EU… E AS MINHAS HISTÓRIAS DE AMOR Eu… Tenho sido muito burro e armado em grande durante esses tempos todos

, sabem porquê? Desprezei quem me ama; Amei quem fingiu que amava; Não amei quem iria me amar de verdade; Conquistei pessoas que nem por um fingimento de namoro eu ficaria com ela; Final de tudo Estou aqui! Sozinho, procura da Tal? Mais a história n termina aqui… Eu vou explicar como começou essa chuva de azar camuflada em sorte. Bom, foi a uns 6 anos atrás, quando eu namorava uma garota chamada Manuela, Uma miúda negra, linda de se ver, a cor dos seus olhos era negro, mais no coração dela só continha o bem, tinha uma altura média de 1,65 m por ai. Como em toda zona, tem sempre casas a mudarem entra e sai pessoas novas, mais só que dessa vez não foi uma pessoa qualquer. Numa tarde qualquer eu vi na casa da minha ex vizinha, entrar novos vizinhos. Bom como sempre, primeiro são os homens que chegam porque tem de carregar as coisas (mobílias de casa), mais passando uns tempos vejo duas miúdas a entrarem na nova casa, bom fiquei curioso e interessado pois as duas tinham uma beleza muito admirável de se ver, mais me contive porque apenas era o primeiro dia delas na casa e na nossa zona. Passando alguns dias elas já saiam de casa e ficavam debaixo do prédio para contemplar a paisagem da nova rua, elas viam motos, carros e pessoas novas passando dum lado pró outro mais n podiam chegar perto por serem novas e porque precisavam inteirar-se mais um pouco com o pessoal que vivia na zona. Num dia qualquer, eu passava debaixo do prédio onde elas viviam, então foi quando me deparei com uma das miúdas que eu tivera visto nos dias anteriores, pois então havia uma certa vergonha e medo de chegar próximo dela, mais a ansiedade de á conhecer era tanta que parei mesmo já passando por ela, então eu voltei e disse “Oi” ela respondeu normalmente como se já me conhecesse ou como se gostaria de me conhecer “Olá” foi então que eu me concentrei e pedi-a para a conhecer e ela disse, meu nome é “Manuela” e o teu? Eu espantado apresentei-me pra ela duma forma mais formal, e desde então pus a Manuela num lugar reservado do meu corpo “O coração” nesse dia eu não parava de falar o nome dela prós meus amigos e primos, mais n sabia que algo muito complexo estava a se criar dentro de mim, inocentemente ignorando esse facto Eu decidi que ela seria a “Tal”. Passando dois dias vi ela outra vez, mais dessa vez sem medo fui ter com ela conversamos ficamos um bom tempo a conversar falamos de muitos assuntos, e desde então perguntei a ela se tinha namorado ela me disse que “não” e que os pais dela diziam que era muito cedo para ela ter esse tipo de emoção sentimental chamada “namoro”, mais ela disse para mim que tinha encontrado o amor da vida dela e que eu não desconfiava quem seria, curioso eu fiquei e mais apaixonado ainda eu perguntei para ela quem seria essa pessoa, que tanto mexeu com ela, ela disse que só o tempo poderá me responder. Passando uns dias, eu saio para ficar no meu portão encontro ela debaixo do prédio e logo que me viu me chamou com um assobio daqueles meio

e com a certeza de que nada. eu vou mudar de província”.agudo. a única coisa que saio de mim. foi então que eu dei conta que era ela. nada nos iria separar. mais como era o meu pensamento contra a verdade dela eu não podia dizer o que eu estava a pensar. ela chegou pra mim. ela declarou-se pra mim. eu falava com ela mais sentia que jamais o nosso amor ia ser o mesmo. eu já não poderei estar mais aqui. com os olhos cheios de lágrima e disse: “Dinho. Uma vez mentalizei-me que esse sentimento iria terminar e até quem fim. e eu ficarei com um muito de ti”. dizendo “Essa pessoa é você e eu estou apaixonada por ti”. ela levou me nas escadas de traz ficamos lá a conversar. que Deus me deu. então fui pra lá ter com ela. bem eu não podia fazer nada mais do que o meu dever de namorado que é tentar consola-la mas não adiantava e parecia que era algo muito forte que se estava a passar. Passando uns tempos. Porque os meus pais vão mudar-se e essa casa é alugada. O DRAMA A relação estava super boa. e ela não dizia com medo de não me ver triste ou furioso. na casa da sua tia. O FIM Completou-se assim o dia do arrendamento e ela tinha de ir embora. nos ficávamos e já não era a mesma coisa ela estava mudada. foi um “PORQUÊÊÊ?”. e desde então prometemos um ao outro que nada iria nos separar nem mesmo a morte porque de todos os obstáculos que passamos surgiu a certeza de que fomos feitos um pró outro e que nada nos iria separar. me contive pois surgiu uma notícia boa. eu não julgo os pais dela. Ao longo dos tempos foram criando-se obstáculos mais mesmo assim lutamos para que a chama do amor permanecesse. estupefacto e ao mesmo tempo assustado eu fiquei e já que ela se declarou primeira já não há razão de eu me declarar também. Assim ela foi. Num dia qualquer. . nos amávamos mais a cada dia que passava. eu digo que até a desconfiar eu já cheguei a desconfiar o que estava a acontecer. dia antes eu estive com ela e lhe disse “quando fores leva um pouco de mim. pois eu pensei “Uma vez e pra Nunca mais” com o tempo fui percebendo que ainda tenho uma vida pela frente. O que eu não percebia era porque que nesse dia ela tinha me chamado e porquê? Numa conversa de 10min que tivemos. pois eu diria que o destino não quis que assim fosse… Adeus Manuela. O INICIO DE UMA NOVA RELAÇÃO O tempo passou. com os pais dela. apenas dou-lhes uma razão. e perto de mim. e devia viver essa vida. Passou dias ela ligava eu atendia todo triste o telefone. e sem se preocupar com o futuro. e assim se foi o grande amor da minha vida. conheci novas pessoas. ela disse pra eu ficar calmo porque ao final de cada trimestre ela passaria as ferias aqui. como qualquer outro dia. e triste quando ficava do meu lado. estava a começar a terminar mesmo quando me apercebi que uma nova garota se mudaria na antiga casa onde vivia a Manuela. então ficamos naquela noite felizes. novas amizades garotas interessantes mas nenhuma se enquadrava comigo porque eu ainda gostava da Manuela.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful