Você está na página 1de 7

Características do Romantismo

Literatura

O Romantismo proclama a liberdade de criação e de expressão.

São características do Romantismo:

• Liberdade de criação e de expressão


• Nacionalismo
• Historicismo
• Medievalismo
• Tradições populares
• Individualismo, egocentrismo
• Pessimismo
• Escapismo
• Crítica social

Essas são características predominantes do movimento, mas suas tendências foram


diversas.

Veja algumas tendências e seus principais temas:

* Nacionalismo, historicismo e medievalismo:

Exaltação dos valores e os heróis nacionais, ambientando seu passado histórico,


principalmente o período medieval.

* Valorização das fontes populares – o folclore:

Os autores buscavam inspiração nas narrativas orais e nas canções populares,


manifestação do nacionalismo romântico.

* Confessionalismo

Os sentimentos pessoais do autor em dado momento de sua vida são expressos nas
obras.

* Pessimismo

A melancolia do poeta inglês Lord Byron se faz presente em todas as literaturas,


portanto há a presença do individualismo e do egocentrismo adquirem traços doentios
de adaptação.
O “mal do século” ou tédio de viver conduz:
- ambiente exótico ou passado misterioso.
- narrativas fantásticas (envolvendo o sobrenatural)
- morte (como última solução)

* Crítica Social

O Romantismo pode assumir um caráter combativo de oposição e crítica social,


observamos sua ocorrência na sua última fase.

As gerações românticas

Há uma nítida evolução através de três gerações de autores, cada geração é marcada por
certos traços e temas.

* Primeira geração

Os primeiros autores conservavam características clássicas (apego às regras da produção


literária).

Principais temas:

Em Portugal
- nacionalismo
- romance histórico
- medievalismo

No Brasil
- indianismo
*
Segunda geração

Período do Ultrarromantismo: exagero pelo subjetivismo e emocionalismo (o tédio,


devaneio, sonho, desejo da morte estão sempre presentes)

* Terceira geração

Essa fase antecipa características da Escola Realista, que substituirá o Romantismo. O


subjetivismo e o emocionalismo cederão lugar para uma literatura de tom exaltado,
baseada nos grandes debates sociais e políticos da época.

Romantismo - Primeira Geração


Introdução
Entende-se por Romantismo um amplo movimento cultural surgido na Alemanha do
século XVIII. Em 1774, Goethe publica Os Sofrimentos do Jovem Werther, que conta a
história de um jovem que se apaixona pela noiva de seu melhor amigo. Como não pode
realizar esse amor, a vida torna-se insustentável, levando o personagem ao suicídio. A
obra teve grande repercussão na Europa e foi acusada de influenciar outros jovens a
buscarem o mesmo fim trágico de Werther. Com isso, Goethe apresenta a ideia central
do Romantismo: a de que a força mais poderosa da vida é o sentimento, e não a razão.
Por isso, o movimento romântico pode ser entendido como uma reação contra a onda de
racionalismo provocada pelo Iluminismo do século anterior.

Características Gerais

O Peregrino Sobre o Mar de Névoas (1818)


(Foto: Pintura: Caspar David Friedrich / Reprodução)

A tela representa a tendência ao individualismo, um dos valores cultivados pelo


romantismo.

Com a obra Os Sofrimentos do jovem Werther, Goethe apresenta os grandes temas do


movimento romântico na Europa:

- Liberdade de criação
- Sentimentalismo
- Supervalorização do amor
- Idealização da mulher
- Mal-do-século
- Evasão no tempo e no espaço

Vejamos como essas características se manifestam no Romantismo brasileiro.

Romantismo no Brasil
Em 1808, a família real portuguesa, fugindo do avanço das tropas napoleônicas, resolve
instalar-se no Brasil, abrindo caminho para a emancipação política da colônia, o que
acontece em 1822, quando é declarada oficialmente a Independência do Brasil. O
problema é que, mesmo com o rompimento dos laços políticos com a metrópole, os
intelectuais brasileiros ainda reproduziam os modelos do pensamento europeu. Logo,
surge a necessidade entre nossos pensadores de criar uma arte e uma forma de pensar
que rompesse com os padrões do Velho Mundo. Os escritores românticos brasileiros
buscaram, então, mais do que a independência política – buscaram a independência
cultural.

No Brasil, o movimento romântico costuma em três momentos:

- Primeira geração – fase nacionalista


- Segunda geração – fase ultrarromântica (mal-do-século)
- Terceira geração – fase social (condoreira) 

Agora, você vai ver de que forma cada geração romântica brasileira aprofunda um traço
daquele Romantismo surgido na Europa.

Indianismo e Nacionalismo
No Romantismo, o indivíduo sente-se em desajuste com a sociedade, por isso a
necessidade de fugir da realidade. Um dos mecanismos usados para fugir da realidade é
voltar-se para o passado.

No Romantismo europeu, a volta ao passado histórico leva à Idade Média, onde estão as
origens das nações europeias. Mas, como o Brasil não teve Idade Média, voltar ao passado
significa redescobrir o país antes da chegada dos europeus, quando era habitado por nações
indígenas.

Como exemplo, leia este trecho de Iracema, de José de Alencar: 

“Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a virgem os olhos, que o sol não
deslumbra; sua vista perturba-se. Diante dela e todo a contemplá-la está um guerreiro
estranho, se é guerreiro e não algum mau espírito da floresta.”

Nesse romance, de 1865, o escritor apresenta uma visão poética da formação do povo
brasileiro. De acordo com sua “lenda”, ele tem origem na união do índio, representado por
Iracema, a “virgem dos lábios de mel”, e o branco europeu, representado pelo guerreiro
Martim Repare que o negro ficou de fora do projeto nacionalista-literário da primeira geração. 

Em lugar do cavaleiro medieval, a figura do índio é idealizada porque seria um antepassado


nacional legitimamente brasileiro, e não europeu. Logo, um dos temas centrais da primeira
geração é o indianismo. Outro tema é a exaltação da pátria (nacionalismo ufanista), pois
nossos primeiros românticos entenderam que sua missão era fundar uma identidade
brasileira.  
No plano individual, voltar ao passado significa valorizar a infância, como sugerem estes versos
de Casimiro de Abreu:

Oh! Que saudades que tenho 


Da aurora da minha vida
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais

Valorização da natureza 
Outro mecanismo usado para fugir da realidade é voltar-se para paisagens novas, que podem
ser exóticas, como o Oriente, ou primitivas, como a selva. Por isso, uma das características da
nossa primeira geração romântica é a valorização da natureza pátria. Assim como o índio, foi
escolhida como um dos símbolos da nacionalidade brasileira, como ocorre nos versos de
Gonçalves Dias, do poema Canção do Exílio (1843), um dos mais citados em nossa cultura. 

Minha terra tem palmeiras


Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá

O eu lírico, afastado de seu país, conduz seu pensamento para a natureza, visto como
lugar de refúgio para os angustiados. 

Escritores
Na poesia da primeira geração, predomina a busca pela nacionalidade brasileira. Mas
observamos outras tendências na prosa, como o romance regionalista, o romance
histórico e o romance urbano, aquele que tem como cenário a cidade grande.

Poesia
- Gonçalves Dias (1823 - 1864)
- Casimiro de Abreu (1839 - 1860)

Prosa 
- José de Alencar (1829 - 1877)
- Joaquim Manuel de Macedo (1820 - 1882)
- Manuel Antônio de Almeida (1831 - 1861)

Exercícios
(IBMEC - RJ) SABIÁ
             Tom Jobim  e Chico Buarque
Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Para o meu lugar
Foi lá e é ainda lá
Que eu hei de ouvir 
Uma sabiá

Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Vou deitar à sombra de uma palmeira
Que já não há
Colher a flor que já não dá
E algum amor talvez possa espantar
As noites que eu não queria
E anunciar o dia

Vou voltar
Sei que ainda vou voltar
Não vai ser em vão
Que fiz tantos planos de me enganar
Como fiz enganos de me encontrar
Como fiz estradas de me perder
Fiz de tudo e nada de te esquecer (...)

A canção “Sabiá” é apenas uma das inúmeras releituras e citações que o poema de
Gonçalves Dias, “Canção do Exílio” recebeu a partir do Modernismo. Esse poeta
pertenceu à 1ª geração do Romantismo Brasileiro. Nas opções abaixo, assinale a única
que não apresenta características desse estilo de época.

(A) Nacionalismo, onde a exaltação da pátria somente enaltece as qualidades


(B) Exaltação da natureza
(C) Sentimentalismo e religiosidade
(D) Indianismo
(E) Conceptismo (jogo de idéias) e cultismo (jogo de palavras)

Gabarito
Letra (E). O Conceptismo e o Cultismo são tendências próprias do Barroco, Escola
Literária que tinha como principais representantes no Brasil Gregório de Matos e Padre
Antonio Vieira.

(PUC - 2011) A BELEZA 


              Gonçalves de Magalhães
Oh Beleza! Oh potência invencível,
Que na terra despótica imperas;
Se vibras teus olhos
Quais duas estrelas,
Quem resiste a teu fogo terrível?

Oh Beleza! Oh celeste harmonia,


Doce aroma, que as almas fascina;
Se exalas suave
Tua voz divina,
Tudo, tudo a teus pés se extasia 
(...)
Teu poder, teus encantos entoa,
Oh Beleza, meus dias bafeja,
Em teu fogo minha alma devora;
Verás de que modo
Meu peito te adora.

O poema de Gonçalves de Magalhães foi publicado no livro Suspiros poéticos e


saudades, considerado a primeira obra romântica brasileira. Há em seus versos a
valorização de elementos que marcariam em definitivo o novo momento artístico e a
defesa de uma estética bem distinta daquela do período literário anterior.
Tendo como referência o texto, apresentado acima, comente a ruptura representada pela
poética romântica em relação ao estilo de época predominante no século XVIII no
Brasil.

RESPOSTA
O Romantismo representou uma ruptura com os principais valores estéticos defendidos
pelo Arcadismo, período literário predominante no século XVIII no Brasil. A poética
romântica reage, de uma maneira geral, contra o culto de elementos neoclássicos, tais
como equilíbrio, bucolismo, objetivismo, racionalismo, mitologia, paganismo, propondo
novos valores como exagero, subjetivismo, sentimentalismo e nacionalismo.