Você está na página 1de 4

COLÉGIO PEDRO II - CAMPUS SÃO CRISTÓVÃO III

APROFUNDAMENTO DE MATEMÁTICA – 2014


PROFESSORES: MARIA HELENA / WALTER TADEU
AULA 6: Funções: Afim e Quadrática

QUESTÕES - GABARITO
1. (UERJ) O reservatório A perde água a uma taxa constante de 10 litros por hora, enquanto o reservatório B
ganha água a uma taxa constante de 12 litros por hora. No gráfico, estão representados, no eixo y, os
volumes, em litros, da água contida em cada um dos reservatórios, em função do tempo, em horas,
representado no eixo x. Determine o tempo x0, em horas, indicado no gráfico.
Solução. A perda constante no reservatório A indica uma função afim f(x) = ax + b, com a = – 10. O
ganho constante do reservatório B indica uma função afim com a = 12. Escrevendo as equações das
a  10
reta A   y  10 x  720
720  10.(0 )  b  b  720
retas A e B, temos: a  12
reta B   y  12x  60
.
60  12.(0 )  b  b  60

O tempo x0 corresponde à interseção das retas:


 660
 10 x  720  12x  60  22x  660  x  x 0   30 . R: x0 = 30.
 22

2. (UERJ) No gráfico, estão indicados os pontos A(1,0), B(2,1) e C(0,1), que


são fixos, e os pontos P e Q, que se movem simultaneamente. O ponto P se
desloca no segmento de reta de C até A, enquanto o ponto Q se desloca no segmento de A até B. Nesses
deslocamentos, a cada instante, a abscissa de P é igual à ordenada de Q. Determine a medida da maior área
que o triângulo PAQ pode assumir.
Solução. As coordenadas de P são (x’, y’) e de Q, (x’’, x’). As equações
das retas que passam por AC e AB são:
1  a(0 )  b  b  1
reta AC :   y AC   x  1
0  a.(1)  b  a  1  0  a  1
0  a(1)  b  b  a
reta AB :   y AC  x  1
.
1  a.(2)  b  2a  a  1  a  1

Encontrando as coordenadas de P e Q que pertencem às retas AC e


AB, respectivamente, temos:

P  reta AC : y'   x'1  P( x' ,  x'1)


Q  reta AB : x'  x' '1  x' '  x'1  Q( x'1, x' )
AP  ( x'1) 2  ( x'1  0) 2  2( x'1) 2  ( x'1) 2  (1  x' ). 2

Catetos :   Área :
(1  x' ) 2 . x' 2
  x' 2  x'
.
  
2
AQ  ( x'1  1)  ( x'0)  2( x' )  x' 2  x'. 2
 2 2 2

 (1)2  4( 1).(0) 1
Maximizando a área, vem: Área(máxima ) :    .
4a 4( 1) 4
3. (UERJ) A promoção de uma mercadoria em um supermercado está representada, no gráfico, por 6 pontos
de uma mesma reta. Quem comprar 20 unidades dessa mercadoria,
na promoção, pagará por unidade, em reais, o equivalente a:
a) 4,50 b) 5,00 c) 5,50 d) 6,00
Solução. O gráfico representa uma função afim decrescente onde
são identificados os pontos (5,150) e (30,50).
Utilizando a expressão f(x) = ax + b, temos:

150  a.(5)  b 5a  b  150 5a  b  150 100


    25a  100  a   4
50  a.(30)  b 30a  b  50  (1)  30a  b  50  25 .
Logo, b  150  5.(4)  150  20  170

A lei que expressa a função é f(x) = – 4x + 170. Logo, f(20) = – 4.(20) + 170 = – 80 + 170 = 90.
O valor da compra será de R$90,00. O custo da unidade será (90 ÷ 20) = R$4,50.
4. (UERJ) No sistema de coordenadas cartesianas abaixo, estão representadas as funções f(x) = 4x – 4 e
g(x) = 2x2 – 12x + 10. As coordenadas do ponto P são:
a) (6, 20) b) (7, 24) c) (7, 26) d) (6, 26)
Solução. O ponto P indica a interseção entre os gráficos da parábola e da reta. Igualando as
expressões das respectivas funções temos:

g( x )  f ( x )  2 x 2  12 x  10  4 x  4  2 x 2  12 x  10  4 x  4  0  2x 2  16 x  14  0 
 8 6
 x  7
8  64  4(1).(7 ) 8 36 8  6  2
 x 2
 8x  7  0  x     
2 2 2 x  8  6  1

 2
.
Como a abscissa de P é a maior, x = 7. Sua ordenada pode ser calculada em f(x) ou g(x). Calculando
em f(x), temos: f(7) = 4(7) – 4 = 24. Logo, P = (7,24).

5. (UERJ) Os gráficos 1 e 2 representam a posição S de dois corpos em função do tempo t.

No gráfico 1, a função horária é definida pela


1
equação S  2  t . Assim, a equação que
2
define o movimento representado pelo gráfico 2
corresponde a:
a) S  2  t b) S  2  2t
4 6
c) S  2  t d) S  2  t
3 5
Solução. A expressão de S é função afim da
forma f(x) = ax + b, onde o coeficiente a
corresponde à tangente do ângulo entre a reta que representa o gráfico e o eixo das abscissas.
1 1
t  2  tg  i) S 
2 2
 1
Temos: 2  .
2tg 2 1 1 4
ii) tg2     
1  tg 2   1
2
1 3 3
1   1
2 4 4

4
O coeficiente b (linear) continua sendo 2, pois o gráfico 2 inicia em (0,2). Logo, S  2  t.
3
6. (UERJ) Admita os seguintes dados sobre as condições ambientais de uma comunidade, com uma
população p, em milhares de habitantes:
– C, a taxa média diária de monóxido de carbono no ar, corresponde a C(p) = 0,5p + 1; em partes por milhão.
– em um determinado tempo t, em anos, p será igual a p(t) = 10 + 0,1t2.
Em relação à taxa C, calcule em quantos anos essa taxa será de 13,2 partes por milhão.
a) 10 b) 11 c) 12 d) 13
Solução 1. Substituindo as partes por milhão em C(p), temos:
C(p)  13,2 12,2

C(p)  0,5p  1
 0,5p  1  13,2  0,5p  13,2  1  p 
0,5
 24,4 .
Logo p(t) = 24,4. Substituindo na expressão p(t) = 10 + 0,1t2, temos:
p(t)  24,4 14,4

p(t)  10  0,1t
2
 10  0,1t 2  24,4  0,1t 2  24,4  10  t 2   t 2  144  t  12
0,1 .

Solução 2. Utilizando o conceito de composta de funções e resolvendo, temos:


 
C(p( t ))  C 10  0,1.t 2  0,5. 10  0,1.t 2  1  5  0,05t 2  1  
13,2  6

C(p( t ))  13,2
.
 0,05t 2  6  13,2  t 2 
0,05
 t 2  144  t  12

7. (UERJ) O gráfico abaixo representa a indicação da velocidade de um carro em movimento, em função do


tempo. Sabendo-se que, em t = 2s, a velocidade é de 6m/s, a ordenada do ponto A é:
a) 3,5 b) 3,0 c) 2,5 d) 2,0
Solução. Entre A e B o gráfico representa uma função afim onde são
identificados os pontos (2,6) e (4,10). Utilizando a expressão f(x) = ax + b
e observando que A = (0,b), temos:
10  a.( 4)  b 4a  b  10
i)    2a  4  a  2
6  a.(2)  b 2a  b  6  ( 1) . A = (0, 2).
ii) b  10  4.(2)  10  8  2  A  (0,2)

8. (UERJ) Um fruticultor, no primeiro dia da colheita de sua safra anual, vende cada fruta por R$ 2,00. A partir
daí, o preço de cada fruta decresce R$ 0,02 por dia. Considere que esse fruticultor colheu 80 frutas no
primeiro dia e a colheita aumenta uma fruta por dia. O dia da colheita de maior ganho para o fruticultor foi:
a) 11 b) 9 c) 7 d) 15
Solução. Descrevendo a situação na tabela até uma generalização, temos:

A expressão, então do ganho é:


G(x) = (80 + x).(2 – 0,02x)
G(x) = 160 – 1,6x + 2x – 0,02x2
G(x) = – 0,02x2 + 0,4x + 160. Uma função quadrática.
O dia de maior ganho será o valor da abscissa do
b (0,4)
vértice da função: x V     10 . O dia de maior ganho foi dia 11.
2a 2( 0,02)

9. (UERJ) Numa partida de futebol, no instante em que os raios solares incidiam perpendicularmente sobre o
gramado, o jogador "Chorão" chutou a bola em direção ao gol, de 2,30m de altura interna. A sombra da bola
descreveu uma reta que cruzou a linha do gol. A bola descreveu uma parábola e quando começou a cair da
altura máxima de 9 metros, sua sombra se encontrava a 16 metros da linha do gol. Após o chute de
"Chorão", nenhum jogador conseguiu tocar na bola em movimento. A representação gráfica do lance em um
plano cartesiano está sugerida na figura. A equação da parábola
x2
era do tipo: S    c . O ponto onde a bola tocou pela
36
primeira vez foi:
a) na baliza b) atrás do gol
c) dentro do gol d) antes da linha do gol
Solução. Considerando a altura máxima no ponto (0,9) e
utilizando a equação dada, temos:

x2 0
S c 9   c c 9.
36 36
Embaixo da linha do gol temos a abscissa x = 16. A ordenada desse ponto será a altura onde a bola
(16) 2  256  324 68
estará. Calculando temos: S   9S    1,9 .
36 36 36
Como essa altura é menor que 2,3 (altura do gol) a bola conseguiu entrar no gol.

10. (UERJ) Os gráficos I e II representam as posições S de dois corpos em função do tempo t.


No gráfico I, a função horária é definida pela equação S  a1t 2  b1t .
No gráfico II, definida por
S  a 2 t 2  b 2 t . Admita que V1 e
V2 são, respectivamente, os
vértices das curvas traçadas nos
a1
gráficos I e II. a razão é:
a2

a) 1 b) 2 c) 4 d) 8

Solução. Os zeros das funções


no gráfico I são 0 e t1. No
gráfico II são 0 e t 2. As abscissas dos respectivos vértices são as médias aritméticas dos zeros.
Escrevendo as expressões das coordenadas dos vértices e estabelecendo as relações, temos:
 0  t1 0  t1 b1 t1 b1
x V        t 1  b1  a 1 t 1
 2 2 2a 1 2 a1
Gráfico I :  2 2
y  b1  4.a 1.(0 ) b1
       h
 V
4a 4.a 1 4a 1


x V 
0  t 2

0  2t 1
 
b2
 t1 
b2
 2 t 1  b 2  2a 2 t 1
.
 2 2 2a 2 a2
Gráfico II :  2 2
y  b2  4 .a 2 .( 0 ) b2
       h
 V
4a 4.a 2 4a 2

Repare que as ordenadas dos vértices em ambos os gráficos são iguais a h. Igualando as expressões,
2
b1 b b
2
b a b a
2
  a 1t 1 
2
a a
2 2 2
 a1  0 
   
   2  1  2  1  12  1   1  12
4a 1 4a 2 a1 a 2 a2 b2 a 2   2a 2 t 1  2
a 2 4a 2  a2  0 
temos: .
a a
 1 1  1  4
4a 2 a2

11. (UERJ) Uma bola de beisebol é lançada de um ponto 0 e, em seguida, toca o solo nos pontos A e B,
conforme representado no sistema de eixos ortogonais. Durante sua
trajetória, a bola descreve duas parábolas com vértices C e D. A
x 2 2x
equação de uma dessas parábolas é y    . Se a abscissa
75 5
de D é 35m, a distância do ponto 0 ao ponto B, em metros, é igual a:
a) 38 b) 40 c) 45 d) 50

2/5  2    75 
xV      .   15 .
Solução. Encontrando o xV na equação informada, temos:

2 1
75

 5 2 

Essa abscissa xV corresponde à parábola maior e está no ponto médio de d(0, A). Logo, A = 30.

Como (35 – A) = (B – 35)  (35 – 30) = (B – 35) 5 = B – 35  B = 40. Logo, a distância de 0 a 40 é 40.
12. O gráfico abaixo mostra o segmento de reta AB, sobre o qual um ponto C (p, q) se desloca de A até
B(3,0). O produto das distâncias do ponto C aos eixos coordenados é variável e tem valor máximo igual a 4,5.
O comprimento do segmento AB corresponde a:
a) 5 b) 6 c) 3 5 d) 6 2
Solução. A reta AB representa uma função afim da forma f(x) = - ax + b, decrescente. O produto das
distâncias representa a área do retângulo de lados p e q. Temos:
 f (p)  a.p  b
  a.p  b  q  b  q  ap
 f (p)  q
i)   q  ap  3a  q  3a  ap
 f (3)  a. 3  b  3a  b  0  b  3a

 f (3)  0

.

Área( retângulo)  p.q  p.(3a  ap)  ap 2  3ap

ii) Área Máxim a(retângulo)  4,5 

Área Máxim a(retângulo)   
 4a
9a 2  4( a ).(0) 9a 2
 4,5     4,5 
4(a ) 4a
 9a 2  18a  0  9a( a  2)  0  a  2  ( a  0). Logo, b  3( 2)  6

Logo, o ponto A possui coordenadas (0,6). O triângulo OAB possui


hipotenusa AB, temos:
AB  62  32  36  9  45  3 5 .