Você está na página 1de 2

CURSO: PÓS-GRADUÇÃO EM

ALUNA: ANDRÉA DE RODRIGUES BRITO

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Desde a Grécia Antiga, os filósofos já se preocupavam em definir o conceito de ética,


e o pensador que se destacou nesse sentido foi Aristóteles, que, inclusive, escreveu o livro
Ética a Nicômaco, onde estabelece os princípios da ética que iriam nortear todos os estudos
futuro. As discussões sobre a existência ou não de ética nas condutas humanas determinam as
atitudes e comportamentos em todas as áreas da vida. Existe, assim, um universo de regras a
serem seguidas na sociedade, tanto por cidadãos, líderes, empregados ou patrões.

Para melhor estudar o conceito de ética, é necessário delimitar seu campo de estudo.
No presente trabalho, iremos nos concentrar no comportamento ético nas empresas, através da
responsabilidade social. Para tanto, devemos analisar alguns quesitos como a transparência
organizacional, as informações fiscais, as ações internas e externas relativas ao compromisso
social, à coerência entre discurso, condutas e práticas, o respeito às leis, aos colaboradores,
fornecedores e ao meio ambiente e as relações de negócios em geral. As empresas e os
empresários que respeitam esses limites éticos se tornam, sem dúvida, bons exemplos, são
inspiradores de seus funcionários e clientes.

Desta forma, as instituições precisam se comportar de maneira ética por meio de ações
que busquem servir de exemplo motivador, não apenas no sucesso de suas negociações mas
também na maneira como são conduzidas, de que forma é alcançado o sucesso. Assim, muitas
empresas se comprometem com a sustentabilidade a fim de alavancarem um melhor
posicionamento junto ao público e se tornam inspiração para seus funcionários.

Entre os comportamentos éticos estão as preocupações com as condições de trabalho


de fornecedores, colaboradores e clientes e também na maneira como é feita a extração de
matéria-prima utilizada na produção de suas indústrias. Tais ações são consideradas positivas,
pois rejeitam o trabalho escravo ou infantil, bem como as condições insalubres das fábricas ou
fazendas.

Muito mais do que palavras e discursos, tanto a ética quanto a responsabilidade social
devem partir do compromisso entre os colaboradores e a sociedade. As empresas que seguem
essas condutas são mais respeitadas e conquistam maior destaque e credibilidade no mercado.
Dentro do conceito de cultura organizacional, existe um modelo ético a fim de
respeitar os padrões estabelecidos pela sociedade. Nesse sentido, as empresas são avaliadas
como éticas se apresentam uma conduta socialmente aceita e cujas políticas estão alinhadas
com o conceito de moral, onde todas as suas atividades e estratégias levam à reflexão ética
previamente delimitada de cima para baixo, valorizando o exemplo das instâncias superiores,
como forma de inspirar os subordinados.

Tal prática funciona como um efeito cascata tendo desdobramentos dentro e fora das
organizações e passa a ser um vírus do bem a se propagar em vários âmbitos, a fim de
proporcionar um agir socialmente responsável. Os gestores precisam ir além das
preocupações econômicas, como o lucro, e voltarem seus pensamentos para as questões
morais, éticas e sociais para que a empresa gere valor social ao diminuir os impactos sobre o
meio ambiente e sobre a condição de vida dos trabalhadores urbanos e rurais.

Quanto à questão da ética, no âmbito profissional, ela assume uma face ainda mais
percebida atualmente pela sociedade. Os profissionais de todas as áreas estão cada vez mais
atentos aos seus comportamentos tanto dentro do ambiente corporativo quanto na vida
privada, uma vez que não são mais dissociados pela sociedade o comportamento público do
privado. A maioria das profissões já conta com códigos de ética a fim de delimitar os
comportamentos de seus profissionais e orientar a conduta em cada caso.