ação Psíquica.

Sintomas:

Alucinações

Dor nos olhos

Amidalite

Excitação

Angina de garganta

Lacrimejamento

Boca (qualquer afecção)

Lumbago

Calor nas costas

Nevralgias (testa e sobrancelhas)

Conjuntivite

Problema nas extremidades (dormências)

Contraturas (nuca, maxilar e garganta).

Ranger de dentes

Distúrbios motores das extremidades

Surdez

Dor de dente
450

Tétano

Dor na 7a. cervical

Tosse com catarro

Dor nas costas / Nuca

Vertigens

ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-

falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a


pele muda de cor.

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a


pele muda de cor.

DISTRIBUIDORES

(Os Distribuidores tem um trabalho BÁSICO PARA TR)

Eles tratam problemas:

Profundo  Superficial

Superficial  Profundo

BP4 CS6 – TCHRONG MO – Vasos dos ataques.

 Problemas digestivos e problemas musculares.

Sintomas:
451

Angina de peito

Dores superficiais (abdômen e flancos)

Anorexia/ Inapetência

Febre palustre

Arritmias

Hipercloridria

Atonia gástrica

Icterícia

Bradicardia

Miocardite

Colecistite

Palpitações

Diarréia

Pericardite

Distúrbio do aparelho digestivo

Soluços

Dores no coração

Úlceras

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1o.


metatarsiano com o 1o. cuneiforme, diante e debaixo da
extremidade proximal do 1o. metatarsiano.

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca,


entre os tendões palmar maior e palmar menor.

.
452

VB41 TR5 – TAE MO – Vaso Cintura.

 Problema Ósteo-Artculares.

Sintomas:

Amenorréia

Espasmo geral

Anemia

Fraqueza / Fadiga

Artrite em geral

Mamite

Contratura (pé e mão)

Plenitude (inchaço no ventre)

Dores (joelho, costas, ombro, braços, pernas, pés e tornozelo).

Reumatismo articular

Dores internas (ventre)

Tremores em geral

Dores menstruais para não virgens

Vermelhidão de pulsos e joelho

Esgotamento geral

Vômitos
453

B41  No espaço formado pelo 4o. e 5o. metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40 (Diante e
debaixo do maléolo externo, sobre a articulação calcâneo-
cuboidea).

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço, em um buraco estando a mão
apoiada sobre o ombro oposto.

REGULADORES

De um lado para o outro.

R6 P7 – INN TSIAO MO – Acelerador do Inn.

 Problemas gênito-urinários.

Sintomas:

Abortos repetidos

Edemas em geral

Metrite

Albuminúria

Enurese

Nefrite
454

Anúria

Esgotamento para mulheres e idosos

Orquite

Ausência de prazer sexual

Esterilidade e Frigidez

Ovarite

Cistite

Hemorragia pós-parto

Prostatite

Constipação para mulheres

Impotência

Retenção urinária

Dores do pós-parto

Insônia

Sonolência

Dores nas regras (só para virgens)

Leucorréia
455

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.

B62 ID3 – IANG TSIAO MO

Transtornos com prevalência de um dos lados.

 Decorrências do AVC (seqüelas).

Sintomas:

Abscessos em geral

Dores lombares

Afazia

Furunculoses

Apoplexia

Hemiplegia

Ciática (+++) – Excelente

Obsessões (vícios)

Congestão cerebral

Paralisia facial
456

Contraturas (torcicolo e câimbras)

Paraplegia

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a


pele muda de cor.

ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-


falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a
pele muda de cor.

PRODUTORES

(MAIOR AGILIDADE E FORÇA – INDICADO PARA IDOSOS)

De cima para baixo.

De baixo para cima.

Ex. Pés gelados e cabeça quente, etc.

CS6 BP4 – INN WEI

 Transtornos Emocionais Circulatórios; AVC (Prevenção para não


ter mais).
457

Sintomas:

Agitação

Epilepsia

Plenitude interna

Angústia / Apreensão

Hemorróidas

Riso nervoso

Constipação espasmódica

Hipertensão

Timidez

Convulsão / Delírio

Indigestão (Todos os tipos)

Úlceras varicosa

Depressão mental

Inquietude

Varizes

Emotividade

Medos e Pesadelos
458

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca,


entre os tendões de palmar maior e de palmar menor.

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1º


metatarsiano com o 1º cuneiforme; diante e debaixo da extremidade
proximal do 1º metatarsiano.

TR5 VB41 – IANG WEI

 Energização em casos de esgotamento pela idade ou evolução


patológica.

Sintomas:

Abscessos na cabeça

Epistaxes

Acne

Febres em geral

Afecções da língua

Inchaço no calcanhar

Artrite de dedos e joelhos


459

Nevralgias em geral

Barulho nos ouvido

Otites

Cefaléias

Parotidite

Dores (Braço, pescoço, molares inferiores e orelhas).

Pruridos (P5)

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço estando a mão apoiada sobre
o ombro oposto.

VB41  No espaço formado pelo 4º e 5º metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40.

7. PONTO ABERTO DA HORA DO NASCIMENTO

TRONCOS EM 1o. DE JANEIRO

1920 T5

1934  T9
460

1948  T2

1962  T6

1976  T9

1990  T3

2004  T5

1921  T1

1935  T4

1949  T8

1963  T1

1977  T5

1991  T8

2005  T1

1922  T6

1936  T9

1950  T3

1964  T6

1978  T10

1992  T3

2006  T6

1923  T1

1937  T5

1951  T8

1965  T2
461

1979  T5

1993  T9

2007  T1

1924  T6

1938  T10

1952  T3

1966  T7

1980  T10

1994  T4

2008  T6

1925  T2

1939  T5

1953  T9

1967  T2

1981  T6

1995  T9

2009  T2

1926  T7

1940  T10

1954  T4

1968  T7

1982  T1

1996  T4
462

2010  T7

1927  T2

1941  T6

1955  T9

1969  T3

1983 T6

1997  T10

2011  T2

1928  T7

1942  T1

1956  T4

1970  T8

1984  T1

1998  T5

2012  T7

1929  T3

1943  T6

1957  T10

1971  T3

1985  T7

1999  T10

2013  T3

1930  T8
463

1944  T1

1958  T5

1972  T8

1986  T2

2000  T5

2014  T8

1931  T3

1945  T7

1959  T10

1973  T4

1987  T7

2001  T1

2015  T3

1932  T8

1946  T2

1960  T5

1974  T9

1988  T2

2002  T6

2016  T8

1933  T4

1947  T7

1961  T1
464

1975  T4

1989  T8

2003  T1

2017  T4

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

-1

+0

-2

-1

-1

+0
465

+0

+1

+2

+2

+3

+3

Data do dia

Somar 1 (um) de 1o. de março a 31 de dezembro quando o ano for


*bissexto

*Obs: Divide o ano por 4, se o resultado for exato é bissexto.

O tronco do dia é o algarismo da unidade (zero significa tronco 10)

PONTOS ABERTOS

HORA

T1

T2

T3

T4

T5

T6

T7
466

T8

T9

T10

23/01

ID2

E36

IG3

TR1

VB38

ID2

E36

IG3

TR1

VB38

01/03

C3

BP3

CS3

R7

R1

C3

BP3

CS3
467

R7

R1

03/05

E43

TR10

B60

B67

ID8

E43

TR10

B60

B67

ID8

05/07

CS5

P8

P11

F8

F2

CS5

P8

P11

F8
468

F2

07/09

IG5

IG1

VB34

VB43

TR6

IG5

IG1

VB34

VB43

TR6

09/11

BP1

R10

R2

CS7

C7

BP1

R10

R2

CS7

C7
469

11/13

B54

B66

TR3

ID3

E45

B54

B66

TR3

ID3

E45

13/15

P10

CS8

F3

C9

BP5

P10

CS8

F3

C9

BP5

15/17
470

TR2

VB41

ID1

E41

IG2

TR2

VB41

ID1

E41

IG2

17/19

R3

F1

C4

BP2

P5

R3

F1

C4

BP2

P5

19/21

VB44
471

ID5

E44

IG11

B65

VB44

ID5

E44

IG11

B65

21/23

F4

C8

BP9

P9

CS9

F4

C8

BP9

P9

CS9

HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL

ANO
472

PERÍODO

ABRANGÊNCIA

1931 / 1932

11hs de 03/10/1931 até 24hs de 31/03/1932

Todo o Território Nacional

1932 / 1933

00h de 03/10/1932 até 24hs de 31/03/1933

Todo o Território Nacional

1949 / 1950

00h de 01/12/1949 até 00h de 16/04/1950

Todo o Território Nacional

1950 / 1951

00h de 01/12/1950 até 00h de 16/04/1951

Todo o Território Nacional

1951 / 1952

00h de 01/12/1951 até 00h de 31/03/1952

Todo o Território Nacional

1952 / 1953

00h de 01/12/1952 até 00h de 28/02/1953

Todo o Território Nacional

1963

00h de 23/10/1963 até 00h de 09/12/1963

SP, RJ, GB, MG, ES


473

1963 / 1964

00h de 09/12/1963 até 00h de 01/03/1964

Todo o Território Nacional

1965

00h de 31/01/1965 até 00h de 31/03/1965

Todo o Território Nacional

1965 / 1966

00h de 30/11/1965 até 00h de 01/03/1966

Todo o Território Nacional

1966 / 1967

00h de 01/11/1966 até 00h de 01/03/1967

Todo o Território Nacional

1967 / 1968

00h de 10/11/1967 até 00h de 01/03/1968

Todo o Território Nacional

1985 / 1986

00h de 02/11/1985 até 00h de 15/03/1986

Todo o Território Nacional

1986 / 1987

00h de 25/10/1986 até 00h de 14/02/1987

Todo o Território Nacional

1987 / 1988

00h de 25/10/1987 até 00h de 07/02/1988


474

Todo o Território Nacional

1988 / 1989

00h de 16/10/1988 até 00h de 29/01/1989

Todo o Território Nacional, exceto para: AC, AM, PA, RR, RO e ter
AP

1989 / 1990

00h de 15/10/1989 até 00h de 11/02/1990

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, TO, MS, MT, BA, SE, AL, PE,
PB, RN, CE, PI, MA, DF e Ilhas oceânicas

1990 / 1991

00h de 21/10/1990 até 00h de 17/02/1991

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, BA, MS, MT, DF

1991 / 1992

00h de 20/10/1991 até 00h de 09/02/1992

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF

1992 / 1993

00h de 25/10/1992 até 00h de 31/01/1993

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF

1993 / 1994

00h de 17/10/1993 até 00h de 20/02/1994

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, AM

1994 / 1995

00h de 16/10/1994 até 00h de 19/02/1995

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF
475

1995 / 1996

00h de 15/10/1995 até 00h de 11/02/1996

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, TO, AL, SE

1996 / 1997

00h de 16/10/1996 até 00h de 16/02/1997

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, TO

1997 / 1998

00h de 16/10/1997 até 00h de 01/03/1998

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, TO

ANO

PERÍODO

ABRANGÊNCIA

1998 / 1999

00h de 11/10/1998 até 00h de 21/02/1999

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, TO

1999 / 2000

00h de 03/10/1999 até 00h de 27/02/2000

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA, GO, MT, MS, DF, TO, SE, AL, PE,
PB, RN, CE, PI, MA, RR
476

2000

00h de 08/10/2000 até 00h de 15/10/2000

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, TO,BA, SE, AL, PE, PB,
RN, CE, PI, MA, RR, DF

2000

00h de 15/10/2000 até 00h de 22/10/2000

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, TO, BA, SE, AL, PB,
RN, CE, PI, MA, DF

2000 / 2001

00h de 22/10/2000 até 00h de 18/02/2001

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, TO, BA, DF

2001 / 2002

00h de 14/10/2001 até 00h de 17/02/2002

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, TO, BA, SE, AL, PE,
PB, RN, CE, PI, MA, DF

2002 / 2003

00h de 03/11/2002 até 00h de 16/02/2003

RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, TO, BA, DF
477
478

8. SINAIS E SINTOMAS DE EXCESSO OU INSUFICIÊNCIA

Yin e Yang

YIN

 Excesso Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto sólido, bem nutrido; Edema; Frio interno;


Tendências às congestões, inflamações e abscessos; Tez vermelha.

Pulso: Pulsos esquerdos mais fortes e duros que os direitos –


Pulsos profundos e médios mais duros que os superficiais – Pulsos
I amplos, fortes e pulsos III igualmente fortes.

 Insuficiência Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto balofo, inchado, flácido; Aspecto magro;


Falta de resistência; Fraqueza física; Lassitude; Preguiça; Rosto
levemente azulado, escuro;
479

Tendência à vertigem; Tez sem cor.

Pulso: Pulsos esquerdos menos fortes que os direitos – Pulsos


médios e profundos menos fortes, duros e amplos que os
superficiais – Pulsos I miúdos, delgados e pulsos III pouco
perceptível – Todos os pulsos miúdos, pequenos.

YANG

 Excesso geral:

Aspecto Psíquico: Agitação; Calor externo; Excesso de alegria,


cantos, risos; Gestos rápidos; Olhos muito brilhantes e vivos;
Palavra muito excitada; Voz muito sonora e timbrada.

Aspectos Gerais: Contrações; Convulsões; Dores locais; Espasmos;


Pontos dolorosos à pressão.

Pulso: Pulsos direitos mais fortes que os esquerdos – Pulsos


superficiais mais tensos, amplos e duros que os pulsos médios e
profundos – Pulso I (IG-P-ID-C) amplos e fortes e pulsos III (B-R-
TR-CS) normais – Todos os pulsos adiante de sua localização

 Insuficiência Geral:

Aspecto Psíquico: Dificuldade de palavra; Gestos lentos; Lágrima;


Olhos ternos; Tristeza; Voz sem timbre.

Aspectos Gerais: Forma sem firmeza, flácida, branca; Pontos


adormecidos sob pressão; Prurido.

Pulso: Pulsos direitos mais fracos e moles que os esquerdos –


Pulsos superficiais mais fracos que os médios e profundos – Pulso I
(IG-P-ID-C) fracos e pulsos III (B-R-TR-CS) fortes –– Todos os
pulsos antes de sua localização

b. MERIDIANOS PRINCIPAIS
480

Meridiano do Baço-Pâncreas

Dor e distúrbios ao longo do meridiano do Baço, do Pâncreas e dos


órgãos: baço e pâncreas;

Distúrbios digestivos, genitais, cutâneos e do tecido mole


(conjuntivo, lábio e boca). Déficit imunitário. Edema;

Agravação: das 9-11 hs. Da manhã; manhã; primavera;

Melhoria: após as 12:00 hs; outono.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Grandes suspiros; Hiper-reflexão; Idéias fixas;


Memória difícil; Obsessão; Obstinação; Pesadelos; Tristeza.

Aspectos Gerais: Articulações dolorosas; Artralgia; Constipação


intestinal; Distensão e dor abdominal; Doenças e dor nos lábios;
Dor T.M; Edema; Eliminações pouco abundantes (salivas, urina,
transpiração, lágrimas, etc); Formas excessivas; Mialgia da face;
Mialgia; Obesidade; Sensação de ardor no corpo; Ventre grande,
porém fraco;

Língua: ventre lingual, com saburra amarelada e seca.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Dificuldade de concentração;


Sonambulismo.

Aspectos Gerais: Abdômen doloroso (melhora com a pressão);


Abdômen tenso e distendido (aerocolia); Aerogastria; Aftas bucais;
Anorexia; Astenia; Debilidade; Diarréia; Digestão lenta (má
digestão); Edemas; Eliminações abundantes; Fácies amareladas;
Fadiga matinal que pode se prolongar até as 5 horas da tarde;
Fadiga; Falta de sede; Flatulência; Frio e fraqueza dos pés;
Insuficiência de forma; Sialorréia; Vômitos.
481

Língua: Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão dos


dentes nos bordos.

Pulso: Pulso mole, fraco.

Meridiano da Bexiga

Dor ao longo do Meridiano da Bexiga e da víscera bexiga, vias


urinárias;

Dor e distúrbio: região dorsal, cabeça, nuca;

Agravação: das 15-17 hs, verão;

Melhoria: após as 3 e 5 hs, na primavera.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Calorento; Insônia; Plenitude;


Sonolência sem comer; Voluntarioso.

Aspectos Gerais: Cálculos renais; Dermatose; Dermatoses


infectadas; Desejos freqüentes e urgentes de urinar; Distúrbios
digestivos; Disúria e ardor durante a micção; Dor de cabeça ao
defecar; Dor na coluna vertebral, em região dorsal; Ereção peniana
excessiva; Erosões excessivas, prostáticas; Febre; Furúnculos;
Obstrução nasal; Oligúria de coloração escura e odor forte; Pouca
urina; Prostatite ciática; Retenção de urina.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Cérebro transtornado; Confusão mental; Falta de


vontade; Friorento; Insegurança; Sonolência.

Aspectos Gerais: Anemia; Diurese intensa ou pouco freqüente; Dor


intercostal irradiada para a região lombar; Epistaxe; Espermatorréia;
Falta de vigor sexual; Incontinência urinária; Levanta-se a noite para
urinar; Parasitose intestinal; Urina abundante e incolor.
482

Pulso: Pulso vazio, fraco.

Meridiano da Circulação e Sexualidade

Dor e distúrbios ao longo do Meridiano do CS e das funções


gonádicas, circulatória e geniturinária;

Agravação: das 19-21 hs., inverno;

Melhoria: Interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Caráter forte; Cólera; Irritabilidade;


Opressão; Preocupações sexuais; Sem piedade.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Convulsão; Coração agitado; Dor de


cabeça congestiva; Dores surdas (difusa, ao contrario da dor
aguda); Fertilidade; Halitose; Hemorróidas; Hipertensão arterial;
Mau hálito; Ofegação rápida por riso ou alegria; Rubor facial;
Sensação de calor no coração e de coração agitado; Urina pouco
freqüente, rara ou difícil.

Língua: Glossite.

Pulso: Pulso cheio, largo e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Ausência de alegria; Depressão moral;


Descontentamento; Emotividade; Fadiga, com alegria; Histeria;
Idealiza o amor; Insônia; Medo; Neuroses; Passividade; Tristeza.

Aspectos Gerais: Agrava no escuro, à noite, no frio; Astenia;


Esterilidade; Fadiga; Febre (por nervoso ou fadiga); Frigidez;
Hipertensão arterial; Impotência; Indiferença sexual; Infertilidade;
Insuficiência do vigor sexual; Laringe entorpecida; Rigidez de
cabeça e nuca; Surdez; Vertigens.
483

Pulso: Pulso profundo, fino e fraco.

Meridiano do Coração

Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Coração e do órgão


coração;

Distúrbios do coração, neurovegetativos, estresse;

Doenças mentais, parkinsonismo, epilepsia, insônia;

Doenças bucais (língua);

Agravação: das 11-13 hs., 24:00 hs., 12:00 hs., inverno;

Melhoria: diurna, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação do espírito; Audácia; Coragem;


Emotividade; Excesso de alegria; Excitação mental; Riso fácil; Voz
sonora.,

Aspectos Gerais: Angina pectoris; Dores no coração e braços;


Epistaxe; Fortes palpitações dolorosas; Hipertensão arterial;
Menstruação abundante; Não se resfria; Odontalgia que se irradia
para o tórax; Olhos brilhantes; Precordialgia; Pressão arterial
elevada; Pulso rápido; Rubor facial (cara vermelha); Sede;
Sensação de calor torácico; Soluços; Taquicardia; Úlceras bucais.

Língua: Glossite; Língua seca.

Pulso: Pulso cheio, forte e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angustia; Depressão; Falta de alegria; Medo;


Neuroses e falsas idéias fóbicas; Sonhos com incêndio, fogo; Sono
agitado; Timidez; Tristeza, nunca ri; Voz fraca.
484

Aspectos Gerais: Alteração no ritmo cardíaco; Angina pectoris;


Bronquite; Dor abdominal e lombar; Dor e inflamação bucal; Dor na
ponta do coração; Fácies pálida; Lipotimia; Menstruação escassa;
Micção intensa com urina incolor; Odontalgia; Respiração
acelerada; Rosto pálido; Síncope; Sudorese fria; Sufocamento ao
esforço; Taquicardia.

Língua: Língua mole e pálida.

Pulso: Pulso pequeno, mole e fraco.

Meridiano do Estômago

Dor e distúrbios no meridiano do Estômago e da víscera Estômago;

Agravação: das 7-9 hs. Da manhã; manhã; primavera;

Melhoria: após as 19:00 horas; outono.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Calorento; Excitação emocional; Pesadelos.

Aspectos Gerais: abdômen doloroso; Acnes; Aftas; Ardor bucal;


Artralgia; Azia; Boca seca; Câimbras; Calor no tórax e abdômen;
Cárie dentária; Dermatoses; Digestão rápida; Dor e inflamação
bucal; Dores de estômago; Edema no pescoço; Enjôos; Epilepsia;
Erupções cutâneas; Esofagia; Espasmos da musculatura facial;
Gastralgia; Gastrite; Herpes; Inflamação gengivais; Nevralgias do
trigêmeo; Ressecamento labial; Sede de líquidos frios; Trismo;
Úlcera gástrica; Vômitos.

Língua: Língua saburrosa, espessa e amarelada.

Pulso: Pulso pleno, duro e forte.

 Insuficiência:
485

Aspecto Psíquico: Desânimo; Emotividade, lágrimas; Friorento;


Prefere solidão; Tristezas.

Aspectos Gerais: Anorexia; Diarréia de alimentos não digeridos;


Digestão lenta; Dor no epigástrio e tórax; Halitose; Indigestão;
Meteorismo; Neurite (ao longo do canal); Parestesia ou
hipersensibilidade dos membros inferiores; Pés frios; Rosto
vermelho; Sobrancelhas dolorosas; Tórax e abdômen frios; Vômito
aquoso depois de comer.

Língua: Língua e lábios brancos.

Pulso: Pulso profundo, mole e pequeno.

Meridiano do Fígado

Dor e distúrbios ao longo do canal do Fígado e do órgão fígado;

Dor e distúrbios oculares, musculares, nos tendões, da função


geniturinária e digestiva.

Cefaléia, distúrbio do sono e do psiquismo;

Agravação: da 1-3 hs., outono;

Melhoria: manhã, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Ciúmes; Cólera; Delirante; Descontentamento;


Irritabilidade; Transtornos após cólera.

Aspectos Gerais: Afecções do escroto; Alergias; Câimbra nas


pernas e braços; Cefaléias; Constipação e dores espasmódicas;
Dermatoses; Dismenorréia; Dor cardíaca; Dor torácica; Dores
lombares e no aparelho genital; Edema peniano; Enxaqueca;
Ereção prolongada (priapismo); Gastralgia com vômitos de bile;
Gengivite; Herpes; Hipertensão arterial; Incontinência urinária;
Micção difícil e dolorosa; Nevralgia do trigêmeo; Odontalgia;
486

Oligúria; Periodontite; Rubor na face; Sensação de opressão


torácica; Tez escura, cinzenta ou amarelada; Tosse; Transtornos
nas regras.

Língua: Glossite; Língua vermelho-escura e nos bordos coloração


vermelho intensa.

Pulso: Pulso tenso, cheio e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão;


Descontentamento; Desejos e medo da morte; Irritabilidade; Medo;
Raiva reprimida; Sonha com florestas, árvores; Sonolência.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Constipação; Contratura; Convulsão;


Dermatite; Diurese intensa; Dor ATM; Dor e processos inflamatórios
bucais; Dores nas coxas, pélvis, garganta; Eczemas; Ejaculação
precoce; Espasmos intestinais; Esquimoses freqüentes; Fezes
amarelas, cinzentas; Frigidez; Gengivite; Hipoacusia; Impotência;
Menstruação abundante e longa; Mialgia facial; Nevralgia do
trigêmeo; Odontalgia; Olho seco; Palidez; Paralisia facial; Perda de
sensibilidade (parestesia, paralisia); Periodontite; Prurido; Redução
da acuidade visual; Sangue coagulando lentamente; Tez branca,
corosa; Unhas quebradiças, irregulares, esverdeada; Urticária;
Vertigens; Zumbido no ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.

Meridiano do Intestino Delgado

Dor e distúrbio ao longo do meridiano do Intestino Delgado e da


víscera ID;

Agravação: das 13-15 hs., inverno;

Melhoria: 1-3 hs., interestação.

 Excesso:
487

Aspecto Psíquico: Agressividade; Alegria; Calorento; Cólera;


Ofende-se fácil; Risos; Superexcitação das emoções.

Aspectos Gerais: Abscessos na boca e faringe; Boca amarga; Boca


seca; Contratura do cotovelo; Diarréia; Dilatação dolorosa do
abdômen; Dor escrotal, na coluna vertebral, renal; Fácil
recuperação física; Febre com sensação de frio; Halitose;
Odontalgias; Pouca transpiração; Pouca urina e de coloração
vermelha; Redução das secreções (salivar, sudorese e Láctea);
Retenção hídrica; Rosto escarlate; Rubor facial; Síndrome oclusiva;

Pulso: Pulso rápido, cheio, forte, “pérolas que rolam”.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Caráter débil; Emotividade; Friorento; Mágoa;


Ressentimento; Sensibilidade emocional.

Aspectos Gerais: Aumento das secreções (salivar, sudorípara e


Láctea); Desperta para urinar; Diarréia; Digestão difícil; Diminuição
da resistência física; Dor abdominal; Dor no baixo ventre; Dor
ocular; Epilepsia (pequeno mal); Epistaxe; Febre com transpiração;
Flatulência; Formação de tumefação e nódulos; Hipoacusia; Lábios
azulados com bordos brancos; Magreza; Micção freqüente,
abundante; Redução do vigor sexual; Suores noturnos; Surdez;
Transpiração violenta;

Pulso: Pulso fraco, lento e pequeno.

Meridiano do Intestino Grosso

Dor e distúrbios ao longo do meridiano do IG e da víscera;

Doenças digestivas, cutâneas;

Agravação: das 5-7 hs. Da manhã; noturna; verão;

Melhoria: após as 5 horas da manhã; inverno.


488

 Excesso:

Aspectos Gerais: Acne; Boca seca; Constipação; Corpo quente;


Doenças dermatológicas; Dor abdominal; Dor e processos
inflamatórios bucais; Dor ocular; Epistaxe; Erupções na pele;
Gengivite; Hemorróidas; Hipertensão arterial; Hipertonia do IG
(constipação espasmódica ou diarréia mucopurulenta); Lábios
gretados; Melhora com amargo; Odontalgia; Parasitose intestinal;
Pruridos; Sede.

Língua: Glossite com saburra amarela e expressa no centro e dorso


lingual.

Pulso: Pulso duro e pleno.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Falta de entusiasmo; Friorento.

Aspectos Gerais: Aerocolia; Amenorréia; Dermatoses; Diarréia ou


constipação hipotônica (poucas fezes e dura); Dor orofacial;
Erupção; Flatulência; Frio, esquenta-se com dificuldade; Melhora
com acidez; Prolapso do reto; Prurido; Ptose anal.

Pulso: Pulso profundo, fraco e fino.

Meridiano do Pulmão

Dor e distúrbios no trajeto do Meridiano do Pulmão e do órgão


Pulmão;

Doenças respiratórias (nariz, sinus, faringe, laringe, traquéia,


brônquios, pulmão);

Doenças cutâneas e das mucosas;

Agravação: das 3-5 hs. Da manhã; noturna; verão;

Melhoria: após as 15:00 hs.; inverno.


489

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão; Insônia com


agitação; Risos extravagantes; Superexitação; Tristeza.

Aspectos Gerais: Amigdalite aguda; Arquejamento; Astenia;


Bocejos, espirros; Dor intercostal dorsal e dos ombros; Dores nos
ombros, costas e costelas; Eliminações abundantes; Espasmos dos
músculos faciais e da cabeça; Micção freqüente; Odontalgia com
sensação de calor; Respiração espasmódica e forte; Rubor facial
lado direito; Tosse seca ou mucopurulenta com sudorese e poliúria;
Transpiração; Transtornos congestivos.

Língua: Língua saburrosa e úmida.

Pulso: Pulso cheio, duro e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Aversão ao frio; Idéias de suicídio; Insônia; Não


pode dormir.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Astenia; Diarréia após a refeição; Dor


intercostal, dorsal e do ombro; Dores no oco supra-clavicular;
Edema da face; Fácies pálida; Falta de ar; Falta de energia;
Gengivite; Obstrução nasal; Odontalgia; Ombros e costas frias;
Paralisia facial; Perda do automotismo; Queda de cabelos;
Respiração difícil; Secura da garganta; Sensação de frio; Tez
inconstante; Tosse.

Língua: Língua esbranquiçada.

Pulso: Pulso mole, pequeno e fraco.

Meridiano do Rim

Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Rim e do órgão rim;

Distúrbios renais, geniturinários.


490

Dor lombar, edema, convulsão, dores ósseas, dentárias, da cabeça,


ouvido e das glândulas endócrinas;

Agravação: das 17-19 hs., verão;

Melhoria: às 12:00 hs., primavera.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Autoritarismo; Excesso de decisão; Sonha que é


difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Anúria; Barulho no ouvido; Câimbra;


Cefaléia; Cefaléias; Constipação intestinal; Convulsão; Faringite;
Hemorróidas; Hipertensão arterial; Paralisia facial; Paralisia; Pés
pesados, quentes, dolorosos; Urina colorida, rara (urina pouco
freqüente e escura); Vertigens.

Língua: Língua seca.

Pulso: Pulso forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Complexo de inferioridade; Deseja solidão; Falta


de autoridade; Falta de vontade; Indecisão; Insegurança;
Irritabilidade antes das regras; Neurose fóbica; Palavra confusa;
Sonha com água, Inundação, à beira do abismo; Sonha com
árvores inundadas.

Aspectos Gerais: Cárie dental; Cefaléias (vértex); Ciática; Distúrbios


osteodentários; Diurese intensa e freqüente; Dor cardíaca; Dor e
debilidade nas pernas; Dor escrotal, que se irradia para a região
renal; Dor na coluna vertebral; Edemas; Eliminações abundantes:
Urina incolor, Sudorese, Sialorréia, Diarréia, agravam à noite;
Espermatorréia; Fadiga; Impotência; Lipotimia; Lombociatalgia;
Lumbago; Micção freqüente, odor estranho, incolor; Nefrose;
Palidez; Periodontite; Pés e pernas frias; Surdez; Transpiração
abundante; Zumbido no ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.


491

Meridiano do Triplo Reaquecedor

Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do TR e das funções


cardiovascular, pulmonar, digestiva e geniturinária;

Doenças e dor do ouvido e febre;

Como o TR (San Tsiao) abrange todas as funções orgânicas,


averiguar a fisiopatologia dos demais meridianos quando o TR se
mostrar alterado;

Agravação: das 21-23 hs., inverno;

Melhoria: interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Desejo de dormir; Insônia; Irritável; Sem alegria;


Triste.

Aspectos Gerais: Dificuldade para falar; Dores por ventos (qualquer


vento, externo (ar) ou interno (gases intestinais) sem saber onde);
Excesso de urina; Inapetência; Respiração curta.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Lassidão moral e física; Tédio; Tristeza; Tudo é


esforço.

Aspectos Gerais: Frio; Insuficiência urinária; Membros não


obedecem.

TR Superior
492

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação,

Aspectos Gerais: Febre; Respiração difícil e rápida; Rubor facial;


Sede.

Língua: Glossite; Língua seca e vermelha sem saburra.

Pulso: Cheio, rápido e forte.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: Língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco e lento.

TR Médio

 Excesso:

Aspectos Gerais: Boca seca com sede de líquidos frios;


Constipação; Flatulência; Gastralgia; Má digestão; Odontalgia;
Respiração difícil; Sensação de calor interno; Urina pouca.

Língua: Língua amarela.

Pulso: Pulso radial rápido e forte, “pérolas que rolam”.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco, lento.


493

TR Inferior

 Excesso:

Aspectos Gerais: Ascite; Constipação; Edema; Sensação de


plenitude no baixo ventre; Urina escassa.

Pulso: Cheio, forte e largo.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Astenia; Diarréia; Frigidez; Impotência; Sensação


de frio no abdômen e extremidade inferior; Urina clara e abundante.

Pulso: Pulso mole.

Meridiano da Vesícula Biliar

Dor e distúrbio no trajeto do Meridiano da VB e da vesícula biliar;

Dor e distúrbios dos olhos, ouvido, na nuca, ciática;

Agravação: das 23-1 h., outono;

Melhoria: manhã, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agressividade; Audácia; Autocrático; Ciúmes;


Descontentamento; Irritabilidade; Sonolência; Suspira muito.

Aspectos Gerais: Boca amarga (pela manhã) ou seca; Cefaléia


frontotemporal, frontoparietal e occipital; Constipação intestinal;
Distúrbios circulatórios de membros inferiores; Dor e processos
inflamatórios bucais; Dor facial; Dor nos olhos; Dor ocular; Dores
494

articulares; Dores em todo o corpo; Enxaqueca; Espasmos


abdominais; Inchaço sob o joelho; Joelho e perna adormecidos;
Náuseas; Odontalgia; Otalgia; Pele muito seca; Surdez intermitente;
Tremores; Vômitos de líquido amargo.

Língua: Língua amarelada ou avermelhada

Pulso: Pulso rápido, tenso e cheio.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Agitação; Apreensão; Distúrbios após:


humilhação, insultos e brigas; Falta de entusiasmo, sem audácia;
Insegurança; Insônia por insegurança; Medo; Suspiros; Timidez.

Aspectos Gerais: Ausência de transpiração; Bochecha e queixo


inchados; Debilidade nas pernas; Dificuldade para marchar;
Distúrbios visuais; Dores erráticas; Dores no peito e nas costas;
Edema mentoniano, julgal e lombar; Hipoacusia; Mastoidite;
Náuseas; Opressão torácica; Seios inchados; Vertigem; Vômitos.

Pulso: Lento, fraco, vazio, pequeno.

c. PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS PSÍQUICOS

FÍGADO

 Fígado  Irritabilidade e Cólera.

 Fígado  Falta de imaginação e coordenação das idéias.

Obs: Pesadelos indicam que a energia do Fígado está perturbada.


495

CORAÇÃO

 Coração  Excitação mental, alegria, riso exagerado.

 Coração  Há abatimento, muitas queixas, incapacidade de


esforço físico e mental, falta de alegria.

PULMÃO

 Pulmão  Agressividade, obsessão do futuro, tristeza,


romantismo.

 Pulmão  Há perda do reflexo e do instinto de conservação


(suicidas) e desinteresse pelas coisas. Depressão, falta força de
vontade.

RIM

 Rim  Temor e Autoritarismo.

 Rim  Indecisão, angústia, medo, ausência de propósitos e


fraqueza de caráter.

BAÇO

 Baço  Obsessões voltadas para o passado, idéias fixas,


repetições, pessoas que reflete muito.

 Baço  Esquecimento, memória fraca, ausência de desejo,


desgosto e ansiedade.

d. ÍNDICE GERAL DOS SINAIS E SINTOMAS

Abdomen doloroso ( E)

Abdômen doloroso (melhora com a pressão) ( BP)


496

Abdômen tenso e distendido (aerocolia) ( BP)

Abscessos na boca e faringe ( ID)

Acne ( IG)

Acnes ( E)

Aerocolia ( IG)

Aerogastria ( BP)

Afecções do escroto ( F)

Aftas ( E)

Aftas bucais ( BP)

Agitação ( B)

Agitação ( CS)

Agitação ( TRs)

Agitação ( VB)

Agitação do espírito ( C)

Agrava no escuro, à noite, no frio ( CS)

Agressividade ( ID)

Agressividade ( VB)

Alegria ( ID)

Alergias ( F)

Alteração no ritmo cardíaco ( C)

Amenorréia ( IG)

Amigdalite ( P)

Amigdalite ( R)
497

Amigdalite aguda ( P)

Anemia ( B)

Angina pectoris ( C)

Angina pectoris ( C)

Angustia ( C)

Angústia ( F)

Angústia ( P)

Anorexia ( BP)

Anorexia ( E)

Ansiedade ( F)

Ansiedade ( P)

Anúria ( R)

Apreensão ( VB)

Ardor bucal ( E)

Arquejamento ( P)

Articulações dolorosas ( BP)

Artralgia ( BP)

Artralgia ( E)

Ascite ( Tri)

Astenia ( BP)

Astenia ( CS)

Astenia ( P)

Astenia ( P)
498

Astenia ( Tri)

Audácia ( C)

Audácia ( VB)

Aumento das secreções (salivar, sudorípara e Láctea) ( ID)

Ausência de alegria ( CS)

Ausência de transpiração ( VB)

Autocrático ( VB)

Autoritarismo ( R)

Aversão ao frio ( P)

Azia ( E)

Barulho no ouvido ( R)

Boca amarga ( ID)

Boca amarga (pela manhã) ou seca ( VB)

Boca seca ( E)

Boca seca ( ID)

Boca seca ( IG)

Boca seca com sede de líquidos frios ( TRm)

Bocejos, espirros ( P)

Bochecha e queixo inchados ( VB)

Bronquite ( C)
499

Câimbra ( R)

Câimbra nas pernas e braços ( F)

Câimbras ( E)

Cálculos renais ( B)

Calor no tórax e abdômen ( E)

Calorento ( B)

Calorento ( E)

Calorento ( ID)

Caráter débil ( ID)

Caráter forte ( CS)

Cárie dental ( R)

Cárie dentária ( E)

Cefaléia ( CS)

Cefaléia ( F)

Cefaléia ( R)

Cefaléia frontotemporal, frontoparietal e occipital ( VB)

Cefaléias ( F)

Cefaléias ( R)

Cefaléias (vértex) ( R)

Cérebro transtornado ( B)

Ciática ( R)

Ciúmes ( F)
500

Ciúmes ( VB)

Cólera ( CS)

Cólera ( F)

Cólera ( ID)

Complexo de inferioridade ( R)

Confusão mental ( B)

Constipação ( F)

Constipação ( IG)

Constipação ( Tri)

Constipação ( TRm)

Constipação e dores espasmódicas ( F)

Constipação intestinal ( BP)

Constipação intestinal ( R)

Constipação intestinal ( VB)

Contratura ( F)

Contratura do cotovelo ( ID)

Convulsão ( CS)

Convulsão ( F)

Convulsão ( R)

Coração agitado ( CS)

Coragem ( C)

Corpo quente ( IG)


501

Debilidade ( BP)

Debilidade nas pernas ( VB)

Delirante ( F)

Depressão ( BP)

Depressão ( C)

Depressão ( F)

Depressão ( IG)

Depressão ( P)

Depressão moral ( CS)

Dermatite ( F)

Dermatose ( B)

Dermatoses ( E)

Dermatoses ( F)

Dermatoses ( IG)

Dermatoses infectadas ( B)

Desânimo ( E)

Descontentamento ( CS)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( VB)

Deseja solidão ( R)

Desejo de dormir ( TR)


502

Desejos e medo da morte ( F)

Desejos freqüentes e urgentes de urinar ( B)

Desperta para urinar ( ID)

Diarréia ( BP)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( Tri)

Diarréia ( TRm)

Diarréia ( TRs)

Diarréia após a refeição ( P)

Diarréia de alimentos não digeridos ( E)

Diarréia ou constipação hipotônica (poucas fezes e dura) ( IG)

Dificuldade de concentração ( BP)

Dificuldade para falar ( TR)

Dificuldade para marchar ( VB)

Digestão difícil ( ID)

Digestão lenta ( E)

Digestão lenta (má digestão) ( BP)

Digestão rápida ( E)

Dilatação dolorosa do abdômen ( ID)

Diminuição da resistência física ( ID)

Dismenorréia ( F)

Distensão e dor abdominal ( BP)


503

Distúrbios após: humilhação, insultos e brigas ( VB)

Distúrbios circulatórios de membros inferiores ( VB)

Distúrbios digestivos ( B)

Distúrbios osteodentários ( R)

Distúrbios visuais ( VB)

Disúria e ardor durante a micção ( B)

Diurese intensa ( F)

Diurese intensa e freqüente ( R)

Diurese intensa ou pouco freqüente ( B)

Doenças dermatológicas ( IG)

Doenças e dor nos lábios ( BP)

Dor abdominal ( ID)

Dor abdominal ( IG)

Dor abdominal ( TRm)

Dor abdominal ( TRs)

Dor abdominal e lombar ( C)

Dor ATM ( F)

Dor cardíaca ( F)

Dor cardíaca ( R)

Dor de cabeça ao defecar ( B)

Dor de cabeça congestiva ( CS)

Dor e debilidade nas pernas ( R)

Dor e inflamação bucal ( C)


504

Dor e inflamação bucal ( E)

Dor e processos inflamatórios bucais ( F)

Dor e processos inflamatórios bucais ( IG)

Dor e processos inflamatórios bucais ( VB)

Dor escrotal, na coluna vertebral, renal ( ID)

Dor escrotal, que se irradia para a região renal ( R)

Dor facial ( VB)

Dor intercostal dorsal e dos ombros ( P)

Dor intercostal irradiada para a região lombar ( B)

Dor intercostal, dorsal e do ombro ( P)

Dor na coluna vertebral ( R)

Dor na coluna vertebral, em região dorsal ( B)

Dor na ponta do coração ( C)

Dor no baixo ventre ( ID)

Dor no epigástrio e tórax ( E)

Dor nos olhos ( VB)

Dor ocular ( ID)

Dor ocular ( IG)

Dor ocular ( VB)

Dor orofacial ( IG)

Dor T.M ( BP)

Dor torácica ( F)

Dores articulares ( VB)


505

Dores de estômago ( E)

Dores em todo o corpo ( VB)

Dores erráticas ( VB)

Dores lombares e no aparelho genital ( F)

Dores nas coxas, pélvis e garganta ( F)

Dores no coração e braços ( C)

Dores no oco supra-clavicular ( P)

Dores no peito e nas costas ( VB)

Dores nos ombros, costas e costelas ( P)

Dores por ventos (qualquer vento, externo (ar) ou interno (gases


intestinais) sem saber onde ( TR)

Dores surdas (difusa, ao contrario da dor aguda) ( CS)

Eczemas ( F)

Edema ( BP)

Edema ( Tri)

Edema da face ( P)

Edema mentoniano, julgal e lombar ( VB)

Edema no pescoço ( E)

Edema peniano ( F)

Edemas ( BP)

Edemas ( R)

Ejaculação precoce ( F)
506

Eliminações abundantes ( BP)

Eliminações abundantes ( P)

Eliminações abundantes: Urina incolor, Sudorese, Sialorréia,


Diarréia, agravam à noite ( R)

Eliminações pouco abundantes (salivas, urina, transpiração,


lágrimas, etc) ( BP)

Emotividade ( C)

Emotividade ( CS)

Emotividade ( E)

Emotividade ( ID)

Enjôos ( E)

Enxaqueca ( F)

Enxaqueca ( VB)

Epilepsia ( E)

Epilepsia (pequeno mal) ( ID)

Epistaxe ( B)

Epistaxe ( C)

Epistaxe ( ID)

Epistaxe ( IG)

Ereção peniana excessiva ( B)

Ereção prolongada (priapismo) ( F)

Erosões excessivas prostáticas ( B)

Erupção ( IG)

Erupções cutâneas ( E)
507

Erupções na pele ( IG)

Esofagia ( E)

Espasmos abdominais ( VB)

Espasmos da musculatura facial ( E)

Espasmos dos músculos faciais e da cabeça ( P)

Espasmos intestinais ( F)

Espermatorréia ( B)

Espermatorréia ( R)

Esquimoses freqüentes ( F)

Esterilidade ( CS)

Excesso de alegria ( C)

Excesso de decisão ( R)

Excesso de urina ( TR)

Excitação emocional ( E)

Excitação mental ( C)

Fácies amarelada ( BP)

Fácies pálida ( C)

Fácies pálida ( P)

Fácil recuperação física ( ID)

Fadiga ( BP)

Fadiga ( CS)
508

Fadiga ( R)

Fadiga matinal que pode se prolongar até as 5 horas da tarde (


BP)

Fadiga, com alegria ( CS)

Falta de alegria ( C)

Falta de ar ( P)

Falta de autoridade ( R)

Falta de energia ( P)

Falta de entusiasmo ( IG)

Falta de entusiasmo, sem audácia ( VB)

Falta de sede ( BP)

Falta de vigor sexual ( B)

Falta de vontade ( B)

Falta de vontade ( R)

Faringite ( R)

Febre ( B)

Febre ( TRs)

Febre (por nervoso ou fadiga) ( CS)

Febre com sensação de frio ( ID)

Febre com transpiração ( ID)

Fertilidade ( CS)

Fezes amarelas, cinzentas ( F)

Flatulência ( BP)

Flatulência ( ID)
509

Flatulência ( IG)

Flatulência ( TRm)

Formação de tumefação e nódulos ( ID)

Formas excessivas ( BP)

Fortes palpitações dolorosas ( C)

Frigidez ( CS)

Frigidez ( F)

Frigidez ( Tri)

Frio ( TR)

Frio e fraqueza dos pés ( BP)

Frio, esquenta-se com dificuldade ( IG)

Friorento ( B)

Friorento ( E)

Friorento ( ID)

Friorento ( IG)

Furúnculos ( B)

Gastralgia ( E)

Gastralgia ( TRm)

Gastralgia com vômitos de bile ( F)

Gastrite ( E)

Gengivite ( F)
510

Gengivite ( F)

Gengivite ( IG)

Gengivite ( P)

Glossite ( C)

Glossite ( CS)

Glossite ( F)

Glossite ( TRs)

Glossite com saburra amarela e expressa no centro e dorso lingual


( IG)

Grandes suspiros ( BP)

Halitose ( CS)

Halitose ( E)

Halitose ( ID)

Hemorróidas ( CS)

Hemorróidas ( IG)

Hemorróidas ( R)

Herpes ( E)

Herpes ( F)

Hiper-reflexão ( BP)

Hipertensão arterial ( C)

Hipertensão arterial ( CS)

Hipertensão arterial ( CS)


511

Hipertensão arterial ( F)

Hipertensão arterial ( IG)

Hipertensão arterial ( R)

Hipertonia do IG (constipação espasmódica ou diarréia


mucopurulenta) ( IG)

Hipoacusia ( F)

Hipoacusia ( ID)

Hipoacusia ( VB)

Histeria ( CS)

Idealiza o amor ( CS)

Idéias de suicídio ( P)

Idéias fixas ( BP)

Impotência ( CS)

Impotência ( F)

Impotência ( R)

Impotência ( Tri)

Inapetência ( TR)

Inchaço sob o joelho ( VB)

Incontinência urinária ( B)

Incontinência urinária ( F)

Indecisão ( R)

Indiferença sexual ( CS)


512

Indigestão ( E)

Infertilidade ( CS)

Inflamações gengivais ( E)

Insegurança ( B)

Insegurança ( R)

Insegurança ( VB)

Insônia ( B)

Insônia ( CS)

Insônia ( P)

Insônia ( TR)

Insônia com agitação ( P)

Insônia por insegurança ( VB)

Insuficiência de forma ( BP)

Insuficiência do vigor sexual ( CS)

Insuficiência urinária ( TR)

Irritabilidade ( CS)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( VB)

Irritabilidade antes das regras ( R)

Irritável ( TR)

J
513

Joelho e perna adormecidos ( VB)

Lábios azulados com bordos brancos ( ID)

Lábios gretados ( IG)

Laringe entorpecida ( CS)

Lassidão moral e física ( TR)

Levanta-se a noite para urinar ( B)

Língua amarela ( TRm)

Língua amarelada ou avermelhada ( VB)

Língua e lábios brancos ( E)

Língua esbranquiçada ( P)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRm)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRs)

Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão dos dentes


nos bordos ( BP)

Língua mole e pálida ( C)

Língua saburrosa e úmida ( P)

Língua saburrosa, espessa e amarelada ( E)

Língua seca ( C)

Língua seca ( R)

Língua seca e vermelha sem saburra ( TRs)

Língua vermelho-escura e nos bordos coloração vermelho intensa


( F)
514

Lipotimia ( C)

Lipotimia ( R)

Lombociatalgia ( R)

Lumbago ( R)

Má digestão ( TRm)

Má digestão ( TRm)

Má digestão ( TRs)

Mágoa ( ID)

Magreza ( ID)

Mastoidite ( VB)

Mau hálito ( CS)

Medo ( C)

Medo ( CS)

Medo ( F)

Medo ( VB)

Melhora com acidez ( IG)

Melhora com amargo ( IG)

Membros não obedecem ( TR)

Memória difícil ( BP)

Menstruação abundante ( C)

Menstruação abundante e longa ( F)

Menstruação escassa ( C)
515

Meteorismo ( E)

Mialgia ( BP)

Mialgia da face ( BP)

Mialgia facial ( F)

Micção difícil e dolorosa ( F)

Micção freqüente ( P)

Micção freqüente, abundante ( ID)

Micção freqüente, odor estranho, incolor ( R)

Micção intensa com urina incolor ( C)

Não pode dormir ( P)

Não se resfria ( C)

Náuseas ( VB)

Náuseas ( VB)

Nefrose ( R)

Neurite (ao longo do canal) ( E)

Neurose fóbica ( R)

Neuroses ( CS)

Neuroses e falsas idéias fóbicas ( C)

Nevralgia do trigêmeo ( F)

Nevralgia do trigêmeo ( F)
516

Nevralgias do trigêmeo ( E)

Obesidade ( BP)

Obsessão ( BP)

Obstinação ( BP)

Obstrução nasal ( B)

Obstrução nasal ( P)

Odontalgia ( C)

Odontalgia ( F)

Odontalgia ( F)

Odontalgia ( IG)

Odontalgia ( P)

Odontalgia ( TRm)

Odontalgia ( VB)

Odontalgia com sensação de calor ( P)

Odontalgia que se irradia para o tórax ( C)

Odontalgias ( ID)

Ofegação rápida por riso ou alegria ( CS)

Ofende-se fácil ( ID)

Olho seco ( F)

Olhos brilhantes ( C)

Oligúria ( F)
517

Oligúria de coloração escura e odor forte ( B)

Ombros e costas frias ( P)

Opressão ( CS)

Opressão torácica ( VB)

Otalgia ( VB)

Palavra confusa ( R)

Palidez ( F)

Palidez ( R)

Paralisia ( R)

Paralisia facial ( F)

Paralisia facial ( P)

Paralisia facial ( R)

Parasitose intestinal ( B)

Parasitose intestinal ( IG)

Parestesia ou hipersensibilidade dos membros inferiores ( E)

Passividade ( CS)

Pele muito seca ( VB)

Perda de sensibilidade (parestesia, paralisia) ( F)

Perda do automotismo ( P)

Periodontite ( F)

Periodontite ( F)
518

Periodontite ( R)

Pés e pernas frias ( R)

Pés frios ( E)

Pés pesados, quentes, dolorosos ( R)

Pesadelos ( BP)

Pesadelos ( E)

Plenitude ( B)

Pouca transpiração ( ID)

Pouca urina ( B)

Pouca urina e de coloração vermelha ( ID)

Precordialgia ( C)

Prefere solidão ( E)

Preocupações sexuais ( CS)

Pressão arterial elevada ( C)

Prolapso do reto ( IG)

Prostatite ciática ( B)

Prurido ( F)

Prurido ( IG)

Pruridos ( IG)

Ptose anal ( IG)

Pulso rápido ( C)

Q
519

Queda de cabelos ( P)

Raiva reprimida ( F)

Redução da acuidade visual ( F)

Redução das secreções (salivar, sudorese e Láctea) ( ID)

Redução do vigor sexual ( ID)

Respiração acelerada ( C)

Respiração curta ( TR)

Respiração difícil ( P)

Respiração difícil ( TRm)

Respiração difícil e rápida ( TRs)

Respiração espasmódica e forte ( P)

Ressecamento labial ( E)

Ressentimento ( ID)

Retenção de urina ( B)

Retenção hídrica ( ID)

Rigidez de cabeça e nuca ( CS)

Riso fácil ( C)

Risos ( ID)

Risos extravagantes ( P)

Rosto escarlate ( ID)

Rosto pálido ( C)
520

Rosto vermelho ( E)

Rubor facial ( CS)

Rubor facial ( ID)

Rubor facial ( TRs)

Rubor facial (cara vermelha) ( C)

Rubor facial lado direito ( P)

Rubor na face ( F)

Sangue coagulando lentamente ( F)

Secura da garganta ( P)

Sede ( C)

Sede ( IG)

Sede ( TRs)

Sede de líquidos frios ( E)

Seios inchados ( VB)

Sem alegria ( TR)

Sem piedade ( CS)

Sensação de ardor no corpo ( BP)

Sensação de calor interno ( TRm)

Sensação de calor no coração e de coração agitado ( CS)

Sensação de calor torácico ( C)

Sensação de frio ( P)
521

Sensação de frio no abdômen e extremidade inferior ( Tri)

Sensação de opressão torácica ( F)

Sensação de plenitude no baixo ventre ( Tri)

Sensibilidade emocional ( ID)

Sialorréia ( BP)

Síncope ( C)

Síndrome oclusiva ( ID)

Sobrancelhas dolorosas ( E)

Soluços ( C)

Sonambulismo ( BP)

Sonha com água, Inundação, à beira do abismo ( R)

Sonha com árvores inundadas ( R)

Sonha com florestas, árvores ( F)

Sonha que é difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura ( R)

Sonhos com incêndio, fogo ( C)

Sono agitado ( C)

Sonolência ( B)

Sonolência ( F)

Sonolência ( VB)

Sonolência sem comer ( B)

Sudorese fria ( C)

Sufocamento ao esforço ( C)

Suores noturnos ( ID)


522

Superexcitação das emoções ( ID)

Superexitação ( P)

Surdez ( CS)

Surdez ( ID)

Surdez ( R)

Surdez intermitente ( VB)

Suspira muito ( VB)

Suspiros ( VB)

Taquicardia ( C)

Taquicardia ( C)

Tédio ( TR)

Tez branca, corosa ( F)

Tez escura, cinzenta ou amarelada ( F)

Tez inconstante ( P)

Timidez ( C)

Timidez ( VB)

Tórax e abdômen frios ( E)

Tosse ( F)

Tosse ( P)

Tosse seca ou mucopurulenta com sudorese e poliúria ( P)

Transpiração ( P)
523

Transpiração abundante ( R)

Transpiração violenta ( ID)

Transtornos após cólera ( F)

Transtornos congestivos ( P)

Transtornos nas regras ( F)

Tremores ( VB)

Trismo ( E)

Triste ( TR)

Tristeza ( BP)

Tristeza ( CS)

Tristeza ( P)

Tristeza ( TR)

Tristeza, nunca ri ( C)

Tristezas ( E)

Tudo é esforço ( TR)

Úlcera gástrica ( E)

Úlceras bucais ( C)

Unhas quebradiças, irregulares, esverdeada ( F)

Urina abundante e incolor ( B)

Urina clara e abundante ( Tri)

Urina colorida, rara (urina pouco freqüente e escura) ( R).


524

Urina escassa ( Tri)

Urina pouca ( TRm)

Urina pouco freqüente, rara ou difícil ( CS).

Urticária ( F)

Ventre grande, porém fraco ( BP).

Ventre lingual, com saburra amarelada e seca ( BP).

Vertigem ( VB)

Vertigens ( CS)

Vertigens ( F)

Vertigens ( R)

Voluntarioso ( B)

Vômito aquoso depois de comer ( E)

Vômitos ( BP)

Vômitos ( E)

Vômitos ( VB)

Vômitos de líquido amargo ( VB)

Voz fraca ( C)

Voz sonora ( C)

Zumbido no ouvido ( F)
525

Zumbido no ouvido ( R)

9. CORRESPONDÊNCIA DOS CINCO ELEMENTOS

CARACTERIST.

MADEIRA

FOGO

TERRA

METAL

ÁGUA

Função YIN

Imperial: C/ministro CS

BP

Função YANG

VB

Imperial: ID/ministro TR

IG

B
526

Características

Fisiológicas

Olho, Músculo, Unha, Lágrimas.

Língua, Vasos,

Coloração da pele, Suor.

Boca, Lábios,

Tec.Conjunt.,

Saliva

Nariz,Pele,

Pêlos,Muco

Orelha,Ossos

e Dentes,

Cabelo,Urina.

Função Psíquica

Criatividade

Razão

Cognição

Instinto de Preservação

Vontade

Sentimento Matricial

Raiva F

Alegria - C
527

Reflexão - BP

Tristeza - P

Medo - R

Expressão

Grito

Riso

Canto

Lamento

Gemido

Tempo

Primavera

Verão

Interestação

Outono

Inverno

Espaço

Leste

Sul

Centro

Oeste

Norte
528

Energia

Vento

Calor

Umidade

Secura

Frio

Cor

Verde

Vermelho

Amarelo

Branco

Preto

Odor

Rançoso

Queimado

Perfumado

De carne

Pútrido

Sabor

Ácido - Tonifica

Picante - Seda

Amargo – T

Salgado - S
529

Doce – T

Ácido - S

Picante – T

Amargo - S

Salgado – T

Doce - S

Nota Musical

Mi

Sol

Planeta

Júpter

Marte

Saturno

Vênus

Mercúrio

Animal

Frango (Ave)

Carneiro

Boi

Cavalo
530

Porco

Vegetal

Trigo

Milho

Centeio / Aveia

Arroz

Feijão

Fruta

Ameixa

Abricó

Jujuba/Tâmara

Pêssego

Castanha
531

10. HORÁRIO DE CIRCULAÇÃO DE ENERGIA DE CADA


MERIDIANO

Na circulação de energia existe uma ordem, uma seqüência que


deve ser obedecida por uma onda energética que passa de um
meridiano para outro, sucessivamente, e que completa todo o
circuito dos 12 meridianos no final de 24 horas. Paralelamente a
esta circulação dos 12 meridianos que chamamos de grande
circulação de energia, existe uma outra que passa do vaso
governador para o vaso de concepção, de uma maneira contínua e
que também se completa em 24 horas. Para aplicações de natureza
prática é importante que saibamos qual é a seqüência da circulação
de energia do meridiano nos meridianos principais, ou seja, da
grande circulação.

Atribui-se que o início da circulação de energia, comece quando


esta onda energética está no meridiano do pulmão, porque o
primeiro ato autônomo que a criança manifesta logo depois do
nascimento é o ato de respirar. Então por uma questão de
obediência a esta situação, costuma-se entender que a grande
circulação de energia começa no meridiano do pulmão.

Existe um período do dia em que cada um dos meridianos tem a


sua energia normalmente num ponto mais alto, para que haja um
gradiente que permita um fluxo energético. O início da circulação
começa pelo meridiano do pulmão. Esse momento em o meridiano
do pulmão apresenta um fluxo máximo de energia é aquele das 3-5
horas da manhã.
532

E esse fluxo é seguido das 5-7 hs da manhã pelo Intestino Grosso.


Das 7-9 é o Estômago e assim sucessivamente conforme mostra os
gráficos.

Então conforme os gráficos, o melhor período para se fazer a


melhor refeição seria das 7-9 hs da manhã e o intestino funcionar
antes da primeira refeição, ou seja, das 5-7 hs da manhã. O ideal
para se fazer o exercício respiratório matinal é de 3-5 hs (Pulmão)
da manhã, depois de 5-7hs (Intestino Grosso) fazer a exoneração
do intestino, a melhor refeição deveria ser de 7-9hs (Estômago)
para a digestão começar das 9-11hs (Baço-Pâncreas). O coração
que vai dinamizar tudo (11-13 hs), a absorção (13-15 hs), a bexiga
(15-17 hs), das 19-21 hs (a prática sexual). Das 21-23 hs (Triplo-
Aquecedor) é a vez do meridiano controlador, coordenador, que
organiza tudo, é essa a hora para dormir. É no período do sono
onde temos o melhor aproveitamento da chamada auto-cura. Por
exemplo, se um indivíduo é portador de uma patologia respiratória,
que no período do pulmão ele durma, se é cardíaco, dar uma
dormida entre 11-13 hs, nem que seja por 15-30 minutos.

O horário também é importante porque, como é um fluxo


energético, o momento do fluxo máximo é também um momento
que o órgão se torna mais frágil e neste período pode acontecer
certas manifestações patológicas com mais facilidade. Por exemplo,
é no período matutino que os problemas de asma brônquica
acontecem, a incidência de problemas cardiovasculares no período
da manhã ou que antecede é máxima, as crises de vesículas no
horário de meia-noite, etc.

Podemos observar o seguinte: o meridiano yin e em seguida o


meridiano yang, esse par de meridiano são acoplados. Cada um
desses pares são funções acopladas e essas funções estão
relacionadas com o mesmo elemento.

Em conseqüência deste relógio, existem momentos idéias para o


tratamento. O momento ideal para o tratamento, usando o ponto
para sedação no dado meridiano para diminuir o fluxo energético é
o momento do seu horário.

Sedação: Na hora do meridiano


533

Tonificação: Na hora seguinte ao da sua função (ou no horário


anterior).
534

11. CIRCULAÇÃO GERAL DE ENERGIA


535

12. PONTOS DE COMANDO

FUNÇÃO

TONIF

DISP

FONTE

PASSAGEM

ARAUTO

ASSENTAMENTO

C9

C7

C7

C5

VC14

B15

ID

ID3

ID8

ID4
536

ID7

VC4

B27

P9

P5

P9

P7

P1

B13

IG

IG11

IG2

IG4

IG6

E25

B25

F8

F2

F3

F5

F14
537

B18

VB

VB43

VB38

VB40

VB37

VB24

B19

BP

BP2

BP5

BP3

BP4

F13

B20

E41

E45

E42

E40

VC12

B21

R
538

R7

R1

R3

R4

VB25

B23

B67

B65

B64

B58

VC3

B28

CS

CS9

CS7

CS7

CS6

VC6 –Circ.

VC13 – Sexual

B14

TR
539

TR3

TR10

TR4

TR5

VC5 – Geral

VC17 – 1a. TR

VC12 – 2a. TR

VC7 – 3a. TR

B22

PONTO DE TONIFICAÇÃO: é aquele que estimulado, utilizado


aumenta o teor de energia daquele meridiano.

PONTO DE DISPERSÃO OU SEDAÇÃO: É usado quando existe


excesso de energia num determinado meridiano, ou seja, ele irá
dispersar a energia para outro local ou sedar no sentido de diminuir
a quantidade de energia.

PONTO FONTE: São aqueles cujo estímulo serve tanto para


tonificar como para dispersar.
540

PONTO DE PASSAGEM: Chamados também de Pontos Lo (lô).


São pontos que unem diretamente um meridiano com o seu
acoplado.

PONTO ARAUTO: Também chamado Ponto de alarme ou Ponto Lo.


É aquele ponto que apresenta uma sensibilidade dolorosa mais
acentuada, quando o meridiano correspondente está com a sua
energia perturbada.

PONTO DE ASSENTAMENTO (ASSENTIMENTO): Também


chamado de Iu e de pontos vesicais. São pontos que ligam
diretamente o meridiano da Bexiga ao meridiano correspondente e
serve para substituir até certo ponto os demais pontos de comando.

13. CÁLCULOS DAS ESTAÇÕES E CALENDÁRIO 2004 / 2005


541

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2004

AGOSTO

Q
542

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21
543

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

SETEMBRO

S
544

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20
545

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

OUTUBRO

S
546

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20
547

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

NOVEMBRO

Q
548

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19
549

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

VERÃO

INTERESTAÇÃO

DEZEMBRO

Q
550

01

02

03

OUTONO

PRIMAVERA

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15
551

16

17

18

19

20

21

22

23

24

INVERNO

25

26

27

28

29

30

31

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2005

2005 JANEIRO
552

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10
553

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23/30

24/31

25

26

27

28

29

2005 FEVEREIRO

S
554

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16
555

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

ABRIL

T
556

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14
557

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

2005 MARÇO

Q
558

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19
559

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31
560

MAIO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12
561

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31
562

JUNHO

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11
563

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30
564

MANUAL
PRÁTICO DE
ACUPUNTURA
565

SAULO WANDERLEY
566

SAULO WANDERLEY
567

MANUAL PRÁTICO DE ACUPUNTURA

João Pessoa - Paraíba


2004
568
569

APRESENTAÇÃO
570

RECOMENDAÇÕES PARA AQUELES QUE TRAÇAM ESTE


CAMINHO DA ARTE DA CURA.

Aula da saudade proferida pelo Dr. Evaldo Martins Leite,

em 31 de julho de 2004.

EVITAR OS 6 (SEIS) VÍCIOS:

1. Evitar a procura de honrarias e favores.

2. Evitar a paixão pela beleza física.

3. Evitar o desejo desmedido de dinheiro.

4. Evitar a gula.

5. Evitar as idéias perturbadoras.

6. Evitar o ciúme.

SEGUIR AS DEZ MODERAÇÕES:

1. Moderações nas idéias (BP).

2. Moderação na memorização.

3. Moderação no riso (C).

4. Moderação na palavra.

5. Moderação no beber (qualquer líquido).

6. Moderação na cólera.

7. Moderação na alegria.

8. Moderação na tristeza.
571

9. Moderação no desejo.

10. Moderação na astúcia.

CONSELHOS PRÁTICOS AOS ACUPUNTURISTAS:

1. AGIR COMO RECOMENDA

“ Faço o que digo, faço o que faço”

2. CUIDAR DA SAÚDE

 Procurar o equilíbrio físico, vital, emocional e mental.

 Fazer os exercícios respiratórios.

 Fazer os estímulos dos meridianos principais, bater ou torcer.


Batendo com a outra mão, seguindo o trajeto dos 12 meridianos.
Começa pelo lado esquerdo: P – IG, etc.

 Alimentação correta, dormir na hora certa, etc.

3. AMAR-SE A SI MESMO.

3. TRABALHAR COM AS DUAS MÃOS.

Melhora a intuição, trabalha os dois lados do cérebro.

3. MEDITAÇÃO DIÁRIA.
572

3. CUIDAR DO AMBIENTE DE TRABALHO

3. PRATICAR O JIN SHIN JIUTSU

Abraçar cada dedo com a outra mão, começando com a esquerda.


Demorando no mínimo 1 minuto para cada dedo e depois faz com
a direita. A pessoa fica mais relaxada, etc. Isso pode ser feito em
qualquer ambiente e a qualquer hora.

Outra técnica:

Yin – Azul

Yang – Vermelho

Yin + Yang = Púrpura

Começa da mão esquerda (palma da mão) – pensando na cor azul


e segue até a outra mão. Depois vai no dorso da mão (cor
vermelha) e segue para a outra mão. Depois une as duas cores em
púrpura e leva no pensamento ao órgão doente. Isso pode ser feito
para você mesmo ou pra o seu paciente.

3. FUNÇÃO DO ACUPUNTURISTA NO EXERCÍCIO DA


MEDICINA TRADICIONAL CHINESA :

1. Curar

2. Melhorar

3. Aliviar

4. Consolar
573

ÍNDICE

Página

1. Contra-Indicações da Acupuntura 09

2. Acidentes com Acupuntura 13

3. Roteiro de Tratamento 25

4. Ficha de Anamnese 27

5. Pulsologia Chinesa 29
574

6. Vasos Maravilhosos 32

7. Ponto Aberto da hora do nascimento 40

8. Sinais e Sintomas de Excesso ou 43


Insuficiência

1. Yin e Yang 43

2. Meridianos Principais 44

3. Principais Sinais e Sintomas 53


Psíquicos

4. Índice Geral dos Sinais e 54


Sintomas

9. Correspondência dos cinco 60


elementos

10.Horário de Circulação de Energia de 60


cada Meridiano

11. Circulação Geral de Energia 62

11. Pontos de Comando 63

11. Cálculos das Estações e 64


Calendário de 2004 / 2005

11. Tabelas de Tonificação e 67


Sedação

11. Regras de Tonificação e 68


Sedação com Agulhas

11. Pentagramas 69
575

1. Geral: Yin e Yang 69

2. Pontos Su na Função Yin 70

3. Pontos Su na Função Yang 71

4. Pentagrama, Ciclo de 72
Produção e de Inibição

11. Meridianos Secundários 78

1. Meridianos Ligamentário ou 78
Tendino-Muscular

2. Meridianos de passagem (Lo) 80


Transversal

3. Meridianos de Passagem (Lo) 81


Longitudinal

4. Meridianos Distintos ou 83
Colaterais

11. Grandes Meridianos 87

11. Analgesia 88

1. Regras 88

2. Pontos Usados (Receitas) 90

11. As Oito Reuniões 92

11. Microssistemas 93

1. Língua 93
576

2. Rosto 94

3. Orelha (auriculoterapia) 97

4. Mãos 100

5. Pés (Reflexologia) 105

6. Craneopuntura 108

11. Pontos de Ma Tang Yang 114

11. Os Pontos psíquicos de Dr. La 120


Fuye

11. Pontos Indicados e Contra- 121


Indicados na Gravidez

11. Receitas de Acupuntura 122

Funções de alguns pontos 122


importantes – Dicas importantes

Pontos Especiais 129

Pontos Circunstanciais 130

Pontos de Urgências 131

Diversos 132

Dermatologia 132

Dores 134

Endocrinologia 136
577

Ginecologia 137

Imunologia 137

Neurologia 138

Obstetrícia 138

Ósteo-Articulares 139

Problemas na área da Cabeça 141

Face 141

Laringe / Faringe / Traquéia 142

Nariz 142

Pescoço 143

Psiquismo 143

Sexualidade 145

Sistema Circulatório 146

Sistema Digestivo 148

Sistema Linfático 149

Sistema Respiratório 149

Sistema Urinário 151

11. Estética 153

11. Fitoterapia 164


578

11. Localização de Pontos e Atlas 168


de acupuntura

1. CONTRA-INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA

Contra-indicação absoluta a acupuntura não tem. Mas há algumas


contra-indicações em determinadas circunstâncias e contra-
indicações de alguns pontos em determinados casos.

a) ESTADOS DE CÓLERA OU PAVOR

As contra-indicações mais evidentes são aquelas que estão


relacionadas com os estados de cólera ou de pavor. E estas contra-
indicações são para o equilíbrio energético. O indivíduo estando
numa situação encolerizado ou apavorado, você não vai ter
possibilidade de ajuda-lo no sentido do equilíbrio das energias.
Pode, porém, fazer um ou outro pontinho para tranqüilizá-lo. Fazer
579

o IT – VG20 – VC17. Esses pontos para tranqüilizar o paciente


podem ser feitos, mas para você restabelecer o equilíbrio, a saúde,
não.

Tem que ele se acalmar, ficar tranqüilo. Ele tem que ficar o mais
sossegado possível. Por isso inclusive que a gente recomenda, que
o indivíduo que chega apressado, etc. relaxe um pouco, espera um
pouco, não vá colocar as agulhas imediatamente. Deixe-o relaxar
um pouquinho. Tranqüilize, converse sobre assuntos gerais que não
vai agravar o estado do paciente. Então é uma contra-indicação
relativa a uma determinada situação.

b) ESTADO DE EMBRIAGUEZ OU DE JEJUM PROLONGADO

Não tem nenhuma vantagem de você fazer um tratamento de


acupuntura em um paciente, que esteja em estado de embriaguez.
Ele tem quer sair do estado de embriaguez para tratá-lo. Embora
que existem recursos dentro da acupuntura para tratamento da
embriaguez.

Para o tratamento da embriaguez, o recurso que você faz é um


recurso muito simples e muito eficiente. Que é o seguinte: Você
coloca uma agulha na ponta do nariz, na posição oblíqua em
relação à estrutura do nariz. Entrando no próprio septo nasal
(dentro da cartilagem) e aprofunda de 2 a 3 cm (lá dentro
mesmo). Este ponto chama-se Pi tchoun. E deixa a agulha durante
15-20 min.e seguramente o estado de embriaguez passa. O
indivíduo pode espirrar e vomitar também.

Este ponto não só serve para álcool como também já foi usado para
coma barbiturico. Se estiver num estado semicomatoso, sai do
coma. É um ponto altamente eficiente. Este ponto também é usado
para tratamento de rinites, só que neste caso é bem superficial
(2mm) e para o tratamento da embriaguez é 2-3 cm.
580

c) ESTADO DE EMPANTURRAMENTO

Quando o indivíduo come demais, fica empanturrado, cheio.


Naquele momento para fazer um tratamento de acupuntura com
finalidades terapêuticas, não se faz. Mas você pode ajudar o
empanturrado a melhorar as condições digestivas dele, fazendo o
ponto E45 (ponto ting do estômago, que fica situado junto ao ângulo
ungueal externo do 2º artelho). Só que este ponto você penetra pelo
menos 3mm. Para o ponto ting é profundo e dói.

d) ESTADO DE EXTENUAÇÃO FÍSICA (ESFORÇO FÍSICO, ETC).

Após esforços físicos violentos, esforço físico muito prolongado, etc.


O indivíduo vai correr a maratona, então depois da maratona você
não vai fazer acupuntura para o equilíbrio energético. Agora pode
fazer algum ponto energético geral: E36 – VC6 – B38 (os dois
primeiros são os mais importantes).

e) NA GRAVIDEZ

Existem alguns pontos que são contra-indicados, mas não a


acupuntura que é contra-indicada. Porque na gravidez existem
pontos que são recomendados. Os pontos contra-indicados durante
a gravidez, aqueles mais importantes... Existem outros que são
menos importantes que se você fizer uma ou duas vezes não tem
problema nenhum. Mas existem alguns pontos que são mais
complicados, não porque interrompem a gravidez, mas porque
interferem no desenvolvimento do feto. São os seguintes:

Contra-indicados:

 Todos os pontos abdominais abaixo do umbigo, até o 5º mês.

 Abaixo do fundo do útero, a partir do 5º mês.


581

 Outros: IG4 – BP6 – B60 – E36.

Recomendados:

 R9 – B38 (T e M)

R9  Proteção do feto. É o ponto que protege a criança contra a


má energia ancestral. É uma proteção contra a fixação, que protege
até certo ponto, contra a fixação da energia ancestral de má
qualidade. Então é um ponto que protege a criança. De um modo
geral, a criança cuja mãe fez acupuntura no decorrer da sua
gestação, pelo menos uma vez em cada mês, é uma criança mais
saudável.

B38  Proteção da mãe. É aquele que faz com que a qualidade


do trabalho da gestação não interfira na saúde materna. Melhora as
condições energéticas da mãe de um modo geral

Freqüência das aplicações: Fazer pelo menos uma vez por mês
com o pré-natal. Principalmente no período entre a lua nova e o dia
anterior da lua cheia. Não entre a lua cheia e a lua nova, mas no
período da lua nova até o início do dia anterior da lua cheia,
preferivelmente. Pode fazer noutros períodos, mas o ideal é neste.
Durante aproximadamente 15min.

Obs: Existe algum ponto abortivo? Classicamente se diz não. Mas


segundo o grande acupunturista Guyen Van Nghi, (que é
considerado um dos maiores acupunturistas do mundo ocidental,
apesar dele ser vietnamita, mora na França desde que praticamente
nasceu e é um grande acupunturista no sentido de qualidade de
serviço) ele diz que tem um ponto sim. E que esse ponto é tão
eficiente, segundo ele, que se você consegue acerta-lo bem,
desenvolver o Qi com freqüência, você consegue fazer com que
esse ponto seja ponto de anticoncepção. É o VC5.

f) CUIDADOS NA DEBILIDADE E NO MAL-ESTAR GERAL


582

O indivíduo que tem mal-estar geral com facilidade, indivíduo que


está muito débil, muito debilitado, use para experimentar a sua
resistência nas primeiras aplicações, poucas agulhas. Quatro
agulhas, cinco agulhas e só. Se ele suportar bem, se ele respondeu
bem aquela primeira abordagem que você faz, então vai
estendendo a aplicação para conseguir o equilíbrio satisfatório.

A acupuntura, ela por si não cura ninguém. Quem cura é o próprio


indivíduo. O indivíduo é que se cura. A acupuntura estimula o
indivíduo as suas forças, as suas energias a se curar. Porque nós
em noventa e tantos por cento dos casos, nenhum procedimento
terapêutico cura o indivíduo. Ele se cura.

Nós temos uma capacidade de autocura muito grande. Só que esta


capacidade de autocura é principalmente mais manifesta durante o
período do sono. Por isso é que se recomenda dormir bem. Passar
a noite tranqüilo, sossegado, num sono reparador. O sono é
reparador se ele tem ação curativa. O indivíduo se cura a si mesmo.
E qual é o momento em que a cura é mais apropriada? Durante o
período máximo de energia daquela função. Então é bom se
acostumar a dormir antes da onze horas da noite.

g) INFECÇÃO LOCAL

Aqui existe também um cuidado. Não fazer o ponto de acupuntura


em um local infectado, mas pode fazer a cerclagem. Se você vai
usar um ponto que esteja com uma infecção local, você está
cometendo um risco grande para o paciente, inclusive para levar a
infecção lá para dentro.

No local da infecção você faz a cerclagem, usando os


procedimentos que vimos anteriormente. Faz a cerclagem não só
em infecção local, mas também nos processos localizados: uma
úlcera, uma tendinite, etc.

h) DESIDRATAÇÃO
583

Durante a desidratação não fazer acupuntura. Não tem ponto


nenhum, tem que reidratar a pessoa. A desidratação mata
principalmente crianças que são muito sensíveis.
584

2. ACIDENTES COM ACUPUNTURA

Para que se pratique a acupuntura com absoluta segurança, própria


e do paciente, nós insistimos em que fiquem atentos para a
possibilidade de incidentes ou acidentes com acupuntura.

Os acidentes são absolutamente raros, mas podem acontecer. E


alguns desses acidentes podem ser potencialmente graves. É
insignificante o número de acidentes que tem seriedade além da
mínima. É raro, mas como podem acontecer e se acontecer em
585

nossas mãos toma uma dimensão muito séria, temos a


necessidade de estudá-los o mais cedo possível.

a) “MAL ESTAR” COM ACUPUNTURA

Isso é relativamente freqüente. É uma relação que


surge nas deficiências de energias, e isto ocorre mais nos
indivíduos que apresentamdistonias neurovegetativas. As
distonias neurovegetativas podem muito freqüentemente
desencadear quadros aparentemente sérios, mas de um modo
geral são quadros benignos. Nos portadores de mal estar
geral (um mal estar meio indefinido) e isto acontece
geralmente nas primeiras aplicações (mas pode acontecer em
pessoas muito sensíveis e que já tenha tido experiências com
acupunturas, não sendo a primeira vez). E mais comum quando o
indivíduo está numa situação de jejum.

Quadro Clínico:

O quadro clínico é benigno, mas ele pode ser impressionante.


Aparentemente pode parecer uma situação grave, mas não é. Os
mais comuns são:

 Lipotimia (leve desmaio);

 Palidez;

 Náuseas (muito freqüente);

 Cefaléias (durante a aplicação da acupuntura);

 Síncope (desmaio) com perda dos sentidos (raro);

 Suores profusos (mais freqüentes);

 Extremidades frias;
586

 Pulso imperceptível.

O que fazer:

 Colocar o paciente em decúbito dorsal (deitado) tendo o


cuidado de colocar a cabeça do paciente mais baixo que o
corpo, quanto mais baixo melhor para fazer o retorno
sanguíneo (muitas vezes só isto e a sua conversa
tranqüilizadora com o paciente resolve o problema). Mas
também você pode levantar as pernas do paciente e em
seguida empurrar para frente a fim de comprimir o abdômen
com as pernas Porque isso acontece muitas vezes quando o
paciente está sentado ou em pé (nunca coloque as agulhas
com o paciente em pé, mesmo que seja uma simples dor de
dente e o paciente se queixe, não faça com o paciente em
pé!). Lembre-se que o ideal é sempre fazer acupuntura com o
paciente deitado.

 Tranqüilize-se e procure conversar com o paciente a fim de


tranqüilizá-lo. Mostre-se que está seguro do que faz.

 Imediatamente interrompa o tratamento.

 Retire as agulhas que já foram colocadas.

 Pode-se colocar agulhas em alguns pontos (se estavam


podem até conservá-los e se não podem colocá-los). O
melhor ponto para estes estados de desmaios, síncopes, mal
estar geral, etc. são: VG26 (principal), CS9, E36 (manipula um
pouco), VG20.

Obs1: Se o indivíduo está bem, está tranqüilo, você pode


recomeçar o tratamento na mesma seção.

Obs2: Quando se vai tratar o paciente o ideal é que ele fique sem
roupa (só com as roupas íntimas, sutiã, calcinha, cueca). Embora
587

que, mais comum, e o fato de que a maioria dos pontos utilizados


(pontos Su) se localize do cotovelo para a ponta dos dedos e dos
joelhos para as pontas dos pés, então freqüentemente se faz o
seguinte: Levanta a saia ou a calça até a altura do joelho, levanta a
blusa até o cotovelo, abre a blusa na barriga para eventualmente
colocar nos pontos do vaso governador, estômago (pontos
abdominais e torácicos) e nas costas tira a blusa ou camisa.

b) RESISTÊNCIAS (do ponto):

b.1) À introdução da agulha – É como se houvesse uma


barreira energética que impede (dificulta) a penetração da
agulha. Você coloca a agulha, ela entorta mas não entra. Isso é
muito freqüente.

O que fazer: Você vai introduzir a agulha por debaixo do


ponto, porque a resistência energética é localizada. Na região
vizinha do ponto este bloqueio energético não existe. Então
você pega o ponto por baixo.

b.2) Às manipulações – Com acupuntura às vezes você


manipula a agulha para sedar, tonificar, estimular para
desenvolver o Qi, etc.

O que fazer: Se houver resistência a esta manipulação,


procure girar suavemente a agulha nos dois sentidos (horário
e anti-horário) e aos pouquinhos você provavelmente
consegue. Se não conseguir, aguarde o tempo necessário a
fim de que o processo terapêutico se complete.

b.3) À retirada – Esse é o mais comum. Você coloca agulha,


mas ela fica como que abraçada pelo tecido e para retirá-la tem
588

que forçar. Se você forçar para retirar a agulha incomoda


bastante, dói.

O que fazer: Gire a agulha suavemente no sentido horário e


anti-horário e vai puxando-a lentamente. Se continuar, demore
mais um pouco e repita a operação, sem forçar porque senão
dói. Porque você só deve retirar a agulha no momento em que
tiver frouxo. Mas em algumas condições isso não resolve,
então se deve fazer o seguinte: Massageia com a unha ao
longo do meridiano, e isso muitas vezes é o suficiente. Caso
não seja suficiente então você faz uma cerclagem em torno da
agulha (coloca umas três agulhas em redor do ponto que está
a agulha) e aguarda um pouco.

Obs: A cerclagem é um procedimento muito interessante


quando você, por exemplo, tem uma úlcera (traumática, de
decúbito, varicosa, etc) e um procedimento simples para
ajudar a cicatrização da úlcera é fazer em torno dela uma
cerclagem com agulhas. Dependendo do tamanho o espaço
entre as agulhas pode variar de 2-3 cm.

A cerclagem pode ser feito introduzindo a agulha


perpendicularmente ou tangencialmente à lesão, por um tempo em
torno de 15min. Quando elas estiverem frouxas.
589

Tenham paciência, não tenham pressa em relação à retirada


da agulha, porque se você tira a agulha muito rápido que ainda
se encontra presa, vai acontecer que vai doer. E para retirar a
agulha você tem que esperar que o estímulo terapêutico se
complete.

O que acontece quando a agulha penetra na pele:

Quando a agulha penetra na pele, a agulha se comporta como se


fosse um corpo estranho ao organismo. O que ocorre quando um
corpo estranho penetra no organismo? Ocorre uma reação de rejeição
àquele corpo estranho e esse é o grande problema dos transplantes.
Localmente o que o ocorre no local da introdução da agulha?
Acontece uma liberação de substâncias químicas responsáveis pela
inflamação. O processo de inflamação é uma etapa do processo de
rejeição. Rejeição do germe, da bactéria, do espinho que penetrou na
pele, etc.

O processo de inflamação se caracteriza por quatro sinais:

Calor – Aumento da temperatura no local da inflamação e na área


vizinha não.

 Rubor - O local fica avermelhado.

 Tumor

 Dor

Porque acontece isto? O corpo estranho é rejeitado e ocorre


a liberação local de certas substâncias químicas que facilitem a
retirada daquele corpo estranho.

 Então ocorre um aumento do teor


de: histamina, capsicina, prostaglandinas, peptídeos diver
sos, etc.

 A presença dessas substâncias vai acontecer um aumento da


permeabilidade capilar. Em torno da agulha vai aumentar a
590

dilatação dos capilares. Se aumenta a dilatação dos capilares,


chega mais sangue. Se chega mais sangue, fica
avermelhado.

 Aumento do aporte de leucócitos / histiócitos no local da


picada.

 Aumento do teor de linfa no local (líquidos). No local fica um


botãozinho, uma saliência.

 E outras coisas que poderão aparecer. A dor pode acontecer


porque no ponto de acupuntura existe grande quantidade de
terminações nervosas e se esse aporte de histiócitos,
leucócitos, etc. comprimir essas terminações nervosas, mais a
compressão causada pela agulha, vão estimular essas
terminações nervosas a causar dor.

c) RUPTURA DA AGULHA (Agulha quebrar)

Geralmente acontece por um descuido do acupunturista ou do


paciente. Se você coloca a agulha sem a atenção, pode acontecer que
a agulha já estando torta, ela entorte ainda mais e possa até quebrar.
Então quando você colocar a agulha, você tem quer colocar com
atenção e que a força de penetração da agulha seja acompanhando a
lâmina da agulha. Pode acontecer também da agulha quebrar por ela
estar um pouco dobrada e aquela área ficar mais frágil. Nunca utilize
agulhas que foi muito manipulada (amassada, entortadas, etc).

Recomendação: Nunca deixe a agulha totalmente introduzida até o


cabo, porque vai dificultar a retirada da agulha se porventura ela
quebrar. Porque se ela quebra, na maior parte das vezes, você com
uma pinça facilmente retira. Mas se só tiver uma pontinha do lado de
fora, então você comprime lateralmente com a unha, geralmente
expõe mais a agulha e aí retira com a ajuda de uma pinça. Nunca
tente tirar com a unha, pois pode ser que ela entre mais ainda. Se não
conseguir de nenhuma dessas formas, aí então terá que ser retirada
cirurgicamente.
591

d) MÁCULAS, PÁPULAS, HEMATOMAS, SANGRAMENTOS,


EXSUDAÇÃO DE PLASMA OU SORO, EQUIMOSE.

Isso aqui às vezes não depende da nossa intenção, depende da


reação do paciente.

Máculas, Pápulas: Aquela mancha avermelhada, rosada que ocorre


em certos pontos e em certos indivíduos, isso é muito comum. É muito
freqüente, fica vermelho como se fosse uma picada de inseto. É uma
reação causada pela liberação de substâncias que vimos acima, que
causa um aumento da dilatação capilar e saem este plasma, soro,
leucócitos ou então chegam leucócitos e formam um verdadeiro monte
que às vezes coça. Porque estas substâncias têm uma ação
pruriginosa também. Por exemplo, a histamina faz coçar, como se
fosse uma picada de inseto. Qual é o significado disto? Nenhum, sob
o ponto de vista de prejuízo. Embora que geralmente isso acontece
como indicativo de boa resposta terapêutica. Indivíduos que
respondem marcando máculas e pápulas no local da picada, e às
vezes você tira a agulha e demora horas para sumir, não tem
significado negativo nenhum. Isso acontece em alguns pontos, não em
todos. Acontecem nas pessoas que tem um certo fundo alérgico.

Quando você coloca uma agulha dentro da pele, está causando uma
micro-lesão. Esta micro-lesão vai ser responsável por todo aquele
processo de reação inflamatória e para desaparecer na totalidade,
leva cerca de uma semana (5 a 10 dias) para se recuperar. Então a
agulhada, para voltar a integridade total (antes da agulhada) leva esse
tempo. Durante esse tempo, o estímulo está se fazendo, está se
continuando naquele ponto.

Hematomas, exsudação: Se porventura você pega um vaso (mesmo


que você não veja, às vezes ele está subjacente ao ponto, ele fica
abaixo do ponto) e você tira a agulha e nem percebe e ele depois fica
roxo. Fica um hematoma (vermelho-roxo com elevação da pele) ou às
vezes uma equimose (fica vermelho-roxo sem elevação da pele). Não
tem significado clínico nenhuma, mas tem significado estético. O
hematoma e a equimose são conseqüências de uma hemorragia que
não extravasou para a pele.
592

Sangramentos: Se o sangue passa pelo orifício de penetração da


agulha, vai haver um sangramento maior ou menor, dependendo do
vaso que foi atingido. Não tem significado nenhum. O que fazer?
Sangrou, passe um algodão seco e comprime um pouco. A própria
elasticidade dos vasos e dos tecidos se encarrega de fazer a
hemostasia. Inclusive existem pontos que é recomendado sangrar o
ponto (deixar sair uma gotícula de sangue). Portanto se sangrar
tranqüilize o paciente que não tem ação negativa nenhuma. Para os
pontos que você vai querer que sangre, avise ao paciente primeiro
que vai tentar que saia uma gotícula de sangue.

Exsudação de plasma ou soro: É uma coisa chata, porque às vezes


não coagula fácil (principalmente o soro). Se não coagula, você só
pode parar quando a elasticidade dos tecidos conseguir retrair e evitar
a passagem do soro. Geralmente acontece nos casos de edemas
linfáticos ou então acontece quando você coloca a agulha, forma uma
pápula muito grande e quando retira sai uma gotícula de plasma.
Neste caso não tem significado nenhum. Agora naquelas pessoas que
tem edema, está com a perna inchada porque a circulação de retorno
não está boa, há uma retenção de plasma, ou edema linfático, etc.
Vamos evitar colocar a agulha nestes locais? Não. Vamos colocar a
agulha para melhorar o edema. Sabendo que pode ficar gotejando.
Pernas inchadas às vezes goteja muito tempo. O que se recomenda?
Colocar a perna para cima, comprimir com algodão seco e depois de
algum tempo passa. Não tem significado.

A cirurgia de esvaziamento ganglionar depois de uma mastectomia (é


importante porque é muito comum), se você tira os gânglios linfáticos
o que vai acontecer? Os vasos linfáticos não estão suficientes para
fazer a circulação linfática acontecer. Aí chega o cirurgião e diz: não
mexa neste braço, não deixe colocar agulhas, etc.etc. (ele ignorante
quanto à acupuntura, não sabe que o uso de acupuntura no pós-
operatório da cirurgia de mama, evita a instalação do edema. Em vez
de ser proibido, como muitos proíbem veementes, deveria ser
recomendado. A agulha da acupuntura é lisa, é limpa, é seca, é fina,
não causa dano absolutamente nenhum neste tipo de coisa. Façam
nos pontos que forem indicados.

Obs: Indivíduos que tem hemofilia fazem acupuntura? Sim. Se


sangrar, comprime com algodão seco e pronto.
593

e) DOR PERSISTENTE PÓS-PUNTURA

Isso acontece, raramente, mas pode acontecer. De um modo geral, o


ponto de acupuntura tem terminações nervosas maiores que o
adjacente. A picada em si pode eventualmente doer um pouquinho.
Geralmente as pessoas toleram muito bem, a não ser aquelas
hipersensíveis, etc. A dor geralmente é da picada. Mínima, mas pode
acontecer em grande número de pessoas.

Agora a dor que persiste depois da agulha está introduzida,


geralmente significa que a ponta da agulha está atingindo uma fibra
nervosa de maior calibre. Então o que fazer se está incomodando,
doendo? Puxe a agulha para fora (não retire a agulha) um pouquinho
e geralmente isso é suficiente para libertar o contato da agulha com a
fibra mais calibrosa. Mas há casos em que você retira a agulha
totalmente e dor persiste. O que fazer? O cliente reclamou da dor,
você faz uma leve massagem ao longo do meridiano. Melhorou? Não.
Então você faz moxa ao redor do ponto ou se houver irradiação você
faz moxa ao longo da irradiação da dor. É muito simples, tranqüilize a
pessoa e se a dor levezinha continuar, diga para a pessoa não ficar
tentando fazer doer.

f) NEURITE PÓS-PUNTURA (lesão no nervo)

É mais raro e mais sério. Fica a neurite ao longo da fibra


nervosa que você atingiu. Isto pode demorar meses para cura
espontânea, se não usar a acupuntura, que no caso e moxa. Aplica-se
moxas ao longo do trajeto da dor. Com poucas aplicações fica curado.
Pontos mais comuns de serem acometidos: B52, IG4, E36, B60,
VB34. Com o desenvolvimento do Qi é mais fácil desenvolver uma
neurite, principalmente no E36.

g) QUEIMADURAS POR MOXA


594

É interessante ver a sensibilidade do paciente para ver se está


normal, para não causar queimadura. Deve-se recomendar ao
paciente para ele não tolerar a queimadura, pois se tolerar muito vai
casar queimadura. E isso não deve jamais acontecer.

h) ELETRÓLISE – NA ELETROESTIMULAÇÃO

Você faz a estimulação e se não tiver cuidado necessário pode


causar eletrólise, e em conseqüência disso a queimadura.

Você coloca as agulhas na pele do


paciente e faz o estímulo elétrico. Liga a
bateria, aparelho, etc. conectando este
aparelho a agulha e prende o fio,
geralmente com a garra (jacaré) na área
da agulha (depois do cabo), porque o
cabo pode ter resistência elétrica
diferente.

Uma agulha está recebendo carga elétrica negativa e a outra carga


elétrica positiva. Ora, a agulha está dentro da pele e em contato
com os líquidos orgânicos. Você sabe que os líquidos orgânicos são
ricos em íons positivos e negativos (sódio, potássio, hidrogênio,
cloro, fosfato, etc).

Estas cargas positivas que estão chegando aqui na agulha, sendo


positivas atrai os íons negativos. Então em torno da agulha fica, por
exemplo, cloreto, iodeto, fosfato, sulfato, etc. Eles ficam em torno da
agulha numa atmosfera de íons envolvendo a agulha. E na outra
agulha, uma outra atmosfera iônica de natureza positiva, por
exemplo, cálcio, potássio, sódio, magnésio, etc.

O que é que vai acontecer se você mantiver essas correntes


elétricas? Esses íons vão ser cada vez mais atraídos, que eles vão
se fixandos, grudandos, em torno da agulha positiva e da agulha
negativa, de modo que forma um verdadeiro bloco prendendo-se na
agulha. Então ficam as duas agulhas que receberam muita carga
595

elétrica, grudadas na pele. E que você tenta tirar as agulhas e elas


ficam presas na pele.

Este fenômeno chama-se eletrólise, que pode além de grudar na


pele, fazem a temperatura capilar aumentar, causando a
queimadura elétrica. Então você tem, portanto um dano muito sério
no tecido e para retirar a agulha vai ter quer tirar na força. E fica um
buracão porque lesou a pele de uma maneira muito intensa.
Portanto a eletrólise é um acidente muito chato e tem quer ter
cuidado quando você faz a eletroestimulação.

Como é que você atenua, diminui a possibilidade, como é que você


faz a prevenção disso? De uma maneira muito fácil. Isso acontece
depois que você faz o estímulo elétrico durante um período de 8-10
minutos aproximadamente. Se você interrompe a cada 5-6 minutos
e troca de pólo, ou seja, a carga que estava vindo para um lado,
troca pelo a outra (inverte as polaridades). E nesta inversão de
polaridade o que é que vai acontecer? As cargas de um lado que
eram positivas, agora vão atrair as inversas e no outro pólo do
mesmo jeito. Então fica, portanto uma movimentação iônica com os
estímulos elétricos que não vão causar a eletrólise. A cada
determinado tempo você inverte a polaridade, trocando as garras ou
então, hoje em dia os aparelhos estão construídos de tal modo que
basta você virar uma chave, que a polarização é invertida.

Existe aparelho mais moderno, que já fazem esta mudança


automaticamente. Você não fica com a preocupação nenhuma de
cuidar disso, porque o aparelho já faz e essa possibilidade de
eletrólise desaparece. Esta é uma ação que pode ser feita mesmo
em aparelhos modernos, que não tenham esta variação de
polaridade automática. Alguns aparelhos modernos têm, outros não.
Neste que não tem a variação automática, você tem quer fazer a
mudança do pólo ou com uma chave que muda de um para o outro
e vice-versa, ou então você desliga (zera) o aparelho e inverte a
posição das garras.

Como é que você vai calcular este tempo? Você coloca as agulhas,
coloca as garras na agulha, liga o aparelho e aí você começa a
aumentar a intensidade da corrente e o paciente vai sentir os
choquinhos. Só que esse choquinho é tolerável e você vai
aumentando, chega a um ponto que fica desagradável, dolorido.
Quando o paciente diz que está doendo, está incomodando, você
diminui um pouquinho e deixa o estímulo um pouco abaixo do limiar
da dor. Depois de algum tempo o paciente vai se adaptando por
596

causa dessa couraça eletrônica, que impede que o estímulo


atravesse, é como se fosse uma barreira eletrônica. Aí o paciente
começa a não sentir e quando ele começa a não sentir, está na
hora de trocar a polaridade.

A eletroestimulação é muito boa, por exemplo, em casos de dores


localizadas, dor de ombro, dor de articulação, etc. Ombro: você
coloca as agulhas, faz o estímulo elétrico durante 10-15 minutos e,
além disso, você pode fazer também a moxa. Aí você usou três
estímulos para tratar o problema no ombro. Você usou eletricidade,
fogo e agulha.

Contra-indicação da eletroestimulação:

 Não fazer estímulos elétricos no crânio;

 Procurar evitar fazer estímulos elétricos passando ao nível da


coluna, porque a pessoa pode ter algum defeito anatômico e
causar um eletrochoque.

 No rosto, cuidado, vá devagarzinho. Coloque as agulhas só


do mesmo lado, para evitar a passagem lá por cima. Por
exemplo, está com paralisia facial, então coloco os pontos do
meridiano do estômago, mas só de um lado.

 Pessoas que tem marcapasso não faz na área do tronco. Faz


na perna, mas com cuidado, sempre os eletrodos pertos um
do outro e sempre no mesmo nível, para evitar a passagem
para cima. O melhor é não usar estímulo elétrico quando o
paciente tem marcapasso. Usa o estímulo da agulha e do
fogo.

 Pessoas que tem próteses metálicas, fazer longe da prótese.

i) LESÃO DE ÓRGÃOS
597

Esse é um problema grave que pode acontecer. Lesar o pulmão,


lesar o coração, penetrou muito topou no coração, no fígado, nas
vísceras. Cuidado quando for colocar agulhas na face e a pessoa
pode mexer a cabeça e lesar o olho. Quando for trabalhar próximo
de mucosas, cuidado para não lesar a mucosa.

Mas o caso mais freqüente é a lesão de pulmão, quando se coloca


a agulha no tórax e o paciente inadvertidamente se mexe, bate e
enterra a agulha. Então quando você for trabalhar no tórax, cuidado
na colocação das agulhas, principalmente no tórax lateral em que a
musculatura é menos presente. Porque nas costas na altura da
lombar tem bastante músculo, mas lateralmente tem menos, a
parede é mais delgada e você pode fazer uma lesão torácica que
pode ser grave. Na área do pescoço devido às artérias calibrosas
não se recomenda colocar agulhas nem moxas, só massagem.
Também não deve usar moxa na região poplítea, porque a artéria
femural passa perto, nem também em mucosas não se deve fazer
moxa. Não deve usar moxa na virilha, na vizinhança dos olhos e até
mesmo na face para evitar cicatriz.

A lesão de órgãos internos é o cuidado máximo que devemos ter.

j) CONTAMINAÇÃO

Hoje em dia a maioria dos acupunturistas só usam agulhas de aço


inoxidável, porque são fáceis de serem conservadas, são baratas e
fáceis de serem construídas. E conseqüentemente se encontra com
preços baixos e repõe facilmente o seu estoque.

As agulhas são descartáveis, porém é desnecessário joga-las fora.


Não precisam ser descartáveis, você pode reaproveitá-las. Agora
hoje em dia, por essa questão de contaminação, se usa muito os
pacientes cada um deles terem as suas próprias agulhas. Isso é
uma coisa boa no sentido mais psicológico, porque no sentido da
realidade, as agulhas de acupuntura sendo lisas, maciças,
pontiagudas e secas, estão esterilizadas.

Se a agulha cair aqui no chão, cair um pouquinho de poeira, você


pega um algodão com álcool, tira a poeira, secou, essa agulha está
esterilizada. Não precisa mais nada. A agulha de injeção é que é
598

oca. Quando você penetra a agulha, lá dentro ficam retidas células,


plasma, sangue, restos tissulares, etc. que pode servir de meio de
cultura para bactérias, vírus, protozoários, etc. Para a agulha de
acupuntura não, você não faz acupuntura com agulha de injeção.
Você faz acupuntura com agulha própria.

A agulha tem que está limpa, lisa e seca. Para limpar usa álcool,
álcool iodado, etc. O vírus da aids ou bactéria que quiser suicidar-se
grude na agulha de acupuntura. Porque que morre? Explicação: O
contato de um germe qualquer (vírus, bactéria, etc) numa superfície
metálica ele morre. Por quê? Se você tem uma agulha de
acupuntura...

Aqui é uma agulha de acupuntura (ver desenho acima), e o germe


presente na parede. A proporção não é esta, é muito maior. Uma
bactéria tem em torno de 2 micros de dimensão, uma grande tem
10 micros e a agulha é milímetro. É como se fosse 1m em 1 Km.

Ora, nós sabemos que as células vivas têm a sua membrana


externa polarizada eletricamente. Isso significa que a camada de
fora da célula é dotada de cargas elétricas positivas em maior
número do que a camada interna. E inversamente, dentro da célula,
as cargas negativas predominam. A carga positiva o que é? É a
carga positiva dos íons que estão presentes nos tecidos vivos
(sódio, potássio, cálcio, magnésio, hidrogênio, etc.). As cargas
negativas estão do lado de dentro, são causadas pelas cargas
iônicas negativas que estão presentes nos tecidos vivos (cloreto,
iodeto, sulfato, fosfato, bicarbonato, etc.).

Se esta célula está eletricamente carregada e está em contato com


o metal (só vale para as agulha metálicas, objetos de madeiras,
599

espinhos, etc. não serve). O contato de uma superfície


eletricamente carregada com um metal, faz com que o metal sendo
condutor elétrico (os metais são condutores elétricos), estas cargas
positivas vão se escoar ao longo do corpo da agulha.

Se vão se escoar as cargas positivas, aí fica numa outra etapa


assim: cargas negativas dentro da célula (mas também tem cargas
positivas dentro) e do lado de fora sem cargas negativas e
negativas. Para manter a vida, precisa as cargas positivas irem para
fora. Então do lado de fora vão ficar o sódio, potássio, cálcio, etc. A
célula continua presa em contato com o metal da agulha. Se
continua o contato, a carga elétrica que chega vai se escoando ao
longo da agulha. Ao fim de poucos segundos, a célula entra numa
depleção elétrica, depleção iônica e morre. Não há risco de você
reutilizar as agulhas. Contanto que elas estejam limpas, lisas e
secas.

E porque se recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas?


Porque existe uma coisa chamada paciente. Este paciente que leu
no jornal que a acupuntura é responsável por todos os males do
mundo. No passado era assim, a acupuntura era responsável pela
lepra, pela sífilis, pela aids. Durante muito tempo era assim, no
tempo em que se procurava destruir a acupuntura. Porque a
acupuntura estava ameaçando a entrar no Brasil, foi depois que o
Nixon chegou aos Estados Unidos e viu os resultados...

A campanha aqui no ocidente foi terrível, colocavam tudo que era


de ruim. E o medo da contaminação ficou. E a aids veio então
mostrar o problema que é da agulha de injeção e não da agulha de
acupuntura. Mas por extensão, este medo foi colocado na agulha
de acupuntura também.

Por você tem que respeitar o medo (receio) do paciente. Lembre-se


que o trabalho nosso é para o nosso paciente. Ele tem que está
tranqüilo. Porque ele vem atrás de nosso auxílio, então você tem
que tranqüilizá-lo psicologicamente, deixá-lo sossegado e em paz,
sem medo de contaminação de nenhuma espécie. Porque se
acontecer de colocar uma agulha nele e ele não saiba a
procedência, ele pode ter medo. E além do trauma psicológico, ele
não volta mais para o tratamento. Então você tem que respeita-lo.

Como é que você respeita o paciente? Se ele tiver as suas agulhas


próprias (ele diz se tiver germe, é germe meu não vai fazer mal).
600

Então você usa e coloca em tudo de ensaio. (...) Por isso é que se
recomenda que cada cliente tenha as suas agulhas.

Uma coisa importante é a assepsia da pele. Geralmente na pele


não tem bactérias patogênicas, então você passa álcool, álcool
iodado, etc. para evitar a contaminação. Evita que se empurre
bactéria para dentro da pele.

Uso de luvas: A tradição chinesa não recomenda usar luvas. Por


quê? Por que existe a idéia de que colocar agulha não é só o ato
mecânico da introdução do corpo estranho. Fazer moxa não é só o
estímulo térmico. Acupuntura é também trocas energéticas. Quando
você toca no paciente, você está estabelecendo com o paciente
uma troca energética benéfica para ele e sobrecarga para você. As
respostas segundo toda a tradição chinesa são de que o toque
favorece os resultados. Se você faz acupuntura tocando no
paciente, as respostas são melhores. E esse toque tem que ser
direto, sem interferência de luva, que segundo eles, as respostas
terapêuticas diminuem significativamente. Então trabalhar sempre
com as mãos livre de luvas.

Entre um cliente e outro, segundo a tradição chinesa, para que as


energias sutis do paciente que ficam um pouco na cama, mexam no
lençol, mexam na cama, modifiquem a posição, ajeitem o lençol,
façam qualquer coisa. E lavem as mãos com água, em benefício do
próximo paciente que virá e de você. Para você não absolver as
eventuais energias negativas que o paciente tenha deixado.

Portanto a tradição chinesa recomenda:

 Não usar luvas;

 Lavar as mãos no i’ntervalo de um paciente para o outro;

 Rearrumar, fazer uma pequena mexida na cama em que o


paciente deitou.
601

3. ROTEIRO DE TRATAMENTO

1. Anamnese com investigação de microssistemas: língua, olho,


pulso, orelha, etc.

2. Listar sinais e sintomas indicando excesso e/ou insuficiência


(por Meridiano Principal – MP).

3. Montagem do Tratamento:

1. Indicação do Vaso Maravilhoso (Analisar a queixa


principal).

 Somente alterar o VM quando a queixa principal tornar-se


insignificante.

2. Identificar na lista de Sinais e Sintomas o(s) Meridiano(s)


Principal(ais) em desequilíbrio (Fisiopatologia por excesso
e/ou insuficiência).

AÇÃO:

 Classificar os MP por excesso e/ou insuficiência.


602

 Avaliar quantitativamente os excessos e insuficiências.

 Considerar aqueles com 2 ou mais sintomas / sinais em


desequilíbrio.

 Desconsiderar aqueles com menos de 2 sintomas.

1. Definição do Diagnóstico (Excesso / Insuficiência).

 Quando não fechar o diagnóstico de  ou , tratar o Ponto Fonte


do MP.

 Mais de 2 MP em desequilíbrio, fazer a interação das funções.

 Tratar inicialmente o MP com maior número de sinais e sintomas


alterados.

4. Tratamento:

1. Elaborar o Pentagrama dos MP em desequilíbrio


(estação):

Yin Yang

Obs: Se necessário fazer a interação das funções.

1. MERIDIANOS SECUNDÁRIOS (MS): Sinais e Sintomas


com indicação de MS em desequilíbrio.

 Meridianos Tendino-Muscular ou Ligamentares.


603

 Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Longitudinais.

 Meridiano de Passagem ou Conexão – Lo Transversais.

 Meridianos Distintos ou Colaterais.

 Grandes meridianos.

5. Intervenção Prática:

 Relacionar todos os pontos a serem punturados.

 Abrir tratamento com Vaso Maravilhoso.

 Meridianos Principais, Meridianos secundários, Microssistemas.

 Fechar com vaso maravilhoso.

 Aguardar o tempo necessário e iniciar a retirada das agulhas


obedecendo à regra do Vaso Maravilhoso.
604
605

4. FICHA DE ANAMNESE

Nome:
_______________________________________________________________
_

Data de Nascimento: ______/______/________ hora: ________ Sexo:


___________

Idade: __________________ Ponto Aberto:


_______________________________

Estado Civil: ______________________ Filhos: ( ) Sim ( ) Não


_________________

Profissão:
_____________________________________________________________

Endereço:
_____________________________________________________________

___________________________ Fone:
_____________________________________

INTERROGATORIO:

 Aspecto Local

1. Qual é o seu problema?


_____________________________________________

2. O que você sente?


_________________________________________________

3. Quando começou o problema?


_______________________________________

4. Aonde se localiza sua doença?


_______________________________________

5. O que melhora (frio, calor, vento, etc)?


_________________________________
606

6. O que piora?
_____________________________________________________

7. Toma algum medicamento? Qual?


____________________________________

8. O queis alguma coisa incomoda?


_____________________________________

9. Quais doenças você já teve?


_________________________________________

10. Quais cirurgias já fez?


______________________________________________

11. Como é sua respiração?


____________________________________________

12. Tem tosse, catarro, expectoração?


____________________________________

13. Algum problema de pele, mucosa, nos cabelos, unhas, ossos e


dentes?______

14. E sua digestão? Intestino?


___________________________________________

15. Como são as fezes? Freqüência de evacuação?


_________________________

16. Algum problema circulatório?


________________________________________

17. Como é a urina (volume, cor e freqüência)?


_____________________________

18. Tem algum incômodo na cabeça, olhos (F), nariz (P), ouvidos ®,
boca (BP), garganta (BP e F) ?
________________________________________________

19. Tem algum incômodo nas pernas, braços, articulações, coluna?


____________

 Aspecto Geral
607

20. Como se sente no frio? E no calor?


____________________________________

21. Como é a sua sede?


_______________________________________________

22. Como é a febre (se tiver)?


___________________________________________

23. Como é sua transpiração? Quando transpira mais e em que local?


__________

24. Hábitos alimentares? Desejos e aversões alimentares.


____________________

25. Hábitos bebidas? Outros hábitos?


____________________________________

26. Como é seu sono? A que horas desperta durante o sono? Sonhos
repetitivos? _

27. Como é a menstruação?


____________________________________________

28. Como é a disposição durante o dia e a noite?


____________________________

 No caso de dor

29. Local da dor :


_____________________________________________________

30. Classificar o tipo de dor em Yin / Yang


608

YIN DOR YIN DOR YANG YANG

Crônica Aguda

Fixa Móvel

Profunda Superficial

Agrava pelo frio Agrava pelo calor

Agrava pelo repouso Agrava pelo movimento

Agrava com aplicação Agrava com aplicação


fria quente

Tipo surda Tipo latejante

 TOTAL TOTAL 

Conclusão: Dor tipo ( ) Yin () ( ) Yang ()

31. Avaliar o(s) Meridianos que passam pelo local da dor:


________________

 Aspecto Psíquico

32. Como é o seu gênio, sua personalidade, seu modo de ser?


_________________

33. Como você se ofende, como fica?


_____________________________________

34. Como enfrenta as situações difíceis?


__________________________________

35. Quais são os seus medos?


__________________________________________

36. Como você fica ao ser contrariado(a)?


_________________________________
609

37. Como você é em relação à imposição das idéias?


________________________

38. O que mais gostaria de dizer?


________________________________________

39. Observações:
_____________________________________________________

 Exame do Pulso Radial

Nílvel I ____________ Nível III

P. Direito __________ P. Esquerdo

P. Superficial _______ P. Profundo

Tipologia:

( ) Tipo Yin

( )Tipo Yang
610

5. PULSOLOGIA CHINESA
611

RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO PELOS PULSOS:

 Autoconfiança; Não duvide de sua capacidade.

 Preferência sempre para a informação detectada no pulso;

 Preferencialmente tomar o pulso em jejum pela manhã. Porque


a energia nutridora ainda não deu a mobilidade diferenciada que
ele dar quando o indivíduo se alimenta. A energia defensiva ou
wei ela nos vem através do ar, mas a energia nutridora ela vem
através dos alimentos. Então de manhã enquanto o indivíduo
está em jejum, está tudo estável. Mas na hora em que ele se
alimenta, modifica o padrão daquela realidade. Mas na realidade
esse procedimento normalmente não é viável, pois nem sempre
poderemos contar com o paciente em jejum;

 Devemos tomar os pulsos em todas as sessões. Fazer o


tratamento de fundo (causas maiores) e o tratamento pelos
pulsos do dia. Isso é muito importante;

 É natural que no horário e na estação da função, perceba-se


algum excesso de energia:
612

 Inverno  R e B são mais fortes e profundos (requerendo mais


força para detectar);

 Primavera  F e VB mais tensos;

 Verão  C-ID-CS-TR mais cheios (maior volume da energia


sangue);

 5a. Estação  É natural a transformação / mudança nos pulsos


de E e BP;

 Outono  P e IG apresentam pulsos ligeiros;

 Se quadro e pulso não “concordam”, o prognóstico é grave.

 A posição do paciente em relação ao terapeuta: Em que posição


que a gente toma o pulso? Se o indivíduo chega ao nosso
consultório e eu tenho uma linda mesa e tem uma cadeira minha
e mais duas cadeiras em frente, clássico do consultório. Se eu
tenho um consultório tipo clássico, eu sentado do lado de cá e o
paciente sentado do lado de lá e por cima da mesa com o ponto
de apoio, que é a mesa, eu tomo o pulso do paciente. Mas e se
eu encontro o paciente no corredor? Toma o pulso em pé. E se o
paciente estiver deitado? Muitas vezes quando o paciente está
deitado se torna difícil pegar o pulso. O que a gente faz é: o
paciente poderá colocar os dois braços do mesmo lado do
terapeuta, e ele pega os dois pulsos. Se não der para fazer isso,
poderá pegar um pulso de um lado depois vai no outro lado e
pega o outro.

 Paciente e terapeuta não devem está sentindo muito frio ou


muito calor, porque isso altera a percepção ou altera o pulso.

ELEMENTOS PARTICULARES OU VARIAÇÕES INDIVIDUAIS:

Os pulsos além das características que ele tem para aquele indivíduo,
aquele indivíduo ele pode realçar por ter um elemento diferenciador. O
homem alto, a criança, o obeso. Estas pessoas têm pulsos
particulares ou variações individuais.
613

 O homem tem pulso mais duro e forte do que a mulher;

 O adulto tem o pulso cheio, amplo (um pulso mais fino no


adolescente é perfeitamente normal);

 O ancião tem pulso mais débil;

 A criança tem pulso mais rápido, isto é, Freqüência Cardíaca x


Freqüência Respiratória > 6;

 O homem tem o pulso mais longo que o da mulher;

 A pessoa magra tem pulso ligeiro e superficial;

 O obeso tem pulso discretamente profundo (tem fazer uma


pressão maior para chegar até a pele);

 Intelectuais tem pulso mais débil;

 Após exercícios o pulso é grande e rápido;

 Após viagem longa, o pulso é mais rápido (é mais devido à


distância percorrida do que ao tempo de viagem);

 Após refeição, o pulso é grande e lento;

 Após ingestão de álcool, o pulso se torna mais rápido.

EXCESSOS GENERALIZADOS

Polaridad Excessos Generalizados Pulsos


614

e Puls Posição Segment Relacionado


o o s

Superficia Duro e
l Rápido (“vai”
Yang D>E I > III e “volta”
> rapidamente).

Profundo Também
amplo; mais
forte.

Superficia Mole ou
l Macio e Lento
Yin D<E I < III (“vai”/”fica” e
< “volta”).

Profundo Mais fraco;


fluxo mais
baixo.

* Pulso D > E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente, batem


mais fortes que os do lado esquerdo.

Pulso D < E  Significa que os pulsos do lado direito do paciente batem mais
fracos que os do lado direito.

Tratamento: Excesso Generalizado

 YANG  CS6 (T), VC6 (T), TR5 (D).

 YIN  E36 (T), VC12 (T), VC13 (T).


615

5. VASOS MARAVILHOSOS
616

CAPTADORES

(Os captadores (os dois) servem para ALERGIAS)

 Traz para frente e frente para trás (Qualquer desequilíbrio que


haja entre a parte da frente e a parte de trás. Ex. costas
quente. (serve para os dois vasos captadores)).

P7 R6 – JENN MO - VC
 Problemas respiratórios e qualquer tipo de cefaléia.

Sintomas:

Abscesso de Dores (cabeça Meningite em


mama e nuca) crianças

Afonia Enfisema Ondas de calor

Asma / Equisemas Pleurisias


Bronquite

Astenia Gripe Pneumonia

Coqueluche Hemoptise Rinites /


Sinusite

Coriza Intoxicação Tosse


alimentar
617

Diabetes Laringite Tuberculose


pulmonar

Dispnéia Medo nas


crianças

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.
618

ID3 B62 – TOU MO


 Excelente Ação Psíquica.

Sintomas:

Alucinações Dor nos olhos

Amidalite Excitação

Angina de garganta Lacrimejamento

Boca (qualquer Lumbago


afecção)

Calor nas costas Nevralgias (testa e


sobrancelhas)

Conjuntivite Problema nas


extremidades
(dormências)

Contraturas (nuca, Ranger de dentes


maxilar e garganta).

Distúrbios motores das Surdez


extremidades

Dor de dente Tétano

Dor na 7a. cervical Tosse com catarro

Dor nas costas / Nuca Vertigens


619

ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-


falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a
pele muda de cor.

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a pele


muda de cor.
620

DISTRIBUIDORES

(Os Distribuidores tem um trabalho BÁSICO PARA TR)

Eles tratam problemas:

 Profundo  Superficial

 Superficial  Profundo

BP4 CS6 – TCHRONG MO – Vasos dos ataques.


 Problemas digestivos e problemas musculares.

Sintomas:

Angina de peito Dores superficiais


(abdômen e flancos)

Anorexia/ Inapetência Febre palustre

Arritmias Hipercloridria

Atonia gástrica Icterícia

Bradicardia Miocardite

Colecistite Palpitações

Diarréia Pericardite

Distúrbio do aparelho Soluços


621

digestivo

Dores no coração Úlceras

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1 o. metatarsiano


com o 1o. cuneiforme, diante e debaixo da extremidade proximal do 1o.
metatarsiano.

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca, entre


os tendões palmar maior e palmar menor.

.
622

VB41 TR5 – TAE MO – Vaso Cintura.


 Problema Ósteo-Artculares.

Sintomas:

Amenorréia Espasmo geral

Anemia Fraqueza / Fadiga

Artrite em geral Mamite

Contratura (pé e mão) Plenitude (inchaço no


ventre)

Dores (joelho, costas, Reumatismo articular


ombro, braços, pernas,
pés e tornozelo).

Dores internas (ventre) Tremores em geral

Dores menstruais para Vermelhidão de pulsos


não virgens e joelho

Esgotamento geral Vômitos

B41  No espaço formado pelo 4o. e 5o. metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40 (Diante e
debaixo do maléolo externo, sobre a articulação calcâneo-cuboidea).
623

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço, em um buraco estando a mão
apoiada sobre o ombro oposto.

REGULADORES

 De um lado para o outro.

R6 P7 – INN TSIAO MO – Acelerador do Inn.


 Problemas gênito-urinários.

Sintomas:
624

Abortos Edemas em Metrite


repetidos geral

Albuminúria Enurese Nefrite

Anúria Esgotamento Orquite


para mulheres
e idosos

Ausência de Esterilidade e Ovarite


prazer sexual Frigidez

Cistite Hemorragia Prostatite


pós-parto

Constipação Impotência Retenção


para mulheres urinária

Dores do pós- Insônia Sonolência


parto

Dores nas Leucorréia


regras (só para
virgens)

R6  A ½ distância debaixo do maléolo interno, entre os tendões,


entre o calcâneo e o astrágalo.

P7  A 1 ½ distância por cima da prega da munheca, por fora da


artéria radial.
625

B62 ID3 – IANG TSIAO MO

 Transtornos com prevalência de um dos lados.

 Decorrências do AVC (seqüelas).

Sintomas:

Abscessos em geral Dores lombares

Afazia Furunculoses

Apoplexia Hemiplegia
626

Ciática (+++) – Obsessões (vícios)


Excelente

Congestão cerebral Paralisia facial

Contraturas (torcicolo e Paraplegia


câimbras)

B62  Exatamente debaixo da ponta do maléolo externo, onde a


pele muda de cor.
ID3  No bordo cubital da mão, atrás da articulação metacarpo-
falangeana, numa depressão que se forma fechando a mão, onde a
pele muda de cor.
627

PRODUTORES

(MAIOR AGILIDADE E FORÇA – INDICADO PARA IDOSOS)

 De cima para baixo.

 De baixo para cima.

Ex. Pés gelados e cabeça quente, etc.

CS6 BP4 – INN WEI

 Transtornos Emocionais Circulatórios; AVC (Prevenção para não


ter mais).

Sintomas:

Agitação Epilepsia Plenitude


interna

Angústia / Hemorróidas Riso nervoso


Apreensão

Constipação Hipertensão Timidez


espasmódica

Convulsão / Indigestão Úlceras


628

Delírio (Todos os varicosa


tipos)

Depressão Inquietude Varizes


mental

Emotividade Medos e
Pesadelos

CS6  A 2 distâncias por cima da prega de flexão da munheca, entre


os tendões de palmar maior e de palmar menor.

BP4  Bordo interno do pé, diante da articulação do 1º metatarsiano


com o 1º cuneiforme; diante e debaixo da extremidade proximal do 1º
metatarsiano.

TR5 VB41 – IANG WEI


629

 Energização em casos de esgotamento pela idade ou evolução


patológica.

Sintomas:

Abscessos na cabeça Epistaxes

Acne Febres em geral

Afecções da língua Inchaço no calcanhar

Artrite de dedos e Nevralgias em geral


joelhos

Barulho nos ouvido Otites

Cefaléias Parotidite

Dores (Braço, pescoço, Pruridos (P5)


molares inferiores e
orelhas).

TR5  A 2 distâncias por cima da prega dorsal da munheca, na


metade da cara dorsal do antebraço estando a mão apoiada sobre o
ombro oposto.

VB41  No espaço formado pelo 4º e 5º metatarsiano, em seu


extremo proximal, a 4 distâncias por diante do ponto VB40.
630

7. PONTO ABERTO DA HORA DO NASCIMENTO

TRONCOS EM 1o. DE JANEIRO

1920 1934  1948  1962 1976  1990  2004 


T5 T9 T2  T6 T9 T3 T5

1921 1935  1949  1963 1977  1991  2005 


 T1 T4 T8  T1 T5 T8 T1

1922 1936  1950  1964 1978  1992  2006 


631

 T6 T9 T3  T6 T10 T3 T6

1923 1937  1951  1965 1979  1993  2007 


 T1 T5 T8  T2 T5 T9 T1

1924 1938  1952  1966 1980  1994  2008 


 T6 T10 T3  T7 T10 T4 T6

1925 1939  1953  1967 1981  1995  2009 


 T2 T5 T9  T2 T6 T9 T2

1926 1940  1954  1968 1982  1996  2010 


 T7 T10 T4  T7 T1 T4 T7

1927 1941  1955  1969 1983  1997  2011 


 T2 T6 T9  T3 T6 T10 T2

1928 1942  1956  1970 1984  1998  2012 


 T7 T1 T4  T8 T1 T5 T7

1929 1943  1957  1971 1985  1999  2013 


 T3 T6 T10  T3 T7 T10 T3

1930 1944  1958  1972 1986  2000  2014 


 T8 T1 T5  T8 T2 T5 T8

1931 1945  1959  1973 1987  2001  2015 


 T3 T7 T10  T4 T7 T1 T3

1932 1946  1960  1974 1988  2002  2016 


 T8 T2 T5  T9 T2 T6 T8

1933 1947  1961  1975 1989  2003  2017 


 T4 T7 T1  T4 T8 T1 T4

+
JA
N FE MA AB M JU JU AG SE O NO DE
V R R AI N L O T UT V Z

-1 + -2 -1 -1 + + +1 + +2 +3 +
0 0 0 2 3
632

Data do dia

Somar 1 (um) de 1o. de março a 31 de dezembro


quando o ano for *bissexto

*Obs: Divide o ano por 4, se o resultado for exato é bissexto.

O tronco do dia é o algarismo da unidade (zero significa tronco 10)


PONTOS ABERTOS

HO T1 T2 T3 T4 T5 T6 T7 T8 T9 T1
RA 0

23/ ID2 E3 IG3 TR VB ID2 E3 IG3 TR VB


01 6 1 38 6 1 38

01/ C3 BP CS R7 R1 C3 BP CS R7 R1
03 3 3 3 3

03/ E4 TR B6 B6 ID8 E4 TR B6 B6 ID8


05 3 10 0 7 3 10 0 7

05/ CS P8 P1 F8 F2 CS P8 P1 F8 F2
07 5 1 5 1

07/ IG5 IG1 VB VB TR IG5 IG1 VB VB TR


09 34 43 6 34 43 6

09/ BP R1 R2 CS C7 BP R1 R2 CS C7
11 1 0 7 1 0 7

11/ B5 B6 TR ID3 E4 B5 B6 TR ID3 E4


13 4 6 3 5 4 6 3 5
633

13/ P1 CS F3 C9 BP P1 CS F3 C9 BP
15 0 8 5 0 8 5

15/ TR VB ID1 E4 IG2 TR VB ID1 E4 IG2


17 2 41 1 2 41 1

17/ R3 F1 C4 BP P5 R3 F1 C4 BP P5
19 2 2

19/ VB ID5 E4 IG1 B6 VB ID5 E4 IG1 B6


21 44 4 1 5 44 4 1 5

21/ F4 C8 BP P9 CS F4 C8 BP P9 CS
23 9 9 9 9

HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL

ANO PERÍODO ABRANGÊNCIA

1931 / 11hs de Todo o Território Nacional


1932 03/10/1931 até
24hs de
31/03/1932

1932 / 00h de Todo o Território Nacional


1933 03/10/1932 até
24hs de
31/03/1933

1949 / 00h de Todo o Território Nacional


1950 01/12/1949 até
00h de
16/04/1950

1950 / 00h de Todo o Território Nacional


1951 01/12/1950 até
00h de
16/04/1951

1951 / 00h de Todo o Território Nacional


1952 01/12/1951 até
00h de
634

31/03/1952

1952 / 00h de Todo o Território Nacional


1953 01/12/1952 até
00h de
28/02/1953

1963 00h de SP, RJ, GB, MG, ES


23/10/1963 até
00h de
09/12/1963

1963 / 00h de Todo o Território Nacional


1964 09/12/1963 até
00h de
01/03/1964

1965 00h de Todo o Território Nacional


31/01/1965 até
00h de
31/03/1965

1965 / 00h de Todo o Território Nacional


1966 30/11/1965 até
00h de
01/03/1966

1966 / 00h de Todo o Território Nacional


1967 01/11/1966 até
00h de
01/03/1967

1967 / 00h de Todo o Território Nacional


1968 10/11/1967 até
00h de
01/03/1968

1985 / 00h de Todo o Território Nacional


1986 02/11/1985 até
00h de
15/03/1986

1986 / 00h de Todo o Território Nacional


1987 25/10/1986 até
00h de
14/02/1987
635

1987 / 00h de Todo o Território Nacional


1988 25/10/1987 até
00h de
07/02/1988

1988 / 00h de Todo o Território Nacional, exceto


1989 16/10/1988 até para: AC, AM, PA, RR, RO e ter AP
00h de
29/01/1989

1989 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
1990 15/10/1989 até TO, MS, MT, BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, DF e Ilhas
11/02/1990 oceânicas

1990 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
1991 21/10/1990 até BA, MS, MT, DF
00h de
17/02/1991

1991 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1992 20/10/1991 até GO, MT, MS, DF
00h de
09/02/1992

1992 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1993 25/10/1992 até GO, MT, MS, DF
00h de
31/01/1993

1993 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1994 17/10/1993 até GO, MT, MS, DF, AM
00h de
20/02/1994

1994 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1995 16/10/1994 até GO, MT, MS, DF
00h de
19/02/1995

1995 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1996 15/10/1995 até GO, MT, MS, DF, TO, AL, SE
00h de
11/02/1996

1996 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1997 16/10/1996 até GO, MT, MS, DF, TO
636

00h de
16/02/1997

1997 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1998 16/10/1997 até GO, MT, MS, DF, TO
00h de
01/03/1998

ANO PERÍODO ABRANGÊNCIA

1998 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
1999 11/10/1998 até GO, MT, MS, DF, TO
00h de
21/02/1999

1999 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, BA,
2000 03/10/1999 até GO, MT, MS, DF, TO, SE, AL, PE,
00h de PB, RN, CE, PI, MA, RR
27/02/2000

2000 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
08/10/2000 até MT, MS, TO,BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, RR, DF
15/10/2000

2000 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
15/10/2000 até MT, MS, TO,
00h de BA,SE, AL, PB, RN, CE, PI, MA,
22/10/2000 DF

2000 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
2001 22/10/2000 até MT, MS, TO, BA, DF
00h de
18/02/2001

2001 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
637

2002 14/10/2001 até MT, MS, TO, BA, SE, AL, PE, PB,
00h de RN, CE, PI, MA, DF
17/02/2002

2002 / 00h de RS, SC, PR, SP, RJ, ES, MG, GO,
2003 03/11/2002 até MT, MS, TO, BA, DF
00h de
16/02/2003
638

8. SINAIS E SINTOMAS DE EXCESSO OU INSUFICIÊNCIA

1. Yin e Yang
639

 YIN

 Excesso Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto sólido, bem nutrido; Edema; Frio


interno; Tendências às congestões, inflamações e abscessos;
Tez vermelha.

Pulso: Pulsos esquerdos mais fortes e duros que os direitos –


Pulsos profundos e médios mais duros que os superficiais –
Pulsos I amplos, fortes e pulsos III igualmente fortes.

 Insuficiência Geral:

Aspectos Gerais: Aspecto balofo, inchado, flácido; Aspecto


magro; Falta de resistência; Fraqueza física; Lassitude;
Preguiça; Rosto levemente azulado, escuro;

Tendência à vertigem; Tez sem cor.

Pulso: Pulsos esquerdos menos fortes que os direitos –


Pulsos médios e profundos menos fortes, duros e amplos que
os superficiais – Pulsos I miúdos, delgados e pulsos III pouco
perceptível – Todos os pulsos miúdos, pequenos.

 YANG

 Excesso geral:

Aspecto Psíquico: Agitação; Calor externo; Excesso de


alegria, cantos, risos; Gestos rápidos; Olhos muito brilhantes e
vivos; Palavra muito excitada; Voz muito sonora e timbrada.

Aspectos Gerais: Contrações; Convulsões; Dores locais;


Espasmos; Pontos dolorosos à pressão.
640

Pulso: Pulsos direitos mais fortes que os esquerdos – Pulsos


superficiais mais tensos, amplos e duros que os pulsos
médios e profundos – Pulso I (IG-P-ID-C) amplos e fortes e
pulsos III (B-R-TR-CS) normais – Todos os pulsos adiante de
sua localização

 Insuficiência Geral:

Aspecto Psíquico: Dificuldade de palavra; Gestos lentos;


Lágrima; Olhos ternos; Tristeza; Voz sem timbre.

Aspectos Gerais: Forma sem firmeza, flácida, branca; Pontos


adormecidos sob pressão; Prurido.

Pulso: Pulsos direitos mais fracos e moles que os esquerdos


– Pulsos superficiais mais fracos que os médios e profundos –
Pulso I (IG-P-ID-C) fracos e pulsos III (B-R-TR-CS) fortes ––
Todos os pulsos antes de sua localização

b. MERIDIANOS PRINCIPAIS

 Meridiano do Baço-Pâncreas

 Dor e distúrbios ao longo do meridiano do Baço, do Pâncreas


e dos órgãos: baço e pâncreas;

 Distúrbios digestivos, genitais, cutâneos e do tecido mole


(conjuntivo, lábio e boca). Déficit imunitário. Edema;

 Agravação: das 9-11 hs. Da manhã; manhã; primavera;

 Melhoria: após as 12:00 hs; outono.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Grandes suspiros; Hiper-reflexão; Idéias


fixas; Memória difícil; Obsessão; Obstinação; Pesadelos;
Tristeza.
641

Aspectos Gerais: Articulações dolorosas; Artralgia;


Constipação intestinal; Distensão e dor abdominal; Doenças e
dor nos lábios; Dor T.M; Edema; Eliminações pouco
abundantes (salivas, urina, transpiração, lágrimas, etc);
Formas excessivas; Mialgia da face; Mialgia; Obesidade;
Sensação de ardor no corpo; Ventre grande, porém fraco;

Língua: ventre lingual, com saburra amarelada e seca.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Dificuldade de concentração;


Sonambulismo.

Aspectos Gerais: Abdômen doloroso (melhora com a


pressão); Abdômen tenso e distendido (aerocolia);
Aerogastria; Aftas bucais; Anorexia; Astenia; Debilidade;
Diarréia; Digestão lenta (má digestão); Edemas; Eliminações
abundantes; Fácies amareladas; Fadiga matinal que pode se
prolongar até as 5 horas da tarde; Fadiga; Falta de sede;
Flatulência; Frio e fraqueza dos pés; Insuficiência de forma;
Sialorréia; Vômitos.

Língua: Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão


dos dentes nos bordos.

Pulso: Pulso mole, fraco.

 Meridiano da Bexiga

 Dor ao longo do Meridiano da Bexiga e da víscera bexiga, vias


urinárias;

 Dor e distúrbio: região dorsal, cabeça, nuca;

 Agravação: das 15-17 hs, verão;

 Melhoria: após as 3 e 5 hs, na primavera.


642

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Calorento; Insônia; Plenitude;


Sonolência sem comer; Voluntarioso.

Aspectos Gerais: Cálculos renais; Dermatose; Dermatoses


infectadas; Desejos freqüentes e urgentes de urinar;
Distúrbios digestivos; Disúria e ardor durante a micção; Dor de
cabeça ao defecar; Dor na coluna vertebral, em região dorsal;
Ereção peniana excessiva; Erosões excessivas, prostáticas;
Febre; Furúnculos; Obstrução nasal; Oligúria de coloração
escura e odor forte; Pouca urina; Prostatite ciática; Retenção
de urina.

Pulso: Pulso pleno e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Cérebro transtornado; Confusão mental;


Falta de vontade; Friorento; Insegurança; Sonolência.

Aspectos Gerais: Anemia; Diurese intensa ou pouco


freqüente; Dor intercostal irradiada para a região lombar;
Epistaxe; Espermatorréia; Falta de vigor sexual; Incontinência
urinária; Levanta-se a noite para urinar; Parasitose intestinal;
Urina abundante e incolor.

Pulso: Pulso vazio, fraco.

 Meridiano da Circulação e Sexualidade

 Dor e distúrbios ao longo do Meridiano do CS e das funções


gonádicas, circulatória e geniturinária;

 Agravação: das 19-21 hs., inverno;

 Melhoria: Interestação.
643

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação; Caráter forte; Cólera;


Irritabilidade; Opressão; Preocupações sexuais; Sem piedade.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Convulsão; Coração agitado; Dor


de cabeça congestiva; Dores surdas (difusa, ao contrario da
dor aguda); Fertilidade; Halitose; Hemorróidas; Hipertensão
arterial; Mau hálito; Ofegação rápida por riso ou alegria; Rubor
facial; Sensação de calor no coração e de coração agitado;
Urina pouco freqüente, rara ou difícil.

Língua: Glossite.

Pulso: Pulso cheio, largo e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Ausência de alegria; Depressão moral;


Descontentamento; Emotividade; Fadiga, com alegria;
Histeria; Idealiza o amor; Insônia; Medo; Neuroses;
Passividade; Tristeza.

Aspectos Gerais: Agrava no escuro, à noite, no frio; Astenia;


Esterilidade; Fadiga; Febre (por nervoso ou fadiga); Frigidez;
Hipertensão arterial; Impotência; Indiferença sexual;
Infertilidade; Insuficiência do vigor sexual; Laringe
entorpecida; Rigidez de cabeça e nuca; Surdez; Vertigens.

Pulso: Pulso profundo, fino e fraco.

 Meridiano do Coração

 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Coração e do órgão


coração;

 Distúrbios do coração, neurovegetativos, estresse;

 Doenças mentais, parkinsonismo, epilepsia, insônia;

 Doenças bucais (língua);

 Agravação: das 11-13 hs., 24:00 hs., 12:00 hs., inverno;


644

 Melhoria: diurna, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação do espírito; Audácia; Coragem;


Emotividade; Excesso de alegria; Excitação mental; Riso fácil;
Voz sonora.,

Aspectos Gerais: Angina pectoris; Dores no coração e


braços; Epistaxe; Fortes palpitações dolorosas; Hipertensão
arterial; Menstruação abundante; Não se resfria; Odontalgia
que se irradia para o tórax; Olhos brilhantes; Precordialgia;
Pressão arterial elevada; Pulso rápido; Rubor facial (cara
vermelha); Sede; Sensação de calor torácico; Soluços;
Taquicardia; Úlceras bucais.

Língua: Glossite; Língua seca.

Pulso: Pulso cheio, forte e duro.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angustia; Depressão; Falta de alegria;


Medo; Neuroses e falsas idéias fóbicas; Sonhos com incêndio,
fogo; Sono agitado; Timidez; Tristeza, nunca ri; Voz fraca.

Aspectos Gerais: Alteração no ritmo cardíaco; Angina


pectoris; Bronquite; Dor abdominal e lombar; Dor e inflamação
bucal; Dor na ponta do coração; Fácies pálida; Lipotimia;
Menstruação escassa; Micção intensa com urina incolor;
Odontalgia; Respiração acelerada; Rosto pálido; Síncope;
Sudorese fria; Sufocamento ao esforço; Taquicardia.

Língua: Língua mole e pálida.

Pulso: Pulso pequeno, mole e fraco.


645

 Meridiano do Estômago

 Dor e distúrbios no meridiano do Estômago e da víscera


Estômago;

 Agravação: das 7-9 hs. Da manhã; manhã; primavera;

 Melhoria: após as 19:00 horas; outono.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Calorento; Excitação emocional;


Pesadelos.

Aspectos Gerais: abdômen doloroso; Acnes; Aftas; Ardor


bucal; Artralgia; Azia; Boca seca; Câimbras; Calor no tórax e
abdômen; Cárie dentária; Dermatoses; Digestão rápida; Dor e
inflamação bucal; Dores de estômago; Edema no pescoço;
Enjôos; Epilepsia; Erupções cutâneas; Esofagia; Espasmos da
musculatura facial; Gastralgia; Gastrite; Herpes; Inflamação
gengivais; Nevralgias do trigêmeo; Ressecamento labial; Sede
de líquidos frios; Trismo; Úlcera gástrica; Vômitos.

Língua: Língua saburrosa, espessa e amarelada.

Pulso: Pulso pleno, duro e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Desânimo; Emotividade, lágrimas;


Friorento; Prefere solidão; Tristezas.

Aspectos Gerais: Anorexia; Diarréia de alimentos não


digeridos; Digestão lenta; Dor no epigástrio e tórax; Halitose;
Indigestão; Meteorismo; Neurite (ao longo do canal);
Parestesia ou hipersensibilidade dos membros inferiores; Pés
frios; Rosto vermelho; Sobrancelhas dolorosas; Tórax e
abdômen frios; Vômito aquoso depois de comer.

Língua: Língua e lábios brancos.


646

Pulso: Pulso profundo, mole e pequeno.

 Meridiano do Fígado

 Dor e distúrbios ao longo do canal do Fígado e do órgão


fígado;

 Dor e distúrbios oculares, musculares, nos tendões, da função


geniturinária e digestiva.

 Cefaléia, distúrbio do sono e do psiquismo;

 Agravação: da 1-3 hs., outono;

 Melhoria: manhã, verão.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Ciúmes; Cólera; Delirante;


Descontentamento; Irritabilidade; Transtornos após cólera.

Aspectos Gerais: Afecções do escroto; Alergias; Câimbra nas


pernas e braços; Cefaléias; Constipação e dores
espasmódicas; Dermatoses; Dismenorréia; Dor cardíaca; Dor
torácica; Dores lombares e no aparelho genital; Edema
peniano; Enxaqueca; Ereção prolongada (priapismo);
Gastralgia com vômitos de bile; Gengivite; Herpes;
Hipertensão arterial; Incontinência urinária; Micção difícil e
dolorosa; Nevralgia do trigêmeo; Odontalgia; Oligúria;
Periodontite; Rubor na face; Sensação de opressão torácica;
Tez escura, cinzenta ou amarelada; Tosse; Transtornos nas
regras.

Língua: Glossite; Língua vermelho-escura e nos bordos


coloração vermelho intensa.

Pulso: Pulso tenso, cheio e duro.


647

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão;


Descontentamento; Desejos e medo da morte; Irritabilidade;
Medo; Raiva reprimida; Sonha com florestas, árvores;
Sonolência.

Aspectos Gerais: Cefaléia; Constipação; Contratura;


Convulsão; Dermatite; Diurese intensa; Dor ATM; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dores nas coxas, pélvis,
garganta; Eczemas; Ejaculação precoce; Espasmos
intestinais; Esquimoses freqüentes; Fezes amarelas,
cinzentas; Frigidez; Gengivite; Hipoacusia; Impotência;
Menstruação abundante e longa; Mialgia facial; Nevralgia do
trigêmeo; Odontalgia; Olho seco; Palidez; Paralisia facial;
Perda de sensibilidade (parestesia, paralisia); Periodontite;
Prurido; Redução da acuidade visual; Sangue coagulando
lentamente; Tez branca, corosa; Unhas quebradiças,
irregulares, esverdeada; Urticária; Vertigens; Zumbido no
ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.

 Meridiano do Intestino Delgado

 Dor e distúrbio ao longo do meridiano do Intestino Delgado e


da víscera ID;

 Agravação: das 13-15 hs., inverno;

 Melhoria: 1-3 hs., interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agressividade; Alegria; Calorento; Cólera;


Ofende-se fácil; Risos; Superexcitação das emoções.
648

Aspectos Gerais: Abscessos na boca e faringe; Boca


amarga; Boca seca; Contratura do cotovelo; Diarréia;
Dilatação dolorosa do abdômen; Dor escrotal, na coluna
vertebral, renal; Fácil recuperação física; Febre com sensação
de frio; Halitose; Odontalgias; Pouca transpiração; Pouca
urina e de coloração vermelha; Redução das secreções
(salivar, sudorese e Láctea); Retenção hídrica; Rosto
escarlate; Rubor facial; Síndrome oclusiva;

Pulso: Pulso rápido, cheio, forte, “pérolas que rolam”.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Caráter débil; Emotividade; Friorento;


Mágoa; Ressentimento; Sensibilidade emocional.

Aspectos Gerais: Aumento das secreções (salivar,


sudorípara e Láctea); Desperta para urinar; Diarréia; Digestão
difícil; Diminuição da resistência física; Dor abdominal; Dor no
baixo ventre; Dor ocular; Epilepsia (pequeno mal); Epistaxe;
Febre com transpiração; Flatulência; Formação de tumefação
e nódulos; Hipoacusia; Lábios azulados com bordos brancos;
Magreza; Micção freqüente, abundante; Redução do vigor
sexual; Suores noturnos; Surdez; Transpiração violenta;

Pulso: Pulso fraco, lento e pequeno.

 Meridiano do Intestino Grosso

 Dor e distúrbios ao longo do meridiano do IG e da víscera;

 Doenças digestivas, cutâneas;

 Agravação: das 5-7 hs. Da manhã; noturna; verão;

 Melhoria: após as 5 horas da manhã; inverno.


649

 Excesso:

Aspectos Gerais: Acne; Boca seca; Constipação; Corpo


quente; Doenças dermatológicas; Dor abdominal; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dor ocular; Epistaxe;
Erupções na pele; Gengivite; Hemorróidas; Hipertensão
arterial; Hipertonia do IG (constipação espasmódica ou
diarréia mucopurulenta); Lábios gretados; Melhora com
amargo; Odontalgia; Parasitose intestinal; Pruridos; Sede.

Língua: Glossite com saburra amarela e expressa no centro e


dorso lingual.

Pulso: Pulso duro e pleno.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Depressão; Falta de entusiasmo;


Friorento.

Aspectos Gerais: Aerocolia; Amenorréia; Dermatoses;


Diarréia ou constipação hipotônica (poucas fezes e dura); Dor
orofacial; Erupção; Flatulência; Frio, esquenta-se com
dificuldade; Melhora com acidez; Prolapso do reto; Prurido;
Ptose anal.

Pulso: Pulso profundo, fraco e fino.

 Meridiano do Pulmão

 Dor e distúrbios no trajeto do Meridiano do Pulmão e do órgão


Pulmão;

 Doenças respiratórias (nariz, sinus, faringe, laringe, traquéia,


brônquios, pulmão);

 Doenças cutâneas e das mucosas;

 Agravação: das 3-5 hs. Da manhã; noturna; verão;


650

 Melhoria: após as 15:00 hs.; inverno.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Angústia; Ansiedade; Depressão; Insônia


com agitação; Risos extravagantes; Superexitação; Tristeza.

Aspectos Gerais: Amigdalite aguda; Arquejamento; Astenia;


Bocejos, espirros; Dor intercostal dorsal e dos ombros; Dores
nos ombros, costas e costelas; Eliminações abundantes;
Espasmos dos músculos faciais e da cabeça; Micção
freqüente; Odontalgia com sensação de calor; Respiração
espasmódica e forte; Rubor facial lado direito; Tosse seca ou
mucopurulenta com sudorese e poliúria; Transpiração;
Transtornos congestivos.

Língua: Língua saburrosa e úmida.

Pulso: Pulso cheio, duro e forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Aversão ao frio; Idéias de suicídio;


Insônia; Não pode dormir.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Astenia; Diarréia após a


refeição; Dor intercostal, dorsal e do ombro; Dores no oco
supra-clavicular; Edema da face; Fácies pálida; Falta de ar;
Falta de energia; Gengivite; Obstrução nasal; Odontalgia;
Ombros e costas frias; Paralisia facial; Perda do automotismo;
Queda de cabelos; Respiração difícil; Secura da garganta;
Sensação de frio; Tez inconstante; Tosse.

Língua: Língua esbranquiçada.

Pulso: Pulso mole, pequeno e fraco.

 Meridiano do Rim

 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do Rim e do órgão rim;


651

 Distúrbios renais, geniturinários.

 Dor lombar, edema, convulsão, dores ósseas, dentárias, da


cabeça, ouvido e das glândulas endócrinas;

 Agravação: das 17-19 hs., verão;

 Melhoria: às 12:00 hs., primavera.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Autoritarismo; Excesso de decisão; Sonha


que é difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura.

Aspectos Gerais: Amigdalite; Anúria; Barulho no ouvido;


Câimbra; Cefaléia; Cefaléias; Constipação intestinal;
Convulsão; Faringite; Hemorróidas; Hipertensão arterial;
Paralisia facial; Paralisia; Pés pesados, quentes, dolorosos;
Urina colorida, rara (urina pouco freqüente e escura);
Vertigens.

Língua: Língua seca.

Pulso: Pulso forte.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Complexo de inferioridade; Deseja


solidão; Falta de autoridade; Falta de vontade; Indecisão;
Insegurança; Irritabilidade antes das regras; Neurose fóbica;
Palavra confusa; Sonha com água, Inundação, à beira do
abismo; Sonha com árvores inundadas.

Aspectos Gerais: Cárie dental; Cefaléias (vértex); Ciática;


Distúrbios osteodentários; Diurese intensa e freqüente; Dor
cardíaca; Dor e debilidade nas pernas; Dor escrotal, que se
irradia para a região renal; Dor na coluna vertebral; Edemas;
Eliminações abundantes: Urina incolor, Sudorese, Sialorréia,
Diarréia, agravam à noite; Espermatorréia; Fadiga;
Impotência; Lipotimia; Lombociatalgia; Lumbago; Micção
652

freqüente, odor estranho, incolor; Nefrose; Palidez;


Periodontite; Pés e pernas frias; Surdez; Transpiração
abundante; Zumbido no ouvido.

Pulso: Pulso mole e fraco.

 Meridiano do Triplo Reaquecedor

 Dor e distúrbio ao longo do Meridiano do TR e das funções


cardiovascular, pulmonar, digestiva e geniturinária;

 Doenças e dor do ouvido e febre;

 Como o TR (San Tsiao) abrange todas as funções orgânicas,


averiguar a fisiopatologia dos demais meridianos quando o TR
se mostrar alterado;

 Agravação: das 21-23 hs., inverno;

 Melhoria: interestação.

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Desejo de dormir; Insônia; Irritável; Sem


alegria; Triste.

Aspectos Gerais: Dificuldade para falar; Dores por ventos


(qualquer vento, externo (ar) ou interno (gases intestinais)
sem saber onde); Excesso de urina; Inapetência; Respiração
curta.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Lassidão moral e física; Tédio; Tristeza;


Tudo é esforço.
653

Aspectos Gerais: Frio; Insuficiência urinária; Membros não


obedecem.

TR Superior

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agitação,

Aspectos Gerais: Febre; Respiração difícil e rápida; Rubor


facial; Sede.

Língua: Glossite; Língua seca e vermelha sem saburra.

Pulso: Cheio, rápido e forte.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: Língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco e lento.

TR Médio

 Excesso:

Aspectos Gerais: Boca seca com sede de líquidos frios;


Constipação; Flatulência; Gastralgia; Má digestão; Odontalgia;
Respiração difícil; Sensação de calor interno; Urina pouca.

Língua: Língua amarela.

Pulso: Pulso radial rápido e forte, “pérolas que rolam”.


654

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Diarréia; Dor abdominal; Má digestão.

Língua: língua esbranquiçada, saburrosa.

Pulso: Fraco, lento.

TR Inferior

 Excesso:

Aspectos Gerais: Ascite; Constipação; Edema; Sensação de


plenitude no baixo ventre; Urina escassa.

Pulso: Cheio, forte e largo.

 Insuficiência:

Aspectos Gerais: Astenia; Diarréia; Frigidez; Impotência;


Sensação de frio no abdômen e extremidade inferior; Urina
clara e abundante.

Pulso: Pulso mole.

 Meridiano da Vesícula Biliar

 Dor e distúrbio no trajeto do Meridiano da VB e da vesícula


biliar;

 Dor e distúrbios dos olhos, ouvido, na nuca, ciática;

 Agravação: das 23-1 h., outono;

 Melhoria: manhã, verão.


655

 Excesso:

Aspecto Psíquico: Agressividade; Audácia; Autocrático;


Ciúmes; Descontentamento; Irritabilidade; Sonolência; Suspira
muito.

Aspectos Gerais: Boca amarga (pela manhã) ou seca;


Cefaléia frontotemporal, frontoparietal e occipital; Constipação
intestinal; Distúrbios circulatórios de membros inferiores; Dor e
processos inflamatórios bucais; Dor facial; Dor nos olhos; Dor
ocular; Dores articulares; Dores em todo o corpo; Enxaqueca;
Espasmos abdominais; Inchaço sob o joelho; Joelho e perna
adormecidos; Náuseas; Odontalgia; Otalgia; Pele muito seca;
Surdez intermitente; Tremores; Vômitos de líquido amargo.

Língua: Língua amarelada ou avermelhada

Pulso: Pulso rápido, tenso e cheio.

 Insuficiência:

Aspecto Psíquico: Agitação; Apreensão; Distúrbios após:


humilhação, insultos e brigas; Falta de entusiasmo, sem
audácia; Insegurança; Insônia por insegurança; Medo;
Suspiros; Timidez.

Aspectos Gerais: Ausência de transpiração; Bochecha e


queixo inchados; Debilidade nas pernas; Dificuldade para
marchar; Distúrbios visuais; Dores erráticas; Dores no peito e
nas costas; Edema mentoniano, julgal e lombar; Hipoacusia;
Mastoidite; Náuseas; Opressão torácica; Seios inchados;
Vertigem; Vômitos.

Pulso: Lento, fraco, vazio, pequeno.


656

c. PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS PSÍQUICOS

FÍGADO

  Fígado  Irritabilidade e Cólera.

  Fígado  Falta de imaginação e coordenação das idéias.

Obs: Pesadelos indicam que a energia do Fígado está perturbada.

CORAÇÃO

  Coração  Excitação mental, alegria, riso exagerado.

  Coração  Há abatimento, muitas queixas, incapacidade de


esforço físico e mental, falta de alegria.

PULMÃO

  Pulmão  Agressividade, obsessão do futuro, tristeza,


romantismo.

  Pulmão  Há perda do reflexo e do instinto de conservação


(suicidas) e desinteresse pelas coisas. Depressão, falta força de
vontade.

RIM

  Rim  Temor e Autoritarismo.

  Rim  Indecisão, angústia, medo, ausência de propósitos e


fraqueza de caráter.

BAÇO

  Baço  Obsessões voltadas para o passado, idéias fixas,


repetições, pessoas que reflete muito.

  Baço  Esquecimento, memória fraca, ausência de desejo,


desgosto e ansiedade.
657

d. ÍNDICE GERAL DOS SINAIS E SINTOMAS

Abdomen doloroso ( E)

Abdômen doloroso (melhora com a pressão) ( BP)

Abdômen tenso e distendido (aerocolia) ( BP)

Abscessos na boca e faringe ( ID)

Acne ( IG)

Acnes ( E)

Aerocolia ( IG)

Aerogastria ( BP)

Afecções do escroto ( F)

Aftas ( E)

Aftas bucais ( BP)

Agitação ( B)

Agitação ( CS)

Agitação ( TRs)

Agitação ( VB)

Agitação do espírito ( C)

Agrava no escuro, à noite, no frio ( CS)

Agressividade ( ID)

Agressividade ( VB)

Alegria ( ID)
658

Alergias ( F)

Alteração no ritmo cardíaco ( C)

Amenorréia ( IG)

Amigdalite ( P)

Amigdalite ( R)

Amigdalite aguda ( P)

Anemia ( B)

Angina pectoris ( C)

Angina pectoris ( C)

Angustia ( C)

Angústia ( F)

Angústia ( P)

Anorexia ( BP)

Anorexia ( E)

Ansiedade ( F)

Ansiedade ( P)

Anúria ( R)

Apreensão ( VB)

Ardor bucal ( E)

Arquejamento ( P)

Articulações dolorosas ( BP)

Artralgia ( BP)

Artralgia ( E)

Ascite ( Tri)
659

Astenia ( BP)

Astenia ( CS)

Astenia ( P)

Astenia ( P)

Astenia ( Tri)

Audácia ( C)

Audácia ( VB)

Aumento das secreções (salivar, sudorípara e Láctea) ( ID)

Ausência de alegria ( CS)

Ausência de transpiração ( VB)

Autocrático ( VB)

Autoritarismo ( R)

Aversão ao frio ( P)

Azia ( E)

Barulho no ouvido ( R)

Boca amarga ( ID)

Boca amarga (pela manhã) ou seca ( VB)

Boca seca ( E)

Boca seca ( ID)

Boca seca ( IG)

Boca seca com sede de líquidos frios ( TRm)

Bocejos, espirros ( P)
660

Bochecha e queixo inchados ( VB)

Bronquite ( C)

Câimbra ( R)

Câimbra nas pernas e braços ( F)

Câimbras ( E)

Cálculos renais ( B)

Calor no tórax e abdômen ( E)

Calorento ( B)

Calorento ( E)

Calorento ( ID)

Caráter débil ( ID)

Caráter forte ( CS)

Cárie dental ( R)

Cárie dentária ( E)

Cefaléia ( CS)

Cefaléia ( F)

Cefaléia ( R)

Cefaléia frontotemporal, frontoparietal e occipital ( VB)

Cefaléias ( F)

Cefaléias ( R)

Cefaléias (vértex) ( R)

Cérebro transtornado ( B)
661

Ciática ( R)

Ciúmes ( F)

Ciúmes ( VB)

Cólera ( CS)

Cólera ( F)

Cólera ( ID)

Complexo de inferioridade ( R)

Confusão mental ( B)

Constipação ( F)

Constipação ( IG)

Constipação ( Tri)

Constipação ( TRm)

Constipação e dores espasmódicas ( F)

Constipação intestinal ( BP)

Constipação intestinal ( R)

Constipação intestinal ( VB)

Contratura ( F)

Contratura do cotovelo ( ID)

Convulsão ( CS)

Convulsão ( F)

Convulsão ( R)

Coração agitado ( CS)

Coragem ( C)

Corpo quente ( IG)


662

Debilidade ( BP)

Debilidade nas pernas ( VB)

Delirante ( F)

Depressão ( BP)

Depressão ( C)

Depressão ( F)

Depressão ( IG)

Depressão ( P)

Depressão moral ( CS)

Dermatite ( F)

Dermatose ( B)

Dermatoses ( E)

Dermatoses ( F)

Dermatoses ( IG)

Dermatoses infectadas ( B)

Desânimo ( E)

Descontentamento ( CS)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( F)

Descontentamento ( VB)

Deseja solidão ( R)

Desejo de dormir ( TR)


663

Desejos e medo da morte ( F)

Desejos freqüentes e urgentes de urinar ( B)

Desperta para urinar ( ID)

Diarréia ( BP)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( ID)

Diarréia ( Tri)

Diarréia ( TRm)

Diarréia ( TRs)

Diarréia após a refeição ( P)

Diarréia de alimentos não digeridos ( E)

Diarréia ou constipação hipotônica (poucas fezes e dura) ( IG)

Dificuldade de concentração ( BP)

Dificuldade para falar ( TR)

Dificuldade para marchar ( VB)

Digestão difícil ( ID)

Digestão lenta ( E)

Digestão lenta (má digestão) ( BP)

Digestão rápida ( E)

Dilatação dolorosa do abdômen ( ID)

Diminuição da resistência física ( ID)

Dismenorréia ( F)

Distensão e dor abdominal ( BP)

Distúrbios após: humilhação, insultos e brigas ( VB)


664

Distúrbios circulatórios de membros inferiores ( VB)

Distúrbios digestivos ( B)

Distúrbios osteodentários ( R)

Distúrbios visuais ( VB)

Disúria e ardor durante a micção ( B)

Diurese intensa ( F)

Diurese intensa e freqüente ( R)

Diurese intensa ou pouco freqüente ( B)

Doenças dermatológicas ( IG)

Doenças e dor nos lábios ( BP)

Dor abdominal ( ID)

Dor abdominal ( IG)

Dor abdominal ( TRm)

Dor abdominal ( TRs)

Dor abdominal e lombar ( C)

Dor ATM ( F)

Dor cardíaca ( F)

Dor cardíaca ( R)

Dor de cabeça ao defecar ( B)

Dor de cabeça congestiva ( CS)

Dor e debilidade nas pernas ( R)

Dor e inflamação bucal ( C)

Dor e inflamação bucal ( E)

Dor e processos inflamatórios bucais ( F)


665

Dor e processos inflamatórios bucais ( IG)

Dor e processos inflamatórios bucais ( VB)

Dor escrotal, na coluna vertebral, renal ( ID)

Dor escrotal, que se irradia para a região renal ( R)

Dor facial ( VB)

Dor intercostal dorsal e dos ombros ( P)

Dor intercostal irradiada para a região lombar ( B)

Dor intercostal, dorsal e do ombro ( P)

Dor na coluna vertebral ( R)

Dor na coluna vertebral, em região dorsal ( B)

Dor na ponta do coração ( C)

Dor no baixo ventre ( ID)

Dor no epigástrio e tórax ( E)

Dor nos olhos ( VB)

Dor ocular ( ID)

Dor ocular ( IG)

Dor ocular ( VB)

Dor orofacial ( IG)

Dor T.M ( BP)

Dor torácica ( F)

Dores articulares ( VB)

Dores de estômago ( E)

Dores em todo o corpo ( VB)

Dores erráticas ( VB)


666

Dores lombares e no aparelho genital ( F)

Dores nas coxas, pélvis e garganta ( F)

Dores no coração e braços ( C)

Dores no oco supra-clavicular ( P)

Dores no peito e nas costas ( VB)

Dores nos ombros, costas e costelas ( P)

Dores por ventos (qualquer vento, externo (ar) ou interno (gases intestinais)
sem saber onde ( TR)

Dores surdas (difusa, ao contrario da dor aguda) ( CS)

Eczemas ( F)

Edema ( BP)

Edema ( Tri)

Edema da face ( P)

Edema mentoniano, julgal e lombar ( VB)

Edema no pescoço ( E)

Edema peniano ( F)

Edemas ( BP)

Edemas ( R)

Ejaculação precoce ( F)

Eliminações abundantes ( BP)

Eliminações abundantes ( P)

Eliminações abundantes: Urina incolor, Sudorese, Sialorréia, Diarréia, agravam


à noite ( R)
667

Eliminações pouco abundantes (salivas, urina, transpiração, lágrimas,


etc) ( BP)

Emotividade ( C)

Emotividade ( CS)

Emotividade ( E)

Emotividade ( ID)

Enjôos ( E)

Enxaqueca ( F)

Enxaqueca ( VB)

Epilepsia ( E)

Epilepsia (pequeno mal) ( ID)

Epistaxe ( B)

Epistaxe ( C)

Epistaxe ( ID)

Epistaxe ( IG)

Ereção peniana excessiva ( B)

Ereção prolongada (priapismo) ( F)

Erosões excessivas prostáticas ( B)

Erupção ( IG)

Erupções cutâneas ( E)

Erupções na pele ( IG)

Esofagia ( E)

Espasmos abdominais ( VB)

Espasmos da musculatura facial ( E)

Espasmos dos músculos faciais e da cabeça ( P)


668

Espasmos intestinais ( F)

Espermatorréia ( B)

Espermatorréia ( R)

Esquimoses freqüentes ( F)

Esterilidade ( CS)

Excesso de alegria ( C)

Excesso de decisão ( R)

Excesso de urina ( TR)

Excitação emocional ( E)

Excitação mental ( C)

Fácies amarelada ( BP)

Fácies pálida ( C)

Fácies pálida ( P)

Fácil recuperação física ( ID)

Fadiga ( BP)

Fadiga ( CS)

Fadiga ( R)

Fadiga matinal que pode se prolongar até as 5 horas da tarde ( BP)

Fadiga, com alegria ( CS)

Falta de alegria ( C)

Falta de ar ( P)

Falta de autoridade ( R)
669

Falta de energia ( P)

Falta de entusiasmo ( IG)

Falta de entusiasmo, sem audácia ( VB)

Falta de sede ( BP)

Falta de vigor sexual ( B)

Falta de vontade ( B)

Falta de vontade ( R)

Faringite ( R)

Febre ( B)

Febre ( TRs)

Febre (por nervoso ou fadiga) ( CS)

Febre com sensação de frio ( ID)

Febre com transpiração ( ID)

Fertilidade ( CS)

Fezes amarelas, cinzentas ( F)

Flatulência ( BP)

Flatulência ( ID)

Flatulência ( IG)

Flatulência ( TRm)

Formação de tumefação e nódulos ( ID)

Formas excessivas ( BP)

Fortes palpitações dolorosas ( C)

Frigidez ( CS)

Frigidez ( F)
670

Frigidez ( Tri)

Frio ( TR)

Frio e fraqueza dos pés ( BP)

Frio, esquenta-se com dificuldade ( IG)

Friorento ( B)

Friorento ( E)

Friorento ( ID)

Friorento ( IG)

Furúnculos ( B)

Gastralgia ( E)

Gastralgia ( TRm)

Gastralgia com vômitos de bile ( F)

Gastrite ( E)

Gengivite ( F)

Gengivite ( F)

Gengivite ( IG)

Gengivite ( P)

Glossite ( C)

Glossite ( CS)

Glossite ( F)

Glossite ( TRs)

Glossite com saburra amarela e expressa no centro e dorso lingual ( IG)


671

Grandes suspiros ( BP)

Halitose ( CS)

Halitose ( E)

Halitose ( ID)

Hemorróidas ( CS)

Hemorróidas ( IG)

Hemorróidas ( R)

Herpes ( E)

Herpes ( F)

Hiper-reflexão ( BP)

Hipertensão arterial ( C)

Hipertensão arterial ( CS)

Hipertensão arterial ( CS)

Hipertensão arterial ( F)

Hipertensão arterial ( IG)

Hipertensão arterial ( R)

Hipertonia do IG (constipação espasmódica ou diarréia mucopurulenta) ( IG)

Hipoacusia ( F)

Hipoacusia ( ID)

Hipoacusia ( VB)

Histeria ( CS)
672

Idealiza o amor ( CS)

Idéias de suicídio ( P)

Idéias fixas ( BP)

Impotência ( CS)

Impotência ( F)

Impotência ( R)

Impotência ( Tri)

Inapetência ( TR)

Inchaço sob o joelho ( VB)

Incontinência urinária ( B)

Incontinência urinária ( F)

Indecisão ( R)

Indiferença sexual ( CS)

Indigestão ( E)

Infertilidade ( CS)

Inflamações gengivais ( E)

Insegurança ( B)

Insegurança ( R)

Insegurança ( VB)

Insônia ( B)

Insônia ( CS)

Insônia ( P)

Insônia ( TR)
673

Insônia com agitação ( P)

Insônia por insegurança ( VB)

Insuficiência de forma ( BP)

Insuficiência do vigor sexual ( CS)

Insuficiência urinária ( TR)

Irritabilidade ( CS)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( F)

Irritabilidade ( VB)

Irritabilidade antes das regras ( R)

Irritável ( TR)

Joelho e perna adormecidos ( VB)

Lábios azulados com bordos brancos ( ID)

Lábios gretados ( IG)

Laringe entorpecida ( CS)

Lassidão moral e física ( TR)

Levanta-se a noite para urinar ( B)

Língua amarela ( TRm)

Língua amarelada ou avermelhada ( VB)

Língua e lábios brancos ( E)


674

Língua esbranquiçada ( P)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRm)

Língua esbranquiçada, saburrosa ( TRs)

Língua mole e esbranquiçada, úmida, com impressão dos dentes nos


bordos ( BP)

Língua mole e pálida ( C)

Língua saburrosa e úmida ( P)

Língua saburrosa, espessa e amarelada ( E)

Língua seca ( C)

Língua seca ( R)

Língua seca e vermelha sem saburra ( TRs)

Língua vermelho-escura e nos bordos coloração vermelho intensa ( F)

Lipotimia ( C)

Lipotimia ( R)

Lombociatalgia ( R)

Lumbago ( R)

Má digestão ( TRm)

Má digestão ( TRm)

Má digestão ( TRs)

Mágoa ( ID)

Magreza ( ID)

Mastoidite ( VB)

Mau hálito ( CS)

Medo ( C)
675

Medo ( CS)

Medo ( F)

Medo ( VB)

Melhora com acidez ( IG)

Melhora com amargo ( IG)

Membros não obedecem ( TR)

Memória difícil ( BP)

Menstruação abundante ( C)

Menstruação abundante e longa ( F)

Menstruação escassa ( C)

Meteorismo ( E)

Mialgia ( BP)

Mialgia da face ( BP)

Mialgia facial ( F)

Micção difícil e dolorosa ( F)

Micção freqüente ( P)

Micção freqüente, abundante ( ID)

Micção freqüente, odor estranho, incolor ( R)

Micção intensa com urina incolor ( C)

Não pode dormir ( P)

Não se resfria ( C)
676

Náuseas ( VB)

Náuseas ( VB)

Nefrose ( R)

Neurite (ao longo do canal) ( E)

Neurose fóbica ( R)

Neuroses ( CS)

Neuroses e falsas idéias fóbicas ( C)

Nevralgia do trigêmeo ( F)

Nevralgia do trigêmeo ( F)

Nevralgias do trigêmeo ( E)

Obesidade ( BP)

Obsessão ( BP)

Obstinação ( BP)

Obstrução nasal ( B)

Obstrução nasal ( P)

Odontalgia ( C)

Odontalgia ( F)

Odontalgia ( F)

Odontalgia ( IG)

Odontalgia ( P)

Odontalgia ( TRm)

Odontalgia ( VB)
677

Odontalgia com sensação de calor ( P)

Odontalgia que se irradia para o tórax ( C)

Odontalgias ( ID)

Ofegação rápida por riso ou alegria ( CS)

Ofende-se fácil ( ID)

Olho seco ( F)

Olhos brilhantes ( C)

Oligúria ( F)

Oligúria de coloração escura e odor forte ( B)

Ombros e costas frias ( P)

Opressão ( CS)

Opressão torácica ( VB)

Otalgia ( VB)

Palavra confusa ( R)

Palidez ( F)

Palidez ( R)

Paralisia ( R)

Paralisia facial ( F)

Paralisia facial ( P)

Paralisia facial ( R)

Parasitose intestinal ( B)

Parasitose intestinal ( IG)


678

Parestesia ou hipersensibilidade dos membros inferiores ( E)

Passividade ( CS)

Pele muito seca ( VB)

Perda de sensibilidade (parestesia, paralisia) ( F)

Perda do automotismo ( P)

Periodontite ( F)

Periodontite ( F)

Periodontite ( R)

Pés e pernas frias ( R)

Pés frios ( E)

Pés pesados, quentes, dolorosos ( R)

Pesadelos ( BP)

Pesadelos ( E)

Plenitude ( B)

Pouca transpiração ( ID)

Pouca urina ( B)

Pouca urina e de coloração vermelha ( ID)

Precordialgia ( C)

Prefere solidão ( E)

Preocupações sexuais ( CS)

Pressão arterial elevada ( C)

Prolapso do reto ( IG)

Prostatite ciática ( B)

Prurido ( F)
679

Prurido ( IG)

Pruridos ( IG)

Ptose anal ( IG)

Pulso rápido ( C)

Queda de cabelos ( P)

Raiva reprimida ( F)

Redução da acuidade visual ( F)

Redução das secreções (salivar, sudorese e Láctea) ( ID)

Redução do vigor sexual ( ID)

Respiração acelerada ( C)

Respiração curta ( TR)

Respiração difícil ( P)

Respiração difícil ( TRm)

Respiração difícil e rápida ( TRs)

Respiração espasmódica e forte ( P)

Ressecamento labial ( E)

Ressentimento ( ID)

Retenção de urina ( B)

Retenção hídrica ( ID)

Rigidez de cabeça e nuca ( CS)


680

Riso fácil ( C)

Risos ( ID)

Risos extravagantes ( P)

Rosto escarlate ( ID)

Rosto pálido ( C)

Rosto vermelho ( E)

Rubor facial ( CS)

Rubor facial ( ID)

Rubor facial ( TRs)

Rubor facial (cara vermelha) ( C)

Rubor facial lado direito ( P)

Rubor na face ( F)

Sangue coagulando lentamente ( F)

Secura da garganta ( P)

Sede ( C)

Sede ( IG)

Sede ( TRs)

Sede de líquidos frios ( E)

Seios inchados ( VB)

Sem alegria ( TR)

Sem piedade ( CS)

Sensação de ardor no corpo ( BP)


681

Sensação de calor interno ( TRm)

Sensação de calor no coração e de coração agitado ( CS)

Sensação de calor torácico ( C)

Sensação de frio ( P)

Sensação de frio no abdômen e extremidade inferior ( Tri)

Sensação de opressão torácica ( F)

Sensação de plenitude no baixo ventre ( Tri)

Sensibilidade emocional ( ID)

Sialorréia ( BP)

Síncope ( C)

Síndrome oclusiva ( ID)

Sobrancelhas dolorosas ( E)

Soluços ( C)

Sonambulismo ( BP)

Sonha com água, Inundação, à beira do abismo ( R)

Sonha com árvores inundadas ( R)

Sonha com florestas, árvores ( F)

Sonha que é difícil afrouxar (ou relaxar) a cintura ( R)

Sonhos com incêndio, fogo ( C)

Sono agitado ( C)

Sonolência ( B)

Sonolência ( F)

Sonolência ( VB)

Sonolência sem comer ( B)


682

Sudorese fria ( C)

Sufocamento ao esforço ( C)

Suores noturnos ( ID)

Superexcitação das emoções ( ID)

Superexitação ( P)

Surdez ( CS)

Surdez ( ID)

Surdez ( R)

Surdez intermitente ( VB)

Suspira muito ( VB)

Suspiros ( VB)

Taquicardia ( C)

Taquicardia ( C)

Tédio ( TR)

Tez branca, corosa ( F)

Tez escura, cinzenta ou amarelada ( F)

Tez inconstante ( P)

Timidez ( C)

Timidez ( VB)

Tórax e abdômen frios ( E)

Tosse ( F)

Tosse ( P)
683

Tosse seca ou mucopurulenta com sudorese e poliúria ( P)

Transpiração ( P)

Transpiração abundante ( R)

Transpiração violenta ( ID)

Transtornos após cólera ( F)

Transtornos congestivos ( P)

Transtornos nas regras ( F)

Tremores ( VB)

Trismo ( E)

Triste ( TR)

Tristeza ( BP)

Tristeza ( CS)

Tristeza ( P)

Tristeza ( TR)

Tristeza, nunca ri ( C)

Tristezas ( E)

Tudo é esforço ( TR)

Úlcera gástrica ( E)

Úlceras bucais ( C)

Unhas quebradiças, irregulares, esverdeada ( F)

Urina abundante e incolor ( B)

Urina clara e abundante ( Tri)


684

Urina colorida, rara (urina pouco freqüente e escura) ( R).

Urina escassa ( Tri)

Urina pouca ( TRm)

Urina pouco freqüente, rara ou difícil ( CS).

Urticária ( F)

Ventre grande, porém fraco ( BP).

Ventre lingual, com saburra amarelada e seca ( BP).

Vertigem ( VB)

Vertigens ( CS)

Vertigens ( F)

Vertigens ( R)

Voluntarioso ( B)

Vômito aquoso depois de comer ( E)

Vômitos ( BP)

Vômitos ( E)

Vômitos ( VB)

Vômitos de líquido amargo ( VB)

Voz fraca ( C)

Voz sonora ( C)

Zumbido no ouvido ( F)
685

Zumbido no ouvido ( R)
686

9. CORRESPONDÊNCIA DOS CINCO ELEMENTOS

CARACT MADEI FOGO TERRA METAL ÁGUA


ERIST. RA

Função F Imperial:C/ BP P R
YIN ministro CS

Função VB Imperial: E IG B
YANG ID/ministro
TR

Caracterí Olho, Língua, Boca, Nariz,P Orelha,


sticas Múscul Vasos, Lábios, ele, Ossos
o,
Fisiológic Unha, Coloração Tec.Conj Pêlos, e
as Lágrim da pele, unt., Muco Dentes,
as. Suor.
Saliva Cabelo,
Urina.

Função Criativi Razão Cognição Instinto Vontade


Psíquica dade de
Preserv
ação

Sentimen Raiva Alegria - C Reflexão Tristeza Medo -


to F - BP - P R
Matricial

Expressã Grito Riso Canto Lament Gemido


o o

Tempo Primav Verão Interesta Outono Inverno


era ção

Espaço Leste Sul Centro Oeste Norte


687

Energia Vento Calor Umidade Secura Frio

Cor Verde Vermelho Amarelo Branco Preto

Odor Ranço Queimado Perfuma De Pútrido


so do carne

Sabor Ácido - Amargo – T Doce – T Picante Salgado


Tonific –T –T
a Salgado - S Ácido - S
Amargo Doce - S
Picante -S
- Seda

Nota Dó Lá Mi Ré Sol
Musical

Planeta Júpter Marte Saturno Vênus Mercúrio

Animal Frango Carneiro Boi Cavalo Porco


(Ave)

Vegetal Trigo Milho Centeio / Arroz Feijão


Aveia

Fruta Ameixa Abricó Jujuba/T Pêsseg Castanh


âmara o a
688

10. HORÁRIO DE CIRCULAÇÃO DE ENERGIA DE CADA


MERIDIANO

Na circulação de energia existe uma ordem, uma seqüência que


deve ser obedecida por uma onda energética que passa de um
meridiano para outro, sucessivamente, e que completa todo o
circuito dos 12 meridianos no final de 24 horas. Paralelamente a
esta circulação dos 12 meridianos que chamamos de grande
circulação de energia, existe uma outra que passa do vaso
governador para o vaso de concepção, de uma maneira contínua e
que também se completa em 24 horas. Para aplicações de natureza
prática é importante que saibamos qual é a seqüência da circulação
de energia do meridiano nos meridianos principais, ou seja, da
grande circulação.

Atribui-se que o início da circulação de energia, comece quando


esta onda energética está no meridiano do pulmão, porque o
primeiro ato autônomo que a criança manifesta logo depois do
nascimento é o ato de respirar. Então por uma questão de
obediência a esta situação, costuma-se entender que a grande
circulação de energia começa no meridiano do pulmão.

Existe um período do dia em que cada um dos meridianos tem a


sua energia normalmente num ponto mais alto, para que haja um
gradiente que permita um fluxo energético. O início da circulação
começa pelo meridiano do pulmão. Esse momento em o meridiano
do pulmão apresenta um fluxo máximo de energia é aquele das 3-5
horas da manhã.
689

E esse fluxo é seguido das 5-7 hs da manhã pelo Intestino Grosso.


Das 7-9 é o Estômago e assim sucessivamente conforme mostra os
gráficos.

Então conforme os gráficos, o melhor período para se fazer a


melhor refeição seria das 7-9 hs da manhã e o intestino funcionar
antes da primeira refeição, ou seja, das 5-7 hs da manhã. O ideal
para se fazer o exercício respiratório matinal é de 3-5 hs (Pulmão)
da manhã, depois de 5-7hs (Intestino Grosso) fazer a exoneração
do intestino, a melhor refeição deveria ser de 7-9hs (Estômago)
para a digestão começar das 9-11hs (Baço-Pâncreas). O coração
que vai dinamizar tudo (11-13 hs), a absorção (13-15 hs), a bexiga
(15-17 hs), das 19-21 hs (a prática sexual). Das 21-23 hs (Triplo-
Aquecedor) é a vez do meridiano controlador, coordenador, que
organiza tudo, é essa a hora para dormir. É no período do sono
onde temos o melhor aproveitamento da chamada auto-cura. Por
exemplo, se um indivíduo é portador de uma patologia respiratória,
que no período do pulmão ele durma, se é cardíaco, dar uma
dormida entre 11-13 hs, nem que seja por 15-30 minutos.

O horário também é importante porque, como é um fluxo


energético, o momento do fluxo máximo é também um momento
que o órgão se torna mais frágil e neste período pode acontecer
certas manifestações patológicas com mais facilidade. Por exemplo,
é no período matutino que os problemas de asma brônquica
acontecem, a incidência de problemas cardiovasculares no período
da manhã ou que antecede é máxima, as crises de vesículas no
horário de meia-noite, etc.

Podemos observar o seguinte: o meridiano yin e em seguida o


meridiano yang, esse par de meridiano são acoplados. Cada um
desses pares são funções acopladas e essas funções estão
relacionadas com o mesmo elemento.
690

Em conseqüência deste relógio, existem momentos idéias para o


tratamento. O momento ideal para o tratamento, usando o ponto
para sedação no dado meridiano para diminuir o fluxo energético é
o momento do seu horário.

Sedação: Na hora do meridiano

Tonificação: Na hora seguinte ao da sua função (ou no horário


anterior).
691

11. CIRCULAÇÃO GERAL DE ENERGIA


692

12. PONTOS DE COMANDO

FUNÇ TO DIS FON PASSA ARAU ASSENTAM


ÃO NIF P TE GEM TO ENTO
693

C C9 C7 C7 C5 VC14 B15

ID ID3 ID8 ID4 ID7 VC4 B27

P P9 P5 P9 P7 P1 B13

IG IG1 IG2 IG4 IG6 E25 B25


1

F F8 F2 F3 F5 F14 B18

VB VB VB VB4 VB37 VB24 B19


43 38 0

BP BP BP BP3 BP4 F13 B20


2 5

E E4 E4 E42 E40 VC12 B21


1 5

R R7 R1 R3 R4 VB25 B23

B B6 B6 B64 B58 VC3 B28


7 5

CS CS CS CS7 CS6 VC6 B14


9 7 –
Circ.

VC13

Sexu
al

VC5

TR TR TR TR4 TR5 Geral B22
3 10
VC17
694

– 1a.
TR

VC12
– 2a.
TR

VC7
– 3a.
TR

PONTO DE TONIFICAÇÃO: é aquele que estimulado, utilizado


aumenta o teor de energia daquele meridiano.

PONTO DE DISPERSÃO OU SEDAÇÃO: É usado quando existe


excesso de energia num determinado meridiano, ou seja, ele irá
dispersar a energia para outro local ou sedar no sentido de diminuir
a quantidade de energia.

PONTO FONTE: São aqueles cujo estímulo serve tanto para tonificar
como para dispersar.

PONTO DE PASSAGEM: Chamados também de Pontos Lo (lô). São


pontos que unem diretamente um meridiano com o seu acoplado.

PONTO ARAUTO: Também chamado Ponto de alarme ou Ponto Lo.


É aquele ponto que apresenta uma sensibilidade dolorosa mais
acentuada, quando o meridiano correspondente está com a sua
energia perturbada.

PONTO DE ASSENTAMENTO (ASSENTIMENTO): Também chamado


de Iu e de pontos vesicais. São pontos que ligam diretamente o
695

meridiano da Bexiga ao meridiano correspondente e serve para


substituir até certo ponto os demais pontos de comando.

13. CÁLCULOS DAS ESTAÇÕES E CALENDÁRIO 2004 / 2005


696

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2004

AGOSTO
697

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6 7

0 0 1 1 1 1 1
8 9 0 1 2 3 4

1 1 1 1 1 2 2
5 6 7 8 9 0 1

2 2 2 2 2 2 2
2 3 4 5 6 7 8

2 3 3
9 0 1

SETEMBRO

OUTUBRO
D S T Q Q S S

S T 0Q 0
Q 0
S 0
S
1 2 3 4
0 0
0 0 0 0 0 1 2
1
5 6 7 8 9 0 1
0 0 0 0 0 0 0
13 14 15 16 7
1 8
1 9
1
2 3 4 5 6 7 8
1 1 1 1 1 1 1
10 21 2 23 4
2 5
2 6
2
9 0 1 2 3 4 5
1 1 1 2 2 2 2
27 28 29 20 3
1 2 3
6 7 8 9 0
2 2 2 2 2 2 3
4 5 6 7 8 9 0

3
1
698

NOVEMBRO

D S T Q Q S S
VERÃO
0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6
INTERESTAÇÃO
DEZEMBRO
0 0 0 1 1 1 1
7 8 9 0 1 2 3
DS T QQS S

1 1 1 1 1 1 2
4 5 60 07 08OUTON
9 0
1 2 3 O

2 2 2 2 2 2 2
1 2 3 4 5 PRIM
6 7
AVER
2 2 3
A
8 9 0
04

0 0 0 0 0 1 11
5 6 7 8 9 0

1 1 1 1 1 1 18
2 3 4 5 6 7

1 2 2 2 2 2 INVER
9 0 1 2 3 4 NO
25

2 2 2 2 3 3
6 7 8 9 0 1

CALENDÁRIO DAS ESTAÇÕES 2005

2005 JANEIRO
699

D S T Q Q S S

0
1

02 03 0 0 0 0 0
4 5 6 7 8

09 10 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5

16 17 1 1 2 2 2
8 9 0 1 2

23 24
/ / 2 2 2 2 2
30 31 5 6 7 8 9

2005 FEVEREIRO

D S T Q Q S S

ABRIL
0 0 0 0 0
1 2 3 4 5
D S T Q Q S S 2005 MARÇO
0 0 0 0 1 1 1
6 7 8 9 0 1 2 0 0 D S T Q Q S S
1 2
0 0 0 0 0
1 1 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5
3 4 5 6 7 8 9 0 0 0 0 0 0 0
3 4 5 6 7 8 9
0 0 0 0 1 1 1
2 2 2 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6 1 1 1 1 1 1 1 6 7 8 9 0 1 2
0 1 2 3 4 5 6
1 1 1 1 1 1 1
2 2
7 8 1 1 1 2 2 2 2 3 4 5 6 7 8 9
7 8 9 0 1 2 3
2 2 2 2 2 2 2
2 2 2 2 2 2 3 0 1 2 3 4 5 6
4 5 6 7 8 9 0
2 2 2 3 3
7 8 9 0 1
700
701
702

MAIO

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0 0 0
1 2 3 4 5 6 7

0 0 1 1 1 1 1
8 9 0 1 2 3 4

1 1 1 1 1 2 2
5 6 7 8 9 0 1

2 2 2 2 2 2 2
2 3 4 5 6 7 8

2 3 3
9 0 1

JUNHO

2005
D S JULHO
T Q Q S S

D S T 0Q 0Q 0S 0S
1 2 3 4
0 0
0 0 0 0 0 11 12
5 6 7 8 9 0 1
03 0 0 0 0 0 0
1 14 15 16 17 18 19
2 3 4 5 6 7 8
10 1 1 1 1 1 1
1 21 22 23 24 25 26
9 0 1 2 3 4 5
17 1 1 2 2 2 2
2 28 29 20 31 2 3
6 7 8 9 0
24
/3 2 2 2 2 2 3
1 5 6 7 8 9 0
703

AGOSTO
OUTUBRO
D S T Q Q S S
SETEMBRO D S T Q Q S S
0 0 0 0 0 0
D 1S 2T 3Q 4Q 5S 6S 0
1
0 0 0 1 10 10 10
7 8 9 0 11 22 33 02 03 0 0 0 0 0
4 5 6 7 8
10 10 10 10 10 10 21
4 55 66 77 88 99 00 09 10 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5
21 21 21 21 21 21 21
1 22 33 44 55 66 77 16 17 1 1 2 2 2
8 9 0 1 2
21 21 32 32 2 2 2
88 99 00 11 2 3 4 23/3 24/3 2 2 2 2 2
0 1 5 6 7 8 9
2 2 2 2 2 3
5 6 7 8 9 0

NOVEMBRO

D S T Q Q S S

0 0 0 0 0
1 2 3 4 5

0 0 0 0 1 1 1
6 7 8 9 0 1 2

1 1 1 1 1 1 1
3 4 5 6 7 8 9

2 2 2 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6

2 2 2 3
7 8 9 0
704

DEZEMBRO

VERÃO
D S T Q Q S S
INTERESTAÇÃO
0 0 0
1 2 3
OUTONO
0 0 0 0 0 0 1
4 5 6 7 8 9 0

1 1 1 1 1 1 1
1 2 3 4 5 6 7

1 1 2 2 2 2 2 INVERNO
8 9 0 1 2 3 4
PRIMAVERA
2 2 2 2 2 3 3
5 6 7 8 9 0 1
705

14. TABELAS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO

Funç Primav Verão Interesta Outo Inver


ão era ção no no
Yin

F T He F8 Ting F Yong F2 Yu F3 Jing F


1 4

S Yong F2 Yu F3 Jing F4 He F8 Ting F


1

C T He C3 Ting C Yong C8 Yu C7 Jing C


9 4

S Yong C8 Yu C7 Jing C4 He C3 Ting C


9

C T He CS3 Ting C Yong CS8 Yu C Jing C


S S9 S7 S5

S Yong CS Yu CS Jing CS5 He C Ting C


8 7 S3 S9

B T He BP9 Ting B Yong BP2 Yu B Jing B


P P1 P3 P5

S Yong BP Yu BP Jing BP5 He B Ting B


2 3 P9 P1
706

P T He P5 Ting P Yong P10 Yu P9 Jing P


11 8

S Yong P1 Yu P9 Jing P8 He P5 Ting P


0 11

R T He R10 Ting R Yong R2 Yu R3 Jing R


1 7

S Yong R2 Yu R3 Jing R7 He R Ting R


10 11

Funç Primav Verã Interesta Outon Invern


ão era o ção o o
Yang

V T Yong V Yu VB Jing VB3 He VB3 Ting V


B B43 41 8 4 B44

S Jing VB He V Ting VB4 Yong V Yu VB


38 B34 4 B43 41

ID T Yong ID Yu ID Jing ID5 He ID8 Ting ID


2 3 1

S Jing ID5 He ID Ting ID1 Yong ID Yu ID3


8 2

T T Yong T Yu TR Jing TR6 He TR1 Ting T


707

R R2 3 0 R1

S Jing TR He TR Ting TR1 Yong T Yu TR


6 10 R2 3

E T Yong E Yu E4 Jing E41 He E36 Ting E


44 3 45

S Jing E4 He E3 Ting E45 Yong E Yu E43


1 6 44

IG T Yong IG Yu IG Jing IG5 He IG1 Ting IG


2 3 1 1

S Jing IG He IG Ting IG1 Yong IG Yu IG3


5 11 2

B T Yong B Yu B6 Jing B60 He B54 Ting B


66 5 67

S Jing B6 He B5 Ting B67 Yong B Yu B65


0 4 66

15. REGRAS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO COM AS


AGULHAS

PARA TONIFICAR – YANG


708

1. Agir no meridiano nas 2hs. Após o máximo da onda energética.

2. Puntura superficial.

3. Massagear no ponto antes da picada.

4. Punturar lentamente, retirar rapidamente.

5. Picar no fim da expiração e retirar no fim da inspiração.

6. Inclinar a agulha no sentido da corrente energética.

7. Girar a agulha no sentido horário (1 giro é suficiente).

8. Tampar rapidamente o ponto e massagear com a mão direita.

9. Deixar por  7 min. (5-10).

PARA SEDAR – YIN

1. Agir no meridiano nas 2hs. máxima da onda energética.

2. Puntura profunda.

3. Punturar rapidamente e retirar lentamente.

4. Picar no fim da inspiração e retirar no início da expiração.

5. Inclinar a agulha no sentido contra a corrente energética.


709

6. Girar a agulha no sentido anti-horário.

7. Espremer rapidamente o ponto com a mão esquerda.

8. Deixar a agulha por  20 min.

9. Piparote no cabo da agulha para a vibração da agulha, de vez


em quando.

16. PENTAGRAMA GERAL

a. Yin e Yang
710

FUNÇÃO YIN

FUNÇÃO YANG
711

b. Pontos Su na Função YIN


712
713

c. Pontos Su na Função YANG


714
715

d. Pentagrama, Ciclo de Produção e de Inibição

 Pentagrama:

O pentagrama é um símbolo que nos permite visualizar a posição dos


cinco elementos e a interação que existe entre esses cinco elementos.
Essa interação obedece a uma dinâmica constante, na qual é
primordial a movimentação para a direita e acima. Não há um
retrocesso, como condição para a saúde e o desenvolvimento positivo.

 Ciclo de Produção ou Engendramento


716

No ciclo de produção ou de engendramento, ele é a base na qual


estabelecemos a regra mãe-filho: Fígado é mãe de Coração, Coração
é mãe de Baço-Pâncreas, etc. E cada ponto Su antigo corresponde a
um elemento. E cada elemento produz ou engendra o próximo
elemento à sua direita como no pentagrama e por isso sendo
chamado de mãe. Isto é, além de F produzir o C, C produz BP, BP
produz P, P produz R e R produz F, eu também tenho dentro de cada
função a sua própria regra de engendramento. Por exemplo:
R1 R2  R3  R7  R10  R1...

A cada elemento corresponde a uma função, temos que, por exemplo,


fígado é mãe do coração, pulmão é mãe de rim, etc. Por outro lado,
coração é filho do fígado, rim é filho de pulmão, valendo a regra: mãe
é a função que antecede e filho é a função que sucede no
pentagrama. Também no relógio orgânico
717

 Quando mãe e filho estão


com insuficiência energética  tonifico somente a mãe e
automaticamente o filho será tonificado.

 Se mãe e filho estão em plenitude


(excesso) energética  disperso a energia do filho e
automaticamente a mãe será também sedada.

 Ciclo de Inibição ou de Dominância (Ciclo Ko).

Então eu tenho Rim dominando Coração, Coração dominando


Pulmão, Pulmão dominando Fígado, Fígado dominando Baço-
Pâncreas e Baço-Pâncreas dominando Rim (veja as setas no meio do
pentagrama).
718

O ciclo de inibição ou de dominância ou ainda, o ciclo Ko é aquele em


cada função inibe a função que sucede o seu filho, isto é, inibe o seu
neto (vem depois do seu filho, que é o neto). Assim temos que F inibe
BP, R domina ou inibe C-CS, etc. No entanto essa inibição
considerada natural e saudável, pode se tornar excessiva, patológica.
Quando o avô exerce uma inibição exagerada sobre o neto. Ex. Rim
em excesso inibindo demasiadamente o coração.

Para corrigir a situação:

Por exemplo, do Rim dominando demais o Coração, e isso faz com


que o Coração fique fraco demais.

Quem está atacando? O Rim. A vítima quem é? Coração. E quem é


que está atacando em termos de elemento? É a água. A água está
719

apagando o fogo demais e o fogo tem que existir. Quem é o ponto


água do coração?

Pontos Su Antigo do Coração

Então no pentagrama só do coração, o ponto água é o C3. Então o


que é que eu faça? Eu pontuo o C3 e fecho a porta da casa do
coração. O coração tem cinco portas e uma delas está sendo invadida
pela a água. E então eu fecho a porta do elemento atacante, do
elemento água. E assim coração volta ao normal. Portanto, assim,
resolvi o problema.

Ponto de proteção da função contra os excessos do avô


(dominância excessiva):

 Yin  F4, C3, CS3, BP1, P10, R3.

 Yang  IG5, B54, VB44, ID2, TR2, E43.

 Contra-dominância

A contra-dominância é uma situação chamada de insulto. É o neto se


voltando contra o avô. Ocorre quando o avô está com insuficiência
energética e o neto com excesso de energia. Então, em vez do avô
dominar o neto, este neto se insurge e insulta o avô. Ele agride o avô.
Esta situação é principalmente perigosa quando acontece na estação
do dominante, isto é, na época do ano em que o avô deveria está mais
720

forte do que nunca. Por exemplo, Rim fraquinho no inverno e o


coração alto. Coração que deveria ser o dominado se torna
dominante, ele se volta contra o avô (Rim), no inverno. E aí o caso fica
muito grave.

Contra-dominância é sinônimo de involução, isto é, a dinâmica do


pentagrama sendo invertida, forçando-se a movimentação para o lado
anti-horário. Exemplo: Rim domina naturalmente o coração. Se
coração (dominado - neto) estiver com grande excesso energético e
rim (dominante - avô) em grande insuficiência, o neto pode se voltar
contra o avô. C contra R, e estabelece-se a contra-dominância e será
extremamente grave se for na estação do rim. Avô insultado ou
dominado.

Para corrigir esta situação:

Exemplo: Coração contra-dominando o Rim. Vamos supor a estação


inverno e o rim está muito fraco e coração lá em cima:

Coração é o neto e o rim é o avô. Neste caso o coração está


agredindo, insultando o avô. Quem é que está agredindo quem?

 Vítima: Rim
721

 Atacante: Coração

 Elemento atacante: Fogo

O fogo está vindo secar a água. Então eu traço a casa da vítima, no


caso o rim: No pentagrama do rim, temos R1, R2, R3, R7 e R10.

Qual é a porta do fogo? R2. Então se coração está atacando o rim, eu


fecho a porta do atacante. Portanto o ponto de proteção do rim da
contra-dominância é R2.

Exercício:

 Faça um esquema em que fique clara a contra-dominância de B


sobre E, explicando a razão de ser indicado o E44 para resolver
o problema.
722

Água é o neto e a Terra é o avô. Neste caso a água está agredindo,


insultando o avô. Quem é que está agredindo quem?

 Vítima: Estômago

 Atacante: Bexiga

 Elemento atacante: Água

Fazendo a casa da vítima no pentagrama, temos:


723

Portanto, para solucionar o problema, fecha-se a porta do atacante,


que neste caso é o E44.
724

17. MERIDIANOS SECUNDÁRIOS

a.Ligamentários – Tendino-Musculares. Ligados a E Wei


(defensiva) – superficiais. Iniciam-se antes da capa energética
(antes da pele).

b. De Passagem (Lo)Transversais e Longitudinais

c. De Passagem (Lo) Longitudinais


725

d. Meridianos Distintos ou Colaterais – leva E Wei para a


profundidade. “Como que um escudo da cabeça aos pés”.

a. MERIDIANOS LIGAMENTÁRIOS OU TENDINO MUSCULARES

 São eles que nos protege de qualquer tipo de agressão


(energia perversa, acidentes, etc). São de natureza Yang e,
portanto, os mais superficiais, não tendo ligação com o interior
(órgãos e vísceras).

 Os meridianos ligamentários possuem um sistema de união


onde são agrupados de três em três, separadamente, os
meridianos das mãos e dos pés: Para saber que meridiano
está afetado, no mínimo dois devem está no mesmo
sentido  ou .

VB13
ID TR IG Yang das mãos
VB22
P CS C Yin das mãos
VC3
R F BP Yin dos pés
726

E5
B E VB Yang dos pés

1. TRAJETO

Iniciam seus trajetos em cada um dos pontos Ting dos Meridianos


Principais, aos quais acompanham seguindo os sulcos entre os
músculos.

2. SINAIS E SINTOMAS DA ENERGIA WEI:

 Excesso ()  Hipersensibilidade, dor espontânea e/ou na


palpação superficial, rubor, calor, espasmos, contrações,
edemas, formigamentos.

 Insuficiência () ou Vazio  Hipossensibilidade, frio, paresia


ou paralisia motriz, palidez dos tegumentos, atonia ou atrofia
muscular, palpação dolorosa em profundidade.

3. REGRAS DE TRATAMENTOS:

1. Segundo o Nei-King, não deve haver preocupação em


saber se há excesso ou insuficiência  Puntura-se os
pontos dolorosos até que o paciente esteja aliviado,
acrescentando-se os pontos de ação fisiologia: ex. IG4
para o rosto, B54 para as costas.

2. Segundo o So-Quenn: No Excesso ()  Dispesar o


meridiano ligamentário com agulhas nos pontos dolorosos
e tonificar o meridiano principal com moxas. Na
insuficiência ()  Usar moxa nos pontos dolorosos do
meridiano ligamentário e dispersar o meridiano principal
com agulhas.
727

3. Outra técnica:   Dispersar os pontos de união e


tonificar os meridianos principais correspondentes (ao
ponto união).   Tonificar os pontos de união – moxar os
pontos dolorosos; Dispersar os meridianos principais
correspondentes.

4. A coisa mais importante é conseguir localizar em que fase


do processo o paciente está. Veja tabela abaixo.

FASE AÇÃO TRATAMENTO

Um agente agressor Punturar os pontos


esterno  M. L., mas doloridos
1a. estes estão suportando
há apenas uma +
sensibilidade local por
onde a doença está Pontos de ação
penetrando. fisiológica.

A barreira dos Meridianos Excesso de M.


Ligamentários (M. L.) está Ligamentario
sendo seriamente
atingida e está quase se  Dispersar
2a. rompendo. pontos de união.

Insuficiência de
M. Principal

 Tonificar M.
Principal
correspondente

A agressão já rompeu a Insuficiência de


barreira. A Energia M. L. Tonificar
3ª. Perversa já invadiu M. ponto união.
Principal. ou órgãos e
vísceras. Excesso de M.
P.  Dispersar
Meridiano Principal
(M. P.)
728

Obs: Afecções comuns nos meridianos ligamentários:

 Reumatismos agudo, algias e contratura, contusões, lesões


musculares ou ligamentárias;

 Neurites, algias, tendinites;

 Afecções cutâneas: urticárias, eczemas, pruridos, acne, úlceras;

 Afecções cefálicas: nevralgias, paresias ou paralisias faciais,


tiques nervosos, rinites, sinusites, conjuntivites, afonia, catarros.

4. FLUXO DA ENERGIA DEFENSIVA

(Para Meridianos Ligamentares e Distintos)

 Dia: B  VB  E  ID  TR  IG 

 Noite: BP  F  R  P  CS  C 

b. MERIDIANO DE PASSAGEM (LO) TRANSVERSAL

Meridiano de passagem porque a sua origem é no Ponto de


Passagem (Lo).

1. TRAJETO

São em número de 15: 12 nos Meridianos Principais, 2 nos


Meridianos Curiosos (VG e VC), e 1 no ponto BP21 chamado de
grande Lo.
729

Grande Lo  BP21 - Ponto de equilíbrio e união de todos os


meridianos Inn e Iang. Função harmonizadora.

Obs: Quando às vezes você põe agulha pela primeira vez (ou já faz
muito tempo que não faz acupuntura), pela passagem rápida de
energia, no dia seguinte dar uma dor no corpo. Então usa o BP21.
Portanto quando der uma dor muito forte no corpo inteiro, seja por
gripe, seja por excesso de energia ou qualquer coisa que der dor no
corpo inteiro, então usa o ponto BP21. Porque ele vai acionar a
drenagem de todos os meridianos do corpo e vai tirar o dolorido.

Excesso: Corpo todo dolorido.

BP21

Insuficiência: Todas as articulações relaxadas (não consegue ficar


em pé).

 P7 vai para IG4

 IG6 vai para P9

 E40 vai para BP3

 BP4 vai para E42

 C5 vai para ID4

 ID7 vai para C7

 B58 vai para R3

 R4 vai para B64

 CS6 vai para TR4

 TR5 vai para CS7

 VB37 vai para F3


730

 F5 vai para VB40

2. SINAIS E SINTOMAS

Não possuem sintomatologia própria porque tem por função


única transferir o excesso de energia de um meridiano principal
para o outro que lhe éacoplado. Assim basta verificar os sintomas
de excesso ou insuficiência nos meridianos principais para poder
regularizar a energia usando estes vasos.

3. REGRA DE TRATAMENTO: Sedar o ponto Lo do meridiano em


excesso e Tonificar o ponto fonte do meridiano em insuficiência. (ver
tabela)

Ponto
Pares de conexão Ponto de Fonte
Passagem Tonificar
(Lo) Sedar

P IG P7 IG4
P - IG
P IG IG6 P9

E BP E40 BP3


E - BP
E BP BP4 E42

C ID C5 ID4

C - ID
C ID ID7 C7

B R B58 R3

B-R
B R R4 B64
731

CS TR CS6 TR4

CS - TR
CS TR TR5 CS7

VB F VB37 F3

VB - F
VB F F5 VB40

c. MERIDIANO DE PASSAGEM (LO) LONGITUDINAL

Se o desequilíbrio tem origem em fatores externos, usa-se a


técnica dos Lo longitudinais.

1. TRAJETO

São em número de 15: 12 nos Meridianos Principais, 2 nos


Meridianos Curiosos (VG e VC), e 1 no ponto BP21 chamado de
grande Lo.

 P7  Meridiano Principal IG em IG11.

 IG6  Braço  Ombro  IG15  Maxilar Inferior  Pulmão.

 E40  Segue Meridiano Principal até a cabeça  Garganta.

 BP4  Segue Meridiano Principal BP até o


abdômen  Intestino Grosso e Estômago.
732

 C5  Segue Meridiano Principal C até o peito  Região do


CS  Língua  Olhos  Canto interno do Olho  Meridiano
Principal IG.

 ID7  Segue Meridiano Principal IG (parte póstero externa do


braço)  Meridiano principal do C. Outro ramo vai ao IG15.

 B58  Segue Meridiano principal da B até a cabeça.

 R4  Segue meridiano Principal do R até o abdômen  Região


do CS  Coluna.

 CS6  Segue Meridiano Principal até o peito região do


CS  Meridiano principal do TR.

 TR5  Segue Meridiano Principal TR até o peito  Região


CS  Meridiano Principal TR.

 VB37  Segue Meridiano Principal VB até os artelhos.

 F5  Segue Meridiano Principal até as partes genitais.

 VG1  Segue Meridiano VG  Sobe a cabeça  Meridiano da


Bexiga  Desce aos Rins  Genitais  Se comunica com o
VC.

 VC15 ou VC12  Segue ao Chong MO, considerado Xu Li.

2. SINAIS E SINTOMAS DE EXCESSO OU INSUFICIÊNCIA

1. Pulmão:   Palma da mão muito quente.

  Bocejos exagerados, urina freqüente e cada vez mais em


maior quantidade.

2. Coração:   Contrações no diafragma.


733

  O doente não pode falar.

3. C.S:   Dores no coração.

  Pescoço contraído, enrijecido.

4. Intestino Delgado:   Dificuldade de articular o cotovelo e o


ombro.

  Excrecências (crostas) nos membros superiores.

5. Intestino Grosso:   Surdez e cáries.

  Frio nos dentes e contrações no diafragma.

6. T.R:   Contraturas no cotovelo

  Impossibilidade de segurar objetos.

7. Bexiga:   Nariz obstruído, cabeça e costas dolorosas.

  Epistaxes.

8. Vesícula Biliar:   Frio nas extremidades.

  Membros inferiores sem força.

9. Estômago:   Dificuldade de deglutição, afonia, espasmos.

  Músculos das pernas atrofiados e desvitalizados.

10. Baço-Pâncreas:   Dores constantes no intestino.

  Inchaço abdominal (como um tambor).

11. Rins:   Pouca urina.

  Dores na região lombar.

12. Fígado:   Crispação muscular.


734

  Pruridos fortes.

3. REGRA DE TRATAMENTO

 Se excesso () Sedar Lo correspondente.

P  P7 (D)

 Insuficiência ()  Tonificar Lo da Função Acoplada; Sedar o


fonte da função insuficiente.

Ex. P  IG6 (T) P9 (D)

d. MERIDIANOS DISTINTOS OU COLATERAIS

 Vão partes superficiais e parte profundo. Começa sempre


numa grande articulação, num Meridiano Principal.

 Sistema próprio de união a partir dos acoplados.

Característica Principal:

 Intermitência intensidade. Os meridianos distintos têm uma


característica peculiar para você saber se é ou não
meridianos distintos. É uma coisa de intermitência e
intensidade. Não tendo nem intermitência nem intensidade,
não é problema de meridiano distinto. Que intermitência é
735

essa e que intensidade? Ex. A pessoa está com uma dor de


cabeça que parece que vai morrer. Vai explodir a cabeça. E
de repente ela passa como se nada tivesse acontecido. Daqui
a umas seis horas acontece de novo. Do nada ela vem muito
forte, parece que vai explodir e depois ela some como se
nada tivesse acontecido.

 Função Principal: Levar energia defensiva às partes internas


do organismo.

AS 6 FUNÇÕES PONTO ONDE A


FUNÇÕES ACOPLADAS ORIGEM UNIÃO É
FEITA

1a. B/R B54 / R10 B54 e B10

2a. VB / F VB30 / F5 VC2 e


VB1

3a. E / BP E30 / E30 e B1


BP12

4a. ID / C ID8 / C1 B1 e ID18

5a. TR / CS TR10 / TR16


CS1

6a. IG / P IG15 / P1 IG18

Circulação dos Meridianos Distintos:

.
736

Ela é em espiral começando das pernas. Primeiro a energia circula


pelos meridianos das pernas e depois dos braços e sobe
novamente. Isso acontece varias vezes ao dia a energia circula.
Pelo menos umas dez vezes ela passa pelo corpo.

_____________________________
___________________________

Primeiro circula Em seguida vai p/os

pelos meridianos das pernas meridianos dos braços

1. TRAJETO

 Bexiga  Inicia em B54  Face posterior da


coxa  Nádegas  Cóccix  Ânus  Bexiga  Rins  Bordo
lateral da coluna  Coração  Coluna Nuca  B10.

 Rins  Inicia em R10  B54  Meridiano Distinto da Bexiga


até os Rins  B23  Trajeto circular de Tae-Mo  Parede
abdominal anterior até a base da língua  Nuca  B10.

 Vesícula Biliar  Inicia em VB30  VC2  MD do


Fígado  Bordo inferior das costelas
falsas  Vesícula  Fígado  Coração  Pescoço Face,
onde se ramifica para o MD do Fígado e ao MP de VB em VB1.

 Fígado  Inicia em F5  Parte interna do membro inferior até a


virilha  VC2  MD
VB  Vesícula  Fígado  Diafragma  Pescoço  Face M
D VB  MP VB  VB1.
737

 Estômago  Inicia em
E30  Estômago  Baço  Coração  Garganta  Cavidade
bucal  Bordo do nariz  B1.

 Baço-Pâncreas  Inicia em BP12  MD do


Estômago  Estômago  Baço  Coração  Garganta  Líng
ua  B1.

 Intestino Delgado  Inicia em IG8  Axila  Caixa


torácica  Coração  Diafragma  Intestino Delgado  B1.

 Coração  Inicia em
C1  Vb22  Coração  Pescoço  Face  B1  IG19.

 Triplo Reaquecedor  De TR10 parte um vaso secundário que


vai até o VB20 onde inicia o MD do TR  TR16  Depressão
sob a clavícula Peito  Se ramifica no abdômen na região TR.

 Circulação-Sexualidade  Inicia em CS1  Peito  Região do


TR  Pescoço  TR16  MP do TR e MD do TR.

 Intestino Grosso  Inicia em IG15  Um ramo vai a parte


anterior do tórax e a região mamaria e outro passando pela
região torácica posterior vai ao VG14. Do primeiro ramo nascem
outros 2 ramos: um descendente e profundo vai ao Intestino
Grosso e outro vai aos Pulmões  Região sub-
clavicular Garganta  IG18 (onde se une ao MP do IG e ao
MD do Pulmão).

 Pulmão  Inicia em P1  VB22  Pulmão  Intestino


Grosso  IG18 (onde se une ao MD e ao MP do Intestino
Grosso.).

2. SINAIS E SINTOMAS

Perturbação do Meridiano Distinto do(a):


738

1. Bexiga  Dores de cabeça e no pescoço; Contrações e


espasmos das costas e da região lombar.

2. Rins  Dores súbitas no coração, plenitude no peito e nas


costelas; Dores na garganta com dificuldade de deglutir, cólera
sem motivo, sensação que a energia sobe até o diafragma;
Garganta inchada impedindo de engolir saliva e de cuspir.

3. Vesícula Biliar  Dores vivas dos lados impedindo a


respiração. Transpiração; Dores vivas em VB30 impedindo de
levantar a perna.

4. Fígado  Dores violentas nas partes genitais.

5. Estômago  Epistaxes; Frio nos lábios e dentes.

6. Baço-Pâncreas  Dores na região renal irradiando ao baixo


ventre e as costelas, impossibilidade de deitar de costas.

7. TR  Dores na garganta, língua retraída, boca seca, mal estar


no coração, dores na parte externa do braço, a mão não pode ir
à cabeça.

8. Intestino Grosso  Plenitude de energia: dispnéia ou asma,


caixa torácica aumentada, calor no peito; Surdez intermitente;
Odontalgia.

9. CS, ID, P, C, CS  Os trajetos desses meridianos são internos e


por isso não tem sintomatologia própria.

3. REGRA DE TRATAMENTO

 Ponto Ting do lado oposto ao que está sofrendo o transtorno


(MP correspondente).
739

 Picar sem preocupação com tonificação ou dispersão. Se não


estiver nítido o lado do transtorno, picam-se os dois lados
(Pontos Ting).
740

18. GRANDES MERIDIANOS

Superficial:

 B (água) – ID (fogo) → Tai Yang (Grande yang) = Frio


741

 TR (fogo) – VB (madeira) → Shao Yang (Pequeno Yang)


= Calor moderado

 IG (metal) – E (terra) → Yang Ming = Secura

Profundo:

 P (metal) – BP (terra) → Tai Yin (Grande Yin) = Umidade

 CS (fogo) – F (madeira) → Jue Yin (Yin do meio) = Vento

 R (água) – C (fogo) → Shao Yin = Calor exagerado

Regra de Tratamento:

P BP1 BP (umidade) B (frio) B67 ID

CS F1 F (vento) VB (calor TR
moderado) VB44

C R1 R (calor E (secura) E45 IG


excessivo)

Os pontos “raízes” dos Grandes Meridianos

 A sedação do R1 envia calor combatendo o frio na superfície.

 A sedação do F1 combate o calor excessivo.

 A sedação do BP1 envia umidade na secura profunda.

 A sedação do E45 envia o seco para a umidade na superfície.

 A sedação do VB44 combate o vento.

 A sedação do B67 envia o frio para o calor moderado profundo.


742
743

19. ANALGESIA

a. REGRAS

 Dor Unilateral

 Distúrbio em um meridiano

o Somente 1 ramo afetado

Regra da grande puntura  “Picada do ponto Lo (passagem)


contra-lateral à região dolorida + pontos álgicos locais”.

FUNÇ PASSA
ÃO GEM
744

C C5

ID ID7

P P7

IG IG6

F F5

VB VB37

BP BP4

E E40

R R4

B B58

CS CS6

TR TR5

 Dor unilateral

 Distúrbio em mais de um meridiano

Regra da grande puntura com Pontos Lo (passagem) grupo yang +


Pontos de dor local.
745

Pontos Lo de grupo

GRUPO DE PONTOS LO DE
MERIDIANOS GRUPO

Yang do Yang dos membros


braço: IG, ID, TR. superiores: TR8

Yang da Yang dos membros


perna: VB, B e E. inferiores: VB39

Yin do Yin dos membros


braço: P, CS e C. superiores: CS5

Yin da Yin dos membros


perna: F, BP e R. inferiores: BP6

 Dor Bilateral

 Distúrbio em um meridiano

o Os 2 ramos afetados (a causa é o excesso ou a


insuficiência do meridiano afetado)

Regra: Tonificar ou Sedar o meridiano afetado + .Pontos locais


746

Classificação da dor pela teoria Yin / Yang

YIN DOR YIN DOR YANG YANG

Crônica Aguda

Fixa Móvel

Profunda Superficial

Agrava pelo frio Agrava pelo calor

Agrava pelo repouso Agrava pelo


movimento

Agrava com Agrava com


aplicação fria aplicação quente

Tipo surda Tipo latejante

 TOTAL TOTAL 

Conclusão: Dor tipo ( ) Yin () ( ) Yang ()

Yang (↑) → Doença recente, aguda, diurna; agravada pelo calor,


pressão, movimento. Dores erráticas, fulgurantes. Dores por
descargas elétricas, principalmente na parte alta do corpo. Dor
posterior, externa e superficial; com pele seca, contraturas, edema,
pele vermelha, quente. Dor não difusa.

Yin (↓) → Doença antiga ou crônica, agravação noturna, frio, água fria,
repouso, choques, imobilidade. Dores fixas, difusas, profundas,
747

principalmente: no baixo ventre, anteriores, internas, com pele úmida,


edema, varizes frias.

 Dor Bilateral

 Vários meridianos afetados

Regra dos Pontos Lo de Grupo (Tonificar ou Sedar), picados


bilateralmente +Pontos locais da dor.

Obs: Usar a tabela de classificação da dor pela teoria Yin / Yang


(vista acima) para identificar se é um distúrbio por excesso ou
insuficiência.

Procedimentos para se obter um bom efeito analgésico:

1. Picar exatamente o ponto da dor ou o ponto de acupuntura.


Na analgesia você tem picar exatamente no ponto.

2. Picar em profundidade.

3. Se necessário, manipular a agulha.

4. Usar o menor número de agulhas possíveis.


748

b. PONTOS USADOS (RECEITAS)

PONTOS DE ANALGESIA PARA CIRURGIA

 Operação de crânio  F43 – VB41 – F3 – ID18 – VG20 –


TR21.

 Cirurgia ocular:

o Descolamento de retina  IG4 – ID3 (do mesmo lado


do olho). Pode-se acrescentar os pontos
auriculares  Olho 1 e 2; Lóbulo.

o Estrabismo  IG4 – TR6 – Pontos perioculares (VB1 –


E1 – yu yao (no meio da sobrancelha) transfixar
até  yin tang).

o Outras cirurgias  IG4 – ID3 – Pontos perioculares.

 Boca e dentes  E44 – IG4 – CS6.

Anterior  VG26 – IG20 – E3.

Maxila

o Locais Posterior  ID18 – E7.

Mandíbula Anterior  VC23 – VC24

Posterior  E5 – E6.
749

 Sinusectomia maxilar  IG4 – TR6 – Pontos locais – E3


contra-lateral.

 Tireoidectomia  IG4 – CS6 – IG18.

 Tonsilectomia (amídalas)  IG4 – E44 – IG18.

 Pneumonectomia  *CS6 Transf.  TR5 – P3 – IG4.


* Cuidado nessa transfixação (penetrar devagarzinho, ir perguntando se o paciente
sente alguma coisa, volta, modifica. É trabalhoso, não pode ir de uma vez porque pode
lesar os tecidos.).

 Herniorragia  F3 – BP4 (bilateral) – E36 – E30 – VB27.

 Cesárea  VB36 – BP6 – Nei Ma (fica entre o E35 e o


maléolo externo) – Wei Ma (fica entre o maléolo interno e o
BP9). Obs: Para induzir o parto usa-se o VB21 – BP6 – IG4 –
E36.

 Histerectomia  BP6 – B22 – B23 – VG24.

 Nefrectomia  IG4 – CS6 – E36 – BP6 – F3.

 Enterectomia  IG4 – CS6 – E36 – BP4. Agulhas colocadas


obliquamente com o cabo da agulha para cima e a ponta para
baixo e prendida com esparadrapo.

 Circuncisão  BP6 – F3 – VC2 – VC3.

 Redução de fraturas:

o Articulação do ombro  IG4 – ID10 – ID12.

o Úmero  IG4 – P3 – R3.

o Rádio e ulna  IG4 – IG11 – TR5 transf.  CS6.

o Fêmur  E40 – BP6 – VB34.

o Tíbia e fíbula  BP6 – VB39.


750

Pontos para consolidação de fraturas  R3 – BP2 – Triangulo dos ossos.


751

20. AS OITO REUNIÕES

Pontos de Reunião: Apresentam influência especial sobre determinados


tecidos, sistemas, Qi ou Sangue (Xue).
752

 F13  É utilizado para afetar todos os sistemas Yin, em particular


o Baço. É utilizado para a deficiência do Baço, especialmente se
acompanhada de estagnação do Qi.

 VC12  Influencia todos os sistemas yang. É o ponto de comando


do TR Médio (aparelho digestivo). É muito freqüentemente usado
para tonificar o Estômago (e o Baço).

 VC17  Ponto de Reunião da Força vital. Útil para a função Yin e


Yang. Utilizado para tonificar o Pulmão e o Coração, sendo
freqüentemente combinado com outros pontos para tonificar o Qi.
Ele pode ser também utilizado para movimentar o Qi no tórax,
especialmente nas alterações emocionais, principalmente
ansiedade e preocupação. O VC17 forma com o R27 a Triângulo
da Ansiedade ou das Emoções (Martiny).

 VB34  Ponto de Reunião dos Músculos. É útil para debilidade ou


rigidez das articulações e artrite. Ação trófica sobre os músculos,
além de relaxante muscular.

 P9  Ponto de Reunião dos Vasos Sanguíneos. É útil para


tonificação do Qi do Pulmão, particularmente quando todos os
pulsos estão profundos e finos. Também estimula a circulação já
que influencia as artérias.

 B17  Ponto de Reunião do sangue. É utilizado tanto para


tonificar o Sangue se utilizado somente a Moxa, como para
movimentar o sangue nos arredores para aliviar dores no dorso
superior.

 B11  Ponto de Reunião dos Ossos. Pode ser utilizado para


artrite crônica para afetar os ossos e para todas as patologias
ósseas (osteoporose, artrite, artrose, etc).
753

 VB39  Ponto de Reunião da Medula. É útil para nutrir a medula e


o Yin no caso de AVC. Também é útil com Moxa para prevenir o
AVC.

21. MICROSSISTEMAS

a. LÍNGUA
754
755

b. ROSTO
756

Então nós temos a face, que é um dos microssistemas, onde o


interessante de nós sabermos e conhecermos o microssistema é que
nos auxilia muito na acupuntura sistêmica. Porque para nós fecharmos
um diagnóstico, precisamos avaliar vários detalhes. Um acupunturista
ele é detalhista. Ele olha os pequenos detalhes: como a pessoa fala,
anda, se veste, etc. Enfim, sobre detalhes que para nós é muito
importante. Então todo acupunturista ele tem que desenvolver o
detalhe.

A avaliação do microssistema da face, ela expressa o Shen, ou


seja, a emoção da pessoa através da face e assim nós vamos
saber quem é que é essa pessoa. Muitas vezes na chegada dessa
pessoa no seu gabinete, você já bate o olho no rosto dele e assim
já vai dar o primeiro sinal do diagnóstico.

Nós vamos está vendo a coloração da face:

 Coloração verde... parece que é esverdeada, claro que não é


um verdão. Mas você percebe a diferença, um tom mais
esverdeado. Nós já vamos pensar no elemento madeira, que
deve está um pouco debilitada. Então vamos pensar no que
podemos fazer com esta madeira.
757

 Aquela coloração avermelhada, o paciente que tem uma face


avermelhada. O fogo dele deve está alto e provavelmente é um
hipertenso... alguma coisa neste sentido.

 Amarelada, elemento terra, estômago, baço-pâncreas


relacionado a alguma coisa alimentar dele.

 A cor esbranquiçada, que é o metal, intestino - pulmão. Lógico


que o pulmão é o que oxigena o nosso corpo e esta face de cor
esbranquiçada, nós podemos está pensando neste elemento
pulmonar dele.

 A cor escurecida, não a cor morena, mas uma cor que dar um
distúrbio renal. Quem trabalha com insuficiente renal sabe disso.
É uma cor mais escurecida, diferente do moreno.

Então tudo isso vai nos dar uma primeira impressão, quando nós
vamos está vendo, analisando este paciente, vamos está percebendo
a condição logo no visual em relação à face que pode está
acontecendo.

O outro item que a literatura nos fala, é em relação à plenitude ou o


vazio das funções. Alguns sinais clínicos que poderão estar
apresentando:

 Uma cor pálida é sinal de frio, sangue e insuficiência energética.


Numa insuficiência energética, qual o ponto que você vai usar
aqui? De uma forma geral o E36.

 A cor amarela é indicativa de plenitude de energia e aí temos


que ver a razão disso para sedar.

 A cor vermelha e congesta indica excesso de sangue e


energia. Tem pessoas que chegam com a face de uma forma
avermelhada e congesta, que até para falar parece que tem
alguma coisa apertando o gogó dele. Você olha na rua e tem
pessoas vermelhas só na face, olha para baixo e não tem nada,
mas é só a face vermelha.

 A cor vermelha sem congesta: calor excessivo, plenitude


energética. Isso aqui acontece muito em mulheres, faz parte da
menopausa e o desequilíbrio de energia nesta fase é muito
758

interessante porque a acupuntura tem ajudado a muitas


mulheres neste sentido.

Os sinais clínicos de cor da face são indicativos de:

 Fácies pálida  Vazio de Coração e Rim;

 Fácies branco  Vazio de Pulmão;

 Fácies amarelo-alaranjado  Baço-Pâncreas alto, plenitude;

 Fácies amarelo-escuro  Frio do BP. Aí o BP21 lhe


acompanha nos dois sentidos;

 Fácies escuro, amarelado  Vazio de Fígado.

A face foi dividida em regiões: Norte, Sul, Leste e Oeste. São áreas
onde você ver a face como um todo, depois vai concentrando numa
parte para poder fechar o diagnóstico. Aonde ele dividiu o pulmão,
baço-pâncreas no nariz. Estes pontos ao redor do nariz vamos está
vendo bexiga, intestino grosso, intestino delgado.

São pequenas áreas que eles vão analisando e tem estudos


específicos para essas áreas, aonde se vai analisando item por item,
parte por parte para poder fechar um diagnóstico energético. Onde
poderá está usando a técnica da acupuntura baseado no
microssistema da face.
759
760

c. ORELHA (Auriculoterapia)
761
762

De modo geral, pode-se estabelecer que:

 Os pontos avermelhados ou avermelhados com escamas, pápulas


avermelhadas com secreção sebácea com cor brilhante
traduzem processos inflamatórios;

 Pontos brancos isolados ou com escamas, depressões, inchaço e


pápulas brancas sem secreção sebácea com cor brilhante traduzem
uma enfermidade orgânica cronica;

 Os pontos com inchaço em forma de tubérculo, pontos com escamas


cinzentas de cor opaca são significativos de tumores;

 Os pontos com cicatriz linear, ou arredondada, ou em forma de meia lua,


de cor branca ou cinza opaca aparecem após uma cirurgia ou
agressao externa.

Diagnóstico Auricular:

Coloração:

( ) Palidez = Rins

( ) Eritrose = C, hipertensão

( ) Verde = F

( ) Cinza = P

( ) Amarelada = BP

( ) Azulada = F ou algias

Lesões Fundamentais:

( ) Manchas esbranquiçadas = Doença de polaridade yang;


763

( ) descamações, seborréia = Superficial, recente;

( ) Eritema = patologia yang, aguda, inflamatória;

( ) Hiperpigmentos acastanhados = Doença yin, degenerativa;

( ) Hipercromia escura = Doenças proliferativas, litíase, tumores;

( ) Marrons = Ausência de estrutura ou órgão congênito ou devido a retirada;

( ) Pápula, placa, descamação epitelial = Alterações da função do meridiano


e/ou estrutura contida no microssistema.

 Útero: Pontos e Zonas brancas opacas, zonas


escamosas.  Algomenorréia.

 Área do apêndice: Ponto injetado (sangue) ou pápula  Apendicite


aguda.

 Zonas de correspondência: Pontos ou áreas brancas  Bronquite


aguda.

 Brônquios: Pontos e áreas esbranquiçadas opacas com contorno mais


claro  Bronquite crônica.

 Brônquios: Pontos e áreas esbranquiçadas, erupções brilhantes e com


contorno avermelhado  Bronquite crônica agudizada.

 Cérebro frontal,subcórtex: Pontos muito avermelhados ou brancos


brilhantes com contorno avermelhado forte  Cefaléia.

 Pulmão: Área pequena e conjunto de pontos com contorno


avermelhado  Congestão pulmonar.

 Intestino grosso e delgado: Áreas brancas ou áreas escamosas


opacas  Constipação.

 Área correspondente: Inchaço furunculóide ou


protuberância  Deformação da coluna pulmonar.

 Pulmão: Descamação branca ou descamação formada por pontos


densos sem borda definida, brilhante no início  Enfisema pulmonar.

 Intestino grosso e intestino delgado: Descamação branca,


protuberância sebácea  Enterite.
764

 Baço: Descamação branca com borda avermelhada, às vezes,


inchada  Esplenomegalia.

 Estômago: Ponto avermelhado brilhante ou descamação  Gastrite


aguda.

 Estômago: Descamação branca sem borda definida com pele


engrossada  Gastrite crônica.

 Fígado: Pontos e Áreas brancas, pequenas, brilhantes, com contorno


avermelhado  Hepatite aguda.

 Fígado: Protuberâncias esbranquiçadas bem delimitadas. A orelha


direita corresponde ao lóbulo D e a esquerda ao lóbulo
E  Hepatomegalia.

 Útero: Áreas brancas ou avermelhadas  Hipomenorragia.

 Útero: Pontos e protuberâncias com maior afluxo de sangue.

 Entre os dois Pulmões: Pontos ou erupções avermelhadas ou


manchas brancas, brilhantes, com contorno avermelhado  Pneumonia
aguda.

 Coração: Descamação branca, sem borda definida, às vezes,


brilhante  Sonhos excessivos, insônias, arritmias, (extra-sístoles).

 Área correspondente: Pontos avermelhados  Torções.

 Pulmão: Erupção brilhante com maior afluência sanguínea e pele muito


sensível  Tuberculose ativa.

 Pulmão: Cavidades pequenas e profundas  Tuberculose calcificada.

 Área correspondente: Abcesso debaixo da pele, móvel. com borda


definida, indolor a pressão  Tumor Benigno.

 Área correspondente: Protuberância cartilaginosa, com borda


indefinida, imóvel  Tumor maligno.

 Duodeno: Pontos esbranquiçados com zonas mais claras ou cinza


opaco com borda vermelha  Úlcera duodenal.

 Estômago: Pontos esbranquiçados com zonas mais claras ou cinza


opaco com borda vermelha  Úlcera gástrica.
765

d. MÃOS
766
767
768
769
770
771
772
773
774

e. PÉS (Reflexologia)

Pé Direito

1. -cabeça {cérebro), lado esquerdo (os 1 dedos grandes dos pés


correspondem à cabeça, o lado direito estárelacionado no pé
esquerdo, o lado esquento no pé direito).
775

2. - seios da face, lado


esquento.

03 - cerebelo, tronco
encefálico

04 – hipófise

05 - região temporal, nervo


trigêmeo

06 – nariz

07 – nuca

08 - olho esquerdo

09 - ou\ido esquerdo

10 - ombro direito

11 - trapézio direito

12 – tireóide

13 – paratireóide

14 - pulmões e brônquios,
lado direito

15 – estômago

16 – duodeno

17 – pâncreas

18 – fígado

19 - vesícula biliar

20 - plexo solar

21 - supra-renal, direito

22 - rim direito

23 - ureter direito
776

24 – bexiga

25 - intestino delgado

26 - apêndice vermiforme

27 - jejuno-íleo

28 - cólon ascendente

29 - cólon transversal

35 - joelho direito

36 - gônadas, lado direito

57 - área ciática

Pé Esquerdo
777

01- cabeça (cérebro), lado


direito
02 - seios da face, lado
direito
03 - cerebelo, tronco
encefálico
04 - hipófise
05 - região temporal,
nervo trigêmeo
06 - nariz
07 - nuca
08 - olho direito
09 - ou\ido direito
10 - ombro esquerdo
11 - trapézio esquerdo
12 - tireóide
13 - paratireóide
14 - pulmões e brônquios,
lado esquerdo
15 – estômago
16 – duodeno
17 – pâncreas
20 - plexo solar
21 - supra-renal, esquerdo
22 - rim esquerdo
23 - ureter esquerdo
24 – bexiga
25 - intestino delgado
29 - cólon transversal
30 - cólon descendente
31 - cólon sigmóide
32 – reto
33 – coração
34 – baço
35 - joelho esquerdo
36 - gônadas, lado
esquerdo
57 - área ciática
778

Pé — Parte
Interna

6 - nariz

13 –
paratireóide

24 – bexiga

38 - área
quadril

40 - área
linfática inferior
49 – virilha

50 - útero ou próstata

51 - pênis, vagina, uretra

52 - reto

53 - região cervical

54 - região torácica

55 - região lombar
779

56 - região sacra e
cóccix

Pé – Parte
Externa

5 – Região
temporal

10 – ombro

35 – joelho

36 - ovário ou testículos

37 – útero

38 - área quadril

39 - área linfática superior

42 – labirinto

43 - tórax
780

44 - diafragma

Pé – Dorso

39 - área linfática superior


40 - área linfática inferior
41 - drenagem linfática
42 – labirinto
43 – tórax
44-45 – amígdala
46 - maxilar inferior
47 - maxilar superior
48 - laringe, traquéia

f. CRANEOPUNTURA
781
782
783
784
785
786

 Área Motor(a)  O 1o. Ponto da linha se localiza a 0,5 cm atrás


do VG20 e daí desce até o início da implantação do cabelo. É
dividido em 5 partes: 1/5 corresponde aos membros inferiores e
tronco; 2/5 e 3/5 correspondem aos membros superiores; 4/5 e
5/5 correspondem a área da face.

Sintomatologia  Usada para qualquer distúrbio da Área


Motora: Paralisias; Paresias; Dores nos membros, tronco, face;
Músculo esquelético; Dependendo da área afetada.

 Área Sensorial  O 1o. Ponto da linha se localiza a 1,5 cm


atrás do ponto inicial da Área Motora ou a 2 cm do VG20. O
ponto final da Área Sensorial se encontra a 1,5 cm do ponto final
da Área Motora. É dividido em 5 partes: 1 corresponde aos
membros inferiores e tronco; 2 e 3 correspondem aos membros
superiores; 4 e 5 correspondem a área da face.

Sintomatologia  Distúrbios sensoriais superficiais como:


temperatura, tato, dor; Distúrbios sensoriais profundos
(procepção). Parestesias (formigamento, adormecimento).
787

 Área do Tremor ou Corea  O 1o. Ponto da linha se localiza a


1,5 cm na frente do VG20 ou a 2 cm na frente do 1 o. ponto da
Área Motora.

Sintomatologia  Distúrbios do movimento: Parkinson, corea,


ataxia, apraxia, tiques nervosos.

 Área Vasomotor(a)  O 1o. Ponto da linha se localiza a 1,5 cm


na frente da Área do Tremor.

Sintomatologia  Pós-operatórios cerebrais; controle de


edemas, hemorragias; hipertensão e hipotensão; Edemas
generalizados (nos membros, grávidas); Estimula a drenagem
linfática.

 Área do Uso  O 1o. Ponto da linha central se localiza em cima


da Protuberância Parietal e é composta de 3 linhas com 3 cm de
comprimento cada uma e separada entre elas com 3 cm de
distância paralelamente. Nesta área se coloca 7 agulhas
distribuídas nas 3 linhas ou apenas uma na protuberância.

Sintomatologia  Para todas as alterações motoras.

 Linguagem 2  Se localiza a mais ou menos 2 cm abaixo e


posterior da protuberância Parietal (difícil de localizar).

Sintomatologia  Área da linguagem.


788

 Área Vertigem – Auditiva e Linguagem 3  Se localiza a 1,5


cm acima do ápice da orelha e traça uma linha com 4 cm (2 cm
para frente e 2 para trás). Divide -se esta linha em 3 partes:
Parte 1 (anterior, para vertigem e auditiva); Parte 2 (para ambos
– central) e Parte 3 (posterior para linguagem).

Sintomatologia  Vertigem, auditiva e linguagem.

 Área Sensorial Motora do Pé  Se localiza a 1 cm de


distância, paralela a linha média. Começa paralelamente ao
ponto inicial da Área Motora e termina paralelamente ao ponto
inicial da Área Sensorial. Tem mais ou menos 2 a 3 cm de
comprimento.
Sintomatologia  Distúrbios Motores e Sensoriais da região
dos Pés.

 Área Cavidade Torácica  Se localiza bem no centro a Área


Gástrica e a Linha Média. Mede 4 cm (2 cm para baixo e 2 cm
para cima da linha de implantação do cabelo).

Sintomatologia  Alterações cardíacas e respiratórias.

Área Gástrica  Se localiza no início da implantação dos


cabelos, na direção da linha da pupila. Possui 2 cm de
comprimento.

Sintomatologia  Qualquer distúrbio digestivo.

Área Genital  Mesma distância entre as linhas das Áreas


Torácica e Gástrica (varia de pessoa para pessoa). Geralmente
fica no início do ângulo da linha da implantação do cabelo. Mede
2 cm para cima.

Sintomatologia  Distúrbio da área genital.


789

Área Visual  Se localiza a 1 cm paralelamente a Linha


Mediana. Tem início na Linha Imaginária da base do Occipital.
Mede 4 cm de comprimento.

Sintomatologia  Distúrbios da visão.

Área Equilíbrio  Se localiza a 3 cm paralelamente a Linha


Mediana. Tem início na Linha Imaginária da base do Occipital.
Mede 4 cm de comprimento.

Sintomatologia  Equilíbrio do corpo.

22. PONTOS DE MA TANG YANG

(...) Esse Ma Tang Yang, ele escreveu algumas obras, publicou


algumas coisas e tinha uma destreza prática tamanha, que repetia
aquilo que o Hua Tou fazia, isto é, tratar o general ou o imperador
que tinha sido ferido na batalha, enquanto o imperador despachava
sem interferir no trabalho do imperador. Ele operava, digamos, o
braço do general ou imperador, enquanto ele despachava com os
seus súditos. Então o Ma Tang Yang era capaz de repetir essa
proeza.
790

Dentre os trabalhos de Ma Tang Yang, aquele que vai mais prático


para nós é essa relação de doze
pontos: E36 – IG11 – E44 – IG4 – B57 – BP6– F3 – B60 – VB30 –
VB34 – C5 e P7. Segundo o Ma Tang Yang, todo e qualquer
tratamento de acupuntura, deve ter obrigatoriamente pelo
menos um desses doze pontos. E devido a essa importância
desses pontos, que nós seguimos na prática é que gostaríamos que
vocês aprendessem a localização e usem. Chamo a atenção,
porém, de que alguns desses pontos são contra-indicados durante
a gravidez. Como por exemplo, o E36, IG4, BP6, B60.

PONTOS DE MA TANG YANG


* Copiado da apostila dada em sala de aula

Como sabemos, Ma Tang Yang escreveu o “Tien Hsin Shi Ar Hsue”,


destacando o efeito dos doze pontos mais importantes. Isto
aconteceu durante as dinastias Chin e Yuan (1279-1365). Na
dinastia Ming (1366-1644) Yang Chi-Chow escreveu o “Chen Chiu
Ta Cheng”, recompilando todo o conhecimento dos clássicos. Neste
tratado refere-se aos mesmos doze pontos.

TZU SAN LI – E36

Função: Reajusta a função do Intestino Grosso e do Estômago.


Tonifica Chi e Shue.

Indicações: Todos os problemas do estômago; Vômitos; Prisão de


ventre; Hérnia escrotal; Garganta inchada; Paralisia (com ou sem
derrame); Febre; Poliúria; Fortalece o corpo (Ponto de longevidade
e do “homem”); Acalma convulsões e dores; Alergias; AVC;
Edemas; Inflamações do tórax e abdômen; Borborigmos; Todas as
afecções do tubo digestivo; Miopia; Alterações oculares;
Reumatismo por humidade; Úlcera gástrica; Soluço; Hipotensão
791

com vertigens; Inquietude; Angústia; Palpitações; Hesitação;


Epilepsia; Mania; Furor; Grito histérico; Riso excessivo.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulhas: 5 funs – 10 funs (1 tsun).

Moxa: 3-5 cones.

TCHU TCHI – IG11

Função: Elimina o vento e o fogo, água, circulação de Shue;


Elimina o calor do sangue; Regulariza intestinos e estômago.

Indicações: Dor de ouvido; Olhos embaçados; Odontalgias;


Impossibilidade de esticar o braço; Hemiplegia; Hipertensão;
Amenorréia; Inflamação nas costelas; Impetigo; Dedos rígidos;
Coceira; Dor de garganta; Paralisia; Febre em crianças; Renovação
de mulher (manutenção da juventude); Mania; Asma; Amnésia;
Angústia; Peito obstruído; Convulsões; Anginas; Problemas na pele;
Dor de cotovelo; Dor clavicular; Rinite; Colo irritável; Problemas
pulmonares; Epilepsia; Depressão; Imunidade.

Agulhas: 5 funs.

Moxa: 3-10 cones.

NEI TING – E44

Tradução: Salão interno

Função: Reorganiza o aparelho digestivo. Expulsa o vento.


Desbloqueia os meridianos. Depura o calor. Elimina dores.
792

Indicações: Derrame com repuchamento; Coriza; Dor no peito do


pé; Problemas nos braços e pernas; Tristeza; Odontalgias; Má
digestão; Tranqüiliza a mente; Diarréia; Urticárias alimentares;
Amidalites; Câimbras em braços e pernas; Pesadelos; Estimula o
apetite; Epistaxe; Prisão de ventre; Inflamação da garganta;
Gagueira.

Agulha: 3 funs no máximo.

Moxa: 3 cones.

RO KUO – IG4

Tradução: Vale do encontro

Função: Reorganiza o aparelho digestivo; Expulsa o vento; Depura


o calor do yang-Ming; Desbloqueia os meridianos; Abre os orifícios;
Induz a reanimação.

Indicações: Hemorragia cerebral; Problemas nos olhos; Surdez;


Garganta inchada; Câimbras nos dedos; Sudorese; Dificuldade para
abrir a boca; Escabiose; Sarampo; Acelera o parto; Regula a
menstruação; Dor de cabeça; Face inchada; Odontalgias; Epistaxe;
Paralisia bucal; Rouquidão; Síncope; Epilepsia; Depressão; Mania;
Edemas na face; Falta de suor; Paralisia nos braços; Problemas na
pele; Problemas na gengiva; Ótimo ponto cosmético; Problemas
nos ouvidos; Tiques nervosos.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5 funs.

Moxa: 3 cones.
793

CHENG SHANG – B57

Tradução: Junto a montanha (ou ainda ventre do peixe).

Função: Favorece todos os ligamentos e articulações.

Indicações: Dor de barriga; Hérnia escrotal; Hemorróidas; Fezes


com sangue; Dores no joelho; Dores nas costas; Cólera; Câimbras
nas pernas; Dores no calcanhar; Dores na cintura; Prisão de ventre;
Dores e cólicas; Diarréia; Prolapso retal; Ciática; Mau odor dos pés;
Coceira nos pés; Lombalgias; Tremores com náuseas e vômitos;
Dor na perna.

Agulha: Em ângulo reto 5-10 funs.

Moxa: 5-10 cones.

SAN YIN CHIAO – BP6

Tradução: Encontro dos três yin.

Função: Fortalece o baço; Beneficia o chi; Alimenta o shue; Tonifica


e regulariza fígado e rins; Acalma o ânimo.

Indicações: Insônia; Má digestão; Barriga inchada; Estômago fraco;


Dificuldade para urinar; Ejaculação precoce e/ou noturna;
Hemorragia interna na mulher; Parto difícil; Menstruação com dores;
Corrimento; Problema nas pernas; Paralisia; Esterilidade feminina;
Desmaio; Palpitações; Desconfiança; Preocupação; Tristeza com
vontade de chorar; Amnésia; Letargia; Anorexia; Diarréia; Prisão de
ventre; Icterícia; Impotência; Esterilidade: Sensação de punção na
região lombar e joelhos; atrofia do pé; Angústia; Irritabilidade. (Este
ponto é obrigatório para problemas ginecológico + E30).
794

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5-8 funs até 1,5 tsun.

Moxa: 3-8 cones.

TAI CHUNG – F3

Tradução: Energia superior ou sublime despertador.

Função: Desbloquear e reorganizar o chi do fígado; Regula os


meridianos: Estabiliza o chue; Despeja o vento e o susto.

Indicações: Vômito de sangue; Peito e/ou costelas inchadas;


Tristeza; Prisão de ventre; Incontinência urinária; amenorréia; Dores
no calcanhar; Problemas nas artérias; Loucura; Dores no coração;
Pernas fracas; Problemas nos testículos; Visão ruim; Dores de
coluna; Dores na cintura; Paralisia facial; Hipertensão arterial;
Dificuldade para urinar; diarréia; Hérnia escrotal; Epilepsia;
Corrimento vaginal; Excesso de sonhos; Vertigem; Hemorragia
uterina; cefaléias: Irritabilidade; Convulsão infantil; (F3 +
IG4  Insônia).

Agulha: 3-4 funs.

Moxa: 3-5 cones.


795

KUN LUN – B60

Tradução: Nome de uma montanha no sudoeste da China.

Função: Elimina o calor; Seda o fogo; Regula a circulação dos


meridianos e seus colaterais.

Indicações: Dores no sacro; Cefaléias; Epistaxe; Câimbras no


ombro e/ou costas; Tosse em crise de asma; Tornozelo inchado;
Vagina com dor e inchada; Parto difícil; Loucura em crianças;
Retenção da placenta após o parto; Câimbras na perna; Dores na
cintura; Asma; Problemas para caminhar; Dores nas pernas;
Convulsões; Rigidez na nuca; Vertigens; Esquizofrenia; Ciática;
Dores e inchaço nos genitais; Paralisia nas pernas; Dores em geral.

Contra-indicação: Na gravidez.

Agulha: 5 funs.

Moxa: 3 cones.

HUAN TIAO – VB30

Tradução: Mola do pulso.

Função: Expulsar o vento e o frio; Favorece as articulações.

Indicações: Dores reumáticas; Dores no peito e/ou nas costas;


Rigidez no joelho; Catapora; Problemas crônicos no joelho, coluna,
cintura; Atrofia na perna; Paralisia cerebral; Ciática; Lombalgias;
796

Artrite femural; Urticária; Dor ciática; Cansaço; Problemas nas


pernas; Celulites.

Agulha: 1-3 tsun.

Moxa: 5-15 cones.

YANG LIN CHUAN – VB34

Tradução: Nascente da fonte yang.

Função: Depurar e sedar fígado e vesícula biliar; Favorece as


articulações; Controla os tendões de todo o corpo.

Indicações: Paralisia; Frio nos joelhos e/ou pernas e sem


sensibilidade; Rosto e cabeça inchados; Febre por icterícia; Dores
nas costelas e/ou axilas; Problemas no joelho; Perna sem
sensibilidade; Dificuldade para caminhar; problemas na coluna e/ou
braços; Dores no peito; Icterícia; Vômito; Câimbras em todo corpo;
Hepatite; Colecistite; Vermes no canal da Vesícula Biliar (exemplo:
lombriga); Hemiplegia; Paralisia infantil; Hipertensão arterial;
Lombalgia; Ciática; Mania persecutória; Palpitações; temor;
Sobressalto; Problemas musculares.

Agulha: 6-10 funs.

Moxa: 3-7 cones.

TUNG LI – C5
797

Tradução: Lugar para fluir; Abertura; Abrir.

Função: reorganiza o chi do coração; Estimula o coração; Pacifica


o coração; desperta o espírito.

Indicações: Cefaléias; Tonteira; Língua com problemas; Dor de


garganta; Dor no braço, no cotovelo; Pulso com problemas; Cisto
sinovial; Problemas menstruais; Braço pesado; Rosto inchado;
Corpo enfraquecido com dificuldade para comer; Taquicardia; Dor
no coração; tensão nervosa; Insônia; Epilepsia; Convulsões; Afonia
aguda; Perda de consciência; Dores e inchaço na garganta; Dores
no antebraço e/ou dedos; Mania; Depressão; Angústia; Preguiça;
Tristeza; fadiga fácil. (chamado de ponto do artista ou do
vestibulando, pois é bom para tensões que os artistas tem antes de
entrar no palco ou fazer provas).

Agulha: Parada. 3 funs.

Moxa: 3-5 cones.

LIE CHIUE – P7

Tradução: Buraco no canal ou Canal no buraco.

Função: Dispersar o vento, o pulmão e regular o Vaso de


Concepção.

Indicações: Problemas no pênis; Ejaculação precoce ou com


sangue; Laringite; Hemiplegia; derrame facial; Dor ao urinar;
Cefaléias; Qualquer problema de frio no corpo; Formigamento no
braço, peito, perna; Catarro; Dificuldade para falar; Tosse; Desmaio;
Trismos; riso sem parar; Amnésia; Convulsão infantil; Transtornos
mentais, maníacos e/ou depressivos; Síncope; asma; Odontalgia;
Rigidez e dor no pescoço e nas costas; Epilepsia; Dispnéia; Dor e
inchaço na garganta; Palidez; Paralisia facial; Dor no pulso;
Alucinações.
798

Agulha: 3 funs.

Moxa: 3-5 cones. Máximo 7 cones.


799

23. OS PONTOS PSÍQUICOS DE DR. LA FUYE

Na maioria dos casos é necessário primeiro restabelecer o equilíbrio


psicológico do paciente, para depois atuar com maior ênfase sobre o
problema físico.

Os acupunturistas da escola de Dr. La Fuye preferem somente atuar


sobre pontos de ação psíquica numa primeira consulta, pois partem do
principio de que todo paciente é um "angustiado” com o seu problema.

Dr. Roger de La Fuye (1890-1961), legendário Acupunturista


francês, fundador das “Société Française d’Acupunture” e da “Société
Internacionale d’Acupunture”, indicava os seguintes pontos para o
tratamento das enfermidades psíquicas ( as descrições dos pontos já dão
idéia do seu uso ):

P5  "O rechaço do espírito do mal "

P7  "A memória vigilante "

P9  "A absorção do espirito do bem "

IG2 e IG3  "A calma abdominal "

IG4  " O grande eliminador "

IG6  "O tônus mental "


800

IG11  "A precisão mental "

E36  "A divina indiferença "

E40  "A palavra tranqüila "

E41  "A força e a alegria "

E42  "A calma perfeita "

E45  "O pagamento cruel"

BP2  "A força intelectual "

BP3  Em tonif. "O equilíbrio da alegria". Em dispersão: "A calma


cerebral "

BP5  "O sono calmo"

BP6  "O mestre do Sangue "

C3  "A alegria de viver "

C5  "A audácia "

C7  "A coragem "

C9  "O Tônus "

ID3  "A vitalidade "

ID4  "A segurança "

ID7  "O equilíbrio "

B15  "A confiança em si mesmo "

B17  "O despertar "

B23  "A decisão "

B31  "A última Juventude "

B38  "A alegre confiança "

B58  "A infatigabilidade "


801

B62  "O sono calmo "

B64  "O bom apetite "

B65  "A consolação "

B67  "O equilíbrio geral "

R1  "A coragem "

R2  "A calma "

R3  "O despertar "

R4  "A simpatia sorridente "

R6  "O sono alegre "

R8  "O mestre do sangue" ( para La fuye o ponto R8 é o que


consideramos o BP6, por isso usamos a mesma denominação).

CS6  "O amor perfeito "

CS7  "A calma sexual "

CS9  "A amizade equilibrada "

TR3  "A alegria Cálida "

TR4  "O retorno da calma "

TR10  "A tranqüilidade serena "

VB34  "A coragem tranqüila "

VB38  "A alegria atuante "

VB40  " A calma inquebrável "

F2  "A calma feliz "

F3  "O relaxamento total "

F5  "O mestre do sangue " ( La Fuye também considera este ponto


como o BP 6)
802

F6  "A alegria sem inquietude "

F9  "A doçura de viver "

( OS PONTOS 6 E 9 DE LA FUYE CORRESPONDEM AOS PONTOS 5


E 8 DO ORDENAMENTO CLÁSSICO )
803

24. PONTOS INDICADOS E CONTRA-INDICADOS NA GRAVIDEZ

Existem alguns pontos que são contra-indicados, mas não a


acupuntura que é contra-indicada. Porque na gravidez existem
pontos que são recomendados. Os pontos contra-indicados durante
a gravidez, aqueles mais importantes... Existem outros que são
menos importantes que se você fizer uma ou duas vezes não tem
problema nenhum. Mas existem alguns pontos que são mais
complicados, não porque interrompem a gravidez, mas porque
interferem no desenvolvimento do feto. São os seguintes:

Contra-indicados:

 Todos os pontos abdominais abaixo do umbigo, até o 5º mês.

 Abaixo do fundo do útero,