Você está na página 1de 33

Lei de Liberdade

Econômica e Direito
Civil
Interpretação dos contratos e desconsideração da
personalidade jurídica
rodolpho@pucminas.br

Rodolpho Sampaio Jr
Rodolpho Barreto
Sampaio Jr.
rodolpho1973

Rodolpho Sampaio Jr
Sua Majestade me manda advertir a Vossa
Mercê que as leis costumam ser feitas com
muito vagar e sossego, e nunca devem ser
executadas com aceleração, e que nos casos
AFETIVIDADE E crimes, sempre ameaçam mais do que na
realidade mandam, devendo os ministros
BENEVOLÊNCIA executores delas modificá-las em tudo que for
JURÍDICA possível, porque o legislador é mais empenhado
na conservação dos vassalos do que nos castigos
de justiça, e não quer que os ministros procurem
achar nas leis mais rigor do que elas impõem
(Carta Régia, 1745, apud BEVILÁQUA).
 Matrícula de alunos inadimplentes;
 Modificação de encargos contratuais lícitos;
 Determinação de fornecer tratamentos não
cobertos;
AFETIVIDADE E
BENEVOLÊNCIA  Ampliação das hipóteses de
impenhorabilidade;
JURÍDICA
 Fornecimento de medicamentos fora da lista
do SUS;
 Autorização para aluno reprovado participar da
formatura...
DURA LEX
SEDE LEX...
Proteção à livre iniciativa
Proteção ao livre exercício de atividade
econômica
LEI DA Interpreta-se em favor da liberdade
LIBERDADE econômica, da boa-fé e do respeito aos
ECONÔMICA contratos, aos investimentos e à
propriedade todas as normas de
ordenação pública sobre atividades
econômicas privadas
A LEI
CONSEGUE
MUDAR A
CULTURA?
 Cobrança por patinete (R$ 30,00);
 Cobrança por corrida (R$ 0,20);
 Estacionamento para patinetes;
SÃO PAULO  Só podem circular em ciclovias, ciclofaixas, vias com velocidade
E OS até 40 km/h e vias de lazer;
 Limite de velocidade (20 km/h);
PATINETES  Proibido para menores de 18 anos;
 Disponibilização obrigatória em bairros periféricos.
CAOS EM
PARIS
DA ANÁLISE DE IMPACTO REGULATÓRIO
Art. 5º As propostas de edição e de alteração de
atos normativos de interesse geral de agentes
econômicos ou de usuários dos serviços
prestados, editadas por órgão ou entidade da
O QUE DIZ A administração pública federal, incluídas as
LEE? autarquias e as fundações públicas, serão
precedidas da realização de análise de impacto
regulatório, que conterá informações e dados
sobre os possíveis efeitos do ato normativo para
verificar a razoabilidade do seu impacto
econômico.
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
JURÍDICA

“Art. 49-A. A pessoa jurídica não se confunde com os


ALTERAÇÕES seus sócios, associados, instituidores ou
administradores.
LEGISLATIVAS Parágrafo único. A autonomia patrimonial das pessoas
jurídicas é um instrumento lícito de alocação e
segregação de riscos, estabelecido pela lei com a
finalidade de estimular empreendimentos, para a
geração de empregos, tributo, renda e inovação em
benefício de todos.”
Restaura a lógica do art. 20 do
CC/1916: separação patrimonial
é a regra
ART. 49-A “Legaliza” arranjos societários:
ônus de se provar o uso abusivo
passa para a Fazenda, por
exemplo.
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
JURÍDICA

“Art. 50. Em caso de abuso da personalidade jurídica,


ALTERAÇÕES caracterizado pelo desvio de finalidade ou pela confusão
patrimonial, pode o juiz, a requerimento da parte, ou do
LEGISLATIVAS Ministério Público quando lhe couber intervir no
processo, desconsiderá-la para que os efeitos de certas e
determinadas relações de obrigações sejam estendidos
aos bens particulares de administradores ou de sócios da
pessoa jurídica beneficiados direta ou indiretamente
pelo abuso”.
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
JURÍDICA

ALTERAÇÕES “§ 1º Para os fins do disposto neste


LEGISLATIVAS artigo, desvio de finalidade é a
utilização da pessoa jurídica com o
propósito de lesar credores e para a
prática de atos ilícitos de qualquer
natureza.
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
JURÍDICA

“§ 2º Entende-se por confusão patrimonial a ausência de


separação de fato entre os patrimônios, caracterizada
ALTERAÇÕES por:
LEGISLATIVAS I - cumprimento repetitivo pela sociedade de obrigações
do sócio ou do administrador ou vice-versa;
II - transferência de ativos ou de passivos sem efetivas
contraprestações, exceto os de valor proporcionalmente
insignificante; e
III - outros atos de descumprimento da autonomia
patrimonial.
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
JURÍDICA

“§ 3º O disposto no caput e nos §§ 1º e 2º deste artigo


também se aplica à extensão das obrigações de sócios
ALTERAÇÕES ou de administradores à pessoa jurídica.
LEGISLATIVAS § 4º A mera existência de grupo econômico sem a
presença dos requisitos de que trata o caput deste artigo
não autoriza a desconsideração da personalidade da
pessoa jurídica.
§ 5º Não constitui desvio de finalidade a mera expansão
ou a alteração da finalidade original da atividade
econômica específica da pessoa jurídica.”
PJe: 0010340-03.2015.5.03.0023 (AP)
Disponibilização: 24/10/2019. Órgão Julgador:
Primeira Turma Relator: Maria Cecilia Alves Pinto
DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
POSSÍVEIS JURÍDICA. EXECUÇÃO DOS BENS
IMPACTOS PATRIMONIAIS DO SÓCIO. POSSIBILIDADE. O
DESSAS Direito Trabalhista consagra a Teoria Menor da
Desconsideração da Personalidade Jurídica,
MUDANÇAS... segundo a qual o simples inadimplemento do
débito trabalhista autoriza que os bens
patrimoniais do sócio respondam pelas dívidas
contraídas pela empresa executada.
SEM IMPACTOS RELEVANTES NA
JUSTIÇA DO TRABALHO E NOS
JUIZADOS ESPECIAIS
NÃO MUDA SEM IMPACTO NA LEI DE CRIMES
AMBIENTAIS (Art. 3º. Lei 9605/1998)
MUITA
COISA... PIOR AINDA NA LEI ANTICORRUPÇÃO
(Art. 14 da Lei 12.846/2013 está inserido
no capítulo relativo ao processo
administrativo de responsabilização, e não
no relativo à responsabilização judicial)
EFEITOS NAS
RELAÇÕES
NEGOCIAIS?
“Art. 421. A liberdade contratual
será exercida nos limites da função
social do contrato.
A NOVA CARA
DA FUNÇÃO Parágrafo único. Nas relações
SOCIAL contratuais privadas, prevalecerão o
princípio da intervenção mínima e a
excepcionalidade da revisão
contratual.”
A LIBERDADE DE CONTRATAR SERÁ
A NOVA CARA EXERCIDA EM RAZÃO E NOS LIMITES DA
DA FUNÇÃO FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO.
SOCIAL
Acaba a imposição do dever de contratar
Art. 421-A. Os contratos civis e
empresariais presumem-se paritários
e simétricos até a presença de
PRESUNÇÃO
elementos concretos que justifiquem
DE PARIDADE
o afastamento dessa presunção,
E SIMETRIA
ressalvados os regimes jurídicos
previstos em leis especiais, garantido
também que:
I - as partes negociantes poderão
estabelecer parâmetros objetivos
PARÂMETROS para a interpretação das cláusulas
OBJETIVOS negociais e de seus pressupostos de
revisão ou de resolução;
8.5 Severability. If any provision of this
Agreement shall be invalid, illegal or
unenforceable in any respect under any
law, the validity, legality and
enforceability of the remaining
PARÂMETROS
provisions shall not in any way be
OBJETIVOS affected or impaired thereby. Any
provision of this Agreement that is
unenforceable in any jurisdiction shall not
invalidate or render unenforceable such
provision in any other jurisdiction.
 8.6 Effect of Illegality. If for any reason any
provision of this Agreement is or becomes
or is declared by any court of competent
jurisdiction to be invalid, illegal or
unenforceable, then the parties hereto will
negotiate in good faith with a view to
PARÂMETROS agreeing one or more provisions to be
OBJETIVOS substituted therefor which are not invalid,
illegal or unenforceable and produce as
nearly as is practicable in all the
circumstances the appropriate balance of
the commercial interests of the parties
hereto as originally intended and evidenced
by the terms of this Agreement.
II - a alocação de riscos definida pelas
ALOCAÇÃO
partes deve ser respeitada e
DOS RISCOS
observada; e
Contratos de leasing corrigidos pela
variação cambial.
Final de 1998, dólar a R$ 1,20 - 26
ALOCAÇÃO de janeiro de 1999, dólar a R$ 1,87
DOS RISCOS Obra no Canal do Panamá - Cláusula
limitativa de responsabilidade –
pretensão: 100 milhões us$; fechou
em 10 milhões us$
REVISÃO III - a revisão contratual somente
CONTRATUAL
EM CARÁTER
ocorrerá de maneira excepcional
EXCEPCIONAL e limitada.
FINALMENTE  A INTERPRETAÇÃO DO NEGÓCIO JURÍDICO
Art. 113. Os negócios jurídicos
INTERPRETAR
devem ser interpretados conforme a
O NEGÓCIO
boa-fé e os usos do lugar de sua
JURÍDICO
celebração.
§ 1º A interpretação do negócio jurídico deve lhe atribuir o
sentido que:
I - for confirmado pelo comportamento das partes
posterior à celebração do negócio;
II - corresponder aos usos, costumes e práticas do mercado
INTERPRETAR relativas ao tipo de negócio;

O NEGÓCIO III - corresponder à boa-fé;


IV - for mais benéfico à parte que não redigiu o dispositivo,
JURÍDICO se identificável; e
V - corresponder a qual seria a razoável negociação das
partes sobre a questão discutida, inferida das demais
disposições do negócio e da racionalidade econômica das
partes, consideradas as informações disponíveis no
momento de sua celebração.
§ 2º As partes poderão livremente
INTERPRETAR pactuar regras de interpretação, de
O NEGÓCIO preenchimento de lacunas e de
JURÍDICO integração dos negócios jurídicos
diversas daquelas previstas em lei.
OBRIGADO!!!
Rodolpho Barreto Sampaio Júnior