Você está na página 1de 73

Introdução ao Curso de

BIOQUÍMICA

Os estudos de Bioquímica Basica

e energetica

1. Introdução

2. Biomoléculas

3. Enzimologia e Bioenergética

4. Metabolismo

5. Biologia Molecular

6. Transdução de sinais

1. Introdução

Ligação química

Interações não covalentes

A àgua

Equilibrios Ácido-Base

2. Biomoléculas

Estudo descritivo de:

- Hidratos de carbono ou glicídios

- Lipídios

- Proteínas

- Ácidos nucleicos

3. Bioenergética e Enzimologia

- Fluxos de energia na materia viva

- Biocatálise e sua cinética

- Estudo descritivo de enzimas

- Coenzimas vitaminas

- Inbição enzimática

4. Metabolismo

Transformações químicas da

materia viva:

- Catabolismo

-Anabolismo

- Metabolismo intermediario

5. Biología Molecular

Os mecanismos moleculares da

Informação Genética:

- Replicação do DNA

- Transcrição

- Tradução

6. Transdução de sinais

Os mecanismos moleculares da

comunicação intercelular

A CÉLULA.

AS CÉLULAS CONSTITUEM AS UNIDADES ESTRUTURAIS E FUNCIONAIS DOS ORGANISMOS VIVOS.

“É UM SISTEMA ABERTO ISOTÉRMICO, QUE SE CONFORMA, SE AJUSTA E SE PERPETUA POR SIM MESMA.”

TIPOS DE CÉLULAS.

-HA DOIS GRANDES TIPOS DE CÉLULAS:

-PROCARIONTES ( Grego : pro = antes, karion = semente = núcleo)

-EUCARIÓNTES: (Com núcleo bem formado ).

Diferenças entre Procariotos e Eucariotos

Diferenças entre Procariotos e Eucariotos Células Eucarióticas Célula Procariótica

Células

Eucarióticas

Diferenças entre Procariotos e Eucariotos Células Eucarióticas Célula Procariótica
Diferenças entre Procariotos e Eucariotos Células Eucarióticas Célula Procariótica

Célula

Procariótica

Figura esquemática da Membrana Celular

Figura esquemática da Membrana Celular

Os Eucariotos

Os Componentes Celulares O Núcleo

Os Eucariotos Os Componentes Celulares O Núcleo Funções: • Síntese de DNA • Síntese de RNA

Funções:

Síntese de DNA

Síntese de RNA

Os Eucariotos

O Citoplasma

As Organelas Envolvidas por Membrana

As Mitocôndrias

As Organelas Envolvidas por Membrana As Mitocôndrias • Oxidam nutrientes orgânicos através do consumo de O

Oxidam nutrientes orgânicos através do consumo de O 2

Sintetizam ATP

Sintetizam certas proteínas da membrana mitocondrial

interna

Figuras esquemáticas dos Ribossomos

Figuras esquemáticas dos Ribossomos

COMPONENTES MOLECULARES DE UMA CÉLULA de E. Colí.

- ÀGUA -PROTEÍNAS -ÁCIDOS NUCLEICOS

. 70 % 15 %

DNA

.

1 %

RNA

.

6 %

-POLISSACARÍDIOS

3 %

-LIPÍDIOS -MOLÉCULAS DE UNIDADES FUNDAMENTAIS E INTERMEDIÁRIOS

 

2 %

2

%

- ÍONS INORGÂNICOS

1 %

Bioquímica Estática estudo de pode ser dividida em Dinâmica Biomoléculas Organismos Vivos podem ser
Bioquímica
Estática
estudo de
pode ser
dividida em
Dinâmica
Biomoléculas
Organismos Vivos
podem ser
Necessitam
Compostos de
Moléculas
Nutrientes
Moléculas
Necessárias
Complexas
para formar
Simples
fornecem
Células
Poliolosídios
formam
*Oses
*Energia
podem ser
* Polinucleotídios
formam
* Nucleotídios
*Aminoácidos
*Proteínas
formam
Eucarióticas
Procarióticas
contém
*Lipídios
contém
Componentes de
DNA
Núcleo Citoplasma
DNA
Membranas
Organelas
no
Bioquímica Estática ou Descritiva
Bioquímica Estática ou Descritiva
Estuda as substâncias que compõem o organismo vivo, suas funções e propriedades.
Estuda as substâncias que
compõem o organismo vivo,
suas funções e propriedades.
Bioquímica Dinâmica
Bioquímica Dinâmica
Estuda as reações e transformações que tem lugar entre os diversos constituíntes do bioplasma.
Estuda as reações e transformações
que tem lugar entre os diversos
constituíntes do bioplasma.
Estuda o metabolismo.
Estuda o metabolismo.

Bioquímica

Biomoléculas

organizações moleculares que integram a matéria

Elementos Biogenéticos:

O (62%); C (21%); H (9,9%); N (3%); Ca (1,9%)

P; K; S; Cl; Na; Mg; I; F; Fe; Mn

Os Elementos Essenciais para a Vida e a Saúde Animal

alta quantidade na dieta baixa quantidade na dieta

Os Elementos Essenciais para a Vida e a Saúde Animal alta quantidade na dieta baixa quantidade

Alguns Grupos Funcionais Comuns das Biomoléculas

Alguns Grupos Funcionais Comuns das Biomoléculas

Exemplos de Grupos Funcionais nas Biomoléculas

Adrenalina ou Epinefrina

Biomoléculas Inorgânicas

Água; Gases: O 2 CO 2 N 2 ; Ânions: Cl - , PO 4 3- , Cátions: Na + , K + , NH 4 + , Ca + , Mg 2+

Biomoléculas Orgânicas

Glicídios; Lipídios; Protídios, Nucleotídios

, K + , NH 4 + , Ca + , Mg 2 + Biomoléculas Orgânicas

As Macromoléculas e as Suas Subunidades Monoméricas

SUB-UNIDADE MONOMERICA

LETRAS

PALAVRAS

NUCLEOTÍDIOS

DNA

AMINO-

ÁCIDOS

PROTEÍNAS

Os Componentes dos Ácidos Nucléicos, dos Lipídios e de Alguns Polissacarídios

Os Componentes dos Ácidos Nucléicos, dos Lipídios e de Alguns Polissacarídios
Os Componentes dos Ácidos Nucléicos, dos Lipídios e de Alguns Polissacarídios
Os Lipídios

Os Lipídios

Os Lipídios

Triacilglicerol

Triacilglicerol

CHO

H-C-OH

CH 2 OH

O
O
CHO H-C-OH CH 2 OH O HO-C-H H-C-OH H-C-OH CH 2 -OH Glicose Os Glicídios
CHO H-C-OH CH 2 OH O HO-C-H H-C-OH H-C-OH CH 2 -OH Glicose Os Glicídios

HO-C-H

H-C-OH

H-C-OH

CH 2 -OH

Glicose

CHO H-C-OH CH 2 OH O HO-C-H H-C-OH H-C-OH CH 2 -OH Glicose Os Glicídios

Os Glicídios

Poliosídios

Poliosídios Glicogênio

Glicogênio

Poliosídios Glicogênio
As Proteínas

As Proteínas

As Proteínas

Nucleotídeo

Nucleotídeo Os Ácidos Nucléicos
Nucleotídeo Os Ácidos Nucléicos

Os Ácidos Nucléicos

Nucleotídeo Os Ácidos Nucléicos

Os Ácidos Nucléicos

Os Ácidos Nucléicos
Os Ácidos Nucléicos
Os Ácidos Nucléicos

A estrutura tridimensional é importante para para a função que a biomolécula desempenha

A estrutura tridimensional é importante para para a função que a biomolécula desempenha

Cinco Tipos de Transformações químicas que Ocorrem nas Células

Oxirredução

Clivagem e formação de ligações C-C

Rearranjos internos

Transferência de grupamentos químicos

Reações de condensação com eliminação de uma molécula de água

Estados de Oxidação do Carbono nas Biomoléculas

A Bioquímica é uma Ciência Multidisciplinar

Farmacologia

Nutrição

Genética

Patologia

Bioquímica Parasitologia
Bioquímica
Parasitologia

Fisiologia

Endocrinologia

TOXICOLOGIA

VIROLOGIA

Microbiologia

Imunologia

EMBRIOLOGIA

NUTRIÇÃO

Importante fator na saúde e na

causa e tratamento de diversas doenças

Obesidade

Osteoporose

Diabetes

Anemias por deficiência de ferro Cáries Dentárias

diversas doenças • Obesidade • Osteoporose • Diabetes • Anemias por deficiência de ferro • Cáries

O conhecimento da natureza molecular dos processos vitais permite o entendimento da manutenção da saúde, bem com o entendimento, e o efetivo tratamento de doenças

A saúde depende do balanço harmonioso das reações

bioquímicas que ocorrem no organismo

A doença reflete a anormalidade das biomoléculas, das reações

bioquímicas ou dos processos

bioquímicos

Taxa Metabólica Basal

É a energia necessária para a manutenção

das atividades fisiológicas

25 kcal/kg/dia

É definida como o valor necessário para elevar a temperatura de 1 kg (1L) de água em graus centígrados de 14,5 15,5 graus.

Assim sendo uma caloria é designada mais corretamente como quilocaloria (Kcal).

em graus centígrados de 14,5 15,5 graus. Assim sendo uma caloria é designada mais corretamente como

Alimentos

Quantidade

kcal

Alcatra frita

2 fatias (100g)

235

Bacon frito

2 cubos (30g)

198

Costeleta de porco

2 unidades (100g)

483

Apresuntado

1 fatia (15g)

22

Mortadela

1 fatia fina (15g)

41

Salaminho

1 fatia pequena

18

(2,5g)

Camarão frito

1 porção (100g)

310

Casquinha de Siri

1 unidade (200g)

413

Lula cozida

1 pires de chá

93

(100g)

Abacaxi

1 fatia (80g)

50

Figo maduro

1 unidade (50g)

68

Maçã vermelha

1 unidade (130g)

85

Alface

2 folhas (20g)

4

Brócolis

1 pires de chá (80g)

23

Cebola

1 unidade (70g)

32

Pão francês

1 unidade (50g)

135

Alimentos

Quantidade

kcal

Pão de queijo

1 unidade (20g)

68

Pão integral de trigo

1 fatia(100g)

261

Lasanha

1 porção (100g)

139

Macarrão à carbonara

1 prato (100g)

362

Pizza quatro queijos

1 fatia (140g)

432

Cerveja

1 lata de 350 ml

147

Champanhe

1 taça de 125 ml

85

Uísque

1 dose de 100 ml

240

Coca-Cola

1 lata de 350 ml

137

Guaraná

1 copo de 240 ml

75

Sprite

1 lata de 350 ml

115

Atividade

Quilocalorias gastas em

1 hora

Andar 5 km/h

350

Correr

800

Ficar sentado

70

Tomar banho

300

Varrer

250

Lavar roupa

200

Dormir

60

Escovar os

250

dentes

Jogar futebol

550

Ler

80

Assistir TV

70

Jogar vídeo-

150

game

Pedalar

450

Cantar

150

Falar

100

Comer

100

sentado

Atividade

Quilocalorias gastas em 1

hora

Nadar

500

Amamentar

100

Usar o

120

computador

Pentear o

250

cabelo

Rir

90

Usar o telefone

200

Bater palma

120

Meditar

50

Beber água

80

Subir/descer

670

escada

Passar roupa

250

Dançar

400

Fazer comida

250

Brincar

200

Dieta Recomendada: 15% proteína; 30% gordura e 55% de glicídios

Dieta Recomendada: 15% proteína; 30% gordura e 55% de glicídios

Dieta Recomendada: 15% proteína; 30% gordura e 55% de glicídios

Produtos da Digestão

Glicose

Galactose

Frutose

Ribose

Bases Púricas Nucleosídeos

Bases Pirimídicas Aminoácidos Triacilglicerol

Colesterol

A Compartimentalização Celular

Serve para:

isolar as reações metabólicas

fornecer um ambiente favorável para que

a reação

organizar as milhares de enzimas existentes célula

ocorra

na

Estado Absortivo ADIPÓCITO FÍGADO Gli 6 P Glicose Glicogênio Gli Glicose 6 P Gli C.
Estado Absortivo
ADIPÓCITO
FÍGADO
Gli 6 P
Glicose
Glicogênio
Gli
Glicose
6 P
Gli
C. Pentoses
Piruvato
Piruvato
Aminoácidos
C. Pentoses
AA
Acetil-CoA
CK
CK
Proteína
Acetil-CoA
TAG
TAG
Triacliglicerol
Ácido Graxo
Quilomícron
Ácido Ácido Graxo Graxo
VLDL
VLDL
CÉREBRO
Gli
Gli 6 P
Glicose
MÚSCULO
Glicogênio
Gli 6 P
Glicose
Piruvato
CK
CK
Piruvato
Acetil-CoA
Aminoácidos
Acetil-CoA
Proteína
AA

Adaptado de Champe-96

Estado de Jejum
Estado de Jejum
FÍGADO ADIPÓCITO Glicogênio Gli Glicose 6 P Gli Acetil-CoA CK Piruvato Corpos TAG Cetônicos CK
FÍGADO
ADIPÓCITO
Glicogênio
Gli
Glicose
6 P
Gli
Acetil-CoA
CK
Piruvato
Corpos
TAG
Cetônicos
CK
Acetil-CoA
Corpos
Ácido
Glicerol
Cetônicos
Graxo
Ácido Graxo
Precursor
Gliconeogênico
CÉREBRO
Gli 6 P
AA
Glicose
MÚSCULO
Gli 6 P
Glicogênio
Corpos Cetônicos
Corpos
Piruvato
Aminoácidos
Cetônicos
Piruvato
CK
Acetil-CoA
Proteína
CK
Acetil-CoA

Adaptado de Champe-96

Bibliografias recomendadas:

Lehninger, A.; Nelson, D.L. e Cox, M.M. Princípios de Bioquímica. São Paulo: Sarvier, 1995.

Voet, D.; Voet, J.G.; Pratt, C.W. Fundamentos de Bioquímica Porto Alegre: Artes Médicas Sul Ltda., 2000.

Devlin, T.M. Manual de Bioquímica com correlações clínicas. São Paulo, Editora Edgard Blücher Ltda,1998

Montgomery, R.; Conway, T.W.; Spector, A. A. Bioquímica:

uma abordagem dirigida por casos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

Champe, P.C. e Harvey, R.A. Bioquímica ilustrada. Porto Alegre: Artes Médicas Sul Ltda., 1996.

Fluxo de eletrons fornece energia

Fluxo de eletrons fornece energia
Organismos fotossintetizantes liberam oxigenio e combustiveis

Organismos fotossintetizantes liberam oxigenio e combustiveis

Organismos fotossintetizantes liberam oxigenio e combustiveis

Energia

Energia • Metabolismo de compostos ricos em energia • Oxidação de Compostos reduzidos – Respiração •

Metabolismo de compostos ricos em energia

Oxidação de Compostos reduzidos

Respiração

Glicose + O2 >>>energia + CO2 e H2O

Morro abaixo

Reações de óxido redução

Reações de óxido redução

Fluxo de eletrons

Fluxo de eletrons • Morro abaixo • Base da geração de energia dos seres vivos

Morro abaixo

Base da geração de energia dos seres vivos

Fluxo de eletrons

Fluxo de eletrons • Objeto no alto tem energia potencial • Quanto maior a altura maior
Fluxo de eletrons • Objeto no alto tem energia potencial • Quanto maior a altura maior

Objeto no alto tem energia potencial

Quanto maior a altura maior a diferença entre as energias potenciais

Energia livre : ΔG

Ela sempre um pouco menor do que a variação total da energia

Perda

Dissipação de calo

Quanto maior a inclinação, maior é a energia quando ele se desliza para baixo

Reaçoes quimicas acopladas

Metabolismo

Reações quimicas acopladas ocorre assim que uma reação que libera energia fornece energia para outra que requer energia

Reações quimicas em sistema fechado ocorre ate quando as reações entram em equilibrio

No equilibrio a velocidade da formação do produto é a mesma do produto ser convertido em reagente

Nao existe variação de concentração

A variação de energia nesta fase ate entrar em equilibrio é chamada de Variação de Energia livre

Variação do ΔG

A grandeza de ΔG depende da reação quimica e de o sistema está inicialmente distante do equilibrio

Cada composto quimico envolvido em uma reação quimica contem uma certa quantidade

de energia potencial relacionada ao tipo e ao

numero das ligações

Reações espontaneas

Os produtos tem menos energia livre que os reagentes

A reação libera energia livre que esta disponivel para realizar trabalho.

Sao reações exergonicas

A diminuicao de energia livre a partir dos reagentes para os produtos é expressa em valores de ΔG negativos

Reações endergonicas

Requerem uma quantidade de

energia e o seu ΔG é positivo

Reações exergonicas

Assim como na mecanica somente parte da energia liberada pelas reações exergonicas podem ser utilizadas para executar um trabalho

Nos sistemas vivos ha dissipação em calor

Organismos vivos

Organismos vivos • Assim como neste exemplo duas reações podem estar acopladas • Uma exergonica pode

Assim como neste exemplo duas reações podem estar acopladas

Uma exergonica pode estar acoplada a uma endergonica

Exemplo de reações acopladas

Sintese de glicose 6 fosfato

A maneira mais simples é a produção pela reação 1 que usa fosfato inorganico

Nesta reação o produto tem mais energia que os reagentes

Reação endergonica

Na reação 2 os produtos tem menos energia que os reagentes

Reação libera energia

– Reação endergonica • Na reação 2 os produtos tem menos energia que os reagentes –

Exemplo de reações acopladas

As duas reações tem algo em comum

Fosfato inorganico

Consumido na reação 1 e produzido na reação 2

As duas podem ser acopladas formam de reação 3

A energia liberada pela reação é

bem maior que aquela consumida

Reação é exergonica

Acoplamento de reações endergonicas com exergônicas é central para trocas de energia nas celulas vivas

exergonica • Acoplamento de reações endergonicas com exergônicas é central para trocas de energia nas celulas

Estabilidade das biomoleculas

Reacoes exergonicas nao necessariamente ocorre de forma rapida

Ha uma barreira chamada de ativação

Elas sao cruciais para a

estabilidade das

biomoléculas

As enzimas catalizam as reações diminuindo a barreira de ativação

cruciais para a estabilidade das biomoléculas • As enzimas catalizam as reações diminuindo a barreira de

Catalise enzimatica

Enzima aumenta a velocidade de reação quimica

Este aumento pode ser um milhao de vezes

maior

10 10 a 10 14

aumenta a velocidade de reação quimica • Este aumento pode ser um milhao de vezes maior

Vias metabolicas

Nas celulas as reações catalizadas por enzimas sao funcionalmente organizadas em sequencias

Produto de um reação vira substrato na reação seguinte

Vias catabolicas e

Anabólicas

em sequencias • Produto de um reação vira substrato na reação seguinte – Vias catabolicas e

Metabolismo é regulado

Para ser economico e equilibrado

Inibição retroalimentação negativa

Feedback

Metabolismo é regulado • Para ser economico e equilibrado • Inibição retroalimentação negativa – Feedback

Informação genetica

Compartamentalizado

Molecula grande

Informação genetica • Compartamentalizado • Molecula grande

DNA

Estrutura permite seu reparo e sua replicação com fidelidade

Subunidades de desoxirribonucleicos

DNA • Estrutura permite seu reparo e sua replicação com fidelidade • Subunidades de desoxirribonucleicos

Papel das mutações na evolução

Papel das mutações na evolução

DNA armazena informação genetica

DNA armazena informação genetica