ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO, MARKETING E COMUNICAÇÃO DE SOROCABA

Henrique Strombeck da Silva Leandro Rinaldo da Ressurreição Melissa Oliveira Campos

Softwares Livre e Aberto

SOROCABA 2011

Tecnologia da Gestão da Informação Prof. Ms. Calixto Silva Neto

Henrique Strombeck da Silva Leandro Rinaldo da Ressurreição Melissa Oliveira Campos

SOFTWARE LIVRE E ABERTO

Seminário da disciplina de Teoria da Gestão da Informação para os cursos de Administração com ênfase em Finanças e de Ciências Contábeis pela Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Sorocaba. Orientador: Prof. Ms. Calixto Silva Neto.

SOROCABA 2011

.DEDICATÓRIA Aos nossos familiares. aos nossos colegas de vida acadêmica e a todos que colaboram de alguma forma com a nossa formação.

àqueles que nos apoiam e ao professor que se empenha em nos fazer verdadeiros profissionais. aos nossos familiares. .AGRADECIMENTOS A Deus.

............. 28 Referências Bibliográficas.............................................................1.. 14 GPL... 15 Como nasceu o Linux............. 8 História do Projeto GNU........................................................................................................................ ..............................................................3....................4................................. Componentes da infraestrutura de TI........................... ..................................3................................................................................ 2...2................... 18 Shareware........................................................ 5.............................1.......................................................................... 13 Domínio Público................................ 10............... ............................................................... 2.................. 8 2...........................................................................................1........................................................... 10......................................Sumário 1...... 2.................................................................................. 9................. As quatro liberdades que caracterizam o software livre (segundo a Free Software Foundation)........ ..................................5.............................3....................... ..... .........1.......................................................................................... 7........ ...... 10 Distribuição de software livre.............. 9 Diferença entre software livre e software em domínio público........... 10..................................................................1........................................ 9 2. 3...... 2.................................... 18 Freeware................................................... ......................... ..........................1.......................................... 2............................................. ......... .............. 4............................................. 8........ ................................................................ 9............ Definindo software.......................................................1...................................... 11............... 7 2...... O que é software livre?........................... 9.....................................................6................... .............................. 18 Conclusão............ 16 Quem utiliza Linux? ...................... .......... 2............ Programas de Inclusão Digital do Governo Brasileiro.................................................................................... 6 Softwares Livre e Aberto.. ................................................................................................. 10 Software livre X Código aberto.............................................................................................................................................................. 16 Partindo para Sistema Operacional GNU/Linux.... 13 Copyleft................................................................. 6........ 10 O que é código aberto? ................................................................... 9....1....1.. 15 O que é Linux? .1....................................... ........2................................ 16 Livre x Freeware x Shareware ... 28 ............................................ 7 História do software livre... 2.........................2...................3............................................................ Quais as vantagens de se utilizar software livre? ................ 18 10....................................... ........................................ ................................ 6 1................................................................. .1................................. 14 GNU. 12 Copyright........................................... 18 Livre..........2..................... 15 Grátis.................................... ..............................................................

Segundo Sistemas de informação gerenciais. um dos componentes da infraestrutura de TI é o software. software. Componentes da infraestrutura de TI. Este componente abrange softwares de sistemas e softwares aplicativos. cada uma delas interagindo intimamente com as demais. sendo que estes dois elementos estão inter-relacionados e podem ser imaginados como um conjunto de caixas alojadas uma dentro da outra. O conceito de software engloba software de sistemas e software aplicativo.1. sendo que: Software de sistema é aquele que administra os recursos e atividades do computador. Como é demonstrado na figura abaixo. é necessário o software. Definindo software. tecnologia de gerenciamento de dados. tradutores de linguagem e programas utilitários) controla o acesso ao hardware. tecnologia de rede e serviços de tecnologia. de Kenneth C. Para operar. Componentes da infraestrutura de TI A infraestrutura de TI de uma organização é composta por hardware. A explicação para isso é: o software de sistemas (composto de sistemas operacionais.1. pois é ele que oferece instruções detalhadas para guiar o trabalho do computador. os softwares aplicativos (linguagens de progra- . 1. Loudon. Softwares aplicativos “aplicam” o computador a uma tarefa específica solicitada pelo usuário final. para a utilização de hardware. Loudon e Jane P.

não de preço. Ele faz as mesmas coisas que os programas que você usa cotidianamente no seu computador. mudar e aperfeiçoar os programas. além de usá-lo. o qual se opõe ao conceito de software proprietário. O usuário interage primeiramente com o software aplicativo. planilhas. Reforçando esta definição. As características que o tornam livre são que. aceitavelmente ocorrem intuições erradas no que diz respeito a sua definição. tirada de uma cartilha disponibilizada por uma página governamental brasileira da internet. você também pode copiálo distribuí-lo e alterá-lo”. Softwares Livre e Aberto. A liberdade de tais diretrizes é central ao conceito. A causa para este engano pode estar no fato de a expressão “software livre” ter sua origem no termo inglês free software e a palavra free apresentar dois significados. mas.1. Assim. Ainda numa outra definição. mas não ao software que é vendido almejando lucro (software comercial). O que é software livre? “Software livre. copiado. estudado. com o intuito de adaptá-los cada vez mais .” Quando se fala em software livre. Para entender o conceito. modificado e redistribuído com algumas restrições. A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre. No entanto. Alguns dos benefícios de um software livre se encontram nas possibilidades de pesquisar. Muitos podem relacionar este termo com gratuidade. estudar. não é disto que se trata. Richard Stallmann os distingue da seguinte forma: free as in free beer (free como em cerveja de graça) e free as in freedom (free como em liberdade). a página oficial da GNU descreve o software livre da seguinte forma: “Software livre” é uma questão de liberdade. segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de computador que pode ser usado. entre tantas outras funções. 2. navegar e se comunicar pela internet. “software livre é um programa de computador que permite escrever textos. na verdade. e tornar o código-fonte do programa disponível.mação e as linguagens de “quarta geração”) devem trabalhar por meio do software de sistema. define-se que software livre diz respeito à liberdade e não a gratuidade. você deve pensar em liberdade no sentido de “liberdade de expressão”. 2. não de “gratuidade”.

modificar e redistribuir o programa e seu código-fonte. em 1985. 2. História do software livre. dessa forma. Stallman e amigos programadores abraçaram a causa e deram início a criação de um sistema operacional. estudar. E com este núcleo que ficou conhecido como Linux (contração de Linus e Unix) se concretizou o sistema operacional hoje conhecido como Linux. Trata-se de um projeto na área de computação projetado por Richard Stallman em 1984. pois eles devem estar sempre disponíveis para. sim. quando o hacker americano Richard Matthew Stallman (muitas vezes abreviado para “rms”) iniciou o Projeto GNU e. Para o Movimento do Software Livre (um movimento social) é antiético aprisionar conhecimentos científicos. Em 1984. com o intuito de criar sistemas livres que as pessoas pudessem utilizar. . que havia criado um núcleo que poderia usar todas as peças já criadas pelo projeto do sistema operacional GNU.1. também sob a ética moral e técnica. neste mesmo ano.1.1. História do Projeto GNU. E estas possibilidades se tornam possíveis pelo fato de o software livre possuir o código-fonte aberto o que faz com que ele se torne publicamente acessível. No entanto. e. apareceu um jovem finlandês. porém não deveria utilizar seu código-fonte). Stallman foi quem introduziu os conceitos de software livre e copyleft objetivando garantir que a liberdade dos usuários fosse preservada. O software livre teve início como movimento organizado no ano de 1983. Quando no ano de 1991. posteriormente. Linus Torvalds. mas não somente do ponto de vista técnico.á realidade de cada um dos usuários. 2. a Free Software Foundation. este sistema já estava quase pronto. O nome foi escolhido porque além do significado original que representa o mamífero gnu.2. permitir a evolução da humanidade. é um acrônimo recursivo de GNU is Not Unix (GNU não é Unix – um sistema operacional com o qual o GNU seria compatível. Este conceito de software iniciou-se em cima de uma ideologia em que a liberdade é valiosa. faltando apenas o principal: o núcleo do sistema operacional.

de modo que toda a comunidade se beneficie. já que as modificações e melhorias realizadas no código de um destes podem ser repassadas.1.4. treinamento de profissionais e aquisição de melhores equipamentos. Sendo que no caso de software proprietário. a vida útil dos equipamentos. Há. Existe um número de empresas brasileiras que adotaram um modelo de negócio baseado na inovação permanente e na prestação de serviço em cima dos softwares.1. as novas versões muitas das vezes obriga o usuário a adquirir má- . também. A liberdade de se estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as suas necessidades. copiadas livremente e até mesmo vendidas. dessa forma. Acesso ao código-fonte é um requisito para esta liberdade. 2. Acesso ao código-fonte é um requisito para esta liberdade. A liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar os seus aperfeiçoamentos. A liberdade de se executar o programa para qualquer propósito. Os programas de característica livre se permitem ser adaptados de acordo com as necessidades específicas de cada usuário ou empresa. volta-se a reforçar a não confusão dos conceitos: o não gasto com licenças não dá noção de gratuidade ao software livre. partindo do princípio que os desenvolvedores de software livre têm como prática aproveitar ao máximo a capacidade das máquinas. Posto que as melhorias promovidas sejam disponibilizadas e tornadas públicas via internet. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar seu próximo. espera-se um melhor aproveitamento de hardware. Na não efetuação deste desembolso.3. não ocorrem gastos a título de pagamento de licenças de uso e nem envio de royalties ao exterior pelo Brasil. Com todas estas liberdades espera-se que haja uma evolução constante e compartilhada. Quais as vantagens de se utilizar software livre? Quando na utilização de softwares livres. o que faz com que o software livre seja uma opção cada vez mais adequada e eficiente para o governo federal. uma palavra-chave para levantar outra vantagem: flexibilidade.2. estadual e municipal. os usuários podem buscar atualizações de código diretamente com a comunidade de desenvolvedores de determinado aplicativo ou sistema. prolongando. gera-se uma verba com disponibilidade para ser redirecionada a investimentos em Tecnologia da Informação (TI). No entanto. As quatro liberdades que caracterizam o software livre (segundo a Free Software Foundation). Além disso.

O programa deve incluir seu código fonte e deve permitir a sua distribuição também na forma compilada (linguagem de programação em que o código-fonte é executado por um programa compilador dentro do sistema operacional). dá garantia de direitos autorais ao programador/organização. . também. o que faz com seja mais fácil a detecção de problemas e. a GPL e BSD. A licença não deve restringir de nenhuma maneira a venda ou distribuição do programa gratuitamente. Já o software em domínio público ocorre na situação em que o autor do software renuncia à propriedade do programa (e todos os direitos associados) o que faz com que o mesmo se torne um bem comum. também. Isso gera maior integridade e segurança aos aplicativos. 2. Distribuição livre. quando utilizado em combinação com licenças típicas (como as licenças GPL e BSD). 2. Fala-se. Se o programa não for distribuído com seu código fonte. 2. 2. deve haver algum meio de se obter o mesmo seja via rede ou com custo apenas de reprodução.6. até mesmo. Distribuição de software livre. O software livre. O código deve ser legível e inteligível por qualquer programador.1. A forma usual de um software ser distribuído de maneira livre é sendo acompanhado por uma licença de software livre que pode ser. é uma criação da Open Source Initiative e faz referência também a software livre. O que é código aberto? Open Source em inglês.quinas mais sofisticadas pelo fato de os novos programas apresentarem tendência a ficarem mais pesados. Código-fonte. A definição para código aberto se baseia nos seguintes critérios: 1. com a disponibilização do seu código-fonte.2. Diferença entre software livre e software em domínio público. como componente de outro programa ou não. Este tipo de software se difere de software em domínio público.5. por exemplo. a antecipação a eles.1. e. em segurança garantida uma vez que os códigos e as rotinas de processamento de um software livre são liberados à comunidade e conhecidos por um número grande de pessoas.

Licença não restrinja outros programas. Integridade do autor do código-fonte. Os direitos associados ao programa devem ser aplicáveis para todos aqueles cujo o programa é redistribuído. Distribuição da Licença. 6. Não discriminação contra pessoas ou grupos. Isto é. A licença não pode ser discriminatória contra qualquer pessoa ou grupo de pessoas. todas as partes para quem o programa é redistribuído devem ter os mesmos direitos que aqueles que são garantidos em conjunção com a distribuição de programas original. sem a necessidade da execução de uma licença adicional para estas partes. Licença não específica a um produto. Por exemplo. ela não deve proibir que o programa seja usado em um empresa. estilo ou interface a ser aplicada no programa. e deve permitir que eles sejam distribuídos sobre os mesmos termos da licença original. 5.3. a licença pode ainda requerer que programas derivados tenham um nome ou número de versão diferentes do programa original. 9. 7. A licença deve permitir modificações e trabalhos derivados. . a licença não pode especificar que todos os programas distribuídos na mesma mídia de armazenamento sejam programas de código aberto. 8. Licença neutra em relação a tecnologia. Trabalhos Derivados. A licença não pode colocar restrições em outros programas que são distribuídos juntos com o programa licenciado. Os direitos associados ao programa não devem depender que o programa seja parte de uma distribuição específica de programas. 4. A licença deve explicitamente permitir a distribuição do programa construído a partir do código-fonte modificado. Nenhuma cláusula da licença pode estabelecer uma tecnologia individual. ou de ser usado para pesquisa genética. Não discriminação contra áreas de atuação. A licença pode restringir o código fonte de ser distribuído em uma forma modificada apenas se a licença permitir a distribuição de arquivos patch (de atualização) com o código fonte para o propósito de modificar o programa no momento de sua construção. 10. Se o programa é extraído desta distribuição e usado ou distribuído dentro dos termos da licença do programa. Contudo. A licença não deve restringir qualquer pessoa de usar o programa em um ramo específico de atuação.

e aí se tratavam mutuamente como inimigas. É interessante o esclarecimento dado pela Free Software Foundation em sua página sobre o assunto: “o movimento Free Software e o movimento Open Source são como dois campos políticos dentro da comunidade de software livre”. estes deverão. retardava a adoção e o apoio ao software livre no ambiente corporativo. por exemplo. Nós discordamos nos princípios básicos. Pensando nisto. Software livre X Código aberto. para uma licença ou software ser considerado como Código Aberto.” “O relacionamento entre o movimento Free Software e o movimento Open Source é justamente o oposto deste. seja ou não verdadeira. visando a adoção do software de código aberto como a solução viável. pode-se considerar que sendo um software qualquer considerado livre.” . O código aberto não significa simplesmente ter acesso ao código-fonte dos softwares (e não necessariamente acompanhado das “4 liberdades” do software livre). este grupo criou a Open Source Initiative que adota o termo Código Aberto (open source) para se referir aos softwares livres e que tem um postura bem mais voltada ao pragmatismo. mas concordamos (mais ou menos) nas recomendações práticas.3. Foi no ano de 1988 que um grupo de pessoas da comunidade e do mercado que gira em torno do software livre se fez insatisfeito com a postura filosófica do movimento existente. Este grupo acreditava que a condenação do uso do software proprietário é um instrumento que. permissão de trabalhos derivados.2. Na verdade. Numa página da GNU Operating System existe a seguinte consideração sobre o assunto: “Grupos radicais na década de 1960 desenvolveram uma reputação de facções: organizações que se dividem devido a discordâncias em detalhes das estratégias. Ou ao menos esta é a imagem que as pessoas têm delas. não discriminação. então. atender aos dez critérios da Definição de Código Aberto como. ele também será de código aberto. Pode-se dizer que a diferença prática entre as duas entidades se encontra em seus objetivos: filosofia e modo de agir. e não nos softwares ou licenças. O inimigo é o software proprietário. com menos viés ideológico que a Free Software Foundation. Dessa forma. os softwares que obedecem às Definições de Software Livre também obedecem às Definições de Código Aberto. Nós não vemos o movimento Open Source como um inimigo. Assim nós podemos e de fato trabalhamos juntos em diversos projetos específicos. distribuição de licença e outros. livre redistribuição. De uma maneira geral. ao invés de acelerar.

em inglês) no passado e. pesquisou. uma vez que esta é o verbo “leave” (deixar. Copyright é uma prática que proíbe. Isto é. torna “copyleft” um termo próximo a “cópia autorizada”. reuniu dados. existe alguém que pensou. no qual é substituído o “right” (que significa direita. 4. discutiu. vindos de algum lugar. mas não dispensa seu esforço e sua reputação. Copyleft. este trocadilho ocorre. que determinados produtos que tenham sua licença sob esta condição sejam alterados ou copiados sem a permissão do autor. Assim. com base na legislação internacional. portanto. Sua finalidade visa proteger o conteúdo de um determinado autor impondo barreiras à sua reprodução. Copyright. abre mão do retorno imediato que seu produto poderia dar. também. O autor. . quando coloca na cláusula o copyleft. pelo duplo sentido que a palavra “left” apresenta. cruzou informações e gerou o conhecimento.3. conhecimento livre e divulgação livre. em inglês) de “copyright” por “left” (que significa esquerda. Segundo um artigo da Folha Online. softwares livres que contenham em sua licença a cláusula de copyleft oferecem informação livre. A origem do termo “copyleft” surgiu com um trocadilho em inglês. em inglês).

no entanto não deveria utilizar-se do seu código-fonte. Essa situação ocorre quando não há mais direitos autorais do autor em relação a sua obra. surgiu um finlandês chamado Linus Torvalds que apresentou um núcleo por ele criado e que se adaptava às demais peças do sistema operacional GNU. Este núcleo recebeu o nome de Linux (contração de Linus e Unix). e que gerou o sistema operacional.610/98). Partindo deste contexto. estudar. 6. Stallman e um grupo de professionais da área de programação se uniram com a finalidade de criar o sistema operacional. bastante popular e utilizado. O sistema sonhado por Richard deveria ser compatível com o sistema operacional Unix. Domínio Público. Nos dias de hoje. o americano Richard Stallman. . No entanto. Segundo a Lei dos Direitos Autorais (Lei 9. iniciou o Projeto GNU. modificar e redistribuir o programa e seu respectivo código-fonte. ou determinado com base na lei. fica determinado que o prazo de proteção de títulos acompanha suas respectivas obras. Quando um software está na condição de domínio público. além de fazer referência ao mamífero de mesmo nome. Desde então. tendo o objetivo de criar um sistema operacional totalmente livre. 41. parágrafo único). o tal software estava quase que dado por finalizado.5. No ano de 1984. significa que este não possui copyright. faltava-lhe o principal: o núcleo do sistema. as obras passam a pertencer ao domínio público. que qualquer indivíduo pudesse usar. 41). contados a partir do dia 1º de janeiro do ano subsequente à morte do autor (Art. uma vez que os direitos não são eternos. os direitos autorais sobre os títulos perduram por 70 anos. Para que algo esteja em domínio público. E dessa forma. este precisa ser assim definido por opção do autor. hoje. um destacado programador. que fomentou a ideia de software livre pregado pela Free Software Foundation. Desse modo. Quando foi o ano de 1991. Esse prazo é o mesmo para obras publicadas postumamente (Art. Stallman deu o nome de GNU que. Então. que. Decorridos 70 anos. GNU. também é conhecido como GNU/Linux. também era um acrônimo recursivo: GNU is Not Unix (GNU Não é Unix). num primeiro momento. é conhecido o sistema operacional livre denominado Linux. se cria a imagem de GNU como um Projeto.

Este sistema operacional é gerador de debates quanto a seu nome. ao invés de limitar a distribuição do software por ela protegido. o usuário somente poderá utilizá-lo da forma como ele foi disponibilizado. Contudo. seguro e estável para desktops. 8. até então um estudante finlandês. a Free Software Foundation advoga que o mesmo. apresenta um kernel (ou núcleo) por ele criado e que comporia um sistema operacional mundialmente conhecido de mesmo nome: Linux. ele gerencia os recursos do sistema e permite que os programas façam uso deles. dos processos. Sua funcionalidade tem início assim que o computador é ligado. como gerenciamento de memória. uma licença a favor dos softwares livres a qual os acompanha e fomenta a expansão dos mesmos. Ou seja. também conhecido como freeware. GPL. ou seja. Entretanto. Ou seja. GPL trata-se de da Licença Pública Geral GNU (GNU General Public License GPL) que acompanha os pacotes distribuídos pelo Projeto GNU. Grátis. ela de fato impede que este software seja integrado em software proprietário. quando Linus Torvalds. que adota a GPL (licença de software livre) e é aliado a diversos outros softwares livres. assim. então. Kernel é um componente do Sistema Operacional de grande importância responsável pela interação entre as camadas: software e hardware. o que deve garantir cobertura legal para o software licenciado com a GPL. O que é Linux? A história do Linux começa em 1991.7. como o próprio nome diz. A partir do Kernel Linux nasceu o Sistema Operacional Linux. o sistema operacional é carregado e. e tantos outros softwares. seu código-fonte é indisponível. formar um ambiente moderno. formado pelo seu núcleo Linux somado ao conjunto de utilitários e aplicativos (que incluem aqueles desenvolvidos pelo seu projeto GNU). o kernel passa a administrar as principais as suas funções. como é o caso do núcleo do sistema operativo Linux. A GPL. servidores e sistemas embarcados. Em seguida. podendo. 9. pois neste momento ele realiza a detecção de todo o hardware indispensável ao funcionamento da máquina. é um programa que pode ser utilizado sem custo de comercialização. Até então foi mencionado neste trabalho apenas a nomenclatura Linux. deve ser chamado de . Ela tem embasamento na legislação internacional de copyright. Software gratuito. dos arquivos e dos demais dispositivos periféricos.

GNU/Linux. sistema operacional livre. os primeiros usuários deste sistema operacional eram. compilá-los e configurá-los. Este debate persiste sem que haja um posicionamento definitivo.3. Alguns usuários conhecidos são: Governo da Itália. Feito isso. 9. fábricas de . também no ambiente corporativo (sendo adotado em desktops especializados). nasceu a primeira distribuição Linux: MCC (Manchester Computer Centre).1. principalmente para Web e servidores de bancos de dados. as distribuições de GNU/Linux começaram a ter maior popularidade. já que elas vão tomando características diferentes ao longo do tempo. formando um conjunto). então. Linus Benedict Torvalds começou a desenvolver o kernel que daria origem ao. O projeto Linux foi publicamente lançado no ano de 1991. diferentemente de Linux apenas. Governo da Califórnia. Partindo para Sistema Operacional GNU/Linux. feita pela universidade de Manchester. Quem utiliza Linux? Cada vez mais usuários aderem ao sistema. o qual rodaria em processadores Intel 80386. Como nasceu o Linux. quando Linus resolveu divulgar em uma mensagem para a Usenet (um meio de comunicação onde usuários postam mensagens de texto) sobre o que estava desenvolvendo e que ele se encontrava disposto a disponibilizar o código-fonte para contar com a colaboração de outros programadores. Nestas circunstâncias. Somente a partir da segunda metade da década de 1990. Surgiram e desapareceram várias destas distribuições (um sistema operacional Unixlike incluindo o kernel Linux e outros softwares de aplicação. O sistema tomou notoriedade no mercado de servidores.2. 9. Torvalds disponibilizava apenas o kernel Linux (núcleo de sua autoria) juntamente com alguns utilitários básicos. desde grandes empresas a pessoas em suas casas. na tentativa de poupar algum esforço com a instalação do Linux. De início. técnicos já que cada um deveria encontrar os outros programas que desejasse usar. De início. 9. este finlandês tinha o objetivo de desenvolver seu próprio sistema operacional: o “Unix-like”. Linus recebeu ajuda de muitos hackers desde os primeiros dias e ainda continua recebendo hoje a contribuição de milhares de programadores das mais diversas localidade do planeta. Dessa forma. Como um hobby. em sua maioria.

o Linux vem se adaptando de forma a se massificar entre as grandes empresas: Nova imagem Com o apoio de fornecedores tradicionais. Algumas distribuições como a brasileira Kurumin são disponibilizadas de forma especial em CDs. Mercedes Bens. grandes empresas usam o Linux Hoje em dia.robôs na Suécia.e de programas desenvolvidos nux para Linux Não havia histórico de grandes empresas rodando sistemas importantes sobre o Linux Cada vez mais.Há milhares de equipamentos vidos para rodar sobre o Li. ou seja. Ministério da Saúde. hospitais na França. o Linux tornou-se palatável para grandes empresas Antes O sistema era visto como algo restrito aos aficionados de tecnologia Não havia fornecedores confiáveis que garantissem suporte técnico e atualizações Agora Quem fornece Linux fala a língua das empresas. Uma reportagem da exame. não apenas jargões técnicos Alguns dos maiores fornecedores de tecnologia apóiam o sistema Faltavam produtos desenvol. praticamente todas as Universidades. Sony.2 14. Mesmo que a forma mais fácil de obter o Linux seja através dos CDs distribuídos como brinde em várias fontes. Correio Norte Americano.com já falava no ano de 2005 que as empresas se rendiam ao Linux o que o tornava um mercado bilionário. capazes de rodar diretamente do CD. o Linux vem ganhando mercado e pode ser utilizado por qualquer interessado.5 . dispensando instalação no disco do computador.5 11. outra maneira de se obter uma cópia sem desembolsar nada é através de download. Como mostra a tabela a seguir. através do download ou da aquisição dele. como mostra a tabela feita de previsão na época: Mercado bilionário Quanto as vendas de Linux movimentam no mundo (em US$ bilhões) 2002 2003 2004 8.

10. consequentemente. o envio de divisas para o exterior. para a continuidade de seu uso. mas as modificações são impossíveis. uma vez que seu código fonte não é disponibilizado.3 29. em seguida. em inglês. Quando um software indica que é Shareware significa que é permitido utilizá-lo gratuitamente por um tempo determinado e. com isso. Livre. Estes recursos poupados servirão como ferramenta para o governo fomentar a indústria brasileira. não indica que é um software livre. Este é disponibilizado com a permissão para que seja redistribuído. ou seja. deve haver o pagamento pela sua licença. modificações.1.2.8 24. Freeware. Programas de Inclusão Digital do Governo Brasileiro.7 Hoje o Linux é profundamente difundido a cada vez mais usuários aderem a este sistema pela economia e adaptação cada vez mais verificada através dos avanços e melhorias. O governo brasileiro incentiva o uso de software livre.4 35. Shareware. Software livre é qualquer tipo de programa passível de utilidade. o “free” que significa livre. 10. geram-se mais empregos. Apesar de ser chamado Freeware. Livre x Freeware x Shareware 10. 10. 11.2005 2006(1) 2007(1) 2008(1) (1) Previsão Fonte: IDC 19. acompanhar licenças restritivas. Todos estes fatores contribuem para o desenvolvi- . cópias e distribuições. Sua disponibilização é gratuita. pois acredita que há uma cadeia de benefícios para a indústria nacional.3. Este tipo de software pode ser disponibilizado ou comercializado. O início desta cadeia se dá com a diminuição dos gastos com o pagamento de licenças e. por apresentar seu código-fonte aberto. pois pode não ter código aberto e pode ainda.

Petrobras. Supremo Tribunal Militar. além de um módulo de inclusão bancária nas localidades onde for possível. Uma indústria preparada e qualificada para competir com o mercado mundial que detém poder no quesito tecnologia. Senado Federal. Instituto Nacional de TI. os quais estão disponibilizados em sua home page. por meio de parcerias com instituições locais. Ministério da Cultura. Atualmente são 56 unidades em funcionamento. Eletrobrás/Eletronorte. Casa Branca. órgãos governamentais do Brasil e Internacionais. uma oficina de produção de rádio. tais como: Casa Brasil “Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia. Casas Bahia. e um espaço para atividades comunitárias.000 pessoas nas 48 oficinas livres oferecidas a partir da plataforma de educação à distância construída pelo projeto. Cada unidade de Casa Brasil abrigará um telecentro. Ministério das Comunicações. Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal .Implantação de espaços multifuncionais de conhecimento e cidadania em comunidades de baixo IDH. Receita Federal. Pão de Açúcar. um laboratório de popularização da ciência ou uma oficina de manutenção de equipamentos de informática. Mininstério do Planejamento. Já foram capacitadas mais de 1. com uso de software livre.mento da inteligência coletiva do país e para o surgimento de uma grande indústria nacional de tecnologia da informação. que podem ser uma biblioteca popular. Câmara dos Deputados. utilizam softwares livres. um estúdio multimídia. Ministério da Educação. o Governo Federal oferece ações de inclusão digital por meio de diversos programas e órgãos. e pelo menos mais dois outros módulos. um auditório. como é o caso do Carrefour.” . Nasa. entre tantos outros. Secom. Na prática. Hoje. muitas empresas privadas e também.

utilização dos softwares clientes mais comuns de email. Notebooks de até R$ 1. áudio e rede onboard. PCs de até R$ 1. administração de sistemas livres e muito mais.Voltado para a classe C. dos quais introdução à informática.4 GHz. Atualmente o projeto atende mais de 70. Além dos cursos. suporte de redes.000 alunos distribuidos em 2. modem de 56 K. comunicação etc. O Programa constitui-se em um instrumento de promoção da inclusão social. placas de vídeo. unidade de CD-ROM (RW)/DVD-ROM (combo). Ministério da Ciência e Tecnologia e Serpro . além da isenção de impostos PIS/COFINS. que atendam a configurações mínimas descritas no portal do programa. também possuem isenção de impostos e têm financiamento facilitado.A implantação de Centros de Inclusão Digital é uma ação que compõe o Programa de Inclusão Digital do MCT. memória RAM de 256 MB. O equipamento deve utilizar obrigatoriamente software livre e contar com um processador de 1.200 que obedeçam à configuração mínima podem ser parcelados em prestações de R$ 50.” Computador para Todos “Em ação: Presidência da República. mouse. disco rígido de 40 GB.Criado em 30 de agosto de 2004. o projeto visa qualificar por meio da Internet (ensino a distância) servidores públicos e cidadãos em geral no uso de softwares livres. servidor de vídeos (tipo youtube) e o mapa do software livre latino americano. streaming de vídeo e áudio (tv e radio web). também são providos serviços de videoconferência.” . cuja responsabilidade é da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (SECIS) e tem como objetivo proporcionar à população menos favorecida o acesso às tecnologias de informação. teclado e porta USB e 26 programas.” Centros de Inclusão Digital “Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) .Centro de Difusão de Tecologia e Conhecimento “Em ação: Casa Civil .CDTC .800. monitor de 15 polegadas. unidade de disco flexível. bem como linguagens de programação. São ofertados gratuitamente mais de 270 cursos. permite à indústria e ao varejo a oferta de computador e acesso à Internet a preços subsidiados.400 cidades brasileiras.Instituto Nacional de Tecnologia da Informação . voltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualidade profissional quanto para a melhoria do ensino. e com linha de financiamento específica. Ministério do Desenvolvimento. capacitando-a na prática das técnicas computacionais. browser.

de investigação da realidade e prestação de serviços especializados. periferias urbanas. É parceiro de diversos programas de inclusão digital do Governo Federal. Em sua fase inicial. voltados para a difusão do acesso ao conhecimento científico e tecnológico. serão atendidos 739 Pontos GESAC previamente selecionados por não possuírem atendimento educacional em Tecnologia de Informação e Comunicação (TICs). instalados em todo o Brasil desde 2003. comunidades quilombolas e ribeirinhas. O Programa conta com cerca de 11.O Programa GESAC provê conexão Internet banda larga.Os Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) são unidades de ensino e de profissionalização.750 municípios brasileiros (dados de Dez. O projeto não visa somente uma educação técnica. de experimentação científica. para escolas e órgãos públicos. Os CVTs estão direcionados para a capacitação tecnológica da população. o projeto ganha um caráter científico e profissional./2009). Atualmente o GESAC está dando início à implantação de um projeto chamado: Projeto Formação GESAC. como uma unidade de formação profissional básica. aldeias indígenas. sedes de organizações não-governamentais e/ou onde já existam outros projetos de inclusão digital do Governo Federal. destacam-se a Teia (área pública para divulgação de ideias).000 Pontos de Presença em funcionamento. Dentre esses serviços. telecentros comunitários e pontos remotos de fronteira.CVT . levando-se em conta a vocação da região onde se insere. O projeto é realizado por meio de parceria entre os Ministérios das Comunicações e da Educação. o correio eletrônico e as listas de discussão.” . mas também o desenvolvimento de habilidades voltadas para inclusão social das comunidades. promovendo a melhoria dos processos. e sua avaliação resultará em um trabalho crítico capaz de sustentar uma política pública de formação em inclusão digital e social.Centros Vocacionais Tecnológicos “Em ação: Ministério da Ciência e Tecnologia . que busca a capacitação de monitores para a formação de multiplicadores nos Pontos GESAC. e o CNPq. Com apoio de instituições de educação.” GESAC “Em ação: Ministério das Comunicações . Além da conexão. conhecimentos práticos na área de serviços técnicos. além da transferência de conhecimentos tecnológicos na área de processo produtivo. Até o momento o Ministério da Ciência e Tecnologia apoiu a criação de 236 CVTs. sindicatos. oferece ainda alguns serviços através de um portal voltado diretamente ao uso pelas comunidades atendidas. predominantemente via satélite. zonas rurais. atendendo mais de 4.

com notícias.5 mil municípios do país até junho de 2008.estão sendo cadastrados. 01 central de monitoramento com câmera de vídeo de segurança. para compartilhar melhores práticas entre os interessados no tema. 01 roteador wireless. 01 impressora a laser. articuladas no âmbito federal. onde serão realizadas atividades.Telecentros da Pesca “Em ação: Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) . Quase 5 mil prefeituras já estão cadastradas para o recebimento de equipamentos de informática e mobiliários que proporcionarão a montagem de espaços de acesso gratuito à população.Kits Telecentros “Em ação: Ministério das Comunicações – A doação de kits telecentros para prefeituras brasileiras é uma iniciativa do Programa de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações que tem como meta instalar telecentros em todos os 5. 10 computadores. links. conexão via Gesac.inclusaodigital. Há 29 unidades em funcionamento e outras 36 em implantação.” Pontos de Cultura . fornecendo equipamentos. Orçamento e Gestão e parceiros . manuais. 01 projetor multimídia (data show). Cada kit possui: 01 servidor de informática. 21 cadeiras. 11 estabilizadores. 11 mesas para computador. Telecentros de todo o país .br.000 unidades de telecentros em funcionamento no Brasil.org. estadual e municipal. documentos. 01 mesa do professor. tais como diretrizes.onid. 01 armário baixo. estudos e experiências de sucesso.espaços sem fins lucrativos com conexão à internet. que promovam a inclusão digital e social. com investimentos totais de R$ 134 milhões do governo federal. 01 mesa para impressora. por meio do uso das TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação). acesso livre à comunidade e capacitação .br são feitos o cadastro e o mapeamento dos telecentros.Implantação de telecentros em comunidades de pescadores. eventos e materiais de referência.Aglutina informações sobre todos os programas de inclusão digital do Governo Federal no portal http://www. formação e manutenção de agentes locais para monitoria e uso de software livre.gov. No site http://www.Cultura Digital . O ONID também trabalha na seleção de materiais de referência. Estima-se mais de 5.” Observatório Nacional de Inclusão Digital “Em ação: Ministério do Planejamento.” Maré .

Casa Civil. No ano seguinte.” Programa Banda Larga nas Escolas “Em ação: Presidência da República. áudio. através da interação com a tecnologia da informação e comunicação. em 2010. até dezembro de 2010.1 milhões de estudantes quando estiver plenamente implantado. economizando tempo e dinheiro. a rede de banda larga até a sede de todos os 5. a baixo custo e condições diferenciadas de empréstimo. das Comunicações. permite a implantação de equipamentos e formação de agentes locais para produção e intercâmbio de vídeo.“Em ação: Ministério da Cultura . e conexão à Internet. atendendo 84% dos estudantes do ensino básico do país. sendo a maioria organizações não governamentais. donas-de-casa. mais 40% das escolas serão beneficiadas e. Ministérios da Educação. O serviço vai beneficiar 37. Nesse período. A meta é que 40% das escolas públicas de educação básica previstas pelo programa tenham laboratórios de informática com internet banda larga ainda em 2008. as empresas devem aumentar periodicamente a velocidade de conexão.” Programa Computador Portátil para Professores “Em acão: Presidência da República. populações tradicionais e cooperativas.O Programa Cultura Viva apoia iniciativas culturais locais/populares e tem como ação prioritária o Ponto de Cultura que articula as demais ações do Programa.Programa Banda Larga nas Escolas vai beneficiar cerca de 55 mil escolas até 2010. A ação Cultura Digital. Diversos projetos culturais de todo o Brasil são apoiados financeiramente pelo programa Cultura Viva. os Ministérios da Educação.565 municípios brasileiros. Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). com vistas a contribuir com o aperfeiçoamento da capacidade de produção e formação pedagógica dos mesmos. credenciadas junto ao MEC. desde 2004. Secretaria de Comunicação (Secom).” Programa Estação Digital “Em ação: Fundação Banco do Brasil . O programa terá duração até 2025. fotografia e multimídia digital com uso de software livre. As concessionárias de telefonia deverão levar. criando novas perspectivas e melhorando a qualidade .Sempre com o apoio de um parceiro local. serão atendidas as 20% restantes.ECT. O Programa visa criar condições para facilitar a aquisição de computadores portáteis para professores da rede pública e privada da educação básica. profissional e superior. trabalhadores. a iniciativa busca aproximar o computador da vida de estudantes. Ministério da Ciência e Tecnologia e Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos . Planejamento e Ciência e Tecnologia .

O programa funciona de forma descentralizada. Já são 243 unidades em funcionamento pelo Brasil. Implantado em 2003. cuja atribuição principal é a de introduzir o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas da rede pública.” Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades . sob orientação da Presidência da República.” . além de articular as atividades desenvolvidas sob sua jurisdição. e integradas a arranjos produtivos locais.000 pessoas por mês.SERPRO . o PSID é uma das ações amparadas pela política de Responsabilidade Social e Cidadania da Empresa.de vida da população.PSID promove a inclusão digital e social das comunidades excluídas do universo das Tecnologias da Comunicação e Informação .Programa Nacional de Informática na Educação “Em ação: Ministério da Educação – O ProInfo é desenvolvido pela Secretaria de Educação a Distância (SEED). O objetivo é oferecer condições ao aperfeiçoamento da qualidade e à continuidade das iniciativas em curso. em sintonia com o Programa Brasileiro de Inclusão Digital do Governo Federal.Telecentros.” ProInfo .TIC. em parceria com as Secretarias de Educação Estaduais e Municipais. e formação de monitores bolsistas e não-bolsistas que atuem nos telecentros. 16% no Centro-Oeste.” Programa SERPRO de Inclusão Digital . assim como à instalação de novos espaços. 15% no sudeste. O Programa é resultado de um esforço do Governo Federal.PSID “Em ação: Serviço Federal de Processamento de Dados . bolsas de auxílio financeiro a jovens monitores. Cerca de 56% das unidades estão localizadas na região Nordeste.Programa SERPRO de Inclusão Digital . O apoio será em conexão. sendo que em cada Unidade da Federação existe uma Coordenação Estadual do ProInfo. de coordenação do apoio aos espaços públicos e comunitários de inclusão digital. por meio do Departamento de Infra-Estrutura Tecnológica (DITEC). em especial as ações dos Núcleos de Tecnologia Educacional (NTEs). computadores.BR “Em ação: Ministérios das Comunicações. 11% no norte e 2% no sul. da Ciência e Tecnologia e do Planejamento. com a capacidade para atender de 500 a 1.

escolas ou em outros espaços públicos. cursos à distância. Quilombolas e diversas etnias indígenas no Parque Indígena do Xingu-MT. O BB já implantou mais de 2.Projeto Computadores para Inclusão “Em ação: Ministério do Planejamento. doados pelas iniciativas pública e privada.025 computadores recondicionados a 347 escolas públicas. Os telecentros disponibilizam o acesso às novas tecnologias digitais. O Programa não se restringe à doação dos micros. e distribuídos a telecentros. Atualmente o Projeto CI atende as demandas por equipamentos recondicionados do Programa Telecentros. totalizando mais de 40. fomentando o desenvolvimento local. visando a implantação de Telecentros Comunitários. entre outros. telecentros e outras iniciativas de inclusão digital selecionados pela Coordenação Nacional. e dois em implantação nos estados do Pará e Bahia.Implantação de um sistema nacional de recondicionamento de computadores usados. e também em outras comunidades tradicionais como os Kalungas. MS. tais como meio ambiente. com a doação dos equipamentos susbtituídos para comunidades carentes.” Quiosque do Cidadão “Em ação: Ministério da Integração Nacional . MEC e MTE . atendendo cerca de 150 mil usuários. digitalização e impressão de documentos. O sistema computacional conta com softwares livres educativos. O projeto foi implantado em 100 comunidades carentes dos estados GO. MG. serviços do Governo Eletrônico. Guarulhos (SP). BA. PE. Belo Horizonte (MG) e Recife (PE). Existem quatro Centros de Recondicionamento de Computadores – CRC funcionando em caráter piloto em Porto Alegre (RS). além de incentivar a pesquisa para preparação de . treinamentos em informática. recondicionados por jovens de baixa renda em formação profissionalizante.O Programa de Inclusão Digital do Banco do Brasil é uma ação que se alinha com a política de responsabilidade socioambiental da empresa e começou com o processo de modernização de seu parque tecnológico. escolas e bibliotecas de todo o território nacional.000 telecentros e salas de informática em todo o país.O Projeto Quiosque do Cidadão instala computadores conectados à internet banda larga em bibliotecas públicas. o projeto recebeu mais de 15 mil equipamentos usados e doou 3. pois o Banco também cuida do treinamento dos monitores e da articulação de parceiras.” Telecentros Banco do Brasil “Em ação: Banco do Brasil . bibliotecas.000 computadores doados. Até agosto de 2008. relacionamento racial. alcoolismo e doenças sexualmente transmissíveis. direitos e deveres do cidadão. Brasília (DF). MT. prevenção às drogas.BR. guia de profissões.

” Territórios Digitais “Em ação: Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) . indígenas e quilombolas. o fortalecimento da agricultura familiar e o reconhecimento do acesso legítimo à terra por comunidades tradicionais.Projeto Um Computador Por Aluno “Em ação: Ministério da Educação e Casa Civil . Indústria e Comércio Exterior . apóia sua implantação junto aos projetos cadastrados. Articula doação de equipamentos. que devem dispor de energia elétrica e segurança adequada para receber os equipamentos de informática (computadores. roteador wireless. servidor. o Programa Territórios Digitais foi criado em 2008. As Casas Digitais são espaços públicos localizados nos Territórios da Cidadania.Apoio à implantação de telecentros e salas de informática em associações empresariais. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome estabeleceu parceria para que estes telecentros apóiem famílias beneficiárias ou público-alvo dos programas sociais. Durante o ano de 2007 foram selecionadas 5 escolas. As entidades contempladas se reponsabilizam pela gestão e administração dos espaços. São escolhidas pela própria comunidade e tornar-se-ão ponto de acesso comunitário gratuito de assentados e assentadas. por meio da distribuição de 1 computador portátil (laptop) para cada estudante e professor de educação básica em escolas públicas. A idéia central é garantir ao público-alvo a universalização do acesso às tecnologias de informação e comunicação e à rede mundial de computadores.Telecentros de Informação e Negócios “Em ação: Ministério do Desenvolvimento. A rede possui cerca de 3 mil entidades apoiadas em todos os 27 Estados brasileiros. entidades sem fins lucrativos e instituições do terceiro setor.O Projeto Um Computador Por Aluno (UCA) tem a finalidade de promover a inclusão digital. e visa contribuir para o desenvolvimento rural sustentável.trabalhos escolares. por meio da implantação de Casas Digitais. prefeituras. em São . Com o objetivo de oferecer gratuitamente o acesso à informática e internet para populações rurais. entre outras. antena via satélite. bem como a gestão e administração dos espaços por meios próprios. As instituições contempladas devem viabilizar a implantação dos equipamentos. como experimentos iniciais.” TIN . agricultores e agricultoras familiares.Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (NEAD). e disponibiliza conteúdos voltados a estes públicos por meio de portal na web. comunidades ribeirinhas. datashow e mobiliário).” UCA .

não passe de 3 mil. Piraí e Brasília. A distribuição será da seguinte forma: 5 escolas estaduais por estado. para efeito de avaliação. O projeto será replicado. Porto Alegre. Para o ano de 2008 está prevista a compra de 150 mil laptops para projeto piloto em 300 escolas públicas em todos estados-membros. Além dos computadores portáteis serão adquiridas umas séries de outros equipamentos que permitam o acesso à internet. também. professores e alunos. de acordo com o número de alunos. Cada escola terá um número médio de 500 alunos e professores beneficiados.Paulo. indicadas pela União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação – UNDIME. Palmas. e 2 a 5 escolas municipais. indicação do Conselho Nacional de Secretários de Educação Estaduais – CONSED. em 5 cidades cujo número máximo da população educacional pública.” .

Jane P. uma vez que o assunto não era de domínio dos integrantes do grupo. Isto. cada vez mais. Foi possível conferir a importância dos conteúdos tratados. LAUDON. além do governo que também ostenta apoio a programas de difusão dos mesmos. Kenneth C. Referências Bibliográficas. 7 ed. já que se refere a tendências que muito interferem no mundo corporativo. um número maior de empresas utiliza os softwares livres. Fontes da Internet. Com término de toda esta pesquisa pudemos avaliar o quanto conhecimento ela nos agregou. São Paulo: Pearson Prentice Hall.Conclusão. Vimos que. Sistemas de Informação Gerenciais. 2007. . e LAUDON.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful