DOENÇAS OCUPACIONAIS RELACIONADAS COM A PELE (DEFINIÇÃO E PREVENÇÃO) O que é Doença Ocupacional?

Doença ocupacional é a alteração na saúde do trabalhador, provocada por fatores ambientais associados ao trabalho. Como se Adquire uma Doença Ocupacional? A doença ocupacional pode ser adquirida através de exposição do trabalhador a agentes químicos, físicos, biológicos ou radioativos, em situações acima do limite permitido por lei, sem a utilização de roupas e/ou equipamentos de proteção coletiva ou proteção individual compatíveis com o risco exposto. Qual a diferença entre Doença Ocupacional e Acidente de Trabalho? Doença ocupacional é a alteração na saúde do trabalhador causada por exposição excessiva a agentes químicos danosos em curto, médio e longo prazo. Em geral, as doenças ocupacionais levam algum tempo para se manifestarem e, quando isto ocorre, aparecem sob a forma de tumores malignos (câncer) ou lesões em órgãos, entre outros. Já os acidentes de trabalho poder ser definidos como acidentes de ação imediata, provocados por situações adversas. Englobam acidentes de trabalho, queimaduras, quedas, cortes e amputações de membros, entre outros. Quais as implicações legais para o empregador e técnicos responsáveis pela segurança nas empresas quanto às Doenças Ocupacionais? Todo o empregador é obrigado a oferecer proteção adequada ao trabalhador no seu ambiente de trabalho. Para executar essa tarefa, a legislação exige que cada empresa tenha uma equipe técnica responsável por decidir e implantar processos de segurança (engenharia, equipamentos e treinamentos de segurança) para os funcionários. Caso algum funcionário, comprovadamente, adquira uma doença ocupacional por falta de uso de equipamentos para sua proteção, a empresa - na figura de seu proprietário ou representante legal - assim como toda a equipe técnica, podem ser responsabilizados e sofrerem processo criminal pela lesão causada ao funcionário. Além disso, o funcionário pode solicitar indenização pelo dano causado. O que é a pele e por que protegê-la? A pele é o maior órgão do corpo humano e atua em funções extremamente importantes para a vida, tais como: • Barreira de proteção • Sensibilidade física • Regulação da temperatura • Sintetização de vitaminas • Sustentação para outros órgãos • Indicativo de diagnóstico para certas doenças.

Em algumas situações. . uma pequena camada de gordura. Não é raro encontrar funcionários com agentes químicos em ambientes controlados queixando-se de problemas de pele. Além disso. ácidos. Nela está contida a camada córnea. (ou seja. onde está localizada a reserva de gordura utilizada em eventuais necessidades calóricas. Se o contato com o agente irritante for contínuo. glândulas sebáceas e outros componentes. ocasionando dor e possíveis sangramentos. • Dermatite de contato por irritação. a derme fica exposta. Quando a epiderme é danificada. É importante entender que o funcionário pode passar anos trabalhando com um certo agente químico e desenvolver um processo alérgico bastante severo de forma repentina. Esse processo pode levar dias. a camada córnea da epiderme será removida. semanas ou meses. Agentes redutores e agentes oxidantes. terminações nervosas. Num primeiro contato da pele com um agente irritante a epiderme pode perder sua barreira proteção inicial. as conseqüências da dermatite de contato alérgica são as mesmas das dermatites causadas por agentes irritantes. o trabalhador perde a capacidade de utilização do membro.Camada mais interna. álcalis.Camada mais externa. são muito freqüentes. a dermatite de contato alérgica pode se manifestar a partir de cinco dias ou até vários anos de exposição à substância química. Quando isso ocorre. qualquer substância química terá acesso facilitado para a corrente sangüínea. as dermatites alérgicas por contato com agentes químicos são tão ou mais freqüentes que as demais alergias. dentro ou fora do ambiente de trabalho. Quais as Doenças Ocupacionais que podem afetar a pele. e quais suas conseqüências? As doenças ocupacionais que afetam a pele em geral se manifestam sob forma de dermatites. composta de células mortas. Derme . principal responsável pela proteção da pele. fluídos de cortes. onde se encontram vasos sangüíneos. dependendo do agente químico e da suscetibilidade do trabalhador.Camada intermediária. entre outros). exceto pelo seu período de manifestação. muitas vezes causados por agentes irritantes (água. No entanto. • Dermatite ou eczema de contato alérgico As alergias da pele. o membro atingido pode passar a apresentar sangramentos. Isso ocorre devido à sua suscetibilidade em relação ao agente químico (geralmente em baixas concentrações) ao qual ele está exposto. Subcutâneo . permitindo que a derme fique exposta.A pele é composta por 3 camadas: Epiderme . infecções e lesões mais severas e em alguns casos. Essa reserva também pode atuar como um amortecedor para os órgãos internos contra choques externos. Em relação aos danos à pele. que oferece barreira contra agentes externos agressivos. ocorrer uma rotina de trabalho com o agente irritante). agentes físicos.

dominante ou recessivo e multifatorial. a exposição solar intensa e a exposição a alguns pesticidas atuem como fatores precipitantes da doença em indivíduos geneticamente predispostos. Vários fatores têm sido associados à etiopatogenia da doença. . furacin e prometazina). • Indústrias de cimento Dermatite alérgica de contato em pedreiro polissensibilizado a cromato. Os principais são: . Aproximadamente 20% dos pacientes com vitiligo têm pelo menos um parente de primeiro grau com a doença.Herança: o fator genético presente é autossômico. . aceleradores da borracha e tópicos (sulfa. com provável participação de vários genes. .Fatores ambientais: 10 a 76% dos pacientes com vitiligo atribuem a doença a algum fator precipitante. É provável que o estresse.Outros casos de doenças ocupacionais da pele: • Indústrias de Borracha Vitiligo ocupacional causado pelo monobentil éter de hidroquinona (MBEH).Auto-imunidade: o vitiligo tem sido considerado doença autoimune devido à associação positiva com algumas doenças como tireoidites e diabetes mellitus. ou seja.

atingindo abdome e antebraços do trabalhador.O contato freqüente com massa de cimento causou alergia severa. Teste epicutâneos positivos com óleo solúvel puro e diluído a 50% em óleo de oliva. • Indústria de galvanoplastia Sarna dos niqueladores severa. • Indústria de extração de sal . vesiculosas e pruriginosas. Trabalhador em torno revólver sofreu arranhões por farpas metálicas. que resultou em lesões lineares. comprometendo os menbros superiores e inferiores do trabalhador. • Indústrias metalúrgicas Dermatite alérgica de contato (DAC) por óleo de corte solúvel.

Como identificar os riscos ocupacionais relacionados com doenças de pele? Os agentes que podem agredir a pele são os seguintes: • Químico (ácidos. quando danificada. umidade) . óxido de etileno e chumbo. com sérias conseqüências. podem provocar várias doenças no funcionário. etc.) • Físicos (calor. frio. • Indústrias de fibra de vidro Dermatite de contato pela fibra de vidro (DCFV). Como os produtos químicos podem atingir a corrente sangüínea e os órgãos através da pele? A pele. As substâncias químicas atingem os órgãos pelos quais elas têm mais afinidade. O quadro é pruriginoso.Pitiríase versicolor (Fungo de Praia) comprometendo tronco e membros superiores. metais. o que é incomum nesta dermatose. podendo ser desde o sistema nervoso até o sistema hepático e renal. • Agentes químicos podem ocasionar doenças ou lesões Substâncias como solventes orgânicos. entre outros. solventes. ocasionando lesões ou doenças. Observe lesões de aspecto purpúrico no tronco e flanco do trabalhador. facilita a penetração de agentes químicos na corrente sangüínea. entre elas invalidez permanente ou até mesmo a morte. esses agentes podem atingir os órgãos do corpo. Dessa forma.

Qual a quantidade de produto químico a que está exposto? (por exemplo: apenas uma névoa.) a quantidade e o estado físico que esse produto estará presente e os efeitos adversos provocados por ele em contato com seres humanos.Qual o trabalho que o funcionário está executando? (por exemplo: transporte de agentes químicos. etc. trabalho em condições úmidas. A partir da determinação da necessidade de uso de roupa de proteção. cobalto. Para tanto. irritantes e sensibilizantes).) Agentes químicos . em 2 critérios: a resistência química (permeação) do material de proteção e sua resistência física em situações de esforço.Quanto tempo o funcionário fica exposto a essa atividade? 3. a sua seleção deve seguir alguns critérios: 1. Quando e como selecionar uma roupa de proteção? As roupas de proteção devem ser utilizadas em todas as atividades que lidem com agentes danosos e que possam vir a provocar doenças ocupacionais. Entre os principais testes podemos citar o Teste de Permeação e o Teste de Pressão. carregamento de máquina. etc. o profissional deverá avaliar o máximo de conforto possível ao funcionário frente à sua necessidade de proteção. carregamento de tanques. envasamento de vasilhames. deve ser avaliado qual agente químico utilizado. etc. inorgânicas. Esses e outros órgãos governamentais estabeleceram alguns testes de eficiência capazes de trazer segurança ao usuário quanto ao uso de roupas de proteção química. o profissional da área de segurança deverá selecionar a roupa de proteção ideal para cada atividade baseando-se.) Respondidas essas questões. etc. sobretudo. apenas por acidente ele entrará em contato com o agente químico. fungos. tempo de exposição.Praticamente 80% das doenças ocupacionais de pele (dermatoses) são provocadas por agentes químicos (substâncias orgânicas.• Biológicos (bactérias. Quais as regulamentações e as normas internacionais exigidas para as roupas de proteção? Vários órgãos americanos e europeus estão envolvidos na elaboração de diretrizes para o uso seguro e correto de roupas de proteção química. . Paralelamente a isso. o grau de contato do funcionário com tal agente (tipo de contato. O Teste de Permeação ou método ASTM F739-91 ("Método de Teste de Resistência e Permeação por Líquidos ou Gases em Condições de Contato Contínuo com Materiais para Roupa de Proteção") determina a resistência de um material em termos de barreira para agentes químicos.) 2. vírus) • Radioativos ( urânio. Entre eles podemos citar o OSHA (Occupational Safety and Health Administration) e o EPA (Environment Protection Association). entre outros. Consideramos de uso seguro uma roupa cujo material tenha sido capaz de manter sua barreira por 8 horas (os testes são realizados em até 8 horas de exposição).

ou seja. para ser comercializada. visualizar os riscos aos quais os funcionários estão expostos. optou-se pela utilização de roupas de proteção química que são descartadas uma vez contaminadas. isto é.Outro teste muito utilizado é o Teste de Pressão. a roupa de proteção química. Por que isso acontece? Uma vez contaminada com um agente químico. Feito isso. em um primeiro momento. no qual estabelece garantias em relação ao equipamento de proteção a ser comercializado. também necessita do Certificado de Aprovação (CA) do Ministério do Trabalho. Primeiramente. . ainda são pouco divulgados os perigos aos quais os funcionários que lidam com agentes químicos estão expostos. Por isso. verificou-se que a manutenção de uma roupa de proteção exige muitos cuidados e detalhes minuciosos. ele deve ser comunicado. Roupas de proteção sem manutenção x reutilizáveis. deve ocorrer o que se chama neutralização do agente químico. tomando-se sempre o cuidado de tratar a água contaminada. de forma clara. que passam a inviabilizar financeiramente o processo. No entanto. Uma vez feita a neutralização. Essa ação deve ser realizada para que não haja efeito acumulativo do agente químico no tecido da roupa. Para se obter atualmente o CA. Como se adquire o Certificado de Aprovação para roupas de proteção? Assim como os outros equipamentos de proteção individual. específico para materiais de roupas de proteção contra gases. que o material com o qual ele está trabalhando pode prejudicar sua saúde e que isso implica na sua capacidade de trabalhar e de sustentar sua família. é de suma importância envolver o trabalhador no processo de sua proteção. Como estimular o funcionário a utilizar roupas de proteção? Infelizmente. a submeter seu produto a testes reconhecidos internacionalmente. 90% das roupas de proteção não possuem manutenção. Qual a diferença e quando utilizálas? Nos países europeus e nos Estados Unidos. uma vez diagnosticado. Isso significa que o fabricante não é obrigado. são descartadas logo após o uso. A primeira ação é enxaguar a roupa ainda vestida com o máximo possível de água corrente. a roupa deve ser submetida a lavagem e a testes laboratoriais. Esse teste consiste em inflar a roupa de proteção. a roupa de proteção não descartável deve sofrer um processo de descontaminação. Analisando o processo acima. decorrentes de problemas nas costuras e vedação. tendo em vista um grande número de etapas e elementos envolvidos. que indicarão se ainda existem resíduos no material descontaminado e lavado. Por isso. por força de lei. Em muitos locais de trabalho não é possível. cabe ao consumidor certificar-se de que o produto que está sendo comprado realmente é capaz de suprir suas necessidades de segurança. um outro agente químico é usado para neutralizar as ações do primeiro. a fim de se verificar a existência de quaisquer tipos de vazamentos de ar. o fabricante deve redigir um termo de responsabilidade. no Brasil.

Assim ele se torna um colaborador. Cuidar é mais que um ato: é uma atitude. preocupação. abrange mais que um momento de atenção. . Portanto. Representa uma atitude de ocupação. “O que se opõe ao descuido e ao descaso é o cuidado. de zelo de de desvelo. tornando-o comprometido com seu uso. Nunca esconda do funcionário o risco ao qual ele está sujeito. de responsabilização e de envolvimento afetivo com o outro”.O segundo passo é envolver o funcionário na escolha do equipamento de segurança. Deve-se sempre lembrar que sua opinião é um dos passos mais importantes para a utilização segura e correta de uma roupa de proteção química.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful