Você está na página 1de 53

PRIMEIROS SOCORROS EM

ANIMAIS SILVESTRES

Universidade Paulista – UNIP


2010

M.V. Ms. Luciana Allegretti


INTRODUÇÃO
Manejo Geral – Aves/
Répteis/ Mamíferos

Contenção – Aves/ Répteis/


Mamíferos

Manejo Nutricional – Aves/


Répteis/ Mamíferos

Primeiros Socorros – Aves/


Répteis/ Mamíferos
ANIMAIS PET
INTRODUÇÃO
 Definições:
 Animal silvestre: todos aqueles animais pertencentes às espécies
nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que
tenham todo ou parte de seu ciclo de vida ocorrendo dentro dos limites
do território brasileiro, ou em águas jurisdicionais brasileiras

 Animal exótico - todos aqueles animais pertencentes às espécies cuja


distribuição geográfica não inclui o território brasileiro e que foram nele
introduzidas pelo homem
MANEJO GERAL - AVES
 Psitacídeos e Passeriformes
 Gaiola (Comedouros/ Bebedouros/ Poleiros)
 Localização da gaiola
 Banho-de-sol
 Hora de dormir
 Aquecimento
 Cuidado em misturar espécies
MANEJO GERAL - RÉPTEIS
 Quelônios e Cágados (Tigre d`agua)
 Recinto (grama/ aquário)

 Animais ectotérmicos
 Aquecimento
 Banhos-de-sol
MANEJO GERAL - MAMÍFEROS
 Lagomorfos e Roedores
 Gaiolas
 Substrato/ Brinquedos
 Banhos-de-sol e água
 Chinchilas – Banhos com pó de mármore
 Separação macho e fêmeas (acasalamento/
agressividade)
CONTENÇÃO - AVES
 Cuidado Bico/ Garras
 Toalha/ Luva de raspa/ Puça
 Verificar estado-geral da ave
 Deixar o peito livre
CONTENÇÃO - RÉPTEIS
 Serpentes – contenção da cabeça
 Ganchos, tubos de acrílico, mãos
 Quelônios – contenção da cabeça
 Cuidado mordidas/ unhadas
 Lagartos– contenção da cabeça
 Cuidado em segurar cauda- caudectomia
 Luvas de raspa
CONTENÇÃO - MAMÍFEROS
 Lagomorfos e Roedores
 Agilidade e rapidez
 Cuidado – mordidas
 MPs fortes e esqueleto frágil
 Gerbil – nunca segurar pela cauda
MANEJO NUTRICIONAL - AVES
 Depende da espécie
 Estudar a biologia do animal

 Alimento disponível o dia inteiro


MANEJO NUTRICIONAL - AVES
Ave Nome Científico Alimentação
Canário – do - reino Serinus canaria granívoro
Pintassilgo Carduelis magellanica granívoro
alleni
Calopsita Nymphicus hollandicus granívoro
Agapornis Agapornis sp. granívoro
Tico-tico Zonotrichia capensis granívoro e insetívoro
Papagaio-verdadeiro Amazona aestiva granívoro, frugívoro e
insetívoro
Sanhaço Thraupis sayaca Frugívoro
Beija-flor Eupetomena macroura Nectívoro
Bem-te-vi Pitangus sulphuratus Insetívoro (onívoro)
Tucano-toco Ramphastos toco Onívoro
EXEMPLO DIETA - AVES:

Psitaciformes e Passeriformes
Rações comerciais indicada para a espécie
Verduras escuras (rúcula/ agrião/ espinafre/ almeirão/ côuve)
Frutas variadas (exceto morango e abacate)
Legumes variados (vagem/ ervilha-torta/ pepino/ milho cozido/
cenoura)
Ovo cozido ou queijo branco sem sal – 1 à 2 vezes por semana
Mistura de sementes às vezes
MANEJO NUTRICIONAL - RÉPTEIS
 Depende da espécie
 Estudar a biologia do animal

 Muitos não se alimentam todos os dias


MANEJO NUTRICIONAL - RÉPTEIS
Répteis Nome Científico Alimentação
Jabuti-piranga Geochelone carbonaria Onívoro
Teiú Tupinambis merianae Onívoro
Tigre d`agua Thrachemys dorbigni Pisívoro
Iguana Iguana iguana Herbívoro
Corn snake Elaphe guttata Carnívora
Jibóia Boa constrictor carnívora
King snake Lampropeltis triangulum Carnívora (ofiófaga)

Leopardo Gecko Eublepharis macularius insetívoro


EXEMPLO DE DIETA – RÉPTEIS:
Jabutis Tigre d`agua
Verduras escuras (rúcula/ agrião/ Rações específicas para Tigre d`água
espinafre/ mostarda/ salsa/ salsão/
brócolis/ folha de beterraba)
Legumes (feijão branco e verde/ Peixe ou carne moída crua – uma vez a
lentilhas/ milho/ cenoura/ pepino/ cada 15 dias
tomate/ vagem/ beterraba/ batata-doce)
Frutas (uva/ maça/ pêra/ mamão/ Ração com Gammarus (camarãozinho)
banana/ melão/ manga/ abacate/
morango/ figo)
Ração para Jabuti
Carne moída crua/ Ovo cozido com
casca/ minhoca e larvas de tenébrio – 1
vez por semana
Pétala de rosa/ flor de ibisco e ipê-
amarelo
MANEJO NUTRICIONAL - MAMÍFEROS
 Depende da espécie
 A dentição diz muito
 Estudar a biologia do animal
MANEJO NUTRICIONAL - MAMÍFEROS
Mamíferos Nome Científico Alimentação
Hamster-sírio Mesocricetus auratus Herbívoro e granívoro
Esquilo-da-mongólia Meriones unguiculatus Granívoro e Frugívoro
Chinchila Chinchilla lanigera Herbívoro e granívoro
Porquinho-da-Índia Cavea porcellus Herbívoro
Coelhos Oryctolagus sp. Herbívoro (frugívoro)
Ferret Mustela putorius furo Carnívoro
Bugio Alouatta guariba Herbívoro
Sagui-de-tufo-branco Callithrix jacchus Onívoro e gumívoro
EXEMPLO DE DIETA – MAMÍFEROS:

Hamster Coelho Ferret


Ração para Hamster Verduras escuras Ração para Ferret
(folha de bananeira/
capim/ rúcula/ agrião/
espinagre)
Sementes (milho/ Alfafa/ feno/ aveia Ração de gato
amendoim/ girassol/
aveia/ alpiste)
Verduras escuras Frutas desidratadas
Frutas (maça/ uva/ Cenoura/ pepino/
banana/ pêra) vagem/ ervilha-torta
Frutas secas Ração para coelho
PRIMEIROS SOCORROS - AVES

 Problemas mais comuns:

 Traumatismos
 Acidentes domésticos
 Fraturas

 óleo

 queda peito

 fratura canhão de pena


PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Traumatismos
 Acidentes domésticos
 Fraturas
 Passeriformes: membros inferiores - região de
tibiotarso/tarsometarso
 Psitaciformes: papagaios (Amazona) em membros
superiores (úmero , rádio-ulna) e inferiores (fêmur –
tibiotarso)
 Principais causas:
 Fraturas patológicas
 Quedas de gaiola
 Predadores
 Uso de correntes/ anilhas.
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 O que fazer?
 Alinhar o membro com extremo cuidado!
 Imobilizar com bandagens e talas feitas com
“palitos/canudinhos” e ataduras
 Pequenos pássaros - não imobiliza-se o fêmur
 Medicamento para dor:
 Dipirona/ AAS/ Arnica montana 12CH glóbulos
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Traumatismos
 Acidentes domésticos
 Queimaduras (óleo quente/ frio)
 Óleo frio: lavar com água morna/detergente neutro e

secar com secador


 Óleo quente: lavar com água morna/ detergente neutro –

levar ao veterinário.
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Traumatismos
 Acidentes domésticos
 Lesão na região da quilha

 O que fazer?
 Limpeza do local – SF/ Clorexidina/ Iodo-povidine
 Arnica montana 12 CH glóbulos

 Colar elizabethano
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Traumatismos
 Acidentes domésticos
 Fratura canhão de pena

 O que fazer?
 Arrancar o canhão de pena
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Retenção de ovos
 Alimentação inadequada
 níveis Ca
 Posturas recorrentes

 O que fazer?
 Homeopático – Pulsatilla 12 CH góbulos
 Aquecimento do animal, lubrificação da cloaca,

suplementação de Ca na dieta

 Não botou:
 Ocitocina

 Cirúrgico
PRIMEIROS SOCORROS - AVES
 Retenção de ovos
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
 Traumas
 Carapaça e plastrão
 Mordidas de animais (cães, gatos, ratos), quedas e
atropelamentos

 O que fazer?
 Contenção da hemorragia – pressionar o ferimento
 Aquecimento do animal

 Limpeza do local SF, anti-séptico, pomadas e bandagens


cicatrizantes
 Casos graves – reposição de fluidos, antibióticos e
antiinflamatórios
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
 Dermatites por queimaduras
 Termostato desajustado
 Geralmente localizadas na região ventral ou dorsal

 O que fazer?
 Limpeza e debridamento do local
 Pomada à base de antibiótico e antiinflamatório

 Aquecimento com cautela

 Banhos com água morna


PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
 Prolapso de pênis, hemipênis ou oviduto
 Causas:
 Desnutrição
 Infecções bacterianas e fúngicas

 Constipação

 Separação forçada no momento da cópula

 O que fazer?
 Umidecer e limpar SF
 Tentar reduzir com extremo cuidado

 Aquecimento do animal
PRIMEIROS SOCORROS - RÉPTEIS
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Estresse pelo calor
 Coelhos e Roedores
 Fatores predisponentes:
 Não conseguem transpirar o suficiente

 Temp. ambiental acima de 28°C

 Umidade acima de 70%

 Espessa camada de pêlos

 Obesidade

 Água insuficiente

 Superpopulação
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Estresse pelo calor
 SC:
 Respiração acelerada
 Prostração

 Vasodilatação periférica orelhas e patas quentes


 Cianose

 Convulsões e narinas úmidas

 Primeiros Socorros:
 Tirar o animal do calor
 Colocá-lo próximo à objetos frios – garrafa de água gelada,
gelo e ventilador
 Umidecer as orelhas e os coxins dos membros
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Fraturas
 Coelhos e Roedores
 Musculatura forte e ossos frágeis
 Quedas, saltos e pisões

 Membros posteriores e coluna vertebral

 O que fazer?
 Membros torácicos ou pélvicos
 Imobilizar o local com bandagens e ataduras

 Cuidado estresse pelo calor!

 Dipirona – 1 gota por kg.


PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS

 O que fazer?

 Coluna cervical
 Extremo cuidado na manipulação
 Tentar manter o animal estável, apoiado sobre uma
superfície reta (tábua/ caixa/ gaiola)
 Levar ao Méd. Vet. o quanto antes!
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Maloclusão dentária
 Roedores e Coelhos
 Crescimento contínuo dos dentes
 Roedores – 1 incisivo
 Coelhos – 2 incisivos

 Causas predisponentes:
 Maloclusão

 Alimentação inadequada

 Hereditário

Fecchio et al., 2007


PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Maloclusão dentária
 SC:
 Perda de peso
 Anorexia

 Ptialismo

 Hipercrescimento dos incisivos

 Corrimento óculo-nasal

 Exoftalmia

 Abcesso facial
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 O que fazer?

 Casos brandos:
 Odontossecção dos incisivos
 Corrigir a alimentação

 Caso o animal não volte a se alimentar – ofereça alimentos


macios/ papinhas.
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
 Prolapso retal em roedores
 Causas predisponentes:
 Distocias
 Neoplasias

 Corpo-estranho

 Tenesmo (altamente parasitado)

 Diarréia

 O que fazer:
 Mucosa íntegra – avermelhada/ brilhante
 Reduzir o prolapso (óleo mineral)

 Mucosa edemaciada – solução hipertônica de açúcar

 Comum recidiva
PRIMEIROS SOCORROS - MAMÍFEROS
TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES
• Dados:
• 12 milhões animais/ ano
• 159 sp ameaçadas de extinção (MMA 22/05/2003)
• 42 sp no Estado de SP

• Causas:
 Retirada de animais
 Caça
 Destruição: mata atlântica 94% destruída
TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES
TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES
TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES
Obrigada!!!