Você está na página 1de 6

O Julgamento Do Crente

2 Co 5:10 Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de


Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio
do corpo.

A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas “ante o tribunal de
Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou maus. No
tocante a esse julgamento do crente, segue-se o estudo de alguns de seus pontos.

(1) Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção

Rm 14:10 Tu, porém, por que julgas teu irmão? E tu, por que desprezas o teu? Pois todos
compareceremos perante o tribunal de Deus.
Rm 14:12 Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

1 Co 3:12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas,
madeira, feno, palha,
13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada
pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.
14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão;
15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como
que através do fogo.

2 Co 5:10 Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada
um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

Ver Ec 12.14 nota

Ec 12:14 Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam
boas, quer sejam más.

NOTA: A mensagem final do livro de Eclesiastes faz-nos lembrar de uma verdade solene
e inalterável: a prestação de contas do ser humano perante Deus, por todos os seus
atos. O Senhor julgará a todos nós, crentes e incrédulos, i.e., todos os nossos atos, bons
e maus (cf. Rm 14:10, 12; 2Co5:10; Ap 20:12,13). Quem negligenciou ou rejeitou a graça
redentora de Deus não estará justificado no dia do julgamento (ver o estudo O
JULGAMENTO DO CRENTE, P. 1775).

(2) Esse julgamento ocorrerá quando Cristo vier buscar a sua igreja (ver Jo 14:3 nota; cf.
1 Ts 4:14-17

Jo 14: 3 E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que,
onde eu estou, estejais vós também.

NOTA:Voltarei. ( a) Tão certamente como Cristo subiu ao céu, Ele voltará para levar seus
seguidores para si mesmo, conduzindo-os à casa do Pai (ver 14.2 nota; cf. 17.24), o lugar que
lhes está preparado. Esta era a esperança dos crentes dos tempos do NT, e de igual modo, a de
todos os crentes de hoje. O propósito supremo da volta do Senhor é ter os crentes com Ele para
sempre (ver o estudo A RESSURREIÇÃO DO CORPO, p. 1766, e O ARREBATAMENTO DA

1
IGREJA , p 1849). (b) A expressão “vos receberei para mim mesmo” fala da esperança futura
de todos os crentes vivos naquele momento, quando então serão “arrebatados juntamente com
eles nas nuvens a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor” (1Ts
4:17). (c) A vinda de Cristo para buscar os seus fiéis, livralos-á da futura “hora da provação” que
sobrevirá ao mundo (ver Lc 2:36-38 nota; Ap 3:10 nota; 1Ts 1:10 nota; 1Ts 5:9).

1 Ts 4: 14 Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus,
trará, em sua companhia, os que dormem.
15 Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à
vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.
16 Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada
a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro;
17 depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre
nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.

(3) O juiz desse julgamento é Cristo (Jo 5:22, cf. “todo o juízo”; 2 Tm 4:8, cf. “Juiz”).

Jo 5:22 E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento,

2 Tm 4: 8 Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele
Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.

(4) A Bíblia fala do julgamento do crente como algo sério e solene, mormente porque
inclui para este a possibilidade de dano ou perda (1Co 3:15; cf. 2Jo 8); de ficar
envergonhado diante dEle “na sua vinda” (1 Jo 2:28), e de queimar-se o trabalho de toda
sua vida (1Co 3:13-15). Esse julgamento, não é para sua salvação, ou condenação. É
um julgamento de obras.

1 Co 3: 15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia,
como que através do fogo.

2 Jo 8 Acautelai-vos, para não perderdes aquilo que temos realizado com esforço, mas para
receberdes completo galardão.

1 Jo 2: 28 Filhinhos, agora, pois, permanecei nele, para que, quando ele se manifestar, tenhamos
confiança e dele não nos afastemos envergonhados na sua vinda.

1 Co 3: 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo
revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.
14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão;
15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como
que através do fogo.

(5) Tudo será conhecido. A palavra “comparecer” (gr. Phaneroo, 5.10) significa “tornar
conhecido aberta ou publicamente”. Deus examinará e revelará abertamente, na sua
exata realidade;

(a) nossos atos secretos ( Mc 4:22; Rm 2:16),

Mc 4: 22 Pois nada está oculto, senão para ser manifesto; e nada se faz escondido, senão para ser
revelado.

2
Rm 2:16 no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens, de
conformidade com o meu evangelho.
(b) nosso caráter (Rm 2:5-11),

Rm 2: 5 Mas, segundo a tua dureza e coração impenitente, acumulas contra ti mesmo ira para o dia
da ira e da revelação do justo juízo de Deus,
6 que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento:
7 a vida eterna aos que, perseverando em fazer o bem, procuram glória, honra e incorruptibilidade;
8 mas ira e indignação aos facciosos, que desobedecem à verdade e obedecem à injustiça.
9 Tribulação e angústia virão sobre a alma de qualquer homem que faz o mal, ao judeu primeiro e
também ao grego;
10 glória, porém, e honra, e paz a todo aquele que pratica o bem, ao judeu primeiro e também ao
grego.
11 Porque para com Deus não há acepção de pessoas.

(c) nossas palavras (Mt 12: 36-37),

Mt 12: 36 Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia
do Juízo;
37 porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.

(d) nossa boas obras (Ef 6:8),

Ef 6: 8 certos de que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer
seja servo, quer livre.

(e) nossas atitudes (Mt 5:22)

22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a
julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem
lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.

(f) nossos motivos (1Co 4: 5),

1 Co 4: 5 Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente
trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações;
e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus.

(g) nossa falta de amor (Cl 3:23, Cl 4:1),

Cl 3: 23 Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens,
Cl 4: 1 Senhores, tratai os servos com justiça e com eqüidade, certos de que também vós tendes
Senhor no céu.

(h) nosso trabalho e ministério (1 Co 3:13),

1 Co 3: 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo
revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.

(6) Em suma, o crente terá que prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus
(Mt 25.21,23; 1 Co 4:2-5) e das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a
oportunidade e o conhecimento que recebeu (Lc 12: 48; Jo 5:24; Rm 8:1).

3
Mt 25: 21 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te
colocarei; entra no gozo do teu senhor.
23 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;
entra no gozo do teu senhor.

1Co 4: 2 Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado
fiel.
3 Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós ou por tribunal humano; nem eu
tampouco julgo a mim mesmo.
4 Porque de nada me argúi a consciência; contudo, nem por isso me dou por justificado, pois
quem me julga é o Senhor.
5 Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à
plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também
manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus.

Lc 12: 48 Aquele, porém, que não soube a vontade do seu senhor e fez coisas dignas de
reprovação levará poucos açoites. Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e
àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão.

Jo 5: 24 Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me
enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida.

Rm 8: 1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

(7) As más ações do crente, quando ele se arrepende, são perdoadas no que diz
respeito ao castigo eterno (Rm 8:1), mas são levadas em conta quanto à sua
recompensa: “Mas quem fizer agravo receberá o agravo que fizer” (Cl 3:25; cf. Ec 12: 14;
1Co 3:15; 2 Co 5:10). As boas ações e o amor do crente são lembradas por Deus e por
Ele recompensados (Hb 6:10): “cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer” (Ef
6:8).

Rm 8: 1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

Cl 3: 25 pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita; e nisto não há acepção de
pessoas.

Ec 12: 14 Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer
sejam boas, quer sejam más.

1 Co 3: 15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia,
como que através do fogo.

2 Co 5: 10 Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que
cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

Hb 6: 10 Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que
evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos.

Ef 6: 8 certos de que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer
seja servo, quer livre.

(8) Os resultados específicos do julgamento do crente serão vários;

4
(a) como obtenção ou a perda de alegria (1 Jo 2:28),

1 Jo 2: 28 Filhinhos, agora, pois, permanecei nele, para que, quando ele se manifestar, tenhamos
confiança e dele não nos afastemos envergonhados na sua vinda.

(b) aprovação divina (Mt 25:21),

Mt 25: 21 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te
colocarei; entra no gozo do teu senhor.

(c) tarefas e autoridade (Mt 25:14-30),

Mt 25: 14 Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes
confiou os seus bens.
15 A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria
capacidade; e, então, partiu.
16 O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco.
17 Do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.
18 Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor.
19 Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles.
20 Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo: Senhor,
confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei.
21 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;
entra no gozo do teu senhor.
22 E, aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me
confiaste; aqui tens outros dois que ganhei.
23 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;
entra no gozo do teu senhor.
24 Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo,
que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste,
25 receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
26 Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e
ajunto onde não espalhei?
27 Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia
com juros o que é meu.
28 Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.
29 Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem
lhe será tirado.
30 E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.

(d) posição (Mt 5:19; Mt 19:30),

Mt 5: 19 Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim
ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar
e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.

Mt 19: 30 Porém muitos primeiros serão últimos; e os últimos, primeiros.

(e) recompensa (1 Co 3;12-14; Fp 3:14; 2 Tm 4:8)

1 Co 3: 12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas,
madeira, feno, palha,

5
13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada
pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.
14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão;

Fp 3: 14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

2 Tm 4: 8 Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele
Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.

(f) e honra (Rm 2:10; cf. 1 Pe 1:7)

Rm 2: 10 glória, porém, e honra, e paz a todo aquele que pratica o bem, ao judeu primeiro e
também ao grego.
1 Pe 1: 7 para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro
perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus
Cristo;

(9) A perspectiva de um iminente julgamento do crente deve aperfeiçoar neste o temor


do Senhor (5:11; Fp 2:12; 1Pe 1:17), e levá-lo a ser sóbrio, a vigiar e a orar (1 Pe 4:5,7),
a viver em santa conduta e piedade (2 Pe 3:11) e a demonstrar misericórdia e bondade a
todos (Mt 5:7; cf. 2 Tm 1:16-18).

Fp 2: 12 Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém,
muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor;

1Pe 1: 17 Ora, se invocais como Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo as obras
de cada um, portai-vos com temor durante o tempo da vossa peregrinação,

1Pe 4: 5 os quais hão de prestar contas àquele que é competente para julgar vivos e mortos;
7 Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das
vossas orações.

2Pe 3: 11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que
vivem em santo procedimento e piedade,

Mt 5: 7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

2Tm 1: 16 Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo, porque, muitas vezes, me deu
ânimo e nunca se envergonhou das minhas algemas;
17 antes, tendo ele chegado a Roma, me procurou solicitamente até me encontrar.
18 O Senhor lhe conceda, naquele Dia, achar misericórdia da parte do Senhor. E tu sabes, melhor
do que eu, quantos serviços me prestou ele em Éfeso.