Você está na página 1de 2

Estudo bíblico: Sansão e Dalila

Texto-base: Juízes 13.1-5, 24-25.

Introdução – Sansão foi um dos mais importantes servos de Deus no Velho Testamento. Sua
história traz várias lições para os cristãos da atualidade, principalmente os líderes.

1- O Senhor escolheu Sansão - Vocação, consagração e missão – Jz.13.5.

Sansão foi escolhido e consagrado ao Senhor para realizar a missão de libertar Israel das
mãos dos filisteus. Ele se tornou juiz e deveria ter sido um grande libertador.

2- O Senhor capacitou Sansão - Bênção e unção - Jz.13.24-25.

Ele foi abençoado e ungido com o Espírito Santo. Como conseqüência, possuía uma força
física descomunal. Sua força não estava em seus cabelos, mas o corte seria desobediência, e
por causa disso ele ficaria fraco. Todos os nazireus tinham cabelos compridos, mas não eram
fortes como Sansão.

3- O Senhor estabeleceu regras – Jz.13.5.

Sansão deveria obedecer as leis do nazireado (Nm.6). O nazireu devia ser mais puro que o
israelita comum. Ele não podia beber vinho nem cortar os cabelos. Ele não podia tocar em
cadáveres nem se aproximar deles, mesmo que fosse de sua mãe. Se sua missão é especial,
você deve ser especial, e isto pode exigir sacrifícios.

4- Sansão teve vitórias e experiências extraordinárias.

Ele matou um leão (Jz.14.5-6); matou 30 homens (Jz.14.19); matou 1000 homens
(Jz.15.15); Deus fez sair água da rocha para ele (Jz.15.19).

5- Sansão quebrou as regras divinas.

Vitórias e transgressões se intercalavam em sua vida.

6- Sansão andou muito no território do inimigo, vivendo perigosamente, com emoções e


riscos desnecessários.

Ele poderia ter ido lá para destruir o inimigo, mas ia para se confraternizar com eles.

- Ele se casou com uma filistéia, contrariando seus pais (Jz.14.1-3). Deus permitiu, mas as
conseqüências foram ruins. Através dela os inimigos se aproximaram de Sansão para destruí-
lo. Ele escapou, mas perdeu a mulher.

- Ele se envolveu com uma prostituta filistéia (Jz.16.1). Os inimigos o cercaram, mas ele
escapou novamente.

- Ele se envolveu com Dalila (Jz.16.4). Os inimigos se escondiam dentro da casa dela
(Jz.16.9). Com quem estamos nos envolvendo? A pessoa tem compromisso com Deus ou
está com o Diabo dentro de casa?
- Naquele relacionamento pecaminoso, por três vezes ele foi preso, mas escapou ileso
(Jz.16.9,12,14). Por isso, concluímos que Sansão:
- Fez “pouco caso” dos inimigos.
- Tornou-se auto-confiante.
- Achou que sempre escaparia, mesmo pecando.
- Estava servindo como “cobaia” para os testes de estratégia dos inimigos.

- O amor foi usado como pretexto para o pecado e como argumento de chantagem (Jz.16.15-
17). Satanás continua fazendo isso hoje com grande eficiência. O “amor” tem sido pretexto
para a prostituição, o adultério, a poligamia, o divórcio, o homossexualismo, etc. Paixão e
desejo são confundidos com amor.

- Os inimigos não eram mais fortes do que Sansão, mas eram astutos (Ef.6.11-18). Satanás
e os demônios não nos enfrentam diretamente, mas não param de trabalhar nos bastidores
para a nossa destruição.

- Sansão pretendia que seu envolvimento com Dalila posse algo momentâneo, mas ficou
eternamente vinculado a ela. Prazeres passageiros podem ter conseqüências eternas. Onde
quer que alguém mencione Sansão, lembrar-se-á também de Dalila.

- Sansão dormiu no território do inimigo (Jz.16.13,19). O repouso de Sansão era sinal de sua
tranqüilidade irresponsável. Ele não vigiou (em todos os sentidos do termo). Ficou
acomodado em seu estado pecaminoso. “Não durmamos como os demais” (ITss.5.6), pois “o
inimigo” não dorme.

7- Sansão foi derrotado.

- Ele não podia ser destruído por 1000 homens, mas foi derrotado por uma mulher.
Enfrentava a espada, mas foi vencido por uma navalha. A prostituição e o adultério já
derrubaram muitos homens. Ele foi preso, cegado, humilhado e escravizado. Este é o plano
de Satanás para todo homem. Sansão serviu de palhaço no templo de Dagom.

8- Sua morte.

Para que o nome de Deus não fosse envergonhado, o Senhor lhe concedeu um último
momento de força, com a qual abraçou as colunas do templo, trazendo-o abaixo. Inúmeros
inimigos morreram, mas Sansão também morreu. A misericórdia do Senhor o alcançou no
último momento de vida, mas sua história poderia ter sido outra.

Conclusão – Nós também somos chamados, escolhidos, abençoados e ungidos. Temos uma
missão e muitos inimigos espirituais. Precisamos vigiar, pois o inimigo está sempre nos
vigiando. O Senhor quer nos usar para que muitas pessoas sejam libertas. Não nos deixemos
prender pelos inimigos que combatemos. Por mais fortes que sejamos, Satanás sempre
atacará nossos pontos fracos. Qual é o seu ponto fraco? Cuidado com a navalha do inimigo!!!