Você está na página 1de 218

QUAIS

SÃO E COMO RESOLVER AS PRINCIPAIS DÚVIDAS


FARMACOTÉCNICAS RECORRENTES NAS FARMÁCIAS
Compro base pronta ou produzo minha própria base?

•  Grandes quan+dades de ácidos;


•  Grandes quan+dades de princípios a+vos na mesma formulação;
•  Necessidade de agradar o cliente – sensorial;
•  Manter as caracterís+cas dos a+vos;


BASE FORMULADA CORRETAMENTE
MENOR POSSIBILIDADE DE RECLAMAÇÃO DO CLIENTE

•  Não separa com facilidade;


•  Pode ser deixada em local quente por mais tempo;
•  Garante maior estabilidade.


EQUIPAMENTOS
Minha formulação está separando fase

Baixa homogeneização Após a homogeneização


IMPORTÂNCIA DA AGITAÇÃO NO PREPARO DE EMULSÕES

SEPARAÇÃO DE
SEPARAÇÃO DE
FASES EM
FASES EM FUNÇÃO
FUNÇÃO DA
AGITAÇÃO
DA AGITAÇÃO
INADEQUADA INADEQUADA
GoTculas dispersas de emulsões
FISATON MODELO 713D

EIXO DE ALTO TORQUE

EIXO DE ALTO VELOCIDADE (até 5.000 RPM)


IKA MODELO RW20 DIGITAL
IKA EUROSTAR 60

Ideal para produção


de até 5 kg de produto
FISATON MODELO 722

Ideal para produção


de até 5 kg de produto
TIPOS DE HÉLICE

HÉLICE CENTRÍFUGA PARA


HOMOGENEIZAÇÃO

Uelizar em preparações de Cremes,
loções e géis.

HÉLICE NAVAL PARA HOMOGENEIZAÇÃO
Não indicada para cremes viscosos.
HÉLICE de
CISALHAMENTO

Ideal para evitar
formação de grumos
causado por polímeros

HÉLICE para evitar formação de espuma
Uelizar em preparações de shampoos e sabonetes líquidos.
Uelizar no processo de resfriamento de emulsões.



BATEDEIRA BASCULANTE


BRAÇADEIRA
CHAPA DE AQUECIMENTO DE PORCELANA
MARCA MICRONAL
QUAL E MELHOR BASE PARA...
EXEMPLO DE PRESCRIÇÃO

Que base utilizar???


RELAÇÃO pH / CARGA DA EMULSÃO

pH ácido
H
pH alcalino OH

Aniônico polaridade

Ca+ônico polaridade

Não iônico polaridade


CREME LANETTE
FASE COMPONENTES INCI CONCENTRAÇÃO (%)
1 ÁGUA AQUA QSP 100
1 EDTA NA2 DISODIUM EDTA 0,100
1 GLICERINA GLYCERIN 3,000
2 ARISTOFLEX AVC AMMONIUM ACRYLOYLDIMETHYLTAURATE/VP COPOLYMER 0,500
4
3 PELEMOL IN 2
JAGUAR HP 105 ISONONYL ISONONANOATE
HYDROXYPROPYL GUAR 3,000
1,000
4 EMULIUM DELTA CETYL ALCOHOL (AND) GLYCERYL STEARATE (AND) PEG-75 STEARATE (AND) CETETH-20 5,000
(AND) STEARETH-20
4 LANETTE N CETEARYL ALCOHOL (AND) SODIUM CETEARYL SULPHATE 2,000

4
FASE TINOGARD TT
COMPONENTES PENTAERYTHRITYL TETRA-DI-T-BUTYL HYDROXYHYDROCINNAMATE
INCI 0,100
CONCENTRAÇÃO (%)
5 XIAMETER PMX - 245 CYCLOPENTASILOXANE 10,00
5 DC 9040 CYCLOPENTASILOXANE (AND) DIMETHICONE CROSSPOLYMER 5,000
6 DRY FLO ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE 5,000
7 OPTIPHEN PHENOXYETHANOL (AND) CAPRYLYL GLYCOL 0,850
ESTOU PRODUZINDO CORRETAMENTE?
Farmacotécnica
1: Solubilizar o EDTA Dissódico e a Glicerina na Água Des+lada. Adicionar o Aristoflex AVC e aguardar
hidratação. Em seguida, aquecer conteúdo até 75 - 80°C;
Iniciar agitação e adicionar aos poucos o Jaguar HP105 até formação de gel homogêneo.

2: Pesar todos os componentes da Fase 4 e aquecer até 75 - 80°C;

3: Iniciar agitação da fase 1 até obter gel homogêneo. Verter 4 sobre a Fase 1 e homogeneizar sistema
sob agitação de 2000 - 3000 rpm por 5 minutos;

4: Resfriar o sistema.

5: Adicionar os demais componentes na ordem indicada e homogeneizar sistema sob agitação de
1500 rpm.

6: Ajustar o peso final com Água Des+lada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 - 2000 rpm
por 3 minutos.
A TEMPERATURA DA EMULSÃO ESTÁ ABAIXO DE
70°C ?

Se ocorrer alta agitação no momento da formação da


emulsão em baixa temperatura pode ocorrer
formação de bolhas de ar.

Resultado: creme aerado.
AROMATIZADOR DE AMBIENTE
AROMATIZADOR DE AMBIENTE

AROMATIZADOR DE VARETAS

Componente Concentração (%)
Essência ou óleos essenciais....................................10 - 20
Água des+lada................................................................10
Op+phen...........................................................................1
Tween 80..........................................................................2
BHT..............................................................................0,05
Álcool de cereais qsp....................................................100
Corante...........................................................................qs


AROMATIZADOR DE AMBIENTE
Modo de preparo:
· Em um cálice limpo e com capacidade adequada, misturar o álcool e
BHT.
· Adicionar o Op+phen e homogeneizar;
· Solubilizar a essência no Tween 80 e adicionar ao passo anterior;
· Adicionar água;
· Homogeneizar e embalar.


Importante lembrar: a fragrância é lipossolúvel e necessita de um
an+oxidante lipoulico, como o Tinogard TT ou BHT. Ainda vale ressaltar que
o uso de um filtro solar na formulação como a Benzofenona 4 a 0,5% é
importante para protegê-la contra os raios ultravioletas e evitar a possível
perda de cor do produto.
ÁCIDO TIOGLICÓLICO
ÁCIDO TIOGLICÓLICO

Gel com ácido eoglicólico 10 – 20%



Ácido +oglicólico............................1,5 – 3 g
Propilenoglicol...............................10 g
Goma xantana................................0,3 g
Água des+lada qsp.........................15 g


Indicações: hiperpigmentações de membros inferiores desencadeadas por
insuficiência venosa, derma+te ocre de estase.

ÁCIDO TIOGLICÓLICO

Também é usado como peeling para hipercromias periorbitais na


concentração de 10%, aplicado em 5 sessões com intervalo de 15 dias entre as
sessões.

Serum com ácido +oglicólico 2,5%

Ácido Tioglicólico..................................2,5 %
Serum qsp.............................................10 mL


Minimizar o odor

•  Neutrex (henrifarma)

•  Óleo essencial

•  Nano Tioglicólico 2,5 – 5%


VEÍCULO TRANSDÉRMICO ÁLCOOL FREE
VEÍCULO TRANSDÉRMICO ÁLCOOL FREE
Fase Componentes INCI Name Concentração (%)
1 Aristoflex AVC Ammonium Acryloyldimethyltaurate/VP Copolymer 2,5
2 Transcutol® CG Ethoxydiglycol 10,0
2 Propilenoglicol Propylene glycol 5,0
2 Op+phen Phenoxyethanol and Caprylyl Glycol 1,0
1 Agua Aqua Qsp

Modo de Preparo

FASE 1: Adicione o Aristoflex AVC na água sob constante agitação até formação do gel.

FASE 2: Pesar os ingredientes da FASE 2, homogeneizar, e então verter sobre a FASE 1,
homogeneizando.

Como faço Solução Micelar de Limpeza?
Solução Micelar de Limpeza
Solução Micelar de Limpeza
Fase Componente INCI % Função

1 Água Purificada Aqua Qsp 100 Solvente

1 EDTA Na2 Dissodium EDTA 0,10 Quelante

2 Solubilizante LRI PPG-26 Buteth-26 (and) PEG-40 Hydrogenated castor oil (and) Water 0,50 Solvente

3 Pelemol G7-A Glycereth-7 Triacetate 15,00 Solvente

4 Glicerina Glycerin 2,00 Umectante

5 Spectrastat Caprylhydroxamic acid (and) caprylyl glycol (and) glycerin 0,80 Umectante

6 Neurobiox Water / Butylene Glycol / Pentylene Glycol / Achillea Millefolium / Xanthan 1,00 A+vo (comunicação
Gum celular)

6 Hyalufix Alpania Galanga Extract, Caprylic/Capric Triglyceride, Butylene Glycol, 1,00 A+vo (síntese de
Xanthan Gum, Water, Pentylene Glycol ácido hialurônico)
Solução Micelar de Limpeza
Preparo:

•  Em recipiente adequado, adicionar os componentes na ordem descrita sob
agitação constante.




EXTRATO DE QUILLAJA
INCI: QUILLAJA SAPONARIA BARK EXTRACT

§  Muito compáTvel com a pele.


§  Ação hidratante
§  Indicado para Espumas e lenços umedecidos.
§  Controle da acne.
§  Controle da caspa.

Uso: 1 a 3% em espumas.
Solução Micelar de Quillaja
CONCENT Função
FASE MATÉRIA PRIMA INCI NAME
RAÇÃO (%)

1 ÁGUA AQUA QSP 100,00 Solvente

DISODIUM EDTA Quelante


2 EDTA NA2 0,100
GLYCERIN Umectante
2 GLICERINA 2,500
QUILLAJA SAPONARIA EXTRACT Solvente
3 QUILLAJA 2,000

4 ESSENCIA PARFUM 0,200 Perfume

4 SPECTRASTAT CAPRYLHYDROXAMIC ACID (AND) CAPRYLYL GLYCOL (AND) GLYCERIN 0,800 Conservante

4 TWEEN 80 POLYSORBATE 80 2,000 Solubilizante


Solução Micelar de Quillaja
Preparo:

Em um recipiente adequado adicionar componentes da Fase 1.
Adicionar uma a uma as demais fases e homogeneizar na velocidade de 300 –
500RPM.
Importante: preparar a fase 4 em outro recipiente, homogeneizar bem e depois
adicionar ao sistema principal.
Acertar o pH= 6,0 – 7,0.




Demaquilante Bifásico Oil free

Industrializado Manipulado
Demaquilante Bifásico Oil free
Fase Componente INCI % Função

1 Água Purificada Aqua Qsp 100 Solvente

1 EDTA Na2 Dissodium EDTA 0,10 Quelante

1 Nikkoguard 88 Ethylhexylglycerin, Glyceryl Caprylate 0,80 Umectante


2 DC 245 Cyclopentasiloxane 20,00 Espalhabilidade

2 Vitamina E Oleosa Tocopherol Acetate 3,00 Solvente

Processo:
A- Incorporar a Fase 1 e a Fase 2 separadamente.

B- Dispersar a Fase 1 na Fase 2 sem agitação..
Água Dermatológicas
Diferenciais

•  Não é termal

•  Rica em minerais

•  Tratamento adjuvante na dermaBte atópica

•  Hidratante
SHAMPOO SULPHATE-FREE
FASE MATÉRIA-PRIMA INCI NAME CONCENTRAÇÃO (%)
1 ÁGUA AQUA/WATER QSP 100,000
1 CARBOPOL AQUA POLYACRYLATE-1 CROSSPOLYMER 12,500
1 POLÍMERO JR 5 POLYQUATERNIUM-10 5,000
1 TRIETANOLAMINA TRIETHANOLAMINE QS
2 AMISOFT ECS 22 DISODIUM COCOYL GLUTAMATE 12,000
2 SENSACTIVE L-30 SODIUM LAUROYL SARCOSINATE (30%) 12,500
2 COCO AMIDO PROPIL BETAÍNA COCAMIDOPROYL BETAINE 3,000
2 OLIVEM 400 SODIUM PEG-7 OLIVE OIL CARBOXYLAT 5,000
3 OPTIPHEN PHENOXYETHANOL AND CAPRYLYL GLYCOL 1,000

Modo de Preparo
•  Em um recipiente compa€vel adicionar Fase 1 e homogeneizar.
•  Realizar a neutralização da Fase 1 (pH = 7)
•  Em um recipiente adequado adicionar sequencialmente os componentes da Fase 2 e homogeneizar
lentamente.
•  Sobre a fase 1 verter a fase 2, e homogeneizar lentamente.
•  Adicionar as demais fases e homogeneizar.
•  Ajustar o pH= 7,0.
CREME / GEL CLAREADOR PARA AXILA E VIRILHA

Creme clareador com alfa bisabolol e alfa arbuen:



Componente Concentração
Alfa bisabolol 1%
Alfa arbu+n 2%
Glicerina vegetal 5%
Creme base ou gel qsp 100%

Aplicar no local 2 vezes ao dia

CREME / GEL CLAREADOR PARA AXILA E VIRILHA

Gel com ácido glicólico e ácido salicílico:



Componente Concentração
Ácido glicólico 5%
Ácido salicílico 2%
Gel base qsp 100%

pH 3,5

Aplicar no local à noite

CREME / GEL CLAREADOR PARA AXILA E VIRILHA

Creme Clareador para Hiperpigmentação Axilar



Niacinamida PC __________________________ 4%
Desonida _______________________________ 0,05%
Creme olivem ____________________________ Qsp

Aplicar uma vez ao dia no período da noite

A niacinamida reduz a transferência de melanossomas pelos melanócitos
para os quera+nócitos circundantes. Um estudo mostrou que a
niacinamida a 5% promoveu de 35% a 68% de inibição na transferência de
melanossomas.

BASE COM COR PARA PEELING DE ÁCIDO RETINÓICO
BASE COM COR PARA PEELING DE ÁCIDO RETINÓICO

Componente Concentração

Ácido re+noico........................ X%
Propilenoglicol....................... 25%
Vitacolor AR........................... 30%
DC 9040.................................. 5%
Tween 80 ............................... 2%
DC 245.................................... qsp 100%

Coloque e+queta “agite antes de usar”

Vita Color AR (dispersar em glicerina ou propilenoglicol).

Peeling de Ouro
Ácido Re+nóico ….............................10%
Curcumina...................................0,01%
Mica Bonze…....................................2%
PASTA DE ATA
Pasta suspensa de ATA
FASE COMPONENTE CONCENTRAÇÃO
1 Água des+lada qsp
1 ATA 20%
1 Óxido de zinco 2%
1 Silicato de alumínio e magnésio (Veegun ultra) 30%
2 Glicerina 5%
2 Sorbitol 70% 5%

Modo de Preparo
· Misturar os componentes da fase 1 na ordem indicada. Dispersar até completa
homogeneização;
· Adicionar os componentes da fase 2 e homogeneizar;
· Medir o pH final.

OBS: pH a 25°C: 0,1 – 0,5
Verificar o pH com o prescritor

EMULSÕES RESISTENTE A ADIÇÃO DE ATIVOS

Como fazer um Creme Não Iônico com
Cristais líquidos
EMULSÃO O/A NÃO IÔNICA / CRISTAIS LIQUIDOS
Resistência a ácidos: alta
FASE COMPONENTES INCI CONCENTRAÇÃO (%)

1 ÁGUA AQUA QSP 100


1 EDTA NA2 DISODIUM EDTA 0,100
1 GLICERINA GLYCERIN 3,000
2 ARISTOFLEX AVC AMMONIUM ACRYLOYLDIMETHYLTAURATE/VP COPOLYMER 0,500
3 JAGUAR HP 105 HYDROXYPROPYL GUAR 1,000
4 PELEMOL IN 2 ISONONYL ISONONANOATE 3,000
4 EMULIUM DELTA CETYL ALCOHOL (AND) GLYCERYL STEARATE (AND) PEG-75 STEARATE (AND) 7,000
CETETH-20 (AND) STEARETH-20
4 TINOGARD TT PENTAERYTHRITYL TETRA-DI-T-BUTYL HYDROXYHYDROCINNAMATE
5 XIAMETER PMX - 245 CYCLOPENTASILOXANE 10,00
5 DC 9040 CYCLOPENTASILOXANE (AND) DIMETHICONE CROSSPOLYMER 5,000
6 DRY FLO ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE 5,000
7 OPTIPHEN PHENOXYETHANOL (AND) CAPRYLYL GLYCOL 0,850
FARMACOTÉCNICA
1: Solubilizar o EDTA Dissódico e a Glicerina na Água Des+lada. Adicionar o Aristoflex AVC e aguardar
hidratação. Em seguida, aquecer conteúdo até 75 - 80°C;
Iniciar agitação e adicionar aos poucos o Jaguar HP105 até formação de gel homogêneo.

2: Pesar todos os componentes da Fase 4 e aquecer até 75 - 80°C;

3: Iniciar agitação da fase 1 até obter gel homogêneo. Verter 4 sobre a Fase 1 e homogeneizar sistema
sob agitação de 2000 - 3000 rpm por 5 minutos;

4: Adicionar os demais componentes na ordem indicada e homogeneizar sistema sob agitação de
1500 rpm.

Ajustar o peso final com Água Des+lada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 - 2000 rpm
por 3 minutos.
AUMENTANDO CREMOSIDADE SEM IMPACTAR NO CUSTO

Emulium Delta Cetyl Alcohol (and) Glyceryl Stearate 3,00


(and) PEG-75 Stearate (and) Ceteth-20 CRISTAL
(and) Steareth-20 LÍQUIDO

U+lizar ceras autoemulsionantes que formam cristais líquido auxilia a


atender as prescrições com este +po de qsp.
Em baixa quan+dade não ocorrerá formação de micro espuma.

Álcool ceelico Cetyl Alcohol 1,50

U+lizar ceras espessantes de baixo custo aumentam a cremosidade.


AÇÃO DETERGENTE E CONSEQÜENTE DESIDRATAÇÃO ;
FOAMING EFFECT;

Causado por quan+dade em


excesso da ceras ou ceras
autoemulsionantes

U+lizar silicones para re
OUTROS FORMADORES DE LC

Montanov-L INCI: C14-22 Alcohols and C12-20 Alkylglucoside.



Montanov 202 INCI: Arachidyl Alcohol & Behenyl Alcohol
& Arachidylglucoside.

Base Cristal LV INCI: Glyceryl stearate, cetearyl alcohol, stearic acid, sodium
cocoyl glutamate.

Emulium® Delta INCI: Cetyl Alcohol, Glyceril Stearate, PEG-75 Stearate;
Ceteth-20; Steareth-20.

Oliwax® LC INCI: Cetyl Palmitate, Sorbitan Palmitate, Sorbitan Olivate.

Olivem ® 1000 INCI: Cetearyl Olivate/Sorbitan Olivate.
POLÍMEROS

Sinônimos: geleificantes, gel, espessante de fase aquasa



Como saber qual polímero é sinté+co ou vegetal?

Sintéeco Vegetal
Carbopol Amidos – “Starch”
Possui no INCI os termos acrylates, Gomas
acryloyl, polyacrylate.

Celuloses
ATENÇÃO AO POLÍMERO DA SUA FORMULAÇÃO

QUAL pH ELE É COMPATÍVEL?

Aristoflex AVC Ammonium Acryloylodimethyltaurate/VP 0,70


Copolymer

Agentes geleificantes sinsté+cos com tolerância a extremos de pH


possibilitam maior adição de a+vos.
PICK UP

Goma Xantana Xanthan Gum 0,30

Agentes geleificantes naturais como a Goma Xantana aumentam o Pick up,


além de ter alta tolerância a extremos de pH.
POLÍMEROS SINTÉTICOS vs NATURAIS

Uelização de polímero natural para


Causado por excesso ou falta dos
melhor aspecto da formulação
agentes geleificantes corretos
CUIDADO COM O EXCESSO DOS AGENTES GELEIFICANTES

•  Tacky – pegajosidade
•  Rolling
•  Baixo Pick up
COMO ESCOLHER O GELEIFICANTE DA
FORMULAÇÃO?

pH 2,0 a 6.5
pH 1,0 Jaguar HP 105 Carbopol
Farmal GMS 2193 Pemulen
Veegum Ultra Natrosol
Goma Xantana
Incompa€vel com ácidos

pH 3,5 a 6.5

Aristoflex AVC
GEL DE PREPARO RÁPIDO PARA ADIÇÃO DE
ÁCIDOS
GEL DE PREPARO RÁPIDO
Resistência a ácidos: ALTA

Fase Componente INCI % Função

2 Farmal GSM 2143 Hydroxypropyl Starch Phosphate 6,5 Geleificante

2 Glicerina Glycerin 1,50 Umectante

2 Água Purificada Aqua 86,25 Veiculo

3 Opephen Phenoxyethanol (and) Caprylyl Glycol 0,75 Conservante


GEL DE PREPARO RÁPIDO
Resistência a ácidos: ALTA

Fase Componente INCI % Função

2 JAGUAR HP105 HYDROXYPROPYL GUAR 1,5 Geleificante

2 Glicerina GLYCERIN 1,50 Umectante

2 Água Purificada AQUA 86,25 Veiculo

3 Op+phen PHENOXYETHANOL (AND) CAPRYLYL 0,75 Conservante


GLYCOL

UMECTAR O JAGUAR HP 105 EM GLICERINA OU PROPILENOGLICOL.


Geleificante fase Aquosa Cera Fase Oleosa

HIDRAFRESH CREMOSIDADE

PEGAJOSIDADE MICROESPUMA
CORREÇÃO DE SENSORIAL
Emulsão com toque nutrievo:
Adicionar silicone DC 2010 ou DC 200/350

Deixa com sensorial mais emoliente e com sensação de pele hidratada.


EMULSÃO COM TOQUE SECO:

Baixo custo: Dry Flo, Farmal 3650 e Tapioca Pure





Custo elevado, Sensorial aveludado: Marshmallow Powder, Glass Bubble, DC
9701

Associar Ex:
Tapioca 7% +
Marshmallow powder 2%
Melhorar espalhabilidade e reduzir tacky:
Adicionar silicone voláel, Dimeecone de
baixa viscosidade.
Uelizar sistemas de preparo rápido para
corrigir viscosidade
•  Durante a adição de a+vos na base da farmácia pode ocorrer perda da
viscosidade.
•  Deve-se corrigir a viscosidade com as emulsões de preparo rápido.
•  Permite formular bases com sensorial diferenciado;
•  O+mização dos processos de fabricação;
•  Formulados com matérias-primas que quando adicionadas em água
formam instantaneamente a base.
•  As bases podem ser resistentes à extremos de pH ou não.
CORREÇÃO DE VISCOSIDADE
Simulgel NS

INCI: Hydroxyethyl Acrylate/Sodium Acryloyldimethyl Taurate Copolymer (and)


squalane (and) polysorbate 60
•  Polímero emulsionante, espessante e estabilizante para emulsões e géis
cremes;
•  Promove textura e sensorial diferenciado;
•  Pronto para uso de fácil u+lização;
•  Compa€vel com ácidos;
•  Concentração de uso: 0,5% a 5%
VANTAGENS

Fácil de preparar, não necessita de neutralização;


•  Ideal para componentes sensíveis ao calor;
•  Estabiliza emulsões;
•  Capacidade de espessamento na presença de solventes;
•  Capacidade de espessamento na presença de eletrólitos;
•  Alta estabilidade a extremos de pH.


CORREÇÃO DE VISCOSIDADE +
ESPALHABILIDADE +
TOQUE SECO
CORREÇÃO DE VISCOSIDADE + TACKY FREE + TOQUE SECO

FASE COMPONENTE INCI % FUNÇÃO

1 SIMULGEL NS HYDROXYETHYL ACRYLATE/SODIUM 38,00 ESPESSANTE


ACRYLOYLDIMETHYL TAURATE
COPOLYMER (AND) SQUALANE (AND)
POLYSORBATE 60
1 XIAMETER PMX - 245 CYCLOPENTASILOXANE 39,00

1 DC 5225 CYCLOPENTASILOXANE (AND) PEG/ 18,00


PPG-18/18. DIMETHICONE
1 DRY FLO ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE 18,00

AGITE ANTES DE USAR


UTILIZANDO SISTEMAS DE PREPARO
RÁPIDO PARA FORMULAR
CREME DE ÁCIDO GLICÓLICO

Fase Componente INCI % Função

1 ÁCIDO GLICÓLICO GLYCOLIC ACID QSP A+vo


100
2 SIMULGEL NS Hydroxyethyl Acrylate/Sodium 4,00 Espessante
Acryloyldimethyl Taurate Copolymer
(and) squalane (and) polysorbate 60
Gel creme de Uréia 40%

Fase Componente INCI % Função

1 Uréia Urea 40,00 A+vo

1 Água Purificada Aqua Qsp Veiculo


100
2 SIMULGEL NS Hydroxyethyl Acrylate/Sodium 3,00 Espessante
Acryloyldimethyl Taurate Copolymer
(and) squalane (and) polysorbate 60

4 Neolone PE Phenoxyethanol and 0,45 Conservante


Methylisothiazolinone
5 Ácido salicílico Salycilic Acid 4% A+vo

5 Propilenoglicol Propylene glycol 9% Solvente


ADIÇÃO DE ATIVOS EM EMULSÕES
ADIÇÃO DE ATIVOS EM EMULSÕES

Verificar solubilidade do a+vo



•  Hidrossolúveis
•  Lipossolúveis
•  Insolúveis
Adição de aevos em emulsões

•  Dissolver em água em temperatura ambiente ou aquecida no caso de a+vos que


suportam aquecimento;

•  Em casos de solubilização a quente, resfriar o sistema antes de adicionar ao


veículo para avaliar se ocorreu recristalização.

Cuidado! Nem todas as matérias primas podem ser aquecidas!


Como evitar a recristalização da cafeína

Cafeína 6%

Benzoato de sódio 0,50

Ácido salicílico 2,00

VPQ 108 GL Qs para pH 6,50


Aevos Lipossolúveis

•  Dissolver em propilenoglicol em temperatura ambiente ou
aquecido no caso de a+vos que suportam aquecimento;
•  Para filtros solares orgânicos u+lizar ésteres.
•  Em casos de solubilização a quente, resfriar o sistema antes de
adicionar ao veículo para avaliar se ocorreu recristalização.
Solubilidade de Aevos

Insumo Solubilizante
Alantoìna Água quente
Cânfora Álcool
Acetato de Alumínio Água
Acetato de Hidrocor+sona Propilenoglicol
Ácido Benzoico Água quente
Ácido Cítrico Água
EDTA Dissódico Água quente
Ácido Salicílico Propilenoglicol, Álcool
Ácido Tricloroacé+co Água
Benzoato de Sódio Água
Betametasona Propilenoglicol
Borato de Sódio Água quente
Capsaicina Álcool
Cetoconazol Água acidificada
Citrato de Sódio Água
Cloreto de Alumínio Água
Solubilidade de Aevos

Insumo Solubilizante
Cloreto de Benzalcônio Água
Clotrimazol Propilenoglicol e Álcool
Hidrocor+sona Propilenoglicol e Álcool
Halcinonida Álcool e Éter
Econazol Água e Propilenoglicol
Enxofre Dispersível em Propilenoglicol
Gentamicina Água
Hidroquinona Propilenoglicol
Iodo Água (com Iodeto de Potássio) e Álcool
Lidocaína Propilenoglicol e Álcool
Mentol Álcool
Me+lparabeno Água quente
Metronidazol Propilenoglicol
Minoxidil Sulfato Água
Minoxidil Base Álcool + Propilenoglicol
Nico+nato de Me+la Propilenoglicol
Solubilidade de Aevos
Componentes Onde solubilizar

Nitrato de Prata Água


Peróxido de Benzoíla Fazer solução a 50% com Etoxidiglicol.
Aquecer em banho-maria com Etoxidiglicol a 45°C. Em
seguida homogeneizar sistema e armazenar em vidro âmbar.
Pilocarpina Água, Propilenoglicol e Álcool
Permanganto de Potássio Água quente
Piroxicam Propilenoglicol
Propilparabeno Óleos
Resorcina Água, Propilenoglicol e Álcool
Salicilato de Me+la Propilenoglicol, Álcool e Óleos
Sulfadiazina de Prata Propilenoglicol
Sulfato de Zinco Água
Sulfeto de Selênio Componente Insolúvel. U+lizar sempre na forma de
suspensão (u+lizar agente suspensor).
Timol Propilenoglicol e Álcool
Ureia Água
Filtros Solares Lipossolúveis

Insumo Solubilizante
Tinosorb S
Uvinul T-150
1º opção: Filtros Líquidos (Parsol MCX)
Uvinul A-Plus
2º opção: Óleos e Ésteres (sob aquecimento)
Benzofenona 3
Incorporação de Aevo

Manipular Creme Base com Ácido Salicílico.

Materiais Matéria-Prima
Béquer Ácido Salicílico
Espátula de metal Propilenoglicol
Béquer de 250g
Pipeta Descartável Creme Base
Incorporação de Aevo
Creme Base com Ácido Salicílico.

Dica: na indústria o ácido salicílico está completamente


solúvel.
Incorporação de Aevo

Procedimento:

A - Em um béquer, adicionar 2 gramas de Ácido Salicílico e solubilizar em solvente
adequado. Em seguida adicionar 5 g de propilenoglicol, e homogeneizar lentamente, com
o auxílio de uma espátula, até total solubilização do componente sob aquecimento;

B - Incorporar o Ácido Salicílico solubilizado no Creme Base e homogeneizar sistema.
Em seguida dispensar conteúdo em embalagem adequada.
MICROSCOPIA DE CRISTAIS DE ÁCIDO SALICILICO
FILTROS SOLARES HIDROSSOLÚVEIS

Insumo Solubilizante
Benzofenona 4
Neo Heliopan Hydro / Eusolex 232 Água (através da neutralização com NaOH ou
Neo Heliopan AP Trietanolamina)
FILTROS SOLARES INSOLÚVEIS

Insumos (dispersos) Dispersantes


Zano 10 Plus
T-Lite SFS
Parsol TX Ésteres e/ou Silicones fluidos
Z- Cote HP 1
Z- Conte Max
UTILIZAR PRÉ – SOLUBILIZAÇÕES OU DISPERSÕES
OTIMIZAÇÃO NO TEMPO DE PREPARO:
•  Pré dispersão de Ácido re+nóico 1% em Propilenoglicol (manter em geladeira
e agite antes de usar)

•  Pré dispersão de Pemulen TR2 1% em água (usar conservante)

•  Pré dispersão de Peróxido de benzoíla 50% em etoxidiglicol (transcutol)

•  Pré dispersão de Dióxido de Titânio 40% em DC 245

•  Pré dispersão de Óxido de Zinco SF-S 40% em DC 245



AUXILIARES DE INCORPORAÇÃO DE ATIVOS

ETOXIDIGLICOL

•  Transcutol CG (grau cosmé+co)


•  Trivalin SF (grau farmacêu+co)
Potente solubilizante.
Desvantagem: alto custo.

VITAMINA C
VITAMINA C 20%
FASE COMPONENTES INCI CONCENTRAÇÃO (%)
4 VITAMINA C ASCORBIC ACID 20,00
5 XIAMETER PMX - 245 CYCLOPENTASILOXANE 10,00
5 DC 9040 CYCLOPENTASILOXANE, DIMETHICONE CROSSPOLYMER QSP 100
6 XIAMETER PMX - 1501 CYCLOPENTASILOXANE, DIMETHICONOL 5,000

Farmacotécnica
1: Em recipiente adequado adicionar os componentes e homogeneizar.

2: Passar 3 vezes no Moinho de Rolo da Gehaka.
ESTABILIZE C

Vitamina C 20% em base silicone pronta pra envasar e dispensar.


CREME ATIVADOR
FASE COMPONENTES INCI CONCENTRAÇÃO
(%)
1 ÁGUA AQUA QSP 100
1 EDTA NA2 DISODIUM EDTA 0,100
1 GLICERINA GLYCERIN 3,000
2 PELEMOL IN 2 ISONONYL ISONONANOATE 2,000
2 EMULIUM DELTA CETYL ALCOHOL (AND) GLYCERYL STEARATE (AND) PEG-75 STEARATE 5,000
(AND) CETETH-20 (AND) STEARETH-20
3 XIAMETER PMX - 245 CYCLOPENTASILOXANE 5,000
4 SIMULGEL NS HYDROXYETHYL ACRYLATE/SODIUM ACRYLOYLDIMETHYL TAURATE 2,000
COPOLYMER (AND) SQUALANE (AND) POLYSORBATE 60
5 DRY FLO ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE 7,000
6 OPTIPHEN PHENOXYETHANOL (AND) CAPRYLYL GLYCOL 0,850
FARMACOTÉCNICA
1: Solubilizar o EDTA Dissódico e a Glicerina na Água Des+lada e aquecer até 75 - 80°C;

2: Adicionar os componentes da fase 2 sob agitação.

3: Resfriar o sistema sob agitação lenta.

4: Adicionar os demais componentes na ordem indicada e homogeneizar sistema sob
agitação de 1500 rpm.

Ajustar o peso final com Água Des+lada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 -
2000 rpm por 3 minutos.
COMO USAR?
A Vitamina C deve ser misturada com a
Emulsão Aevadora antes da aplicação. A
mistura fará com que a Vitamina C fique
disponível para atuar na pele.

Passo 1 Passo 2
Vitamina C Emulsão Ativadora
Ácida Estável com 2% de Vitamina
20% C Lipo

Passo 3
Misture as duas
formulações

Passo 4
Aplique no local
indicado pelo
Médico
Emulsões Água em Silicone

Fase Con€nua (Si)

Vitamina C

Vitamina C

Vitamina C

Vitamina C

Microscopia Emulsão A/Si Vitamina C


Emulsão A/Si vs Emulsão Tradicional

O2
O2 O2 O2 O2
Vitamina C

Vita Óleo
Vitamina C
mina
C
Vita
Vita
O2 Vitamina C
Óleo Vitamina C

mina
C mina
C Óleo
Óleo
Vita
mina Vitamina C Vitamina C
Vita
mina C O2
C Óleo
O2 O2

Emulsão A/Si Emulsão O/A


EMULSÃO A/SI com Vitamina C
Fase Componente INCI % Função

1 Água Purificada Aqua 67,05 Veiculo

1 Vitamina C Ascorbic acid 10,00 Quelante

1 NaCl Sodium Chloride 1,00 Estabilizante

1 Glicerina Glycerin 1,50 Umectante

1 Neolone PE Phenoxyethanol and 0,45 Conservante


Methylisothiazolinone

2 DC 5225 C Cyclopentasiloxane (and) PEG/PPG-18/18 10,00 Emulsionante


Dimethicone

2 DC 9040 Cyclomethicone (and) Dimethicone. 5,00 Sensorial


Crosspolymer

2 DC 245 Cyclomethicone 5,00 Sensorial


Modo de preparo

•  Pesar o DC 5225, DC 245 e DC 9040. Homogeneizar e reservar;
•  Pesar os componentes da Fase 1 e homogeneizar.
•  Em seguida, adicionar lentamente sob alta agitação a Fase 1 sobre a
Fase 2 à temperatura ambiente com alta velocidade de agitação (3500 –
5000 rpm);
•  Homogeneizar.
Emulsões com Hidroquinona

•  U+lizar metabissulfito de sódio


•  Embalagem Airless ou bisnaga alumínio
•  Geladeira

•  Tinogard TS - 0,15%
• Tinogard HS – 0,15%
•  Gluta+ona – 0,1%
•  Vitamina C 0,2%
FORMULAÇÕES QUE OXIDAM

•  U+lizar corante Caramelo

•  O Consumidor não observará a alteração de cor


DÚVIDAS E PROBLEMAS ENCONTRADOS
EM GÉIS
INCOMPATIBILIDADES E PROBLEMAS
ENCONTRADOS EM GÉIS

Turbidez em função da adição de essências, óleos


essenciais ou conservantes lipossolúveis

•  Solubilizar a essência ou óleo essencial
•  Em polissorbato (Tween)
•  Em óleo de rícino etoxilado (Eumungin HRE)
•  Solubilizant LRI
•  Antes de adicionar na formulação.
INCOMPATIBILIDADES E PROBLEMAS
ENCONTRADOS EM GÉIS

Redução de pegajosidade

Pelemol G7-A:
INCI: Glycereth-7 triacetate

Reduz pegajosidade mantendo a transparência do gel.

U+lizar Tampão pH 7,00
INCOMPATIBILIDADES E PROBLEMAS
ENCONTRADOS EM GÉIS

Fórmulas que turvam



Opulyn 301

INCI: Styrene/Acrylates Copolymer.

Transforma o gel em “gel creme”.
FÓRMULAS COM ALTA CONCENTRAÇÃO
DE ÓLEO
CREME PARA ADIÇÃO DE ÓLEOS

FASE COMPONENTES INCI CONCENTRAÇÃO


(%)
1 EMULIUM DELTA CETYL ALCOHOL (AND) GLYCERYL STEARATE (AND) PEG-75 6,000
STEARATE (AND) CETETH-20 (AND) STEARETH-20
1 TINOGARD TT PENTAERYTHRITYL TETRA-DI-T-BUTYL 0,100
HYDROXYHYDROCINNAMATE
1 ÓLEOS X%
2 PEMULEN TR-2 SOLUÇÃO ACRYLATES/C10-30 ALKYL ACRYLATE CROSSPOLYMER 15,00
2 EDTA NA2 DISODIUM EDTA 0,100
2 GLICERINA GLYCERIN 1,500
2 ÁGUA PURIFICADA AQUA qsp 100
3 OPTIPHEN PHENOXYETHANOL (AND) CAPRYLYL GLYCOL 0,750
4 DRY FLO ALUMINUM STARCH OCTENYLSUCCINATE 5,000
Incompaebilidades e
Problemas Encontrados em
Filtros Solares
Incompaebilidades e Problemas Encontrados em Filtros
Solares

Dificuldade em definir a proteção contra UVB e UVA

Uelizar site da Basf de calculo de FPS In silico



h0p://www.sunscreensimulator.basf.com/Sunscreen_Simulator/
AVOBENZONA OU PARSOL 1789

Não associar com Parsol MCX (Ethylhexyl Methoxycinnamate)


SEPARAÇÃO DE FASES OU GOTÍCULAS DE ÓLEO NA
SUPERFÍCIE

•  Falta de emulsionante;

•  Uelizar emulsionante polimérico;


SISTEMAS EMULSIFIER FREE


• Pemulen TR2 (Acrylates/C10–C30 Alkyl acrylate crosspolymer)
DISPERSÕES DE PIGMENTOS DE TiO2 E ZNO

Como evitar pontos brancos no produto final?

Opção 1 Opção 2 Opção 3



Dispersar os pigmentos em Dispersar os pigmentos em Dispersar os pigmentos na
3 partes de silicones ou 1 parte de silicone ou fase oleosa da formulação.
ésteres com auxilio de éstere com auxilio de gral
agitador mecânico. de porcelana e espátula
+po “pão duro”
PRESCRIÇÃO DE ÁCIDOS ASSOCIADOS A
FOTOPROTETORES

FPS + PPD
ÁCIDOS
DÚVIDAS NA PREPARAÇÃO DE
SHAMPOOS

Dica: respeite sempre a ordem de adição dos ingredientes


Como adicionar ÁCIDO SALICÍLICO em shampoo sem perder
viscosidade?
SOLUBILIZAR COM PROPILENOGLICOL + LAURIL ETER SULFATO
DE SÓDIO

Menor perda de viscosidade.

PRINCIPAIS DIFICULDADES NA MANIPULAÇÃO DE SHAMPOOS

TURBIDEZ POR ADIÇÃO DE CATIÔNICOS:


U+lizar agentes condicionantes compa€veis com sistema
transparente:
•  Polímero JR5 (1% a 5%)
•  Styleze W-20 (0,1% a 5%)
•  Salcare SC 60 (0,02% a 0,2%).


Principais Dificuldades na Manipulação de Shampoos

TURBIDEZ POR SOLUBILIZAÇÃO INADEQUADA DE ESSÊNCIAS:


•  Solubilizar essência em tweens ou Eumulgin HRE ou Solubilizant LRI.

TURBIDEZ POR ADIÇÃO DE ATIVOS:
•  Perolar sistema.
•  Agentes perolizantes:
Opulyn 301– uso: 1%
Genapol EGL – uso: 1 a 2%
PRINCIPAIS DIFICULDADES NA MANIPULAÇÃO DE
SHAMPOOS

TURBIDEZ POR ADIÇÃO DE CONSERVANTES:


U+lizar agentes conservantes compa€veis com sistema transparente:
•  Neolone PE (Phenoxyethanol (and) me+liso+asolinone);
•  Conservantes quer turvam o sistema: pré solubilizar em tweens
ou Eumulgin HRE.

Principais Dificuldades na Manipulação de Shampoos

PERDA DE VISCOSIDADE POR REDUÇÃO ACENTUADA DE pH:


•  U+lizar agentes espessantes

Glucolan MG
INCI: PEG-120 Methyl Glucose Dioleate

Glucamate LT
INCI: PEG-120 Methyl Glucose Trioleate (and) Propylene Glycol (and) Water


Pontos Posievos: Promove excelente aumento de viscosidade em sistemas tensoa+vos.

Faixa de Uso: 0,5 - 3,0%



PRECIPITAÇÃO DE ATIVOS INSOLÚVEIS

•  Peróxido de benzoíla
•  Enxofre
•  Piri+onato de Zinco


U+lizar agentes espessantes suspensores (polímeros).



AGENTES SUSPENSORES

Carbopol Aqua SF-1 Polymer: INCI: Acrylates Copolymer


Pronto para usar, requer neutralização
Agente suspensor
Uso: 8 a 13%


Aculyn 33: INCI: Acrylates Copolymer
Pronto para usar, requer neutralização
Agente suspensor
Uso: 8 a 13%
SABONETE SUSPENSOR

Fase Componente INCI % Função

1 Água Purificada Aqua qsp 100 Solvente

1 Aculyn 33 Acrylates Copolymer 12 Espessante

2 LESS Sodium Laureth Sulfate 40 Surfactante

3 NaOH Sol 20% Sodium Hydroxide 1,50 Neutralizante

4 Cocamidopropyl Betaine Cocamidopropyl Betaine 10,00 Anfótero

5 Neolone PE Phenoxyethanol and 0,45 Conservante


Methylisothiazolinone
PRINCIPAIS DIFICULDADES NA MANIPULAÇÃO DE
SHAMPOOS

ALTERAÇÃO DE COR POR AÇÃO DO CETOCONAZOL:


•  U+lizar pH ligeiramente alcalino (7,0 - 8,0)
•  U+lizar BHT 0,2%;
•  U+lizar corante vermelho.
PRINCIPAIS DIFICULDADES NA MANIPULAÇÃO DE SHAMPOOS

Os corantes são altamente suscep€veis à oxidação, e instáveis à luz.



Adicione em sua formulação um an+oxidante como o BHT a 0,05%.

U+lize Benzofenona 4, Benzofenona-3 ou Tinogard TL para proteger a
preparação contra a degradação da luz.
PRINCIPAIS DIFICULDADES NA MANIPULAÇÃO DE SHAMPOOS

DIMINUIÇÃO DE ESPUMA POR ADIÇÃO DE ÁLCOOL:


•  Aumentar tensoa+vo primário;
•  Diminuir quan+dade de álcool.


Uelizar embalagem Espumógena quando não for possível
doar viscosidade
ESPUMAS
EMBALAGEM ESPUMÓGENA

VÁLVULA
ESPUMÓGENA

CÂNULA
OUTRAS FORMULAÇÕES
Enxofre solúvel

Enxofre_________________5%
Polissorbato 80_________95%





Desodorante Álcool Free com Triclosan

Triclosan_________________1%
Polissorbato 80____________5%
Água qsp ______________100%




Cetoconazol em espuma
Cetoconazol _____________________2%
Propilenoglicol___________________10%
Lauril éter sulfossuccinato de sódio___20%
Água des+lada qsp ______________100%
U+lizar embalagem espumógena


Espuma de Alumínio
Aluminio sequicloridrato____________20%
Plantarem 1200___________________1,5%
Pelemol G7A______________________5%
Água des+lada qsp _______________100%
Conservante_____________________0,5%
U+lizar embalagem espumógena
Coaltar

Como incorporar o Coaltar em preparações semi-sólidas:



• Líquido viscoso de cor negra e com odor forte e caracterís+co;
• Insolúvel em água;

• Para facilitar a incorporação do coaltar em bases semi-sólidas é recomendado levigá-


lo antes com polissorbato 80 (Tween ® 80) ou Solubilizant LRI

Alumínio

Como incorporar o Alumínio em preparações semi-sólidas:



• Eletrólito;
• Incompa€vel com emulsões iônicas;

• Adicionar em creme não iônico.

•  em solução, complexa com ácido salicílico formando solução com coloração lilás

Minoxidil Sulfato

Solubilizar em água quente:



Adicionar álcool até 70% somente após a solubilização.

Minoxidil Base
Solubilizar em Tricosol (fagron)
Fator de crescimento

Não adicionar mais de 30% de álcool



LCD

Misturar com Lauril Eter Sulfato de sódio em Espuma



Espuma de Ácido Salicílico
Fase Componente INCI % Função
1 Ácido salicílico Salicylic acid 5,00 Queratolí+co
1 Transcutol CG Ethoxydiglycol 7,00 Solvente
1 Propilenoglicol Propylene Glycol 15,00 Solvente
2 EDTA Na2 Dissodium EDTA 0,10 Quelante
2 Água Purificada Aqua 5,00 Solvente
2 Polímero JR-5 Polyquaternium- 10, Water 5,00 Condicionante
3 Cocoamidopropil Betaína Cocamidopropyl Betaine 8,00 Espumógeno
4 LESS Sodium Laureth Sulfate 54,10 Espumógeno
5 Nikkoguard 88 Ethylhexylglycerin, Glyceryl Caprylate 0,80 Umectante
Espuma de Ácido Salicílico
Preparo:

•  Em recipiente auxiliar, adicionar Fase 1 e aquecer.
•  Em recipiente principal, adicionar os componentes da Fase 2 e homogeneizar.
•  Adicionar o componente da Fase 3 e homogeneizar.
•  Adicionar o componente da Fase 4 e homogeneizar.
•  Adicionar o componente da Fase 5 e homogeneizar.
•  Adicionar o componente da Fase 1 e homogeneizar.

•  Envasar em embalagem espumógena.


Pré-maquiagem / Primer
Emulsão efeito Primer

DC 9701____________________ 4%
Sesaflash____________________ 7%
Loção facial qsp______________30 ml

Aplicar em toda a face.

REPELENTES
Repelente de Insetos com DEET
FASE COMPONENTE CONCENTRAÇÃO
1 Aristoflex AVC 0,3 %
1 Glicerina bides+lada 5%
1 Água des+lada qsp 100%
2 Hostacerin CG 4%
2 Manteiga de manga 0,6%
2 Estearato de oc+la 3,5%
2 Phenonip 0,5%
3 DEET 10%

Modo de preparo
· Aquecer separadamente as fase 1 e 2 até 80°C.
· Verter vagarosamente a fase 2 sobre a fase 1. Sob agitação moderada.
· Manter a agitação por alguns minutos, até obter uma emulsão homogênea.
· Quando a temperatura es+ver abaixo de 40°C, incorporar a fase 3 e homogeneizar.
REPELENTES
Loção Repelente
Composição
FASE COMPONENTE CONCENTRAÇÃO FUNÇÃO
1 Glicerina Bi-des+lada 5,0 % Umectante
1 Água desmineralizada Qsp 100,0 % Veículo
1 Aristoflex 0,8 % Gelificante
2 EMULIUM 22 2,0 % Emulsionante
2 Manteiga de Manga 0,6 % Hidratante
2 Estearato de Oc+la 3,5 % Emoliente
2 Phenonip 0,5 % Conservante
3 REPELENTE MERCK IR 3535® 10,0% Repelente

Modo de preparo
1.Aquecer separadamente as fases 01 e 02 até 80 – 85ºC;
2.Verter vagarosamente a fase 02 sobre a fase 01, sob agitação moderada;
3.Manter a agitação por alguns minutos, até obter uma emulsão homogênea;
4.Quando a temperatura es+ver abaixo de 40ºC, incorporar a fase 03 e homogeneizar.

ESPUMA DERMATOLÓGICA
Fase Componentes INCI Name Concentração (%)
1 Água Water Qsp 100,000
1 Glicerina Glycerin 2,500
1  EDTA DisodiumEdta 0,100
2  Quilaja SaponariaBarkExtract 1,500
3  Spectrastat Caprylhydroxamic Acid (And) 0,800
Caprylyl Glycol (And) Glycerin
4  Exo P Water (And) Butylene Glycol 1,500
(And) Alteromonas Ferment Filtrate

Modo de preparo
Adicionar a Fase 1 em um recipiente compa€vel homogeneizar.
Adicionar Fases 2, 3 e 4 separadamente com agitação manual, intervalos de 5 minutos
cada.
Transferir o produto para um recipiente com válvula espumógena.

Óleos e Silicones
geleificados
DC 2270
INCI: Silica silylate

•  Pó fino espessante para sistemas anidros;
•  Espessa óleos e silicones;
•  proporciona sistemas trasparentes;
•  não requer aquecimento.

Pomada de óleo de framboesa

Óleo de Framboesa..............................94%
DC 2270..............................................6%

Pomada de óleo de Canola

Óloe de Canola...................................94%
DC 2270..............................................6%

Alto Teor de Ômega-9


Peróxido de benzoíla + ácido
reenóico
Manipular separado

Peróxido pode acelerar a oxidação do ácido re+nóico.



U+lizar embalagens separadas.
Excipientes para Pós Higroscópicos
•  Muitos pós tem alta afinidade por água.

•  Problema
o  Aglomeração
o  Dificuldade de encapsular
o  Dificuldade de Homogeneização

Diminui a absorção de Evita a liquefação de


Excipientes Absorventes
umidade dos pós misturas euté+cas

•  Alguns a+vos, no entanto, são mais higroscópicos que outros, sendo necessários
excipientes diferentes.
Excipientes para Pós Higroscópicos

Aevos Muito Higroscópicos


L-carni+na Aevos Higroscópicos
Cloreto de magnésio Aminoácidos
Sulfato de Neomicina Minerais quelatos
Alguns extratos secos como Hypericum
perforatum, Citrus auranBum, Valeriana
oficinallis
Aevos Pouco Higroscópicos
Rani+dina
Anlodipina
Betaína
Extratos secos de fitoterápicos
em geral
Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Muito Higroscópicos

1ª Sugestão
ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Caolim qsp 100%

2ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Carbonato de Magnésio qsp 100%
Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Muito Higroscópicos

3ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Óxido de Magnésio Leve qsp 100%
Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Higroscópicos

1ª Sugestão
ADJUVANTE CONCENTRAÇÃ
O
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Estearato de Magnésio 1%
Fosfato de Cálcio Dibásico qsp 100%

2ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃ
O
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Estearato de Magnésio 1%
Fosfato de Cálcio Tribásico qsp 100%
Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Higroscópicos

3ª Sugestão
ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO

Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%

Celulose Microcristalina qsp 100%


Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Pouco Higroscópicos

1ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 3 – 10%
Talco Farmacêu+co 50% / Celulose Microcristalina 100%
50% qsp

2ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 1%
Estearato de Magnésio 0,5%
Fosfato de Cálcio Dibásico 60% Celulose Microcristalina 40% 100%
qsp
Excipientes para Pós Higroscópicos
Sugestões para A+vos Pouco Higroscópicos

3ª Sugestão

ADJUVANTE CONCENTRAÇÃO
Dióxido de Silício Coloidal 1 – 10%
Manitol 75% / Celulose Microcristalina 25% qsp 100%
Excipientes para Pós Higroscópicos

•  Além dessas sugestões, a empresa Embrafarma possui a linha Celulomax, que neste
caso, poderá ser u+lizado o Celulomax HG que é um excipiente pronto específico para
pós higroscópicos.

•  O Celulomax HG é composto por: Aerosil® , Estearato de magnésio, Silicato de magnésio
e Microcel®.

•  Não causa nenhum +po de interação

•  A ausência de lactose na composição dos excipientes Celulomax® contribui para
pacientes diabé+cos ou com problemas fermenta+vos.
Preparações Orais Líquidas

Xarope Suspensão

• Ativos • Ativos
hidrossolúveis lipossolúveis
• Baixa viscosidade •  Alta viscosidade
Preparações Orais Líquidas

• Dissoluções:
• Mistura de líquidos;

• Dissolução de sólidos;

• Controle microbiológico;
Preparações Orais Líquidas
Flavorizante

A seleção de um flavorizante para tornar


uma preparação farmacêu+ca palatável
envolve aspectos como:

• A imediata iden+ficação do sabor;
• O desenvolvimento rápido e completo da
sensação de sabor;
• A sensação bucal aceitável;
• A curta percepção do sabor residual;
• A n ã o e x i s t ê n c i a d e s e n s a ç õ e s
desagradáveis.
Preparações Orais Líquidas
Sugestões de Flavorizantes por Classe Terapêu+ca
Preparações Orais Líquidas
Redução do Sabor Desagradável

Chemyunion® G.A.:

•  Agente corretor de sabor.

•  Mascara o sabor amargo e/ou
desagradável dos princípios
a+vos em formas farmacêu+cas
de uso oral.
Preparações Orais Líquidas
Conservantes

Me+lparabeno Propilparabeno

Espectro de Ação: Bactérias Gram-posi+vas, Espectro de Ação: Bactérias Gram-posi+vas,


bolores e leveduras bolores e leveduras
pH: 3,0 – 9,5 pH: 3,0 – 9,5

Solubilidade: Etanol, glicerina, propilenoglicol Solubilidade: Etanol, glicerina, propilenoglicol

Incompa+bilidade: Polissorbato 80, gela+na, talco, Incompa+bilidade: Polissorbato 80, gela+na, talco,
óleos essenciais, sais de ferro e óleos essenciais, sais de ferro e
álcalis álcalis
Preparações Orais Líquidas
Conservantes
Alterna+vas aos parabenos:

Ácido Benzóico Ácido Sórbico

Espectro de Ação: Bactérias Gram-posi+vas, bolores Espectro de Ação: Bolores e leveduras


e leveduras
pH: 2,0 – 5,0 pH: 2,5 – 6,0

Solubilidade: Água, Etanol Solubilidade: Água, etanol, propilenoglicol,


glicerina, óleos
Incompa+bilidade: Glicerina, proteínas, polissorbato
80, compostos quaternários, Incompa+bilidade: Polissorbato 80, bases, agentes
gela+na, caolim oxidantes
Preparações Orais Líquidas
Ajustes de pH em Formulações Orais Líquidas

Citrato de sódio Ácido Cítrico

Categoria: Alcalinizante Categoria: Acidulante

C o n c e n t r a ç ã o 25% C o n c e n t r a ç ã o 25%
Usual: Usual:
E m b a l a g e m Frasco plás+co de polie+leno ou E m b a l a g e m Frasco plás+co de polie+leno ou
Recomendada: de vidro, no qual a tampa do Recomendada: de vidro, no qual a tampa do
frasco não deve conter material frasco não deve conter material
de borracha. de borracha.
Temperatura de Sob refrigeração. Temperatura de Sob refrigeração.
armazenamento: armazenamento:
E s t a b i i d a d e 2 meses. E s t a b i i d a d e 2 meses.
aproximada: aproximada:
Preparações Orais Líquidas
XAROPES

•  Açúcar refinado

•  Me+lparabeno

•  Propilparabeno

•  Água des+lada

Obs: Na preparação não deixar levantar


fervura, pois poderá haver cristalização do
açúcar (açúcar inver+do).

Preparações Orais Líquidas
XAROPES DIETÉTICOS

•  CMC-Na (media viscosidade)



•  Me+lparabeno

•  Sacarina sódica

•  Ciclamato de sódio

•  Água des+lada qsp

Preparações Orais Líquidas
SUSPENSÃO

•  Sacarose (açúcar)
•  Sorbitol 70%
•  Glicerina bides+lada
•  Sacarina sódica
•  Me+lparabeno
•  CMC-Na (média viscosidade)
•  Flavorizante (a escolher)
•  Água des+lada qsp

Xarope de Omeprazol
Tamponamento

•  Sabe-se que uma mudança no pH, mesmo que seja mínima, pode diminuir a
estabilidade de um fármaco.

•  Um pH impróprio pode ocasionar perdas significa+vas do teor e da a+vidade


terapêu+ca de um a+vo.

•  O Omeprazol possui estabilidade máxima em pH 11,0 e decompõe-se rapidamente


em pH abaixo de 7,8.

•  O Xarope de Omeprazol deve ser tamponado para que se mantenha na faixa de


pH descrita acima e não ocorra a oxidação do a+vo.
Lactobacillus

• Modo de armazenamento

• Excipiente adequado

• FOS

• Higroscopicidade

• Cápsula gastrorresistente
Cápsulas Gastrorresistentes

•  Existem a+vos que apresentam maior


biodisponibilidade em pH’s ácidos, e
portanto, devem ser liberados no
estômago.

•  Sendo assim, essas a+vos não


necessitam ser manipulados em cápsulas
resistentes, pois a intenção é que eles
sejam realmente liberados no estômago.
Cápsulas Gastrorresistentes
•  Outros a+vos a+ngem sua maior
biodisponibilidade em pH’s alcalinos
(intes+no).

•  Devido a isso a cápsula deve ter uma


composição que resista à ação do suco
gástrico.

•  A forma gastrorresistente evitará


perda de a+vidade farmacológica,
reduzirá efeitos adversos como náuseas
e diluições prévias até chegar ao
intes+no, garan+ndo o efeito máximo
da droga.

Cápsulas Gastrorresistentes

•  As cápsulas DRcaps são cápsulas de


HPMC inovadoras que podem ajudar a
proteger os ingredientes de suplementos
alimentares da acidez estomacal, sem o
custo e a complexidade de se adicionar
propriedades de resistência a ácidos
durante a fabricação.

•  As cápsulas DRcaps também podem
ajudar a mascarar o sabor e o odor, além
de reduzir gostos residuais ruins sem a
adição de reves+mentos dispendiosos.
Bases para Sachês
Base Simples:

•  Goma Xantana

•  CMC

•  Sucrose Éster SP70-C

•  Sucralose

•  Benzoato de Sódio

•  Aroma (pó)

•  Nutriente Funcional

Bases para Sachês
Base Efervescente:

•  Ácido Tartárico
•  Efervescência
•  Ácido Cítrico Mono-hidratado
•  Efervescência
•  Bicarbonato de Sódio
•  Efervescência
•  Flavorizante de laranja pó
•  Flavorizante
•  Sucralose
•  Edulcorante
•  Acessulfame K
•  Edulcorante
•  Nutriente funcional

Bases para Sachês
Base Efervescente:


•  A base efervescente Baseffer® é
um produto pronto da empresa
Embrafarma que possui tecnologia
que protege as moléculas de
bicarbonato de sódio e o ácido
cítrico e impossibilita o efeito
“travesseiro”.
A+vos Termossensíveis

•  Existem no mercado a+vos que são


sensíveis a altas temperaturas,
podendo se fundir e até perder sua
estabilidade.

•  Esses a+vos não poderiam ser


manipulados em pas+lhas ou Oro-tab,
por exemplo, pois são formulações
expostas a temperaturas elevadas.

•  Então o que fazer?


A+vos Termossensíveis
Suspensão oleosa

•  Coenzima Q10

•  Tween 80

•  Goma arábica pó seco

•  Aerosil

•  Óleo essencial de menta

•  Ácido sórbico pó

•  Triglicérides do ácido cáprico/caprílico qsp


A+vos Termossensíveis

Exemplo 1:

•  Coenzima Q10 é uma molécula que tem caracterís+ca anfiulica, ou seja, possui
partes hidroulicas e lipoulicas.

•  Sugestão: Mudança da forma farmacêu+ca.

•  Outra sugestão para a manipulação desse a+vo seria em suspensão oleosa.


A+vos Termossensíveis

Exemplo 2:

•  Vitamina B12 é uma molécula que tem caracterís+ca hidrossolúvel, ou seja, possui
afinidade com moléculas de água.

•  Sugestão: Mudança da forma farmacêu+ca.

•  Outra sugestão para a manipulação desse a+vo seria em gotas sublinguais.


A+vos Termossensíveis
Gotas sublinguais

•  Vitamina B12

•  Flavorizante de morango ou framboesa

•  Propilenoglicol

•  Glicerina

•  Sorbitol 70% qsp


Temperatura e Armazenamento

•  São fatores que, quando não são seguidos, podem comprometer a estabilidade e a
conservação de medicamentos.

•  Possíveis consequências: acelerar a degradação química, crescimento de fungos e


bactérias e até o amolecimento de cápsulas.

•  Cada medicamento possui uma especificação de temperatura e armazenagem.

•  Essas informações devem ser observadas e seguidas de acordo com o laudo do a+vo,
pois as informações podem variar de acordo com cada fornecedor.


Temperatura e Armazenamento

Lactobacillus:

•  Alguns lactobacilos apresentam-se liofilizados,
não tendo necessidade de armazenamento sob
refrigeração.

•  Para os lactobacillus não lofilizados, geralmente


é indicado o armazenamento em geladeira.

•  No entanto, sempre verifique o laudo do


produto, seguindo as orientações do mesmo.
Base de Chocolate para Incorporar A+vos

•  Alguns a+vos também podem ser


manipulados de uma outra forma mais
palatável, como em bases de chocolate.

•  Chocolife: base para chocolates


funcionais, achocolatados, chocolates em
barra com diferentes concentrações de
cacau, creme de avelã, shakes para
controle de peso, produtos com proteínas
vegetais.

•  Chocolates Nutracêu+cos.
Base de Chocolate para Incorporar A+vos

Outra sugestão para o uso de a+vos


em chocolate:

•  Pas+lhas sublinguais de chocolate

•  Permite incorporação de a+vos para


emagrecimento

•  Disfarça o sabor ruim de alguns


a+vos.
Melatonina

•  A melatonina apresenta baixa


biodisponibilidade.

•  Preparações internacionais u+lizam


excipientes para liberação prolongada
(ex: Celulomax LM, que promove
alteração na velocidade de
desintegração).

•  Sempre orientar o cliente a deixar o
produto longe de calor e umidade.
Melatonina
Excipiente Lipoulico em Cápsula
Modo de Preparo:

1.  Padronizar o óleo que será u+lizado nas cápsulas, óleos vegetais, por exemplo,
óleo de amendoím
2.  Verificar o qsp necessário de óleo
3.  Pesar a vitamina D e solubilizar no óleo escolhido.
4.  Com ajuda de um conta gotas gotejar até completar as cápsulas.
5.  Feche todas as cápsulas .
6.  Borrife álcool 96 para limpá-las.

Vitamina D Oral

•  A vitamina D é uma vitamina


lipossolúvel, impossibilitando sua
manipulação em formulações
contendo grande quan+dade de
água.

•  Sugestão: gotas oleosas


Vitamina D Oral

Gotas Oleosas

•  Vitamina D3

•  Óleo essencial de laranja, menta ou


canela

•  Óleo de oliva extra virgem qsp



Formulações

Xarope Simples

85% p/v (com conservantes)

Composição
COMPONENTE QUANTIDADE
Açúcar (refinado)..............................85 g
Me+lparabeno*................................0,15 g
Propilparabeno*...............................0,05 g
Água des+lada qsp...........................100 mL

*Os parabenos poderão ser subs+tuídos pelo benzoato de sódio a 0,2% p/v.

Formulações
Modo de preparo
•  Pesar separadamente o açúcar e os parabenos.
•  Dissolver a parte do me+lparabeno e o propilparabeno em quan+dade suficiente
de álcool e€lico e 96°GL ou na água des+lada aquecida.
•  Aquecer a água des+lada até a ebulição.
•  Verter o açúcar em um recipiente (exemplo: béquer).
•  Adicionar a água fervente sobre o açúcar e os parabenos previamente
solubilizados no álcool (o álcool irá se evaporar pois seu ponto de ebulição é 75ºC) e
misture bem com um bastão até completa dissolução do açúcar.
•  Misturar até esfriar e ajuste para o volume final se necessário.
•  Misturar todos os componentes e aquecer até a dissolução.
•  Envasar em fraco de vidro ou PET âmbar.
•  Deixar em repouso pó pelo menos 12 horas antes de u+lizar.

Envasar em frasco de vidro ou PET âmbar.
Manter em temperatura ambiente. Estabilidade aproximada de 1 ano.

Formulações
Xarope DietéFco

Uso: veículo edulcorado diete+co.

Composição

COMPONENTE QUANTIDADE
CMC-Na (media viscosidade)...........................................2,0 g
Me+lparabeno.................................................................0,15 g
Sacarina sódica................................................................0,10 g
Ciclamato de sódio..........................................................0,05 g
Água des+lada qsp..........................................................100 mL

Formulações

Modo de preparo

•  Dissolver o me+lparabeno em água des+lada aquecida a 75-80ºC.
•  Adicionar o restante dos ingredientes, agitar até dissolução. Deixar esfriar.
•  Envasar e rotular em frasco de vidro ou PET âmbar.

Envasar em frasco de vidro ou PET âmbar. Manter em temperatura ambiente.
Estabilidade aproximada de 1 ano.

Formulações
Veículo Suspensor Oral

Uso: veículo suspensor rela+vamente efe+vo, facilmente formulado, estável e bem
aceito pelos pacientes.

Composição

COMPONENTE QUANTIDADE
Sacarose (açúcar)..............................................250 g
Sorbitol 70%......................................................100 mL
Glicerina bides+lada..........................................25 mL
Sacarina sódica..................................................0,5 g
Me+lparabeno...................................................1,0 g
CMC-Na (média viscosidade).............................5,0 g
Flavorizante (a escolher)....................................3 mL
Água des+lada qsp............................................1000 mL
Formulações
Modo de preparo
•  Misturar o CMC-Na, o me+lparabeno, a sacarina sódica (previamente pulverizada)
e triturar com gliecerina em um gral de vidro até formar uma pasta fina. Misturar
também o sorbitol 70%.
•  Verter o passo 1 para um béquer e adicionar aos poucos e sob agitação cerca de
500 mL de água des+lada previamente aquecida a cerca de 60°C. Misturar até
completa dispersão.
•  Solubilizar a sacarose em quan+dade suficiente de água.
•  Misturar o passo 3 com o passo 2. Agitar.
•  Adicionar o flavorizante.
•  Ajustar para o volume final com água des+lada.
•  Envasar e rotular.

Envasar em frasco de vidro ou PET âmbar. Manter em temperatura ambiente
controlada. Estabilidade aproximada de 180 dias.

Formulações
Base para Sachê

FASE COMPONENTES FUNÇÃO QUANTIDADE PARA 1 SACHÊ (200 mL)

1 Goma Xantana Espessante 0,5 g
1 CMC Estabilizante 0,5 g
1 Sucrose Éster SP70-C Emulsificante 2,0 g
1 Sucralose Edulcorante 0,02 g a 0,04 g
1 Benzoato de Sódio Conservante 0,5 g
1 Aroma (pó) Flavorizante 0,5 g
1 Nutriente Funcional A+vo (x) mg


Formulações

Modo de Preparo
Pesar todos os componentes da formulação;
Triturar em almofariz;
Tamisar;
Envasar em sachês;
Rotular;
Dispensar.

Modo de usar
Dissolva o conteúdo de 1 sachê em 200 mL de água e agite vigorosamente. Consumir
em seguida.

Formulações
Efervescente Base

Fase Componentes Função Concentração (%)

1 Ácido Tartárico Efervescência 10 g
1 Ácido Cítrico Mono-hidratado Efervescência 5 g
1 Bicarbonato de Sódio Efervescência 15 g
1 Flavorizante de laranja pó Flavorizante 0,025 g
1 Sucralose Edulcorante 0,010 g
1 Acessulfame K Edulcorante 0,015 g
1 Nutriente funcional Ingrediente a+vo (x) g


Formulações

Modo de Preparo

•  Triturar, tamisar e misturar geometricamente os pós em ambiente com umidade
rela+va controlada.

•  Pesar individualmente cada sachê (33,25 g) e envasar em embalagem sachê de


alumínio reves+do com filme plás+co.

•  Acondicionar os sachês em caixas cartonadas e rotular.



Formulações
Omeprazol (U+lização de omeprazol em pó não reves+do)
Suspensão Oral Tamponada e Edulcorada - 10 mg / 5 mL

Composição

COMPONENTE QUANTIDADE
Omeprazol em pó (100%)............................0,2 g
Goma xantana.............................................0,5 g
Tween 80.....................................................0,1 g
Esteviosídeo pó...........................................0,1 g
Flavorizante de banana...............................2 mL
Metabissulfito de sódio..............................0,1 g
EDTA-Na2....................................................0,1 g
Bicarbonato de sódio..................................9,0 g
NaOH 10% (p/v)..........................................pH 8,0 – 8,5
Água des+lada preservada qsp...................100 mL
Formulações
No caso do omeprazol sódico aplicar fator de equivalência de 1,064, pesando, portanto,
0,213 g de omeprazol sódico.

Modo de preparo
•  Misturar e triturar em um gral de vidro o omeprazol com a goma xantana, o
esteviosídeo e m pó, metabissulfito de sódio e o EDTA-NA2.
•  Adicionar o bicarbonato de sódio ao passo 1 em pequenas porções, triturando e
misturando.
•  Misturar à parte o Tween 80 com 80 mL de água des+lada preservada até obtenção de
uma solução límpida.
•  Pulverizar a mistura do passo 2 sobre o passo 3, com agitação. Misturar até a formação
de um líquido homogêneo.
•  Adicionar o flavorizante. Misturar.
•  Medir o pH da preparação e ajustar entre 8,0 a 8,5 gotejando a solução de NaOH.
•  Ajustar para o volume final com água des+lada preservada.
Armazenar sob refrigeração. Estabilidade aproximada de 14 dias.
Formulações
Vitamina D3
Gotas Oleosas
400 UI / gota
Composição
COMPONENTE QUANTIDADE
Vitamina D3*......................................................................200.000 UI
Óleo essencial de laranja, menta ou canela........................0,15 g
Óleo de oliva extra virgem qsp**........................................15 mL

*Para facilitar a manipulação, u+lizar 5 mL da vitamina D3 diluída 1:1000 (5 mL da
vitamina D3 diluída 1:1000 contém 200.000 UI de Vitamina D3)
**Pode ser subs+tuído pelo óleo de amendoim com baixo índice de peróxido ou pelo
óleo de triglicerídeos de cadeia média. O BHT pode ser adicionado como an+oxidante
desta preparação na concentração de 0,05 %. O óleo essencial de menta, óleo essencial
de laranja ou óleo essencial de canela poderá ser empregado como flavorizante da
preparação na concentração de 0,5-1,0 %.

Formulações
Modo de preparo:
•  Medir 5 mL da diluição de vitamina D3 1:1000.
•  Ajustar para o volume final com óleo de oliva. Misturar.
•  Envasar e rotular.

Informações sobre estabilidade:
Embalagem recomendada: frasco vidro âmbar com conta-gotas calibrado.
Temperatura de armazenamento recomendada: temperatura ambiente controlada.
Estabilidade aproximada: 6 meses.
A solução de colacalciferol em veículo oleoso (óleo de oliva, óleo de amendoim) neutro e
livre de peróxido se conserva melhor que em soluções aquosas ou pseudo-aquosas
(emulsionadas).

Formulações
Lactobacillus acidophilus
Gotas – Suspensão líquida estabilizada
10 x 109 / mL

Composição

Componente Concentração
Lactobacillus acidophilus................................................10 x 109 UFC
Dióxido de silício coloidal................................................1,5g
Triglicérides de ácido cáprico e caprílico.........................10ml
Óleo de girassol qsp.........................................................100ml


Formulações
Modo de preparo:

•  Em um béquer misturar o óleo de girassol e os triglicerídeos de ácido cáprico e
caprílico, u+lizando um agitador magné+co ou mecânico. Levar a mistura para
geladeira de forma a baixar a temperatura da mesma para a faixa de 10-15ºC, para
compensar o calor que será promovido durante a dispersão dos Lactobacillus e do
agente suspensor (dióxido de silício coloidal).

•  Adicionar aos poucos sob agitação constante o liofilizado de Lactosbacillus. Deixar
sob agitação durante pelo menos 2 minutos ou até completa dispersão.

Formulações

•  Adicionar, muito lentamente, o dióxido de silício coloidal passando-o em um tamis


de malha fina para devida desagregação de eventuais grumos à medida que o
mesmo vai sendo adicionado à mistura. Manter sob alta agitação constante até a
completa dispersão durante 15 minutos, monitorando a temperatura de forma que a
temperatura não passe 28ºC. Caso isto aconteça, interromper a agitação até que a
temperatura abaixe e então con+nuar a agitação até completa dispersão.

•  Envasar em frasco de vidro com conta-gotas ou gotejador calibrado.

Armazenar sob refrigeração. Estabilidade aproximada de 6 meses.

Obrigado!


www.lucaspor+lho.com.br
le+cia.oliveira@consulfarma.com