Você está na página 1de 6

1

1.INTRODUÇÃO

No presente trabalho iremos abordar aspectos ligados a procedimentos de produção de blocos 12,
seus matérias, métodos, objectivos.

Para dizer que na produção de blocos há processos indispensáveis, hora vejamos, observamos que
na sociedade tem se produzido sem as normas de produção de blocos recomendados, com maior
probabilidade de se produzir blocos com um traço não recomendado e com fissuras.

Mais em diante veremos como foi a aprendizagem no campo, e qual foi a nossa experiência, para
também mostrar como se pode trabalhar com equipamentos de protecção individual ou
colectivos, como equipar devidamente, e quais são os riscos corridos no ambiente de trabalho ao
se fazer presente não equipado devidamente, como também faremos menção dos equipamentos
de protecção, como também o material de campo usado para a produção de blocos por nos usados
no campo e por fim partiremos ao momento da rega e arrumação dos blocos, iremos apresentar os
resultados obtidos e discutidos pelo grupo perante a avaliação do produto final e em comparação
com bibliografias lidas pelo grupo, dando desfecho em forma de conclusão.
2

2.OBJECTIVOS

Na presente aula temos como objectivo geral:

Buscar soluções mais económicas e apropriadas, que possam garantir melhores resultados em
termos de qualidade e custo, pretendendo se analisar tais componentes para se garantir as
propriedades do produto final de acordo com as normas padrão de produção de blocos.

 Os procedimentos para a produção de blocos;

2.1. Objectivos específicos:

 Como fazer ou medir a dosagem certa para cada saco de cimento;


 Que quantidade de areia, agua e que traços pode se adicionar na mistura;
 Como e quando se fazer presente a rega dos blocos;
 Como fazer a arrumação dos blocos.

3.MATERIAL E MÉTODOS

Primeiro é de constatar que para a produção de blocos, há uma necessidade de força física
devido a execução de uma árdua tarefa e repisando as questões relacionados com ergonomia

Esta é uma pesquisa exploratória, que visa identificar elementos para o desenvolvimento de
componentes que atendam os objectivos propostos. Desta forma, foram previstas etapas de
conhecimentos de técnicas existentes para a produção de blocos, estudo do traço de produção de
blocos e de testes para analise do produto final.

 Para dizer que na aula pratica estivemos meramente equipados com equipamento de
protecção individual (E.P.I);
 Para dizer que fizemo - nos ao campo equipados de botas, capacetes, por se tratar de
primeiros dias ainda nos faltam outros equipamentos para melhor protecção no ambiente
de trabalho, e de salientar que para a produção de blocos há necessidade de luvas para
evitar a saída de calos nas mãos devido a força de contacto e a forca exercida ao pegar na
pá, como as mascaras para evitar uma possível constipação devido a poeira produzida
pelo cimento no memento em que abrimos o saco de cimento;
3

 Tivemos um carinho de mão, instrumento usado para transportar o cimento do armazém


ate ao local de trabalho, como também usamos como instrumento de medição para os
traços de areia;
 Pá de mão, usamos para o processo de transporte da areia para o carrinho de mão, assim
como para o transporte e mistura da massa (pasta), produzida;
 Maquina manual de produção de blocos, usamos para dar forma aos nossos blocos e
também a sua limpeza é determinante para evitar fissuras nos blocos;
 1 saco experimental de cimento, usado na mistura como agregado para o processo de
produção de blocos e geralmente pode se afirmar que é um dos elementos chaves para dar
forma ao produto final;
 2 carrinhos de areia com traço fino, passamos de um processo de filtragem de areia em
que consiste na retenção de graus, pedregulhos, pequenas substâncias que provocariam o
defeito na forma dos blocos, e de seguida partimos para a medição de cada traço e de
salientar que o traço fino facilita na mistura da pasta para a produção de blocos;
 1 carrinho de areia com traço grosso, usamos para dar consistência e um traço mais grosso
na nossa pasta;

De salientar que para produção produzirmos blocos depende do traço usado, ou em linguagem
moçambicana, precisamos saber a media de blocos e dai aumentamos o traço de areia fina e
grossa, não se esquecendo da qualidade do produto final.

Para produção de blocos observamos os seguintes etapas:

Usamos a pá, vassoura plástica ou de aço para a limpeza do local onde se fará a mistura da pasta
que é resultante da adesão dos agregados (areia, cimento, água), faz se a medição dos traços de
areia usando o carinho de mão, dependendo da qualidade e qualidade pretendidos, mistura se a
areia fina e grossa, de seguida usamos a pá ou enxada para afastar a areia permitindo a entrada
da água na espécie de vão no meio aberta para a permissão da adesão do cimento e os agregados.

A seguir misturamos a areia e o cimento juntamente sempre pegando na pá e gradualmente


amassando ao poucos sem deixar nenhuma parte sem areia ou cimento secos, após termos certeza
e tiver um aspecto bom por parte da mistura, adicionamos a agua em um processo gradual não se
esquecendo da pá sempre amassando para estar na mesma humidade, sempre com a mistura da
4

massa, assim, aos poucos separando as partes não atingidas pela água. Misturamos ate a massa ter
a humidade necessária, estando completamento ao mesmo grau, dai preparando a máquina
metálica com o formato de caixa para receber a pasta usando sempre a pá para o transporte até a
maquina de blocos, em seguida prepara se o local onde daremos a forma aos blocos limpando
com uma vassoura ou ancinho de mão, de preferência um lugar limpo, liso, em seguida
molhamos antes de colocar os blocos no local. foto

Coloca se a mistura da pasta do cimento a areia, água, na forma de blocos sacudindo a primeira
vez no chão, adicionamos mais a pasta, e batemos da segunda vez e se haver necessidade de bater
novamente o fazemos, após isso lisamos por cima da forma.

De seguida transportamos rapidamente para o local já organizado, deitamos vagarosamente a


forma assentando os dois pés nas alavancas ou pedais existentes nas laterais da forma ou máquina
de blocos, exercendo uma mera força levantámos a parte superior da forma e com os pés ainda
assentes nas laterais. Por último tiramos o pé onde se localiza o guincho que assegura a lateral
direita, levantando sem tremer para dar uma melhor beleza e evitar fissuras no produto final, apôs
esse passo observa se, se houve fissuras no bloco, caso haja recolhemos a massa para a forma,
transportando para o local de mistura para se dar nova forma ao bloco destruído. Quando se tem
demasiada ,massa temos de adicionar a água na mistura, devido ao tempo em que estamos
parados lembrando que a pasta absorve água para alterar a sua humidade e sempre mater na
mesma humidade. Sempre que voltamos da colocação do bloco no local, temos de sacudir a areia
e resíduos estranhos na maquina na parte interior para evitar fissuras, após isso procede se a rega
dos mesmos dependendo no momento de produção pode se contar algumas horas (em media 6 ou
mais horas), e regamos sem tanta pressão porque ainda são frágeis e sem deixar a água
transbordar. Assim que voltamos a regar da seguida vez pode se aumentar a pressão sem exagerar
para evitar perfurar os blocos e dar mais consistência aos mesmos, geralmente em Moçambique
quanto a media de régua aplicamos a rega durante 3 dias consecutivos com regas matinais e no
período de tarde. foto

Apôs o termino da rega observa se o aspecto da secagem, que se baseia no endurecimento dos
blocos. Após o segundo dia do termino da rega levanta se deixando os blocos na posição de perfil
formando 90 graus, e após observar que a secagem foi completa arruma se os blocos de modo
que não se quebrem. foto
5

Após a este processo da secagem dos blocos segue se o processo de arrumação dos mesmos num
local plano de preferência para evitar desmoronamento. foto

4.RESULTADOS E DISCUSSÕES

Sem muitos dados a registar porque ainda não se completou o processo de produção, estando na
rega do momento, mas podemos dizer que tivemos uma fraca produção porque o traço foi
reduzido devido a orientação recebida no processo de produção de blocos.
6

5.CONCLUSÕES

De observar que para a produção de blocos temos que ter em conta os aspectos físicos em dia,
porque o trabalho é desgastante e é preciso ter agilidade no preparo da massa ou pasta, porque
quanto mais tempo passar a massa seca e seremos obrigados a por agua, todavia podemos dizer
que a questão da ergonomia é necessária ser observada porque quanto mais tempo levarmos
inclinados podemos danificar a coluna, e se possível recomendaríamos a produção num local de
altura acessível.

Mas esperamos uma classificação positiva porque sendo a primeira vez estando exercendo uma
actividade do género fica difícil, mas cremos nos que os blocos saíram como fomos instruídos e
pensando que da próxima sairão com maior qualidade, não se esquecendo dos traços padrão.

No momento da mistura tem de se filtrar bem a areia e tirar os resíduos lã existentes para evitar as
fissuras nos blocos. Ter em conta que após o termino da actividade devemos lavar as mãos para
evitar queimaduras no corpo e por fim todo material usado para a produção dos blocos, tendo em
conta que poderemos usar novamente.

E dizer que a experiencia de trabalhar nas oficinas é gratificante e sentimos que podemos dar
orientações em casa de como orientar um processo de produção de blocos.

Interesses relacionados