Você está na página 1de 5

INTRODUÇÃO

• No Brasil os gastos com saúde, ao longo do tempo, foi em torno de


8% do PIB. Em 2017, o gasto chegou a 9,3% do PIB
contabilizando os gastos públicos (45%) e privados (55%).

• Os setores relacionados com o cuidado à saúde, principalmente


para os serviços de baixa e média complexidade, utilizam um
processo produtivo intensivo em mão de obra o que torna o setor
saúde responsável por elevada absorção da população ocupada.

• Os serviços de saúde se caracterizam por serem, em sua maioria


serviços non-tradables com demanda associada à localidade de
residência.

• Os setores de alta complexidade, por outro lado, incluindo


principalmente serviços de diagnóstico e fabricação de
medicamentos e aparelhos, se caracterizam pelo uso intensivo de
tecnologia.

IMPACTOS DA COVID-19 NA ESTRUTURA PRODUTIVA DO RIO DE JANEIRO


INTRODUÇÃO

Gasto público brasileiro (3,9% do PIB) é menor que a média dos países da
OCDE (6,5%), enquanto os gastos privados (5,4%) são mais que o dobro
da média dos mesmos países (2,3%). Total do setor de saúde = 9,3% do PIB
IMPACTOS DA COVID-19 NA ESTRUTURA PRODUTIVA DO RIO DE JANEIRO
INTRODUÇÃO

Expectativa de vida em relação ao gasto de saúde é entendido pela


literatura como uma proxy para a qualidade do serviço de saúde.
IMPACTOS DA COVID-19 NA ESTRUTURA PRODUTIVA DO RIO DE JANEIRO
INTRODUÇÃO

• 53,12% dos insumos necessários para produção do setor de


saúde brasileiro são importados.

• 15% do PIB do setor de saúde “ vaza” para fora do Brasil.


IMPACTOS DA COVID-19 NA ESTRUTURA PRODUTIVA DO RIO DE JANEIRO
INTRODUÇÃO

Obrigado!

Contato: cabraljoilson@gmail.com

IMPACTOS DA COVID-19 NA ESTRUTURA PRODUTIVA DO RIO DE JANEIRO