Você está na página 1de 7

JAIME OLIVEIRA

Engenharia de Incêndios

Pós- flashover

2011

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Pré- flashover

1.

Introdução

O

objetivo deste capítulo para o estágio pós-flashover é conter o fogo e prevenir

o colapso estrutural quando necessário para satisfazer os requisitos de

desempenho.

Este capítulo dá um método para avaliar a severidade esperada para um pós-

flashover numa célula de carga (firecell) com conhecido carga de incêndio e

ventilação.

2. Célula de carga (compartimentação horizontal):

Consiste de um número de compartimentos separados temporariamente ou permanentemente por paredes. Neste caso, um incêndio em uma sala pode ser contido no compartimento de origem ou se propagar progressivamente para outros compartimentos pelos espaços fechados por barreiras frágeis (ex. divisórias) ou que haja falhas nas barreiras de proteção. é a característica construtiva, concebida pelo arquiteto ou engenheiro, na qual se tem a divisão em nível (cômodos) ou vão vertical (pé direito), cujas características básicas são a vedação térmica e a estanqueidade à fumaça, em que

o elemento construtivo estrutural e de vedação possui resistência mecânica à

variação térmica no tempo requerido de resistência ao fogo - TRRF, determinado

pela norma correspondente, impedindo a passagem de calor ou fumaça, conferida à edificação em relação às suas divisões internas;

3. Carregamento de incêndio ou carga de incêndio:

É a soma das energias caloríficas possíveis de serem liberadas pela combustão

completa de todos os materiais combustíveis em uma área, inclusive o

revestimento das paredes, divisórias, pisos e tetos.

uma área, inclusive o revestimento das paredes, divisórias, pisos e tetos. Prof. Msc. Jaime Rosa de
uma área, inclusive o revestimento das paredes, divisórias, pisos e tetos. Prof. Msc. Jaime Rosa de

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Pré- flashover

4.

Energia do Carregamento de incêndio.

O

total de carregamento armazenado em uma célula de carga ou compartimento

de origem “E” (MJ) é a soma de todos as energias disponíveis quando os materiais combustíveis são queimados dado por:

Onde:

= indica a soma dos diferentes tipos de combustíveis;

M= massa do carregamento de combustível (MJ/Kg)

Para o propósito de engenharia de proteção contra incêndios, os valores

convenientes para “α” são mostradas na tabela 1 abaixo.

A carga de incêndio e f (MJ/m 2 ) é:

e f = E/A f

(1.2)

5. Severidade de incêndio.

5.1 Tempo equivalente de exposição ao incêndio

A severidade de um pós-flashsover é equivalente ao tempo de exposição do

incêndio padrão que produziria a mesma temperatura máxima em uma estrutura

metálica dando uma queima completa de uma célula de carga. O método foi

desenvolvido para membros de estruturas de aços protegidos, mas é considerado

razoável para outros materiais diferentes do aço.

A expressão empírica recomendada (Eurocode 1993) para o tempo (t e ) de

severidade do incêndio equivalente é dado por (min.):

Onde:

e f = é a carga de incêndio (MJ/m 2 )

k b = é o fator de conversão dado na tabela 1

w f = é o fator de ventilação

o fator de conversão dado na tabela 1 w f = é o fator de ventilação
o fator de conversão dado na tabela 1 w f = é o fator de ventilação

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Pré- flashover

Se as propriedades dos materiais não são conhecidas, o valor de k b = 0,067 é sugerido. Esta fórmula é baseado nos combustíveis celulósicos.

Tipo de construção

K

b

Material isolante

0,090

Concreto

0,055

Aço

0,045

5.2 Fator ventilação O fator ventilação w f é dado por:

Onde

)

A f = é a área do piso do compartimento considerado;

A v = é a área das aberturas verticais (portas e janelas) (m 2 );

A h = é a área das aberturas horizontais (m 2 ) e;

H = é a altura do compartimento (m)

das aberturas horizontais (m 2 ) e; H = é a altura do compartimento (m) Prof.
das aberturas horizontais (m 2 ) e; H = é a altura do compartimento (m) Prof.

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Valores tabelados

Pré- flashover

Tabela 1 valores equivalentes do tempo de severidade do t e

1 – valores equivalentes do tempo de severidade do t e 5.3 - Taxa de liberação

5.3 - Taxa de liberação de calor

A taxa média de liberação de calor Q e relacionado ao tempo equivalente é dado por:

liberação de calor Q e relacionado ao tempo equivalente é dado por: Prof. Msc. Jaime Rosa
liberação de calor Q e relacionado ao tempo equivalente é dado por: Prof. Msc. Jaime Rosa

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Pré- flashover

EXERCÍCIO

Dado um compartimento de origem com sua geometria, tamanho de

aberturas verticais e carga de incêndio. Calcular o tempo de severidade de

incêndio equivalente e a taxa de liberação de energia.

Geometria: comprimento= 5m Largura = 5m

Área do piso = 5 x 5 = 25 m²

Altura do compartimento = 3m

Carga de incêndio = 800 MJ/m²

Fator de conversão K b = 0,055 min. m 2.3 /MJ

Aberturas verticais: altura h= 2,0m

comprimento w= 3,0m

Área das aberturas verticais: A v = h x w= 6m²

Não há aberturas horizontais (A h = 0)

Fator ventilação:

) = 41,8

= 0,836 m -0.3

horizontais (A h = 0) Fator ventilação: ) = 41,8 = 0,836 m - 0 .
horizontais (A h = 0) Fator ventilação: ) = 41,8 = 0,836 m - 0 .

Engenharia de Seg. contra Incêndios

Pré- flashover

Tempo de severidade equivalente:

Energia do Carregamento de incêndio:

Taxa de liberação de calor:

: Energia do Carregamento de incêndio: Taxa de liberação de calor: Prof. Msc. Jaime Rosa de
: Energia do Carregamento de incêndio: Taxa de liberação de calor: Prof. Msc. Jaime Rosa de