Você está na página 1de 21

1

ALEX GUERRA LAGUNA

BENEFÍCIOS DA TURBINA PARA VEÍCULOS


AUTOMOTORES

SÃO PAULO
2021
2

ALEX GUERRA LAGUNA

BENEFÍCIOS DA TURBINA PARA VEÍCULOS


AUTOMOTORES

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à


Faculdade Anhanguera, como requisito parcial
para a obtenção do título de graduado em
Engenharia Mecânica.

Orientador: Carlos Celio Matheus

São Paulo
2021
3

ALEX GUERRA LAGUNA

BENEFÍCIOS DA TURBINA PARA VEÍCULOS AUTOMOTORES

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à


Faculdade Anhanguera, como requisito parcial
para a obtenção do título de graduado em
Engenharia Mecânica.

BANCA EXAMINADORA

Prof(a). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(a). Titulação Nome do Professor(a)

Prof(a). Titulação Nome do Professor(a)

São Paulo, 25 de maio de 2021


4

LAGUNA GUERRA, Alex. Benefícios da Turbina para Veículos Automotores:


2021. 22 folhas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia
Mecânica) – Faculdade Anhanguera, São Paulo, 2021.

RESUMO

O entendimento dos benefícios da turbina ao veículo garante uma melhor


compreensão na mudança deste cenário nos veículos recém-fabricados. A adoção do
turbo em larga escala nos automóveis está associado à eficiência energética, que se
traduz por automóveis mais econômicos e menos poluentes. É importante
compreender os reais benefícios da turbina e como o funcionamento da turbina pode
gerar benefícios ao veículo. Estes aspectos serão abordados através de uma revisão
da literatura com base nas buscas em artigos, publicações científicas, livros e revistas
sobre o tema, publicados no período de 2009 a 2021.

Palavra-chave: Turbocompressor. Motores Ciclo Otto. Benefícios do


turbocompressor ao veículo.
5

LAGUNA GUERRA, Alex. Benefits of Turbine for Motor Vehicles: 2021. 22 folhas.
Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Mecânica) – Faculdade
Anhanguera, São Paulo, 2021.

ABSTRACT

Understanding the benefits of the turbine to the vehicle guarantees a better


understanding in changing this scenario in newly manufactured vehicles. The large-
scale adoption of turbo in automobiles is associated with energy efficiency, which
translates into more economical and less polluting automobiles. It is important to
understand the real benefits of the turbine and how the operation of the turbine can
generate benefits for the vehicle. These aspects will be addressed through a literature
review based on searches in articles, scientific publications, books and magazines on
the topic, published from 2009 to 2021.

Keywords: Turbocharger. Otto cycle engines. Turbocharger benefits to the


vehicle.
6

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

FIGURA 1 Esquema Do Funcionamento Do Motor De Quatro Tempos....................10


FIGURA 2 Carburador Simples..................................................................................11
FIGURA 3 Sistema de injeção eletrônica...................................................................12
FIGURA 4 Partes da turbina......................................................................................14
FIGURA 5 Fluxo do ar Turbocompresor....................................................................15
7

LISTA DE TABELA

Tabela 1: Benefícios Do Motor Turbocompressor Em Comparação Com Motor CI..19


8

SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ....................................................................................................... 09
2.FUNCIONAMENTO DO MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA........................... 10
3. FUNCIONAMENTO DO MOTOR TURBO ALIMENTADO....................................14
4. BENEFÍCIOS DA UTILIZAÇÃO DO MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA E
TURBO ALIMENTADO..............................................................................................17
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS...................................................................................19
REFERÊNCIA...........................................................................................................20
9

1 INTRODUÇÃO

Em um passado não muito distante a palavra turbo era associada com


automóveis de alta performance, competição ou modelos preparados. Este cenário
mudou drasticamente nos últimos anos, e este componente está intimamente ligado
à eficiência energética, que se traduz por automóveis mais econômicos e menos
poluentes. O entendimento dos benefícios da turbina ao veículo garante uma melhor
compreensão na mudança deste cenário nos veículos recém-fabricados. A adoção do
turbo em larga escala nos automóveis é um fenômeno recente e vem ocorrendo
principalmente por conta da legislação cada vez mais rígida com relação ao consumo
de combustível e emissão de poluentes e gases do efeito estufa.
Esta comparação tanto ao meio ambiente quanto as mudanças no veículo
ainda são atividades de pesquisa pouco desenvolvida, não havendo suficiente
literatura científica que analise esse fenômeno, principalmente no Brasil. Além da
relevância cientifica que este trabalho busca alcançar, a compreensão destas
comparações faz com que o consumidor possa ter melhor entendimento nas suas
escolhas.
Motores cada vez menores em volume ganham sistemas modernos que
envolvem turbo e injeção direta, em uma equação que entrega boa potência, uma
excelente faixa de torque e baixo consumo de combustível. A moda do turbo veio para
ficar e cada vez mais carros terão este item em seus motores, e como o funcionamento
da turbina pode gerar benefícios ao veículo?
Desta forma, este trabalho traz como objetivo primário identificar os reais
benefícios da turbina ao veículo, e como objetivos secundários compreender o
funcionamento dos motores a combustão interna, compreender o funcionamento do
motor turbo alimentado e comparar as diferenças no funcionamento de motores a
combustão interna e motores com turbina.
A metodologia utilizada neste trabalho foi uma revisão de literatura. Os registros
aconteceram através de buscas em artigos, publicações científicas, livros e revistas
sobre o tema, publicados no período de 2009 a 2021. As palavras chaves para busca
destes materiais foram: turbocompressor, motores Ciclo Otto e benefícios do
turbocompressor ao veículo.
10

2 FUNCIONAMENTO DO MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA

Os motores de combustão interna são máquinas que tem o objetivo transformar


a energia térmica em energia mecânica diretamente utilizável (GIACOSA, 2000). O
calor pode ser obtido de diversas formas, como por combustão, energia elétrica,
energia atômica etc. Na grande maioria de suas aplicações, o calor é proveniente da
queima do combustível, ou seja, transforma a energia química em trabalho mecânico.
(BRUNETTI, 2012).
Através de uma sequência de processos realizados em uma mistura de ar e
combustível é possível obter trabalho. Este funcionamento pode ser justificado através
da explicação do motor de Ciclo Otto. Conforme Heywood (1988) O ciclo de
funcionamento de um motor Ciclo Otto possui 4 tempos: admissão, compressão,
expansão (ou combustão) e exaustão (ou escape).
• Primeiro tempo - Admissão:
Na fase de admissão ocorre a entrada de ar, através do filtro do motor. Isso
gera uma mistura ideal com o combustível que é injetado pelo bico injetor na câmara
com a válvula de admissão ainda aberta, neste momento o pistão se encontra em
PMS (ponto morto superior) e faz a sucção da mistura ideal (pistão em movimento de
descida), fechando assim a válvula de admissão.

• Segundo tempo - Compressão:


A fase de compressão ocorre com o movimento rápido do pistão em PMI (ponto
morto inferior) para PMS (ponto morto superior), comprimindo a mistura ideal. Nesta
fase a válvula de admissão e escape se encontram fechadas.

• Terceiro tempo- Combustão:


Na fase de combustão a mistura ainda comprimida recebe uma centelha da
vela de ignição e gera uma explosão (combustão) na câmara, empurrando o pistão
para baixo (PMI). Ambas as válvulas ainda se encontram fechadas.

• Quarto tempo - Escape:


Na fase de escape o pistão em PMI (ponto morto inferior) empurra os gases da
explosão ocorrida dentro da câmara, fazendo com que o pistão suba e a válvula de
escapamento se abra havendo a liberação dos gases para o escapamento.
11

Figura 1: Esquema do funcionamento do motor de quatro tempos

Fonte: Mecânica e suas tecnologias: FUNCIONAMENTO DE UM MOTOR 4 TEMPO

Para os motores com turbina as fases descritas acima permanecem as


mesmas, porém cada ciclo é intensificado aproximadamente 10x devido ao
funcionamento da turbina, que faz com que ar entre em com uma pressão maior na
câmara. (Heywood 1988)

2.1 TECNOLOGIAS UTILIZADAS EM MOTORES À COMBUSTÃO INTERNA

2.1.1 Carburadores
O Carburador foi usado pela primeira vez em 1896 na Inglaterra. Foi inventado
pelos húngaros Donát Bánki e János Csonka, foi o primeiro dispositivo de alimentação
de alimentação do combustível na história automotiva. (OFICINA BRASIL, 2016)
A principal função do carburador é dosar mistura de combustível e ar para
dentro do motor. O carburador é composto basicamente por um tubo onde há dutos,
válvulas, injetores, solenoides e outros. Ao acelerar o veículo acorre uma sucção de
ar para dentro do carburador onde ele é misturado com o combustível interno do
carburador proporcionando a mistura ideal para a necessidade do veículo onde se
inicia a admissão. O sistema do carburador é totalmente mecânico. No mercado há
diversos tipos de carburadores que atendem as necessidades diversas de cada tipo
de veículo a depender da cilindrada, potência, torque etc. (PASSOS, 2019)
12

Figura 2: Carburador Simples

Fonte: FLATOUT,2016

2.1.2 Injeção eletrônica


Com o avanço da tecnologia dos motores e com a pressão em redução de
emissão de gases, o carburador foi substituído pela injeção eletrônica pois não
conseguia mais suprir as necessidades dos motores, como: economia de combustível,
potência e emissão de gases. (INJEÇÃO, 2014)
O funcionamento da injeção eletrônica é o mesmo princípio do carburador,
porém, por ser um sistema eletrônico, proporciona um melhor funcionamento dosando
a quantidade correta de ar/combustível e fornecendo um melhor rendimento e
economia. Fornece ao motor a quantidade exata da mistura ideal para que ocorra o
seu correto funcionamento em todos os regimes de carga. (INJEÇÃO, 2014).

Figura 3: Sistema de injeção eletrônica

Fonte: SAUTOSECARROS,2016
13

2.1.3 Motores Flex (bicombustível)


A possibilidade de utilizar mais de um combustível no mesmo veículo surgiu no
início do século XX. O motor Flex traz a opção do funcionamento do veículo em etanol
ou gasolina, sendo o combustível armazenado dentro do mesmo tanque. Para que
isso ocorra, o motor flex possui adequações em peças como bomba de combustível e
bicos injetores para não sofrer corrosão, isso é necessário pois o etanol necessita de
maior quantidade injetada de combustível. (LODETTI, J. C,2019)
Um motor flex necessita de um software (módulo) capaz de identificar e
comandar informações fornecidas pelo sensor de oxigênio que se encontra no
escapamento. Este sensor, identifica o tipo de combustível e sua qualidade, passando
assim as informações ao módulo para que haja correção da injeção e o seu melhor
funcionamento para cada tipo de regime de carga. (LOSEKANN, VILELA, 2010)

2.1.4 Injeção direta


Diferente do sistema de injeção eletrônica onde o combustível é injetado no
coletor de admissão, o sistema de injeção direta injeta o combustível em alta pressão
na câmera de combustão. Isso faz com que esse sistema seja mais eficiente, pois
não há perda de combustível por condensação no coletor da admissão, melhorando
assim a resposta do motor, o torque e diminuindo o consumo de combustível e
emissão de gases. (NGUYEN-SCHÄFER,2015)
14

3 FUNCIONAMENTO DO MOTOR TURBO ALIMENTADO

Os turboalimentadores são instalados aos motores com objetivo de aumentar


a potência do veículo. Sua finalidade é comprimir o ar de admissão. A turbina é
formada por 7 partes: Carcaça da turbina, turbina, carcaça central, eixo, carcaça
compressor e wastegate.

Figura 4: Partes da turbina

Fonte: BIAGIO TURBOS,2016

3.1 COMPARAÇÃO NO FUNCIONAMENTO DE MOTORES A COMBUSTÃO


INTERNA E MOTORES COM TURBINA.

A técnica de sobrealimentação vem sendo utilizada há mais de um século, no


entanto nos últimos anos ela se tornou um artifício para extrair maior potência do motor
e diminuir a emissão de poluentes, isto de certa forma alavancou sua utilização em
motores de combustão interna. A utilização de turbocompressor pode ser vista como
a tentativa de maior sucesso quanto ao aumento de desempenho, menor consumo
15

específico de combustível e redução de emissões em motores de combustão interna


(FERRARI, 1996 e KESGIN, 2005).
O turbocompressor aumenta a pressão média efetiva porque utiliza a energia
remanescente de pressão (p) e temperatura (T), gerada durante a combustão e que
não é totalmente transformada em trabalho mecânico, para movimentar a turbina. A
grande quantidade de energia dos gases de exaustão que seria liberada livremente
na atmosfera, no caso de um motor normalmente aspirado, faz com que o eixo da
turbina gire o rotor do compressor que admite ar à pressão atmosférica, comprimindo-
o para dentro do sistema de admissão. A Figura 6 mostra um turbocompressor e o
detalhe da turbina que é acionada através da energia proveniente da combustão
dentro do(s) cilindro(s) nos gases de escape expelidos no sistema de exaustão.
Alguns autores costumam classificar que o turbocompressor é acoplado
“termodinamicamente’’ ao motor. (GONÇALVES,2016)

Figura 5: Fluxo de ar no tubocompressor

Fonte: LODETTI,2010

As vantagens do uso de turbocompressores em motores de combustão interna


alternativos de quatro tempos de ignição por centelha, em comparação aos motores
normalmente aspirados, são apresentadas abaixo (KORTE, et al., 2011 e BRUNETTI,
2012):
• Maior potência e torque específicos (downsizing);
• A redução do consumo específico de combustível e aumento da eficiência
para um determinado regime de rotações;
• Menor influência com relação à pressão atmosférica (variação de altitude);
16

• Menores níveis de ruído (turbina funciona como um supressor do ruído do


motor;
• Maior pressão média efetiva sem aumento da velocidade média do pistão;
• Reaproveitamento da energia (entalpia) remanescente nos gases de
exaustão;
• Maior eficiência térmica.

Abaixo são apresentadas algumas das desvantagens do uso de


turbocompressores (KORTE, et al., 2011 e BRUNETTI, 2012):

• Limitação da relação de compressão;


• Maior tendência a provocar pré-ignição;
• Necessidade de otimização dos componentes do motor (mecânicos e de
gerenciamento eletrônico) para suportar os esforços adicionais devido ao
aumento da PME;
• Possibilidade de ocorrência de turbo lag;
• Pode ter maior custo e um projeto mais complexo.

Ambas as comparações acima mostram informações importantes que devem


ser apresentadas aos consumidores do produto.
17

4 BENEFÍCIOS DA UTILIZAÇÃO DO MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA E


TURBO ALIMENTADO

Quando comparamos o funcionamento do motor de combustão interna e do


motor turbo alimentado, podemos verificar que a presença da turbina trás ao veículo
um rendimento melhor do que o motor a combustão sem turbina, isso se dá pelo fato
da turbina impulsionar o ar para dentro do motor com combustível, esse
impulsionamento gera maior taxa de compressão e melhor queima da mistura de ar e
combustível, fazendo com que o veículo tenha um melhor desempenho. (BRUNETTI,
2012).
Se antigamente estes motores já foram sinônimos de alta performance por
serem motores destinados a carros esportivos e de competição, atualmente a indústria
tem investido cada vez na sua produção, por serem motores menores, de baixa
litragem e menor cilindrada, porém com maior potência e sem aumento do consumo
de combustível. Esse aumento de produção atual faz com que os custos baixem e
cada vez estes veículos sejam acessíveis a população. (KORTE, et al., 2011). As
vantagens dos motores turbocompressores com relação aos motores de CI quatro
tempos podem ser caracterizadas de acordo com a tabela abaixo: (BELL, 1997 e
PULKRABEK, 2003).

Tabela 1: Benefícios do motor turbocompressor em comparação com motor CI


Motor Turbocompressor Motor de Combustão interna
Maior eficiência mecânica Menor eficiência e potência
Reaproveitamento de energia dos Maior produção de gases
gases de combustão
Baixo ruído Maior consumo de combustível
Menor consumo de combustível Melhor custo de revisão
Menor índice de emissão de gases

Fonte: BELL, 1997 e PULKRABEK, 2003


18

Essa tendência de produção da indústria em modelos turbos tem deixado cada vez
menos opções de motores de CI no mercado, é natural que os consumidores busquem
por um bom desempenho e menor consumo de combustível.

4.1 MUDANÇAS NA FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS PELA INDÚSTRIA


AUTOMOBILISTICA

Em busca da melhor eficiência dos veículos as indústrias automobilísticas já


utilizam superalimentação em várias linhas de veículos, até mesmo nas mais nobres.

Na linha atual da BMW todos os automóveis baseados em motores de


combustão interna já utilizam turbocompressor, ficando sem eles apenas dois
modelos elétricos. A Mercedes-Benz também vai na mesma direção. Na Ferrari houve
o lançamento no salão de automóvel de Genebra o 488 GTB sucessor do 458 Itália,
que marca o primeiro uso de V8 turbo em modelo de motor central-traseiro.

Essas tendências embora mais fortes na Europa, vem chegando em outros


continentes. Isso ocorre devido aos benefícios do turbo nos veículos no consumo do
combustível por média do fabricante (CAFE), nos EUA e de emissões de gás
carbônico (CO2) na Europa.
19

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Foram apresentados os benefícios e viabilidade do motor turbocompressor em


comparação com o motor de combustão interna quatro tempos. Além da explanação
das principais vantagens quanto ao aumento deste produto no mercado
automobilístico.
O motor a combustão interna trabalha em quatro tempos de funcionamento
onde o trabalho gera o funcionamento do motor, apensar do motor turboalimentado
também trabalhar nestes mesmos quatro tempos a presença da turbina intensifica
aproximadamente 10x o funcionamento do motor.
Os benefícios apresentados comparando estas duas categorias demostram o
investimento das indústrias na produção desta tecnologia, além disso, a diminuição
da emissão de gases em tempo atuais vendo sendo um fator muito impactante para
seu consumo.
20

REFERENCIAS

BELL, Corky. Maximum Boost – Designing, Testing and Installing Turbocharger


Systems. 1ª Ed. United States of America. Robert Bentley Inc. 1997

BRUNETTI, F. Motores de combustão interna: volume 1 e 2. São Paulo: Blucher,


2012.

Encyclopedia of Automotive Engineering. 1ª Ed. United States of America. Wiley. 2014

FERRARI, G. Motori a combustione interna. 2a edizione. Torino, Italia: Il Capitello,


1996.

GIACOSA, D. Motores endotérmicos. 3. ed. Barcelona, ES: Editorial Científico -


Medica, 1970.

GONÇALVES, Sérgio. A evolução do turbo. Disponível em:


<http://www.autoblog.pt/a-evolucao-do-turbo/>. Acesso em: 25 de jun. de 2016

HEYWOOD, John B. Internal Combustion Engine Fundamentals. 1988, McGraw –


Hill series in mechanical engineering.

INJEÇÃO de combustível. História da Injeção de Combustível Disponível em:


<www.blog.tuningparts.com.br> Acesso em abril de 2021.

Korte V.; Fraser N.; Taylor J.; Dingelstadt R. Efficient Downsizing for Future
Gasoline Engines. MTZ worldwide Edition: 2011-05.

LODETTI, J. C. Introdução Aos Motores De Combustão Interna. Capítulo 1 e 5.


Disponível em:
<http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/automotiva/downloadsAutomot/1INTRODMOTprint
.pdf>. Acesso em: 14 nov. 2019.

LOSEKANN, Luciano, VILELA, Thaís. Estimação da frota brasileira de automóveis


flex e a nova dinâmica do consumo de etanol no Brasil. Disponível em:
<https://infopetro.wordpress.com/2010/07/26/estimacao-da-frota-brasileira-de-
21

automoveis-flex-e-a-nova-dinamica-do-consumo-de-etanol-no-brasil-a-partir-de-
2003/>Acesso em fevereiro de 2021

Linha Automotiva. Disponível em: <https://www.biagioturbos.com/index.asp>


Acessado em: 14 de nov. de 2019

NGUYEN-SCHÄFER, Hung. Rotordynamics of Automotive Turbochargers. 2ª Ed.


Ludwigsburg, Germany. Springer. 2015

OFICINA BRASIL, História do carburados. Jornal Oficina Brasil. Disponível em:


<www.vigiativo.com.br/site/noticias/48-ele-era--a-unica-forma-de-alimentar-o-motor-
de-um-veiculo.html> Acesso em: abril de 2021

PULKRABEK,Willard W. Engineering fundamentals of the internal combustion


engine. Prentice Hall, 2004

PASSOS, Rodrigo. Tudo sobre turbo: como funciona a geometria variável,


compressão e mapas. Disponível em: <https://www.flatout.com.br/tudo-sobre-turbo-
como-funciona-a-geometria-variavel-compressao-e-mapas/>. Acesso em: 14 de nov.
de 2019

SIEBENPFEIFFER, Wolfgang. Energieeffiziente Antriebstechnologien


Hybridisierung –Downsizing – Software und IT. 1ª Ed. Stuttgart, Deutschland.
Springer. 2013

TYGESEN, N. Rotrex Variable Drive Transmission (VDT). Final thesis (SDU),


Odense - Denmark, 2009.

WAN, Mark. Forced induction. Disponível em <


http://www.autozine.org/technical_school/engine/Forced_Induction_1.html>. Acesso
em: 14 de nov. de 2019