Você está na página 1de 1

ASOCIACIÓN DE PSICOLOGÍA AMBIENTAL PSICAMB.

ORG 15 DE MARÇO DE 2020

Orientações para estar em casa


Psicologia do espaço

Os efeitos psicológicos negativos da situação de isolamento que estamos a viver podem ser
minimizados seguindo uma série de orientações baseadas na Psicologia do espaço. A situação é
especialmente difícil para as famílias com crianças e adolescentes, com espaços reduzidos e/ou
sem ligação à internet.

1 2
DELIMITA AS ACTIVIDADES POR ESPAÇOS “AMPLIA” A CASA
Na medida do possível, as diferentes atividades devem Mantém a arrumação, reduz o número de
ocorrer em diferentes espaços da casa objectos, guarda-os ou empilha-os. Limpa a casa

Fecha as portas para “segmentar” ou isolar-te do resto. A Durante o dia, abre as persianas e os cortinados.
ideia é reduzir a estimulação constante Areja a casa

Aproveita a oportunidade para redecorar; refaz a


casa para senti-la mais tua

Procura cantos que possam ser utilizados pelas


3 crianças (ex: a entrada da casa)

Os quartos normalmente são espaços pouco


OBSERVA ELEMENTOS NATURAIS/A RUA utilizados. Ao levantar, converte o quarto num
espaço para brincar, ler ou trabalhar
Olha pela janela, sai para a varanda ou terraço, para ver
outras pessoas, e para observar as árvores e a vegetação Mantém um nível de ruído baixo em casa

Usa o jardim ou quintal, é a altura para fazer jardinagem ou


simplesmente usufruir deste espaço

A natureza é um estímulo positivo que reduz o nosso nível de 4


ansiedade fazendo-nos sentir melhor

PROCURA MOMENTOS PARA ESTAR SÓ


É importante reservar momentos prolongados
para estar só. Precisamos de momentos de
5 privacidade para assimilar as várias situações de
tensão que se vivem ao longo do dia

SEGUE UMA ROTINA Reserva os momentos das refeições para estarem


Mantém uma organização diária das actividades, tira o todos juntos
pijama. Veste-te como se fosses sair à rua

Ouve as actividades dos vizinhos; isso normaliza a situação e


reduz a sensação de isolamento

Aplaude os profissionais de saúde. Assim, cria-se um


sentimento de comunidade face à ameaça