Você está na página 1de 13

AS RAÍZES DA

CULTURA BRASILEIRA
YANE ANDRADE – 7° ANO ARTES
CULTURAS MILENARES
A palavra cultura advém do latim, e significa cuidar. Cultura é um conceito que foi inicialmente
desenvolvido pelo antropólogo Edward Burnett Taylor, e se refere aos comportamentos, valores,
crenças e regras morais que caracterizam uma sociedade. Em resumo, Cultura é a identidade de
um grupo.
A cultura brasileira é uma mescla de culturas, que sintetizam as muitas etnias que formam o povo
brasileiro. Portanto, não se pode dizer que exista uma cultura brasileira homogênea; o que existe é
um mosaico de diferentes culturas que juntas formam a cultura do Brasil. Mas, sem dúvida, a cultura
brasileira tem uma raiz portuguesa. No Brasil, fala-se a língua portuguesa e a grande maioria da
população continua sendo católica. Mas apesar de o Brasil ter sido descoberto e colonizado por
Portugal, outras nações contribuíram imensamente para a formação da cultura brasileira. Além dos
portugueses, os povos indígenas, os africanos, os italianos e os alemães ajudaram a moldar a
cultura do Brasil. As influências de diferentes povos, principalmente das populações indígenas e dos
descendentes de escravos que foram trazidos do continente africano, são aparentes nos âmbitos da
música, da culinária, do folclore, do artesanato e das festas e celebrações nacionais. A própria língua
portuguesa falada no Brasil foi muito influenciada por outras línguas.
◦ Os estados que constituem a Região Norte
do Brasil foram muito influenciados pelas
culturas indígenas. Já o Nordeste tem uma
cultura que foi bastante influenciada por
africanos e seus descendentes. O Sul do
Brasil foi muito influenciado pelos
imigrantes europeus que lá se
estabeleceram. Na Região Sul, é evidente
a grande influência de imigrantes italianos
e alemães, seja na culinária, na música,
nas festas e nos hábitos do cotidiano.
Outras etnias, como espanhóis,
portugueses, japoneses e árabes, também
contribuíram para a cultura do Brasil.
Os portugueses
◦ Os europeus foram os que mais influenciaram a formação da cultura brasileira. Durante mais
de três séculos, o território brasileiro foi colonizado por Portugal. O número de portugueses que
se estabeleceram no Brasil aumentou muito durante o século XVIII. Em 1808, a corte de D.
João VI mudou-se para o Brasil.
◦ Mesmo após a independência brasileira, a imigração portuguesa para o Brasil não foi
encerrada. Até meados do século XX, Portugal era uma das principais fontes de imigrantes
para o Brasil.
◦ A mais evidente herança portuguesa para o Brasil é a própria língua nacional, falada por
praticamente todos os habitantes do país. A religião católica, que continua sendo a religião da
maioria da população, também é uma das muitas heranças da colonização. Além disto, as
duas festas mais importantes do Brasil – o carnaval e as festas juninas – foram introduzidas
pelos portugueses. No folclore brasileiro, são de origem portuguesa a crença em seres
míticos como o bicho papão e o lobisomem.
Muitos dos pratos típicos da culinária brasileira
são adaptações de pratos portugueses. A feijoada
brasileira é um exemplo disso. A cachaça, criada
nos engenhos, é outra contribuição de origem
portuguesa. Alguns pratos muito consumidos e
apreciados no Brasil, como a bacalhoada, são
portugueses.
A cultura portuguesa foi responsável pela CARNAVAL DE
introdução no Brasil de importantes movimentos BEZERROS - PE
artísticos europeus, como o renascimento, o
maneirismo, o barroco e o neoclassicismo. A
literatura, pintura, música e arquitetura do Brasil
colônia foram fortemente influenciadas pela arte
portuguesa.

SÃO JOÃO DA
PARAIBA - PB
Os indígenas
◦ A colonização do Brasil pelos europeus resultou no quase extermínio de todas as nações
indígenas que viviam no que é hoje o território nacional brasileiro. Os indígenas foram
vitimados pela guerra, pela escravidão e pelas doenças e epidemias trazidas da Europa pelos
colonizadores. Mesmo a cultura indígena foi quase totalmente eliminada devido à catequese e
à miscigenação com os colonizadores europeus. Atualmente, há poucas nações indígenas no
Brasil que sobreviveram e que conseguiram manter parte de sua cultura original.
◦ Não obstante, a cultura e os conhecimentos dos indígenas sobre a terra e o território brasileiro
foram fundamentais durante a colonização. Os indígenas influenciaram a língua, a culinária e
o folclore brasileiro. O português brasileiro inclui inúmeros termos de origem indígena,
derivados principalmente do Tupi-Guarani.
O folclore do interior brasileiro foi muito
influenciado pela cultura indígena. Seres fantásticos
como o Saci-Pererê e o boitatá são heranças
culturais dos indígenas. Na culinária brasileira, a
mandioca, a erva-mate, o açaí e muitos outros frutos
da terra foram introduzidos pelos indígenas.
A influência indígena é mais forte nas regiões do
Brasil em que esses grupos conseguiram se manter
mais distantes dos colonizadores europeus,
principalmente em certas áreas da Região Norte.
Os africanos
◦ A cultura africana foi introduzida ao Brasil por meio dos povos que foram trazidos da África
para trabalharem como escravos. A diversidade cultural africana evidenciou-se na diversidade
dos escravos, pertencentes a diferentes etnias, que foram trazidas ao Brasil. Essas diferentes
etnias, que falavam idiomas diferentes e que possuíam tradições diferentes, incluíam os
bantos, os nagôs e os jejes, que deram origem às religiões afro-brasileiras.
◦ A cultura africana, como a cultura indígena, foi suprimida pelos colonizadores europeus. Os
escravos eram ensinados a língua portuguesa; eles eram batizados com nomes portugueses e
eram obrigados a se converter ao catolicismo. Não obstante, os africanos contribuíram muito
para a cultura brasileira. A música, a dança, a culinária e mesmo o idioma português falado
no Brasil foram influenciados pelos africanos. Essa influência é particularmente aparente em
estados do Brasil onde houve uma enorme migração de escravos: Bahia, Maranhão,
Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
Algumas contribuições africanas foram
o candomblé, uma religião afro-brasileira; e
a umbanda, uma religião que mistura elementos
africanos com o catolicismo e o espiritismo. A
influência africana também se evidencia na culinária,
especialmente na Bahia, onde foi introduzido o
dendezeiro – uma palmeira africana da qual é
extraído o azeite de dendê.
A cultura africana contribuiu muito para a música
popular brasileira. O samba, o choro, a bossa-
nova e outros gêneros musicais receberam forte
influência africana. Outra contribuição africana foi
a capoeira – uma mistura de dança e arte marcial
criada pelos escravos no Brasil colonial.
Outras festas populares
Boi-Bumbá
◦ Entre os meses de junho e julho, o Maranhão celebra
a festa popular mais antiga do estado. A festa do
Bumba-meu-boi (ou Boi-Bumbá) acontece em todos
os cantos da capital São Luís e arrasta moços, moças,
vovôs e vovós até os arraiás espalhados na cidade. A
tradição de festejar o boi se mantém desde o século
XVIII e, conta a lenda, começou quando o escravo Pai
Francisco como criar uma loja teve que ressucitar o
boi mais bonito que tinha sido morto por ele mesmo
a fim de satisfazer o desejo de sua grávida
companheira. A ressurreição virou brincadeira, que
virou festa, e foi durante muito tempo perseguida
pela polícia, a mando da elite, já que era exclusiva
dos negros. Hoje há liberdade para dançar, brincar e
celebrar a história do país, ao som da velha congada
africana.
Cavalhada
Com características trazidas da Europa – desfile de cavalos,
corridas de cavaleiros, jogos de canas, manequim, manilhas e
argolinhas –, a cavalhada espalhou-se pelo Brasil, principalmente
nos estados de Minas Gerais, Bahia, Paraná e Goiás. Entretanto, ao
longo do tempo, não conservou o modelo original. O folclorista
alagoano Théo Brandão observa que a cavalhada nortista é
constituída apenas dos desfiles, corridas de cavalos e jogos de
argolinhas. De seus estudos foi sintetizada a descrição da
cavalhada: realizada em espaço amplo (praça, descampado ou
parque) para que possa ser demarcada a pista ou trilha de corrida,
a cavalhada é constituída por doze cavaleiros ou pares. Os dois
pares dianteiros têm o nome de primeiro e segundo matinadores
(em outros estados, mantenedores), que são os chefes
respectivamente dos cordões encarnado e azul. Os matinadores,
bem como os outros cavaleiros, devem ser mestres na arte da
cavalhada pois, desses últimos, cabe obrigatoriamente a retirada
da argolinha, caso não o tenham feito os que os antecedem na
corrida. O torneio é dividido em três partes, obrigatoriamente
nessa ordem: visita à Igreja, corrida de argolinhas e escaramuças.
Festa de Paritins
O Festival Folclórico de Parintins é uma festa folclórica
realizada anualmente no último fim de semana de junho na
cidade de Parintins, Amazonas. O festival é uma
apresentação a céu aberto, onde competem duas
associações, o Boi Garantido, de cor vermelha, e o Boi
Caprichoso, de cor azul. A apresentação ocorre no
Bumbódromo (Centro Cultural e Esportivo Amazonino
Mendes), um tipo de estádio com o formato de uma cabeça
de boi estilizada, com capacidade para 35 mil espectadores.
Durante as três noites de apresentação, os dois bois
exploram as temáticas regionais como lendas, rituais
indígenas e costumes dos ribeirinhos através de alegorias e
encenações. O Festival de Parintins se tornou um dos
maiores divulgadores da cultura local O festival é realizado
desde 1965 e já teve vários locais de disputa como a quadra
da catedral de Nossa Senhora do Carmo, a quadra da
extinta CCE e o estádio Tupy Cantanhede. Até que em 1987,
o governador Amazonino foi assistir o festival, no mesmo
local onde é o Bumbódromo, mas era um tablado.
◦ Fontes:
◦ http://brasilculturasdiversas.blogspot.com/p/festas-tipicas.html
◦ https://www.todamateria.com.br/cultura-brasileira/