Você está na página 1de 5

04/08/15

DESAFIOS  PARA  A  CONSTRUÇÃO  


DE  UMA  EDUCAÇÃO  INCLUSIVA  
Ø   Para  que  a  inclusão  ocorra  de  verdade,  é  
DIFICULDADES  DE   necessário  haver  mudanças  no  projeto  políAco  
pedagógico  da  escola.  
APRENDIZAGEM    
Aula 5 Ø   É  preciso  redimensionar  o  processo  
educacional  de  forma  arAculada  com  o  desejo,  
a  necessidade  de  mudanças  e  a  apropriação  
Profa.  Renata  Chaguri  de  Oliveira   dos  saberes  escolares.  
 
 

Ø   A  Educação  Inclusiva  atua  com  todos  os  


educandos,  e  não  somente  com  os  grupos    “Educação  Inclusiva  pressupõe  que  
especiais.   TODAS  as  crianças  tenham  a  mesma  
oportunidade  de  acesso,  de  
Ø   Educação  Inclusiva  respeita  as  diferenças;  é   permanência  e  de  aproveitamento  na  
ampla  e  dinâmica.   escola,  independentemente  de  
qualquer  caracterísAca  peculiar  que  
Ø Educação  Inclusiva  promove  diversas  práAcas  
apresentem  ou  não”.  
educacionais  inclusivas,  a  fim  de  respeitar  as   MEC  
necessidades  de  cada  aluno.  

INVESTIGAÇÃO  DO                                                  
COTIDIANO  ESCOLAR   “A  escola  inclusiva  não  
§  O  que  a  criança  precisa  para  aprender?   tem  que  esperar  que  o  
§  Como  arAcular  os  saberes  escolares  com  as  
aluno  esteja  pronto  
dificuldades  da  criança?   para  a  aprendizagem,  
§  Como  garanAr  o  acesso  à  cultura,  aos  conhecimentos   mas  responsabilizar-­‐se  
escolares,  às  variadas  linguagens?   para  que  ele  esteja  em  
§  De  que  maneira  as  crianças  podem  atuar  de  maneira   consonância  com  o  que  
significaAva?   vai  aprender”.  
§  Quais  as  mudanças  necessárias  no  currículo  escolar   Cris=na  Alves  
para  atender  e  garanAr  a  eficácia  do  ensino?    
 

1
04/08/15

FÁBULA   O  pato  era  excelente  em  natação,  na  verdade  era  até  
melhor  que  o  seu  instrutor,  mas  teve  apenas  notas  
 A  ESCOLA  DOS  ANIMAIS   saAsfatórias  em  voo  e  era  bem  ruim  na  corrida.    
Certa  vez,  os  animais  decidiram  que  deveriam   Como  era  lento  na  corrida,  precisou  treinar  depois  das  
fazer  algo  heroico  para  resolver  os  problemas   aulas  e  também  abandonar  a  natação  para  praAcar  
de  "um  novo  mundo".   corrida.  ConAnuou  fazendo  isso  até  seus  pés  palmados  
ficarem  gravemente  feridos  e  passou  ater  um  
Assim,  organizaram  uma  escola.    
aproveitamento  apenas    regular  em  natação.  Mas    
 Adotaram  um  currículo  de  aAvidades  que  
como  regular  era  aceitável  na  escola,  ninguém  se  
compreendia  corrida,  alpinismo,  natação  e   preocupou  com  isso,  a  não  ser  o  próprio  pato.    
voo.    
O  coelho  começou  como  o  melhor  da  classe  em  
Para  ministrar  o  currículo  mais  facilmente,   corrida,  mas  teve  um  colapso  nervoso  por  causa  de  
todos  os  animais  teriam  todas  as  matérias.     tantos  treinos  de  natação.    
 

   Ao  final  do  ano,  uma  excepcional  enguia  que  sabia  


 O  esquilo  era  excelente  em  alpinismo  até  ficar   nadar  extremamente  bem,  além  de  correr,  subir  e  
frustrado  com  seu  aproveitamento  nas  aulas  de  voo,   voar  um  pouco,  obteve  a  melhor  média  e  foi  a  
quando  sua  professora  mandou  que  parAsse  do  chão   melhor  da  turma.    
para  cima,  e  não  do  topo  da  árvore  para  baixo.  Além    
disso,  desenvolveu  cãibras  devido  a  uma  estafa  e    As  marmotas  ficaram  fora  da  escola  e  protestaram  
então  Arou  um  C  em  alpinismo  e  um  D  em  corrida.     contra  as  mensalidades,  porque  a  administração  não  
quis  incluir  escavação  e  construção  de  tocas  no  
  currículo...  
 A  águia  era  uma  criança  problema  e  foi  severamente    
         George  H.  Reavis  
disciplinada.  Na  aula  de  alpinismo,  venceu  todos  os   Canja  de  galinha  para  a  alma    
Jack  Canfield  e  Mark  Victor  Hansen  –  Ediouro  
outros  em  direção  ao  topo  da  árvore,  mas  insisAu  em    
uAlizar  seu  próprio  caminho  para  chegar  lá.    
 

 
 

     Qual  a  moral  da  história?  


   

PRÁTICA  ESCOLAR  NA                                          


Ø A  realidade  mostra  que  na  práAca  o  aluno  
ESCOLA  INCLUSIVA   (mesmo  na  escola  inclusiva)    ainda  é  objeto  do  
Ø A  fábula  revela  o  modelo  de  educação  das  escolas   currículo,  e  o  professor  tem  o  dever  de  
atualmente.  
cumprir  o  conteúdo  esApulado.  
Ø Demonstra  a  fragmentação  do  currículo  em  áreas  do  
conhecimento  faz  do  conteúdo  um  fim  em  si  mesmo.   Ø Pensar  na  inserção  do  aluno  em  uma  Escola  
Inclusiva  é  pensar  em  estabelecer  critérios  de  
Ø A  escola  atual  se  organiza  na  homogeneidade  dos   ensino  de  a  preparar  o  aluno  para  o  
sujeitos  e  na  universalização  dos  saberes.   enfrentamento  do  mundo  real.    

2
04/08/15

DEMANDA  DA  EDUCAÇÃO  INCLUSIVA  


“Pensar  um  caminho  para  a  inclusão  
Ø   revisão  nas  modalidades  de  atendimento   significa  discu=r  de  forma  crí=ca  e  
escolar;  
dinâmica  a  escola  que  temos,  ou  seja,  
Ø   currículo  escolar  pensado  de  acordo  com  
refle=ndo  sobre  a  construção  do  projeto  
cada  aluno;  
polí=co  pedagógico,  a  gestão  
Ø análise  do  tempo  escolar,  no  tempo  de  
democrá=ca,  a  avaliação  do  processo  
aprendizagem,  no  tempo  de  desenvolvimento  
da  criança;   educa=vo,  a  relação  teoria  e  prá=ca...”  
Santos,  Paulino.    
Ø processo  de  avaliação  diferenciado.    

Ø O  conceito  de  escola  inclusiva,  de  acordo  com  


“Cada vez com maior clareza a Educação as  Diretrizes  Curriculares  Nacionais  para  
Geral considera a necessidade de que Educação  Especial  (MEC-­‐SEESP,  1998),  implica  
todos os alunos recebam uma educação em  uma  nova  postura  da  escola  regular  que  
de qualidade centrada na atenção das deve  propor  no  projeto  políAco-­‐pedagógico,  
suas necessidades individuais”. no  currículo,  na  metodologia  ,  na  avaliação  e  
nas  estratégias  de  ensino,  ações  que  
favoreçam  a  inclusão  social  e  práAcas  
(Booth y Ainscow, 1998). educaAvas  diferenciadas  que  atendam  a  todos  
os  alunos.  Pois,  numa  escola  inclusiva  a  
diversidade  é  valorizada  em  detrimento  da  
homogeneidade.  

“Inclusão  não  significa,  simplesmente,     "A  educação  inclusiva  é  


matricular  os  educandos  com  
necessidades  especiais  na  classe  comum,   antes  de  tudo  uma  
ignorando  suas  necessidades  específicas,   questão  de  Direitos  
mas  significa  dar  ao  professor  e  à  escola  
o  suporte  necessário  à  sua  ação   Humanos“  
pedagógica”  .    
(MEC-­‐SEESP,  1998)   Dra.  Pilar  Arnaiz  Sánchez  (2005)  
Professora  Atular  da  Faculdade  de  Educação  /  Departamento  de  DidáAca  e                                                              
Organização  Escolar  /  Universidade  de  Murcia  /  Espanha  

3
04/08/15

DECLARAÇÃO  DE  SALAMANCA      -­‐  os  sistemas  de  ensino  devem  ser  
organizados  e  os  programas  aplicados  de  
Ø A  Declaração  define  que:   modo  que  tenham  em  conta  todas  as  
diferentes  caracterísAcas  e  necessidades;  
   -­‐  todas  as  crianças  têm  direito  à  educação  e  deve-­‐se  
dar  a  elas  a  oportunidade  de  alcançar  e  manter  um  
   -­‐  as  pessoas  com  necessidades  educacionais  
nível  aceitável  de  conhecimentos;   especiais  devem  ter  acesso  às  escolas  comuns;    
   -­‐  as  escolas  comuns  devem  representar  um  
   -­‐  cada  criança  tem  caracterísAcas,  interesses,  
meio  mais  eficaz  para  combater  as  aAtudes  
capacidades  e  necessidades  de  aprendizagem  que  
lhe  são  próprias;   discriminatórias,  criar  comunidades  
acolhedoras,  construir  uma  sociedade  
integradora  e  alcançar  a  educação  para  todos.  

E  A  FAMÍLIA?   “O  nascimento  de  um  filho  com  algum  =po  de  


deficiência  ou  doença,  ou  o  aparecimento  de  
Ø A  família  possui  papel  decisivo  no   alguma  condição  excepcional  significa  uma  
sucesso  da  inclusão  educacional.   destruição  de  todos  os  sonhos  e  expecta=vas  
que  haviam  sido  gerados  em  função  da  
Ø   A  família  precisa  de  apoio  para  os   criança.  Durante  a  gravidez,  os  pais  sonham  
diversos  momentos  em  que  vai   com  o  ‘filho  ideal’  que  será  bonito,  saudável,  
enfrentar  as  dores  psíquicas,    desde  a   inteligente,  forte...  aquele  filho  que  realizará  
noecia  do  distúrbio,  até  o  tratamento   tudo  o  que  eles  não  conseguiram  alcançar  em  
e  as  fases  de  desenvolvimento.   suas  próprias  vidas...”  
Nunes,  Glat,  Ferreira  e  Mendes,  1998.  

ACEITAÇÃO  OU  ISOLAMENTO  


Ø Alguns  pais  não  acreditam  no    
desenvolvimento  de  um(a)  filho(a)                                     “Os  alunos  com                            
portador(a)  de  um  distúrbio  /  uma   necessidades  especiais  não  
necessidade  especial.   requerem  integração.    
Ø Alguns  optam  pelo  isolamento  da  criança,    
Requerem  educação”  
 
enquanto  outros  optam  pela  infanAlização  da   (Heyarty  &  Pocklington  1981,  p.  23).  
criança  por  toda  a  vida.  

4
04/08/15

INTEGRAÇÃO  x  INCLUSÃO   FILME  


INTEGRAÇÃO     INCLUSÃO  
 
§  CompeAção   §  Cooperação  /   COMO  ESTRELAS  NA  TERRA,                              
§  Seleção   solidariedade   TODA  CRIANÇA  É  ESPECIAL  
§  Individualidade   §  Respeito  às  diferenças  
§  Preconceitos   §  Comunidade  
§  Visão  individualizada   §  Valorização  das  
§  Modelo  técnico-­‐racional   diferenças  
§  Melhora  para  todos  
§  Pesquisa  reflexiva  

LEITURA  COMPLEMENTAR  
 “A  inclusão  não  é  somente  para  os  
alunos  com  deficiência,  mas  para   Texto  
 Gestão,  formação  docente  e  inclusão:  eixos  da  
todos  os  alunos,  educadores,  pais  e   reforma  educacional  brasileira  que  atribuem  
membros  da  comunidade”.     contornos  à  organização  escolar  
 
  hVp://www.scielo.br/pdf/%0D/rbedu/v11n33/a03v1133.pdf  
(Falvey  e  al.  1995,  p.9)