Você está na página 1de 5

Tópico: [Sistema]

Conceito de sistema

O conceito de sistema não é uma tecnologia em si, mas resultante dela. A análise das
organizações vivas revela o geral no particular e mostra as propriedades gerais das
espécies que são capazes de adaptar-se e sobreviver em um ambiente típico. Os sistemas
vivos, sejam indivíduos ou organizações, são analisados como sistemas abertos, que
mantêm um contínuo intercâmbio de matéria/energia/informação com o ambiente. A
análise de sistemas permite reconceituar os fenômenos dentro de um enfoque global, para
integrar assuntos que são, na maioria das vezes, de natureza completamente diferente.

Um sistema é um conjunto de elementos, objetos ou entidades que:

 Estão dinamicamente relacionados;


 Executam uma atividade;
 Procuram atingir um determinado objetivo;
 Operam sobre dados/energia/matéria para fornecer informação/matéria/energia

Sistema é um todo organizado e complexo, um conjunto de coisas ou partes que formam


um todo complexo e unitário. É um conjunto de objetos unidos por alguma forma de
interação ou interdependência.

Os limites ou fronteiras entre o sistema e seu ambiente admitem certa arbitrariedade.

Para Bertalanffy, sistema é um conjunto de unidades reciprocamente relacionadas. Daí se


deduzem dois conceitos: propósito ou objetivo e globalismo ou totalidade:

 Propósito ou objetivo: todo sistema possui um ou alguns objetivos. Os elementos


ou objetos, assim como as relações, definem uma distribuição que trata sempre de
alcançar um objetivo.
 Globalismo ou totalidade: uma alteração em uma das unidades do sistema
provoca, com uma determinada probabilidade, mudanças em outras unidades do
sistema. A complexidade de um sistema deriva do seu globalismo.

Em geral, busca-se uma relação de causal entre características de um sistema. Destas


mudanças e ajustes derivam os efeitos de entropia e homeostasia.

 Entropia: é a tendência dos sistemas de desgastar-se, de desintegrar-se, para um


relaxamento de padrões e aumento da aleatoriedade. A entropia aumenta com o
correr do tempo. O aumento da informação diminui a entropia, pois a informação é
a base da organização e da ordem. Daqui nasce a negentropia, ou seja, a
informação como meio ou instrumento de ordenação do sistema.
 Homeostasia: é o equilíbrio dinâmico entre as partes do sistema. Os sistemas têm
uma tendência de adaptar-se com a finalidade de alcançar um equilíbrio interno
frente às mudanças externas ao entorno.

Uma organização poderá ser entendida como um sistema, subsistema ou supersistema,


dependendo do enfoque. O sistema total é aquele representado por todos os componentes
e relações necessárias para a realização de um objetivo, dado um certo número de
restrições. Os sistemas podem operar tanto em série quanto em paralelo.

Tipos de sistemas
Quanto à sua constituição, os sistemas podem ser:

 Sistemas físicos ou concretos: compostos de equipamentos e máquinas, objetos


e coisas reais. É o hardware.
 Sistemas abstratos: compostos por conceitos, planos, hipóteses e idéias. Muitas
vezes existem somente no pensamento das pessoas. É o software.

E quanto à sua natureza:

 Sistemas fechados: não apresentam trocas com o ambiente que os rodeia, são
herméticos a qualquer influência ambiental. Não recebem nenhum recurso externo
e nada produzem que seja enviado de fora. A rigor, não existem sistemas fechados.
Considera-se fechado o sistema aqueles sistemas cujo comportamento é
determinístico e programado e que opera com um intercâmbio muito pequeno de
energia e matéria com o ambiente. O termo aplica-se aos sistemas completamente
estruturados, onde os elementos e relações se combinam de uma maneira
particular e rígida produzindo uma saída invariante, como as máquinas.
 Sistemas abertos: apresentam intercâmbios com o ambiente e são adaptativos
para sobreviver. Sua estrutura é ótima quando o conjunto de elementos do sistema
se organiza, aproximando-se de uma operação adaptativa. A adaptabilidade é um
processo contínuo de aprendizagem e de auto-organização.

Os sistemas abertos não podem viver ilhados. O sistemas fechados obedecem ao segundo
princípio da termodinâmica que diz que uma certa quantidade chamada entropia tende a
aumentar ao máximo.

Existe uma tendência geral dos eventos na natureza física em direção a um estado de
entropia máxima ou de máxima desordem. Os sistemas abertos evitam o aumento da
entropia e podem desenvolver-se em direção a um estado crescente de ordem e
organização (entropia negativa). Restauram sua própria energia e reparam perdas em sua
própria organização. O conceito de sistema aberto pode ser aplicado em diversos níveis: do
indivíduo, do grupo, da organização e da sociedade.

  Entrad       Saidas    
  as

    Dados   Transformaç   Informaç    


ão ão
Ambien  Energia    Ambien
te   ou  Energia  te
Recurs
os processame   Recursos
nto
Materia Materiais
is
Parâmetros do sistema

O sistema se caracteriza por certos parâmetros. Parâmetros são constantes arbitrárias que
caracterizam, por suas propriedades, o valor e a descrição dimensional de um sistema
específico ou de um componente do sistema. São eles:
 Entrada, insumo ou impulso (input): é a força de arranque do sistema, que
fornece material ou energia para a operação do sistema. As entradas podem ser em
série, aleatórias ou por retroalimentação.
 Saída, produto ou resultado (output): é a finalidade para a qual os elementos
foram reunidos os elementos e as relações do sistema. Os resultados de um
processo são as saídas , as quais devem ser coerentes com os objetivos do sistema.
Os resultados do sistemas são finais, exceto quando são resultados de subsistemas
intermediários.
 Processamento, processador ou transformador (throughput): é o fenômeno
que produz mudanças, é o mecanismo de conversão de entradas em saídas ou
resultados. Geralmente, devido à complexidade das transformações, é representado
como uma caixa preta onde entram os insumos e saem coisas diferentes, que são
os produtos.
 Retroação, retroalimentação ou retroinformação (feedback): é a função de
retorno do sistema que tende a comparar a saída com um critério pré-estabelecido,
mantendo-a controlada dentro daquele padrão ou critério.
 Ambiente: é o meio que envolve o sistema externamente. Está em constante
interação com o sistema, já que este recebe as entradas, as processa e efetua
saídas. A sobrevivência de um sistema depende da sua capacidade de adaptar-se,
mudar e responder às exigências e demandas do ambiente externo. Ainda que o
ambiente possa ser um recurso para o sistema pode ser também uma ameaça.

Atributos

Os atributos definem os sistemas tal como são conhecidos e observados, podendo ser
definidores ou concomitantes. São definidores aqueles sem os quais uma entidade não seria
designada ou definida da maneira como foi feita; os atributos concomitantes por outro lado
são aqueles cuja presença ou ausência não estabelece nenhuma diferença com relação ao
uso do termo que descreve a unidade.

Variáveis

Cada sistema ou subsistema contém um processo interno que se desenvolve sobre uma
base de ação, interação e reação a distintos elementos que devem necessariamente
conhecer-se.

Dado que esse processo é dinâmico, somente pode ser denominado de variável a cada
elemento que compõe ou existe dentro do sistema ou subsistema. Porém não é tão fácil ou
simples como à primeira vista parece, pois nem todas as variáveis têm o mesmo
comportamento e, pelo contrário, assumem comportamentos diferentes dentro do mesmo
processo, de acordo com o momento ou as circunstâncias que as rodeiam.

Operadores

Operadores são variáveis que ativam as demais e logram influir decisivamente no processo
para que este se ponha em marcha. Pode-se dizer que estas variáveis atuam como líderes
das demais e por conseguinte são privilegiadas com relação às demais variáveis. Cabe aqui
um esclarecimento: as demais variáveis não são influenciadas somente pelos operadores
mas mas também por outras variáveis que também têm influência sobre os operadores.

Sistema aberto

O sistema aberto como organismo é influenciado pelo meio ambiente e influi sobre ele,
alcançando um equilíbrio dinâmico nesse sentido.

A categoria mais importante dos sistemas abertos são os seres vivos. Existem diferenças
entre os sistemas abertos (como os sistemas biológicos e sociais, a saber, células, plantas,
o homem, a organização, a sociedade) e os sistemas fechados (como os sistemas físicos, as
máquinas, o relógio, o termostato):

 O sistema aberto interage constantemente com o ambiente em forma dual, ou seja,


o influencia e é influenciado por ele. O sistema fechado não interage.
 O sistema aberto pode crescer, mudar, adaptar-se ao ambiente e até reproduzir-se
sob certas condições ambientais. O sistema fechado não.
 É próprio dos sistemas abertos competir com outros sistemas, o que não acontece
com sistemas fechados.

Tal como os organismos vivos, os sistemas têm seis funções primárias, estreitamente
relacionadas entre si:

 Ingestão: as empresas fazem compras materiais para serem processados.


Adquirem dinheiro, máquinas e pessoas do ambiente para auxiliar outras funções
assim como os organismos vivos ingerem alimentos, água e ar para suprir as suas
necessidades.
 Processamento: os animais ingerem e processam os alimentos para serem
transformados em energia e em células orgânicas. Na empresa, a produção é
equivalente a esse ciclo. Materiais são processados e se descarta o que não serve,
numa relação de entradas e saídas.
 Reação ao ambiente: o animal reage ao seu entorno, adaptando-se para
sobreviver. A empresa também reage, mudando seus materiais, consumidores,
empregados e recursos financeiros. Pode alterar o produto, o processo ou a
estrutura.
 Suprimento: partes de um organismo vivo podem ser supridas com materiais,
como o sangue abastece o corpo. Os participantes de uma empresa podem ser
supridos não somente pelas suas funções mas por dados de compras, produção,
vendas ou contabilidade e recompensados na forma de salários e benefícios. O
dinheiro muitas vezes é considerado o sangue da empresa.
 Regeneração de partes: as partes de um organismo perdem eficiência, adoecem
ou morrem e devem ser regeneradas ou realocadas para sobreviver em conjunto.
Membros de uma empresa envelhecem, se aposentam, adoecem, se desligam ou
morrem. As máquinas se tornam obsoletas. Tanto homens quanto máquinas devem
ser mantidos ou realocados, através de programas de manutenção.
 Organização das funções: requer um sistema de comunicação para o controle e
tomada de decisões. No caso dos animais exigem cuidados na adaptação. Na
empresa, existe a necessidade de um sistema nervoso central, onde as funções de
produção, compras, comercialização, recompensas e manutenção devem ser
coordenadas. Em um ambiente de mudança constante, a previsão, o planejamento,
a pesquisa e o desenvolvimento são aspectos necessários que a administração
possa fazer ajustes. 

O sistema aberto é um conjunto de partes em interação constituindo um todo sinérgico.


Orientado para determinados propósitos e em permanente relação de interdependência com
o ambiente externo.
Características das organizações como sistemas abertos

Algumas características básicas são:

 Comportamento probabilístico: a organização é afetada pelo ambiente e esse


ambiente é potencialmente sem fronteiras e inclui variáveis desconhecidas e não
controladas. As consequências dos sistemas sociais e sistemas vivos são
probabilísticas e não determinísticas. O comportamento humano nunca é
totalmente previsível, pois as pessoas são complexas, respondendo a diferentes
variáveis.
 As organizações como partes de uma sociedade maior e constituídas de
partes menores: as organizações são vistas como sistemas dentro de sistemas.
Esses sistemas são complexos de elementos colocados em interação, produzindo
um todo que não pode ser compreendido tomando-se as partes
independentemente.
 Interdependência entre as partes: uma mudança numa parte do sistema
afetará as demais. As interações internas e externas do sistema refletem diferentes
escalas de controle e autonomia.
 Fronteiras e limites: é a linha que demarca o que está dentro e o que está fora
do sistema. Pode não ser física. Uma fronteira consiste em uma linha fechada ao
redor das variáveis, selecionadas entre aquelas que tenham maior intercâmbio (de
energia, de informação) com o sistema. As fronteiras variarão quanto ao grau de
permeabilidade, que definirá o grau de abertura do sistema na relação com o
ambiente.

Características básicas da análise sistêmica

As principais características da análise sistêmica moderna são as seguintes:

 Ponto de vista sistêmico: visualiza a organização como um sistema constituído


de cinco partes básicas: entrada, saída, processo, retroalimentação e ambiente.
 Enfoque dinâmico: a ênfase é sobre o processo dinâmico de interação que ocorre
dentro da estrutura da organização.
 Multidimensional e multinivelado: considera a organização sob os pontos de
vista micro e macroscópico. É micro quando é considerada dentro do seu ambiente
(sociedade, comunidade, país) e macro quando são analisadas as suas unidades
internas.
 Probabilístico: a teoria tende a ser probabilística. Com expressões em geral, pode
ser, suas variáveis podem ser explicadas em termos preditivos, nunca com certeza.
 Multidisciplinar: busca conceitos e técnicas de muitos campos de estudo. A teoria
moderna apresenta uma síntese integradora de partes relevantes a todos os
campos.
 Descritivo: busca descrever as características das organizações.
 Multivariado: tende a assumir que um evento pode ser causado por numerosos
fatores inter-relacionados e interdependentes. Os fatores causais podem ser
gerados por retroalimentação.
 Adaptativa: um sistema é adaptativo. A organização deve adaptar-se às mudanças
do ambiente para sobreviver. Gera-se, como consequência, uma focalização nos
resultados em lugar da ênfase sobre o processo os as atividades da organização.