Você está na página 1de 1

nismo de obtenção de riqueza. O Estado passou papel de operador.

A produção destina-se para


a apoiar a expansão marítima e o colonialismo. um mercado cada vez mais globalizado e
Desenvolvia-se nesse momento uma forma competitivo.
perversa de drenar riqueza das colônias para as A Primeira Revolução Industrial, que teve como
metrópoles. No “pacto colonial” que se impôs a combustível o carvão mineral e como motor a má-
metrópole vendia o que era mais caro (manufatu- quina a vapor, produziu um novo espaço geoeco-
ras) e comprava o que era mais barato (matéria-
nômico. Um espaço de produção industrial, agro-
prima e alimentos, os chamados bens primários).
pecuário e extrator foi redefinido. Assim como um
Portugal, Espanha, Inglaterra, França e Holanda
novo espaço de riquezas, de circulação e consu-
foram os destaques desse momento.
mo vão proporcionar às cidades novos equipa-
CAPITALISMO INDUSTRIAL mentos aos novos moradores que se deslocam
Grandes transformações econômicas, sociais, em levas cada vez maior do campo (urbanização
01. (G1) O Mercantilismo pode ser definido políticas e econômicas estavam em curso no da população). A cidade ganhou nova função,
como: alvorecer dos séculos XVII e XVIII. Um capitalis- além das de defesa e trocas, a de produção in-
mo mais forte e consolidado logo substituiria o dustrial.
a) o conjunto de práticas econômicas
mercantilismo. Com o processo de substituição Ia-se cada vez mais longe e cada vez mais rápi-
caracterizadas pelo monopólio comercial, do trabalho manual nas manufaturas pelas do. O barco a vapor encurtou as distâncias no
pela balança comercial favorável e pela máquinas a vapor, iniciada nas indústrias têxteis Planeta. O trem possibilitou o surgimento de in-
intervenção do Estado na economia da Inglaterra, na segunda metade do século dústrias longe das fontes de matérias-primas,
b) o conjunto de idéias preconizadas por XVIII, projetava-se uma nova fase na história do transportando um volume cada vez maior de
Adam Smith que defendia a livre iniciativa capitalismo: o capitalismo industrial. mercadorias e passageiros. O aço deu resistên-
econômica e a atuação do Estado “As transformações sociais e econômicas associ- cia, altura e leveza às construções. A descoberta
Absolutista adas a esse período foram tão intensas que do petróleo possibilitou o aparecimento do trans-
c) a expressão teórica do Estado liberal, representaram uma verdadeira revolução, porte individual (o automóvel), que iria modificar
conhecida como Revolução Industrial. [...] Nos por completo o traçado das grandes cidades (o
caracterizado pelo livre comércio
séculos XVII e XIX, o capitalismo florescia na surgimento dos subúrbios distantes) e a vida de
d) o conjunto de práticas econômicas que forma de pequenas e numerosas empresas que seus moradores. O uso da energia elétrica possi-
incluíam o estímulo à livre iniciativa e o competiam por uma fatia de mercado, sem que o bilitou mudanças radicais na produção industrial.
combate ao trabalho escravo Estado interviesse na economia. Essa fase, Logo o tempo que era comandado pela nature-
e) o conjunto de medidas econômicas denominada de capitalismo liberal ou concor- za, já que a vida da população era regida pelo
colocadas em prática durante o período rencial, predominava a doutrina de Adam Smith nascer e pôr-do-Sol, passou a ser regido pelo
denominado Feudalismo, caracterizado (1723-1790), segundo a qual o mercado deve ser tempo do patrão. A lâmpada elétrica possibilitou
pelas obrigações servis e pela livre regido pela livre concorrência, baseada na lei da a vida e o trabalho noturno. A Segunda Revolu-
iniciativa procura e da oferta [...]. Refletindo o otimismo ção Industrial produziu todas essas modifica-
científico-tecnológico do período, Smith acreditava ções e possibilitou o que viria depois.
02. (Pucpr 2007) As práticas mercantilistas, que o mercado atingiria um equilíbrio natural por
si só e que o progresso constante conduziria a CAPITALISMO FINANCEIRO
ocorridas na Idade Moderna, estiveram
relacionadas com: humanidade à condição ideal, na qual não haveria No plano econômico, assiste-se à chegada da
escassez e tudo seria bem-estar”. (Moreira, Igor. fase mais evoluída do capitalismo. Agora, deno-
a) a exploração de impérios coloniais e a O espaço geográfico: Geografia geral e do Brasil. minado capitalismo financeiro ou monopolista, é
regulamentação do comércio exterior. Ed. Ática, p. 32, 2002.). caracterizado pela concentração de capitais e
b) o surgimento das Corporações de Ofícios. No mercantilismo o Estado era favorável aos pela formação de grandes monopólios e oligo-
c) a idéia de liberdade de produção, de interesses da burguesia comercial. Os monopó- pólios, ou seja, empresas de grande porte que
concorrência e de circulação de merca- lios e as constantes ingerências na economia se associam para determinar os preços dos pro-
dorias. dificultavam e até se contrapunham aos dutos, controlarem o mercado e absorver os con-
interesses da nova burguesia industrial que correntes de menor porte.
d) o surgimento das doutrinas iluministas.
estava se consolidando. A industrialização Ocorre, portanto, um enfraquecimento da concor-
e) o final dos regimes absolutistas e os também foi um fenômeno que se expandiu do
princípios liberais surgidos nas chamadas rência. No entanto o capitalismo monopolista
Reino Unido (Inglaterra), para outros países da somente se consolidou na primeira metade do
revoluções burguesas. Europa, como França, Alemanha, Bélgica, Itália, século XX. Essa foi, talvez, uma prova de fogo
a Rússia como também para os EUA, e de para o Capitalismo. No período entre as duas
03. (G1) Sobre a crise do capitalismo na forma incipiente, para o Japão até o início do
década de 30 e o colapso do socialismo guerras mundiais, o fermento da crise estava
século XX. Nos países subdesenvolvidos, a lançado. De um lado, excesso de produção; de
na década de 80, pode-se afirmar correta- industrialização só viria a acontecer a partir,
mente que outro, retração do poder de compra e de
principalmente, da Segunda Guerra Mundial.
consumo da sociedade. Em 1929, sobreveio a
a) os dois fatos fomentaram a polarização A riqueza acumulada na expansão comercial
crise, provocando entre tantos a quebra da Bolsa
ideológica, ameaçando o estado do bem- européia foi investida na mecanização da
de Nova Iorque. Mais uma vez, o velho camaleão
produção. Essa revolução técnica ampliou ainda
estar social. mudava de roupa.
mais a economia de mercado. A indústria pode,
b) ambos provocaram desemprego e frustra- assim, ascender à sua mais desenvolvida fase. A partir desse momento, surge uma nova con-
ção, fazendo surgir agitações fascistas e duta: O Keynesianismo, pois o Estado passa a
Desenvolvimento da indústria intervir maciçamente na economia ora como
terroristas com amplo respaldo popular.
c) ambos levaram à descrença sobre a capa- Artesanato – Não-divisão social do trabalho, não regulamentador, ora como empresário. Impondo
cidade do Estado para resolver os havia ocorrido ainda a divisão técnica do trabalho. uma renda mínima, limitando a jornada de traba-
Havia o emprego de ferramentas simples e a pro- lho, um seguro-desemprego, uma previdência e
problemas colocados pelo desemprego
dução destinava-se ao abastecimento e consumo uma assistência social, proibindo o trabalho do
em massa.
local. menor, a criação de empresas estatais e de em-
d) o primeiro fato reforçou a necessidade de pregos. Essas medidas, entre outras, foram ado-
não se deixar a economia controlada pelo Manufatura – Esse é o estágio intermediário en-
tre o artesanato e a maquinofatura. Distingue-se tadas com vistas ao combate da crise e à busca
mercado; e o segundo, a de que uma de uma reestruturação econômica.
do estágio anterior porque nele ocorre a divisão
economia não funciona sem mercado. social do trabalho. Ou seja, quem passa a ser o O término da Segunda Guerra Mundial dividiu o
dono dos meios de produção á a nova burguesia mundo em dois blocos político-econômicos
04. (Unifesp) "Em meados da década de (capitalismo X socialismo) marcados pela eclosão
1890, em meio à terceira longa industrial nascente. Ela dominava os meios de
produção e empregava artesãos como força de da Guerra Fria. Uma Terceira Revolução Indus-
depressão em três décadas sucessivas, trial entrou em curso. Desenvolvimentos na infor-
trabalho assalariada. O mercado de consumo
difundiu-se na burguesia uma repulsa havia aumentado em decorrência da expansão mática, nas comunicações levaram o homem à
pelo mercado não regulamentado, em marítima européia. As potencias colonialistas ti- conquista espacial. Novos materiais e novas tec-
todos os grandes setores da economia". nham que abastecer suas colônias com produtos nologias surgiram. A biotecnologia trouxe novos
O autor (Martin Sklar, 1988) está se mais elaborados e que havia valor agregado. Uma conhecimentos à Medicina e à produção de
referindo à visão dominante entre a característica ainda mantém a manufatura ligada alimentos. A preocupação com o meio ambiente
burguesia no momento em que o ao artesanato. É que a produção era manual, já tornou-se palavra de ordem. Até mesmo seu prin-
capitalismo entrava na fase que a Revolução Industrial não havia acontecido. cipal opositor, o socialismo, não resistiu vindo a
bancarrota nas décadas finais do século XX. Mais
a) globalizada. Maquinofatura – É o atual estágio de evolução do que em outra época, o Capitalismo dá hoje
b) competitiva. da indústria. A divisão social permanece. A divi- mais uma prova de sua vitalidade, inaugurando
c) multinacional. são técnica aprofunda-se, pois quanto maior é o mais uma nova fase: o Neoliberalismo e com ele
d) monopolista. avanço da tecnologia menor é a participação do a globalização e a regionalização dos merca-
e) keynesiana. trabalhador no processo produtivo. A máquina é dos.
quem produz, o homem foi reduzido apenas ao

14