Você está na página 1de 16

Contextualização

Os números - índices são muito utilizados para análises do quadro económico de certo sector ou
da economia como um todo.

São instrumentos importantes para administradores, economistas e engenheiros para comparar


grupos de variáveis relacionadas entre si e obter um quadro simples e resumido das mudanças
significativas em áreas relacionadas como preços de matérias primas, preços de produtos
acabados, volume físico de produtos etc. É, particularmente, útil para o acompanhamento da
Inflação, Índice Geral de Preços, Índice de Produção Industrial entre outros.[ CITATION Gil81 \l
1033 ].

Os números índice (ou apenas índices) são indicadores que medem alterações entre grandezas do
mesmo tipo ou variações entre grandezas diferentes e aplicam-se no campo da produção,
evolução dos preços, custo de vida, salários, registos demográficos, entre outros.

Assim, o presente capítulo aborda também um levantamento sobre os índices de preços


calculados pelos principais Institutos de Estatística e, por conseguinte aborda algumas aplicações
práticas dos índices apresentados e divulgados à população.

Os índices de inflação são utilizados para avaliar a variação de preços num determinado sector
da economia. Explicando melhor, inflação é o movimento/comportamento contínuo no nível
geral de preços, ocasionando uma perda do poder aquisitivo da moeda. Assim os índices de
inflação “medem” o quanto variam esses preços. Os índices de preços pretendem verificar a
variação monetária ou taxa de inflação num período de tempo referenciados a determinados
espaços.

Como medem variações no tempo e no espaço, permitem sintetizar e apresentar de forma eficaz
a natureza das alterações numa ou várias variáveis, sendo mais fácil identificar flutuações
referentes a sub - períodos que se repetem ao longo do tempo.

Usando os números índice é possível, com um só valor, avaliar a evolução de um conjunto


complexo de variáveis (preços). Se na perspectiva da análise temporal existe uma ordenação
natural de períodos que constituem uma série temporal, o mesmo não pode ser dito no âmbito da
análise territorial (espacial), em que são comparadas várias áreas (níveis de preços). [ CITATION
Rib11 \l 1033 ].

Objectivos

Geral:

 Estudar os números índices.

Específicos :
 Estudar os tipos de números índices;
 Estudar a classificação dos números índices;
 Estudar os números índices de Laspeyres, Fischer, Paasche;
Metodologia

O presente trabalho apresenta uma linguagem simples e clara e com a contextualização baseada
na referencia bibliográfica das obras visitadas.
Números índices

Muitos dos dados estatísticos recolhidos sobre variados assuntos apresentam-se de uma forma
peculiar: repetem se ao longo de vários períodos de tempo, ano, meses, semanas, ou mesmo dias.
Estes conjuntos de dados constituem as chamadas series ou sucessões cronológicas: conjuntos de
dados qualitativos recolhidos em intervalos de tempo fixo.[ CITATION Rei \l 1033 ].

São expressos em termos percentuais e, também, têm certas características em comum, sendo
uma delas, as razões de quantidade no período corrente para as quantidades no período - base.
[ CITATION Ste95 \l 1033 ].

Eles sintetizam as modificações nas condições económicas ocorridas em um espaço de tempo,


através de uma razão. Se apenas um item é computado trata-se de um número índice simples. Se,
porém, vários itens (produtos) têm suas variações computadas tem-se um número índice
composto.

Os números índices que se referem a diferentes pontos no tempo são índices temporais enquanto
que os referentes a diferentes pontos no espaço se denominam índices regionais.

Em termos matemáticos, um numero índice para t com base em 0 é definido do seguinte modo:

I t =¿VV × 100¿
t

0
o

Sendo V t e V 0 os valores da variável em estudo nos períodos t e 0, respectivamente, para o caso


de índices temporais. Para os índices regionais, V t é o valor da variável para a região t e V 0 o
valor para a região considerada como base.

Os números índices foram especialmente concebidos para medir modificações associadas a


variáveis económicas e financeiras, como é o caso do exemplo seguinte:
Figura 1: Quadro de preços á produção de determinado produto têxtil

Na sua forma mais simples, um numero índice é se não uma percentagem( proporção relativa)
indicando a relação entre dois valores referentes a diferentes períodos de tempo ou regiões.
Assim, para comparar os preços da serie anterior basta:

Dividir o preço de cada ano pelo preço de 2003 e ;

Exprimir um dos valores obtidos sob a forma der percentagem.

Figura 2: Preços anuais e números índices

Os valores da ultima coluna permitem nos já fazer comparações entre os preços do vários anos.
Por exemplo, verifica se que de 2003 para 2004 não houve alteração no preço mas que em 2006
os preços tinham já aumentado 16, 7% relativamente aos verificados em 2003.
Obtêm se um valor multiplicando o preço pela quantidade. A comparação entre dois valores
referentes a diferentes pontos no tempo ou no espaço dá origem a índices de valor.

Uma outra classificação de números índices permite diferenciar entre :

 Índices de preços ;
 Índices de quantidades;
 Índices de valores.

Dentro de cada tipo de índice podem aplicar se diferentes métodos de calculo, de modo a obter
índices simples, agregados ou compósitos.

Índices de preços

Os índices de preços são calculados para medir unicamente variações relativas de preços, estando
a sua utilização generalizada e sendo múltiplos os exemplos que deles se podem apresentar.

No processo de tomada de decisões nas empresas, os gestores conhecem o impacte das variações
de preços sobre as vendas;

Os economistas governamentais tem a necessidade de delinear politicas orçamentais que evitam


o aumento da inflação.

Propriedades dos índices simples

os índices de simples verificam três propriedades importantes:

 Transitividade – um índice para o período i cuja a base é o período i com base em k e o


do período k com base em 0.

i k
It= I k 0
I
com i > k > 0
o × × 100
100 100

Por exemplo : I 80 =I 80 × I 75
70 75 70
 Reversibilidade – o índice para o período i com base o é igual ao inverso do mesmo
índice para o ano zero com base em i.

i
I
0 100
=
100 0
I
i

80
I
70 100
Por exemplo: =
100 70
I
80

 Encadeamento – qualquer índice para o período i com base em 0 pode ser decomposto
no produto dos índices para todos os períodos desde i até 0, cada um deles tendo como
base o período imediatamente anterior.

i 1 2 2 1
I −1 I i− −2 I i− −3 I I
i 1 1 1 1 0
I = × × … × × 100
0 100 100 100 100 100

88 87 86 86
I I I I
Por exemplo: i 87 86 85 85 .
I = × × × ×100
0 100 100 100 100

Números Índices Simples

Os números índices simples podem ser chamados (como também os compostos) de relativos de
base fixa ou relativos de ligação. Dividem-se em números - índices simples, quando um só
produto está em jogo e, números – índices composto quando envolver um grupo de artigos.

Os Números - índices simples avaliam a variação relativa de um único item ou variável


económica entre dois períodos de tempo. Calcula-se como a razão do preço, quantidade ou valor
em dado período para o correspondente preço, quantidade ou valor num período - base. A
principal limitação dos índices simples é que eles se referem apenas a itens isolados, enquanto
que, frequentemente, necessitamos sintetizar variações para um grupo de itens.
Números Índices Simples - Relativos de base fixa

Neste caso um período é escolhido como referência, ou base, e todos os índices são computados
em relação aos registos deste período específico. Usualmente no período base o índice recebe o
valor 100. Os números índices simples podem ser de preço (quando calcula-se a razão entre o
preço observado de um artigo em um período qualquer e o preço do mesmo artigo no período
base), de quantidade (quando calcula-se a razão entre a quantidade observada de um artigo em
um período qualquer e a quantidade no período base), e de valor (quando a razão é calculada
pelo produto de preço e quantidade do artigo em um período qualquer e o produto de preço e
quantidade do mesmo artigo no período base). Vejamos as equações:

Pt
Preço : P0 ,t = ×100
P0

Qt
Quantidade : Q 0 , t= × 100
Q

P t × Qt
Valor : V 0 , t= ×100
P0 × Q 0

Onde P0 é o preço do artigo no período base, Pt é o preço do artigo em um período qualquer, Q 0


é quantidade do artigo no período base e Q t é a quantidade do artigo em um período qualquer.
Para as grandezas complexas, a evolução é representada pelos índices compostos, destacando-se
os de Laspeyres, Paasche e Fischer.

Número - índice de Laspeyres

Constitui uma média ponderada de relativos, sendo os factores de ponderação determinados a


partir de preços e de quantidades da época básica, (P) de insumos, (i) em duas épocas, inicial (0)
e actual (t), tomando como pesos quantidades (Q) arbitradas para esses insumos na época inicial.
Onde n é o número de itens, Pt ,i é o preço de um item qualquer no período "actual", P0,i é o
preço de um item qualquer no período base, Q t ,i é a quantidade de um item qualquer no período
actual, e Q 0,i é a quantidade de um item qualquer no período base.

Como essas quantidades são consideradas adequadas à época inicial e não à época actual,
admite-se que o numerador possa se apresentar super dimensionado e assim o índice de
Laspeyres apresentar tendência de elevação.

Para o calculo dos índices de laspeyres usamos as seguintes formulas:

LPi=
∑ Pi Q0 ×100 ;
∑ P0 Q 0
Formula para o calculo de preços de Laspeyres para o período i;

LPi=
∑ P0 Q0 ×100 ;
∑ P0 Q 0
Formula para o calculo de quantidades de Laspeyres para o período i.

Número - índice de Paasche

É um índice agregado, o qual na sua formulação original, é uma média harmónica ponderada de
relativos, sendo os pesos calculados com base nos preços e nas quantidades dos bens na época
actual, (p) de insumos, (i) em duas épocas, inicial (o) e actual (t), tomando como pesos
quantidades (q) arbitradas para estes insumos na época inicial.

Como essas quantidades são consideradas adequadas à época actual e não à época inicial,
admite-se que o denominador possa se apresentar, eventualmente, super dimensionado e assim o
índice de Paasche apresentar tendência a rebaixamento.

No índice de Paasche a ponderação é feita em função dos preços e quantidades do período actual.
Por causa disso ele tende a exagerar a baixa, por considerar as quantidades (ou preços) iguais aos
do período actual. A mudança constante da época “actual” pode encarecer a pesquisa para
identificar os pesos. Por essa razão os índices de preços, que costumam fazer as ponderações dos
diversos itens com base em pesquisas de orçamentos familiares, geralmente utilizam a fórmula
de Laspeyres (ou alguma modificação dela).

Onde n é o número de itens, Pt ,i é o preço de um item qualquer no período "actual", P0,i é o


preço de um item qualquer no período base, Q i,i é a quantidade de um item qualquer no período
actual, e Q 0,i é a quantidade de um item qualquer no período base.

PPi=
∑ Pi Qi × 100 - para o calculo de indices de preços de Paasches para o período i;
∑ P0 Q i

PPi=
∑ Pi Qi × 100 - para o calculo de indices de quantidades de Paasches para o período i.
∑ Pi Q 0
Número - índice de Fischer

O índice de Fischer, também conhecido corno forma ideal, é a média geométrica dos números –
índices de Laspeyres e de Paasche. Sob o aspecto da ponderação, esse índice envolve os dois

sistemas anteriormente adoptados. A proposta de Fischer fundamenta-se no fato de que os


índices os quais compõem não atendem ao critério de decomposição das causas, além de um
deles tender a super estimar enquanto outro a subestima o verdadeiro valor do índice. Esse
verdadeiro valor tenderá a ser um número superior ao fornecido pela fórmula de Paasche e
inferior ao apresentado pela fórmula de Laspeyres, o que acontece com a média geométrica entre
esses dois índices. Entretanto, o índice de Fischer, apesar de ser chamado de ideal, nisso pode ser
considerado "perfeito". A necessidade de modificar pesos, em dada época comparada, em
decorrência do cálculo do índice de Paasche, constitui uma restrição não desprezível ao seu
emprego. Além disso, não parece ser possível determinar especificamente o que o índice de
Fischer mede, bem como estabelecer o verdadeiro valor de um Índice perfeito, o qual serviria de
elemento de referência.[ CITATION Fon95 \l 1033 ].

Números Índices Compostos

Os números índices compostos expressam variações no preço, quantidade ou valor de um grupo


de itens. São chamados de agregados simples quando atribuem a mesma ponderação para todos
os itens, desconsiderando a importância relativa de cada um. Já os índices agregados ponderados
atribuem ponderações diferentes para os itens, o que pode permitir dar maior ênfase às variações
em determinado item, sendo a forma mais utilizada.

Os índices compostos mais utilizados são:

 Índice de Laspeyres (época básica): ponderação é feita em função dos preços ou


quantidades do período base. Podem ser calculados índices de preço e quantidade;
 Índice de Paasche (época actual): ponderação é feita em função dos preços ou
quantidades do período “actual”. Podem ser calculados índices de preço e quantidade.

Números Índices Relativos de Ligação

Provavelmente devido à cultura inflacionária existente no Brasil não costumamos encontrar


índices em valores absolutos. É bastante comum nos depararmos com os Números Índices
Relativos de Ligação, que sintetizam as variações económicas entre dois períodos consecutivos,
e para obter os números índices relativos de ligação de um período basta dividir o índice do
período de interesse pelo do período imediatamente anterior.

Os Números - índices compostos são usados para indicar uma variação relativa no preço, na

quantidade ou no valor de um grupo de itens. Os números - índices compostos dividem-se em


dois métodos: O método dos Agregados Ponderados e a Média dos Relativos de Preço.

O método dos agregados ponderados é utilizado para determinar variações de preço para um
grupo de artigos, focalizando somente preços. As variações nas quantidades devem ser
eliminadas.

O método da média ponderada dos relativos é uma alternativa do método dos agregados
ponderados, resultando exactamente às mesmas cifras.

Índices de valores

O índice agregado de valores não tem utilização generalizada como variável económica. No
entanto, já é bastante utilizado pelas empresas nos relatórios financeiros para caracterizar a
performance das vendas. O seu calculo é idêntico ao de um índice de valores simples, para cada
período, multiplicam se as quantidades pelos preços correspondentes a relacionam se com o
período base.
Mas, uma vez que se trata de um índice terá de se somar para o conjunto de todos os bens ou
serviços incluídos na analise.

IV i =
∑ Pi Qi ×100
∑ P0 Q 0
: Formula para o calculo de índice de valores para o período i.

Índices compósitos ou sintéticos

No ponto anterior foram definidos diferentes tipos de índices, todos eles permitindo avaliar a
evolução de um conjunto de valores referentes a diferentes bens ou serviços, valores expressos
na mesma unidade de medida. Por exemplo, um índice de preços de Laspeyres consiste numa
soma ponderada de preços de um conjunto de bens ou serviços.

Um índice compósito permite nos agregar num só valor, itens expressos em diferentes unidades
de medidas. A formula geral para o calculo é a seguinte:

IC i=
∑ X i W × 100
∑ X0 W
Para calcular o índice compósito para o período i.

Em que X i e X 0 são respectivamente, os valorres dos itens para os períodos i e 0, e w as


ponderações fixas a aplicar a cada item.

.Manipulação de números índices

A necessidade de comprar diferentes series de números índices obriga a certo tipo de


manipulação como sejam a mudança do período base, a construção de índices em cadeia ou
ainda, simplesmente, o calculo das alterações percentuais para cada período.
Calculo das alterações percentuais para cada período

Uma serie de números índices permite nos saber, de imediato, quais as alterações em cada
período, mas sempre relativamente ao período base. No entanto, poderá ser mais útil conhecer as
alterações verificadas em relação ao período anterior, o que já não é tão imediato. Para tal, não é
correcto efectuar apenas a subtracção dos valores do índice entre cada dois períodos
consecutivos. É necessário também, relacionar essa diferença com o valor inicial. A mudança
percentual entre os períodos i e i + 1 é imediatamente obtida através da seguinte formula:

Ii + I i
∆= ×100
Ii

: Formula para calcular alteração percentual entre i e i + 1.

Mudança de base

Muitas vezes necessita-se efectuar a mudança de base de um índice de um período para outro,
tendo como objectivo tornar o período - base mais recente, proporcionando uma medida mais
corrente da variação. Outro objectivo pode ser o de tornar comparáveis duas séries com bases
diferentes. Para realizar a mudança de base, exige-se apenas que cada número de série seja
dividido pelo número - índice do novo período - base.

A escolha da base de um número índice é muitas vezes uma tarefa difícil. É preciso escolher um
período relativamente estável, o mais "típico" possível, quando a actividade económica não
estiver sendo afectada por variações estruturais ocasionais.

De qualquer forma, independente do índice, pode ser interessante, ou necessário, mudar a base
de um número índice por duas razões:

 Para actualizar a base, tornando-a mais próxima da realidade actual (por este motivo,
periodicamente se realiza pesquisas de orçamento familiar, com a finalidade de incluir as
mudanças nos hábitos de consumo nas ponderações dos seus índices);
 Para permitir a comparação de duas séries de índices que tenham bases diferentes.
O procedimento é extremamente simples: basta dividir toda a série de números índices originais
pelo número índice do período escolhido como nova base. Isso preservará as diferenças relativas
entre eles.

Deflação de uma série temporal

“As variações de preço, causadas por inflação ou deflação, podem obscurecer as variações de
quantidade”. Isso significa que às vezes o que parece ser um crescimento de vendas, ou aumento
na participação no mercado (por apresentar maior facturação) deve-se mais a flutuações de
preços, ou desvalorizações cambiais, do que realmente a acréscimos nas quantidades vendidas.
Este problema torna-se mais grave se examinamos longas séries temporais, incluindo vários
anos.

É preciso fazer a deflação da série temporal. Em outras palavras, remover o efeito da inflação
nos valores da série temporal, Devemos procurar um número índice apropriado. [ CITATION
Est01 \l 1033 ].

É importante ressaltar que é preciso ter os números índices de base fixa. Se apenas os relativos
de ligação forem disponíveis é necessário aplicar o procedimento visto para obter os números
índices de base fixa.

Independente do deflator (índice) escolhido o procedimento é similar:

Valor original
Valor deflacionado= × 100
Indice
Conclusão

É de concluir que nos números índices faz se uma abordagem geral sobre os preços, valores e
quantidades.

E dizer que muitos tem aplicado a utilização dos números índices sem saber, ,mas são utilizados
nas empresas para dar dados exactos sobre as vendas mensais, semanais, anuais ou em suma
pode se dizer que são temporais.

E dizer que os gestores convivem com essas medidas relativizadas, e dizer que na sua tomada de
decisão, a quantificação e interpretação dos valores e flutuações das agregações de variáveis e
indivíduos que o índice representa se tornam mais intuitivas e de uso mais fácil.

E de referir que o índice não tem unidades, normalmente usamos um individuo, como termo de
comparação, designando se como base do individuo, ao qual normalmente se convenciona
atribuir o valor.
Bibliografia
Reis, E. (2008). Estatistica Descritiva (7 edicao ed., Vol. VII). (S. Lta, Ed.) Lisboa, Portugual:
Silabo Editora.

Estatistica, I. T. Trabalho sobre Indices. Numeros Indices. Instituto Tecnico De administracao


Estatistica, Sao paulo.

Fonseca, J. S., & Luciano, G. (1995). Estatistica aplicada. Sao paulo: Altas Editora.

Martins, G. d. (1981). Principios de Estatististica. Sao Paulo: Atlas.

Ribeiro, C. H. (2011). Problematica dos indices no consumidor. Universidade de Lisboa. Porto:


Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação.

Stevenson, W. J. (1995). Estatística Aplicada à Administração (Vol. III). São Paulo: Harph &
Row do Brasil.

Stevenson, W. J. (1995). Estatística Aplicada à Administração (Vol. III). São Paulo: Harph &
Row do Brasil.