Você está na página 1de 19

PREPARAÇÃO PARA ENTREVISTAS

PROGRAMA DE EXTENSÃO

ANHANGUERA EDUCACIONAL

LEITURA FUNDAMENTAL
MÁRCIA CASTALDI

Para citar este texto:

CASTALDI, Márcia. Material do Curso de Extensão Preparação para entrevista. Valinhos,


SP: Anhanguera Educacional, 2010.

Departamento de Extensão e Preparação Gráfica Diretoria de Extensão e Pós-


Graduação
Pós-Graduação
Renata Galdino Mário Jungbeck
Ana Ligia Gardin
Correspondência/Contato
Daniela Cartoni Wellington Alexandre Lopes
Alameda Maria Tereza, 2000, Valinhos, São Paulo
CEP. 13.278-181, Tel.: 19 3512-1700
Jaqueline Pugliesi
http://ww4.unianhanguera.edu.br/posgraduacao
Jim Naturesa posgraduacao @unianhanguera.edu.br

Luís Fernando Prado Telles

Pedro Marques

Vanessa Pancioni

© DIREITOS RESERVADOS

Proibida a reprodução total ou parcial desta


publicação sem o prévio consentimento, por escrito, da Anhanguera Educacional.

Publicação: Setembro de 2010.


INTRODUÇÃO

Dentre todas as estratégias do mercado de recolocação, a entrevista é a que tem dado


melhores resultados. É na entrevista que o relacionamento profissional se estabelece, e
permite ao entrevistador um contato direto com o candidato, propiciando assim uma
avaliação minuciosa e confirmadora das informações constantes no Currículo.

Quando se abre a possibilidade de uma entrevista de emprego, para algumas pessoas,


esse processo parece fácil, pois elas se mostram naturalmente confiantes, porém para
outros isso pode parecer um grande desafio. Principalmente para essas pessoas, faz-se
necessário aprender a se preparar corretamente para uma entrevista de emprego. Com
essa preparação, o candidato poderá evitar erros que poderão custar o cargo pretendido.

O papel do entrevistador não é o de eliminar candidatos, mas sim de analisar exatamente


quem é o candidato, quais suas experiências, quais são as possibilidades do mesmo
trazer ou agregar valores para a empresa.

Se o candidato preparar-se para a entrevista de emprego, ele poderá conseguir suprir


todas as necessidades do entrevistador, ou seja, poderá garantir que todas as suas
qualificações, anseios, experiências fiquem bem esclarecidas nesse momento.

Normalmente os candidatos acreditam estar preparados para uma vaga de emprego,


porém demonstram dificuldades em evidenciar isso ao entrevistador. Outros candidatos,
apesar de se expressarem corretamente, acabam se esquecendo de pequenos detalhes,
que não lhes parecem relevantes, mas que são de suma importância para o
entrevistador.

As portas estarão abertas para aqueles que souberem expressar com clareza suas
idéias, prover respostas objetivas e demonstrar confiança em uma entrevista de emprego.

OS MEIOS PARA ENCONTRAR UM EMPREGO


Quando estamos na condição de quem busca um emprego, devemos verificar as
alternativas que se nos apresentam e escolher a que melhor se adapte a nós. Existem
várias alternativas dentre elas a condição de espera passiva, isto é, o desempregado fica
esperando passivamente que a oportunidade venha a sua procura. Para sermos
honestos, isso será difícil de acontecer.
Uma outra maneira de buscar uma colocação no mercado de trabalho é de sair a sua
caça, ou seja, ter atitude ativa, estar atento a todas as oportunidades de emprego.
Segundo Chiavenato (2006):

Na busca passiva, a pessoa espera pacientemente que o emprego


venha até ela. E ele certamente não virá. Na busca ativa, a pessoa
vai deliberada e proativamente ao encontro das oportunidades que
possam surgir. Melhor dizendo, ela faz as coisas acontecerem e
não espera que possam acontecer.

Quando se faz a opção pela busca ativa, existem dois meios para esse processo: o direto
e o indireto, ou ambos. Por meio direto, entende-se aquele em que o candidato entra
diretamente em contato com as empresas na busca de oportunidades de emprego. Isso
pode ser feito ainda quando se está empregado, deixando currículos na empresas, cartão
de visita, para eventuais oportunidades.

Um meio direto eficaz é quando a empresa faz anúncios em jornais, ou em revistas.


Neles elas mencionam o cargo oferecido, os dados para contato, assim o candidato pode
enviar seu Currículo diretamente à vaga.

Outro meio direto também usado é o envio de currículo diretamente para as empresas
que se conhece, por meio de email ou carta pessoal. Não se deve esperar pela
oportunidade, elas podem ser criadas. O contato com pessoas conhecidas, também é
outro meio direto a ser utilizado. Procure os telefones de contato dessas pessoas, troque
idéias com elas. Muitas contratações são decorrentes desses contatos. Isso se chama
networking.

A outra alternativa é o meio indireto, que são os agentes de mercado, ou seja,


organizações que se incumbem de intermediar o contato do candidato com as empresas.

Existem vários tipos de empresas especializadas nesse nicho de mercado, que são as
consultorias em Recursos Humanos. Elas prestam serviços de recrutamento, seleção e
encaminham candidatos diretamente às empresas solicitantes, ou detentoras das vagas.
NETWORKING
Essa palavra, muito utilizada em nossos dias, diz respeito a nossa rede de
relacionamentos. Esse é um dos pilares da empregabilidade. A rede de relacionamento
humano é a ferramenta mais eficaz para proporcionar aos profissionais acesso a
oportunidades de trabalho.

Hoje no mercado de trabalho não basta ser competente, o profissional precisa saber
manter sua empregabilidade, pois o mercado é competitivo, dinâmico e exigente.

A carreira de um profissional está sustentada em seis pilares que são: adequação


vocacional, competência profissional, idoneidade, saúde física e mental, reserva
financeira e fontes alternativas de trabalho, renda e networking, ou seja, relacionamentos.

Passos para se criar um networking


 Organizar um banco de dados eletrônico com os cartões recebidos e mantê-lo
atualizado;
 Fazer um planejamento definindo as empresas e pessoas de seu interesse;
 Agende um encontro com a pessoa que pode ajudar você. Seja hábil e gentil;
 Durante o contato, você pode pedir conselhos, orientações, informações,
sugestões, menos emprego e dinheiro;
 Aprenda a fazer perguntas e ouvir as respostas;
 Nunca deixe de dar retorno e agradecer a quem o ajudou, mesmo que o contato
não tenha rendido bons frutos;
 Networking não se esgota nunca, cada contato gera novos contatos e assim
indefinidamente.

O networking, portanto, é importante para sua recolocação no mercado. Mas vamos


analisar agora, o que vem depois do networking, ou seja, a tão esperada entrevista de
emprego.

ONDE ESTÃO AS OPORTUNIDADES DE TRABALHO?


Existem muitos riscos e obstáculos no mercado de trabalho, porém, praticamente na
mesma proporção, existem muitas oportunidades. Normalmente o profissional sai à busca
de novas colocações em grandes organizações, esquecendo-se das micro, pequenas e
médias empresas. Mas são nessas organizações que encontramos diversas atividades
que não são executadas pelas grandes organizações, ou que, são terceirizadas, gerando
assim um nicho de mercado muito grande.

Como essas oportunidades se encontram dentro das pequenas e médias empresas,


talvez o profissional ache difícil de encontrá-las, então é nesse momento que o seu
networking entrará em ação.

Hoje podemos nos encontrar com as pessoas em rede. Essa aproximação pode ocorrer
por meio de um amigo, do conhecido do amigo, do amigo do amigo e assim por diante.
Até mesmo pessoas que parecem inacessíveis, podemos contatar por meio da rede
virtual. A rede de relacionamento deve estar sempre atualizada, deve ser cultivada, pois é
por meio dela que você pode a vir a receber uma oferta de emprego.

O networking é um dos meios mais eficazes de se conseguir uma nova colocação,


principalmente quando o mercado está escasso, ou o profissional tenha um perfil que fuja
ao padrão do mercado.

José Augusto Minarelli em seu artigo “Você sabe fazer Networking?” exemplificou muito
bem a importância do networking com uma clara ilustração:

(...)vamos fazer uma analogia entre um pescador e um profissional


que procure emprego ou contrato de trabalho. Quando o rio tem
muito peixe, o pescador pode usar vara de pescar e atuar sozinho.
Embora esse seja um instrumento utilitário de pesca, isto é, que
capta peixes um a um, o fato de haver muitos disponíveis é decisivo
para uma pescaria rendosa.
Quando o pescador percebe que os peixes estão um pouco
escassos, deve abandonar a vara de pescar e utilizar outro
instrumento que aumente suas possibilidades de ser bem-sucedido.
Ele pode contar, então, com a tarrafa, aquela espécie de rede
circular com peças de chumbo na corda e uma corda no centro. Ao
lançar a tarrafa, o pescador cobre uma área maior e, com isso,
amplia a chance de pegar algum peixe. Manejar a tarrafa já exige
habilidade e força e requer a entrada na água.
Mas para completar, se os peixes estiverem ainda mais escassos, o
pescador vai precisar utilizar a rede de arrasto, e isso ele não
conseguirá fazer sozinho. Será necessário pedir ajuda e somar
esforços com outros pescadores. Juntos, estenderão a rede,
trabalhando mais depressa, com mais disposição e cobrindo uma
área muito maior para pegar, às vezes, o único peixe que existe na
área.
Exatamente a mesma coisa acontece com o networking na busca
de recolocação no mercado de trabalho. Isoladamente, uma pessoa
tem determinada quantidade de contatos, mas quando a rede
humana entra em ação, as possibilidades multiplicam-se e a
solução pode chegar mais depressa. É a chamada difusão por
capilaridade. Divulga-se para mais pessoas e, em conseqüência,
capta-se o que estiver disponível mesmo em ambiente de escassez.

O QUE FAZER QUANDO SE FICA UM TEMPO FORA DO


MERCADO DE TRABALHO?
Para se ter sucesso na busca de um emprego você precisa ter um bom currículo, uma
carta de apresentação bem elaborada e um amplo networking, mas também é
fundamental que você se saia bem na entrevista, ou seja, você precisará ter um bom
desempenho nela.

Às vezes se cometem erros na procura de um emprego, porém se a entrevista for bem


desempenhada, certamente o resultado será satisfatório.

AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES
Chamamos de primeira impressão, o contato inicial entre pessoas. Podemos considerar
que existem primeiras impressões positivas ou negativas. Segundo MILITÃO, 2009:

(...) quando positivas de ambos os lados, a tendência é que haja


relações de simpatia e aproximação que facilitarão o
relacionamento interpessoal e as atividades em comum. É o
processo da empatia. Quando o impacto do encontro é positivo
apenas de um lado, o relacionamento tende a ser difícil, tenso,
exigindo que ambas as partes se esforcem bem mais para um
conhecimento maior que possa modificar aquela impressão. Dizem
os filósofos do dia-a-dia que a “a primeira impressão é a que fica”,
entretanto poderia ser assim, a primeira impressão é a que
realmente fica, mas não é a que necessariamente deve
permanecer.

A entrevista é uma das etapas mais importantes em um processo de seleção. Antes de se


chegar a ela, o candidato é apenas um pedaço de papel (currículo), ou um nome numa
lista de candidatos. A entrevista é o momento único que o candidato tem em ter um
contato direto com o empregador, assim sendo ela deve ser aproveitada ao máximo, e
não deve ser desperdiçada em nenhuma hipótese.

Segundo FLORY:

(...) é possível fazer uma preparação específica para a situação de


uma entrevista de emprego que lhe aproxime mais da vaga
almejada. Não há magia e o segredo é treinar, treinar, treinar.
(FLORY, Henrique, 2004, pg. 160)

COMO SE PREPARAR?
Não há dúvida de que o mundo do trabalho mudou, ainda que as vagas formais
continuem reduzindo, abre-se um espaço a novas formas de contratação, embora muitos
ainda procurem os antigos métodos de procura de ocupação e renda. Muitos estão
presos ao passado e não se dão conta que hoje existe uma nova realidade e não se
preparam para enfrentas os novos desafios.

Essas mudanças são sentidas em maior intensidade pelos profissionais seniores que
permanecem durante muitos anos em uma única empresa e quando são surpreendidos
pela demissão, encontram dificuldades para se recompor.

Um dos maiores erros que muitos profissionais cometem é não se atualizar,


especialmente quando se está a muitos anos no mesmo emprego, em uma situação
aparentemente segura. Esse tipo de profissional acredita que ao deixar seu emprego, ele
encontrará rapidamente uma nova colocação. Quando este profissional se depara à
procura de um novo posto de trabalho, ele percebe que ficou para trás e que as
exigências são mais amplas do que se imaginava.

Um dos erros mais freqüentes é a falta de aperfeiçoamento na área que trabalha e em


idiomas, principalmente enquanto estiver empregado. O mercado muda de forma rápida,
diferentemente de uma empresa, então se o profissional não fizer constantes
reavaliações e pesquisas das exigências do mercado, ficará desatualizado e,
provavelmente terá até mesmo que trocar de área, rebaixar o salário para conseguir uma
nova colocação.

OS PECADOS DOS CANDIDATOS


Ao necessitar de um novo profissional, toda empresa já tem um perfil definido.
Dificilmente numa entrevista, alguém irá preencher 100% das solicitações. O candidato
precisa vender seu potencial para aquela companhia, jamais deve usar a expressão
“desempregado”, melhor dizer “estou em busca de uma nova oportunidade de
recolocação”.

Em uma entrevista de emprego, existem erros que não podem ser cometidos:

• Não se preparar para a entrevista;

• Acordar em cima da hora para a entrevista;

• Usar terno claro na entrevista;

• Não levar o currículo na entrevista;

• Chegar atrasado à entrevista;

• Deixar que pontos fracos sejam evidenciados durante a entrevista;

• Não pesquisar sobre a empresa;

• Falar sobre salário antes que o entrevistador fale sobre o assunto;

• Elogiar exageradamente a si próprio;

• Colocar o braço ou pertences sobre a mesa do entrevistador;

• Atender ao telefone celular na sala de espera;

• Questionar a secretária ou outros funcionários sobre a empresa;

• Espirrar ou tossir demasiadamente. Caso esteja doente, o candidato deve contatar


a empresa e desmarcar a entrevista antes de comparecer ao local;

• Alongar-se demais nas respostas e não ser objetivo;

• Apresentar comportamento irrequieto e de impaciência durante a entrevista;


• Fumar antes da entrevista;

VENCENDO NA APRESENTAÇÃO
Mesmo que o candidato tenha apenas um ou dois concorrentes na entrevista de
emprego, precisará vencê-los para conquistar a vaga. Quando o candidato chegar à
entrevista deve saber que já terá passado por uma fina seleção. Seus concorrentes
possuem mais ou menos o mesmo preparo, possivelmente a mesma formação
acadêmica, o domínio das mesmas línguas, a mesma competência tecnológica, a mesma
experiência profissional. É na entrevista que se avalia se o candidato possui o perfil ideal
para a empresa e para a função que será ocupada.

Pode-se considerar a entrevista como uma verdadeira competição. Tudo que o candidato
tinha que fazer para se capacitar e chegar a ser entrevistado já foi feito, dessa etapa para
frente ele estará por sua conta, ou seja, o seu desempenho na entrevista é o que contará,
caso haja empate nos outros quesitos.

Nesse momento o candidato deve deixar evidentes seus atributos pessoais, e estar
preparado para vencer a concorrência. No exato momento da entrevista os mínimos e
insignificantes detalhes é que se transformam na diferença entre o sucesso e o fracasso
na busca de uma colocação profissional. Na entrevista, além das competências e
qualificações, detalhes como unha, cor da roupa, sapatos, maquiagem e cabelo,
determinam a admissão do novo funcionário. O sistema ao qual pertencemos dá valor a
esses aspectos. Embora isso possa parecer ironia, um simples vacilo nestes quesitos
pode comprometer o sucesso do candidato, assim o candidato deve estar bem preparado
para se sair bem diante do entrevistador.

LIÇÃO DE CASA ANTES DA ENTREVISTA


Uma boa preparação diminui a ansiedade e aumenta as chances de causar uma boa
impressão na entrevista. Anote em uma agenda o nome da empresa que você se
candidatou, as informações a respeito da vaga, ou seja, o perfil da vaga, o responsável
pela vaga a data do envio do seu currículo. Essa informação é importante para que se
possa avaliar o retorno obtido, também ajuda no momento da entrevista.
Procure memorizar suas experiências profissionais, destacando suas realizações nas
empresas em que trabalhou. Esses dados devem corresponder ao que se identificou no
Currículo.

Os entrevistadores costumam iniciar ou terminar suas entrevistas com a pergunta: “Você


gostaria de fazer alguma pergunta ou comentário?”

Nessa situação é interessante o candidato ter em suas mãos uma lista de questões que
gostaria de fazer. Um exemplo seria elaborar perguntas com foco nos negócios da
empresa e na área em que pretende atuar. Esse tipo de pergunta causará uma boa
impressão no entrevistador.

Pode-se perguntar sobre:

 Os principais concorrentes da empresa;

 O histórico dela;

 A sua abrangência de negócios;

 Principais objetivos e metas da empresa;

 Como está o desempenho atual da empresa;

 Quantos funcionários a empresa tem;

 Quais as oportunidades de crescimento profissional dentro da empresa.

O candidato também deve estar preparado para responder perguntas tais como:

 Por que você escolheu esta profissão?

 Quais os cursos que você fez?

 Quais as matérias de que você mais gostou em sua formação profissional?

 Quais os estágios que você fez?

 Por que você escolheu o cargo proposto?

 Quais são as suas aspirações futuras?

 Quais são as suas ocupações preferidas nas horas de lazer?


 O que você pode falar a respeito da sua vida social?

 O que você pode falar a respeito de si mesmo?

A VESTIMENTA ADEQUADA
O candidato precisa vender a si próprio como se vende um produto. Por isso, deve
investir em si mesmo e no seu visual para melhorar sua imagem. Aparência e postura
também são quesitos de extremo valor em uma entrevista.

Existem detalhes básicos que se forem negligenciados o candidato não passará do


primeiro encontro. Se for homem, deve manter os cabelos curtos, a barba deve estar bem
aparada, unhas bem cortadas e limpas. Algumas empresas são radicalmente contra
bigodes. Terno azul marinho, cinza escuro ou preto, camisa branca, azul, cinza clara ou
bege. Meias combinando com as mesmas cores do terno e sapatos pretos, sempre
limpos e engraxados. As gravatas não podem ser espalhafatosas ou em desarmonia,
devem ser discretas.

Se o candidato optar por não usar paletó, a camisa deve estar para dentro da calça.

Se for mulher, prefira vestir um tailleur elegante e discreto, nas cores preta, cinza, azul ou
marrom. Blusas, sem decote ousado, sapatos sociais. Sem muitas jóias ou bijuterias. Use
maquiagem suave. Se os cabelos forem curtos, que tenham bom corte, e se forem
compridos, prefira prendê-los. Caso for participar de dinâmicas de grupo, prefira usar
calças compridas para ter mais liberdade.

Independente de candidato homem ou mulher, a vestimenta formal é a mais


recomendada para essa ocasião, mesmo que a região seja propícia para roupas mais
informais.

PONTOS NEGATIVOS
Alguns hábitos e características pessoais influenciam de maneira muito negativa a
avaliação do candidato. Se for fumante já chegará em desvantagem, 70% dos
entrevistadores têm restrições a fumantes e obesos. Se o candidato presta serviços de
consultoria independente ou é dono de uma empresa a receptividade não é das
melhores, pois acredita-se que o mesmo dedicará também seu tempo a essa atividade.
É importante ter essas informações para não falar na entrevista sobre os negócios
paralelos como se fosse uma grande vantagem.

Os que estão a quase um ano desempregado, ou que tenha ultrapassado os 50 anos


também levam desvantagem. Mulher com filho em idade que exija muito da sua atenção
também perde uns pontinhos na competição. E se o empregado permaneceu menos do
que dois anos em cada empresa, as chances também diminuem.

INFORMAÇÕES PRELIMINARES
Procure saber o máximo que puder sobre a empresa que irá entrevistá-lo. Hoje a internet
muito nos ajuda nisso, pois a maioria das empresas disponibiliza informações que
poderão ser úteis nas conversas com os entrevistadores. Inteire-se da nacionalidade,
origem, países onde atua ramo de negócio, principais produtos, faturamento,
concorrência, clientes, e principalmente, se foi motivo de alguma boa notícia nos últimos
tempos. Procure ler jornais para se atualizar das principais notícias locais e mundiais.

Procure ler o currículo que foi enviado à empresa, para que na hora da entrevista não dê
informações que não possam ser confirmadas. O currículo deve conter informações
verdadeiras, se não forem, será facilmente detectado na entrevista.

Chegue à entrevista com antecedência, para que haja tempo suficiente para sua
identificação e encaminhamento ao setor responsável. Leve seus documentos pessoais e
uma cópia do seu currículo

Vimos algumas informações e detalhes que devem ser verificados antes da entrevista.
Agora vamos ver a etapa fundamental: a entrevista.

A ENTREVISTA
Em uma entrevista o papel do entrevistador é conferir se o perfil do candidato que está
entrevistando se encaixa nos requisitos solicitados pelo cargo disponível. Existem
algumas competências que são avaliadas numa entrevista de emprego.

No quadro abaixo podemos entender algumas das competências requeridas e seus


comportamentos observáveis.
Competências Comportamento

Comportamento Observável
Esperado

Comunicação

Troca e discute idéias, dialoga e conversa visando a


um bom entendimento. Ouve com atenção e
concentração, percebendo o momento oportuno para
interromper. Fala corretamente o idioma, de forma
objetiva e assertiva, captando a atenção dos ouvintes.
Dá e recebe feedback.

Raciocínio Rápido

Responde prontamente quando solicitado. Tem


desenvolvida a capacidade de analisar e se
posicionar prontamente frente a novas informações e
situações

Flexibilidade

Demonstra capacidade para transitar entre situações


e contextos diversos. Adapta-se. É capaz de rever
seu ponto de vista com propriedade.

Coerência

Mantém linha de raciocínio convergente.


Comportamento de respostas iguais em situações
semelhantes.

Relacionamento

Percebe e age levando em consideração os


sentimentos e necessidades de outras pessoas nas
situações de trabalho. Mantém respeito em situações
de conflito de interesse sem perder o foco. Capaz de
relacionar-se de forma produtiva e sem demonstrar
constrangimentos com colegas de trabalho em vários
níveis hierárquicos, dos mais baixos aos mais altos.

Equilíbrio Emocional

Posiciona-se com adequação e ponderação.


Administra suas emoções condizentes com a
situação.
Criatividade

Raciocina e estabelece conclusões mentais através


de idéias originais e imaginativas, propondo outras
formas de ação ou soluções para o melhor
desempenho de tarefas, já realizadas ou não.
Transforma idéias inovadoras em produtos, serviços
ou novos métodos de trabalho

Fonte: "Emprego não cai do céu",p. 161/162

Já que essas são as competências requeridas, o candidato pode antecipadamente fazer


uma auto-analise, em como pode deixar essas competências evidentes na entrevista.
Estude cada uma delas e verifique seus pontos altos e suas deficiências.

Cada gesto, cada atitude do candidato, será analisado e deverá transmitir a mensagem
de que “ele” ou “ela” é o melhor candidato para a vaga oferecida. Essa análise não será
feita apenas verbalmente, mas também por observação, assim o candidato deve estar
atento ao seu comportamento como um todo em uma entrevista de emprego.

Se você não conseguir demonstrar todo seu potencial na entrevista, sua busca por
emprego será longa e difícil.

Ao entrar na entrevista, entre de forma calma, tranquila e de cabeça erguida. Mesmo que
tenha motivos para estar aborrecido, isso não deve ser demonstrado na entrevista. Seja
cordial, e demonstre satisfação por ter a oportunidade de estar ali.

Ao ser recebido pelo entrevistador, cumprimente-o com um aperto de mão firme, sem
exagero. Abraços e beijinhos não têm lugar nessas ocasiões. Se você for encaminhado
para uma sala com várias cadeiras em volta da mesa, espere que o entrevistador indique
o lugar para se sentar.

Um sorriso transmitindo entusiasmo é um recurso que facilita a aproximação, mas não


deve ser exagerado. Demonstrações de intimidade entre pessoas desconhecidas, como é
o caso da entrevista, podem soar falsas, e interesseiras só para o momento.

O tratamento com o entrevistador também deve ser observado. Se o entrevistador for


uma pessoa que aparenta ter mais idade do que o candidato, o correto é usar o
tratamento formal, ou seja, Senhor ou Senhora, a menos que o próprio entrevistador
libere essa forma de tratamento.

Não esqueça o nome do entrevistador. Caso tenha mais de um, grave o nome de todos e
não os troque. Procure chamá-los pelo nome durante a entrevista

O telefone celular deve estar desligado para que o candidato se concentre apenas na
entrevista. Nessa ocasião é natural que o candidato fique nervoso e apreensivo, mas
procure comportar-se com naturalidade, conversar de forma cordial, com educação, sem
excesso de intimidade, respondendo a cada pergunta de forma direta e objetiva.

Normalmente no início de uma entrevista o entrevistador iniciará com assuntos leves e


descontraídos para deixar o entrevistado mais a vontade, assim o entrevistado deve
procurar manter um tom natural e espontâneo durante a conversação.

O empregador procurará ouvir do entrevistado as respostas mais apropriadas que


possam revelar a experiência e os resultados obtidos no decorrer de sua carreira. Desta
forma o candidato deve demonstrar em suas respostas as suas competências,
habilidades em resolver problemas, a maneira de se relacionar com as pessoas, com
grupos e a maneira de lidar e agir sob pressão.

No mercado de trabalho a atitude positiva e a discrição profissional são qualidades


indispensáveis, assim sendo, nunca critique seus ex-empregadores, em nenhuma
circunstância.

A entrevista serve para que a empresa perceba se o candidato poderá ajudá-la a atender
as necessidades do mercado, então o candidato deve mostrar como suas aptidões são
úteis para alcançar esse objetivo. Caso o candidato tenha alguma dúvida sobre alguma
pergunta, deve fazer perguntas de esclarecimento, para encontrar as respostas certas. O
entrevistador valoriza os candidatos que têm esse tipo de iniciativa. Caso o candidato
necessite relatar algum resultado excepcional obtido na solução de algum problema, a
objetividade será importante nesse momento, pois o candidato precisa deixar claro ao
entrevistador suas realizações profissionais.

Caso o candidato não tenha o hábito de ler, deve pelo menos na semana da entrevista ler
algum jornal, ver as principais notícias na internet, para poder estar no mínimo informado
sobre o que está acontecendo na sua cidade, país ou mundo. Às vezes esses assuntos
são utilizados em alguma fase da entrevista. Se o candidato demonstrar estar muito
desatualizado ou alienado, isso pode atrapalhar seu processo seletivo.
Conforme salientado por PEREIRA:

Se for questionado sobre os seus valores e conceitos, não tente


camuflar suas crenças e atitudes reais só para parecer
“politicamente correto” ou “moderno”. Admita-os e, se for o caso,
apresente seus argumentos que possam justificar seu
posicionamento, procurando demonstrar flexibilidade em aceitar e
incorporar mudanças.

O candidato deve ter uma postura ética na entrevista, assim nunca deve revelar
informações confidenciais ou sigilosas de seus antigos empregadores, ainda que isso
possa parecer lhe trazer benefícios. Caso sua entrevista seja em grupo, nunca adote a
atitude de menosprezá-los ou procurar demonstrar a sua superioridade. Lembre-se do
ditado que diz: “não precisamos apagar a luz de seu vizinho para fazer a sua brilhar”.

Quando for convocado para uma entrevista, trate com delicadeza e respeito todas as
pessoas da empresa, desde os seguranças da portaria às pessoas da recepção, ou
quaisquer outras que lhe atenderem. Demonstrar arrogância ou superioridade não é uma
atitude natural. Às vezes alguns entrevistadores, questionam essas pessoas sobre o
comportamento do candidato antes da entrevista.

Existe uma comunicação que não é verbal nem escrita, que chamamos de postura
corporal. O entrevistador, quando preparado, observará o candidato por completo. A
maneira como o candidato se senta, anda, movimenta os braços, a maneira de olhar,
falar, o timbre de voz, são atos produzidos em uma entrevista, que serão observados em
detalhes pelo entrevistador.

COMO FALAR DE SI PRÓPRIO E DE SEU INTERESSE


Alguns entrevistadores conduzem a entrevista, fazendo perguntas, observações, pedindo
explicações. Outros deixam o candidato falar livremente. Caso o candidato tenha
contratado uma consultoria para ajudar na busca de uma nova colocação, certamente a
mesma o preparou para a entrevista. Mas ele, às vezes, fica tão apegado às regras
impostas, que se comporta como um robô, agindo sem espontaneidade e naturalidade. O
candidato deve procurar incorporar essas informações às suas características e ser “ele
mesmo” na entrevista.
Organize os raciocínios, fale sobre suas experiências anteriores, que forem relevantes
para o cargo, enfatize suas responsabilidades, o grau de envolvimento, sua participação,
os desafios enfrentados e os resultados obtidos. Demonstre suas qualificações,
habilidades e aptidões. Deixe claro como você resolve problemas, como se relaciona com
pessoas, tais como chefe ou subordinados. Esclareça pontos ou informações que possam
ressaltar as informações do seu currículo.

Procure demonstrar suas expectativas com criatividade. Deixe transparecer o que


realmente gosta de fazer. Demonstre o que lhe chamou atenção para aquela vaga em
específico. Quando houver a oportunidade de fazer perguntas, procure saber mais sobre
os desafios daquela posição.

A COMUNICAÇÃO
Alguns cuidados devem ser tomados com a comunicação. Independente da idade e da
função pleiteada, o uso de gírias, palavrões, piadas e trocadilhos devem ser evitados.

Tome cuidado com a gramática. Fique atento com as concordâncias, à conjugação dos
verbos, à construção das frases. Ao expressar seus pensamentos, procure não cortá-los
pela metade, para não dificultar o entendimento do que você quer transmitir. Quando se
está nervoso, têm-se a tendência de acelerar a fala, então, procure controlar a respiração
e falar de maneira cadenciada.

Existem alguns pecados capitais da linguagem oral que o candidato deve estar atento.

Exemplo: Fazem muitos anos ....

Quando o verbo “fazer” se refere a tempo, ou indica fenômenos da natureza, não pode
ser flexionado.

Diz-se: “Faz dois anos que trabalho na empresa”, “Faz seis meses que me casei”

Ao falar ou ouvir, não desvie o olhar do entrevistador, pois poderá passar a idéia de
timidez. Também não o encare, pois poderá passar a idéia de arrogância. Falar muito
pode ser um dos piores defeitos em uma entrevista. Procure interagir com o entrevistador,
permitindo que ele possa falar e fazer as perguntas que julgar mais importantes. Não
interrompa o entrevistador, tenha calma e aguarde a conclusão do assunto. Nunca deixe
de tomar a iniciativa em falar, quando for o momento apropriado. Seja natural e sincero e
sorria nos momentos que julgue serem oportunos. Mantenha o semblante simpático para
que sua presença se torne agradável.

Ao falar de seus pontos fracos, não mencione fraquezas que poderão prejudicá-lo na
avaliação.

DEPOIS DA ENTREVISTA
Na procura de uma nova colocação, é normal que o candidato fique ansioso para saber o
resultado da entrevista. Não deixe que essa ansiedade comprometa sua imagem. Não
ligue para o entrevistador para saber se foi aprovado ou não. Embora seja difícil, aguarde
o resultado pacientemente. Uma carta ou email de agradecimento pela oportunidade
pode destacar o candidato dos demais e faz com que ele seja lembrado com mais
facilidade no processo de seleção.

CONCLUSÃO
O caminho para conseguir um emprego, às vezes, parece ser muito longo, mas ele tem
um fim. O esforço valerá pela recompensa. O emprego surgirá, porém lembre-se que todo
emprego é temporário. Precisamos nos preocupar com a nossa empregabilidade, que é
construída continuamente e constantemente. Cada profissional tem de conhecer seu
limite, trabalhar arduamente para superá-lo e para expandi-lo.

O quanto nos dispomos a novos desafios é o quanto estamos dispostos a crescer.


Embora o novo pareça assustador, também é atrativo e sedutor. Nossas vitórias devem
ser construídas a cada dia, pois ela não durará para sempre.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, Pedro Carlos de. Empregabilidade a competência necessária para o


sucesso no novo milênio. Editora Alínea, 4ª Edição, 2006.

CASE, Thomas A. Como conquistar um ótimo emprego e dar um salto importante


em sua carreira profissional. São Paulo: Makron Books, 1989.

CHIAVENATO, Idalberto. Carreira você é aquilo que faz, como planejar e conduzir
seu futuro profissional. Editora Saraiva, 2006.

MILITÃO, Rose, Albigenor. S.O.S. Dinâmica de Grupo. Editora Qualitymark, 17 ª


Edição, 2009.

MINARELLI, José Augusto. Empregabilidade – Como ter trabalho e remuneração


sempre. Editora Gente, 1995

MINARELLI, José Augusto. Networking – Como utilizar a rede de relacionamentos na


sua vida e na sua carreira. Editora Gente, 3ª Edição, 2002.

PEREIRA, Paulo. Profissionais & Empresas, os dois lados de uma mesma moeda
no mercado de trabalho. Editora Nobel, 2004.

POLITO, Reinaldo - Como falar corretamente e sem inibições – Editora Saraiva, 2005.

___. Assim é que se fala – Editora Saraiva, 2001.

___. Gestos e postura para falar melhor – Editora Saraiva, 2000.

___. Um jeito bom de falar bem – Editora Saraiva, 2001.

XAVIER, Ricardo de Almeida Prado. – Encontrando o emprego Certo. Editora STS


Publicações e Serviços, 1992.