Você está na página 1de 20

PODER CONSTITUINTE E

DEMOCRACIA (BONAVIDES)
Profa. Dra. Tainah Simões Sales
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Poder constituinte sempre existiu?

 Teoria do poder constituinte: século XVIII, como


consequência da reflexão iluminista.

 Contexto do fim do absolutismo monárquico na França.

 Finalidade da teoria do Poder Constituinte: justificar a


concepção moderna de constituição.
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

“A formula é sabida: o poder constituinte, distinto dos


poderes constituídos, é do povo, mas se exerce por
representantes especiais (a Convenção).”

(BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional.


25. ed. São Paulo: Malheiros, 2010, p. 145.)
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Os conceitos político e jurídico de Poder


Constituinte:

 Poder constituinte originário


 Poder constituinte constituído ou derivado

O poder constituinte originário, de fato, é ilimitado?


Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

“[...] o poder constituinte [derivado] atua sempre


atado ao Direito, na moldura de um ordenamento
jurídico, ao contrário daquele poder constituinte que
nasce das Revoluções, das crises políticas profundas,
que acometem o povo da mesma maneira que as
enfermidades os indivíduos, como dizia Rousseau.”

(BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional.


25. ed. São Paulo: Malheiros, 2010, p. 150.)
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Poder Constituinte Derivado:


 - Reformador: Art. 60 da CF
 - Revisional: Art. 3º da ADCT
 - Decorrente: Art. 11 da ADCT – Constituições Estaduais.
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)
Doutrina do Poder Constituinte segundo a
soberania nacional (Sieyès – França):
O poder constituinte não pode ser exercido pelos
mesmo órgãos que exercem os poderes constituídos.

Imposição de limites e regras às autoridades


constituídas.

(poder à parte). Assembleia Constituinte de 1988?


Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)
 Doutrina do Poder Constituinte segundo a soberania
popular:
a) Versão francesa (Rousseau): coincidência entre
poder constituinte e poder constituído (legislativo
ordinário). A aprovação do povo está dispensada na
medida em que ambos os poderes exteriorizam a
vontade soberana do povo.

b) Versão americana: o poder constituinte é formado


por uma REPRESENTAÇÃO do povo e seu trabalho só
se legitima após a aprovação do segundo.
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Problemas da Versão francesa (Rousseau):


Confusão entre o mandante e o mandatário.
Possibilidade de usurpação e confisco da soberania
popular.

Ex.: Brasil (CF/88) e as imunidades parlamentares.


Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Titularidade x Legitimidade do Poder Constituinte


a) Titularidade: constatação histórica

Brasil em 1824, 1937, 1967.

a) Legitimidade: análise valorativa


Brasil em 1891, 1934, 1946 e 1988.
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 Para a teoria do poder constituinte, qual a


diferença entre Golpe de Estado e Revolução?
Teoria do Poder Constituinte
(Bonavides)

 As três crises do Estado constitucional (p. 394 e ss):


a) Crise constitucional
b) Crise constituinte
c) Crise de inconstitucionabilidade

Obs. Não se confunde com ingovernabilidade.


Democracia

 Pressupostos:
- ampla possibilidade de participação
- participação político-partidária
- respeito às minorias e a garantia do pluralismo
- alternância no poder
- participação procedimental (procedimentos
institucionais)
*contribuição de Habermas
Democracia

 Democracia: direito de 4ª dimensão (Bonavides)


 Governo (kratos) do povo (demo)

 Democracia formal x substancial

 Classificação (quanto ao exercício):


a) Direta
b) Indireta
c) Semidireta
Democracia
 Classificação (quanto à manifestação da decisão):
a) Representativa (Sieyès): liberalismo

b) Participativa (Rousseau): republicanismo

A vontade geral é alcançada quando se tem a


subtração das vontades particulares.
A vontade geral = interesse comum (voto da maioria).
Cada indivíduo tem igual poder para determinar o
resultado final das decisões.
Preocupação quantitativa.
Democracia

 Classificação (quanto à manifestação da decisão):


c) Deliberativa (Habermas)
Uma decisão vai ser democrática se no espaço público de
decisão houve um debate público e racionalmente se
chegou àquela decisão.
Não é o voto da maioria. É o consenso (“força do melhor
argumento”).

Questão central: discurso.


Preocupação qualitativa.
Democracia
 O modelo procedimental de democracia e os pressupostos ideais do
discurso:
(1) Todos os participantes do discurso devem dispor de igual chance de
proferir atos de fala, de tal modo que possam colocar questões e
oferecer respostas livremente. (igualdade)
(2) Todos devem possuir igual chance de fazer interpretações, afirmações,
sugestões, esclarecimentos e questionamentos sobre os tópicos definidos
para o debate. (abertura)
(3) Todos possuem igual chance de empregar atos de fala reflexivos sobre as
regras do debate e o modo pelo qual são implementadas tais regras.
(ausência de coerção)

A decisão será coletiva na medida em que tenha sido tomada a partir do


raciocínio público livre entre iguais que serão governados pelas decisões.
Democracia

 Mérito de Habermas: entender a democracia como


espaço público de decisão. O fundamento do poder e
a legitimidade da decisão vão ser aferidos pelo grau
de participação pública nesses procedimentos
institucionais democráticos.

Necessidade da institucionalização da comunicação e da


deliberação. (modelo procedimental de democracia)
Democracia

 Existe a possibilidade de congruência entre as


democracias representativa, participativa e
deliberativa?
Obrigada!

 Email: tainahsales@gmail.com

 IG: @tainahssales