Você está na página 1de 79

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

ENSINO FUNDAMENTAL II

RELATÓRIO
PEDAGÓGIC
O
LÍNGUA PORTUGUESA
(pré-teste)

SOBRAL - CE
2

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

2003
3

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Equipe Técnica da Avaliação Externa da disciplina


Língua Portuguesa

Vicente Martins (Análise e interpretação de dados)


Maria Soares de Araújo (Colaboração na Correção da
Redação)
Antônio Vanesca Ferro Lima de Sousa (Colaboração na
Correção da Redação)
Manuel Ferreira Araújo de Almeida (Digitação e tabulação
de dados e informações)
Marta (Orientação para análise de informações estatísticas)
4

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

SUMÁRIO

Introdução

1. Para uma reflexão sobre o ensino da língua


portuguesa

2. Avaliação Externa 2003 - Língua Portuguesa

2.1. A proposta de Avaliação da Língua Portuguesa


2.2. Participantes da Avaliação Externa
2.3. Faixa de Desempenho e número de acertos

3. Comentários às Provas Objetivas a partir do


percentual de acertos: Saeb - Município - Escolas.

3.1. Análise dos Itens do Teste de Língua Portuguesa - 5ª


série do Ensino Fundamental.
3.2. Análise dos Itens do Teste de Língua Portuguesa - 8ª
série do Ensino Fundamental

4. As Provas Objetivas, análise dos seus resultados e


considerações pedagógicas (finais).

4.1. Resultados gerais do desempenho dos participantes da


5ª série
4.2. Resultados gerais do desempenho dos participantes da
8ª série
4.3. Quadros com sínteses dos resultados dos participantes
nas Provas Objetivas

5. Bibliografia básica
5

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Introdução

O presente Relatório Pedagógico é composto por duas


partes: a) a primeira, contendo uma análise e interpretação
de itens da Provas Objetiva e Redação aplicadas, em 2003,
aos alunos da 5ª série e da 8ª série da rede municipal de
ensino de Sobra e b) a segunda, em anexo, contendo uma
descrição das alternativas percentuais de acertos de acertos.
A Prova Objetiva, com algumas modificações, entre as
quais o apagamento de ilustração e reestruturação de
diagramação da prova original, baseia-se no Teste de Língua
Portuguesa, para a 5ª e 8ª séries, do SAEB, disponibilizada
pelo MEC, on-line, a partir de 2001.
A Prova de Redação, especialmente sua proposta
temática, foi extraída, com uma ligeira adaptação para o
Ensino Fundamental, de Maria Teresa Serafini, em seu livro
Como Escrever Textos (Editora Globo, 1991), que orienta sua
metodologia de ensino para o chamado método processual,
com base no cognitivismo, tendência pedagógica que, em
linhas gerais, segue a atual orientação ou diretriz do MEC,
através dos Parâmetros Curriculares para o ensino de Escrita
ou Redação nas escolas brasileiras.
Para a 5ª série, foi a seguinte proposta de redação,
tendo vista a expectativa de criatividade e originalidade por
parte dos alunos: “Descreva como seria sua vida se você
tivesse dez centímetros de altura”. Para a 8ª série: “ Tente
inventar uma nova vitamina e imaginar como ela poderia nos
servir”.
Segundo dados fornecidos pela Gerência de Dados da
Secretaria de Desenvolvimento da Educação, do Município de
Sobral, foram matriculadas, na 5ª série do Ensino
Fundamental, no ano de 2003, 4.014 crianças. Para a
6

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

aplicação do Teste, foram analisados respostas de 818 alunos,


o que correspondente a 20,3 por cento do universo
matriculado nesta série. Ao todo, estiveram participando do
processo de avaliação 21 escolas municipais, com 54 turmas
da 5ª série participaram da avaliação externa; umas,
pequenas, com 9 a 16 alunos participantes, como as escolas
Elpídio Ribeiro, Francisco Aguiar, Manoel Marinho e Odete
Barroso; outras, maiores, com mais de 70 alunos avaliados,
como por exemplo as escolas Carlos Jereissati, Ivonir Aguiar,
Netinha Castelo e Raimundo Pimentel Gomes (CAIC).
Quanto à avaliação da 8ª série, 11 escolas participaram do
processo avaliativo, com o mesmo número de turmas. Foram
matriculados , no ano de 2003, na 8ª série da rede municipal
de ensino, segundo dados da Secretaria, 472 alunos. Desta
população, foram participantes da avaliação externa 91
alunos, o equivalente a 20 por cento dos alunos matriculados
nesta série. Com isso, tanto a 5ª série como a 8ª série estão
equilibradas, estatisticamente, quanto à amostragem que ora
consideramos neste Relatório
Na parte geral deste documento, fazemos uma reflexão
sobre o ensino da língua portuguesa no Brasil para, em
seguida, situarmos a proposta de Avaliação Externa 2003 -
Língua Portuguesa, do Município de Sobral, no contexto
nacional. Descrevemos sobre os participantes e os critérios
para a faixa de desempenho dos alunos nos Testes Objetivos
e de Redação que, em substância, baseia-se,
fundamentalmente, em número de acertos nas repostas às
alternativas propostas nas provas.
Na parte mais específica deste documento, fazemos
comentários às Provas Objetivas e às Provas de Redação, a
partir dos percentuais de acertos. Analisamos e interpretamos
os dados levando em conta os resultados do Saeb 2001 ,
Município e escolas municipais que tiveram os melhores
resultados nos itens do Teste da Língua Portuguesa, tanto
7

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

para a 5ª e 8ª série, seguindo os mesmos passos do Relatório


do Saeb 2001.
Por fim, apresentamos que as sínteses dos resultados das
escolas municipais participantes dos Testes e oferecemos uma
lista comparativa, situando-as abaixo, acima e na mesma
média do desempenho nacional dos alunos brasileiros, a partir
dos indicadores do Relatório do Saeb 2001.

1. Para uma reflexão sobre o ensino da língua


portuguesa

O ensino da Língua Portuguesa, segundo os Parâmetros


Curriculares Nacionais, que traduzem as diretrizes do
Ministério da Educação, deve voltar-se para a função social da
língua como requisito básico para que o indivíduo ingresse no
mundo letrado e possa construir seu processo de cidadania.
Nesse sentido, o texto deve ser entendido como unidade
comunicativa – e significativa – por excelência. Tanto o
estudo da gramática como o das estruturas lingüísticas que
compõem o texto exigem um redirecionamento do enfoque da
prática pedagógica no ensino da Língua Portuguesa. O
domínio da língua culta não é mais o único objetivo.
A esse domínio deve aliar-se a busca consciente de
comportamentos lingüísticos compatíveis com as diversas
situações de uso lingüísticos, privilegiando-se o uso social da
língua nas suas mais diversas manifestações.
Para aplicação do Teste de Língua Portuguesa
5ª Série do Ensino Fundamental, no Município de Sobral,
tomamos, por referência, a Matriz de Referência que subsidia
a construção dos itens dos testes de Língua Portuguesa do
Saeb por meio de seus descritores.
À guisa dos Testes do Saeb, basicamente, o
instrumento, aplicado em Sobral, está estruturado sobre o
8

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

foco Leitura. Esse foco requer a competência de apreender o


texto como construção de conhecimento em diferentes níveis
de compreensão, análise e interpretação.
Os objetos de conhecimento ou conteúdos, por sua vez,
constituem instrumentos de acesso às competências
lingüísticas que o aluno/leitor demonstra por meio de um
conjunto de habilidades específicas reunidas no foco Leitura.
Considerando-se que a Leitura é condição essencial
para que o aluno possa compreender o mundo, os outros,
suas próprias experiências e a necessidade de inserir-se no
mundo da escrita, torna-se imperativo desenvolver no aluno a
capacidade da leitura e fazê-lo ir além da simples
decodificação de palavras. É preciso levá-lo a captar por que
o escritor está dizendo o que o texto está dizendo, ou seja, ler
as entrelinhas. Podemos ir mais além: o aluno deve ser
levado não só a assimilar o que o texto diz, mas também
como e para que diz (Kato, 1990).
São hoje as seguintes exigências para o ensino
eficiciente da língua portuguesa: 1) que o aluno seja um
usuário competente da língua; 2) que ele seja um aluno
crítico, reflexivo e independente.
A exemplo do relatório do Saeb, na sua edição 2001,
nos apoiamos em alguns fatores. Entre esses, os mais
observados são: a) os elementos estruturais (indicadores
sobre a forma, a função e a estrutura sintática do texto); b)
as pistas lingüísticas (elementos verbais e não-verbais); e c)
a complexidade textual (familiaridade com o conteúdo e
fatores lingüísticos – o vocábulo, a sentença e o texto).
Os itens serão apresentados obedecendo a um critério de
complexidade de construção do conhecimento. Os graus de
complexidade foram definidos a partir dos níveis de
abrangência e abstração dos conteúdos abordados pelos
itens.
9

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Dos 15 itens que constituíram os testes de Língua


Portuguesa do Saeb 2001, tanto para a 5ª série como para a
8ª série, distribuídos entre seis tópicos representativos da
Matriz de Referência de Língua Portuguesa, foram
selecionados alguns descritores e itens. Todos os itens
analisados são acompanhados de uma tabela com percentual
de respostas
para cada alternativa.
A análise do item foi realizada levando-se em
consideração o texto-base, os objetos de conhecimento e o
desempenho dos alunos. A partir disso, foi possível evidenciar
o nível de habilidades desenvolvidas e os conteúdos
construídos pelos alunos.

2. Avaliação Externa 2003 - Língua Portuguesa

Nesta seção do Relatório, vamos descrever como


construímos a Proposta de Avaliação da Língua Portuguesa
nas 5ª e 6ª série., atendendo solicitação da Secretaria de
desenvolvimento da Educação de Sobral, Em seguida, como
definimos Competências e Habilidades para as provas
Objetiva e de Redação, de modo a observar os participantes
como do processo avaliativo como leitores e escritores do
mundo. Por fim, os critérios para definição da faixa de
desempenho a partir do número de acertos, tanto na Parte
Objetiva como na Prova de redação.
No ano de 2003, Sobral registrou a matrícula de 29.061
na rede pública municipal de ensino. Desta população, 22.044
alunos estavam matriculados no ensino fundamental regular,
o equivalente a 77 por cento dos matriculados, segundo o
relatório da Gerência de Dados da Secretaria de
Desenvolvimento da Educação. O acesso ao ensino
fundamental, na rede pública municipal de Sobral, seguiu a
tendência nacional de incorporar à escola, por imperativo
10

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

legal, os segmentos que estavam historicamente privados de


oportunidades educacionais.
No entanto, no Brasil, em todas as Regiões, Estados e
Municípios, com raríssimas exceções, registaram-se, através
do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), desde o
ano de 1995, baixo rendimento escolar em disciplinas
centrais do currículo do Ensino Fundamental, isto é, a Língua
Portuguesa e a Matemática.
Atenta a este fato educacional, a Prefeitura de Sobral,
através de sua Secretaria de Desenvolvimento da Educação,
tomou a iniciativa de avaliar, externamente, seus alunos nas
disciplinas Língua Portuguesa e Matemática, tendo como
referencial, para a aplicação dos Testes, as provas do MEC,
disponibilizadas, na Internet, pelo INEP.
Por indicação da professora Conceição Ávila de Misquita Viñas,
foi indicado, em maio de 2003, o nome do professor Vicente
Martins, do Curso de Letras, da UVA, para reelaborar e
adaptar o Teste de Língua Portuguesa, do Saeb, para
verificar, a título de pré-teste, o rendimento dos alunos das
séries terminais da 5ª série e da 8ª série, do Ensino
Fundamental regular.
Após os primeiros contatos com a Secretaria de
Desenvolvimento da Educação, o professor Vicente Martins
teve um encontro, em 29 de maio de 2003, com professores
e coordenadores da área de Língua Portuguesa, do Município
de Sobral.
A idéia do encontro, inicialmente, foi trocar idéias e
opinião sobre o ensino e a prática da língua portuguesa,
levados a efeito nas escolas municipais, evidenciando os
pontos fortes e fracos do ensino do Português. Comparecem
ao encontro, 14 professores e todos foram unânimes em
apontar a Leitura e a Escrita como as habilidades que
deveriam merecer maior atenção dos avaliadores.
11

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Durante o encontro, os professores relataram as


deficiências básicas e instrumentais registradas no decorrer
dos anos de ensino da Língua Portuguesa, no Ensino
Fundamental, apesar dos últimos investimentos da Prefeitura
na formação, habilitação e atualização dos professores e
melhorias nas condições de oferta de ensino.
Entre inúmeras deficiências na área de lectoescrita,
foram apontadas as seguintes pelos professores da rede
municipal de ensino:
a) Alunos da 5ª séries que tinham dificuldades de
reconhecer letras e discriminar os fonemas da língua
portuguesa;
b) Alunos com dificuldades de aprendizagem relacionadas
com a leitura e compreensão leitora;
c) Alunos com baixa auto-estima decorrente do fracasso
na hora de ler um texto de frases simples
d) Alunos com falta de interesse e com falta de atenção
para leitura interpretativa
e) Falta de acompanhamento dos país no tocante ao
desenvolvimento em leitura de seus filhos
A partir deste encontro, o professor Vicente Martins
levou em conta, para a aplicação dos Testes, na 5ª e 8ª
séries, as impressões, experiências e expectativas dos
docentes municipais, de modo a atender, de alguma forma, o
centro de interesse, procurando explicar significado
pedagógico das respostas pelos alunos aos Testes de Leitura
e Escrita.
12

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

2.1. A Proposta de Avaliação da Língua Portuguesa

Para a montagem dos Testes de Língua Portuguesa,


procedemos assim: a) uma parte Objetiva e b) uma Prova de
Redação.
Para a Prova Objetiva da 5ª série, selecionamos, de
mais de 30 itens do Saeb, 15 itens assim distribuídos: a) da
1ª a 7ª questão, itens relacionados com procedimentos ou
estratégias de leitura; b) da 8ª a 9ª questão, itens sobre
compreensão textual; c) de 10ª a 12ª questão, itens sobre
processamento do texto e d) da l3ª a 15ª questão, itens
relativos à variação lingüística.
Com base na Matriz de Referência de Língua Portuguesa
do Saeb 2001, os itens da 1ª questão a 8ª questão, do
Teste da 4ª Série do Ensino Fundamental , abordaram
seguintes habilidades relativas aos Procedimentos de Leitura:
a) Localizar informações explícitas em um texto; b) Inferir o
sentido de uma palavra ou expressão; c) Inferir uma
informação implícita em um texto e d) Identificar o tema de
um texto.
No tocante às Implicações do Suporte, do Gênero e/ou
do Enunciador na Compreensão do Texto, as questões 8ª e 9ª
cobraram a seguinte habilidade: Identificar a finalidade de
textos de diferentes gêneros.
No tocante à Coerência e Coesão no Processamento do
Texto, três questões ( de 10 a 12), cobraram as seguintes
habilidades dos avaliados: a) Estabelecer relações entre
partes de um texto, identificando repetições ou substituições
que contribuem para a continuidade de um texto; b)
Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que
constróem a narrativa e c) Estabelecer relação
causa/conseqüência entre partes e elementos do texto.
13

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Quanto à Variação Lingüística, buscou-se, com duas


questões (13 e 14), Identificar as marcas lingüísticas que
evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.
Para os participantes da 8ª série, o procedimento foi o
mesmo, isto é, levou-se em conta a Matriz de Referência
de Língua Portuguesa do Saeb 2001: a) Localizar
informações explícitas em um texto; b) Inferir o sentido de
uma palavra ou expressão; c) Inferir uma informação
implícita em um texto e d) Identificar o tema de um texto.
Na competência relacionada com Implicações do
Suporte, do Gênero e/ou do Enunciador na Compreensão do
Texto, o Teste, através de duas questões ( 9ª e 10ª), avaliou
a seguinte habilidade: a) – Identificar a finalidade de textos
de diferentes gêneros.
Quanto aos mecanismos de Coerência e Coesão no
Processamento do Texto, três questões aplicadas a 8ª série
avaliaram as seguintes habilidades: a) Estabelecer relações
entre partes de um texto, identificando repetições ou
substituições que contribuem para a continuidade de um texto
e b) Estabelecer relação entre a tese e os argumentos
oferecidos para sustentá-la.
Por fim, quanto às Relações entre Recursos Expressivos
e Efeitos de Sentido, previstas em duas questões (14 e 15),
foram avaliadas as seguintes habilidades: a) Reconhecer o
efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras
notações e b) D18 – Reconhecer o efeito de sentido
decorrente da escolha de uma determinada palavra ou
expressão.
Para a Prova Objetiva da 8ª série, procedemos, a
exemplo da 5ª série, desta maneira: : a) da 1ª a 8ª questão,
itens relacionados com procedimentos ou estratégias de
leitura; b) da 9ª a 11ª questão, itens sobre compreensão
textual; c) de 12ª a 13ª questão, itens sobre processamento
14

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

do texto e d) da l1ª a 15ª questão, itens relativos à recursos


expressivos e efeitos de sentido.
Para a Prova de Redação, tomamos como referência as
propostas de produção textual sugeridas por Maria Teresa
Serafini, em seu Como Escrever Textos (Editora Globo, 1991,
p.202) para desenvolvimento de textos criativos livres. Para a
5ª série, sugerimos o seguinte tema de situação: “Descreva
como seria sua vida se você tivesse dez centímetros de
altura”. Para os alunos da 8ª série, o seguinte tema: “ Tente
inventar uma nova vitamina e imaginar como ela poderia nos
servir”.
Além da folha própria de Redação, os alunos, tanto da 5ª
série como da 8ª série, seguiram as seguintes instruções no
decorrer da elaboração do texto:
a) Total de escores: 100.
b) Número de linhas – mínimo: 15 e máximo: 25
c) A demonstração do domínio da norma culta vale
d) desenvolvimento do tema e a originalidade valem
e) A articulação adequada das partes do texto vale
f) Não faça citação nem fuja ao tema proposto.
Na definição da pontuação, isto é, a distribuição de
escores, seguindo as orientações para a correção da Prova de
Redação do ENEM, estabelecemos que quatro habilidades
lingüísticas demarcaram os critérios de correção dos textos
dos alunos da 5ª série e da 8ª série:
Valendo 20 escores, a primeira habilidade a ser
considerada foi o domínio da norma culta. Aqui, demarcamos
como competência lingüística o domínio das convenções
ortográficas, observando os casos de supressão de letras e
grafemas.
A segunda habilidade, o desenvolvimento do tema,
valendo 50 escores, levando em conta a compreensão da
proposta de redação.
15

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

A terceira habilidade, a originalidade e o grau de


informatividade do texto, os corretos observaram sobretudo a
criatividade, especialmente a informação e a garantia dessa
informação no decorrer do desenvolvimento do texto.
E finalmente, a quarta habilidade diz respeito à
articulação das partes do texto, avaliando os mecanismos de
coesão e coerência textuais.

2.2. Participantes da Avaliação Externa

Participaram do processo avaliativo 812 alunos da 5ª


série e 91 alunos da 8ª série. Da 5ª série, foram 24 escolas
envolvidas na avaliação externa, em 54 turmas, nos seus
diversos turnos. Da 8ª série, foram 11 escolas e 11 turmas.
Em termos percentuais de participação, tivemos cerca de 20
por cento de amostra de uma população de, pelo menos,
4.014 alunos na 5ª série e 20 por cento de alunos dos 472
alunos matriculados na 8ª série.
Eis a lista de escolas municipais com turmas da 5ª série
participantes do processo de Avaliação Externa do Ensino
Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 5
Série - 2003: Araújo Chaves, Antônio Custódio Azevedo,
Carlos Jereissati, Deliza Lopes, Elpídio Ribeiro, Emílio Sendim,
Francisco Aguiar, Francisco Monte, Gerardo Rodrigues, Ivonir
Aguiar, José Arimatéia Alves, José Inácio Gomes Parente, Jose
Leôncio, José parente Prado, Leonília Gomes Parente, Maria
do Carmo Andrade, Manoel Marinho, Mariano Rocha, Netinha
Castelo, Odete Barroso, Pery Frota, Raimundo Pimentel
Gomes, Raimundo Santana e Vicente Antenor Ferreira Gomes.
Eis a lista de escolas municipais com turmas da 5ª série
participantes do processo de Avaliação Externa do Ensino
Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 8 ª
Série - 2003: Antônio Custódio Azevedo, Araújo Chaves,
Deliza Lopes, Elpídio Ribeiro, José Inácio Gomes Parente, Jose
16

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Leôncio, Manoel Marinho, Odete Barroso, Pery Frota,


Raimundo Santana e Vicente Antenor Ferreira Gomes

2.3. Faixa de desempenho e número de acertos

Para definição de uma faixa de desempenho das escolas


municipais , a partir do número de acertos, seguimos a
orientação da Metodologia para Calibragem dos Níveis de
Dificuldade prevista do Saeb, para a Parte Objetiva, e do
ENEM, para a Prova de Redação.
Seguindo orientação da Secretaria de Desenvolvimento
da Educação, os itens analisados e selecionados pelo
professor Vicente Martins foram um ensaio para um processo
de pré-teste. A pré-testagem, sob critérios estatísticos,
permitirá agora, a partir dos dados do presente RELATÓRIO,
que os itens fossem aplicados em alunos DA 5ª E 8ª série do
ensino fundamental,. amostrados significativamente (cerca de
20 por cento da população matriculada)
De modo que os resultados aqui submetidos à análise
estatística permitiram que se conhecesse o percentual de
acertos e o percentual por opções de resposta )anexos) No
entanto, para a definição de um conceito ou faixa de
desempenho levamos em conta apenas o percentual de
acertos.
As questões foram escolhidas de modo a cobrir os
diferentes graus de dificuldade e representando
significativamente a abordagem dos conteúdos estruturais das
áreas citadas. escolhidos
Os níveis de dificuldade foram estabelecidos em
função dos percentuais de acertos que os professores
atribuíram a cada item: Níveis de dificuldade dos itens de
acordo com o percentual de acerto
Na Prova de redação, consideramos válido, desde logo,
seguir os procedimentos ou critérios de referência do ENEM,
17

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

com segura Metodologia e Critério de Correção, tendo por


referência as competências da Matriz do Saeb, transpostas
para produção de texto escrito com base em uma redação de
modelo não-usual, sugerindo temas para o desenvolvimento
de textos criativos livres.
Foram estabelecidas as seguintes Competências e
Critérios para Análise da Redação da Avaliação Externa no
ano de 2003: I ) Demonstrar domínio da norma culta da
língua escrita: 1. Demonstra conhecimento precário da norma
culta: inadequação na escolha da variedade lingüística, graves
e freqüentes desvios gramaticais e transgressões inaceitáveis
das convenções da escrita. 2. Demonstra conhecimento
razoável da norma culta: problemas na escolha da variedade
lingüistica; desvios gramaticais e transgressões das
convenções da escrita pouco aceitáveis nessa etapa de
escolaridade. 3. Demonstra bomdomínio da norma culta
(ainda que com pontuais desvios gramaticais ou
transgressões pontuais das convenções da escrita). 4.
Demonstra muito bomdomínio da norma culta (ainda que com
um ou outro deslize relativo à norma gramatical ou às
convenções da escrita).
Na Segunda competência, a de Compreender a proposta
de redação e aplicar conceitos das várias áreas (o de
matemática, por exemplo, para Ter noção de grandeza
a partir do termo centímetros) do conhecimento para
desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do
texto : 1. Desenvolve tangencialmente o tema em um
texto que apresenta características do tipo de texto
criativo ; ou apresenta embrionariamente o tipo de
texto de criação livre. (sem “fugir” do tema). 2.
Desenvolve razoavelmente o tema, a partir de
considerações próximas do senso comum ou por meio
de paráfrases dos textos-estímulo, e domina
precária/razoavelmente o tipo de criativo. 3.
18

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Desenvolve bem o tema, mesmo apresentando


argumentos previsíveis, e domina bem o tipo de texto
criativo , com indícios de autoria. 4. Desenvolve muito
bem o tema, a partir de um projeto pessoal de texto e
de um repertório cultural produtivo; domina muito
bem o tipo de texto criativo.
A terceira competência, a de Selecionar, relacionar,
organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e
argumentos em defesa de um ponto de vista : 1. Apresenta
informações, fatos e opiniões precariamente relacionados ao
tema. 2. Apresenta informações, fatos e opiniões
razoavelmente relacionados a um embrião de projeto de texto
e/ou limita-se a reproduzir os elementos fornecidos pela
proposta de redação. 3. Seleciona informações, fatos,
opiniões e argumentos, relacionando-os ao seu projeto de
texto. 4. Seleciona, interpreta e organiza informações, fatos,
opiniões e argumentos, estabelecendo uma relação produtiva
entre essa seleção e seu projeto de texto.
A Quarta competência cobrada na avaliação redacional, a
de demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos
necessários para a construção da argumentação: 1. Articula
precariamente as partes do texto. 2. Articula razoavelmente
as partes do texto, apresentando problemas freqüentes na
utilização dos recursos coesivos. 3. Articula bem as partes do
texto (ainda que apresente problemas pontuais na utilização
dos recursos coesivos). 4. Articula muito bem as partes do
texto (ainda que apresente eventuais deslizes na utilização de
recursos coesivos).
Durante o processo foi elaborada uma planilha com as
notas do corretor. Um dos pontos mais importantes do
processo de correção foi a planilha do corretor, graças à qual
se obteve obtendo uma uniformidade de critérios na avaliação
das redações, independentemente do número de provas e de
corretores envolvidos no processo.
19

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

O processo de correção propriamente dito ocorreu no


período de 3 de agosto a 3 de setembro de 2003, de segunda
a sábado, com a participação de três professores.
Por fim, levando em conta os critérios acima
mencionados, tanto para a Parte Objetiva como para a Prova
de Redação, estabelecemos, as seguintes faixas de
desempenho a partir do número de acertos:

FAIXAS DE DESEMPENHO NÚMERO DE ACERTOS


F MUITO CRÍTICO Entre 0 e 20
E CRÍTICO Entre 21 E 35
D REGULAR Entre 36 e 45
C BOM Entre 45 e 60
B MUITO BOM Entre 61 a 80
A EXCELENTE Entre 81 a 100
20

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Análise dos Itens do


Teste de Língua Portuguesa
5ª Série do Ensino Fundamental

1. Leia o trecho.
Era uma vez, no mês de janeiro, muitos índios. E ativos:
caçavam, pescavam, guerreavam. Mas nas tabas não faziam
coisa alguma: deitavam-se nas redes e dormiam roncando. E a
comida? Só as mulheres cuidavam do preparo dela para terem
todos o que comer.
Uma vez elas notaram que faltava milho no cesto para moer.
Que fizeram as valentes mulheres?
O seguinte: sem medo, enfurnaram-se nas matas, sob um
gostoso sol amarelo. As árvores
rebrilhavam verdes e embaixo delas havia sombra e água
fresca. Quando saíam de debaixo das
copas encontravam o calor, bebiam no reino das águas
buliçosas. Mas sempre procurando milho
porque a fome era daquelas que as faziam comer folhas de
árvores. Mas só encontravam espigazinhas murchas e sem
graça.

Clarice Lispector

De acordo com o texto, quem encontrava as espigazinhas


murchas e sem graça eram
(A) os índios. (C) os animais. (B) as mulheres. (D) os
garotos.

Comentário ao Percentual de respostas às alternativas:


Esta questão, que trata sobre procedimento ou estratégia de
leitura, avalia a habilidade de o aluno localizar informações
21

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

explícitas de um texto. No resultado do Saeb, o percentual de


acerto foi na ordem de 86 por cento. No resultado do Município
de Sobral, 71 por cento de acertos. A Escola Maria do Carmo
obteve 100 por cento de acertos.
Como se observa, o texto é um fragmento e tem estrutura
complexa, pois estabelece relações anafóricas que,
provavelmente, não são tratadas na 4ª série do Ensino
Fundamental. O enunciado remete os alunos ao segundo
parágrafo, porém a resposta correta “B” (48%), mulheres,
encontra-se no primeiro parágrafo e terá que ser resgatada a
partir da desinência verbal de 3ª pessoa do plural dos verbos
usados no 2º parágrafo (notaram, enfurnaram-se,
encontravam).
É possível que a familiaridade com a temática, que é trabalhada
desde as primeiras séries do Ensino Fundamental, tenha
funcionado de duas maneiras distintas: 1ª) a aproximação com
o tema propiciou a escolha da alternativa correta, apesar da
complexidade textual; 2ª) a alternativa errada “A” que se
mostrou mais atraente aponta como resposta o vocábulo índio”,
de conhecimento comum dos alunos. Os alunos que
selecionaram a resposta correta souberam “mapear” o texto e
identificaram o referente pessoal de “mulheres”(elas), o que
facilitou a escolha da resposta requerida pelo B item.

2. Leia o trecho.

Desde que o astrônomo Galileu Galilei apontou, em 1610, sua


luneta em direção a Júpiter e descobriu quatro de seus 16
satélites, este planeta tem sido a maior fonte de fascínios para
os cientistas.
Fonte: ISTO É , nº.1403, p.43, ago.1996.
O texto afirma que
( A ) Em 1610 Galileu Galilei descobriu quatro satélites
22

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

de Júpiter.
(B) Galileu Galilei descobriu os 16 satélites de Júpiter.
(C) Júpiter tem sido motivo de preocupação de Galileu Galilei.
(D) os 16 satélites de Júpiter foram descobertos em 1610.

Percentual de respostas às alternativas

É item que trata, também, de localizar informações explícitas


de um texto. No resultado do Saeb, foram 42 por cento de
acerto no item A . No município, o desempenho chegou a 40
por cento de acertos, menor do que a nacional. Em termos de
desempenho, em nível de escola, a Francisco Monte obteve 67
por cento de acertos.
Este item requer do aluno habilidades de leitura de texto com
informações que envolvem números. Embora a informação
esteja explícita, é de se supor que os alunos tiveram
dificuldades de duas ordens: a) interpretar o número cardinal
por extenso (quatro), o algoritmo (16) e entender o significado
de ambos; b) interpretar a noção de fração subjacente à
informação. Aqueles alunos que selecionaram a alternativa
correta “A” demonstraram domínio de leitura de textos curtos e
souberam seguir pistas que se apresentaram em linguagem
matemática

3. Leia o texto.

O sapo

Era uma vez um lindo príncipe por quem todas as moças se


apaixonavam. Por ele também se apaixonou a bruxa horrenda
que o pediu em casamento.
O príncipe nem ligou e a bruxa ficou muito brava. “Se não vai
casar comigo não vai se casar
com ninguém mais!” Olhou fundo nos olhos dele e disse: “Você
23

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

vai virar um sapo!” Ao ouvir esta


palavra o príncipe sentiu estremeção. Teve medo. Acreditou. E
ele virou aquilo que a palavra feitiço
tinha dito. Sapo. Virou um sapo.

ALVES, Rubem. A alegria de ensinar.Ars Poética, 1994

Na frase “O príncipe nem ligou e a bruxa ficou


muito brava”, a palavra brava significa
(A) apaixonada.
(B) calma.
(C) furiosa.
(D) horrenda.

Percentual de respostas às alternativas

É um item que exige do aluno a habilidade de inferir o sentido


de uma palavra ou expressão. No desempenho do Saeb, o
percentual de acerto foi na ordem 65 por cento. No Município
de Sobral, alcançamos a ordem de 60 por cento de acertos. A
Escola Deliza Lopes alcançou a marca de 93 por cento de
acertos.

15 6 65 6 8
O item apresenta um texto ficcional de estrutura simples. A
temática é de conhecimento dos alunos e o vocabulário é de
fácil acesso. Ademais, o texto facilita a aproximação do leitor,
pois os contos de fadas são de domínio do público infantil.
No entanto, a maioria dos alunos, tanto do Saeb como da rede
municipal de Sobral, que escolheram a alternativa correta “C”,
souberam fazer inferência de significado a partir do contexto e
demonstraram excelente poder de discriminação quando
colocados diante de alternativas semanticamente opostas
(furiosa/calma). Pode-se presumir, também, que esses alunos
24

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

têm conhecimento prévio sobre o assunto do texto e


familiaridade com os “contos de fadas”, ainda que numa
contextualização moderna

4. O Saber da Vovó
Na noite chuvosa, Dona Carmelita se preocupava com
Maurinho: febre alta, diarréia, boca seca, suores frios. O
médico estava longe daquele sertão e remédios não havia em
casa.
O que fazer? – pensou Dona Carmelita.
Logo ela se lembrou de como sua avó fazia quando ela era
criança. Preparava um remedinho fácil: água, açúcar, sal, limão
e amido de milho misturadinhos, e oferecia-lhe em bons goles.
E assim foi feito...
Amanheceu. Maurinho dormia tranqüilo e Dona Carmelita
preparava, no fogão-a-lenha, um bom mingau de fubá e dizia:
– Esse é forte e dá sustança!
Que sentido tem a expressão usada por Dona
Carmelita?
“– Esse é forte e dá sustança!”
(A) Certeza do efeito do alimento para fortalecer seu
filho.
(B) Dúvida de que o mingau recuperaria o menino.
(C) Incerteza do valor nutritivo do fubá.
(D) Satisfação em atender a vontade de Maurinho.

Percentual de respostas às alternativas

O quarto item refere-se a habilidade de o aluno inferir o sentido


de uma palavra ou expressão. No desempenho do Saeb,
obteve-se 60 por cento de acertos. No Município de Sobral,
obteve-se 56 por cento de acertos. A escola Maria do Carmo
obteve o melhor desempenho entre as escolas municipais, com
25

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

77 por cento de acertos.


Pela percentagem de acertos (alternativa “A”), verifica-se que o
item foi bem respondido, o que significa que os alunos, em
contato com textos que apresentam referenciais antigos,
demonstram bom conhecimento de mundo. Pode-se observar,
ainda, que esses alunos sabem fazer associação simples entre
palavras (água, açúcar, sal, limão e amido de milho), como, por
exemplo, para inferir que as palavras referem-se a ingredientes
de uma receita de remédio caseiro.
É bem possível que as dificuldades surgidas tenham sido
causadas pelo vocábulo “sustança”, que pode não fazer parte
do universo semântico das crianças de séries iniciais e que
exigiu a inferência a partir do contexto. Neste caso, o vocábulo
pode ter sido obstáculo à compreensão da expressão.

5 O cão e o lobo
Um cão passeava pela floresta quando topou com um lobo
magro. Aos poucos os dois fizeram amizade.
– Puxa, cachorro! Como você está gordo e bem tratado ...
– É que eu tenho um dono. Meu dono me dá três boas refeições
por dia, escova meu pêlo, me dá uma casa de madeira... Em
troca disso, pede que eu lhe guarde a casa dos assaltantes e
lhe faça uns agrados de vez em quando.
– Só isso? Mas deve ser maravilhoso ter um dono – concluiu o
lobo.
O cão então convenceu o lobo a acompanhá-lo, certo de que
seu dono gostaria de ter mais um animal de estimação.
Os dois andaram por um certo tempo, até que o lobo percebeu
uma coleira no cachorro.
– O que é isso? – perguntou o lobo.
– Ah, isto é uma coleira. Às vezes, meu dono se irrita e me
prende numa corrente. Mas é por pouco
tempo, logo eu estou solto de novo. O lobo parou, pensou um
pouco... e voltou atrás.
26

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

De longe, ainda falou para o cachorro:


– Não, cachorro. Não sirvo para essa vida. Eu sei que mais
vale a liberdade com fome do que o luxo na prisão.

Fábula recontada por Marcia Kupstas, Sete faces da fábula.b
São Paulo, Moderna, 1993. (Texto adaptado)

O que aconteceu com o lobo quando soube que o


cachorro usava coleira?
(A) Desistiu da liberdade.
(B) Desistiu de ter um dono.
(C) Resolveu conhecer seu dono.
(D) Resolveu tirar a coleira do cachorro

Percentual de respostas às alternativas

Este item diz respeito a habilidade de inferir uma informação


implícita em um texto. No desempenho do Saeb, os Alunos
participantes do processo chegaram a 66 por cento de acertos.
O Município de Sobral chegou a 51 por cento de acertos. A
Escola Maria do Carmo chegou a 93 por cento de acertos,
revelando melhor performance comparada à média nacional.
Este texto narrativo (fábula) apresenta uma estrutura
simples e de pouca complexidade. Mesmo no conhecimento de
mundo de alunos de 4ª série, há uma infinidade de exemplos
vivenciados no dia-a-dia e que podem ser resgatados por meio
dos ensinamentos contidos nas fábulas.
De uma forma lúdica, mas nem por isso menos séria, o leitor é
levado a perceber as mensagens nas entrelinhas e, portanto,
inferir as informações requeridas.
Os alunos com bom domínio de estratégias de leitura
escolheram a alternativa correta “B”.
27

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

6.
Os rios precisam de um banho
A população das cidades esquece a importância dos rios e os
utilizam como cestas de lixo. O resultado muita gente já deve
conhecer: enchentes! Com tanto entulho, os canais de
drenagem – isto
é, o caminho que as águas percorrem morro abaixo, acabam
ficando entupidos e causando inundações em dias de chuvas
fortes. Para evitar as enchentes – que, além da destruição,
trazem doenças –, a solução é não jogar lixo nos rios. O lugar
das coisas que não queremos mais, sejam chinelos, garrafas ou
até eletrodomésticos, é a lata de lixo!

TORRES, João Paulo Machado. Os rios precisam de um banho.


Ciência Hoje das Crianças, Rio de Janeiro: nº 98, p. 21, dez
1999.
(fragmento)
O texto trata
(A) da poluição dos rios.
(B) da poluição das indústrias.
(C) da reciclagem do lixo.
(D) do desperdício de água.

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a habilidade de o aluno identificar o tema de


um texto. No desempenho do Saeb, foram registrados 65 por
cento de acerto por parte dos participantes brasileiros. Os
alunos de Sobral tiveram 63 por cento de acertos. A escola
Netinha Castelo atingiu a excelência na resolução da questão
com 100 por cento de acertos.

O item oferece um texto informativo sobre um problema


ecológico bastante discutido nas escolas e muito difundido pela
28

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

mídia. É um texto curto, sintaticamente simples e com


vocabulário de fácil compreensão.
Pelo desempenho observado, este item pode ser considerado
fácil. O vocábulo mais difícil (drenagem) foi apoiado por uma
nova informação presente na seqüência do texto.
O que se quis avaliar foi a capacidade dos alunos de
reconhecer, entre as opções dadas pelas alternativas, as
informações implícitas em um texto e, a partir de inferências
textuais, abstrair aquela que identifica a idéia central.
Verifica-se que o item foi respondido corretamente por 63%
dos alunos de Sobral. Estes demonstraram ter capacidade de
identificar a idéia central de gêneros textuais que tratam de
assuntos ecológicos.

7. Micróbios - amigos ou inimigos?


Matam ou engordam?
Tem uma coisa que os adultos dizem que eu tenho certeza de
que aborrece as crianças:
“Vá lavar as mãos antes de comer! Ela está cheia de micróbios.
Não coma esse troço que caiu no chão! Lave logo o machucado,
senão os micróbios tomam conta!”
Daí a criança vai logo pensando: “Coisa chata essa de
micróbio!” E os micróbios vão ficando
com essa fama de monstrinhos, sempre prontos a atacar em
caso de desleixo.
Mas sem micróbios e bactérias também não dá para viver,
porque há um montão deles que são
essenciais para manter vida em nosso planeta. Quando a gente
vai lavar as mãos antes de comer fica até meio desapontado,
pois não vê micróbio nenhum. E acha aquilo um exagero. É que
os micróbios são microscópicos. Atualmente são considerados
micróbios ou microorganismos os fungos, as bactérias, os
vírus, algumas algas e os protozoários.
Os micróbios - não há como negar - são responsáveis por uma
29

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

série de aborrecimentos: gripe, sarampo, tifo, malária, febre


amarela, paralisia infantil e um bocado de coisas mais.
Mas também há inúmeros micróbios benéficos, que decompõem
o corpo morto das plantas e animais, transformando suas
moléculas complexas em moléculas pequenas, aproveitáveis na
nutrição das plantas.
O vilão de nossa história, portanto, não é totalmente malvado.
Se ele desaparecesse, nós também acabaríamos junto com ele.

Adaptado: CIÊNCIA HOJE DAS CRIANÇAS. Rio de Janeiro:


SBPC, ano 6. n.30, p.20-23.

O tema do texto é
(A) a chatice dos micróbios.
(B) a falta dos micróbios.
(C) o papel dos micróbios.
(D) o desaparecimento dos micróbios

Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno identificar o tema


de um texto. No Saeb, foi registrado o seguinte percentual de
acertos: 21, o que, de logo, indica um nível de frustração dos
participantes. A situação dos alunos de Sobral foi bastante
sofrível com apenas 14 por cento de acertos. Cinco escolas da
rede municipal zeraram a questão, isto é, nenhum aluno
conseguiu acertar a questão. O maior percentual foi obtido pela
escola Maria do Carmo com 47 por cento de acertos.

Comparado aos dois textos anteriormente apresentados para a


habilidade Identificar o tema de um texto, este se revela mais
complexo devido à interação entre diversos fatores: a) trata-se
de um texto complexo, difuso e mais longo; b) a informação
cobrada pelo enunciado terá que ser decodificada a partir da
30

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

apreensão global do texto, exigindo do leitor um nível de


abstração maior; c) em relação à temática, o texto versa sobre
assunto menos atraente para crianças e, talvez, pouco
trabalhado nessa série; d) a presença de vocabulário científico
(fungos, bactérias, vírus, protozoários, moléculas); e) a
referência a doenças como tifo, malária e febre amarela, pode
justificar a dificuldade dos alunos de 4ª série em lidar com o
texto.
O baixo rendimento dos alunos aponta para leitores com pouco
conhecimento de vocábulos específicos do mundo letrado e
pouca aproximação com este tipo de texto. Somente os alunos
com um bom nível de letramento obtiveram sucesso neste
item.

8. Soluções Caseiras
Se você já se ligou na importância de economizar energia,
tome nota de dicas muito simples do que
é possível fazer em casa para evitar o desperdício de
eletricidade:
• Durante o dia, procure abrir as cortinas e as janelas para não
ter de acender a luz. E na hora de
escolher uma lâmpada, as fluorescentes são bem mais
econômicas que as incandescentes, aquelas
redondinhas comuns em qualquer lugar.
Ciência Hoje das crianças. Rio de Janeiro:
SBPC, Ano 11, jul., 1998.
Nesse texto, o autor faz recomendações sobre
(A) a economia de energia.
(B) as fontes de energia.
(C) as vantagens da eletricidade.
(D) os riscos da eletricidade.

Percentual de respostas às alternativas


31

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

O item refere-se a habilidade de identificar a finalidade de


textos de diferentes gêneros. É um item que exige dos alunos a
competência de reconhecer os gêneros textos, portanto, a
diversidade de textos, para obter compreensão leitora. No
O índice de respostas à alternativa correta “A” (77%), do Saeb,
e o índice de respostas do Município, de 70 por cento, mostra
que o item é fácil. A escola Maria do Carmo obteve o maior
número de acertos, chegando ao índice de 93 por cento.
A questão não ofereceu grandes dificuldades, visto que o texto
versa sobre um assunto que faz parte do cotidiano de adultos e
também das crianças, qual seja, a economia de energia
elétrica. Além disso, as “dicas” claramente
permitem o reconhecimento do tipo de recomendação.
O entendimento de vocábulos mais desconhecidos como
“fluorescente” e “incandescente” deu-se a partir do contexto
em que aparecem. A ilustração auxiliou a construção de
inferências sobre o conteúdo informativo do texto, em função
da coerência entre a figura e o conteúdo do texto. O teto da
casa remete à captação da energia solar e, apesar de a TV
estar ligada, a janela encontra-se aberta e sem cortinas.

9 Saudade
Filisbino Matoso andava que era uma tristeza só. Não queria
nada com a vida nem aceitava consolo de ninguém. Quem
passasse lá pelas bandas do Sítio da Purunga Sonora ia ouvir os
lamentos do moço.
– Ai! Como sofro! Sem minha querida Florisbelta não posso
viver. De que me vale este lindo
sítio com lago, se estou nadando em lágrimas?
Todos que moravam no Purunga Sonora e nos arredores
sabiam da história da Florisbelta. Era o
grande amor de Filisbino Matoso. A choradeira havia começado
com o raiar do sol, quando a tal
32

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Florisbelta, sem avisar ninguém, resolvera tomar o caminho da


cidade.
SALLOUTI, Elza Césari. O bilhete que o vento levou. São Paulo:
Salesiana Dom Bosco,1991.
A finalidade do texto é
(A) ensinar uma receita.
(B) ensinar um jogo.
(C) contar uma piada.
(D) contar uma história.

Percentual de respostas às alternativas

O item 9º foi bem entendido pelos alunos brasileiros. O Saeb


registrou 73 por cento de acertos. Sobral ficou na ordem de 70
por cento de acertos. A escola Mariano Rocha obteve 100 por
cento de acertos.
Este item, em relação ao anterior, do mesmo
descritor, também não apresenta dificuldades, o que fica
comprovado pelo percentual de 70% de acertos no município
de Sobral.
A estrutura do texto é simples e o vocabulário comum, embora
a temática não desperte interesse em alunos de séries iniciais.
Entretanto, pode-se observar, pelos índices de acerto, que os
alunos souberam identificar a finalidade do texto pedida no
enunciado. As outras alternativas atraíram alunos que ou não
leram o texto até o final ou não estão familiarizados com a
variedade de gêneros textuais citados nas alternativas

10. Leia o trecho


“Por ter uma visão apurada o cão consegue, mesmo que a certa
distância, perceber alterações
nos movimentos de uma pessoa amedrontada. O animal
descende do lobo e dele herdou
o instinto de caça. Se alguém passa a andar furtivamente com
33

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

uma postura submissa, ele


identifica logo uma presa fácil.”
A palavra grifada no texto refere-se
(A) a alguém.
(B) ao cão.
(C) ao instinto.
(D) ao lobo.

Percentual de respostas às alternativas

O item 10 refere-se a habilidade de o aluno estabelecer


relações entre as partes de um texto. Para tanto, a exige do
mesmo a competência de reconhecer os mecanismos de coesão
e coerência no processamento de textos. No Saeb, o índice de
acertos alcançado foi 39 por cento. Sobral superou esta marca
com 50 por cento de acertos. A Escola Mariano Rocha melhor
desempenho, com 74 por cento de acertos.
O texto informativo, pequeno e de estrutura simples, apresenta
uma temática não muito familiar aos alunos, o que pode
dificultar a leitura. O baixo percentual de acertos inclui este
item na categoria difícil talvez porque os alunos não
conseguiram estabelecer relações anafóricas no texto. A
distância entre o referente “ele” e o antecedente “cão” pode
representar outro fator de dificuldade.

11. O leão apaixonado


Certa vez um leão se apaixonou pela filha de um lenhador e foi
pedir a mão dela em
casamento. O lenhador não ficou muito animado com a idéia de
ver a filha com um marido
perigoso daqueles e disse ao leão que era muita honra, mas
muito obrigado, não queria.
O leão se irritou; sentindo o perigo, o homem foi esperto e
fingiu que concordava:
34

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

– É uma honra, meu senhor. Mas que dentões o senhor tem!


Que garras compridas!
Qualquer moça ia ficar com medo. Se o senhor quer casar com
minha filha, vai ter de
arrancar os dentes e cortar as garras.
O leão apaixonado foi correndo fazer o que o outro tinha
mandado; depois voltou à casa
do pai da moça e repetiu seu pedido de casamento. Mas o
lenhador, que já não sentia medo
daquele leão manso e desarmado, pegou um pau e tocou o leão
para fora de sua casa.

Fábulas de Esopo. Compilação de Russel Ash e Bernard Higton,


tradução de Heloísa Jahn.
São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1994.p. 20

O problema, na história, é resolvido quando

(A) o leão se apaixonou pela filha do lenhador.


(B) o lenhador concordou com o pedido de casamento do leão.
(C) a moça ficou com medo do futuro marido.
(D) o leão arrancou os dentes e cortou as garras.

Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno identificar o conflito


gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.
No Saeb, apenas 37 por cento de acertos. Em Sobral, o mesmo
índice. A escola Maria do Carmo alcançou o índice
surpreendente de 70 por cento de acertos.
Este item apresenta um texto fabular narrativo (fábula), que
tem estrutura simples e o vocabulário bem acessível à
compreensão de crianças nessa série. A aproximação do leitor é
facilitada pela temática, já conhecida e trabalhada desde cedo
35

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

nas escolas. No entanto, um item aparentemente fácil, revelou


um índice muito baixo de acertos (37%), tanto em nível
nacional como em Sobral.

12. A raposa e as uvas


Uma raposa passou por baixo de uma parreira carregada de
lindas uvas. Ficou logo com
muita vontade de apanhar as uvas para comer. Deu muitos
saltos, tentou subir na parreira,
mas não conseguiu. Depois de muito tentar foi-se embora,
dizendo:
– Eu nem estou ligando para as uvas. Elas estão verdes
mesmo...

Ruth Rocha. Fábula de Esopo. São Paulo, FTD, 1992.

O motivo por que a raposa não conseguiu apanhar as uvas foi


(A) as uvas ainda estavam verdes.
(B) a parreira era muito alta.
(C) a raposa não quis subir na parreira.
(D) as uvas eram poucas.

Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno estabelecer relação


causa/conseqüência entre partes e elementos do texto. No
Saeb, o resultado foi o seguinte: 44 por cento de acertos. Em
sobral, um pouco maior, 49 por cento de acertos. Duas escolas,
a José Inácio Gomes Parente e José Parente prado, ficaram com
índice de 75 por cento de acertos.
Geralmente os alunos demonstram competência na leitura de
narrativas fabulares. No entanto, esta, especificamente,
apresentou-se difícil, a julgar pelos índices de acertos.
verdes mesmo...) expressa no final do texto.
36

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Por outro lado, os alunos que escolheram a alternativa correta


“B” o fizeram porque, provavelmente, dominam o uso do valor
das conjunções na marcação das relações causais. Pode-se
afirmar que esses alunos estabelecem relações
causa/conseqüência entre partes e elementos do texto
narrativo simples. É de se supor que a dificuldade maior resida
no fato de que o aluno deveria realizar uma inferência mais
complexa para traduzir a intencionalidade do discurso da
raposa.

13. Texto do caipira


O caipira andava ao longo da estrada seguido de dez cavalos.
Nisso, veio um automóvel e o
motorista gritou para o caipira:
– Você tem dez. Mas eu tenho duzentos e cinqüenta cavalos! –
E – vrruuum! – saiu em disparada!
O caipira continuou seu passo. E lá na frente estava o carro
virado dentro do rio, ao lado
da ponte. Aí, o caipira falou pro motorista:
– Oi, cumpadre! Dando água pra tropa, é?
Trecho retirado do livro “As últimas anedotinhas do bichinho de
maçã”, de Ziraldo.

Que palavra do texto indica o modo de falar de


uma pessoa que mora no meio rural?
(A) Cumpadre.
(B) Disparada.
(C) Passo.
(D) Tropa.

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a habilidade de o aluno identificar as marcas


lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um
37

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

texto. No Saeb, o índice de acertos chegou a 70 por cento. O


Município de Sobral ficou com 66 por cento. A escola Maria do
Carmo obteve o surpreendente índice de 93 por cento de
acertos. O título do texto deste item já antecipa uma variação
no uso da língua. O item é fácil e foi acertado por 93% dos
alunos da escola Maria do Carmo. Além disso, este gênero
textual é bastante difundido entre crianças dessa idade, o que,
provavelmente, auxiliou no desempenho. Os alunos que
acertaram a resposta requerida demonstram domínio do
emprego de vocábulos e expressões em seus diferentes níveis
de formalidade e em função do contexto de cada falante, ou
seja, identificam marcas lingüísticas próprias da variação rural-
urbana.

14. São Paulo, 23 de Junho de 2000.


Prezado Senhor,
Comunicamos que já foi providenciado o encerramento
da sua conta corrente, conforme sua solicitação.
Colocamos a nossa equipe à sua disposição para esclarecer
possíveis dúvidas.
Atenciosamente,

Édson Perin
Superintendente Comercial

A pessoa que enviou a carta poderia fazer outra


muito semelhante para
(A) contar como foram as férias.
(B) matar as saudades do filho ausente.
(C) comunicar o fechamento da loja.
(D) xingar o compadre pela ausência.
Percentual de respostas às alternativas
O item refere-se, também, a habilidade de o aluno identificar as
marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de
38

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

um texto. No Saeb, chegou-se a 47 por centos de acertos. Em


Sobral, 42 por cento de acertos. A escola Odete Barroso obteve
o índice de 72 por cento de acertos.
Este item apresenta como texto-base uma carta comercial que,
embora pequena e de estrutura simples, trata de assunto
desconhecido do cotidiano comunicativo de crianças de 4ª
série. Presume-se que os alunos que assinalaram a alternativa
correta “C” ou estão habituados a este tipo de texto ou
conhecem o universo semântico de transações bancárias. É
também provável que os alunos bons em leitura tenham
assinalado esta alternativa em função do distanciamento
semântico entre as outras alternativas e o texto, o que
demonstra a capacidade de organizar o pensamento
Os alunos que assinalaram as alternativas erradas não
desenvolveram as habilidades básicas de leitura nem de
conhecimento de linguagem bancária.
15 O Saber da Vovó
Na noite chuvosa, Dona Carmelita se preocupava com
Maurinho: febre alta, diarréia, boca
seca, suores frios. O médico estava longe daquele sertão e
remédios não havia em casa.
O que fazer? – pensou Dona Carmelita.
Logo ela se lembrou de como sua avó fazia quando ela era
criança. Preparava um remedinho
fácil: água, açúcar, sal, limão e amido de milho misturadinhos,
e oferecia-lhe em bons goles. E
assim foi feito...
Amanheceu. Maurinho dormia tranqüilo e Dona Carmelita
preparava, no fogão-a-lenha, um bom mingau de fubá e dizia:
– Esse é forte e dá sustança!

Qual das frases abaixo apresenta o registro de
linguagem informal?
(A) “Dona Carmelita se preocupava com Maurinho.”
39

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

(B) “Esse é forte e dá sustança.”


(C) “Maurinho dormia tranqüilo.”
(D) “O que fazer? – pensou Dona

Percentual de respostas às alternativas


O item refere-se, também, a habilidade de o aluno identificar as
marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de
um texto. No Saeb, chegou-se a 53 por centos de acertos. Em
Sobral, 51 por cento de acertos. A escola Maria do Carmo
obteve o índice de 72 por cento de acertos.
O texto aqui apresentado é de estrutura simples e de
vocabulário fácil. No entanto, o contexto remete a uma época
distante ou a situações vividas no interior e, por conseguinte,
comum apenas aos alunos que vivenciam essas experiências ou
àqueles que têm familiaridade com uma grande variedade de
textos. Em conseqüência, a resposta requerida pelo item exige
domínio de registro de variação lingüística em contextos
variados. O vocábulo “sustança” é uma variante popular de
“sustância” e própria do linguajar do interior.
40

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Análise dos Itens do


Teste de Língua Portuguesa
8ª Série do Ensino Fundamental

1. Como opera a máfia que transformou o Brasil num


dos campeões da fraude de medicamentos
É um dos piores crimes que se podem cometer. As
vítimas são homens, mulheres e crianças doentes –
presas fáceis, capturadas na esperança de recuperar a
saúde perdida. A máfia dos medicamentos falsos é mais
cruel do que as quadrilhas de narcotraficantes. Quando
alguém decide cheirar cocaína, tem absoluta consciência
do que coloca corpo adentro. Às vítimas dos que
falsificam remédios não é dada oportunidade de escolha.
Para o doente, o remédio é compulsório. Ou ele toma o
que o médico lhe receitou ou passará a correr risco de
piorar ou até morrer. Nunca como hoje os brasileiros
entraram numa farmácia com tanta reserva.

PASTORE, Karina. O paraíso dos remédios falsificados.


Veja, nº 27. SP: Abril, 8 jul. 1998. p. 40-41.
Segundo a autora, “um dos piores crimes que se
pode cometer” é
(A) a venda de narcóticos.
(B) a falsificação dos remédios.
(C) a receita de remédios falsos.
(D) a venda abusiva de remédios nas farmácias.

Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno localizar


41

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

informações explícitas em um texto. No Saeb, o índice


de acertos foi de 76 por cento. No Município de Sobral,
58 por cento de acertos. Duas escolas municipais, a
Elípidio Ribeiro e Odete Barroso fecharam a prova,
com 100 por cento de acertos. Também muito
expressivo o índice de acertos da Antônio Custódio
Azevedo, com 92 por cento.

Retirado de uma revista semanal, o texto deste item


atende a uma das indicações das atuais tendências de
ensino de língua quanto ao uso de textos do cotidiano
comunicativo. Do texto para a alternativa correta “B”,
ainda que a informação a ser localizada sofra uma
mudança de classe gramatical – de verbo para
substantivo –, os alunos que acertam são 76%,
maioria, portanto.

2. Os Asteróides
Entre Marte e Júpiter encontramos uma faixa de
pequenos corpos, provavelmente originados em
explosões planetárias, que gravitam em torno do Sol. O
maior destes asteróides pode ser visto a olho nu e
recebe o nome de Vesta. Calcula-se em mais de 1.600 o
número de asteróides existentes.

Novo Atlas Geográfico Mundial. São Paulo: Editora


Michelany Ltda, 1993.

De acordo com o texto, a definição de asteróide é


(A) corpos formados por restos de planetas.
(B) planetas situados entre Marte e Júpiter.
(C) atividade de gravitar em torno do Sol.
(D) explosões de gases existentes na Terra.
42

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Percentual de respostas às alternativas


O item refere-se a habilidade de o aluno inferir o sentido
de uma palavra ou expressão. No Saeb, o índice de
acertos foi de 53 por cento. Em Sobral, a 31 por cento
de acertos. A escola Vicente Antenor f. Gomes obteve
índice de acertos, com 67 por cento.

Apesar de o texto deste item ser pequeno, sua temática


exige do leitor certa familiaridade como assunto, para
que ele, utilizando seu conhecimento de mundo, possa
inferir o significado de “asteróide”. O vocábulo
destacado no enunciado não pertence ao repertório
lingüístico dos alunos da 8ª série do Ensino
Fundamental, o que inviabilizou a escolha da alternativa
correta. Era de se esperar que alunos da 8ª série, neste
nível, soubessem selecionar a melhor resposta à
definição do vocábulo asteróide e não se deixassem
levar por pistas falsas. No entanto, um contingente de
apenas 53%, em nível nacional, acertou o item, ficando
sobral com Apenas 31 por cento.
3. O bicho
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão.
Não era um gato.
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.

BANDEIRA, Manoel. Poesias reunidas. Rio de Janeiro:


Ática, 1985
43

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

O que motivou o bicho a catar restos foi


(A) a própria fome.
(B) a imundice do pátio.
(C) o cheiro da comida.
(D) a amizade pelo cão.

Percentual de respostas às alternativas

A habilidade de o aluno inferir o sentido de uma palavra


ou expressão é cobrada neste item do Teste. No Saeb, o
índice obtido foi de 82 por cento. Em Sobral, apurou-se
um percentual de 73 por cento de acertos. A escola
Deliza Lopes obteve 100 por cento de acertos.
A interpretação solicitada requer que o aluno aponte o
que levou esse “bicho” a catar restos, o que não deixa
de ser, também, a percepção de uma relação de
causa/conseqüência. Parece que os alunos respondem
certo sem muita dificuldade, uma vez que 82%
assinalam a alternativa “A”, que corresponde à causa –
a fome do “bicho” – , que teve, como conseqüência, a
ação de pegar os restos de comida. Note-se que no
texto de Manuel Bandeira não há menção literal à
palavra “fome”. Isso nos induz a descrever a operação
mental por meio da qual os alunos puderam acertar
como decorrente da articulação entre conhecimentos
prévios e informações textuais (“catando comida”,
“engolia com voracidade”), incluindo, para tanto,
informações que dependem de pressuposições e
inferências autorizadas pelo texto.

4. A Fabrudaxa
Stella Carr
– Será aqui mesmo, Olhorão? Eu nunca vi bruxa morar
em prédio de apartamentos. Ainda por cima no 20º
44

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

andar!
– Deve facilitar a voagem da vassoura – respondeu
Olhorão.
Quando eles, minutos depois, disseram isso pra
Fabrudaxa, ela morre de rir.
– Francamente, rapazes. P, meu aspirador de pó a jato,
não precisa dessas coisas pra levantar vôo. Bem se vê
que vocês andaram lendo histórias do tempo em que as
fadas eram boas e as bruxas más.
– E não são mais? – perguntou Joãozinho.
– Claro que não! Hoje em dia ninguém faz mais só
maldades horripilantes ou bondades maravilhosas.
Todo mundo é bom-e-mau ao mesmo
tempo, dependendo da hora e dos interesses. Não
existem mais bruxas nem fadas.
– E você, o que é então?
– Eu sou uma fabrudaxa e minha maior preocupação é
ver se consigo acabar com a burrice humana. Tenho
feito tudo que é magia, simpatia, bruxaria, fadaria e
tá difícil!

In: Olhorão olhorundo. São Paulo, Melhoramentos,
1982.
As palavras que indicam que a bruxa da história é
moderna são
(A) prédio de apartamentos – aspirador de
pó a jato.
(B) prédio de apartamentos – vassoura.
(C) bruxa boa e má ao mesmo tempo –magia.
(D) magia, simpatia, bruxaria, fadaria.

Percentual de respostas às alternativas

Neste item, a habilidade requerida foi inferir uma


45

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

informação implícita no texto. No Saeb, o desempenho


foi de 68 por cento de acertos. Sobral ficou apenas com
40 por cento de acertos. O maior índice ficou com a
escola Deliza Lopes com 86 por cento de acertos.
A inferência que os alunos tiveram de fazer se baseou
em conhecimentos prévios de várias ordens, tais como:
conhecimento sobre outros textos, que é a
intertextualidade,conhecimento lingüístico,
conhecimento de mundo, etc. A maioria dos alunos da
escola Deliza Lopes (86%) fizeram corretamente a
conexão dos dois indicativos que caracterizam a bruxa
como moderna: prédio de apartamentos e aspirador de
pó a jato.
5.
Brinquedos incendiados
Uma noite houve um incêndio num bazar. E no fogo
total desapareceram consumidos os
seus brinquedos. Nós, crianças, conhecíamos aqueles
brinquedos um por um, de tanto mirá-los nos
mostruários – uns, pendentes de longos barbantes;
outros, apenas entrevistos em suas caixas.
(...)
O incêndio, porém, levou tudo. O bazar ficou sendo um
famoso galpão de cinzas.
Felizmente, ninguém tinha morrido – diziam em redor.
Como não tinha morrido ninguém? – pensavam as
crianças. Tinha morrido um mundo, e,
dentro dele, os olhos amorosos das crianças, ali
deixados. E começávamos a pressentir que viriam
outros incêndios. Em outras idades. De outros
brinquedos.
Até que um dia também desaparecêssemos sem
socorro, nós, brinquedos que somos, talvez, de anjos
distantes!
46

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

MEIRELES, Cecília. Janela Mágica. São


Paulo: Moderna. p. 13-14

Os outros incêndios a que a autora se refere, no último


parágrafo, podem ser entendidos como
(A) descobertas que se fariam ao longo da vida.
(B) perdas e decepções que ocorreriam ao longo
da vida.
(C) acidentes com fogo em estabelecimentos comerciais
e residenciais.
(D) violentas transformações na cidade em que morava.

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a habilidade de inferir o sentido de uma


palavra ou expressão. No Saeb, o índice alcançado foi de
52 por cento de acertos. No Município de Sobral, o
índice de acertos foi na ordem 29 por cento, bem abaixo
da média nacional. O desempenho maior próximo da
média nacional foi o da escola Odete Barroso com 50
por cento de acertos.
O texto de Cecília Meireles é construído com bastantes
metáforas. Como sabemos, a metáfora é a figura que
designa algo pela transferência de uma palavra para um
âmbito semântico que não é o da palavra que ela
designa, fundamentando-se numa relação de
semelhança entre o sentido próprio e o figurado. Se o
enunciado do item quer saber como os “outros
incêndios” do último parágrafo podem ser entendidos, é
claro que há a referência a algum tipo de incêndio antes
disso, que, na verdade, é um incêndio no sentido literal,
o da loja que vende de um tudo.
47

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

6. NÍVEL 4
Irene no céu
Irene preta
Irene boa
Irene sempre de bom humor.
Imagino Irene entrando no céu:
– Licença, meu branco!
E São Pedro bonachão:
– Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.
Manuel Bandeira
O assunto do poema é
(A) a revolta de Irene com São Pedro.
(B) o encontro de Irene com São Pedro.
(C) a impaciência de São Pedro com Irene.
(D) a discussão de Irene e São Pedro.

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a habilidade de identificar o tema de


um texto. No Saeb, o índice de acertos foi de 73 por
cento. Em Sobral, superou-se o nacional, com 76 por
cento de acertos. A escola Vicente Antenor F. Gomes,
com 100 por cento de acertos, obteve o melhor
desempenho entre as 11 escolas participantes da
avaliação externa.
Os alunos sobralenses identificam o tema deste texto
poético simples sem maiores problemas, pois a maioria
(76%) apontou que o assunto do texto é o encontro de
Irene com São Pedro, conforme o que consta na
alternativa correta “B”. Talvez os que responderam de
acordo com a alternativa errada “C” – a impaciência de
São Pedro com Irene – tenham considerado essa
alternativa como a certa por terem tomado a fala de São
Pedro como um índice de impaciência, como se Irene já
48

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

soubesse que poderia entrar no céu e ainda assim


pedisse licença.
7. A rã e o escorpião
A rã ia atravessar uma lagoa quando o escorpião pediu
carona.
– Por favor, rã, me leva pro outro lado. Eu preciso com
urgência ir para lá e não sei nadar. Quebra essa pra
mim.
A rã era legal, mas ficou com medo.
– Nem pensar, escorpião. Se tu me pica, eu morro.
O escorpião implorou:
– Claro que eu não vou fazer isso, rã. Se eu te picar, tu
morre e afunda. E eu afundo junto e morro também.
A rã pensou, o argumento fazia sentido. É, não havia
perigo.
– Monta aí, escorpião. E vamos que vamos.
O escorpião montou e a rã começou a atravessar a
lagoa. No meio do caminho, o escorpião picou a rã.
Desesperada, cheia de dor, ela berrou:
– Que idiota, escorpião! Eu vou morrer! E você vai
também.
Chorando, o escorpião se desculpou:
– Me perdoa, rã. Eu não pude resistir. É a minha índole.
[...]

MARCOS, Plínio. Magazine. Belo Horizonte,
Julho 1998, p.5.

A idéia central da fábula “A rã e o escorpião”


tem seu equivalente em
(A) “Quem tudo quer tudo perde.”
(B) “O lobo muda de pele, mas não de natureza.”
(C) “Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.”
(D) “Nem tudo que reluz é ouro.”
49

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se, também, a habilidade de o aluno


identificar o tema de um texto. É, pois uma questão de
procedimento ou estratégia de leitura. No Saeb, o índice
de acertos foi 54 por cento. Um pouco abaixo, com 53
por cento, ficou o Município de Sobral. A escola Deliza
Lopes obteve, no entanto, 100 por cento de acertos,
destacando-se entre as 11 escolas municipais.
Os alunos da Deliza Lopes que acertaram, apontando a
alternativa “B”, provavelmente se apoiaram em seus
conhecimentos prévios sobre universo temático e sobre
gêneros textuais, pois, neste item, há uma diferença em
relação a outros itens que solicitam a detecção do tema
de um texto. Aqui o diferencial é o saber fazer duas
operações: a primeira, identificar o tema do texto; a
segunda, encontrar correspondência desse tema com
outro texto, no caso, um provérbio. O conhecimento de
mundo também deve ter exercido papel fundamental a
partir do que os animais simbolizam – a índole do
escorpião e a natureza do lobo - na opção pela
alternativa correta.
8. homem de meia-idade
(Lenda chinesa)
Havia outrora um homem de meia-idade que tinha duas
esposas. Um dia, indo visitar a mais jovem, esta lhe
disse:
– Eu sou moça e você é velho; não gosto de morar com
você. Vá habitar com sua esposa mais velha.
Para poder ficar, o homem arrancou da cabeça os
cabelos brancos. Mas, quando foi visitar a esposa mais
velha, esta lhe disse, por sua vez:
– Eu sou velha e tenho a cabeça branca; arranque, pois,
50

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

os cabelos pretos que tem.


Então o homem arrancou os cabelos pretos para ficar de
cabeça branca. Como repetisse sem tréguas tal
procedimento, a cabeça tornou-se-lhe inteiramente
calva. A essa altura, ambas as esposas acharam-no
horrível e ambas o abandonaram.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda,


RÓNAI, Paulo, (orgs.) Mar de histórias. 3. ed.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978. v. 1, p. 119.

A idéia central do texto é


(A) O problema da calvície masculina.
(B) a impossibilidade de agradar a todos.
(C) A vaidade dos homens.
(D) a insegurança da meia-idade.

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a identificação do tema de um texto.


Requer, pois, procedimento de leitura. No Saeb, houve
48 por cento de acertos. Sobral superou a média
nacional com 50 por cento. A escola Deliza Lopes,
surpreendentemente, obteve 100 por cento de acertos.
Pela análise do item, observamos que alguns fatores
fazem com que a identificação de um determinado
assunto se torne uma atividade mais ou menos
complexa para o leitor, que terá de recorrer a crenças e
conhecimentos partilhados sobre o que está sendo
focalizado para poder entender o texto de modo
adequado.

9. Servidão Humana
A maior migração forçada da História começou
51

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

lentamente e acompanhou a expansão européia de


conquista e comércio. Os primeiros escravos africanos
chegaram ao Novo Mundo em 1509, mas foram poucos
até 1530, quando
Portugal, primeira nação européia a negociar com os
reinos negros da África Ocidental, começou a mandar
escravos para as plantações de cana-de-açúcar no
Brasil. O sofrimento da travessia era imenso. Arrancados
às famílias, acorrentados e levados a pé até o litoral,
amontoados em barracões para o embarque, a
degradação dos escravos não tinha fim. Ficavam navios,
lado a lado com doentes e agonizantes, sem saber que
destino teriam.
Revista VEJA. Especial do Milênio. São Paulo: Editora
Abril, ano 31, n. 51, dez.1999. p.110
A finalidade desse texto é
(A) convencer.
(B) informar.
(C) divertir.
(D) recomendar.
Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno identificar a


finalidade de textos de diferentes gêneros. No Saeb, 84
por cento marcou a boa performance dos estudantes
brasileiros. Sobral ficou com 62 por cento de acertos. A
escola Vicente Antenor F. Gomes, com 100 por cento
de acertos, obteve o melhor desempenho entre as
escolas municipais.
A habilidade requerida pelo item é que o aluno seja
capaz de identificar a finalidade do texto. O texto-base
deste item não é dos mais simples, pois, além de
informar acerca de um aspecto histórico, critica e
denuncia a crueldade com que se dava o tráfico de
52

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

escravos. No entanto, a totalidade dos alunos da 8ª


série da Escola Vicente Antenor F. Gomes demonstra
que é capaz de ler um texto de certa complexidade e
reconhecer o propósito com que ele foi escrito.

10. O homem de meia-idade


(Lenda chinesa)
Havia outrora um homem de meia-idade que tinha duas
esposas. Um dia, indo visitar a mais jovem, esta lhe
disse:
– Eu sou moça e você é velho; não gosto de morar com
você. Vá habitar com sua esposa mais velha.
Para poder ficar, o homem arrancou da cabeça os
cabelos brancos. Mas, quando foi visitar a esposa mais
velha, esta lhe disse, por sua vez:
– Eu sou velha e tenho a cabeça branca; arranque, pois,
os cabelos pretos que tem.
Então o homem arrancou os cabelos pretos para ficar de
cabeça branca. Como repetisse sem tréguas tal
procedimento, a cabeça tornou-se-lhe inteiramente
calva. A essa altura, ambas as esposas acharam-no
horrível e ambas o abandonaram.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda,


RÓNAI, Paulo, (orgs.)
Mar de histórias. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1978. v. 1, p. 119.
No trecho: “Mas, quando foi visitar a esposa mais
velha, esta lhe disse...”, a palavra grifada refere-se à
(A) cabeça branca.
(B) cabeça calva.
(C) esposa jovem.
(D) esposa velha.
53

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Percentual de respostas às alternativas

O item envolve a habilidade de o aluno estabelecer


relações entre as partes de um texto, identificando
repetições e substituições que contribuem para a
continuidade de um texto. No desempenho nacional,
medido pelo Saeb, os estudantes brasileiros ficaram 60
por cento de acertos. Em Sobral, houve uma queda
expressiva, ficando os alunos sobralenses com apenas
20 por cento de acertos. O melhor desempenho, entre
as escolas, foi a Vicente Antenor F. Gomes, com 67 por
cento de acertos.
A interpretação do pronome esta teve de ser buscada
em expressões localizadas antes desse segmento, no
interior do mesmo texto, por ser essa uma peculiaridade
da própria função do pronome: retomar algo já
mencionado no texto anteriormente.
11. Prejuízo em estacionamento
Sou freqüentador quase que diário do estacionamento
de um shopping explorado por uma empresa. No último
dia 21 estacionei à tarde e à noite. Quando saí à noite,
notei que o rádio do meu carro estava funcionando mal,
motivado pelo roubo da antena. No dia seguinte,
preenchi um formulário anexando os dois comprovantes
do pagamento, solicitando a reposição da antena, pleito
que me foi negado dois dias após, por telefone. Fiz outro
requerimento solicitando uma justificativa da negação e
não fui
atendido. Qual o direito que temos ao estacionar em um
shopping pagando R$ 2,50?

Texto adaptado. O GLOBO: 21 de jan. de 2001, pág. ,


32.
A palavra “ pleito”, no texto, refere-se
54

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

(A) ao roubo da antena.


(B) à reposição da antena.
(C) à justificativa da negação.
(D) ao comprovante do pagamento

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se, também, a habilidade de o aluno


estabelecer relações entre as partes de um texto,
identificando repetições e substituições que contribuem
para a continuidade de um texto. No Saeb, o índice foi
de apenas 33 por cento de acertos. Esta tendência de
índice de dificuldade pode ser confirmada pelos alunos
sobralenses que apresentaram apenas 19 por cento de
acerto. Quatro escolas municipais zeraram nesta
alternativa. O melhor índice ficou com a escola Antônio
Custódio Azevedo, que obteve 50 por cento de acertos.
Para responder a essa questão, não seria necessário
conhecer o sentido da palavra pleito, mas ter a
habilidade de reconhecer que, nesse tipo de estrutura, a
retomada de um antecedente está se dando por um
expediente da coesão textual. Operacionalmente, o
raciocínio requerido é bastante semelhante ao exigido
para o item anterior. Mas o que se observa é que aqui
os alunos não foram tão bem, pois só 19% dos
sobralenses acertaram.
Neste item, o que se observa, claramente, é que a carta
de reclamação de um leitor, enviada e publicada no
jornal, para a maioria dos alunos, pode ser traduzida
como um gênero textual que se caracteriza com a
linguagem e a situação que se distanciam da realidade
lingüística e cognitiva dos alunos.

12. Leia o texto.


55

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Ariel chega suado na classe. D. Maria Luísa está


colocando nas carteiras a prova de ciências já corrigida.
Inda bem que ela colocou a nota para baixo. Ariel acha
que deu vexame, o pior é que vai ter que levar a prova
para a mãe assinar. Senta-se devagarinho e olha a
prova.
O Jair, ao lado, deve ter tirado um notão porque está
rindo sozinho. Também, grande coisa! O Jair só faz
estudar! É tão grosso no futebol, que nem o professor
de ginástica tem coragem de escalar ele pra algum time!
Vê que Irene tirou dois, mas ela não está nem aí. A mãe
dela deve ser dessas que não enchem muito. Se ele
tirasse dois, ai dele. Vira a ponta da prova bem devagar.
É, só se fosse milagre. Mas milagre não ia acontecer
com ele e justo na prova de ciências. Estava lá, bem
grande, em vermelho, no alto da página: Três. Pronto,
estava azarado.

PINSKY, Mirna. As muitas mães de Ariel. São Paulo:


Melhoramentos, 1980. p. 22-23. (fragmento)

A frase que mostra o problema de Ariel é:


(A) “É tão grosso no futebol, que nem o
professor de ginástica tem coragem de
escalar ele...”
(B) “... o pior é que vai ter que levar a prova
para a mãe assinar.”
(C) “Vê que Irene tirou dois, mas ela não
está nem aí.”
(D) “O Jair, ao lado, deve ter tirado um notão
porque está rindo sozinho.”

Percentual de respostas às alternativas


56

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

O item refere-se a capacidade de reconhecer os


mecanismos de coesão e coerência no processamento
de texto. Requer a habilidade de o aluno identificar o
conflito gerador do enredo e os elementos que
constroem a narrativa. No Saeb, o índice de acertos foi
de 84 por cento. Em Sobral, 79 por cento de acertos.
Três escolas municipais fecharam este item, com 100
por cento de acertos: Manoel Marinho, Odete Barroso e
Vicente Antenor F. Gomes.
Aqui, como se observa, o que se requer do aluno é que
o aluno se valha de uma habilidade leitora mais
proficiente, pois a questão está voltada à detecção de
algo que extrapola a superfície textual e as marcas
lingüísticas mais formais: qual o problema de Ariel.
Note-se que a palavra “problema” não está no texto,
demandando do aluno a mobilização de outros tipos de
conhecimentos para perceber que a aflição do menino
diz respeito à necessidade da assinatura da mãe.
13. A função da arte
Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff,
levou-o para que descobrisse o mar. Viajaram para o
Sul. Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas,
esperando. Quando o menino e o pai enfim alcançaram
aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o
mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta a
imensidão do mar, e tanto fulgor, que o menino ficou
mudo de beleza. E quando finalmente conseguiu falar,
tremendo, gaguejando, pediu ao pai:
— Me ajuda a olhar!

ROXO, Maria do Rosário e Vitória Wilson. Entre textos.
V. 4, Editora Moderna

O menino ficou tremendo, gaguejando porque


57

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

(A) a viagem foi longa.


(B) as dunas eram muito altas.
(C) o mar era imenso e belo.
(D) o pai não o ajudou a ver o mar.

Percentual de respostas às alternativas

Este item refere-se a habilidade de o aluno estabelecer


relação causa/conseqüência entre partes e elementos do
texto. No Saeb, os alunos alcançaram o percentual de
acertos na ordem de 76 por cento. Sobral obteve 63 por
cento. O maior percentual ficou com escola Deliza Lopes
com 86 por cento de acertos.
A razão do que levou o menino a tremer e a
gaguejar é percebida por 76% dos alunos submetidos
ao teste do Saeb, e por 63 por cento dos sobralenses,
uma percentagem bastante alta para uma questão que
exige um pouco mais do que o texto-base oferece. No
processo da leitura, são ativados vários tipos de
conhecimentos que temos na memória, em busca do
que for relevante para dar conta da construção de
sentido do texto. Neste item, parece evidenciar-se a
importância do conhecimento de mundo dos alunos para
responder e acertar.
14. Os sinais de pontuação podem sugerir uma infinidade de
emoções. Na frase:
“O gaúcho das missões era um errante, um solitário, um
Dom Quixote...”

(Revista Escola, ano XIV, número 119. 2/1999).

Empregou-se a reticência para indicar o quê?


(A) Ênfase no sentido. (B) Prolongamento da idéia.
(C) Ironia no contexto. (D) Inversão das idéias.
58

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Percentual de respostas às alternativas


O item refere-se a habilidade de o aluno reconhecer o
efeito de sentido decorrente do uso de pontuação ou
outras notações. No desempenho do Saeb, os alunos
obtiveram 53 por cento. Em Sobral, os alunos
obtiveram, por seu turno, 46 por cento. A escola José
Inácio Gomes Parente, com 82 por cento de acertos,
destacou-se entre as 11 escolas municipais.
No funcionamento do texto, a pontuação atua na
construção do sentido, o que implica uma relação: o
escritor “sinaliza” os caminhos que o leitor deve tomar
para a produção de sentido. Essa relação escritor-leitor
revela um outro tipo de trabalho com a matéria em
questão, desta feita no que se refere à associação dos
sinais de pontuação com as intenções dos usuários da
língua, nas mais diversas situações de interação, e isso
foi percebido por mais da metade dos estudantes
(53%). Esses alunos perceberam para que a reticência
foi usada nesse texto: indicar a interrupção intencional
do pensamento, por ficar subentendida a idéia de
continuidade da descrição das características do gaúcho
das missões.
15. Leia atentamente o poema.
A onda
A onda
A onda anda
aonde anda
a onda?
a onda ainda
ainda onda
ainda anda
onde?
aonde?
a onda a onda
59

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

BANDEIRA, Manoel. Poesia completa e prosa. Rio de


Janeiro: Nova Aguilar, 1983, p. 245
Conforme a estrutura do texto, o “ir e vir” na repetição
das palavras simboliza
(A) o colorido da onda.
(B) o movimento da onda.
(C) o barulho da onda.
(D) o tamanho da onda

Percentual de respostas às alternativas

O item refere-se a habilidade de o aluno reconhecer o


efeito de sentido decorrente de uma determinada
palavra ou expressão. No desempenho do Saeb, os
alunos obtiveram 86 por cento. Em Sobral, os alunos
obtiveram 50 por cento. A escola Deliza Lopes com 86
por cento, obteve melhor desempenho entre as 11
escolas municipais.
Este item teve como objetivo avaliar a habilidade do
leitor em identificar os recursos estilísticos utilizados
pelo autor e os efeitos de sentido que eles produzem no
texto. Neste poema de Manuel Bandeira, a temática
apresentada, a repetição de palavras e a própria
disposição gráfica sugerem ao aluno a escolha da
alternativa correta “B”. O alto índice de acertos pode ser
explicado a partir da articulação entre conhecimentos
prévios e informações textuais para dar conta desse
efeito estilístico (aliteração) e chegar à interpretação do
“ir e vir” das palavras repetidas no texto simbolizando o
movimento das ondas do mar.
60

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

4. As Provas Objetiva e Redação e análise dos seus


resultados

4.1. Resultados gerais do desempenho dos


participantes da 5ª série - Parte Objetiva

Nesta seção do Relatório, comentaremos os resultados dos


participantes da 5ª e da 8ª série no pré-teste de Língua
portuguesa. As 30 questões selecionadas, como vimos na
seção anterior deste documento, envolveram competências
relacionadas com as estratégias e procedimentos de leitura,
compreensão de texto, processamento de texto, variação
lingüística, para a 5ª série e, para a 8ª série, além das três
primeiras, uma voltada ao campo de recursos de expressão e
sentido, o que poderíamos dizer voltada à competência de
semântica do texto.
Para a 5ª série, obtivemos os seguintes resultados em
nível de município: a) Estratégias de leitura: 47 por cento de
acertos; b) Compreensão de texto: 71 por cento de acertos;
c) Processamento de texto: 46 por cento de acertos e d)
Variação lingüística: 46 por cento de acertos.
Levando em conta os parâmetros de desempenho que
estabelecemos, para este relatório, podemos dizer, em se
tratando de estratégias de leitura, processamento de texto e
variação lingüística, o Município de Sobral está com
desempenho bom, faixa de desempenho que exigirá uma
intervenção ou apoio pedagógico para o desenvolvimento das
habilidades requeridas nas três competências acima referidas.
Algumas escolas municipais merecerão um
acompanhamento pedagógico mais presente uma vez que
estão situadas numa faixa de frustração de acertos nos itens
propostos no Teste. São exemplos: Elipídio Ribeiro,Francisco
Aguiar, José Leôncio e Netinha. Outras, porém, sugerem
experiências exitosas que, certamente, estão sendo
61

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

vivenciadas em sala de aula, como: Maria do Carmo, Mariano


Rocha, Francisco Aguiar e Carlos Jereissati. Desta
detacaríamos, o desempenho Muito Bom da Escola Maria do
Carmo que chegou a alcançar nos itens referentes à
competência e suas habilidades relacionadas com a
compreensão de texto 93 por cento de acertos no teste da
Língua Portuguesa.
Um trabalho dos professores de língua materna
enfocando a leitura e, particularmente, habilidades
envolvendo processamento de texto, como coesão e coerência
textuais e variação lingüística, como atividades com
diferentes textos seria recomendado para uma ação
pedagógica mais eficaz na busca da superação das
dificuldades de aprendizagem relacionadas com estes dois
domínios lingüísticos. Vale destacar estas duas competências
também foram, em nível nacional, constatados pelo Saeb, os
dois campos que apresentaram baixo índice de acertos por
partes dos alunos brasileiros.
Por coesão textual, entendem-se as relações de sentido
que se estabelecem entre os enunciados que compõem o
texto, fazendo que a interpretação de um elemento qualquer
seja dependente da interpretação de outro(s). Essas relações
de sentido podem ser: a) anafóricas, isto é, quando um
elemento se refere a outro elemento anterior no texto; b)
catafóricas, ou seja, quando um elemento se refere a outro
elemento posterior no texto.
A coerência, por sua vez, revela a maneira como as
idéias ou bloco de idéias são organizados no texto, ou a
maneira como a seqüência de idéias foi construída. A
competência requerida por este tópico vai exigir do leitor
habilidades que o levem a identificar
a linha de coerência do texto.
62

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

4.2. Resultados gerais do desempenho dos


participantes da 8ª série - Prova Objetiva

Para a 8ª série, observamos um baixo índice de acertos


nos itens referentes à compreensão de texto e aos recursos
de expressão e sentido. Para a 8ª série, obtivemos os
seguintes resultados em nível de município: a) Estratégias de
leitura: 53 por cento de acertos; b) Compreensão de texto:
35 por cento de acertos; c) Processamento de texto: 71 por
cento de acertos e d) Recursos de expressão e sentido: 58
por cento de acertos. Todos estes índices de acertos
estiveram bem aquém dos resultados do Saeb.
Algumas escolas municipais tiveram um índice de
acertos bastante insuficientes nas questões referentes à
compreensão textual, como na Elpídio Ribeiro, José leôncio,
Manoel Marinho, Odete Barroso, Pery frota e Raimundo Santa
Escolas como Deliza Lopes, José Inácio Gomes Parente,
Odete Barroso e Vicente Antenor F. Gomes parecem indicar
experiências exitosas no ensino da língua portuguesa.
Esta competência requer dos alunos a capacidade de
interpretar textos de gêneros variados com ou sem auxílio de
recursos gráficos e identificar os objetivos do texto. Além do
texto escrito, a ilustração permite ao leitor engajar-se em
várias atividades de construção de significados.
O leitor, por meio da imagem, é estimulado a formular e
reformular hipóteses interpretativas, antecipar as informações
ou fazer associação de idéias. Os elementos gráfico-visuais
auxiliam fortemente o leitor na interpretação do texto e na
construção de significados, se ele for capaz de passar do
figurativo (imagens captadas pela percepção) para o
operativo, que requer operações cognitivas, como classificar,
seqüenciar, estabelecer comparações, etc.
O conhecimento da variedade de gêneros textuais
também contribui para que o leitor possa decodificar
63

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

vocábulos próprios do mundo letrado e realizar tarefas


voltadas para a compreensão do mundo que o cerca.

4.3. Resultados gerais do desempenho dos


participantes da 5ª e 8ª séries- Prova de Redação

Para avaliação da competência lectoescritora dos alunos


da 5ª e 8ª séries, estabelecemos os seguintes critérios de
correção: a) Domínio da norma culta( convenções
ortográficas- supressão de grafemas ( e letras): nula (04),
pouca (03), média (02) e muita (01); b) Desenvolvimento
do tema ( compreender a proposta de redação- compreender
bem o tema (04) , razoavelmente (03), precariamente (02) e
omissão e distorção (01); c) A originalidade e a
informatividade ( criatividade- informação e garantia boa
(04) , superficial (03) ,razoável (02) e nula (01) e d) A
articulação das partes do texto ( coesão e coerência –
emprego adequado dos mecanismos textuais (04) ,razoável
(03), precário (02) e inadequado (01).
A partir dos parâmetros de correção e de desempenho
dos alunos, por número de acertos, estabelecidos para esta
avaliação externa, chegamos a constatar um desempenho
crítico do Município na ordem de 33 por cento de acertos nas
quatro competências requeridas na produção textual.
Nas turmas da 5ª e 8ª série, avaliadores observaram
que os alunos apresentaram dificuldades bem acentuadas no
item desenvolvimento do tema e no item originalidade do
texto. No caso Da 5ª série, para desenvolver o tema proposta
(Descreva como seria sua vida se tivesse dez centímetros de
altura),o aluno deveria ativar seu conhecimento prévio sobre
noções básicas de medidas, particularmente a competência
de reconhecer o significado e unidades de medida -
comprimento, superfície, capacidade e massa. De modo que,
para desenvolver o tema, seria preciso: a)N Saber o que é
64

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

centímetro; b) Que dez centímetros é pequeno; c) Que uma


pessoa com dez centímetros só é possível no mundo da
imaginação e d) que “tivesse! Indicado uma condição de ser
possível, e não de evidência de fato concreto.
Muitas provas em branco, o que pode ser traduzido por
uma dificuldade pontual do aluno de não compreender a
proposta de redação. Não se pode descartar, também, que o
estímulo que suscita o tema não foi compartilhado com o
aluno.
Os avaliadores constaram, no decorrer da leitura dos
textos dos alunos, tanto na 5ª como da 8[ série, muitas
autobiografias, o que nos faz suscitar uma fuga do tema,
resultante , talvez, de um distanciamento ou fuga entre o
estímulo presente na tema da redação e o centro de interesse
ou cognitivo e aluno.
As crianças submetidas ao Teste de Redação para a 5ª
série, em geral, comparavam-se aos animais e objetos
pequenos, tais como: mosquito, formiga, borboleta, rato,
lápis, micróbios, dedo e bebê na barriga da mãe. Dentro de
uma psicanálise de seu ato de fala, pode-se levantar a
hipótese do lado negativo do tema Ter sido explorado pelos
alunos como sentimento de inferioridade pelo tamanho, medo
de rejeição da família e dos colegas, Ter certas limitações
como por exemplo: brincar, comer, beber, estudar, trabalhar
e pegar alguma coisa.
No campo psicológico, os textos, em geral, mostram a
necessidade de serem vistas e valorizadas e não manipuladas
por alguém. Algumas coisas mostraram a necessidade de
estudar e trabalhar. Outros traços dentro dessa dimensão
psicológica das crianças, os avaliadores perceberam, na
leitura dos textos, a fuga da realidade uma vez que muitas
crianças desejam ser um animal pequeno e morar na floresta
para fugir da violência.
65

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

O personagem modelo eleito pela maioria das crianças


foi o Pequeno Polegar. O inseto mais recorrente nos textos foi
a formiga. Pensando um trabalho de intervenção
psicopedagógica na escrita dos alunos do ensino
fundamental, poder-se-ia pensar uma personagem como uma
formiga Efigência (nome inspirado a partir da leitura de um
texto de aluna da 5ª série em que se compara a uma
formiga).
Do ponto de vista estrutural do texto, podemos observar
a ausência de uma revisão na produção textos e erros
ortográficos metidos por distração uma vez que diferentes
formas da mesma palavra (caza, casa, por exemplo) eram
registradas no desenvolvimento do texto.
Nas turmas da 8ª série, observamos os seguintes
aspectos a partir do tema proposto “ Tente inventar uma
nova vitamina e imaginar como ela poderia nos servir”: a) As
crianças da 8ª série não sabem articular uma receita básica,
o que nos supor que a diversidade de gêneros textuais é
pouco valorizada no ensino da língua materna; b) Geralmente
as crianças colocaram receita de vitamina conhecida, não
valendo-se, pois, da criatividade para criar uma receita e
d)Não sabem construir uma descrição ou mesmo um simples
diálogo, uma vez que a narrativa, em primeira pessoal, foi o
registro de estilo de maior preferência por parte dos alunos.
As crianças da 8ª série, segundo os avaliadores, usaram,
com insistência, expressões e palavras do cotidiano,
espontâneas, com marcas da oralidade, como mentrus e
ingripado, por exemplo, o que nos sugere a ausência do
trabalho com o dicionário em sala de aula. Alguns erros
comuns de grafia foram registrados como: recompera,
presizamos, proposionace, concerteza, serteza, dersa,
vazinha, caumo e esperimente. A recomendação que
faríamos, de imediato, para os professores de língua
66

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

portuguesa, é, primeiro, o uso do dicionário em sala e um


trabalho com os diversos gêneros textuais.

4.4. Quadros com sínteses dos resultados dos


participantes nas Provas Objetivas

4.4.1. Tabela l – Percentual de acertos da Avaliação Externa do Ensino


Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 5 Série - 2003

Quest 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10 11 12 13 14 15
. . . . . .
Gabari B A C A B A C A D B D B A C B
t
o
M

Escolas Municipais
1. AC 77 66 77 66 46 86 15 69 54 65 31 38 65 38 23 54
2. AC 86 29 57 50 58 79 00 86 86 50 29 36 86 36 29 53
A
3. CJ 89 62 83 72 72 88 04 91 36 43 45 17 84 55 27 58
4. DL 71 31 93 71 78 70 07 85 93 46 31 54 47 62 46 59
5. ER 67 22 45 34 33 11 11 45 22 56 22 67 22 11 45 34
6. ES 65 50 55 05 45 65 10 70 85 65 40 45 60 45 20 48
7. FA 63 25 37 76 37 43 25 62 00 45 32 49 62 31 20 41
8. FM 78 67 84 56 55 85 22 84 84 68 39 45 67 39 50 62
9. GR 61 61 60 39 28 62 00 84 72 61 43 39 72 61 28 51
10.IA 52 29 71 48 42 51 24 69 67 45 28 53 57 54 12 47
11.JÁ 68 33 75 68 62 68 11 74 95 62 33 67 84 46 22 58
12.JIG 65 35 70 60 65 70 20 75 85 40 50 75 80 55 30 58
P
13.JL 50 42 26 33 17 50 00 50 50 26 25 27 33 17 16 31
14.JPP 65 35 70 60 65 70 20 75 85 40 50 75 80 55 30 58
67

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

15.LG 68 54 55 75 41 61 20 88 68 40 13 35 68 47 26 51
P
16.M 10 38 93 77 93 68 47 93 93 55 70 47 93 79 47 73
C 0
17.M 82 36 12 53 53 53 00 72 81 63 54 64 73 35 63 53
M
18.M 74 34 00 68 68 74 13 94 10 74 54 54 88 26 40 57
R 0
19.NC 89 37 56 51 42 10 07 79 72 42 37 72 65 07 37 43
0
20.OB 90 54 73 55 48 73 37 20 74 49 41 53 66 72 29 56
21.PF 60 20 40 50 60 30 30 50 60 20 50 40 60 50 10 42
22.RP 42 35 65 44 21 65 14 51 58 44 37 16 65 35 11 40
23.RS 58 30 51 63 44 65 00 35 72 52 07 42 58 30 35 43
24.VA 88 47 81 67 48 40 13 82 68 42 46 61 40 34 20 52
F
Munic 71 40 60 56 51 63 14 70 70 50 37 49 66 42 39 51
í
p
i
o
SAEB 86 42 65 60 55 65 21 77 73 39 37 44 70 47 27 53

LEGENDA:

1. AC Araújo Chaves
2. ACA Antônio Custódio Azevedo
3. CJ Carlos Jereissati
4. DL Deliza Lopes
5. ER Elpídio Ribeiro
6. ES Emílio Sendim
7. FA Francisco Aguiar
8. FM Francisco Monte
9. GR Gerardo Rodrigues
10.IA Ivonir Aguiar
68

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

11.JÁ José Arimatéia Alves


12.JIGP José Inácio Gomes Parente
13.JL Jose Leôncio
14.JPP José parente Prado
15.LGP Leonília Gomes Parente
16.MC Maria do Carmo Andrade
17.MM Manoel Marinho
18.MR Mariano Rocha
19.NC Netinha Castelo
20.OB Odete Barroso
21.PF Pery Frota
22.RP Raimundo Pimentel Gomes
23.RS Raimundo Santana
24.VAF Vicente Antenor Ferreira Gomes

4.4.2. Tabela – Percentual de acertos da Avaliação Externa do Ensino


Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 8ª Série - 2003

Questões 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15
MG
. . . . . . . . . . . . . . .
Gabarito B A A A B B B B B D B B C B B
Escolas Municipais
1. AC 44 22 78 33 44 78 56 22 67 11 44 89 33 44 84 50
2. AC 92 08 75 50 33 83 50 50 58 17 50 58 83 50 58 54
A
3. DL 86 57 10 86 29 71 10 10 86 00 29 71 86 57 86 70
0 0 0
4. ER 10 29 86 00 29 86 29 43 29 14 00 71 43 00 71 42
0
5. JIG 73 27 73 54 36 90 46 55 85 18 27 82 82 82 91 75
P
6. JL 39 15 84 00 00 76 81 38 54 08 00 76 34 61 39 41
7. M 50 22 25 50 25 50 00 25 75 25 00 10 75 25 50 40
M 0
8. OB 10 50 67 33 50 66 50 50 67 16 16 10 83 67 67 59
69

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Questões
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15
MG
. . . . . . . . . . . . . . .
0 0
9. PF 40 30 90 50 40 70 70 60 60 10 30 80 70 30 70 53
10.RS 83 17 67 17 33 67 50 67 33 33 00 50 50 50 67 46
11.VA 33 67 67 67 00 10 50 50 10 67 17 10 50 50 80 60
F 0 0 0
Munic 58 31 73 40 29 76 53 50 62 20 19 79 63 46 70 53
í
p
i
o
SAEB 76 53 82 68 52 73 54 48 84 60 33 84 76 53 86 66
_
LEGENDA:

01. ACA Antônio Custódio Azevedo


02. AC Araújo Chaves
3. DL Deliza Lopes
4. ER Elpídio Ribeiro
5. JIGP José Inácio Gomes Parente
6. JL Jose Leôncio
7. MM Manoel Marinho
8. OB Odete Barroso
9. PF Pery Frota
10.RS Raimundo Santana
11.VAF Vicente Antenor Ferreira Gomes

4.4.3. Tabela - Percentual de acertos, por habilidades , na avaliação


externa de língua portuguesa- parte objetiva (2003)- 5ª série

QUESTÕES DE 1 a 7 DE 8 a 9 DE 10 A12 DE 13 a 15
Habilidades Estratégias Compreensão Compreensão Variação
de Leitura de Texto de Texto Lingüistica
Escolas Municipais
70

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

01. Araújo 52 62 44 42
Chaves
02.Antonio 51 86 36 50
Custódio
Azevedo
03.Carlos 67 64 35 55
Jereissati
04. Deliza Lopes 60 84 94 52
05. Elpídio 28 34 48 26
Ribeiro
06. Emílio 42 53 50 42
Sendim
07. Francisco 34 31 42 38
Aguiar
08. Francisco 49 84 51 52
Monte
09. Gerardo 36 72 48 54
Rodrigues
10. Ivonir Aguiar 42 68 42 41
11. José 55 85 54 51
Arimatéia
12. José I. G. 55 80 55 55
Parente
13.José Leôncio 31 50 26 22
14.José P. Prado 55 80 55 55
15.Leonelia 53 78 29 47
Gomes Parente
16.Manoel 41 77 60 57
Marinho
17. Mariano 47 97 51 51
Rocha
18. Maria Carmo 73 93 57 73
19. Netinha 58 76 50 56
Castelo
20.Odete Barroso 61 47 48 56
71

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

21. Raimundo 44 54 34 41
Santana
22.Raimundo 40 55 32 37
Pimentel
23. Pery Frota 41 93 57 73
24. Vicente A. 55 75 50 31
F.Gomes
Município
Desempenho 47 71 46 46
SAEB
Desempenho 51 75 40 48

4.4.4. Tabela - percentual de acertos, por habilidades , na avaliação


externa de língua portuguesa- parte objetiva (2003)-8ª série

QUESTÕES DE 1 a 7 DE 8 a 9 DE 10 A12 DE 13 a 15
Habilidades Estratégias Compreensão Compreensão Expressão e
de Leitura de Texto de Texto Sentido
Escolas Municipais
01.Antonio 55 42 71 54
Custódio
Azevedo
02. Araújo 47 41 61 64
Chaves
03. Deliza Lopes 79 38 79 72
04. Elpídio 50 14 57 36
Ribeiro
05. José I. G. 57 43 82 87
Parente
06.José Leôncio 42 21 55 50
07.Manoel 31 33 88 38
Marinho
08.Odete Barroso 58 33 92 67
09. Pery Frota 56 33 75 50
72

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

10. Raimundo 50 22 50 54
Santana
11.Vicente A F. 54 61 75 65
Gomes
Município
Desempenho 53 35 71 58
SAEB
Desempenho 64 59 80 70

4.4.5. Tabela – Percentual de Acertos da Avaliação Externa do Ensino


Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 8ª Série - 2003

Escola
MG
1. MM Manoel Marinho 40
2. JL José Leôncio 41
3. ER Elpídio Ribeiro 42
4. RS Raimundo Santana 46
5. AC Araújo Chaves 50
6. PF Pery Frota 53
7. ACA Antônio Custódio Azevedo 54
8. OB Odete Barroso 59
9. VAF Vicente A F. Gomes 60
10.DL Deliza Lopes 70
11.JIGP José I. G. Parente 75
Município 53
SAEB 66

4.4.6. Tabela –Faixas de Desempenho e Número de Acertos da Avaliação


Externa do Ensino Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa
– 8ª Série - 2003

FAIXAS DE NÚMERO DE ESCOLAS MUNICÍPAIS


73

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

DESEMPENHO ACERTOS
F MUITO CRÍTICO Entre 0 e 20 -
E CRÍTICO Entre 21 E 35 -
D REGULAR Entre 36 e 45 Manoel Marinho, José Leôncio
C BOM Entre 45 e 60 Elpídio Ribeiro, Raimundo
Santana, Araújo Chaves, Pery
Frota, Antonio C.Azevedo,
Odete Barroso,Vicente
Antenor F. Gomes
B MUITO BOM Entre 61 a 80 Deliza Lopes, José I. G.
Parente
A EXCELENTE Entre 81 a 100

4.4.7. Tabela – Percentual de acertos da Avaliação Externa do Ensino


Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa – 5 Série - 2003

Quest 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10 11 12 13 14 15
. . . . . .
Gabari B A C A B A C A D B D B A C B
t
o
M

Escola
1. JL Jose Leôncio 31
2. ER Elpídio Ribeiro 34
3. RP Raimundo Pimentel Gomes 40
4. FA Francisco Aguiar 41
5. PF Pery Frota 42
6. NC Netinha Castelo 43
7. RS Raimundo Santana 43
8. IA Ivonir Aguiar 47
9. ES Emílio Sendim 48
10.GR Gerardo Rodrigues 51
74

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

11.LGP Leonília Gomes Parente 51


12.VAF Vicente Antenor Ferreira Gomes 52
13.ACA Antônio Custódio Azevedo 53
14.MM Manoel Marinho 53
15.AC Araújo Chaves 54
16.OB Odete Barroso 56
17.MR Mariano Rocha 57
18.CJ Carlos Jereissati 58
19.JA José Arimatéia Alves 58
20.JIGP José Inácio Gomes Parente 58
21.JPP José parente Prado 58
22.DL Deliza Lopes 59
23.FM Francisco Monte 62
24.MC Maria do Carmo Andrade 73
Município 51
SAEB 53

4.4.8. Tabela –Faixas de Desempenho e Número de Acertos da Avaliação


Externa do Ensino Fundamental referente à disciplina Língua Portuguesa
– 5ª Série - 2003

FAIXAS DE NÚMERO DE ESCOLAS MUNICÍPAIS


DESEMPENHO ACERTOS
F MUITO CRÍTICO Entre 0 e 20 -
E CRÍTICO Entre 21 E 35 José Leôncio, Elpídio Ribeiro,
D REGULAR Entre 36 e 45 Raimudo P.Gomes, Francisco
Aguiar, Pery Frota, Netinha
Castelo, Raimundo Santana,
C BOM Entre 45 e 60 Ivonir Aguiar, Emílio Sendim,
Gerardo Rodrigues, Leonélia
G.Parente,Vicente Antenor F.
Gomes, Antônio Custódio
Azevedo,Manoel Marinho,
Araújo Chaves, Odete Barroso,
Carlos Jereissati, José
75

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Arimatéia, José Inácio G.


Parente, José P. Prado, Deliza
Lopes,
B MUITO BOM Entre 61 a 80 Francisco Monte, Maria do
Carmo Andrade
A EXCELENTE Entre 81 a 100 -

4.4.9. Desempenho dos participantes da 5ª série, segundo as habilidades,


na Prova de Redação - 2003

Código da Participant 1 CH1 2CH2 3CH3 4CH4 Pontuaç


escola es ão
A Chaves 13 15 20 03 05 43
Antônio C. 27 15 20 03 05 43
Azevedo
C. Jereissati 92 05 20 03 05 33
D. Lopes 13 15 30 03 05 66
E Sendim 37 15 00 00 00 15
E. Ribeiro 09 05 00 00 00 05
F. Aguiar 16 15 00 00 00 15
F. Monte 50 15 00 00 00 15
G.Rodrigues 48 05 50 03 05 63
I. Aguiar 124 15 20 03 05 43
J. Leôncio 12 05 20 03 05 33
J.A Alves 18 15 20 03 05 43
J.I.G. Parente 36 05 30 07 05 47
J.P.Prado 49 05 20 03 05 33
L. G. Parente 05 05 20 00 05 30
M. Rocha 24 05 00 00 05 10
M.Marinho 11 05 00 00 05 10
Maria do C. 22 05 20 00 05 30
Andrade
N.Castelo 71 15 20 03 05 43
O Barroso 17 15 30 03 05 53
P. Frota 29 00 20 03 05 28
76

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

R.Pimentel 118 05 20 03 05 33
R.Santana 14 05 20 03 05 33
V.A. 29 05 20 00 00 30
F.Gomes
Total 9,1 17,5 2,0 4,1 33

4.4.10. Desempenho dos participantes da 8ª série, segundo as habilidades,


na Prova de Redação - 2003

Código da Participan 1 2 3 4 Pontuaçã


escola tes o
Antônio C. 12 05 00 00 15 20
Azevedo
A Chaves 09 05 20 00 05 30
D. Lopes 07 05 20 03 05 33
E. Ribeiro 07 05 20 00 05 30
J.I.G. Parente 11 05 30 07 05 47
J. Leôncio 14 05 20 03 05 33
M.Marinho 04 05 30 07 05 47
O Barroso 06 05 30 07 07 47
P. Frota 10 05 30 07 05 47
R.Santana 06 05 20 03 05 32
V.A. F.Gomes 06 05 30 07 05 47
Total 05 20,9 4 6 37,5

4 4. 1.1. TABELA- Médias de desenvolvimentos, por índice de acertos, em Língua


Portuguesa da 5ª do Ensino Fundamental- Prova de Redação - Brasil e Escolas
Municipais de Sobral- 2003

Muito % bom % Regular Crítico % Muito


bom Crítico
Deliza J.A Alves Antônio C. C. Jereissati, E. Ribeiro,
Lopes Odete Azevedo, José Leôncio, E. Sendim,
G.Rodrigues Barroso A Chaves, Leonília G. parente, F. Aguiar,
F. Aguiar, Maria do C. F.Monte,
J.I.G. Andrade , M. Marinho,
77

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

Pimentel , J.P. Prado, M. Rocha


Netinha Pery Frota
Castelo R. Santana,
R. Pimentel,
V. A F. Gomes

Observação: Não houve registro, pelos avaliadores, de desempenho


excelente, com base na pontuação, por número de acertos.

4.12. TABELA- Médias de desenvolvimentos, por índice de acertos, em


Língua Portuguesa da 8ª do Ensino Fundamental- Prova de Redação
Brasil e Escolas Municipais de Sobral- 2003

bom % Crítico % Muito Crítico %


J. I .G. Parente, 4 D.Lopes, 45 A C. Azevedo 10
m. Marinho, E. Ribeiro,
O. Barroso, J.Leôncio,
Pery Frota, R. Santana,
V. A F. Gomes, A. Chaves

Observação: Não houve registro, pelos avaliadores, de desempenho


excelente, muito bom e regular, com base na pontuação por número de
acertos.
78

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa

5. Bibliografia:

5.1. BRASIL. Matrizes curriculares de referência para o SAEB. Brasília:


MEC/INEP, 1987.
5.2. Brasil. Ministério da Educação. Exame nacional do
ensino médio: relatório pedagógico 2001. Brasília:
MEC/INEP, 2001.
5.3. BRASIL. Ministério da Educação. SAEB - Sistema
Nacional de Avaliação da Educação Básica. Relatório
Saeb 2001 - Língua Portuguesa. Brasília: MEC/INEP, 2002.
5.4. BRASIL. Ministério da Educação. Sistema Nacional de
Avaliação da Educação Básica. Relatório Nacional 2001.
Brasília: MEC/INEP, 2002.
5.5. BRASIL. Secretaria da Educação Fundamental.
Parâmetros curriculares nacionais - 5ª a 8ª
séries/terceiro e quatro ciclos: língua portuguesa.
Brasília: MEC/SEF, 1998.
SERAFINI, Maria Teresa. Como escrever textos. Rio de
Janeiro: Globo, 1991
5.6. SOBRAL. Secretaria de Desenvolvimento da educação.
Matrícula por série - 2003. Sobral: PMS/GD, 2003.
SOBRAL. Secretaria de Desenvolvimento da educação.
Programa de ensino: proposta. Sobral: PMS/CEFII, 2003

.
.
79

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO


ENSINO FUNDAMENTAL II - 5ª e 8ª séries
RELATÓRIO PEDAGÓGICO - 2003 - Língua Portuguesa