Você está na página 1de 34

VOL.

#as�
ESTUDO
��

C a
Língua Portuguesa
ANOS FINAIS
DO ENSIN
O FUNDAMENTAL
6 º A NO

CEFAE
Célula de
Fortalecimento da
Alfabetização e
Ensino Fundamental

CEMUP
Célula de
Fortalecimento da
Gestão Municipal
e Planejamento de Rede
Governador
Camilo Sobreira de Santana

Vice-Governadora
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Secretária da Educação
Eliana Nunes Estrela

Secretário Executivo de Cooperação com os Municípios


Márcio Pereira de Brito

Coordenadora de Cooperação com os Municípios para Desenvolvimento da Aprendizagem na Idade


Certa
Maria Eliane Maciel Albuquerque

Articulador de Cooperação com os Municípios para Desenvolvimento da Aprendizagem na Idade Certa


Denylson da Silva Prado Ribeiro

Orientador da Célula de Fortalecimento da Gestão Municipal e Planejamento de Rede


Idelson de Almeida Paiva Junior

Equipe do Eixo de Gestão – SEDUC


Ana Paula Silva Vieira Trindade - Gerente
Cintia Rodrigues Araújo Coelho
Fernando Hélio dos Santos Costa
Maria Angélica Sales da Silva - Gerente
Raquel Almeida de Carvalho

Orientadora da Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental


Francisca Rosa Paiva Gomes

Gerente dos Anos Finais do Ensino Fundamental


Izabelle de Vasconcelos Costa

Equipe do Eixo dos Anos Finais do Ensino Fundamental


Ednalva Menezes da Rocha
Galça Freire Costa de Vasconcelos Carneiro
Ive Marian de Carvalho
Izabelle de Vasconcelos Costa
Tábita Viana Cavalcante

Autora
Ive Marian de Carvalho

Revisão de Texto
Ive Marian de Carvalho
Izabelle de Vasconcelos Costa

Designer Gráfico
Raimundo Elson Mesquita Viana

Ilustrações utilizadas (Capas)


Designed by brgfx/Freepink
ATIVIDADE IX
Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
Caro aluno, os textos nem sempre apresentam palavras ou expressões em seu sentido
literal, ou seja, tal como está no dicionário. Muitas vezes, elas estão no sentido conotativo,
ou seja, no sentido figurado. Para compreender o sentido figurado de uma palavra ou
expressão, é necessário analisar o contexto no qual está sendo utilizado. O uso do sentido
figurado é muito comum na literatura e nas propagandas e anúncios. Para que você
compreenda a linguagem conotativa (figurada) é preciso que identifique não apenas a
ideia, mas também que leia as entrelinhas, ou seja, procure compreender aquilo que não
está explícito no texto. Isso exigirá de você uma interação com seu conhecimento de
mundo, recuperando em sua memória informações que você tenha sobre o tema
apresentado no texto. Dessa forma, você será capaz de compreender o sentido global do
texto. Quando a palavra ou expressão está em seu sentido conotativo (figurado), é
necessário, muitas vezes, inferir o seu significado. Inferir significa realizar um raciocínio
com base em informações que você já possui, para então se chegar a informações novas,
que não estejam explicitamente marcadas no texto. Para que isto fique claro, observe a
questão a seguir.

Leia o texto.

Bons amigos
Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!
Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende! [...]
Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade
Ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!
Benditos sejam todos os amigos de raízes,
verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade! [...]
Disponível em: <http://radioglobo.globoradio.globo.com/manha-da-globo-sp/2011/07/20/VOCE-
MERECE-SER-FELIZ-BONS-AMIGOS.htm>. Acesso em:
31 mar 2020.

1. No verso “Amigo é a base quando falta o chão”, a palavra destacada tem o mesmo
sentido de
a) detalhe.
b) ensinamento.
c) local.
d) suporte.
GABARITO: alternativa D.
Inicie esta atividade lendo atentamente o texto. Em seguida, leia o comando da questão.
Observe que ela pede para você identificar o sentido de uma palavra que está no texto.
Nesse caso, é necessário que você faça uma inferência, ou seja, descubra a informação
que está sendo solicitada, observando o contexto no qual a palavra foi usada. Em seguida,
leia as alternativas, verificando se a informação que a alternativa apresenta está de acordo
com o contexto apresentado. Ao fazer essa verificação, você perceberá que a alternativa
correta é a (d), pois, no contexto, a palavra base tem o mesmo sentido de suporte,
sustentação, já que, segundo o autor, os amigos nos amparam, nos sustentam quando falta
o nosso chão.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade inferir o
sentido de uma palavra ou expressão.

Leia o texto seguir.

A boneca Guilhermina
Esta é a minha boneca, a Guilhermina. Ela é uma boneca muito bonita, que faz
xixi e cocô. Ela é muito boazinha também. Faz tudo o que eu mando. Na hora de dormir,
reclama um pouco. Mas depois que pega no sono, dorme a noite inteira! Às vezes ela
acorda no meio da noite e diz que está com sede. Daí eu dou água para ela. Daí ela faz
xixi e eu troco a fralda dela. Então eu ponho a Guilhermina dentro do armário, de castigo.
Mas quando ela chora, eu não aguento. Eu vou até lá e pego a minha boneca no colo.
A Guilhermina é a boneca mais bonita da rua.
MUILAERT, A. A boneca Guilhermina. In: As reportagens de Penélope. São Paulo:Companhia das
Letrinhas, 1997, p. 17. Coleção Castelo Rá-Tim-Bum – Vol. 8.

2. “Mas quando ela chora, eu não aguento. Eu vou até lá e pego a minha boneca no colo”.
A expressão sublinhada significa que a menina sente
a) impaciência com a boneca.
b) pena da boneca.
c) saudades da boneca.
d) raiva da boneca.

Leia o texto abaixo.

Elixir
Numa cidadezinha do interior, um jovem vendedor ambulante oferecia um
maravilhoso produto chamado Elixir da Longa Vida. Na praça central, ele gritava
empolgado:
– Todo dia tomo uma colher desse elixir e olhem o resultado: já vivi 300 anos!
Ouvindo isso, os espectadores logo correram para a banca abarrotada de vidros,
onde um garotinho atendia a multidão. Foi quando um outro negociante, muito esperto,
resolveu desmascarar aquela charlatanice. Foi até o menino e perguntou em voz alta para
todo mundo ouvir:
– Que história é essa? O seu patrão já viveu trezentos anos mesmo?
E o menino respondeu:
– Eu não tenho certeza. Só trabalho para ele há 120 anos.
AVIZ, Luiz (org.). Piadas da internet para crianças espertas. Rio de Janeiro:
Record, 2001, p. 77.
3. “Foi quando um outro negociante, muito esperto, resolveu desmascarar aquela
charlatanice”. A palavra em destaque no trecho tem o mesmo sentido de
a) brincadeira.
b) enganação.
c) gritaria.
d) multidão.
ATIVIDADE X
Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.
Caro aluno, ao ler textos você certamente se depara com fatos e com opiniões relacionadas
a estes fatos. Fato é algo que acontece independente de sua vontade e a opinião é o produto
de sua visão sobre esse fato. O fato é aquilo que realmente aconteceu, que existe e pode
ser provado, enquanto que a opinião é o que alguém pensa que ocorreu, uma interpretação
dos fatos, é o ponto de vista que uma pessoa tem a respeito de algo, que tanto pode ser
verdadeiro como não. A diferença entre um fato e uma opinião pode estar bem demarcada
no texto ou pode exigir a integração de informações de diversas partes do texto. Para que
se torne mais claro, observe a questão a seguir.

Leia o texto.

A menina corajosa
Esta história aconteceu com a minha bisavó paterna e foi contada pela filha dela,
que é minha avó. Quando criança, minha bisavó morava num sítio. Seu pai sustentava a
família trabalhando na roça. Todos os dias, ela ia levar comida para o pai no roçado, um
lugar longe de casa. Sua cachorrinha sempre ia com ela.
Um dia, quando levava a marmita para o pai, andando bem tranquila pela trilheira,
num lugar onde a mata era fechada, viu que a cachorrinha começou a choramingar e a se
enrolar nas próprias pernas. A menina percebeu que alguma coisa estranha estava
acontecendo.
Olhou para os lados e viu uma onça bem grande, com o bote armado, a ponto de
pular do capinzeiro em cima dela.
No que viu a onça, a menina ficou encarando a danada. Pouco a pouco, sempre
olhando para o bicho, ela foi se afastando para trás sem se virar. Quando pegou uma boa
distância, a menina correu em disparada até se sentir segura.
Quando chegou em casa, estava sem voz. Depois de muito tempo é que conseguiu
falar.
Os homens da fazenda pegaram as armas e foram procurar a onça. Mas não a
encontraram.
Minha bisavó era uma menina muito corajosa, porque na hora em que ela viu a
onça, conseguiu lembrar do que o povo dizia: “Onça não ataca de frente, porque tem medo
do rosto da pessoa. Quem quiser se ver livre dela basta encarar a danada e não lhe dar as
costas”.
TOMAZ, Cristina Macedo. De boca em boca. São Paulo: Salesiana, 2002. Adaptado.

1. O trecho em que aparece uma opinião da menina acerca da bisavó é


a) “Quando criança, minha bisavó morava num sítio”.
b) “Todos os dias, ela ia levar comida para o pai no roçado”.
c) “No que viu a onça, a menina ficou encarando a danada”.
d) “Minha bisavó era uma menina muito corajosa [...]”.

GABARITO: alternativa D.
Inicie esta atividade lendo o texto atentamente. Em seguida, leia o comando da questão.
Observe que ela pede que você identifique, no texto, uma opinião da menina em relação
à bisavó. Em seguida, leia as alternativas. Ao analisá-las com atenção, você perceberá
que as alternativas (a), (b) e (c) estão incorretas porque não apresentam opiniões, mas sim
fatos apresentados no texto. Portanto, a alternativa correta é (d), que apresenta a opinião
da menina em relação à bisavó, ou seja, a de que ela era uma menina bastante corajosa.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de distinguir
um fato de uma opinião.

Leia o texto a seguir.

Direitos da Criança
Direito à infância
Desde o momento em que nasce, toda criança se torna cidadã. E por isso, criança
também tem direitos. Não é porque são pessoas pequenas que as crianças são menos
importantes. Pelo contrário: elas devem receber atenção especial, pois a infância é a fase
mais importante da vida.
Para que todos tenham uma infância legal, a ONU (Organização das Nações
Unidas) criou um conjunto de direitos para as crianças. É a Declaração Universal dos
Direitos da Criança, escrita em 1959.
Essa declaração assegura que todas as crianças tenham direitos iguais. [...]
Desde o nascimento, toda criança tem direito a um nome e uma nacionalidade,
tem direito a crescer e se desenvolver com saúde, alimentação, habitação, recreação e
assistência médica adequadas. [...]
Disponível em: <http://www.canalkids.com.br/cidadania/direitos/crianca.htm>. Acesso em: 7 mar.
2012. Fragmento.

2. O trecho em que é possível identificar a opinião do autor a respeito das crianças é


a) “Desde o momento em que nasce, toda criança se torna cidadã”.
b) “Não é porque são pessoas pequenas que as crianças são menos importantes”.
c) “[...] a ONU criou um conjunto de direitos para as crianças”.
d) “Desde o nascimento, toda criança tem direito a um nome e uma nacionalidade”.

Leia o texto abaixo.

Quadrinhos verdes
Conheça Animalândia, a fantástica terra onde todos os bichos são vegetarianos e
conversam com o homem sobre a importância da preservação do meio ambiente! Este foi
o sonho de Florinha. Ela resolveu contá-lo durante a aula e a professora aproveitou para
falar sobre ecologia e preservação com toda a turma. Aposto que você também vai adorar!
Ciência Hoje das Crianças. n. 220. jan./fev. 2011. p. 24.

3. É possível observar a opinião do autor no trecho


a) “Este foi o sonho de Florinha”.
b) “Ela resolveu contá-lo durante a aula [...]”.
c) “A professora aproveitou para falar [...]”.
d) “Aposto que você também vai adorar!”.
ATIVIDADE XI
Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos,
foto, etc.).
Caro aluno, alguns textos apresentam a linguagem verbal associada à linguagem não
verbal, como, por exemplo, propagandas, tiras, charges, fotos, desenhos, esquemas,
gráficos e tabelas. Estes textos, chamados de textos multimodais, estão cada vez mais
comuns em nossa sociedade e certamente você faz uso ou tem contato com eles,
principalmente quando está na internet. Eles também estão nos outdoors, nas propagandas
de TV, no rádio. Portanto, como a nossa sociedade está cada vez mais visual, é muito
importante que você aprenda a interpretar este tipo de texto, relacionando os elementos
visuais aos verbais. Para ficar mais claro, observe a questão a seguir.

Observe o gráfico abaixo.

Fonte: https://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2016/junho/imagem/acucar210616.jpg. Acesso em 1


abr 2020.

1. De acordo com o gráfico acima, é possível afirmar que


a) a União Europeia é o maior consumidor de açúcar do mundo.
b) a Índia consome mais açúcar que a China e o Brasil.
c) os Estados Unidos consomem mais açúcar que a União Europeia.
d) a Indonésia é o país que consome menos açúcar no mundo.

GABARITO: alternativa B.
Inicie esta atividade observando, de modo geral, os elementos visuais, como o desenho
do gráfico, suas cores e proporções. Este é um exemplo de gênero multimodal, ou seja,
que utiliza linguagem verbal e não verbal.
Por fim, leia o comando da questão e as alternativas. Ao analisá-las, você perceberá que
a alternativa (a) está incorreta, pois o maior consumidor de açúcar no mundo é a Índia, e
não a União Europeia. A alternativa (c) também está incorreta, pois a União Europeia
consome mais açúcar que os Estados Unidos. A alternativa (d) também não está correta,
pois o país que menos consome açúcar no mundo, segundo o gráfico, é o Paquistão. Dessa
forma, a alternativa correta é a (b), que afirma que a Índia consome mais açúcar que a
China e o Brasil.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de interpretar
texto com auxílio de material gráfico diverso.

Observe a tirinha abaixo.

Fonte: https://tirasarmandinho.tumblr.com/post/114791164189/uma-das-primeiras-tiras-est%C3%A1-
no-armandinho-zero. Acesso em 1 abr 2020.

2. De acordo com a tirinha, a mãe de Armadinho pediu ao menino que


a) conversasse com o pai sobre o dia de trabalho.
b) oferecesse um pedaço de chocolate ao pai.
c) pedisse dinheiro ao pai para comprar chocolate.
d) perguntasse ao pai se poderia comer chocolate.

Observe a placa abaixo.

Fonte: https://www.americanas.com.br/produto/36531582. Acesso em 1 abr 2020.

3. De acordo com a placa, é preciso ter cuidado com o cão, pois ele é
a) bravo.
b) dorminhoco.
c) feio.
d) pequeno.
ATIVIDADE XII
Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.
Caro aluno, sempre que nos comunicamos, seja através de textos escritos ou de textos
orais, há sempre uma intenção que acompanha os textos que produzimos, mesmo quando
a conversa é boba e sem sentido ou quando a piada é despretensiosa. Afinal, somente
intencionamos falar ou escrever algo mediante um propósito, ou seja, todo texto é
produzido com um objetivo. Dessa forma, para termos uma compreensão adequada do
texto, é importante reconhecermos as intenções do autor, reconhecendo a finalidade para
qual aquele texto foi produzido. Há inúmeras possibilidades que o usuário da língua
possui para se comunicar através dos incontáveis textos presentes na sociedade, os quais
denominamos de gêneros textuais. Além do propósito comunicativo, esses gêneros são
produzidos a partir de um contexto social, cultural e histórico específico que determinará
suas características e seu público-alvo. Todas essas informações são essenciais para que
o leitor possa fazer uma interpretação adequada do texto. Para que se torne mais claro,
observe a questão a seguir.

Leia o texto abaixo.

Sorvete de maracujá fácil


INGREDIENTES

SORVETE:
1 lata de leite condensado
A mesma medida de suco de maracujá
2 colheres de sopa de limão

CALDA:
1 maracujá
1 xícara (chá) de água
2 colheres (sopa) de açúcar

MODO DE PREPARO
Coloque o suco de maracujá, o leite condensado e o suco de limão no copo do
liquidificador, bata até obter cremosidade.
Coloque em um refratário e leve ao freezer por 5 horas.

CALDA:
Leve todo os ingredientes ao fogo até levantar fervura, deixei mais 1 minuto e desligue.
Depois coloque a calda sobre o sorvete na taça.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Dica: se quiser maior cremosidade acrescente 3 claras batidas em neve. Substitua o suco
de maracujá por manga, limão, abacaxi, goiaba ou morango.
Fonte: https://www.tudogostoso.com.br/receita/64505-sorvete-de-maracuja-facil.html. Acesso em 1 abr
2020.
1. O texto acima foi produzido para
a) apresentar um produto.
b) ensinar uma receita.
c) fazer uma propaganda.
d) listar itens para compras.

GABARITO: alternativa B.
Inicie esta atividade lendo o texto com bastante atenção. Preste atenção não apenas no
conteúdo, mas na estrutura do texto. Se você o analisar bem, perceberá que se trata de um
texto do gênero receita, pois apresenta o título da sobremesa, lista de ingredientes e o
modo de fazer, com verbos no imperativo, indicando o passo a passo de execução do
prato. Em seguida, leia o comando da questão. Ela solicita que você identifique a
finalidade desse texto, ou seja, com qual objetivo ele foi escrito. Em seguida, leia as
alternativas. Você perceberá que as alternativas (a), (c) e (d) estão incorretas porque o
texto não ter por objetivo apresentar um produto, fazer uma propaganda ou listar itens
para compras, mas sim ensinar uma receita. Por esta razão, a alternativa correta é a (b).
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de identificar
a finalidade de textos de diferentes gêneros.

Leia o texto a seguir.

Vou de ônibus
Ridícula a matéria sobre os jovens que nunca andaram de ônibus. Não faz parte
do cotidiano da maioria das pessoas que leem o jornal e sim de uma minoria rica que
parece viver num universo paralelo.
P.G.C. Folhateen, suplemento do jornal Folha de S.Paulo. São Paulo, 28 nov.2005. Adaptado.

2. O texto acima tem por objetivo


a) divertir o leitor.
b) fazer uma crítica.
c) informar um fato.
d) relatar um acontecimento.

Leia o texto abaixo.

Luiza,
Estou levando as crianças para um passeio no
shopping. Voltaremos no final do dia. Não se
preocupe em preparar lanches pra gente, vamos
comer alguma coisa na lanchonete.
Um beijo.
Marcelo.
Fonte: acervo da equipe pedagógica.
3. A finalidade desse texto é
a) dar um recado.
b) ensinar uma receita.
c) fazer um convite.
d) vender um produto.
ATIVIDADE XIII
Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos
que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e
daquelas em que será recebido.
Caro aluno, atividades que envolvem a relação entre textos são essenciais para que você
construa a habilidade de analisar o modo de tratamento do tema dado pelo autor e as
condições de produção, recepção e circulação dos textos. Essas atividades podem
envolver a comparação de textos de diversos gêneros, como os produzidos por você
mesmo, textos extraídos da Internet, de jornais, revistas, livros e textos publicitários, entre
outros. Comparar é descobrir as relações de semelhança ou de diferenças entre as
situações do texto. Para ficar mais claro, observe a questão a seguir.

Leia os textos a seguir.

Texto 1
A dengue em crianças
Você já ouviu falar na dengue? Com certeza, sim. Afinal, essa doença, causada
por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, é muito comum no verão e no
período chuvoso, devido ao maior acúmulo de água em terrenos abandonados. Febre alta,
dores de cabeça, nos músculos e nas articulações são alguns dos sintomas dessa moléstia.
Mas você sabia que eles são mais comuns nos adultos? [...]
De acordo com a pediatra Consuelo Oliveira, da Sociedade de Pediatria do Pará,
ao contrário dos adultos, as crianças não costumam sentir dores de cabeça tão fortes. Em
compensação, podem ter acessos de vômito e dores abdominais. Por outro lado, a febre,
que costuma ser alta nos adultos, é mais branda nas crianças. Assim, a doença acaba
muitas vezes sendo confundida com uma gripe. [...]
Como se vê, todo cuidado é pouco com essa doença. É claro, porém, que a melhor
forma de combatê-la é não permitir o desenvolvimento do seu transmissor, o mosquito
Aedes aegypti, que adora água limpa e parada para se reproduzir. Por isso, deve-se evitar
o acúmulo de água em qualquer tipo de recipiente, como vasos de plantas, latas ou pneus.
[...]
Disponível em: <http://chc.cienciahoje.uol.com.br/a-dengue-em-criancas/>. Acesso em: 10 abr.
2014. Fragmento.

Texto 2

Fonte: http://ncstrs.blogspot.com/2016/02/amanha-e-o-dia-d-contra-o-mosquito-da.html. Acesso em 1 abr


2020.
1. Ao compararmos os dois textos, percebemos que ambos tratam
a) da importância de se combater a dengue.
b) das formas de se combater o mosquito.
c) do papel das crianças no combate à dengue.
d) dos sintomas da dengue em crianças.

GABARITO: alternativa A.
Inicie esta atividade lendo com atenção o texto 1. Em seguida, observe o texto 2,
atentando-se tanto às imagens quanto ao texto verbal que o compõem. Procure identificar
o tema dos dois textos, que é o combate à dengue. Em seguida, leia o comando da questão.
Ela pede que você identifique o que os dois textos têm em comum. Agora, leia as
alternativas uma por uma e observe a pertinência ou não de cada afirmação dita. A
alternativa (b) está incorreta, pois não há no texto 2 uma listagem de maneiras de se
combater o mosquito da dengue. A alternativa (c) está incorreta porque só se fala da
relação entre dengue e crianças no texto 1. A alternativa (d) também está incorreta porque
os sintomas da dengue em crianças só são discutidos no texto 1. Portanto, a alternativa
correta é a (a), pois os dois textos tratam da importância de se combater a dengue.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de reconhecer
diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do
mesmo tema.

Leia os textos a seguir.

Texto 1

Como se prevenir do coronavírus?


Sem tratamento específico, o coronavírus deve ser combatido com medidas de prevenção

Não há no momento um tratamento específico para o novo coronavírus. E, se


também não temos uma vacina, como se prevenir desse agente infeccioso originário da
China?
A população brasileira está preocupada com esse novo vírus, porque não
conhecemos a fundo seus sintomas e complicações e mesmo sua capacidade de
transmissão. E porque o primeiro caso da doença em território nacional foi confirmado
no dia 26 de fevereiro.
Ele é transmitido por gotículas de saliva e catarro que se espalham pelo ambiente.
Até por isso, a principal forma de prevenção é lavar as mãos com água e sabão
frequentemente, em especial após tossir, espirrar, ir ao banheiro e mexer com animais.
Ter um frasco de álcool gel na bolsa também é indicado. [...] Mantenha distância de
pessoas que apresentem sintomas como tosse, coriza e febre. Por outro lado, ao espirrar
e tossir, cubra o rosto com um braço ou lenço descartável. Seguindo essas orientações,
você cuida de quem está ao seu redor e de si mesmo. [...]
Fonte: https://saude.abril.com.br/medicina/como-se-prevenir-coronavirus/. Acesso em 1 abr 2020.
Fragmento. Adaptado.
Texto 2

Fonte: https://www.accamargo.org.br/noticias/coronavirus-como-se-proteger. Acesso em 1 abr 2020.

2. Após a leitura dos textos é possível afirmar que ambos


a) apresentam maneiras de se proteger do coronavírus.
b) explicam a origem do coronavírus.
c) informam sobre a ausência de uma vacina.
d) relatam a preocupação dos brasileiros com a doença.

Leia os textos.

TEXTO I

Troco um fusca branco


Por um cavalo cor de vento
Um cavalo mais veloz que o pensamento.
Quero que ele me leve pra bem longe
E que galope ao deus-dará
Que já me cansei deste engarrafamento...
MURRAY, Roseane. Classificados poéticos. São Paulo: Companhia Ed. Nacional, 2004.
TEXTO II

VENDO OU TROCO caminhão Ford 1971

VENDO OU TROCO F-100 AZUL ANO 71 DIESEL

MECANISMO OPERACIONAL

VALOR: R$10.000,00

(aceito troca por veículo de passeio)

tel: 9999-9999

3. Na comparação dos dois textos, concluímos que


a) o texto I é um classificado de jornal e o texto II, uma poesia.
b) o texto II é um anúncio de jornal e o texto I, uma poesia.
c) os dois textos falam de carros de uma maneira poética.
d) os dois textos falam de carros de uma maneira técnica.
ATIVIDADE XIV
Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.
Caro aluno, a narração é um tipo textual que pode estar presente em diversos gêneros que
circulam na sociedade. O objetivo de todo texto narrativo está no relato de fatos ocorridos
em determinado tempo e espaço, com a participação de personagens e de um narrador
que desenvolva essa contação, seja ela verídica e/ou ficcional. Entre os elementos que
compõem uma narrativa temos ainda o conflito gerador que é o fato que motivou a
narrativa, ou seja, algo importante o bastante para fazer com que a história se desenvolva.
Para que se torne mais claro, observe a questão a seguir.

Leia o texto.

O MACACO E A VELHA
Havia uma velha, muito velha, chamada Marocas. Ela possuía um lindo bananal.
Mas a coitadinha da velha comia poucas bananas, pois havia um macaco que lhe roubava
todas. Um dia, Marocas, cansada de ser roubada, teve uma ideia. Comprou no armazém
vários quilos de alcatrão e com ele fez um boneco. Colocou-o num grande tabuleiro e o
levou para o meio do bananal, pensando em dar uma lição no macaco. Logo que Marocas
voltou para casa, lá veio o macaco Simão de mansinho. Quando avistou o boneco, zangou-
se pensando que ele lhe roubava as bananas.
O macaco, muito zangado, deu-lhe uns sopapos, ficando com a mão grudada no
alcatrão. Deu-lhe um pontapé. Ficou preso no boneco também o seu pé. O macaco deu,
então, uma cabeçada e ficou todinho grudado. Marocas, saindo do barraco, pegou o
chicote e surrou o macaco e só parou quando Simão, dando três pulos, desgrudou-se do
alcatrão e fugiu.
Certa manhã, Simão teve uma ideia para se vingar da velha Marocas. Ele entrou
numa pele de leão que encontrou na floresta. Pulou o muro da casa da velha e escondeu-
se no bananal. Quando a velha apareceu, Simão soltou um urro terrível e deu-lhe um bote.
A velha gritou e tentou fugir, mas, naquele alvoroço, caiu bem no fundo do poço que
havia no quintal. O macaco, vendo o perigo que ela corria, ficou muito triste, pois queria
assustá-la, mas não matá-la.
Saiu bem rápido de dentro da pele e, olhando em volta, subiu num pé de jamelão,
pegou num galho bem grosso e espichou bem o rabo até o fundo do poço. Os gritos
chamaram a atenção dos vizinhos que, chegando ao bananal, surpreenderam-se com a
cena. O macaco fazendo força, trazendo Marocas dependurada no seu rabo. Depois desse
dia, as coisas mudaram. Marocas e o macaco ficaram amigos. Era uma beleza! Ela, em
vez de pancadas, dava-lhe bananas e doces.
CAPPELLI, Alba; DIAS, Dora. O macaco e a velha. Coleção Lua de papel. FTD. Adaptado: Reforma
Ortográfica.

1. O fato que deu início às brigas entre Marocas e o macaco foi


a) a velha cair no poço no meio do bananal.
b) a velha fazer um boneco de alcatrão.
c) o macaco assustar Marocas com a pele de leão.
d) o macaco roubar as bananas de Marocas.

GABARITO: alternativa D.
Inicie esta atividade lendo o texto atentamente. Em seguida, leia o comando da questão.
Observe que ela pede que você identifique qual o fato que deu início às brigas entre
Marocas e o macaco, ou seja, o conflito gerador da narrativa. Nesse caso, você deve ser
capaz de compreender que o texto é composto por diversos fatos que foram motivados
por algo específico, ou seja, você deve descobrir o que motivou a narrativa, o que causou
todas as ações do texto. Assim, é necessário que você faça uma leitura atenta com o
objetivo de diferenciar os fatos daquilo que os motivou. Após a leitura do texto, leia as
alternativas, verificando se a informação que a alternativa apresenta está de acordo com
o que a questão solicita. Ao fazer essa verificação, você perceberá que a alternativa
correta é a (d), pois todos os outros fatos mencionados nas outras alternativas
aconteceram depois de o macaco começar a roubar as bananas de Marocas.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de identificar
o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.

Leia o texto abaixo.

Aí vem a chuva
Numa pequena aldeia, vive um africano chamado Sambo. Lá, a cada verão, fica
mais quente, muito quente. Mas este ano está um desastre: nem uma gota de chuva há
seis meses! É a seca. O sol está queimando, plantações estão morrendo e a água está muito
escassa! A vila inteira está preocupada. O que fazer? Todos os dias, Sambo sai em busca
de água potável, às vezes, deve buscá-la longe... Sambo viaja muitos quilômetros.
Nesta manhã, Sambo está desesperado para encontrar água e começa a chorar. Em
seguida, ouve um coaxar perto dele: um sapo. “Olá” – diz ele – “Por que você está
chorando?” “Por causa da água” – explica Sambo – “Nós não temos nada para beber!”.
O sapo fala: “E você não sabe que os sapos conhecem os segredos da água? Nós até
sabemos como fazer chover!”. Então o rosto de Sambo fica iluminado com essa notícia.
“Vá para casa e acredite em mim” – ordena o sapo. Então, Sambo retorna para casa com
o coração leve. Sem dizer nada para os outros, ele espera pela noite, cruzando os dedos.
Finalmente, a noite cai sobre a aldeia. Em seguida, o primeiro coaxar pode ser
ouvido, a primeira luz, então mais forte. São os sapos cantando a canção da chuva!
Durante toda a noite, eles cantam. E, ao amanhecer, a chuva começa a cair. Todo mundo
sai de suas casas e corre para fora. É uma explosão de alegria na aldeia!
MURAT, D’Annie. 365 histórias – uma para cada dia do ano! Tradução de Martim G.
Wollstein. Blumenau: Blu, 2010. p. 139-140.

2. O acontecimento que permitiu que essa história acontecesse foi


a) os moradores da vila explodirem de alegria com a chuva.
b) os sapos cantarem a canção da chuva durante a noite.
c) o Sambo encontrar um sapo que conhece os segredos da água.
d) o Sambo voltar para sua casa acreditando no que o sapo disse.

Leia o texto abaixo.

O Leão e o Inseto

Um Inseto se aproximou de um Leão e disse sussurrando em seu ouvido: “Não


tenho nenhum medo de você, nem acho você mais forte que eu. Se você duvida disso, eu
o desafio para uma luta, e, assim, veremos quem será o vencedor.”
E voando rapidamente sobre o Leão, deu-lhe uma ferroada no nariz. O Leão,
tentando pegá-lo com as garras, apenas atingia a si mesmo, ficando, assim, bastante
ferido.
Desse modo, o Inseto venceu o Leão, e entoando o mais alto que podia uma canção
que simbolizava sua vitória sobre o Rei dos animais, foi embora relatar seu feito para o
mundo.
Mas, na ânsia de voar para longe e rapidamente espalhar a notícia, acabou preso
numa teia de aranha.
Então se lamentou dizendo: “Ai de mim, eu que sou capaz de vencer a maior das
feras, fui vencido por uma simples Aranha.”
Moral da História: O menor dos nossos inimigos é frequentemente o mais perigoso.
ESOPO. Disponível em: <http://sitededicas.uol.com.br>. Acesso em: 24 mar. 2010.

3. O conflito gerador dessa história foi


a) o Inseto desafiar o Leão para uma luta.
b) o Leão se ferir ao tentar pegar o inseto.
c) O Inseto sair relatando seu feito para o mundo.
d) o Inseto ficar preso na teia da Aranha.
ATIVIDADE XV

Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto.


Caro aluno, você já sabe que quem entende como os autores articulam as ideias de um
texto tem mais chances de ser bom em interpretação textual. Para que seja capaz de
realizar uma leitura eficiente, o leitor precisa perceber que todo texto tem um projeto de
dizer e este projeto está articulado a partir de uma informação principal e das informações
que a complementam, seja ilustrando, seja enriquecendo. Estas informações que
enriquecem e complementam a informação principal são chamadas de informações
secundárias. A relação entre a informação principal e as secundárias garantem a coerência
e a coesão do texto. Para que você consiga identificar a informação principal de um texto,
é necessário que relacione as diferentes informações de forma a construir o seu sentido
total, ou seja, que relacione as diversas partes que compõem o todo significativo que é o
texto. Para que se torne mais claro, observe a questão a seguir.

Leia o texto.

Cerca de 20 mil se despedem do poeta Patativa


Foi decretado feriado ontem em Assaré (623Km de Fortaleza) para a população
local homenagear o principal poeta popular do Brasil, Antonio Gonçalves da Silva, o
Patativa do Assaré, que morreu anteontem, aos 93 anos. As homenagens começaram logo
depois da morte, às 18h30. Parte da população (de 20 mil habitantes) acampou durante
toda a madrugada na frente da casa do poeta. (...) À tarde, como o número de visitantes
aumentou muito, o velório foi transferido para a catedral da cidade, onde sanfoneiros
repetiam A Triste Partida, poema cantado por Luiz Gonzaga. O cearense Fagner também
gravou a música, mas preferiu cantar ontem o poema Vaca Estrela e Boi Fubá para
homenageá-lo em missa assistida por cerca de 10 mil pessoas. O enterro aconteceu às
17h, no cemitério São João Batista. A PM calcula que passaram pelo funeral cerca de 20
mil pessoas. O Estado do Ceará decretou luto de três dias.
Beltrão, Eliana Santos; Gordilho, Terezinha. Novo Diálogo.

1. O fragmento que contém a informação principal do texto é


a) “Foi decretado feriado ontem em Assaré para a população local homenagear o principal
poeta popular do Brasil, Antonio Gonçalves da Silva, o Patativa do Assaré, que morreu
anteontem aos 93 anos.”
b) “À tarde, como o número de visitantes aumentou muito, o velório foi transferido para
a catedral da cidade, onde sanfoneiros repetiam A Triste Partida, poema cantado por Luiz
Gonzaga.”
c) “O cearense Fagner também gravou a música, mas preferiu cantar ontem o poema Vaca
Estrela e Boi Fubá para homenageá-lo em missa assistida por cerca de 10 mil pessoas.”
d) “O enterro aconteceu às 17h, no cemitério São João Batista. A PM calcula que
passaram pelo funeral cerca de 20 mil pessoas. O Estado do Ceará decretou luto de três
dias.”

GABARITO: alternativa A.
Inicie esta atividade fazendo uma leitura atenta do texto, colhendo informações
importantes para a construção de seu sentido. Em seguida, leia o comando da questão.
Ela pede que você identifique qual parte do texto contém a informação principal. Leia,
também, as alternativas. Observe que as alternativas (b), (c) e (d) apresentam informações
que são importantes, porém secundárias no texto - elas apenas complementam a
informação principal, que é a de que Patativa do Assaré morreu e recebeu inúmeras
homenagens. Portanto, a alternativa correta é (a).
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de diferenciar
partes principais de partes secundárias em um texto.

Leia o texto a seguir.

Trechos de músicas infantis são modificados por pais e escolas


Se atirar o pau no gato, pode ir em ‘cana’. Assim como o cravo que, depois de
brigar com a rosa, foi enquadrado na Lei Maria da Penha. Quem não se lembra dessas
personagens? Peças centrais em canções infantis e que, no mundo moderno, estão com os
dias contados. As escolas para crianças, principalmente até os seis anos, deram novos
rumos para tais histórias: sem qualquer resquício de violência e um final feliz. O cravo,
por exemplo, “encontrou a rosa, ficou feliz. E a rosa ficou encantada”. O gatinho, tadinho,
é o nosso amigo. “Não atire o pau no gato, por que isso não se faz.” O medo, a violência
ante o animal e a busca pelo politicamente correto minaram tais versos. Não há nenhuma
portaria ou exigência do Ministério da Educação para que mudanças sejam feitas. Em
Sertãozinho, o vereador Rogério Magrini (PTB), que é humorista e conhecido como
Zezinho Atrapalhado, protocolou em junho de 2015 projeto de lei para proibir que a
cantiga Atirei o Pau no Gato seja entoada nas escolas. A proposta está em tramitação. Há
quem lamente, fale em censura e invoque até a magnitude de um compositor como Heitor
Villa Lobos (1887-1959) que dedicou à música infantil mais de 130 arranjos ao longo de
sua carreira - entre eles, além do O Cravo Brigou com a Rosa e Samba Lelê, que também
foi modificado. A letra original diz “Samba Lelê tá doente/Tá com a cabeça quebrada/
Samba Lelê precisava/ É de umas boas palmadas”. Palmada é agressão e incita a
violência. Agora a professora do maternal ensina assim: “Samba Lelê tá doente/ Com
uma febre malvada/ Assim que a febre passar/ A Lelê vai estudar.” O assunto é polêmico.
Embora os coordenadores pedagógicos mantenham a versão original, com o argumento
de fidelidade à cultura, introduzem as versões adaptadas durante as aulas.
“Não acredito que a letra gere agressividade. Isso fere a nossa cultura, mas
também cantamos as versões recentes. Não tem como ignorar a versão de Atirei o Pau no
Gato porque a Galinha Pintadinha (sucesso entre as crianças) canta”, disse Andreza
Cristina Borges da Costa, coordenadora do Infantário dos Sonhos. (...)
Disponível em:
https://www.diariodaregiao.com.br/index.php?id=/cidades/materia.php&cd_matia=659394. Acesso em
15 ago 2019.

2. A ideia principal do texto é


a) as mudanças nas cantigas de roda tradicionais.
b) a enumeração das letras de cantigas que foram modificadas.
c) a informação de que algumas músicas sugerem agressividade.
d) a censura nas escolas das cantigas de roda tradicionais.
Observe a tirinha.

Fonte: http://notaterapia.com.br/2017/06/12/10-tirinhas-de-armandinho-sobre-o-fascinante-mundo-dos-
livros/. Acesso em 26 ago 2019.

3. Na tirinha de Armandinho, a informação principal é a


a) chateação de Armandinho.
b) crise energética do Brasil.
c) falta de energia na casa de Armandinho.
d) noite divertida que teve ao lado do pai.
ATIVIDADE XVI
Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos
e/ou morfossintáticos.
Caro aluno, além da pontuação, outros recursos podem ser explorados no texto para a
construção de seu sentido. O uso, por exemplo, de recursos morfossintáticos, como uma
palavra no diminutivo, pode indicar desprezo, ironia ou até mesmo, carinho. Observe uma
frase simples, como “Ele é um homenzinho desprezível” e procure identificar com qual
propósito o diminutivo foi utilizado nesse contexto. Será que o homem realmente era
pequeno ou a intenção era realçar o quanto ele era desprezível? Além disso, alguns textos,
principalmente os literários, utilizam recursos estilísticos que os enriquecem e os tornam
mais sugestivos, como, por exemplo, as figuras de linguagem, tais como a onomatopeia,
aliteração, assíndeto e polissíndeto. Para ficar mais claro, observe a questão que se segue.

Observe a tirinha a seguir.

Fonte: https://vacilandia.com/page/2/. Acesso em 13 abr 2020.

1. O uso da palavra “HUMPF!”, no quarto quadrinho, indica que a menina está


a) aborrecida.
b) enjoada.
c) faminta.
d) satisfeita.
GABARITO: alternativa A.
Inicie esta atividade lendo a tirinha com atenção. Em seguida, leia o comando da questão.
Observe que ela pede que você identifique o que o uso da palavra HUMPF! indica em
relação à menina. Se você tiver lido a tirinha atentamente, perceberá que a menina fica
insatisfeita ao saber que o jantar seria milho cozido, como é possível perceber tanto por
suas falas quanto por suas expressões faciais. Ao ler as alternativas, você perceberá, então,
que a alternativa correta é (a), pois a palavra indica que a menina está aborrecida com a
resposta do pai em relação a sua reclamação sobre o jantar.
Agora é com você! Resolva as questões a seguir e exercite a sua habilidade de reconhecer
o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou
morfossintáticos

Leia o texto a seguir.

2. O verso “condena o texto ao poço” foi escrito dessa forma para simbolizar
a) a forma vazia do verso.
b) a queda do texto no poço.
c) o sentimento vazio do poeta.
d) o verso sem graça e insosso.
Leia o texto a seguir.

OS IRMÃOS BACALHAU. Diário Secreto de uma portuguesa / Os Irmãos Bacalhau. São Paulo: Matrix,
2002. In Programa Gestão da Aprendizagem Escolar – Gestar II. Língua Portuguesa: Caderno de Teoria
e Prática 5 – TP5: Estilo, coerência e coesão. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2008.

3. A maneira como a palavra férias foi escrita no texto exprime um sentimento de


a) felicidade.
b) indignação.
c) raiva.
d) tristeza.
GABARITO
ATIVIDADE IX
2. alternativa B
3. alternativa B

ATIVIDADE X
2. alternativa B
3. alternativa D

ATIVIDADE XI
2. alternativa D
3. alternativa D

ATIVIDADE XII
2. alternativa B
3. alternativa A

ATIVIDADE XIII
2. alternativa A
3. alternativa B

ATIVIDADE XIV
2. alternativa C
3. alternativa A

ATIVIDADE XV
2. alternativa A
3. alternativa D

ATIVIDADE XVI
2. alternativa B.
3. alternativa A.