Você está na página 1de 2

DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE CEILÂNDIA

CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 20 DE CEILÂNDIA


DISCIPLINA: MATEMÁTICA
TRABALHO. Valor: 10 pontos.

ALUNO(A): ____________________________ PROF.: ____________ SÉRIE/TURMA ________ DATA:


____/____/____

OBJETIVO DO TRABALHO:

Promover ao aluno a oportunidade e a autonomia de buscar compreender significados


matemáticos através da interação e investigação de situações-problemas, estimulando-o a
desenvolver o raciocínio crítico e reflexivo.

PROCEDIMENTO:

• TRABALHO EM GRUPO ( 2 OU 3 COMPONENTES NO MÁXIMO).

• Buscar responder através de análises e investigações as duas perguntas abordadas


no texto abaixo.

• O aluno deverá expor suas argumentações (cálculos, deduções, desenhos, esquemas


etc.) em folha ofício ou papel com pauta e depois registrar sua conclusão, num
pequeno texto (um parágrafo apenas). Exemplo:

5+0=5
Conclusão: Após alguns testes pude perceber que qualquer
6+0=6 número somado com zero sempre resulta nesse mesmo
número.
0+2=2

0 +4.567 = 4.567

LEIA O TEXTO ABAIXO PARA REALIZAR O TRABALHO

Propriedades dos números naturais

O que é propriedade? Dicionário Aurélio diz: Qualidade especial.

Leia a historinha.

Será que EM QUALQUER OPERAÇÃO de duas parcelas


( adição, subtração, divisão e multiplicação), trocando a ordem
dos números, obteremos o mesmo resultado?

O que acontece com o resultado de uma “conta” se usarmos o


número zero ou SOMANDO, ou DIVIDINDO, ou SUBTRAINDO ou
MULTIPLICANDO por outro número qualquer? Uma coisa eu sei: Se
pensarmos num número qualquer e SOMARMOS a ele o número ZERO a
resposta é o número pensado. Agora será que isso também acontece
com as outras operações (multiplicação, divisão, subtração)?

Uma vez meu professor fez uma conta no quadro e eu não gostei do jeito que ele fez! Sabe
como foi? Vou dizer. A “conta” era assim: 999 + 200 + 1. Meu professor então resolveu desta
forma: primeiro ele somou: 999 + 200, aí depois ele juntou o resultado com 1. Eu não achei
nada fácil. Então pensei um pouco, testei o resultado que eu havia encontrado da maneira mais
fácil e vi que tinha dado o mesmo valor da resposta do professor. Desde então comecei a fazer do
meu jeito alguns problemas matemáticos.

Meu professor era muito legal ele dizia que nós poderíamos brincar de ser professor e até de
Cientista. Tínhamos a liberdade de descobrir coisas novas na Matemática, fazer experiências e até
inventar formas fáceis de resolver os exercícios.

Prof. Gilvan