Você está na página 1de 18

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA

Departamento Psicologia

Abílio Oliveira, Eric Alencar, Nathanael Johnatha e Sabrina


Carvalho

RELATÓRIO DO EXPERIMENTO DE PROCESSOS PSICOLÓGICOS


BÁSICOS

Petrolina
2019
1.0 Introdução

Segundo Willian James em Princípios de Psicologia, apud Stemberg (2000,


p.71), a atenção é “a tomada de posse pela mente, de forma dividida e nítida, de um
entre o que parece ser vários objetos ou linhas de pensamento possíveis”.
Estamos sujeitos a um número consideravelmente grande de estímulos e nossa
mente passeia em um fluxo que parece infindável de pensamentos, entretanto para
execução de nossas atividades do dia-a-dia precisamos selecionar “recursos mentais
limitados na informação e nos processos cognitivos” (Stemberg, 2000, p. 72). Logo, a
atenção é a capacidade de concentração em determinados estímulos: internos
(pensamentos e memórias) e externos (sensações). Relaciona-se com processos:
conscientes, em que processamos a informação não só de maneira ativa mas também
consciente; inconscientes, que acontece sem nos darmos conta; e pré-conscientes,
que envolvem memórias não usadas em determinado momento mas que podem ser
evocadas se necessário (Stemberg, 2000).
A atenção consciente de acordo com Stamberg (2000) apresenta três funções
principais são elas:

Atenção seletiva, quando escolhemos um estimulo para prestar atenção e qual


iremos ignorar. Ignorando algum estimulo ou, no mínimo, diminuindo a ênfase sobre
eles, podemos focalizar os estímulos essencialmente notáveis, aumentando assim
nossa capacidade de manipular aqueles estímulos para outros processos cognitivos
como a compreensão verbal ou a resolução de problemas;

Sondagem, quando estamos atentos ao ambiente procurando algo ativamente,


embora não estejamos convictos de que esse estímulo apareça. Esta pode ser sub
denominada em:

Sondagem característica, em que procuramos no ambiente uma ou mais


características únicas e para diferenciar o estimulo alvo dos demais;

Sondagem orientada, Sugere que todas as sondagens devem envolver dois


estágios consecutivos. (1) a pessoa deve ativar simultaneamente uma representação
mental de todos os alvos potenciais com base em cada uma das características do
alvo; e (2) deve avaliar sequencialmente cada um dos elementos ativados, e então
identificar e escolher o alvo;
Sondagem por conjunção, relaciona-se à procura de um alvo com determinada
combinação de características; e
Sondagem de características únicas, que envolve a busca por aspectos
distintivos que se ressaltam.

2.0- Método

2.1 Participantes:

O experimento foi realizado com dois jovens adultos de sexo masculino com
idade entre 24 e 27 anos.

2.2 Instrumento:

Foram apresentadas nove folhas, separadamente, cada uma contendo um


desafio visual diferente, conforme roteiro constante no anexo I. Bem como, utilizamos
um cronômetro para contagem do tempo de resposta do teste.

2.3 Contexto:

O ambiente em questão trata-se de uma sala denominada “Laboratório”,


localizada na FTC, campus Petrolina/PE. No momento do teste a sala não estava bem
climatizada, de modo que podemos considerar que houve desconforto na aplicação.

2.4 Procedimento:

Foram aplicados nove testes de atenção relacionados a atenção seletiva,


sondagem por característica e sondagem orientada conforme roteiro anexado.
Sem que o participante soubesse quais tipos de testes seriam realizados, inicialmente
foi-lhe explicado que seria necessário fazê-los o mais rapidamente possível. Antes de
aplicar cada um foram-lhe repassadas instruções referentes a execução de cada um
dos desafios.
3- Resultados:
As tabelas abaixo resumem os resultados quantitativos do experimento, nele
observamos o seguinte:
Nos testes de atenção seletiva (folhas 1, 2 e 3) comprovou-se a proeminência
do processo automático de leitura sobre o processo de reconhecimento de cores;

Nos testes de sondagem (folhas 4, 5, 6, 7, 8 e 9), comprovou-se que o tamanho


da apresentação (quantidade de itens em um dado arranjo visual) influência no tempo
de resposta, ou seja, quão maior e mais sua diversificada a quantidade de itens maior
o tempo de resposta.

Primeiro participante:

Teste Tempo de Resposta Observações


Tipo de Atenção
Seletiva/Escrita (folha 1) 26 s Sem dificuldades
Um pouco mais lento que
Seletiva/Cores (folha 2) 33 s o teste anterior, mas sem
dificuldade.
Seletiva/Escrita (folha3) 42 s Houve um início lento e
erros frequentes.
Sondagem/Característica 16 s Sem dificuldades.
(folha 4)
Sondagem/Característica 6s Sem dificuldades.
(folha 5)
Sondagem/Característica 1s Sem dificuldades.
(folha 6)
Sondagem/Orientada 15 s Sem dificuldades.
(folha 7)
Sondagem/Orientada 54 s Houve considerável
(folha 8) dificuldade.
Sondagem/Orientada 18 s Sem dificuldade.
(folha 9)
Segundo participante:

Teste Tempo de Resposta Observações


Tipo de Atenção
Seletiva/Escrita (Folha 1) 37 s Não mostrou
dificuldades
Seletiva/Cores (Folha 2) 47 s Teve mais dificuldades
Sondagem/Escrita (Folha 1:10 s Teve mais dificuldades
3)
Sondagem/Características 2s Sem dificuldades
(Folha 4)
Sondagem/características 2s Sem dificuldades
(Folha 5)
Sondagem/Características 1s Sem dificuldades
(Folha 6)
Sondagem/Orientada 28 s Sem dificuldades
(Folha 7)
Sondagem/Orientada 9s Sem dificuldades
(Folha 8)
Sondagem/ Orientada 2s Sem dificuldades
(Folha 9)

4- Considerações finais
O experimento foi uma oportunidade do exercício prático das ciências
psicológicas, mais especificamente da Psicológica Cognitiva. Ao aplicarmos os testes,
relativos a atenção seletiva e a sondagem, observamos como se dá o processo
cognitivo da atenção e sua importância na realização das atividades humanas.

Outrossim, cabe notificar que não havia climatização da sala o que pode ter
influenciado em algum nível o experimento, muito embora não tenhamos notado em
termos práticos qualquer dificuldade gerada por esse fato.
5- Referências bibliográficas.

STERNBERG, R.J. Percepção. In.: Psicologia cognitiva. Porto Alegre: Artmed


Editora, 2000.

6-Anexo A – Instruções Gerais (Roteiro do Exp erimento)